sábado, 7 de dezembro de 2013

Ajuizadas novas Ações da AAPPREVI



COMUNICADO Nº 27 - AAPPREVI

Curitiba (PR), 06 de dezembro de 2013.

Em cumprimento ao cronograma elaborado para ajuizamento de ações judiciais no ano que se finda, a AAPPREVI informa os números dos processos da ação “IR 1/3 PREVI”, contemplando documentos recebidos até o dia 25/11/2013 conforme declaração do condutor da Ação, Dr. José Tadeu de Almeida Brito:
“Comunico que as ações de IR 1/3 PREVI ajuizadas em Brasília-DF, no final de novembro, já têm números e estão na 20a. Vara Federal Cível:”

Processo nº 0072731-57.2013.4.01.3400 - Menor de 60 anos.
Processo nº 0073565-60.2013.4.01.3400 – Idosos.

Para consultar, basta colocar no navegador o endereço virtual:
http://portal.trf1.jus.br/sjdf/ e inserir o número do processo.
Att.
JOSÉ TADEU DE ALMEIDA BRITO
Advogado
===========================
Como de costume, já demos conhecimento aos sócios/autores através de mensagem individual e da “Área do Associado” (com acesso por meio da senha particular).
Esperamos que novos ajuizamentos das demais ações ainda ocorram antes do recesso do Judiciário.
Atenciosamente,
Marcos Cordeiro de Andrade
Presidente Administrativo
www.aapprevi.com.br

10 comentários:

rafael campagnoli disse...

Caro Presidente Marcos. Sobre recurso ao Poder Judiciário, acredito que uma excelente oportunidade se apresenta neste momento, em que o BB e a Previ, passado um (1) ano, não tomou nenhuma providência para REVISÃO DO PB1 e incorporação dos superávits atuais ( 2010, 2011 e 2012 ). É que nós perdemos o PODER DE ASSEMBLEIA, SOBERANO para qualquer associação, e por isso mesmo sentimos esse descaso, desdém e indiferentismo da parte de nossos algozes ( BB e Previ ). Então, agora me parece a hora certa para requerer tutela antecipada ( liminar ) para a convocação de uma ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA OU EXTRAORDINÁRIA, mas, antes, que fosse CANCELADA a intervenção existente desde FHC para ficarmos livres do "voto de qualidade", esse sim o maior de nossos males. De nada adianta escrever, debater etc, porque na hora do voto nós perdemos para os da ativa, conduzidos pelos Sindicatos, já que aposentados não tem mais aquela força nem igualdade de condições para entrar nas discussões. E mais: na alteração e revisão dos Estatutos, seria exigida quantidade mínima de votantes, SEPARADAMENTE, da ativa e dos aposentados/assistidos/pensionistas ...Os nossos interesses são totalmente diferentes dos da ativa: uma, porque já estamos aposentados e não podemos sacar nossas reservas, e só nos resta esperar o fim da vida; outra, porque do jeito que as coisas vão, os da ativa podem querer "pular fora" antes de se aposentar, acredito. Penso que qualquer magistrado que analisasse a situação compreenderia que é justamente pela força daquela intervenção que a Previ tem a coragem de dizer que vai deixar de pagar um ano de BET, ao mesmo tempo que deixa passar um ano sem dizer palavra sobre os novos superávits. É a minha sugestão.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


AOS AMIGOS INTERNAUTAS DO BB E ANABB

__________________

De: Roberto Abdian < roberto.abdian@hotmail.com >
Enviada: Domingo, 8 de Dezembro de 2013 22:21
Assunto: FW: Porque o BET não vai acabar
Caro amigo Cândido.

O Banco precisa de recursos para continuar com sua crescente concessão de créditos às grandes massas social e economicamente emergentes, para fins políticos eleitorais em 2014. Cobiça os recursos gratuitos da Previ provenientes da Reserva Especial facultado pela dissimulada Res.26, e por isso, acredito eu, que fará acontecer uma reavaliação dos ativos relativos aos imóveis, que de um modo geral, estão valorizando muito no mercado. E não são poucos, devido a política de investimentos da Previ, ultimamente com ênfase à aplicação nesse gênero de negócios. É possível também uma reavaliação mais moderada do "valor econômico" dos ativos de renda variável já contabilizados. Assim, a suspensão das contribuições e provavelmente o BET, poderão ser mantidos por mais algum tempo.

