sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Planejamento Estratégico da Previ-2010/2013

Caros Colegas.

A FAABB encaminhou as sugestões das Associações que atenderam ao chamamento da PREVI.

Abaixo está a “Capa-Carta da FAABB”, seguida da sua sugestão, resumo qualitativo dos trabalhos das Associações que confiaram na sua capacidade de representá-las.

Por último, os anexos indicados por links, correspondendo às participações individuais ordenados alfabeticamente por nome de Associação.


-------------------------------------------


Federação das Associações de Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil
FAABB

Belo Horizonte, 6 de agosto de 2010.

À
Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil – PREVI

Equipe de Planejamento Estratégico

Prezados Senhores,

Conforme antecipamos em e-mail de 6 de agosto, estamos anexando à presente, os e-mails das Associações de Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil que manifestaram desejo de atender ao convide da FAABB para atender ao que foi solicitado pela Equipe de Planejamento Estratégico da PREVI.

Manifestamos nossa satisfação pela oportunidade de enviar comentários, sugestões e propostas a título de colaboração.

Os Formulários de E-mail seguem capeados pela carta dessa Federação que tentou condensar todas as propostas recebidas de nossas Associações de Aposentados.

Atenciosamente

Isa Musa de Noronha
Presidente


-------------------------------------------


Federação das Associações de Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil
FAABB

Belo Horizonte, 5 de agosto de 2010.

À
Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil – PREVI

Equipe de Planejamento Estratégico



Prezados Senhores,

Esta Federação recebeu vossa correspondência pedindo sugestões para a formulação do Planejamento Estratégico Previ 2010/2013. Ouvimos nossas filiadas e estamos condensando as respostas que recebemos que, esperamos, possam ser aproveitadas.

Inicialmente é nosso dever ressaltar nossa satisfação pela PREVI nos ter concedido tal abertura, inédita nas relações entre participantes, assistidos e nosso Fundo de Pensão. Fazemos votos que tal iniciativa seja a primeira de muitas outras oportunidades para que aposentados e pensionistas possam ter um canal de comunicação com a PREVI.

A principal credencial (força) da PREVI se situa no componente positivo do psicossocial, isto é, na confiança dos associados na isenção e na capacidade dos administradores de harmonizar e conciliar os interesses do patrocinador e dos associados. Confiança essa que transmite a segurança de permanência da estabilidade jurídica como garantia do cumprimento dos direitos e deveres do corpo social, e da harmonia entre patrocinador, dirigentes e participantes.

Em sentido contrário, a principal deficiência ostentada atualmente pela PREVI está na crise de confiança, na insatisfação crescente entre os vários segmentos do corpo social, e na insegurança jurídica, frutos indesejados de um diálogo precário com a direção do fundo; de modificações estatutárias que alteraram o modelo conceitual do Plano de Benefício 01 ao arrepio da legislação específica; de tentativas de descumprimento das normas estatutárias; e de decisões que, em vez da revisão do Plano, beneficiaram uns e discriminaram outros.

A constatação inequívoca desse esgarçamento do tecido social da instituição está no crescente contencioso, um dos maiores da história da previdência complementar movido contra um fundo de pensão por descumprimento de normas estatutárias.

FORÇAS

Outras forças da PREVI decorrem de seu poder de manipular o valor de seus ativos financeiros, elevando-os excessivamente. Uma das fórmulas para alcançar esse objetivo é reavaliar as aplicações em renda variável pelo valor econômico, possibilidade inexistente até o ano 2000. Isso permitiu à PREVI apresentar, naquela época, apreciável superávit, o que atendeu sob medida o seu patrocinador, então desenquadrado ante as normas da Convenção de Basileia e que assim pôde capitalizar-se com apreciável parte daquele recurso “sem que os acionistas precisassem por a mão no bolso”, conforme declaração de um diretor do Banco à época.

Pode ser considerada também como força da PREVI a absurda valorização das ações, que nos últimos quinze anos tiveram seu valor manipulado e exageradamente aumentado, sem qualquer correspondência com o valor da produção de bens e serviços. Note-se que há ativos supervalorizados pela alta da Bovespa e pelo preço das commodities. Seria oportuno planejar ações que visem o enquadramento das aplicações, dentro das normas de mercado, de modo a não provocar desvalorização dos ativos.

Não obstante, todos são concordes em observar o excelente grau de profissionalismo de seus dirigentes, o conceito positivo que desfruta no âmbito econômico - financeiro e na sociedade e a associação a marca Banco do Brasil. Ademais, pode-se dizer que hoje é patente a crescente organização dos aposentados e pensionistas, através das suas Associações espalhadas por todo o Brasil, pois essas podem ser o espelho da PREVI.

e mais:

- A adequada prática de governança corporativa, em consonância com os mais modernos princípios adotados internacionalmente pelos fundos de pensão, inclusive dos países mais desenvolvidos.

- A grande solidez de seu patrimônio, de cerca de 142 bilhões de reais, com aplicação bem diversificada e participando, praticamente, de todas as atividades econômicas e financeiras do país, como o próprio Banco do Brasil, Bradesco, Embraer, Cia. Vale do Rio Doce, Itaú-Unibanco-Holding S/A, Petrobrás, etc.

- A grande capacidade de influenciar agentes púbicos visando implementar políticas de seu interesse ou de interesse do Patrocinador: exemplos: aumento do teto de aplicação em renda variável e uso da reserva especial.

- O expressivo número de participantes – cerca de 178 mil (posição: dezembro de 2009), entre pessoal da ativa do Banco do Brasil, aposentados e pensionistas –, sendo considerado o maior fundo de pensão da América Latina e um dos maiores do mundo.

DEFICIÊNCIAS

Consideramos que a PREVI tem pontos frágeis e eis o que as Associações apontam:

- Sucessivas administrações da PREVI demonstraram gigantesco desprezo por aposentados e pensionistas do Plano 1. Esse desprezo é constatado pela falta de comunicação eficiente e rápida das decisões que mais interessa ao segmento. Um estranho “código de ética” tem sido a justificativa que diretores e conselheiros usam para não informar aos aposentados as tratativas, as discussões presentes nas reuniões tanto de diretoria quanto a conselhos. Entendemos que estratégias de investimento e desinvestimentos devem ser resguardadas, não podem vazar. No entanto, discussão sobre pleitos como aumento do teto do Empréstimo Simples, alterações pretendidas para a CAPEC, distribuição da Reserva Especial, por exemplo, poderiam ser levadas a público. No entanto, a PREVI se reúne a portas fechadas, decide, doa a quem doer e então divulga como fato consumado. Que impedimento ético existe para não divulgar no site, boletins, etc, que o Conselheiro tal apresentou tal proposta – que a Previ está estudando rever o teto e os prazos do Empréstimo, que a PREVI, que a PREVI solicitou a sua área técnica estudos para a distribuição da Reserva, etc? Nada. Apenas a falta de transparência.

- Demandas judiciais: excesso de recursos para casos que perdeu na justiça, não implantação para todos dos direitos que alguns colegas ganharam na justiça, demora em tomar providencias sobre o superávit. É incompreensível a alimentação indefinida de demandas judiciais conhecendo jurisprudência que beneficia os participantes. A PREVI opta por pagar honorários e custas judiciais com o intuito de negar direitos, aportando recursos deixando-os em “compasso de espera” na esfera judicial destinados às futuras indenizações.

- Falta de autonomia para gerir seus negócios em face de sua submissão ao Banco/Governo.

- Conflito de interesses entre participantes/assistidos e os governantes.

- Excessiva exposição à opinião pública em função de ser o maior fundo de pensão do País.

- A interveniência político-sindical que, de quando em vez, alça a PREVI às manchetes negativas envolvendo seus dirigentes, como no caso recente - objeto de matéria da Folha de S. Paulo - referente ao "dossiê Mantega".

- As pressões para investir e projetos com custos e riscos sem delineamento definitivo, a exemplo de Belo Monte e Trem Bala. A PREVI insiste na manutenção de investimentos que não trazem retorno ou causam prejuízo como Sauipe S/A e outras reconhecidas aquisições tidas como autênticos “micos” históricos.

- Ausência de comunicação clara e tempestiva com os associados.

- Informações de pouco ou nenhum interesse dos associados divulgadas no Site PREVI.

- Subserviência total ao patrocinador como se ele fosse o dono, constatação que irrita sobremaneira a totalidade dos participantes.

- Descumprimento dos estatutos e leis vigentes numa clara comprovação da deficiência anotada imediatamente anterior a esta.

- Atendimento precário aos participantes, faltando objetividade nas respostas sempre iguais como se fora um carimbo, numa demonstração inequívoca de que as mensagens não chegam aos destinatários.

- Ausência de uma ouvidoria para atender as reclamações dos participantes.

- Decisões sobre investimentos tomadas por meia dúzia de burocratas sempre a favor dos governos de plantão, sem levar em conta os altos riscos envolvidos nessas transações. (Alguns desses burocratas até fazem parte do corpo de assistidos, mas atendem às determinações a favor dos governantes em aplicações de retorno duvidoso pelos riscos envolvidos).

- Investimentos concentrados em reduzido número de empresas.

