quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Excessos

Caros Colegas.

O perigo continua rondando o superávit. Melhor dizendo, sua distribuição. E é muito sério o risco em que se incorre pela alimentação de excessos. A começar pelo tamanho da mesa, seguindo pelo volume das propostas para culminar com a má qualidade dos discursos. Tudo peca pelos excessos assumidos, e permitidos.

Para discutir um assunto que diz respeito a dois interessados, busca-se excessivo número de interlocutores para sentar em volta de uma mesa. E haja mesa para comportar tanta gente.

A distribuição do superávit tem dois lados apenas: instituidor e instituídos ou, como queiram, patrocinador e patrocinados. Traduzindo, para dar nome aos bois: Banco do Brasil e Participantes do Plano de Benefícios N° 1, da PREVI. E é só.

Portanto, o excessivo número ocupando os lados da mesa leva, forçosamente, ao desentendimento direcionando ao malogro do intento. Bastam credenciais para representantes do Banco e dos participantes, permitindo-se o comparecimento da PREVi como parte a ser designada para providenciar a distribuição que for determinada em conclusão.

Na Reunião do dia 27/09 foi clara a visão desse inchaço. Para comportar tantos lados na discussão, a mesa disposta deve ter sido fabricada sob encomenda contendo oito lados, isto porque o que deveria ter duas faces teve um dos lados subdividido em 07, ficando assim composta a mesa multifacetada: o Banco do Brasil de um lado ocupando sua cadeira, como representante de si mesmo, enquanto que os participantes e assistidos da PREVI ocuparam as outras sete faces, frutos da divisão originária na falta de entendimento prévio; Contraf-Cut, Comissão de Empresa, e ANABB, colocaram-se puxando a brasa para as sardinhas do pessoal da ativa; diretores e conselheiros (nomeados e eleitos) clamando falsamente pelos interesses da PREVI, mas na verdade operando do lado do Banco, uns, e alimentando a demagogia dos dirigentes da AAFBB, outros; e, por fim, três representações que deveriam se unir em torno de uma só, por redundantes nos seus propósitos FAABB, AFABB-SP e AAFBB. Convenhamos que é muito cacique para pouco índio. Esse excessivo número de representantes pode e deve ser reduzido em nome do bom andamento dos trabalhos. Para isto basta unificarem suas propostas confiando uns nos outros. Ninguém vai estar ali defendendo seu prato de comida, mas a feira duradoura de milhares de famílias. Pensando e agindo assim o lado mais fraco terá mais chances de vitória.

O outro excesso verificado diz respeito ao volume das propostas apresentadas. Sem precisar ser simplista a pedida poderia ter sido simplificada. Para tanto bastava louvar-se no exemplo anterior em que exigências descabidas inviabilizaram agilidade ao desfecho, e direcionamentos irresponsáveis deram margem às injustiças perpetradas.
Mas ainda há tempo para consertos, pois para isto as tratativas continuarão evoluindo. E chegarão a bom termo se calcadas no bom senso.

- Há que se enxugar o corpo de representações para facilitar o entendimento. AAFBB e AFABB-SP precisam subordinar-se à FAABB, e a ANABB deve ser alijada pelo que defende por seus estatutos. E porque sua cota de erros já esgotou na intromissão passada.

- As propostas apresentadas devem comportar entendimento lógico sem o uso de lentes de aumento. E, como no jogo de damas, é preciso sacrificar algumas pedras para ganhar o jogo.

- O foco da questão deve desviar-se do caminho do individualismo e das falsas posições. Tudo deve ser buscado e proposto em nome da distribuição equilibrada de benefícios, mantendo a visão na correção das injustiças praticadas na distribuição anterior.

Tenhamos fé em Deus e confiança nas pessoas que se apresentem em nossa defesa, aguardando dias melhores. O fim do ano está próximo. E a ter peru com champanhe em poucas mesas é preferível que haja galetinhos com sidra em todas.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 29/09/2010.

118 comentários:

José Omar A. Coelho disse...

Prezado Marcos,
Concordo com suas considerações e, a estas alturas fico mais temeroso ainda pela forma como será distribuido esse superavit.
Será que não vai ser feito nenhum aporte para constituição de lastro para cumprimento dos inúmeros processos existentes na justiça, na maioria dos quais, com certeza,a PREVI deverá ser condenada a pagar. Ah! É a longo prazo. Mas quem garante que no futuro haverão novos superavits com montante suficiente para cumprir com os desmandos administrativos do passado?
Fica o alerta, para depois não sermos obrigados a tirar de nossos bolsos recursos para cumprir essas demandas.
José Omar A. Coelho

Anônimo disse...

Precisamos que a PREVI siga o exemplo da Valia.
Negociação rápida e igualitária.
Senhores negociadores, cuidado pra Anabb, não prejudicar.
Esperamos que no dia 18.10, já sejam apresentadas as propostas concretas e exequiveis

Anônimo disse...

Pessoal,Lula está feliz com a PREVI que aplicou 2,1 bilhões na Petrobras!
Quero a minha parte do superavit, a qual tenho direito!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

A maldita Resolução faz aniversário hoje. Completa 2(dois) anos aquela desgraça autoritária.
Porque será que, embora todos saibam que essa Resolução é ilegal, inconstitucional, autoritária, golpista, e ninguem consegue exclui-la do meio jurídico. A Resolução é um ato normativo.Atos normativos têm por finalidade facilitar a compreensão e execução das Leis, por isso mesmo não pode conferir ou retirar direito de alguém, sob pena de afrontar o principio constitucional de Reserva de Lei e usurpar direito reservado ao Legislativo.
O ato normativo não pode conferir, tampouco retirar direito de outrem, ao passo que a Lei é o único instrumento por meio do qual alguém se obriga a fazer ou deixar de fazer alguma coisa ( inciso II, do artigo 5º da Constituição Federal ).
O ato normativo é sempre um comando do Executivo subalterno à Lei, cuja finalidade é lhe dar concretude, ao passo que a Lei é soberana, sujeitando-se, apenas, ao controle constitucional.
Como podemos negociar nosso Superavit, sabendo que estamos doando bilhões, que nos pertence por Lei, ao Patrocinador?
Quem deve aceitar as propostas de negociação não são os representantes do funcionalismo, mas é o Patrocinador que deve sujeitar-se a elas. A Lei nos favorece. Pensemos nisso.

Anônimo disse...

Sabem a verdade? O Banco e a Previ é que dão muita colher de chá pra nós. Eles é que vão assinar e vão assinar o que bem entenderem. É bom que o lado de cá tenha esse monte de gente, anabb, faab, aafbb, etc, pois do contrário o representante do Banco e da Previ assinariam o que quisessem sem ninguém pra espernear.

Anônimo disse...

posso estar enganado, mas Marcos, sempre foi consenso de idéias apresentadas e comentadas neste blog o aglutinamento das associações para nos representar. Quanto mais melhor...

Juarez Barbosa disse...

Prezado Marcos e seguidores do blog

Muito bem feitas as suas colocações a respeito das partes que devem negociar a distribuição do superávit do PB-1, bem como a redução das propostas a serem apresentadas na mesa de negociação, visando simplificar e finalmente distribuir "de fato" tal superávit.
Muito embora não acho ser justo nem legal a divisão com o patrocinador, entendo que esta anuência da maioria em aceitar a divisão também é uma medida que visa simplificar o acordo.
Entendo também que deve ser prioritária a melhoria das pensões, tendo em vista que até agora NADA lhes foram melhoradas, nem a suspensão das contribuições, haja vista que já não lhes eram descontadas em seus contracheques.
Portanto, a bem da justiça, em primeiro lugar a melhoria das pensões e em segundo lugar a distribuição igualitária para todos os demais participantes (aposentados e pensionistas), pois só assim teremos uma distribuição justa de tal superávit, s.m.j.

Anônimo disse...

Não concordo com o colega anônimo das 05:10.

Nesse momento de negociação com o BB, a nossa Representante é a FAABB, na pessoa da sua Presidente, Sra. Isa Musa.
A Federação representa 32 Associações.
Voce já imaginou uma mesa composta com as outras 30 Associações filiadas à Federação? Não existe!!
Precisamos de objetividade nessa negociação.
Estudos já foram feitos.
È sentar e definir a pauta para 18.10. Agora, sem excessos, tanto nas propostas quanto na quantidade de Representantes.
Torço para que a Isa Musa conduza essa negociação de forma a alcançar o que de melhor for para todos nós do PB1.
Jane.

Anônimo disse...

Não concordo com o colega anônimo das 05:10.
Nesse momento de negociação com o BB, a nossa Representante é a FAABB, na pessoa da sua Presidente Isa Musa.
Ela representa 32 Associações.
Voce já imaginou uma mesa composta com as outras 30 Associações que estão filiadas à Federação? Não existe !!
Precisamos de objetividade nessa negociação.
Estudos já foram feitos. É sentar e definir a pauta para 18.10.
Agora, sem excessos, tanto nas propostas quanto nas quantidade de Representantes.
Torço para que a Isa Musa conduza essa negociação de forma a alcançar o que de melhor for para todos nós do PB1.
Jane

Anônimo disse...

Fico perplexa cada vez que leio os comentarios sobre o tao falado superavit.Sera que os colegas nao vem que estamos caminhando para o abismo?
Todas as suplicas,pedidos,exigencias.... serao usados la na frente para nos culpar pela queda do nosso patrimonio que esta na Previ.Ai o banco vai dizer,ja que eles queriam as sobras,
usei a minha parte tambem....
E ai colegas, nao vai adiantar chorar o leite derramado.
Com certeza o banco,no caso de deficit, vai tirar dinheiro de outro lugar e nos?
Pensem....
Pode publicar?
Laura

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Concordo, inteiramente, com o colega anônimo das 05:00. Se a gente vivesse num país sério, uma simples resolução não poderia, em hipótese alguma, se sobrepor a uma lei votada pelos nossos representantes. Mas, como estamos num país em que os altos escalões de governo admiram uma figura hilária como o presidente venezuelano Hugo Chaves, que está destruindo a democracia em seu país, só podemos ter como consequência situações como essa vivenciada pelos aposentados e pensionistas do plano 1. Temos que "mendigar" uma parte do superávit, da qual o BB já se apropriou da metade sem nenhum estudo de impacto nas contas da PREVI. Pelo menos da minha parte, vou dar o troco na eleição do próximo dia 03.

