domingo, 16 de setembro de 2018

Quem tem culpa tem medo



Quem tem culpa tem medo
Marcos Cordeiro de Andrade
Curitiba (PR), 15 de setembro de 2018.

Caros Colegas,

O sábio André Mascarenhas lançou a pergunta: “Por que o BB e a CASSI estão com tanto medo?”
E mais essa:

“- Por que os Diretores estão com tanto medo? Será que existe alguma situação difícil de ser explicada? Quem não deve não teme (treme), ou, conscientemente não deveria temer... Não acham ???”

Aqui entro eu com interrogatório próprio. Que Diretores seriam esses? Os da CASSI ou os do Banco? De hoje, ou de ontem?

Dificilmente se tratam dos atuais, pois ainda não tiveram tempo de conviver com malfeitos - consentidos ou não.

A propósito, alguém já perguntou por que determinadas Entidades estão com tanto medo?

De se notar que a proposta inicial de um novo Estatuto foi melhorada pela CASSI e aprovada pelo BB depois de atender reivindicações das partes envolvidas, em especial de origem das forças representadas na desfeita Mesa de Negociações. O que faltou dizer foi que o Banco não retirou da pauta os pontos cruciais que põem termo às recorrentes situações em que tem sido levado a trazer a Caixa ao colo para ninar o choro fácil, sempre a injetar recursos quando em risco de falência, intervenções e desserviços. Via de regra por conta de gestões malconduzidas, à sombra de regulamentos canhestros.

Faltou dizer que ele, como patrocinador, é responsável pela saúde financeira da CASSI de tal sorte que tem por dever mantê-la bem cuidada – administrativa e financeiramente. Faltou dizer que a maioria dos itens citados como prejudiciais ao corpo de associados na realidade prejudica àqueles que pretendem continuar ocupando altos postos remunerados como vem ocorrendo, com os mesmos, há cerca de 16/20 anos. Esta farra acaba junto com a mudança deixando “desmotivados” os que vivem à custa de vultosos salários nas Entidades em que ocupam cargos cumulativos.  Faltou dizer que o Banco precisa de pulso firme para punir abusos na origem, e não depois de o vendaval passar deixando estragos para que ele conserte.

Faltou dizer que não existe Plano de Saúde de graça, pois nem mesmo o SUS o é, porquanto ele sobrevive à custa dos nossos impostos. Faltou dizer que a dança das cadeiras das eleições caça-níquel chegou ao fim na CASSI, pois quem quiser dirigi-la doravante não a terá como uma grande teta de onde sugar as contribuições dos associados. Talvez aí o maior medo inconfesso.

O voto do associado não tem por finalidade dar emprego a ninguém. Ele representa a confiança de que o candidato exercerá o cargo para cumprir as promessas de campanha em benefício da coletividade – de graça, se possível for.

Faltou dizer que quem tem culpa, tem medo.

Agora, eu pergunto. Quem tem medo do novo Estatuto da CASSI?

Marcos Cordeiro de Andrade
Matrícula nº 6.808.340-8
Associado CASSI desde 15/05/1962

11 comentários:

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Prezado André Mascarenhas,

Lamento que tenha interpretado às avessas o que escrevi. Ou que não tenha lido absolutamente nada para me jogar em cima as cores da guerra e da vingança. Mas se tudo serviu para colorir seu retumbante NÃO, me dou por satisfeito. Não atiro carapuças no ar em busca de cabeças para ajustá-las. Mesmo assim, apenas desenvolvi seu raciocínio para apresentar o meu. Não perca seu tempo comigo. Por favor, utilize-o para suas aulas recheadas de artigos extraídos do Estatuto da PREVI, pois eu os conheço bem e sei onde encontrar muito mais que isso. Só que não é do meu feitio impressionar por cabotinismo. Também não preciso clamar pelo testemunho divino para provar minha bondade. Eu me conheço bem. Isso me basta.

Não precisa pedir a Deus por mim. Eu já O ocupo demais em minhas orações diárias, onde enfatizo: “...Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido.”

Com respeito e admiração inabalada,

Marcos Cordeiro de Andrade

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Caros Amigos,

A pressa em exprimir a indignação por ser usado como trampolim para os imerecidos vinte minutos de fama permitidos, me fez cometer um engano no comentário anterior. Onde está escrito PREVI, leia-se CASSI.
Grato,
Marcos Cordeiro de Andrade

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


REPASSANDO ===> Considerando que, tanto o BB quanto a ANS, têm seus dirigentes nomeados pelo Governo, e a este são subordinados, como admitir, em relação às dificuldades da CASSI, tratamento mais favorável, por parte da ANS, do que por parte do BB? É algo para se pensar, quando em pauta a possibilidade de intervenção na CASSI.
Paulo Lacerda (Rio).

