sábado, 31 de maio de 2014

AAPPREVI - Novos processos


 

Comunicado nº 42 da AAPPREVI – AÇÕES JUDICIAIS

Curitiba (PR), 31 de maio de 2014.

PROCESSOS AJUIZADOS

Levamos ao conhecimento dos interessados que os nossos advogados estão ajuizando novos processos e usam de prerrogativas que o Judiciário lhes faculta para incluir outros autores em demandas em trâmite. Isso permite o ingresso em estágios atualizados - ganhando tempo e transpondo exigências já cumpridas.

Deste modo, damos os números de processos destinados aos novos autores incluídos, ao tempo em que os disponibilizamos na “Área do Associado” do nosso site para consulta no Portal do Tribunal (mediante uso de senha particular), lembrando que os sócios diretamente contemplados foram cientificados através de mensagem individualizada.

Ação RMI – Renda Mensal Inicial
Processo nº 0243939-87.2013.8.19.0001 – 6ª Vara Cível da Comarca da Capital/RJ.

Ação de Readequação do Teto do INSS
Processo nº 0006583-30.2014.4.01.3400 – 6ª VF de Brasília. Secção Judiciária do DF

Processo nº 010905907.2014.4.02.5151 – Juizado Especial Federal do RJ– JEF/RJ

Processo nº 0020513-79.2014.4.01.3800 – JEF/Belo Horizonte

Processo nº 0011921-73.2014.4.01.3500 – JEF Goiás – GO.

 
Ação de REAJUSTE 95/96

Processo nº 0011439-15.2014.8.19.0001 – 19ª Vara Cível da Comarca da Capital/RJ.

Processo nº 0183180-26.2014.8.19.0001 – 44ª Vara Cível da Comarca da Capital/RJ


Em cumprimento ao compromisso assumido, a AAPPREVI reafirma que jamais transferiu para os associados quaisquer despesas envolvendo as ações que patrocina – a qualquer título. Aos sócios/autores cabe apenas o pagamento da mensalidade de R$ 11,50 pela condição de sócio, sem acréscimos pela quantidade de participações. A Associação paga tudo, do início ao fim da demanda, como sempre o fez.

Atenciosamente,
Marcos Cordeiro de Andrade
Presidente Administrativo
www.aapprevi.com.br

7 comentários:

rafael campagnoli disse...

Essa lisura no trato de nossos interesses em processos ajuizados nos tranquiliza muito. Sabemos que a nossa justiça às vezes nos surpreende negativamente. Não vejo a hora de noticiar, em letras maiúsculas, a vitória definitiva da AAPPREVI na ação RMI da qual faço parte. Ganhamos em várias instâncias, o BB e a Previ foram condenados por recursos protelatórios, e por último recorreram mediante Embargos Infringentes. Quando é para nos beneficiar, o caminho é longo e árduo. Mas para retirar o BET e retornar as contribuições, é super rápido! Tenho esperança de que o reajuste vindo da referida ação possa minimizar os prejuízos pela redução dos 25% desde janeiro.

RENATO AUGUSTO PEREIRA SILVA AUGUSTO disse...

Ilustre Presidente MARCOS CORDEIRO:


Mesmo NÃO QUERENDO VINGANÇA, sou FRONTALMENTE contra A QUALQUER ACORDO COM O SR. DAN CONRADO e o Sr. MARCEL, pois ambos já provaram, INÚMERAS VEZES, NÃO SEREM CONFIÁVEIS. Chega dessa história de EM NOME DA GOVERNABILIDADE FAZER ALIANÇA ATÉ COM SATANAS! Fizeram esse tipo de ALIANÇA e o resultado aí está, ANARQUIA GERAL, TOTAL, IRRESTRITA E IRREMEDIÁVEL! Devemos isso sim, aproveitar o MOVIMENTO QUE JÁ ESTÁ TOMANDO VULTO, o "FORA DAN CONRADO" e, DEFENESTRÁ-LO DE VEZ, já que é CRIA MALÉFICA do BB-GULOSO. O Sr. MARCEL, como foi eleito livremente por nós, AGUARDEMOS, ANSIOSAMENTE, A SUA RENÚNCIA, ou o término de seu mandato (daqui há 2 anos).

RENATO AUGUSTO PEREIRA SILVA - João Pessoa - (PB), 02 de junho de 2014 - matrícula: 8.531.900-7

rafael campagnoli disse...

Recondução do Dan Conrado. Viram que o BB optou pela permanência do atual presidente da Previ? Detalhe: o nome dele e do diretor de mercado foram submetidos ao Conselho Deliberativo no dia 30.05 último, antes da posse dos novos Conselheiros. Acredito que teriam alguns votos contra. Além do que, com certeza ele estará novamente a serviço do Banco, juntamente com Marcel, para repetir que o fim do BET e retorno das contribuições, além da doação de R$7,5 bilhões ao patrocinador estavam corretos, embora vimos na ACP movida pelo MPF que não cumpriu nem a Lei Complementar 109 e muito menos a malfadada Resolução 26, tida como ilegal pelo eminente procurador da república.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Leia no Blog do Ed:

288. Mais Outra Ousadia!
Por Edgardo Rego

http://blogdoedear.blogspot.com.br/2014/06/288-mais-outra-ousadia.html

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Recebido por cópia, de Edison de Bem:

COLEGA CARVALHO,
Inicialmente, como não poderia deixar de ser, os meus parabéns pela
vitória e votos de que consigam, com trabalho, dedicação e, especialmente, abertura e honestidade de procedimentos, auxiliar para colocação do
nosso Gigante, a PREVI, de volta nos trilhos, como há mais de 20 anos atrás.
Gostaria que os eleitos nos vissem, a partir de agora, como aliados, sem deixar de sermos fiscais, de auxiliares, sem deixarmos de ser críticos, enfim, papel de quem faz parte de uma organização comunitária.
Uma declaração sua já despertou ansiedade e profunda preocupação entre os colegas "endividados", que são maioria, por isso repasso:


"........ Reforcei a necessidade de se criar alternativas para amenizar a situação dos participantes que será agravada com o reinicio da cobrança dos empréstimos. Novas prorrogações não será a solução.


