terça-feira, 8 de junho de 2010

Ambiente saturado!

Ambiente saturado

Caros Colegas.

Ao ingressar no Banco, em 1962, recém saído do ambiente escolar, dei por falta das rodas de conversas compartilhadas com colegas sonhadores, iniciados intelectuais que discutiam Proust, Balzac, Maquiavel, Marx, Gilberto Freire, Euclides da Cunha, Machado de Assis...

A falta se tornou mais marcante porque ingressava em nova roda de amigos onde os autores da miscelânea sediada nas mentes estudantis, deixados para trás, eram substituídos por erudição diferente em termos de cultura: Julio Cunha, Fernando Vigué Loureiro e outros próprios de concursos. O que também delimitava nossos assuntos direcionando-os aos temas bancários – uma chatice.

Por isso incentivei a fundação da primeira de duas AABBs do meu currículo. Mas isto em nada contribuiu para voltar ao aconchego dos livros, dos sonhados conhecimentos ideais. O clubinho era uma extensão do ambiente de trabalho, ali também se respirava BB.

Tempos depois, em outra cidade, repeti o erro e fundei a outra AABB onde se confirmou a experiência. Era sair do Banco, encerrado o expediente, e rumar para a “sede”. Se não bastasse cumprir essa rotina, nos finais de semana na Capital repetia a dose, e lá ia eu para a AABB encontrar os colegas do interior misturados com os de João Pessoa, novos aliados na arte de jogar conversa fora. Isto me alienou a tal ponto que o meu pai, velho companheiro de bom bate-papo, me alertou para a mudança sem futuro: largara o diálogo produtivo em troca de um carimbo que imprimia apagadas palavras repetidas, onde se lia, sempre, Banco do Brasil.

Ao aposentar, dei graças a Deus por poder afastar-me desse ambiente. E não perdi muita coisa porque amigos nos acompanham até em pensamentos.

Mas hoje, voltando a me envolver com colegas, todos aposentados ou pensionistas, me entristeço por vê-los acorrentados a esse ambiente “aabebeano”, que aliena e restringe a parceria com pessoas que respiram outros ares. Ali os assuntos giram sempre em torno das mesmas questões, das mesmas saudades e das mesmas revoltas – com o BB presente.

O pior de tudo é que esse mundinho aos acompanha para onde se vá, principalmente para o convívio familiar. Mas é bom notar que na idade em que vivemos nossos companheiros em família são diversificados. Os filhos já não nos idolatram pelo passado funcional – nos querem como exemplos, mas cujos assuntos estão fora do seu interesse. Também os netos, adolescentes com outra linguagem, não dão a mínima para as conversas que começam dizendo “no meu tempo” era assim ou assado. Gostam de coisas que enalteçam a vida e não chamamentos para a morte. Eles querem atualidades, sem desrespeitar nosso passado. Além do que, os amigos e namorados que trazem à nossa casa são da mesma estirpe – de um particularíssimo mundo deles. E assim perdemos platéia. Por isso mesmo, muitos de nós voltamos às AABBs para uma alienação mais completa e não menos condenável.

No entanto, nunca é tarde para recomeçar, ou mudar. Ou se livrar do que não nos serve e prejudica a parceria familiar. E a aceitação pelos outros.
Há muito que se ver lá fora. Há grupos da terceira idade, e de todas as idades, repletos de mentes diferentes e amplas por conhecerem a diversidade do mundo. Gente que viaja em excursões ou fora delas, gente que lê que dança e que ri. Gente que visita teatros, museus, galerias de arte. Gente que freqüenta ambientes para se divertir e viver melhor. Gente que não fala de si somente, nem de mazelas e frustrações. Gente que não tem patrão, nem ex-patrões porque estes foram substituídos pelo sentimento de liberdade. Gente com quem dá prazer conversar e trocar conhecimentos. Gente que não se contenta em freqüentar sempre os mesmos lugares à volta de uma mesa degustando bebidas: seja álcool, suco ou água mineral. Mesas assediadas por penetras maçantes: bancários sindicalistas ou sindicalistas bancários – espécimes diferenciados apenas pelo modo de auferir ganhos; salários ou retiradas, soldos ou propinas.

Devemos procurar pessoas que evitam essas rodas de bar, esse inconveniente e nocivo ambiente, pois elas existem.

Vamos lá, Gente. Mudemos essa rotina enfadonha. Não há porque se preocupar com os amigos, pois eles nos farão companhia se são fiéis e verdadeiros. E agradecerão por trazê-los de volta à Vida!

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 08/06/2010.

51 comentários:

JOSE LUIZ disse...

Colega Marcos,

Que bom que voce tocou no assunto: Eu pensei que era só eu que não tinha saudades do Banco. Depois que aposentei, encontrei na Internet o melhor passatempo. Lugar também de permancer junto dos amigos, através da troca de E-mails.
Viajar de "férias" de 6 em 6 meses, não tem preço !!!

Anônimo disse...

