sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Não vale a pena ver de novo

Caros colegas.

Como uma novela prestes a se reprisar, bate em nossas portas o anúncio de velho programa de índio, representado pela discussão envolvendo a distribuição do superávit. É lamentável que roteiristas sejam faltos de criatividade e, como medíocres produtores insistam em levar ao ar uma imitação grosseira do que já vimos – e não gostamos.

Na era moderna da encenação superavitária, cujo marco inicial remonta a 2006, é temerário supor que os produtores que se autonomearam para encenar uma peça com o velho tema, imutável no tempo e na forma, nos dêem a infeliz certeza de que não agradará ao público alvo a que se destina.

A hiena toma do leão um naco da sua presa e depois volta para brigar por mais. Muito embora não sejamos carniceiros temos que agir como tal para enfrentar o predador. Vamos dar ao leão metade da caça agora e depois de forradas nossas barrigas, ora coladas às costas, brigaremos por mais comida, se o quinhão de agora for insuficiente para aplacar uma fome de anos de seca braba.

O Banco do Brasil dá mostras de que está propenso a discutir a divisão do superávit e embora nenhuma certeza se acalente, subentende-se que quer a metade do disponível, sendo isto a pedra basilar para suportar qualquer discussão, ou acordo.

É difícil entender como uma questão tão simples alcançou o nível de um enigma insolúvel. Talvez seja necessário retornar ao ábaco para efetuar uma divisão que teimam em fazer com o uso de complexas fórmulas matemáticas. Há um monte de dinheiro acumulado por dois lados que hoje pretendem fazer a divisão, não se sabendo ao certo quem botou quanto e quem tirou tanto no decorrer da juntada. Mas sabe-se quanto soma o monte à espera da partilha. Em se tratando de dois poupadores na disputa, sendo um forte e esperto e o outro fraco e tolo, vem ocorrendo que o ladino tem agido à sorrelfa, se empanturrando com o que saca, enquanto que o de boa índole aguarda pacientemente a iniciativa daquele para pegar sua parte. Acontece que um quer mais que pode, enquanto que o outro quer tudo para si – errados ambos.

Formado o impasse, são chamados mediadores para viabilizar o entendimento. Mas deveriam ser barrados por suspeição, pois os seus votos são antecipados, o que desmerece a imparcialidade e que levará à continuidade da desavença. No entanto, ainda é tempo de mudar os interlocutores, ou instruí-los à aceitação da lógica, isto é, determinar a divisão do monte em duas partes iguais. Simples assim.

“Em condições normais de temperatura e pressão”, como num enunciado da Física, o certo seria recorrer ao entendimento científico em todas as minúcias, para deslindar a incógnita. Mas na situação presente, em que o mais fraco está cada vez mais debilitado, urge que o acordo seja firmado para garantir a sobrevivência do menos favorecido, deixando que o guloso leve a metade que exige e que não fará falta ao mais necessitado – por enquanto.

Eis a minha opinião como simples mortal, participante do PB1: destinar 50% para cada lado, enquanto há o que dividir por dois. Pois, no ritmo em que gira a roda do tempo, cedo só haverá um lado vivo.

Trocando em miúdos: que o Banco leve sua metade, e nos deixe sobreviver com o resto.

Marcos Cordeiro de Andrade - Curitiba (PR) – 24/09/2010.

72 comentários:

JVasconcellos disse...

Meu estimado Colega Marcos

B R I L H A N T E,
OBJETIVA,DE UMA CLAREZA FULMINANTE....ACREDITO
QUE ESTA E A MENSAGEM e a DIREÇÂO A SER TOMADA EM QUE ESTOU CERTO
>A unanimidade é burra<(NRodrigues) MAS A GRANDE MAIORIA DE NOS APOSENTADOS
ESTAREMOS AO SEU LADO.
Por MIM EU RESPONDO, ESTOU A SEU LADO...CONTE SEMPRE COM MINHA ADMIRAÇÃO E MEU RESPEITO...AVANTE!!!!
JVasconcellos

Henrique Soares disse...

Como as coisas mudam. Hoje, fazer parte da AAPREVI é muito mais do que tentar obter êxitos em nossas reinvidicações. Pra mim tem sido uma terapia saudável. Sinto-me rodeado de pessoas do bem, honestas e sempre bem intencionadas. Descobri que o que nos une é o que temos em comum. Parece que temos valores semelhantes. Navegamos no barco das mesmas tormentas, mas o leme é nosso. Os piratas até lançam mão inapropriadamente do que nos pertence, mas sentem uma angústia exacerbada por não entenderem o porque de nossa determinação pautada em valores tão diversos aos deles. Sempre tive medo do vírus do poder, nunca, jamais serei candidato a nada. A minha luta não é isolada e eu acredito em vocês, amigos.

Anônimo disse...

O BB tem pressa em negociar. Ficou claro. Sabem porque?
Porque a Lei 109/2001 obriga a Revisão do Plano de Beneficios, apos 3(tres) superavits consecutivos. Não se refere ao Patrocinador em nenhum momento. Presume-se que,tal qual nós, está preocupado no caso de uma provavel intermediação pela PREVIC, caso as negociações não se iniciem neste ano, pois alguem sairia perdendo.
Não existe proporção contributiva a apurar. Não existe periodo que possa ser utilizado.
Esta negociação, provavelmente, será fundamentada no "toma lá, dá cá".
Entretanto, temos que concordar que o tempo está passando, ele (BB)faz as suas "apropriações" e nós ficamos assistindo, indefesos e inconformados.

Anônimo disse...

Valeu Marcos, mais uma vez você e a AAPPREVI estão no caminho certo.Concordo plenamente com tudo que está escrito no seu comentário, notadamente o terceiro parágrafo.
Vamos a luta.

Anônimo disse...

Colegas a nota explicativa sobre a distribuição do superavit tem outra visão sobre a reunião que vai acontecer em brasilia, diferente da que a ISA MUSA reporto em seu comunicado as associações.

24/09/2010
Contraf negocia uso do superávit da Previ para melhor benefícios nesta segunda
A Contraf-CUT participará na próxima segunda-feira, 27, em Brasília, de nova negociação com o Banco do Brasil sobre a destinação do superávit do Plano 1 da Previ para melhoria de benefícios dos associados. A negociação foi solicitada pela Confederação, por meio de sua Comissão de Empresa dos Funcionários do BB (CEBB). Participam também da negociação os diretores da Previ eleitos pelo funcionalismo e representantes da ANABB e associações de aposentados.

A Previ alcançou em 2009 um superávit de R$ 44,2 bilhões no Plano 1, dos quais R$ 18,247 bilhões estão contabilizados como reserva de contingência e R$ 25,955 estão em reserva para revisão do plano.