Anônimo disse...

Pessoal, vamos doar logo esse 50% para o BB, eles estão tão pobrezinhosrssssssssss.
Eles precisam dar o dinheiro para a campanha da Dilma, não perceberam?
Nós aposentados e pensionistas somos lixo para eles!!!!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caro anônimo das 06:03.

Creio que você não entendeu.
A FAABB, sozinha, representa 32 associações, aí incluída a AAFBB. O que assusta é o número de pessoas envolvidas no topo das negociações. Mais parece reunião de condmínio que normalmente descamba para bate boca.
Também não entendo o critério de credenciamento. Por que umas associações se infiltram e outras não podem participar? Quem disciplina o comparecimento? A inclusão é conseguida no grito? Se a FAABB é convocada como representante reconhecida das suas afiliadas, o que dá direito a AAFBB impor sua presença redundante?
Nesse entendimento, avaliem se TODAS as associações entrassem na marra, como suponho seja o caso da AAFBB - a casa da mãe Joana mudaria de endereço.

sergioinocencio disse...

Marcos,

não sendo inventado outro RENDA CERTA, acho que teremos uma distribuição igualitária, creio que o banco mesmo é bem capaz de puxar esta idéia .

sergioinocencio

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezada Jane.

Desculpe pela colocação de comentário idêntico ao seu, ate parece cópia, mas, confesso que colei a rsposta ao anônimo antes de conhecer essa sua opinião.
Mas foi bom que ocorresse assim. Isto prova que há coincidencia de opiniões no seio da Diretoria da AAPPREVI, onde você nos honra com sua resença.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Mensagem recebida do Colega Hugo Tavares de Carvalho, referindo-se à nota publicada hoje no site dos eleitos da PREVI:

Sr. Presidente,
É a minha posição com referência ao comunicado abaixo.
Sejamos pragmáticos.
Cordialmente,
Hugo Tavares de Carvalho - 4.289.800-5


Previ favor encaminhar cópia aos Diretores Eleitos da Previ. Muito

Prezados Srs.Diretores Eleitos da Previ,
Postular outros benefícios além do previsto em lei é complicar as negociações com o Banco - a minha modesta opinião é a de que o
Banco não vai se afastar de seus direitos.
Portanto acho que V.Sas. deveriam se ater inicialmente ao pagamento do superávit, nada mais.
Depois de resolvido o pagamento do superávit de modo proporcional às contribuições de cada beneficiado, aí sim deveriam partir para a conquista de outros benefícios.
Atenciosamente,
Hugo Tavares de Carvalho - 4.289.800-5

Anônimo disse...

As propostas já foram feitas, agora que definam de maneira objetiva, prática e simples as 3 principais propostas que devem ser priorizadas e que venham à beneficiar todos os assistidos do plano 1, na reunião de 18 de outubro.

Jose Francisco disse...

Impressionante!
Isto aqui esta virando uma verdadeira colcha de retalhos.
Brigas, discordâncias, lamentações, manifestações de desespero, críticas contundentes, hostilidades, opiniões absurdas palpites furados, e tudo para nada, tomando a grande maioria a sí a função de arautos da sinistrose.
Acho que se todos deixassem o Marcos meditar com tranqüilidade sobre a o que de melhor se pode fazer, e quais as soluções factíveis no momento, colaboraríamos do forma mais lúcida e inteligente.
Meditem sobre isto.
Francisco
Francisco

Anônimo disse...

Marcos,

No seu comentário (...ter peru com champanhe em poucas mesas é preferível que haja galetinhos com sidra em todas.)

Voce quer dizer que concorda com uma distribuição igual para todos, independente do valor e tempo que cada um contribuiu para a Previ

Anônimo disse...

Colega Hugo Tavares de Carvalho,

Concordo plenamente com suas observações, só penso ao contrário quando se fala em direitos do bb, que direitos são esses, quando o bb passa por cima das Leis, atropelando os aposentados, com uma res.26 que os "doutos" advogados do bb sabem que é ilegal.

Isa Musa de Noronha disse...

Prezados amigos,
Não se justificam as críticas à presença dos aposentados Gilberto, Waldenor e Célia à mesa. Gilberto, além de presidir a AAFBB, é Diretor da FAABB, Célia é Conselheira e ademais, Célia e Waldenor (presidente da AFABB SP), são do Conselho Deliberativo da PREVI. Desde sua criação a FAABB sempre lutou para que as Associações tenham voz e voto em negociações e sempre perseguimos a união das entidades legalmente constituídas. Penso que é motivo de contentamento ver que conseguimos chegar à mesa não com um representante de aposentados, mas quatro. Precisamos construir a unidade a cada dia, não deveríamos fomentar críticas dentre nós. Lembrem-se... “inimigo” infelizmente é o Patrocinador. Como velha professora que fui, permitam-me que eu os repreenda carinhosamente.
Atenciosamente,
Isa Musa de Noronha

Anônimo disse...

Quanto mais objetivas e factíveis as propostas para divisão do Superavit, mais sucesso poderemos ter. Essa de encaixar a proposta de devolução da parte patronal aos PDVISTAS é no mínimo uma BURRICE sem precedentes. Isso só pode ser coisa da ANABB!!!!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezada Isa Musa.

Particularmente não aceito a reprimenda. Ainda mais nos termos em que me foi destinada publicamente com se a um adolescente inconseqüente – “Como velha professora que fui, permitam-me que eu os repreenda carinhosamente”. O “carinhosamente” não retira a desqualificação atirada como carapuça para que me caia à cabeça. Suas desculpas não anulam a contundência das minhas denúncias.
Está escrito na Nota que a AAFBB e a AFABB-SP compareceram à Reunião como participantes. Alí está implícito que em igualdade de condições com os demais nominados. Em nenhum lugar está escrito que seus dirigentes compareceram como assistentes das Entidades legitimamente presentes. Eis o que diz a Nota que você me levou a publicar no Blog:

“Participaram da reunião dirigentes da Contraf-CUT, da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, AAFBB, AFABB-SP, Anabb, os três diretores eleitos e conselheiros deliberativos da Previ.”

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade.

Anônimo disse...

Colegas,


Parabéns para a Isa Musa Noronha, que sabe tratar com NOBREZA, as pessoas que transitam por este Blog.

Defenda cara Sra. nossos 100%, por justo, legal, e que o que for distribuido, seja dentro dos ditames legais, nem prá lá nem prá cá.
É bonito ver que a Sra. quando atingida, tem equilíbrio emocional, para elaborar uma resposta, com dados e com muito respeito.
Negocie cara Sra. à exaustão, nossos direitos e assim recobremos a dignidade que nos quer ser tirada, ilegalmente.

Anônimo disse...

Colegas,
Não quero ser pessimista, mas do jeito que a carruagem está andando...
Transcrevo, para conhecimento, o que o colega Ary Taunay (Pdvista)relatou no outro post:

"Eu sou diretor da associação dos pedevistas e tentei diretamente com o Sr. Gilberto Santiago um assento à mesa de negociações. Gentilmente ele me ligou e disse não ser possível, principalmente porque as propostas estão em ordem de prioridade e o dinheiro disponível para distribuição não atende nem até a terceira na ordem."

Quem sabe quais são essas prioridades?
Qual o valor que o BB vai nos oferecer, ou já ofereceu?
Cautela, colegas. Não esperemos nenhuma bondade.

Anônimo disse...

Ao sr. José Omar A. Coelho 29 de setembro de 2010 03:41.Seu comentário é inconsistente e alheio no momento.Foge ao tema principal.É desproposital.Ou o sr. não sabe o que é um superávit." O excedente,o que está sobrando após ser constituida Reserva de Contingência de 25 por cento da reserva matemática para os compromissos do Plano.Esse colchão de liquidêz, é uma garantia caso haja flutuações futuras para mais ou para menos, sem portanto afetar o patrimônio da Previ.

Anônimo disse...

Prezada Isa Musa de Noronha.
Se nossos representantes fossem discutir justiça,teríamos que ter um representante dos pedvistas a mesa de negociações,uma associação que só falasse em nome das pensionistas,os sindicatos pelo pessoal da ativa e o Banco do Brasil.
Porque sempre foi as mesmas peças chaves que se discute tudo e se toma as melhores ou piores solução ao conjunto inteiro Isa.
Tão faltando com a verdade mais uma vez, quando diz que nas ultimas revisão 2/3 foram destinados aos participantes, e os que nada recebem como fica?.

Tudo esta caminhando para mais um renda certa.
Essa é a mais pura das verdades.

Anônimo disse...

Marcos, e agora vão a luta você e Isa. Justamente na hora que precisamos de união?
Favor publicar.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Comunicado da AAPPREVI

AÇÕES JUDICIAIS em andamento – Prorrogado para 18/10 a data limite para remessa de documentos destinados às Ações Cesta Alimentação e Renda Certa. As demais permanecem com prazo livre.]

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade.

Anônimo disse...

Continuo defendendo que deva haver uma distribuição homogênea isto é: igual para todos os participantes.
Para que depois não fiquem uns achando que receberam menos, e outros mais.Como aconteceu no renda certa.
Digam não as fórmulas mirabolantes sujeridas pela Anabb.
Sigamos o exemplo da VALIA.
SIMPLES de aplicar. Fácil de entender.Beneficia e agrada a todos.Aliás, já está na pauta da reunião que ocorreu em São Paulo.
Todos merecem ser felizes.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Gostaria de indicar aos colegas que desdenham da situação vivida pelos pensionistas, particularmente por "elas",a leitura do post de 05/05/2010 - "A Pensionista". É uma pequena mostra do universo das nossas futuras viuvas.

wilson luiz disse...

Caro Marcos,
O que mais preocupa não é o excesso de associações com assento à mesa de negociações, mas o fato que, novamente, a ANABB parece ter assumido a condução do processo, pois a quase totalidade das propostas em discussão tiveram origem naquela entidade.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Marcos,


Escrevo para te parabenizar pelo primeiro aniversário do excelente blog plano 1, que presta relevantes contribuições à causa dos aposentados do Banco do Brasil.

