terça-feira, 4 de setembro de 2012

Sua majestade, o Sapo



Marcos Cordeiro de Andrade


Caros Colegas,

Deus povoou a Terra com criaturas reconhecidamente úteis para manter o equilíbrio das espécies. E dentre todos os seres vivos os há para todos os gostos. Grandes e pequenos, ágeis e lentos, feios e bonitos, queridos e detestados. Entre estes últimos encontramos o “cidadão” sapo, tão feio e asqueroso que somente bruxas parecem deles gostar.

Mas o cúmulo da maldade é comparar seres humanos a esses batráquios como a encerrar em uma pessoa tudo de ruim que o animal representa. Na recente história do País apelidou-se de sapo barbudo uma eminente figura pública. Nada a ver, pois o homem à época não praticava maldades contra velhinhos trambiqueiros e nem mesmo em direção a trabalhadores diligentes. Eu até que gostava dele.

No caminho dos tempos destrataram tanto o pobre do sapo que chegam a associá-lo a sortilégios de bruxas más onde, no imaginário popular, convivem com gatos pretos, morcegos, cobras e lagartos, tal a má fama que os infelizes carregam às costas. Reconhecidamente existem espécies extremamente peçonhentas, como a que tem a má sorte de ser associada ao envenenamento e morte do queridíssimo Augusto Ruschi. Logo ele, conhecido como amigo dos sapos...

E há também tiradas humorísticas a envolvê-los como o ditado que diz, “em terra de sapo, de cócoras com ele” como a recomendar ter cuidado com o bicho e não se deixar enganar. Ou quando aceitar o inaceitável é o mesmo que “engolir sapos” – já imaginaram cena mais dantesca?

Ele é tão temido que se o têm como ambiguamente masculino, como a dizer-se que ele é cabra macho, poderoso, digno das maldades não permitidas às mulheres, como se pensava no passado em cima do falso conceito de que somente o homem era capaz de coisas ruins. Tanto é que até hoje não se fala na sapa, mas tão somente no sapo.

Eles habitam em todos os lugares e se adaptam bem a todo tipo de clima. E, ao lembrar sua existência, paradoxalmente me vem saudades do meu querido pai, o poeta Bastos Andrade, amante das pessoas e dos bichos. Quando na idade do descanso justamente merecido ao aconchego da esposa e filhos criava três viventes inusitados: um galo, um jabuti e um sapo. Se bem que este último ele não criava propriamente – deixava que se criasse por si. Dois deles tinham nome. O galo era Mané. O jabuti, Tonhão. Enquanto que o sapo não fora “batizado”, mas minha pequenina sobrinha o chamava de “cururu-tei-tei”.

Depois que mudei para o Rio trocava muitas cartas com o meu pai, até que a visão passou a lhe falhar. A partir daí eu lhe escrevia e ele me mandava fitas “cassete”, gravadas com sua voz a guisa de cartas. Ainda guardo uma em que, no meio da gravação, escuta-se uma vozinha gritando: “lá vem o sapo” como se fora um alerta de perigo iminente. Esses estranhos animais tinham costumes esquisitos, que merecem registro.

Durante o dia os três ocupavam seus espaços no quintal da ampla casa da minha juventude, ainda hoje habitada pela única irmã que me sobrou e depois da morte de pai e mãe. Naquela época, todos os dias ao cair da tarde o trio de bichos esquisitos se aventurava em busca do jardim, caminhando pelo oitão, cada um ao seu tempo. O jabuti, com seu passo lento e a cabeça balouçante roçava o muro em toda sua extensão até suas quinas. E seguia em frente numa lenta caminhada em direção a lugar nenhum, pois, dependendo de quanto ficássemos a prosear na varanda da frente só o víamos passar uma vez. Enquanto o galo, postado no braço da cadeira de balanço em posição modorrenta usufruía de cafunés das mãos do meu pai, o sapo passava exercitando seu pulo fofo para se postar embaixo das roseiras, pés de dália e touceiras de capim santo – mimos cultivados por minha mãe - e ali ficava abocanhando seus petiscos esvoaçantes. E era tão guloso esse sapo que até uma ponta de cigarro acesa que passasse ao seu alcance era sofregamente engolida.

Mas veio o dia em que o sapo teve que ser separado do conjunto ao se revelar um predador assassino. Certa manhã ele foi autuado em flagrante delito com a cabeça do jabuti entalada na larga boca. Teve que ser escorraçado para outro terreiro porque até o galo, que bicava todo mundo e só respeitava o meu pai, passou a fugir do sapo como o diabo foge da cruz. E por essa e por outras se diz que essa espécie é perigosa e traiçoeira - fazendo jus à má fama adquirida através dos séculos, pois o pobre jabuti era incapaz de fazer mal a uma mosca sequer.