Fonte: Contraf-CUT

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Vale a pena ver de novo só mesmo lá na tv do plim plim. Para todos nós aqui realmente não vale a pena ver de novo. Penso que o post tornou oportuno lembrarmos que a entidade hoje à frente das negociações foi à justiça contra os termos da malfadada Resolução 26. “O Juiz não concedeu a liminar, mas em seu despacho determina que, em caso de qualquer transferência de recursos da PREVI para o BB que essa seja feita em Depósito Judicial até o término da demanda. Certamente o Banco não quer isso, pois quer mesmo é o dinheiro”. Todo trecho entre aspas foi retirado do site da Federação. Daí vem a minha suposição de que, além dos cinquenta por cento dos recursos que julga lhe ser de direito, o patrocinador solicitará também que sejam retiradas da justiça todas as ações ainda em curso com o objetivo de obstar a utilização plena dos termos da resolução 26. Creio que a Federação deverá utilizar essa decisão judicial como moeda de troca para ver o que mais poderá ser conseguido nessa negociação além dos cinquenta por cento que hoje temos direito. Penso que todos os frequentadores do Previ Plano “1” têm o entendimento de que, para que as negociações evoluam, haveremos de abrir mão de metade da reserva especial para revisão do plano de benefícios. Até porque, se assim não for, adeus melhoria de benefícios no curto prazo. Só mesmo quando houver a decisão final da justiça que, convenhamos, SDS (*) quando será. É bem provável que já tenhamos passado para o andar de cima quando isso vier a acontecer. Diante de tudo que foi até aqui exposto acho que vale a pena mencionar de novo que deveremos pressionar a Federação (www.faabb.com.br/FaleConosco.asp) para que tenhamos gente nossa incluída na mesa oficial de debates. Além de vários outros benefícios teremos total transparência nas negociações e informações quase que em tempo real sobre as tratativas em curso. Vou repetir mais uma vez: pelo menos um membro da Aapprevi presente na mesa de negociação é o mínimo que se pode esperar de um processo sério de escolha de nomes cuja responsabilidade exclusiva e soberana deve ser da direção da Faabb.
(*) – Só Deus Sabe

Anônimo disse...

Desculpem, se fujo, mas acho que não, do tema. Vi no site da Previ e repasso:
""""InfPREVI 262 Especial - 24/09/2010 - Ministério da Fazenda decide que PREVI não paga CSLL"""

Interessante parte argumentação da defesa da Previ:

"""... Em janeiro de 2003, a PREVI contestou a pretensão da autoridade fiscal e informou que ato declaratório da administração tributária de 1990 reconhecia que os fundos de pensão não eram contribuintes da CSLL. Embasou sua defesa ainda no fato de não apresentar lucro, mas déficit ou superávit, e que a finalidade da Instituição é devolver a seus participantes, no futuro, em forma de benefício(s), todo o montante investido. ..."""

E Então: dois pesos e duas medidas. Lá todo o Superávit era nosso...

recca disse...

Marcos, tem alguma maneira de torná-lo nosso representante na mesa de negociações? Também acho que o banco não negociará sem os seus 50% e esperar pela justiça é temeroso em nosso País.

wilson luiz disse...

Eis que o Banco do Brasil, lobo em pele de cordeiro, entoa as palavras salvadoras: "QUEREMOS NEGOCIAR O SUPERÁVIT". Creio eu que este súbito acesso de bondade deve, primeiro, ser entendido como um lance político, para beneficiar a candidata governista à Presidência, nesta reta final da campanha. Além disso, o Banco começa a ficar pressionado pelo encerramento do terceiro exercício sem distribuição do superávit, já que ninguém sabe o que poderá ocorrer vencido este período.
Em todo caso, ocorrendo negociações, de forma alguma podemos cometer os mesmos erros de anos anteriores, onde "torramos" 14(quatorze!!) bilhões de reais e conseguimos a façanha de desagradar a todos, tanto os pré como os pós/97, com exceção, é claro, dos milionários da renda certa.
Cada qual tem sua parcela de culpa:
-os sindicatos e associações, que se autoproclamando nossos representantes, entraram em uma guerra de vaidades, apresentando propostas demagógicas e inviáveis financeiramente;
-o Banco do Brasil, que tendo conseguido o que queria, a suspensão das contribuições, lavou as mãos sobre as outras propostas;
-a PREVI, que direcionou a aprovação de propostas de acordo com seus interesses, como a renda certa para os "amigos do rei", e finalmente,
-culpados também somos nós, os associados, que iludidos pelas propostas apresentadas, acabamos por dar aparência de legalidade ao processo.
Se negociações sérias ocorrerem, de forma alguma podemos deixar que a ANABB assuma o comando do processo, como ocorreu em 2008, com os lamentáveis resultados que todos lembramos.
Até pelo curto prazo que dispomos, acho que as propostas a serem apresentadas devem ser as mais simples possíveis; cito como exemplo as negociações que ocorrem no fundo de pensão da Vale, a VALIA, sempre resolvidas rapidamente e com benefícios reais a todos os participantes.
Do lado de nossas "pseudo-associações", a coisa começa mal, pois já vi inúmeras propostas sem qualquer preocupação em explicitar o custo das mesmas.
De qualquer forma, vamos aguardar...

Anônimo disse...

Parabéns Marcos, mais uma vez suas considerações foram de uma precisão cirúrgica. CUMPRA-SE.

Anônimo disse...

atenção, sindicatos dos bancarios no meio - percentual de mordida pró sindicato ,como é de costume - nao basta a mensalidade de 30 anos, um dia por ano de serviço - esperamos para ver,

Anônimo disse...

Colegas, Marcos,

Desculpa, mas tenho que discordar n o que se refere à metade.

Se o bb quiser, deve levar o montante referente as contribuições por ele feitas, nada mais que isto.

É ultrajante o que o bb tende a fazer, usar da debilidade financeira de idosos, para encher as burras da corrupção.

Se agora for cedido ao bb a metade, amanhã e sempre irá querer metades.

O grupo deve negociar, até mesmo, que os valores não saiam da Previ, fiquem para amortizar dividas do bb para com o PB1.

Por favor não me agridam, por ter este tipo de opinião!
Anônimo

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Superávit PREVI

Caros Colegas.

O que começa errado não tem jeito, acaba errado. O exemplo anterior não serviu de alerta para os que se acham capacitados a resolver a questão do superávit.
Tudo que foi feito até agora deve ser repensado e peneirado para aproveitamento do mínimo exeqüível. E recomeçar o processo partindo dessa base de consenso.
O lado forte tem o poder de decisão, portanto cabe à parte inferiorizada atender ao chamamento com o espírito desarmado e ir como ouvinte, nesse primeiro momento. É recomendável sentar à frente do poder e anotar o que ele propõe acatando o prazo que for dado para a reunião seguinte, decisiva.
Sabedores do que possa ser disponibilizado, resta aceitar ou rejeitar a proposta. A partir daí, em havendo concordância na aceitação, virá a parte conclusiva: comparecer ao ato decisório levando debaixo do braço uma pauta simples, com poucos itens reivindicatórios de como embasar a divisão da parte que nos cabe, tudo preliminarmente discutido entre as 32 associações e cuja apresentação deverá ser feita por um único representante, para não tumultuar o processo.
Os demais integrantes da primeira mesa deverão ser procurados para elaboração de proposta única, inquestionável, não importando quem sejam esses participantes que serão instados a compor o texto a ser apresentado ao Banco, conjuntamente: Contraf-Cut, ANABB, etc. Caso não aceitem a unificação das propostas caberá à FAABB ocupar a posição de representante das afiliadas (defensoras dos interesses dos aposentados e pensionistas).
De se notar que, mesmo assim ainda haverá caminhos a seguir, pois o Banco/PREVI terá que pedir autorização aos Órgãos competentes para validar o acordo e carimbar a autorização da distribuição – restando aí menos de três meses para o prazo fatal devido à PREVI.

Saudações,
Marcos Cordeiro de Andrade.

GILVAN REBOUÇAS disse...

COMUNICADO DA TESOURARIA:

A tesouraria informa que enviou o formulário de "autorização de débito em conta" para todos os associados. Caso algum associado não tenha recebido, ou não tenha conseguido abri-lo, queiram por gentileza entar em contato conosco através do e mail tesouraria@aapprevi.com.br
Quem já recebeu esse formulário precisa entregá-lo em qualquer agência BB para que os comandos sejam efetivados.
Lembramos aos associados que se utilizam da sistemática da poupança programada, que a nova forma de arrecadação só passará a vigorar após o término das programações.


Atenciosamente,

Gilvan Rebouças.
Tesouraria - AAPREVI.

Anônimo disse...