Parabéns.

Medeiros

Anônimo disse...

Sr. Marcos, deixa isso para lá.
Não adianta stressar. É sempre assim mesmo: A pessoa eh diretora de uma entidade, membro do conselho deliberativo de outra, suplente de não sei mais o que e por ai vai. Ja que não dá para lutar contra; e não dá mesmo, vamos nos unir, perlo menos por enquanto.

Abraços

Anônimo disse...

Desde o início, o mediador deste Blog tem se mostrado avesso às críticas. A liberdade de pensamento e opinião é uma característica do ser humano, e é tambem uma manifestação salutar prevista em nossa constituição.

A Sra. Isa Musa tem opiniões diferentes das suas, das minhas e, talvez, de alguns colegas frequentadores deste espaço. O que tem isso de mal ?

Devemos respeito a uma colega que não se esconde atrás de um computador, pelo contrário, tem constantemente se exposto, buscando lutar pelos nossos direitos.
No post da Sra. Isa, ela não se refere ao Sr. especificamente, a "carinhosa" reprimenda está no plural : "permitam-me que eu os repreenda carinhosamente". Por que será que só o Sr. se mostrou ofendido ?

Seja mais humilde, Sr. Marcos. A quem interessa a nossa desunião ? De que lado o Sr. está ?

José Carlos

Anônimo disse...

Colega Hugo,

Não sei concorda comigo, mas existem uns dinossauros no PB1 que recebem benefícios altíssimos, não só em virtude das benesses da época das suas aposentadorias, mas também porque ao longo do tempo alcançaram o maior número de reajustes e os índices mais elevados e, ainda, insatisfeitos, entram de mansinho com seus textos, pousando de humildes e com toda tranquilidade postulam que o superávit seja distribuido proporcionalmente ao tempo e valor das contribuições.
Ao contrário do adágio popular
(puxar sardinhas.....), estes querem é colocar tubarão nas suas latas.

Agora, fazendo uma digressão do tema primitivo, parece oportuno comentar o seguinte: Destravar as negociações foi uma dura vitória, mas lembrem-se esta é a primeira etapa.
O díficil começa agora, especialmente com a parte dos aposentados, porque o BB se receber a dele já tem destino pronto de chofre e nada temos a ver com isso.
Enquanto nós precisamos fazer engenharia financeira intrincada e concertar fórmulas milagrosas para satisfazer as necessidades do maior número possível de assistidos.Tudo isso com rapidez e eficiência.
O momento tem de ser de serenidade, paciência, compreensão e, sobretudo, acreditar no bom senso, na competência e na experiência dos nossos representantes.
Eles tem ciência da enorme responsabilidade e do peso de cada decisão. Uma coisa é certa, ninguém vai poder fugir da transparência dos seus atos.

Anônimo disse...

Se não inventarem um novo ROUBO CERTO qual percentual vocês acreditam que poderemos receber? 20%? 30%? Alguém bom de matemática poderia tentar uma estimativa?
Obrigado e boa sorte para todos nós!

Anônimo disse...

Quero mais é sair da ANABB!
Como faço???????????????
Não respondem nem meus emails!!!!

Anônimo disse...

Acho que o Sr Marcos cometeu um excesso ao achar que é irrepreensível, ou não pode sofrer repremendas.Todo ser humano é falho e talvez uma atitude sua aos seus olhos não seja um malfeito, mas aos olhos de outro ser seja.Entenda marcos nada contra voçê, mas se todos fossemos iguais, não divergiriamos sobre tantas coisas, masa vejo que devemos ser unidos apesar das diferenças entre cada um de nós!

Anônimo disse...

Colegas,

Será que existe corporativismo entre dinossauros?

ABONOS-SALARIAIS JÁ ! disse...

O superavit existe é para ser distribuído PARA TODOS, igualitáriamente !(não é para reajustes (?) geral dos beneficios, aplicando-se um percentual....

Concordamos com o anônimo 8:57(29/9): "Independe do VALOR e do TEMPO que cada um contribuiu à Previ" Vamos distribuir METADE do superavit JÁ e AGORA (+- uns R$ 8 bilhões)na forma de ABONOS-SALARIAIS, para todos os participantes do noss Plano 1(inclusive os "renda certa", pensionistas, pré-67, pré1997, pós 24/12/1997, ativos (inclusive os 80 acima de 65 anos, ainda na ativa (?), aposentados com VP+136%, aposentados por idade, aposentaodos por doenças, aposentados com beneficios acima e os abaixo da média...TODOS(enfim) OS 120 MIL PARTICIPANTES DO PLANO 1 RECEBERÃO IDÊNTICA VALOR EM ABONOS-SALARIAS.....até acabar o valor de 50% (Metade) do registrado como superavit...Após concluida a distribuição, vamos , então, brigar com o BB pela OUTRA METADE !!!!

(Quem viver....Verá !)

Isso é Justiça, equânimidade, valorização de todos
(Foi o que o fundo Vailia fêz...Simples e rápido)

Anônimo disse...

Interessante proposta colocada no site da AFABB/PR:
"entendemos, salvo melhor juízo, que o procedimento correto, equânime e equilibrado, sob todos os aspectos, seria a devolução dos valores das contribuições mensalmente vertidas pelos participantes, a partir da última contribuição recolhida e retroativamente, até que exauridos os recursos superavitários destinados à distribuição, exatamente como preconiza a Resolução 26, artigo 25, parágrafo 2, providência que estaria amplamente amparada pelo texto legal".
Acho que é o procedimento mais justo, pois não acredito que alguém queira receber o que foi contribuido por outros.

Anônimo disse...

... e aqueles que tanto criticaram e até lutaram (uns poucos) contra o regime militar, agora praticam as mesmas barbáries. Vide a famigerada Resolução, que ora aniversaria, e que infernizou a vida de tantos. Francamente dá nojo tanta hipocrisia. Vade retro ... VOTO FACULTATIVO, JÁ. Pois, até na Venezuela o voto é FACULTATIVO. Pior que isto, só mesmo ficando atrás de Nigéria e de Angola, sem querer ofendê-los, no quesito Leitura. Ficar na antepenúltima colocação dentre 40 países, neste mesmo quesito, é dose pra mamute. Este é um exemplo da atenção que a politicalha dá à educação em nosso país. Isto tudo, e mais um pouco, para dizer que a questão do superávit vai ser decidida de forma AUTORITÁRIA, como tudo têm sido e sempre foi. Nada mudou.

Anônimo disse...

Penso que a palavra de ordem para a distribuição desse superávit é: TRANSPARÊNCIA, para que se evite a tremenda injustiça do passado!
TRANS-PA-RÊN-CIA! Ainda que se tenha que recorrer ao Judiciário.

Anônimo disse...

Sra. Isa Musa,

Há décadas a senhora transita com grande desenvoltura entre as cobras criadas, alojadas sempre em cargos proeminentes, quer na ANABB, AFABB,AAFBB, CONTRAF CUT, COMISSÃO DE EMPRESAS, PREVI, BB, e na própria FAABB, etc. Por conhecer todos os atalhos para uma segura negociação, é que tenho a certeza que a sua missão será exitosa.
Nós sabemos que a senhora tem personalidade, luz própria e pulso firme para tomar decisões.Brigue como uma leoa na defesa dos seus filhotes (os aposentados).
Porém como tem escudeiros influentes, dentre eles podemos citar o Sr. Gilberto Santiago, é aconselhável deixá-los apenas na tarefa de fazer a faxina das ervas daninhas para a sua passagem, reservando integralmente as suas forças e seu tempo para as grandes decisões.
Confio totalmente no seu trabalho e entrego nas suas mãos a fatia que me tocar do superávit, pedindo-lhe que faça a melhor defesa que estiver ao seu alcance.
Sou grato pelo seu trabalho, porque não quero sair daquela máxima: "Quem não tem gratidão, não tem caráter".

Ademir Peruzzolo disse...

Devemos aprender com o jeito que a Valia conduziu a distribuição. Se formos tentar acertar os erros do passado com o Superavit, vamos apenas continuar errando.
É bem lógico o jeito que fizeram: já fica autorizado o futuro na medida da existência de saldo.
E creio sinceramente que a maneira mais apropriada de cada um buscar o que acredita ser seu direito seja via judicial.

Anônimo disse...

Eu tenho medo é de uma nova crise financeira caso demorem muito com essas negociações!!!Ai o superávit BAu Bau!!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Marcos,
O carinhosamente não é para atenuar nada... Apenas porque desejo dar ênfase ao carinho que devemos ter para com todas as Associações, pois essas costumeiramente são alvos de tantas críticas de seus desafetos. E nós, que conhecemos as associações, que dirigimos associações, sabemos o quanto é árdua a nossa tarefa de levar esclarecimentos aos colegas e o quanto somos criticados, mesmo quando tentamos acertar. A faabb não dá preferência a associações. A AAFBB e a AFABB SP conquistaram espaço porque lograram participar de uma chapa que hoje dirige a Previ e assim participam das mesas. Ouso dizer que devemos nos alegrar por poder contar com aposentados em conselhos de nossas entidades, pelo menos podemos cobrar deles que nos defendam.
Atenciosa e carinhosamente
Isa Musa

Anônimo disse...

Sr. José Carlos e Anônimo 10:13,

Você, colega, fez duas brilhantes defesas da Sra. Isa Musa. Pelo que se dessume, do tratamento carinhoso e lhano, o senhor partilha muito de perto do convívio com a nossa Lider.
Bonita amizade e o que fêz com aguda polidez, pode muito bem acalmar os ânimos, remetendo o foco para a causa comum, que não é outra senão a defesa intransigente dos direitos dos aposentados. Todos, Marcos, Isa e o anônimo cavalheiro, estão de parabéns pelo trabalho que estão realizando.
Já que vocês ( José Carlos e Anônimo 10:13 ) são a mesma pessoa, vou chamá-lo de Fulano.

Anônimo disse...

Pessoal, acabei de ler no site da PREVI uma noticia espetacular: Educação Financeira.Estão pensando que somos esclerosados ?
Estamos bem conscientes dos nossos direitos!
Acora BB!!!!!!!!!!!!!!!
AcordaPREVI!!!!!!!!!!!!!!!!!!!aoyssem

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caro anônimo das 15:11.

