quinta-feira, 26 de novembro de 2015

O Legal e o Ético - Conselheiro ameaçador



Solonel Junior.

Era só o que faltava nos acontecer. Pois bem, agora, indivíduos que foram nossos colegas, eleitos com promessas nunca cumpridas, não podem ser cobrados sem que façam ameaças de processos na justiça.

Isso me faz lembrar meus tempos de menino, quando a melhor bola me pertencia. Gordinho, nunca fui esperto e não tinha a menor ginga para o futebol, mas adorava. E tinha que jogar, senão, "levo a bola pra casa". Mais ou menos assim, estas ameaças de processo.

Para mim, isso soa como uma confissão de falta de argumentos e até, por que não, de razão. Sabem muito bem os "ameaçadores de processos", que desabafamos e quando falamos em gangue, falamos em grupos, e quando falamos em roubo, falamos apropriação indébita de nossa confiança, tomada de assalto na esperança de dias melhores, através de promessas nunca cumpridas.

Tenho respeitado, calado, as desculpas esfarrapadas ao longo de tempo bastante para que a terrina tenha enchido. Chega de lenga-lenga e façam valer suas promessas. Mudem alguma coisa em prol dos associados da PREVI, pois foi para isso que vocês foram eleitos. Quebrem o pau nas reuniões da diretoria da PREVI, ou abram mão dos benefícios que recebem (e não querem largar) todo mês.

Saiam da mesmice acobertada pelo sigilo. Que sigilo é este que acoberta o diretor que teria rasgado a ata da reunião que tratava de aumento emergencial dos benefícios?

Que sigilo é este que acoberta a tramoia do alongamento do empréstimo simples? Que aumenta o endividamento (dos outros) pois os seus estão quitados, via jetons.

Que sigilo é este que mantém as super aposentadorias acima do teto? Que mantém participação sobre lucros, que não foram atingidos?

Que sigilo é este que estabelece metas de desempenho que só os envolvidos na execução conhecem?

E acabe com esta besteira de processar quem reclama, pois, minha avó, no alto da sua sapiência, dizia que "quem não tem fiofó, não faz trato com pênis" (desculpem os termos, senhoras).

Chega, de uma vez por todas, de ameaças de processos na justiça, ou vocês, eleitos, é que sofrerão processos por não cumprirem os objetivos para os quais foram eleitos, e com os quais concordaram, ou visivelmente, para serem eleitos, prometeram cumprir.

Alguém disse, em algum lugar, que "a violência é a maior arma dos incompetentes". Se não disseram, digo eu, agora. O recurso da justiça, neste caso, é uma violência, pois trata-se de um grupo de pessoas com os mesmos objetivos e esperanças, estas depositadas em quem se mostrou como capaz e uma vez recebida a procuração, agora se defende de cobranças com ameaças.

Lembrem-se de que não são donos de mandato, estão usuários de mandato neste momento. Os verdadeiros donos são os que os elegeram e a eles devem satisfações sim, quer queiram ou não.

Cumpram suas promessas, gritem, esbravejem, divulguem, discutam, peçam ajuda às nossas Associações, ou peçam demissão. RENUNCIEM se são incapazes. Se forem capazes de abrir mão das vantagens indevidas que recebem. Indevidas pois não produzem o que prometeram.

Lembrem, senhores diretores eleitos da PREVI, que nem tudo o que é legal, é ÉTICO. E vocês estão se beneficiando da própria incapacidade, em detrimento dos "velhinhos irresponsáveis beneficiários da PREVI".

Solonel Jr


Obs. Solonel Campos Drumond Junior é membro do CONFI da AAPPREVI - www.aapprevi.com.br

2 comentários:

rafael campagnoli disse...

Brilhante texto, como sempre. O interessante é que a Justiça não tem dado guarida às ações em defesa da honra, pleiteadas por pessoas públicas ou com mandato eletivo. Ela tem sentenciado que as manifestações nas redes sociais são circunscritas àqueles espaços e nem sempre seu conteúdo pode ser invocado para pedir indenizações, retratações, danos morais e materiais etc. O ofendido tem que provar que teve prejuízo, que foi prejudicado etc. Ou seja, o espaço virtual é utilizado muitas vezes como uma válvula de escape para desabafos recíprocos, nada mais que isso. Além do que, em processos contra a honra, cabe o benefício da verdade!
O que deve acontecer é o contrário: as associações irem à Justiça exigindo que o detentor de mandato preste contas de tudo o que prometeu.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...



Esse é o Conselheiro que "nós" elegemos!!

"A gente morre e não vê tudo" como diz o ditado popular.

Somos obrigados ainda a ser ameaçados, intimidados, constrangidos com perguntas pernósticas como esta.

"A mulher de Cesar não basta ser honesta é preciso também parecer honesta".

Faz muito tempo que a ANABB perdeu a credibilidade isso é inegável.

Não precisamos provar nada Conselheiro, vivemos numa democracia e somos responsáveis pelos nossos atos, inclusive pela eventual eleição de incompetentes e improbos, pare de intimidar os seus eleitores!!


Raimundo

Londrina