quinta-feira, 15 de julho de 2010

Não temos envolvimento com a Carta e a Resenha

Caros Colegas.

Está havendo um pouco de precipitação na postagem dos comentários sobre o trabalho do colega Gilvan Rebouças.

No afã de registrar inconformismo, alguns participantes atropelam o texto passando por cima dos conceitos e propostas contidos, por vezes reclamando ausências inexistentes.

Entendemos ser natural para quem se debruça sobre o trabalho procurar o foco que interesse espelhar seu enquadramento pessoal na distribuição de benefícios. Todavia, a ansiedade imposta na busca leva a conclusões errôneas, pela falta de atenção em se deter com olhar crítico sobre todo o desenrolar da matéria, e não apenas sobre determinados trechos.

De se notar que os questionamentos havidos até o momento acerca da não contemplação foram rebatidos, com sucesso.

Por outro lado, está dito na apresentação da publicação que “o autor do trabalho coloca-se à disposição de todos que queiram obter maiores informações sobre o que ora expõe, bem como sobre eventuais contestações dos dados apresentados...” no endereço gilvan@aapprevi.com.br.

Estou certo de que o Colega Gilvan saberá aproveitar as críticas construtivas com aproveitamento para aprimorar o seu trabalho. As omissões detectadas e os acertos apontados, comprovadamente necessários, serão considerados numa eventual reedição do estudo questionado.

Por oportuno, informamos que o Blog e a AAPPREVI não têm nenhuma responsabilidade sobre a “Carta da FAABB à PREVI” por total ausência de participação em todas as etapas (da confecção à entrega), à falta de convite para tanto. Neste ponto vale salientar que desconhecemos os motivos por que nos deixaram fora desse envolvimento. Alegar que a AAPPREVI não é filiada à FAABB, cujo pedido já foi entregue, não serve como justificativa para alijar nossa Associação do processo, até porque a AAPBB-RJ não pertence aos quadros da Federação (conforme consta no seu boletim n° 65), além da AFABB-RS, ambas constantes do rol de assinantes da referida Carta. Esta oportuna ressalva de não envolvimento vale também para a “resenha” publicada nas “Notícias Relevantes” deste Blog. Em ambos os casos apenas tomamos a iniciativa de publicar os textos fornecidos, gentilmente cedidos pela colega Isa Musa, por se tratar de assunto do interesse dos participantes e para contemplar a expectativa do seu conhecimento.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba – 15/07/2010.

96 comentários:

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

A UNAP-BB está divulgando o trabalho do Gilvan Rebouças, nosso Vice Presidente Financeiro.

http://www.unap-bb.org/

Anônimo disse...

Já passou da hora de cada um de nós que ainda não se associou a AAPPREVI fazê-lo. E mais, colocar em mente conseguir o máximo de colegas para que tenhamos maior representatividade possível. Confio na diretoria plenamente, mas se no futuro o poder mudar as posturas, buscaremos outras alternativas. O importante é termos claro que na atual conjuntura o poder e o dinheiro corroeu a consciência de vários dirigentes e temos que nos movimentar. Só reclamar aqui ou em outro lugar qualquer não irá modificar nossa situação. Seria muito importante que alguma alma caridosa disponibilizasse os endereços eletrônicos de associações, sindicatos, etc, etc. Não deve ser tão difícil, pois essas empresas comerciais conseguem...

Anônimo disse...

A carta da FAABB é como uma expressão usada há séculos: é chover no molhado. Como parte do processo inicial ele foi muito bem elaborada mas sem força de convencimento. O que foi dito não era novidade. O ritual foi estabelecido como manda o figurino. Só não podemos ficar na espera da resposta. Ela pode vir. Quem sabe? Talvez em dezembro. Prazo esgotado.
Providências tem que ser tomadas. O Marcos deve estar super esressado. Como descascar um abacaxi desse. Acredito que deveria ser consultado um advogado realmente especialista em previdência complementar. Verificar o preço e divulgar. Quem sabe se conseguimos, com a cooperação de todos, levantar um quantia para fazer face a essa despesa. Vamos contatar essas associações que assinaram a carta para a Previ se elas estão dispostas a participar dessa empreitada ou se apenas assinaram a carta apenas para constar.

Dentre essas e outras questões poderá ficar definido se vamos brigar por 100% ou 50% do superavit.

Temos que definir por que 100% pode extrapolar o prazo, então adeus superavit.

O Banco esta disposto a ceder os 50% para nós ou não.

Será que o ditado que mais vale um passáro na mão que dois voando será o nosso fim.

Alguém de bom senso pode opinar sobre a questão,
Qual será a nossa sina?

ADEMAR disse...

Para conhecimento:
Jornal Monitor Mercantil (15/07/2010)
Superávit da Previ: Aposentados do BB vencem ação

Iniciada em 9 de julho do ano passado, a ação promovida pelos ex-funcionários aposentados do Banco do Brasil contra o Fundo de Pensão Privada, a Previ, alcançou vitória, em segunda instância, na Câmara do Rio de Janeiro, beneficiando um grupo de cinco contribuinte e abrindo precedentes para um universo que abrange mais de 120 mil aposentados.

Marcos José Esperança, advogado da Carvalho de Castro, escritório especializado em Direito Previdenciário que moveu a ação contra a Previ, explica que os ex-funcionários que contribuiram por no mínimo trinta anos, lutam desde 2009 pela divisão igualitária do superávit de 34,8 bilhões acumulados pelo fundo de pensão em 2006. Marcos relembra que a reserva não utilizada após o período de 30 anos, de acordo com a lei 109/201, deveria ir para a revisão do Plano dos Aposentados e Pensionistas, mas não foi o que aconteceu.

A revisão do plano, que deveria ser isonômica, só devolveu os valores da contribuição aos que se aposentaram após 1980, excluindo os demais participantes do fundo de pensão de receber a restituição dos valores devidos.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o colega "anônimo" das 10:16. Embora a Isa seja uma pessoa séria e idônea, essa carta entregue aos dirigentes da Previ não vai dar em nada. Diversas entidades dos aposentados já enviaram cartas, Notificação Extrajudicial, etc. Não havendo, até o presente, qualquer avanço nas negociações. Acho que só há um caminho. Abrir um processo contra os dirigentes da Previ por gestão temerária e distribuição irregular do Superavit, onde apenas pequena parte dos assistidos foram contemplados.

Anônimo disse...

PERGUNTA AOS COLEGAS APOSENTADOS.

Algum colega aposentado sabe por qual motivo a AAFBB e UNAMIBB não recebem mais a documentação para ingressarem com a ação renda certa?
Eu enviei meus documentos primeiramente para a AAFBB e me devolveram, depois apareceu uma nota no site da UNAMIBB dizendo que o prazo foi encerrado. Isso tá me parecendo alguma "maracutaia" que está vindo por aí.

Anônimo disse...

Que tal o jurídico da AAPPREVI entrar em contato com este escritório do Rio de Janeiro para, quem sabe, montarmos um parceria? Precisamos corre gente!

Anônimo disse...

SE EM MENOS DE 1 ANO O GRUPO DE APOSENTADOS DA PREVI GANHOU NA JUSTIÇA, CFE CITADO ACIMA, PORQUE A AAPPREVI NÃO ENTRA TAMBÉM COM UMA AÇÃO PARA OS QUE SE ENQUADRAM NESSE PARAMETRO, QUALQUER COISA É MELHOR DO QUE DEIXAR NOSSO SUPERÁVIT PARA A PREVI, QUE NOS ROUBA DESCARADAMENTE.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

Esse Processo nada mais é que uma ação Renda Certa. Vale lembrar que a AAPPREVI já patrocina essa Ação para um grupoo de 83 associados, tramitando no TJRJ e pode ser acompanhada no portal do Tribunal
sob o n° 0185131-94.2010.8.19.0001.
Está em andamento a montagem de um 2° grupo, em adiantada fase de coleta de documentos para o ajuizamento. Acessando a página Assessoria Jurídica da associação é possível ir direto ao Processo.

Anônimo disse...

A explanação ficou melhor que a carta

Anônimo disse...

MANCHETE: PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA DA PREVI, APOSENTADOS FAZEM MANIFESTAÇÃO NA PORTA DA INSTITUIÇÃO REIVINDICANDO O CUMPRIMENTO DA LEI.
Acredito que nunca antes na história desse país tenhamos sido tão desrespeitados. A criatura se tornou mais importante que o criador tornando a Previ a diretoria mais importante do BB. Nem na véspera de eleição esses carniceiros se importam com nossas intenções de voto. Ajudados por Anabbs, sindicatos , etc, tapam os olhos de uma considerável parcela de funcis da ativa e aposentados. Muitos ainda confiam na seriedade das instituições como nos tempos idos. Caem como presas fáceis no discurso envolvente de pessoas bem treinadas, bem pagas, bem traiçoeiras e bem má intecionadas.
Não sei se ainda há tempo... Não confio nessa justiça venal que dá seu veredicto de acordo com interesses desconhecidos da imensa maioria. Justiça que impõe prazos para as partes e nunca para ela própria. Quando vejo um Senador tentar enfiar um Projeto de Lei como é 0 77 de autoria do Mercadante, percebo que o desmando apenas está no seu início. Ele que nos seus discursos inflamados no tempo de oposição dizia defender os trabalhadores e seus direitos. mostra sua verdadeira face. Fica autenticado o roubo com uma lei que nada se diferencia do ato de se bater uma carteira. Não podemos jamais desistir, contudo, estou cansado e muito desiludido de estar presenciando essa etapa decepcionante da história política do Brasil, onde um partido que dizia defender trabalhadores saqueia o dinheiro de idosos.

Anônimo disse...

Achei a carta extremamente prolixa. Devia ser mais objetiva, com argumentos enxutos. Também acho que não vai dar em nada.
Devemos nos organizar em resgatar 100% do superávit, revisando benefícios, aumentando limites de empréstimos e de financiamentos e diminuindo as metas atuariais. É pra isso que serve um fundo de previdência fechado.
Do jeito que está, aos que estão na ativa é melhor sair, demitido ou aposentado, levando as reservas pessoal e patronal. Aí acaba a farra.

Luis Antonio (sem conta no Google)

Anônimo disse...

COLEGAS,DIRIGENTES DA AAPPREVI.

VAMOS LUTAR PELA REESTRUTURAÇÃO DO EMPRÉSTIMO SIMPLES JÁ.

OS ESTUDOS DO VICE PRESIDENTE DA AAPREVI, MOSTRA SER POSSÍVEL ESTE REALINHAMENTO.

SUGIRO QUE OS DIRIGENTES DA AAPPREVI, FAÇA UM COMUNICADO OFICIAL AO CONSELHO DELIBERATIVO, CÓPIA DESTE DOCUMENTO DEVE SER ENCAMINHADO PARA CADA CONSELHEIRO E QUE SE PEÇA A URGÊNCIA QUE O CASO REQUER, MODIFICANDO O ES.

A ISA MUSA TEM CONDIÇÕES DE AJUDAR MAIS, E NÃO É PORQUE ENTREGOU UMA CARTA A PREVI QUE DEVE DESCANSAR.

O TRABALHO NOS ESPERA PESSOAL.

ATENCIOSAMENTE

ANÔNIMO SEM ESPERANÇAS.

Anônimo disse...

EMPRÉSTIMO SIMPLES

ESSE É A NOSSA ÚNICA CHANCE DE SAIR DO BURACO QUE ENTRAMOS COLEGAS.

MUITOS CRITICAM MAIS NADA TEMOS, NÃO PODEMOS MAIS ESPERAR UMA SOLUÇÃO NO CAMPO DAS DIPLOMACIA.

COM ESSA TURMA SÓ COM PRESSÃO E MAIS PRESSÃO.

DO CONTRÁRIO VAMOS VER MAIS E MAIS COLEGAS SENDO ENTERRADOS AINDA EM 2010.

ISA MUSA PORQUE O A FAABB NÃO INVESTE NA MODERNIZAÇÃO DA SUA PLATAFORMA DE INFORMAÇÃO.

O SATI DA FAABB É UM HORROR!!!

Anônimo disse...

A PREVI DESDE QUE VIROU JARDIM SÓ FAZ É ESPINHAR OS POBRES VELINHOS.