E não é que agora, para desespero de muita gente boa, chega a notícia pela Internet de que surgiu uma espécie até então ignorada lá pras bandas do nordeste? Essa “nova” raça tem características próprias que não deixa que se os confundam com seus irmãos de fama. Além de traidor e covarde apresenta a invulgar capacidade de conviver com cobras e outros bichos igualmente venenosos. E, enquanto os cientistas não conseguem catalogar todas as perigosas características da coisa, dando um nome apropriado que lembre a feiura do sapo e o veneno da víbora, o chamam provisoriamente de “o Sapo de Orós”.

Muito cuidado com ele.

=============

Leiam o número 3 da Revista Direitos, da AAPPREVI:

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR), 04 de setembro de 2012. 

19 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom!
Até faz-nos viajar pela leitura.
Texto agradável,maravilhoso.
Deu prá catalogar direitinho essa nova espécie de "sapo".

Anônimo disse...

Parabéns pelo belo texto, Marcos!

Faz sentido, levando para o campo político(dos homens)...

Abs.
João

Anônimo disse...

Essa nova espécie confunde os cientistas pq gosta muito de cachaça, arroz, feijão e ovo.

Anônimo disse...

Complementando o comentariode 09;23, com a devida licensa, essa espécie também convive em harmonia com pererecas.

Bartolomeu disse...

Gostaria de sugerir, por razões óbvias, que não houvesse publicação de comentários como "anônimo". Acho, a exemplo do Sr> Marcos Cordeiros de Andrade, que devemos ser responsáveis pelo que falarmos ou nos expressarmos.
É a minha opinião.

Bartolomeu R Oliveira

ManoelSales disse...

Narrativa muito boa. Estimuladora da memória, sim, porque ao se ler história como essa, logo se lhe arremete o pensamento do que ficou para trás, lembranças boas, outras nem tão, mas que todas fazem parte do maravilhoso passado.
Agora, o que me deixou intrigado foi o sapo haver abocanhado a cabeça do jabuti. Logo penso que o jabuti esticou a cabeça para fora do casco com movimentos mais ousados e o sapo vendo aquilo, uma vez que tudo que se move à sua frente ele ataca, vendo aquela "bicha" esquisita ali com movimentos inadequados, não pensou duas vezes...

Cláudio Augusto Falco disse...

Interessante como esta nova espécie de anfíbio "Sapo de Orós" guarda muita semelhança com a rastejante reptiliana "Lagartixa
doméstica" pois quando em perigo costumam desfazer-se de uma parte de seu corpo, a lagartixa deixa o rabo, já sapo de orós
deixa uma falange para não cumprir com obrigação alimentar assumida; outra semelhança é o mimetismo: - as duas espécies
conseguem adaptar-se muito bem ao meio em que estão ou seja: altos e baixos, ambiente firme ou escorregadio, claro ou
escuro, de escassez ou abundância...

Anônimo disse...

Colocaram voz nessa epécie de anfíbio para fazer campanha política para prefeitura de Vitória - ES

Anônimo disse...

Será que essa nova espécie, "O Sapo de Orós, traz aquela caracterísca que os seus hermanos têm. A de serem arrochados. Os que eu conheço por aqui quando passa uma carreta truncada, por cima deles, no asfalto, botam tudo que tem pra fora, as vísceras, por que não dizer, todo o fato, pela boca. Pelo fiofó não passa nada.

Vai ver que é porque eles têm a boca grande. Quem sabe, essa nova espécie também não fala? Acho que sim, e demais. No Ceará dá de tudo.

A única vantagem que vejo neles, particularmnente,os sapos cearenses, não aquele da terra do compositor e cantor Raimundo Fagner, é que eles tabém comem as pererecas e por lá não passa nada.

Anônimo disse...

Existem outras especies tão pessoentas quanto ao sapo vou enumera-las por ordem.

1)hiena.
2)borboleta.
3)sucuri do nordeste.

Anônimo disse...

Como confiar nos números fornecidos pela Previ? Não sabemos quem recebeu e quanto recebeu de Renda Certa. Não sabemos qual é o maior benefício pago. Não sabemos ao certo nem quantos aposentados e pensionistas ainda estão recebendo benefício. Os números passados pela Previ/BB são definitivos, porém nada confiáveis.
Recentemente o atual diretor Marcel disse que os beneficiários do PB1 estão fazendo do ES uma espécie de seguro de vida. É sinal que uma quantidade razoável de colegas tem passado para o andar de cima. Geralmente são os mais idosos com benefícios maiores que nos deixam. Alguns nem pensionistas deixam causando uma economia considerável para os cofres.
A verdade é que a Previ é uma caixa preta vigiada de perto pelo governo e seus lacaios. Enquanto esses números não puderem ser auditados por pessoas idôneas e capacitadas tudo está sob suspeição. O patrimônio que foi construído pelos beneficiários para suas velhices, foi tomado de assalto para políticas megalomaníacas sem o menor pudor.
Assim como no famigerado PDV uma empresa diabólica foi contratada para aniquilar a história do funcionalismo do BB, da mesma forma, devem ter encomendado estudos de como resoluções ilegais; achatamentos de benefícios, provocariam estragos irreparáveis aos incômodos velhos tranbiqueiros.

