terça-feira, 20 de julho de 2010

Realinhamento do ES da PREVI

Caros Colegas.

No dia de hoje, 20 de julho, solicitamos à PREVI o realinhamento do Empréstimo Simples, como prometido. Em nove cartas remetidas pelo correio, sob registro e com AR, procuramos sensibilizar as pessoas encarregadas de gerir os destinos do Fundo pedindo-lhes empenho no estudo da proposta, com vistas ao atendimento.

A primeira das correspondências foi endereçada ao Presidente Flores e as demais, contendo cópias, remetidas aos gabinetes dos dirigentes que julgamos diretamente envolvidos no assunto.

No link abaixo está a reprodução fiel da Carta, com todos seus anexos. Logo após, o veículo que transportou esse documento até o Presidente do Conselho Deliberativo, o Diretor de Seguridade e alguns Conselheiros.

Eis o documento remetido à PREVI:

http://www.aapprevi.com.br/documentos/pdf/carta_a_PREVI_anexos.pdf

E a carta aos demais destinatários:

Tomamos a liberdade de passar às suas mãos cópia da carta endereçada à PREVI, na pessoa do Presidente Ricardo José da Costa Flores, contendo fundamentado pedido de realinhamento do Empréstimo Simples - único benefício imediato que vislumbramos passível de direcionamento aos sofridos e necessitados aposentados e pensionistas atendidos por nossa Caixa de Previdência.

Pela relevância do assunto de que trata, encarecemos dedicar sua atenção à leitura e envidar esforços somando seu empenho ao dos demais Dirigentes envolvidos no acolhimento da proposta, também alvos dos nossos pedidos nesta data.

Em nome dos participantes do Plano de Benefícios N°1, da PREVI, apresentamos-lhe nossos agradecimentos antecipados pela valiosa atenção que ora nos dispensa e pela defesa dos argumentos lançados, que certamente serão merecedores da almejada dedicação de sua parte.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade
Presidente Administrativo

AAPPREVI – Associação dos Aposentados e Pensionistas da PREVI
(Filiada à FAABB)

Destinatários das Cópias enviadas nesta data, sob registro e com AR:

Robson Rocha – Presidente do Conselho Deliberativo
José Ricardo Sasseron – Diretor de Seguridade
William José Alves Bento – Conselho Deliberativo
Mirian Cleusa Foch – Conselho Deliberativo
Célia Maria Xavier Larichia – Conselho Deliberativo
Francisco de Assis Chaves Costa – Conselho Fiscal
Aldo Bastos Alfano – Conselho Fiscal
Antonio Gonçalves de Oliveira – Conselho Consultivo do Plano 1.

Marcos Cordeiro de Andrade - Curitiba (PR) – 20/07/2010.

124 comentários:

Anônimo disse...

Postado no blog da Cecilia Garcez

Parte I

Belo Monte causa divergência na Neoenergia
O polêmico projeto da usina hidrelétrica de Belo Monte está expondo também controversas questões de governança das companhias abertas, como a da função do conselheiro independente. Um dos conselheiros da Neoenergia, Paulo Assunção - diretor de administração da Previ, que representa os beneficiários do fundo de pensão - se manifestou contra a participação da empresa na sociedade de propósito específico que vai construir Belo Monte, por entender que não havia total transparência dos números do projeto. Mas pouca diferença fez sua divergência, já que o acordo de acionistas da empresa prevê que os representantes dos controladores devem votar em unanimidade e de acordo com o que decidiram os sócios em reunião prévia ao encontro do conselho de administração.
"A Neoenergia tem um acordo de acionistas que estabelece que os conselheiros votam de acordo com a posição de seus acionistas, ou seja, as matérias devem ser aprovadas por unanimidade, assim sendo, não há possibilidade de voto discordante", informou a empresa em comunicado. "A Previ não orienta voto de seus conselheiros", disse o fundo de pensão em nota. O conselheiro Paulo Assunção não quis fazer comentários.
A independência do conselheiro de administração, mesmo quando indicado pelo acionista controlador ou do bloco de controle, é um tema controverso. A própria Lei das Sociedades por Ações, no lugar de esclarecer, ajuda a causar confusões.
De um lado, a legislação determina que o conselheiro deve votar e agir no melhor interesse da companhia - e, portanto, não em defesa de um grupo específico que possa tê-lo indicado para o cargo. Porém, em outro artigo, a mesma lei determina que o conselheiro de deve seguir e fazer valer o acordo de acionistas. Caso ele vote contra, seu voto será desconsiderado.
Por entender que tal artigo pode prejudicar a independência do conselheiro de administração, o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) lançou em março de 2008 uma "carta diretriz" com orientação sobre o tema.
Na carta, o instituto recomenda que as empresas evitem esse tipo de acordo de acionistas, que vincula o voto do conselheiro, deixando as decisões polêmicas para a assembleia, para que assim os controladores possam exercer o acordo por meio do voto. Sugere também que o conselheiro que se sentir em situação de conflito, na qual discorda da orientação recebida, deixe registrado em ata o argumento contrário, mesmo sabendo que o voto será desconsiderado.

Anônimo disse...

Belo Monte

Parte II

O assunto vem à baila justamente com um projeto que foi considerado pouco atrativo para os investidores durante o leilão, em função do preço da energia, e em que o governo teve que dar benefícios para viabilizá-lo. A Neoenergia fez parte do consórcio perdedor, que deu um deságio ínfimo no preço. E agora faz parte da sociedade vencedora, que baixou o preço em 6%.
Um dos principais problemas apontados para Belo Monte é o risco de construção, pelo tamanho do projeto e o tamanho da escavação que será feita em meio à Floresta Amazônica. Todos os novos sócios entraram no projeto sem ainda o consórcio vencedor ter fechado contratos de construção e de fornecimento de equipamentos.
O risco da construção foi o grande entrave visto pelos grandes autoprodutores, como CSN e Gerdau. Uma fonte próxima a uma das empresas conta que se retirou da mesa de negociações pela completa falta de informações que pudesse levar ao seu conselho de administração para ter aprovação. "Não tínhamos um investimento teto, em função do risco de construção, tínhamos que nos responsabilizar solidariamente por todos os outros sócios em caso de inadimplência e não havia sócios definidos."
A Eletrobras informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que todos autoprodutores, assim como todos os sócios, receberam, sob acordo de confidencialidade, as informações necessárias para decidirem sobre a participação na SPE que vai construir Belo Monte. "A formação da SPE exigiu o estabelecimento de condições societárias isonômicas, que atenderam a todas as empresas, não cabendo, portanto, criar condições especiais para autoprodutores ou qualquer outro empreendedor." O que os autoprodutores dizem é que na mesa de negociações todas as conversas eram muito truculentas e as garantias que minimizam o risco do empreendimento eram dadas apenas na base da palavra.
Até agora a Eletrobras não prestou nenhuma informação a seus acionistas do impacto do projeto em seu fluxo de caixa. Afinal, a empresa junto com suas controladas terá quase 50% do projeto. O fundo de pensão dos funcionários da Petrobras (Petros) foi o único que prestou informações a seus beneficiários. Disse em comunicado que o investimento está estimado em R$ 25 bilhões e que o fundo será responsável por R$ 650 milhões.
A Previ não se sente nessa obrigação porque o investimento está sendo feito por sua controlada, a Neoenergia, dona da Bolzano Participações. Tampouco a Iberdrola fez comunicado a seus acionistas na Espanha. Para a Neoenergia, a importância do investimento está no salto que ela dará como geradora de energia. A empresa tem capacidade de investimento pelo caixa que possui em forma de reserva de lucro de mais de R$ 4 bilhões. (Josette Goulart e Graziela Valenti - Valor Online)

Anônimo disse...

Prezado Colega Marcos Cordeiro.

Parabéns,são estas ações que enche os nossos corações de esperança.

Sinto que tirei um peso das minhas costas.porque desta vez todos receberão os depoimentos e relatos desumanos que este Cidão Sasseron esta fazendo com seus eleitores.
Pessoas honestas sinceras,lúcidas cheias de brio, e cobertas de bom carater.
Parabéns a todos os colegas que escreveram comentários sobre suas vidas, é assim que iremos contruir "ALEGRIA NOS CORAÇÕES" ainda em 2010.
Parabéns AAPPREVI e seus Colaboradores.
Anônimo sem Esperanças,mais hoje voltei a sorrir.

Anônimo disse...

As pessoas quando querem trabalhar,mostram serviço sem pedir nada em troca.
Estou solidário com a maioria dos colegas que ali demostraram ser possível ter mais qualidade de vida mesmo se endividando mais.
A troca de uma dívida cara por uma mais barata,é essência de sabedoria,e de nada adianta encher a boca e dizer que a previ tem o empréstimo mais barato do mercado, se na prática isso não é verdadeiro.
Parabéns presidente da AAPPREVI, o senhor hoje foi de um humanidade sem tamanhos.
Sinta o meu abraço daqui,pois hoje brotou uma semente no coração de cada frequentador deste blog, que preciza ou não de ES.
Porque o que nos move é a vontade de ver todos bem, felizes,e pela explanação dos proventos se nota que o que ganha mais esta endividado, e o que ganha menos também esta endividado prova que a política adotada pela previ é mesma a do Massacre.

Anônimo disse...

Uma associação quando quer mostra a que veio.
A aaprevi hoje já é realidade, estas entres as grandes e com toda a certeza esta Carta fará a diferença,porque creio que os conselheiros até mais que a diretoria executiva irá se mexer, todos querendo levar os louros deste ano, eleitoral todos querem estar bem na fita.
Parabéns pela coragem dos dirigentes da aaprevi,estão medindo força com gente grande,queria estar ao lado do senhor William Bento,quando seus colaboradores lhe entregar a carta, irá pensar porque esta iniciativa não foi da ANABB,100 mil sócios da muito voto?
Essa sinceridade eu queria ta la, sem conta no Deus Sasseron. pessoal essa carta vai mexer com os nervos da Previ!!!!

Anônimo disse...

Meu Queridos Colegas do Blog.

Parabenizo os diretores da AAPPREVI,em especial o Marcos e o Gilvam,vocês abraçaram a causa dos que estão realmente necessitando de auxilio.
Não poderia esperar outra atitude de vocês pela dedicação, pela ousadia,pela integridade que denotam nos assuntos pertecentes ao PB-1.
Até hoje só vi uma associação que parte das mesmas premissas de vocês que é a FAABB UBERABA, eles já haviam alertado a Isa Musa sobre esse tema,na primeira reunião da Federação.
Mas como eles tem outras prioridades não levaram a sério o caus que se torno a vida dos colegas aposentados e principalmente das pensionistas do PB-1.
Esses dois casos relatados são o retrato de centenas de colegas que estão sendo massacrados pelos baixos proventos e pelos autos descontos em folha.e ainda ficou de fora os cdc do banco que consome seguramente mais outros 30% desses mesmos salários.
Foi sem sombra de dúvidas o melhor artigo desde a criação deste blog,esse foi nosso pagamento antecipado, porque alguém de agora em diante há de fazer alguma coisa de concreto por nós.

Anônimo disse...

Seguramente esse foi o melhor artigo postado para a reparação das injustiças praticadas.
Se não temos distribuição de superavit,pelo menos poderemos acreditar que os dirigentes possam sensibilizar-se com tanto sofrimento e mande uma resposta rápida que será ainda em setembro um novo limite e prazo do ES.
Alguém dúvida que o os eleitos chapa 3 irão se mobilizar, e não dúvido que semana que vem a Anabb lance alguma coisa neste sentido em seu blog,ou quem sabe uma enquete sugerindo limite de 210 mil em 200 meses.
A conferir.......

Anônimo disse...

Marcos e Participantes.

Mais uma vez só tenho a elogiar a postura adotada pela AAPPREVI.

Vamos lutar para que o conteúdo desta carta não só seja lida,mais que seja implantada em nossas vidas, dando melhores condições as nossas pensionistas, aos nossos aposentados que fizeram o plano 1.
Essa deve ser a nossa luta.

