sábado, 5 de junho de 2010

Abomináveis criaturas!

Caros Colegas.

Não alimento ilusões quanto aos propósitos dos sindicalistas. Nem falo dos que acordaram a tempo de abandonar esse rótulo, pois estes escolheram o caminho certo. Tanto é que não se autodenominam ex-sindicalistas. Simplesmente dizem que já atuaram como tais.

Para mim tanto faz analisar isoladamente integrantes de sindicatos, do PT, do PSTU da Contraf-Cut, da Contec e de umas tantas associações impregnadas dessa escória social, como colocá-los num mesmo saco de gatos. Na hora do vamos ver mudam de lado ou unem-se na defesa dos seus interesses, usando de variados métodos nem sempre elogiáveis e lícitos.

Em se tratando de fazê-los trabalhar, então, nem se fala. São avessos a esse “desperdício” que deve ser desempenhado pelos otários – seus supridores.

Acostumaram-se desde cedo a viver à custa do suor alheio, como o parasita a se alimentar do sangue do hospedeiro; como o carrapato no lombo do boi e também como o anu que cata esses carrapatos tão bem acomodados para servi-los em banquete fácil.

Esperar que algum desses elementos aceite a AAPPREVI é o mesmo que contar com a possibilidade de misturar homogeneamente o azeite com a água.

Por isso faço um apelo aos colegas admiradores desta nascente Entidade. Não se amofinem na tentativa de trazer qualquer desses elementos para o nosso lado. É perda de tempo.

Além do mais, embora discordando dos métodos de “trabalho” e das ultrapassadas idéias, é grande o número dos que mesmo guardando posições opostas cultivam laços de amizade e coleguismo. E, ao tentar a aproximação idealista o máximo que podem conseguir é a quebra do vínculo – a perda da amizade.

Não tentem convencê-los de que representamos o lado bom do associativismo, pois não é isto que eles querem. E isto eles sabem e evitam, senão perdem o cômodo modo de abastecer seus bolsos com o fruto do trabalho fácil, ou de nenhum trabalho. Por isso mesmo nos combatem ao seu modo – com ameaças, ataques verbais, mentiras e muita truculência.

Além do mais eles não nos ignoram. Eles fuçam nosso blog desde seu surgimento. E conhecem como poucos a nossa posição em relação a eles e a tudo a que se dedicam – sua política suja e seus abomináveis métodos usados no trato com seus opostos. Sou testemunha e vítima da truculência, da covardia e da mentira que utilizam com maestria para lidar com quem os denuncia e evita.

Mantenhamos distância dessa praga e roguemos a Deus que nos deixem em paz para trabalhar.

E sigamos em direção ao nosso horizonte limpo e promissor, contando com quem nos aceite como somos e para o que viemos.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 05/06/2010.

15 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Marcos,
Realmente vc conseguiu expressar o que muitos de nós tentamos dizer, mas nos faltam palavras e espaço. Anos atrás a nossa idiotice manipulável, nos levou a acreditar que quando aqueles oriundos do movimento sindical chegassem ao poder, nossos problemas diminuiriam. Ledo engano!O dinheiro e o poder fizeram colegas do BB na condição de ministros de Estado, nos apunhalarem pelas costas. Nas suas buscas de uma sociedade mais justa, apenas cometem injustiças e nada mais. Valeu seu posicionamento meu caro colega (jamais companheiro, odeio essa designação). Nunca antes na história desse país tive tanta decepção, mas ainda bem que sempre surgem vias alternativas de luta.
Parabéns

Paulo César

GILVAN REBOUÇAS disse...

Eles nos odeiam (AAPPREVI) porque aqui não tem remuneração nem cargos pomposos com cartões corporativos. Trabalhamos por idealismo e no intuito de bem servir ao próximo. Estamos preparados para aguentar qualquer comentário maldoso. Só não somos desonestos nem malandros. Para quem estiver incomodado com o nosso crescimento so tem uma saída: trabalhem, produzam, façam alguma coisa últil. A AAPPREVI surgiu como um Davi e vai derrubar muitos Golias.

Tapir, A Anta disse...

SINDICALISTAS são aqueles operários que não deram certo no trabalho !
Nós, quando no BB, conhecemos uns quantos, que odiavam trabalhar, por isso se cercavam de "cumpanhêros",e eleitos foram para CIPA, para o SINDICATO, AABB, Jogos e Campeonatos entre AABB's, Fenab's e Cooperativas, etc e tal...no Banco só apareciam nos dias 20, e nós, seus bobos eleitores SÓ TRABALHANDO...
Será que ainda somos os ingênuos, aposentados de 60 anos ou mais ?
Não acredito mais nesta gente...nem no PT.

