sexta-feira, 19 de março de 2010

O Intrigante!

Caros Colegas.

Há questões que são abordadas aqui depois de maturadas para evitar tropeços na formação de conceitos. Outras, no entanto, devem ser tratadas tempestivamente pelo caráter de urgência que a indignação imprime, muito embora comportando o cuidado de sempre na preservação da verdade e respeito no tratamento.

O Blog PreviPlano1 se orgulha de não recusar a publicação de comentários. Todavia, nesta data tivemos que deixar em “quarentena” determinada participação de inconformado com nossa condição de aposentados. Isto pelo cuidado em não ferir suscetibilidades e acatando conselho de orientador mais vivido e sábio – Mestre Valentim.

Dizendo-se da ativa e pertencente ao Previ Futuro, o indesejável comentarista do blog direciona ao conjunto de aposentados as mais deslavadas injúrias, creditando nossas reclamações e pleitos aos campos da fofoca e da preguiça. Alegando ainda que o Banco seja o dono da Previ e tem mais é que sacar “seu dinheiro” daqueles cofres quando e como bem entender.

Desconhece o detrator as razões da ocorrência de superávits. Estes são oriundos dos aportes financeiros ao Fundo feitos pelos aposentados de hoje, quando na condição de ativos como ele se proclama. A bem da verdade, esses ativos têm hoje complementos salariais sob amparo dos superávits, em cada naco que o Banco vorazmente abocanha à sombra de justificativas fabricadas e sem apoio legal.

Não fora o concurso desta “velharia” que ele manda arranjar emprego no boteco da esquina, ou ir capinar uma roça (talvez para deixar à mostra o capim que falta aos asnos, devido à sua proliferação nos dias atuais) nenhum superávit estaria sendo pleiteado por seus formadores, nem cobiçado por outros que nem de longe podem pensar em fitá-lo com olho gordo, por não terem contribuído para sua formação.

Superávits cumulativos também têm sido alimentados pela incúria dos dirigentes, do Banco e da Previ, no cumprimento canhestro de normas disciplinadoras da distribuição de benefícios, com interpretações dúbias de resoluções em proveito próprio.

Resoluções que propiciaram outros Fundos promover distribuição de benefícios aos seus assistidos, ao Banco e à Previ se prestam a justificar saques indevidos, numa dilapidação constante do patrimônio formado para pagar aposentadorias e pensões a quem fez poupança com esse fim, por trinta anos e até muito mais que isto.

No entanto ele, injuriador, esquece que já se beneficia destes superávitis, recebendo polpudas PLR do seu irresponsável patrão, por culpa deste último. Patrão que descaradamente cumpre suas obrigações trabalhistas com o dinheiro alheio, numa autêntica rapinagem acobertada politicamente por manobras escusas de autoridades vermelhas de despudor.

Diz ele que a Previ é do Banco, mas não nos indica onde buscar amparo a essa assertiva maluca. A Previ pertence a quem sua sigla determina. Na consumação da posse o patrão só entra na indicação da origem dos verdadeiros donos, no nome do nosso Fundo: Caixa de Previdência DOS Funcionários do Banco do Brasil.

Portanto, meu caro ativo que pretende promover discórdia entre nós - seu grupo e o nosso - contente-se com seu minguado salário dado pela paga que um concurso de sopinha de letras disponibilizadas em múltipla escolha transformou em emprego. Nesse mesmo emprego que nós, todos nós aposentados, entramos através de rigoroso “vestibular” que poucas faculdades teriam coragem de adotar nos dias de hoje, pois ficariam às moscas por falta de candidatos competentes. Emprego de que nos orgulhamos pela forma como o desenvolvemos. Em precárias condições de trabalho e muitas vezes em locais inóspitos, desprovidos dos confortos a que muitos estão habituados e deles desfrutam como funcionários da ativa, no Banco do Brasil.

Nós, os “velhos ociosos e fofoqueiros” que não sabemos votar como disse, não fomos contemporâneos do ar refrigerado nem das poltronas estofadas. Não tínhamos computadores para fazer nosso serviço. Não recebíamos participação nos lucros da empresa e as mordomias que tipos como você desfruta não nos chegavam nem em sonhos. Mas tínhamos orgulho do nosso trabalho. Enchíamos a boca para dizer que éramos funcionários do Banco do Brasil, porque naquela época ele era um patrão correto. Ao contrário, você tem esse emprego como um “bico”, até arranjar coisa melhor. Mas cuide-se. Mentalidades tacanhas dificilmente alcançam mais que seu mundinho permite. Mude de comportamento em relação à velhice. Caso contrário, ao ingressar em seu meio (se chegar a tanto), será o espelho que você usa: um velho intrigante e disseminador da discórdia.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 19/03/2010.

50 comentários:

Anônimo disse...

Não se dê ao trabalho de responder provocações de gente de baixo nível. Para esse tipo de "genérico" a melhor resposta é o silêncio. Nós, os velhos "fofoqueiros", somos os verdadeiros criadores do patrimônio BB e da Previ. Os atuais funcionários, em sua grande maioria, encaram o serviço como um bico, um trampolim para um serviço melhor, sem a menor identificação com a empresa que prestam serviço. A maioria desses novos funcionários do Banco do Brasil são tão alienados que nem se interessam pela unificação da carreira. Eles fingem que trabalham e o Banco faz de conta que os pagam. Uma vez por ano eles recebem um "cala boca" chamado PLR às custas do dinheiro roubado dos velhos "fofoqueiros". Por isso que eles pensam que a Previ é do Banco do Brasil. Com essa miséria que eles ganham, se um dia chegarem a se aposentar vão depender quase que exclusivamente do INSS como fonte de renda. Pobres coitados.

