segunda-feira, 8 de abril de 2019

Novas Ações da AAPPREVI



Novas Ações Judiciais da AAPPREVI
Curitiba (PR), 08 de abril de 2019.
Caros colegas,
Estamos firmemente convencidos de que a Ação de READEQUAÇÃO do TETO merece ser desdobrada de modo a abranger o universo de praticamente todos os nossos aposentados. Esse entendimento nos leva a lançar os pleitos abaixo para os sócios da AAPPREVI, enquadrados nos períodos mencionados e cujos fundamentos referentes aos seus direitos estão delineados no site  http://www.aapprevi.com.br/assessoria_juridica.php

Deste modo, as ações relativamente ao INSS recebem mais três nomenclaturas distintas (como abaixo), justamente para assegurar o êxito de cada processo ajuizado. Para participar deverá o associado se inteirar do perfil em que se enquadre clicando no link correspondente à data da sua aposentadoria. Depois, basta enviar para a AAPPREVI os documentos para o pleito específico (comuns às três ações). Lembramos que quem já participa nada tem a acrescentar. O remanejamento será providenciado pelo Escritório, sem prejuízo do andamento percorrido. Em tudo, empenhamos a credibilidade da AAPPREVI e dos seus colaboradores.

NOVAS AÇÕES e períodos abrangidos. Inscreva-se.

c) AÇÃO DE REVISÃO - "BURACO NEGRO". – 10/88 a 04/91;

d) AÇÃO DE REVISÃO - "BURACO VERDE" – 03/04/91 a 31/12/93;

e) AÇÃO DE REAJUSTE - APOSENTADOS ANTES DA CF-88.
Os textos disponibilizados no site são bastante elucidativos. No entanto, nada impede que os interessados se dirijam aos advogados que conduzem as Ações patrocinadas, para buscar novos esclarecimentos.

Essas ações contra o INSS são conduzidas pelo Escritório Lima & Silva Advogados. Para mais esclarecimentos, favor enviar mensagens por e-mail para: aapprevi@limaesilvaadv.com.br"

A dinâmica do Direito exige vigília constante da parte dos patrocinadores de Ações Judiciais. Isso permite o conhecimento de alterações que possam favorecer uma das partes envolvidas, a tempo de se fazer as correções devidas. Também evita que determinado pleito bem fundamentado na origem possa, perfeitamente, sofrer revés por conta de mudança de entendimento jurisprudencial.

Preocupados com a fundamentação das Ações patrocinadas pela AAPPREVI, os advogados conveniados procuram manter-se atualizados quanto ao que ocorre nos Tribunais. Para bem conduzir as suas causas, há preocupação com o acompanhamento criterioso relativamente ao andamento e desfechos ocorridos nos processos de nossa responsabilidade, até porque a AAPPREVI arca com eventuais custos advindos de insucessos.  Nesse sentido, jamais transferimos para os autores o pagamento de honorários de sucumbência arbitrados.

 “Os advogados da AAPPREVI sempre procuram se atualizar para defender com os melhores fundamentos os interesses dos associados desta Associação.

Neste aspecto, informa-se que neste mês de março o Assessor Jurídico da AAPPREVI, Dr. JOSÉ TADEU DE ALMEIDA BRITO, está participando do Curso PROCESSO JUDICIAL PREVIDENCIÁRIO NO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL, na Escola Superior da Advocacia da OAB Paraná, em Curitiba.

O curso está sendo ministrado por um Procurador Federal do INSS.”

E a AAPPREVI e seus associados se beneficiam diretamente dos resultados da atuação confiável dos advogados, sob a orientação segura do Assessor, Dr. José Tadeu de Almeida Brito. Isso nos encoraja a promover as novas Ações fruto do desdobramento da READEQUAÇÃO do TETO, ora assentada em novos e incontestáveis enquadramentos.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade
Presidente da AAPPREVI

3 comentários:

Unknown disse...

Quem já é associado, a ação é automática? Ou precisa mandar documentos outra vez?

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Caro associado,

A participação se dá com a remessa da documentação pertinente.

Atenciosamente,
Marcos Cordeiro de Andrade

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Meu caro Marcos Cordeiro.

Os algozes que por manobras e negociatas às mais espúrias se apossaram ilegalmente do Banco do Brasil e da Prev - e é bom frisar, muito contra a vontade desses que decisivamente contribuíram para a construção do "monstro empreendimento financeiro chamado Banco do Brasil" - e por consequência usufruindo dos polpudos e muito discutido imoral salário no que toca à sua legitimidade, sem falar nas inadequadas e desaprovadas benesses por eles mesmo criadas, tipo Congresso Nacional, precisam entender que esse vultoso patrimônio da Previ é por direito líquido e certo de seus participantes, associados ou assistidos, como querem, e a eles deve beneficiar. Fundamental também é lembrar a esses algozes que nosso plano é finito, sem qualquer possibilidade de ingresso de novos participantes, e que sem qualquer sombra de dúvidas vai apresentar no apagar das luzes um expressivo saldo positivo quando de seu encerramento, afinal, todos nós estamos velhos, ou seja, já na reta final da vida. Então, pra quem vai ficar esse suado e volumoso dinheiro? Pra esses espoliadores chamados governos? Não, nada disso, a Previ e seu ilegítimo comandante BB precisam entender que é hora de repassar esses valores a quem legitimamente tem direito, os quais estão vivendo à míngua, endividados e sem qualquer perspectivas de melhoras. Você, Marcos Cordeiro, nosso melhor porta voz nas Associações e que tem voz ativa e é por demais respeitado, grite a nosso favor. Meu grande abraço.

Geraldo Vaz de Mesquita.