quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Apelo ao bom senso




Curitiba (PR), 27 de fevereiro de 2013 (08h14min).
Marcos Cordeiro de Andrade
Caros Colegas

Gilvan Rebouças e Leopoldina Corrêa.

Em virtude do rumo que tomaram nossas desavenças pessoais, preocupa-me a repercussão negativa que esse embate sem propósitos pode acarretar em prejuízo de terceiros.

Temos que reconhecer o que representamos para a causa abraçada na defesa de nossos Colegas aposentados e pensionistas oriundos dos quadros do BB. O nome que carregamos às costas já não nos pertence simplesmente, pois por princípio os doamos à nobre causa da busca de união no nosso meio. E isto não se conseguirá enquanto não os emprestarmos inteiramente também com essa diretriz.

Desentendimentos pessoais nos envolvendo, da ordem dos que transitam publicamente no mundo virtual, somente contribuem para fortalecer aqueles a quem combatemos no bom sentido. Pois até prova em contrário estamos imbuídos igualmente de boa vontade e desprendimento para lutar do mesmo lado.

As pessoas que representamos não merecem sofrer um arranhão sequer por conta do nosso comportamento pessoal. Ao contrário, enquanto estivermos rotulados de defensores causais, não temos o direito de adotar comportamentos condenáveis à visão pública.

Egos feridos e vaidades ameaçadas devem se manter no campo da discórdia pessoal somente, mas que, reconheçamos, necessitam ser reparados na esfera da razão e do bom senso – para não nos fugir ao controle.

Os conceitos de honradez e amor próprio têm o peso que lhes damos dependendo da conotação em que sopesamos os valores em que acreditamos. Mesmo assim, resvalar para o campo da ofensa envolvendo familiares de desafetos não encontra justificativa para expandir nossos humores. E, uma vez ferido no seu bem mais querido, qualquer indivíduo tem o direito de querer defender sua prole a qualquer preço. E o fará depois de tentar meios apaziguadores sem sucesso.

Ao que consta, mesmo sem ter sido notificado oficialmente, tenho que responder a processos judiciais que nos direcionam. Por isso lhes declaro: se o propósito é simplesmente me colocar no patamar de ofensor pelo uso de palavras, mesmo reconhecendo que em momento algum os agredi, coloco-me à disposição de ambos para me retratar publicamente, de eventuais erros cometidos, seja na emissão de conceitos, seja no uso dos seus nomes através dos meios que utilizo para comunicação virtual. E, se assim for, afasto a possibilidade de igualmente acioná-los na Justiça por motivos que reputo seriamente palpáveis pelas ofensas dirigidas à minha família, e a mim particularmente, além de outros.

Não me move o propósito de fugir à responsabilidade. Nem escapar pela tangente com atitudes escorregadias. Apenas desejo de todo coração por fim a essa disputa inútil, cujos malefícios já atingem inocentes que devem ser mantidos à margem disso. Pois honra não tem preço e já vai longe o tempo em que questões dessa ordem eram resolvidas em duelos mortais.

Sejamos civilizados, retirem as queixas que iniciaram no judiciário e eu, humildemente, me retratarei obedecendo ao que manda a minha consciência – pelos meios que julgarem razoavelmente necessários.

Aguardo suas respostas com a ansiedade própria de quem age à luz do bem senso e da concórdia.

Atenciosamente,

13 comentários:

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Estimado Presidente

Por si só, o vídeo desta Senhora é a prova de que VOCÊ, na condução da AAPPREVI......É vitorioso e TERMINOU COM O MITO... A ENROLAÇÃO de GRUPOS E PESSOAS QUE POR TEMPOS ILUDIRAM E SE APROVEITARAM DO SOFRIMENTO DOS APOSENTADOS SEM TEREM EM QUEM CONFIAR. E AGORA TEMOS. UMA ENTIDADE LEAL, HONRADA E DEFENSORA DOS NOSSOS INTERESSES.
AS MÁSCARAS >>>>>OS APROVEITADORES ESTÂO CAINDO....AVANTE MARCOS VOCÊ NÃO ESTA SÓ ........A AAPPREVI CADA DIA VAI SE TORNANDO A LIDER DOS INTERESSES DOS APOSENTADOS DO BANCO DO BRASIL.
OBRIGADO!!!!!!!!!!!!
JAYMVASCONCELLOS

idevanio pacheco cristiano Cristiano disse...

Não consegui passar do primeiro minuto de vídeo. Só incautos ou mal intencionados teriam a coragem de apoiar uma coisa dessas.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Estimado Presidente,
Mais uma vez, curvo-me diante de sua leal e honrada atitude, perante os ABUTRES, sendo humilhado, recebendo um tratamento desleal, invejoso, maldoso.
E... Tendo todas as oportunidades de Judicialmente colocar estes abutres no seu devido LUGAR... Nos contempla com uma atitude HONRADA, SEM MÁGOAS, SEM DESEJO DE VINGANÇA.....APENAS com o CARINHO DE UM SER HUMANO HONRADO e HUMILDEMENTE DANDO O ROSTO PARA OUTRO TAPA... MOSTRA O AMOR DE SABER QUE o BEM que vem executando em prol de todos os anseios dos aposentados... NÃO PODERÂO SER DESFOCADOS COM PICUINHAS TORPES DE ENERGUMENOS MENOS FAVORECIDOS PELA RAZÃO. Marcos, VOCE É UMA BANDEIRA EM DEFESA de TODOS NÓS APOSENTADOS DO BANCO DO BRASIL.