O banco já levou o dele faz tempo Marcos!Só pessoas de mente limitada não enxergaram isso!É necessário que a distribuição do Superávit ocorra agora e da maneira mais simples possível.Contamos e muito que vc esteja à mesa de negociações, para defender os nossos interesses, pois vejo em vc uma pessoa honesta, sincera e com muita ética.Não adianta espernear e ir à Justiça, pois temos ministros como Gilmar mendes, Toffoli e outros que só defendem interesses dos poderosos, jeja que eles votaram contra o FICHA LIMPA para proteger o mandato do Roriz no DF, é desastroso e um despropósito imaginar que a justiça irá ficar do nosso lado e contra o banco, e mesmo que viesse a ficar quanto tempo iriamos poder esperar, visto que temos do nosso lado velhinhos de 65, 70, 80 anos, e não mocinhos de 30 anos com a vida toa pela frente!!!Abçs!
Paulo Segundo
Filho de um desses velhinhos!

Anônimo disse...

Meu caro
Jorge Teixeira
Sua esplanação é correta...mas a titulo de lembrança. Por algum Tempo a PREVI, cobria com 3 X 1 ...Lembra???? Ela( PREVI) esta querendo 50% .Sem questionamento, A Previ esta cobrando um limite que a meu ver é menor do que teria que receber (3X1) Certo.
Na minha humilde compreensão
por justiça, quem contribuiu,colocou sua participação
financeira, deverá levar o seu.
atenciosamente

Rogério Luiz Carvalho disse...

Bom dia amigo Marcos e colégas blogueiros, acho também que a solução passa por aceitarmos a divisão do superavit com o BB. A grande maioria dos colégas, assim como eu, estão precisando de melhoria em suas aposentadorias e pensões, e não temos mais idade e saude para aguardarmos decisões da Justiça. Assim como ocoléga Jorge, também acho que devemos pleitear um
representante nossoda Aapprevi nas
reuniões de discussão do Superavit.
Continue sempre contando comigo pa-
ra o que der e vier. Rogério.

Anônimo disse...

Colocação ponderada. No primeiro momento façamos isso sem deixar de tentar no Poder Judiciário a derrubada da Resolução 26.
Mais uma vez fica comprovada a incompetência do bb de gerar lucro sem ser através de apropriação indébita.

José Omar A. Coelho disse...

Que me desculpem os que acham que devemos ceder 50% do que é nosso ao Banco.
A PREVI está acenando com um aumento de R25.000,00, no ES o que, juntado ao 13º em novembro, nos dá um pouco de fôlego para brigarmos pelo que é nosso de direito.
Se a negociação for feita nessas bases, recebamos nossa parte e vamos à Justiça em busca do restante. Se perdermos já está dividido mesmo. Não podemos é baixar a cabeça e entregarmos o pescoço à forca. Enforcados já estamos. Temos que engrossar o pescoço e forçar a corda durante as negociações. Por sempre aceitarmos injustiças é que a maioria de nós nada recebeu do "renda certa" e o Banco ainda se julga nosso sócio.
José Omar A. Coelho

raul avellar disse...

Colegas
O que o Presidente Marcos está pro-
pondo é a síntese perfeita do pen-
samento da maioria absoluta dos participantes APOSENTADOS do PB1.
Penso que devamos fechar a questão
em torno dele, principalmente agora
que a PREVI confessou à Receita Fe-
deral que possíveis superavits per-
tencem aos seus assistidos, o que
faz dela ou uma mentirosa ou uma
sonegadora.
Raul Avellar

Anônimo disse...

Caros Colegas,

O impasse na distribuição do superávit da Previ a mais de 3 anos nos deixou saturados de tantas fórmulas e sugestões inócuas até agora apresentadas, portanto não vamos complicar, mesmo sendo injusto, que o Banco do Brasil fique os 50% que já nos tirou, mas que os nossos 50% sejam distribuídos antes que venhamos à falecer, todos aqui já tem bastante idade, já vimos que não adianta lutar contra os poderosos, a justiça existe para beneficiar os mais fracos e desprotegidos, mais no Brasil isso não se aplica, não vamos prorrogar mais essa espera, a demora só nos prejudica, quantos que já se foram, quantas dívidas contraímos nessa espera, quanto patrimônio conseguido com anos de trabalho foi desfeito para podermos mandar nossas vidas com dignidade, tudo isso foi anulando e diluindo o valor do superávit a que tinhamos direito e se continuarmos nessa briga quando recebermos alguma coisa já não adiantará nada, que usem a maneira mais prática e fácil para divisão desse montante pelos asssociados do PB1, que a reunião do dia 27, conclua alguma tragetória a ser implantada, que a Sra. Isa negocie com propriedade os destinos de tantos aposentados e pensionistas que representa a FAABB.

Carlão/Joinville disse...

Prezados, concordo plenamente com o colega "anonimo" das 07:08 horas do dia 25.09.

Conforma já explanado anteriormente nã concordo com a divisão so superavit. Se o BB/governo acha que têm razão, que modifiquem a lei. Como é sabido, uma LC não pode ser suprimida nem por uma lei ordinária (a proposito, esse termo cai bem em toda a corja que está nos surrupiando), quanto mais por uma simples Resolução.
Advogo na área previdenciaria, e todas as resoluções/portarias editadas pelo INSS com o condão de modificar as leis que amparam o segurado são derrubadas na justiça.
A proposito, está terminando o ano, e o BB tem mais pressa que todos nós juntos para resolver esse imbroglio criado por eles para acertar seu balanço e destribuir seus lucros aos acionistas.
Se concordarmos com essa excrescencia, outras virão, sempre com o intuito de nos tungar (qualquer que seja o governo de plantão - olha o que o governo de SP esta fazendo com os funcionarios aposentados de Nosa Caixa Nosso Banco).
NÃO À DIVISÃO DO SUPERAVIT.
Vamos Lutar por nossos direitos!!!!

JVasconcellos disse...

Meu Caro
Jorege Teixeira

Desculpas...Por erro meu deixei de colocar o meu nome, coisa que não faço, Eu uma comentario seu de 25/9 as 4;11
O Meu comentario foi em 25/9
as 7.40...- Jorege Teixeira sua esplanação é correta..................
Atenciosamente
Jaym Eduardo Vasconcellos]

Anônimo disse...

Depois de tudo que já foi feito e proposto eu não sei como tem pessoas que ainda acreditam que a justiça irá nos dar ganho de causa contra a Previ, ninguém mais quer esperar somos velhos, quero minha parte agora , o que o BB se apropriou ninguém vai tirar dele nem no século que vem, e aí já não interessa para nós aposentados do PB1, não é mesmo?

VAMOS DIVIDIR ? disse...

É isso aí gente ! Parabéns Marcos, excelente ponderação:
CONCORDO com os colegas Wilson Luiz e Anônimo 7:30 (25 set 2010),ao citarem os itens:
a)Ministros do STF não são confiáveis (temos grande possibilidade de PERDERMOS CONTRA O BB !
b) BB já "contabilizou" a parte dele(O leão mordeu a carniça e já engoliu R$ 14 bilhões (sendo uns 6 bilhões a maior que lhe daria a Res.26)
c) No Plano 1, já "torramos" uns 14 Bilhões e conseguimos desagradar a todos (exceto"Renda Certa"e contribuições do BB).

SOLUÇÃO PROPOSTA: Seguir exemplo do Fundo "Valia"(VALE) e dividir entre TODOS 120 MIL de maneira simples METADE do que ainda resta para ser dividido,R$8 BILHÕES$$$ na forma de ABONOS-SALARIAS DE VALORES IGUAIS A TODOS OS 120 MIL (ativos,pensionistas,aposentados renda certa,pré 1967, pre 1997 e pós 24/12/1997).

deixar a outra metade que o Leão BB já "contabilizou" R$ 8 BILHÕES e que de conta em explicar a quem quiser dos outros R$ 6 BILHÕES digeridos pelo BB ALÉM DO QUE LHE ERA DEVIDO....