Paulo Beno disse...

O desabafo do aposentado e co-proprietário do Plano 1 da PREVI, Sr. Holbein Menezes, de Fortaleza(CE)em "Noticias Relevantes-04/06" é sincero e verdadeiro, concluindo que:
"O BB É SÓ $$$$$"- Encontre-se um meio de pegar nessa veia e o BB ficará dócil e nos respeitará como clientes e como DONOS do Plano 1"

Brilhante !!!é por aí que seremos respeitados.!

wilson luiz disse...

Falando em sindicalistas, parece que a "boquinha" de Sérgio Rosa no conselho de administração da Vale "subiu no telhado". Palavras do novo Presidente da PREVI:

"o mandato dele vai até abril/2011,e muita coisa pode acontecer, ele terminá-lo, ou renunciar..."hummmmm

rosalina_de_souza disse...

"COLEGAS,AMIGOS,PESSOAS QUE APRENDI A RESPEITAR E ADMIRAR NOS QUATRO CANTOS DESSE IMENSO BRASIL".

Há pouco,pra ser precisa quinta- feira foi a minha agência setor pedro ludovico 3486-x,em busca de resolver um problema grave que tem me tirado o sono nos últimos dias.
Em fevereiro de 2008 fiz um financiamento(Crédito Funci Veículos) que apareceu como bb cred veículo/leasing.
Há época eu me encontrava com restrições cadastrais(spc e serasa) mas a minha gerente a época Maria Gorete conseguiu tranquilamente fazer a conessão do crédito e pude trocar meu carro.
pois bem este mesmo carro agora após 28 meses preciza novamente ser trocado,e indo a minha agência onde tenho um limite daqueles que aparece no extrato no valor de 58.928,00 não consegui contratalo mesmo informando que o financiamento atual será totalmente quitado.
Não conformada com a situação busquei a "ouvidoria" que me encaminhou ao mesmo gerente de contas que mi atende senhor Vantuil,que por sinal nunca esta na agência,somente falando com seus subordinados garotos de no máximo 22 anos de idade que na maioria da vezes nao sabe nem o que é previ ou complemento de aposentadoria pagos pela previ.
O Gerente mais uma vez foi taxativo dizendo que mesmo que eu pague todas as minhas pendências isso não será garantias de que eu consiga financiar o carro que tanto tenho vontade de possuir.

Será que eu estou sendo vitima de represaria por parte desta agência?.
Ou mudando de agência a penurá será a mesma?.
Colega Marcos,se permitir tudo isso que disse, favor publi-que.
Porque sinceramente tenho vontade de trasferir meus recebimentos pra outro banco, que não o Banco do Brasil.

O BANCO DE TODOS OS BRASILEIROS

Atenciosamente

Rosalina de Souza

Anônimo disse...

Marcos,
Parabens pelo comentário Abomináveis criaturas. Você expressou toda a verdade em poucas palavras. Infelizmente, Marcos, a maioria dos nossos colegas bebeanos foram eleitores do Lula de carteirinha. Não tiveram essa visão crítica. Pelo menos nessa parte não me cabe responsabilidade nenhuma. Nunca votei no Lula e era criticado por esse meu posicionamento. Nunca acreditei em sindicalistas e, hoje, vejo que nunca me enganei com relação a essas "abomináveis criaturas".

rosalina_de_souza disse...

Aos Colegas Sindicalistas, e as 121 mil famílias do PB-1 Previ.
O processo de evolução é o que todos buscamos. Consciente ou inconscientemente, não importa. Este é o caminho. Dependendo do meio em que vivemos ou nascemos fica mais fácil ou se torna mais complicado aprendermos a caminhar pelas nossas próprias pernas.

É óbvio que isso não é por um acaso. Tudo em nossa vida foi atraído por nós. Mas, como isso acontece? Vou lhes dar alguns pontos para serem analisados e que desta forma poderão se tornar suas "pistas". Contudo, cabe a cada um escolher seguir, ou simplesmente abandonar sua pista.

Uma coisa é certa: um dia irá ter que prestar atenção em si mesmo.
O que realmente faz a diferença em uma vida são os valores que considero verdadeiros para a caminhada.
Para nos tornarmos efetivamente seres lúcidos, precisamos levar em consideração alguns pontos, os quais destaco:

“Dinheiro”. Pode ser a causa ou a consequência de minha vida. Como o encaro ou o que faço com ele pode determinar o meu sucesso ou a minha derrota?