SAIO O ROSA E ENTRO O FLORES E NÓS CONTINUAMOS NA MESMA.

SEM ES, SEM SUPERAVIT, SEM AUMENTO DESCENTE, E AS DESCULPAS SÃO SEMPRE AS MESMAS.

Anônimo disse...

PREVI

NOVA ADMINISTRAÇÃO

PRUDÊNCIA E OUSADIA.

OUSADIA PARA APLICAR NOSSOS RECURSOS, NO TREM BALA, NA COPA DE 2014, EM BELO MONTE.

PRUDÊNCIA PARA NOS ENRROLAR, ENGANAR, NÃO PAGAR O QUE NÓS DEVE, ENRROLA-SE O QUANTO PODE.

MAIS A VIDA SEMPRE DA O TROCO....

Anônimo disse...

COLEGAS EU ME PERGUNTO TODOS OS DIAS PARA QUE SERVE O BLOG DO SENHOR ROMILDO GOUVEIA PINTO? E O BLOG DOS ELEITOS QUE ESTÁ EM REESTRUTURAÇÃO A MAIS DE TRÊS MESES?


O POVO DA MEMÓRIA CURTA.

Anônimo disse...

SERÁ QUE NENHUM COLEGA FREQUENTADOR DESTE BLOG OU DE OUTROS NÃO PODE FORÇA A BARRA COM O "DEUS" SASSERON PARA ELE REVER LOGO ESSE EMPRÉSTIMO SIMPLES.


SÓ O SASSERON NÃO PERCEBEU QUE O PRESTIGIO DELE ESTA ABALADO, JÁ PERDEU O CARGO DE PRESIDENTE DA ANAPAR,PARA UMA COLEGA DO CAIXA ECONOMIA FEDERAL, E LOGO SEU MANDATO ACABA, AI QUERO VER O FUTURO DELE, AINDA MAIS SE A DILMONA PAZ E AMOR NÃO SE ELEGER.

SEUS DIAS ESTÃO CONTADOS "SASSERON" E SUAS MALDADES TAMBÉM.

Anônimo disse...

QUEM É É O PATROCINADOR?
QUEM MANDA MAIS?
Quando a resolução 26 fala em Patrocinador, ele se dirige a quem?

REGULAMENTO
Art. 1° - Este Regulamento estabelece as normas gerais do Plano de Benefícios 1, administrado pela Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil – PREVI, com a anuência do Banco do Brasil S.A., AMBOS PATROCINADORES e doravante assim denominados, que tem o objetivo de promover o bem estar social de seus empregados e respectivos dependentes, por meio da concessão de benefícios e serviços de natureza previdencial.
ESTATUTO VIGENTE
SEÇÃO I - DOS PATROCINADORES

Art. 4º São PATROCINADORES da PREVI, na data de início da vigência deste Estatuto:
I - o Banco do Brasil S.A.; e
II - a própria PREVI.

A Resolução 26, quando se refere a Patrocinador, não especifica quem: BB ou Previ.
E agora? Podemos dividir o Superavit, desde que o recurso fique com a PREVI.
Um Patrocinador não deve( ou não pode) devolver ao outro.

Anônimo disse...

A Previ divulgou a composição dos Planos 1 e Previ-Futuro, por faixa etária.
Surpreendentemente existem, segundo a Previ, funcionários na faixa dos 65 a 94 anos ainda na ativa. Será?
Será que andaram assistindo o filme dirigido por Ron Howard ( Cocoon)?

Anônimo disse...

Vamos também AAPREVI, lutar pelo realhiamento do ES.O colega Gilvan tao bem propôs.

Anônimo disse...

Colega anônimo, caso você não saiba, escrever em caixa alta na internet equivale a gritar. E é muito grosseiro para com os demais.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Realinhamento do Empréstimo Simples.

Comentários pungentes, contundentes e coerentes serão coletados aqui para encaminhamento à PREVI, capeados por carta da AAPPREVI pleiteando o Realinhamento (textos sucintos e identificados, preferencialmente).

Anônimo disse...

Vamos à luta:
Colegas, aí está o"caminho das pedras". Vamos denunciar à Previc para que seja autuada a Previ e seus diretores.

Decreto nº 4.942, de 30 de dezembro de 2003 DOU de 31/12/2003
Regulamenta o processo administrativo para apuração de responsabilidade por infração à legislação no âmbito do regime da previdência complementar, operado pelas entidades fechadas de previdência complementar, de que
trata o art. 66 da Lei Complementar nº 109, de 29 de maio de 2001, a aplicação das penalidades administrativas, e dá outras providências.
PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art.etc.

Art. 76. Utilizar de forma diversa da prevista na legislação o resultado superavitário do exercício ou deixar de constituir as reservas de contingência e a reserva especial para
revisão do plano de benefícios; bem como deixar de realizar a revisão obrigatória do plano de benefícios.
Penalidade: multa de R$ 10.000,00 (dez mil reais), podendo ser cumulada com suspensão pelo prazo de até cento e oitenta dias.

Mãos á obra. Vejam que o Decreto é do atual Governo. Agilidade antes que revoguem ou alterem.
Se possivel não precisa publicar, por garantia.

rosalina_de_souza disse...

Senhor Presidente da AAPPREVI Colega Marcos Cordeiro, demais freqüentadores do Blog.
Empréstimo Simples Previ.
Trata-se de uma linha de crédito para participantes e pensionistas aplicada na forma de empréstimo simples,sem consulta ao Spc e Serasa,cuja a sua disponibilidade é baseada na margem consignável de cada aposentado ou pensionista.
Temos hoje um limite de 75 mil reais e um prazo para pagamento de 72 meses. Limite alterado na data do dia 15 de setembro de 2009, por pressão do Conselho Deliberativo, com assinatura de todos os seus integrantes, medindo forças estavam ANABB,Contraf Cut e Eleitos, com a participação direta dos aposentados e pensionistas com apelos desesperados pela péssima condições financeiras.
A pasta da Seguridade,vem frisando que esta revisando as premissas do empréstimo simples todos os anos,mas de maneira inconsistente, e fazendo com que a nossa margem consignável diminua, e aumentando significativamente os descontos nas nossas folhas de pagamento.
Contratei meu primeiro ES no ano de 2003, onde se contratava o teto que era 15 mil reais e prazo de pagamento em 50 meses com uma prestação de 440,00 mensal.
Hoje se contrata 75 mil reais em 72 meses com parcela de 1.425,96, para o tomador se tornaram parcelas caras, pelo alto custo de vida, e porque sempre os tomadores do ES também descontam prestações a COOPERFORTE,CRÉDITO FUNCI BANCO DO BRASIL, CHEQUE ESPECIAL CARTÃO DE CRÉDITO,EMPRÉSTIMOS EM OUTRAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS COMO POR EXEMPLO AQUELES COLEGAS QUE DESVINCULARAM O BENEFÍCIO DO INSS PARA TER COMO FAZER O EMPRÉSTIMO CONSIGNADO.
Se o Diretor de Seguridade da Previ,Senhor “SASSERON” de posse do tão bem elaborado estudo que o colega Gilvan Rebouças descreve um ES Com prazos de 150 meses e limite de 150 mil reais, muitos de nós pagaríamos os créditos contraídos a outras instituições e nossa líquido recebido supriria as nossas despesas.
A engenharia financeira que temos que fazer é estressante, pois são dívidas que só tornam pagáveis com a nossa morte,pois tem efeito bola de neve,porque sempre que a carência vence somos obrigados a renovar,seja três meses ou 6 meses.
Expondo a minha situação particular, se eu tivesse esse limite aprovado de 150 mil em 150 meses eu entraria nos trilhos novamente, porque?
Eu quitaria a Cooperforte integral que me sobraria mensalmente 760,00, quitaria a prestação de um carro que pago através do cdc funci parcela de 456,70 e outras pendências onde teria um ganho de no mínimo 1.700,00 a mais na minha pensão, isso mensal.
Notem como é importante esse realinhamento, continuaríamos com a mesma parcela, mais sanaríamos problemas crônicos em nossas vidas, e imediatamente fecharia a minha conta para sempre na cooperforte para nunca mais ter chance de tamanha burrice.
Por favor senhores ajude a construir mais este caminho, mandem suas solicitações para compor este dossiê que a AAPPREVI irá enviar é de suma importância e extrema relevância e eu jamais poderia ficar de fora, desta que é e sempre foi a minha luta pessoal para que este ES MELHORADO VIRE REALIDADE.
Já fui criticada por esta minha opinião, mais só eu e minha família sabemos o que estamos vivendo,e é neste que me agarro com todas as forças para continuar sobrevivendo, a ESPERANÇA DE PODER MUDAR A MINHA SITUAÇÃO FINANCEIRA QUE NÃO DESEJO PARA NINGUÉM, AINDA PARA OS AMIGOS DE PLANO QUE AJUDARAM A CONSTRUIR ESSE RIQUEZA INTOCADA POR NÓS PARTICIPANTES DO PB-1.
ESSA OPINIÃO AQUI ESTERNADA É DA ROSALINA DE SOUZA PENSIONISTA MATRÍCULA 18.161.320-4 E NÃO DA DIRIGENTE QUE COMPÕE A AAPPREVI,PORQUE LÁ NO COLEGIADO AS DECISÕES SÃO ISENTAS DE INTERFERÊNCIAS PESSOAIS.
A todos os colegas o meu muito sincero abraço e conto com a participação de todos os colegas que tem a intenção de ajudar, os mais necessitados como é o meu caso.
Atenciosamente
Rosalina de Souza

Anônimo disse...

Se a pessoa está com 94 anos na ativa, quando aposentar provavelmente receberá um excelente salário. Esse colega conseguirá receber a média de R$ 6.000,00...

Anônimo disse...

Ainda, sobre o mesmo Decreto:

Art. 37. A denúncia é o instrumento utilizado por qualquer pessoa física ou jurídica para noticiar, perante a Secretaria de Previdência Complementar, a existência de suspeita de infração às disposições legais ou disciplinadoras das entidades fechadas de previdência complementar.

Art. 38. A representação ou denúncia formalizada será protocolada na Secretaria de Previdência Complementar e deverá conter:

Art. 38. A representação ou denúncia formalizada será protocolada na Secretaria de Previdência Complementar e deverá conter:

I - a identificação do órgão e cargo, no caso de representação, ou a qualificação do denunciante ou de quem o represente, com indicação de domicílio ou local para recebimento de comunicação;

II - a identificação e qualificação do representado ou denunciado, com a precisão possível;

III - a indicação das possíveis irregularidades cometidas, dos danos ou prejuízos causados à entidade fechada de previdência complementar ou dos indícios de crime, com a precisão possível;

IV - os documentos ou quaisquer outros elementos de prova que, porventura, sustentam a representação ou denúncia; e

V - data e assinatura.

Lembrando que: Lei 12154 - PREVIC

Art. 55. As competências atribuídas à Secretaria de Previdência Complementar do Ministério da Previdência Social, por meio de ato do Conselho de Gestão da Previdência Complementar, do Conselho Monetário Nacional e de decretos, ficam automaticamente transferidas para a Previc, ressalvadas as disposições em contrário desta Lei.

Anônimo disse...

Marcos e colegas,

Devemos pedir também, no próximo realinhamento do ES, a diminuição desse prazo de carência de seis meses, é muito tempo, se fosse três ou quatro ficaria muito melhor.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

olega Rosalina

Seu comentário foi selecionado pela coragem em se expor e coerência no detalhamento.

Anônimo disse...

Colegas, eu preciso entender uma coisa, visto que os comentários com relação ao superavit não informa por qual percentual realmente estamos cobrando, os 100%ou 50%.
Isso precisa ser definido e claro. Se nem os 50% o Banco não esta disposto a liberar a distribuição do superavit e como ficaria se estivermos brigando pelos 100%.

Se vamos denunciar a PREVIC ai estaremos brigando pelos 50%.

Não sei se existe alguma enquete pelo qual podemos manifestar nossa opinião. 50% ou 100% do superavit.

Anônimo disse...