- • Elevado grau de alavancagem na sua carteira de investimentos em renda variável (mercado de ações), equivalente, no fim de 2009, a 63,9% (ver Relatório Anual de 2009) – apesar da Resolução nº 3.792, do Conselho Monetário Nacional (CMN) permitir, atualmente, a alocação de até 70% dos recursos garantidores do plano em renda variável. Isso foi responsável, na última crise financeira global, pelo extraordinário decréscimo do patrimônio da PREVI de cerca de 15 bilhões de reais!

- Falta de uma política de melhoria de benefícios que contemplem todos os participantes e assistidos.

- A PREVI é contumaz em dar prioridade para pequenos grupos de participantes que já ganham muito, em prejuízo da maioria (Renda Certa).

- Manutenção de artifícios que visam reduzir benefícios com a finalidade de gerar superávits que serão consumidos pelo patrocinador (Parcela Previ, comprovadamente nociva aos interesses dos assistidos).

DESAFIOS

- Que os recursos do PB 1 sejam administrados por pessoal que faz parte deste Plano, porque o que temos ai é pessoal fora do PB 1 administrando esses recursos. Essa pretensão pode requerer até mesmo mudança do estatuto, o que é difícil, mas deve ser propugnado.

- Tratar prioritariamente do atendimento da distribuição do superávit aos seus associados, na forma da lei, antes de se preocupar em aplicar seus recursos em aventuras econômicas determinadas pelo Governo Federal, subordinando-se a interesses político-partidários que nos avassalam.

- Volta do IGP-DI para reajuste dos benefícios.

- Antecipar o reajuste para janeiro, junto com INSS.

- Distribuição da Reserva Especial ou simplesmente, distribuição do superávit como comumente se diz. O maior desafio da PREVI é claramente a revisão dos benefícios do Plano 1, o que deve ser feito com urgência, já que a maioria dos beneficiários é idosa e não pode mais esperar.

- Retomar as negociações entre o Banco do Brasil - PREVI e as entidades representativas dos aposentados e pensionistas, a fim de concluir o processo de revisão do Plano de Benefícios, via distribuição do superávit PREVI, viabilizando, inclusive, a exemplo do que fez o Banco do Brasil:

• A contabilização, no balanço da PREVI, de direitos creditórios a favor dos participantes, ainda que sacados por estes de maneira escalonada;

• Ou, alternativamente, a criação de um fundo, que receberia esses recursos, até mesmo oriundos da alienação de ações de propriedade da PREVI, a serem oportunamente negociadas através de parcelamento previamente acertado;

• Ou, ainda, estudar uma forma de compensar esses direitos creditórios com o saldo dos empréstimos simples devidos pelos participantes, a fim de não desfalcar o caixa da PREVI.

• Especificamente, dentro da negociação da distribuição do superávit PREVI, concluir, também, os estudos para aumentar de 60% para 80% o pagamento das pensões, visando a por em prática, o mais breve possível, essa resolução;

Aqui reunimos as mais variadas sugestões para que a PREVI avalie qual seria a maneira ideal:

a) devolução das contribuições após a 360;

b) aumento do teto para 100% das verbas;

c) implantação para todos das verbas da cesta alimentação;

d) revisão dos cálculos de aposentadoria para aqueles que foram contratados pelo estatuto de 1967, e foram prejudicados pelo estatuto de 1997;

e) Aumentar diferencialmente os benefícios dos que recebem menos que a média dos benefícios recebidos de idêntica carreira, tempo de serviço e cargo comissionado. Atualmente a variação chega a ser superior a 100%;

f) Melhoria dos benefícios de todos os participantes e assistidos, de forma equânime, mediante a distribuição dos sucessivos superávits acumulados, ressalvado que o BB não é beneficiário a não ser em relação à suspensão das contribuições.

g) efetivar a distribuição do superávit do Plano, de modo a contemplar todos os participantes de forma isonômica e igualitária, evitando a repetição de injustiças registradas nesse sentido. De se destacar a observância dos prazos prescricionais evidentes. Para tanto sugerimos pulverizar o montante passível de uso distribuindo-o como a seguir:

Aumento Linear: Aplicação de um percentual de 23,45% retroativos a janeiro/2010 como aumento real. A partir de junho/2010 esses valores sofrerão reajuste de 5,31% relativo ao INPC acumulado do ano anterior. A soma desses dois índices equivale a um aumento de 30% (trinta por cento) nos benefícios e pensões.

Dados:

Aposentadorias e pensões pagas em 2009:

5.884.175 mil x 30% = 1.765.252 mil (aumento mais reajuste).

5.884.175 mil + 1.765.252 mil = 7.649.427 mil (Desembolso atualizado)*

- * Esse desembolso é apenas uma projeção. Seu valor real será bem menor devido a dois fatores: 1) O número de participantes não é o mesmo verificado em dezembro de 2009; 2) Esse percentual de 30% será feito de forma escalonada: 23,45% de Janeiro a Maio/2010 e 30% a partir de Junho/2010.

h) Concessão de Cesta Alimentação para todos:

Número de participantes e assistidos em 2009: 86.473

Valor da Cesta Alimentação: R$ 289,36

Desembolso anual: R$ 300.261 mil*

-* O valor é bem menor tendo em vista a redução do número de participantes.

i) Concessão Renda Certa: Corrigir as injustiças da primeira aplicação do benefício renda certa e pagar para quem adquiriu o direito. Há impossibilidade de se fazer cálculos em virtude da falta de dados, como a quantidade do número de participantes com direito e valores de contribuição de cada um.

j) Aumento no limite inicial das pensões: De acordo com o GT ANABB de 2008, os valores necessários para a correção dessas pensões seriam da ordem de R$ 5,92 bilhões. De lá para cá o número de pensionistas também apresenta uma redução anual, logo os valores necessários serão bem menores. Sugerimos conceder, sob forma de abono permanente, complemento dos benefícios de pensionistas, recalculando os atuais de forma que integralize o valor do que seria a aposentadoria do beneficiário, se em vida. A forma de abono leva em conta evitar a resistência da Previ antevendo ações judiciais reclamando a retroatividade.

DISPÊNDIOS IMEDIATOS:

Aumento de 30% = R$ 1.765.252 mil

Cesta alimentação = R$ 300.262 mil

Aumento piso pensões = R$ 5,92 bi

TOTAL = R$ 7,98 bi

Os valores apresentados acima são inferiores à metade do superávit apurado em 2009, portanto perfeitamente viáveis de serem implantados com uma sobra da ordem de mais de R$ 4 bilhões, que poderão ser gastos com as adequações do “Renda certa” e “Cesta Alimentação” atrasados. PREVI poderia até fazer um acordo com os participantes para pagamento desses valores atrasados (renda certa e cesta alimentação) em prestações mensais.

k) impedir que o Banco do Brasil se aproprie de qualquer percentual da reserva especial do PB-1.

m) cumprir as determinações do art. 20, da LC 109, no que se refere à revisão obrigatória do PB-1, atentando para que essa revisão seja feita de moldes contemplar a todos os participantes, assistidos e pensionistas de forma proporcional às suas contribuições.

n) incluir na revisão citada no item anterior o reajuste dos benefícios de quem já estava aposentado em 1995 e 1996.

OUTRAS MEDIDAS

1) empréstimo imobiliario:

- revisão dos juros, trazendo-os para o momento;

- fazer estudos para refinanciar os existentes para 30 anos, para aqueles que interessarem.

2) empréstimo simples:

- alterar valor e prazo, levando em conta o risco de morte em razão da idade do participante.

- aumento do teto do Empréstimo Simples: Percentual aplicado bem inferior ao teto permitido em lei. Em 2009 o percentual aplicado era de 2,6% quando se podia chegar a até 15% do valor do patrimônio. O aumento de teto e prazo não implica em desembolso imediato, pois nem todos os participantes e assistidos terão margem consignável para tomarem esses valores.

3) parcela PREVI;

- Colocar em pauta a discussão da parcela PREVI, que contribuiu para reduzir substancialmente os benefícios dos aposentados atingidos pelo referido redutor, incluindo, também, o pagamento de eventuais atrasados no processo de revisão do Plano de Benefícios.