1 POR MELHORIAS EM NOSSO PLANO, SEM PREVILEGIOS.
2- ESTE REALINHAMENTO QUE TRARÁ UMA NOVA POSTURA A MUITOS COLEGAS QUE COMO EU ESTOU VIVENDO DOENTE,SOFRENDO POR VER MINHA FAMÍLIA DE CABEÇA BAIXA, E EU JÁ PROXIMO DOS 67 ANOS SEM ESPERANÇA DE CONTRIBUIR AO FUTURO DOS MEUS NETOS ADORADOS,É NO SORRISO DELES QUE ENCONTRO FORÇAS PRA NÃO FAZER UMA LOUCURA AINDA MAIOR, O DE DAR CABO DA MINHA VIDA, QUE DESDE 2006 ANDA SEM SENTIDO,ESPERANDO AS MELHORAS QUE NUNCA CHEGAM ATÉ MIM.
COM MEU PROVENTOS NÃO PODEREI PEGAR OS 150 MIL MAIS ALMENOS SAIU DAS DIVÍDAS INTERMINAVEIS, DAS MÃOS DOS AGIOTAS QUE ME CONSOMEM.
HOJE RECEBI O MEU SALÁRIO E NESTE MOMENTO NÃO TENHO UM CENTAVO NO BOLSO,E ME SOBRARAM MUITAS CONTAS PARA PAGAR.
Marcos obrigado por voce não se cansar de nós.

Anônimo disse...

MARCOS não teria sido melhor ter enviado pelo cartório de títulos e documentos?

Anônimo disse...

Marcos,

Desculpe minha ignorância com relação ao estatuto da AAPPREVI, deve lhe seja permitido, mas estranhei você assinar sozinho uma correspondência formal como essa dirigida a PREVI. Marcos, sem censura. Valeu a carta. Meus parabéns pela iniciativa dessa associação. Quem sabe uma, agora, cobrando a distribuição do superavit e solicitando data para incio das conversações a respeito dos moldes da distribuição da qual esperamos que seja linear, para que todos sejam atendidos. Por enquanto vamos esquecer aquelas estórias de se ficar criando injustiças, pois, na distribuição passada não recebi nada, essa sim, foi realmente uma tremenda injustiça fabricada pelos "donos da situação". Distribuição tem que ser isonômica. Abaixo a Lei de Gerson.

Anônimo disse...

Quem recebe direto do INSS, já esta disponível no site da previdência social o contra-cheque de julho, com o aumento referente aos 7,72 e a diferença de janeiro a junho.

Lazara Rabelo disse...

Caro Marcos e demais colegas,

Parabens! A carta ficou perfeita! Seu conteúdo exprime com fidelidade os anseios e nescessidades prementes da maioria dos aposentados e pensionistas do PB1. Esperamos que os destinários, ao recebê-la, se sensibilizem, ouçam um estálo e mudem de comportamento, percebam que estão fazendo tudo errado e que ainda é possível corrigir.
Marcos, que Deus continue te iluminando!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Estatuto da AAPPREVI.

Art. 27 – Compete ao Presidente do Conselho de Administração:
i) assinar, individualmente ou em conjunto com o Vice Presidente Administrativo ou de Assuntos Previdenciários a correspondência que não envolva responsabilidades de caráter financeiro ou pecuniário.
O Vice Presidente Administrativo reside em Joinville (SC) e o Presidente em Curitiba (PR). Mesmo assim, consultado previamente, emitiu o seguinte parecer:
----- Original Message -----
From: Vice Presidência - AAPPREVI
To: Presidência - AAPPREVI
Sent: Tuesday, July 20, 2010 12:27 PM
Subject: Re: Carta à PREVI - ES

Caro Marcos,

Muito bem elaborada. Merecedora de elogios principalmente o embasamento da Carta. Tem meu total apoio e aquiescência para o envio imediato, sendo no meu modo de entender mais produtivo se fosse através de correspondência registrada. Posteriormente, poder-se-ia enviar "reforços" eletrônicos.
Atenciosamente.

Ari Zanella

Obs,: As cartas seguiram registradas, com AR, atendendo a sugestão do Vice Presidente Administrativo.

Rogério Luiz Carvalho disse...

Marcos, Ari, Gilvan e toda a diretoria, os cumprimentos do coléga, porque não dizer Ä AAPPREVI
esta´mostrando do porque foi fundada? Abraços a todos, Rogério Luiz Carvalho.

Anônimo disse...

Colega Marcos,

Uma carta muito bem elaborada. A iniciativa já era esperada por nós e você não nos decepcionou. Vamos aguardar um resposta.
A carta do ES foi um prelúdio, pois, agora vamos ficar aguardando uma sobre a distribuição do superavit, pode ser presunção nossa, mas aguardamos assim mesmo. Uma carta tão bem fundamentada como essa. Ficamos na expectativa.

Eliana Maria disse...

Bom dia!
Paz e Bem!

Prezado amigo e irmão Marcos, assim espero poder chamá-lo, pois o que você fez é atitude de amigo e irmão. Não te conheço mas sei, pelas suas atitudes, que você fará muito mais a cada dia por nós todos, sem distinção de quem precisa ou não. Uma vez escutei esta frase - "Quando a gente quer fazer alguma coisa, a gente vai e faz, quando não quer inventa uma desculpa."- e com você não tem desculpa você faz. Por isso e por muitos outros motivos que não me arrependo, em momento algum, quando me associei à AAPPREVI. Marcos que Deus lhe pague tudo que você tem feito e fará por nós, aposentados e pensionistas.
Fraternal abraço,
Eliana

jander disse...

AAPPREVI e Marcos, parabéns pela carta e pela esperança de dias melhores.Sou filiado exclusivo da AAPPREVI. E ratificando o que a Eliana escreveu, certo dia eu nos primeiros momentos de menor aprendiz, ouvi de um supervisor(carrancudo)¨quando agente quer pega e faz, quando não quer manda¨.
Ensinamento este que tomei como guia na minha vida
*Supervisor este que passei a admirar pois apesar de carancudo era direto, é melhor lidar com pessoas assim que com pessoas ¨boazinhas¨

Anônimo disse...

Parabens Marcos pela brilhante iniciativa. Convido demais colegas
da Paraiba para se associarem a AAPPREVI,bem como de outros Estados. Vamos unirmos cada vez mais.
Abraços Mariano

Anônimo disse...

Agora, vamos ver se ANABB também manda uma carta.

Anônimo disse...

Marcos, mais uma vez voces(AAPPREVI) acertaram.Parabens a todos pela carta que vai mostrar muito bem a situaçao da maioria do Plano 1(apesar de eles estarem carecas de saber).Que Deus guie a carta para iluminar os coraçoes dessa gente que so pensa em si,egoistas.
BOA SORTE a nos todos.
Sandra

Jorge Teixeira disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Refiro-me ao comentário que fiz em 19.07.10, às 06:57hs, por sob o post “A Previ, o superávit e a distribuição (reedição)”. Só para relembrar escrevi que, na hipótese de fazermos uma reflexão acerca das atuações da Aapprevi desde a sua criação, veremos inegavelmente que temos muito mais situações positivas do que negativas. O envio desta carta diretamente para as pessoas responsáveis pela direção do nosso fundo demonstra fielmente o que foi dito. Trata-se de um gol de placa, digno de semifinal de copa do mundo, construído por todos os craques que integram a seleção da Aapprevi. Àqueles que estranharam a referência feita a gol de placa de semifinal de copa do mundo explico que, com certeza, essa equipe, pelo potencial que tem fará, no momento julgado oportuno, ainda mais um belo gol, que todos entenderemos como sendo digno de uma final de copa do mundo. Será uma nova carta da espécie, como sempre muito bem redigida e fundamentada versando, agora, sobre a distribuição da reserva especial para revisão do plano de benefícios. Aos colegas que eventualmente ainda possam ter algum tipo de dúvida sobre a credibilidade e os propósitos da diretoria da Aapprevi, digo que esta carta é um ótimo exemplo para que elas sejam desde já dirimidas. Entendo também que este exemplo deveria ser seguido por todos aqueles que se intitulam representantes dos associados, já que se trata de pleito de esmagadora abrangência entre os aposentados e as pensionistas do “PB-1”. Finalizando, deixo uma pergunta no ar para reflexão de cada um: Será que depois disso ainda possa existir mais algum óbice que impeça um colega de se filiar à nossa Associação?

jeanne disse...

Adorei a carta e mais ainda os comentarios que foram anexados(inclusive o meu).Espero que saia pelo menos algum tipo de realinhamento em Setembro.A propósito, alguem sabe quando a Previ fará o pagamento da diferença do INSS?Eu pergunto,pergunto na Previ e ninguém sabe nem responder...(eu sou pós 97).Obrigada,Jeanne.

rosalina_de_souza disse...

Prezado Colega Marcos Cordeiro,Colegas do Blog.

Eu acredito numa palavra chamada "JUSTIÇA".
Não nesta nossa justiça dos homens aqui da terra, mas a do "Senhor".

2 carta os Coríntios capítulo 8 versiculo 12 diz:

Porque,Se há prontidão de vontade,Será aceita o que qualquer tem e não segundo o que não tem.

A AAPPREVI é assim,esta sempre buscando conhecimento para melhorar as nossas vidas.
Marcos,Gilvan,todos os demais integrantes são fieis depositário da minha absoluta confiança.
Todo o meu descontentamento referente a assuntos envolvendo a Previ,Cassi,Banco do Brasil ao que se refere atendimento é verdadeiro,falo de coração aberto e sem medo,porque até hoje tivemos um capítulo a parte,onde os aposentados e as pensionistas PB-1,sempre foram lembrados somente em época de eleições.
Que canal hoje temos para dialogar com a Previ? se as respostas são sempre as mesmas.
Queremos acima de tudo que os "Dirigentes das demais associações também trasforme a frustação dos seus aposentados e de suas pensionistas em outras cartas com o mesmo objetivo.
Só unidos sairemos vencedores desta batalha,onde o Trem bala é mais importante que nós, onde a usina belo monte é mais importante que nós, copa de 2014 e por ai vai....
Marcos Cordeiro,Diretoria da AAPPREVI aos senhores o meu sincero parabéns.
Aqui é demostrada a minha absoluta satisfação em ser filiada a AAPPREVI,demostro isso no meu dia a dia não perco a chance de trazer ao conhecimento dos demais colegas que como eu permanesceu CEGA por quase 10 anos.
Faça já a sua filiação ou adesão a nossa AAPPREVI,pois nela o EGO fica em segundo plano.
Atenciosamente
Rosalina de Souza

Anônimo disse...

PREZADO PRESIDENTE DA AAPPREVI.

SUGESTÃO:

Como a Faabb esta tão bem trabalhando através da sua presidente Isa Musa de Noronha,deveria ser disponibilizada uma cópia desta carta para que ela leve aos colegas Rui Brito,Adrião,também seria de suma importância que ela como membra da Anabb também enviasse ao seu novo presidente esta Sugestão.
Com toda a Certeza a Anabb não irá ficar de fora desta discussão aja vista tem assentos no conselho deliberativo e fiscal da Previ e seus integrantes também são integrantes da CHAPA 3 vencedora das últimas eleições.
Esta opinião deveria ser levada em consideração já que toda ajuda é bem vinda para num curto espaço de tempo esta proposta seja devidamente sacramentanda, levando alívio imediato as famílias do PB-1

Anônimo disse...

As outras associações agora vão se sair do anônimato.

A Senhora Mirian Creusa Foch falará a altura pela Contraf Cut, o William Alves Bento falará a altura pela Anabb.

No brasil é assim só movem quando batem nas feridas deles.

Enquanto uma minoria esta de bem com a vida a maioria esta afundada em divídas,as pensionistas do nosso fundo estão vivendo sufocadas,e os grandes políticos ditos dirigentes não perdem a chance de aparecer.
Não me admira em nada se semana que vem todos os site estiverem colocando cartas iguais a da AAPPREVI no ar.

Vamos aguardar.

Anônimo disse...

E Sasseron finalmente terá a chance de se redimir com os aposentados e as pensionistas do PB-1

Se ele perceber que esta enfraquecido políticamente talvez aceite nossa proposta.

Mas o seu espírito de porco nem sempre é revisto, mesmo sabendo do descaso que tem tratado seus eleitores.
Será que ele pensa virar um Deus "Camilo" também?

Anônimo disse...

Marcos

A AAPREVI DEFINITIVAMENTE NÃO É APENAS MAIS UMA ASSOCIAÇÃO.


PARABÉNS

Anônimo disse...

Do blog do Noblat:

"Deu em O Globo
Contribuição compulsória

Aposentados são descontados sem saber, e sindicatos faturam milhões por ano

Geralda Doca

O desconto da mensalidade sindical sobre a aposentadoria, feito diretamente na fonte pela Previdência Social, virou uma mina de ouro para os sindicatos.

Só em junho, 11 entidades conveniadas ao INSS embolsaram R$ 21 milhões (o equivalente a R$ 252 milhões por ano). O montante provém de 2,167 milhões de aposentados que, todo mês, têm até 2% do benefício descontados no contracheque.

