quarta-feira, 16 de junho de 2010

Velhice espoliada

Caros Colegas.

Desrespeito generalizado. Ou a matança dos velhinhos?

Do jeito que a coisa vai, logo, logo estarão aplicando vírus letais para acabar com a raça dos idosos, como se fora uma vacina para curar gripe. Algo como se suspeita tenham feito na guerra do Vietnã para encurtar o fim da contenda, ou com fins mais escabrosos. Lá como cá, o tiro sai pela culatra. Genocídios acontecem, mas a humanidade os repudia, sempre! E moços tornar-se-ão idosos, ou eles acreditam que não? Talvez nem queiram chegar lá por saber o que os espera das suas tramas. Maus tratos e violência domiciliares são quase rotineiros contra idosos na atualidade. Genocídios acontecem, repito, mas os responsáveis acabam sempre no banco dos réus, condenados com severas penas.

É consenso descartar velhos parentes como trastes encostados no porão ou no sótão, para consulta nas buscas por relíquias recicláveis de passados úteis.

Os asilos de idosos, maquiados sob falsas designações - Lar do idoso, abrigo da terceira idade, retiro, etc. - é destino certo para quem é tido como dispendioso e imprestável obstáculo, somente não eliminado sumariamente pelo temor da cadeia. Mesmo assim muitos são assassinados sob os serviços de “cuidadores” juramentados, preparados para o ofício e, também, inimigos da “terceira idade” - que eu chamo de última.

Os próprios parentes, filhos e netos muitas vezes, os condenam à morte lenta e sofrida ao guardá-los nessas câmaras de tortura, quando não os matam aos poucos em suas próprias casas, sob constantes ataques verbais, psicológicos e físicos – perpetrados por si ou abaixo de suas vistas, por via de terceiros com quem convivem.

Como prevenção segura, costumo dizer aos velhos colegas que seu futuro é a sua conta bancária. Seu pé de meia o seu nome e os seus bens lhes servirão de moeda de barganha enquanto mantiverem o domínio sobre eles.

Para garantir uma velhice tranqüila há que se merecer o respeito pelo tamanho da conta bancária. Seu ocaso da existência será tão tranqüilo quanto maior for o seu bolso e o que ele contenha, desde que mantido longe do alcance de prestidigitadores. Filhas e filhos casar-se-ão um dia. E os seus companheiros nem sempre guardarão escrúpulos em alijá-los quando se sentirem necessitados de lançar mão dos bens de família. E farão a cabeça desses filhos, filhas e netos. Confiem nos seus filhos, pois eles são sua imagem e semelhança, mas desconfiem dos outros. Os que a eles se juntam podem querer virar suas cabeças. Filhas e filhos são confiáveis, mas, guardadas as exceções, genros e noras nem sempre o são, até porque não são nossos parentes.

Também, atentem para manter a independência na manutenção. Se caírem sob o jugo do Estado ou de Entidades assistenciais privadas estarão fadados à condição de penúria. Cuidem-se, portanto, pois de todas as ameaças que pairam sobre os idosos a maior vem do Governo, ou do seu descaso, com sua política assistencial obsoleta mantida como se fora favor destinar míseros recursos para programas de manutenção. Os maus tratos impostos aos idosos estão presentes na esfera governamental ou fiscalizada por ela como uma constante maligna. Isto ocorre nos planos de previdência que alimentaram com seus recursos como participantes e hoje são roubados abertamente; acontece na rede pública de saúde onde têm de enfrentar filas desde a madrugada para conseguir senhas de atendimento duvidoso; na sujeição aos caríssimos planos de saúde; nas campanhas de vacinação em ambientes públicos, distantes de suas residências; na carestia permitida para aquisição de medicamentos com sucessivos e abusivos aumentos; na dificuldade imposta para utilização dos transportes públicos onde ridículos passes são distribuídos em cumprimento às leis eleitoreiras, mas cujo exercício do direito é limitado ao bel prazer das empresas monopolizadoras desses serviços.

Lamentavelmente tudo isto continuará acontecendo até o dia da conscientização em massa. Dia que certamente virá. Chegará o momento em que os idosos do país acordarão para o potencial da sua força oculta: o seu voto. Esse voto que representa expressiva parcela que elege dirigentes, bons e maus administradores. Entre os idosos essa força oculta é imensurável.

É tão grande o número de idosos em nosso meio que seus votos seriam suficientes para promover assustadoras mudanças em benefício próprio e do povo que os cerca. E com isto resgatariam a dignidade usurpada e o respeito perdido. Seus cabelos brancos voltariam a ser respeitados pelo conjunto que representam.

Tamanha a quantidade, juntássemos em pequenas nuvens as madeixas brancas dos aposentados e pensionistas, cobriríamos o Brasil com um imenso manto de delicados e sedosos cirrus. E viveríamos felizes para sempre.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 16/06/2010.

Conheçam mais sobre o assunto: acesse aqui.

60 comentários:

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Cópia para Sr.Presidente da AAPPREVI

Prezados Srs.,

Hugo Tavares de Carvalho - 4.289.800-5

A dor silenciosa dos idosos

Número de denúncias é bem menor que volume real de violência e abusos contra a terceira idade. Vergonha inibe queixas
No Dia Mundial de Combate a Violência contra o Idoso, um alerta: a subnotificação de casos impede que um retrato da violência praticada contra idosos seja traçado no Rio Grande do Norte. Embora a Delegacia Especializada de Proteção do Idoso (Depi) e a Promotoria do Idoso em Natal não tenham o número exato de denúncias registradas em 2010, o delegado Marcus Venícius e a promotora do idoso Iadya Gama afirmam que o número de registros não representa a realidade. De janeiro a abril de 2010, a Depi registrou 42 queixas de violência contra idosos. Por mês, a Promotoria chega a registrar até 20 queixas, o que dá 240 queixas por ano.
Há dificuldade para pegar ônibus, porque motoristas "queimam" paradas Foto: Fábio Cortez/DN/D.A Press Onde deveria existir um grito de basta, há silêncio. O idoso sente vergonha, receio. Tem medo de denunciar e sofrer mais agressão; de reclamar e prejudicar um filho, um neto. Com receio de sofrer mais violência, alguns chegam a retirar a queixa antes da polícia instaurar o inquérito ou logo após os agressores serem notificados. "Eles fazem um pacto de silêncio. O idoso consciente só vai denunciar depois de ter sofrido muito. Eles não querem penalizar quem amam. Há uma subnotificação, sim. Uma violência que não está registrada", afirma Iadya.
O perfil dos agressores é uma das causas da subnotificação. Segundo levantamento da Promotoria do Idoso, os principais agressores são filhos e netos - 47%. Isso mostra que quem deveria proteger agride, na avaliação de Iadya Gama. Em seguida, vem a violência praticada nos hospitais, abrigos e transporte - 36% do total. Além da violência doméstica e no transporte, os idosos também sofrem com retenção de cartões magnéticos e desvio da aposentaria por familiares. Quando a polícia recebe a denúncia e tenta intervir, muitos se negam a receber ajuda. Preferem ficar calados.
Para a promotora, a violência psicológica, em alguns casos, é mais nociva que a física. E não são só os xingamentos que produzem danos, mas também a privação de direitos - desde o direito de gastar a aposentadoria ao de escolher o que vestir. "A pior coisa que tem é ser invisível dentro de casa. Não é o filho ou o neto bater, dar uma tapa. É a tapa moral, psicológica que se transforma numa ferida difícil de cicatrizar e que também leva a morte", relata a promotora.
Quadro dramático
De acordo com pesquisa do Ministério da Saúde em 2008, cerca de dois milhões de idosos são vítimas de agressão todo ano no Brasil. O estudo mostrou que agressões eram a segunda causa de internação no SUS. (Diário de Natal)

--------------------------------------------------------------------------------

Anônimo disse...