AÇÕES NECESSÁRIAS

- apresentar formas definitivas para o cumprimento da Lei 109, que determina a distribuição de superávits aos associados. Para tanto, levantar e divulgar os custos das ações de utilização do superávit no site da
PREVI de modo geral e que cada participante tenha acesso aos cálculos pessoais;

b) reunir com as entidades representativas dos funcionários aposentados e apresentar os números para decisão sobre a ordem de prioridade;

c) implantar as decisões tomadas até o final deste ano de 2.010.

d) Desenvolver programas de comunicação com os associados e entidades que os congregam emprestando transparência absoluta as tratativas com Banco e Governo;

e) estabelecer limites e critérios de adesão mas conservadores para adesão a investimentos em projetos como os acima enunciados.

f) Que a administração da Previ se articule com o Congresso Nacional, com a FAABB, com as Associações de aposentados, com Anabb, Sindicatos, etc. no sentido de impedir que o Banco do Brasil se aproprie de dinheiro originário da reserva especial do PB-1. No campo político seria apoiando o Projeto de Decreto Legislativo PDC 2348/2009, do deputado Gustavo Fruet. No campo judicial seria dando apoio logístico às diversas ações que transmitam na justiça.

g) Criar o Fórum Permanente de Negociação sobre o uso da Reserva Especial do PB-1, no qual os aposentados estejam representados na exata proporção de seu peso numérico dentro do PB-1. Para tanto, é fundamental que a administração da Previ tome a iniciativa de encampar a reivindicação dos aposentados no sentido de atender ao seu incontestável direito de se fazer representar oficialmente em todos os eventos e negociações em mesa ou fora dela, que envolva diretamente ou indiretamente os seus interesse.

g) Após a seleção e ordenação dessas sugestões, a PREVI deveria enviar um documento-resumo para o Banco do Brasil e as diversas entidades representativas do funcionalismo do BB.

h) De posse desse documento, essas instituições se manifestariam a respeito dos temas elencados.

i) Finalmente, depois da aprovação das propostas que comporiam o planejamento estratégico da PREVI, esta encaminharia, para conhecimento dessas entidades, uma sinopse desses assuntos. Assim, se estabeleceria um clima de proveitosa parceria, de completa transparência e envolvimento institucional, capaz de produzir, doravante, mudanças qualitativas na maneira de encaminhar a solução de tão relevantes questões.

CONCLUSÃO

As Associações de Aposentados e Pensionistas se debruçaram avidamente sobre as questões apresentadas pela equipe PREVI de Planejamento Estratégico e procuraram refletir todas as queixas, dúvidas e esperanças de seus associados. Manifestamos, mais uma vez, nosso contentamento pela oportunidade que nos foi concedida.

A FAABB pretende enviar, pelo Correio, todos os e-mails recebidos das Associações e que constituíram a base para a formulação da presente carta.

Aguardamos com ansiedade as ponderações e os esclarecimentos da PREVI a cada uma de nossas colocações. De igual sorte, contamos que nossas propostas sejam atendidas e para isso confiamos que nosso Fundo de Pensão encontrará a forma técnica, ética, digna e justa de contemplar nossas pretensões.

Atenciosamente,

Isa Musa de Noronha
Presidente


(Relação das Associações, com respectivos links para visualização das propostas, colocando a AAPPREVI à frente – ordem alfabética. Arquivos em formato PDF)

AAPPREVI - Ver proposta
AFABB-BA - Ver proposta
AFABB-DF - Ver proposta
AFABB-FRANCA - Ver proposta
AFABB-JOINVILE - Ver proposta
AFABB-PA - Ver proposta
AFABB-PR - Ver proposta
AFABB-RN - Ver proposta
AFABB-SC - Ver proposta
AFABB-SE - Ver proposta
AFABB-TUPÃ - Ver proposta
AFABB-UBERABA - Ver proposta

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 06/08/2010.

72 comentários:

Anônimo disse...

Caros colegas,

Desabafar faz bem. Colegas que se sentiram ofendidos pela Sandra foi porque a carapuça serviu direitinho. Eu entendo perfeitamente a colega Sandra. Em sã consciência o que este governo dos "Trabalhadores" fez por nós do Plano do Benefícios 1? Somente nos prejudicou. Vocês acham que Sérgio Rosa, José Pimentel, e demais superiores (todos PT) estiveram (estão) do nosso lado? Claro que não. A Sandra só exagerou na forma pouco educada no trato com os nossos queridos colegas. A verdade doi, machuca, mas é a verdade.

Anônimo disse...

Gostaria de saber quantos aposentados e pensionistas fazem parte das associações ligadas à FAABB. Espetacular trabalho!!!

Anônimo disse...

È Previ, como PAI, além do bom exemplo que procuro dar para minhas filhas, se seus dirigentes respeitassem a lei eu poderia dar melhores colégios, melhores dentistas, melhores roupas, melhor moradia, lazer, etc, etc, etc.
Eu tenho uma raiva dessas pessoas e entidades que nas datas festivas procuram posar de boazinhas. CUMPRA A LEI, é o que nós pais esperamos de você Previ. Dê o exemplo que nós temos dado aos nossos filhos, que certamente, não serão necessárias falsas mensagens tentando encobrir todo descaso com seus verdadeiros donos. Não são palavras jogadas ao vento que trarão felicidade a nossas famílias. Chega disso!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

6/8/10 - SÃO DOIS OS SUPRIDORES DE RECURSOS PARA O BB. UM É O TESOURO NACIONAL, O OUTRO SUPRIDOR É O TESOURO PREVI

Jornalista, senhor Ribamar Oliveira



É muito importante e elucidativo o conteúdo estatístico e analítico lavrado em sua coluna no jornal Valor Econômico de hoje, 5 de agosto.



No parágrafo em que o senhor diz: “O elevado aporte de capital do Tesouro nas instituições financeiras federais parece ter refletido a importância dada pelo governo Lula à atuação dos bancos públicos, e que foi fortalecido durante a crise financeira de 2008/2009. Nos últimos três anos, o Tesouro destinou R$6,6 bilhões para aumento de capital do Banco do Brasil, segundo o BGU. No caso da CEF, os aportes do Tesouro para aumento de capital atingiram R$2,7 bilhões também nos últimos três anos.”, mesmo sendo a intenção do jornalista tratar de aportes do Tesouro, permita-me aqui acrescentar os mais de R$8 bilhões que o Banco do Brasil contabilizou a seu favor no fechamento dos seus balanços de 2008 e 2009, por conta de futuras receitas de realização ainda incerta da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (PREVI), sob uma discutível justificativa de direitos decorrentes de obscuros “ajustes atuariais”.



Este valor apropriado pelo Banco do Brasil contra a PREVI, é pouco menor do que a soma dos aportes que o Tesouro fez para o BB e a CEF. A informação que se tem, é de que a PREVI não adotou algum procedimento contábil neste sentido.



Respeitosas saudações

Roberto Abdian

Tupã (SP)

Fonte: Site AFABB-Tupã (SP)

Anônimo disse...

ATENÇÃO COLEGAS!!!!!! FATO CURIOSO!!

No site da ANABB tem uma foto do Ministro Paulo Bernardo e Valmir Camilo, que se reuniram para tratar do superávit PREVI.
Para nossa infelicidade nessa foto deveria constar mais duas pessoas para que pudéssemos enquadrá-los no art. 288 do código penal.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Atendendo ao anônimo das 13:07, eis a resposta da Presidente da Federação:

Prezado Marcos

Em 3 de dezembro de 2009, a soma dos associados às entidades de Aposentados e Pensionistas era de 58.529. IMPORTANTE - neste número não estão os filiados à ANABB, eis que a ANABB não é caracterizada como Assoc de Aposentados (embora os tenha em seus quadros) e não é filiada à FAABB.


Isa Musa (Achei esses dados em um e-mail meu da época)

Obs. do mediador do Blog.
Aqui está a explicação do meu empenho em colaborar para a união das Associações que verdadeiramente se preocupem com os aposentados e pensionistas do nosso âmbito. Imaginem como tudo seria mais fácil se todos se juntassem à sombra da FAABB com um objetivo comum.
Afinal,temos que fortalecê-la para que possa cumprir com o seu dever.

Anônimo disse...

Me engana que eu gosto !!!

Paulo Bernardo foi dos colaboradores direto do lula que lutou até o último minuto contra o magro aumento do INSS.

Imagina se ele irá concordar em não levar a sua parte do bolo.

Colegas não restam dúvidas o "VALMIR CAMILO" ainda manda na ANABB infelismente.

Onde estava o presidente da anabb pessoal ?????.

Anônimo disse...

Esse ministro do planejamento é o homem da maracutaia,é ele quem executa as obras faraonicas e quer meter a previ nisso.

Este senhor Valmir não tem minha autorizãção para falar em superavit em meu nome.

Vamos mais uma vez ficar refem da bandidagem.

É caso de polícia mesmo pessoal

Anônimo disse...

A DONA DO OUTRO BLOG

JÁ DESTACOU A SUA TOCA EM PRIMEIRA PÁGINA.

SOBRE O ES NEM UMA PALAVRA, TOQUE DE RECOLHER.

Anônimo disse...

Parabéns a Sra Isa Musa, pelo excelente trabalho de conclusão do Planejamento para a Previ, tratou do assunto com responsabilidade e seriedade, esse planejamento aborda nossas principais preocupações e reivindicações, espero que a Previ libere de imediato o novo empréstimo simples para alívio da maioria dos aposentados e pensionistas e faça a implantação das sugestões para sanar injustiças sofridas pelos aposentados ao longo do tempo.
O estudo cuidadoso da AAPPREVI na elaboração do Planejamento foi brilhante, embasando todos os itens em números reais e viavéis de execução, foi uma importante colaboração para a FAABB concluir o trabalho.
Acuso aqui minha decepção com a maioria das AFABBs que apresentaram um trabalho tão simplista para um assunto da maior importancia para nós aposentados do PB1.

Anônimo disse...

PELO AMOR DE DEUS, quem autorizou essa criatura do Valmir Camilo e
Anabb, falarem em superávit da Previ!kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Parabéns pelo belíssima explicação, detalhada e sem deixar dúvida de que é possível nos dar um pouco mais de dignidade.
Por outro lado, caso não aconteça negociação imediata, sugiro simplesmente LEVAR TODOS OS DIRIGENTES À JUSTIÇA PARA EXPLICAREM O PORQUÊ DE NÂO SE ADOTAR O ESTATUTO. Simples, vamos colocá-los no BANCO DOS RÉUS.