Sejamos rápidos na carniça, pois podem chegar os "urubus" (sindicatos,PREVIC,Belo Monte,PeTezada na campanha,interventor do FHC, Ministros do Lula, etc e tal)

Anônimo disse...

Colegas,

Poderia se negociar em troca dos 50% do superávit da Previ, que o BB já contabilizou e não vai devolver, que os assistidos do PB1 passem a receber também o PLR igual ao pessoal da ativa, afinal é com o dinheiro que o BB retira do superávit da Previ que ele apresenta superávit

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

À
FAABB – Federação das Associações de Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil

Senhora Presidente
Isa Musa de Noronha,

Meus respeitos,

Permita-me tecer algumas considerações visando contribuir para o uso do seu poder representativo, quando ocupar o espaço que lhe for destinado na reunião de amanhã convocada pelo Banco do Brasil, para discussão da distribuição do Superávit PREVI.

O que começa errado não tem jeito, acaba errado. O exemplo anterior não serviu de alerta para os que se acham capacitados a resolver a questão do superávit.

Por isso, tudo que foi feito até agora deve ser repensado e peneirado para aproveitamento do mínimo exeqüível. E recomeçar o processo partindo dessa base de consenso.

O lado forte tem o poder de decisão, portanto cabe à parte inferiorizada atender ao chamamento com o espírito desarmado e ir como ouvinte, nesse primeiro momento. É recomendável sentar à frente do poder e anotar o que ele propõe acatando o prazo que for dado para a reunião seguinte, decisiva.

Sabedores do que possa ser disponibilizado, resta aceitar ou rejeitar a proposta. A partir daí, em havendo concordância na aceitação virá a parte conclusiva: comparecer ao ato decisório levando debaixo do braço uma pauta simples, com poucos itens reivindicatórios de como embasar a divisão da parte que nos cabe, tudo preliminarmente discutido entre as 32 associações e cuja apresentação deverá ser feita por um único representante, no meu modo de entender, para não tumultuar o processo.

De qualquer modo, os demais integrantes dessa primeira mesa deverão ser procurados para elaboração de proposta única, inquestionável, não importando quem sejam esses participantes. É imprescindível que sejam instados a compor o texto a ser apresentado ao Banco, conjuntamente: Contraf-Cut, ANABB, etc. Caso não aceitem a unificação das propostas caberá à FAABB ocupar a posição de representante das suas afiliadas (defensoras dos interesses dos aposentados e pensionistas do PB1), e comparecer isoladamente por sua presidente Isa Musa de Noronha.

De se notar que, mesmo assim, ainda haverá caminhos a seguir, pois a dupla Banco/PREVI terá que pedir autorização aos Órgãos competentes para validar o acordo e carimbar a autorização da distribuição – restando aí menos de três meses para o prazo fatal devido à PREVI.

Saudações,

Marcos Cordeiro de Andrade
Presidente Administrativo da AAPPREVI

Com cópia para as 32 Afiliadas da Federação

Anônimo disse...

Fiquei muito feliz em saber que a Previ se preocupa comigo. Me emociona ler aquela mensagem sobre o uso consciente do ES. O BB deveria seguir o mesmo caminho no cheque ouro, ourocard, empréstimos consignados, etc, etc,etc. PARABÉNS PREVI!!!

Anônimo disse...

Acho que, qualquer proposta a ser discutida na reunião em Brasília para a distribuição do Superavit deverá contemplar a todos os aposentados e pensionistas com efeito retroativo pelo menos até o início de 2008. Não devendo ser esquecido que, qualquer montante recebido terá a incidência do Imposto de Renda e provocará uma redução significativa no saldo a ser recebido.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Acho super oportuno me reportar neste momento à reunião havida em Brasília, ainda no 1º semestre deste ano, quando a “caravana da alegria” percorria o Brasil divulgando o resultado da Previ relativamente ao exercício de 2009. Lembram que o evento foi transmitido ao vivo pela Internet? Pois é, em dado momento, questionado por um membro da platéia sobre a possibilidade de só os associados receberem a parte que lhes cabe do superávit, o Sr. Diretor de Seguridade eleito foi taxativo ao afirmar que seria uma ingenuidade se esperar que o Banco aceitasse a liberação do nosso quinhão sem que ele Banco deixasse de levar a parte dele. Acho que ficou bem claro, pelo menos pra mim, que se o patrocinador não levar a parte que julga lhe ser de direito nós também não veremos a cor de um centavo sequer dos nossos recursos. Quem ainda pensa de maneira diferente tem todo o direito de agir assim. Mas, para não criar falsas expectativas e consequentemente grandes frustrações, seria bom desde já ir tirando o cavalo da chuva tendo em vista que não há a menor chance de sucesso nesse tipo de proposta. Quem viver verá.

Anônimo disse...

Colegas,

Pelo amor de Deus, não é hora DE RECUO, de pusilanimidade, de medo deixando o bb levar a metade.

É hora de NEGOCIAÇÃO, eles estão na parede, por favor, entedam isto, é o futuro de nossos filhos, netos, pensionistas.

Tmos que lutar por fatia maior do que a metade!

Benefícios na Cassi, Odontologia e outros mais, juros subsiados etc..

Anônimo disse...

Colegas existe um ditado que diz: Mais vale um passaro na mão do que dois voando!!!!
Abraçoss!!

Anônimo disse...

Esse nosso colega anonimo deve ser alguém da PREVI!!! Não deve estar precisando de dinheiro! Colega me desculpe , mas voce deve ser um dos marajás que faz parte da diretoria da PREVI! Por que fizeste o comentario anonimo? De sua cara para bater já que voce os defende tanto!!!!Abraços e passar bem!!!!

Anônimo disse...

Negociação sim, mas retroceder com relação às ações, não.
O BB está chamando para negociar porque sabe da obrigatoriedade, e está inseguro quanto as consequencias que poderão advir, já que ele é o pivô dessa situação.
Relembremos duas perguntas feitas na reunião da AAFBB de São Paulo:
Deli: o BB tem contabilizado parte do superávit, aumenta o seu lucro e distribui dividendos; Qual a base legal para ele fazer isso? Qual o interesse do BB em negociar se já pegou o dinheiro?

Resp Sasseron: o Banco ainda não levou um tostão da Previ; mas o BB já contabilizou 14 bi (até jun/2010) como “ganhos atuariais futuros”; usou a Res .26 e a Res.600 da CVM (colocou no passivo o que tem a pagar para a Cassi e no ativo o que tem a receber (?) da Previ; isso interferiu nos resultados do Banco (dividendos, PLR); se a Res. 26 cair, ele tem que estornar, baixar provisões e vai dar prejuízos; já houve acordos passados envolvendo superávits também mas o BB nunca tirou $ da Previ; foi utilizado para reduzir compromissos com a Previ;
Os 14 bi que o BB contabilizou não estão cobertos pela Res.26; ele pegou além da conta; poderia ser no máximo 8 bi; o Banco Morgan Stanley apontou que o balanço do BB está inflado por essa contabilização;
Esse é o interesse do banco para discutir: ele está exposto.

Eliana: o Banco já pegou 14 bi e nunca vai devolver nada.
Resp - Paulo Assunção: o Banco não pegou 1 tostão da Previ ainda; ele contabilizou como ganhos futuros; como ele vai resolver esse problema contábil não é problema nosso;

Devo acrescentar, ainda, que essa Resolução ainda não foi excluida, porque as ações, no mérito, solicitam a DECLARAÇÃO DE ILEGALIDADE. A ilegalidade da Resolução diz respeito à lei objeto de regulamentação, que é infraconstitucional. A Inconstitucionalidade fere principio constitucional. É muito mais grave. Porisso é da competencia do Supremo.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Ao anônimo que me chamou de pusilânime informo que seu comentário não será publicado simplesmente por isso. A mensagem chegou ao blog às 15:05.
Esse tem sido o comportamento do Blog em relação a qualquer pessoa: tratamento depreciativo não é divulgado.