Anônimo disse...

RENDA CERTA.

A PARTE DO SUPERÁVIT QUE A PREVI NOS DEVE E VAI TER QUE PAGAR.

Mais 3 sentenças julgadas procedentes pelo T.J.R.J

Em breve a previ nos chamará para um mega acordo nacional.


2009.001.093263-6

2008.001.295969-2

2008.001.408187-2

Assim foi o desfecho dessas 3 ações. Vejam

" Colhe-se do voto que ´o resultado positivo ou superavitário das contribuições acumuladas durante a vigência dos planos de benefícios das entidades privadas, salvo reserva de contingência de 25 %, devem constituir reserva especial para revisão de plano de benefícios. E tal revisão deve atender a critérios de proporção entre contribuições. Assim, nos termos do art. 20, caput, §§ 1º e 3º, da LC 109/01, o que sobra deve ser repartido entre os Participantes, na proporção de suas contribuições, o que não correu com os apelados.´ ISTO POSTO, JULGO PROCEDENTE O PEDIDO, resolvendo o mérito na forma do artigo 269, I do Código de Processo Civil, para condenar a ré ao pagamento das quantias apuradas referentes ao Plano de Benefício de Renda Certa, que excederem o limite mínimo de 360ª contribuições, a contar da data de aposentadoria até a data da suspensão geral (dezembro/2006), devidamente corrigidas e com juros de 1% ao mês, a contar da citação. Condeno a ré nas custas e honorários de advogado que fixo em 10% sobre o valor atualizado da condenação. P.R.I. Rio de Janeiro, 10 de março de 2010. WILSON DO NASCIMENTO REIS Juiz de Direito "

http://www.tjrj.jus.br/

Marcelo (DF)

Pode demorar um pouco, mas um dia receberemos com certeza.
O nosso já esta perto de ser sentenciado também.

Anônimo disse...

Além do mais, segundo informações dos próprios funcionários da ativa, o nível de descontentamento com o emprego é bastante significativo e, a recíproca é verdadeira, o Banco também está pouco ligando para eles. Saiba, intrigante desinformado, que 30% de que você recebeu de PLR é oriundo do superávit do Plano1, de que você não participa.
Sabe por que o Marcos escreve com esta desenvoltura? Porque quando se trabalhava para formar este patrimônio da Previ, o funcionário do Banco tinha que raciocinar para o desempenho de suas funções e não, simplesmente abrir o seu terminal e, por 40 minutos ou mais atender a um único cliente com os dados que ali se encontravam e, se ao final houver alguma pane no sistema, há a necessidade de começar tudo de novo, pois você, Previ Futuro(?), não será capaz de lembrar de nada do que até então estava verificando.

Jorge Teixeira disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Lendo esse seu relato percebe-se que o desconhecimento é o traço marcante do comentário desse cidadão do futuro. Só pode vir a ser classificado como cidadão do futuro pois, no que concerne aos acontecimentos do presente e do passado do nosso fundo de pensão, ele não sabe absolutamente nada. Além, como foi dito, de se beneficiar de participação nos lucros e resultados para o qual não contribuiu com absolutamente nada, se beneficiou também de um chamado bônus que foi instituído para comemorar os duzentos anos de existência da Casa. Os “genéricos”, criados a partir de 1997, podem ter hoje, no máximo, treze anos de serviços prestados ao patrocinador. Os “velhinhos caquéticos” (já ouvi coisas melhores e também piores) ajudaram na formação desse belo patrimônio hoje existente no “PB-1” por trinta ou até mais anos de contribuições, seja na ativa ou até mesmo como aposentados. Apesar dessa diferença enorme de tempo relativamente aos serviços prestados nós, integrantes da velharia, fomos sumariamente alijados do grupamento beneficiado com o bônus duzentos anos. Entendo que poderemos seguir a sugestão do alienado e, já a partir de segunda-feira, partirmos para procura de uma nova ocupação como recomendado. Para tanto, esse anônimo do futuro poderia até colaborar conosco indicando-nos possíveis endereços de trabalho, na hipótese de ter algum ascendente bem próximo (mãe ou pai) proprietário de botequim ou roça. Todos deveremos carregar debaixo do braço uma quantidade significativa desse comentário, impressa em papel A-4, já que este texto é mais um daqueles que só se presta para substituir, quando necessário, a ausência do papel sanitário.

Jader disse...

Caro amigo Marcos, ratifico totalmente o constante em sua resposta aos ataques. Contudo, me permito sugerir providências mais efetivas contra o agressor. Ora, penso que entre os objetivos da AAPPREVI está o de defender os aposentados e pensionistas. Fomos todos atacados de maneira grosseira, e alvos de calúnia e difamação. No Brasil isto configura crime, além do possível enquadramento criminal com base no Estatuto do Idoso. Solicito a você, como presidente de nossa associação, que tome as medidas policiais e judiciais cabíveis, com vistas a identificar o agressor (algo fácil de se fazer com autorização judicial, através do IP), e responsabilizá-lo por suas palavras. Chega de ataques e humilhações! Com o advento da AAPPREVI, chegou a hora de tomarmos providências legais contra estas pessoas! Peço que considere minha solicitação, e aguardo a gentileza de sua resposta.