Colega Marcos,

Quando passei no concurso do BB, em 1979, e resolvi ingressar na carreira bancária, meu pai que achava que ninguém deveria ser empregado e sim ter seu próprio negócio me indagou: você vai entrar no banco? Eu respondi: vou sim , o banco é bom. Meu pai retrucou: até quando? E não fez mais nenhum comentário. Nunca me esqueci desse dialogo. Fiquei sócio da AABB, meu irmão mais velho que já era funcionário do banco não frequentava a AABB pois achava que o clube era uma extensão do banco. Ele tinha razão. Aos poucos deixei de frequentar a AABB e descansar melhor em outras plagas. Nas cidades por onde eu passei as AABBs eram frequentadas somente por sócios externos. Infelizmente as AABBs não atingiram seus objetivos em relação aos sócios fundadores (funcionários). Dá-se a impressão que o ambiente das agências não eram salutares. Como cada cabeça uma sentença, espero que milhares tenham conseguido explorar melhor a AABB do que eu. Até mais ver.

Anônimo disse...

Colegas,

qdo era da ativa ia na AABB por causa dos filhos pequenos, parque, piscina, nas festas de natal eu era o papai noel e por ahi vai, ao me aposentar ligeirinho me desliguei, os que sobraram na ativa não mereciam a minha presença, passei muito tempo lutando contra eles, não podia mais jantar ou almoçar no mesmo ambiente, e como tive meus filhos cedo, todos ja estavam adultos e nào precisavam mais de parquinho e etc e tal... me fez bem.
prefiro minhas fotos, minha internet, minha TV a cabo, minhas viagens e etc..


sergioinocencio

Ravacci. disse...

Por imposição passei um bom tempo de minha vida pensando que não existia vida fora do banco... Era uma lavagem cerebral aplicada pelos superiores para conseguir a lealdade dos subordinados e então cumpriamos extensas jornadas de trabalho sem reclamar. Eu mesmo sempre tive o banco em primeiro lugar na minha vida... bem acima de minha família (nem acompanhei o crescimento de meus filhos). Quanta coisa perdi!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

Com prazer participo dois fatos gerados pelo meu filho.
Retirou o André que acompanhava o meu nome e criou um novo Blog.
Ele achou por bem registrar o meu nome completo aqui no Blog, uma vez que o antigo pseudônimo deixou de ser essencial para me identificar.
O segundo acontecimento é fruto de uma excelente idéia que teve ao criar O BB DE OUTRORA, Blog destinado aos colegas aposentados e pensionistas fazerem o registro de suas reminiscências envolvendo o BB.
O acesso ao novo espaço é através de link existente logo acima de Notícias Relevantes, aqui ao lado.
Espero que gostem das novidades e participem com suas histórias como fez a Isa Musa, responsável pela peça inaugural.

Abraços,
Marcos Cordeiro de Andrade
Aposentado matrícula 6.808.340-8

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

Somente serão aceitos textos no novo Blog – O BB de outrora – que contenham identificação do autor. Esta medida reflete a preocupação em evitar constrangimentos e ataques verbais aos personagens nominados, pois são esperadas narrativas de acontecimentos reais, havidos com envolvimento de colegas em seus locais de trabalho. Mesmo citações jocosas de hipotéticos fatos sujeitam-se às normas protetoras. E contando com a compreensão dos anônimos, os primeiros preservados, mais um aviso: Inserções apócrifas não serão consideradas.
As matérias com pedido de publicação devem ser endereçadas para o e-mail marcosmca@yahoo.com.br, ou para qualquer dos outros da AAPPREVI. Eventuais comentários podem ser publicados no Blog Previ Plano 1, na janela apropriada.

Saudações,
Marcos Cordeiro de Andrade

Anônimo disse...

Marcos,ha tres meses tento me desfiliar da AAFBB via internet(no fale conosco)e estao me exigindo papel assinado.Me desfiliei da Anabb via site e consegui.Nao tenho disponibilidade para ir ao centro da cidade somente para entregar o comunicado na Sede.Gostaria de saber se eles podem me exigir isso?
Sandra

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Sandra.

Essa exigência tem cabimento. A própria PREVI exige manifestação conjunta para exclusão de descontos através da FOPAG. Também, imagine se alguém de posse de endereços eletrônicos resolva fazer uso deles para pedir desfiliação em massa de alguma Entidade, seria o caos.
Há um artifício legal que pode ser usado sem que precise sair de casa. Redija uma carta com pedido de exclusão, assine e remeta escaneada por e-mail com o pedido específico.
Adote idêntico procedimento com relação a PREVI.
Peço notar que não recomendo desfiliação de nenhuma associação. Esse é um assunto de foro íntimo e a ninguém cabe interferir.

LUIZ FERNANDO disse...

nao entendi muito direito o que sra. Isa Noronha, esta tentando, mas pelo visto e explicado temos DEFICIT?NAO ENTENDO MAIS NADA. MATEMATICA E´UMA CIENCIA EXATA. VEJO CADA UM DAR UM NUMERO. A AAPREVI TEM SUA POSICAO OU IDEIA SOBRE ISSO, MARCOS?

