domingo, 22 de dezembro de 2013

Teto de benefícios vergonhoso


(Matéria extraída do jornal O Estado de S. Paulo – edição de 21/12/13).
Assinaram
Murilo Rodrigues Alves
Andreza Matais / BRASÍLIA.

Aposentadoria do BB deve ter limite de R$ 45 mil.

Após cinco anos, Banco do Brasil está perto de fechar acordo com a Previ sobre o limite para aposentadoria de seus executivos.
Decisão provoca  racha no fundo de pensão.

Conselheiros eleitos e indicados pelo Banco do Brasil discordam sobre definição do teto para aposentadoria.

Afixação de um teto para as aposentadorias da Previ provocou também uma divisão interna no comando do fundo de previdência dos funcionários do Banco do Brasil. Os representantes dos funcionários, pensionistas e aposentados no conselho deliberativo – órgão máximo de decisão – registraram na última Ata de reunião que apoiam a “urgente necessidade da implementação das decisões ”do órgão regulador  dos fundos de pensão (Previc) para evitar sanções.
O Estado apurou que três dos seis conselheiros pediram que o tema da fixação do teto fosse colocado em pauta neste mês, mas o presidente do conselho, Robson Rocha, vice-presidente de gestão de pessoas do BB, recusou o pedido. O argumento para essa negativa é que qualquer alteração regulamentar só pode ser aprovada com manifestação favorável do patrocinador (BB).

O posicionamento do banco pode ser tomado antes ou depois da decisão do conselho deliberativo da Previ. “Uma vez declarada posição desfavorável do patrocinador para alteração regulamentar, torna-se inviável eventual modificação pretendida nos regulamentos de benefícios da Previ”, registram na ata os conselheiros indicados pelo banco.
Eleição. A oposição entre os Conselheiros eleitos e os indicados pelo banco sobre o tema fica mais evidente à medida que se aproxima o período de eleições para a diretoria e conselhos da Previ, marcadas para março. Metade da diretoria e do conselho deliberativo é indicada pelo BB; a outra precisa ser eleita.  A Previ  é sócia das maiores empresas com capital aberto no País.
Críticas. O Estado teve acesso a um texto de críticas que os conselheiros eleitos ameaçam publicar, caso o teto não seja colocado em prática. Nele, afirmam que a direção do BB e a diretoria executiva da Previ estão expondo o fundo previdenciário a risco e que a atitude das duas instituições “peca pela falta de isonomia, para dizer o mínimo”.
“O BB confundiu o dever de agir (implantar o teto) com o direito de dispor de algo (reservas dos participantes) em benefício de um pequeno grupo, exatamente os responsáveis pela implantação ou não implantação do teto”, diz o texto. “Eles ainda argumentam que os demais participantes do fundo com benefício definido podem abrir processos judicias pedindo equiparação no tratamento.“ Com os documentos disponíveis, duvidamos que a Justiça negará a concessão aos participantes que assim o requererem (e que ao final seriam todos)”. /
MRA.

(Texto extraído do jornal O Estado de S. Paulo – Edição de 21/12/2013 – Caderno de Economia, página B14).

4 comentários:

rafael campagnoli disse...

Parece que no mesmo texto do Estadão informava que o superávit de R$1,1 bilhão de 2012 ainda não fora distribuído porque seria utilizado para cobrir o déficit existente pelos problemas da Bolsa em 2013 ... Então, se o valor do superávit não será repartido para os verdadeiros donos ( participantes e assistidos )e sim utilizado para cobrir o déficit, o BET poderia ser pago até o final de 2014! Será essa a armadilha?

rafael campagnoli disse...

Revista Previ : acabo de receber a Revista Previ de final de ano. Mas que diferença dos anos anteriores ( mais de 34 anos). Agora a Previ anuncia, repete, martela com vigor, com alegria, que o BET vai acabar, porque é transitório, porque a Bolsa caiu, porque tem que cumprir a legislação etc ... Que presente de Natal! Ao mesmo tempo, li noutra matéria que ainda não se chegou a um acordo sobre a interpretação do "teto" pelos Estatutos, porque o patrocinador Banco do Brasil ( que manda na Previc, Previ, etc ) não aceitou a proposta ... Olha que sutileza jurídica: qualquer acordo não pode sair sem a "concordância" do patrocinador ... simples: vamos combinar, o BB não concorda e o assunto empaca! Coisa diabólica ...

Valim disse...

Marcos Cordeiro, Guerreiro.

Chegou o momento de agradecer a Deus de estarmos com saúde, paz e alegria de viver. Sou um homem que não teria coragem de fazer coisas contra o meu semelhante, em proveito próprio.

Colhemos o que plantamos. Quem não acredita em Jesus, leia o livro " UMA PROVA DO CÉU) A jornada de um neurocirurgião à vida após a morte." de Eben Alexander, cético, cientista racional, carreira em Havard.
Lutaremos sem raiva e rancores mas lutaremos até o fim pela permanência do BET, pois nós temos vontade que é prenuncio da ação, ação prenuncio da realização. Nos dê uma determinação.

Que o Natal rememore em todos como é efêmera nossa trajetória na terra, mas Jesus disse: " dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus".

E quem acredita em Illuminati, no olho na nota de dólar, que o mundo vai acabar, com toda humildade em usar as palavras de Cristo: " Pai perdoa eles não sabem o que fazem".

Feliz Natal a todos aqueles que se autopreenchem, que queiram melhorar de vida material, mas que desejam acima de tudo que possamos ver todos ganharem presentes de Natal.

Abraços fraternos,

Valim.

OBS: A você GUERREIRO, muita força, luz,esperança e certeza que estás no caminho certo, deste simples mortal que vos fala.
Feliz Natal e 2014 cheio de otimismo.

Pedro Borges disse...

BET, CONTRIBUIÇÕES, .....

Como associado da AAPPREVI tenho acompanhado a luta do Marcos Cordeiro, a sua indignação pelo que vem acontecendo no nosso Fundo de Pensão. A coisa está mesmo difícil, chegamos a um fim de ano com notícias nada alvissareiras, com o fim do BET e volta das contribuições em 2014. Não dá para entender como chegamos a este estado de coisas, com o partido político do Governo fazendo tudo ao contrário do que nós trabalhadores esperávamos. O pior é que não vislumbramos mudanças, a qualidade dos mandatários está cada vez pior, será sina do povo brasileiro, engabelado por "pão e circo"? Infelizmente o povo é mal informado, não lê e não acompanha os fatos políticos e administrativos e parece que, na próxima eleição geral, não a teremos alterações na condução do país. É lamentável, as manifestações de junho já foram esquecidas e o circo está armado com a copa de futebol a se realizar no próximo ano. Atualmente penso, eu que sou um pacifista por natureza, que só um movimento militar pode cessar com tanto desmanto e mal caretice. Graças ao bom DEUS tenho a minha vida sob controle, mas tenho temor pelos meus filhos e netos, o nosso Brasil, tão cheio de benesses divinas, não merece os governantes que tem tido. Que DEUS nos proteja e abençoe.