Anônimo disse...

Caro Marcos e Colegas Aposentados,

O cidadão em quem se fala, só poderia ter essa atitude, pois está sob o comando de um presidente do banco do brasil, que tem tratado, nos altos gabinetes, os aposentados da mesma forma.
A fruta não cai longe do pé.
Depois aparecem cartinhas de escárnio, para com a nossa inteligência.
Penso que não são todos desse tipo, mal-educados.
Abç
Anônimo

Anônimo disse...

Por falar em PREVI, o jornal VALOR de hoje, trouxe a seguinte notícia:
"Investimento na Bancoop expôs fundos a risco alto". Por tratar-se dos fundos PREVI, FUNCEF e PETROS, vale a pena tomar conhecimento. Será que a Bancoop resgatou os valores aplicados nos ditos fundos? Tenho minhas dúvidas!

Paulo Beno disse...

O intrigante injuriador do Plano Futuro deve ter lido no site da PREVI, clicando o "Plano Futuro" que eles "podem contar com a solidez de uma PREVI centenária, criada em 1904 PELOS funcionários do BB.".etc. não distinguindo que nós do Plano 1, até 24/12/1997 é que fizemos a PREVI que ele conhece.
Elle deve preocupar-se com o Plano Futuro dele, pois o NOSSO já está definido, maduro e rico.

Anônimo disse...

Fez-se silêncio sepulcral. Sábias palavras, Marcos. Oportuna intervenção anônimo de 19.03 às 10:23. Penso que isto é o suficiente.
Euclides.

Anônimo disse...

Marcos e colegas, nos sabemos que o BB esta cheio
desses moços que se acham por estarem no BB,mesmo ganhando a miseria que ganham(genericos como nos o chamamos).Nunca vao se aposentar como nos e se conseguirem alguma aposentadoria sera somente pelo INSS.Ainda nao perceberam que como nos do Plano 1 estamos sendo roubados, eles serao tambem.Antes de me aposentar, quem eu vi entrar para o BB nao eram jovens e sim pessoal demitido de outras empresas(ja com idade avançada).
Como disse o colega, POBRES COITADOS!
Favor publicar.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Caro Colega Jader.

Agradeço por suas palavras e preocupações, mas não é recomendável levar esse assunto adiante. Não podemos desencadear um série de agressões mútuas. Nossos dignos colegas da ativa não podem ser confundidos genericamente com um insano recalcado que deve estar acomodado ao rés do chão.
Manda o bom senso não mexermos com pequenos animais peçonhentos, pois para cutucá-los temos que ficar de quatro, o que não é recomendável para quem já ultrapassou o cabo da boa esperança, com dignidade, diga-se.

jeanne disse...

Marcos. o mais triste é ver o nível desta pessoa do Previfuturo.Pois este indivíduo não pode ser é colega de ninguém...Se fosse eu nem perdia meu tempo em por na quarentena comentários deste tipo.Eu recusava logo de cara.Seu tempo é muito precioso para você e principalmente para nós.Mas como você é você, imagino que tenha mais paciencia que eu...Sao Marcos mesmo...

Anônimo disse...

Caro Marcos, esse indivíduo só podia ser do previ futuro, como o próprio nome, já diz tudo: futuro. Porque nos dias atuais, aposto que o mesmo não sente nenhum gosto,satisfação ou orgulho de trabalhar em uma empresa que já foi o sonho de milhares de brasileiros. O BB de hoje não passa de um "bradescão". isto mesmo, O nosso banco do Brasil verdadeiro já acabou há muito tempo, desde 1998. Mudou o Plano de cargos e Salários , se igualou aos demais bancos e adotaram outro nome para seu fundo de pensão, quer dizer: futuro. Lamentável,pois não é o que gostaríamos que fosse. Lembre-se, este indivíduo, que vivemos do presente, do Hoje. Por isso, nós do Plano 1, queremos o que é nosso, o que construimos com suor e prazer.Continuemos com nossa luta, alheios a estes tipos de plantão.

Anônimo disse...

No jornal Valor On line de 19 de março de 2010, noticia que os tres fundos dentre eles a Previ aceitaram receber 18 milhões de reais no fechamento do Fundo, ao invés de 29 milhões, para que o prejuízo não fosse maior.Isso foi no ano de 2009. Como fica o prejuízo para os participantes? Os dirigentes que fizeram a aplicação não deveriam resarcir o prejuizo? Se são maus administradores que saiam do cargo e assumam o risco, pois possuem bens que devem ser dados em pagamento do investimento mal feito.

Anônimo disse...

Presente a declaração do Sergio Rosa, de que as negociações dependem de instanacias superiores, seria sensato ajuizarmos uma ação para que a Previ cumpra os paragrafos 1º e 2º do Artigo 20, da Lei complementar 109/2001. A resolução 26 está suspensa; não pode alterar uma lei; portanto esta ultima tem que ser cumprida sob pena de se configurar uma DESOBEDIENCIA CIVIL. São direitos sendo desrespeitados. Vamos à luta!

Ravacci disse...