Não acredito que ocorra o que o colega Marcos diz em relação aos itens 2 e 3 enumerados em sua mensagem.
Quanto ao item 4, o Banco jamais usará dos seus recursos de caixa se tiver que voltar a contribuir. Mandará que se utilize, ainda que não seja a destinação legal, dos recursos dos fundos do patrocinador contabilizados a seu crédito no balanço da Previ, atropelando os impedimentos legais.

Quanto ao item 5, é lamentável, mas o Banco não tem interesse em gastar com a Cassi. Fica mais barato contratar ou fundar um caixinha de assistência específica para os funcionários na ativa, com um rol de atendimento bem limitado. Contará com os favores fiscais da mesma forma.
Aquela ação da AAFBB responsabilizando oi Banco pela continuidade das suas obrigações contraídas em contrato de trabalho, pelo que eu sei, até agora não foi sentenciada, e provável é que continue nos escaninhos da Justiça por tempo indeterminado.

Ações judiciais pela continuidade ou incorporação do BET, no meu ponto de vista, não terão êxito, uma vez que o benefício é declarado desde o início de Benefício Especial Temporário, e o pressuposto foi de que seria pago enquanto existisse saldo no Fundo a ele destinado.

abraço
roberto abdian

Continua na PARTE II

Marcos Cordeiro de Andrade disse...



PARTE II

________________________________________
From: ccmarcos@terra.com.br
To: ccmarcos@terra.com.br
Subject: Porque o BET não vai acabar
Date: Sun, 8 Dec 2013 16:11:02 -0200
Tomara que o colega Marcos tenha razão.
Só não concordo com ele quando diz: “Ao valer-se do resultado da BOVESPA... usou de argumentação descabida”.
Sabemos que os resultados superavitários da Previ são provenientes, em sua maioria, dos ganhos de ações.
Mas vamos às suas considerações, torcendo para que o BET continue para sempre.
Abrs.
Cândido
++++++++
Caros Colegas,
Não é preciso ter bola de cristal para antever o fim do imbróglio no decorrer deste mês de dezembro. A notícia da continuidade do pagamento do BET e da isenção do recolhimento das contribuições certamente virá como presente de Natal. Talvez até na forma de “presente de grego” como contrapartida a se pagar.
O certo é que o prejuízo para o outro lado será bem maior do que ao que pretendem impor aos participantes e assistidos.

Portanto, vejamos a sangria financeira que advirá para o Banco e a dor de cabeça para a PREVI:

Continua na PARTE III

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


PARTE III
PARA O BANCO
1 – Perderá a arrecadação das 12 parcelas futuras do BET;
2 – Enfrentará corrida do pessoal da ativa às aposentadorias para retirada do BET acumulado, antes que surja, também, uma fórmula para apropriação dessa poupança;
3 – Pode haver o esvaziamento das contas correntes com fuga para outras instituições,
4 – Voltará a contribuir com sua parte para o Fundo;
5 – Terá que socorrer a CASSI para suprir a situação deficitária que se instalará;
6 -- Será co-réu em ações judiciais impetradas para garantir a continuidade do BET.
PARA O FUNDO
a – Ao valer-se do resultado da BOVESPA usou de argumentação descabida, pois quando da instituição do benefício isso não foi citado como fator de risco comprometedor da continuidade do pagamento;
b – Por ocasião da criação foi declarada existência de fundos para honrar o compromisso, o que levou os beneficiados a incorporar o valor ao orçamento mensal até o final de 2014;
c – Enfrentará protestos de toda sorte e será réu em ações judiciais subsequentes que, de imediato, darão ganho de causa aos autores, levando ao pagamento de honorários de sucumbência.
Também, vale lembrar que no próximo ano haverá eleições para nossas Caixas e o resultado do que aí está influenciará na reposição de nomes nas Direções.