Anônimo disse...

PREZADOS COMPANHEIROS


ADIANTA TANTO TRABALHO, TÃO BEM DETALHADO SE NÃO VAI DAR EM NADA.

Anônimo disse...

Quem sabe informar porque a AAFBB(RJ) não participou do trabalho coordenado pela FAABB?

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Observando o trabalho desenvolvido por todas as filiadas conclui-se que foi a nossa Aapprevi a associação que realmente se entregou de corpo e alma na feitura desse planejamento para o triênio 2010/2013. Endosso totalmente o que disse um colega mais acima sobre a “decepção com a maioria das AFABBs que apresentaram um trabalho tão simplista para um assunto da maior importância para nós aposentados do PB1”. O produto final que foi entregue à Previ contempla uma parcela bastante significativa daquilo que foi muito bem sugerido por todos Vocês da diretoria. Com o passar dos anos vivenciamos diversas experiências nas nossas vidas profissionais. Dentre delas podemos destacar aquela através da qual uma empresa, um governo, enfim, quem quer que seja, deseja cozinhar em “banho maria” a solução para uma determinada situação. O primeiro passo é a criação de uma comissão ou um grupo de trabalho para “analisar” o problema. Estabelece-se um prazo inicial de “n” dias, que posteriormente é aumentado para “n+1”, e por aí vai até a coisa cair no esquecimento. Neste caso específico o nome “pomposo” escolhido foi Equipe de Planejamento Estratégico. Não estou querendo, em hipótese alguma, disseminar o pessimismo. Só estou tentando ser o mais realista possível. Será que tem alguém aqui no blog que nunca vivenciou uma situação como essa? As minhas convicções iniciais foram reforçadas após a leitura do trabalho elaborado pela Afabb-Tupã (SP). Transcrevo a seguir o que mais chamou a minha atenção: “Certamente os colegas Ruy, Dantas e outros destacados colegas já tenham dado sua valiosa e completa colaboração, embora essas perguntas mais pareçam “conversa pra boi dormir”, ou melhor, para aposentado dormir”. Postei este comentário, como sempre faço, seguindo fielmente o que diz o meu coração. Mas se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, espero que eu esteja totalmente enganado com essas minhas convicções.

Anônimo disse...

Tem que ser muito cínico esse tal de Paulo Bernardo pra falar essas coisas. É feito do mesmo material que o Pimentel foi fabricado. Tenta superestimar a nossa idiotice se dirigindo aos funcionários do BB. Lutou até as suas últimas forças pra não dar o aumento de 7.72 para os aposentados. Agora, para tentar arranjar votos pra BRUXA no nosso meio vem com essa conversa fiada. O outro que posou com ele na fotografia eu me recuso até citar o nome. Os dois só chegaram onde estão escorados pelo engano e mentira. Ocorre que ninguém consegue enganar todo mundo o tempo todo. Chega uma hora que a máscara cai...

wilson luiz disse...

Ainda sobre a matéria do encontro de Valmir Camilo e Paulo Bernardo, ela dá acesso a link onde são listadas as propostas da ANABB à PREVI para utilização do superávit.São as mesmas, demagógicas e inviáveis financeiramente, que ajudaram a emperrar as negociações de 2008. Não podemos deixar que, como naquele ano, a condução de eventuais negociações sejam lideradas pela ANABB, entidade maligna II(a entidade maligna número 1 é a BB/PREVI). Se forem colocadas na mesa estas propostas, cujos custos podem alcançar R$ 50 BILHÕES, fatalmente as negociações se arrastarão meses e meses, o que acredito ser do interesse do Banco e da PREVI.
As associações sérias devem trabalhar pela apresentação de propostas as mais simples possível, como as elencadas neste magnífico trabalho.

Anônimo disse...

Sabem qual será o destino desse estupendo trabalho elaborado por Dona Isa? Ora... O lixo!!! Uma pequena cesta de lixo sob uma mesa qualquer da previ. Aquela gente, meus amigos, não tem moral. Não tem senso de culpa, não tem nada de digno... Como vocês perdem tempo e essa Dona Isa então??? Uma tola sonhadora, nunca chegará a ser uma Cecília Garcez, a própria “senhora do destino” que reinou na PREVI e era cúmplice dos desmandos que ali frutificam...

Anônimo disse...

Colegas,
Alem das propostas sugeridas para utilização da Reserva Especial, um dos pontos mais importantes no expediente é o pedido de mais transparencia dos Conselhos, no trato de assuntos de interesse dos participantes e Previ. Reunem-se a quatro paredes, debatem, votam , executam e os participantes só ficam sabendo, às vezes, meses depois.
Outro ponto é a exposição exagerada dos ativos do Plano 1, em renda variavel, audácia que compromete, perigosamente, sua liquidez.
A Resolução 3.792 do Conselho Monetário Nacional, de 24.09.2009, ao contrário do que se pensa, não obriga a chegar ao indice de 70%, mas sim ATE 70% DOS RECURSOS GARANTIDORES. É o que diz o artigo 36:
Art. 36. Os investimentos classificados no segmento de renda variável devem observar, em relação aos recursos de cada plano, o limite de até setenta por cento, observados adicionalmente os seguintes limites:

Tanto é que os segmentos restantes constantes dos artigos 37 a 40 totalizam até 53%, ou seja, as aplicações da Previ, em renda variável, podem situar-se na faixa de 47% que estarão de acordo com a instrução, basta ajustar as renda fixas, mais seguras.
O único problema, é que, a Previ jamais atingirá os 15% admitidos(artigo 40) para empréstimos a participantes, com esses prazos e valores.
Nesse caso vai para Trem Bala, Copa 2014, Olimpiada, Belo Monte, e mais uma, sem sabermos se é verdade "o governo brasileiro se empenhará em investir milhões de dólares para recuperar o falido porto de Mariel(CUBA), sem que se saiba ao certo que tipo de retorno receberá o nosso país da envilecida ilha caribenha.(fonte: brasilacimadetudo).

Anônimo disse...

Caro colega Marcos, não entendi muito bem esta afirmação feita pela AFABB-SC "Valor médio elevado dos benefícios pagos pela Previ, facilitador para negociações diversas com terceiros".
Seria possível que alguém mais entendido esclarecesse neste blog, o que isto significa.Não estaria esta afirmação indo contra as aspirações da nossa maioria?

Anônimo disse...

Caro 9:40,

Talvez a entidade se remeta ao valor médio pago em benefícios.
O que para residentes no interior, do interior,sem demérito, pois muitos de nós desfrutamos esta qualidade de vida, muito melhor, e se gasta menos.
A força está em ser aposentado ex-funcionário do bb, que antigamente era considerado "autoridade", nos pequenos municípios.
Hoje penso que esta consideração corresponde a alguns aposentados,tão somente.
Mas,com o alto custo de vida dos dias atuais este salário médio, está prejudicado e dá escassamente para uma alimentação regular, o resto se gasta com REMÉDIOS.
Muitos dos remédios são para depressão, ocasionada pela TORTURA protagonizada pelo bb/seus diretores e dirigentes inescrupulosos da subsidiária.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
No site da “Poderosa” há uma informação dando conta de que o Sr. Ministro do Planejamento Paulo Bernardo participou de reunião na última quinta-feira, 05.08.2010, com o atual presidente do conselho deliberativo daquela associação que diz congregar mais de cem mil associados. Esta mesma associação liderou o maior fiasco da história recente envolvendo os aposentados, as pensionistas e os colegas da ativa do “PB-1”. Estou me referindo a prolongada negociação capitaneada por esse cidadão acerca da possível utilização da reserva especial para revisão do plano de benefícios em 2008. O infeliz final do “filme” todos já sabem qual foi. Agora, o mesmo “ator” que comandou aquele “show pirotécnico” tenta, após se desligar do cargo de presidente que ocupava na referida associação, voltar ao palco novamente posando ao lado do Sr. Ministro do Planejamento como o salvador da pátria. O homem que conseguirá tirar o gesso que envolve já há três anos consecutivos a reserva especial para revisão do plano de benefícios dos associados da Previ. Como diria o Baixinho, “Esse é o Cara”. Coincidência, ou não, no exato momento em que a federação que congrega diversas associações de funcionários entregou aos representantes da diretoria da Previ documento através do qual são listadas as prioridades para o planejamento estratégico do fundo no triênio 2010/2013. Parece, e é, uma tentativa desesperada de tentar se inserir num contexto de negociação do qual não foi e não deve ser convidado a participar. Aliás, vale registrar que concordo plenamente com o comentário de 07 de agosto de 2010, às 06:49hs, postado mais acima pelo colega Wilson Luiz. Por tudo isso é que entendo como atitude extremamente oportunista do presidente do conselho deliberativo da Anabb essa notícia de reunião com o Sr. Ministro Paulo Bernardo para discussão sobre a utilização do superávit da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ).

Anônimo disse...

acho que o caminho eh esse, de lutar, mas muito se propos para os aposentados. nos da ativa tambem participamos do PB1, assim ha que se haver uma maior distribuição do superavit a todos.

