sexta-feira, 15 de agosto de 2014

A CASSI não vai acabar!



Marcos Cordeiro de Andrade
Caros Colegas,

Saúde é coisa séria. Com saúde não se brinca. Quem tem saúde, tem tudo.

Estes são bordões repisados, mas em que o idoso acredita. E retinem em sua cachola insistentemente como badalos em sinos repicando no chamamento para enterro. Velório que ele espera nunca seja o seu. Por isso é preciso bom senso e cautela ao se lidar com o bem mais precioso da última idade, principalmente quando se prestam informações de como sua saúde é cuidada, por quem e o que esperar de tudo e de todos em relação a ela. Não se pode levianamente fazer terrorismo com expectativas de vida. Botar a boca no trombone alardeando que um Plano de Saúde vai falir é o mesmo que se acalentar criança contando histórias de bicho papão, vampiro ou do capeta. Quando o certo é o uso de cantigas de ninar cheias de anjos, fadas e bichinhos fofos. Os velhos sabem disso. Mas não certos “velhos” que lidam com outros. Para estes o caminho do medo é a via fácil da publicidade que embala seus sonhos de poder à frente de Entidades. Exatamente as que cuidam de idosos. Quem assim age merece pena e precisam de uma bula que lhes ensine a lidar com os “maiores” de 60 anos.

Seja quem for que se preste a declarar em seminário que a CASSI vai acabar positivamente está prestando um desserviço à coletividade que se serve desse plano. Do mesmo modo que não deve ser levado a sério quem se dá ao trabalho de propagar essa impropriedade.

Eis o que foi dito, e por quem:

“A reunião em Balneário Camboriú começou pela manhã deste oito de agosto com a informação dada pela diretora eleita da CASSI, Mirian Fochi, sobre a situação caótica na Caixa de Assistência do plano de Associados. Segundo ela, o PB1      da CASSI pode quebrar já em 2015!”
Até dá vontade de gritar:
Cala a boca, Magda!
Te cala Rolando Lero!

Isso é sensacionalismo barato. É terrorismo puro. Até porque a CASSI não vai acabar em 2015. Nem em 2150, se não mudar de nome até lá. E sabem por quê? Porque o BB não permite. É Lei.
Revolta saber que ao invés de semear esperança, são pessoas eleitas pelos espoliados aposentados e pensionistas para defendê-los que se encarregam de minar seus anseios. É lamentável que assim seja mesmo sabendo que quem vota mal elege mal, como tá escrito nas estrelas. Somente se explica tal postura representativa pela insensibilidade de quem percebe altas remunerações e não precisam de planos de saúde porque podem pagar “médicos particulares”. E essa inconformidade do nosso lado se acentua quando é sabido que as remunerações desses despreparados são ironicamente pagas pelos mesmos desprotegidos de que tripudiam, com alcance mensal da ordem de 50.000 reais - agora com perspectiva de um repeteco a título de bônus por metas atingidas. Será que faz parte dessas “metas” apavorar idosos? A propósito, não é exagero supor que essa “remuneração variável para a Diretoria Executiva da PREVI”, rapinagem escamoteada sob a filantrópica designação de bônus, cedo chegará à CASSI, haja vista a avidez por dinheiro fácil que determinados dirigentes cultivam. E isso se estenderá aos sub carimbadores substitutos e eventuais. Anotem!

Para aumentar a indignação, o inusitado édito que extingue a CASSI foi divulgado em evento anual patrocinado por Associações ditas “do Sul do País”, onde excluíram da participação a maior delas em volume de sócios representados, fincada na região, justamente presidida por este que se vos dirige. Portanto, é imperioso afirmar que os organizadores deveriam primar pela excelência dos convites evitando que supostos representantes despreparados usassem sua verve destrambelhada para levar intranquilidade ao público alvo do evento – a pessoa idosa. 
Neste ano, como no anterior, a reunião secreta do Clube de Camboriú verteu pérolas inusitadas de convidados “ilustres”. Se no que passou foi dito que a CASSI estava em situação financeira periclitante por causa do “excesso de idosos que ela atende”, como se o plano melhorasse com a morte desses sócios, desta feita houve mais contundência nas declarações de representante “oficial” com fixação do prazo de validade para o Plano: “ele se findará em 2015”.

