quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Nota Conjunta

Caros Colegas.

De nada adianta divulgar notas esparsas condenando os abusos e desmandos perpetrados sistematicamente contra o patrimônio da PREVI. Essas investidas espúrias estão acobertadas por falsos argumentos que ludibriam a Lei e a opinião pública, mas, está comprovado que o impacto causado por denúncias é insignificante, pois repousa restritamente no seio dos leitores do autor e do veículo em que ocorre a propagação.
Enquanto não se adotar uma linha de conduta massificada, com a união de pensamentos e atos vindos do conjunto dessas mentes privilegiadas - detentoras da capacidade de convencimento para esclarecer e cobrar providências - permaneceremos nesse marasmo improdutivo que somente beneficia os segmentos aproveitadores. Essa temerária situação se evidencia notadamente no momento atual, em que se inicia a corrida para ocupação do poder central da República, bem como da Direção da Previ, guardiã do invejável patrimônio de que se trata.
Nomes acreditados compostos por colunistas de renome, dirigentes de associações e muitos outros, poderiam fazer uso dos seus conhecimentos e posições na sociedade para editar uma nota conjunta, com enfoque de repúdio ao uso político da Previ, notadamente do patrimônio do seu Plano de Benefícios n° 1.
Esses nomes seriam compostos por articulistas, dirigentes de associações, aposentados, pensionistas e quantos enquadrados no rol de capacitados para a missão. No conjunto seriam desprezados adjetivos qualificativos indicadores de ideologias, partidarismos, facções políticas ou religiosas, e aí repousaria a credibilidade da denúncia, pelo conjunto dos seus mentores – vox populi vox Dei.
Essa nota seria redigida por um desses notáveis e distribuída aos demais para apreciação com avaliação crítica e acréscimos ou reduções devidas, após o que retornariam essas cópias ao responsável pela unificação dos enxertos para composição final. Somente então mereceria o aval definitivo de todos para o uso que se pretende. Isto é, publicação nos sites e blogs das Associações de aposentados do BB e remessa aos poderes competentes na adoção de providências (OAB, CNJ, AMB, CNBB, Câmara e Senado Federal), além do envio aos presidenciáveis e, por fim, publicação em jornal e revista de grande circulação no País. Tudo simultaneamente.
As despesas decorrentes seriam rateadas entre as Associações e Federação, em montante proporcional ao seu poder de aglutinação de sócios. A centralização dos trabalhos ficaria a cargo da FAABB, na pessoa de sua Presidente Isa Musa de Noronha, pela sua reconhecida liderança e facilidade de comunicação com as Associações dos nossos aposentados espalhadas pelo território nacional.
E os nomes encarregados da meritória tarefa poderiam ser compostos, dentre outros por:
Aldo Alfano, Antonio Fausto do Nascimento, Carlos Valentim Filho, Fernando Tollendal, Gilberto Santiago, Isa Musa de Noronha, José Anchieta Dantas, Jorge Teixeira, Marcos Coimbra, Nereu João Lagos, Raul Avellar, Roberto Abdian, Roberto Tiné, Ruy Brito, Sérgio Faraco...
Esta proposta é feita com o intuito de pôr fim às bárbaras manipulações prejudiciais ao patrimônio do PB1, cujos participantes assistem impotentes ao perigoso desbaste da poupança garantidora de sua inatividade assistida.
Desde já este Blog coloca-se à disposição de quantos queiram abraçar esse direcionamento. As adesões podem ser dirigidas para marcosmca@yahoo.com.br
ou www.faabb.com.br

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 25/02/2010.

41 comentários:

Lázara Rabelo disse...