Anônimo disse...

Fora Walmir, sai daí Lucifer

Anônimo disse...

Colega das 12:03,

Não entendi sua colocação...VocÊ está querendo receber na ativa? A Previ existe para pagar aposentadorias e pensões. Sendo participante do PB1 todas vantagens o alcançarão quando aposentar.

Anônimo disse...

Colega das 9:40,obrigado pelo esclarecimento, começo a compreender que talvez possa ser isso: facilitador para negociações com...
Eles não sabem o que estamos passando.

Anônimo disse...

Colega das 12:03,

O estimado colega deve estar esquecido de que recebeu participação nos lucros, fruto do superavit Previ, ilegalmente.

Calma, você também será aposentado PB1, e então usufruirá das angustias de ser vilipendiado pelos dirigentes da anabb,bb,Previ.
Também será usurpado pelos governantes de plantão, tal qual esse sr. Bernardo e seu amigo da anabb, que agora aparecem "na foto", para a farsa de defensores da distribuição do superavit.
Onde estavam quando aprovaram o descalabro da res. 26.
Já suspeito, deitados nos louros da distribuição de cargos, cada vez mais corruptos, pela permanência perene no poder.
Meu caro você verá que com esses senhores, a não ser que VENHAM A DESAPARECER, a vida de aposentado "pedinte", de seu próprio dinheiro será, no mínimo, DURA.
Desculpa a veemência, o desabafo, são muitos anos sofrendo com essa gente.

mary disse...

Parabenizo a Faabb, (Iza), pelo exelente trabalho e comunicação entre a PREVI e as Associações e em especial a tds que representam a AAPREVI, pelo empenho que tiveram em redigirem essa carta para fazer jus as aspirações de todos nós (aposentados e pensionistas) creio que a maioria dos colegas de bom grado apoiaram cada ítem que redigiram, que Deus possa iluminar os passos desta bendita Carta endereçada a PREVI, e que brevemente possamos acessar a pagina de atendimento no site da Previ e sentir que já está havendo mudança, esse é um dos nossos sonhos, seria como se estivessemos recebendo novamente o carinho da nossa mãe, a sua atenção, há muita expectativa em torno de tudo isso, muitos de nós já choramos muito por falta de atenção, por sermos aposentados do maior fundo de pensão e ganharmos tão pouco que chegamos a ter vergonha de falar que somos aposentados da Previ. Ja passei por tantos dissabores nesses úlmos 4 anos, que se fosse relatar creio que muitos chorariam. porém espero em Deus que um dia a Previ(Presidente, Diretores e conselheiros), lembrem de honrar os cargos que ocupam e a finalidade que lhe são atribuidas, sabendo que a PREVI não existiria sem a participação de todos nós. Precisamos de ter a dignidade e o prazer de poder falar com orgulho que somos aposentados da PREVI. Obrigado a todos colegas que fazem parte do blog AAPREVI ou FAABB,abraços muita paz e muita fé.

Anônimo disse...

A manchete mais condizente com a realidade brasileira que eu já passei os olhos foi a seguinte: É SÓ NO BRASIL QUE ACONTECEM ESSAS COISAS, A MULHER MAIS BONITA É HOMEM(Roberta Close) E O MINISTRO DA JUSTIÇA É LADRÃO (um que se envolveu no roubo de pedras preciosas). Já se vão décadas desde que li isso num jornal considerado subversivo. Entretanto, as coisas que acontecem aqui continuam causando o mesmo espanto que causavam anteriormente. Se nós que éramos considerados os privilegiados, esclarecidos,formadores de opinião, ajudamos esse bando a tomar conta do país, como querer que o povão vote certo? Como exigir que não fiquem reféns da armadilha chamada bolsa-família? Como esperar melhorias se no nosso próprio jardim nascem ervas daninhas como pimentéis, bernardos, camilos, cecílias, rosas e flores? O que esperar dessa gente que se elege já pensando em trair seus eleitores? Como fugir das falsas promessas daqueles que conhecem de perto nossas necessidades e fraquezas? Sinceramente eu não sei... O que eu sei é que enquanto tiver fôlego continuarei lutando lado a lado com aquleles que anseiam por melhorias. Engrossarei as fileiras dos que têm seus direitos vilipendiados, mas não desanimam. Não é justo que nosso patrimônio seja usado a revelia pelo (des) governo que for, enquanto nossas famílias são obrigadas a cada dia apertar mais o cinto. Chega! Já estamos sufocados! BANDO DE LADRÕES!

Anônimo disse...

Respeitado sr. Marcos Cordeiro:

Inobstante terem sido plenamente alcançados os objetivos colimados no que tange à concretização efetiva e total do que se propunha, fico cá a pensar com meus botões quais seriam os motivos de tanta urgência, apenas alguns dias exíguos, para se elaborar sugestões no planejamento estratégico da Previ no triênio 2010/2013. Outra pergunta é se este planejamento é rotineiro, isto é, de 3 em 3 anos; também o motivo pelo qual não se aplica no início do ano civil. E finalmente, se a redação final será elaborada pela própria Previ e por qual diretoria.(Acredito ser a Diretoria de Planejamento cujo titular é cria da ex-diretora Cecília).
Um fraterno abraço e parabéns pelas suas boas ações no blog, com excelentes participações e sua quase instantânea publicação.

Anônimo disse...

Quanto a reajuste em percentual é preciso raciocinar:
1- Exemplo: 23,45% de reajuste
Complementação de 8.000,00 = R$ 1.876,00
Complementação de 2.500,00 =
R$ 586,25
Desculpem, mas a intenção é só deixar claro o que pode acontecer.
Talvez a saida seja uma distribuição igualitária.

Eliana Maria disse...

Parabéns, a AAPPREVI, parabenizo o Marcos Cordeiro em nome de todos os diretores desta benção de Deus que é para nós aposentados e pensionistas do PB1 da PREVI, a nossa AAPPREVI.Obrigada por este trabalho maravilhoso na elaboração do Planejamento Estratégico da PREVI, bem minucioso, bem detalhado, esclarecedor. Agradeço também à Isa pelo empenho em nos defender.
Que Deus abençoe e ilumine todos vocês.
Fraternal abraço,
Eliana Maria

Anônimo disse...

Prezado Marcos,

Ontem, dia 6-08-2010, houve reunião, na AABB de Balneário de Camboriú, promovida pela AFABB-SC, de representantes das AFABBs do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná com Diretores eleitos da PREVI e da CASSI, para tratar de assuntos de nossos interesses.
Perguntado sobre a possibilidade de o teto do Empréstimo Simples ser elevado para R$ 150 mil ou R$ 120 mil e o prazo de resgate para 150 ou 120 meses, respondeu o Sasseron que, realmente, o assunto estava em estudo,que tinha conhecimento de pleitos dos associados sobre esses valores e prazos, mas que a dificuldade em aumentar muito o teto residia no "endividamento do mutuário". Ninguém teve a presença de espírito para retrucar que o caso do endividamento não deveria preocupar a PREVI, pois, o ES é consignado e a PREVI nada perde, cabendo a cada um cuidar de suas finanças e saber o limite de seu endividamento.
Na verdade, a preocupação deve
partir do Banco, que empresta
adoidado para pagamento extra-folha.
Portanto, como o Banco é que decide, em última instância, (Conselho Deliberativo), pode-se esperar, no máximo R$ 100 mil para pagamento em 96 ou 100 meses. É o que penso.

Abaços
Carlos Valentim Filho - Joinville

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

FELIZ DIA DOS PAIS!

GILVAN REBOUÇAS disse...

AÇÃO RENDA CERTA TJRIO.

O processo 0185131-94.2010.8.19.001 encontra-se com baixa. Não se assustem. Ele será redistribuído Vejam explicações do advogado:

"From: dr.tadeu.adv
To: Presidência - AAPPREVI
Sent: Thursday, July 08, 2010 11:02 PM
Subject: Re: Ação Renda Certa


Prezado Sr. Marcos,

O despacho de mero expediente em questão refere-se a matéria interna que pode repercutir na esfera externa.

A distribuição de uma ação (ajuizamento) se dá

- por sorteio (para saber em qual vara irá o processo) ou
- por prevenção (quando vai diretamente para a vara onde já existe uma ação conexa, ou seja, com o mesmo objeto e a mesma causa de pedir).

Eu entendo que não há conexão entre a ação cesta alimentação e a ação renda certa e, no entanto, a ação renda certa foi distribuída por prevenção.

A única repercussão que poderá ocorrer para nós É DE SER DETERMINADA A REDISTRIBUIÇÃO DA AÇÃO POR SORTEIO (aí a ação poderá ir para a mesma vara ou ir para outra). MAS NÃO HAVERÁ PREJUÍZO PARA A AAPPREVI.

A litispendência pode modificar a competência.

Mas, aqui não interfere na competência material (justiça comum ou justiça do traba lho), pois não há outro processo distribuído pela AAPPREVI contra PREVI na justiça do trabalho.

Explicações técnicas sobre a litispendência:

A formação do processo ocorre no instante em que a demanda é proposta, iniciando-se desde esse momento, a litispendência. Inicialmente a litispendência produz efeitos apenas perante o demandante. Somente com a citação válida ela gera efeitos perante o demandado, é nesse momento que a relação jurídica processual se perfaz.