Continua na PARTE IV

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Parte IV
Ademais, o BB/PREVI/Governo hão de querer fugir a uma derrota nos tribunais que venham anular seu poder de barganha, porque não vão parar por aí com os saques vergonhosos ao patrimônio do Fundo. Na esfera judicial a determinação do pagamento será terminal, sem protelações. É pagar ou pagar, pois qualquer magistrado incorruptível dará ganho de causa ao se invocar o Estatuto do Idoso, a Lei da Sobrevivência e os indícios de trama explícita para desviar o dinheiro do Fundo aos corriqueiros fins impróprios, pondo em risco o pagamento de benefícios. Além do que, há fundamentos jurídicos infalíveis a serem aportados à Causa, tais como Pedido de Liminar, Tutela de Urgência, etc., e outros trunfos mais contundentes que não se deve antecipar. A AAPPREVI está pronta para qualquer eventualidade.
Todavia, olho vivo para o que virá no bojo do anúncio da continuidade do BET e isenção das contribuições - o“trio explorador” não dá ponto sem nó. E para o anúncio certamente se aproveitarão para legitimar a prática de sugar o nosso sangue, e até mesmo aumentar a dosagem extrativista. O certo é que o preço a pagar será alto.
Mesmo sabendo-se existir remédio menos amargo, a continuidade dos saques no patrimônio da Caixa está garantida com o aval dos mesmos “representantes” que, sem procuração nossa, autorizarão ao patrocinador efetivar qualquer exigência para atender ao “pedido” de beneficiar os milhares de associados - como fizeram na escabrosa doação dos sete e meio bilhões de reais. Isto porque, como todos os vampiros que se prezem, o Banco e a PREVI já cuidaram de arregimentar novos elementos para engrossar seu estoque de doadores, lembrando o famigerado Memorando de Entendimentos acoplado ao Termo de Compromisso, ambos de 24/11/2010.

Continua na PARTE V

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


PARTE V - Final

Em data recente lhes foi dado de bandeja essa oportunidade. Se fora diferente, por que não aceitaram receber os indicados pela AAPPREVI para tratar deste e de outros assuntos? A resposta é simples: porque entre eles não há traidores dos propósitos que embalam a decência e a hombridade. São pessoas incorruptíveis que nunca se envolverem em polêmicas sobre representatividade, nem traíram juras de fidelidade. São indivíduos reconhecidamente entendedores dos fundamentos que sustentam a PREVI e a destinação do dinheiro da poupança acumulada ao amparo dos estatutos. Não são vacas de presépio nem papagaios de piratas. São figuras que não se contentariam, se recebidos, com meras promessas de estudo de manifestos ou pautas de reivindicações para estudo futuro – exigiriam atendimento imediato. Por tudo isto, obviamente a cúpula da PREVI evitou se defrontar com sua presença no Palácio do Mourisco para não se submeter, também, à vexatória pouca contundência nos contra-argumentos. Pena que entre os substitutos da plêiade renegada existam nomes igualmente capazes e acreditados que, lamentavelmente, se deixaram levar pela enganosa propaganda acerca de uma manifestação que nem de longe beirou o apregoado e, como os demais, se contentaram com promessas que sabidamente não nos serviram como resultado positivo.

Do ocorrido que se tire como lição o fato de que não lutamos contra a secular solidez da Instituição, mas contra passageiros gestores subservientes a interesses alheios aos participantes e assistidos. Denegrir a imagem da PREVI em atos públicos somente nos trará prejuízos pela exposição de problemas particularmente nossos. Até porque a pecha de marajás que nos impingiu o ex-presidente Collor ainda não nos abandonou.
É oportuno salientar que em momento algum me incluí no pedido da AAPPREVI para audiência com o presidente Dan Conrado. Isto porque reconheço minha pequenez diante dos nomes apresentados no que tange aos conhecimentos acumulados, embora rivalize com todos eles em questões de honestidade, lealdade, perseverança e determinação em repudiar falsos líderes.
Vida que segue.
Um dia teremos na PREVI dirigentes que privilegiem a transparência e se sintam na obrigação de receber os verdadeiros representantes dos participantes e assistidos. Basta saber votar.
Mas nem por isso o BET vai acabar.

Marcos Cordeiro de Andrade –Curitiba (PR), 01 de dezembro de 2013.
www.previplano1.com.br
Postado porMarcos Cordeiro de Andradeàs11:02 0 comentários

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


From: falepr@palacio.planalto.gov.br
To: edisondebem@terra.com.br
Cc:
Sent: Seg 9/12/13 21:03
Subject: Fwd: Fale com a Presidenta



EDISON DE BEM E SILVA,

Consta em nosso banco de dados uma mensagem enviada à Presidenta da República deste endereço eletrônico. Precisamos de sua confirmação ou cancelamento.

Para confirmar ou cancelar o envio da mensagem favor seguir as instruções logo a seguir.