Fundação Real Grandeza/AssPreviSite (16/07/2010)
Real Grandeza: Plano BD - Reajuste dos benefícios

A Lei nº 12.254, que determina o reajuste de 7,72% para os benefícios dos aposentados e pensionistas, foi sancionada no dia 15 de junho. Com isso, a Real Grandeza informa que os contracheques do mês de julho já contemplarão a diferença entre o percentual concedido em janeiro e o previsto na nova Lei, bem como o pagamento da diferença de janeiro a junho deste ano.

Entenda como é feito o reajuste de seu benefício
O regulamento do Plano BD, em vigor, inclui um dispositivo com a função de assegurar que nenhum assistido receba um valor menor do que o seu benefício inicial em quantidade de UB’s, uma unidade que é atualizada mensalmente pela variação do INPC. Trata-se, portanto, de um mecanismo protetor do poder de compra dos assistidos. O dispositivo trabalha com duas variáveis:

— Valor Base de Pagamento, que resulta do valor do benefício na data da concessão, reajustado, a cada ano, no mesmo mês e pelo mesmo índice da Previdência Social.

— Valor Mínimo de Pagamento, que é igual à quantidade de Unidades de Benefício (UB’s) fixada na data de concessão, multiplicada pelo valor da UB no mês do reajustamento.

— Não é correto simplesmente aplicar o índice do INSS sobre o valor do último benefício recebido, para o cálculo do benefício reajustado.

— O índice do INSS deve ser aplicado sobre o Valor Base de Pagamento; o valor da UB em janeiro/2010 ( R$ 16,597682 ) deve ser multiplicado pelo Valor Mínimo de Pagamento (ambos estão discriminados no contracheque de dezembro/2009); o maior entre os dois valores assim calculados, corresponderá ao benefício reajustado.

— O resíduo de reajustamento de que se trata, não alcançará o benefício de todos os assistidos; como explicado acima, se o Valor Base de Pagamento resultar inferior ao Valor Mínimo de Pagamento, prevalecerá este último.

Anônimo disse...

Colega Marcos,

Hoje, como se encontra descasado o nosso reajuste do benefício com o do INSS, acho de alvitre que nós deveríamos estar vinculado ao reajuste do salário mínino e do INSS. Os índices do INPC não são coincidentes para o reajuste Previ e INSS e, logicamente, nós podemos sair perdendo ou não. Acho que deveria ser aplicado o maior, independente da época de apuração. Considerando estarmos, também, atrelado ao índice do salário mínimo, então seria aplicado o maior deles. Com a palavra os orgãos representativos da nossa classe.

Anônimo disse...

Do modo com foi elaborada o RENDA CERTA, o colega com 94 anos, ainda na ativa, deveria receber uns l0 (dez) milhões de reais.

Anônimo disse...

Colegas,
Se a Previ também é patrocinadora, o montante do superavit deverá ser distribuido para 3 partes, e depois a Previ distribuirá sua parte para os participantes?
Anônimo

jeanne disse...

Rosalina, adorei seu relato, que deve ser o espelho da maioria dos colegas que precisa desesperadamente do ES.Quitar outras dívidas é o essencial para sanear o contra-cheque.Toda semana eu mando uma sugestao para a Previ sobre o realinhamento do ES.A resposta é a mesma:estão estudando,a revisão é anual.Pelo tanto que estão estudando,espero sinceramente que seja um ótimo realinhamento.A propósito, meu complemnto é de 1.600,00.Estou muito longe desta média.Jeanne.

Anônimo disse...

Colega Rosalina,

Não ligue para as críticas. Você relatou a realidade da maioria de nós. Quem critica é a tal minoria privelegiada.
O tempo corre e precisamos de atitudes firmes e rápidas. Temos nos nossos calcanhares um trem bala, vários aeroportos, copa do mundo, olimpíada, belo monte, etc. Para piorar tudo o sapo barbudo está dislumbrado com a fama internacional e sai prometendo com a carteira alheia.
Os colegas detentores de conhecimentos jurídicos e previdenciários estão convocados a dedicar um período maior nessas questões antes que o barco afunde. Os demais nos quais me incluo, estaremos prontos a fazer o que ficar decidido por esse grupo. Neste momemnto não existe espaço para vaidades pessoais senão tudo estará definitivamente perdido.

Anônimo disse...

Colega Marcos Cordeiro,olha a situação do nosso Patrocinador Banco do Brasil S/A.

16/07/2010

Advogados reclamam dos serviços do BB

AASP pede providências à Corregedoria de Justiça

Sob o título "Basta de descasos do Banco do Brasil", a Associação dos Advogados de São Paulo distribuiu nota em que manifesta apreensão com o volume de reclamações de associados sobre a qualidade dos serviços prestados pelo BB, como sucessor da Nossa Caixa. Eis a íntegra da nota:

A AASP vem constatando, com enorme preocupação, o crescimento do número de reclamações de seus associados contra os diversos descasos cometidos pelo Banco do Brasil S.A., na prestação de serviços relacionados ao exercício da advocacia (seja no âmbito da Justiça do Estado de São Paulo, como sucessor da Nossa Caixa S.A., seja nos serviços decorrentes dos processos da Justiça Federal ou do Trabalho):

a) falta de informação, descaso e confusão em um dos momentos mais importantes para o Advogado e, por consequência, para o jurisdicionado, qual seja o levantamento judicial (demora no levantamento, filas intermináveis, não entrega imediata do recibo, impossibilidade de realização de mais de uma TED, impossibilidade de retirada em espécie);

b) fechamentos inoportunos e intempestivos de PABs, bem como ausência de atendimento preferencial para idosos;

c) dificuldades injustificadas para o recolhimento de guias de Oficial de Justiça e cobrança de valor para tal recolhimento;

d) recusa de fornecimento de informações sobre conta a pessoas credenciadas pelo Advogado, sob o pretexto de que as informações somente podem ser prestadas por meio da Internet.

Esses graves problemas já foram, em diversas oportunidades, relatados aos representantes do Banco do Brasil, inclusive por meio de reuniões presenciais, sem qualquer melhoria das condições.

A edição do jornal Folha de S.Paulo, de 13/7/2010 (p. B-4), retrata o caos do atendimento, inclusive para os servidores do Poder Judiciário.

Diante da relevância do tema, estão sendo adotadas as seguintes providências pela AASP:

a) expedição de ofício à Corregedoria-Geral da Justiça em São Paulo, para que convoque os representantes do Banco do Brasil S.A., a fim de que possam se comprometer com providências urgentes para sanar as irregularidades em questão;

b) ofício ao Banco Central do Brasil para que adote as providências cabíveis quanto ao desrespeito em questão.

A advocacia e o jurisdicionado não mais aceitam o descaso no tratamento e na prestação de serviços essenciais ao cidadão.

Associação dos Advogados de São Paulo

Anônimo disse...

Colegas não seria o caso de também enviarmos ofício a Corregedoria Geral de Justiça informando sobre a não distribuição do "SUPERAVIT" pelos Dirigentes da Previ e BB.

Com a palavra algum advogado ou membro da associação.

Anônimo disse...

Colegas do Blog e Sr.Marcos, os aposentados e pensionistas que precisam e esperam o aumento do ES para 150mil/150meses, devem mandar seus comentários postados aqui no blog como fez a Sra.Rosalina ou encaminhar para algum contato da previplano1, para serem capeados pela AAPPREVI e encaminhados à Previ sem exposição no Blog? ou eu não entendi?

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Colega anônimo das 12:00.

A intenção é anexar à carta comentários postados aqui no Blog, contendo relatos espontâneos e não textos estudados e elaborados. Penso até em garimpar participações anteriores a esta data, pois espelharão sentimentos declarados sem a preocupação de que terão destinação específica.

Anônimo disse...

Colega das 11:51
A nossa esperança reside, por enquanto, na Previc.
Existem duas normas que podem acabar com essa inércia:
a) A Lei Complementar 109/2001 que está sendo descumprida;
b) Decreto 4942 de 30/12/2003, que regulamenta a aplicação de penalidades, pela omissão no descumprimento da lei, especialmente em seu artigo 76, que explicita claramente "deixar de realizar a revisão obrigatória do Plano", sujeitando os infratores a multa e suspensão por 180 dias.
Resta saber se a denuncia é oportuna, e quem abraçará nossa causa.

Anônimo disse...

Como perguntar não ofende, onde trabalha o nosso colega com 94 anos de idade e qual seu cargo? Seria ele Caixa Executivo? Tem conseguido bater todas as metas? Se ele tomou posse com 20 anos de idade foi em 1936? Olha, realmente temos que tirar o chapéu para nosso valoroso colega. Aliás, ele poderia nos repassar sua dieta, médico, hábitos, etc Qual é seu VP? Só de anuênio deve receber uma fortuna. Êta felizardo!

Anônimo disse...

Eu gostaria de fazer uma pergunta ao colegas frequentadores do blog.

Alguém ou alguma pessoa saberia me dizer se houve algum descumprimento por parte das fundações,o descumprimento da lei 109/2001.
Quando diz que pela mesma lei as fundações ou suas diretorias tem a obrigação de distribuir o SUPERAVIT,mesmo se a interpretação da lei tem que obedecer as premissas da Resolução CGPC26.
E por outro lado não estamos sendo enganados,pois a própria Resolução diz que a Tábua de Mortalidade tem que ser Revista e os juros tem que ser aplicados em 5% e esta mesma Previc que recebe para fiscalizar, e mediar conflitos não estaria também sendo omissa já que a lei é bastante clara a esse respeito.
Temos que solucionar estas pendências, porque como todos estão muito endividados, podem acabar aceitando os mesmos moldes do ano de 2009, onde ofereceram 25 mil e esticaram o prazo em 12 parcelas ou prestações.
Penso eu que desta vez temos que eleger um ou mais representante para levar este documento da AAPPREVI em mãos,como foi feito com a FAABB.

Anônimo disse...

COLEGAS,
Sasseron tem se revelado um péssimo diretor de seguridade na PREVI. É verdade que ele não tinha tradição administrativa, sempre tinha sido apenas um líder sindical, uma pessoa do movimento sindical, como se costuma dizer. Não sabia administrar, e parece que continua sem saber. Os funcionários de sua área na PREVI andam estressados tal a confusão que reina por lá. Dizem que Sasseron raramente decide alguma coisa, e quando decide não o faz da melhor maneira.

É desse colega que vocês esperam 150 mil reais? isso jamais irá acontecer, coloquem os pés no chão,nem com estudos, ou sem estudos da AAPPREVI, este senhor SASSERON é um enganador, e só encherga o seu Bolso.
Não criem novamente esperanças, que podem ser negadas, lembre-se estamos na mão desse CANALHA chamado "SASSERON".

Anônimo disse...

A diretoria de seguridade da PREVI é das mais importantes da instituição e lá tem trabalho para 24 horas por dia, para atender as demandas de mais de cem e vinte mil associados, às voltas com seus benefícios, com a Carim, com o empréstimo simples, com os cálculos atuariais, tudo na área do Sasseron.
Mas o DEUS Sasseron, nada pode fazer, porque revisa as premissas do ES todos os anos, eu fico a me perguntar e a Anabb,tem tempo de sobra para colocar o seu outro DEUS no pedestal, e nossos colegas com relatos dramaticos,expondo suas vidas a sociedade para ver se consegue pagar suas dívidas,fruto da incopetência e da destruição da mais importante área da previ,a Seguridade,que é voltada para os nossos problemas e dificuldades, poís é nela que esta concentrada os 15% que podem ser investidos nos aposentados e nas pensionistas do PB-1.

Anônimo disse...