Anônimo disse...

Anonimo que diz estar feliz com a PREVI: Será que voce esta feliz mesmo ou está fazendo uma média? Voce deve ser essas pessoas que usam mascaras!!!!! Gostaria de saber se voce tem ES, CDC, cheque ouro ou voce é um dos marajás que não precisa de nada, vivendo somente com o misero salario!!!!
Voce deve ser esse cara que chamou o Marco de pusilanime!
Vai baixar em outro centro!!!!

Anônimo disse...

Olha é melhor 50% do que nada!Diz um outro Ditado:Quem tudo quer tudo perde!Acreditarmos no Supremo é conversa para boi dormir!Quem nomeia os minstros do supremo?Lula e FHC, vcs acham que eles vão ir contra os seus patrões?Eu duvido!!!Abçs!
Paulo Segundo

wilson luiz disse...

Vocês poderiam confirmar, se de fato é verídica a informação postada em comentário de 24 de setembro, às 10:10 hs., na matéria anterior, em que se afirma que a Vale, patrocinadora da VALIA, estaria se apropriando de 50% de seu superávit?
Pergunto pórque, de vez em quando, estou "xeretando" em www.valia.com.br e não lembro de ter lido uma linha sequer a respeito: aliás não tenho conhecimento de qualquer fundo de pensão que esteja com as más intenções do Banco do Brasil sobre o assunto.

Anônimo disse...

Colegas,
Apenas para esclarecimentos sobre o massunto CSSL. O valor já foi excluido do passivo da Previ, no balanço passando ( 2009), conforme notas explicativas.

c) Passivo Contingente - Perda Remota
O processo administrativo relativo à autuação da Secretaria da Receita do Brasil, relativa à Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) do exercício de 1997, no valor de R$ 3.506.499 mil (atualizado em 31/12/2009), teve sua avaliação de risco jurídico revista de perda possível (em 2008) para remota, tendo em vista que foi negado provimento ao recurso especial interposto pela Fazenda Nacional, ficando mantida a dispensa de constituição de provisão.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Exmo. Sr Marcos Cordeiro de Andrade

Presidente da AAPPREVI



Em atenção à sua correspondência que se reporta à participação da FAABB nas mesas temáticas com o Banco do Brasil a propósito do uso da Reserva Especial da Previ, desejamos ressaltar que a FAABB está coerente com a postura das Associações de exigir imediata abertura das negociações com o patrocinador para uma distribuição dessa Reserva de modo justo, contemplando a todos os aposentados e pensionistas.

Durante anos a fio lutamos para que as Associações pudessem se fazer representar nas mesas que decidem os rumos de Cassi e Previ e não podemos nos esquivar dessa responsabilidade sob pena de omissão. Também estamos cientes de que, participando, assumimos o ônus e o bônus pelo que for decidido. Poderia ser mais cômodo ficar à margem e assim isentos de qualquer responsabilidade sobre o que vier a ser feito, mas as associações não desejam que apenas acompanhemos à distância tais conversações.

Quando nos fizemos representar à mesa nas discussões do Estatuto Cassi, nosso enviado representava a voz das associações e seu posicionamento foi decisivo para evitar que a reforma fosse ainda mais nociva do que o texto definitivo que afinal acabou sendo aprovado. Estou certa de que, não fosse a atuação de nosso representante, o Estatuto Cassi ainda nos traria mais e maiores prejuízos. A despeito de sua atuação, o Estatuto Cassi tem cláusulas que merecem ser contestadas e isso estamos fazendo nos tribunais através de nossa co-irmã, AAFBB.

Na representação das Associações de Aposentados à mesa serão levadas por nossa voz as expectativas manifestas pelas entidades. O que aposentados e pensionistas esperam tem sido amplamente colocado desde 2008. Reiteradas vezes ficou evidente que todos desejam que uma distribuição atinja indiscriminadamente a todos e para tanto é fundamental que exista o comprometimento de todos os entes envolvidos.

Esta Federação se compromete a repassar a todas as filiadas todos os temas pautados e manterá canais abertos para a mais ampla discussão do que desse primeiro evento vier.

Atenciosamente

Isa Musa de Noronha

Anônimo disse...

anônimo disse:
Peço ao colega GILVAN, vice da AAPPREVI , que . para tirar dúvidas de inúmeros colegas quanto ao Empréstimo Simples, nos ajude informando aqui no Blog o que incide( de descontos) para apuração da margem e o que poderia ser cancelado)exemplos) em termo de consignaçãoes que poderiam influir na melhoria da margem.
Grato . Abraço!

Luis de BH disse...

Colega Marcos,
Como sempre, brilhante seu mote neste post. A parábola que você desenvolveu esclarece perfeitamente a situação BB x Previ x Participantes.
Como alguém já falou em outros posts, o interesse do banco agora é regularizar a situação contábil. Ele provisionou demais e outros órgãos do sistema financeiro já detectaram a maquiagem. O rombo será grande no balanço se ele não chegar a um acordo em curto prazo.
A notícia da isenção da CSLL só aumenta o superávit.
Veja que situação surrealista: brigamos porque tem dinheiro sobrando. Imagine o que o banco faria se estivesse faltando...
Pretendo me aposentar nas próximas semanas. Tenho que começar a usufruir da Previ. Quem sabe com isso ajudo a diminuir o superávit.
Abraço ao Marcos e a todos os colegas da luta.

Anônimo disse...

Marcos, Colegas,

Peço humildemente DESCULPAS, pelo uso de palavras depreciativas, não tive a intenção de ofendê-lo nem aos Colegas.

Estava de cabeça quente, com a possibilidade de o bb retirar valores dos legítimos Donos, os participantes.

Compreenderei se não aceitarem minhas humildes desculpas, mas é o que posso fazer para me redimir.

GILVAN REBOUÇAS disse...

Anônimo 14.26

A margem dos 30% é calculada dessa forma:

1 - Soma-se todas as verbas que apareçam no contracheque como credoras tais como P300, P371, P 374, P380, etc. O resultado obtido multiplica-se por 0,3. Esse é o valor da margem cosignável (30%)

2 - Do valor acima deduz-se algumas verbas de natureza devedora como C630 AAFBB , C636 ANABB MENSALIDADES, C560 EPRÉSTIMO SIMPLES, C750 CAPEC, C820 CASSI, PAS, EMPR. IMOBILIÁRIO ETC.
OBS: COOPERFORTE, e CASSI PARTICIPAÇÕES NÃO ENTRA NESSE CÁLCULO)
3- O valor da margem será a diferença entre o ítem 1 e 2.

O que pode aumentar a margem, por exemplo é a liquidação de PAS, caso exista, cancelamento do pagamento das mensalidades da ANABB e AAFBB, que são descontadas diretamente na folha de pagamento.
Na AAPPREVI o associado não tem esse problema, pois nossas mensalidades são cobradas através de débito automático na conta corrente, sem impactar qualquer margem consignável.

Atenciosamente,


Gilvan Rebouças
Tesouraria - AAPPREVI

Anônimo disse...

Caros Colegas blogueiros,

Desculpem minha brincadeira parabenizando a Previ. Foi mal... Estamos tão aflitos com a nossa situação que não existe possibilidades para ironias! Sou pós-80 e pós-97 totalmente longe da média dos 6 mil reais. Foi a maneira que achei para repudiar o absurdo da recomendação sobre uso do ES. Como gostaria de não ter que utilizá-lo...

