sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Eleições para CASSI e PREVI


Marcos Cordeiro de Andrade

Caros Colegas,
Mais uma vez a cena se repete, com campanhas eleitorais se instalando no seio da comunidade dos aposentados e pensionistas oriundos do Banco do Brasil. E, como rotina modorrenta, teremos nos próximos meses eleições para suprir cargos diretivos nas nossas duas Caixas – CASSI e PREVI – sem que mudanças significativas sejam esperadas, pela repetição do discurso.
Como sempre, espertas manobras dão o tom das campanhas para elaboração de chapas de modo a privilegiar a “situação” - para manter no poder os mesmos grupos que se revezam exercitando a dança das cadeiras. Quem tiver curiosidade para buscar nos alfarrábios das associações os panfletos das muitas eleições passadas, onde constam os nomes dos candidatos em disputa, verá que não há possibilidade de alternância no poder. Porque há décadas as caras não se renovam, apenas ganham mais rugas, criando chapas recheadas de “experientes” dirigentes. Quase todos eles vinculados a sindicatos e associações de aposentados e pensionistas, quiçá a federações e confederações.
Em tudo isto, de lamentar sobremaneira a impossibilidade de se eleger gente não comprometida com o corrosivo esquema estacionado, e que somente dá vez a que se “renovem” diretorias em troca-troca com os mesmos nomes viciados que se alternam no poder. Faz-se isso enaltecendo a longevidade desses candidatos na ocupação dos cargos em disputa, com o indicativo de que têm consagrada “experiência”, exatamente por já conhecerem os caminhos que os levaram, e levam, aos cargos e funções numa disputa sem graça. Como se essa alegada “experiência” os fizessem únicos em competência, honestidade e produtividade, de modo a não se procurar e conseguir renovação.
É bom lembrar que a experiência conseguida no exercício de cargo eletivo funciona como uma via de mão dupla, dependendo de quem a tem e do uso que se faça dela. Se de um lado o gestor honesto e de bons propósitos usa essa experiência para bem desempenhar o legado concedido pelo voto, de outro, se é o oposto da honestidade e dos bons princípios, cada vez mais usará os conhecimentos adquiridos para aprimorar a esperteza, ou capacidade de enganar trouxas que lhes dão votos inconsequentemente. Ou, melhor dizendo, se geriu de má forma, se foi desonesto no trato das esperanças dos eleitores e trabalhou em causa própria auferindo benefícios e benesses em função dos cargos exercidos experientemente, essa “experiência” o fará transitar na contramão da história da Entidade a que serve ou serviu, em cujo topo da cadeia diretiva se instale – ou nela permaneça. Não podemos esquecer os sindicalistas que ingressaram na política das nossas Caixas para adquirir “experiência” com promessa de mudanças, que ocorreram sim, mas em via única – para aquinhoar o seu lado e o dos seus patrões – na medida em que foram se tornando “experientes”.
Vale lembrar que o termo “experiente” é definido como “aquele que tem experiência, que tem prática, que tem conhecimento das coisas”. Que tanto pode ser empregado para mostrar o lado bom de quem a tem como, lamentavelmente, pode mostrar quem não presta, pois, no jargão carcerário é “experiente” aquele que já praticou crimes seguidamente – que já roubou muitas vezes, por exemplo.
Por que então não dar vez apenas aos “experientes” assim nominados pela longevidade em anos vividos fora do poder e pelos conhecimentos de que sejam portadores, e que, até por isso, são “inexperientes” na arte de ocupar cargos por falta de oportunidades e, por conseguinte, sem vícios e desvios de conduta a manchar sua honra. E mais, até que se prove o contrário, portadores de honestidade e capacidade inquestionáveis, encimando o vasto currículo adquirido no comprovado papel de defensores dos direitos de aposentados e pensionistas espoliados.
Fiquemos atentos, porque as chapas estão para chegar às nossas caixas de Correio. Ao acontecer, façamos a comparação com eleições passadas e rejeitemos os nomes que, aos pares ou isoladamente, sejam contumazes frequentadores de jornadas eleitorais, onde participam alegremente da dança das cadeiras no sarau eleitoreiro, cujo resultado lhes dá muito mais que divertimento buscado por pés de valsa. Dá lucro bom e gordo. E somente a eles.
Nunca é demais lembrar que foram alguns dirigentes “experientes” que assinaram o acordo de doação de sete e meio bilhões de reais roubados à garantia da nossa velhice, que deveria ser merecidamente tranquila e que foi para o espaço como esperança morta, assassinada por “experientes” verdugos a soldo dos patrões. Leiam-se no rodapé do Acordo de Intenções os nomes desses hipócritas “defensores” dos direitos de aposentados e pensionistas.  Por conta deles, também, acabamos de perder 25% dos nossos benefícios em consentida má gestão do Fundo, ele mesmo administrado por “experientes” lacaios do patrocinador, observados pelas portentosas Entidades “experientes” que não se dignaram mover uma palha sequer para evitar essa catástrofe financeira. FAABB, ANABB e AAFBB, são os nomes delas, as três maiores forças representativas dos aposentados e pensionistas oriundos do BB, como se rotulam e que são presididas por “experientes” administradores que não querem abandonar a festa. E foram exatamente essas siglas que, ao lado da Contraf-CUT e de representantes do Governo da ocasião, firmaram os indigitados Termo de Compromisso e Acordo de Intenções que sacramentaram a desgraça financeira que se abateu sobre nós – hoje chancelada com o fim prematuro do BET e o retorno da cobrança indevida de contribuições para a PREVI.
E que ninguém ouse fazer oposição ao domínio desse trio. Eu que o diga, pois ao votar contra a doação bilionária na AGE da FAABB em outubro de 2010, encontraram um meio de banir a Associação que dirijo do seio da Federação (www.aapprevi.com.br – “Defesa da AAPPREVI” no lado inferior direito do site). Também me contemplaram com uma “Moção de profundo repúdio” com argumentos forjados ao bel prazer dos donos do poder.
Portanto, como o voto é secreto, não há porque temer as maldades de sabujos. E vote certo. Vote no candidato “inexperiente”, pois, sem ser uma “Brastemp” no ofício de brunir o interior de cofres, procurará mostrar serviço lavando a roupa suja das nossas duas Caixas de modo eficiente – e barato. Roupa suja essa representada metaforicamente pela imundície do acúmulo de desmandos, incúria e de administração temerária que esvaziaram o poder assistencial para o qual elas, as Caixas, de Assistência e de Previdência, foram criadas. Por nós e para nós. E por quem devemos lutar sempre.
Senão, babau!
Em tempo: Não sou candidato a absolutamente nada – nem pretendo. Quero apenas continuar dirigindo minhas criações (AAPPREVI, CANAEL, REVISTA DIREITOS e BLOG PREVI PLANO 1) que administro com independência e destemor, embora amargando no lombo oito processos judiciais por conta disso. Eis os filhos diletos, depois dos naturais, a quem me dedico de corpo e alma:
AAPPREVI – www.aapprevi.com.br
CANAEL – www.canael.com.br
Revista DIREITOS – www.revistadireitos.com.br
Blog Previ Plano 1 - www.previplano1.com.br  