A lei que trata do pagamento da aposentadoria permite a retenção desses valores desde que expressamente autorizada pelo segurado, o que não está sendo cumprido.

O desconto é acertado com o Ministério da Previdência pelos próprios sindicatos, que enviam a lista de quem deve ter a contribuição deduzida do benefício.

Mas boa parte dos segurados sequer sabe que está pagando a mensalidade. Isso porque os inativos não recebem cópia do contracheque, que só fica disponível na internet. O desconto indevido só é devolvido em caso de reclamação.

Ainda assim, com apoio do governo, as entidades conseguem dificultar a vida dos aposentados que desejam parar de pagar a mensalidade.

Numa visita do ministro da Previdência, Carlos Gabas, à sede da Confederação Brasileira dos Aposentados (Cobap), na última quarta-feira, ficou decidido que o interessado precisa ir até o sindicato ou associação para pedir o cancelamento pessoalmente. Não poderá mais fazê-lo no banco onde recebe o benefício.

Entretanto, o próprio INSS sabe que existem problemas, pois, a cada auditoria realizada semestralmente, 1% das amostras analisadas é irregular.

A constatação dispara o alerta de que milhares de aposentados podem estar sendo lesados. Foi o que aconteceu com o bancário aposentado Carlos Jorge Guimarães. Ao receber a aposentadoria da Previ (fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil) de fevereiro, ele percebeu que o valor oriundo do INSS estava menor. Contou que havia dois descontos, de R$ 23 cada, a favor da CUT, referentes a janeiro e fevereiro.

Ao ligar para a Previdência, foi orientado a procurar um posto do INSS. No posto, disseram-lhe para ir até a sede da CUT, onde funciona o Sindicato Nacional dos Trabalhadores Aposentados, Pensionistas e Idosos (Sintapi), para pedir o reembolso e o cancelamento do desconto.

Mesmo tendo cumprido esse processo, contou, o desconto continuou em março:

— Estranhei o desconto, achei que era para campanha política. É uma malandragem, pois muita gente nem percebe porque não recebe o espelho do pagamento — afirmou Guimarães."

Jorge Teixeira disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Penso que neste exato momento, 11:22 hs de 21.07.2010, todas as cartas expedidas pela Aapprevi devem estar “viajando” ou, quem sabe, já chegaram ao seu destino. Gostaria de me referir em especial àquela que foi endereçada ao Sr. Diretor de Seguridade que, felizmente, será substituído a partir de 2012. Ao contrário do que alguns colegas possam imaginar, penso que os dirigentes da Previ lêem sim os comentários que são postados aqui e nos outros espaços similares existentes. Insistem apenas em posar como criaturas indiferentes e acima de toda e qualquer interferência “externa” que possa vir a influenciar as suas futuras decisões. Quando me refiro a toda e qualquer interferência é bom esclarecer que essa pose toda só é utilizada quando se trata de pleito oriundo dos associados do “PB-1”. Caso seja algo que venha ou seja do interesse do patrocinador aí a subserviência aflora e a coisa funciona de maneira totalmente inversa. Mas, mesmo assim, insisto em me dirigir aqui e agora ao todo poderoso Diretor de Seguridade para solicitar, respeitosa e encarecidamente, que ele abra de forma agressiva a torneira – abstenha-se de utilizar o conta-gotas – responsável por fazer jorrar os recursos do nosso fundo, destinados a matar a “sede” de um contingente bastante expressivo de aposentados e pensionistas do “PB-1”. Não aceitamos mais atitude parcimoniosa quando se trata de realinhar teto e prazo de pagamento do ES-Previ. Nunca é demais lembrar ao Sr. Diretor que são recursos nossos que serão emprestados, a risco zero, para nós mesmos.

Anônimo disse...

Ótima iniciativa!!!Parabéns aos nobres colegas!
Abçs Paulo Segundo.

Anônimo disse...

Como o INSS esta processando a folha de julho, com pagamento no início de agosto, já com o aumento referente aos 7,72 e a diferença de janeiro a junho. Com esses valores em mão a Previ deve fazer o respectivo acerto em agosto. Já acessei o site da previdência social.gov.br e já constatei essa veracidade. Eu recebo do INSS e da Previ em separado.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Essa sistemática de cobrança não atinge os assistidos da PREVI e a ressalva se faz necessária para evitar temores infundados. Também, a notícia somente está sendo publicada aqui para evitar acusações de censura, caso a recusasse.

Anônimo disse...

Resposta da Previ relativo a distribuição do Superavit em indagação feita por mim:

Sr. Antonio,

Informamos que, com a queda da liminar impetrada por entidade representativa em face da Resolução CGPC nº 26/2008, a PREVI aguarda a retomada das negociações entre o patrocinador Banco do Brasil e os representantes dos participantes, que foram suspensas em 2008, após a edição daquela resolução e em decorrência da crise mundial que teve, naquele momento, impacto negativo nas aplicações do Plano 1.


Lembramos que, como nos processos anteriores de destinação do superávit, após a negociação as propostas serão submetidas à apreciação do Conselho Deliberativo da PREVI, ao Banco do Brasil, ao Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais e, finalmente, à Superintendência Nacional da Previdência Complementar (PREVIC), conforme determina a legislação.

Tão logo haja alguma nova informação sobre o assunto daremos ampla divulgação aos nossos associados através de nossos meios de comunicação.

Kleber Maia
Gerência de Atendimento
PREVI

Anônimo disse...

A Diretoria da AAPPREVI está de parabéns. Tomou a dianteira e fez o que era necessário. Gostaria apenas de sugerir que as cartas fossem enviadas como notificação via cartório. A subserviência dos defensores do BB lotados na Previ é tão grande, que diante de um juiz alegarão desconhecimento de qualquer questão.
Acredito que todos que criticaram a filiação a FAABB por entenderem que isso colocaria uma mordaça nesta entidade, caíram do cavalo.
Valeu Marcos e demais colegas. Apesar de alguns não gostarem: QUE O DEUS CRIADOR DOS CÉUS E DA TERRA ABENÇÕE TODOS VOCÊS!

Anônimo disse...

Senhor Antonio.

A Previ sempre responde a todos com essas desculpas.
Nunca dizem a verdade, não sei se porque são despreparados, ou é omissão mesmo.

Continue tentando não desista,uma hora dessas eles chamam o Gerente da Seção de atendimento e demostram a sua insatisfação.

Anônimo disse...

Nossa além de tudo teremos que passar por essa Via crucis que é a Previc o Banco do Brasil, e Coordenação e Governança das Empresas Estatais.O que nossos dirigentes estão esperando para apresentar os estudos sobre o uso do superávit e apresentá-lo logo à consulta do corpo social?Será que teremos que implorar, implorar, implorar e só então seremos atendidos?Bem é um desabafo, isso pq a CHAPA 3 colocou que teríamos revisão permanente do empréstimo simples, cadê?

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Federação das Associações de Aposentados do Banco do Brasil
FAABB

Belo Horizonte, 21 de julho de 2010.

À Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil

Sr. Presidente,


No último dia 13 tivemos a grata satisfação de sermos recebido por Vossa Excelência, ocasião em que lhe entregamos carta conjunta, firmada por várias associações de aposentados e pensionistas, a propósito das relações entre participantes e assistidos com nosso Fundo de Pensão.

Atento à movimentação do funcionalismo do BB, sabemos que Vossa Excelência tem conhecimento da enorme expectativa que tal encontro gerou em nosso meio. É evidente que aposentados e pensionistas do BB estão ávidos por soluções satisfatórias quanto ao tema “distribuição de superávit”.

Através de nossos meios de comunicação temos recebido inúmeras sugestões para tanto. Tomamos a liberdade de repetí-las aqui, eis que talvez possam sensibilizar os gestores da PREVI para nossa angustiante expectativa.

De igual premência, em nossas Associações de Aposentados, recebemos uma avalanche de pedidos para que a PREVI estude o aumento do teto do Empréstimo Simples com a concomitante dilação do prazo de pagamento. Também tais sugestões, formatadas pela AAPPREVI, permitimo-nos novamente apresentá-las para vosso exame e pronunciamento.

Rogamos o especial obséquio de vossa pronta resposta a tão importantes questões.


Atenciosamente,



Isa Musa de Noronha
Presidente



Federação das Associações de Aposentados do Banco do Brasil
FAABB

Observações do Blog. A Carta da AAPPREVI, de ontem (20/07) foi anexada ao expediente acima, conforme informação da Presidente Isa Musa.

Anônimo disse...

Colegas,

O banco do brasil não tem interesse em aumentar o ES, pois está ganhando uma "mala" com os emprestimos aos aposentados e pensionistas. Enquanto não distribuem o superavit, nós permanecemos "enforcados" ( endividados naquele banco). Se nos derem um ES maior, liquidaremos as pendencias junto ao bb, e assim eles ficarão sem argumentos para nos maltratar, mas também sem os JUROS que pagamos.
Tomara Deus a Carta enviada pelo Marcos, seja lida, compreendida e surta efeito, para o alívio de todos.
Abç
Anônimo

Anônimo disse...

ISA MUSA DE NORONHA.

Parabéns.

É isso Isa Musa de Noronha só com a união de todos que vamos vencer esta batalha.

Meus sinceros Agradecimentos só eu e meus familiares sabemos o que estamos atravessando.

Anônimo com muitas esperanças agora.

Anônimo disse...

Minhas considerações a Dona ISA ela é o retrato das pessoas de bem nesta país.

Avante pessoal, com certeza teremos esse novo realinhamento, forte sadio tanto para a Caixa, como para nossas vidas.

Apoio a todos, acredito que esta garra vai fazer de nós do PB-1.

VENCEDORES DESTA TRISTE REALIDADE.

Anônimo disse...

ISA MUSA.

Primeiramente acreditamos que seria o realinhamento do ES uma das premissas da carta endereçada ao senhor Flores.

Mas nossa admiração só cresce a sua pessoa, por fazer a coisa certa.

Sugiro que a Senhora também peça as suas afliadas que enviem esta carta também, almenos as 16 que assinaram o manifesto.

Eu tenho certeza que com tantos pedidos o Sasseron e a Anabb teria que rever seus pensamentos acerca do limite e prazos do empréstimo simples.


Faço isso por nós colega ISA Musa.

Sei que tem compromissos verdadeiros com os seus aposentados e as pensionistas.

rosalina_de_souza disse...

Senhora Isa Musa de Noronha.

Acho que minha sorte esta mudando,vou ter dias melhores ainda em 2010, mesmo que seja através do ES.
Estou atravessando momentos difíceis,mais creia Isa você como toda a Diretoria da AAPPREVI tem a Minha Benção.

Você foi alvo um dia das minhas críticas,mais admito que errei muito.
Meus parabéns e acredite ninguém aqui esta brincando com coisa séria não, é a nossa realidade.
Talvez por negligência nossa mesma,mais a curto prazo esta é a minha única saída.

Meus agradecimentos Porque sei que também tem suas limitações mais não tem si negado a nós ajudar.

Saudações

Rosalina de Souza

Anônimo disse...

Isa Musa de Noronha.

Seria de muito grado a todos os aposentados e pensionistas,que de posse da carta sugestão da AAPPREVI e como a Colega Tem certa influência na Anabb,que levasse ao conhecimento do Seu presidente para também manisfestar junto ao Presidente do Nosso Fundo de Pensão, no sentido de os Dirigentes não terem outra saída a que rever logo o ES melhorado.
Ficamos no aguardo a sua manifestão, neste momento não podemos ficar contra essa ou aquela associação quando se trata do bem star de 121 mil famílias que compõe o PB-1

Anônimo disse...

Parabéns ! Este é o caminho, para o realinhamento do Emprestimos Simples.

Publiquem os "A.R.", assim que voltarem, para que também pressionamos o Sasseron e sua turma da Seguridade !

(Eles não agem...SÓ REAGEM ! )
(Eles são políticos, gostam de votos e não procuram SOLUCIONAR O PROBLEMA ("E.S.") apenas remendar e deixar algo para o próximo ano, também ser remendado, Nunca RESOLVEM os problemas, pois então acabaria a sua função !).
Porém aplaudiremos assim que realinharem tal produto.

anônimo ex-endividado disse...