Faltou dizer que o "José Carlos" e o anônimo 10:13, que você chama de Fulano, são o Senhor "IP" do post anterior.
Agradeço pela lembrança.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezada Isa Musa.

Pela facilidade dos meios de comunicação de que dispomos, e que sempre usamos, poderia valer-me do telefone ou e-mail particular para dirigir-lhe esta mensagem. Mas, se assim agisse não ficaria em paz com minha consciência.
Por isso, faço este pedido publicamente: aceite minhas desculpas pelo modo grosseiro e incivilizado com que me dirigi a você, aqui no blog.
Alertado pelas sutis reprimendas que venho recebendo, reconheço que não agi corretamente ao elaborar o infeliz texto a que aludo, consciente de que nada posso alegar como justificativa para amparar o desalentador comportamento adotado.
Espero sinceramente que não se dê ao trabalho de fazer menção a este apelo, pois, pelo que a conheço, bem sei qual será sua resposta: “não há de quê!”

Respeitoso abraço,

Marcos Cordeiro de Andrade.

Anônimo disse...

Rogo a Deus que essa senhora Iza seja homem, pois caso contrário não terá s... para agüentar tanta apurrinhação.

Anônimo disse...

MARCOS,

Também não entendo porque numa negociação de distribuição do superavit ainda tem propostas de 100% do teto, pedevista, e outras milongas mais.
O assunto em pauta é a distribuição do superavit e mais nada, e que seja de forma isonômica. É inaceitável outra situação que não esta.

Na distribuição anterior não recebi nada e ninguém pensa em corrigir essa situação.
Só vejo interesse espúrio por parte dos negociadores. Só existe uma maneira correta de se fazer a distribuição: de forma equitativa e isonômica.

Corrigir o que pensam essas mentes insanas? Teto de 100%? Por que? Mais outra mamata. Pedevista, por que? Isso não faz parte de distribuição do superavit.

Se fosse para corrigir "injustiça" por que não tentam corrigir o período em que nós ficamos sem correção salarial na ativa e isso nos prejudicou e muito comprometendo o valor do benefício PREVI.

Por que não simular aumentos salariais desde a data em que o Banco deixou de fazer essa correção até a data do reinicio das correções salariais.

Vou tentar explicar o raciocínio:

Salario da ultima correção:
R$ 2.000,00.

Simulação dessa correção até o reinicio das correções salariais:

Podemos aplicar um dos índices aplicados para correção dos salários ou os da FENABAN para o período.

Valor do salário com correção simulada para o período sem reajuste:

R$ 2.900,00

Esse valor passaria a ser corrigido pelos reajuste normais ocorridos nos acordos coletivos.

Façamos o exercício de alguem que aposentou em 2007.

Aplicando a correção até a data da aposentadoria o salário simulado chegou ao valor de R$ 3.600,00.

O valor do salário quando da aposentadoria da PREVI foi de R$ 2.800,00.

A PREVI fez o cálculo do benefício que atingiu o valor de R$ 1.600,00 cujo valor foi acrescido com o INSS que resultou numa aposentadoria R$ 3.000,00.

Para se calcular a diferença entre a simulação e o efetivo benefício da PREVI, simula a aposentadoria da PREVI sobre o valor de R$ 3.600,00. Que encontrou um valor de benefício simulado R$ 2.400,00.

Essa diferença de R$ 2.400,00 - R$ 1.600,00 = R$ 800,00 seria o valor do Benefício Especial de Remuneração a ser bancado pelo superavit. Isso seria justiça? Ou não?

Nesse período acredito que os aposentados tiveram os reajustes normais da PREVI, então logicamente não enquadrariam, pois não perderam nada.

Mais um plano mirabolante?

O negócio é o seguinte. Não deve existir mais nada na negociação do que a distribuição isonômica do superavit.

Anônimo disse...

Marcos,

Você tem toda razão, ao afirmar que o Fulano é também o Senhor IP. Sem perceber, as pegadas que deixa, sem dúvida alguma, são os pontos de interrogação (?), espalhados alhures. Ele usa e abusa dos sinais diacríticos.

Ari disse...

Primeira Parte

Reivindicações apresentadas pelos representantes dos associados na reunião do dia 27.09.2010 em Brasília:

01. Aumento linear com piso mínimo.
02. Continuidade de suspensão das contribuições.
03. Aumento do teto de benefícios para 100%.
04. Aumento no percentual das pensões para 80%.
05. Redução da parcela Previ para 360/360 avos dos benefícios.
06. Aumento do benefício mínimo.
07. Antecipação de benefícios para as mulheres aos 45 anos.
08. Abono anual para os aposentados.
09. Resgate da contribuição patronal pelos pedevistas.

Para compararmos ao Plano de Benefícios Definido da VALIA (Fundo de Pensão da Cia Vale do Rio Doce) temos as três medidas já acordadas por aquele fundo:

a) pagamento de um abono, em uma única vez, de caráter excepcional, equivalente a três vezes o valor do benefício de cada aposentado e pensionista, líquido da contribuição para a Valia.
b) pagamento em junho de 2011 e, sucessivamente, em junho dos anos seguintes, de um abono equivalente a três vezes o valor do benefício de cada aposentado e pensionista, líquido da contribuição para a Valia, enquanto durar o ‘”fundo de distribuição do superávit”, bem como persistirem as condições legais e regulamentares para a sua concessão;
c) manutenção do pagamento mensal de 25% do valor do benefício de cada aposentado e pensionista, líquido da contribuição para a Valia, enquanto durar o “fundo de distribuição de superávit”, bem como enquanto persistirem as condições legais e regulamentares para a sua concessão.

Ari disse...

Parte Dois

Nota-se que pelo item C já haviam sido melhorados os benefícios em 25% mensais. Os ítens A e B referem-se somente a abonos extras.

No nosso caso da Previ, analisando as propostas colocadas à mesa num total de nove, vemos que algumas serão descartadas pela patrocinadora ou pela Previc. A meu ver, a de número 7 – antecipação de benefícios para as mulheres aos 45 anos, será impugnada posto que o INSS não concede tal benefício. A de número 9, devolução patronal aos pedevistas, será eliminada por não contemplar os aposentados.
Restam, então, sete propostas dentre as quais algumas completam as demais. A proposta 2 será atendida porque já está acontecendo; a 6 carece deste “valor mínimo” para definição; e a 8 é o abono anual transitório que será concedido se ao final sobrar recursos. Finalmente, a de número 5, penso que não passa por tratar-se da PP que somente terá solução política.

Meus palpites:

A proposição nº 1 vai ser aprovada. Meu prognóstico será de um aumento de 20% com piso mínimo da R$500,00.
As proposições 2, 3, 4, 6 e 8 também serão aprovadas.

Anônimo disse...

Colegas,

Chega de hipocrisia, fórmulas mágicas criadas pelo VALMIR CAMILO para distribuição superávit, chega de beneficiar alguns em detrimento de outros, NÃO É SEU SASSERON (defensor do aumento de teto para 100%).

Vamos fazer justiça e justiça é beneficiar a todos indistintamente independentemente de pré, pós, de tetos diferenciados de contribuição, não esquecer das pensionistas. Vamos uma vez na vida nos unirmos para que todos se beneficiem igualmente.

Abraços!

Ari disse...

A nova tabela já se encontra disponível no site da Previ: Para 100 mil em 96 meses = 1.544,11
Até 69 anos.

Anônimo disse...

BRAVO AMIGO MARCOS GOSTEI MUITO DO SEU PEDIDO DE DESCULPA À NOSSA QUERIDA ISA. É ASSIM QUE SE FAZ. ASSSOCIAÇÃO UNIDA JAMAIS SERÁ VENCIDA. VAMOS TRABALHAR COM TRANSPARÊNCIA , CAUTELA ,SEGURANÇA E PACIÊNCIA
PAZ E AMOR A TODOS.

Parâmetro disse...

Colegas,NOSSO SENHOR JESUS CRISTO contou a parábola daquele patrão que começou a contratar empregados para trabalhar na sua colheita.
Começou contratando pela manhã.
Continuou nas horas seguintes,ao meio dia,uma, duas, três e quatro horas da tarde.Ao final do dia pagou a todos o mesmo valor combinado com os primeiros.Então, estes reclamaram que estavam recebendo o mesmo que aqueles que começaram mais tarde.Jesus então disse ao primeiros:Estou lhes pagando aquilo que combinamos.Portanto não há porque reclamarem.Quanto aos que foram contratados por último e trabalharam sòmente uma hora no fim do dia, quero que recebam a mesma quantia.
Conclusão:No nosso meio temos aposentados que se acham melhores que os demais, porque ficaram mais tempo no banco que os outros e querem levar vantagem:receber proporcional ao tempo de contribuição.Se julgam maiores e por isso querem ganhar mais.
O exemplo da parábola de Jesus nos deixa claro que a distribuição do superavit deve ser igual para todos. Independente do tempo de contribuição.Conforme proposta já dicutida na reunião de São Paulo: Um percentual sobre os benefícios, com valor mínimo.Simples de ser aplicado. Sem maiores cálculos, que só servem para complicar e atrasar mais do que está, sua operação.Deixemos o egoismo de lado. O importante é que todos recebam o superávit.As circunstâncias da vida de cada um que trabalhou no BB, são diferentes.Mas todos fizeram parte da sua construção.

Pedro Borges disse...

Com tudo o que assistimos atualmente, com este governo que aí está, ainda mais com o que está praticamente eleito, não creio que possamos esperar muita coisa. Já assistimos a derrocada de grandes do nosso sistema financeiro, muitos aposentados ficaram a ver navios com as liquidações de alguns fundos previdenciários. Ficamos entre a cruz e a espada, pois é difícil decidir se melhor pegar agora o que ainda temos ou se podemos confiar na fortuna "contabilizada" na Previ. Todos já devem ter lido análises competentes de alguns associados e alguns chegam à conclusão de que a situação da Previ não está entre as melhores do mundo. Sinceramente penso que estamos indo com muita sede ao pote, precisamos de cautela.

Anônimo disse...