Tal exigência é corolário do direito ao contraditório e do direito à ampla defesa garantidos pelo inciso LV do artigo 5º da Constituição Federal. O processo não pode produzir efeitos nem prosseguir na sua caminhada sem que o demandado seja convidado a se defender.

Com a citação válida, a litispendência passa a produzir uma série de efeitos perante o demandado. Efeitos de ordem proces sual e material.

São efeitos processuais da litispendência: complementar a relação jurídica processual, prevenir o juízo (tornar prevento) nos casos de competência concorrente, induzir litispendência e estabilizar a demanda.

Os efeitos materiais são: fazer litigiosa a coisa, constituir o réu em mora e interromper a prescrição.

Fico a sua disposição para outros esclarecimentos.

Att.

JOSÉ TADEU DE ALMEIDA BRITO
Advogado"

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Valentim.

O Diretor Sasseron está certo ao lembrar o endividamento dos tomadores do Empréstimo Simples. Por isso mesmo a PREVI deve aumentar o teto ao máximo para que os devedores porocurem enquadrar seu passivo. Isto será possível eliminando as dívidas existentes junto ao Banco, o que redundará em aumento substancial do líquido do contracheque, com consequente melhoria no padrão de vida aliado à tranquilidade emcional. Ninguém sente prazer em ser devedor.
Peço-lhe contribuir para a resolução do assunto dirigindo ao Diretor o conhecimento desses argumentos. Tenho absoluta certeza de que a credibilidade que o nome Valentim imprimirá ao apelo surtirá o efeito de mil pedidos menores, de insignificantes devedores como eu.
Rogo-lhe dar esse presente a todos os pais que neste dia não têm muito a comemorar, mas que lhe serão eternamente gratos por sua inteferência benfazeja.

Grato,
Marcos Cordeiro.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Desejo hoje, e sempre, saúde, paz, prosperidade e sucesso para todos os pais & família. Que as chamas da esperança e da tolerância permaneçam sempre acesas nos corações de todos.
Um abraço e um bom domingo,
Jorge Antonio Martins Teixeira
Araruama (RJ)

Anônimo disse...

Sr. anônimo 16:24

Não se iluda com esses seus cálculos. Existe uma coisa chamada "fator contributivo". Não houve contribuição linear, portanto não haverá distribuição linear. A cada um conforme sua contribuição. Se for feito de outra forma seria como tomar de um e doar a outro sem merecimento. Vamos ser práticos e acima de tudo justos.
Com todo respeito, essa sua proposta "socialista" está fora de cogitação tanto do ponto de vista legal como ético.

rosalina_de_souza disse...

Aos brilhantes homens de caráter que compõe a AAPPREVI e a todos os colegas membros da associação e a todos os Pais do PB-1 e Previ Futuro.
Quando o seu pai houver envelhecido,
e, infelizmente, esta hora virá...
Quando aquilo que, em tempos idos,
ele fazia com facilidade e felicidade,
agora é com dificuldade que faz...
Quando os seus olhos queridos e leais,
já a vida como antes não olharem mais...
Quando as suas pernas ficarem fatigadas,
e não a quiserem mais carregar...

Empreste-lhe o seu braço como apoio,
siga a seu lado com contentamento e alegria.
A hora virá (ela virá) quando, chorando,
você sentirá saudades de tudo o que fez
e do que não fez!
E se alguma coisa ele lhe perguntar, responda.
E se voltar a perguntar, volte a responder.
E se outra vez falar, fale com ele; sempre com candura.
Não com impaciência, mas gentilmente!
E se não conseguir compreender bem,
volte tudo a explicar, com alegria...
Ninguém lhe amou tanto, e com tanto amor, quanto sua mãe e ... seu PAI!

Te amo meu pai!
Neste momento faz necessária uma homenagem aos “PAPAIS” todos querem o melhor para seus filhos, se não porque justificaria a nossa luta, contra os desmandos praticados também por pais que estão La na Diretoria Executiva da Previ e em seus Conselhos.
Parabéns a todos, em especial aos colegas da Diretoria da AAPREVI, Marcos Cordeiro de Andrade, José Gilvan Rebouças, Ivan Rezende da Silva, Luiz Augusto Portilho Magalhães, Rogério Luiz Pereira de Carvalho, José Luiz da Silva, e Antônio Américo Ravaci.
Saberão defender não só o futuro dos seus Filhos e Netos mais também o futuro de todos os pais do PB-1 de Benefícios da PREVI.
Rendo esta pequena homenagem extensivo aos demais papais, aos companheiros das nossas colegas que também construíram o Banco do Brasil.

E espero que esta mesma data em 2011 possa ai sim estarmos comemorando,melhores dias a todos nós.

Cordilamente
Rosalina de Souza

rosalina_de_souza disse...

Prezado Valentin
Desde que surgiu no cenário nacional a divulgação dos sucessivos resultados superavitários da PREVI, criou-se uma enorme expectativa de que esse superávit, por força de Lei 109/2001, após a revisão do Plano de Benefícios, reverteria financeiramente e de forma abrangente a todos os associados do Plano 1.

Entretanto, após várias rodadas de negociações nada aconteceu exceto presenciarmos a má vontade dos Diretores, fustigando todas as expectativas criadas pela própria PREVI que ao investir nossas reservas em ações aplica e reaplica querendo lucros cada vez mais fabulosos, nesse interregno, como que reconhecendo a defasagem dos benefícios, quase dobrou o limite pessoal de sua carteira de “Empréstimos Simples”, abrindo espaço para que os aposentados e pensionistas duplicassem suas dívidas pessoais como única maneira de paliar as agruras financeiras por que passam.

Não há neste momento Colega Valentin outra saída para a REESTRUTURAÇÃO DAS NOSSAS DÍVIDAS, que não um EMPRÉSTIMO SIMPLES BEM MELHORADO, como o que a AAPPREVI elaborou 150 mil em 150 meses.
Concordo com o Colega quando diz que ninguém revidou a indiferença do Senhor “Sasseron” só eu já o dirigi vários e-mail através da Anapar, fale com a previ, sindicatos dos bancários, mostrando a ele ser perfeitamente possível tirar-nos desta situação através do ES.
Se a Previ liberasse um ES melhorado todos nós melhoraríamos o perfil da dívida e com isso voltaríamos a ter tranqüilidade.
Também faço votos ao Colega Valentin para que fale mais uma vez com o Sasseron e mostre a ele a viabilidade deste ES MELHORADO.
Sei que é homem de boa fé e quer o melhor a todos nós, peça Senhor Valentin, sua ajuda será de grande valia a todos nós.

Atenciosamente

Rosalina de Souza

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Blog
Reinaldo Azevedo
08/08/10 – 06:31

“A máquina petista de produzir dossiês é ampla, bem organizada e atua como um apêndice oficial para satisfazer interesses do próprio governo. E, o mais surpreendente, ela não é abstrata e tem até endereço comercial: a sede da Previ, o poderoso fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, no Rio de Janeiro. Em entrevista a VEJA, o advogado Gerardo Santiago revela que o gabinete da presidência da Previ foi usado como centro de montagem de dossiês para constranger e intimidar adversários do governo. Ex-diretor e ex-assessor da presidência do fundo, Gerardo conta que, cumprindo ordens superiores, elaborou dossiês contra deputados e senadores da oposição. Entre os alvos dos petistas já esteve até o atual candidato à Presidência da República José Serra. “A Previ é um braço partidário; é um bunker de um grupo do PT, uma fábrica de dossiês”, acusa o advogado, que garante ter cumprido missões determinadas diretamente por Sérgio Rosa, que presidiu o fundo até maio passado”
Leiam a reportagem completa no link abaixo:

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/escandalo-o-estado-policial-petista-ou-o-ministerio-publico-o-congresso-e-a-oab-reagem-ou-podem-se-preparar-para-entrar-da-fila-da-degola/

Ari disse...

Quero enviar um fraterno abraço ao nosso grande amigo e colaborador Jorge Teixeira, do Rio de Janeiro, que tanto neste quanto no outro blog sempre está a nos defender e propagar. Obrigado, Jorge! Feliz dias dos pais a você também. É uma honra tê-lo em nosso meio, como sempre comedido e gentil para com todos, e notamente um belo analista do atual quadro caótico pelo qual atravessamos.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Previ é fábrica de dossiês do PT, diz ex-diretor

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?cod_post=314488

Fonte: Jornal O Globo.

Anônimo disse...

Apesar de não ser católico, tenho profundo respeito por Dom Paulo Evaristo Arns. Na hora H demonstrou ser além de muito humano, super corajoso. Recentemente ele declarou seu voto ao Serra por julgá-lo mais preparado para ser presidente. Se até os setores considerados progressistas da igreja católica estão com receio da continuidade do governo petista, boa coisa não deve ser. Pare e pense...

Anônimo disse...