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR), 31 de janeiro de 2014.

7 comentários:

Blog do Ed disse...

Gostei, Marcos. Acabo de ler que antigo dirigente da PREVI elencou um conjunto de circunstâncias que obrigaram a PREVI a reintroduzir no Plano de Benefícios 1 em EXTINÇÃO, FECHADO e QUITADO (para sempre, disse a SPC, e até parecendo insinuar imprescritível, em razão da competente fiscalização da própria SPC) a cobrança das contribuições e da suspensão do BET! Interessante, mas não foi ele mesmo integrante da DIRETORIA que viajava anualmente por este Brasil imenso, alardeando que a PREVI TINHA SUPERÁVITS INEXAURÍVEIS?! E,agora, sou eu que PAGO?! Ele certamente pode pagar e muito mais do que está pagando... Eu estou amargando...
Edgardo Amorim Rego

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Parabéns Marcos por sua corajosa e independente posição manifestada no "post" "Eleições para CASSI e PREVI ". Lamento profundamente que seu comentário não chegue ao conhecimento dos aposentados que ainda votam "em quem a ANABB indicar".
Será que nunca conseguiremos modificar essa situação ????

Ricardo Annoni Neto - Machado (MG).

mesquitasantana disse...

Caro Marcos.

Parabéns, como sempre consciente e independente você coloca a nu todo esse bando que se locupleta com entidades construídas por nós e tão necessárias ao nosso final de vida com dignidade. Ao iniciar mais um período eleitoral surgem os abutres cheios de intenções mirabolantes e esbanjando conhecimentos para serem distribuídos a fim de serem eleitos ou indicarem alguém sabidamente capaz. Vamos ver até onde são capazes de chegar com todas as mentiras e trapaças que sempre acompanham seus mesquinhos discursos.
abraços
Eusebio

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


NÃO DEU OUTRA!

http://ceciliagarcez.blogspot.com.br/2014/01/cassi-divulga-chapas-inscritas-eleicoes.html

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Recebi proposta para apoiar determinada chapa. Como exigi uma garrafa de pão doce, coisa que não existe, perderam meu apoio - tolinhos.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Eleições CASSI 2014.

Vamos publicar o perfil de todos os candidatos. Sem surpresas, encontraremos muita "gente boa".
Tem de tudo: quem só quer moleza desde que entrou no Banco como menor estagiário (virou moda), sindicalistas em pencas, dirigentes de AFAs, da AAFBB, da FAABB e da ANABB, etc. Tem pra todo gosto.

AGUARDEM i próximo capítulo!

rub.gp disse...

Caro Dr. Marcos Cordeiro, colega aposentado e batalhador do Plano 1 da Previ, da qual faço parte, esta em vigor uma Petição Eletronica a favor do percentual das pensionistas para 100% ( a CEF paga 80% pelo que soube) é no site (Avaaz.com)inclusive foi iniada por um professor que é pensionista. Peço, se possivel anuciar no seu bem visto Blog, para que todos os aposentados e pensionistas tomem conhecimento e votem/assinem a petição. Aqui em Cambé-PR, eu, Goulart e outro colega, Agenor, já assinamos e estamos divulgando a todos, pois é interesse de todos nós. Tudo de bom, e aguardamos sua orientação para as futuras, chapas p/votação Cassi e Previ. Obrigado. sou socio da Aapprevi. Tudo de bom para todos nós. ET. até agora, o resultado da votação na Petição é fraco.