Vou tentar mais uma vez. Se alguém puder respoder, agradeço.

"aumento no percentual das pensões para 80%"

Isso já vale pras atuais ou só pra futuras pensões? Valendo pra todas, quer dizer q, se aprovada, as pensões já terão um reajuste de, no mínimo, 20%?

Anônimo disse...

Colegas,

Se a ANABB ainda tem força é porque existe milhares de associados, que não perceberam ainda onde se escondem os inimigos dos aposentados da PREVI.

Se as propostas do VALMIR, CECILIA, E OUTRAS FIGURAS CARIMBADAS forem aceitas eu já sei quem será beneficiado com a distribuição deste superávit. Os mesmos da última distribuição (renda certa, aumento de teto para 90% e assim por diante).

Marcos faça uma enquete e verás quantos dos que frequentam este Blog, foram beneficiados pelas propostas aprovadas na última distribuição do superávit.

Boa Sorte a todos!

Anônimo disse...

anônimo disse:
ao anônimo(a) das 17:20hs.
SIM ,vale prá todas, SE aprovado. Seu raciocínio está correto.

Anônimo disse...

Propostas apresentadas para a mesa de negociações que devem ser descartadas para não invibializar o processo: vide abaixo.


01. Aumento linear com piso mínimo.
02. Continuidade de suspensão das contribuições.
03. Aumento do teto de benefícios para 100%.
04. Aumento no percentual das pensões para 80%.
05. Redução da parcela Previ para 360/360 avos dos benefícios.
06. Aumento do benefício mínimo.
07. Antecipação de benefícios para as mulheres aos 45 anos.
08. Abono anual para os aposentados.
09. Resgate da contribuição patronal pelos pedevistas.

Vamos verificar as propostas acima e descartar aquelas que não tem nada a ver com a distribuição do superavit:


01. Aumento linear com piso mínimo.

Tudo a ver com o superavit.

02. Continuidade de suspensão das contribuições.

Nada haver com o superavit. Mas a medida deve continuar.

03. Aumento do teto de benefícios para 100%.

Nada haver com a distribuição do superavit.

04. Aumento no percentual das pensões para 80%.

Nada a haver com o superavit.

05. Redução da parcela Previ para 360/360 avos dos benefícios.

Nada a ver com superavit.

06. Aumento do benefício mínimo.

Nada a haver com o superavit.

07. Antecipação de benefícios para as mulheres aos 45 anos.

Nada a haver com o superavit.

08. Abono anual para os aposentados.

Tudo a haver com o superavit.

09. Resgate da contribuição patronal pelos pedevistas.

Nada a haver com o superavit.

As propostas de nrs. 04, 05, 06, 07e 09, são dependentes de alteração do estatuto e não tem nada haver com o superavit. Caso ocorra mudanças no estatuto para que essas propostas sejam viabilizadas e incrementadas elas simplesmente serão custeadas pelo plano independente de resultado superavitário.

Caso essas propostas sejam realmente mantidas em pauta somente atrasará a discussão da distribuição do superavit, que poderá criar impasses e inviabilizar todo o processo de distribuição do superavit.
Quem sabe é o que pretendem os autores dessas propostas. Inviabilizar a distribuição. Quem sabe estão obedecendo ordens superiores. Não sejamos ingênuos. Cuidado com o canto da sereia.

Anônimo disse...

Colega Anônimo 16:05,

Essa pérola que você soltou, ao rogar a Deus para que a Sra. Isa seja homem e tenha...., mostra uma veia artística fenomenal, credenciando à atuar no teatro, nessas comédias " Stand Up Comedy". Aí, bem remunerado, você pode até dispensar esse superávit.
Francamente, foi o post mais engraçado que já vi neste blog.Talvez você também tenha feito isso com a intenção de desarmar os espíritos, e conseguiu.

Anônimo disse...

Colega, acho que poderei responder a voce já que ninguém respondeu. Pelo que sei esse aumento se sair valerá para as atuais e para as futuras!!!!
Muito pouco o que recebemos não acha?
Se Deus quiser conquistaremos os 80%!
Abraços!!!

Anônimo disse...

MARCOS,

Escrevi um texto que se perdeu por problemas no modem de meu computador. ( tive que comprar um novo).
Versava sobre atitudes/comportamentos, no incomum momento em que vivemos.
Talvez essa "mensagem" tenha chegado pelas preces que faço a meu bom Deus, ao seu pensamento Marcos, pois, momentos atrás li seu pedido de que a Isa considere deletadas as palavras lançadas no manifesto.
RECUPERASTE DE TODO minha admiração ( um pouquinho abalada, há dias ). És verdadeiramente um BOM HOMEM, PORTANTO UM EXCELENTE PAI DE FAMÍLIA. Recomendações a todos os que desfrutam de teu convívio.
Cordiais Saudações

anônimo dinossauro disse...

Anônimo de hoje as 11:54 hs.
Este dinossauro não vai entrar de mansinho com seu texto, pretendo dar algumas caneladas. Gostaria de lembrar-lhe que, nas distribuições anteriores do superavit, com exceção da suspensão das contribuições, que ocorreu para todos, eu e muitos outros não recebemos um centavo sequer, nem mesmo do renda certa. Tudo o que restou, dos 14 bilhões distribuidos, foi utilizado na melhoria dos benefícios mais defasados. Você ainda quer mais?
Por que não vai pedir ao Banco que abra mão de uma parte dos bilhões que pretende levar para melhorar seu benefício? Novamente você quer passar por cima de nossos direitos para resolver o problema de seus baixos rendimentos, que talvez tenham se originado por desinteresse da carreira no Banco. Um dia, vou lhe contar o que você poderia ter feito para melhorar seus rendimentos, na aposentadoria. Requer muito sacrifício e dedicação Se os bilhões gastos não resolveram o problema de seu benefício, você deveria cobrar de quem fez a distribuição anterior do superavit, e não nos culpar por isso.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caro Colega das 17:29.

Creio que uma enquete nesse sentido não surtiria o efeito desejado. Poucos compareceriam para validar uma pesquisa excludente, pois seria o mesmo que votar contra si. Também, na atual conjuntura uma enquete desse tipo soaria como um fato aleatório, sem propósito definido.
Vamos aguardar o desenrolar dos trabalhos que as lideranças convocadas têm a seu cargo. A despeito das divergências surgidas quanto às participações, resta-nos acompanhar adotando postura construtiva. Os comentários havidos e os que certamente ocorrerão serão benéficos para aclarar pontos obscuros ou controversos, se do conhecimento dos debatedores. Afinal, ninguém esta ali para perder, e esperamos que nossos representantes atinjam o auge da capacidade de convencimento para concluir com êxito a tarefa que abraçaram, nos distinguindo com os benefícios almejados.

Chico Alves disse...

Meu Caro Marcos,
A participação como sócio da AAPREVI e a leitura diária do seu blog me deudstro a oportunidade de analisar de forma, eu diria curiosa, a reação das pessoas diante dos fatos. Vejamos o caso da nossa Previ. A atual diretoria, gostemos dela ou não, administrou o Fundo, acredito eu, de forma competente e profissional, cujo resultado importante foi apresentar um Superavit acima de 45 bilhões de reais, montante este, visto por todos, críticos e apoiadores da diretoria, como a soluçâo dos nossos problemas financeiros. A maioria dos que aqui se manifestam, infelizmente no anonimato e sem acrescentar nada de positivo à nossa luta, esquecem que esse resultado é fruto de um trabalho que exige muita responsabilidade técnica e dedicação profissional. Não se ouve elogios, somente críticas. A maioria só pensa em sí, objetivando a apropriação da sua cota individual. Falo isso meu caro Marcos, pensando também em você. Certamente os aplausos fáceis de hoje poderão se transformar em críticas ácidas amanhã.
Saudações Aaprevianas.

Joaquim Luiz disse...

"Eu sou diretor da associação dos pedevistas e tentei diretamente com o Sr. Gilberto Santiago um assento à mesa de negociações. Gentilmente ele me ligou e disse não ser possível, principalmente porque as propostas estão em ordem de prioridade e o dinheiro disponível para distribuição não atende nem até a terceira na ordem."
================================
É uma pena que os comentários não possam ser numerados, pois facilitaria muito.

Essa parte de cima eu copiei de um dos cometários e que me chamou atenção pelo tardio alerta que faz, a muitos de nós

É claro que não existe dinheiro para contentar todas as reinvindicaçoes e algumas totalmente sem nexo e conteúdo.

Logo, mais uma vez afirmo... só deveriam haver duas, DUAS hipóteses em negociação, e tb. não concordo com ordem de prioridade e sim em ordem da que melhor atenda a TODOS e não pode existir NENHUMA sobra de verba, logo inexstirá a 2ª, a 3 ª e assim por diante

sergioinocencio disse...

MARCOS e pessoal,

creio que o único medo que assombra nossas noites e dias é o fantasma de um novo RENDA CERTA, queremos ,achamos possivel e até cremos em justiça, mais o medo é uma constante nos diversos comentarios postados aqui.
qdo da ativa e criaram a central sindical, diziamos, quem tem cut tem medo.
bopns pesadelos até dia 18.10.
PESSOAL, DESENCANEM o que há de for , será.

wilson luiz disse...

Caro anônimo 29 setembro 17:20 hs.
Qualquer melhoria que for concedida às pensionistas, com certeza, será extensiva a todas, sem distinção.
Gostaria apenas de lembrar que, como a Resolução 26 veda a concessão de qualquer melhoria de benefício em caráter definitivo, o que for concedido somente será pago enquanto perdurar o superávit.

Anônimo disse...

Marcos, acredito que o anônimo de 29 de setembro de 2010 das 18:01, tem razão quanto a discussões de temas que não tem nada a ver com a distribuição do superavit. A distribuição já é prevista nos normativos e na legislação que rege a matéria.

Realmente as outras questões depende de mudanças estatutárias e essas mudanças espero que venham a se concretizar num futuro bem próximo, não serão custeados por superavites, mas sim pelo próprio plano e serão duradouras, isto é, enquanto existir o nosso PB1.