COLEGAS DO BLOG
A única tarefa atual da Diretoria de Seguridade da PREVI na pessoa do seu titular Sasseron, é o aumento do ES e o alongamento das prestações. Não dependem de ouvir o BB, nem do superávit acerca dos Empréstimos. Há limite regulamentar, dinheiro e tomadores com margem consignável. Basta vontade política e querer implantar no sistema.
Por isso senhores gerentes da Diretoria de Seguridade, sugestão não faltam.
150.000,00 e 150 meses é equilíbrio para as famílias do PB-1.
É a cima de tudo um dever dos novos eleitos chapa 3 e da atual Diretoria eleita pelo BB.
Marcos sugiro que o senhor, de posse deste dossiê envie cópias também ao conselho Deliberativo e Fiscal da Previ e Cópia ao Presidente do Banco do Brasil .
Saudações
Abagail

Anônimo disse...

anônimo disse:
Caro Marcos ,
Com a intenção de contribuir com comentários e sugestões que poderão ser levados , através da AAPPREVI ,ao conhecimento da Diretoria e Conselhos da Previ , reivindicando o realinhamento do Empréstimo Simples , clamado pela grande maioria , faço o seguinte comentário e sugestões:
Ficou comprovado que o método adotado pela Previ, ao longo dos anos, para efetuar alterações de valor e prazo do ES foi ineficiente para permitir que pudéssemos consguir um relativo equlibrio nas finanças. Os aumentos HOMEOPÁTICOS de limite e prazo foram as principais causas do insucesso. O último aumento de R$25mil, considerado um pouco melhor, não teve o efeito desejado porque a situação de todos já havia chegado ao caos total.
É preciso que sejam realizados estudos, URGENTES, pela PREVI, objetivando um aumento de limites e prazos que possam realmente proporcionar condições de promover uma melhora na situação financeira desesperadora da grande maioria. pois se trata de questão de sobrevivência. Isto posto, por se tratar de empréstimo consignado cuja concessão é condicionada a existência de margem consignável de cada tomador sugiro o seguinte:

LIMITE MÁXIMO : ENTRE 150MIL A ATÉ 200MIL reais ( * )

PRAZO : 150 A 180 meses ( ** )

CARENCIA : 12 MESES (***)

JUSTIFICATIVAS:
(*)no caso de 200 mil, mesmo os que recebem altos salários e elevados beneficios se interessariam por contrair o ES , devido sua excepcional taxa de juros, e assim permitiria à Previ fazer excelente investimento com absoluta segurança, o que não ocorre com a Renda Variável(Bolsa):
Por outro lado, mesmo um eventual aumento do limite para apenas 150mil, com prazo entre 150 e 180 meses , permitiria
o acesso praticamente a todos devido aos valores razoáveis da prestação mensal, permitindo, por certo, um alívio importante na desesperada situação financeira enfrentada por associados/assistidos e pensionistas. há bastante tempo. Com isso poderíamos aguardar, com menos ansiedade , que nosso Fundo resolva promover a distribuição do Superavit. Por enquanto eles)Diretoria) ficariam nos emprestando NOSSO PROPRIO DINHEIRO(do superavit):

(**) permitiria prestações mais coerentes com os baixos benefícios de aposentadoria pagos pela PREVI;

(***) compatível com a elasticidade do prazo .

Espero que minhas sugestões possam contribuir com o trabalho que será elaborado por nossa associação para remessa à Previ.
Com minha admiração e respeito aos que conduzem a AAPPREVI e grande abraço a todos os colegas.
Cavalcante

Anônimo disse...

Participantes por faixa etária (2º Tri/2010)
Faixa etária Plano de Benefícios 1
Ativos Aposentados


Esta é a tabela ( parte) informada pela Previ:
faixa - ativos e aposentados

60 A 64 ANOS 376 11.389
65 A 69 ANOS 50 7.924
70 A 74 ANOS 13 6.448
75 A 79 ANOS 12 4.194
80 A 84 ANOS 2 2.439
85 A 89 ANOS 2 1.070
90 A 94 ANOS 1 307
95 A 99 ANOS - 65
100 A 104 ANOS - 5

Porisso, nos meus 63 anos, ainda tenho esperança em receber algo da Reserva Especial.(rsrsrsrs)

Obs.: Não inclui pensionistas

Anônimo disse...

Colega Cavalcante.

Parabéns !!!

Você foi fundo na Ferida.

Anônimo disse...

Marcos Cordeiro

Fico tão feliz, ao ler estas mensagens, ver os colegas lutando como pode para se manter de pé.

Temos que apoiar este realinhamento do empréstimo simples, mais não como foi feito até agora, que se use uma parte deste superavit para novos valores do ES.

A propósito o Colega Gilvan Rebouças poderia nós informar quanto a previ teria que disponibilizar se todos os colegas do PB-1 contrata-se um novo ES em 150 meses e 150 mil reais. ou na proposta do colega Cavalcante de 200 mil em 180 meses.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

Se não bastassem as normas de conduta naturais que regem o trato entre as pessoas, os Blogs estão subordinados ao compromisso ético de salvaguardar a integridade moral e a honra dos participantes e indivíduos por eles citados.
Afora os parâmetros de respeito mútuo, há que se impor o policiamento comportamental no uso da palavra, evitando-se o emprego de termos chulos e ofensivos.
Por isso cabe avisar aos participantes que insistem em ultrapassar essa tênue linha de conduta, da obrigatoriedade do mediador sujeitar-se às normas vigentes para excluir comentários da espécie, sob pena de responder judicialmente pelo afrouxamento da sua responsabilidade na condução do Blog. E a primeira penalidade imposta pela autoridade constituída instada a respeito é proibir o funcionamento do serviço, antes mesmo da investida do direito de defesa.

Atenciosamente,
Marcos Cordeiro de Andrade

Anônimo disse...

Quem pode afirmar que o colega da ativa tem 94 anos? A Previ informa que existe alguém na ativa na faixa dos 90 a 94 anos. Este exemplar pode ter 90 anos, 91 anos, 92 anos, 93 anos ou 94 anos.
Favor publicar.

Anônimo disse...

Colega, mesmo que seja 90 anos. O Banco não deveria permitir que alguem dessa idade continuasse trabalhando. Não é o caso de abuso contra o idoso?

Anônimo disse...

Cavalcante disse:
Caro Marcos, peço acrescentar ao meu comentário/sugestões feitos há pouco o seguinte:
" o realinhamento do E.S. na forma proposta ( 150/200mil - 150/180meses) evitaria, por um bom tempo , o desgaste que vêm se verificando, anualmente, na relação associados X Fundo por conta da reivindicação constante dos aumentos de valor e do prazo. Em permanecendo a conjuntura ecônomica que se verifica atualmente ,os valores máximos propostos ficariam inalterados por pelo menos 4/5 anos, até porque não haveria mais espaço/condição de prazo superior a 180 meses. É o que penso"
Grato
Cavalcante

Cavalcante disse...

Caro Marcos ,
Com a intenção de contribuir com comentários e sugestões que poderão ser levados , através da AAPPREVI ,ao conhecimento da Diretoria e Conselhos da Previ , reivindicando o realinhamento do Empréstimo Simples , clamado pela grande maioria , faço o seguinte comentário e sugestões:
Ficou comprovado que o método adotado pela Previ, ao longo dos anos, para efetuar alterações de valor e prazo do ES foi ineficiente para permitir que pudéssemos consguir um relativo equlibrio nas finanças. Os aumentos HOMEOPÁTICOS de limite e prazo foram as principais causas do insucesso. O último aumento de R$25mil, considerado um pouco melhor, não teve o efeito desejado porque a situação de todos já havia chegado ao caos total.
É preciso que sejam realizados estudos, URGENTES, pela PREVI, objetivando um aumento de limites e prazos que possam realmente proporcionar condições de promover uma melhora na situação financeira desesperadora da grande maioria. pois se trata de questão de sobrevivência. Isto posto, por se tratar de empréstimo consignado cuja concessão é condicionada a existência de margem consignável de cada tomador sugiro o seguinte:

LIMITE MÁXIMO : ENTRE 150MIL A ATÉ 200MIL reais ( * )

PRAZO : 150 A 180 meses ( ** )

CARENCIA : 12 MESES (***)

JUSTIFICATIVAS:
(*)no caso de 200 mil, mesmo os que recebem altos salários e elevados beneficios se interessariam por contrair o ES , devido sua excepcional taxa de juros, e assim permitiria à Previ fazer excelente investimento com absoluta segurança, o que não ocorre com a Renda Variável(Bolsa):
Por outro lado, mesmo um eventual aumento do limite para apenas 150mil, com prazo entre 150 e 180 , permitiria
o acesso praticamente a todos devido aos valores razoáveis da prestação mensal, permitindo, por certo, um alívio importante na desesperada situação financeira enfrentada por associados/assistidos e pensionistas. há bastante tempo. Com isso poderíamos aguardar, com menos ansiedade , que nosso Fundo resolva promover a distribuição do Superavit. Por enquanto eles)Diretoria) ficariam nos emprestando NOSSO PROPRIO DINHEIRO(do superavit):

(**) permitiria prestações mais coerentes com os baixos benefícios de aposentadoria pagos pela PREVI;

(***) compatível com a elasticidade do prazo .

Espero que minhas sugestões possam contribuir com o trabalho que será elaborado por nossa associação para remessa à Previ.
Com minha admiração e respeito aos que conduzem a AAPPREVI e grande abraço a todos os colegas.

Cavalcante disse...

Caro Marcos ,

Com a intenção de contribuir com comentários e sugestões que poderão ser levados , através da AAPPREVI ,ao conhecimento da Diretoria e Conselhos da Previ , reivindicando o realinhamento do Empréstimo Simples , clamado pela grande maioria , faço o seguinte comentário e sugestões:
Ficou comprovado que o método adotado pela Previ, ao longo dos anos, para efetuar alterações de valor e prazo do ES foi ineficiente para permitir que pudéssemos consguir um relativo equlibrio nas finanças. Os aumentos HOMEOPÁTICOS de limite e prazo foram as principais causas do insucesso. O último aumento de R$25mil, considerado um pouco melhor, não teve o efeito desejado porque a situação de todos já havia chegado ao caos total.
É preciso que sejam realizados estudos, URGENTES, pela PREVI, objetivando um aumento de limites e prazos que possam realmente proporcionar condições de promover uma melhora na situação financeira desesperadora da grande maioria. pois se trata de questão de sobrevivência. Isto posto, por se tratar de empréstimo consignado cuja concessão é condicionada a existência de margem consignável de cada tomador sugiro o seguinte:
LIMITE MÁXIMO : ENTRE 150MIL A ATÉ 200MIL reais ( * )
PRAZO : 150 A 180 meses ( ** )
CARENCIA : 12 MESES (***)
JUSTIFICATIVAS:
(*)no caso de 200 mil, mesmo os que recebem altos salários e elevados beneficios se interessariam por contrair o ES , devido sua excepcional taxa de juros, e assim permitiria à Previ fazer excelente investimento com absoluta segurança, o que não ocorre com a Renda Variável(Bolsa):
Por outro lado, mesmo um eventual aumento do limite para apenas 150mil, com prazo entre 150 e 180 , permitiria
o acesso praticamente a todos devido aos valores razoáveis da prestação mensal, permitindo, por certo, um alívio importante na desesperada situação financeira enfrentada por associados/assistidos e pensionistas. há bastante tempo. Com isso poderíamos aguardar, com menos ansiedade , que nosso Fundo resolva promover a distribuição do Superavit. Por enquanto eles)Diretoria) ficariam nos emprestando NOSSO PROPRIO DINHEIRO(do superavit):
(**) permitiria prestações mais coerentes com os baixos benefícios de aposentadoria pagos pela PREVI;
(***) compatível com a elasticidade do prazo .
Espero que minhas sugestões possam contribuir com o trabalho que será elaborado por nossa associação para remessa à Previ.
Com minha admiração e respeito
aos que conduzem a AAPPREVI e grande abraço a todos os colegas.

Anônimo disse...

Colegas. Senhor Marcos Cordeiro.
Sugiro o seguinte: a) Bônus mensal de cerca de R$3.000,00 a cada associado. No futuro, caso haja mudança negativa no patrimônio do fundo, de forma significativa, capaz de comprometer a saúde financeira da Caixa, seria revisto o valor deste bônus; b) Elevação do limite máximo, para R$200 mil, dos empréstimos simples, bem como aumento do prazo de retorno para até 180 meses, prática que o mercado já adota para financiamentos de bens duráveis de longo prazo como por exemplo o BNDES. Se o risco dos empréstimos é desprezível, seria mais interessante o associado centralizar suas pretensões de crédito na PREVI, do que nas mãos de terceiros, cujos juros, sabidamente são maiores.

Abraços ZÉ Maria - Goiânia-GO

Anônimo disse...