Anônimo disse...

Quando vejo escrito sobre ou ouço falar em PDV sinto um nó no estômago. E isso me faz lembrar: os R$ SETE BILHÕES E MEIO que o bb "guardou" em seus cofres NÃO SERIAM SUFICIENTES PARA DEVOLVER O QUE PERTENCE AOS PDVISTAS POR DIREITO????

Anônimo disse...

Quem acredita que alguma alteraçao no ES sera feita em Outubro, esta enganado....
No ano passado foi a partir de 09/11, e aquela merreca de + 4 meses no prazo e + 10 mil no limite.
Em 2012 sera diferente??????????
E muito otimismo!

Anônimo disse...

Sabem como/com que nomenclatura está classificada a cobrança dos atrasados pela CASSI? -COCÕ-PARTICIPAÇãO.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Matéria extraída do Site da ANABB (Clipping do dia 06/09/12):
Banco do Brasil (Cartas)

Data: 06/09/2012
Veículo: JORNAL DE BRASILIA - DF
Editoria: OPINIÃO
Assunto principal: BANCO DO BRASIL
PREVI
CASSI
Tamanho
da fonte A - A +
Veja a página da matéria
Veja a matéria no site de origem


Felizmente alguns dos envolvidos no chamado escândalo do "mensalão" já começam a ser sentenciados. Mas a pergunta que não quer calar é: quem é o responsável pelo uso político e criminoso do BANCO DO BRASIL? São centenas de milhões de reais desviados do BB para as empresas de Marcos Valério e daí para o bolso de dezenas de políticos da "base aliada". Nos últimos meses ao invés das colunas de economia o BB é manchete nas colunas policiais com a lamentável disputada entre quadrilhas, que em comum tem o fato de serem todos filiados ao PT e ex-menores que entraram no BB sem concurso público e, que lá permancem impunemente até hoje. Infelizmente essa gestão escandalosa atinge também a PREVI, que não é do banco e nem do Governo mas dos funcionários do BB. Baseado em uma criminosa e ilegal portaria da Previc, o BB maquia seus lucros, distribui dividendos sobre recursos de terceiros e criminosamente nega aos seus aposentados uma melhoria na aposentadoria e uma vida mais digna. Os sindicatos do PT, que se calam e financiam as campanhas do partidão, se omitem pois se lambuzam em benesses como cargos de conselheiros indicados pela PREVI, cargos na direção do BB, da PREVI e CASSI.... Voltamos ao início da década de 60 onde a corrupção, o populismo e o sindicalismo irresponsável fazem o que querem e chocam o País!

Elyse Santos, Asa Norte

Anônimo disse...

DIZEM POR AÍ QUE O SONHO DOS DIRETORES DE BB/PREVI É MUDAR O NOME DO FUNDO DE PENSÃO DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS DO BB PARA A E R U S.

ESSA É A MISSÃO E VISÃO DE FUTURO ABRAÇADA POR ELES.

Anônimo disse...

A CARA DE PAU É UM POÇO SEM FUNDO



Em sua explanação, Carlos Neri destacou que o Banco do Brasil está disposto a discutir a questão do teto de contribuição e benefício na Previ, mas reforçou que essa discussão não é necessária no momento atual, pois os salários vigentes dos dirigentes do Banco estão abaixo daqueles praticados pelo mercado e não geram impactos na Previ. “Em uma situação hipotética, para consumir toda a reserva especial do superávit consolidado no final de 2010, seria necessário que os salários de cada dirigente do BB chegassem a R$ 800 mil. E isso não vai acontecer. Os salários atuais são compatíveis com a Previ e não trazem riscos”.

TALVEZ SÓ CHEGUEM A 799 MIL

Anônimo disse...

Resolução de Retirada da Laguna opss, Retirada de Patrocinio, talvez não seja tão ruim. Desde que o patrocinaDOR não leve nada. Ele vem agindo como dono unico do fundo. Fala como se fosse.Fala em "consumir toda a reserva especial". Ora,vá administrar (!) o Banco. Isso já encheu o copinho.

Anônimo disse...

Caramba! Quem assistiu hoje a novela global das 18 horas? Gostaram da propaganda(mais uma) do bb?A mocinha abre conta para a mae e vai ensina-la acessar pela Internet.
Depois vi outro comercial, o da tal Conta Sem Limite.......
E hoje tambem, me ligaram da minha agencia, perguntando se eu nao estou precisando de emprestimo sob alegaçao de que o bb diminuiu o tempo para liberaçao de outro CDC que antes era de 8 meses.
E ainda tem colega acreditando em alteraçao do ES.