segunda-feira, 9 de agosto de 2010

140 bilhões de reais

Caros Colegas.

Esse é o fabuloso patrimônio do maior Fundo de Pensão da América latina, a PREVI - Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil. Todo esse dinheiro foi acumulado ao longo dos 106 anos de existência, com destinação única e específica para garantir os pagamentos do complemento da aposentadoria dos participantes, e de pensões aos seus dependentes reconhecidos. Uma vez que a assistência previdenciária oficial não cumpre o seu papel, esses esperançosos e precavidos poupadores se submeteram a ganhar menos por causa dos descontos e pagaram duplamente por seus direitos.

Mas essa dinheirama toda não caiu do céu - nem foi tirada dos cofres públicos. Ela foi formada com as contribuições mensais dos funcionários do Banco do Brasil, e do próprio Banco na qualidade de patrocinador do plano e em igualdade de condições - até certo ponto. Desde a data da posse até a aposentadoria os pagamentos são descontados sistematicamente no contracheque de cada participante, sem ter como fugir ao compromisso uma única vez sequer durante trinta anos ou mais. Esses valores foram postos a crescer sob a forma de criteriosas aplicações em ativos financeiros como imóveis, ações, etc. em obediência aos rígidos enquadramentos determinados nas normas estatutárias garantidoras dos pagamentos a que se destinam.

Os beneficiários desse patrimônio adquiriram o direito às subvenções das suas aposentadorias e pensões, até a morte do último deles, porque pagaram para isso. E ninguém pode meter a mão nesses recursos simplesmente porque não se pode meter a mão no dinheiro dos outros.

Os resultados financeiros cumulativos sempre foram alvo da cobiça de sucessivos governos que, usando do poder exercido sobre o patrocinador, encontraram meios de desvirtuar os fundamentos da destinação desse espetacular montante deixando os velhinhos a ver navios.

Manobras desleais sistematicamente executadas mudaram o Estatuto da PREVI à feição do Governo, via patrocinador, modificando normas e regulamentos em prejuízo dos legítimos donos das reservas formadas. Deste modo estes ficaram à mercê do patrocinador a serviço dos governantes, e a sua poupança passou a ser aplicada, sem consulta e sem aviso, sob determinação do Poder Central para subvencionar as empresas e obras do seu interesse.

E por que o governo se acha no direito de lançar mão dele?

Muito simples. Pela incapacidade dos seus dirigentes em gerar recursos pelas vias normais e honestas e porque eles detêm o poder de modificar Leis e regulamentos para servir aos seus desígnios como se dissessem: Preciso, mas se não tenho, roubo.

E o pior de tudo isto é que roubam na mão grande e nenhuma autoridade se dá ao trabalho de interferir coibindo, por mais que seja acionada através de denúncias, interpelações, ações judiciais, manifestações, gritos de dor, suicídios e mortes por infarto dos atingidos de toda forma - incapazes de suportar os descasos, os desmandos e a conivência dos poderes Legislativo e Judiciário que se curvam à nojenta e podre vontade do poder Executivo.

Há exemplos e mais exemplos comprovados dessa apropriação indébita e má gestão do Fundo para viabilizar esses assaltos. O próprio patrocinador, Banco do Brasil S.A., já meteu a mão em cerca de nove bilhões de reais. Usando de artifícios contábeis para compor seus balanços, engrossando os lucros para suplantar os concorrentes e distribuir dividendos aos acionistas, entre os quais se encontra o Governo como o maior de todos. Além do que usa esses falsos resultados para cumprir compromissos trabalhistas como pagamento de PLR aos seus funcionários ativos. Como agravante há o fato de que esses inocentes funcionários estão recebendo deste modo o dinheiro que deveria ser destinado aos aposentados e pensionistas, na forma de distribuição de superávit.

Todavia, com o advento da campanha sucessória presidencial vem à tona toda a sujeira jogada sob o tapete da impunidade durante anos de administrações da PREVI. Todos os nomes que se prestaram ao jogo sujo do Governo através do Patrocinador estão pulando de uma evidência à outra como milho jogado numa chapa quente se transformando em pipoca.

Os links abaixo bem dizem da contundência das denúncias, e explicam com pormenores como a sujeira se acumulou com ajuda do único poder da República que se ocupou dela, como seu principal formador. Enquanto que os outros dois, Legislativo e Judiciário, a tudo assistem impassíveis como se fossem cúmplices dos desmandos praticados contra os 120.505 idosos donos do Plano de Benefícios N° 1, da PREVI, que sofrem na miséria vendo e ouvindo se falar nos 140 bilhões que “possuem”.

Estarreçam-se, pois, Autoridades de plantão:

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/escandalo-o-estado-policial-petista-ou-o-ministerio-publico-o-congresso-e-a-oab-reagem-ou-podem-se-preparar-para-entrar-da-fila-da-degola/

Previ é fábrica de dossiês do PT, diz ex-diretor
http://brasilacimadetudo.lpchat.com/

http://historiasdosdemitidosdobb.blog.terra.com.br/category/depoimentos-sobre-demitidos-do-bb/

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 09/08/2010.

79 comentários:

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

09/08/2010|08:12

ACM Neto vai à Justiça contra Sergio Rosa, ex-Previ, fábrica de dossiês do PT
O deputado ACM Neto (DEM-BA) decidiu interpelar judicialmente o bancário Sérgio Rosa, ex-presidente da Previ até maio deste ano, e o advogado Gerardo Xavier Santiago, que confessou haver montado dossiês para constranger e intimidar adversários do governo, entre os quais o político baiano. Em entrevista a Veja, Santiago afirmou que o gabinete da presidência da Previ foi utilizado como centro de montagem dos dossiês contra ACM Neto, José Serra, o senador Heráclito Fortes (DEM-PI), o ex-senador Jorge Bornhausen e a modelo Marina Mantega, filha de Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda. A senadora Ideli Salvatti (PT-SC) foi citada pelo advogado como uma das responsáveis pelos dossiês.
Blog do Cláudio Umberto.

Eis o link:
http://www.claudiohumberto.com.br

Anônimo disse...

Planejamento estratégico?

Desde quando a Previ faz esse tipo de consulta?

Parece mais uma atitude protelatória. Deve durar pelo menos uns 06 meses para sair o resultado.

Com relação ao planejamento estratégico que a Previ realmente se importa é com os investimentos. as aplicações dos nossos recursos. Gasta-se uma fábula com empresas terceirizadas nesta área para definir as melhores aplicações no mercado com riscos mais reduzidos. Mas para isso devem observar os percentuais de aplicações em operações de maior risco (bolsas, derivativos, etc) e de menor risco (conservadoras - títulos públicos e privados - bancos).

Então o que se tem para definir o planejamento. Nada. A Previ não interessa por sues associados. Nós estamos fora desse planejamento estratégico. As respostas da FAABB podem mencionar esses fatos, mas isso não muda nada. Este tipo de análise não tem validade, foi apenas para nos tapear, iludir. Nada mais do que isso. Precisam dar um respostas aos nossos anseios e acharam que isso é suficiente para nos acalmar e arrefecer nossos ânimos.
Gente não se iludam. Interpelação neles já.
Planejamento estratégico uma ova isso é um planejamento me engana que eu gosto.
Ouro dos tolos. Nós não somos tolos. Justiça neles para que cumpram os estatutos e nos estatutos não existe consulta de como proceder o planejamento estratégico.
Chega de enrolação.

Anônimo disse...

A elaboração do Planejamento Estratégico.


1. Formulação dos objetivos organizacionais
A empresa define os objetivos globais que pretende alcançar a longo prazo e estabelece a ordem de importância e prioridade em uma hierarquia de objetivos.

2. Análise interna das forças e limitações da empresa
A seguir, faz-se uma análise das condições internas da empresa para permitir uma avaliação dos principais pontos fortes e dos pontos fracos que a organização possui. Os pontos fortes constituem as forças propulsoras da organização que facilitam o alcance dos objetivos organizacionais - e devem ser reforçados, enquanto os pontos fracos constituem as limitações e forças restritivas que dificultam ou impedem o seu alcance - e que devem ser superados. Essa análise interna envolve:

Análise dos recursos (recursos financeiros, máquinas, equipamentos, matérias-primas, recursos humanos, tecnologia etc.) de que a empresa dispõe para as suas operações atuais ou futuras.
Análise da estrutura organizacional da empresa, seus aspectos positivos e negativos, divisão de trabalho entre departamentos e unidades e como os objetivos organizacionais foram distribuídos em objetivos departamentais.
Avaliação do desempenho da empresa, em termos de lucratividade, produção, produtividade, inovação, crescimento e desenvolvimento dos negócios.