Caro Marcos,

Gostei muito da sua idéia, vamos transformá-la em realidade. Noto que do modo como agimos até hoje, não está trazendo os resultados desejados. No início de 2009, ocasião da contabilização pelo Banco, dos 5 bi e 400 milhões de dinheiro da PREVI, denunciei o fato, por email, ao jornalista Luis Nassif, mas infelizmente nada a respeito foi publicado.
Conversando com um colega aposentado, este comentou que há suspeita de estar havendo por parte do Banco, transferência para a PREVI, como cessão de créditos, de operações do Banco sem chances de recebimento. Se algum frequentador daqui souber mais detalhes, seria bom complementar.
Voltando ao assunto da Nota Conjunta, sugiro que a mesma seja entregue pessoalmente aos respecitivos orgãos: Ministério Público, OAB, Senado, Câmara, etc., por grupos de 5 a 10 colegas, fazendo uma explanação do que está acontecendo.E que seja enviado para Blogs de jornalistas, como Azenha, Rodrigo Vianna, Noblat, Claudio Humberto, Luis Nassif, Paulo Henrique Amorim, Josias, e vários outros.
A Cecília colocou em seu Blog notícia publicada no site do Estadão, de 22.02.10, sobre investigações da Polícia Federal a respeito de desvio de dinheiro pelo ex-vice governador do DF, Paulo Otávio, envolvendo 3 Fundos de Pensão, mas não citam quais são. Alguém saberia, se um deles por acaso é a PREVI?
Marcos, continuo meu trabalho de convencimento de colegas, para associarem à nossa AAPPREVI, mas tenho percebido que o pessoal anda um pouco arredio, escaldado com as que aí estão e nada fazem, mas não desanimo, vou continuar insistindo.

Abraços,
Lázara

Mariano Branquinho disse...

Colega Marcos, mais uma vez excelente sua idéia, estamos unidos para colocarmos em prática, e muito bom e oportuno o comentário/sugestão da colega Lazara. Continuo lutando por adesões para nossa AAPPREVI.
Abraços
Mariano Branquinho

rosalina_de_souza disse...

Marcos temos que apoiar esta idéia, ela reflete o pensamento de todos os colegas que aqui freqüentam, esta é a melhor hora para compormos este manifesto, pois é época de eleições e vamos ver quais os candidatos terão compromisso com este manifesto.
Isa Musa de Noronha,aceite esta tarefa seja você a primeira a se manifestar favorável a esta iniciativa e todos sairemos ganhando,vamos buscar a união de todos para o bem comum, olhe atentamente aos colegas aposentados e as pensionistas que estão atravessando a pior crise de suas histórias, todas as portas que batemos recebemos um não como resposta, vamos lutar por melhorias para todos.
Colegas citados para redigir o manifesto abrace a causa, vamos dar dignidade aos colegas cansados, endividados, sem perspectiva de melhorias, vê sua vida minguar a cada dia, vamos largar o orgulho de lado e vamos abraçar o manifesto para termos condições de dias melhores, ajude quem esta sufocada a pelo menos ter um resto de vida digno.
Isa Musa tem muita força, tem o privilégio que Deus te deu não desperdice a chance de abraçar com a alma esta luta, pois ela há de ser “URGENTE”, para a melhorias das condições de vida de muitos, muitos colegas do plano 1 de benefícios da previ.

Anônimo disse...

Colegas,
É preciso dar um "basta" nessas contabilizações do BB. Percorrendo os arquivos do blog da Cecilia, vejam as explicações sobre a contabilização do 1º semestre de 2009:

"Em primeiro lugar, o Banco novamente utilizou a prerrogativa da Deliberação CVM n. 371/2000 para contabilizar em seu balanço possíveis ganhos “atuariais” do Plano de Benefícios 1 da Previ, no montante de R$ 596.5 milhões. Nas notas explicativas às demonstrações contábeis de 30.06.09, é dito: “O ativo atuarial de R$ 8.410.423 (R$ 2.091.561 mil, em 30.06.2008) está registrado a valor presente conforme cálculos atuariais requeridos pela Deliberação CVM n. 371/2000. Sua realização ocorrerá obrigatoriamente até o final do plano. Entende-se por final do plano, a data em que será pago o último compromisso (pensão) do Plano 1. Poderão ocorrer realizações parciais desse ativo atuarial, condicionadas ao atendimento dos requisitos dispostos na Lei Complementar n. 109/2001 e na Resolução CGPC n. 26, de 29.09.2008.”