Anônimo disse...

Bom dia, amigos!
Eu no começo da carreira tive a oportunidade de começar no Cesec(digitação), apesar de me lesionar, o ambiente de trabalho era legal. A maioria dos funcis eram jovens com outras propostas,estudar para sair do banco, o que era malvisto pelos chefes em fim de carreira.
Alguns destes, verdadeiros carrascos, sem o mínimo tato para liddar com pessoas, que só eram alçados ao posto para ficarem 2 ou 3 anos e aumentar seus benefícios pós aposentadoria, já que era no horário noturno.
Eu ao contrário lesado 2 vezes, no físico e no bolso. Porque comecei o tratamento médico e recebi de presente a transferência para o horário da manhã o que reduziu meu benefício Previ ao mínimo, pois perdi 60% de adicional noturno.
Por essas e outras não tenho a menor saudade do BB.
Abraços.

wilson luiz disse...

Nosso reajuste de junho, pelo INPC, fechou em 5,31%. Temos várias opções para gastar esta "fortuna": comprar televisão 3D para a copa, viagem à Europa(é verão lá, agora), trocar de carro, etc.
Já o nosso ex-indexador, o glorioso IGP-DI, fechou em mais de 12%.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caro Luiz Fernando.

Como você bem disse os números não mentem e a AAPPREVI mantém sua posição de não trabalhar com hipóteses. Há o superávit acumulado, isso é inconteste. E as cifras que valem são as que constam dos comunicados oficiais da PREVI.
Todavia, cada um tem o direito de caminhar sobre suas próprias pedras, se acha que esse é o melhor caminho.
Esses batidos argumentos impeditivos não são representam justificativas para se protelar pressão sobre os “donos da verdade” – Previ/Banco/Governo.
O que as associações tidas como representativas têm a fazer é agir. E logo! Discursos bonitos não rendem benefícios para nós, aposentados e pensionistas. Pena que a AAPPREVI seja embrionária e também não deva se misturar com a parceria recém formada entre a ANABB e a AAFBB. Mas bem que elas poderiam ter um rasgo de honestidade e partir para o confronto com as “forças do mal” das quais, lamentavelmente, participam.

Anônimo disse...

Colegas,
O que vale para nós(se é que vale), são os dados enviados pela Previ ao Ministerio da Previencia Social, constantes dos Demonstrativos de Resultados da Avaliação Atuarial, assinados, tambem, por representante do Patrocinador:
Sup. Técnico 44.202.895.964,55
Res. Conting. 18.247.263.701,08
Res. p/aj.Plano 25.955.632.263,47

Segundo os mesmos Demonstrativos, se fosse aplicada a Resolução 26:
Sup. Técnico 39.296.914.803,24
Res. Conting. 19.473.758.991,41
Res. Especial 19.823.155.811,84
Os dados podem ser confirmados no site da Previ.

Anônimo disse...

Alguem ainda acredita na Isa?
Sandra

wilson luiz disse...

Peço desculpas, enganei-me. Em meu comentário 09 junho, às 05:51 hs.(na verdade, foi às 10 hs.), disse que o IGP-DI foi de 12%, mas na verdade, deve ter fechado por volta de 3 ou 4%, abaixo, portanto, do nosso magnífico reajuste de 5,31%

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Wilson Luiz.

Sua credibilidade aqui no Blog continua com saldo positivo, o que não impede, todavia, de atentar para o policiamento de que somos vítimas com relação aos números de um modo geral.
Olho vivo!

wilson luiz disse...

Caro Marcos Cordeiro de Andrade, 9 junho, às 06:16 hs., confesso que fiquei com medo ao ler seu comentário. Concordo que as associações que se autoproclamam nossas representantes devem agir, mas devemos ficar muito atentos às suas atuações. Como estou em "férias dentro da aposentadoria", tive a paciência de fazer uma pesquisa sobre a atuação destas mesmas associações nas negociações de 2008. Foram meses e meses nos iludindo com promessas mirabolantes, sendo que logo se tornou claro o objetivo da PREVI e do BB, que era postergar qualquer decisão sobre a utilização do superavit até a edição da Resolução 26. Não encontrei, em todo o processo, uma palavra de protesto quanto à demora, quer por parte das associações, quer por parte de nossos representantes eleitos da Diretoria. Qual teria sido o motivo? Incompetência, omissão, conivência, má-fè???
O mais preocupante, hoje, é que a nossa incorruptível ANABB já lançou suas propostas, tentanto, novamente, liderar as negociações. Temos que ficar atentos, muito atentos.

GILVAN REBOUÇAS disse...

U R G E N T E !!!!!