Convidado por amigo aposentado, estou conhecendo o site previplano1. Fiquei muito bem impressionado e pretendo filiar-me à entidade.
Passei horas repassando os comentários das várias matérias postadas, e fiquei abismado com a quantidade de colegas que pedem o aumento do valor e prazo do empréstimo simples.
Quando tive dificuldades financeiras, vários anos atrás, cheguei a achar que era só eu, pois ninguém admitia estar na mesma situação. Notei, também, nos comentários, que os que conseguiram superar o endividamento excessivo não repassam suas experiências, o que poderia ajudar os que estão em dificuldades financeiras.
Será que a solução é renovar o empréstimo por R$ 150 mil com prazo de 150 meses? Quem o fizer, vai ter que pagar, aproximadamente, R$ 1.900,00 cada um dos 150 meses(12 anos e meio). Isto representa R$ 285 mil, mais a correção do INPC. Não vai adiantar nada se não forem descobertas as causas do endividamento, e tomadas medidas de adequação dos gastos.
No meu caso, descobri que a causa era padrão de vida acima das possibilidades. Num dos vários "apertos" que sempre aparecem, como já possuia empréstimo simples recente e não poderia renová-lo, decidi que era preciso dar um basta àquela situação que estava, inclusive, prejudicando minha saúde. Conversando com minha esposa, decidimos tomar medidas radicais: vendemos o segundo carro e o apartamento na praia, conseguindo, de imediato, redução de nossos gastos mensais em R$ 1.700,00(IPVA, gasolina, IPTU, condomínio, financiamento imobiliário). Quitamos o financiamento do apartamento e aplicamos o que sobrou. Aos poucos, fomos liquidando as contas, sem fazer novas. A par disto, fizemos um rigoroso controle de nossos gastos correntes, conseguindo diminuí-los em mais R$ 1.300,00. Foram tempos difíceis, verdadeira "economia de guerra". Foi necessário a família se unir; a esposa apoiou de imediato, os filhos foi meio "na marra". Alguns "amigos" se afastaram, não fizeram falta, os amigos de verdade ficaram. Aos poucos, as dívidas foram pagas, o empréstimo simples acabou e, sem sentir,nosso padrão de vida foi retornando ao que era antes, agora com tudo sob rigoroso controle.
Outro caso interessante aconteceu com um amigo(dos verdadeiros), aposentado da Petrobrás(vocês podem não acreditar, mas os beneficiários da PETROS estão pior que os da PREVI). Falou-me que não estava mais conseguindo quitar suas dívidas, e que pensava interromper totalmente os pagamentos, pois os credores não queriam renegociar seus débitos em bases mais razoáveis. Analisamos sua situação e vimos que, realmente, era crítica. Não possuia nada que pudesse vender, além de sua residência. Sua sorte foi que seus rendimentos eram suficientes para viver, sem a necessidade de novos empréstimos. Analisamos as implicações: protestos, inclusão no SERASA, telefonemas de cobradores, cancelamento de cheque especial e cartão de crédito, impossibilidade de comprar a crédito. Como os rendimentos da aposentadoria e o imóvel de moradia são impenhoráveis, ele decidiu "pagar para ver" e suspendeu os pagamentos. Gozador inveterado, falou-me: "enquanto eu lutava para pagar, eu é que me preocupava, agora os credores que se preocupem".
Resumindo, os incômodos foram bem menores do que ele esperava; conseguia comprar tudo à vista e, aos poucos, foi conseguindo folga no orçamento. Renegociou todos seus débitos em bases bem favoráveis(estranhou que nenhum credor tentou cobrança judicial)e hoje, praticamente, nada mais deve.
Como cada caso é um caso, gostaria que outros colegas que também reestruturaram suas finanças narrassem suas experiências.

Anônimo disse...

Alô Marcos,acho que foi uma boa sugestão a AAPPREV,publicar quem respondeu a carta sobre o ES.

Quem não der satisfação, vamos cobrar

Isa Musa de Noronha disse...

Agradeço os cumprimentos e sem falsa modéstia eu os repasso a quem os merece: todas as Associações de aposentados, pois são essas que lutam. Uma pessoa só, nada pode fazer. Assim, por acaso, hoje presido a Federação. Outros melhores, mais jovens e atuantes virão amanhã e assim sempre serão as Associações que irão lutar, embora muitas vezes não sejam compreendidas pelo universo do funcionalismo do BB.
Atenciosamente
Isa Musa e Noronha

mary disse...

Parabens Marcos por essa iniciativa tão benvinda a todos que nesse momento passam por inúmeras dificuladades, mesmo que não saia um ES de 150.000,00 se sair pelo menos 120.000,00 já tira a maioria dos colegas do sufoco. Vamos esperar a resposta e que possa vir dentro do menor prazo possivel, se Deus permitir que saia até o inicio de setembro poderemos respirar mais aliviados. com nossos pulmão sofridos.obrigada a voce e tda diretoria da AAPREVI, por essa boa noticia.

Jane Torres de Melo disse...

Parabéns a AAPPREVI pela iniciativa!!
É de ações assim que precisamos para conduzir tanto o realinhamento do ES quanto a distribuição do Superávit.
Muito bom a FAABB também encampar essa luta !!
Juntos somos fortes !!!
Jane.

Anônimo disse...

Colegas e colega 12:02 21 07 2010,

Legal a sua contribuição.
Só que para determinados casos só o ES dará fôlego, no que se refere a uma reorganização orçamentária.
Infelizmente alguns estão com problemas de saúde, consumindo seus salários, e a falta de dinheiro só agrava o quadro.
O ES a ongo prazo dará condições para estruturar o orçamento dos novos e dos mais idosos.
Anônimo

Anônimo disse...

Pessoas tão humanas como o MARCOS, GILVAN e todos que participaram da elaboração da carta da AAPPREVI encaminhada à PREVI,merecem o nosso mais profundo agradecimento.

ISA MUSA eterna guerreira de nossas causas,agradeço sua atitude de também se juntar à nós nessa lutar pela aprovação de um novo realimanhento do ES, que liberem um valor significativo, nossa expectativa e esperança é grande, poderemos resolver nossas dívidas,
não temos outra saída.

Liquidaremos dívidas com juros maiores e aumentaremos nosso valor líquido do espelho é a chance de uma vida melhor, sem o fantasma de vários empréstimos.

Espero que os dirigentes da Previ tenham o bom discernimento de entenderem que um valor maior de ES, só irá nos beneficiar, e que de maneira nenhuma aumentará nosso grau de endividamento, porque é justamente o contrário que acontece, com um esse limite maior é que vamos liquidar empréstimos mais preocupantes e assim ficaremos só com o ES da Previ, peço por favor que o Sr Sasseron atenda os anseios das pensionistas e aposentados imediatamante para que nosso sofrimento tenha um pouco de alívio e que Deus ilumine a todos que decidirão o rumo de nossas vidas.

Anônimo disse...

Ao colega ex-endividado de 21 de julho de 2010 das 12:02.

Mensagem muito oportuna e esclarecedora.

Você expos visceralmente o maior fato do endividamento, ao qual reproduzo:
"No meu caso, descobri que a causa era padrão de vida acima das possibilidades".

Manter status a qualquer preço traz consequências desastrosas para uma família, chegando, muitas vezes, ao ponto de desestruturá-la.

Espero que sua intenção seja compreendida e, aqueles que possuem a mente aberta a críticas e sugestões, serão capazes de superar suas dificuldades, mesmo que a custa de sacrifícios, de abrir mão de certos prazeres onerosos e não essenciais. Como você bem disse: cada caso é um caso.

É preciso uma reflexão profunda, ter a humildade e coragem de admitir que a condução orçamentária familiar não foi conduzida de forma adequada. Sei que é difícil, mas não é impossivel de se adequar a realidade e tomar novos caminhos.

Conversando com uma das minhas filhas, ela me disse que muita coisa não era fácil e que tinha medo de não de desempenhar bem a sua função, tanto na vida escolar como na profissional e, eu lhe disse, minha filha, se outras pessoas são capazes de realizar as tarefas que lhe couberam, você também será capaz, já que é humanamente possível, quem sabe, talvez, de fazer até melhor.

Basta apenas começar, será uma batalha consigo mesmo, em que você entrará de corpo e alma e ao sentir o sabor da vitória, poderá dizer: superei a mim mesmo.

Ex-endividado, você é um vencendor.

Nunca me esqueci do poema Se (If) de Rudyard Kipling. Se és capaz de ...

Boa sorte a todos.

Anônimo disse...

Chega a impressionar. O maior fundo de Pensão da América Latina, 45º do mundo, carteira de investimentos de R$ 142 bilhões, participação em, cerca de, 60 empresas,é motivo de orgulho para nosso país e nós, associados.
Entretanto, se comparado a outros fundos, bem menos expressivos, deixa muito a desejar.
Enquando outros fundos, há anos, praticam prazos e valores bem maiores em seus empréstimos a participantes, concedem reajustes, acima dos indices, nós não temos muito que comemorar. É impressionante o que acontece com o desrespeito aos nossos direitos. Resolução alterando lei, aplicações em verdadeiros"micos" acontecendo, criação de estatal para ser sustentada com recursos de Fundos ( no nosso caso R$ 2.225 mil, por trimestre). E vem mais: copa 2014, Belo Monte, Trem Bala, etc.
Só nos resta esperar que, pelo menos, o realinhamento de nosso principal "remédio" aconteça. Caso contrário, "o ultimo que sair, apague a luz".

GILVAN REBOUÇAS disse...

Ao anônimo 16.34


A carta endereçada a PREVI sobre o realinhamento do Empréstimo Simples foi de autoria exclusiva do Marcos. A minha participação se deu apenas no Estudo sobre o Superávit. A diretoria da AAPPREVI apenas ratificou o que ele criou. Portanto os louros de tal iniciativa são todos do Sr. Presidente Marcos Cordeiro.


Atenciosamente,

Gilvan Rebouças

Vice Presidente Financeiro

Anônimo disse...

Marcos, muitissimo bem elaborada a carta à diretoria da PREVI. Temo pelo acolhimento das sugestões ali descritas, não só pela Diretoria da Entidade, mas também pelo Patrocinador, o Banco. Imagine se for liberado empréstimo um valor suficiente para que os assistidos liquidem seus débitos com o Banco, CDC, etc. Ele, o Banco, quer nos ver submissos aos seus empréstimos; endividados; não vai querer perder receitas. Mesmo pensamento tenho sobre o superávit, quando liberado muitos vão pagar suas dívidas e é isto que o Banco não quer. Analisem!

GILVAN REBOUÇAS disse...

INFORMAÇÃO AOS ASSOCIADOS.


A AAAPREVI foi idealizada e criada para operar numa estrutura enxuta e moderna. Não possuímos funcionários, não temos sede própria nem alugada. Trabalhamos de nossas residências utilizando a internet como ferramenta de trabalho. Nossa diretoria é composta por colegas de diversas localidades do país. Nossas tomadas de decisões são compartilhadas virtualmente.
O suporte operacional da AAPPREVI é executado por apenas três colaboradores, os que residem mais próximos geograficamente: Marcos Cordeiro, seu filho e Eu).
Não recebemos remuneração de espécie algma. Somos um pequeno grupo de voluntários dispostos a ajudar milhares de colegas do plano de benefícios 1 da PREVI.
As críticas construtivas serão sempre bem vindas no sentido de aprimorarmos a qualidade dos nossos serviços. Nossa proposta tem sido bem aceita e o nosso crescimento é prova disso. Todos os dias somos bombardeados por comentários de anônimos com o único intuíto de atrapalhar. Não conseguirão o seu intento.

Atenciosamente,

Gilvan Rebouças

Vice Presidente Financeiro

Anônimo disse...

Mais uma vez parabéns a AAPPREVI, ao Marcos e ao Gilvan, e a todos que fazem a nossa Associação. Vamos sempre em frente. Ninguém irá nos atrapalhar.
Saudações Paraibanas

Anônimo disse...

Prezado Gilvan,

Quem aposentou por invalidez em 2002 pode entrar com a REVISÃO RMI? É vantajoso? E quanto a cópia da baixa de contrato na CTPS?
Antecipo meus agradecimentos e parabéns pela postura da Diretoria da AAPPREVI.

Plinio disse...

Prezado Gilvan,
Fico mais tranquilo após o seu relato de que os fomentadores da discórdia não conseguirão seu intento.
Continue o bom combate!

GILVAN REBOUÇAS disse...

Ao colega anônimo 06.47

Quem se aposentou por invalidez pode pleitear a RMI desde que tenha entrado no Banco na vigência de um estatuto e sua aposentadoria se deu na vigência de outro. Quando se aposenta por invalidez não exixte baixa do contrato de trabalho e sim apenas uma anotação na carteira de trabalho. Mesmo assim nada impede de entrar com a RMI.
Além da RMI, quem se aposentou por invalidez pode e deve entrar com uma ação revisional contra o INSS (lei 8.213). A maioria dos cálculos feitos pelo INSS não cumpriram o disposto na lei mencionada acima.