Colega Marcos
Muito oportunas as suas considerações.
Pensam que apenas reservando vagas em estacionamento, filas de atendimento e passes limitadissimos para viagens, estão solucionados os problemas dos idosos, que vão muito além dessas providencias. Na própria Justiça, onde os processos impetrados por idosos gozam, segundo a lei, de Tramitação Prioritária, há um paradoxo. A Lei não é cumprida.
Especialmente no nosso caso, embora sejamos, na grande maioria, já amparados ou submetidos ao Estatuto do Idoso, sublimam-nos de modo pejorativo perante a opinião pública, taxando-nos de "marajás, vagabundos" e ultimamente como "um grupo de privilegiados". Desconhecem que, esses privilegios não foram gratuitos, que fizemos por merecer ao longo de nossa carreira, e que estão sendo subtraidos, autoritariamente, pelo Patrocinador, com o aval do Governo, desacatando as leis em vigor.
Qual será o próximo passo para nós? Antraz ou Gas Sarin?

Ivan Rezende disse...

Também somos espoliados e lesados pelas seguradoras. A CAPEC, atualizando o capital em pouco mais de 4% e aumentando o prêmio em 15% para até 65 anos e 20% para os acima de 65 anos. Estou questionando a Previ pois,hoje com 64 anos o aumento foi de 19,63%.
Da mesma maneira o Ouro vida aumentou, neste mês, 1,95% o Capital e 16% o prêmio, passando de R$168,85 para R$195,19. A seguir assim, em 10 anos o premio será equivalente ao Capital. Porisso,cancelarei ainda hoje o seguro (e é isto que as seguradoras querem, pois já nos exploraram por mais de 20 anos) e tentando programar uma poupança para, futuramente usufruir, em vida, do capital.

Anônimo disse...

França aumenta idade mínima de aposentadoria e imposto sobre ricos
Medidas representam esforço para tirar do vermelho o orçamento do bem-estar social do país, disse o governo

Hélio Barboza, da Agência Estado




PARIS - Os franceses terão de trabalhar mais dois anos para se aposentar e os ricos pagarão impostos mais altos, num esforço para tirar do vermelho o orçamento do bem-estar social do país, disse o governo ao anunciar nesta quarta-feira uma esperada reforma da previdência. De acordo com o plano, que deve enfrentar acirrada resistência dos sindicatos, a idade mínima de aposentadoria será elevada gradualmente para 62 anos até 2018, contra os 60 anos exigidos atualmente.

"Trabalhar mais tempo é inevitável", disse o ministro do Trabalho, Eric Woerth. "Todos os nossos parceiros europeus já trabalham mais. Não podemos deixar de se juntar a este movimento", acrescentou.

O presidente Nicolas Sarkozy espera que a reforma convença os tensos investidores da sua determinação em diminuir o pesado endividamento do estado francês e em capacitar a França a manter seu precioso rating soberano "AAA". Os sindicatos, no entanto, ameaçam combater o aumento da idade mínima para a aposentadoria e o plano ainda pode ser suavizado antes de chegar ao parlamento, em setembro. As informações são da Associated Press.

rosalina_de_souza disse...

A MENTIRA.

Chamada, também, conforme a
Região do Brasil, pelos nomes de broca,
Conto, conto da carochinha, gamela,
Impostura, lampo na, loas, lorota,
maranha, mariquinha, maxarnbeta,
mentira carioca, patranha, peta, poçoca,
pomada, prego, rodela etc, a mentira é o
contrário da verdade, como diria,
triunfalmente, o Conselheiro Acácio... E,
só por isso, diz-se tratar-se de ato assaz
reprovável. Mas, em sã consciência, não é
tanto assim, porque há mentiras e
mentiras, isto é, mentiras de boa-fé e
mentiras malsãs. Destas, não vale a pena
falar, porquanto todos as conhecem.
Falemos, pois, das mentiras de boa-fé.
Dentre ela, por exemplo:
• as mentiras bentas, ditas por beatos bem
intencionados, prometendo o céu e a paz
eterna;
• as mentiras piedosas, aquelas que não
dizem aos pacientes a gravidade de suas
doenças;
• as mentiras dos benzedores, aquelas que,
inocentemente, prometem curas radicais;
• as mentiras necessárias, como aquelas
que postulam a absolvição de inocentes;
• as mentiras vaidosas, aquelas que
empolgam o ego das pessoas, para darlhes
uma pitada de importância, o que
acontece com os caçadores e pescadores;
• as mentiras políticas ingênuas, aquelas
– só aquelas – que os próprios políticos
nelas acreditam como verdadeiras;
• as mentiras amorosas, aquelas ditas pelos
amantes eternos às suas divas sublimes.
-as pensionistas do maior fundo de pensão da América latina,maior investidor, Previ, seus dirigentes que por La passaram nunca fizeram nada pela classe sofrida das pensionistas.
O que dizer dos 40% surripiados,se até mesmo o INSS falido paga 100% não seria essa também uma grande mentira?.
-o que dizer da nossa última distribuição do superávit,onde as mais de 19 mil pensionistas nada receberam,nem as contribuições foram paralisadas,porque estas não pagavam.
Portanto nossa existência é uma mentira,porque mesmo aprovada pelo corpo social,não se implanto a aposentadoria as mulheres aos 45 anos? Será apenas mais uma mentira?.
- por último nosso empréstimo simples também é uma mentira,só será totalmente quitado com a nossa morte, será também mais uma mentira?.

Como vê o amável leitor, não são
as mentiras tão abomináveis como
apontam os moralistas. E elas fazem parte
do cotidiano de nossas vidas. Somos,
pois, em realidade, uns grandes e eternos
mentirosos.

Rosalina de Souza
Matrícula 18.161.320-4

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Dirimindo Dúvidas:

Em que pese minha dupla posição de administrador do Blog Previ Plano 1 e Presidente da AAPPREVI, os dois cargos não estão atrelados entre si, embora use o nome próprio ao me dirigir aos participantes dos dois segmentos.
No entanto, sempre que interfiro como Presidente da AAPPREVI, tenho o cuidado de assinar minhas inserções como tal.
Devo ressaltar que as opiniões do Blog não são necessariamente as mesmas da Associação, e essa diferenciação é notória. O site do Previ Plano 1 não mantém vínculo ou compromisso com a AAPPREVI, apenas serve de suporte de marketing a esta por atitude meramente voluntária da parte do mediador.
Além do mais a Diretoria da AAPPREVI é soberana na condução dos seus destinos, ao entendimento do Estatuto, e a qualquer momento que julgar conveniente pode pedir ao Blog afastar o nome da associação dos comentários postados pelo seu Presidente.
Vim ao mundo sozinho e não pretendo levar ninguém quando me for daqui.
Aos incomodados, um aviso: para me calar só existem dois caminhos – os canais competentes ou a morte.