Sua atitude de pacificação... Revelada e postada, só vem confirmar que TUDO NÃO ESTA PERDIDO....CESSA TUDO quando a antiga musa canta, que um VALOR mais ALTO SE ALEVANTA.
Repito, Tenho a Honra de ser seu amigo
JaymVasconcellos

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Sr. Marcos,

Parabéns por essa iniciativa de disposição de entrar em entendimentos para por fim ao litígio.

Att.

JOSÉ TADEU DE ALMEIDA BRITO
Advogado

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Marcos,

Cumprimento-o pela iniciativa, pela maturidade e pelo bom senso demonstrado com a sua mensagem.
É assim que "gente grande" faz, principalmente quem não coloca interesses pessoais e específicos acima dos das coletividades onde atuam.
Propostas, como a que você fez, denotam humildade e expõem a visão do que realmente importa, que é a luta contra os inimigos maiores. Tanto elas como as respostas que recebam ajudam-nos a ir separando o joio do trigo, nesse verdadeiro cipoal de pessoas e entidades que se auto-proclamam como nossas defensoras. São oportunidades para se ver quem é quem...
No caso em tela, infelizmente, sou um pouco pessimista quanto aos dois destinatários. Mas...
Divulgarei a mensagem aos amigos e, assim que possível, ela será incluída site da UNAP-BB.
Abraços,
Raposo

cc: NIM

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Marcos,

Cumprimento-o pela iniciativa, pela maturidade e pelo bom senso demonstrado com a sua mensagem.
É assim que "gente grande" faz, principalmente quem não coloca interesses pessoais e específicos acima dos das coletividades onde atuam.
Propostas, como a que você fez, denotam humildade e expõem a visão do que realmente importa, que é a luta contra os inimigos maiores. Tanto elas como as respostas que recebam ajudam-nos a ir separando o joio do trigo, nesse verdadeiro cipoal de pessoas e entidades que se auto-proclamam como nossas defensoras. São oportunidades para se ver quem é quem...
No caso em tela, infelizmente, sou um pouco pessimista quanto aos dois destinatários. Mas...
Divulgarei a mensagem aos amigos e, assim que possível, ela será incluída site da UNAP-BB.
Abraços,
Raposo

cc: NIM

Blog do Ed disse...

Gostei.
As injúrias são as razões dos que não tem razão.
J.J. Rousseau
As pessoas são mais solitárias, porque constroem mais paredes do que pontes.
Joseph Newton
Os sábios discutem ideias. Os homens comuns discutem pessoas.
Sócrates
Edgardo Amorim Rego

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Colegas, Gilvan e Leopoldina, atendam o pedido do Marcos, vamos acabar com isso, não leva a nada. Enquanto brigamos o pessoal da PREVI/CASSI, etc , estão morrendo de rir às nossas custas.
LUTEMOS POR UMA CAUSA NOBRE E NÃO POR DESLIZES PESSOAIS.

birelo

Cláudio Augusto Falco disse...

Não quero agir como o conciliador que tenta impor às partes a(s) solução(ões), mas, sugerir como mediador fosse, alternativas, porém todos sabemos que litígios como este que surgiram no seio de convívio familiar (aposentados do BB, em especial os eméritos do PB1) só terão um final feliz quando as partes desarmarem até de alguns ideais seus para que possam, continuando a serem os guias de soluções, as quais penalizam e anseiam muitos destes que em vós acreditam.

A mediação familiar intervém, positivamente, em conflitos tanto numa fase ante-judicial, como no decurso de um processo judicial, dada a sua autonomia face à jurisdição.

Como vantagens da mediação, umas aplicáveis a litígios de ordem patrimonial, outras de ordem familiar, assinalam-se as seguintes:
- É amigável entre as partes e utiliza uma linguagem simples;
- É flexível, mais informal, permitindo uma melhor adaptação às partes e às circunstâncias;
- Possibilita pelo menos a clarificação da situação e da posição das partes, preservando as relações em vez de as destruir;
- Permite acordos criativos, porquanto o mediador procura descobrir todas as opções possíveis para solucionar o conflito;
- Apresenta, geralmente, custos mais reduzidos em relação ao procedimento judicial, e
- É mais célere.

Na destruição do litígio entre conhecidos, o olho no olho por alguns poucos segundos é intimidade necessária, e a amargura deverá ser ignorada para o bem de todos, inclusive vós, pois precisamos de lideres que nos guiem a uma vitória contra um mau comum... e muito maior, aguerrido e destruidor.

Enfim... O segredo é não correr atrás das borboletas(nós)..., mas, é sim cuidar do jardim cujas flores são vós, para que venhamos até todos vocês.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Publicado no Blog do Ari Zanella.

Anônimo disse...
Professor, parece que o dono da AAPREVI está assustado. Veja o que ele publicou em seu blog hoje. A água já está alcançando sua b.....
27/02/13 08:40

Blog do Ed disse...

Colegas
Todos deveríamos ler o artigo do NEW YORK TIMES, cuja tradução está publicada hoje na UOL, a saber:
"País dos "supersalários", Brasil tem juiz que recebe por mês o que colega de país rico ganha em um ano".
Edgardo Amorim Rego

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Leia no Blog do Ed:

246. Atentado Contra o Papel Governamental na Previdência Complementar (Parte I)

Por Edgardo Rego

http://blogdoedear.blogspot.com.br/

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Parabéns mais uma vez Marcos Cordeiro, pelo seu grande gesto, de humildade e continue a frente da nossa AAPPREVI. Conte sempre conosco.

Abs. Mariano Branquinho