Dados da mensagem:


Nome: EDISON DE BEM E SILVA
Cargo: aposentado
Instituição: Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil
Endereço: Rua Treze de Maio, 60 Ap. 802
Bairro: Centro
Cidade: CAMPO BOM
UF: RS
CEP: 93700-00
País: BRASIL
E-mail: edisondebem@terra.com.br
Telefones: 5130491569
Sexo: MASCULINO
Faixa etária: IDOSO (mais de 60 anos)
Mensagem:
Espero que Vossa Excelência intervenha no vergonhoso caso dos altos salários dos executivos do Banco do Brasil/PREVI, que pretendem se aposentar sem ter contribuído o suficiente para formar colchão de liquidez e, por isso, devem se apropriar indevidamente de dinheiro das contribuições dos demais aposentados que levaram, no mínimo, 30 anos recolhendo suas cotas.Senhora Presidenta, sua promessa de defesa intransigente de IDOSOS, aposentados e pensionistas parece ser mera retórica. Vamos levar isso em consideração nas URNAS.

Para confirmar ou cancelar o envio de sua mensagem à Presidenta da República, favor seguir as instruções abaixo.


Para confirmar o envio de sua mensagem à Presidenta da República, clique aqui.


Para cancelar o envio de sua mensagem à Presidenta da República, clique aqui.


Caso não seja possível você também poderá confirmar copiando e colando o seguinte endereço no seu navegador:

https://sistema.planalto.gov.br/falepr2/confirma_email.php?mensagem=208436

Caso não seja possível você também poderá cancelar copiando e colando o seguinte endereço no seu navegador:

https://sistema.planalto.gov.br/falepr2/cancela_email.php?mensagem=208436


Atenciosamente,

Fale com a Presidenta
Gabinete Pessoal da Presidenta da República
Presidência da República

NOTA
Por favor, não responda esta mensagem, sua resposta vai-se perder.
Se julgar necessário manifestar-se a respeito, entre no saite www.presidencia.gov.br,
entre na página da Presidenta e clique no linque "Fale com a Presidenta".

Geraldo disse...

"O pagamento de aposentadorias sem que haja a definição de um teto de benefícios não compromete o equilíbrio do Plano 1. A PREVI detém recursos suficientes para arcar com os seus compromissos atuais e futuros para com todos os participantes"

Sr. Marcos, qual sua opinião sobre essa ABERRAÇÃO que tá no site da PREVI??

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Leia no Blog do Ed;

274. PREVI esclarece algumas questões relacionadas ao chamado teto de benefícios.

Por Edgardo Rego.

http://blogdoedear.blogspot.com.br/2013/12/274-previ-esclarece-algumas-questoes.html

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Ao Sr. Presidente da PREVI
DAN CONRADO

O verdadeiro é o que diz a AAPPREVI e que outras associações estão também contra. No mais, a diferença salarial a maior, não faz parte de uma boa política de igualdade para todos. É melhor continuar com O BET e suspensão das contribuições, é o que tanto fala o governo do PT, distribuição de renda. E olha que existe imposto sobre grandes fortunas na Constituição. Não me venham falar em competência única e exclusiva de pessoal para essa diferenciação de manter os filhos, do poder momentâneo, ganhando mais e acabando com o BET. A indicação política é por todos conhecida. Fico em “sinuca de bico” pois possuo amigo nessa posição, nada contra a sua pessoa, o amo, mas sou contra o seu aumento.



Aristóteles: " O homem sábio não procura o prazer, mas a ausência de dor". Não se desgasta para ter, se satisfaz em ser. Não existem luxo, opulência e poder que valham a perda da serenidade, portanto o sábio rejeita sonhos fantásticos, metas ambiciosas, complicações fúteis que, uma vez alcançadas, despertam mais ambição, apetite, mais orgulho do que paz. O filósofo grego ainda sentenciou: " A felicidade é de quem é suficiente a si mesmo".

Felicidades a todos e chegando a proximidade desta data natalina, mesmo que não seja a exata no nascimento de Cristo, mas é a data na qual muitos ainda pensam em Jesus, não só em comer e beber, que disse: " Amai uns aos outros como eu os amei.

Feliz Natal para todos, e que se lembrem como o tempo passa depressa. Eu ontem, criança com (12 anos); hoje criança com (54 anos); amanhã criança (a morte). Uns com Deus, outros órfãos com Deus. Pois Deus é amor e justiça. EU ACREDITO em JESUS, GRAÇAS A DEUS.




Valim.