SRA. ODETE MOREIRA SOARES, DE ANAPOLIS(GO), PRECISAMOS URGENTEMENTE QUE FAÇAS CONTATO COM A AAPREVI. ASSUNTO URGENTE RELATIVO A DOCOMENTAÇÃO DO SEU PROCESSO RENDA CERTA.


ATENCIOSAMENTE,

AAPPREVI

Anônimo disse...

Realmente a ANABB tem mais um plano mirabolante, confuso e suspeito para distribuição do superavit. Em nenhum deles atinge 100% dos associados, somente parte. Só tem uma maneira de atender a todos. Calcule um percentual e aplique sobre o benefício PREVI, ou sobre o somatório PREVI + INSS para todos sem exceção. A soma dos valores será o mesmo para o cálculo da contribuição a CASSI. Fora disso, qualquer plano é mais que suspeito, como o da renda certa que foi foi elaborado somente para atingir em valores astronômicos alguns amigos do rei. Fora ANABB.

Anônimo disse...

Será que a atual diretoria, principalmente aqueles indicados pelo Banco, irá cumprir o Código de Etica da PREVI? Principalmente no relacionamento com o Patrocinador, onde prevalece o interesse dos participantes ?

8. DOS RELACIONAMENTOS

Nos relacionamentos profissionais internos e externos, os funcionários e demais colaboradores praticam os ideais de integridade, respeito, honestidade, transparência, e buscam permanentemente os objetivos organizacionais.

8.2.3 - Com o(s) Patrocinador(es)
O relacionamento com o(s) patrocinador(es) caracteriza-se pela colaboração, consideração e parceria mútua, zelando sempre pelos interesses dos participantes.

Vamos exigir o cumprimento, zelando sempre pelos nossos interesses.

Anônimo disse...

Anonimo de 04:15,me desculpe mas voce esta viajando......
Publicar.

Isa Musa de Noronha disse...

Cumprimento ao colega Marcos pela criação do espaço "O BB de Outrora" no blog e agradeço pela divulgação de meu modesto texto relativo às minhas saudades.

Anônimo disse...

Caro colega, 07;49
Já que estou viajando, voce que está parado notou que existem dois pontos de interrogação no final das frases? ( aqui está mais um).
Não custa nada dar asas à imaginação. Cada um interpreta como quiser. É só não fazer como Icaro, que deu asas demais e..bem o resto acho que voce já sabe.
Tenha um bom dia!!

Anônimo disse...

Mais uma vez vem aquele aumentozinho ridículo (5,31%). Por outro lado até que se justifica, pois, a PREVI terá que economizar muitos milhões para pagar as ações judiciais que se avolumam cada vez mais.

Anônimo disse...

Marcos,

150 e mais alguma coisa de aumento, com isso encho o tanque de diesel da Ranger, ando mais ou menos 850 km, nada mal, sou só alegria, vcs deveriam vir ver........
e os caras dizem que vamos melhorar a vida dos participantes do PB1 .....mais promessas.

sergioinocencio

Luiz Augusto disse...

Faraco,
Parabéns pela sugestão apresentada no "Notícias relevantes" deste dia (10/06).
Obrigado por esta verdadeira lição de respeito e tratamento a todos os colegas que contribuíram EFETIVAMENTE para a formação do patrimônio da PREVI.

Luiz Augusto

Anônimo disse...

Colegas,é difícil, mas tenho que insistir. E mais uma vez volto a lembrar aquilo que já sabemos.
Sem querer ser pessimista, o que estamos assistindo é a destruição lentamente dos funcionàrios do Plano 1 do BB.
E tudo começou em 1995 com o PDV do FHC.Já se vai 15 anos.
Êle plantou seu joio no BB.
E a direção do BB copiou tudo,as fórmulas, etc do Bradesco.
Me lembro quando estive em Brasília em 1995 e fui recebido por uma assesor do Camargo, e o mesmo disse-me que estavam em reunião com o pessoal do Bradesco.
E depois me perguntou: no seu lugar, o que eu faria? Referindo-se ao plano diabólico de demitir "funcionários velhos" trocando os pelos mais novos.Fiquei boquiaberto, sem palavras.
E o Lula não mudou nada, prosseguiu com o plano de seu antecessor, embora tenha sido votado em massa pelos funcis do BB, principalmente aqueles que foram atingidos e esperavam reverter a situação.
Primeiro foram os da ativa em 1995 e agora são os aposentados.
E o que vemos hoje são os novos funcis ganhando mal, desmotivados,com um pé dentro e outro fora. Sem esperança de dias melhores. Muitos com curso superior.Como poderão ter família? Se para chegar a receber 1.900 reais terão que trabalhar 30
anos?
Vejam nos jornais de concursos, como folha dirigida e outros; vemos vagas com salários iniciais de quatro, cinco, seis mil reais e até mais.
Reajustes irrisórios de 5% ao ano.
Superávit travado.
Superávit para poucos.
Superávit para o banco.
Resoluçoes...

jeanne disse...