3. Análise externa
Trata-se de uma análise do ambiente externo à empresa, ou seja, das condições externas que rodeiam a empresa e que lhe impõem desafios e oportunidades. A análise externa envolve:

Mercados abrangidos pela empresa, características atuais e tendências futuras, oportunidades e perspectivas.
Concorrência ou competição, isto é, empresas que atuam no mercado, disputando os mesmos clientes, consumidores ou recursos.
A conjuntura econômica, tendências políticas, sociais, culturais, legais etc., que afetam a sociedade e todas as demais empresas.

4. Formulação das Alternativas Estratégicas
Nesta quarta fase do planejamento estratégico formulam-se as alternativas que a organização pode adotar para alcançar os objetivos organizacionais pretendidos, tendo em vista as condições internas e externas. As alternativas estratégicas constituem os cursos de ação futura que a organização pode adotar para atingir seus objetivos globais. De um modo genérico, o planejamento estratégico da organização refere-se ao produto (bens que a organização produz ou serviços que presta) ou ao mercado (onde a organização coloca seus produtos ou bens ou onde presta seus serviços).

O planejamento estratégico deve comportar decisões sobre o futuro da organização, como:

Objetivos organizacionais a longo prazo e seu desdobramento em objetivos departamentais detalhados.
As atividades escolhidas, isto é, os produtos (bens ou serviços) que a organização pretende produzir.
O mercado visado pela organização, ou seja, os consumidores ou clientes que ela pretende abranger com seus produtos.
Os lucros esperados para cada uma de suas atividades.
Alternativas estratégicas quanto às suas atividades (manter o produto atual, maior penetração no mercado atual, desenvolver novos mercados).
Interação vertical em direção aos fornecedores de recursos ou integração horizontal em direção aos consumidores ou clientes.
Novos investimentos em recursos (materiais, financeiros, máquinas e equipamentos, recursos humanos, tecnologia etc.) para inovação (mudanças) ou para crescimento (expansão).

Anônimo disse...

Peço à família BB do Ceará que se empenhe contra a eleição ao Senado Federal do GRANDE TRAIDOR José PIMENTEL, autor da Resolução 26, que rouba o dinheiro dos velhinhos que dedicaram suas vidas àquela instituição. Por favor colegas não ajudem essas pessoas que só querem nos prejudicar.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

-----Mensagem original-----
De: Jose Aristophanes Pereira
Enviada em: domingo, 8 de agosto de 2010 21:21
Para: veja@abril.com.br
Assunto: Uma confissão desconcertante

Senhor Diretor de Redação de VEJA.

A reportagem "Uma confissão desconcertante", de Otávio Cabral(Veja, 11 de
agosto), é um vigoroso exemplo de quanto a Imprensa - mesmo com erros -
funciona como um indispensável sustentáculo da Democracia, no
aperfeiçoamento das instituições e na denúncia preventiva, ou corretiva, de
abusos do Poder.
Sem ajuizar, com maior profundidade, os méritos da denúncia, mas
conhecendo-se muitos atores do enredo e a locação das cenas, o mínimo que se
retira da matéria de Veja é o aviso de que onde há fumaça há fogo.E muito
fogo!
Ao desnudar o aparelhamento, a politização e a politicagem que invadiram
órgãos estatais, de importância estratégica, como Banco do Brasil, CEF e
Petrobrás, e mostrar as relações promíscuas dos patrocinadores com os
respectivos fundos de pensão de seus funcionários, o que se enxerga é,
apenas, a ponta de um grandioso iceberg.
A importância social e econômica dos fundos de pensão - notadamente no caso
da emblemática Previ(R$140 bilhões de Patrimônio e mais de 180.000
participantes) - reclama vigilância e esclarecimentos, para questões
cruciais, envolvendo vidas e bilhões de reais, como a retenção indevida de
superávits, a apropriação contábil de mais de R$8 bilhões pelo Banco do
Brasil, ao arrepio da Lei Complementar 109/2001, e participações em
investimentos governamentais de alto risco e duvidosa prioridade.
JOSÉ ARISTOPHANES PEREIRA
79 anos, aposentado da PREVI e ex-diretor do BB(1974-1982)
CI
Rua
CEP

Observações do Blog:
1) O colega Aristophanes informou que recebeu confirmação da Revista Veja com ressalva de que "nem toda corresondência é publicada por falta de espaço".
2)Retiramos os dados identificadores do endereço do nosso prestimoso Colega.

GILVAN REBOUÇAS disse...

ATENÇÃO SRS. ASSOCIADOS.


Pedimos gentilmente ao associado que efetuar o pagamento da mensalidade através de envelope informar-nos, via email, o número do respectivo envelope para que possamos dar baixa na mensalidade paga.
Caso não seja informado o número do envelope a mensalidade continuará em aberto.


Atenciosamente,

Gilvan Rebouças
Vice Pres. Financeiro - AAPPREVI

Anônimo disse...

Sr. anônimo 10.34


Não esqueça de colocar nesse seu pedido o nome de outro TRAÍRA: Nelson Martins - Atualmente deputado Estadual pelo PT no Ceará. Tal qual o outro, esse é funcionário do BB.
Passou quase todo o tempo de Banco entregando panfletos do sindicato e arregimentando greves. Depois que o seu partido entrou no poder nunca mais mais se movimentou no sentido de fazer qualquer movimentação a favor da classe bancária.
Colegas do Ceará muito cuidado com esses dois.

Anônimo disse...

Prezados Senhores e Senhoras aposentados e pensionistas,

Que fase triste da história do Brasil esta que estamos vivenciando. Depois de passarmos anos de ditadura militar, esperançosos que numa eventual eleição direta para presidente da república, conseguiríamos ver os direitos dos trabalhadores respeitados. Discursos inflamados reivindicavam mudanças. Cidadãos possuidores de respeitável oratória (só ela), subiam nos palanques reivindicando os direitos da classe trabalhadora, para que?
Não passavam de oportunistas! Na essência são idênticos a qualquer bandido pé-de-chinelo que se encontra em qualquer esquina. São ladrões da mesma estirpe dum ladrão de carteiras que adentra um coletivo, tendo como principais alvos pessoas idosas. Nem poder, nem palácios, nem viagens, nem todo o dinheiro da face da terra conseguirá tirar esse ranço de personalidade desvirtuada. Isso está arraigado até a medula dessa gente, que se apodera do que é alheio. Só falta quererem ganhar também, depois de tudo isso, um macaco de presente...

Anônimo disse...

Alguem sabe qual a posição do sindicato de bancários do Ceará sobre o Pimentel?

Anônimo disse...

Tendo assistido a longa entrevista do jornalista Kennedy Alencar com o presidente da PREVI sr.Ricardo Flores, este falou de inúmeros assuntos relacionados aos investimentos do fundo, sem mencionar uma só palavra sobre a distribuição do imenso SUPERAVIT. Conclusão: não está nem um pouco interessado no cumprimento da Lei em favor dos aposentados. Uma lástima!!

Anônimo disse...

Colegas do Ceará pelo amor de DEUS não votem nesse PIMENTEL nem nesse Nelson.

Anônimo disse...

Colegas,

Prezados colegas, li a resposta da Previ, para AAPPREVI, sobre o ES.

É o tipo de resposta PREPOTENTE, disfarçada em cautelas.

Cautela que não existe para compras políticas dos Sauipes da vida.

É um deboche!

Imaginem, nós somos "risco", utilizando o nosso dinheiro, que está sendo inescrupulosamente dirigido para empreendimentos megalomaníacos.

Isto é salutar para os diretores da Previ?

Claro, pois atende a imposições políticas dos de plantão.

Se algo der errado nisso tudo, suspeito que quando houver a próxima revolução/ditadura, as armas estarão do outro lado.

Por favor PENA DE MORTE para os bandidos do colarinho branco, tal qual na CHINA.

