quarta-feira, 18 de abril de 2018

Ação de Readequação do teto do INSS




Readequação do Teto do INSS

Comunicado nº 005/2018 - AAPPREVI

Curitiba (PR), 18 de abril de 2.018.

Caros colegas,

A Ação que a AAPPREVI patrocina para os associados continua apresentando resultados positivos, mantendo a perspectiva de elevados ganhos, desde a impetração
Eis abaixo a notícia veiculada em julho de 2017 no Jornal AGORA S. PAULO, que deu início à conclusiva e exitosa busca pela jurisprudência que ampara o nosso pleito.

Atenciosamente,
Marcos Cordeiro de Andrade
Presidente Administrativo


25/07/2017

Revisão do teto garante até R$ 560 mil em atrasados

Leda Antunes - do Agora

A revisão do teto pode pagar até R$ 560 mil em atrasados aos aposentados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que tiveram o benefício concedido entre 5 de outubro de 1988 e 4 de abril de 1991, período chamado de buraco negro.
Em duas decisões recentes, o TRF 3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), que atende São Paulo e Mato Grosso do Sul, garantiu a correção a um aposentado e a uma pensionista que foram prejudicados pelo INSS.
As aposentadorias foram concedidas em 1990 e foram limitadas ao teto, que é o valor máximo pago pela Previdência.
Em um dos casos, o erro ocorreu em 1992, quando o benefício passou pela revisão do buraco negro.
Quem conseguiu a correção foi a viúva.
O benefício subirá de R$ 2.542,69 para o teto, de R$ 5.531,31 hoje, e os atrasados foram calculados em mais de R$ 563 mil.

========
Observações do Blog www.previplano1.com.br 

A AAPPREVI mantém essa Ação em curso para os seus associados.


segunda-feira, 16 de abril de 2018

Eleições sem a AAPPREVI - Comunicado oficial


Marcos Cordeiro de Andrade
Caros Colegas,

Seguindo a tradicional isenção já declarada com o Comunicado nº 35 de 26/02/2014, e em respeito ao particularíssimo direito de escolha dos seus milhares de associados e apoiadores, a AAPPREVI não indica candidatos nem se envolve nas campanhas em andamento para as Eleições CASSI e PREVI 2018 - conforme Nota Oficial.

Atenciosamente,
Marcos Cordeiro de Andrade
Presidente Administrativo da AAPPREVI
================================================================


COMUNICADO nº 004-2018 - AAPPREVI
Eleições CASSI e PREVI
Curitiba (PR), 16 de abril de 2018.

Caros Associados e demais Colegas,

Ouvidos os membros da Diretoria, a AAPPREVI reafirma sua isenção em participar no processo eleitoral para preenchimento de cargos na CASSI e na PREVI.

Deste modo, abstém-se de declarar apoio a nomes de candidatos e números de chapas envolvidos no pleito cuja campanha tem andamento.

Obviamente, tanto seus dirigentes como os demais associados têm ampla liberdade para declarar suas convicções políticas, seja como votado ou como votante. Todavia, a esse exercício democrático não está facultado o uso do nome da AAPPREVI, conforme preceitua o Estatuto: (Art. 9º - § 1º - É vedado aos associados, em qualquer caso, usar o nome da associação sem autorização expressa da mesma) - sujeitando-se os infratores às penalidades ali delineadas.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade
Presidente Administrativo

José Geraldo Garcia Guedes
Vice-Presidente Administrativo

Antônio Américo Ravacci
Vice-Presidente Financeiro

Júlio César Pestana Costa
Vice-Presidente para Assuntos Previdenciários
 www.aapprevi.com.br  

terça-feira, 10 de abril de 2018

ASSISTIDOS ganharão a Eleição PREVI 2018



ASSISTIDOS GANHARÃO a Eleição PREVI 2018.
Marcos Cordeiro de Andrade
Curitiba (PR), 10 de abril de 2018.

Caros colegas.

Não se trata de sensacionalismo irresponsável. Mas de uma constatação fatível, à luz das tendências do momento que levam a racionalizar a predição.

Traduzindo a inadequada nomenclatura de “assistidos”, podemos afirmar que aposentados e pensionistas são as peças fundamentais que elegerão os novos dirigentes da PREVI nesta votação.