E o meu aumento que fou de 86 reais?Nem sei em que gastar primeiro...rsrsrs ou choro mesmo.Jeanne

rosalina_de_souza disse...

A ORAÇÃO QUE MUDA A SITUAÇÃO.

No antigo testamento a viúva é um símbolo típico dos inocentes, impotentes e oprimido ( EX 22.22-24 ; Is 10.1,2 ),por isso, a causa delas deveria com a maior urgência ser resolvida ( Is 1.17 ).Assim sendo, esta mulher tinha direitos legais que estavam sendo violados. Ela não tinha um protetor para coagir, nem dinheiro para corromper. Por isso mesmo, era o dever do juiz dar-lhe uma atenção especial. Provavelmente, a causa dela era financeira, pois se uma viúva tivesse algo que pudesse ser devorado, ela tinha adversários.
O clamor dela é um grito pedindo justiça e proteção e não vingança.
Outro aspecto a ser observado, é que no oriente médio, as mulheres não vão ao fórum, pois
era e é um país dos homens, e não se espera que as mulheres estejam entre eles. A luz desta resistência podemos afirmar que ela estava totalmente só, desolada, no meio de vários homens que também buscavam a solução para as suas causas. Como foi que essa viúva conseguiu chamar a atenção daquele juiz? Ela o importunava ( Lc 18.4,5 ).
A palavra aqui traduzida como “ ela me molesta “ é uma expressão que significa “ ela me da dor de cabeça!” ou seja, a insistência Dela o irritou, ele está convencido de que aquela mulher jamais desistirá, e ela não desistiu, mas foi persistente. Não obstante, essa mulher não só apenas consegue uma audiência, mas também consegue que a causa seja decidida em seu favor. Com base na atitude desta mulher, não há dúvidas de que a idéia principal nesta parábola é a persistência na oração. Se as necessidades desta mulher são supridas, quanto mais as necessidades dos piedosos que oram não a um juiz iníquo, mas a um pai amoroso. Embora a sua situação pareça ser desencorajadora e desesperada, não será tão má quanto a desta viúva ( Lc 18.6-8 ).
Deus da aos seus filhos, a certeza de que as suas orações são ouvidas e atendidas.
Assim sendo, nós os que estamos em aliança com Deus, só temos que saber orar, confiar e esperar.
Entretanto, não devemos ser persistentes na oração apenas em relação a intervenção decisiva de Deus na história e pelo que ele pode fazer nas nossas vidas, mas devemos buscá-lo sempre que ele parecer distante das nossas vidas e a nossa confiança vacilar. Quando o medo e o desânimo se apossam do nosso coração, nós somos desafiados a orar ousadamente e continuamente em face aos problemas, com plena consciência de que Deus agirá tendo em vista os seus melhores interesses e nos abençoará.
Conclusão da história:
Sergio Inocêncio, Jeanne todos nós que recebemos 5,31% de aumento, nossa hora vai chegar, vamos continuar confiando no Senhor, e acredite vamos vencer, não criamos a “AAPPREVI” para ser apenas mais uma associação,estamos inovando a maneira de agir e pensar, tudo isso graças a cada um de vocês que confia no nosso trabalho.
Recebi uma frase do nosso Presidente Marcos Cordeiro , que me encheu de energias positivas:
“BORRACHAS EXISTEM PARA APAGAR PALAVRAS MAL ESCRITAS NA LOUSA DA VIDA. VIDA QUE SEGUE.”
Vamos permanecer UNIDOS, nosso único objetivo: Ter dias melhores para todos aposentados e pensionistas do PB-1.

A todos vocês queridos amigos da nossa “AAPPREVI”.

Rosalina de Souza

LUIZ FERNANDO disse...

amigo MARCOS, pode ser interessante a proposta do colega Ivan REzende. O certo seria voltar ,inclusive a maneira de calculo do salario percebido da PREVI, que longe,longe mesmo se equipara aos que se aposentaram depois de 97. vamos pensar em outras possibilidades,tais como , recuperar o vp com os os interstiticios tirado que passaram de 9%,12%, para 3%, e ainda sem o anuenio. Seria um calculo individual.Infelizmente, so assim,faremos justiça a todos.E sempre lembrando, que para melhorar a media salarial,ante de 97,faziam Horas extras,comissoes "substituiçoes,tudo para que o calculo fosse la em cima.

Jane Torres de Melo disse...

Querida Rosalina,

Seu comentário é uma injeção de ânimo em nossos corações.
Estamos numa missão muito bonita que é lutar pelo respeito aos nossos direitos.
Já aconteceram mudanças e é dessa união que precisamos para alcançarmos nossos objetivos.
Te admiro muito !!!!
Jane

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Para conhecimento, pois é do nosso interesse:

Novo Código de Processo Civil propõe celeridade nos julgamentos

Fim da apelação, quando a sentença já estiver consolidada em súmulas do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF). Os processos morrerão na primeira instância. Naqueles casos não previstos em súmulas, a apelação, que hoje tem força para paralisar o processo suspendendo a execução da Justiça, não mais impedirá o cumprimento da sentença. Só em casos excepcionais. Essas são algumas das medidas que constam do anteprojeto de reforma do Código de Processo Civil (CPC), que será entregue nesta terça-feira (8/6) ao presidente do Senado Federal, José Sarney (PMDB-AP). A informação é do professor titular aposentado da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Humberto Theodoro Júnior, que integrou os trabalhos da comissão de juristas de todo o país, formada para esse fim em outubro do ano passado.