Anônimo disse...

Marcos, realmente o Banco precisa solucionar o caso da apropriação do superavit.

Acredito que a proposta do Banco deverá nos pressionar a aceitar somente os 50% através de votação do corpo social para, de alguma forma, dar uma aparência de legalidade a contabilização virtual do superavit, com a concordância dos "interessados" (nós).
Olha que a coisa esta ficando difícil e fica naquela: é pegar ou largar. Caso consiga, em virtude daquela velha historia de que é melhor 50% do que nada, leve a aprovação do acordo.
Feito isso, o Banco automáticamente irá se apropriar realmente do superavit com a transferência de crédito que será efetuado pela Previ na conta do superavit já contabilizado, definitivamente.

Gostaria de saber Marcos, se essa reunião tem caráter oficial ou extraoficial.
Para que nós tenhamos conhecimento, gostaria de que a FAABB, através da ISA MUSA, publicasse esse convite para que possamos conhecer o teor dessa missiva, pois, se em seu teor não consta o tema da reunião temos que ficar com a pulga atrás da orelha.

Se consta tudo bem, que se discuta os nossos interesses e não o do Banco.
Espero que minha exposição acima esteja totalmente equivocada, mas na situação atual nada me surpreenderia, pois, desse governo petista e o controle que ele exerce sobre a quase (ou a) totalidade das associações e o poder de mídia e "convencimento" de antes 50 do que nada me da calafrios.
No desespero muita coisa pode acontecer.

Não é ser pessimista, pois, sabemos que as pessoas com quem estamos lidando não são confiáveis. Acho que nem eles confiam, visto que guardam dinheiro debaixo do colchão.

Até apróxima. Podem falar mal dos anônimos, melhor que usar pseudônomo.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezada Isa Musa,

Este comentário foi publicado no Blog Previ Plano 1. Gostaria de contar com sua resposta, também através do Blog.

Grato,

Marcos Cordeiro de Andrade.

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Não vale a pena ver de novo":

Marcos, realmente o Banco precisa solucionar o caso da apropriação do superavit.

Acredito que a proposta do Banco deverá nos pressionar a aceitar somente os 50% através de votação do corpo social para, de alguma forma, dar uma aparência de legalidade a contabilização virtual do superavit, com a concordância dos "interessados" (nós).
Olha que a coisa esta ficando difícil e fica naquela: é pegar ou largar. Caso consiga, em virtude daquela velha historia de que é melhor 50% do que nada, leve a aprovação do acordo.
Feito isso, o Banco automáticamente irá se apropriar realmente do superavit com a transferência de crédito que será efetuado pela Previ na conta do superavit já contabilizado, definitivamente.

Gostaria de saber Marcos, se essa reunião tem caráter oficial ou extraoficial.
Para que nós tenhamos conhecimento, gostaria de que a FAABB, através da ISA MUSA, publicasse esse convite para que possamos conhecer o teor dessa missiva, pois, se em seu teor não consta o tema da reunião temos que ficar com a pulga atrás da orelha.

Se consta tudo bem, que se discuta os nossos interesses e não o do Banco.
Espero que minha exposição acima esteja totalmente equivocada, mas na situação atual nada me surpreenderia, pois, desse governo petista e o controle que ele exerce sobre a quase (ou a) totalidade das associações e o poder de mídia e "convencimento" de antes 50 do que nada me da calafrios.
No desespero muita coisa pode acontecer.

Não é ser pessimista, pois, sabemos que as pessoas com quem estamos lidando não são confiáveis. Acho que nem eles confiam, visto que guardam dinheiro debaixo do colchão.

Até apróxima. Podem falar mal dos anônimos, melhor que usar pseudônomo.

Anônimo disse...

anônimo das 14:26hs disse:

Valeu caro GILVAN ! bastante esclarecedora a informação para apuração da margem consignável. Muito útil para todos nós.
Parabéns pela tempestividade e eficiência.
Grande abraço

ARY TAUNAY FILHO disse...

Amigo Marcos,

Os acontecimentos de agora são a consequência de um golpe que se iniciou em 1967.

Carlos Norberto Kasper disse...

Dr.Marcos e Colegas,

Ceder 50% do Superávit ao Banco, não é tão ruim quanto parece, reflitam comigo:
Primeiro: 27,5% do que receberíamos a mais, seriam destinadas a Receita Fedral- I.Renda na Fonte
Segundo: Conflitar com o Banco, é jogar o assunto - via justiça - para um futuro, não se saberá até quando. Se vitoriosos, o BB tendo que estornar os valores já contabilizados,o que implicaria em desvalorização das ações do Banco na Bolsa, em proporções inimagináveis, com violentas perdas para a Previ, que possui significativos valores aplicados em ações do Banco. Fortes reflexos negativos em futuros resultados anuais do nosso Fundo.
Terceiro: negociar e receber logo nosso quinhão,de 50%, para muitos, como eu, será a oportunidade de liquidar dívidas e, deixar de pagar elevados juros. Certamente, muitos outros benefícios ainda poderiam ser relacionados, cada integrande do PB1 tem suas próprias necessidades e sua própria história. Mas vejam que ceder no caso dos 50%, não é de todo ruim.
Particularmente, tem um assunto pouco comentado no Blog, e que me intriga profundamente. A questão do desenquadramento da Previ no volume de aplicações em renda variável junto a certas empresas. Permitam relembrar rapidamente do que se trata: entedem os mentores da Res. 26, que aplicações concentradas em determinada empresa, superiores a l0% do próprio Patrimônio - caso da Previ/Vale, ou superiores a 10% do patrimônio da outra empresa, implicam em demasiada exposição ao risco. Estes excessos devem ser redimencionados, OU e AÍ, o inaceitável, abatidos do montante da reserva especial. Pergunto: isto não é a mais maluca das limitações já inventadas, não é a mais absurda intromição externa na Administração de uma empresa privada como é a Previ ? Técnicamente poderá ponderar-se que não é conveniente o comportamento adotado pelos dirigentes da Previ, mas abater estes valores de um Superávit, para criar obstáculos à sua distribuição, é inaceitável.
No entanto -e bato nesta tecla desde antes da fundação da AAPPREVI, no blog da nossa ex-diretora - por paradoxal que pareça, a solução é extremamente simples. Assim: não está escrito em lugar nenhum que os valores a serem distribuidos, devam ser em pagos em moeda corrente. Vejam a quantidade e o valor de bolsa das ações desenquadradas e paguem nossos direitos e os "supostos direitos do Banco" com a transferências de ações. Passaríamos a estar enquadrados e o montante a ser rateado aumentaria astronomicamente.
Carlos Norberto Kasper - Arroio do Meio(RS)

Anônimo disse...

-Essa é muito boa.

Anônimo disse...

Pessoal, vamos ajudar quem está nos ajudando Marcos, Isa Musa, e outros.Aceitamos os 50% o mais rápido possível. Melhor um na mão do que dois voando. Depois que recebermos a nossa parte (50%), amanhã será outra história.

Anônimo disse...

Colegas do Blog

Não vale a pena ver de novo,será que teremos a repetição do GT ANABB com reuniões e mais reuniões,discutir o que já foi proposto e aprovado la no ano da crise internacional.
Porque não simplifica o acordo dando ao bando do brasil os seus 50% que historicamente sempre levou em todos os acordos,e o restante melhorando a vida de pessoas e de famílias inteiras que também retornarão aos cofres do banco do brasil via pagamento de diversos tipos de empréstimos.
Colegas nem todos os aposentados e pensionistas do PB-1 guardam quantias elevadas em baixo do colchão.

Vamos não só dividir, mais melhorar nossos situação financeira.

O RESTO É DEMAGOGIA PURA.