Então acredito que a sugestão do colega deve ser repassado a ISA MUSA para as devidas consideração sob análise de uma ótica imparcial e sem demagogia. Pois, solicitar medidas que não enquadram no tema superavit são por demais enganadora e se persistirem com isso deixa-nos a impressão que querem tumultuar o processo, que como foi dito pelo colega, inviabilizando as negociações que ficaram travadas por discussões inúteis e fora de propósito.

Anônimo disse...

Marcos, em especial ao Sr. 15:11, 16:18,

Não sei porque estou sendo comparado ao Sr. José Carlos que sequer conheço, por defender a Sra. Isa e por dirigir ofensas ao Sr. Marcos Cordeiro.
Tenho certeza de que em momento algum, nas minhas participações, neste Blog e em qualquer outro, procurei ofender a quem quer que seja, nem como dirigente, nem como pessoa.
Se cometi algum erro foi involuntário.
Ademais, sempre escrevi que tenho admiração PROFUNDA pela pessoa do Sr. Marcos Cordeiro.
Desta data em diante, para não ser comparado com outrem, tomarei como reserva somente ler o que se passa nas mentes dos colegas.
Obrigado por me levar ao Aurélio - SINAL DIACRÍTICO = Sinal que se apoê a uma letra para dar-lhe novo valor, como cedilha, til, acentos, ou, nos alfabetos fonéticos, a um símbolo, para indicar as características de um som, tais como duração e articulação secundária.
DESCULPA SR MARCOS, se em algum momento possa ter-lhe ofendido, ou ter sido grosseiro, não é de minha formação.
Também espero que não haja outro sr. José Carlos escrevendo por mim.
Se fui dos primeiros a ingressar na AAPPREVI, é porque acreditei na idéia do Sr. Marcos.
10:13
Em Tempo: Se me toca alguma depreciação pela alcunha de Sicrano, não me incomoda, pois outros serão os Beltranos...

Anônimo disse...

Anônimo Dinossauro das 18:18,

Por uma questão de respeito a sua idade, peço que só dê caneladas virtuais, vez que não me sentiria bem em saber de fraturas expostas por meras bazófias senis.
Eu conheço vários assistidos com idade entre 80 e 90 anos, que ganham acima de R$30.000,00 de complemento Previ.Fizeram por merecer ? Claro que sim. Mas brigar para distribuir superávits proporcional ao tempo de contribuição, com isso eu não concordo.
Quanto a minha carreira, mesmo no anônimato, dou-lhe a minha palavra, coisa passível de comprovação, que eu fui promovido a S-12 com 18 anos de banco e aposentei-me com AP-03, fiquei mais de 20 anos como Gerente-Geral de agências do nível I, inclusive agências Centro, exercendo por um período as funções de Superintendente Regional. Em resumo, tive uma carreira brilhante, fazendo cerca de 45 cursos de treinamento, inclusive MBA pela USP. Quer mais, ou está satisfeito.
De qualquer modo, essa conversa não traz proveito para o blog e tampouco para os colegas, porquanto nenhum de nós tem poder de definição sobre o assunto.
Saúde colega e deixe de prometer estrepolias que você não pode cumprir.Não me queira mal, por favor.

Anônimo disse...

Muito obrigado ao Wilson Luiz e aos colegas anônimos de 17:50 e 18:07 pela resposta. Realmente o valor das pensões se desvaloriza a cada ano. Um aumento imediato de 20% seria mais do q justo. A lamentar apenas a informação de q só seria pago enquanto houvesse superávit.

Anônimo disse...

Sr.Marcos,

Tenho grande admiração pelo trabalho que tomou para si, conquistando o posto de ser o nosso lider,o que veio de encontro aos nossos anseios, que só tinhamos a Sra Cecília para ouvir e comentar nossas dúvidas, reclamações e solicitações, sua tarefa caro Marcos é difícil, mais voce já sabia o que lhe esperava, aqui como no BB usam o mesmo esquema, se a pessoa faz 99 e não 100, todos só apontam esse unzinho que ficou faltando os outros 99 de acertos passam batidos, somos humanos erramos se fossemos santos estavamos no céu.
Pessoas com a nossa idade deveriam ser mais equilibradas, já passamos por muita coisa na vida, respeito ao semelhante tem que estar em primeiro lugar, somos seres civilizados, o grau de irritação que ventila nos comentários deste último post são preocupantes, mostram o grau descontrolado de descontentamento a que chegamos, espero que a Sra Isa com sabedoria consiga lutar por alternativas que beneficiem a todos na reunião do dia 18, que sintam e percebam que não suportamos mais uma vã espera.
Muita PAZ a todos os colegas.

Anônimo disse...

Anônimo das 18;01, voce simplificou muito bem as 9 propostas, ficando apenas 2 que são pertinentes ao que se refere unicamente a distribuição do superávit, as demais reivindicações cada um que se acha injustiçado que entre com ação na justiça.

Joao Carlos disse...

Amigos, vamos aos fatos: a res. 26 esta valendo (apesar de, como todos os participantes, achar inconstitucional, a justiça não vai decidir ate o final do ano e, portanto, para discutir o superávit, queiramos ou não, o banco deve colocar como condição receber 50%, como se tivesse direito, para continuar a negociação).
E o pior é que, assinando o acordo, estaremos concordando explicitamente que ele realmente tem direito aos 50% (inclusive sobre os próximos superávit).
Qual seria o outro caminho? Continuar na justiça e aguardar sua decisão, sem recebermos qualquer valor do superavit? (ou alguém acredita que o banco aceitara nada receber, tendo, inclusive de descontabilizar os valores já lançados nos lucros?)
Pessoal, sejamos realistas!
O Marcos colocou sua posição, que concordo (e não é de hoje, pois de quando o blog da Cecília estava mais ativo, meu único post foi defendendo esta posição – e olha que quase apanhei – espero que agora os Colegas não batam tanto).
Vejamos:
a reserva para revisão do plano tinha, em jun/10 cerca de r$ 18 000.000 mil.
Naquela data éramos 67.636 aposentados (com r$ 6.000,00/mês de media de complementação) e 18.783 pensionistas (com r$ 4.500,00/mês de media de pensão).
O gasto mensal total é de cerca de r$ 491.000 mil.
Portanto, com 50% do superávit (r$ 9.000.000 mil) teria recursos para, da mesmo forma que o fundo VALIA (da Vale), conceder 3 complementacao/pensão para cada participante por ano (r$ 491.000 x 3 = 1.473.000 mil), durante os anos de 2010,2011 e 2012.
Alem desses valores, temos que considerar a necessidade de deixar reservado para o fundo de contribuição cerca de r$ 2.100.000 mil para cada ano que mantermos a suspensão do pagamento das contribuições (r$ 1.044.000 mil por semestre).
Assim, utilizando cerca de r$ 3.573.000 mil/ano, nos 3 anos utilizariamos cerca de
r$ 10.719.000 mil do superávit.
Portanto, a conta é simples: mantemos a suspensão das contribuições e embolsamos, cada um dos participantes, valor relativo a 3 complementos pelos próximo 3 anos.
Isso significa, repito, que qualquer próximo superávit, por termos concordado nesta negociação, o banco passara a sempre ter direito a 50%.
Ou não concordamos hoje e ficamos aguardando a decisão da justiça para derrubar a res.26 e ver como fica a situação ate lá (com o banco continuando a contabilizar sua “parte” e nós “a ver navios”).
Atentem para o fato de que, apenas entre o 1º. e o 2º. trimestre deste ano, mais de 200 colegas/pensionistas foram para o Oriente Eterno.

Anônimo disse...

Valeu Marcos, vamos continuar unidos, lutando por nossos direitos. Superavit AAPPREVI + FAABB.

Anônimo disse...

Pensionistas, não posso acreditar que as pensões terão aumento somente enquanto durar o superavit, pois a Caixa Economica Federal paga 80%.e o BB 60%.Já é hora de reinvindicarmos os nossos direitos, não acham?

antonia disse...

Marcos,
Precisamos de um representante lá na mesa de negociação. Pelo jeito a pessoa mais indicada e que está comprometida com nossos anseios é a Sra. ISA MUSA (apesar de achá-la muito paradinha para brigar por alguma coisa) é nossa unica opção, por esse motivo seria bom a AAPPREVI mandar nossa pauta para ser incluída nas reinvidicações. Essa da VALIA, que já foi aprovada pela PREVIC é muito boa e já teria a certeza de uma aprovação. Então o melhor é não inventar muito, ir no bem simplorio:
- Aumento ou abono que beneficie o maior numero de aposentados pelo tempo que houver superavit.
Não vamos ficar com picuinhas tipo: não ceder ao BB os 50%, aumento linear para todos, aumento permanente, etc. Isso só vai dificultar as negociações e demorar mais ainda o processo.
VAMOS NOS UNIR NUMA PROPOSTA SIMPLES, PARA NÃO OCORRER NOVAMENTE UMA RENDA CERTA, QUE NÓS VOTAMOS A FAVOR NA ÉPOCA PORQUE NÃO SABÍMOS DO QUE SE TRATAVA.

Luis BH disse...

Colega Joao Carlos,
Brilhante seu comentário. Você resumiu concisamente o que penso. Ontem recebi e-mail do "Blog dos Eleitos" e respondi a mesma coisa para eles. Infelizmente o Yahoo me devolveu a mensagem, dizendo que a conta deles não existia...
Três abonos anuais e a suspensão das contribuições liquidam a questão do superávit, já descontada a parte do banco.
O resto é especulação. Também acho que devemos pegar logo o que nos cabe. Se a resolução for derrubada na Justiça, discutimos depois.

Anônimo disse...

Marcos,
vejo discussões a respeito do nosso superavit que deve ter seus efeitos apenas enquanto existir saldo na reserva para esse fim.
O Banco vai se apropriar imediatamente desse valor, "in cash",independente dos futuros resultados da Previ. Isto é, se vai ter superavit ou não (leia-se prejuízo).
Nós vamos ficar dependente desse superavit futuro? Se por acaso, ninguém quer, mas se der prejuízo no próximo período como fica o pagamento para nós desse bônus anuais, ou qualquer das vantagens que a gente tiver com o atual superavit.