Mas há outras novidades. Multas pesadas, que podem chegar a 20% do valor da causa, para os advogados que apresentarem recursos apenas para retardar o processo, o que no juridiquês se convencionou chamar de “litigância de -má fé”. Além das multas, os recursos usados para procrastinar a Justiça estarão sujeitos à imposição de honorários advocatícios pelo juiz: a parte que usou maliciosamente o recurso deverá pagar ao advogado da outra parte cada vez que entrar com um novo recurso e perder. A redução das possibilidades de recursos, que não dizem respeito ao mérito do conflito, mas ao andamento do processo, também é proposta destinada a agilizar a tramitação e a execução da Justiça.

Novidade
Já aplicada em países da Europa, como a Alemanha, outra grande novidade no anteprojeto, mas que no Brasil constitui proposta pioneira, é a chamada coletivização do resultado de ações repetitivas em primeiro grau. “Temos uma sociedade de massa. Todas as vezes em que um mesmo tipo de ação – no campo da telefonia, dos tributos, envolvendo servidores públicos — pipocar em diversas comarcas, ao ser detectado que a questão se repete, qualquer interessado poderá provocar a remessa ao tribunal”, explica Humberto Theodoro Júnior. Caberá ao tribunal julgar o caso, que passará a ser paradigma, com a sua solução comunicada a todos os juízes. “O primeiro efeito é admitir o incidente. Quem admite é o tribunal, que verifica que está havendo repetição e expede circular aos juízes para aguardar julgamento único. É a dinâmica de racionalidade de efeitos magníficos se for implantado”, considera o professor.
Fonte: Correio Braziliense

Observação do Blog:
O Presidente Sarney declarou que se empenhará para que entre na pauta de votação ainda no decorrer deste ano.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Ao Colega Luiz Fernando e aos demais, aposentados e pensionistas:

A AAPPREVI, contando com o concurso dos seus colaboradores diretos, está preparando um trabalho que contemple minuciosamente as expectativas de mudanças. Essa matéria, depois de examinada e aprovada, será divulgada aos associados e encaminhada aos Órgãos comopetentes para promover sua inclusão nas discussões que se espera, tais como Banco do Brasil, PREVI, FAABB e demais Associações de aposentados e pensionistas do nosso âmbito. Também será levada ao conhecimento dos "experts" que já se movimentam divulgando suas proposições com igual finalidade.
Para tanto, todas as sugestões serão acatadas para exame.

Paulo Beno disse...

Que bom seria que a Celia Larichia e o Aldo Alfano carimbassem seus "Recebido em / /2010"
"De acordo " / /2010"
"PROVIDENCIADO" (rubricado) !
Trata-se da CARTA ABERTA do colega Sergio Faraco, plenamente justificada em "Noticias Relevantes" 08/06/2010.
Parabéns !

Anônimo disse...

D.Rosalina,mais uma vez a senhora me emocionou.Parabens pelo seu comentario.Belissimo.
Sandra

Anônimo disse...

Prezado Marcos.

Com referência ao seu comentário sobre o novo Código Civil é bom que todos saibam que o ilustre professor HUMBERTO THEODORO JUNIOR foi funcionário do BB na década de 1960, na Agência de Ituiutaba (MG), de onde saiu para galgar altos postos no Judiciário Mineiro. Por ser um profundo conhecedor dos assuntos jurídicos, acho ser uma pessoa apta a nos prestar qualquer esclarecimento sobre os nosso direitos usurpados pelo BB e Previ.
Um forte abraço a todos.

Ivan Rezende disse...

O BB DE OUTRORA- Procópio, de Jacobina: O PC deve ter sofrido bastante com o Coelho, hoje aposentado e residente em Uberlândia, joga para a equipe de Goiânia nas jornadas do CINFAABB, embora as AABBs de Belo Horizonte e Salvador lhe oferece vantagens caso dispute por eles. Corpo atlético, sem quaisquer vícios, ainda desequilibra em campo.

airton disse...

AOS AMIGOS DE BLOG.
ESTOU PRECISANDO URGENTE DO ENDEREÇO, TELEFONE E E-MAIL DO DR. IVO EVANGELISTA AVILA.
O dr. Ivo é meu advogado e não consigo falar com o seu escritório.
Fui pedir informações a ANABB e "GENTILMENTE" (pra não dizer de outra forma)a recpcionista disse que não poderia informar nada para mim. É isso que serve a ANABB.
Não presta para nadada. Só come a nossa mensalidade.
Por favor quem souber publique neste blog.

wilson luiz disse...