Anônimo disse...

Caros colegas.

Na entrevista concedida pelo sr.Flores ao jornalista Kennedy Alencar, apesar de extensa, o presidente da PREVI, não disse uma palavra sobre a divisão do SUPERAVIT aos seus legítimos donos, os aposentados e pensionistas. Uma lástima!!!!

Anônimo disse...

anônimo disse:
Caros Marcos , Gilvan e demais amigos da Diretoria da AAPPREVI

A insensibilidade e indiferença, ante o quadro de desespero financeiro da grande maioria dos associados, relatados à Previ através de centenas de e-mails , telefonemas, cartas e outros meios de contato com a Previ, nos frusta profundamente com o teor da correspondencia relativa à resposta da Previ à AAPPREVI ,com referencia ao E.S.,
pela frieza contida em suas linhas, com o excesso de burocracia e até mesmo de arrogancia ao discorrer sobre o regulamento do E.S. como se fossemos meros ignorantes. Encaremos a realidade. Não dá para alimentar esperanças com essa máfia que está instalada na Previ. Possivelmente possam estar mais interessados em produzir "dossiês" para o PT ,com a proximidade das eleições , do que se preocupar com as reivindicações dos verdadeiros donos do dinheiro que eles se apossaram e repassam ao patrocinador e ao governo , confiando na impunidade.
Não mais acredito que possamos negociar qualquer aspiração com esse tipo de gente que parece feliz com o sofrimento alheio. Produzir um estudo técnico para viabilizar o E.S. em condições que possam melhorar a situação dos associados diante da situação de emergência que se encontram, deve ser algo muito complexo e irrelevante, que não lhes renderia nada. Melhor , mais fácil e lucrativo, com disse antes, é confecionar "dossiês" nos gabinetes- a mando do PT - como todo o Brasil está tendo conhecimento através da mídia. Um verdadeiro escândalo.
Que tristeza ! A PREVI está sendo violentada, usada dessa forma indecente com a conivência, até mesmo, dos nossos representantes que ,contaminados, se submetem aos poderosos em detrimento dos que deveriam defender. Pouco. ou quase nada . podemos esperar ou fazer diante da latente falencia das "instituições" que, normalmente, deveriam ajudar, defender e que, infelizmente , não são mais confiáveis.
Uma pena colega Marcos, que um trabalho tão importante como o que foi feito por nossa associação, contendo toda a realidade vivida pelos associados , além das reivindicações absolutamente viáveis cujas implementações melhoriam a condição financeira de todos , tenha tido essa " RESPOSTA VAZIA , BUROCRÁTICA E INSENSÍVEL da Presidencia da Previ.
Urge encontrarmos uma saída pela via judicial, se ainda possível, reivindicando a distribuição do Superavit.
Um abraço a todos!

Anônimo disse...

Caros Blogueiros de plantão,

Vocês acham que uma pessoa que renega seus "companheiros" de BB tem condições de fazer algo por alguém que não conhece? Se o Pimentel foi capaz de fazer a Resolução 26 para prejudicar os colegas, imaginem o que é capaz de fazer com desconhecidos? FORA DA VIDA PÚBLICA! Foi necessário chamar o chefe para ajudá-lo no Ceará. Entretanto, o sapo barbudo não pode entrar em atrito com o PMDB do Eunício. Depois de ter feito tanta caca na previdência, perdido apoio dos bancários esclarecidos e não poder contar totalmente com chefe, tá vendo a vó pela greta... Apesar que ele tem muito crédito na casa depois do rombo causado na Previ em favor do patrocinador. Vamos ver como acaba essa novela...

Anônimo disse...

Acabei de ver a Bruxa sendo entrevistada no Jornal Nacional. Se deixá-la sozinha é caixão! Muito ruim!

Anônimo disse...

Ao colega do comentário supra (data de hoje, 15,59 hs.) peço a gentileza de informar onde leu a"RESPOSTA VAZIA....." da Presidência da Previ. Não é que eu seja "sádico", contudo não encontrei esse assunto aí pra cima e gostaria de tomar conhecimento do mesmo, ainda que seja para aumentar meu desprezo por essa gente. Abraços.

Ricardo Annoni Neto

Anônimo disse...

Incrível o poder da Bruxa. Ela mudou a baixada santista para o Rio de Janeiro. Será que foi por decreto?
A Bruxa é mais analfabeta do que o antigo chefe.
Estamos ferrados com uma presidenta com essa sabedoria toda.

Anônimo disse...

Paulo Bernardo, que também é funcionário de carreira do Banco do Brasil, disse que acredita que as direções do Banco e da Previ têm grande interesse em debater o assunto com o funcionalismo. O ministro colocou-se à disposição para ajudar na busca pelo bom entendimento entre as partes.
Colegas, isso está me cheirando a novo Renda Certa que está sendo preparado pela mesma quadrilha que fez o primeiro.
Qual o interesse do ministro no assunto superávit ? Todos nós sabemos que o superávit é para ser distribuído com aposentados e pensionistas e não com o funcionalismo do BB.
Alguém duvida que esse encontro foi um jogo de cartas marcadas?
Brevemente saberemos o real motivo do encontro. Preparem os bolsos para os saques.

Anônimo disse...

Volto ao assunto da "RESPOSTA VAZIA...." para esclarecer que meu interêsse é saber se todo o esforço de nossa Diretoria e de Da. Isa, remetendo à PREVI aquela preciosa argumentação sobre "planejamento estratégico" (aproveito para parabenizar, embora tardiamente, os seus autores) já recebeu da PREVI uma resposta vazia e insensível. Se isso aconteceu.....o que mais se pode fazer ? Será que a Justiça teria mais sensibilidade ? Ou será que as razões para que tudo continue como está são ainda mais fortes que nossa própria Justiça ???

Ricardo Annoni Neto

Anônimo disse...

Depois desses acontecimentos se nenhuma associação dos funcionários do banco, da ativa ou dos aposentados, não entrar na justiça para obrigar os diretores a cumprirem o que determinam os normativos com relação ao superavit, não sei não. Não posso acreditar em mais nada, por mais que eu tente, por mais esforço que eu faça, não há mais como acreditar nem nas boas associações bem intencionadas. Pois de intenção ninguém sobrevive por muito tempo.
Para tratar com gente da estirpe dos membros do PT e seus "aloprados" só temos um caminho.
Chega de ser bonzinho, de ser ingênuo, pois, se em brevíssimo tempo não acontecer uma ação judicial a respeito, para mim o que vai sobrar esta mais perto do que nunca: nada. Será que vamos continuar pastando?

Eu vi parte da entrevista da Dilma na Globo, vi apenas o Bonner fazer papel de bobo. Eles estão pronto, eles estão treinados para desconversar, mentir com dados que não foram contestado pelo entrevistador. Ele foi tão despreparado que a esposa ainda lhe chamou a atenção e o fez calar ao fazer uma pergunta sobre saneamento que ela tirou de letra.
Falou e não disse nada.

Anônimo disse...

meus caros,
se ate hoje ninguem entrou com uma ação na justica, a fim de citar a diretoria da previ pelo nao cumprimento da lei compl. 109/2001, é devido ao fato de nao ser cabivel uma açao.
estou certo ou estou errado?

GILVAN REBOUÇAS disse...

Ricardo,


A resposta da carta endereçada a PREVI sobre realinhamento do E. S. está em notícias relevantes.
O anônimo 15.59 externou fielmente o meu pensamento sobre a resposta.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

O Movimento do senhor RAPOSO tirou do seu site o anúncio da AAPPREVI, muito embora mantenhamos sua propaganda nos nossos, em respeito ao compromisso assumido de que "uma mão lava a outra". Pelo visto nada mais há que lavar.

Anônimo disse...