Marcos Cordeiro de Andrade,
Criador e mantenedor independente do Blog Previ Plano 1
www.previplano1.com.br

Eduardo Köhler disse...

Exatamente hoje, dezesseis de junho, se minha mãe estivesse viva, estaria completando 82 anos. Como sinto falta dela ! Um tumor implacável no seu cérebro tirou-lhe a vida prematuramente aos 71 anos. Tanto ela quanto o meu pai, que morreu aos 88 anos, foram amparados até o fim, com carinho por mim e meus irmãos, resultado do amor com que se dedicaram aos seus três filhos e quatro netos.
A realidade com que o texto apresenta o drama de muitos idosos, não era a da casa de meus pais, mas entristece-me saber que há tantos idosos sofrendo nas mãos de familiares, após, por vezes, dedicar integralmente a sua vida de trabalho para o seu sustento e formação. Que grande injustiça !
Por outro lado (não pretendo aqui, ser advogado do diabo) alguns colhem o que plantaram. Conheço casos que homens que abandonaram suas mulheres com filhos ainda bem pequenos, desaparecendo de suas vidas e agora, depois de idosos, doentes e empobrecidos, os procuram (depois que se tornaram homens e mulheres, que a despeito da ausência paterna, cresceram e se formaram) em busca de auxílio, a ponto de, pasmem, ingressarem na Justiça (e ganhando) pelo direito de receber pensão dos filhos. Outra grande injustiça !
Um abraça a todos.

Eduardo Köhler

Anônimo disse...

Reflexo do ensino de nosso pais, pobre pais, quantos será que se salvam?

Os jovens de hoje são a velhice de amanha!!!.

Marcos se possível publique-se

Anônimo disse...

Marcos Cordeiro,
"A ausência do medo da punição facilita o comportamento corrupto, aliada aos fatores ambientais, como a oportunidade de cometer delitos contra os velinhos. CORRUPTOS LESADOS O pesquisador Antoine Bechara, da Universidade de Iowa, também apresentou sua explicação para esses comportamentos desviantes. A ausência de moral do corrupto, segundo Bechara, é similar àquela apresentada pelos psicopatas, que não se preocupam com o outro."

No Brasil os dirigentes da "Previ" são similares aos psicopatas,ao inves de proteger seus assistidos os enpurram em vala comum.

Anônimo disse...

Colegas do Blog.

A cooper forte já disponibilizou os novos limites,já esta disponivel para novas contratações.

Se possível publique-se

Anônimo disse...

Sr. Marcos
Presidente da AAPPREVI
Estou curiosa e por isso a pergunta." Foram feitos diversos questionamentos aos mais variados orgãos tipo OAB, CVM, Políticos, jornalistas e outros...Algum já se manifestou? Respondeu alguma coisa?"
É como se não existíssemos. É como se o absurdo que o Governo está fazendo com a previ fosse uma coisa lícita. Lembro, anos passados de certos fundos (montepio) que foram roubados, muitas pessoas foram enganadas e ficou por isso mesmo.Estão repetindo tudo conosco? Afinal foram anos de contribuição para que?
Será que nossos advogados ( da AAPPREVI) não poderiam cobrar uma resposta da OAB? Maria do Socorro.

Anônimo disse...

Colega 10:50,

Que limites? Em que publicação?
Abç
Anônimo

Anônimo disse...

MARCOS, COMO JÁ DISSE ANTES "A HERANÇA DA JUVENTUDE É A VELHICE", MAS PARECE QUE OS NOVOS DIRIGENTES DA PREVI AINDA NÃO PERCEBERAM. ELES VÃO TRILHAR OS MESMOS CAMINHOS QUE ESTAMOS ATRAVESSANDO HOJE.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezada Maria do Socorro.

Lamento ter que responder negativamente às suas perguntas.
Não recebemos respostas às nossas cartas e mensagens outras.
Gastamos tempo, papel e selos em vão.
OAB, CVM, MPF, AMB, etc. Ninguém nos deu a mínima, é como se não existíssemos, como você bem disse. Também o Banco do Brasil, CASSI e PREVI não respondem aos nossos questionamentos.
As Associações contatadas fazem vista grossa e ouvidos de mercador. A única que se dá ao trabalho de dispensar-nos alguma atenção é a FAABB, mas mesmo o posicionamento desta se deve ao comportamento pessoal de sua Presidente, Isa Musa de Noronha, sensível à causa dos aposentados e pensionistas do PB1.
Todavia, cansados de malhar em ferro frio, resolvemos adotar linha de conduta diversa e mais realista.
Tão logo tenhamos concluídos os trabalhos em andamento, sobre as entranhas da PREVI, agiremos com força total. E não mais com cartinhas ou manifestos endereçados a órgãos e pessoas descompromissados com a verdade que nos sufoca e oprime. Os retornos que tivemos são inconsistentes, de políticos apenas, mas vazios todos. Aguardemos, pois.

Anônimo disse...

Da muita tristeza ver colegas que ainda apelam para a Cecilia no outro
blog e contam com a Anabb.
Como gostam de ser enganados.
Que Deus faça-os mais esclarecidos.
Sandra

mariano branquinho disse...

Que vergonha. Previ reajusta aumento em 5,31% e a mensalidade do peculio em 19,63%.

Mariano Branquinho

Anônimo disse...

Colega Sandra,

Perfeita sua observação no que diz respeito aos que ainda apelam para a Cecília. Por lá transitam e fazem apelos até dirigentes da AAPPREVI, mostrando total falta de coerência.

Favor Publicar

Anônimo disse...

Anonimo(?) ou sera o Lilibeth, va procurar o que fazer ao inves de ficar de plantao escrevendo asneiras.
Acho mesmo que ninguem(inclusive D.ROSALINA) tem que frequentar o outro blog para solicitar aumento no ES,e tudo que a canalhada quer.Mas no caso dela e perdoado pela pessoa MARAVILHOSA que e,interessada em ajudar a todos os colegas e esta fazendo um trabalho digno,ja voce....
Nos poupe erva daninha!
Sandra

Anônimo disse...