Um ativo atuarial de R$ 2 bilhões, em um ano passou para R$ 8 bilhões(notável atualização de 300%). Diz, ainda, a nota que poderão ocorrer "saques", ai entendidos como reais. A palavra usada está correta: estará havendo, literalmente, um saqueamento.
Na nota, a colega, ao que parece, já dá como certa a transferencia ao BB.
O que restará a nós? As nossas denuncias não tiveram nenhuma resposta? Qual a razão de tanta desídia? Porque nosso grito não faz eco? Devemos, ou podemos, ainda acreditar na justiça?

Anônimo disse...

Manchete da F. de São Paulo de hoje:


(...)O Banco do Brasil se apropriou de R$ 3 bilhões da Previ, o fundo de pensão dos seus funcionários, e encerrou 2009 com um lucro líquido anual recorde de R$ 10,15 bilhões, o maior já apurado por um banco no país, segundo a consultoria Economática. Sem o impacto desse adiantamento e de outros ganhos extras, o lucro cairia para R$ 6,9 bilhões no ano passado.
Esse ganho decorre de dinheiro que "sobra" no caixa da Previ após os pagamentos aos aposentados. É um ajuste de contas que o BB costuma fazer como patrocinador da aposentadoria dos funcionários, que, normalmente, representa despesas.
Um desses planos, porém, já fechado para adesão após mudança de regras, passou a ter cada vez menos desembolsos com a morte dos beneficiários.
Como o número de aposentados vai cair mais, a tendência é que esse plano se torne cada vez mais superavitário.(...)

Anônimo disse...

Excelente iniciativa. Atenção pessoal, como alguém já propôs: vamos arregimentar UM novo sócio por mês. Nada de dúvidas.

Ari Zanella disse...

Sapientíssima esta idéia de Nota Conjunta. É o que podemos chamar de Teoria-Prática por osmose. É por aí o caminho. Oxalá, todos os envolvidos sugeridos no texto e mais outros que venham agregar, se envolvam de corpo e alma no assunto. Mais do que nunca precisamos de união. Velhos chavões testados, experimentados e aprovados: "a voz do povo é a voz de Deus", "povo unido jamais será vencido", "querer é poder", etc.
Estou otimista e convencido de que esta simples atitude, desde que chegue realmente os destinatários propostos, dará frutos ao nosso Plano de Benefícios 1. Conclamo a todos, notadamente aos notáveis lembrados no documento, para que nos ajudem agora (o tempo está a nosso desfavor) a elaborar o documento proposto.
Meus melhores votos a todos.

Isa Musa de Noronha disse...

SUGESTÃO DE NOTA CONJUNTA
NOTA DE ESCLARECIMENTO



Os signatários, todos aposentados do Banco do Brasil e assistidos pela Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil – PREVI, esclarecem à sociedade em geral que:
Já no balanço do exercício encerrado em 31 de dezembro de 2008, o Banco do Brasil anunciava que “(...) revisou os cálculos de seus ativos e passivos atuariais de acordo com a Deliberação CVM n.º 371/00, da Comissão de Valores Mobiliários, e em decorrência da Resolução CGPC n.º 26, do Conselho de Gestão de Previdência Complementar, de 29.09.2008. (...)

Dessa revisão resultou a contabilização de parte dos ganhos atuariais não reconhecidos do Plano de Aposentadoria e Pensão (Plano de Benefícios n.º 1, da Previ), no valor de 5.326 bilhões.(...)" Entidades representativas do funcionalismo do Banco do Brasil recorreram à Justiça, à Comissão de Valores Mobiliários, ao Ministério Público contra essa medida ilegal e arbitrária. Esses processos continuam em curso, inclusive com Liminar suspendendo os efeitos da Resolução 26 do Conselho de Gestão de Previdência Complementar.
Destarte, O Banco do Brasil S/A alega ter se baseado em uma Resolução cuja legalidade está a ser questionada em processos judiciais acolhidos e aceitos nos quais foram exaradas decisões liminares que proíbem o Banco do Brasil de efetuar qualquer reversão de parte do superávit da PREVI até decisão judicial de mérito definitiva. Mas, ainda que assim não fosse, a informação, noticiada pelo Banco do Brasil, de que se baseou na Resolução nº 26, também carece de veracidade, eis que a referida Resolução 26 contém exigências não observadas pelo Banco.
Ao repetir a prática, agora, relativamente ao Exercício 2009, com a contabilização de cerca de 1,6 bilhão da Previ, o Banco do Brasil S.A. é recorrente em erro.
Tal contabilização configura prática contábil de registro de ativo sujeito a litígio judicial com repercussão no resultado do exercício. A contabilização, ainda que favorável no momento presente aos acionistas minoritários, pode ser revertida a qualquer tempo com graves danos à posição acionária desses e o Banco do Brasil não tem base legal para sustentar sua afirmativa de que o judiciário vai pacificar seu entendimento em relação ao direito e forma de divisão de superávit.
Razão porque, por estas relevantes questões, os signatários denunciam o Banco do Brasil por práticas nocivas ao patrimônio da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil e rogam por soluções saneadoras.