Alguém ainda deve se lembrar que a ex diretora poderosa da PREVI,cantou a pedra sobre a revisão do ES. para ser liberado em outubro,será que "ela" tem bola de cristal !!!!.

Anônimo disse...

Colegas não adianta voces acharem que o Banco não leva a sua parte,os próprios Dirigentes de associações ou sindicatos são a favor dessa divisão,voces são testemunha que até pouco dias atrás a Previ dizia estar enquadrada dentro do prazo, pois em 2008 ela fechou o caixa com deficit?
Qual o motivo tão repentino dessa mudança,o Sasseron joga nas duas pontas,é do sindicato e das associações,ninguém melhor do que ele pra saber que mais de 70% dos colegas aposentados e principalmente as pensionistas estão sem saida e vão aceitar qualquer acordo que os beneficie com alguma melhora em seus benefícios.
E eles sabem que por mais que o acordo seja vantajoso para os aposentados e pensionistas o grana continua no caixa da previ,saindo aos poucos a conta gotas,como na revisão do ES.
Com a margem melhorada ano que vem,eles aumenta mais um pouco e termina o mandato dizendo que cumpriu as promessas de campanha,apoiando a chapa que certamente manda na previ por mais alguns anos.
É VER PRA CRER,para aqueles que ainda contam com a totalidade do superavit somente para os verdadeiros donos do dinheiro.

Pare de contar com a sorte e vamos ser práticos minha gente.

NA PREVI TUDO É PREMEDITADO.

Anônimo disse...

Colegas o renda certa foi uma manobra tão bem arquitetada e contou com a participação direta de quem estava na mesa de negociações,que até hoje ninguém cobrou providencias a respeito da APOSENTADORIA AS MULHERES AOS 45 ANOS.

PORQUE? NINGUÉM EFETIVAMENTE COBROU O QUE FOI ACORDADO ENTRE O CORPO SOCIAL,ESTA ERA UMA DAS PROPROPOSTAS E ELA ESTA NOVAMENTE NA PAUTA DE REINVINDICAÇÕES.

Outro dia um colega disse que elas nao desejam se aposentar nessa faixa etaria,porque os ganhos seriam somente para a previ.

Isso é para mostar aos colegas que todas as propostas são colocadas para de alguma forma beneficiar somente a previ.

O certo é dividir em partes iguais,em forma de abono mensal até que nao haja um centavo na reverva para a revisão do plano.

que fosse dado hum mil, dois mil ou tres mil não importando o tamanho do salario do cidadão,ai sim seria praticado justiça.

mais muitos irão dizer, não não eu paguei a mais, tenho que recebe mais.

e pra finalizar a conta nunca vai fechar,porque sempre haverá gente do contra, e é por isso que se faz necessário que poucos participem,porque muitos de nós so sabe mesmo é dia 20 ir ao banco pagar as contas e nada mais que isso.

imaginem se todos nós fossemos articulados como as coisas poderiam ser bem melhores.

Imaginem todos os dias chegando 60 mil e-mail na previc cobrando a revisão do plano de beneficios numero 1 da previ. como eles receberiam isso.

Mais as associações não se preocupam nem de informar o que é necessário aos seus participantes imagina campanhas como essa.

A FEDERAÇÃO DIZ TER ACESSO VIDE ASSOCIAÇÕES A 60 MIL ASSOCIADOS DA PREVI,somente ela e a Anabb tem esse poder de fogo,que nunca é usado em favor dos senhores da terceira idade.( ESTATUTO DO IDOSO ).

Anônimo disse...

Colegas do Blog.

PARE! E PENSE UM POUCO.

Até agora nada foi feito ou proposto que beneficie os aposentados e as pensionistas do PB-1 sobre o PLANO ODONTOLÓGICO.

Não vi até agora ninguém dizer que vai entrar na justiça para que possamos ter acesso a esse plano.

Será que será mais um benefício como CESTA ALIMETAÇÃO que teremos que pedir judicialmente que sejamos incluídos no pacote.

Isso é somente uma amostra que tanto a Contraf Cut,quanto a Contec ou os sindicatos e a omissão das associações e da federação e da Anabb só nos prejudica.
A Isa ontem lembrou do acordo fechado com a Cassi na calada da noite, onde só nao foi pior para aposentados e pensionistas porque eles BRIGARAM MUITO POR NÓS.

ME ENGANA QUE EU GOSTO,é como sempre digo qualquer acordo que se faça o Banco levará a sua parte.

Voces ainda não enxergaram que sempre somos os últimos a saber das coisas, não votamos, colegas tem tanto colega que esta cego achando que a ANABB vai fazer um bom acordo por todos nós.

Como tem gente que não quer enxergar a realidade que bate a sua porta,depois reclamam,porque no fundo gostam de ser enganados.

Anônimo disse...

COMPROMISSOS ASSUMIDOS PELA CHAPA 3

Melhorar benefícios do Plano 1 com utilização do superávit

Retomada imediata das negociações do superávit, tendo como prioridade um aumento universal nos benefícios, contemplando todos os aposentados e pensionistas e reservando valores para melhorar os benefícios dos futuros aposentados.
Ao final de 2008, a negociação do superávit do Plano 1 foi interrompida principalmente por conta da crise mundial, que provocou uma queda vertiginosa no valor dos investimentos em renda variável. O superávit acumulado caiu de R$ 53 bilhões em dezembro de 2007 para R$ 26 bilhões ao final do ano seguinte. Passada a crise, a Previ recuperou o valor dos ativos, fechando 2009 com superávit de R$ 44,2 bilhões.
Queremos retomar as negociações e utilizar os excedentes para melhorar os benefícios dos associados, de forma universal.

Anônimo disse...

COMPROMISSOS DA CHAPA 3 UNIDADE NA PREVI ( SASSERON DEU SEU APOIO )



Defendemos o aumento do teto de benefícios para 100%, o aumento do benefício mínimo, aumento no patamar das pensões e aposentadoria antecipada para as mulheres aos 45 anos. Essas reivindicações não foram atendidas pelo banco e pelo governo nas negociações anteriores do superávit.

Continuidade da suspensão de contribuições mensais à Previ. Essa foi uma conquista das negociações do superávit, em 2007. Desde então, as contribuições mensais são pagas por uma reserva constituída pelo superávit.

Anônimo disse...

Unidade com diversidade.

Somos únicos,isso é incontestável !
Nesse momento, precisamos despojarmos de tudo que não nos conduza a um objetivo comum que é fazer valer o nosso direito com relação ao Superávit.
Que nesse primeiro evento sejam pautadas discussões que atendam aos anseios de todos nós do PB1.
Momento de união.
Precisamos dessa unidade para chegarmos ao exito !!

Jane

Anônimo disse...

Marcos ,

agora o Banco do Brasil tem pressa e quer negociar, isto nos leva a crer que tudo tem que estar resolvido até nov/dez de 2010, afim de que o mesmo possa fechar seu balanço de forma correta, muito bem.
agora a pergunta: fechamos acordo, e isto vale para este superavit, ao contrario do que dizia e diz a D.Cecilia, acho que num proximo superavit não estaremos sujeitos a
Resolução 26, ou no acordo teremos obrigatoriamente que retirar nossas ações da justiça contra a tal resolução ?
alguem em algum momento ja levantou a hipotese que só sai acordo com a retirada das ações?
não tem como dividir e tocar a vida, quetionando a tal resolução?


sergioinocencio

Isa Musa de Noronha disse...