Sei não. Mas acho que a Rosalina está carregando o próprio caixão. É grande a insatisfação por seu desempenho como esperança de pensionistas. Até aqui ela só fez puxar a brasa para sua sardinha. É por demais conhecida sua caótica situação financeira, que ela mesma se encarrega de propagar.
Acompanho a trajetória do Marcos (André) e se bem o conheço sou capaz de afirmar que está arrependido com a escolha. Sua boa fé foi ludibriada pela diretora nomeada, na sua esperança de somar forças, talvez até como jogada de marketing para trazer sócios para a associação que dirige. Por outro lado, ainda com os conhecimentos que acumulei sobre sua personalidade posso dizer que está em cima do muro na expectativa de que a sua diretora jogue a toalha. Ela se arrisca muito por insistir em destoar do conjunto em que está incluída. Sinceramente afirmo que ela está no lugar errado e deve se contentar em babar sua inoperante amiga Cecília. Ninguém pode servir a dois senhores ainda mais quando um deles não vale nada. Como já disse uma frequentadora quem declara ser amiga daquela senhora se iguala a ela: enrolona, falsa e descompromissada com a realidade de aposentados e pensionistas r só vê o seu futuro político. Quero dizer com isto que gente desse tipo so olha para seu umbigo e o resto que se lixe. Parabéns mais uma vez Marcos (André), sua política está correta. Aguardemos e veremos.

Anônimo disse...

Marcos,

Talvez, se as correspodências, para vários órgãos, forem enviadas pelo Cartório de Títulos e documentos eles deêm mais atenção, pelo menos ficariam registradas.
Abç
Anônimo

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Ao anônimo das 07:35.

Orientação anotada para emprego oportuno.

Ari disse...

Ao anônimo das 06:38
As críticas deveriam ser sempre construtivas. Qual a sua intenção em denegrir os outros? Porventura és melhor do que os outros? Quando apontas o dedo indicador para a Sra. Rosalina quantos outros dedos de tua mão estão voltados para ti?
Você cita uma passagem bíblica "ninguém pode servir a dois senhores..." Leia também a outra: "Quem estiver sem pecado que atire a primeira pedra." Para nós, Dona Rosalina tem muito valor. O que ela pede é o desejo de muitos. Talvez não o seu, caro anônimo, pois pelo visto você de nada precisa. Nem da distribuição do superávit, nem tampouco ficar menosprezando os colegas. Quer ajudar? Seja bem-vindo! Quer atrapalhar? Vá fazê-lo em outro lugar!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

CCJ da Câmara aprova recuperação do valor das aposentadorias em salários mínimos
Projeto do senador Paulo Paim (PT-RS) recupera o número de salários mínimos a que tinha direito o aposentado no momento da concessão do benefício. Vaccarezza diz que discussão fica para depois das eleições

Por: Redação da Rede Brasil Atual

Publicado em 17/06/2010, 14:26

Última atualização às 14:26

Vacarezza desaprova decisão da CCJ a respeito de aposentadoria (Foto: José Cruz/Agência Brasil)
São Paulo - O líder do governo na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza (PT-SP), considerou “lastimável” a aprovação pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa do projeto que recupera o número de salários mínimos que o aposentado tinha quando obteve o benefício. A proposta foi aprovada na quarta-feira (16) na Câmara, mas ainda depende de parecer da Comissão de Finanças e Tributação.

“Não é sustentável um país pagar R$ 80 milhões por uma conta desse tipo. Vamos segurar (a discussão) para depois das eleições”, disse.

Outra proposta também deverá ficar para depois de outubro: a que trata do fator previdenciário. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vetou o fim do fator previdenciário, e o governo está disposto a encontrar uma alternativa de consenso para a proposta, diante das ameaças da oposição de derrubar o veto.

“Existe interesse do governo em substituir o fator previdenciário, para não estimular as aposentadorias precoces”, comentou. Entre as propostas que poderão entrar em discussão está a do deputado Pepe Vargas (PT-RS), que defende o chamado 85/95: O fator previdenciário fica extinto quando a soma da idade e do tempo de contribuição for 85 para a mulher e 95 para o homem.



O projeto
O Projeto de Lei 4434/08, do senador Paulo Paim (PT-RS), que recupera o número de salários mínimos a que tinha direito o aposentado no momento da concessão do benefício. A proposta cria um índice de correção previdenciária para garantir o reajuste dos benefícios da previdência de acordo com o aumento do valor mínimo pago pelo Regime Geral da Previdência Social.

Na prática, como o valor mínimo é igual ao salário mínimo, o projeto cria uma regra para garantir um reajuste próximo ao do salário mínimo, ao mesmo tempo que restabelece o número de salários mínimos pagos na época da concessão do benefício.

Há uma regra de transição de cinco anos até que a proporção entre benefício e valor mínimo seja totalmente recuperada. O índice, então, que será individual, passará a ser usado para cálculo dos reajustes por toda a vida do beneficiário.

O governo votou contra, e o texto será rediscutido em Plenário. O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) anunciou que vai pedir regime de urgência para a votação. Se a medida foi aceita por um terço dos deputados, um terço dos líderes ou dois terços dos integrantes de uma das comissões que avaliarão a proposta.

A proposta já foi aprovada pela Comissão de Seguridade Social e Família, mas ainda não há parecer da Comissão de Finanças e Tributação, que deverá apresentar sua posição quando da votação da matéria pelo Plenário. A CCJ discutiu apenas a constitucionalidade do projeto.



Com informações da Agência Brasil e Agência Câmara

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Comissão aprova reintegração de ex-servidores que aderiram a PDVs


A Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público aprovou nesta quarta-feira proposta que permite a reintegração ao serviço público de ex-servidores federais que aderiram a programas de desligamento voluntário (PDVs). A proposta altera a Lei 9.468/97 e medidas provisórias anteriores.
Conforme a proposta, os anistiados deverão retornar a cargo idêntico ao anteriormente ocupado ou ao resultante da transformação. Os servidores que retornarem aos órgãos e estatais deverão devolver o valor recebido pela adesão ao PDV, em parcelas mensais de, no máximo, 10% da remuneração.

De acordo com o relator na comissão, deputado Sebastião Bala Rocha (PDT-AP), servidores e empregados de estatais foram induzidos a aderir ao PDV com promessas "jamais cumpridas", como as de oferta de curso de requalificação profissional e de concessão empréstimos para financiar empreendimentos.

"O descumprimento dessas contrapartidas por parte do governo viciou, irremediavelmente, a exoneração dos servidores", avaliou o parlamentar. Para Bala Rocha, os incentivos oferecidos para as demissões foi ilusório.
A proposta foi aprovada na forma de substitutivo do relator ao Projeto de Lei 4293/08, do deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), e a três apensados (PLs 4499/08, 5149/09 e 5447/09).

O autor da proposta elogiou a aprovação na comissão. "Trata-se de corrigir uma injustiça. Se o governo tivesse cumprido a sua parte, não haveria este projeto", afirmou Picciani. Ex-servidores favoráveis ao projeto, que lotaram o plenário da comissão, aplaudiram o relator e o autor do projeto.

Dois projetos

Os quatro projetos foram transformados em dois. O primeiro é um substitutivo ao PL 4293/08 destinado ao retorno de servidores regulados pelo regime jurídico estatutário (Lei 8.112/90). O segundo é um novo projeto, que será numerado pela Mesa da Câmara e terá a comissão como autora, para reintegração de empregados de estatais (incluindo Banco do Brasil), regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT - Decreto 5.452/43).