SEGUEM AS ASSINATURAS:

Isa Musa de Noronha

Paulo Beno disse...

Excelente idéia !
Nota-se que os grandes jornais já estão "mancheteando" que o BB obteve o lucro publicado, usando parte do superavit da PREVI !

Outra notícia informa que o Unibanco/Itaú perderam o primeiro lugar para o BB, graças a "manobra contábil usada pelo BB" em usar "sobras do fundo de pensão PREVI".

É bom ler e ouvir isto da grande mídia! Vamos, com certeza, municiar todos com notícias verdadeiras, que estamos apurando.

Anônimo disse...

Sugiro que criemos um fundo para viabilizar a publicação da Nota Conjunta. Não podemos mais esperar.
Vamos dar um basta à essa corja de piratas que continuam saqueando a Previ.

Anônimo disse...

Na condição de sócio da AAPPREVI, aprovo plenamente a "Sugestão de Nota Conjunta - Nota de Esclarecimento" brilhantemente elaborada por Isa Musa de Noronha. Parabenizo também a Rosalina por sua enfática participação.
Euclides.

Anônimo disse...

Parabens mais uma vez Marcos pela nova ideia.Obrigada Isa Musa por sua participaçao.Mais uma LUZ brilha para nos,sigamos em frente
colegas,nossa UNIAO sera muito importante.DEUS esta conosco.
Sandra

Rubem Tiné disse...

Concordo plenamente com a idéia, é tentar, via imprensa, mostrar o absurdo, que aliás é peculiar no regime capitalista, do poderoso, no caso o BB, não respeitar as leis pois sabem que ficaram impunes, como a resolução 26 está suspensa, o banco jamais poderia usar a premissa de apropriar-se do superávit. Acho esta medida mais sábia e oportuna do que novas ações judiciais, é isto que o banco quer, empurrar com a barriga com a "ágil" justiça do Dr. Gilmar à frente, não veremos a cor deste dinheiro, temos que pressionar a opinião pública, os políticos e tentar uma negociação justa, só assim podemos conquistar alguma coisa.

Anônimo disse...

Caro amigo Marcos Cordeiro.

Os jornais de hoje estão publicando com grande destaque o fabuloso lucro do BB. Parece que o nosso patrimônio (PREVI 1), está também,sendo responsável pelo feito. Quer dizer, nosso suado dinheirinho vai ser desvirtuado para o pagamento de dividendos aos acionistas, dentre eles o Gov.Federal. Agora o mais importante: embora o colega tenha desmonstrado, através do grupo, uma honestidade e uma grande disposição em reverter a atual situação em favor dos aposentados e pensionistas, penso que, com apenas R$10,00 por mês não chegaremos a lugar nenhum. Muitos de nós temos condições de um aporte muito maior para o grupo "Previplano1". Pois, para fazer frente a poderosa máquina do BB, PREVIC, CUT, GOVERNO DO PT, etc. precisamos ser muito mais fortalecidos financeiramente. Inclusive para contar com o opoio dos colegas citados:ISA MUSA, ALDO ALFANO, GILBERTO SANTIAGO, RUY BRITO, e muitos outros. Fica muito caro para poder contarmos com o opoio da Mídia. Creio que muitos querem colaborar, mas por algum motivo preferem permanecerem no anonimato. Quero que o colega e os demais componentes do grupo reflitam sobre o assunto.

Anônimo disse...