Colega Valentin, assim como nossa cara Rosalina solicita, também gostaria que em nome dos aposentados e pensionistas do PB1,voce encaminha-se ao Sr Sasseron o anseio e expectativa que temos no aguardo da alteração do ES para 150 mil em 150 meses única alternativa e esperança que temos para liquidar outras dívidas com juros mais altos, para a Previ não há comprometimento nenhum o débito é em folha a margem consignável regula a possibilidade de contratação do teto de cada um e o Previ tem margem com sobra suficiente para essa alteração, portanto só depende da boa vontade e humanidade do Sr Sasseron, será que nós odeia? nunca vai fazer nada para aliviar os tão sofridos assistidos da Previ?.

wilson luiz disse...

AQUI SE FAZ, AQUI SE PAGA

Li, tempos atrás, matéria postada pelo colega José Aristophanes, se não me falha a memória(os neurônios estão morrendo aos bilhões). Comentava ele declaração do ex-ministro Delfim Neto: "Sérgio Rosa é o homem mais importante deste país".
As águas passaram debaixo da ponte, e hoje, o nosso glorioso Sérgio "já foi tarde" Rosa, realmente, caiu em desgraça, apesar de sua subserviência aos interesses do BB em detrimento dos associados. Perto de sair da Presidência da PREVI, arrogante e superestimando sua força política, entrou em confronto com o Ministro da Fazenda e com o Presidente do Banco do Brasil tentando fazer do Diretor Joilson Ferreira seu sucessor. Além de não conseguí-lo, perdeu o posto que assumiria na campanha presidencial de Dilma Rousseff. Teve que aceitar, como "cala-boca", um cargo de segundo escalão no Banco do Brasil. Para quem foi Presidente da PREVI, cargo mais cobiçado que muitos ministérios, foi uma humilhação.
Acho que nem este cargo está garantido, pois agora ele, junto com Ricardo Berzoini, é suspeito de estar envolvido no "dossiê Mantega". Com tantos tiros no pé, até seu cargo decorativo e bem remunerado no Conselho da Vale pode estar a perigo.

Eliana Maria disse...

Ao Marcos, toda equipe da AAPPREVI, colegas aposentados e os pensionistas (homens), que Deus em sua bondade e infinita misericórida os abençoe e ilumine sempre na tarefa de conduzir suas famílias.
Parabéns, felicidade, muita FÉ e saúde a todos.
Fraternal abraço,
Eliana Maria

MARY disse...

MARCOS E TODOS PAIS QUE COMPOE A DIRETORIA DA AAPREVI E COLEGAS DO BLOG. DESEJO A TODOS VOCES UM ''FELIZ DIA DOS PAIS '' QUE DEUS MULTIPLIQUE A TODOS MUITOS ANOS DE VIDA, SAÚDE, BENÇOES E PROSPERIDADE EM TUDO. ABRAÇOS

Anônimo disse...

Amigo Marcos, primeiramente um abraço a voce e todos os papais do PB1.
Neste momento o que penso é esperar pela resposta do "Planejamento Estratégico-Previ". Se nos for favorável e realizavel, tudo bem. Se não for eu pergunto ao amigo.
Quanto somos em
Cidade de Brasilia
Cidade de São Paulo,
Cidade do Rio de Janeiro,
Cidade de Belo Horizonte,
Cidade de Porto Alegre
Cidade de Florianópolis,
Cidade de Curitiba,
Cidade de Salvador, enfim em todas as capitais do Brasil onde se concentram a maioria dos funcionário do Banco do Brasil e onde as AABBs parecem ser mais ativas. A minha idéia seria, por intermédio dessas AABBs, os aposentados se reunissem, em um dia determinado pela FAABB (Isa Musa, presidenta e amiga), e por ela coordenado, em um determinado lugar como no Rio - sede da Previ- em Brasilia na Praça dos Tres Poderes, em São Paulo no Vale do Angabau, em pontos bem frequantados pela população .
Assim evitaríamos deslocamentos de colegas idosos que somos para ir todos ao Rio (Previ)com gastos enormes (que não temos)e nem saúde para tal feito.
Marcos, seria como uma GREVE GERAL DE PROTESTO DOS APOSENTADOS DO BB CONTRA A PREVI.
Aí eu creio que a mídia tomaria conhecimento porque o fato se daria no Brasil inteiro. O fato poderia se estender por todas as AABB do interior também. É organizar que vamos todos à luta.
Abraços do Airton

Eduardo Köhler disse...

Amigos,
Como o colega da ativa que postou comentário e que duas vezes foi refutado, sou associado fundador da AAPPREVI e, como todos sabem, ainda estou no Banco.
É claro colegas, que o superávit da PREVI é todos os funcionários da PB1, aposentados e da ativa. Em breve seremos aposentados também. Vejam os ítens pinçados da proposta e que, particularmente, me beneficiariam, seguidos de meus comentários

a) devolução das contribuições após a 360;
COMENTÁRIO: Atualmente estou com 34 anos de banco, em janeiro completarei 35, ou seja; receberia de volta toda a contribuição que efetuei do 361º mês em diante, inclusive o que foi custeado com a distribuição do superavit anterior.

c) implantação para todos das verbas da cesta alimentação;
COMENTÁRIO: Ao me aposentar pela PREVI, continuaria a receber tal benefício, na ocasião em diante, pela Caixa.

d) revisão dos cálculos de aposentadoria para aqueles que foram contratados pelo estatuto de 1967, e foram prejudicados pelo estatuto de 1997;
COMENTÁRIO: Ingressei no banco em 09 de janeiro de 1976, ou seja, o cálculo do valor de minha aposentadoria seria em cima do que dizia o estatudo de 1967, que acredito, melhoraria o valor do benefício.

3) parcela PREVI;
- Colocar em pauta a discussão da parcela PREVI, que contribuiu para reduzir substancialmente os benefícios dos aposentados atingidos pelo referido redutor, incluindo, também, o pagamento de eventuais atrasados no processo de revisão do Plano de Benefícios.
COMENTÁRIO: A famigerada parcela PREVI, atualmente, me sequestraria a “módica” quantia de R$1.839,56 do valor final do meu benefício. Valor significativo, não ?

Grande abraço a todos.

Anônimo disse...

Resposta ao anonimo de 08;08 as 5;15hs:
Pelo que se pode sentir voce está misturando ideologia com justiça. Quando voce diz proporção contributiva, voce sabia que de 2007 para cá as contribuições estão suspensas ? Que esse Superavit se refere ao trienio 2007/2008/2009?
Nem nós, tampouco o Patrocinador, recolheu nada aos cofres da Previ. Tudo está sendo lastreado pelo Superavit acumulado.
Porisso, uma das bandeiras levantadas, até então, era a distribuição igualitária. Não e de minha autoria. Se é socialista, ou não, não está tirando direito de ninguem. Pois ninguem contribuiu e assim todos tem direito. Inclusive as pensionistas
De fato é uma ilusão pensar que as injustiças perpetradas pela Revisão anterior será corrigida. Ou voce acha que as ações judiciais
que estão sendo apresentadas contra a Previ são o que? Ilusões também?
Ademais para que se importar com as complementações irrisorias que vários colegas recebem.
Com voce bem o disse: "Eles fizeram por merecer".
Meu pensamento ( não proposta) não é isolado.
Se tiverem que implementar quaisquer medidas, com relação à aplicação da Reserva Especial (que podem não acontecer) quem irá impedir?
É apenas uma opinião. Nada de socialismo.
O que voce acha da Renda Certa para quem nunca contribuiu? Qual foi a proporção contributiva utilizada?
Good bye! Au revoir!

Anônimo disse...

Sr. anônimo 14.39


Antes de arrotar esse conhecimento todo que tal ler e reler a resolução 26? Sugiro atenção especial aos arts. 15 a 26. Fora isso é discutir o sexo dos anjos.

wilson luiz disse...

ANÔNIMO 08 AGOSTO 05:15 HS. X ANÔNIMO 08 AGOSTO 14:39 HS.

Caros anônimos,
Para subsidiar a discussão de vocês, transcrevo da malfadada Resolução 26:
"Art. 15 - Para a destinação da Reserva Especial, deverão ser identificados quais os montantes atribuíveis aos participantes e assistidos, de um lado, e ao patrocinador, de outro, observada a proporção contributiva do período em que se deu a sua constituição, a partir das contribuições normais vertidas neste período.
§ 1º - Na hipótese de não ter havido contribuições no período em que foi constituída a Reserva Especial, deverá ser considerada a proporção contributiva adotada, pelo menos, nos três exercícios que antecederam a redução integral, a suspensão ou a supressão de contribuições, observada como limite temporal a data de 29 de maio de 2001".
Gostaria de saber, também,a interpretação da AAPPREVI sobre o assunto.

Anônimo disse...

Caros Colegas,
Encaminhei à PREVI - fale conosco _, direcionada ao Sasseron, a seguinte proposta:
Realinhamento do ES para R$ 150.000,00 e em 180 meses, observando-se a MARGEM CONSIGNÁVEL, e eliminado-se a partir desta proposta a carência já que muiots renovaram recentemente.
Coloquei também quetal pleito satisfará a maioria dos assitidos e poderá contemplar um bom universo de necessitados.
Coloquei pra ele: somples assim.

Anônimo disse...

Prezado Valentim,

Cremos que sua ajuda será muito valiosa.

Anônimo disse...