Tramitação

Os projetos tramitam em caráter conclusivo e ainda serão analisados pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição, Justiça e de Cidadania.




Fonte: Câmara dos Deputados

Anônimo disse...

O que me inquieta é saber que a Sra. Cecilia Garcez continua com o mesmo "discurso" de quando estava na PREVI, ou seja não diz nada. Será que ela não fala nada sobre o que se passa na nossa Caixa a respeito do Superavit (pelo menos durante o período em que lá esteve)por não saber ou por ter vontade de voltar prá lá e continuar a "mamar" como a maioria faz?

Anônimo disse...

Colega Sandra,

Apelar para CECÍLIA, SASSERON, VALMIR E ANABB só pode ser desespero. Esta turma tem uma grande e única preocupação, a de saber em que boquinha vão se encostar. O resto a gente já sabe, é só ver o blog enrroleition da Dona Cecília e os artigos cretinos do Valmir no site da ANABB.

Anônimo disse...

Aos amigos e ex colegas do BB
Ha dias recebi o Jornal de S.Paulo estava a publicação(15/05/2010.
- O TRJ atravez do Desembargador(prefiro manter o nome em off)Foi despachado e concluido INVENTARIADO O PROCESSO da equiparação com o banco central. Enviei mensagem a Ajure do Sindicato dos Bancarios - Rio de Janeiro, que iniciou em ,1986, a açaõ, a AAFBB, NINGUEM RESPONDE e NÃO LI EM NENHUM BLOG...NADA A RESPEITO????? NEM UM TAL DE BETO DIAS QUE QUER APARECER A CONSEGUIR ALGUNA BOQUINHA<VARIAS VEZES ENVIA EMAILS DANDO INFORMAÇÕES JÁ CONHECIDAS .... ate agora nada nada
Aguqrdo noticias dos amigos e colegas ..... abraços a todos
jaymeduardo1942@yahoo.com

emilia.amanda disse...

Senhor, Marcos Cordeiro.
Mai uma vez está provado que neste País a distribuição de renda e reajuste de classes de qualquer natureza, é uma vergonha e uma afronta, e mais ainda evidenciada em ano eleitoral, onde os disparates saltam aos olhos de qualquer cidadão. Que digam as famílias dos aposentados e das pensionistas do PB-1 da previ, onde a maioria vive com 10 salários mínimos, uma parte com até 20 salários, e pequeníssima parte acima disso, e enquanto isso existe milhares de apadrinhados de toda espécie que só servem para receber seus salários pomposos.
Quando uma pessoa do nosso meio, uma pensionista, resolver falar a verdade, todos usam seu poder para fazer um linchamento moral, todos a sombra do anônimato, as custas da única pensionista que teve a ousadia de buscar seus direitos,usurpados a anos,a sombra da cretinice dos nossos dirigentes e porque não dizer dos nossos aposentados que sempre fizeram vistas grossas ao miserável salário que uma pensionista ganha,ao roubo forçado graças aos estatutos da previ, que todos escondem, sem pudor sem qualquer coisa que justifique,porque até o INSS paga as pensões em valor integral.
É justo, é correto, é moral o que fizeram com a colega Rosalina de Souza, por simplesmente pedir a outra amiga que olhe por todos nós, para nos emprestar o nosso suado dinheiro, fruto de anos de trabalho dedicados ao Banco do Brasil e administrado por dirigentes omissos do maior fundo de pensão da América latina “previ”.
Muitos colegas querem esconder, mais a nossa realidade tem sido a de complementar a renda com empréstimos, nossos salários não fecham no fim do mês, e daí como fica tal situação?.
O Empréstimo Simples,nunca foi táboa de salvação para ninguém,mais ninguém pode negar que pela facilidade de contra talo, por não haver consulta nos órgão de proteção ao crédito, por ter seguro embutido,e finalmente por ser descontado em folha, ele se torna um produto referência tanto para quem o contrata quanto para quem empresta.
Dona Rosalina, nunca se envergonhe da sua realidade, você mostrou que é possível com sutileza, fazer o que ninguém tem coragem de fazer, dar o outro lado da face para bater!!!.
Acredite estamos no mesmo barco, remando ao sabor do vento.
Emilia de Souza lima
Funcionária do Banco do Brasil aposentada desde 1992.
Porto Alegre RS

mariano branquinho disse...

Alô Jayme Eduardo e Emilia de Souza Lima, se ainda não são, associem-se a AAPPREVI.
Mariano Branquinho

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

A propósito da postagem do dia 17/06, às 14:03, recebí a seguinte mensagem:

Prezado Marcos,

Bom Dia!

Grato pelo envio da mensagem. Acredito sinceramente que a união faz a força e que unidos, nossas chances junto ao BB, Previ/Governo
serão muito maiores. Veja que para um grande grupo, não escapa nada. Todos atentos, certamente não estaríamos subjugados, especialmente por esse patrocinador ganancioso.

No entanto, com relação a reintegração, tomo a liberdade de usar as palavras de um dos maiores lutadores de nosso grupo de demitidos, para expressar o que sentimos. A tônica no Brasil, em todos os sentidos, parece ser o enrolation e o empurra com a barriga.
Nem sempre os propósitos são de efetivamente ajudar. Em inúmeros casos de ajuda, fomos apanhados depois pela prescrição de direitos.

Obrigado e um grande abraço.
Langoni



Colegas e Amigos do Grupão,


Já dissemos muitas vezes, todos esses projetos de suposta reintegração são incompletos, injustos, inconsistentes, inócuos e eleitoreiros. Inconstitucionais e ilegais, se forem aprovados e transformados em Lei, depois dirão legisladores e executivo que cumpriram seu dever.


Em outras palavras, projetos frios, fracos, fraudulentos e fedorentos. Não serão, absolutamente, aprovados até o final desta legislatura, daí arquivados, enquanto os otários votam nos autores dessas porcarias legislativas e eleitoreiras.


Mas quem quiser se enganar ou ser enganado, todos são livres para suas escolhas e renúncias aos seus direitos, porém saibam que esses projetos estão prejudicando todo um trabalho sério pela reintegração dos nossos direitos, inclusive no âmbito internacional.


Boa sorte


Abraço/Leandro

Anônimo disse...

Colega Marcos,
Seria possivel submeter os itens abaixo, a um contador, ou integrante da diretoria da AAPPREVI para análise?
Constam na Deliberação CVM 371 de 13 de dezembro de 2000:

Ativos do plano
16 São os ativos mantidos pelo fundo de pensão que satisfaçam às seguintes condições:

a. O fundo de pensão é legalmente separado da Entidade patrocinadora;

b. Os ativos do fundo devem ser usados exclusivamente para reduzir as obrigações de benefícios aos empregados, não são disponíveis aos credores da patrocinadora e não podem ser devolvidos à patrocinadora, exceto os ativos remanescentes no fundo no caso de sua liquidação; e

c. Na extensão que haja ativos suficientes no fundo, a Entidade não terá obrigação legal ou constituída a pagar diretamente os benefícios aos empregados.