Provavelmente, a continuar essa farsa pela direção da Previ, não haverá outro caminho senão o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. Se o artigo 5º da Constituição, em seu inciso II diz que:"- ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;" a Lei Complementar, embora infraconstitucional, determina que "a não utilização da Reserva Especial por três exercicios consecutivos determinará a revisão obrigatória do plano de beneficios da entidade". A Previ, através de seu Conselho Deliberativo, não pode ignorar a Constituição
Trata-se de uma Lei Complementar, de competencia do Congresso Nacional. Resolução não é Lei. É ato regulador, normatizador. Não pode restringir direitos, tampouco impor obrigações. É jurisprudencia no Supremo.
O Conselho Gestor da Previdencia, que não possue função LEGISLATIVA, desempenhou atribuição que lhe é institucionalmente estranha ( a de legislador positivo) usurpando, desse modo, no contexto de um sistema de poderes constitucionalmente limitados, competencia que não lhe pertence, com evidente transgressão ao principio constitucional de separação de poderes. Trata-se de uma infeliz intervenção, a titulo primário, de um Orgão Estatal não legislativo, que só poderia ser feita de maneira secundária, derivada ou executiva, nunca com critérios próprios ou autônomos de decisão.

Anônimo disse...

Quem assitiu a entrevista com a Dilma deve ter percebido o que a candidata disse. Que o PT não tinha tanta experiencia de governança federal eles só tinha experiencia como prefeitos. Na área federal foram buscar a enorme experiencia do PMDB nessa área. A maior experiencia do PMDB são as falcatruas. Então, disse que agora eles estão bem experientes, pois, aprenderam muito com o Renan Calheiros, Romero, com os Sarneys, etc. Agora os "aloprados" devem estar bem experientes. Já pensou o que vai acontecer em seu governo, caso ganhe,com tamanha experiência adquirida. Valha-nos DEUS.

Anônimo disse...

Ao anonimo das de 9 de agosto de 2010 das 18:25.

Não só cabível uma interpelação judicial ou outra que for julgada mais conveniente. É porque tem gente, ainda não contaminada, que ainda acredita em diálogo com essa turma do PT, seus asseclas e braços sindicais, Anabb, etc.

Como diriam: santa ingenuidade.

Anônimo disse...

Ao Anônimo 9 de agosto de 2010 14:55

Assisti atentamente,do começo ao fim, a entrevista do Presidente Ricardo Flores, no É Notícia, da Rede TV,exibido no dia 08.
Confesso que me surpreendi com o Sr. Flores.
Imaginei que o Presidente do maior fundo de pensão do país fosse mais desenvolto para falar dos assuntos relativos à PREVI.
Não vi nenhuma demonstração de inibição do Sr. Flores diante das câmeras, porque nas perguntas finais ele estava muito a vontade.
Isso me fez concluir que a sua(do Sr. Flores)dificuldade estava em driblar o apresentador Kennedy Alencar.
O raciocínio do entrevistado lhe traiu inúmeras vezes e isso o deixou de certa forma inseguro. Sim ele transmitiu insegurança.
Por outro lado,me surpreendeu o vocabulário, que restou comprovado um pouco fraco, para o cargo que ocupa na PREVI.
Em que pese os fatos,faltou uma boa assessoria de comunicação ao Presidente Flores, evitando com que ficasse perdido em algumas respostas e não contemplasse aos participantes com inúmeras outros assuntos que deixou de abordar,sendo o principal " SUPERÁVIT ".
Com efeito,nem mesmo ao elogiar as ações do governo Lula, o Sr. Flores o fez com firmeza e segurança.
Se faltou ao Sr. Flores coerência em vários momentos e mais consistências nas suas respostas,quem assistiu a entrevista também pode cocluir que além de tudo o Sr. Flores não se conduziu na entrevista politicamente correto.
Resumo da ópera :
A entrevista foi uma lástima !
Myrinha

Anônimo disse...

anônimo das 15:59hs disse:

Caro Ricardo, perdoe-me por não ter percebido sua pergunta sobre a "Carta Vazia" da Previ. Observei, há pouco , entretanto, que o Gilvan já respondeu.
Um abraço e até a próxima.

Anônimo disse...

Caro Marcos e demais colegas,

Como vocês, também me sinto desrespeitada com esta resposta sobre o ES.
A ANABB noticia, em 09.08, a parceria BB/Bradesco e Banco do Espírito Santo, de Portugal. Antes, foi a venda de parte da BrOi para a Portugal Telecom, lembrando que na BrOi tem dinheiro da Previ.
Vejam a respeito desta turma, no ano de 2005?


http://oglobo.globo.com/online/pais/169327442.asp

04/08/2005 - 08h16m
Agenda desmente e compromete Dirceu


BRASÍLIA - Como chefe da Casa Civil, José Dirceu (PT-SP) recebeu em audiência no Planalto, em 11 de janeiro deste ano, o banqueiro português Ricardo Espírito Santo, do Banco Espírito Santo, acompanhado do empresário mineiro Marcos Valério de Souza. Ao GLOBO, Ricardo Espírito Santo confirmou a audiência e informou que foi Valério quem se ofereceu para apresentá-lo a Dirceu. Anteontem, em depoimento no Conselho de Ética da Câmara, Dirceu negara peremptoriamente qualquer envolvimento em supostas negociações com a Portugal Telecom, da qual o Banco Espírito Santo é um dos principais acionistas. A reunião aconteceu 13 dias antes da viagem de Valério e do tesoureiro informal do PTB, Emerson Palmieri, a Portugal. No depoimento, Dirceu omitiu o encontro ao ser perguntado se já estivera com Valério:

Segundo o deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), Valério e Palmieri viajaram a Lisboa para tentar fechar negócios com a Portugal Telecom em troca de um acordo que resolvesse as dívidas do PTB e do PT. O Banco Espírito Santo é um dos maiores acionistas da Portugal Telecom.

O encontro está registrado na agenda oficial de Dirceu na Casa Civil. A reunião foi marcada para as 17h e teria durado meia hora. Procurado pelo GLOBO, Dirceu confirmou que recebeu o banqueiro Ricardo Espírito Santo e que ele estava acompanhado de Valério. Mas deu outra versão para o encontro. O ex-ministro não soube dizer por que Valério participou da audiência. Segundo ele, Valério estava prestando serviços ao Banco Espírito Santo:

- Recebi o banqueiro Ricardo Espírito Santo no meu gabinete. Ele estava acompanhado de Marcos Valério.

Segundo ele, o Banco Espírito Santo foi comunicar interesses em novos investimentos. Dirceu disse que não teve qualquer tipo de negociação com o banqueiro e que todas as suas audiências eram formais e protocolares.

A agenda disponível no site da Casa Civil confirma: além de ter recebido o presidente do Banco Espírito Santo, Dirceu esteve em Lisboa no dia 7 de junho passado e participou de um jantar com empresários, entre eles Miguel Horta e Costa, presidente da Portugal Telecom.

Durante depoimento à CPI dos Correios, Jefferson afirmou que Valério tentou convencer a direção do Instituto de Resseguros do Brasil (IRB) a transferir parte das reservas técnicas aplicadas em outros bancos europeus para o banco português Espírito Santo. O montante chegaria a US$ 600 milhões. Pela versão de Jefferson, por essa transferência o banco português pagaria comissão para ser dividida entre o PT e o PTB.

- Nunca fiz qualquer serviço com Marcos Valério. Ele se ofereceu para me apresentar ao ministro Dirceu. Por isso, estava na audiência. No encontro, falamos sobre os projetos do Grupo Espírito Santo no Brasil. Nunca solicitei qualquer tipo de favor ou ajuda do governo. Não trabalhamos com o governo e nem com política. Também não fazemos negócios com o senhor Marcos Valério. Não precisamos de intermediários. O encontro com o ministro Dirceu foi uma reunião de apresentação.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

"Será que é possível ingressar com uma ação penal solicitando a prisão do Presidente da Previ por descumprir preceito legal? Já houve o caso de um Juiz de 1a.Instância que determinou a prisão do Presidente do Banco Central que, por sinal, passou 2 dias escondido, para não ir para trás das grades.
Se for por falta peticionário, eu me proponho a subscrever a ação.

Raul Avellar"

antonia disse...

Gente,
A respeito dos 3 anos consecutivos de SUPERAVIT, será que eles não estão considerando que em 2008, na crise, em que houve aquela queda no resultado da PREVI, não foi interrompido esse ciclo?
Eu lembro que na apresentação dos resultados aqui em Recife o diretor Francisco Alexandre mencionou isso. Eles estão muito confiantes como se estivessem cumprido todas as determinações previstas na Lei. É bom verificar isso.

rosalina_de_souza disse...