Marcos Cordeiro de Andrade disse...



Abel Ferreira Leal Júnior escreveu: "Marcos Cordeiro, deixe de falar bobagens. Eu esperava algo melhor de você, mas me decepcionei." - Responda a este email para comentar nessa publicação.

Facebook



Abel Ferreira Leal Júnior comentou sobre o link que você compartilhou.

Abel Ferreira Leal Júnior
17 de setembro às 01:18


Marcos Cordeiro, deixe de falar bobagens. Eu esperava algo melhor de você, mas me decepcionei.




Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Prezados,

alguns questionamentos do Marcos Cordeiro, colega que muito respeito, Ficaram muito vazios.

Até onde eu sei muitos colegas que estão se posicionando pelo não nunca disputaram ou ocuparam cargos na CASSI.

Ao que aponta o colega Marcos os atuais ocupantes de cargos na CASSI o fazem de forma gratuita. Até onde eu sei não é verdade. Diretores e Conselheiros e Gerentes da CASSI aposentados recebem honorários, o que entendo é justo.

Continuo votando NÃO à reforma como está sendo apresentada.

Entendo que cabe melhorias e cabe os eleitos se unirem em defesa dos associados.

NÃO PASSARÁ !

Carvalho.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Prezado colega,

Absolutamente coerentes e bem colocadas essas ponderações. Essa crise que estamos vivenciando já vinha se desenhando há anos, sem que nenhuma diretoria tomasse qualquer iniciativa para restabelecer a ordem financeira e, agora, com a posse de uma diretoria responsavel, que costurou uma proposta viável que contorna a situação, todos aqueles que perderam seus postos na entidade (não prestei atenção, mas acho que eles se candidatavam por rodízio) estão fazendo campanha para não aprovar o que já está acertado.

Essa ausência de visão é tão grotesca, pois li as propostas das chapas na última eleição da Cassi e, se bem me lembro, a proposta da chapa 1 era aumentar o número de clínicas Cassi, de hospitais e credenciados. Qualquer atividade que gaste mais do que arrecada tende a falir.

Concluo afirmando que todos esses estão contra o novo Estatuto estão, na realidade, cavando o túmulo da Cassi.

Vicente Petinati Netto

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Colega André Mascarenhas, Bastante abundante suas discordâncias, no entanto, apesar de você mencionar que o texto que regulamenta eventual ação do Fiscal não lhe dá poderes de gestão, na verdade o Fiscal não precisa ter função de gestão, mas a função de constatar a situação falimentar da Cassi e repassar à ANS para que proceda sua liquidação. Nessa hipótese você naturalmente não assumirá as consequências que advirão para todos os Participantes.


Por outro lado, não posso acreditar que você desconheça o histórico de conhecimento, competência e atividades já demonstrados pelo Faraco, em defesa de nossos interesses e, certamente, é o que está fazendo na Presidência do Conselho Deliberativo da Previ, dentro das limitações impostas pela CGPAR 23 e pelas regras do Mercado. Já demonstrou que as alterações feitas na Gestão da Cassi, já vai lhe dar folêgo suficiente para enfrentar novas lutas no futuro.


Mas o sua campanha pelo VOTO NÃO poderá ser fatal para o suicídio antecipado.
Com todo respeito, é o que penso.


Pedrito Fábis - Campinas-sp

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Marcos,




Inicialmente eu gostaria de reafirmar o imenso respeito e apreço que tenho por você, para em seguida dizer o seguinte: apesar de nossa discordância quanto ao voto em si, concordo com as suas colocações, a meu ver absolutamente corretas.




O que me faz votar NÃO, é tão somente a sensação de estar novamente sendo enganado pelos dirigentes do BB, além da certeza de não haver justiça ou lógica na discrepância entre os valores referentes aos dependentes dos aposentados e dos colegas da ativa.




No lugar de fórmulas mirabolantes e de recuo nas obrigações do BB com relação à nossa saúde e de nossos dependentes, alardeado desde sempre como vantagem para os jovens ingressarem no banco, via concurso, como nós fizemos, e fomos obrigados a aderir à CASSI, o Banco deveria sim responsabilizar os dirigentes da CASSI, tanto os que o representavam quanto os eleitos, que representavam os associados, pela incompetência na administração da Caixa.