Um exemplo para ilustrar as diferenças entre o rendimento do valor justo estimado e o rendimento do valor justo efetivo dos ativos do plano, consta no item 65 dessa Deliberação.

O BB tem utilizado essa Deliberação para contabilizar seus ganhos.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Ao anônimo das 06:29.

O texto da mensagem foi encaminhado ao setor competente para análise. Do resultado daremos ciência aqui mesmo.

Anônimo disse...

Banco do Brasil sugere que Previ deve ofertar produtos do banco

Fonte:Valor Econômico
Janes Rocha, de Costa do Sauípe (BA)

Anônimo disse...

Senhor Marcos Cordeiro,
Oportunidade para os agraciados com o Renda Certa,na capitalização do Banco do Brasil?.

Os funcionários também podem participar e têm fatia de 10% da oferta de varejo; nesse caso, o valor mínimo é de R$ 1 mil.

O banco disponibiliza um plano de incentivo que facilita a compra de ações pelos funcionários, como a compra direta à vista com bônus de 12% ou compra direta financiada com bônus de 6,72%. Se o funcionário aderir ao plano, fica proibido de vender as ações por 120 dias.

Fonte: Valor Econômico

Anônimo disse...

Peço licença ao mediador do espaço para escrever poucas palavras,sinceras a nossa colega “pensionista” simplesmente Pensionista.
Como resultado, o que se vê, é que o cidadão brasileiro, com seus próprios olhos e ouvidos, gosta de publicações de insultos, ataques pessoais, intrigas, falsidades, invenções, erros de fato e mentiras pura e simples.Vista com lupa, insere-se aí a luta dos colegas por um “direito” o de rever as premissas do ES. São óbvios os laços que desemprega o ódio da diretoria executiva pelo último representante eleito pelo voto “SASSERON” este senhor tem visto seu prestigio junto a todos nós desabar diante da franca ascensão da democracia implantada através deste canal, livre de conchavos, ausente de politicagem nojenta e nefasta. O blog apenas expressou uma plataforma política latente, sempre recorrente quando os caminhos começam Democráticos. Mais uma vez, uma legião de “economistas”, “comentaristas”, politicólogos, provocadores e demagogós em geral que vive à sombra do anonimato talvez a mando desse senhor,único culpado por esta situação por que passas muitos colegas nossos, cumpre o seu papel histórico de erguer barricadas contra o progresso e contra pessoas de bem como a” PENSIONISTA”,que pecou por falar a verdade!!!.

Os fatos e os personagens ocorrem duas vezes na história: a primeira como tragédia e a segunda como farsa, lembrava Karl Marx, num processo ”em que a tradição das gerações mortas volta para assombrar a memória dos vivos”.

Izaura Pereira Leme

Pedro Paulo disse...

Izaura Pereira Leme,

Com todo o respeito a sra. precisa rever os seus conceitos. Citações de Karl Marx está fora de moda. O mundo evoluiu e algumas pessoas nem se deram conta que o muro de Berlim caiu.
Seus discursos se assemelham aos dos sindicalistas piqueteiros que ficavam nas portas das agências gritando: "bancários unidos, jamais serão vencidos".
Trabalhar que é bom ninguém quer.

Anônimo disse...

Colega Pedro Paulo.
Karl Marx era, antes de tudo, um revolucionário. Sua verdadeira missão na vida era contribuir, de um modo ou de outro, para a derrubada da sociedade capitalista e das instituições estatais por esta suscitadas, contribuir para a libertação do proletariado moderno, que ele foi o primeiro a tornar consciente de sua posição e de suas necessidades, consciente das condições de sua emancipação. A luta era seu elemento. E ele lutou com uma tenacidade e um sucesso com quem poucos puderam rivalizar. Como consequência, Marx foi o homem mais odiado e mais caluniado de seu tempo.
Só usei a expressão,porque mesmo hoje após a derrubada do muro de berlim,muitos ainda usam desses artifícios para atacar pessoa de bem.seja esta pessoa quem for?
Eu me referi que antes de tudo a pessoa deva ser valorizada.
Estamos intendidos,não sou sindicalista,mas participei sim de muitas greves,e me orgulho muito disso.e pra terminar com o assunto me aposentei por invalidez com 23 anos de trabalho dedicados ao Banco do Brasil.
Saudações Izaura.

Anônimo disse...

Marcos e blogueiros,

podemos até discordar, mais no fim, bem la no fim, todos ficamos contentes quando é feito o realinhamento do ES, afinal, esta tá sendo a única forma de um realinhamento na vida de muitos de nós, financeiramente falando.
creio que o que acontece com D. Rosalina, acontece com muitos de nós, apenas com uma única diferença , ela externa suas preocupações, medos e dificuldades, devemos ouvir (ler) e tentar ajudar, fazer coro, para que outros não venham a ficar em situações embaraçosas como o colega de um post anterior, que a familia passa dificuldades.
continuo dizendo: se não temos armas eficazes para derrotar nossos algozes em uma luta limpa, que venhamos a usar a justiça, que por mais lenta e as vezes ineficaz, sempre acaba ao longo dos anos fazendo justiça, se não para nós, para nossos descendentes.


sergioinocencio

Anônimo disse...

Para se chegar a situação de descontrole orçamentário como muitos estão manifestando, há de ser avaliado o motivo que levou a essa situação. Essa situação pode ser causada por fatores que fogem ao nosso controle. E um deles e o mais terrível e de relevância são os problemas de saúde no meio familiar. Existem outros motivos, e a maioria, provocados por nós mesmos, por compulsão ou por riscos assumidos em investimentos que necessitam de experiencia, prática, vivência e conhecimento de causa. Por compulsão é também um problema seríssimo e de difícil solução, Transtorno Obsessivo Compulsivo. Em qual deles nos enquadramos? Precisamos avaliar cada situação e procurarmos uma saída sem novos endividamentos. Torço para que cada um de nós encontre a melhor saída, sem desespero, pois, nesta vida tudo tem solução, razoável ou não, de acordo com a extensão da situação, e a solução depende exclusivamente do esforço de cada um de nós. Boa sorte a todos. E que Deus nos abençoe e nos ajude.

rosalina_de_souza disse...

Aos colegas do Blog.
Tomei a liberdade, hoje, de postar um poema.
É através dele que quero agradecer a solidariedade, as palavras de conforto e a sinceridade,principalmente da Colega Marisa Lilibeth.
Obrigada a todos.