A hora é agora. Senti firmeza em todas as mensagens. Estarei aguardando, sedento de justiça, qual será minha contribuição para mostrar à opinião pública o que esse Governo está fazendo conosco.
Se não fosse tão cara, uma inserção em horário nobre na TV, poderiamos até reinvindicar junto à ANABB ( que tem dinheiro sobrando) que nos auxilie, já que lhe falta iniciativa.

Anônimo disse...

Prezado Marcos,

Concordo com os termos da excelente "Nota Conjunta" elaborada pela ilustre colega Isa Musa de Noronha, que também assino por mim e, na qualidade de Diretor de Comunicação, pela AFABBJ.
Porém, tomo a liberdade de sugerir as seguintes alterações:
a) no 3º parágrafo, acrescentar, após o montante da contabilização (R$ 5,326 bilhões), o lucro líquido adicional gerado de R$ 2,5 bilhões. Ficaria assim:

"Dessa revisão resultou contabilização ..... no valor de R$ 5,326 bilhões, a qual gerou lucro líquido adicional de R$ 2,5 bilhões ..... "

b) no 5º parágrafo, mencionar a contabilização bruta de R$ 3 bi.
(manchete do caderno Dinheiro-1 da Folha de São Paulo de hoje: "BB TEM LUCRO RECORDE COM DINHEIRO DA PREVI - O Banco trouxe R$ 3 bil. em receitas de ajuste de conta com fundo de pensão ...").
Por isso, sugiro a seguinte redação:

Ao repetir a prática, agora, relativamente ao exercício de 2009, com a contabilização de cerca de R$ 3 bilhões da PREVI, o Banco do Brasil é recorrente em erro, eis que impactou seu balanço com aumento do lucro líquido em R$ 1,6 bilhões.

Nota: O ideal seria mencionar o valor exato da contabilização bruta, que deve ter oscilado em torno dos R$ 3 bilhões.

Carlos Valentim Filho
Joinville (SC)

Jane Torres de Melo disse...

Caro Marcos,
Parabéns pela iniciativa !!!!
A verdade tem que aparecer, principalmente na Mídia.
O Globo de hoje noticiou:

'....O balanço do BB, que já considera os números integrais da Nossa Caixa e de parcela do Votorantim(compradas no início de 2009), foi ENGORDADO por uma receita extra de R$ 3 bilhões referentes à contabilização de ganhos atuariais não reconhecidos do plano de aposentadoria de seus funcionários. Ao londo dos anos, o BB e os funcioários contribuíram num volume maior do que a necessidade efetiva para financiar as obrigaçõs futuras desse plano de aposentadoria. Esse excesso de contribuições acabou sendo investido em ativos que geraram ganhos extras para o fundo, segundo Marco Giovane Tobias, gerente de Relações com Investidores do BB. ..."

Agora, eu pergunto, a Resolução 26 só vale para nós ?
Quando vc liga para a Previ a Atendente informa que o Superávit está sub-júdice.

Não precisa explicar, eu só queria entender !!!!!

Não eram R$1 bi e 600 , passou para 3 bi?

Não podemos, mesmo, ficar inertes perante a todos esse fatos.
Querida Rosalina, muito boa a sua colocação.
Isa Musa sempre presente na luta pelos nossos direitos.
Abraços,
Jane

Jane Torres de Melo disse...

Caro Marcos,
Uma correção no meu comentário:
A pricípio seria R$1,6 bi, mas na reportagem do O Globo constam R$3 bi.
Vc saberia dizer qual foi o valor correto da "apropriação contábil"?
Aguardo retorno.
Abraços,
Jane

Marcos Cordeiro (André) disse...

Jane.

Ainda não é do domínio público esse valor exato. Todas as fontes citam números aproximados. Nem jornais, Associações ou mesmo o Banco ou a Previ foram precisos na divulgação.

Anônimo disse...

Colegas ,
Seria prudente verificar a contabilização efetuada em 30.06.2009 ( 1º semestre) cuja atualização ultrapassou a casa dos 8 bilhôes, conforme informações do blog da colega Cecilia.
Quanto aos valores informados nos jornais, tratam-se de numeros brutos, sem a deduções legais.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Caros Colegas.