Alguém pode me explicar?
Nossos investimento em sua maioria estão em papéis, as bolsas oscilam muito, crises financeiras nunca estão descartadas.
Ao que se refere ao desenquadramento, vender ações para se obedecer a legislação, no caso de estar mais de 25% no capital de uma única empresa.
Essa história é pra boi dormir. As mudanças ocorrem quando os governos de plantão necessitam e esse pecentual entra numa dança, hoje 25%, amanhã 50%, de acordo com a necessidade dos governantes de plantão. Vale a pena refletir.

Anônimo disse...

Realmente, nossos colegas anônimos estão cobertos de razões em relação a distribuição do superavit, colocando na pauta propostas que não tem nada a ver com a distribuição.
Esses casos devem ser discutidos quando do acordo coletivo anual de setembro, dos funcionários da ativa, ou na justiça. Essas "injustiças" não foram nada mais do que cumprimento dos normativos vigentes, então não foi nada ilegal. Que mude os normativos, mas não transferir direitos de tantos para alguns. Isso sim é injustiça.
Não vamos complicar as coisas, vamos fazer uma distribuição isonômica, atendendo os anseios da maioria, sedenta de justiça. Chega de privilégios para alguns. Chega de injustiças. Chega de hipocresia. Chega de atender esses adeptos da Lei de Gerson, levar vantagem em tudo.

Anônimo disse...

Socorro!!!! Estamos representados na mesa de negociação pelos mesmos incompetentes que foram enrolados pela PREVI e pelo Banco nas negociações de 2008, defendendo as mesmas malogradas propostas daquela época patrocinadas pela suspeita ANABB. Façam suas apostas sobre qual será o resultado final. Acho bom alguém ir trabalhando para entrar com ação judicial.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas

Pela atualidade do tema, repito a publicação de comentário do dia 28/09, 07:46:

Isa Musa de Noronha deixou um novo comentário sobre a sua postagem "O Elo Encontrado":

Ainda que exasperante, o andamento de qualquer negociação com o Patrocinador desenvolve-se exatamente assim, lentamente e com prazos longos. A alternativa que temos para insistir na rápida solução da pendência é usar todos os meios disponíveis para fazer chegar a eles nossos reclamos. Mandem e-mail pedindo agilidade para:

vipes@bb.com.br, robsonrocha@bb.com.br, dires@bb.com.br, governo@bb.com.br, gestaodepessoas@bb.com.br, presidencia@bb.com.br
vipag@bb.com.br, vineg@bb.com.br, vicri@bb.com.br

Ou mandem cartas para: SBS Ed.Sede III - 24º andar 70.073-901 - Brasília (DF
Aos cuidados de:

Aldemir Bendine
Robson Rocha
Paulo Rogério Cafarelli
Danilo Angst
Carlos Eduardo Leal Neri

Observações do Blog:

Seria interessante que essas mensagens contivessem sugestões de aproveitamento passível de execução, e em reduzido número para prováveis enquadramentos – quatro, por exemplo. Os e-mails seriam expedidos com cópia para o Blog (marcosmca@yahoo.com.br), a critério do remetente, para aproveitamento futuro com divulgação das sugestões coincidentes.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade

Anônimo disse...

Gostaria se possível que algum colega me explicasse algo que honestamente não entendo: por que o BB leva o dele na hora e nós vamos receber (caso recebamos algo) parceladamente?

Anônimo disse...

Marcos,

Não existe paralelo para compararmos o BB e a VALE, em termos de distribuição de superávit.
A VALE é uma empresa de capital totalmente privado. A negociação é avalizada pelo Conselho Deliberativo da VALIA e depois passa apenas pela PREVIC, e o assunto encerra.
Enquanto que o rito do BB, por ser empresa de economia mista é totalmente diferente. A negociação inicia entre os nossos representantes e o BB.Depois passa pela aprovação do Conselho Deliberativo da PREVI, em seguida vai para o DEST ( Ministério da Planejamento), depois para o Ministério da Fazenda, pelo vínculo com o BB,e por último pela PREVIC que é vinculada ao Ministério da Previdência.
Portanto, nós podemos esquecer o que acontece na VALIA, e fazer o caminho inverso. Quem quiser maiores detalhes, é só entrar em contato com a PREVI que ela vai ratificar a trajetória acima exposta.

Anônimo disse...

Realmente a necessidade de aumento das pensões é preemente, visto que uma queda de 40% no valor da complementação é um descalabro, já que quando o companheiro morre o que se economiza na verdade não passa de um prato de comida e algumas mudas de roupa, o aumento de 605 para 80% é uma forma de garantirmos o futuro de nossas esposas e famílias seja pelo menos um pouco melhor quando partirmos para o outro lado.
Abços.
PAulo Segundo

Anônimo disse...

Ao colega anonimo 30/09 - 05:41,
A partir do encerramento das negociações, desde que seja formalizado o acordo e após os tramites necessários, far-se-á a alteração do regulamento, com a aprovação do Patrocinador, e os recursos sairão da Reserva Especial e serão constituidos Fundos Previdenciais a exemplo do que ocorreu na negociação de 2007.
Os resultados de 2010 serão outros.

Anônimo disse...

Concordo com o colega que deixou apenas 2 das 9 propostas.
proposta n.1
AUMENTO LINEAR COM PISO MÍNIMO.
proposta n.8
ABONO ANUAL PARA OS APOSENTADOS.

O superávit como foi dito não chegará para atender até o terceiro item, então vamos ficar com as duas propostas que atendem a todos e será esta sugestão que vou encaminhar a todos os emails relacionados pela SRA.ISA.

Anônimo disse...

Voces homens são muito egoitas. As viuvas sempre esquecidas.
Obrigada em nome das viuvas da Previ!!!

Anônimo disse...

Ao colega anônimo de 30 de setembro de 2010 das 07:32.

Todos nós sabemos que o superavit não é lucro devido as peculiaridades dos fundos de pensão. Na realidade não houve entrada de dinheiro em caixa, apenas, em sua maioria, valorização de papéis. Há os casos de pagamento de dividendos mas isso depende da rentabilidade das empresas que podem ser alterados a cada ano. Felizmente nossas aplicações são feitas em empresas de primeira linha, mas muitas vezes não se traduzem em altos ganhos e essas aplicações não podem ser concentradas. As vezes os ganhos maiores se concentram em empresas de segunda ou terceira linha, que de repente tem suas ações valorizadas acima da média. É um verdadeiro jogo e para especialistas. Como eu não sou nada posso explicar dessa rotina, eles podem explicar. Cada macaco no seu galho. Como é um jogo de incertezas é melho pegar o bonus de uma só vez. Como o Banco vai fazer garantido o seu. É lógico que o patrimônio da Previ vai ser reduzido, vai ter que vender ações ou não reaplicar em papéis de renda fixa.

No caso da distribuição do superavit anterior o volume de recursos foi infinitamente superior porque o Banco não se apropiou de nada, então esse fundo pode nos garantir o pagamento desse superavit por pelo menos de 20 a 30 anos.

Anônimo disse...

Acho muito injusto que os assistidos que ganham mais de 30mil recebam 3X o salário de abono enquanto a grande maioria recebe abaixo da média que é 6mil, a diferença é brutal, mesmo considerando que os aposentados que recebem altos valores fizeram por merecer, não concordo com esse tipo de distribuição do superávit, continua só melhorando a vida dos que não precisam, enquanto os que vivem de empréstimos não conseguirão salvar suas dívidas.

O superávit deve ser dividido de maneira linear com abonos iguais para todos os participantes do plano 1.

Anônimo disse...

Nessa empreitada de distribuição do superávit, precisamos de duas coisa:
1. OBJETIVIDADE: duas propostas apenas a serem colocadas na mesa, quais sejam, o aumento linear do benefício, com piso mínimo e os abonos anuais; o resto depois se conversa.
2. CELERIDADE na resolução, antes que os olhos gordos resolvam acabar com a nossa festa.
Bico calado e pé ligeiro!

Anônimo disse...

Gente, o que foi aconteceu com o blog da Cecília Garcez? Ninguém mais 'pisa' lá ... credo ...

Anônimo disse...

Aos colegas,

Com relação a expressão que utilizei na minha mensagem anterior dirigida a um colega cada macaco no seu galho, veio a lembrança um fato ocorrido, presenciado por mim, na época em que o Ministro da Fazenda era o Delfim Netto. Nessa época, uns 30 pra 40 anos atrás, o ministro teve a idéia de popularizar as aplicações em Bolsas de Valores e inclusive sua interiorização por esse Brasil afora. No caso, no interior de Goiás.

Estando em uma barbearia esperando minha vez de usar os serviços do barbeiro, ouvi o diálogo entre um advogado, que no momento estava sendo barbeado, e um fazendeiro que, também, aguardava a sua vez.

Disse o advogado com aquele ar de superioridade e de conhecimento sobre o assunto que iniciava com aquele diálogo, pois se dirigia a um simples "chapéu atolado", de parcos conhecimentos fora das suas lides:

- Fulano, você a aplicou seu dinheiro na Bolsa?

Respondeu o fazendeiro, que já tinha ouvido falar na tal de bolsa, com sua contumaz humildade e de ignorar a matéria no momento questionado:

- Uai, dotô, eu não apliquei não. Eu não entendo de papel. Eu ponho um papel na balança e ele não pesa nada, então eu ponho um boi na balança e eu sei quanto ele pesa.

O diálogo se encerrou por ali mesmo.

Anônimo disse...

Ao colega de 30/09 das 09:28.

Gostei também da idéia. Se não dá para atender 3 ítens para que discutir sobre as outras 7 propostas que não vai levam a lugar nenhum. Será pura perda de tempo e travamento das negociações. Quanto mais rápido melhor. Os outros assuntos devem ser discutidos em outra ocasião, principalmente relativo ao aumento de 60% para 80% para pensionistas, que deverão ter esse reajuste de forma definitiva e custeiado pelo plano como foi bem dito.

Anônimo disse...