Estão SENTADOS em cima do MEU SUPERÁVIT, do MEU DINHEIRO. Quando eu contribuí assumi o risco de no caso de DÉFICIT ter que bancar, SEM DEMORA. Mas no caso de SUPERÁVIT, a grana é MINHA e de quem contribuiu. Não é de mais ninguém. Saiam de cima do MEU DINHEIRO. CUMPRAM AQUILO QUE MANDA O ESTATUTO, SEM DEMORA!

Colegas se observarem atentamente a Previ e o patrocinador, não levam a sério os acordos, veja o caso da aposentadoria as mulheres aos 45 anos, proposta também esquecida foi aprovada em plebicito e não foi implantada,por decisão do voto de minerva.
Todos os acordos envolvendo Previ e BB termina sem ser cumprido integralmente.
E a novela do plano odontologico,aprovado em até agora não foi efetivado, estão estudando.

Quando ao ES o Senhor Cavalcante tem toda a razão, todos contratam o máximo pagam as suas contas e voltam a viver,não haverá reclamações pois todos estão cientes que nada poderá ser feito neste produto.
Quem errou,esta endividado,jamais cairá nesta situação novamente.

Vamos contruir esta proposta com a ajuda de todos os colegas.
ISA MUSA DE NORONHA, FAÇA A SUA PARTE TAMBÉM, TEM LIVRE ACESSO AOS ELEITOS ATRVÉS DA ANABB, COBRE DELES UMA SOLUÇÃO PARA QUE TODOS OS COLEGAS AINDA EM 2010 POSSA VOLTAR A VIVER EM PAZ, E REESTABELECER A SUA DIGNIDADE.

ABRAÇOS LUCIANO ARAGÃO

GILVAN REBOUÇAS disse...

Colegas,

Acho louvável a proposta do sr. Cavalcante, mas ela não encontra amparo legal.Vejamos:
De acordo com a revista PREVI 151, de junho de 2010 temos 121.045 participantes. Se for concedido um empréstimo simples de 200 mil para cada um dos participantes a conta vai para além de 24,2 bilhões. Pelas regras do CMN, de 24/09/2009 os fundos de pensão só podem aplicar em empréstimos e financiamentos até 15% do seu patrimônio (140 x 15% = 21 bilhões). Lembrem-se de que os financiamentos imobiliários não foram computados nessa simulação.
Analisando-se a proposra de 150 mil os cálculos vão para 18,15 bilhões. Já existem contabilizados até 31/12/2009 cerca de 3,64 bilhoes em empréstimos e financiamentos. Na concessão de um novo empréstimo o antigo é liquidado, então esse seria o valor máximo( 150.000) de concessão para que a PREVI ficasse enquadrada. Pelo Balanço não dá para saber qual o montante alocado em emréstimo simples e financiamento imbobiliário.


Atenciosamente,


Gilvan Rebouças

Anônimo disse...

Colegas,

A Previ não tem motivo algum para dizer que o ES prejudica o participante, quando a longo prazo.
Vejam vão investir em Trem Bala Belo Monte..., com retorno em mais ou menos TRINTA ANOS.Retorno para quem?
O Empréstimo Simples, para os participantes teria um retorno de no máxino 10/15 ANOS. E tem mais é SEGURO. Trem bala/Belo Monte, quem afirma, hoje, de que o investimento é rentável, só o Governo!
Anônimo

Anônimo disse...

Marcos e colegas,

Mesmo aumentando o limite para R$ 200.000,00, acredito que a grande maioria não poderia contratá-lo. No meu caso, se aumentasse para 150/150, o máximo que eu conseguiria com minha margem seria R$ 23.000,00. Acho que a grande maioria dos colegas, estão com seus benefícios bem abaixo dos 6.000,00. No meu caso recebo R$ 1.127,00, depois que desconta CAPEC, Cassi, a margem fica bem pequena. Outra coisa, com relação a carência, devemos tentar mantê-la no que é atualmente, ou seja seis meses e não aumentá-la para 12 como sugerido. É lógico, quem conseguir um empréstimo alto e sanar suas dívidas, dificilmente precisará renová-lo em prazo menor, o que não é o caso dos que conseguirem menos.
Bom final de semana a todos.
cvj

Anônimo disse...

Colega Gilvan,

Acredito que muitos, senão a grande maioria,não poderá contrar o teto de R$ 200.000,00. Nesse caso o total ficaria abaixo do 21 bilhões.

Anônimo disse...

Ao colega anônimo de 16 de julho de 2010 das 10:42.

Veja a nota abaixo da Anapar sobre ação que envolvem os pratrocinadores (BB e PREVI).



04/11/2008 - Ano VIII - Nº 287


ANAPAR ajuíza nova ação contra Resolução 26

Após o indeferimento da liminar no primeiro mandado de segurança impetrado contra a Resolução CGPC 26, a ANAPAR ajuizará nova ação para pedir a nulidade dos artigos 20 e 25 da norma, que prevêem a devolução de valores às patrocinadoras e aos participantes e assistidos. A medida será ajuizada hoje, dia 04 de novembro.

O Juiz da 1ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, Dr. Marcelo Rebello Pinheiro, indeferiu o pleito da ANAPAR em mandado de segurança, sob o argumento de que “Não cabe mandado de segurança contra lei em tese”. O processo foi arquivado sem julgamento de mérito. O mandado de segurança pedia, também, que o Secretário da Previdência Complementar fosse impedido de aprovar qualquer devolução de valores a patrocinadores em planos de previdência superavitários. Até onde se tem conhecimento, ainda não há nenhuma decisão desta espécie sendo apreciada pela Secretaria da Previdência Complementar (SPC).

A nova ação da ANAPAR será ajuizada contra o presidente do CGPC, o Ministro da Previdência Social, por ter editado a norma que inovou frente à Lei Complementar 109 e introduziu a possibilidade de devolução de valores, hipótese não prevista na legislação.

Outras entidades de classe também já ajuizaram demandas contra a Resolução, num movimento que lembra, em 2001, o finado Decreto 3721 e a luta contra a sua implantação. Naquela ocasião também foi questionada a legalidade da medida que, autoritariamente, aumentava a idade mínima para aposentadoria em fundos de pensão. Houve dezenas de sentenças impeditivas à sua implantação, conseguidas por sindicatos e associações, e o Decreto acabou revogado.

Protestos de participantes provocam reação – No combate à Resolução, abaixo-assinados e inúmeras mensagens chegam aos responsáveis pela sua criação. Este movimento tem provocado a edição de reiterados comunicados defensivos, tanto por parte da SPC quanto da Abrapp, com rasgados elogios ao conservadorismo da medida e à proteção dos participantes. No entanto, deixam de mencionar a devolução de valores aos patrocinadores, conceito ilegal e coração da norma.

Infelizmente, tanto uma quanto a outra se arvoram em defensores dos direitos dos participantes, mas aprovaram uma norma que favorece ilegal e explicitamente as patrocinadoras. “Antes de se nomearem defensores dos participantes, deveriam aferir a opinião destes e de suas entidades representativas: é praticamente unânime a opinião de que a Resolução precisa ser revogada”, avalia Cláudia Ricaldoni, Secretária Geral da ANAPAR. “Não foi por falta de aviso. Desde o primeiro momento em que o tema foi ventilado, alertamos a SPC que os participantes eram radicalmente contrários a qualquer possibilidade de devolver valores às patrocinadoras”, completa José Ricardo Sasseron, presidente da ANAPAR.

Anônimo disse...

Mudança de planos

Odebrecht e Camargo Corrêa agora querem construir usina de Belo Monte
Publicada em 16/07/2010 às 21h44m
Mônica Tavares
R1 R2 R3 R4 R5 Dê seu voto R1 R2 R3 R4 R5 Média: 3,1Comente
Comentários
BRASÍLIA - Depois de abandonarem o leilão da usina de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará, poucos dias antes do prazo final de cadastro dos concorrentes, as empreiteiras Camargo Corrêa e Odebrecht estão agora concorrendo para construir a hidrelétrica. Também está na disputa a construtora Andrade Gutierrez, derrotada no leilão de 20 de abril. Ao todo, quatro grupos estão cotados para participar da segunda maior obra de engenharia do país. A lista se completa com os grupos Queiroz Galvão e OAS; e Mendes Júnior; Serveng-Civilsan e Contern. Estes últimos participam do consórcio Norte Energia que venceu a disputa pelo projeto.

- A análise passa pelo preço baixo, qualidade boa e garantia para construir a obra - afirmou ontem o presidente do consórcio, José Ailton Lima.

O consórcio Norte Energia poderá antecipar a conclusão da usina de Belo Monte, no Pará, previsto para outubro de 2015. A decisão, porém, só será tomada um ou dois anos depois do início das obras,marcado para abril de 2011, após o período chuvoso na região. O cronograma das obras civis foi entregue ontem à Agencia Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Lima disse que manteve o cronograma previsto no edital, mas nãodescartou a antecipação:

- A intenção dos investidores é sempre antecipar a obra, para antecipar a receita. Mas a gente só vai discutir a possibilidade com um ou dois anos de obra. Não é uma coisa que está nos angustiando.

O governo tem pressa para encerrar os trâmites burocráticos de Belo Monte. Na sexta, a Aneel habilitou a Sociedade de Propósito Específico (SPE), que irá construir a obra. A relação dos 18 sócios da empresa, entre estatais, construtoras, autoprodutores de energia e fundos de pensão e de investimentos, foi apresentada na quarta-feira à agência. O próximo passo - cujo prazo se encerra em 2 de agosto- será o depósito da garantia de fiel cumprimento, cujo valor representa 5,5% do empreendimento ou R$1,045 bilhão.

No fim de agosto, o consórcio acredita que vai obter a Licença de Instalação do canteiro de obras. No período de setembro deste ano e abril de 2011, será feita a mobilização e a construção de alojamentos. Já no final de novembro, deverá ser concedida a licença de instalação da obra pelo Ibama, as negociações já começaram.

O consórcio também está negociando com grupos o fornecimento de turbinas. Entre eles estão o chamado grupo europeu, formado pela Alston, Voith-Siemens e Andritz. Outra empresa é a argentina Impsa. Também há conversas com dois grupos, um japonês e outro russo.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Matéria enviada pela Colega Maria Inês de Lima, a quem agradecemos.

Primeira parte:

Investimento pesado em obras públicas, determinado pelo Palácio do Planalto, pode gerar prejuízos para os fundos de pensão de estatais

Não há garantias do retorno dos recursos aplicados nos empreendimentos. Objetivo é viabilizar grandes obras do PAC

Vera Batista

Publicação: 17/07/2010 07:00

O excesso de concentração de investimentos dos fundos de pensão de estatais em obras públicas está preocupando os especialistas. Para eles, a determinação do governo de que as fundações — principalmente a Previ, a Funcef e a Petros, dos empregados do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e da Petrobras, respectivamente — entrem em projetos como a Usina de Belo Monte e o trem-bala pode se transformar em prejuízo mais adiante, caso eles não tragam o retorno esperado. Os dois empreendimentos são os maiores do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), elaborado pela candidata petista Dilma Rousseff.

Somente essas duas obras vão custar, juntas, aproximadamente R$ 53 bilhões. Desse total, os fundos devem garantir pelo menos 20%. Os especialistas lembram que, no passado recente, as mesmas fundações entraram em projetos tutelados pelo Palácio do Planalto e o resultado foram os rombos gigantescos que tiveram de ser cobertos pela população, por meio de impostos. Só um dos últimos socorros à Petros custou quase R$ 9 bilhões aos cofres da União.

O mundo político está sempre de olho nos fundos públicos e privados, que têm patrimônio total de R$ 500 bilhões. Só a Previ, que é a maior dessas entidades, dispõe de R$ 140 bilhões — a Petros tem R$ 46 bilhões e a Funcef, R$ 38 bilhões. Pelo tamanho do mercado, os investimentos em infraestrutura dependem de uma avaliação séria, no entender de Renato Esch, diretor executivo da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp). “Somos gestores de recursos de terceiros. Qualquer decisão tem de enxergar boa rentabilidade e o retorno do dinheiro aplicado”, disse.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Matéria enviada pela Colega Maria Inês de Lima, a quem agradecemos.