Marcos,

está aí a explicação para o grande volume de reclamações com relação ao atendimento do nosso banco. Os asnos, a exemplo desse, estão acabando com o BB. Conheço grandes clientes de duas agências da região que já passaram para a concorrência. O descontentamento com a prestação dos serviços é imensa.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Caros Colegas.

Recebo muitas mensagens fora do blog. Umas com elogios, outras com reprimendas e umas poucas com ofensas.
Acabo de receber uma que não sei como classificar. Uma pessoa conhecida na roda das Associações me questiona quanto à veracidade da notícia que originou “O Intrigante”. Comparando-me a César Maia diz que sou dado a factóides para me promover e que vez por outra invento ataques inexistentes.
Contrariando sábias recomendações, e com o intuito de preservar a credibilidade que desfruto, retirei da “quarentena” o injurioso comentário e o publico no lugar reservado pelo provedor, bem atrás dos comentários recentes no post “Caravana da Alegria” – 18/03, (18:45).
Com pedido sincero para que esqueçam o assunto, repito a publicação logo em seguida para pôr termo à dúvida quanto a sua existência, e, para desencargo de consciência, continuarei afirmando que o Blog não costuma censurar comentários.
Deleitem-se, pois.

Paulão do Rio Grande deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Caravana da Alegria":

Vocês aposentados são mesmo muito bizarros. Desde que existe PREVI, desde que vocês se aposentaram, sabiam que a Previ complementa aposentadoria e que iriam se aposentar ganhando um “x” e que uma vez por ano a PREVI iria reajustar por um índice qualquer seus proventos de aposentadoria. Agora ficam ai reclamando, querendo isso e aquilo da Previ, querendo superávit. Pois, o que a PREVI lhes paga é exatamente o combinado, ou seja, o cálculo de suas aposentadorias iniciais e os reajustes fixados por índices legais. Querem mais o quê? A PREVI é do Banco sim e o Banco pega em seus cofres o que achar melhor, afinal está sobrando porque, ao que se saiba, todo dia 20 vocês recebem espelho com seus benefícios. Querem ganhar mais? Pois tirem o pijama, saiam de frente de computador, parem de fazer fofoca e vão trabalhar no bar da esquina ou peguem uma enxada e vão capinar um pasto. Isso vocês não querem? Então o que querem, se nem votar não votam? Aposto que nessas eleições o número de aposentados votantes será menor do que 20% de vocês. Meu nome é Paulo Cezar de Tarso e estou na ativa.

Publicar este comentário.

Recusar este comentário.

Moderar comentários para este blog.

Postado por Paulão do Rio Grande no blog Previ Plano 1 em 18 de março de 2010 18:45

Anônimo disse...

Caro Marcos e Colegas aposentados,

Sou a anônimo das 12.07 - 19 03 2010.
Após ter lido o texto, me arrependo de ter falado em igualdade de condições do presidente do bb com o articulista do futuro. Desculpa Sr. Presidente ao ter feito a comparação, por mais que discorde da sua atuação, o sr. não merece a igualação.
Abç
Anônimo

Anônimo disse...

Sr. Paulo Cezar, a que plano o sr. pertence? O sr. não disse.Mas imagino que não seja do plano 1.Porque senão não estaria contra nós, mas sim do nosso lado.De qualquer forma tudo indica que ès um alienado.Não sabeis "vossa excelência" que o que estamos querendo è o cumprimento da Lei. A lei que regulamenta os fundos de pensão diz: Em havendo superávit no 3º ano consecutivo, deverá ser apartado 25% para reserva de contingência e o que sobrar deverá ser distribuído aos seus participantes na melhoria dos benefícios. Isto não é querer demais. O que nós queremos é que se cumpara a lei.É para isso que ela foi feita. Igualdade e justiça social se alcança com distribuição de renda,principalmente a produzida pelo trabalho. A concentração de riqueza nas mãos de poucos, gera injustiça social e violencia.

Anônimo disse...

Realmente é lamentável até ler a baixaria que se prestam a escrever. Logo pode-se concluir que essas pessoas que se prestam a este tipo de ataque, nada mais é que uma pessoa frustrada, mal amada e ainda por cima porque não dizer que a inveja tomou conta de sua memória por saber que nem daqui a 70 anos o Previ Futuro terá o patrimonio que a nossa PreviB1. Isso incomoda por demais nem só a eles mas ao BB e gov. etc. Caro Marcos deixe de lado todos esses comentários e prosiga a sua caminhada, voce não é obrigado a publicar aquilo que vier a trazer angustias, nauseas e outros mal estar,sabemos em quem confiar e isso nos tranquiliza, contamos acima de tudo com ajuda do nosso Deus e ele nos concedérá grandes vitórias. abraços a vc e tds colegas do blog.

Anônimo disse...

Infeliz,

Pelo jeito voce não conhece nada de legislação. Nos não estamos lutando para solapar nada de ninguem. Quem vem solapando nosso patrimônio é seu Patrão. Quer discutir algo, traga fatos, não opiniões absurdas. Leia(se souber ler) a lei Complementar l08 e 109/2001.
Seu comentário é vazio. Nada tem a ver com nossos propositos. Lutamos pelos nossos direitos.
Mais cedo ou mais tarde a justiça será feita. Continue recebendo suas PLRs distribuidas às custas das contabilizações fantasmas. Um dia elas vão parar. Tenha certeza disso. .

rosalina_de_souza disse...