Gosto de gente que ri, Que chora, Que se emociona com uma simples carta, Um telefonema, Uma canção suave, Um bom filme, Um bom livro, Um gesto de carinho, Um abraço, Um afago.
Gosto de gente que ama e curte saudades, Que gosta de amigos, Cultiva flores e ama os animais, Admiram paisagens, Poesias, Fotos de família, E escuta.
Gosto de gente que tem tempo para sorrir com bondade, Semear Perdão, Repartir ternura, Compartilhar vivências e dar espaço para as emoções dentro de si. Emoções que fluem naturalmente de dentro do seu ser.
Gosto de gente que gosta de fazer as coisas que tem de fazer, Sem fugir de compromissos difíceis e inadiáveis por mais desgastantes que sejam.
Gosto de gente que acolhe, Orienta, Aconselha, Busca a verdade e quer sempre aprender, Mesmo que seja de uma criança, De um pobre, Ou de um analfabeto.
Gosto de gente de coração desarmado, Sem ódio, Sem preconceitos baratos, e com muito amor dentro de si.
Gosto de gente que erra e reconhece, Cai e se levanta, Apanha e assimila os golpes, Tirando lições dos seus erros, e fazendo redentoras suas lágrimas e sofrimentos.
Gosto muito de gente assim, E desconfio que é deste tipo de gente que “DEUS” também gosta.
Com carinho a todos meus colegas, aposentados, e principalmente as nossas queridas pensionistas, uma em Especial “Marisa Lilibeth”.
Rosalina de Souza
Matrícula Previ 18.161.320-4

Anônimo disse...

Amigos,

Vou ser bem direto e sincero…. Não vejo o menor “efeito” fazermos cartas a políticos sobre nossas indignações!!! Isto NÃO funciona!!!! Já escrevi várias vezes a políticos e NUNCA, JAMAIS, SEQUER RECEBI RESPOSTA, ainda que fosse com o “clichê” “… recebemos sua mensagem e blá,blá,blá,blá,blá,blá,blá,blá,…..”.
Senhor Presidente da AAPPREVI, só há uma forma de mudar isto: INTERVENÇÃO!!!! AÇÃO DIRETA!!!! AO VIVO!!!!

Anônimo disse...

Geeente! Olha o que a Cécília escreveu no seu blog!
Esta é demais . E ainda tem gente aqui que continua dando papo para esta HIPÓCRITA.
Quer dizer que a Caixa Econômica Federal não é estatal?
E mais : Fundo de Pensão, todos têm a mesma finalidade, pois a contribuição é do trabalhador e patrocinador.
Cécília Garsez:
Oi Rogério,
A mesma Resolução CGPC 26 que impôs várias medidas truculentas em relação à distribuição de superávit, ela também determina que só os fundos de pensão de estatais estão sujeitos às suas regras. Os demais estão livres para implementar as medidas que forem negociadas, não tendo que seguir as regras da Resolução.

16 de junho de 2010 12:31

Ela não entende nada de Fundo de Pensão, e no entanto ficou lá 8 anos nos representando.
Pelo Amor de DEUS !!!

Anônimo disse...

Me desculpem os afetos, mas a Sra. Cecília e o Valmir são farinha do mesmo saco. São dois caras de pau. Falar que a FUNCEF não é fundo de estatal é demais!

Anônimo disse...

Marcos e blogueiros,


concordo e fui testemunha de que politico brasileiro arrota que fez e faz um estardalhaço, mais não responde através de acessoria e muito menos ele proprio.
seguinte:
a algum tempo atras pintou no Senado um projeto do Senador Renan Calheiros sobre isenção de IR para os portadores de diabetis, como o tempo passou e no Senado foi em carater de urgencia com recomendação de aprovação encaminhado a Camara, passado alguns meses escrevi perguntando em que pé estava tal projeto...
pois acho que serraram os pés do mesmo, ninguem me respondeu , e nas varias pesquisas que fiz não encontrei nada.
pago 1000 reais por mes de IR, é um absurdo é claro, no final do ano , como somos eu e minha esposa, consigo trazer de volta algo em torno de 2700 reais, é muito imposta pra quem contribuiu com 27 anos para Fundo de Pensão e INSS.


sergioinocencio

Anônimo disse...

Empresa Pública

■Pessoa jurídica de Direito Privada
■Tem por finalidade a exploração de atividade econômica por força de contingência ou de conveniência administrativa. Pode exercer também atividades relacionadas a serviço público
■Podem ter qualquer tipo de organização empresarial
■Não há privilégios tributários
■Desenvolve atividade atípica de Estado
■Deve utilizar instrumentos de contratação como a licitação e o concurso público, sendo que o pessoal sujeitar-se ao regime celetista
■É julgada pela Justiça Federal
■Possui patrimônio próprio, porém são considerados bens públicos, e portanto, impenhoráveis e imprescritíveis
■Está sujeita ao controle estatal
■Exemplos: ECT - Empresa de Correios e Telégrafos, SERPRO, CEF- Caixa Econômica Federal

Anônimo disse...

Sociedade de Economia Mista

■Pessoa jurídica de Direito Privado
■Autorizada por lei específica
■Constituída sob a forma de sociedade anônima (sociedade por ações)
■Sob o controle majoritário da União ou de outra entidade da Administração indireta
■Seu objetivo é a exploração de atividade econômica, independentemente das circunstâncias que justificam a criação da empresa pública
■Recursos compostos por capital público e privado
■Atividade atípica de Estado
■Deve utilizar instrumentos de contratação como a licitação e o concurso público, sendo que o pessoal sujeitar-se ao regime celetista
■Não há privilégios tributários
■Está sujeita ao controle estatal
■Julgada pela Justiça Estadual
■Exemplos: Banco do Brasil, BASA - Banco da Amazônia, Petrobrás

Anônimo disse...

Não desfazendo de ninguém, mas comentando fatos ocorridos em troca de mensagens há algum tempo com a Cecília e, praticamante, em todas trocas de mensagens observei que a Cecília é totalmente despreparada para execer qualquer cargo dentro da Previ. Até assuntos ligados aos normativos ela demostrava desconhecimento. Por isso que estamos nessa situação. As pessoas que estão lá não tem o mínimo preparo para exercer tarefas mas simples além de desconversar e possuem, sim, um talento nato para embromar. Vejam essas reuniões com associados, falam muito e não dizem nada. Ora que aperta um pouquinho, dizem que manterão contato posterior.

Anônimo disse...

ASSUNTOS NOS SITES DAS ASSOCIACOES
----------------------------------

-FAABB
. hora de escolher na previ
. evento faabb em bh
. faabb denuncia(artigo no brasil economico sobre a briga pelo superavit - artigo de 04/02)

-AAFBB
. bb - fundo soberano
. previdencia
. previ-oferta de produtos do bb

- ANABB
. reserva de açoes do bb
. reintegraçao de pedevistas
. CCJ - recuperacao vr de aposentadorias do INSS
. CASSI - oficina de multiplicadores

- AFABB-PR
. jogos da copa na afabb-pr
. CCJ-recuperacao vr de aposent
. reintegracao de pedevistas

- AFABB-DF
. PREVI deve ofertar prod do BB
. ficha limpa
. fim do cartao do cpf

Resumindo, nenhuma associação, aa excecao da AAPPREVI e da AAFBB-Tupa, ta tratando do assunto superavit.
Os "REPRESENTANTES" nao tao nem aih para o que mais interessa aos aposentados e pensionistas.
Entao, como jah foi dito por muitos, para que essas AAFBB, FAABB, ANABB e outros.
Luiz

Anônimo disse...

Cecília é uma piada. E sem a menor graça...

Paulo Beno disse...