Desequilíbrio Financeiro. Será que sou vítima dos outros ou de mim mesma?

Ser. Como me comporto frente a esta verdade? O que realmente significa SER?

Religiões. O que são e como me comporto com referência a elas vai me permitir ver, ser lúcido ou apenas um seguidor cheio de bengalas?

Filosofia de Vida. Será suficiente para mim? Tenho que me apegar a mais coisas ou o que até aqui sei e como me comporto já basta?

Causa e Efeito. Será verdadeiro que minha vida é mesmo causa e efeito de meus valores e do que penso?

Fazer por agradar. Será que devo ser um ator no meu dia-a-dia e faço o que os outros querem que eu faça, ou anseio que me aceitem como sou?

Quando você tiver respondido a todas estas perguntas, irá descobrir quem é e o que está fazendo neste planeta e ainda qual o seu grau de evolução...
Se existirem muitas perguntas as quais não consegue responder é óbvio que você ainda segue alguém...
Filie-se a nossa “AAPPREVI”,terás a chance de fazer parte do novo pensamento.

Cuide-se

Ainda temos tempo de mudar este final de história.
A união faz a força.

Cordialmente

Rosalina de Souza

Diretora de Pensionistas da AAPPREVI.

wilson luiz disse...

EL GRAN DEMAGOGO VII... E ÚLTIMO

A demagogia, na grande maioria das vezes, é inofensiva,e apenas engana alguns ingênuos, por curto tempo.
Neste meu último post sobre o sr. Valmir Camilo, quero comentar algo que transcende a simples demagogia e, ao que parece, já caiu no esquecimento.
Foi ele dos primeiros a defender o "direito" de o Banco do Brasil se apropriar de parte do superavit da PREVI. Qual teria sido seu intere$$e em adotar este posicionamento? Fosse apenas uma posição pessoal, antes de divulgá-la deveria renunciar à presidência da ANABB. Sim, porque seu ato traiu os interesses dos mais de 100.000 incautos que pagam mensalidade à sua associação.
"Abomináveis criaturas"...nunca duas palavras foram tão apropriadas.

Anônimo disse...

Ministério da Previdência prepara ajustes para
regras de aposentadoria
Extraído de: OAB - Rio de Janeiro - 04 de Junho de 2010


Do jornal Valor Econômico

04/06/2010 - O Ministério da Previdência prepara um conjunto de ajustes às regras para aposentadoria que pode resultar em uma indicação de que será necessário, a médio e longo prazos, unificar o Regime Geral de Previdência Social e o regime próprio dos servidores públicos. Essa proposta poderá, também, defender a necessidade de separação formal, no âmbito da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), das contas das previdências urbana (superavitária) e rural (deficitária), com transferência da última para gestão do Tesouro Nacional.

Arrecadação da Previdência urbana bate novo record...

RGPS: Setor urbano registra novo superávit em abril

O déficit do INSS cresceu em relação ao PIB

» ver as 6 relacionadas

A indicação sobre essas sugestões de mudanças foi dada pelo ministro da Previdência, Carlos Eduardo Gabas, que informou que os ajustes estão sendo formulados a pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e deverão ser concluídos no fim do ano.

Ao comentar que a formulação das propostas está em curso, o ministro se posicionou contra a necessidade de uma reforma e defendeu alterações pontuais, com utilização de regras de transição que evitem corrida às aposentadorias.

Gabas não se comprometeu com modificações específicas às regras, mas lembrou, por outro lado, que o aumento da expectativa de vida da população exigirá políticas direcionada a idosos. Também disse ser favorável a favor de mudanças no regime de previdência dos servidores públicos, com revisão de privilégios.

Ao se manifestar contra a necessidade de uma reforma institucional, ele salientou que a capacidade de expansão da arrecadação não se esgotou e que há um grande trabalho a ser feito na recuperação de créditos tributários vinculados ao INSS. Ele disse ainda que, se houver a desoneração da folha das empresas, terá de haver outro tipo de receita previdenciária.

Defensor da separação das contas da previdência urbana e rural e da transferência das contas de pagamento de benefícios a trabalhadores rurais para o Tesouro, Gabas disse que essa é uma discussão no governo. Ele, por outro lado, reconhece a dificuldade de acerto dessa mudança com a área econômica. Essa separação não aconteceu porque não há consenso.