A PREVI vai subscrever mais R$ 800 milhões em novas ações do Banco do Brasil. Assim vai se consolidando a simbiose PREVI/BB, na qual ambos vão se fundindo em uma única entidade maligna, que se preocupa apenas com seus próprios interesses, pouco se lixando para nós, associados, ou com os funcionários do Banco.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros colegas.

EU TE PROCURO é o título do mais novo serviço criado no blog Previ Plano 1. Está disponível logo abaixo do BB DE OUTRORA, na coluna ao lado, onde é possível publicar fotografias estampando antigos colegas com quem gostaríamos de manter contato. Eu inaugurei o espaço com a minha foto acompanhado de dois amigos que procuro. Participem também.

Mariano Branquinho disse...

Colega Airton, segue o solicitado:

SAS, Quadra 6 -Bloco K - Ed. Belvedere, conjunto 1102 - Brasilia DF e e-mail: magno@ivoavila.adv.br

Abraços Mariano Branquinho

Ivan Rezende disse...

Airton, sempre fui bem atendido pelo escritório do Dr Ivo, telefone 061 3226 9800. Só que durante toda esta semana tentei ligar para lá e ninguém atendeu.
Também enviei mensagem, sem retorno.

mauro disse...

Colega Wilson Luiz,dia 11.06, 17:10 Na simbiose, um organismo contribui com algo que ajuda a sobrevivência de outro e, em troca, recebe um benefício para sobrevivência de si mesmo.
Infelizmente, no caso PREVI/BB, o benefício vai apenas para o lado do Banco(bilhões de R$ R$ R$ R$), e nada vem em retorno, nem mesmo uma mísera autorização para um pequeno benefício que aliviasse a situação aflitiva dos associados.

Anônimo disse...

A QUEM POSSA INTERESSAR A RESPEITO DE SUPERAVITS E SUAS FORMULAS MIARABOLANTES. TEMOS, AINDA QUE PESE A IDADE, APRENDER E PRATICAR O BOM SENSO E, REALMENTE TOMAR CONHECIMENTO DE QUE TODOS SOMOS IGUAIS.

Com relação as sugestões para a distribuição do superavit Previ nota-se o interesse pessoal de cada um para resolver seu próprio problema, seguindo a mesma forma quando da distribuição do superavit em 2007. Por que digo isso. Vamos aos fatos. Por que pagar renda certa, proporcionalidade na aposentadoria para quem aposenta antes de 360 meses, etc. Todos os fatos que antecederam a aposentadoria de cada associado ele tinha previo conhecimento das regras, pois ninguém pode alegar ignorância ou desconhecimentos dos normativos que regem a Previ. Se recolhiam para a Previ despois de aposentados era uma obrigação que consta nos normativos. Na aposentadoria antecipada todos sabiam a formula de seu cálculo. Então quem bolou tudo isso é por que tinha interesse em levar vantagem. Por que não distribuir de forma isonômica o superavit? Por que ficar buscando fórmulas para beneficiar de forma pecuniaria para corrigir alguma falha que alguns acham que existem nos normativos da Previ. Se existem falhas nas regras vamos alterar os normativos de acordo com os artigos específicos. Não vamos buscar fórmulas mirabolantes
para beneficiar alguns e milhares serem prejudicados. Vamos ampliar as situações. Muitos dos aposentados reclamam que não foram beneficiados com a renda certa. Tudo bem, já que alguém inventou essa história, logicamente ela terá seus desdobramentos. Só que a maioria desses aposentados ( de 1996 a 2002) tiveram reajustes em seus benefícios, inclusive um aumento superior a 30%. E nós que estavamos na ativa e ficamos esse período sem reajustes salariais ficamos totalmente prejudicados em nossa aposentadoria que sofreu uma redução astronomica com isso. E ninguém pensou nesse fato, principalmente os que já estavam aposentados nesse período. Acho que nós temos em nosso corpo social mais egoistas do que pessoas com alto grau de compreensão, sensibilidade e bom senso, de que nós todos temos os mesmos direitos. Não venham com essa história de recuperar alguma coisa por que nossos normativos não estão condizente com aquilo que almejamos e por isso vamos levar vantagem causando prejuízos como aqueles que não estão recebendo nada do superavit 2007. Se, como já disse, vamos mudar os normativos, pois os que não se enquadraram nas fórmulas de "recuperação" estão por demais prejudicados e não vejo ninguém tentar resolver essa situação, exatamente por que não se enquadraram em nada, então ficam simplesmente sem direito a nada e niguém vem em defesa desses milhares de colegas que não foram beneficiados, enquanto aqueles que se julgam que podem enquadrar em aguma fórmula estão buscando afoitamente os seus direitos, inclusive através de associações e essas essas associações não estam buscando o "direito" ao superavit para aqueles que não se "enquadraram". Isonomia para que? Isso me cheira a pura demagogia e falta de bom senso. Vamos pensar em todos e não simplemente em que eu posso levar vantagem. Vamos usar o mais elementar dos direitos que é a isonomia. Deixem de apresentar fórmulas mirabolantes, pois, para se praticar a isonomia basta apenas uma fórmula. Que todos sejam beneficiados isonomicamente.