Gostaria de sugerir 20% de reajuste para todos pagos todo mês por 5 anos (ou enquanto durar o superávit) com um piso mínimo de R$ 500,00, (pois há colegas que ganham muito pouco coisa de 600,00 de benefício mensal)

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Marcos,

Eu encaminhei a mensagem abaixo como comentário para o seu blog. Deu "error" e eu não sei se chegou ou não. Estou encaminhando direto para você e caso não tenha chegado, por favor peço que publique.

abçs
Daisy
============================
caros colegas leitores deste blog,

Eu encaminhei a solicitação abaixo com cópia a todas as nossas AFAs. Quem quiser ratificar e/ou retificar escreva para:
Roberto Abdian AFABB tupã ; colegas bb Pedro Paim ; Isa Musa FAABB; alceumonteiro@terra.com.br; salvadorjusten@oi.com.br; vera.pedrosa@uol.com.br; afabbpa@superig.com.br; afa.bh@bol.com.br;
afabb-df@afabbdf.com.br; aapbbms@hotmail.com; afabbmt@terra.com.br; afabbpr@afabbpr.com.br; presidencia@aapprevi.com.br; afabbsc@csmtelecom.com; galvao@francanet.com.br; afapgo@uol.com.br; afabios@hotmail.com; ivannkmontenegro@zipmail.com.br; neitsch@terra.com.br; afapbbjf@interfire.com.br; maceio@aabb.com.br; atendimento@afabbam.com.br; afabbrn@supercabo.com.br; afabb_rs@terra.com.br; afabbrp@uol.com.br; gilbertosantiago@aafbb.org.br; aapbb@aapbb.org.br; afabb.ba@ig.com.br; atendimento@afabbsp.com.br; mfc59@hotmail.com; afabbtup@tup.terra.com.br; afabbuberaba@terra.com.br; afabb.triangulo@mglink.com.br; afabbes@afabbes.org.br; alceumonteiro@terra.com.br; contato@previplano1.com.br
============================

Prezados Roberto, Paim e Isa Musa,

Mais uma vez eu me dirijo a vocês, na esperança de ser atendida.

Essas associações divulgaram mensagens que eu julgo muito importantes para as negociações que estão em andamento, referentes ao nosso superavit.

Já escrevi a FAABB e já solicitei que fossem refeitas as opções para negociação, pois eu penso que aqueles 10 itens para os quais a ANABB nos induziu a votar estão ultrapassados.

Hoje, um pouco mais esclarecidos, eu penso que temos opções bem melhores e mais embasadas, como por exemplo as que o Faraco e o Paim mencionaram, bem como "negociar" algumas ações que se encontram sob judice e que por si só consumiriam parcela expressiva (ou sua totalidade) do superavit. Atrevo-me a sugerir, por exemplo, a ação de reajustes de 1995 e 1996, bem como as ações do renda certa e do benefício de remuneração que deveriam ser estendidos para todos. Também creio que deveria ter prioridade a extinção da PP e/ou outras que vocês reunidos saberão identificar melhor do que eu.

Depois disto, então sim, se ainda sobrar alguma coisa, será superavit e poderão pensar em sua distribuição.

No meu entender, tb deve ser colocado em negociação a volta do corpo social e a extinção do voto de minerva.

Apelo ao bom senso de vocês para que façam contato com as demais AFAs, no sentido de consultarem os beneficiários da PREVI através de todos os seus sites e blogs sobre as novas propostas e reunirem-se com a FAABB para estudarem UNIDAS e IRMANADAS uma proposta viável e que atenda os anseios dos participantes da PREVI, para que seja levada à mesa de negociação na reunião que se fará realizar em 18/09/2010.

O tempo disponível é restrito, mas se tomadas as medidas tempestivamente será suficiente para a demanda, tenho certeza.

att

Daisy

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

COMUNICADO da Isa Musa:

Senhores,

Tenho cobrado da Previ, através do Diretor Sasseron, os cálculos dos custos das sugestões de uso da Reserva Especial Para Revisão do Plano. Essa foi também uma solicitação do Banco do Brasil no último dia 27. Considero que será mais produtivo falar do tema tendo em mãos os valores envolvidos. Tão logo tenhamos esses cálculos a FAABB chamará as associações de aposentados filiadas para debatê-las.

Na próxima segunda-feira enviarei uma edição especial do Boletim FAABB onde recuperamos toda a história das reservas da Previ para recordar e embasar possíveis discussões.

Atenciosamente

Isa Musa de Noronha

.

wilson luiz disse...

Caro anônimo 30 setembro, 03:13 hs.
O resumo da situação de nossas queridas pensionistas é o seguinte:
-se eventual aumento do benefício for concedido e se utilizar do superávit atualmente existente para seu pagamento, ele será, sempre, temporário, e será interrompido no caso de ocorrência de déficit;
-a única possibilidade de haver concessão de melhoria permanente seria a alteração do estatuto da PREVI, no capítulo da concessão de benefícios.

wilson luiz disse...

Caro anônimo 30 setembro, 06:58 hs.
Até agora, a única coisa que o Banco consegue "na hora" é realizar suas contabilizações ilegais sobre o superávit da PREVI. o que ele faz quando quer e até faz saques, criando uma conta com saldo devedor em sua contabilidade.
Na hora do "vamos ver", ou seja, a liberação do dinheiro, pela PREVI, vai funcionar da seguinte forma:
-tanto o Banco como os associados receberão o que lhes couber em, no mínimo, 36 parcelas mensais, conforme determina a Resolução 26.
Por isso, acho que deveríamos defender uma única proposta, na mesa de negociações:
-reajuste provisório de 25%, a vigorar por 36 meses, e pagamento de um abono a cada 4 meses(total de 9 abonos, no período de 36 meses).Custaria, aproximadamente, 50% da parte do superávit destinada à distribuição.

Anônimo disse...

Sr Wilson Luiz, então por que a chapa 3 colocou nas prospostas o aumento de 80% para o teto das pensionistas?
Cumpra se!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

A Daisy está vindo com novas propostas?
Pelo Amor de Deus!!!
Chega de novas propostas.
As propostas são aquelas que já foram discutidas e aprovadas na reunião de São Paulo e que devem ser resumidas em Duas:1)Aumento linear igual para todos com piso mínimo e 2)Abonos Anuais.
Daisy, voçê precisa se atualisar.
Desculpe, mas acho que voçê tem algum cargo na Anabb.

Anônimo disse...

Marcos e colegas, boa noite.

Lendo os comentários dos colegas, achei muito oportuno os feitos em 30/09 às 09:57 e 10:24, onde são mencionados piso de aumento de R$ 500,00 (pois temos colegas que recebem 600,00/mês). Um aumento de 500,00, seria bastante significativo para os mesmos. Quanto ao abono, deveria ter valor igual para todos, pois como mencionado, existem colegas que já ganham muito bem, chegando a receber R$ 30.000,00/mês, ou seja no caso de receber três abonos, receberia 90.000,00 enquanto, aqueles colegas que recebem R$ 600,00, receberiam apenas R$ 1.800,00. O mais justo caso se queira beneficiar a todos de maneira igual é verificar o que pode ser distribuído e dividir em partes iguais entre os assistidos, independente do valor do benefício que cada um receba. Neste caso, vamos supor que o valor seja R$ 36.000,00 para cada. Quem recebe R$ 600,00 ou 30.000,00/mês, receberia o mesmo valor. Se for pago em 36 parcelas, caberia a cada um, o incremento de R$ 1000,00/mês. Desta maneira, acredito que a distribuição seria justa, beneficiando principalmente os menores benefícios. Colegas, é apenas uma idéia. Espero não desagradar nenhum colega, com a mesma. Abraço a todos.
Carlos.

wilson luiz disse...

Caro anônimo 30 setembro 12:33 hs.
Você acha que a chapa 3 vai cumprir alguma das promessas feitas? Acha que eles vão contestar a Resolução 26, filha dileta da espúria união BB/PREVI? Eu nao disse que as pensões não poderiam ser aumentadas para 80%,apenas lembrei que, ocorrendo déficit,cessaria o pagamento do reajuste de 20%, cfe. Resolução 26, artigos 24 e 18.

Anônimo disse...

Daisy eu nem vou comentar a sua mensagem porque nem isso ela merece. Parece que você esta em outra realidade que não a nossa. Infelizmente ...

Anônimo disse...

Marcos,

Acho melhor publicar as formas de que o superavit por ser aplicado, conforme normativos vigentes.

O que tivemos na distribuição anterior foi um jogo de interesse entre os sindicatos e o Banco para beneficiar um grupo e não uma associação.
Verifiquem que o Banco não participou do superavit mas concordou que a parte patronal fosse inclusa no cálculo do valor apurado para a devolução relativa a famigerada Renda Certa. É muita sordidez.
Agora alguns colegas querem algo semelhante. Cabe a nós levar as sobras, como diz o Aurélio: "ser punido, castigado, etc., imerecidamente, por falta, ou ato, cometido por outrem".
Nada mais que a expressão da verdade. Por que você não vão ... plantar batatas.

Anônimo disse...

Wilson Luiz,

Sobre as pensões, me corrija se eu estiver errado, mas acredito caber outra interpretação. O aumento não seria dado usando o dinheiro do superavit, mas em decorrência da revisão do Plano, ocasionado pelo superavit.

Na minha interpretação existem duas obrigações geradas pelo superavit:

1 - sua distribuição
2 - a revisão do plano, onde entraria, aí sim, o aumento das pensões

Por ser de entendimento q superavits são causados, dentre outros fatores, pela desvalorização dos benefícios pagos, a revisão do Plano se faz necessária.

Anônimo disse...

há ANABB. VAMOS CAIR FORA DELA GENTE

Anônimo disse...

Para voce anonimo que fala sobre a ANABB.
Cairei fora também.
Acorda ANABB, pois voces perderão muitos associados
Tem outra coisa respondem sempre a mesma balela

Anônimo disse...

Colegas,

Abram os olhos e vejam quem nos representa nestas negociações de superávit e entendam porque as coisas não andam:

- ANABB REPRESENTA OS INTERESSES DO BANCO, COM O DINHEIRO DOS FUNCIONÁRIOS E APOSENTADOS. Só isto já basta para pedir as contas e cair fora.

Por favor se eu estiver errado alguém me explique como funciona esta entidade.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

ESTATUTO da ANABB

Da Associação e de seus fins

Art. 2° São finalidades da ANABB:

I - zelar pela integridade do Banco do Brasil, tendo como fundamento a valorização de seus recursos humanos;

Obs. do Blog. Isso exlica muita coisa.