O convite e a reunião são oficiais. Ocorre que conheço há muito os vai e vem das negociações com o BB, tanto nos assuntos de dissídio do pessoal da ativa, quanto nas questões envolvendo Cassi e Previ. Por experiência sei que nada se decide em um primeiro encontro. Trata-se mais de marcar datas e no máximo sondar premissas. É fato de que o BB tem interesse em acertar seu balanço até dezembro. É fato que as pressões pela divisão da reserva Especial têm pressionado enormemente o patrocinador e os indicados pelo Banco na Previ. Quem participa dessa mesa deve ter ciência de que terá o ônus e o bônus do que sobrevier. Seria mais simples e confortável ficar à margem. No entanto, não podemos nos esquivar dessa responsabilidade sob pena de omissão, pois as associações não desejam que apenas acompanhemos à distância tais conversações. Não será uma conversação fácil. No final haverá choro e ranger de dentes, pois sonhamos com o céu, o paraíso e qualquer coisa menor do que isso fatalmente trará frustrações e severas crítica a quem participa da mesa. É importante que todo aposentado e pensionistas e todas as associações fiquem atentas e continuem a abarrotar a caixa postal da PREVI de suas mais justas reclamações. Escrevam, telefonem, mandem e-mail.
Isa Musa

Anônimo disse...

CAROS COLEGAS,

SE ENTENDO BEM, ATÉ CONCORDO QUE O BANCO LEVE 50%. PORÉM, HAVERÁ QUE SE DESCONTAR TODAS AS APROPRIAÇÕES EM SUCESSIVOS BALANÇOS DOS ÚLTIMOS ANOS.
NÃO PODEMOS ESQUECER TAL DETALHE.

Anônimo disse...

Sei que a comparaçao eh terrível, mas eh preciso:


Eh melhor dividir um prato de pudim do que comer um de M. sozinho.


Abraços

Julita disse...

Colegas, vamos pensar positivo! Tudo irá dar certo ! Não foi por acaso que Jesus colocou o Marcos no nosso caminho, para que interceda por todos nós!!!!
Sou pensionista e torço para que minha pensão vá para os 80% do que meu esposo recebia!!!!
Além disso quero o meu superavit que tenho direito!!!!

José Omar A. Coelho disse...

Ao colega que perguntou sobre o cálculo da margem consignável pela PREVI, devidamente explicado pelo colega GILVAN, informo que a PREVI está obrigada a calcular a margem consignável pelo DECRETO n. 4840, de 17/09/2003, alterado pelo Decreto n.5.892, de 12 de setembro de 2006. Se fosse obedecer ao dispositivo legal todos teriamos alterado o limite de 30%, para mais ou para menos. Entretanto a PREVI não se acha atingida pelo citado decreto e diz que não está sujeita a nenhuma regulamentação para desconto em folha, apesar de os 30% serem previstos na CLT, e diz que "descontos voluntários", autorizados pelo associado, não estão sujeitos a nenhuma lei.
Se assim fosse, a margem consignável poderia ser alterada ao bel prazer da PREVI. Tentei administrativamete a revisão de minha margem consignável, sem qualquer êxito. Não sei a quem interessa esse posicionamento da PREVI.
José Omar A. Coelho

Anônimo disse...

Coega anônimo de 26 de setembro de 2010 05:16,

Não esqueça que o AUMENTO DO TETO PARA 100%, deixará a grande maioria dos colegas SEM AUMENTO. Isto já aconteceu quando do aumento do teto de 75% para 90%. Os colegas que contribuem sobre 136% do VP+AN, NÃO RECEBERÃO UM CENTAVO. Dá uma olhada no regulamento/estatudo da PREVI e verás que existem dois tetos de contribuição e esta proposta só vai beneficiar quem esta enquadrado no teto de 90%, antigo 75%.
Quando as propostas vão para votação os associados aprovam achando que se beneficiarão e depois vem a decepção, vamos ler o regulamento/estatuto da PREVI, depois de aprovarmos certas propostas não adianta chorar.

Anônimo disse...

Marcos, como já disseram alguns colegas, parece que o banco precisar resolver o caso do superavit, devido ao que parece as pressões que deve estar sofrendo de entidades ligadas a Bovespa ou pressão em cima da CVM e em face das denuncias apresentadas ao TCU. Como não sabemos o que se passa na diretoria do BB e alguma coisa relativa a essa cobrança por parte do TCU, precisamos estar atento para não entrarmos no jogo do Banco.

Se atualmente a situação do Banco não é confortável e pode vir a ser insustentável devido as irregularidades(ilegal) cometidas na contabilização virtual do superavit.
Nós precisamos saber realmente o que se passa para tomarmos medidas preventivas e muito cuidado com as associações não confiáveis convidadas a participar dessa reunião que pode vir com cartas marcadas e pressões para a distribuição do superavit para que amanhã o banco não sofra uma punição por administração temerosa e o provável estorno da contabilização do superavit, que traria uma repercussão negativa para o Banco, o PT e o governo e eles não terão como justificar essa "maracutaia".
Acredito, também, por isso que o Banco agora quer negociar.
Temos que ir (quando temos que ir me refiro apenas a ISA MUSA, pois, é a única que ainda merece nosso voto de confiança) preparado para tudo, até propostas inaceitáveis.

Se depender da aprovação do corpo social, como foi dito, somente as associações que estão a serviço do PT e do governo tem acesso pelos meios de comunicações junto ao funcionalismo, tanto da ativa e dos aposentados menos avisado, e podem nos surpreender com mentiras para nos enganar como fomos enganados com inverdades quanto a distribuição do superavit anterior.
Temos que montar uma estratégia com n variáveis, pois, tudo é possível.
Pois se apenas a FAABB não concordar, será voto vencido, ganhasse a maioria e lá vamos nós outra vez ficar a mercê desse governo que nós ajudamos a eleger.

Com relação a continuidade da suspensão da cobrança da contribuição mensal essa vai continuar, pois, individualmente quem amis ganha com isso é o patrocinador.

Boa sorte.

Joaquim Luiz disse...

Complementado o comentario-resposta do Gilvan em relação a margem consignável de 30 %

A COOPERFORTE que é uma cooperativa que tb. faz empréstimos ao BB, em que o desconto é razoável, mas bem significativo em termos de margem , não sei se o que fica escontado no espelho serve para "sujar" a margem, pois se realmente acontece isso, creio que devemos pedir um débito extra folha visto que alguns, como os ativos, têm essa prerrogativa.

Anônimo disse...

Concordo com voce, Joaquim!!!!
Tem mais uma coisa, voce paga, paga, e nunca tem margem!!! Será isso mesmo? Depois de 12 meses é que fui ter margem na COoperforte e merreca!!!!Mas o que tem de bom é que divide os lucros!!!!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Mensagem enviada:

Prezada Isa Musa de Noronha.

Com referência ao seu comentário de hoje, em que diz ser oficial o comunicado do Banco relativamente à Reunião marcada para amanhã, permita-me esclarecer que o que se pretende conhecer é o teor do Ofício endereçado à FAABB contendo a convocação/convite.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade

Anônimo disse...

anônimo disse:
Caro Gilvan , mais uma vez agradecendo pela sua informação sobre margem consignável, gostaria entretanto de fazer uma ressalva:
parece-me que o valor da prestação do empréstimo imobiliário não entra para o cálculo da margem dos 30% e sim na margem dos 70%. Ao fazer a apuração pelo meu espelho verifiquei que se por o valor da Carim nos 30% , a margem fica negativa. SMJ

Abraço

Anônimo disse...

Marcos,

Permita que eu escreva, aqui no seu Blog, algo para Isa.

Isa Musa Noronha, você é capaz, inteligente, negociadora e saberá com mestria vantagens para nós os participantes.
Se possível, indique ao bb o que ele perderá de futuro, tratando os aposentados, seus familiares, pensionistas com esta maneira usurária de agir.
Se não for possivel publicar Marcos, meu pensamento chegará até ela pelas preces que faço ao bom Deus.