Anônimo disse...

O ambiente em que vivemos tem alguma semelhança com o Absolutismo, que no seculo XVII-XVIII dominava a Europa, e tinham o apoio da burguesia. Uma das principais caracteristicas dessa corrente era que os privilegios (honras, riquezas, poderes e acesso exclusivo a cargos) eram reservados a um pequeno grupo de pessoas.
Nicolau Maquiavel disse, com sabedoria: "cada povo tem o governo que merece". Talvez, naquele tempo, tivesse razão. Mas, hoje, não merecemos o desgoverno que temos e, embora a constituição estabelece que "todos os brasileiros são iguais perante a lei", sabemos que há controvérsias.
O tratamento que nos dispensam é o espelho disso.

"O homem, é o unico ser vivo que precisa ser educado. O homem não pode se tornar homem senão pela educação." Immanuel Kant

AIRTON disse...

AOS COLEGAS BRANQUINHO E IVAN, AGRADEÇO A INFORMAÇÃO. JÁ PROVIDENCIEI O E-MAIL E OBTIVE RESPOSTA DO DR. IVO PORÉM AINDA ESTOU NA BERLINDA. A RECEITA FEDERAL NÃO CONCORDA COM OS VALORES E NÃO CONSIGO A TUTELA ANTECIPADA. ESTAMOS CERCADOS POR TODOS OS LADOS PELO GOVERNO DO PT. JÁ NÃO SEI MAIS O QUE FAZER.
MESMO ASSIM MUITO AOBRIGADO PELA AJUDA.
ABRAÇOS DO COLEGA AIRTON

Mariano Branquinho disse...

Valeu Airton, eu também estou na mesma situação. Tenho um processo sobre IRPF - Venda de férias, abonos, etc. O mesmo já completou 14 anos, na Justiça em Brasília.
Vamos rogar a Deus que uma dia seja resolvido.
Abraços Mariano Branquinho

AÇÕES JUDICIAS _Vitória! disse...

Novidades do STJ :
Por 5 x 4 ganhamos a disputa com a PREVI, nas ações de "Cesta-Alimentação"e dos "Tres Abonos" onde tais processos devem seguir na Justiça Comum, por ter caráter REMUNERATÓRIO .
Já já no STF também ganharemos da PREVI sobre o mesmo assunto, pois o placar está em 4 x 0 a nosso favor e o Ministro Joaquim Barbosa "pediu vistas", está adoentado, mas acatará Jurisprudencia firmada em 2009 no próprio STF e tende a seguir o STJ.

Parabéns as 2 cortes supremas do nosso País: Auxilio cesta-alimentação é de caráter Remuneratório(Justiça Comum) e não Indenizatório como queriam Previ,Petrus e outros mais, para cair na Justiça do Trabalho, onde há súmula para não pagar este benefício aos aposentados e pensionistas.(pelo caráter "Indenizatório")
Tais acordãos tem força de LEI !
Vamos à JUSTIÇA, pois o Direito está conosco...cada vez mais !
(Paulo Beno - Carazinho RS)

Mariano Branquinho disse...

Alô Colega Paulo Beno, seria possível fornecer o numero de um processo que está no STJ e outro no STF. Tenho um processo sobre Cesta Alimentação que seguiu para essas Instâncias, mas não consigo localizar. Desde já agradeço.

Mariano Branquinho

Paulo Beno disse...

Colega Mariano Branquinho :
Ao solicitado, segue os números:
NO STJ: Agravo de Instrumento 1.225.443, contra a PREVI (5x4)
NO STF:Rec.Extraordinário da PETRUS nº 586.453 e nº 583.050 do Santander onde o placar está parado em 4x0 .
Os Fundos de Pensões estão "esperneando" e vão perdendo em ambos Tribunais de última instância que decidiram que Ação de Cobrança da "Cesta-Alimentação" deve tramitar na Justiça Comum Estadual, pondo fim ao cipoal que os Fundos querem criar.
Aqui em Carazinho(RS) já pedimos em 2 processos(12 aposentados) os alvarás para sacar a parte incontroversa já depositado pela PREVI R$ 27.412 para cada um desde 2001, permanecendo na briga pela diferença de R$ 4.307, além de implantar já os próximos pagamentos mensais na Fopag (Verba P-374).
Notem que a PREVI já aloca recursos para tais pagamentos judiciais em Reserva no "Exigível Contingencial" de 1,2 bilhões de reais-
Um abraço

Mariano Branquinho disse...

Valeu colega Paulo Beno, obrigado pela informação.
Abraços Mariano Branquinho
João Pessoa (PB)