Diferentemente dos números atrelados à Eleição havida recentemente na CASSI, na escolha para a PREVI o panorama ocupa uma moldura maior, por mostrar considerável elevação da quantidade de votos esperados para decidir a disputa. Partindo da premissa de que as condições ideais para ganhar eleições são abertas a qualquer chapa, no atual contexto pesam terminantemente dois ingredientes que por certo modificarão a regra igualitária das probabilidades - se adicionados à receita do sucesso que se busca. São os novos votos de pensionistas e dos aposentados impossibilitados anteriormente.

A considerar que esses eficientes aditivos consistem numa efetiva majoração dos números resultantes da eleição CASSI, teremos disponíveis em torno de 40.000 votantes a mais, sobra dos óbices e restrições impostos ao conjunto de aposentados e pensionistas naquele pleito. Aos aposentados a obrigatoriedade de comparecimento a um TAA do BB (ora liberalizado) funcionou como redutor da presença.  E às pensionistas foi fator excludente a total proibição do direito ao voto, arbitrariamente determinado pela CASSI como se ainda amargássemos obediência a inaceitáveis conceitos em voga até 1932, quando a mulher brasileira conquistou direito ao voto. Nesse entendimento, sairá vencedora qualquer chapa que consiga polarizar esses votos “adicionais”.

Mesmo que o pleito em curso tenha engordado com mais uma chapa (e o número de “aptos” também crescido), isso não enfraquece o que aqui vai, uma vez que a prodigalidade de concorrentes se pulveriza no confronto, haja vista que há coincidências nas plataformas propícias à rejeição. O que leva à perda de simpatizantes, notadamente em relação à similitude de propostas que se equivalem no discurso demagógico, e à má impressão causada por determinados candidatos inscritos - continuistas confessos.

A coincidência de plataformas se deve, principalmente, ao culto à personalidade onde a preocupação com o desempenho político de alguns é a tônica conhecida, onde se lê “eu fiz isso, eu fiz aquilo” sem convencer, prática que espanta o eleitor tradicional. Este, como se sabe, se orgulha do tempo em que o trabalho no Banco era credencial imprescindível para personificar o caráter dos escolhidos. De igual modo, pensionistas cultuam os ideais defendidos pelos seus instituidores em respeito à sua memória.

Quanto aos obstáculos à aceitação, os parâmetros negativos ocupam um leque de impropriedades marcantes, como a repulsa aos concorrentes contumazes; a manifestação de idealismos condenáveis e partidarismos manifestos; carência de qualificações; conhecimento e identificação de caçadores de altas remunerações; presença de dirigentes de Entidades outras (e da própria PREVI); submissão explícita ao patrocinador, etc., etc.

Reforçando o mote de que aposentados e pensionistas decidirão o pleito, está provado que esse grupamento não mais vota aleatoriamente como bando disperso ao sabor de propaganda elitista. Ele tende a escolher quem de fato defenda seus interesses, como ocorreu no pleito recente em que os aposentados deram mostra da sua força, e que, seguramente, será reafirmado neste da PREVI, tanto por eles como por pensionistas recém introduzidos.

A identidade de propósitos entre aposentados e pensionistas torna real a possibilidade de repetição de resultados, posto que o grupo escolhido pelos aposentados, na CASSI, concorre com chapa na PREVI com o mesmo discurso e igual origem. E até mesmo a numeração é premonitória. Lá, estava com o sequencial número quatro. Aqui, figura como a número um.

E é para ela que dou o meu voto: 

CHAPA 1 – MAIS UNIÃO

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade
79 anos – Aposentado do BB
Matrícula nº 6.808.340-8
Associado da PREVI desde 15/05/1962


www.previplano1.com.br

quarta-feira, 4 de abril de 2018

A mentira



A MENTIRA
Marcos Cordeiro de Andrade
Curitiba (PR), 04 de abril de 2018.

Em recente mensagem divulgada, o ínclito colega Edison de Bem lembrou o conceito atribuído a Goebbels de que “A mentira repetida acaba se tornando verdade”. No que acredito piamente, acrescentando meu próprio conceito a respeito:

A mentira é a VERDADE do incompetente, o que faz dele uma MENTIRA maior.