No meu entendimento, nessas reuniões, como em cartórios juramentados, não se deveria permitir que sub carimbadores substitutos autenticassem documentos oficiais. Não têm credibilidade alguma e somente se prestam para gerar intranquilidade no seio das classes atingidas por suas supostas “declarações abalizadas”. Melhor seria lhes aplicar a lei da mordaça – ou decepar seus dedos impedindo-os de digitar sandices.

Mas nada do que vaticinam ocorrerá. Porque, antes que essas previsões derrotistas possam se concretizar muita água tem que correr sob a ponte. Haverá a interferência do Banco, o que não será novidade, pois, em última análise, a responsabilidade lhe cabe - registrada em cartório, como se diz. Reza no contrato de trabalho que ele, Banco, é responsável pelos cuidados da saúde dos seus funcionários – ativos e inativos. Portanto, amigos associados da CASSI, tranquilizem-se, ele nunca vai permitir. Nem pode. Em que pese o conhecimento de que muita coisa terá que ser feita para colocar a Caixa nos eixos, vale lembrar que há meios e fontes a serem explorados em direção aos acertos. Existe um duplo entendimento a ser respeitado e convocado para o saneamento das falhas existentes: o passado legalmente tradicional e os bens materiais a que recorrer. A CASSI tem patrimônio, imobilizado e humano.  E o Banco, antes de se meter em camisa de sete varas, tomará providências emergenciais para consertar o que estiver errado, como aportar recursos (o que já fez antes), ou intervir colocando prepostos capazes de sanear o Plano. Enfim, chutar o pau da barraca - leia-se afastar incompetentes.

E a despeito do estrago causado por quem fala pelos cotovelos, com saúde não se brinca e A CASSI NÃO VAI ACABAR. Palavras de um crédulo associado com 52 anos de carteirinha da nossa Caixa, calejado de ver esse filme ser reprisado e rodado por irresponsáveis arautos do caos.
Aprendamos a votar. E isso nunca mais se repetirá.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR), 15 de agosto de 2014. www.previplano1.com.br

8 comentários:

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

15/08/2014

STJ confirma revisão para poupador do Banco do Brasil


Clayton Castelani e Folha de S.Paulo

do Agora

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu anteontem que todos os poupadores do Banco do Brasil prejudicados pelo Plano Verão têm direito de cobrar suas perdas. O banco pode recorrer.

No julgamento, o Banco do Brasil e o Banco Central defendiam que a revisão deveria valer só para poupadores que faziam parte de uma ação coletiva do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) ou que fossem do Distrito Federal, onde o processo foi movido.

Em 2009, a Justiça já havia apontado que a correção era devida aos poupadores, mas o banco questionava a aplicação dessa decisão em todo o país. "Foi por insistência dos bancos que o STJ acabou reiniciando uma discussão que já deveria estar encerrada", afirmou Mariana Alves Tornero, advogada do Idec.

Resposta

O Banco do Brasil informou que recorrerá da decisão do STJ e que também aguarda posição do Supremo sobre a constitucionalidade do plano econômico envolvido.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Senhores,



Gostaria de entender o motivo pelo qual a AAPPREVI continua a ser ignorada quando se trata de "Associações Representativas de Aposentados, Pensionistas e Funcionários do Banco do Brasil", fato quer vem ocorrendo amiúde e que reflete uma tremenda grosseria para com seus membros e associados.



Considero uma verdadeira agressão aos associados, seja da ANABB, seja das demais Associações, o convite a SEEB-DF, Contraf-CUTe CONTEC, entidades que não reconheço como representativa de meus interesses.



Solicito, portanto, esclarecimentos a respeito dos motivos pelos quais tal situação é mantida. Afinal, também faço parte de ANABB, AAFBB e UNAMIBB.