Na Nota Conjunta que se pretende elaborar, a excessiva citação de números relacionados a valores ou a normativos desestimula a sua leitura, visto que enfada o leitor e afasta seu interesse ao conhecimento da matéria. De se notar que o texto deverá ter o foco direcionado a um público eclético envolvendo, principalmente, a opinião de massa. Em que pese o desejo de se alcançar primordialmente as autoridades e segmentos da sociedade portadores da capacidade de ajudar-nos, não podemos esquecer que o assunto é polêmico e tem-se mantido à parte dos noticiários corriqueiros. Considere-se, também, que o manifesto para ser veiculado na mídia deverá comportar texto sucinto e elucidativo (pelo seu custo e capacidade apelativa), fixando a atenção do leitor comum e aguçando a curiosidade das autoridades competentes para aprofundar-se na matéria, buscando maiores detalhes a partir dos indicativos que ali estejam presentes. Particularíssimos dados técnicos do nosso conhecimento nem sempre serão bem acolhidos pelo público alvo. O que interessa, na verdade, é o núcleo da questão: denunciar a rapinagem de que é vítima o Plano de Benefícios n° 1, da Previ, advindo então a esperada ajuda instigada pela estupefação e indignação dos segmentos capazes de interpor questionamentos – os setores da sociedade com poderes para interpelar o poder Executivo.

Anônimo disse...

Prezado Anônimo de 26.02.2010 às 13:30hs:

Esqueça a tal da ANABB... Se ela quisesse fazer alguma coisa a nosso favor já o teria feito. Desculpe, mas esta citação está parecendo ingenuidade demais, ou matéria paga. Os tempos são de agir com isenção, nada de pelegos (a Anabb), etc e tal.

Anônimo disse...

Colegas acredito que esta nota em conjunto se levado ao conhecimento de ITAU/UNIBANCO e BRADESCO certamente teremos grandes chances de ver nossa denuncia propalada para toda a imprensa,pois afeta em 1 lugar a eles pois nao estão usando artificios para suas contabilidades,por isso minha sugestão é que após elaborado o manifesto este segue protocolado junto a estas diretorias.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Ao ITAU-UNIBANCO.

A usurpação de sua colocação no ranking dos maiores lucros da história no setor, foi perpetrada fraudulentamente pelo Banco do Brasil S.A. que usou artifícios contábeis para engordar seu balanço ao utilizar dinheiro pertencente à PREVI, juridicamente fora do seu alcance. Procurem conhecer os meandros dessa apropriação acessando o site www.previplano1.com.br

Ebenézer Aparecido disse...

O Banco do Brasil vale-se desses artifícios contábeis para gerar divisas fraudulentamente. É como falsificar dinheiro e distribuí-lo no mercado. Dinheiro virtual na origem transforma-se milagrosamente em moeda sonante para gerar dividendos palpáveis ao seu maior acionista com 51% dos direitos: o Governo. E este usará essas cifras para alavancar a campanha presidencial continuista, em detrimento dos verdadeiros donos do Fundo assaltado na mão grande. Com isto deixa os velhinhos de pires na mão, enganados repetidamente com míseros aumentos anuais de benefícios da ordem de 1 a 6%.

Lucro também distribuído ao pessoal da ativa do Banco que, com irrisórios salários cujo máximo não atinge dois mil reais no posto efetivo, são aquinhoados e iludidos com PLR da ordem de R$ 3.700,00, ficando quietos o resto do ano. Dinheiro afanado de igual modo do bolso dos velhinhos do PB1 que nunca tiveram essa regalia, nem terão jamais.

Ivan Rezende disse...