Mais uma vez a Previ na Imprensa. Leiam a matéria ESCANDALO NA PREVI - Um estranho raciocinio de Dilma. Ou um corcel destrambelhado.

No site abaixo:


http://brasilacimadetudo.lpchat.com/

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Peço licença para fugir totalmente do post em discussão e divulgar uma notícia que foi publicada na edição de ontem, 08.08.2010, do Jornal Extra aqui no Rio de Janeiro. O título da reportagem é “Nota fiscal paulista faz a alegria de consumidores do Rio na web”. Para quem se interessar, e acho que vale a pena fazer a consulta, a matéria completa poderá ser acessada em: http://extra.globo.com/economia/materias/2010/08/07/nota-fiscal-paulista-faz-alegria-de-consumidores-do-rio-na-web-917346446.asp. A propósito, fiz o cadastramento no site da Secretaria da Fazenda de São Paulo e verifiquei que tenho uma “merrequinha” a receber. Boa sorte.

Anônimo disse...

Prezados Marcos, Rosalina e anônimo das 9:54,

Em atenção aos apelos que me foram dirigidos, estou elaborando correspondência, a ser endereçada ao Diretor Sasseron, sobre o aumento do teto do E.S. para R$ 150 mil e a dilatação do prazo para até 150 meses.
Aguardem, por favor, a remessa de cópia para publicação no blog.

Abraços do

Valentim - Joinville

Anônimo disse...

A Previ mergulhada em escandalos.

Sergio Rosa enfim mostrou seus espinhos mais profundos.

Será que com esse mar de lama, não seria a hora certa para as associações pedir uma audiência coms os demais presidênciaveis para forças a distribuição do superavit.

Há notícias que se a Dona Dilma for eleita o novo presidente do Banco do Brasil é "RICARDO FLORES"

Senhores dirigentes não podemos esperar mais, se continuar como esta não teremos mais superavit daqui a pouco e sim DEFICIT.

Anônimo disse...

Colega Wilson Luiz,
Lembremo-nos que a Resolução 26 é objeto de Ato de contestação no item AÇÕES NECESSÁRIAS, alinea f); sendo apreciada no Congresso Nacional, por exceder aos limites regulatórios, e por fim que o triênio 2004/2005/2006, s.m.j, não pode mais ser considerado porque aquela famigerada Revisão do Plano ( em especial o Renda Certa) já foi distribuida, dando origem, inclusive, à suspensão das contribuições. Restaria então 2001/2002/2003 ( Limite da Lei, não da Resolução).
Concordo com você. Vamos ouvir a AAPREVI, se possível, pois a intenção nao é polemizar.
Pelo que se vislumbra, já estou me contentando com novas "migalhas".
Um grande abraço e agradeço a respeitosa intercessão.

Anônimo disse...

Folha de S.Paulo (09/08/2010)
Previ: Registradora

Escolhido para assumir a Previ justamente pela imagem de "independente", o ex-vice-presidente do BB Ricardo Flores é nome cotado para a presidência do banco num governo Dilma. A passagem pelo fundo de pensão até o final do ano serviria como quarentena e, ao mesmo tempo, "teste de fidelidade".

Anônimo disse...

08/08/2010
Banco do Brasil anuncia compra de banco nos Estados Unidos
Guilherme Barros
Colunista do Ig

O Banco do Brasil colocou um pé nos Estados Unidos. Nesta segunda-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do BB, Aldemir Bendine, anunciarão, em São Paulo, a compra de um banco de médio porte norte-americano.

O negócio, cujo valor ainda não foi divulgado, não é de grande porte, mas tem um peso significativo, pois marca a entrada do BB no mercado dos Estados Unidos.

O Banco do Brasil já tinha um plano de entrar na América do Norte, como parte de seu projeto de expansão no mercado internacional.

A internacionalização do BB começou no último mês de abril, com a compra do controle do Banco Patagônia, da Argentina, em negócio avaliado em US$ 480 milhões.

GILVAN REBOUÇAS disse...

Sr. Wilson Luiz,
Observe o que diz o art. 20 da resolução 26. Acho que ele esclarece essa dúvida.

Art. 20. Cabe ao Conselho Deliberativo ou a outra instância competente para a decisão, como
estabelecido no estatuto da EFPC, deliberar, por maioria absoluta de seus membros, acerca das medidas,
prazos, valores e condições para a utilização da reserva especial, admitindo-se, em relação aos
participantes e assistidos e ao patrocinador, observados os arts. 15 e 16, as seguintes formas, a serem
sucessivamente adotadas:
I – redução parcial de contribuições;
II – redução integral ou suspensão da cobrança de contribuições no montante equivalente a, pelo
menos, três exercícios; ou
III – melhoria dos benefícios e/ou reversão de valores de forma parcelada aos participantes, aos
assistidos e/ou ao patrocinador.
Parágrafo único. Caso as formas previstas nos incisos I e II não alcancem os assistidos, a EFPC
poderá promover a melhoria dos benefícios dos assistidos prevista no inciso III simultaneamente com
aquelas formas

Atenciosamente,

Gilvan Rebouças

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

A morte de Yves Hublet - O Homem das Bengaladas.

http://www.tribunadonorte.com/noticias/politica/4,36724,04,08,alvaro-dias-questiona-circunstancias-da-morte-de-yves-hublet.shtml

Anônimo disse...

Colegas,


Valha-me Deus!

Estou todos os santos dias, pedindo urgência nas decisões, de ES de superavit, de respeito, de consideração, de COMISERAÇÃO, até. De respulsa às atitudes dos diretores do bb, da Previ, essa anabb nem que morra, não quero nem ouvir falar. Me atrevo em suspeitar que são MONSTROS, travestidos de gente, pisoteando os idosos aposentados pelo bb através da Previ.
Quem ao seu semelhantes faz sofrer é indigno do benefício da vida.
Estou ficando POCESSO com essa gente, suspeita matilha de oportunistas.
VERGONHA, VERGONHA, VERGONHA, QUANTA VERGONHA,etc...

wilson luiz disse...

Caro Marcos,

No ítem "DESAFIOS", em que são listados benefícios a serem concedidos com eventual distribuição do superávit, consta aumento de 30%, com custo de R$ 1.765.252 mil. Acho que o correto seria anunciar como abono, para pagamento apenas durante o ano de 2010, até para que se evite a criação de expectativas muito otimistas.

Anônimo disse...

Outro dia comentei neste blog sobre a hipótese utópica de um ex-dirigente da Previ abrir o bico e jogar M... no ventilador. A coisa aconteceu e veio de onde não se esperava. O Senhor Gerardo Xavier Santiago disse que o fundo funciona como "fábrica de dossiês" contra oposição ao governo Lula e máquina de arrecadação para o PT. Disse ainda, que a Previ está a serviço de um determinado grupo muito poderoso, comandado por Ricardo Berzoini, Sérgio Rosa, Luiz Gushiken e João Vaccari Neto. Falou também que além de montar dossiês, a Previ serviu a interesses do partido para aumentar a arrecadação. Segundo ele, a Previ montou uma rede de conselheiros ligados ao PT em empresas nas quais o fundo tem participação. A intenção era influenciar as doações das companhias para beneficiar o partido.
E AI? QUAIS AS PROVIDÊNCIAS QUE NÓS TOMAREMOS? FICAM CHEIOS DE DESCULPAS PARA NOS DAR O QUE A NÓS É DE DIREITO PRA ENCHER OS COFRES DO PT? ACREDITO QUE ESTA NOTÍCIA DA PUBLICADA MUDA TUDO...

Anônimo disse...

Convoco os colegas do CEARÁ a entrarem em contato com o comitê de campanha do candidato a Senador Eunício Oliveira e municiá-lo de informações para atrair os eleitores do BB. Com duas vagas para o Senado Federal, e com o Senador Tasso com ampla vantagem, sobra uma vaga para os candidatos Eunício E nosso "mui amigo" PIMENTEL disputá-la. POR FAVOR COLEGAS CEARENSES, VAMOS DAR UM TOCO NO AUTOR DA RESOLUÇÃO 26. Espalhem panfletos nas agências alertando todos colegas sobre o perigo da eleição desse traidor.

Anônimo disse...

E o mpréstimo simples que não sai, a distribuição do superavit tb!!!2010 ano em que a pior chapa do mundo tomou posse a CHAPA3!!!

Anônimo disse...

CALMA colega de 09:13,eles vao todos sumir do mapa.Cada um na sua hora.
De tempo ao tempo.
A começar pelo chefe da seguridade......
Publicar por favor.

Anônimo disse...

Enfim que possamos sermos ouvidos pela nossa Previ - através de tao excelente trabalho.
Ademais nao cabe mais qualquer descrédito, e falta de zelo, de seriedade e de compromisso por parte da Previ,vez que as associaçoes que assinam esse trabalho muito podem sao entidades sérias e preocupadas com seus associados.
Basta de escuridao...queremos coisas claras e sensatas...

Anônimo disse...

Quem com ferro fere, com ferro será ferido.Eles também possuem famílias.Pai e mãe.Espero que os dirigenttes da Previ pensem bem sobre isto. Façam o Bem enquanto vocês podem.Pois o bem que vocês nos fizerem , lhes serão retribuídos por Deus.