Atenciosamente, no aguardo de sua manifestação a respeito.



Solonel Campos Drumond Junior


Matr 9.192.740-4

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Faço minhas as palavras do colega Solonel Campos!
Fui associado durante vários anos da Anabb, sem ver nenhum movimento em prol dos seus sócios daquela entidade!
E agora, que temos uma associação séria e que luta por seus associados, esta é ignorada pelas "ditas" associações que defendem os aposentados!
No mínimo, é deselegante e mesquinho.


José Sérgio Figueiredo

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Concordo com o colega Solonel, e demais, porque não incluem a grande ( ainda pequena), mas que luta por nós aposentados ( a nossa AAPPREVI), que fala o sério e sem medo. A qual temos um grande Presidente, que nos defende sempre.Sds Mariano Branquinho

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

CARO COLEGA E AMIGO PEDRITO,

É BOM SABER QUE AS MOVIMENTAÇÕES PARA APOIAR O MOVIMENTO DE "ASSALTO!" AO MOURISCO
ESTÃO EM QUASE NADA.
DAS ASSOCIAÇÕES, RECEBEMOS APOIO SÓ DA AAPPREVI, ATRAVÉS DE SEU PRESIDENTE MARCOS.
DONA ISA, ATÉ AGORA NADA. AS DEMAIS ALGUMAS ABOBRINHAS PARA ENROLAR, MAS NADA DE POSITIVO.
EDISON

Marcos Cordeiro de Andrade disse...



Além , obviamente, de ganhar muito dinheiro, o objetivo de certas pessoas que chegam ao poder, é, para ganhar ainda mais poder e dinheiro, destruir vidas. É extremamente doentia a atuação política desses notórios saudosistas dos generais que formam uma oposição provavelmente renegada pela própria oposição. Tripudiar de uma situação de nosso plano de saúde aterrorizando seus associados é equivalente à maluca insensatez de quem joga dois aviões em torres gêmeas, com a imensa diferença que estes últimos lançadores já saltaram de paraquedas. É simplesmente nojento. Eca!

Jairo Finger

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Leia no Blog do Ed:

300.A Nota da PREVI e a Audiência Pública no Senado

Por Edgardo Rego.
http://blogdoedear.blogspot.com.br/

Flavia Marçal disse...

Prezado Marcos Cordeiro,
Lendo seu "post" de título A Cassi Não Vai Acabar,de 15/08/2014, fiquei surpresa com as sua afirmações ao dizer que a assist.médica de funcis. da ativa e aposent.faz parte do nosso contrato de trabalho à época de nossa posse no BB e,portanto não pode acabar. Entretanto,ao acessar o site da AAFBB ,constato que a ação ajuizada por ela "Responsab.do BB na Assist.Médico Hospitalar"-Réu: BB,
Nº 0119300-92.2009.5.10.015 foi perdida e não cabe mais recurso porque já transitou em julgado em 14.10.2013. Dr.Madeira Basto,nossos colega,aponta falhas graves no juizamento da ação a saber:"A primeira foi ter ajuizado a ACP na Justiça do Trabalho. A segunda foi ter alegado que o direito violado era decorrente de contrato de trabalho e a terceira, ter ingressado com a ação depois de decorridos mais de cinco anos do fato, ignorado totalmente a questão da prescrição do direito, em matéria trabalhista".Mais adiante diz: "com o ajuizamento da malsinada AÇÃO CIVIL PÚBLICA na Justiça Trabalhista, os autores acabaram por formar jurisprudência contrária aos interesses de todos os aposentados, já que, uma vez transitada em julgado a decisão, não se poderá intentar qualquer nova ação em Vara Cível porque ficou assente na Sentença proferida em última Instância (TST), que o direito questionado versa sobre vínculo trabalhista".
Na verdade, Marcos Cordeiro, estamos entregues a nossa própria sorte devido à incompetência de quem ajuizou esta ação.Que Deus não nos desampare é o que peço para todos nós.
Atenciosamente,
Flávia Marçal