Por tanto tempo a situação agravou-se, lentamente, com as mais estapafúrdias desculpas, sem nenhuma ação real, administrativa, no intuito de sanar ou barrar o crescimento das déficits.




No mais, acho que os novos funcionários, os que virão no futuro, terão a oportunidade de avaliar a oportunidade de ter ou não Plano de Saúde na aposentadoria. Ao fazerem o concurso, já saberão disso, ficando, portanto, a critério a escolha.




Espero que minha escolha não seja a pior, afirmo que nada existe além de pura coincidência com a da ANABB, cujos interesses imagino serem diversos dos meus.




Um abraço,



Solonel Drumond Jr

9.192.740-4

Aposentado, sem dependentes.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

NOTÍCIAS CASSI - Fonte: Site CASSI
18/9/2018

CASSI alerta sobre nova publicação da Anabb que reafirma interpretações incorretas sobre a proposta de Estatuto

No mesmo dia em que foi notificada (17 de setembro) por ter publicado inverdades sobre a proposta de alteração do Estatuto da CASSI, que será votada entre os dias 24 de setembro e 5 de outubro, a Anabb publicou nova matéria em seu site. E, mais uma vez, reafirmou interpretações equivocadas e que trazem prejuízo à transparência que o processo dessa importância requer. Para incorrer em erro novamente, a Anabb utilizou a alegação de que “as alterações no Estatuto da CASSI estão permitindo várias interpretações distintas”.

Diante disso, a Caixa de Assistência reitera posicionamento de que o debate, com base em informações corretas, é fundamental. Discordar do mérito das propostas de alteração estatutária aprovadas pela governança da CASSI, por entender que elas são prejudiciais aos associados, é algo legítimo e democrático. No entanto, insistir na divulgação de conteúdos equivocados e que comprometem o entendimento dos associados sobre o que realmente está em votação, mesmo após os devidos esclarecimentos da CASSI a respeito da interpretação correta das alterações no estatuto, é uma atitude temerária e inaceitável.

Portanto, a CASSI alerta e reafirma que o conteúdo divulgado pela Anabb em seu encarte traz interpretações e análises inconsistentes e inverossímeis, que não têm correlação lógica com a redação dos dispositivos do novo Estatuto, o que demonstra, entre outros aspectos, o desconhecimento técnico da entidade sobre os temas em questão.

É preciso destacar ainda que a transparência da comunicação tem pautado o relacionamento entre a Caixa de Assistência e seus associados, com a publicação de todos os documentos e informações necessários para que possam fazer, por eles mesmos, sem assumir discurso alheio, de origem ideológica ou partidária, juízo sobre a proposta que está em análise.

Todo material para embasar uma decisão responsável dos associados sobre a proposta de reforma estatutária está disponível no site da CASSI, no espaço #SUAESCOLHA (www.cassi.com.br). Inclusive, na parte superior desse espaço, no link “Novo Estatuto”, está disponível um documento, no formato de quadro DE/PARA, com as justificativas e esclarecimentos para cada alteração sugerida no Estatuto, escrito de forma clara e direta e sem possibilidade de interpretações distintas.

Nesse momento decisivo para o futuro da Caixa de Assistência, é fundamental conhecer a Proposta CASSI, entender por que a mudança estatutária é necessária e urgente, e ter consciência das consequências de cada escolha, seja pela aprovação (voto sim) ou reprovação (voto não). Essa escolha é de cada associado, devendo ser exercida de forma consciente e sem se deixar influenciar por análises e interpretações equivocadas.

Saiba mais:
Para mais informações acesse outros conteúdos deste hotsite CASSI #SUAESCOLHA ou envie e-mail para propostacassi@cassi.com.br.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Bom dia meus amigos.
Estivemos ontem em Bauru - SP, reunião com o Diretor Financeiro da Cassi, o qual fez algumas explanações a respeito das mudanças do estatuto da Cassi.
Eles somente querem elevar a receitas as nossas custas, não existe nenhuma proposta para reduzir custos/despesas, logicamente nos altos salários desses dirigentes...
Se uma empresa está mal, primeiramente temos que reduzir despesas...
Ele afirma que a situação hoje da Cassi é consequência de má gestão ou modelo de gestão, isso não convence e não justifica a mudança do estatuto.


SOU PELO VOTO DO NÃO.


LUIZ MINARI

Marcos Cordeiro de Andrade disse...


Colegas,




Prefiro não pagar para ver. Voto SIM, com a consciência de que os tempos são outros.





Macilene Oliveira (Goiânia)