Eis o núcleo do que escreveu Edison de Bem a respeito da Eleição PREVI 2018, em curso:
“Cuidado com políticos sujos que se infiltram em todas as eleições, para manter "braços" dentro das nossas organizações. Cuidado com as mentiras próprias das práticas pouco recomendáveis que alguns tentam trazer para o seio da nossa comunidade. A mentira repetida acaba se tornando verdade. É muito difícil conseguir desmentido convincente. É o exemplo que sempre uso do travesseiro de penas. Solte as penas pela cidade, mande agora recolher todas as penas. Jamais conseguirá.”

Na introdução, Edison de Bem faz um apelo aos participantes da PREVI.

“-Eleições PREVI-
A todos aqueles colegas que trabalharam comigo, aos meus amigos, aqueles que me conheceram no Movimento Semente da União, que votaram em mim, quando candidato em uma das eleições PREVI, quero pedir o voto de todos e que cada um desses meus amigos traga, no mínimo mais 10 votos, se possível divididos em Ativos, Aposentados e Pensionistas.
AGORA é CHAPA 1, COMPROMISSO COM O ASSOCIADO E COM A SOBREVIVÊNCIA DA PREVI "NOSSA", E DE MAIS NINGUÉM.”

Como eleitor, concordo com o manifesto.

Atenciosamente,
Marcos Cordeiro de Andrade

quinta-feira, 29 de março de 2018

ELEIÇÃO CASSI - Agradecimentos de Sérgio Faraco



ELEIÇÃO CASSI 2018 – Agradecimentos
Curitiba (PR), 29 de março de 2018.

Caros Colegas,

A capa tecida com honrados retalhos de 36.942 votos dos seus iguais, veste como uma luva os ombros de SÉRGIO FARACO. Quis o destino lhe dotar desse instrumento protetor para suportar o peso da responsabilidade que a eleição vitoriosa lhe trouxe. E embora sem surpresas pelo que dele se conhece, impressiona a carga de humildade que lhe vai na alma como aqui expressa a forma serena de agradecer pela honraria do cargo recebido. A demonstração do reconhecimento é própria dos sábios. E o agradecimento sincero é digno dos plenos de bom caráter. Bebamos, pois, o mel em forma de humildade que transborda na mensagem recebida do merecidamente eleito Sérgio Faraco:

Atenciosamente,
Marcos Cordeiro de Andrade.


Prezado Marcos Cordeiro e demais colegas,

Agradeço imensamente seus cumprimentos e ressalto que, como você mesmo disse muito bem, a vitória foi de todos.

Os aposentados, tão criticados, deram provas de que não deixam de fazer sua parte quando são bem esclarecidos e informados, quando têm opção de votar em candidatos com boa formação, conhecimento e experiência comprovados e, acima de tudo, independentes e compromissados com o bem comum. Mostraram que têm voz e vez e estão dispostos a continuar trilhando esse caminho.  

Ficamos profundamente emocionados diante do testemunho de colegas de idade bem avançada que fizeram questão de sair de casa para ir a um TAA e lá registrar sua vontade, sua disposição. Esse gesto foi decisivo para a vitória da Chapa 4 MAIS UNIÃO.

Temos que registrar também que os colegas que estão na ativa, apesar da pressão e das circunstâncias adversas que atravessam, sabem discernir qual é o melhor caminho e não se furtam de agir. Esta foi a maior votação obtida por uma chapa independente, que não é financiada por sindicatos ou associações e nem por outras fontes que não seja a verba disponibilizada pela CASSI, e que conseguiu provar que seu objetivo é o interesse da coletividade e que está bem preparada para levar a bom termo sua missão.

Suas palavras, prezado Marcos, são de uma precisão cirúrgica e sem dúvida repercutirão e reforçarão fortemente a caminhada daqui para a frente, a começar pela eleição da PREVI a que concorre a CHAPA 1 MAIS UNIÃO, que certamente merecerá a mesma confiança e o mesmo apoio de seus participantes, tanto da ativa quanto aposentados.