Senhor Paulo Cezar de Tarso ou Paulão do Rio Grande,
A internet comercial surgiu, há cerca de 20 anos, para encurtar distâncias e conectar as pessoas. Esse mundo novo que se abriu diante das telas dos computadores, no entanto, tem os mesmos perigos e desafios da vida real — e as mesmas leis e cuidados que se vê no cotidiano devem ser adaptados para o mundo online. Da mesma forma que podemos ofender alguém quando falamos algo, um recado em uma página pode ter um efeito semelhante — ou até mesmo pior, pois as informações na internet são praticamente indestrutíveis, ficando perpetuadas em históricos de e-mails e nos arquivos da web.
Não trabalhei no Banco do Brasil, hoje recebo a pensão do meu falecido marido, Paulo Person que aposentou-se por invalidez em 1974,onde veio a viver ate 2001,com duas pontes de safena e pressão alta adquirida nos anos trabalhados,como investigador de cadastro,lutou muito para deixar esta pensão para mim,dizia que com ela, eu poderia viver em paz até meu último dia de vida,isso já se faz 10 anos e hoje quando chego na minha agência setor Pedro Ludovico,em Goiânia e vejo seus colegas do plano previ futuro vir me atender sinto mau,porque nos tratam pior que eu trato meu cachorro “nego” quem eu amo e admiro pela alegria de todos os dias quando me vê.
Tudo que um colega seu faz hoje, precisa subir as escadas para perguntar um colega do plano 1 como executar essa ou aquela função,em poucos minutos nem a nossa matricula é capaz de lembrar,tenha um pouco mais de educação,e procure melhores informações sobre todos que estão aqui lutando por seus direitos,um dia quando aposentado for, lembrará destas minhas palavras,e creia que o que estamos fazendo é em nome de todos,todos os colegas que como meu falecido marido suaram a camisa,porque eles sim merecem a consideração de todos nós aposentados ,pensionistas e principalmente dos da ativa, faça por merecer o nosso respeito.
Atenciosamente Rosalina de Souza

Lázara Rabelo disse...

Sr. Paulo Cezar,

Se você for funcionário do Banco e esse texto for realmente seu, é de dar dó. Sua postura mostra um desconhecimento e despreparo para tudo. Não preciso me defender de nada, pois dediquei toda minha vida laboral ao BANCO DO BRASIL e contribuí por mais de 30 anos, para a PREVI. Os administradores ou diretores de qualquer EMPRESA tem obrigação de cumprir as leis existentes, caso contrário devem ser responsabilizados e punidos. Votar ou não é outro capítulo. Os ocupantes de cargos representativos de funcionários por acaso não receberam votos? Acho válido você frequentar este espaço, aqui você e sua turma poderão tirar grandes ensinamentos.

Lázara Rabelo

Anônimo disse...

Muito a propósito as ponderações do Anônimo das 15:45. Também sou favorável a uma Ação Judicial para que se cumpra a LC 109 parágrafos 1 e 2. Quanto às colocações do riograndense Paulo de Tarso (nada a ver com o valoroso Apóstolo) não devemos nem contestá-lo. Deixe-mo-lo no Previ Futuro, de cujo Plano deveria preocupar-se exclusivamente, sem dar palpites furados em seara que não é a sua.
Numa próxima, Marcos, ignore tais postagens. Nem se dê ao desgaste da incomodação, totalmente desnecessária. Devemos estar focados nos usurpadores do Plano Previ 1. Todos sabemos quem são. Nesse sentido, o Anônimo das 15:45 nos apresenta boa munição.

Ari Zanella

Ivan Rezende disse...

Pelo menos o agressivo Paulão (?)falou uma verdade, ao dizer que a grande maioria dos aposentados não vota. Devemos trabalhar para que este contingente aumente, já a partir destes próximos pleitos. Só que o Paulão esqueceu de que temos liberdade de votar em quem nos interessa e não o voto determinado pelo Banco/Superintendente/Gerente.
Sabe PC, ao passo de que me orgulho de receber os benefícios do dia 20 e os outros pelos quais iremos receber, por direito, tenho pena de você e de seu empreguinho medíocre!

jeanne disse...

É Paulão, quando o superavit tiver bloqueado e acabar a sua boca de receber o lucro com o dinheiro dos velhinhos, você não vai mais se esquecer de nós...Jeanne

jeanne disse...

Na última agência em que trabalhei,doze colegas do plano 1 se aposentaram com LER, de tanto trabalhar.Hoje, os funcionários do outro plano tem se afastado com sindrome do panico, porque não aguentam a pressão, pois serviço como tinha antes,isso não tem mais.
Até suicídio uma funcionária nova cometeu...Jeanne

Anônimo disse...