Atenciosamente,

Gilvan Rebouças

GILVAN REBOUÇAS disse...

Caro Colega Plínio,


Obrigado pelas suas palavras de incentivo. Essa semana lendo um comentário postado por um colega que contou sua situação e que disse que tinha "voltado a sorrir" me comoveu bastante. Mostrou-nos que estamos no caminho certo. Não tem dinheiro no mundo que pague essa sensação de poder contribuir com o nosso trabalho em prol de outros mais necessitados. Infelizmente aqui e acolá aparecem umas pedras pelo meio do caminho. Vamos juntando essas pedras e com elas contruiremos algo em vez de atirá-las de volta.


Atenciosamente,

Gilvan Rebouças

Anônimo disse...

Prezado Colega Marcos Cordeiro.

Dia 27/04/2010 foi iniciado a primeira ação da AAPPREVI.
Cesta alimentação.
Último despacho do processo ocorreu na data do dia 16/07/2010 já estamos com quase 90 dias da ação e até agora só a gratuidade da ação foi julgada.
Note senhores e senhoras como o nosso judiciario é lento,as coisas demoram muito e nesta lentidão muitos vão indo embora sem ter o direito de usufluir dos seus direitos.
E muitos colegas ainda acreditam que este caminho é o melhor!!!

É uma pena que a união sem sempre pode ser sentida no nosso meio,hoje é a carta do realinhamento,passa mês entra mês e nada para nós, e meu salário já acabo e em cima da minha escrivania sobraram muitas contas que ficaram para depois,pois o salário já nãos consegue pagar todas de uma só vez.
Não tenho mais nada que possa ser cortado,aluguel se não pago so despejado,água,luz,telefone bloqueado ainda o tenho porque sem ele a internet não funciona,comida só o básico mesmo, e a comida do cachorro,porque ele não tem culpa das minhas dívidas.
Mais mesmo assim a vida segue, dia a pos dia a espera da hora que poderei pagar todos,e me livrar dos juros que me consomem todos os meses.

Anônimo disse...

QUANTO MAIS TEREMOS QUE ESPERAR!!!.

SERA QUE HAVERÁ UM DIA QUE SEREMOS OUVIDOS,CAIU A LIMINAR, E ATÉ AGORA NADA, JULHO ESTA NO SEU TERMINO E ATÉ AGORA O QUE TEMOS?.


AS AUTORIDADES CONSTITUIDAS DESTE PAÍS BRINCAM COM COISA SÉRIA, A IMPRENSA SO PUBLICA O QUE A ELES INTERESSA.

AGORA O GOVERNO FEDERAL É INQULINA DA PREVI, NO SEU MAIS NOVO EMPREENDIMENTO EM BRASILIA.

TOMARA QUE DAQUI UNS DIAS O GOVERNO NÃO TOME ESTE NOSSO EMPRRENDIMENTO, PORQUE COM O ROLO COMPRRENSOR DA DILMONA É CAPAZ DE FICARMOS SEM ESSE PRÉDIO TAMBÉM, OU SEJA MAIS UM MICO?

Anônimo disse...

Ao ex-individado de 21/07.
Brilhante, corajosa e humilde a sua declaração creio que serviu para uns 80% dos associados do PB1.Encontro-me na situação de devedor do ES 75.000,00 mais 45.000,00 de CDC (BB).estou gastando todo o meu salário. Se vier o realinhamento do ES poderei quitar o BB.
Mas gostaria de levantar um assunto para a diretoria da AAPPREVI.
Antigamente o Salário Mínimo era reajustado em maio, depois passou para abril, março e agora é em janeiro de cada ano. ´de janeiro até junho muita coisa já subiu de preço, (salário da empregada, IPVA, IPTU, CONDOMÍNIO, ETC.ETC....).ESTA CORREÇÃO COM BASE NA INFLAÇÃO ANUAL É FAJUTA E NÃO REPRESENTA OS AUMENTOS QUE A NOSSA CLASSE VEM SOFRENDO, SERVE APENAS PARA OS QUE GANHAM ATÉ 2 OU 3 SALÁRIOS M.. NÃO SERIA HORA DAS ASSOCIAÇÕES PLEITEAREM JUNTO DA PREVI UMA MUDANÇA NO ESTATUTO PARA O NOSSO REAJUSTE SER ANTECIPADO DE JUNHO PARA JANEIRO. ASSIM TODOS SABERIAM QUANTO RECEBERIAM E QUANTO GASTARIAM DURANTE O ANO EM CURSO - É APENAS UMA IDÉIA MINHA .
NÃO SEI SE TODOS CONCORDAM.

Anônimo disse...

Colega anônimo das 15:18

Brilhante a sua idéia,acho que essa deveria ser a preocupação desse bando de aloprados que se intalaram nas nossas antigas associações.
Não estamos tendo muito o que esperar, e se o governo vem fazendo o dever de casa e mudando para janeiro de cada ano nada mais justo que a previ adote coisa semelhante,mesmo que seja através de nova mudança de estatuto.

Vamos resolver a situação rapidamente,temos que viver melhor.

Anônimo disse...

VAMOS BUSCAR MAIS ESSE DIREITO, SENHORES QUE TENHAMOS O NOSSO AUMENTO PREVI TODOS OS ANOS EM JANEIRO.

CADA ANO QUE PASSA MINGUA MAIS A MERRECA QUE RECEBO DA PREVI,JÁ NÃO VEJO MAIS UM CENTAVO,TUDO FICA DESCONTADO NO BB MESMO, E JÁ ENTRO O MÊS DEVENDO.

SE FIZER UMA PESQUISA IRÁ VERIFICAR QUE O PESSOAL DA ATIVA SÓ ALIVIA UM POUCO QUANDO RECEBEM OS PRL FRUTO DOS BAIXOS SALARIOS PAGOS PELA BB.

Anônimo disse...

Colegas ,
Seria bom ler na FAABB a carta e os comentários postados sobre a reunião da Comissão que manteve encontro com diretoria da Previ.
Gostei da atitude dos colegas que dialogaram com os diretores do bb e da Previ.
Foram inteligentes, ponderados mas incisivos.
Postura elogiável daqueles colegas.
Bravo Sra. Isa Musa.
Sou um sessentão (65) anos, 46 de contribuição e ,neste momento ,estou feliz por ter lido as colocações feitas por - notáveis, se assim posso me referir àquela Comissão.
Caso não se consiga sensibilizá-los, vamos à justiça, mesmo que o prazo suplante nossas vidas ( nossos netos receberão). O bb de hoje é o escárnio para com aqueles que o amaram e defenderam.

Grande Abraço.
Anônimo

Anônimo disse...

Prezado Marcos e demais colegas,

Não seria de bom alvitre remeter uma carta nos mesmos moldes aos diretores do BB, Ministros funcis, Presidente FBB. FENAB, Parlamentares funcis e demais autoridades que tenham vínculo com o BB. Véspera de eleição é bom ficar claro qual o posicionamento de cada um com relações a essas questõs. Sempre deixando claro que será dada ampla divulgação do fato. Eleição faz é coisa... Gente arrogante posa de educada, choram, mentem, proemtem, etc. Entretanto tudo é contabilizado na repercussão dos posicionamentos no resultado das urnas.

Anônimo disse...

Sei que todos que aqui apresentam suas queixas não se lamentam sem motivo....mas será que pelo menos a metade dos queixosos já se filiou à AAPPREVI ? Gostaria de lembrar aos frequentadores do blog que essa seria a primeira atitude positiva para podermos lutar com eficiência pelo atendimento de nossas carências. Um abraço a todos.

Ricardo Annoni Neto

Anônimo disse...

Prezado Marcos,

Parabens pela iniciativa pedindo a elevação do teto do E.S. em 100% e a dilatação do prazo para 150 meses, ou 12 anos e meio.
Todavia, baseado no histórico de anos anteriores, imagino que a PREVI poderá elevar o teto para R$ 100 mil, no máximo, e dilatar o prazo para 96 meses (8 anos).
Nessas bases: R$ 100 mil e 96 meses de prazo, a prestação máxima atual, que é de R$ 1.425,96, passaria para algo em torno de R$ 1.725,00.
Tenho notado que muitos comentaristas, especialmente os que se escondem no anonimato, costuma xingar os diretores eleitos, como se fossem eles os responsáveis maiores pela falta de soluções referentes à melhoria de benefícios ou das condições vigentes para o E.S.
Na verdade, todos devem entender que as decisões na PREVI são tomadas por consenso. Todos os assuntos são levados à apreciação da Diretoria. Se aprovados na Diretoria (eleitos e indicados pelo Banco) os assuntos sobem para decisão do Conselho Deliberativo, cuja aprovação só ocorre se contar com o beneplácito do Banco (voto de Minerva,para rejeitar, se necessário).
Portanto, não adianta espernear, xingar, blasfemar, reclamar que os diretores eleitos nada fazem, pois sozinhos nada podem fazer, realmente.

Valentim - Joinville

jeanne disse...

Concordo com Valentim quanto ao aumento de prazo e valor do ES.Espero que o que for aprovado pela diretoria da Previ saia pelo menos para Setembro... Jeanne

antonia disse...

Marcos,
Fiz uns calculos aproximado do realhinhamento do ES para analise dos colegas:
VALOR PRAZO(meses) PRESTAÇÃO
100.000 100 1.579,93
100.000 120 1.434,70
100.000 150 1.209,98

120.000 100 1.903,88
120.000 120 1.721,65
120.000 150 1.547,98

150.000 100 2.379,86
150.000 120 2.152,06
150.000 150 1.934,98

Segue os valores para reflexão, são aproximados, porém dá para ver qual a melhor proposta de acordo com as possibilidades de cada um.
Atualmente o valor de 75.000 em 75 meses a prest é em torno de 1.426,.
Muito obigado pelo espaço.
Antonia

Anônimo disse...

Sr. Valentim,

É lamentável sua colocação em defesa dos diretores. Só posso crer que pela forma contundente de tentar protegê-los, exista algum vínculo mais próximo. Se já sabiam como tudo funcionava, qual o motivo de tantas promessas na época das campanhas? Um dos grandes problemas da Previ reside justamente no impacto que o poder causa nos eleitos fazendo-os esquecer os interesses dos eleitores. Depois vêm com essa conversinha que, nada pôde fazer pra ficar bem na fotografia. Quanto ao anonimato, não vi seu nome aparecer no topo de sua mensagem. Lá está escrito como na maioria das mensagens "anônimo disse", então por favor, sem lição de moral.

Medeiros
Rio de Janeiro

Anônimo disse...

COLEGA VALENTIN.

Muito embora o senhor esteja coberto de razão o que se cobra dos Diretores eleitos é postura.
Se os mesmos não buscam as melhorias para os associados do PB-1 como as propostas poderiam fazer sentido,se eles mesmos não são capazes de pedir em nosso nome.
Os colegas que foram eleitos sabem dos nossos problemas,pois a Cecília,Isa Musa e a própria Anabb Recebem muitas manifestações sobre o ES todos os dias.
Seria de muito bom grado que os conselheiros como ocorreu em 2009 buscasse esta postura.
Talvez assim a Sasseron se sensibilize,porque parece que ao seu ver tudo deve continuar como esta,acho que pela idade sua já avençada deve portanto entrar no judiciário a fim de garantir a sua parte do quinhão que lhe pertence,porque se ficar a espera dos eleitos pouca coisa terá a crescentar a sua família.
Essa é minha opinião,acho que os eleitos não estão nem ai para nós, e se o BB resolver aprovar o aumento do ES não me admira que o Sasseron volte contra, afinal ele é o braço das decisões do BB,enquanto ele permanecer dentro da previ o Banco jamais usará o seu voto de minerva.

Anônimo disse...

Colega Valentim.

O Senhor não deva precizar de ES para sobreviver!.

Nossa última revisão foi feita em 15/09/2009.por pressão dos colegas aposentados.
Verifica-se que todos os esforços da diretoria são para beneficiar o pessoal do plano previ futuro.
Note senhor Valentim,que neste ano a previ já assumiu o compromisso de bancar através de ES o reingresso dos que sairam do plano previ futuro.
Nossa legislação não é cumprida,os normativos da previ existem para nós participantes, e a nossa classe infelismente é desunida ao ponto de terem vergonha de expor sua situação financeira.
Principal motivo do anônimato ser uma das ferramentas para muitos dizerem o que não tem coragem, e os poucos que tem essa coragem são linxados moralmente todos os dias em qualquer espaço que se desdenhe.
Senhor Valentim termino dizendo o seguinte:
Sempre seremos a maça falida da previ,em persistindo os moldes de hoje nunca teremos uma vida melhor, ao contrário estamos cavando a nossa própria sepultura,haja vista que não temos representação, a AAPPREVI ainda não tem musculatura sufuciente para abraçar todas as causas, e com isso os bondosos do poder vão trepudinado dos aposentados e principalmente das pensionistas que estão a beira da solvência total.
Seguindo tais modos vamos ter que pleitear junto ao judiciario a SUSPENSÇÃO DE TODOS OS PAGAMENTOS REFERENTES A EMPRESTIMOS INCLUSIVE ES,PARA SALVAGUAR O DIREITO A DIGNIDADE E A VIDA.