Abs
Faraco

quarta-feira, 28 de março de 2018

Eleições CASSI 2018 - Vitória da Chapa 4




ELEIÇÕES CASSI 2018
Curitiba (PR), 28 de março de 2018.

Parabéns ao ilustre associado da AAPPREVI, SÉRGIO FARACO, pela brilhante vitória alcançada à frente da CHAPA 4 – MAIS UNIÃO.  Agora, sim, podemos afirmar que a CASSI é nossa.

Parabéns ao MSU e aos seus apoiadores.

Parabéns aos aposentados pelo ineditismo do comparecimento aos TAA do BB.

Mas não podemos sentar à sombra da vitória, pois muito há a ser feito. E com o exemplo dado vamos resgatar a PREVI com o mesmo empenho e convicção no sucesso, ainda mais sabendo que a mesquinha arma do freio dos TAA não estará a serviço dos mesmos de sempre.

Quem diria, os velhinhos aposentados estão injetando sangue novo na CASSI. É uma nova força que nasce no berço da decência. Orgulho do Banco do Brasil de outrora.

Atenciosamente,
Marcos Cordeiro de Andrade
Associado da CASSI desde 15/05/1962
www.previplano1.com.br

De acordo com o estabelecido no Edital de Convocação das Eleições CASSI 2018 e no Regulamento de Consulta ao Corpo Social da CASSI, divulgamos abaixo a quantidade final de votos de cada chapa, recebidos das 9h de 16/3/2018 às 18h de 28/3/2018. (Site CASSI):






segunda-feira, 26 de março de 2018

CURRAL ELEITORAL legalizado



                              Post nº 1.000

CURRAL ELEITORAL legalizado
Marcos Cordeiro de Andrade
Curitiba (PR), 26 de março de 2018.

Caros colegas,

Os atos de toda associação de aposentados deveriam sempre estar voltados para a coletividade representada. Não se concebe, portanto, que em eleições havidas no meio em que se insere adote postura partidária, indicando chapas ou nomes que devam ser os escolhidos pelos sócios registrados. Isso se afigura violação do livre-arbítrio. Até porque, os meios de comunicação da Entidade são do domínio dos seus dirigentes, que imprimem erradamente preferências e opiniões como se lidassem com integrantes de curral eleitoral ao seu dispor.

Ao optar pela inclusão no corpo social de uma associação, o pretenso filiado se louva no conhecimento dos propósitos divulgados para defesa dos seus interesses, como membro de uma classe minoritária. À parte as vantagens oferecidas no campo social, financeiro ou judicial, o novo sócio dá significativo valor aos preceitos estatutários respeitantes às suas vontades individuais. Nisto tem peso importante a proclamação de apartidarismo que consta no bojo de Estatutos da maioria das Associações de Aposentados, o que é considerado eticamente correto.

E foi com base nesses conceitos que me filiei à AAFBB décadas atrás, quando supunha imutável essa postura.

Todavia, hoje amargo subordinação às mudanças estatutárias havidas, e, assim, sou tratado como um dos seguidores das vontades e opiniões dos dirigentes. Posto que, no momento em que há eleições para a CASSI e a PREVI, engulo o constrangimento de ser assediado por propaganda paga com o dinheiro da minha contribuição mensal, insistindo para votar em candidatos que não gozam da minha simpatia.

Mas, é imperioso registrar que o assunto está devidamente enquadrado atualmente, como consta no Estatuto:

Art. 2º – A AAFBB tem por objetivos:

i) poder constituir chapa ou dela participar, inclusive financeiramente respeitadas as alçadas regulamentares, objetivando a eleição ou a indicação de representantes seus junto a entidades ou órgãos representativos de interesses de seus associados, em especial na PREVI e na CASSI;

Em vista do exposto me dobro às evidências, mas deixo patente meu descontentamento com a situação criada e faço declaração de voto contrário à imposição relatada. De outro modo, teria que repudiar minha filiação à AAFBB, o que não está em cogitação, pois a escolha foi voluntária e nada mais tenho a objetar.


Marcos Cordeiro de Andrade
- 79 anos -
Aposentado do Banco do Brasil
Matrícula nº 6.808.340-8

www.previplano1.com.br
www.previplano1.com.br