Ocorre que, no momento, esta é a única alternativa viável, e que estava sendo saudada, por este numeroso grupo, como solução até o final do
ano, quando a PREVI teria oportunidade de refazer seu Orçamento Anual,
acrescentando melhorias "coletivas" definitivas, para restabelecer nosso
poder de compra.
Agora, ao contrário do que todos esperavam, um de nossos NOVOS representantes nos traz essa péssima notícia.
Que não é solução TODOS sabem, não necessitaria o amigo dizer, mas que ajudava, há sim, ajudava, até que se possam tomar medidas de impacto das quais o tempo, junto com os representantes do Banco, são os piores inimigos.
Diante disso, todos, e falo em nome dos milhares de mails que recebo, aguardam, urgente, nova prorrogação da suspensão dos pagamentos dos empréstimos.
Será que já entramos aceitando revogação de medida que agrava a situação do associado, em comparação ao que os "ditos" "inimigos" fizeram? Se já aconteceu até agora, porque não até o fim do ano? A PREVI
vai perder tanto assim? Não, pois vai, com o tempo. nos cobrar "tudinho" e com juros. Ainda mais, o que representam esses valores para a PREVI
que compra a concessão por 20 anos de um Aeroporto com 373% de ágio, com retorno duvidoso, só para agradar o Governo?
Boa sorte, para todos.


Edison de Bem


Reservo cópia para Medeiros e Cecília.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

De Solonel Jr.


Colegas,

Vou ser chato, batendo na mesma tecla, mas acho necessário que isso seja bastante discutido. Em minha opinião, e com certeza não sou o único a pensar assim, empréstimos não são a solução dos problemas dos "assistidos" ou como queiram chamar aos donos da PREVI.

O sucessivo aumento do limite do Empréstimo Simples, da forma como foi dado, funcionou (e ainda funciona) da mesma forma que as diversas bolsas criadas por um governo e mantidas e expandidas pelo outro - RÉDEAS NAS MÃOS DOS PODEROSOS.

Ao aumentarem nosso endividamento nos controlam, nos direcionam, nos fazem aceitar suas imposições, por medo ou por crença.

Por crença, para os que acham que estão certíssimos, estão preocupados com o destino da PREVI e de suas "economias". Esquecem os "ágios" pagos para "ajudar" o governo em seus projetos nunca acabados;

Por medo, de que ao não concordarem com as imposições, tais "benesses" serão cortadas.

Mas os sucessivos superávits sequer deveriam ter sido utilizados para o famigerado BET, mas sim para a MELHORIA DE NOSSOS BENEFÍCIOS, isso sim. A simples extinção da Parcela Previ seria uma melhoria significativa em nossos complementos. Além de aumentos reais. Afinal, trata-se de receber rendimentos de uma poupança da vida inteira. Se o Banco deu a metade ou um terço, não vem ao caso. Ele contratou isso e nos ofereceu quando em nossa juventude escolhemos trabalhar na instituição.

A volta das contribuições é outro absurdo. Se o plano está fechado e se os recursos são suficientes para o pagamento da última pensão, a manutenção de nossa contribuição só pode ser para a final "doação" ao Banco.

Nos últimos anos o lucro do Banco do Brasil é falso, todos os que examinam a matéria sabem disso. Trata-se da injeção de recursos "tomados" da PREVI. Valores que deveriam ser utilizados em nosso benefício estão direcionados a "salvar" o BB, administrado politicamente, obedecendo a ordens que findam nos tribunais, com indenizações homéricas, como o caso dos advogados do Maranhão, entre tantos outros.

Para esclarecimento, informo que tenho empréstimo simples também e em um primeiro momento optei pela suspensão da cobrança, arrependendo depois. O acúmulo de juros elevará o saldo devedor, e de nada adiantará. TEM QUE SER PAGO. Além do que, não haveria igualdade no tratamento entre os que devem e os que não devem.

Portanto, aos colegas endividados, peço que aguentem mais um pouco. Aos não endividados, cobrem junto com os primeiros as mudanças e, principalmente, a honestidade e acertividade no direcionamento dos recursos da PREVI. Aos eleitos, que cumpram não só as promessas, muitas das quais sei serem impossíveis, mas principalmente, devolvam aos associados, assistidos, aposentados da PREVI os direitos "roubados" e o poder de dormir tranquilo adquirido com tanto suor.

Mas principalmente aos não eleitos de boa fé, que continuem na luta e na vigilância. A justiça não acode aos que dormem, mas os astutos e mau intencionados estão sempre de olho, atentos em quem dorme.

A luta continua companheiros.

Um bom final de semana e que Deus nos proteja a todos.

SolonelJr

Wanderley Machado disse...

Totalmente a favor do que pensa o Solonel.