O ministro classificou como retrocesso a aprovação, no Congresso, do fim do fator previdenciário (mecanismo que reduz o valor do benefício de quem se aposenta por tempo de contribuição) e acrescentou que a medida deverá ser vetada pelo presidente Lula.

Gabas apresentou na quarta-feira as contas da Previdência Social no terceiro e quarto meses do ano, que não haviam sido divulgadas desde a saída do ex-ministro José Pimentel. Em março, as receita de R$ 15,998 bilhões e as despesas de R$ 22,774 bilhões resultaram em déficit de R$ 6,775 bilhões em função, principalmente, do pagamento de sentenças judiciais. Em abril, sem a pressão da quitação das sentenças, as despesas fecharam em R$ 19,341 bilhões e as receitas em R$ 16,330 bilhões, gerando um déficit de R$ 3 bilhões, 55,5% menor.

O resultado do primeiro quadrimestre refletiu o aumento do salário mínimo para R$ 510. As receitas atingiram R$ 62,135 bilhões, 9,5% maiores por causa da maior arrecadação da contribuição previdenciária devido ao maior número de trabalhadores formais. As despesas somaram R$ 79,546 bilhões, alta de 9,2% por causa do impacto do reajuste do salário mínimo. O déficit no quadrimestre é de R$ 17,411 bilhões. No ano, ele é estimado em R$ 50 bilhões.

Autor: Do jornal Valor Econômico

Marcos Cordeiro (André) disse...

Caro Wilson Luiz.

Até mesmo abomináveis criaturas, travestidas de dirigentes, vez por outra têm atitudes coerentes que lhes devam ser creditadas: O senhor Valmir Camilo nada mais fez do que ser fiel aos estatutos da ANABB (que ele mesmo criou):

"Art. 2° São finalidades da ANABB:

I - zelar pela integridade do Banco do Brasil..."

Ainda bem que ele caiu fora...

Saudações,

Marcos Cordeiro de Andrade

Marcos Cordeiro (André) disse...

Caro anônimo (08:12);

A dedução é elementar: Vai sobrar para nós.
O aconselhamento, mais elementar ainda: aposente-se quem puder! Logo, logo!

Ari disse...

Outrora tínhamos greves, carros de som, panelaço, estardalhaço e outras manifestações e tantas reivindicacões que os sindicatos se punham aos interesses dos trabalhadores.
Hoje são meras figuras protocolares. O governo petista, na pessoa de um ex-sindicalista, tratou de municiá-los com ótimos salários, posto que milhões são repassados aos sindicatos anualmente. E a tal da "Contribuição Sindical" continua firme, todo mês de Março, é descontado UM DIA de trabalho do pobre trabalhador brasileiro, de maneira compulsória e ditatorial, mesmo o trabalhador não sendo sindicalizado. Então os dirigentes sindicais estão à vontade para ficarem calados diante das injustiças, como é o caso da Contraf-Cut no nosso caso do superávit. Causa revolta e repugnância ver estes abutres que deveriam defender os trabalhadores, sendo refestelados pelo poder dominante. Aliás, o Partido que está no poder também se intitula Partido dos TRABALHADORES. Só que sorrateiramente, roubam o nosso dinheiro.

Ivan Rezende disse...

Rosalina, infelizmente não é solução a mudança de agência. Todas são iguais. Estou indo para a agência Centro Goiânia -três quadras de casa-para solicitar os espelhos dos 12 meses anteriores à minha aposentadoria, para ingresso na ação RMI.
Há dois anos (antes da AAPPREVI) remeti cópia do cálculo inicial a uma empresa de São Paulo que me desestimulou a ingressar com a ação pois o cálculo mostrava que eu teria direito "apenas" a R$ 250,00 mensais. Na realidade, o escritório é que estava desinteressado nos 20% de R$15.mil dos cinco anos anteriores.
Voltando à agência, lá estive há uns três meses e me foi oferecido (e comprei) um seguro familiar, que a atendente demorava 30 minutos para concretizar o contrato-a um preço mensal de R$4,99 -vejam que o Banco chegou na era do R$1,99.
Este atendimento, como tantos outros, não é personalizado pois o débito da parcela é feito do dia 01 ao dia 10 de cada mês e não no dia 20 como seria o correto. Vou propor: ou altera o débito para o dia 20 ou cancela o contrato.
De nada adianta, também, mudar de Banco. Conseguem ser piores do que o BB.

Anônimo disse...

Colegas,

Justiça, principalmente contra diretores e ex-diretores, se houver negligência ou má-fé na condução dos negócios da Previ.
E DO banco do brasil também.
Abç
Anônimo