Prezado Senhor Raul Avellar

É isso que faz a diferença,vamos buscar o cumprimento da lei,mesmo que para isso algum mandatário tenha que ir parar na CADEIA.
É uma vergonha usar nosso fundo de pensão,onde pessoas como meu falecido marido PAULO PERSON dedicou sua vida ao Banco do Brasil e fez da Previ seu porto suguro e dizia que seria o nosso também,ainda bem que hoje ele não esta mais aqui para ver o mar de lama que virou a Previ.
Uma vergonha que se não for barrada por nós participantes e assistidos veremos não só o descumprimento da lei 109/2001 mais como também o superavit evaporar com investimentos totalmente politiqueiros.
É chegada a hora de largamos a vaidade em casa e partimos para uma união consistente,para forçarmos não só cumprimento da lei,mais resolver a questão da ética e trasparência com dinheiro meu,seu,nosso,de todos os assistidos do PB-1.
A previ é feita por nós, sem a existência do PB-1 ela fecha as portas,e o Banco do Brasil ao inves de lucro passa a contabilizar prejuízos.
Tem meu apoio irrestrito e incondicional o caminho para colocar a Previ nos trilhos novamente é "INTERPELAÇÃO JUDICIAL" fazendo cumprir o que manda a LEI.
Esse tem que ser não só o nosso objetivo( pessoa física ),mais da Federação e das demais associações.
Pode contar com meu apoio.

Saudações

Rosalina de Souza

Matrícula Previ 18.161.320-4

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Em resposta ao pleito formulado pela Aapprevi, a Previ informa, de maneira errada e com a maior cara de pau, que “para alongar prazo ou aumentar o valor dos empréstimos é comum no mercado a prática da compensação do custo ou do risco, por meio da elevação de tarifas, das taxas de juros ou descontos sobre o valor do crédito. A Previ não segue tais práticas para não onerar os seus participantes”. Em hipótese alguma tais práticas não são seguidas para não onerar os participantes. Tais práticas não são seguidas já que a Previ não é uma empresa do mercado financeiro e o outro grande diferencial, com certeza o mais importante, é que ela está emprestando recursos que são nossos para nós mesmos. É isso ou será que eu estou errado?

Anônimo disse...

Dossiê, descumprimento de dispositivo legal ( distribuição do superávit ), etc.
Não caberia uma CPI, na PREVI?
Como iniciar uma ?
Cláudio - Piracicaba-SP

Anônimo disse...

Este negócio de falar que a Previ eh o maior fundo de pensão, bilhões e mais bilhões. Enquanto isto temos que aguardar o tal realinhamento do famigerado empréstimo simples.

E o mais engraçado eh que, em relação ao E.S a diretoria da previ não esta subordinada a não menos famigerada resolução 26.

Agosto já tá acabando...

Anônimo disse...

Não entendo a surpresa dos colegas com a traição do pessoal do PT. Esqueceram da Guerrilha do Araguaia? Bastou amarrar o Genuíno numa árvore. Não foi preciso dar nem um beliscão pra que entregasse todos "companheiro" para a repressão. PT: Partido dos Traidores.

Anônimo disse...

Colega Antonia,
Essa historia que a Previ deu prejuizo em 2008 não existe. Trata-se de uma obra de ficção, procedente de uma mente insana. Se tivesse acontecido o prejuizo, as contribuições não continuariam suspensas. O que houve, na verdade, foi uma redução do Superavit acumulado. Não prejuizo ou Deficit. Culpa da demasiada exposição dos ativos da Previ em renda variável, fato que já aconteceu no 1º semestre deste ano, reduzindo a Reserva Especial para R$ 17 bi. Os balanços da Previ confirmam a existencia do Superavit. Não há o que contestar.

Anônimo disse...

Ja que o estudo sobre o realinhamento do ES, foi para area tecnica, s eria possivel preve a conclusao desse estudo, hoje os sistemas sao todos informatizados. o ultimo realinhamento foi em 15.09.2009, nao é possivel que at é 15.09.2010 nao esteja cocluido.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

----- Original Message -----
From: ANABB
To: João Rossi Neto
Sent: Friday, August 06, 2010 6:41 PM
Subject: Resposta da pergunta enviada para o site da ANABB


Sua resposta foi postada para o seu tema de interesse no Sistema de duvidas do site ANABB.

Pergunta:
As pesquisas do INPC são feitas sobre as famílias que ganham de 1 a 6 salários-mínimos, alcançando basicamente a compra de produtos de custo baixo estritamente essenciais a sobrevivência das pessoas. Sabidamente, este índice não se aplica ao nosso caso, eis que a maior parte dos associados não se enquadra nessa faixa e, por isso mesmo, sofre efeitos da inflação alta, incidentes, por exemplo, sobre remédios, custos elevados, de alto consumo, em face de doenças oriundas da idade avançada e da compra de vários outros produtos fora da chamada cesta básica. Os índices de juho e julho/2010, que serão usados no próximo reajuste de nossos benefícios, totalizaram 0,18 negativos, sinalizando que talvez nem aumento teremos em junho/2011. E caso tenha, será reajuste pífio. Duas coisas precisão ser feitas, concomitantemente, com urgencia para amenizar a nossa situação financeira. Uma seria a distribuição dos superávits da Previ e a outra uma elevação expressiva no limite e no prazo dos empréstimos simples. Depositamos as nossas esperanças nas mãos dessa ANABB.

Resposta:
Prezado João, felizmente, nos últimos tempos, os associados têm-se manifestado na defesa de seus direitos, encaminhando suas manifestações às entidades representativas da categoria. No seu caso, cabe-nos parabenizá-lo por sua iniciativa. Informamos ainda que enviamos a sua mensagem para conhecimento de nossa Presidência. Agradecemos seu contato.

Atenciosamente,

Marcus Assis
Atendimento ao Associado
ANABB/VIREF

Anônimo disse...

Não tenho nem vocabulário e nem tempo para expressar o que sinto com toda essa sujeira...
MEU NOME NÃO É ENÉASSSSS

Anônimo disse...

Justiça neles!
O Ministério Público Federal, cuja organização e atribuições foram instituidas pela Lei Complementar nº 75, de 20 de maio de 1993, tem a incumbencia, segundo o artigo 1º dessa Lei de "tomar as medidas necessárias para garantir o respeito dos Poderes Públicos ...aos direitos assegurados pela Constituição". O artigo 5º diz que"são funções institucionais do MPU, a defesa da ordem juridica, do regime democrático, dos interesses sociais, considerados a legalidade, a impessoalidade, relativas à administração pública direta, indireta ou funcional, de qualquer dos Poderes da União. Cumpre, ainda, defender os direitos e interesses coletivos, da criança do adolescente e do idoso.
A Lei 9.882 de 03 de dezembro de 1999 dispõe sobre o processo e julgamento da argüição de descumprimento de preceito fundamental, nos termos do § 1o do art. 102 da Constituição Federal.
Nesse caso, o preceito fundamental que está sendo descumprido trata-se da Resolução 26, que transgrediu o principio constitucional de separação de poderes, desempenhando competencia que não lhe pertence ( a de legislador positivo).
A Lei acima (9.882) juntamente com o artigo 102 da Constituição, traz amplo esclarecimento sobre a matéria.

Anônimo disse...

Colegas,

Cada vez que leio sobre política, mais cresce minha decepção com os políticos e seus suspeitos CAPACHOS.

É imperioso que levemos esses diretores de ontem e de hoje aos tribunais, cíveis e penais, para explicarem tanta sujeira com o respaldo de nossos valores morais, financeiros e econômicos.

Estou tão indignado que tenho medo de furias incontidas, creio que não só minhas, mas de muitos.

Isto quer dizer não tentem me prejudicar indefinidamente, também a minha família, pois quanto mais apertado maior será a reação.

Anônimo disse...

Colegas,
O silêncio a cerca de notícias sa PREVI sobre o ES e SUPERÁVIT é no mínimo uma violência contra nós aposentados e pensionistas do PB1, O descaso do SR. Sasseron é aviltante seu comportamento indiferente e frio diante de tantos apelos viáveis e justificados mereceriam uma providencia imediata e humana por parte do Sr Sasseron.
O nosso superávit diminuiu no último semestre, melhor seria que algum desse valor estivesse empregado em ES para os assistidos da Previ do que correndo o risco do sobe e desce das bolsas.
O superávit sobra para tudo menos para os verdadeiros donos , para nós nem as migalhas estão jogando.
Não háo que esperar devemos ir à justiça não resta outro caminho.