Anônimo disse...

Prezado Marcos,

Permita-me lembrar à Antônia, responsável pelos cálculos acima, que, atualmente, o prazo máximo é de 72 meses e não 75 meses.
O cálculo que fiz, relativamente ao teto de R$ 100 mil e prazo de 96meses (R$1.724,81), é aproximado e se refere ao pagamento de 12 parcelas anuais, durante 8 anos.
Como todos sabem, o problema do E.S. gira em torno do valor da prestação, que decorre do prazo ao qual se vincula.
Por outro lado, a PREVI não pode reduzir os acessórios, pois precisa de rentabilidade mínima prevista nos normativos.
Bom seria que houvesse a possibilidade de elevar o teto para R$250 mil ou mais, mas o valor da prestação seria tão elevado, que reduzido número de associados poderia dele utilizar-se. Talvez somente aquela minoria que percebe complementação de R$ 30mil ou R$ 40 mil por mês.

Abraço do

Valentim - Joinville.

Anônimo disse...

Alguem pode informar se é possível alteração do estatuto da PREVI por iniciativa dos associados? Qual o nº necessário? Se positivo, devemos ir a luta, mudar a data de reajuste dos benefícios para 1º de janeiro, índice INPC ou IGP-DI o que for maior, e principalmente um índice de participação no desempenho das aplicações do Pb1.

Anônimo disse...

Caro Sr. Valentim,
caso a situação seja como o Sr. descreveu, então os eleitos devem sim ser cobrados, visto que em suas campanhas prometem mundos e fundos já sabendo que não poderão cumprir. Devem sim ser execrados pelas inverdades propagadas a fim de obter votos.

Anônimo disse...

Notícia veiculado na site da ANAPAR de hoje, com o título VALIA-Superavit dos Aposentados.

"Os aposentados da Valia, estão promovendo um movimento a ser feito na porta da Sede da Valia no RJ em setembro, para que a empresa distribua o Superavit aos seus 17.107 aposentados, fretando ônibus com destino ao Rio ou Brasilia. Exemplo que nós deveríamos seguir. Do contrário, nosso Superavit nunca será resolvido.

Anônimo disse...

Grande idéia anônimo 06:18, quem conhece bem nossos normativos da Previ,poderia informar se temos direito de mudar como associados algum item do estatuto, ou teremos que pleitear junto ao judiciário suspensão dos pagtos de empréstimos para termos no mínimo direito de nos alimentar e comprar remédios, com o que recebemos da Previ a grande maioria pode entrar com uma declaração de pobreza e conseguir algum benefício público, alguem sabe dizer como nos declaramos como pessoa física falídos.

Anônimo disse...

Colegas,

Ao que tudo indica houve ESTELIONATO eleitoral, por parte dos eleitos na chapa 3.

Isto é CRIME.

Deve haver uma maneira de enquadrá-los, judicialmete, para que cumpram as promessas de campanha.
Anônimo

Lazara Rabelo disse...

Caro Valentim,

Tenho grande admiração por sua pesoa, sei que é muito sério e uma enciclopédia ambulante a respeito de BB/PREVI/CASSI.
Quero externar meu pensamento a respeito dos Diretores Eleitos. Desde o início da década de 90, todos sabemos, o Banco do Brasil deixou de ser o Banco do Brasil. Os eleitos tem de assumir a quem estão servindo, se não podem fazer nada, como dizem, então entreguem o boné, ficaria mais bonito e não alimentaria falsas esperanças neste universo de 121.000 orfãos do PB1. Renúncia coletiva e com barulho, para todos saberem o que de fato acontece. Ou então tomem alguma iniciativa e mudem o que estiver errado. Ficarem lá, posando de vaquinhas de presépio, dizendo amém para o Banco é que não dá, né?

Abraços,

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Sr.Presidente,
Ajude a divulgar.
Grato.
Hugo Tavares de Carvalho - 4.289.800-5



Previ: A Cassi mais próxima de você
A partir da quarta-feira, 21, você encontrará muitas novidades ao acessar www.cassi.com.br. O novo Portal da sua Caixa de Assistência chega com várias facilidades para você localizar o que mais costuma utilizar no site da Cassi.
Os conteúdos e serviços estão organizados por público. Há uma página para Associados, outra para CASSI Família, outra ainda para quem faz parte dos convênios de reciprocidade. Os prestadores de serviço também têm uma página exclusiva, segmentada por área de atuação: médicos, laboratórios, hospitais, psicólogos, nutricionistas, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, serviços de remoção e fornecedores. Cada segmento encontrará serviços e informações de seu interesse específico.
A busca pela rede credenciada, um dos serviços mais acessados pela internet, ganhou um espaço de destaque na página principal do site e também nas páginas dos participantes.
Você encontrará ainda informações por estado. Escolha a região onde vive na primeira vez que acessar o site. Da próxima vez, o Portal CASSI já será aberto naquele estado que você escolheu. Se quiser mudar o local de consulta, poderá optar com facilidade.
O novo Portal foi desenvolvido para facilitar seu acesso aos serviços e tornar a navegação mais rápida e agradável. É uma das ações da CASSI para aprimorar o relacionamento com seus públicos de interesse, cada vez mais exigentes.
O leiaute do novo Portal está diferente, também. O que não muda é a nossa determinação em dar a você a melhor qualidade de serviços em saúde.
Acesse o link http://www.cassi.com.br/ e confira! (Previ/AssPreviSite)

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

--------------------------------------------------------------------------------
22/7/2010

Valia agenda reunião em setembro para
discutir superávit dos aposentados

Lívia Francez (Jornal Século Diário).



Os aposentados da Vale, beneficiários de um fundo de pensão com superávit no valor de R$ 1,6 bilhão, conseguiram autorização, através da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), para que a Valia, administradora do fundo, reduza o prazo para o pagamento. No entanto, a Valia afirma que a decisão só será tomada após reunião prevista para o dia 17 de setembro, o que contraria os aposentados.

Inicialmente, o benefício a que os aposentados têm direito seria pago em 17 anos, mas, diante das manifestações dos beneficiários, o prazo vai ser revisto. De acordo com o presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas da Vale (Apecovale), Antônio Vitor Ramalho, o patrimônio herdado pelos aposentados tem de ser distribuído em tempo reduzido, já que a média de idade dos beneficiários é de 65 anos e a cada ano morrem centenas deles.

Ele mostrou os demonstrativos que a Valia precisa enviar anualmente à Previc e que comprovam que em março de 2009 eram 17.243 os beneficiários do fundo de pensão. Já no mesmo mês de 2010 o número caiu para 17.107, uma diferença de 136 aposentados que faleceram à espera do benefício. No documento, também consta a assinatura de diretores da Vale, demonstrando que a empresa tem representação dentro da Valia, mesmo que ela seja uma entidade que trata dos aposentados e pensionistas da companhia, administrando um fundo que não pertence a eles e sim aos aposentados da empresa antes da privatização.

Os aposentados acham que deveria ser realizada uma reunião extraordinária para que se discuta o pagamento da trimestralidade retroativa e a manutenção dos 25% do superávit, que é a porcentagem do valor total que a Valia queria que fosse paga aos aposentados.

Para cobrar uma posição favorável da Valia, os beneficiários pretendem organizar uma caravana de 25 ônibus, 15 saindo de Vitória e outros 10 sde Itabira, Minas Gerais, para ir ao Rio de Janeiro no dia da reunião e ali dar um abraço simbólico ao prédio da Vale.

Antônio Vitor conta ainda que 9.100 dos aposentados recebem menos de R$ 1 mil mensalmente de benefício, realidade que poderia mudar com o pagamento do superávit.

Os aposentados também questionam o fato de a Aposvale ser a única entidade reconhecida pela Vale como representante dos participantes assistidos e a inconformidade da maioria dos aposentados com a recente mudança nos critérios de distribuição do superávit, mantendo o percentual de 25% do valor total do benefício.
Dos aposentados antes da privatização da companhia, 150 têm mais de 90 anos, 1,5 mil têm mais de 80 e mais de 5 mil têm mais de 70 anos. Cerca de 300 aposentados morrem todos os anos e o benefício não é deixado para os herdeiros. A Valia não concorda em passar o superávit para os herdeiros, como querem os aposentados.

(Site Jornal Século Diário)

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

--------------------------------------------------------------------------------
22/7/2010

Valia agenda reunião em setembro para
discutir superávit dos aposentados

Lívia Francez (Jornal Século Diário).



Os aposentados da Vale, beneficiários de um fundo de pensão com superávit no valor de R$ 1,6 bilhão, conseguiram autorização, através da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), para que a Valia, administradora do fundo, reduza o prazo para o pagamento. No entanto, a Valia afirma que a decisão só será tomada após reunião prevista para o dia 17 de setembro, o que contraria os aposentados.

Inicialmente, o benefício a que os aposentados têm direito seria pago em 17 anos, mas, diante das manifestações dos beneficiários, o prazo vai ser revisto. De acordo com o presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas da Vale (Apecovale), Antônio Vitor Ramalho, o patrimônio herdado pelos aposentados tem de ser distribuído em tempo reduzido, já que a média de idade dos beneficiários é de 65 anos e a cada ano morrem centenas deles.

Ele mostrou os demonstrativos que a Valia precisa enviar anualmente à Previc e que comprovam que em março de 2009 eram 17.243 os beneficiários do fundo de pensão. Já no mesmo mês de 2010 o número caiu para 17.107, uma diferença de 136 aposentados que faleceram à espera do benefício. No documento, também consta a assinatura de diretores da Vale, demonstrando que a empresa tem representação dentro da Valia, mesmo que ela seja uma entidade que trata dos aposentados e pensionistas da companhia, administrando um fundo que não pertence a eles e sim aos aposentados da empresa antes da privatização.

Os aposentados acham que deveria ser realizada uma reunião extraordinária para que se discuta o pagamento da trimestralidade retroativa e a manutenção dos 25% do superávit, que é a porcentagem do valor total que a Valia queria que fosse paga aos aposentados.

Para cobrar uma posição favorável da Valia, os beneficiários pretendem organizar uma caravana de 25 ônibus, 15 saindo de Vitória e outros 10 sde Itabira, Minas Gerais, para ir ao Rio de Janeiro no dia da reunião e ali dar um abraço simbólico ao prédio da Vale.

Antônio Vitor conta ainda que 9.100 dos aposentados recebem menos de R$ 1 mil mensalmente de benefício, realidade que poderia mudar com o pagamento do superávit.

Os aposentados também questionam o fato de a Aposvale ser a única entidade reconhecida pela Vale como representante dos participantes assistidos e a inconformidade da maioria dos aposentados com a recente mudança nos critérios de distribuição do superávit, mantendo o percentual de 25% do valor total do benefício.
Dos aposentados antes da privatização da companhia, 150 têm mais de 90 anos, 1,5 mil têm mais de 80 e mais de 5 mil têm mais de 70 anos. Cerca de 300 aposentados morrem todos os anos e o benefício não é deixado para os herdeiros. A Valia não concorda em passar o superávit para os herdeiros, como querem os aposentados.

(Site Jornal Século Diário)

Anônimo disse...

Caixa paga mais de R$ 1 milhão a aposentados

Em acordo celebrado na Câmara

Permanente de Conciliação, a Caixa

Econômica Federal concordou em

pagar, numa parcela única, o auxílioalimentação

incorporado na

remuneração dos aposentados e

pensionistas do banco. Só na sextafeira,

19/03, mais de um milhão de

reais foram revertidos em favor dos

autores das ações. A expectativa da

Câmara é de que outro tanto seja

pago nos próximos dias aos

aposentados que aderiram ao

programa.

Para Otamar Meireles, de 76 anos,

o dinheiro chegou em boa hora. “É bom porque vem quando a gente menos espera”,

disse o gerente aposentado que optou em receber de uma só vez um total aproximado de

R$ 50 mil, do que continuar com o carnê-alimentação de R$ 366 mensais. Cada

aposentado e pensionista está recebendo um valor que varia de R$ 30 mil a R$ 60 mil.