APOIANDO O ANONIMO DE 19.03 - 15:45

Marcos e pessoal do blog,

Concordo com o que disse o anônimo. Temos que ajuizar uma ação pelo cumprimento da Lei já que uma resolução não é superior a mesma. Urge que façamos isto por um simples motivo: a última distribuição de superávit (2007) não foi feita com base em todo o valor disponível para distribuição (já denota um descumprimento da lei) e quem diz que não vá ocorrer o mesmo este ano. O BB já contabilizou a metade e a outra metade de não utilizada até o final de 2010 para a fazer parte dos cálculos (ao final de 2010) para se apurar o déficit ou superávit do ano de 2010. E aí. Bem uma nova distribuição de superávit somente vai ocorrer em 2013 - caso hajam superávits em 2010, 2011 e 2012. Outro detalhe importante. Esta metade do superávit de 2009 vai (devido a seu valor: R$ 12,85 bilhões) influenciar os outrtos superávits e aái o BB vai continuar co9ntabilizando a sua metade. Entenderam. A pilha de tijolos sempre cresce se colocamos uns e não tiramos nenhum. O plano do BB (governo) é este. Claro que acertado com ANABB, Associações, Sindicatos e outros. A própria liminar do sindicato de brasília já foi ajuízada com este propósito. Vamos garantir nossos direitos através de uma ação. Desta forma, somente desta forma, vamos garantir os R$ 12,85 para revisão do plano. Senão será igual a 2007 (sobraram R$ 12,5 bilhões) que foram incorporados aos superávits seguintes (2007, 2008 e 2009) e sobre os quais o BB já contabilizou o que acha que tem direito.

Ivan Rezende disse...

Renda Certa - A propósito dos comentários do colega Marcelo, no post anterior, interessante ler a sentença do processo no site tjrj, sob número 2008 001 295 969-2que justifica tudo que estamos pleiteando.

Anônimo disse...

Apoiamos o anonimo de 20.03 às 03:29. AAPPREVI estude o assunto, junto ao advogado que nos presta assistência.Aguardamos resposta.

Anônimo disse...

o aposentado nao vota ,uma pela sua idade avancada,nao tem acesso a internet, e a grande maioria que poderia procurar guarida na sua agencia, e' tratado como intruso,ultrapassado. E nao quero,criar polemica, mas sao os novos funcionarios que nao tem o minimo respeito com os aposentados,a nao ser qdo precisam "empurrar um produto". Lamentavel.

Anônimo disse...

Mesmo em um comentário como o do Sr. Paulçao eh possível retirar algo de útil.
Que aposentado, em sua maioria, não vota, isto todo mundo sabe. Vamos ver se o Sr. Paulão continuará com a razão em relação as votações deste ano.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Caros Colegas.
Nossa Assessoria Jurídica tem uma pauta de prioridades a cumprir, dentro do que definimos. No momento trabalha no encaminhamento da Ação Cesta Alimentação e cuida em propor a Renda Certa. Todas as propostas encminhadas pelos associados são repessadas ao Escritório com pedido de exame, ocasião em que redefinimos as prioridades. Para facilitar seus trabalhos tomamos a nosso cargo determinadas tarefas como recepção e exame da documentação.
Sobre o assunto daremos ciência a todos oportunamente.

Anônimo disse...

Colegas,
São tres anos de Superavit, sem Revisão do Plano: 2007, 2008 e 2009.
A ultima Revisão refere-se ao Superavit de 2006, embora tenhamos recebido em 2008.
Em 2008 após o plebiscito da Anabb, que deveria negociar o Superavit de 2007, empurraram, goela abaixo, a Resolução 26 em setembro daquele ano, e as negociações foram suspensas. Em 2009, quando deveria ser negociado o Superavit de 2008, culparam a famosa "marolinha" lembram?
E agora chegou 2009.
Vejam abaixo o que diz a Lei Complementar 109/2001:


Art. 20. O resultado superavitário dos planos de benefícios das entidades fechadas, ao final do exercício, satisfeitas as exigências regulamentares relativas aos mencionados planos, será destinado à constituição de reserva de contingência, para garantia de benefícios, até o limite de vinte e cinco por cento do valor das reservas matemáticas.

§ 1o Constituída a reserva de contingência, com os valores excedentes será constituída reserva especial para revisão do plano de benefícios.

§ 2o A não utilização da reserva especial por três exercícios consecutivos determinará a revisão obrigatória do plano de benefícios da entidade.


Já decorreram 3(tres) exercicios, e o Superavit continua existindo. Agora não tem Resolução 26, tampouco "marolinha" já que a lei não prevê nenhum entrave que possa obstar a Revisão dos Beneficios.
Não existe outra alternativa. A Lei tem de ser cumprida sob pena de DESOBEDIENCIA CIVIL dos diretores da Previ.

Anônimo disse...

Amigo Marcos.
Aproveitando sua grande capacidade de expor idéias e fatos e, tendo em vista que a imprensa está denunciando desvios a favor da Bancoop, feitos por diversos fundos de estatais, gostaria de sugerir o envio à Revista VEJA de denúncia sobre a não utilização do Superavit em favor dos aposentados. O não cumprimento da Lei pela PREVI poderá gerar um assunto de grande repercussão.

Anônimo disse...

Marcos,

Creio que está provado de que o banco do brasil e o governo SPC,Previc, anabb, etc... mandam na Previ. Primeiro: nomeiam o presidente e tres diretores; Segundo: nomeiam os SPCs os Prevics, etc...
Digo isto por ter lido no site Previ - reunião em São Paulo, com centenas de participantes, Sr. Sérgio Rosa e diretores - que a distribuição do superavit dpende de "superiores".
Não mandam nada mesmo, só mandam os aposentados às favas, cvom essa atitude.
Uma ação na justiça para o cumprimento da lei complementar 109seria importante para ver o que os "superiores" dizem.
Terão que explicar o fato de terem, contabilmente, se apropriado de superavit, sem deliberação do conselho, e mais ainda, deixar os aposentados sem qualquer distribuição, mesmo que contabil.
O banco do brasil e a subsidiária Previ estão se tornando vergonha nacional.
A cada segundo desrespeitam o estatuto do idoso. Tem vaga em estacionamento para idoso, fila para idoso, banco em coletivo para idoso, passagem gratis para idoso nos coletivos urbanos, caixas preferenciais para idoso.
No caso dos aposentados do banco do brasil existe o descaso e a afronta à lei.
Abç
Anônimo

Anônimo disse...