Segunda parte:

Saúde
Do total dos R$ 500 bilhões, cerca de 10% (R$ 50 bilhões) podem ser utilizados nos investimentos estruturados, como, por exemplo, obras para receber a Copa do Mundo ou as Olimpíadas, explicou Jarbas Antonio de Biagi, presidente do Sindicato Nacional das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Sindapp). “Os fundos estão saudáveis, mesmo perdendo em torno de 16% a 17% durante a crise, dependendo da exposição ao risco. Isso porque 70% dos nossos recursos estão ancorados em títulos públicos”, garantiu.

Para evitar problemas de gestão, o setor vem investindo pesadamente em qualificação de pessoal, assinalou Biagi. “Riscos existem. Mas a intenção é sempre buscar rentabilidade, segurança e liquidez. Todos os passos são avaliados, tendo em vista que as pessoas têm compromissos com a folha de pagamento dos associados dos fundos. A maioria dos problemas não se deu por conta da grandeza dos investimentos, mas sim porque algumas patrocinadoras não honraram seus compromissos”, replicou.

Ao anunciarem a participação em Belo Monte, por exemplo, tanto Funcef quanto Petros garantiram que farão ótimo negócio. A grande indagação entre os profissionais que acompanham as negociações é por que os fundos de pensão de empresas privadas não entram em tais empreendimentos.

Os mais importantes executivos das principais entidades, no entanto, dão explicações evasivas sobre a quase nula participação da iniciativa privada nos projetos arriscados do governo. Segundo Biagi, “eles (os fundos privados) ainda estão apreciando a possibilidade”. Esch desconversou: “É questão de oportunidade e critérios de investimento”.

Olhando para o médio prazo, Esch estimou que a saída parece óbvia: com a perspectiva de queda da taxa de juros, a alternativa para diversificar as aplicações e obter melhor retorno será apostar nas obras de infraestrutura. Ele crê que, lá para 2013 ou 2014, com o fim das apreensões globais, o aumento do crescimento sustentado e o retorno da inflação para o centro da meta de 4,5%, os juros vão cair. “Em uma conjuntura favorável, os títulos públicos terão baixa rentabilidade. Seremos criativos, mas com base em estudos de viabilidade. Repito, tudo será minuciosamente avaliado”, disse.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Matéria enviada pela Colega Maria Inês de Lima, a quem agradecemos.

Segunda parte:

Saúde
Do total dos R$ 500 bilhões, cerca de 10% (R$ 50 bilhões) podem ser utilizados nos investimentos estruturados, como, por exemplo, obras para receber a Copa do Mundo ou as Olimpíadas, explicou Jarbas Antonio de Biagi, presidente do Sindicato Nacional das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Sindapp). “Os fundos estão saudáveis, mesmo perdendo em torno de 16% a 17% durante a crise, dependendo da exposição ao risco. Isso porque 70% dos nossos recursos estão ancorados em títulos públicos”, garantiu.

Para evitar problemas de gestão, o setor vem investindo pesadamente em qualificação de pessoal, assinalou Biagi. “Riscos existem. Mas a intenção é sempre buscar rentabilidade, segurança e liquidez. Todos os passos são avaliados, tendo em vista que as pessoas têm compromissos com a folha de pagamento dos associados dos fundos. A maioria dos problemas não se deu por conta da grandeza dos investimentos, mas sim porque algumas patrocinadoras não honraram seus compromissos”, replicou.

Ao anunciarem a participação em Belo Monte, por exemplo, tanto Funcef quanto Petros garantiram que farão ótimo negócio. A grande indagação entre os profissionais que acompanham as negociações é por que os fundos de pensão de empresas privadas não entram em tais empreendimentos.

Os mais importantes executivos das principais entidades, no entanto, dão explicações evasivas sobre a quase nula participação da iniciativa privada nos projetos arriscados do governo. Segundo Biagi, “eles (os fundos privados) ainda estão apreciando a possibilidade”. Esch desconversou: “É questão de oportunidade e critérios de investimento”.

Olhando para o médio prazo, Esch estimou que a saída parece óbvia: com a perspectiva de queda da taxa de juros, a alternativa para diversificar as aplicações e obter melhor retorno será apostar nas obras de infraestrutura. Ele crê que, lá para 2013 ou 2014, com o fim das apreensões globais, o aumento do crescimento sustentado e o retorno da inflação para o centro da meta de 4,5%, os juros vão cair. “Em uma conjuntura favorável, os títulos públicos terão baixa rentabilidade. Seremos criativos, mas com base em estudos de viabilidade. Repito, tudo será minuciosamente avaliado”, disse.

Anônimo disse...

Referente a matéria enviada por Maria Inês de Lima.

Se a Dilma ganhar, estaremos num mato sem cachorro. Os fundos de pensões das estatais vão estar em rumo de colisão fatal. Os cacos não terão condições de serem juntados. A catástrofe se avizinha.

Nossa única saída é investir na derrota de Dilma ou iremos sucumbir de uma vez.

Marina não tem a mínima chance de ganhar. Se votarmos nela estaremos votando indiretamente em Dilma. Pois, uma voto para Marina significa um voto a menos para seu principal concorrente: o Serra.

Entre Serra e Dilma, a melhor opção será o Serra.

Não temos alternativa. O PT joga sujo demais. Não há nada que os impedem de atingirem seus objetivos.

Reflitem aqueles que votaram em LULA. Não incorram no mesmo engano do canto da sereia. Ideologismo não é uma boa conselheira, temos que ser práticos.

Reflexão é preciso e cabe a cada um de nós lutarmos pelos nossos interesses de forma firme e com bom senso.

Anônimo disse...

Essas obras como Belo Monte e Trem Bala não devem ser financiadas pelo poder público. Esses tipo de obras devem ser tocadas pela iniciativa privada. Pois, essas obras só interessam aos grandes investidores quando elas oferecem rentabilidade, retorno compatível, em um determinado tempo. Os custos são menores e os prazos de construção são razoavelmente menores. Com o poder público essas obras se tornam mais caras e a morosidade na construção, devido as ingerências políticas, atrasam o cronograma da obra, e consequentemente a elevação do custo inicial. E, ai, pagamos o mico. E querem o nosso dinheiro poupado na Previ. Se der prejuízo, azar o nosso. Eles não estão nem ai por nós. Que nós vamos às favas.

Plano 1 - Faixas Etárias: disse...

Analisando-se os participantes do Plano 1, pelas faixas etárias, nota-se UMA BRUTAL DIMINUIÇÃO nas 3 primeiras faixas, onde situam-se "os mais jovens-35 até 49 anos-", pois em março/2009 eram 28.104, em setembro/2009 caíram para 25.538 e, agora em junho/2010 são 23.015(ativos+aposentados).

2) Já nas últimas 7 faixas etárias do Plano 1, onde estão os participantes de 70 anos até 104(!)anos, o total mantém-se em 13.178, 13.844 (em 2009) e agora 14.558 em junho/2010.
Surpreende-se que haviam 29, depois 33 e agora 30 participantes NA ATIVA (ou no BB ou na PREVI ?).
Daria uma bela reportagem estes 30 "ativos" com mais de 70 anos de idade !

Anônimo disse...

Colegas não quero jogar um balde de água fria nas pretenções,mas nunca que a Previ colocaria a nossa disposição esta quantia de 21 Bilhões porque a meta do Governo não é atender 120 mil famílias e sim investir nos KING KONG que esta para cair no colo dessas mesmas famílias que lhe é negada o direito de melhores condições de vida.
Nem que ISA MUSA DE NORONHA,VALMIR MARQUES CAMILO,CECÍLIA GARCEZ,TODOS OS ELEITOS DA CHAPA 3 O SASSERON SE NEGARIA A ACEITAR ESTE PEDIDO,E COM TODA A CERTEZA O BANCO DO BRASIL FARIA USO DO VOTO DE MINERVA PARA NÃO CONCEDER ESTE EMPRÉSTIMO SIMPLES QUE MELHORIA E MUITO AS NOSSAS VIDAS.

MAIS NÃO CUSTA TENTAR!!!

Anônimo disse...

Quando a proposta é para aposentados e pensionistas tudo é complicado, estão estudando, estão avaliando, estão revendo as premissas anualmente etc....

ISA MUSA DE NORONHA NÃO DESISTA DE NÓS, LEVE ADIANTE ESTA PROPOSTA, FAÇA COMO MUITOS COLEGAS ASSINE ESTE DOCUMENTO COM ALGUM RELATO, OU DE ALGUM AMIGO QUE TANTO NECESSITA DE UM NOVO ES.
DEUS HAVERÁ DE SER JUSTO, PORQUE O QUE PEDIMOS É TÃO POUCO PARA ELE.
DEUS HÁ DE NÓS ABENÇÕAR.

Anônimo disse...

A ISA MUSA DE NORONHA É NOSSA ÚNICA CHANCE DE SALVAÇÃO.

UNAMIBB, ANABB, FAABB, SEUS AMIGOS INFLUENTES VÃO OLHAR POR NÓS, PORQUE NÃO USA A FORÇA QUE TEM PARA MODIFICAR ESSE ES ISA COM AJUDA DA ANABB DA QUAL A SENHORA É MEMBRA, QUAL A DESCULPA PELO NÃO APOIO A TODOS OS COLEGAS ENDIVIDADOS DO PB-1.

"ISA MUSA DE NORONHA" SERÁ QUE ESTAMOS PEDINDO DE MAIS A SENHORA?

RESPONDA-ME POR FAVOR

Anônimo disse...

Marcos e demais colegas.

Lendo as inúmeras explanações aqui presentes, estou bastante preocupado com nosso futuro. Parece que a PREVI está querendo desviar nosso patrimônio, inclusive o nosso Superavit, para financiar as obras faraônicas do desgoverno Lula. Acho que medidas judiciais drásticas devem ser urgentemente tomadas para evitar essa catástrofe. Do contrário, brevemente estaremos recebendo somente os "grandes" valores pagos pelo INSS.

Anônimo disse...

Ao investir na PREVI, você investe em melhor qualidade de vida no futuro para você e sua família. Isso também pode se refletir em viver mais e melhor, de acordo com os hábitos de vida de cada um.

O QUE ESTÁ ESCRITO ACIMA EU LI NO SITE DA PREVI( creio que vcs também leram).
EU NÃO ACREDITO. DEVO ESTAR SONHANDO. QUE FUTURO SE ESTÃO NOS TIRANDO TUDO O QUE ACUMULAMOS O NOSSO SUPERAVIT. ESTAMOS NOS AFUNDANDO COM EMPRÉSTIMOS DO BB E O EMPRESTIMOS SIMPLES NÃO SAI DOS 75.000. SÓ A JUSTIÇA PARA QUE ELES CUMPRAM A LEI.
DONA ROSALINA VOCE ACREDITA NO QUE ESTÁ ESCRITO LÁ NO ALTO?

Anônimo disse...

Colegas,

Concordo com o Colega 17 07 2010 13:05.

Devemos pensar, imediatamente, em medidas de precaução contra os inescrupulosos dirigentes do bb e da Previ ( nomeados pelo bb), no que se refere a destinação do Superavit e das aplicações em projetos, até o momento duvidosos.
De futuro, impedí-los de gestão em órgãos públicos, autarquias e de economia mista, outros, nos quais eles possam causar prejuízos à população.
Isso está muito parecido com os famosos crimes do "colarinho branco".
Cada vez que compareço a este Blog, sou tomado de angústias, dissabores, desesperanças.
Mesmo assim, creio na Verdadeira Intenção do Marcos e de muitos colegas que aqui escrevem.
Acredito, também, na Sra Isa Musa.
Anônimo

Anônimo disse...

Será que esse desgoverno irá atropelar a Lei? Mais do que está?

Lei compl 109/2001
Art. 9o As entidades de previdência complementar constituirão reservas técnicas, provisões e fundos, de conformidade com os critérios e normas fixados pelo órgão regulador e fiscalizador.
§ 1o A aplicação dos recursos correspondentes às reservas, às provisões e aos fundos de que trata o caput será feita conforme diretrizes estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional.
§ 2o É vedado o estabelecimento de aplicações compulsórias ou limites mínimos de aplicação.