Anônimo disse...

Alguem saberia informar, onde consta que após extinto o Fundo, o Patrocinador ficará com o patrimonio remanescente? Embora seja, relativamente cedo para se preocupar com isso, não consegui nos estatutos ou regulamentos nada a respeito.
Só no Código Civil:

Art. 69. Tornando-se ilícita, impossível ou inútil a finalidade a que visa a fundação, ou vencido o prazo de sua existência, o órgão do Ministério Público, ou qualquer interessado, lhe promoverá a extinção, incorporando-se o seu patrimônio, salvo disposição em contrário no ato constitutivo, ou no estatuto, em outra fundação, designada pelo juiz, que se proponha a fim igual ou semelhante.

Parece que, se confirmada a hipótese, irá para o PREVI FUTURO.

Anônimo disse...

Porque o Estado não cumpre seu papel?
Reverter valores para o Patrocinador não é uma desobediencia ao artigo 3º - alinea VI, tambem da Lei Complementar 109/2001? Essa Resolução 26 não contraria, explicitamente, esse artigo?

Art. 3o A ação do Estado será exercida com o objetivo de:
VI - proteger os interesses dos participantes e assistidos dos planos de benefícios.
A Lei diz claramente: PARTICIPANTES E ASSISTIDOS. Não menciona Patrocinador.

Obrigar a aplicação de nossos recursos em obras, cujo retorno financeiro é de alto risco, é proteger nossos interesses?
O que está acontecendo com nossas Leis? Valem ou não?

Anônimo disse...

ao colega Gilvam,

possuo a ação de revisão de calculo da transformação do auxilio doença em aposentaddoria por invalidez, acontecce que eta parada desde 2007 aguardando uma ação que subiu para o Supremo e deve nortear toda decisão a ser tomada, como nota-se,, a justiça só não é mais lenta por falta de espaço, mais eu aguardo, ainda tenho alguns anos de vida.


sergioinocencio

Isa Musa de Noronha disse...

Posso estar equivocada, mas a princípio a questão da Valia é diferente do nosso Plano 1 da Previ. A Valia tem um plano onde só abriga os que já estavam aposentados . São apenas 17 mil aposentados e pensionistas existentes anteriores à privatização da empresa. O superávit desse grupo (um plano apartado dos demais da Valia) pertence a esse grupo. Outro grupo de 55 mil aposentados e pensionistas, formado após a privatização, não tem direito ainda a qualquer superávit. Futuramente, após cumpridas as normas legais de composição de reservas, o superávit que houver poderá ser revertido em benefício. Para esses 17 mil, como se trata de um grupo pequeno e o superávit existente idem – R 1,6 bilhão, sendo que a Vale, patrocinadora, fica com metade (pois a Valia e a Vale seguem a Resolução 26), daria um total de R$ 47.058,00 para cada um dos 17 mil aposentados e pensionistas daquele plano. O caso do nosso Plano 1 é mais complexo. Não houve privatização, nosso plano ainda tem pessoas na ativa e somos 86.419 aposentados e pensionistas e 34.086 ativos, somamos, então, no Plano 1, 120.505 colegas e o valor da Reserva para Revisão do Plano no Balanço 2009 era de: R$ 25.955.632.000,00. Se cumprida a Resolução 26 e o BB ficasse com a metade, sobraria R$ 12.977.816.000,00 e cada um dos ativos, aposentados e pensionistas teria direito a 107.695,25, mas para pagar isso PREVI teria de vender ativos, desfazer de muitos de seus investimentos, etc. Assim a solução que dever ser dada aos 17 mil da Valia não se aplica a nós.O que devemos persistir na luta é pela distribuição de parte desse superávit e, para tanto, as sugestões são inúmeras.

jeanne disse...

Sergio, eu também sou aposentada por invalidez(2003) e tenho interesse em entrar com esta ação.Você poderia me esclarecer melhor?É sobre o novo cálculo da aposentadoria por invalidez,baseado nos últimos 36 meses em que a pessoa se manteve afastada,não é?Obrigada,Jeanne.

Anônimo disse...

Eu queria entender este cálculo da prestação da Previ-ES. Explico:
Fiz recentemente um CDC-veículo do BB. Financiei 31.000,00 à taxa de 1,29% a.m em 60 meses. Valor da prestação: 760,00.
Se eu pegar os mesmos 31.000,00 do Empréstimo Simples nos mesmos 60 meses, porém à taxa de 5,5% ao ano ( isso dá 0,5% ao mês) terei uma prestação de 673,00. Ora, a taxa da Previ é MENOS DA METADE da taxa cobrada pelo BB, entretanto, a diferença na prestação é de apenas 87,00. Alguém poderia me explicar o porquê? Sei que no ES tem o seguro de quitação por morte, mas é um percentual irrisório.

GILVAN REBOUÇAS disse...

Sérgio,

Eu entrei com essa mesma ação em 2005. EM fevereiro de 2007 o INSS foi condenado e desde essa época meu benefício foi modificado. Ainda não recebi os atrasados nem a multa que a sentença estipulou. Estou aguardando um recurso semelhante a esse que se encontra no supremo onde o INSS recorre da multa (cerca de 45.000,00). Além da multa ainda estou esperando os atrasados.
Quando é para conceder um habeas corpus para algum meliante de colarinho branco a justiça faz até plantão. Quem não se lembra do caso Daniel Dantas e tantos outros?
Justiça no Brasil pende para o lado dos mais fortes.

Anônimo disse...

ESTATÍSTICA MACABRA

Lendo o comentário da colega Isa Musa onde ela diz que temos 120.505 participantes, fiz umas continhas meio macabras. A posição em 31.12.2008 era de 123.358, portanto em um ano e meio partiram para o andar de cima 2.853 colegas, perfazendo uma média de mais de 150 colegas que nos deixam por mês. A cada ano que passa a PREVI vem reduzindo as despesas com benefícios e pensões. Quem levará esse bolão quando o fim, que está próximo, chegar? Será o previ futuro ou o governo? Quem viver até lá verá. A PREVI além de pagar míseros benefícios está ficando especialista em matar velhinhos indefesos.

Anônimo disse...

Escutem até 2025, teremos menos de 80.000 assitidos pelo plano 1!!!Quero só ver o que vai acontecer quando vier superavit atrás de superavit...que outra RESOLUÇÃO vão criar.A pergunta é com o corpo social diminuindo, precisaremos sempre do mesmo corpo técnico de investimentos cada vez mais arriscados como Belo Monte e trem bala?A quem interessa tais investimentos, já que dentro de pouco tempo teremos todos os participantes do plano 1 já aposentados?

Abçs

Paulo Segundo

jander disse...

Boa noite, aposentado!
Caríssimo Gilvan, também sou aposentado por invalidez. Fui afastado do serviço em 94 e aposentado em 96. Gostaria de saber se faço jus a esta revisão
e se a mesma não pode ser solicitada adminstrativamente.
Sem mais.
Atenciosamente,
Jander

Anônimo disse...

anonimo disse:
ao anônimo das 13:46hs sobre prestação empréstimo CDC Veículo BB X E.Simples Previ. Me parece , smj, que a taxa do E.S. é INPC + 0,5 a.m.(atuarial) , ou seja em torno de 10% a.a.ou um pouco mais.
Passo a bola para o estimado colega Gilvan, nosso vice-financeiro(AAPPREVI).

GILVAN REBOUÇAS disse...

Ao anônimo 21.26

A taxa do Empréstimo simples é INPC + 5,5% a.a . Esses 5,5% a.a trazidos para a.m equivalem a 0,45% a.m

INPC
Janeiro/2010 = 0,88%
Fevereiro/2010 = 0,70%
Março/2010 = 0,71%
Abril/2010 = 0,73%
Maio/2010 = 0,43%
Junho/2010 = -0,11%

INPC + 0,45% a.m

Janeiro/2010 = 1,33%
Fevereiro/2010 = 1,15%
Março/2010 = 1,16%
Abril/2010 = 1,18%
Maio/2010 = 0,88%
Junho/2010 = 0,34%

TAXA ANUAL FLUTUANTE DO E.S

Janeiro/2010 = 17,18% a.a
Fevereiro/2010 = 14,71% a.a
Março/2010 = 14,84% a.a
Abril/2010 = 15,12% a.a
Maio/2010 = 11,09% a.a
Junho/2010 = 4,16% a.a

Esse foi o comportamento da taxa anual do Empréstimo Simples nos seis primeiros meses de 2010.
O acumulado do INPC anual vem se mantendo abaixo de 6% a.a desde março/2009 o que proporciona um bom lucro para a PREVI. Então qual o motivo para se negar a expansão desses limites e prazos?

GILVAN REBOUÇAS disse...

Jander,

Quem se aposentou por invalidez sob a égide da lei 8213, de 24/12/1991 pode ingressar com essa ação. Particularmente eu não o aconselho a tentar nada na esfera administrativa junto ao INSS. Mesmo entrando na justiça federal (gratuíta)ainda se corre o risco do INSS entrar com recurso (turma recursal). Quando ele recorre nessa turma recursal somos obrigados a constituir um advogado. Portanto, procure um escritório de advocacia especializado em direito previdenciário e faça uma consulta. No meu caso em particular foi assim que eu fiz. O INSS foi obrigado a alterar meu benefício inicial, perdeu prazo definido em sentença e está recorrendo da multa. Ainda não me pagaram os atrasados. Estão com um recurso no STF. Perderam nas demais instâncias.

Espero ter podido contribuir com essas informações,

Atenciosamente,

Gilvan Rebouças

Anônimo disse...

Prezado colega Gilvan,

A ação que você se referiu que entrou em 2005 tem prazo para entrar no judiciário? Até quando depois de aposentado é possível recorrer? Aposentei por invalidez em 2003.

Anônimo disse...

Art. 20. O resultado superavitário dos planos de benefícios das entidades fechadas, ao
final do exercício, satisfeitas as exigências regulamentares relativas aos mencionados
planos, será destinado à constituição de reserva de contingência, para garantia de
benefícios, até o limite de vinte e cinco por cento do valor das reservas matemáticas.

§ 1o Constituída a reserva de contingência, com os valores excedentes será constituída
reserva especial para revisão do plano de benefícios.

§ 2o A não utilização da reserva especial por três exercícios consecutivos determinará a
revisão obrigatória do plano de benefícios da entidade.

§ 3o Se a revisão do plano de benefícios implicar redução de contribuições, deverá ser
levada em consideração a proporção existente entre as contribuições dos
patrocinadores e dos participantes, inclusive dos assistidos.
Colegas alguns pontos que não ficaram claro para mim:
a) A lei não define o que é superávit.
b) A apuração do superávit deve ser verificada na data da avaliação atuarial
c) Deve haver prioridades na utilização do superávit ( renda certa como exemplo)
d) A causa do superávit deve ter influência na sua destinação? Ex: superávit decorrente de rentabilidade deve ter tratamento diferente de superávit decorrente de crescimento salarial abaixo da hipótese ?
São questões de fundamental importância para que possamos melhor buscar os nossos direitos acaso buscando o judiciário para devidos reparos,para mim a lei é bastante omissa e a resolução CGPC-26 não esclarece muitos pontos.

GILVAN REBOUÇAS disse...

Prezado colega anônimo 05.48

Não existe prazo para entrar com essa ação. Quanto mais tempo demorar pior, pois só recebemos os últimos cinco anos. Os anteriores estão prescritos. Como vc se aposentou em 2003 só poderá receber de 2005 para cá. Tem mais um detalhe: quando se ajuiza a ação o prazo prescional deixa de existir. Mesmo que a ação demore 05 anos o colega receberá os 10 anos. Cinco anos anteriores e cinco anos posteriores.

Atenciosamente,


Gilvan Rebouças

Anônimo disse...

Apenas mais uma perguntinha ao excelente Vice-presidente Financeiro, caro colega Gilvan Rebouças, grande "expert" na área financeira: Se o INPC é variável mês a mês, e tem grande influência na prestação, por que a prestação é FIXA? Não deveria ela variar também de acordo com a flutuação do INPC?
Obrigado/Felicidades a todos.

wilson luiz disse...