Anônimo disse...

Sinceramente a vontade que dá é de vomitar...É muita imundície... Alguém sabe dizer os valores gastos na Previ com queijo? Devem somar uma fortuna. É rato demais para ser alimentado.
Se os beneficiários de Previ, Petrus, Funcef, não se unirem através das associações representativas e tomarem uma providência depois dessas denúncias, sei não...

Anônimo disse...

No direito de resposta do PT publicado pela VEJA, devido a reportagem sobre o ligamento do PT com as FARC, não foi mencionado um detalhe que era o jargão do PT. O PT diz que respeita a democracia, e outras baboseiras não falaram nada sobre a ética e a corrupção. Permanecem em silêncio quando o assunto é constrangedor para eles, pois, nunca xercitaram a ética e adotaram a corrupação desde a criação do PT. Ou melhor antes da criação pois os sindicalista são os maiores corruptos existentes. Dali nasceu o PT. Totalmente corrupto desde a criação, não tem como contestar essa veracidade.

Anônimo disse...

Sim, o PT é corrupto é anti-ético e estamos todos enojados com tanta podridão, mais o pior é que a D.Dilma vai ganhar a eleição e aí como ficamos? os dirigentes da Previ querem manter seus cargos com seus gordos salários e fazem tudo que for preciso para isso.
Não adianta apoiar o candidato Serra, porque talvez também não faça nada a nosso favor (tucano , fica sempre em cima do muro e não resolve nada).
A D. Dilma deveria ter interesse nos nossos votos seria estratégico por parte do presidente garanti-los solucionando a distribuição justa do superávit.
As associações já mandaram planejamento através da FAABB, tudo direitinho estudado,planejado,viável, coerente dentro da Lei dos estatutos, prontinho é só por em prática e mesmo assim com tudo mastigado não fazem nada. Estão zombando de nós, rindo fazendo piada só pode ser isso.Então diante desta situação o que podemos fazer colegas?

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Para seu conhecimento, envio-lhe cópia da mensagem que remeti à PREVI.
----- Original Message -----
From: João Rossi Neto
To: atend@previ.com.br
Sent: Tuesday, August 10, 2010 1:15 AM
Subject: Empréstimos Simples


Tomei conhecimento do seu expediente Presi/Gabin 2010/0518, de 03/08/10, endereçado à AAPPREVI, via do qual essa Caixa, malandramente, descarta a nossa pretensão. Limita-se essa Previ em repisar as regras que balizam o deferimento dos empréstimos, requisitos exaustivamente conhecidos pelos associados. Enfim, as argumentações são vazias e o velho jargão quando a matéria não tem interesse para a Diretoria é citado: "Vamos encaminhar para estudo". Será? Quando?

Tal é o descaso com o assunto, que nem o Presidente da Previ dignou-se em assinar a carta-resposta. Quiça nem tenha tomado conhecimento dos termos propostos. O estranho disso tudo é que os associados, verdadeiros donos do capital da Caixa, precisem ajoelhar-se para ter acesso ao dinheiro que lhes pertence.


Existe um teto de 15% sobre o patrimônio do fundo para a realização de empréstimos simples, entretanto, hoje, o montante emprestado aos associados não passa de 3%. Não conseguimos entender a resistência da Caixa para não efetuar a revisão nos limites e no prazo resgate. Trata-se de negócios legítimos, transparentes, perfeitamente enquadrados nos normativos vigentes. Além disso o estudo e a concessão são feitos em exames caso a caso, onde a Caixa defere ou indefere os pleitos na sua esfera de competência.

Pondere-se ainda que tais empréstimos, por serem consignados em folha de pagamento, são de risco desprezível, e em casos de morte o seguro que os lastreia garante o retorno do capital pactuado. Lamentavelmente, o atendimento de qualquer propositura dos associados é sempre empurrada com a barriga, como a exemplo citamos a distribuição dos superávits acumulados que vem sendo procrastinada há bastante tempo, inclusive com desrespeito a Lei Complementar 109/01, artigo 20. Na defesa exclusiva dos interesses do patrocinador, a Diretoria Executiva e o Conselho Deliberativo preferem colocar a cabeça a prêmio, do que cumpir o seu papel com lisura, ética e honestidade, que é de mediar com bom senso as disputas entre associados e patrocinador.

Obstáculos são colocados para emprestar cifras relativamente pequenas aos associados, no entanto, arriscar bilhões de reais em empreendimentos de retorno duvidoso, caso de Hidrelétrica de Belo Monte e Trem Bala, essa Caixa, por via direta ou indireta, encontra brechas e cumpre as determinações do governo, sem os demorados estudos técnicos. O conceito da Previ vai acabar ficando abalado, visto que constantemente é alvo da imprensa em matérias escabrosas, como as recentemente citadas em vários jornais que são os casos dos dossiês e arrecadações de dinheiro para campanha política.

Por todo o exposto, queremos, por direito, a elevação para R$150 mil no limite dos empréstimos e prazo de retorno de 120 a 150 meses. Não haverá uma corrida desenfreada por contratações, mesmo porque o estudo é caso a caso, devendo existir margem consignável para a concretização do empréstimo. Muitos querem as alterações como garantia de um crédito aberto para ser usado em caso de extrema necessidade.

Reexaminem com carinho e urgência a nossa proposta, pois assim farão JUSTIÇA aos verdadeiros donos do fundo.
João Rossi Neto.

Anônimo disse...

A analise de risco/rentabilidade da Previ, quanto à aplicação de ativos, deve ser muito complicada.
A carteira de ações( renda variável) de janeiro a junho de 2010, teve uma rentabilidade negativa de -10,02%, enquanto que o Empréstimo Simples, teve um retorno positivo de 6,52%.
É muito dificil avaliar ou chegar à conclusão de que o ES não tem risco e é rentavel e seguro.
Ainda mais quando se leva em consideração os valores aplicados:
R$ 83,2 bi em renda variável (Ações e fundo de ações)
R$ 3,8 bi em empréstimos simples e imobiliário.
Está caracterizada a má vontade dessa Diretoria.
Em outro país mais serio, depois das noticias veiculadas sobre o bunker do PT, já estaria em curso alguma providencia para abrir uma investigação. Nossa Previ virou o Quartel General dos dossiês.

Anônimo disse...

E AÍ? VAMU CORRER OU VAMU ENCARAR? Se depois de toda essa denúncia nada acontecer é melhor entregar os pontos. Se um executivo do porte desse abre o bico e nada acontece, não há mais o que fazer. Se perdermos o TIME para pedir ajuda aos políticos de oposição envolvidos nos dossiês, talvez não haja futuro para a Previ. Os sindicatos são chapa branca, a cut idem, então só as associações da envergadura moral da AAPPREVI para nos socorrer.

Anônimo disse...

Ao colega anônimo do comentário sobre a "RESPOSTA VAZIA" agradeço a atenção e também ao GILVAN. Peço desculpas por ter feito confusão sobre o assunto, pois achei que tal resposta já era acêrca da correspondência encaminhada pela FAABB à PREVI contendo as preciosas argumentações elaboradas principalmente pela Diretoria da AAPPREVI, pois essa nunca poderia ter uma resposta "vazia". Concorda comigo ? Abraços.

Ricardo Annoni Neto

Anônimo disse...

A Previ não tem desculpas, nem justificativas para realinhar nossos empréstimos! quem tem margem consignável LEVA (quem quizer). É simples e seguro.Tem até 15% do seus ativos para utilização conosco +de 20 bilhões!

Parem com este bunker petista de fazer dossie mafiosos e liberem mais financiamentos para os donos deste fundo !
Empregado que não obedece ao patrão, vai prá rua...

Anônimo disse...