Quanto à Resolução 26, colegas, trata-se só de "um bode expiatório".
Em tudo que se propõe a resposta é: A resolução 26 não permite... Todos nós sabemos o que está acontecendo:
Desobediencia civil
O que é desobediência civil? Em resumo, e correndo o risco de hipersimplificar o assunto, é O ATO DE DESOBEDECER CONSCIENTEMENTE A LEI, COM O INTUITO DE AGIR DE ACORDO COM A PROPRIA CONSCIENCIA.
"Aos amigos tudo. Aos inimigos o rigor implacável da Lei." (Artur Bernardes)

Anônimo disse...

Cavalcante disse:

Não me parece o mais correto o cálculo simples de 200mil reais X 121mil associados para se obter provável valor(21 bilhões) que a Previ teria que disponibilizar para o realinhamento do E.S.
Senão vejamos a realidade dos possíveis tomadores no universo da Previ:
a) poucos privilegiados (salários milionários e altos benefícios de aposentadoria) terão acesso ao maior limte (200mil):
b) boa parte (20 a 30%) ,se obtido o prazo entre 150/180 meses, provavelmente, disporá de margem consignável para chegar aos 150mil
reais ou um pouco mais :
c) a grande maioria( 60%) , em consequencia dos ridículos complementos pagos pela Previ, se aprovado o prazo entre 150/180 meses, poderá se beneficiar com redução bastante importante na prestação, por ocasião da renovação , quando poderia obter um limite maior de empréstimo, chegando, possivelmente, aos 75mil atuais ou um pouco mais, por conta da disponibilidade de margem consignável em decorrencia, volto a dizer, do alongamento do prazo.
Sabemos perfeitamente que o Empréstimo Simples é apenas uma solução emergencial diante da situação financeira caótica e , às vezes , absolutamente sem saida como já foi observado em dramáticos comentários de colegas aqui no blog.
Acredito que o cálculo que foi feito com relação à disponibilidade de recursos para prover o realinhamento poderia ser aplicado para se apurar , ISONOMICAMENTE, o valor que cada um poderia obter com a justa distribuição do SUPERAVIT.A grosso modo seriam 12bilhões( apenas 50% da reserva especial p/rev....) dividos por 120mil o que daria em torno de R$100mil reais para cada participante, smj, que mesmo recebido ao longo de alguns anos, como prevê o estatuto , seria infinitamente melhor que se contrair mais empréstimo.
É o que penso !
Cavalcante

Juarez Barbosa disse...

Prezado Marcos e frequentadores do Blog

Eu não quero este empréstimo "simples" que está se tornando "complexo" para todos. Houve uma época que me utilizei dele para equilibrar a minha vida. Agradeço a Deus a força e a sabedoria que me deu de passar os longos 36 meses de tempo para saldá-lo. Agradeço também a minha família, por compreender que neste período o melhor a fazer era reduzir os gastos, para não transformar aquela dívida em uma "bola de neve" descendo numa montanha também de neve. Sei que muitos iguais a mim conseguiram se livrar desta situação. Também tenho a certeza, que muitos estão ainda tentando se livrar de tal situação, agora mais difícil, pois deixaram a bolinha de neve descer a montanha também de neve, e ela ficou maior. Já não é mais uma simples bolinha...
Apóio a luta de todos que estão pleiteando o realinhamento do empréstimo simples, pois tenho a convicção de que uma vez conseguido este realinhamento, todos poderão reorganizar as suas vidas financeiras e ai sim, voltar suas forças para o objetivo principal de nossa luta, que deve ser a de colocarmos dentro da PREVI dirigentes comprometidos com a melhoria real de nossos benefícios, visto ser o PB-1 fechado e que a cada ano a relação Patrimônio do Fundo X número de aposendados/assistidos não cessará de crescer.
Eu não quero que me emprestem o que é meu; eu quero simplesmente os frutos desta árvore que plantei, e que cresceu vigorosa e farta, e que espero continue sempre assim. Mas para que ela continue assim, é preciso cuidá-la adequadamente.
Vamos lá pessoal...
Emprestimo "complexo" para todos que ora necessitam e luta incansavél para podermos desfrutar desta árvore magnífica chamada "PREVI".

rosalina_de_souza disse...

AO COLEGA ANÔNIMO DAS “14:45”
Não me digam que estou falando de novo em política. Não estou, embora esteja! Estou tratando, em última instância, de ÉTICA. De que adianta estudarmos filosofia, religião comparada, a desconstruir a essência dos valores das mais diversas culturas, agregarem a sabedoria de milênios e, no dia-a-dia, ignorar tudo que é correto e agir como a massa ignorante, premiando corruptos e agindo guiado pelo próprio umbigo? Cadê os brios de nosso povo? Cadê a indignação que conseguem sentir pela Resolução CGPC26, ou pelo cumprimento da lei 109/2001, que diz que este ano teríamos o equilíbrio do nosso PB-1, mas não os dirigentes nos tratam como lixo, nossos valores mais básicos são ignorados? Por que o desprezo pelas leis que nosso líder máximo sente não repercute no judiciário, nos jornais, na boca do povo, como ocorre com um crime bárbaro? Por que um crime ainda é UM crime, mas o incentivo ao crime - somado ao descaso pelas leis - vindo de quem detém o poder é muito, mas MUITO mais perigoso, pois é um berço e um incentivo para milhares de futuros criminosos, que crescerão em um país que sofre de um vazio ético, SEM EDUCAÇÃO, com o núcleo familiar cada vez mais destruído pela violência, miséria e cultura de massa que prega a "lei do cão". O que podemos esperar para o futuro? Só temos em nossa "agenda de compromissos" do país a Copa 2014 e as Olimpíadas Trem Bala, Belo Monte? É apenas isso que almejamos, que planejamos a nossa aposentadoria a longo prazo?
A continuar o descaso que tratam os Donos da Previ (aposentados e pensionistas), sem reação, com a devida omissão dos DITOS nossos representantes seremos sempre os pobres coitados, os miseráveis que estão atrás das migalhas do Empréstimo Simples, ou aqueles que já passaram dos 60 anos e ainda não tem teto, buscando um Empréstimo imobiliário melhorado dando verdadeiras condições para sua contratação, na versão segunda Edição.
Creio que estamos no caminho certo colega anônimo das 14:45 não vamos sair desta batalha com a derrota, vamos sair vitoriosos, a AAPPREVI é fonte inesgotável de homens e mulheres de bem, que terão um exercito a altura para substituir qualquer um dos integrantes da atual diretoria,e que em 2012 possamos ter candidatos voltados ao nosso bem estar, chapa branca isenta de hipocrisia e desrespeito aqueles que lutaram para fazer o Banco do Brasil e na sua velhice poder gozar de uma vida digna,poder contribuir com o futuro dos filhos e netos.
Esta é nossa sorte, e creio que estaremos vivos para brindar esta grande Vitória dos aposentados e pensionistas, desta grande família que se tornou a AAPPREVI.
Saudações a todos os colegas que lutam por este sonho, por este grande objetivo que é tornar a AAPPREVI forte e sadia para as grandes batalhas do Futuro.
Rosalina de Souza

Anônimo disse...

BB DE OUTRORA - Refiro-me ao conto "Milagre" relatado pelo colega Ary Taunay, pois foi realmente muito emocionante, comico e triste, mas que teve um final feliz. Ri a valer com as sucessivas tribulações, nas quedas, coices e espojões (desemprego, infartos, reemprego, falência da nova empregadora e para acentuar a sua consumição recebeu como prêmio de indenização, um "caco velho"); conhecia relatos de quem desce dos Céus para o inferno, mas de maneira inversa, só este seu. Esse conto nas mãos de um ator seria adaptado para um filme de curta metragem, no mínimo.
Consequência dos PDV's, PAC's e outras arapucas que muitos foram vítimas.

Anônimo disse...

Em relação ao ES acho que deveríamos lutar, antes de mais nada, por prazos mais longos. De que adianta altos limites se muito poucos se beneficiam. De 75mil passa para 100mil e prazo no mínimo de 120 meses.

Anônimo disse...

Hoje o ES com o teto de 75mil totaliza pouco mais de 3 BI, o que significa que fica muito aquem dos 9 BI, caso os 121mil aposentados tomassem o ES, portanto acredito que a Previ liberando um limite de 200mil ficaria na mesma proporção de hoje,quer dizer em torno de 1/3, afinal o objetivo é que os aposentados que passam dificuldades e estão desesperados e endividados recuperem seu equilíbrio financeiro e consequentemente o equilíbrio físico e mental, porque sem dinheiro para honrar os compromissos não há saúde que resista.
Cada um tem a sua história de vida, não sabemos o que aconteceu no caminho da vida de cada um, para terem ficado endividados, mais é fácil entender que temos filhos e netos que muitas vezes precisam da nossa ajuda financeira e com os benefícios que recebemos da Previ cada vez mais irrisórios, dá para compreender o desespero dos colegas pleiteando um maior ES, única solução para um equilíbrio imediato, acho que deve haver um grande empenho de todos para obtermos essa "vitória"
A Previ nada mais vai fazer do que emprestar nosso dinheiro para nós mesmos, é o mínimo que ela pode fazer para diminuir tanto sofrimento injustificável que nos causa, como os colegas citam aqui no blog não corre risco nenhum, até mesmo pela faixa etária que os aposentados do PB1 estão, poucos morreram antes dos 10 ou 15 anos para liquidação da dívida, o que para a Previ não implica em prejuízo porque ela aí também deixa de pagar dos vencimentos.
Tudo que pudermos conseguir que a Previ libere de alguma forma para que alivie os aposentados donos do superávit, deve ser feito com urgência, antes que o governo use todo nosso superávit para obras de seu interesse que só vão gerar prejuízo para nós.
Apoio o pedido de empréstimo com limite de 150/150 ou 200/180, e agradeço ao Marcos e Gilvan por ajudarem e se empenharem em mais esse defafio.

Anônimo disse...

Pelo tocar dos tambores não teremos distribuição do superávit em 2010, e nem realinhamento do empréstimo simples.Pelo que passa na atual gestão da previ é que se a chapa foi ruim, nós ainda podemos ser piores, basta apenas enganar com falsas promessas e estamos todos aqui, ricos e fartos, e nada vamos fazer, pq o nosso, a nossa gorda vaquinha virá todo mês, e os colegas que se lasquem.Pelo andar da carruagem DUVIDO QUE HAVERÁ DISTRIBUIÇÃO DO SUPERÁVIT!!!A impressão que tenho é que os colegas da CHAPA 3 estão a passeio, se diveretindo, como se todos os aposentados do plano 1 estivessem ganhando horrores, e nenhum assunto relevante existisse.Não sei se é isso, ou se é a tamanha desfaçatez que se apoderou desta chapa, que ao meu ver sempre foi a chapa do nada, quer dizer não fazem NADA!Eu nem chamo de traição isso, estava na cara que essa chapa era o apêndice da outra, uma sombra que nada ia mudar...

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caro Colega Marcos Cordeiro.

Venho por meio desta lhe expor um pensamento meu, talvez até imaturo, impensado, mas para mim de suma importância.