Caros anônimos de 23 julho, 11:39 e 17:06 hs., o destino do saldo remanescente de um fundo de pensão, quando de sua liquidação,não é previsto em qualquer normativo porque, em tese, não deveria sobrar nada.
Vivêssemos nós no mundo perfeito de Cláudio Carsughi, e se a legislação existente fosse respeitada, funcionaria assim: ocorrendo superávit em 3 anos consecutivos, seria obrigatoriamente distribuido entre os participantes; isto seria feito várias vezes, o que ocasionaria, na extinção do plano, um saldo insignificante. Como a PREVI não vai proceder assim, acredito que o governo de plantão, à época, se apropriará do dinheiro.

Anônimo disse...

Colegas blogueiros,

Os colegas que ainda tenho na ativa,não têem a menor dúvida de retirarem suas reservas da Previ e ficarem só com o INSS quando se aposentarem, principalmente porque estão tomando conhecimento de como a Previ nos trata e na ponta do lápis é bem mais vantajoso receberem suas resersas mesmo sendo pagas em 9 anos, todos neus conhecidos que se aposentaram nos últimos anos e tinham esposa ou marido também no BB, um deles já havia optado pelo recebimento de volta pelo que contribuiram para Previ, ficando um só do casal por causa da Cassi, que hoje já também não interessa mais, esse comportamento preocupa porque se todos do PB1 da ativa quando se aposentarem retirarem suas resersas o superávit acaba.Será que a Previ não acorda para o estado lamentável ao qual ela nos colocou?

Sérgio Figueiredo disse...

Sou aposentado por invalidez e essa aposentadoria foi precedida po 2 anos e 6 meses de auxílio-doença. Orientado pelo sempre prestativo colega Gilvan, estou entrando com ação judicial para obter revisão do meu benefício. No meu caso, antes de procurar um advogado, solicitei à Previcalc, empresa especializada em cálculos previdenciários, planilha completa com o valor de todos os valores atrasados, bem como qual seria o meu benefício atual. A planilha contém toda a base legal e todos os índices utilizados para os reajustes. O valor dos serviços foi R$ 120,00. Caso alguém se interesse, o site é www.previcalc.com. Qualquer dúvida, os interessados poderão entrar em contato com a empresa pelo telefone divulgado no site. Foi o que eu fiz. Um abraço a todos...

DEVOLVENDO AS RESERVAS, disse...

COLEGAS DO PLANO 1:

Em 2009 o Plano 1 devolveu as reservas (R$ 21.814.909,77) para 185 ex- participantes;
Em 2010 (de jan.a março) já devolveram de reservas R$ 13.969.000,00, NÃO INFORMANDO PARA QUANTOS EX-PARTICIPANTES...

No site a PREVI informa a faixa etária do Plano 1 e classifica 80 "ativos*" de 65 a 94 anos de idade, das últimas cinco faixas etárias, como ATIVOS * COM ASTERISCOS, pois não trabalham mais no BB e nem pediram suas aposentadorias...(Nem pagam contribuições!)
Com certeza, são 80 anciões que querem a devolução de suas reservas

GILVAN REBOUÇAS disse...

Ao anônimo 07.01

Quando a PREVI estabelece o valor da prestação já traz imbutido as taxas (juros + INPC e FQM). Observe que na data da concessão do empréstimo simples já se contabiliza o INPC de dois meses anteriores. As flutuações mensais do INPC são compensadas. Eventualmente essas flutuações podem gerar resíduos para o final da prestação.

Anônimo disse...

Este blog é espetacular. Todas as perguntas que fazemos são respondidas com fundamento, sem maiores delongas. Quanta diferença do blog da ex-diretora e da própria Previ! Parabéns ao Gilvan Rebouças e ao Marcos Andrade.
Anônimo plenamente satisfeito.
Favor publicar.

Luis Antonio disse...

Como já falei em outras matérias deste blog, cada vez fica mais vantajoso sacar as reservas. Deixá-las para receber a complementação somente dá margem às manipulações políticas a que estamos assistindo. Pior: se pintar déficit, os aposentados vão ter que solidariamente voltar a contribuir!
Do jeito que está, a Previ virou subsidiária do BB.
Aos aposentados encorajo que entrem todos com ações revisionais contra a Previ e o Inss.
Parabéns ao site! Extremamente dinâmico e esclarecedor.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Comentário de uma associada recebido fora do Blog, cuja identidade preservamos por motivos óbvios:

AAPPREVI pede realinhamento do Empréstimo Simples


Que excelente iniciativa. Disponibilizaria a minha fopag que não está diferente dos entao colegas aposentados. Luto pra estudar meus filhos e infelizmente nao estou conseguindo dos atuais R$ 5 e pouco bruto me resta 1.600 reais para alimentar 3 filhos, pagar 699,00 de faculdade para um dos filhos. Por ultimo tenho passado extremas necessidades. Será que depois de ter cumprido com os trabalhos por tanto tempo ainda passaremos injustamente dificuldades em nossas vidas diarias ? Vai ai meu desabafo...

Anônimo disse...

Colega de 13:23,o outro blog e para quem nao le os jornais,so serve para isso.A dona so copia as noticias.Nao espere nenhuma informaçao e nao perca tempo fazendo perguntas pois nao teras resposta.
Publicar.

Anônimo disse...

Ao nosso colega Marcos e demais frequentadores deste Blog.Entrei no site de outro Fundo de Pensão pertencente a outra empresa e constatei que o mesmo tem uma Firma contratada especialmente para medir o grau de satisfação de seus participantes. Então pergunto: por que a Previ não tem nenhuma empresa que faça este monitoramento? Alguém sabe responder?

Anônimo disse...

anonimo disse:
caros, anonimo(07:01) e Gilvan, ainda sobre E.S.:
conforme consta no site da Previ as prestações são reajustadas periodicamente. Talvez por estarmos sempre renovando a cada seis meses não nos damos conta de que existe reajuste, sim:
Eis o que está no site da Previ:

EMPRÉSTIMO SIMPLES :: REAJUSTES voltar



Plano 1
Os participantes do Plano 1 têm as prestações reajustadas uma vez por ano, pelo índice de atualização monetária do contrato, acumulado nos 12 meses anteriores ao mês da cobrança da prestação reajustada:

Modalidade Prestações reajustadas
Série 12
13ª / 25ª / 37ª / 49ª / 61ª

Série 10
11ª / 21ª / 31ª / 41ª / 51ª

Isto posto, a prestação inicial permanece fixa até a 12ª. Sofre reajuste na 13ª e fica fixa até a 24ª...... e assim por dianate...

Aproveito o ensejo para agradecer ao colega Gilvan pelo excelente comentário( 04:29hs.), sobre esse assunto, produzido com riqueza de detalhes.
Grande Abraço
Cavalcante

Anônimo disse...

Caro colega Gilvan,

Nessas ações de revisão da aposentadoria por invalidez o INSS pede nova perícia? Tomei posse em Maio 1980/aposentei em 2002.Para conseguir isenção de IR foi uma novela...Mesmo com laudo assinado pelo perito do INSS, fico com receio de um novato querer cumprir sua cota de desaposentadoria e inventar moda.
Parabéns pelo seu desempenho, do Marcos e demais componentes da AAPPREVI. Vocês me convenceram a me filiar. Farei isso em breve
Agradecido pela atenção

GILVAN REBOUÇAS disse...

Ao anônimo 18.39

Não existe nova perícia por ocasião dessa ação. Por lei essas aposentadorias por invalidez deveriam ser periciadas a cada 02 anos, mas o INSS não cumpre o disposto na lei desde 1992 por falta de pessoal. Dedes 2006 o INSS vem convocando apenas os segurados que tem esse benefício (invalidez) e que podem trocar esse benefício por aposentadoria por tempo de contribuição. Como o colega já tem mais de 30 anos de filiação não há nada a temer. Faça como um colega que deu seu depoimento no blog. Procure uma empresa especializada, peça para fazer os cálculos e ajuize essa ação.

GILVAN REBOUÇAS disse...

Cavalcante,


Os reajustes verificados no Empréstimo Simples a cada 12 meses tem a finalidade de adequar o saldo devedor, gerado pelas flutuações do INPC, para que no final do prazo não exista resíduo ou se houver seja mínimo. o E.S. é um ótimo negócio para a PREVI. Infelizmente o patrocinador não gosta de concorrência com os seus produtos (CDC por exemplo) e através da diretoria subserviente controla com mão de ferro a alteração de tetos e prazos.

Anônimo disse...

Prezado Gilvan,

O E.S., além de ótimo negócio para a PREVI, é bom para nós também, pois, além dos juros serem baixos, não deixamos resíduos para nossos herdeiros. Todos os anos, renovo o meu, após quitar a 12ª parcela, pelo valor máximo. O saldo do de R$ 50 mil foi renovado por R$ 75 mil no dia 15.09.2009. Estou esperando o novo valor para renovar o atual pelo máximo possível permitido pela márgem consignável.
Endosso, totalmente, sua assertiva relativamente ao controle exercido pelo patrocinador sobre toda a diretoria da PREVI. Infelizmente, os eleitos não têm coragem de divulgar as eventuais sugestões favoráveis aos assistidos que apresentem e objetadas pelos representantes do Banco. Desta forma, nada sabemos a respeito da atuação dos eleitos que passam a merecer nosso repúdio. Na verdade, todos os diretores querem é manter seus excelentes proventos equivalentes aos de diretores do Banco e até de vice-presidente do Banco.
Nada podemos fazer para mudar esse status quo porque o interventor, imposto no Governo Fernando Henrique, em 2002, mudou o estatuto (adaptando-o às deliberações da L.C. 108/2001), atribuíndo ao Conselho Deliberativo, presidido pelo representante do Banco, com voto de minerva, qualquer mudança, além de extinguir a figura do "corpo social", inclusive para votar pela aprovação ou não dos resultados financeiros apresentados nos balanços.
Triste realidade.

Abraço do
Valentim - Joinville

Anônimo disse...

Gostaria de acrescentar ao que disse o anônimo das l6:53 de 25/07, que os eleitos igualmente não têm coragem de divulgar as pressões que certamente devem sofrer por parte do BB para relegarem interesses legítimos dos associados e apoiarem iniciativas de interesse do Banco e seu maior acionista.

Anônimo disse...

Colega anônimo das 07:42, se os eleitos não têem coragem de divulgar as pressões que sofrem do BB e também não têem coragem de cumprir e fazer valer as leis e estatutos que regem a Previ,devemos fazer ampla divulgação na mídia dos seus nomes expondo suas fragilidades na atitude apática de executar suas atribuições que seriam em primeiro lugar defender os interesses dos verdadeiros donos da Previ que são os aposentados e pensionistas. Para abaixarem a cabeça e obedecerem a tudo que o BB manda, mesmo que seja a maior injustiça ou aberração ,não precisamos de eleitos nem de diretores na Previ, deixa que o Banco toma conta de tudo.

Anônimo disse...

Silencio total.Nenhuma notica sobre o ES.Esta na hora de agirmos.
Vamos colocar nossos planos em pratica pois estao pagando para ver.
Publicar.

wilson luiz disse...

Colocar quais planos em prática, cara-pálida anônimo 26 de julho 15:23 hs.? Estamos exatamente como a maligna entidade BB/PREVI quer: não sabemos o que fazer, cada qual atira para um lado, as associações perdem tempo encaminhando cartas e mais cartas, sem obter qualquer resposta ao mínimo respeitosa. Nesta toada, eles vão nos "enrolar" até que o último de nós esteja enterrado. Sugiro que as diversas associações unam esforços, e partamos para a via judicial.

Anônimo disse...

Colega cara-rosada, que via judicial?
A justiça do Brasil?Que diversas associaçoes?
Acorda!
Publicar por favor.

wilson luiz disse...

Caro anônimo 27 julho, 17:51 hs. A justiça, mesmo demorada, nos proporcionou diversas vitórias contra vários governos de plantão: correção do FGTS, correções INSS, imposto de renda 1/3 PREVI, cesta-alimentação, IGPDI 2003, etc. Face à clara intenção do BB/PREVI(agora são uma única e maligna entidade) de nada negociar, gostaria de conhecer a alternativa que você apresentaria à ação judicial. Quanto às associações. nem todas são mal intencionadas e inoperantes, cito como exemplo positivo a nossa AAPPREVI.
Quanto ao termo "cara-pálida", de forma alguma o amigo deve considerá-lo ofensivo; como devo ser mais "antigo" que você, vou explicar de onde ele provém: Zorro e seu fiel amigo Tonto cavalgavam pelas pradarias, quando foram cercados por milhares de índios. Zorro, então, falou para seu amigo: "Tonto, nós estamos ferrados". Tonto respondeu: "nós quem, cara-pálida?". A partir daí, utiliza-se o termo cara-pálida quando analisamos uma situação aparentemente sem saída, como parece ser o nosso caso com o BB/PREVI.