Agora ficamos sabendo por quais motivos não há tempo na Previ para cuidar dos interesses dos aposentados e pensionistas. Montar um dossiê é de um dia para o outro. Solucionar as questões dos beneficiários tem que haver meses de estudos. A ESTRUTURA DA PREVI É UTILIZADA PARA ATENDER O PT. Ou pelo menos parte dele. Que o Ministério Público coloque toda essa bandidagem na cadeia. Lugar de ladrão é na cadeia. Aloprados!!!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

O Colega Valentim atendeu aos nossos apelos.
Encaminhou ao Diretor Sasseron uma carta levando os anseios dos que aguardam o realinhamento do ES para minorar o sofrimento - e vivenciar melhores dias.
Ético como sempre, pediu-me aguardar o recebimento por parte do destinatário para autorizar a divulgação do texto.
Vamos contar com a eficiência do Correio e rastrear o caminho de mais esse pedaço de esperança até o seu destino.
Eis o número do Registro:

RJ378716145BR

Anônimo disse...

RECEBEREMOS O ADIANTAMENTO DO DECIMO TERCEIRO DO INSS NA FOLHA DE AGOSTO COMO NO ANO PASSADO?ALGUEM SABERIA RESPONDER?
PUBLICAR

Anônimo disse...

Se o Camilo soubesse que a fossa iria transbordar, não teria posado ao lado do ministro aloprado. Pegou a trairada toda com as calças na mão...

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

NOTÍCIAS :: 20100810 NOTÍCIAS NA IMPRENSA

PREVI esclarece notícias publicadas na imprensa

Em relação a notícias recentes publicadas na imprensa, a PREVI desconhece a prática de elaboração de dossiês com finalidades políticas. A atuação dos profissionais da PREVI é pautada por seu Código de Ética e Normas de Conduta, onde a PREVI condena o uso de informações que, se divulgadas, possam trazer prejuízos à Entidade, colaboradores, participantes, assistidos e sociedade.

A PREVI reafirma que sua diretoria tem compromisso com os 181 mil associados e suas famílias. É seu dever garantir o pagamento de benefícios atuais e futuros de aposentadoria e, para isso, realiza a gestão responsável dos ativos que somam hoje R$ 144 bilhões, observando as políticas e diretrizes de investimentos.
Site PREVI.

Anônimo disse...

É sempre a mesma história; "eu não vi nada, eu não sei de nada".
Reafirmar que a diretoria tem compromisso com os 181 mil associados é demagogia demais. O compromisso, está claro, é com o BB.
Querer explicar o escândalo do bunker petista é tal qual "batom na cueca". Não tem explicação.

Anônimo disse...

Pelas últimas notícias, parece que brevemente teremos um novo "WATERGATE", desta vez na PREVI. Vamos aproveitar a oportunidade para denunciar a falta de cumprimento da Lei em face do SUPERAVIT.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Senhor(a) MARCOS CORDEIRO DE ANDRADE

A PREVI confirma o recebimento da mensagem abaixo.
Aguarde nosso retorno em breve.

Gerência de Atendimento
PREVI

Data: 10/8/2010
Tipo: Solicitação

Mensagem: Peço informar se o adiantamento do 13° pago pelo INSS constará no contracheque do próximo dia 20/08.

Grato,
Marcos Cordeiro de Andrade

Matrícula: 6808340
Nome: MARCOS CORDEIRO DE ANDRADE
E-mail: marcosmca@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Previ, realinha o ES e deixa de tanta burocracia/demagogia.Presidente, lembra os dias de Menor Aprendiz, que deves ter exercido com muita euforia.Lembra-te do teus pais, co mo vibraram quando conseguiram te colocar no Banco.Atende os anseios dos idosos (velhinhos),pois o dinheiro é deles.

Anônimo disse...

Qual diretoria tem a cara mais deslavada? A que montou os dossiês ou a que nega a existência? Deveriam avisar a esses irresponsáveis que não estão lidando com idiotas. A denúncia partiu de um ex-integrante da quadrilha. Ninguém inventou nada. Na divisão do roubo esqueceram de dividir com um dos larápios e deu no que deu. Agora segura a onda.

Anônimo disse...

Esse Gerardo que deu entrevista pra Veja é fruta podre... é só apertar que solta todos os podres da Previ. Botem ele no pau-de-arara que ele confessa tudo e todos nós vamos ficar de queixo caído. Ou acham vocês que trabalhando anos e anos do lado de sergio rosa ele não sabe de muito mais?

Anônimo disse...

Na entrevista que acabei de ver da Marina ao Jornal Nacional, deu de DEZ A ZERO na Bruxa.

Anônimo disse...

Na mesma revista que saiu a denúncia do uso indevido da Previ, tem uma reportagem sobre o collorido dando ordens dentro da Petrobrás. Isso parece inacreditável futebol clube, mas é verdade.

Anônimo disse...

Caros blogueiros,

Algum colega que tenha trabalhado com esse tal de Pimentel? O infeliz tem pai, mãe, igual a todo mundo ou foi chocado? Tem família uma anta dessas? Consegue encará-los depois de prejudicar tantas pessoas? Dorme, come, vive em paz? O povo cearense é um povo tão bom que não entendo como pôde produzir uma íngua assim. ÊTA CABRA DA PESTE!

Anônimo disse...

Colegas,
Olha a baixaria. Não vamos maltratar os animais, comparando-os a pessoas nefastas, que podemos ter problemas com o IBAMA.
Vamos usar termos mais clássicos . Ao invés de anta, vamos dizer "Tapir de roupas".
Aproveitando o ensejo: Aquela "dinheirama" que a Policia Federal confiscou, que estava com o churrasqueiro do Lula (Jorge Lorenceti) já descobriram de onde veio? Da Bancoop ou da Previ? Ou de ambas, já que a Previ fez um ótimo investimento na Bancoop, rentável, sem risco, muito melhor do que investir no Empréstimo Simples?
Depois vêm dizer que tem compromisso com os participantes.
Me engana, que eu gosto.

wilson luiz disse...

Gente, nossas pragas estão pegando!! Última pesquisa IBOPE para o Senado, no Ceará: Tasso Jereissati 63%, Eunício Oliveira 27%%, José Pimentel 25%. Amigos do Ceará, toda força para a candidatura Eunício Oliveira.

Chico Alves disse...

Muito interessante a notícia de que ACM Neto vai entrar na justiça contra o Sergio Rosa por suposto "dossiê". Aos que não moram na Bahia e não sabem quem era ACM, foi divulgado pelo maior jonal do Norte e Nordeste do Brasil, o Jornal A Tarde, que após a posse de Jacques Wagner, foram localizados na secretaria de Segurança do Estado da Bahia, escondidos em uma sala secreta, cerca de 300 processos contra políticos e prefeitos do estado e que esses processos, paralizados intencionalmente, seriam usados como chantagem em demandas políticas. O que ACM Neto e seus porta-vozes têm a explicar sobre o assunto?

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Por erro de seleção (suposta duplicidade) esta linda mensagem deixou de ser publicada no dia dos pais:


Hoje é um Dia Especial !!!
Uma mensagem com carinho :

Pai, paizão !


Este homem que eu admiro tanto,

com todas as suas virtudes e também com seus limites.

Este homem com olhar de menino, sempre pronto e atento,

mostrando-me o caminho da vida, que está pela frente.

Este mestre contador de histórias

traz em seu coração tantas memórias,

espalha no meu caminhar muitas esperanças,

certezas e confiança.

Este homem alegre e brincalhão,

mas também, às vezes, silencioso e pensativo,

homem de fé e grande luta,

sensível e generoso.

O abraço aconchegante a me acolher, este homem,

meu pai, com quem aprendo a viver.

Pai, paizinho, paizão...

meu velho, meu grande amigão, conselheiro e leal amigo:

infinito é teu coração.

Obrigado, pai, por orientar o meu caminho,

feito de lutas e incertezas,

mas também de muitas esperanças e sonhos!

Que seu dia seja muito feliz!

Abraços,


Jane

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Blog do Reinaldo Azevedo - 11/08/2010
às 6:17

A Burguesia do Capital Alheio: petistas disputam 274 cargos em conselhos
Escrevi ontem um texto em que afirmei que os fundos de pensão são a base material do poder petista, da nova classe social, a “burguesia do capital alheio”. Leiam trechos de uma reportagem da Folha:

Por Leonardo Souza e Dimmi Amora:
O enfraquecimento dos “petistas bancários” no governo ensejou uma luta por 274 cargos nos conselhos de 74 empresas nas quais a Previ (fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil) tem participação. Os mais cobiçados são na estrutura societária da Vale, onde Sérgio Rosa, que deixou o comando do fundo de pensão em maio, ainda ocupa a presidência do conselho de administração.