Esse sr.Paulão perdeu um excelente oportunidade de ficar calado:

Primeiro. Se for funcionário mais antigo, participante do plano 1, ele esqueceu de que irá aposentar-se ficando muitos anos sem contribuir.E que nós estamos bancando suas contribuições mensais.
Segundo. Se for do Previ Futuro, ele não sabe o que futuro lhe reserva.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Caro anônimo (12:01).

Fico-lhe grato pelo elogio imerecido.
A propósito de pedidos de publicação de denúncias na revista Veja, já por duas vezes busquei essa via sem sucesso. A serem verídicas as informações contidas em texto recebido hoje, nele repousam as explicações para a falta de interesse do semanário em acatar relatos que firam a imagem da PREVI.
Para conhecimento de todos, em Notícias Relevantes de hoje, 20/03, encontram-se disponíveis essas supostas justificativas. Devo confessar que não consegui comprovar a exatidão dos fatos ali narrados e não respondo por sua fidelidade.

Ivan Rezende disse...

Marcos, pelo que parece, o caso não é mera suposição. Se pesquisarmos, existem várias citações a respeito do suntuoso prédio, da Previ, "locado" pela Editoria Veja. O Blog do Miro, por exemplo, também vai fundo no assunto.

Anônimo disse...

Fico admirado com a pouca ética de alguns. Qual a condição que alguem que não pertence ao nosso plano em arvorar-se como julgador de nossas situações e eleger-se árbitro de nossos dureitos. Continou pensando que o Banco jamauis poderia ter criado o tal previ futuro em nossa entidade. Deveríamos ter buscado judicialmente que aquele novo plano fosse constituído fora da Previ. Será que o cara não sabe que para nos tornarmos aposentados trabalhamos e muito. Aliás, bem mais, certamente, do que ele fez até agora.

Anônimo disse...

Marcos,
Por favor leia o blog do saraiva.
Juiz de direito/RJ, hoje aposentado.
Abç
Anônimo

Anônimo disse...

Marcos,
Favor ler o Portal do Luis Nassif.
Fala sobre o suposto escandalo veja/previ.
Abç
Anônimo

Anônimo disse...

Alguém gostaria de ler uma reportagem sobre a PREVI e a VEJA?

http://www.espacoagora.com.br/?p=652

Anônimo disse...

Marcos,

Em que mundinho estamos vivendo?
estou ficando meio apavorado!
Se correr o bicho pega se parar bicho come.
Abç
Anônimo

Gilvan - São José dos Pinhais disse...

Não importa de qual partido seja o governo que está no poder, uma coisa eles tem em comum: as "maracutais" são as mesmas.No governo anterior a PREVI serviu aos interesses do Grupo Civita e no atual a mesma Previ serviu aos interesses da Bancoop. O que a PREVI não serve mesmo é para o fim para a qual foi criada, ou seja, proporcionar uma aposentadoria decente aos seus verdadeiros donos (os aposentados e pensionistas). Esses dois casos são apenas os que vieram a tona e os que ainda virão?
Por que depois de 7 anos no poder o PT não fez a unificação do quadro de carreiras dos funcionários "genéricos" mantendo a mesma política perversa implantada no governo FHC? Por que os dirigentes do PT infiltrados na PREVI não derrubaram a PARCELA PREVI? Porque na verdade são todos iguais. Só diferem na sigla partidária.

Anônimo disse...

Colegas,e so o começo.Ha tempos venho falando que mais podres virao a tona.Voces irao se escandalizar.A panelada da Previ(diretora,diretores e conselheiros),estao envolvidos ate a alma.
Aguardem.
Publique-se.

Anônimo disse...

Caro Marcos, não seria o caso de anteciparmos o futuro e evitar um mal maior, movendo uma ação para que a Previ cumpra o que determina a lei relativa aos fundos de pensão:lei 109/2001.Depois de tantas armadilhas que o governo e Cia tem armado contra nós do Plano 1 (Resoluçaõ 126 SPC,Previc,contabilizações pelo BB, etc.), temo que os mesmos possam realmente unificar os dois planos da Previ: Plano 1 e Previ futuro.No intuito de não distribuir o Superávit aos seus legítimos donos. Ainda mais que estamos vendo, que a Anabb não fala mais em distribuição de Superávit. E agora vem dizendo se a favor da isonomia.Não podemos esperar. Temos que agir antes que o pior aconteça. Se anteciparmos com esta ação, antes dessa isonomia, provavelmente que isto poderá nos ser favorável nos tribunais.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Colega anônimo (11:41).