Em qualquer nota que for publicada,há de se acrescentar a história do Plano de benefícios 1, para conhecimento geral.
As aposentadorias ocorridas até março de 1967 tinham/tem os seus valores integralmente arcados pelo Banco do Brasil. A partir de abril de 1967 foi criado o plano de benefício 1, e a Caixa de Previdência passou a arcar com o pagamento integral dos benefícios, e o Banco com apenas 9,6% do valor do benefício, e o aposentado/pensionista, com 4,8%.
Para se ter uma idéia da vantagem que o Banco passou a obter, o custo de um funcionário da ativa, com cargo médio, se incluirmos encargos sociais, férias, custaria para o Banco R$ 22.000,00 e, ao aposentar, este mesmo funcionário teria um benefício total de R$ 10.000,00, por conta da Previ, e o Banco, como patrocinador do plano, arcaria com 9,6% deste benefício, ou seja R$ 960,00.
É de se registrar que o plano de benefício 1 contempla apenas os funcionários admitidos até 24.12.97, e é constituido de 34.747 funcionários ativos, 67.499 aposentados e 18.974 pensionistas (existiam 20.000 pensionistas no primeiro trimestre/09). E é deste contingente, que só tende a diminuir, que constitui o patrimônio de R$ 140 bilhões, com cerca de R$ 40 bilhões de superávit, que o Banco está apropriando, enquanto seus legítimos formadores não tem melhoria de benefício, por força da Resolução 26, em julgamento e não respeitada pelo Banco

Anônimo disse...

Prezado colega(anônimo de 26 de fevereiro de 2010 13:30)


Se a ANABB entrar com um centavo, para publicar na imprensa qualquer nota denunciando os desmandos BB/PREVI, eu voltarei a acreditar em Papai Noel e Coelhinho da Páscoa.

Um abraço!

Anônimo disse...

Gente!!! Pelo amor de DEUS !!! Acordem!
Vocês ainda esperam alguma coisa da Anabb?

Anônimo disse...

SUPERAVIT
Tenho uma dúvida sobre superavit e gostaria de exclarecimentos.

Quando o plano acumular reserva especial para a revisão do plano em três exercícios seguidos,deverá promover uma "revisão" do plano conforme prevê a lei 109,aplicando as medidas da resolução n 26.

Minha duvida é:

Se nenhuma medida tiver sido tomada anteriormente,as obrigações da revisão recai sobre o valor da reserva especial do primeiro ano ou sobre o saldo acumulado dos tres anos consecutivos de superavit.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Ilma. Sra. Presidente da FAABB, Isa Musa de Noronha.

Até o presente momento apenas três participantes se dignaram opinar sobre a “Nota Conjunta”, publicada no Blog Previ Plano 1, em 25/02/10.
Por suposição, deduzo que os veneráveis nomes citados não demonstram interesse em desenvolver o intento sugerido. Ou, por outro lado, não têm conhecimento do que ali se passa.
Assim sendo, e temeroso de que a idéia morra no nascedouro, peço-lhe a gentileza de encampar o projeto, conforme sugerido na aludida “Nota Conjunta”, usando de sua influência e liderança para promover convocação no Site da Federação - exemplarmente sob seu comando.
Por oportuno, reproduzo no anexo as três interferências positivamente postadas nos comentários do referido blog, destinadas a sua apreciação e divulgação, se achar por bem fazê-lo.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade

Marcos Cordeiro (André) disse...

Caros Colegas.

Para tranqüilidade de todos nós, participantes do PB1, A FAABB tomou a si a responsabilidade de tornar viável a composição da “Nota Conjunta”, assim como o enquadramento do assunto com o concurso de suas Associações filiadas.
Pelo teor do comunicado abaixo, podemos confiar que a prestimosa presidente Isa Musa de Noronha estará à frente dessa empreitada, como garantia de sucesso do que se pretende.

"Prezado Marcos

A FAABB já convocou reunião das associações filiadas e nesse evento vamos colher a adesão de todas elas para a Nota Conjunta. A Nota será subscrita pelas Associações e também pelos sócios dessas, evidentemente aqueles que desejarem assinar. Logicamente irei juntar a assinatura desses que você enviou. Esta reunião ocorrerá já, no início de março.
Percebo que há dúvidas quanto ao valor exato do que o BB levou da Previ. Alguns colegas disseram que nenhuma entidade sequer divulgou o valor correto. Não há equívoco por parte da FAABB. Divulgamos o impacto que a apropriação causou no resultado final do Banco. Cerca de 1,6 bilhão. A quantia que o Banco contabilizou de parte do superávit da Previ foi de 3.626.722 bi No Balanço, o Banco classificou como: “Previ - Ajustes decorrentes da Deliberação CVM n.º. 371/2000”. Notificamos, à época (semana passada) apenas o impacto, de 1.6 bi, porque até então, não tínhamos conhecimento dos números totais do Balanço, eis que só na última sexta-feira foi divulgado oficialmente pelo BB em sua página na internet.