Segundo a Folha apurou, até o presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, se candidatou para assumir uma cadeira do conselho da mineradora. O Planalto, contudo, não vê com bons olhos a pretensão de Bendine. Como a Vale é cliente do Banco do Brasil, instituição na qual a companhia tem várias linhas de crédito, analistas do mercado financeiro entendem que a presença do presidente do banco no conselho da mineradora poderia suscitar conflito de interesse.

Além disso, é o presidente da Previ quem historicamente preenche a vaga a que o fundo de pensão dos trabalhadores do banco tem direito. A Vale é a empresa na qual a Previ concentra seu maior investimento individual -cerca de R$ 35 bilhões.
(…)
Pelo menos 12 ex-dirigentes sindicais têm assento em conselhos de 11 empresas em que Previ tem sociedade. Entre as empresas estão o grupo Neoenergia, que controla várias distribuidoras de energia do país, e a Invepar, que tem empresas na área de transportes e logística.

Por Reinaldo Azevedo

Anônimo disse...

Caros blogueiros,

Volto a este espaço para ME DESCULPAR com as antas. Não é justo compará-las com o Pimentel. Elas são muito melhores. Aproveito o espaço para convocar os colegas cearenses para apoiarem o GRANDE EUNÍCIO (não sei nem quem é) para o Senado. FORA DA VIDA PÚBLICA PIMENTEL TRAIDOR.

Roberto Varella disse...

Vejam o texto abaixo:
O "Sr. Diretor" era João Bosco Madeiro da Costa, responsável pela
área de investimento da Previ entre maio de 1996 e dezembro de 1998,
durante o governo Fernando Henrique Cardoso. Apenas em novembro de 1997
foi aprovada a participação do fundo de pensão do Banco do Brasil no
projeto Sauípe. Misteriosamente, em julho do mesmo ano - quatro
meses antes, portanto -, o então (e atual) governador da Bahia,
Paulo Souto (PFL), teve um surto de clarividência: enviou ao então
presidente da Previ, Jair Bilachi, o ofício 185/97.

Na carta, o governador baiano congratulava-se com Bilachi por conta de
uma decisão que, formalmente, nem sequer havia sido tomada. Assim
escreveu Souto: "Tenho a satisfação de cumprimentar V.Sa. pela
decisão da Previ de investir no Complexo Turístico Sauípe, projeto
de relevante importância para o desenvolvimento turístico do Litoral
Norte do Estado da Bahia, especialmente em função das qualidades do
planejamento do seu Plano Diretor e das características naturais
daquela aprazível região".
Texto retirado de uma reportagem da revista Carta Capital, só para lembrar que a origem do "mico" Sauipe teve origem na familia ACM e agora tudo que parta de ACM Neto deve ser visto com no mínimo desconfiança. Não podemos ter memoria curta.
Roberto Varella

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Após a leitura do seu post entendo, s.m.j., que deva haver uma resposta oficial da Previ, antes das eleições, c.q.c., acerca das providências que serão adotadas em função do ótimo trabalho elaborado/apresentado pela Aapprevi/Federação que foi o planejamento estratégico para o triênio 2010/2013. As declarações do Sr. Gerardo Santiago, que não faz e nem nunca fez parte do meu círculo de amizades mas que conheci pessoalmente quando trabalhava na DG no Andaraí, jogando M...... no ventilador, deixaram a diretoria do nosso fundo, atual e a anterior, bastante exposta e fragilizada perante a opinião pública. A pouco ou nada convincente nota oficial que constou no site não serviu, no meu entendimento, nem ao menos para suavizar a imagem da Previ que se encontra hoje em “tons de vermelho bastante carregados”. Vamos supor que, logicamente antes das eleições, uma nova denúncia seja levada à imprensa especializada contra esses mesmos diretores acerca do não cumprimento do que está estabelecido na LC-109. Penso que seria a última coisa que o Palácio do Planalto gostaria de ver publicada e explorada pela mídia atualmente. Entendo que a candidatura da ex-guerrilheira ficaria bastante arranhada, até mesmo com possível repercussão no resultado das urnas, caso aconteça um episódio dessa natureza justamente às vésperas das eleições presidenciais.

Anônimo disse...

Retificando, para não cometer injustiças. Aquela dinheirama, à qual me referi, acima, estava com Valdebran Carlos Padilha e Gedivan Pereira Passos ( ex-agente federal)
para comprar o dossiê.

Anônimo disse...

Espero que o Sr. Marcos deixe eu mandar esta mensagem para o Sr. Chico Alves.

Sr. Chico, tudo bem que a família Magalhães tenha lá os seus problemas com dossiês, ateh por que nunca negaram isso, mas Sergio Rosa que sempre pregou a ética, a transparência. Este sim ,deveria vir a público pelo menos para desmentir o Sr. Gerardo. Eh o mínimo que se espera.

Obrigado.

Anônimo disse...

Quanto do dinheiro da Previ está sendo "investido" na campanha da Bruxa? Parece que os espinhos da Rosa incomodaram na hora de meter a mão na grana, e por isso, colocaram Flores no lugar para viablizar o assalto. Na musiquinha diz que o Cravo saiu ferido e a Rosa despedaçada. No mundo real a Rosa sai é com os bolsos cheios. Rosa para nós é sinônimo de transformação de uma entidade séria numa fábrica de dossiês. Rosa significa prepotência e descaso com aposentados e pensionistas. Significa má utilização do dinheiro de pessoas idosas que deram sua vida e seus recursos para terem uma aposentadoria digna. Rosa significa uma mancha desprezível na história do nosso fundo de pensão.
Flores significa a continuidade de tudo isso...

Anônimo disse...

Para quem não conhece o LULA. Quando ele é contrariado ou confrontado, cuidado com suas reações. Eles vem em toda sua amplitude para fazer estragos ou para demosntrar todo o seu descontentamento quando o fato ocorrido não depende somente dele.

LULA sempre bajulou os ditadores como Fidel Castro, os diatdores sanginários de paises africanos, seu dileto amigo Hugo Chavez, o presidente do Irã e vai por ai afora.

Com o presidente do Irã levou uma refrega, pois, ditadores não aceitam serem contrariados, nem questionados ou qualquer tipo de ingerência.
O LULA foi tirar uma de bacana, achando que tinha ascendência sobre o presidente do Irã, porque serviu de menino de recado quanto a política nuclear do Irã. Intercedeu pela mulher condenada no país. Como todo bom ditador não aceita ingerência e o LULA sofreu mais uma derrota no campo diplamático.

A reação do LULA foi instantanêa como todos já conhecem. Votou pelas sanções ao Irã de acordo com o Conselho de Segurança da Onu.

Para não dar a mão a palmatória vem com a conversa de que votou contrariado, somente para seguir uma tradição da diplomacia brasileira em aprovar todas as resoluções do Conselho da Onu.

Continua mentindo como sempre. Votou a favor das sanções em represália a atitude do Irã em não lhe dar atenção alguma no caso da mulher condenada.

Então devemos tomar cuidado com esse projeto de ditador. Suas reações são por demais causticantes.

Vamos procurar a justiça para que nossos direitos sejam atendidos de acordo com os normativos. São bilhões que ele quer abocanhar. Sem a justiça ficaremos a mercê desse protótipo de Fidel Castro.

Anônimo disse...

Roberto Varella pode até ter razão ao provar que Sauípe foi interferência do ACM (avô), mais conhecido como Toninho Malvadeza. Mas, porém, entretanto, contudo, todavia o mico de Sauípe é minúsculo ante os graves entraves que hoje nos afetam. E os atores destes entraves todos conhecemos. Estão aí, na mídia, envolvidos em escândalos. Se o ACM Neto tomar "providências" contra eles, que o faça! Porventura não queremos nós entrar na justiça contra aqueles que não querem distribuir o superávit?
Sérgio Rosa, que já foi elogiado publicamente pelo presidente Lula, deve explicações a todos nós da Previ. Mas justificar uma ação política com ataques aos adversários não é justificar. Aliás, como se pode justificar aquilo que é injustificável?