Data: 15/06/2010 14:03:52
Assunto: Outros Assuntos - reajuste anual dos beneficios
Tipo: Sugestão

Mensagem:
Se o INSS (que é o "inss") concedeu o reajuste anual em JANEIRO de 7,7%, contra o seu regulamento, pergunto:

Por que a PREVI (que tem nosso rico Plano 1)e é o maior Fundo de Pensão da América Latina, não concede, fora de seu regulamento, um REAJUSTE pelo menos IGUAL ao do INSS, com o objetivo que não ficar atrás dum coitado INSS?
Pensem nisso:Ser uma Diretoria que concedeu apenas 5,31%, ABAIXO do INSS, embora tenha em ativos R$ 144 BILHÕES DE REAIS ?(NO MÍNIMO r$ 8 bilhões "sobrando em caixa", que corresponde a nossa parcela dos 8 bilhões que o BB irá levar e já contabilizou ?
Pensem bem e sejam sensatos...Dinheiro há e não vai faltar !

Matrícula: 8062970
Nome: PAULO BENO GOELLNER
DDD-TEL: 54 Telefone: 33312193
E-mail: paulo@papaxao.com.br

-----RESPOSTA------

Senhor Paulo,

De acordo com artigo 63 do Regulamento, os benefícios a cargo da PREVI são reajustados anualmente, no mês de junho, pelo INPC.

Informamos que para os benefícios concedidos até 30.6.2009, o índice de reajuste da PREVI foi de 5,31%, correspondente ao INPC acumulado entre 1.6.2009 a 31.5.2010.

Os estudos para destinação do superávit aguardam a retomada das negociações sobre o assunto entre o patrocinador Banco do Brasil e representantes dos participantes e assistidos que foram suspensas em 2008, após a edição da Resolução CGPC nº 26/2008, que regula a utilização de superávits, e está sendo questionada, inclusive judicialmente, por algumas entidades.

Tão logo haja alguma nova informação sobre o assunto daremos ampla divulgação aos nossos associados através de nossos meios de comunicação.

RODRIGO DA COSTA RIBEIRO
Gerência de Atendimento
PREVI

Anônimo disse...

Colega de 20 de junho de 2010 16:49,


Tomara que estejas certo sobre a incompetência da Cecília, mas acho que a situação é outra, ela se faz de boba para passar bem.

Abraço!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Hojé é o aniversário do Valentim.

O PB1 está em festa e o Blog cumprimenta o seu maior incentivador. Parabéns Amigo.

Rendemos homenagem aos seus conhecimentos e exemplo de Vida esperando que, passadas as festividades, Joinville o libere para retornar ao nosso convívio com seus brilhantes comentários.

Cumprimentos sinceros deste seu admirador.

Anônimo disse...

A

ATT de Paulo Bueno.

Interessante as respostas do atendimento da Previ, são evasivas e só citam os normativos. Tudo bem, os normativos são feitos para serem respeitados. Mas vamos ao que interessa. Quando a Previ se recusou em reajustar o beneficio, se não me falha a memória em 2003, pelo índice do IGP-M, senão me engano, em mais de 30%, índice esse, segundo os diretores, poderia colocar em risco o plano. A Previ reajustou por esse índice em virtude das ações judiciais já que os normativos previam a utilização desse índice para reajuste dos benefícios e nem por isso o plano ficou em risco. Posteriormente a Previ, por um ato administrativo, trocou o IGP-M pelo INPC. Se é permitido a diretoria trocar um índice de reajuste, por que não voltar a fazê-lo, ou inserir outras vantagens, como o INPC + 100 do PIB.

Vejam a condições atuais previstas no regulamento.

Seção II – Do Reajuste dos Benefícios

Art. 63 - Os benefícios e rendas de prestação mensal previstos neste Regulamento serão reajustados pelo menos uma vez por ano, em junho, de acordo com a variação do índice a que se refere o artigo 27 apurada no período compreendido entre o primeiro dia do mês do último reajuste e o primeiro dia do mês de competência do novo reajuste.

Art. 27 – Para efeito de correção monetária de salários-de-participação, benefícios, reservas de poupança e demais situações previstas neste Regulamento, quando não expressamente indicado o contrário, a PREVI utilizará o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, como indexador deste Plano de Benefícios.

Com a palavra os atendidos no assunto ou uma consulta ao departamento jurídico da AAPPREV.

Anônimo disse...

A Previ não se importa com os aposentados,fica à mando do BB, então temos que incomodar o BB para que se digne a nos atender e começar logo com a negociação do superávit. Temos que comprometer sua imagem, temos que fazer barulho, tem muitos filhos de funcionários que são jornalistas teêm contatos que poderiam ajudar a levar para mídia a verdadeira imagem do que é hoje o BB, só tendo prejuízo ele vai nos ouvir, o superávit para o BB está garantido com a nossa morte.
Temos que nos unir aposentados de todas as associações o objetivo é o mesmo a distribuição do superavit, tanto faz ser contra ou a favor da Cecilia, do Valmir, desta ou daquela associação isso nos descentraliza, a Sra. ISA como representante da FAABB, poderia centralizar um movimento unido canalizado para uma solução na distribuição do superavit

airton disse...

AO COLEGA VALENTIN QUE MUITO ADMIRO DESDE A SUA PRIMEIRA PARTICIPAÇÃO NO BLOG OS MEUS MAIS SINCEROS VOTOS DE UM FELIZ ANIVERSÁRIO, DESEJANDO A VOCE E A SUA FAMILIA MUITA PAZ E SAÚDE( É O QUE INTERESSA O RESTO NÃO TEM PRESSA) .
ABRAÇOS DO AIRTON

Anônimo disse...

Ao Presidente Marcos,
Aos Vice-presidentes Gilvan e Ari Zanella e ao Airton,

Meus sinceros agradecimentos pela gentileza das mensagens de felicitações pela passagem do meu 82º aniversário.
Estou, deveras, sensibilizado e feliz pelo carinho com que estou sendo distinguido.

Obrigado, amigos. Avante com o vitorioso projeto da AAPPREVI, que me orgulho de ter contribuído para a sua criação.

Abraços para todos do

Valentim.

Rogério Carvalho disse...

Coléga Valentim, cumprimentos pelo aniversário, e que gozes muitos anos de convivencia junto a nós , teus admiradores, com bastante saúde e paz de espírito, extensivo aos familiares. Abraços, Rogério Luiz Carvalho.

Isa Musa de Noronha disse...

Caros amigos,

A FAABB desde sua criação sempre procurou manter diálogo civilizado com os dirigentes da PREVI. Contudo, muitas vezes as portas se fecharam. Agora, com nova gestão, voltamos a bater nas mesmas portas outrora cerradas e renovamos nossa esperança que desta vez sejamos ouvidos. Já mantive contatos com os novos eleitos relembrando as promessas que fizeram durante a campanha e pedindo o agendamento de um Encontro. Veremos.

Anônimo disse...

Pedimos divulgar a data do encontro da PREVI com Isa Musa FAABB.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caro anônnimo 02:29.

A colega Isa Musa gentilmente nos mantém informados dos seus passos nesse sentido.

O Encontro da FAABB com a PREVI ainda não foi agendado.