Isa Musa"

Anônimo disse...

Marcos, é nescessário a minha assinatura na NOTA CONJUNTA, se for, como faço?. Essa Nota Conjunta não seria encaminhada com um "abaixo assinado". Não podemos é deixar que morra no nascedouro, isso não.
Isa M. Noronha, por favor ajude-nos com sua influência.
abc.
Airton

Marcos Cordeiro (André) disse...

Airton.

Somente depois de realizada a reunião convocada pela FAABB com as demais Associações, saberemos quais as diretrizes a seguir. Aguardemos, pois.

Alcides Maurício disse...

Prezado Marcos,
Concordo plenamente com os dizeres da "Nota Conjunta" elaborada pela colega Isa.

Mariano Branquinho disse...

Alô Marcos (André) estou pronto caso necessário, para assinar a Nota Conjunta.
Abraços Mariano Branquinho

Anônimo disse...

Prezado Marcos,


Como recente sócio da AAPPREVI gostaria que esclarecessem como podemos colaborar para angariar fundos para divulgação desta "nota conjunta" denunciando os desmandos ocorridos dentro do BB/PREVI.

Favor divulgar no blog para conhecimento dos que querem colaborar.


Abraços!

Marcos Cordeiro (André) disse...

Até o momento não se cogitou angariar fundos para divulgação da Nota. A proposta inicial atribui às Associações ratear despesas na proporção direta da quantidade de sócios de cada quadro.
No entanto, esse e outros detalhes serão delineados na reunião convocada pela presidente da FAABB, Isa Musa de Noronha, com projeção para realizar-se neste início de mês.

Isa Musa de Noronha disse...

Senhores
Pretendemos levar a Nota a Senadores, deputados, ao TCU, à CVM e à Bovespa. No entanto, um esclarecimento desses só terá impacto considerável se sair no O Globo, na Folha de São Paulo, no Estadão. E isso custa muito dinheiro, para além do que a FAABB possui. Tentarei ver a disposição das Associações na reunião que promoveremos. Quem desejar ajudar, pode pesquisar o custo de uma nota dessas, que nos jornais sai como "matéria paga". No ano passado na Folha, nos pediram 250 mil reais... Uma loucura. Com toda certeza posso conseguir espaço no jornal Brasil Econômico, pois esse jornal já me deu tal oportunidade recentemente (vcs leram a respeito aqui no blog). Sem desmerecer o jornal Brasil Econômico, ele tem público restrito, só interessados na área o procuram, é como o Valor Econômico ou a antiga Gazeta Mercantil. Bom mesmo é se saisse no Globo ou em um outro grande jornal de alcance. Veremos.
Isa Musa de Noronha

Marcos Cordeiro (André) disse...

Senhores candidatos nas chapas da PREVI.
Eis um bom momento para desenvolver sua habilidade promocional. Conclamo a todos prestar solidariedade e apoio à Nota Conjunta encampada pela FAABB, na pessoa de sua incansável presidente Isa Musa de Noronha.
Como contribuição inestimável poderão também instar junto às Entidades a que pertencem para engajar-se na promoção. Vejam que a Nota Conjunta está tomando corpo e, como resultado da convocação das Associações, com certeza o caminho para levá-la aos seus destinos será solidificado.
Compareçam com suas opiniões a respeito dando a conhecer aos seus eleitores os pontos de vista defendidos sobre o inquietante assunto: superávit Previ.
Mesmo mantendo a linha de conduta do Blog em não envolver-se nas disputas políticas, de bom grado publicarei suas participações abordando o assunto, desde que se atenham à defesa dos interesses coletivos circunscritos ao caso presente.

Anônimo disse...

É isso aí Marcos, qual será das chapas que irá abraçar a causa da AAPPREVI. Abraçar, divulgar a Nota Conjunta e lutar pelos interesses dos aposentados/pensionistas. Vamos ficar vigilantes.

Anônimo disse...

Colega,

Uma coisa é certa, não será a chapa que representa a ANABB (Unidade Previ), que irá nos auxiliar na divulgação desta Nota Conjunta. Quanto as outras chapas não sei.

Abraços!