Fazendo uma pesquisa, constatei que a Federação(FAABB) onde a Colega Isa é a Presidente, é composta por 32 associações,se a AAPPREVI for aceita serão 33 ao todo.
Mas destas 32 associações somente 16 assinaram o documento entrega ao Presidente da Previ Senhor Ricardo Flores.
Verifiquei também que a maior intenção desta carta foi explanar ao patrocinador ou aos dirigentes da previ, que os aposentados e pensionistas do PB-1 ( pessoal aposentados e pensionistas ) são contra a devolução de valores ao Patrocinador, isso porque o pessoal da ativa seria representado pela ala sindical e esses tem seus legítimos direitos representados pelos sindicatos e a contraf-cut.
e pela explanação me pareceu muito claro e evidente que os presidentes e representantes ditos nossos são favoráveis a linha do judiciário, e não me pareceu claro a vontade política de compor um "ACORDO ENTRE AS PARTES" , onde o Patrocinador levaria então os seus 50%,sobre a ótica da Resolução CGPC26.
Marcos ficou claro para mim que o objetivo da comissão era o de entregar ao presidente da previ,uma carta cujo os fundamentos são que seus "associados" são contra a participação do patrocinador na distribuição do superávit e mais claro ainda que a federação não tem total controle sobre os rumos tomados entre as suas afiliadas, então porque somente 16 das 32 teriam assinado tal documento.
Ficou bastante claro e evi dente na resenha do senhor Adrião que os ditos dirigentes se respeitam muito quando o assunto é enrolar os aposentados e as pensionistas do PB-1.
A Comissão foi composta por pessoas que com toda a certeza não necessitam de empréstimo simples,porque lá tinha ex presidente do Banco do Brasil, e certamente não ganham proventos da média, e sim proventos bem melhorados, cujos cargos que ocuparam lhe deram esta oportunidade.
Fiquei,revoltada mesma,porque não vi nada ali que fosse fruto de melhorias urgentes que tanto precisamos, e sim mais uma maneira enrolar mais um pouco com a brava intenção de dizer assim: estamos trabalhando, tentando reverter esta situação etc...
Mi perdoe por fazer perder o seu já escasso tempo,mas essa é minha opinião sincera sobre este tema, não coloquei ela no blog porque minhas opiniões estão sempre sendo confundidas com a opinião da dirigente Rosalina e por este motivo que me omiti de qualquer tipo de come ntário a esse respeito.
Mas fica o alerta de precisamos achar uma maneira de sermos ouvidos de verdade, a ISA pode até ter tido as melhores intenções, mais ficou muito claro para mim que ela é contra uma NEGOCIAÇÃO,e para os seus aliados me pareceu muito clara a intenção de ir para o judiciário, onde muitos não verão a cor de nem um centavo desse Superávit, e as pobres pensionistas vão continuar sendo enfraquecidas pela suas péssimas condições financeiras,ao desequilíbrio da saúde, e a graves problemas de depressão.
Amigo Marcos Cordeiro, estou convencida que as proposições da Colega Isa deva ser melhor analisada, melhor pensada, melhor discutida e finalmente aprofundada para que os aposentados e as pensionistas do PB-1 possam ter dias melhores ainda em 2010.
Atenciosamente
Rosalina de Souza
Matrícula Previ 18.161.320-4

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caro Colega Marcos Cordeiro.

Venho por meio desta lhe expor um pensamento meu, talvez até imaturo, impensado, mas para mim de suma importância.

Fazendo uma pesquisa, constatei que a Federação(FAABB) onde a Colega Isa é a Presidente, é composta por 32 associações,se a AAPPREVI for aceita serão 33 ao todo.
Mas destas 32 associações somente 16 assinaram o documento entrega ao Presidente da Previ Senhor Ricardo Flores.
Verifiquei também que a maior intenção desta carta foi explanar ao patrocinador ou aos dirigentes da previ, que os aposentados e pensionistas do PB-1 ( pessoal aposentados e pensionistas ) são contra a devolução de valores ao Patrocinador, isso porque o pessoal da ativa seria representado pela ala sindical e esses tem seus legítimos direitos representados pelos sindicatos e a contraf-cut.
e pela explanação me pareceu muito claro e evidente que os presidentes e representantes ditos nossos são favoráveis a linha do judiciário, e não me pareceu claro a vontade política de compor um "ACORDO ENTRE AS PARTES" , onde o Patrocinador levaria então os seus 50%,sobre a ótica da Resolução CGPC26.
Marcos ficou claro para mim que o objetivo da comissão era o de entregar ao presidente da previ,uma carta cujo os fundamentos são que seus "associados" são contra a participação do patrocinador na distribuição do superávit e mais claro ainda que a federação não tem total controle sobre os rumos tomados entre as suas afiliadas, então porque somente 16 das 32 teriam assinado tal documento.
Ficou bastante claro e evi dente na resenha do senhor Adrião que os ditos dirigentes se respeitam muito quando o assunto é enrolar os aposentados e as pensionistas do PB-1.
A Comissão foi composta por pessoas que com toda a certeza não necessitam de empréstimo simples,porque lá tinha ex presidente do Banco do Brasil, e certamente não ganham proventos da média, e sim proventos bem melhorados, cujos cargos que ocuparam lhe deram esta oportunidade.
Fiquei,revoltada mesma,porque não vi nada ali que fosse fruto de melhorias urgentes que tanto precisamos, e sim mais uma maneira enrolar mais um pouco com a brava intenção de dizer assim: estamos trabalhando, tentando reverter esta situação etc...
Mi perdoe por fazer perder o seu já escasso tempo,mas essa é minha opinião sincera sobre este tema, não coloquei ela no blog porque minhas opiniões estão sempre sendo confundidas com a opinião da dirigente Rosalina e por este motivo que me omiti de qualquer tipo de come ntário a esse respeito.
Mas fica o alerta de precisamos achar uma maneira de sermos ouvidos de verdade, a ISA pode até ter tido as melhores intenções, mais ficou muito claro para mim que ela é contra uma NEGOCIAÇÃO,e para os seus aliados me pareceu muito clara a intenção de ir para o judiciário, onde muitos não verão a cor de nem um centavo desse Superávit, e as pobres pensionistas vão continuar sendo enfraquecidas pela suas péssimas condições financeiras,ao desequilíbrio da saúde, e a graves problemas de depressão.
Amigo Marcos Cordeiro, estou convencida que as proposições da Colega Isa deva ser melhor analisada, melhor pensada, melhor discutida e finalmente aprofundada para que os aposentados e as pensionistas do PB-1 possam ter dias melhores ainda em 2010.
Atenciosamente
Rosalina de Souza
Matrícula Previ 18.161.320-4

Anônimo disse...

Colega Rosalina.
Parabéns pela coragem e dedicação aos assuntos pertinentes aos aposentados e as pensionistas do PB-1.
Acrescentaria mais uma pergunta ao que foi dito pela senhora em relação a Colega Isa Musa de Noronha.
Será que o Banco pretenderia, como sugerido pelos nossos Dirigentes através da Carta endereçada a PREVI e entregue ao seu Presidente Ricardo Flores em nome dos associados da PREVI , estornar os lançamentos de apropriações de superávit feitas até a data de hoje?
Gostaria de saber a resposta da Colega Isa a respeito, e como ficaria os colegas da ativa,devolveriam o que receberam, e os mercados de capitais como receberia esta notícia, as ações do Banco do Brasil seriam frutos de especulações, e com isso também seriamos atingidos já que a Previ tem investido fortemente nas ações do Patrocinador.

Anônimo disse...

Colegas,
A Resolução não é empecilho à utilização da Reserva Especial.
Art. 20. Cabe ao Conselho Deliberativo ou a outra instância competente para a decisão, como estabelecido no estatuto da EFPC, deliberar, por MAIORIA ABSOLUTA absoluta de seus membros, acerca das medidas, prazos, valores e condições para a utilização da reserva especial, admitindo-se, em relação aos participantes e assistidos e ao patrocinador, observados os arts. 15 e 16, as seguintes formas, a serem sucessivamente adotadas:
Notem que este artigo diz" ADMITINDO-SE, EM RELAÇÃO AOS PARTICIPANTES E .....ETC'. NÃO DIZ, "DEVENDO', isso é, não obriga a devolução aos PARTICIPANTES E ASSISTIDOS, CONFORME ARTIGOS 15 E 16.
Os itens I e II estão prejudicados, haja VISTA QUE AS CONTRIBUIÇÕES JÁ ESTÃO SUSPENSAS e tanto patrocinador como participantes e assistidos já estão sendo beneficiados.
Quanto ao item III do artigo 20 estabelece: - melhoria dos beneficios e/ou..
So dependemos do nosso Conselho Deliberativo.
Após o Conselho, segundo a Resolução, a decisão será submetida à SPC ( hoje PREVIC).
Em nenhum momento a Resolução se refere a negociação com Patrocinador. Os recursos são da PREVI que está no mesmo nivel do BB ( Ambos são Patrocinadores).
Mas, infelizmente, :

Art. 81 - Este Regulamento somente poderá ser alterado por deliberação do Conselho Deliberativo da PREVI.

Parágrafo único – As alterações neste Regulamento deverão ser aprovadas pelo patrocinador Banco do Brasil S.A..

Então....

Anônimo disse...

Marcos e Amigos do Blog
A razão de ser da PREVI está expressa no capítulo primeiro de seu estatuto: uma sociedade sem fins lucrativos que tem como objetivo complementar nossas aposentadorias. O Banco finge desconhecer este papel, fazendo da PREVI um investimento com retornos bilionários para compor seu patrimônio.
Os colegas Dirigentes tem se comportando estranhamente,poís nunca foi segredo que para haver algum ganho para o associado da Previ, o Patrocinador tem sempre que levar uma parte.
A única coisa que mudou foi que agora a parte dele virou norma aprovada pelos orgão competentes.

Anônimo disse...

PROPOSTAS DA CHAPA 3

ESTAMOS HOJE COM 48 DIAS DA POSSE E ATÉ AGORA NEM UMA PROPOSTA FOI IMPLANTADA.
TEMOS QUE COBRAR ESSES SENHORES DAS PROMESSAS FEITAS.

Melhorar benefícios do Plano 1 com utilização do superávit

Retomada imediata das negociações do superávit, tendo como prioridade um aumento universal nos benefícios, contemplando todos os aposentados e pensionistas e reservando valores para melhorar os benefícios dos futuros aposentados.
Ao final de 2008, a negociação do superávit do Plano 1 foi interrompida principalmente por conta da crise mundial, que provocou uma queda vertiginosa no valor dos investimentos em renda variável. O superávit acumulado caiu de R$ 53 bilhões em dezembro de 2007 para R$ 26 bilhões ao final do ano seguinte. Passada a crise, a Previ recuperou o valor dos ativos, fechando 2009 com superávit de R$ 44,2 bilhões.
Queremos retomar as negociações e utilizar os excedentes para melhorar os benefícios dos associados, de forma universal.

Anônimo disse...

Marcos e pessoal,

creio que a intenção foi muito boa, afinal precisamos de uma decisão obre esta nova diretoria,e eles tem que mostrar para que vieram, sem esconder nada, ou nos defendem ou ficam do lado do Banco, o que para nós não será uma grande novidade se isto acontecer.

sergioinocencio

Isa Musa de Noronha disse...

Ao colega anônimo de 15 de julho de 2010 às 18:16 - De fato o site da FAABB carece de melhor qualidade. Fazemos tudo em casa com recursos modestos e precisamos mesmo melhorar. Agradecemos pela crítica, tentaremos aperfeiçoar.

Anônimo disse...

Chapa 3...Chapa dos MALDITOS ENTREGUISTAS!!!TRAIDORES!!!

Anônimo disse...

Votem na chapa da AAFBB/ANABB.Eu acho pouco.

Vamos trabalhar para lançarmos a chapa da AAPPREVI, nas próximas eleições. Aí sim, estaremos no rumo certo.

chorando a chapa 3 ? disse...

Ué...elegeram a chapa 3 e agora sentem-se traídos?. Mas não estava claro que esta chapa 3 seria o continuísmo ?.
Chorem sobre o leite derramado, xingam de malditos (mas não estava "bem dito" nos programas da chapa 3?) Entreguistas? mas é óbvio que darão tudo ao BB e a ANABB, pois estes são seus patrões.
ALGUÉM TINHA DÚVIDA?? que votasse na outra chapa, todavia !
(Ganharam as eleições pelo teu voto!
Bem feito, eleitores "ixssperrtuss")

Paulo Beno disse...

Aos colegas (6) "anônimos" de 16 de julho de 2010 e "Cocoon"de 15 de julho :
Indagada a PREVI informa que no site "Plano 1- Faixas Etárias", colocou um asteriscos(*) nas 5 últimas faixas dos 65 anos até 94 anos DOS 'ATIVOS'*,pois precisa informar melhor que trata-se de 80 participantes anciões do Plano 1 QUE NÃO TRABALHAM NO BANCO DO BRASIL !,(nem na PREVI)e, que NÃO estão na ativa nem aposentados e que para a PREVI são *ativos*(com asteriscos*) que por alguma razão não exerceram o seu direito de requerer a aposentadoria !

Com certeza estes 80 estão pedindo a devolução de suas reservas, que no 1º trimestre de 2010 foi de R$ 13.969 MIL ! -(quase 14 milhões de reais),porém não informaram QUANTOS sacaram suas reservas !(No ano de 2009 foram 185 )