Nunca é demais acender o sinal de alerta quando há risco de incêndio.
No entanto, no caso presente a ANABB está jogando para a platéia do Previ Futuro, visto que a outra começa a abandonar o circo. O PL 6.259/2005 se arrasta há cinco anos sem encontrar eco para seu desenvolvimento. Os argumentos da decrépita associação denotam o desespero que a acomete procurando estopins para acender. A sustentação do PT e dos seus sindicatos repousa exatamente no que o Sr. Valmir alega ter soprado aos ouvidos do relator. Os entraves que ele selecionou como arma de convencimento para a votação da matéria sintetiza o oposto que o Ilustre relator, e seu partido, querem conquistar. Se o PT resolver a questão das diferenças classistas e, em conseqüência, retirar da frente de “batalha” os tropeços que levam às greves e aos desentendimentos entre patrões e empregados, estará matando a galinha dos ovos de ouro que lhes dá sustento – a discórdia e o descontentamento. É bom lembrar também que em ano de eleições amplas os partidos se movimentam no Congresso como se pisassem em ovos. Nem com fofinhas pantufas se aventuram a uma corridinha pelos seus corredores.
Em suma. O Senhor Valmir divaga, pois como já foi dito aqui, está mais perdido que cego em tiroteio. Só que o cego tem o bom senso de jogar-se ao chão. E ele, coitado, teima em ficar em pé.
Mas fiquemos alerta. A intenção do Projeto de Lei é duvidosa.

Anônimo disse...

Muito se comenta aqui o nome do Serra com desconfiança. Acho natural. Entretanto temos que ter visão e capacidade de discernimento ao julgar alguém pelo que fez e que ainda esta por fazer, pois muitos criam a imagem de que o Serra vai fazer isso e aquilo e que isso ou aquilo não nos interessa. É por demais temerário.
Vejamos o caso FHC. Ele tinha um plano de governo que incluia a privatização do Banco do Brasil. Independente de qualquer coisa diremos que era um plano por demais audacioso e que não tinha amparo junto a população. Ele tentou de todas as formas preparar o Banco para a privatização e não conseguiu. Reduziu nosso salário, congelando-o por seis longos anos, sem aumento. Alterou o valor do VP reduzindo-o para que os novos contratados entrassem no banco com um VP menor. Para o redução do VP ele criou o VCP, valor que foi desmenbrado do VP, que não causou redução do salário dos da ativa para não confrontar a legislação que não permite a redução do salário.
Com a política de privatização, que não nos interessava, ele respeitou outras regras, entretanto usou artimanhas consideradas legais para isso. Apesar de não nos agradar ele tinha o direito de proceder dessa maneira, por que no regime presidencialista ele manda sozinho, mesmo mandando de forma equivocada, estava dentro da Lei. Nós tivemos uma vez a oportunidade de mudarmos esse tipo de regime governamental quando foi realizado o plebiscito que nos dava a oportunidade para ingressar no parlamentarismo, onde o presidente não manda. Quem governa é o primeiro-ministro e se não tiver o apoio da maioria do Parlamento, acaba renunciando, o que não acontece no presidencialismo, pois temos que aguentar um presidente ruim por 4 anos ou até 8 anos. Entretanto por desconhecimento a maioria da população votou no presidencialismo. Pelo menos o FHC não utilizou das artimanhas praticadas pelo LULA, quando ele (Lula) tem um objetio ele quer alcançar esse objetivo custe o que custar. Não interessa quem vai ser atropelado. Para ludibriar o povo, dê-lhe o bolsa familia, bolsa invasão, bolsa crack, bolsa marginal, e tantas outras bolsas.
O FHC nunca nos traiu, ele nunca escondeu esse objetivo, enquanto o LULA tem feito cada uma, ele e seus aloprados vem fazendo com os aposentados, e com o próprio Banco do Brasil que foi um dos motivos de sua vitória ante o Alckimin, por que falaram que o candidato do PSDB ia privatizar o BB. E hoje quem é esse BB para o funcionalismo, metas impossíveis de serem cumpridas, manter o funcionário sempre em estado ultra stressante. Quase acabou com a CASSI. Os funcionários tiveram que rebolar, até fraudar as regras que não permitiam que houvesse uma nova votação do novo estatuto para que não ficassemos definitivamente sem a CASSI. O mesmo estatuto não poderia ser votado novamente. Esse governo usa o Banco hoje para conseguir seus objetivos nefastos a organização. Adquiriu o BV pagando o valor das quotas muito acima do seu valor de face ou seu valor de mercado. R$ 4.000.000,00, em que o Bradesco recusou pagar essa quantia. Mas ele tinha que salvar o Grupo Votarantim que teve um perda bilionária por aplicações em derivativos cambiais de alto risco. Quem lucrou com isso. O balanço fraudado pelo Banco agora, que apresentou lucro ficitício e ainda pagou dividendos sobre ele. Uma bolha de R$ 9.000.000,00. Nunca antes nesse pais fraudou o balanço do BB. O LULA nã respeita nada, atropela tudo, acostumou a mandar sozinho e ai de quem não obedecer. Seu maior idolo é o Fidel Castro. Seu sonho maior maior é ser um diatdor no Brasil. Pensem bem. Refletir bem é preciso. Em oito anos não melhorou alguma coisa para o funcionalismo. Nada. Alias esta tirando vantagens e reduzindo benefícios. Tomem cuidado.

Anônimo disse...

Colegas,

Esqueçam a ANABB. Oportunistas a serviço do Banco e Previ.