sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Um novo Valmir?

Caros Colegas.

Foram acesas as luzes de advertência. Um novo perigo ronda os aposentados e pensionistas que recebem pela PREVI. E este perigo tem nome: Gilberto Santiago. Nem bem saiu de cena o verdugo alguém se apresenta como substituto, sem convite e sem mandado.

A AAFBB alardeia, por seu presidente, que “aceitou” participar da chapa eleita para ajudar no comando da PREVI, como forma de modificar o quadro de ingerência ditatorial da ANABB exercido há anos no nosso Fundo. Acontece que essa ajuda foi processada com imposição de nomes da própria cúpula da AAFBB, conseguindo eleger a maioria dos componentes dos Conselhos.

Até aí, tudo bem. Mas onde entra o senhor Gilberto Santiago nessa história? Entra exatamente tentando ocupar o lugar do senhor Valmir Camilo. Este, enquanto à frente da ANABB, imiscuía-se em todos os encontros e discussões envolvendo aposentados e pensionistas como representante dos seus “100 mil” associados. Afastado do poder de antes, não importando as razões, logo apareceu o presidente da AAFBB como pretenso substituto brandindo a representatividade advinda dos seus 30/40 mil sócios e, igualmente, impõe sua presença nos fóruns de discussão entre BB/PREVI/participantes, passando por cima das 31 outras associações – ditas minoritárias - querendo a qualquer custo impor sua presença sem procuração de quem quer que seja com poderes outorgados para falar, discutir e decidir.

Por tudo isto, é bom que as outras 31 associações que representam o “baixo clero” fiquem alertas para o perigo que as ronda. A coisa não funciona com a simplicidade de uma troca de atletas em uma competição. Não soa como um simples anúncio a ecoar num Maracanã lotado como a dizer: a Suderj informa, sai Valmir, entra Gilberto. Há que se tomar o prumo dessa balança de poder e aferir os seus pesos e medidas para não permitir danos irreparáveis. É balança viciada, e também é relevante notar que somente nos livramos do imperador dos “100 mil” pela cizânia havida no seu reino. Livrar-se de outro que lhe tome o cetro agora demorará mais uma década, provavelmente.

Chega de caminharmos à sombra de frondosas árvores artificiais que se deslocam ao sabor dos ventos da aventura, da ganância e da sede de poder. Temos que fazer nossa própria sombra e renegar a proteção impositiva de promessas vãs. Chega de agir como vacas de presépio com atestado de incapacidade e ausência total de vontade própria. Basta da aceitação desqualificada sem razão de ser. Repudiemos lideranças forçadas em nome de multidões não consultadas.

É imperativo aceitarmos a condição de dirigentes de Associações de aposentados e pensionistas com a clara compreensão de que trabalhamos por eles e para eles. Nosso enquadramento se iguala a todos nos direitos, mas nos deveres vão muito além, pois temos a responsabilidade de bem representá-los e defendê-los de falsos líderes, também.

Formamos um conjunto de 32 associações e nenhuma delas tem o direito de levantar sozinha a bandeira do comando, por falta de credenciais. A nenhuma é dada a prerrogativa de falar em nome do conjunto dos associados de todas. Muito menos decidir por eles. Ainda mais que estamos subordinados, voluntariamente, a uma liderança participativa, atuante e atrelada às normas que garantem ascendência sobre o todo – a FAABB.

Aproximando-se a data de o Banco chamar a si a responsabilidade de discutir a destinação do superávit, devemos ter em mente a necessidade de se indicar quem de direito deverá participar, em nome dos aposentados e pensionistas. Seria interessante que à mesa sentassem representantes das Associações, divididas por regiões sem levar em conta o número que carregue às costas, conjuntamente com a FAABB. Esta assumiria a postura de comandante da operação, assessorada pelos representantes regionais com iguais direitos participativos. No caso presente a qualidade vale mais que a quantidade.

Não deixemos, portanto, que outro Valmir Camilo se crie à nossa custa, alimentando-se da nossa mirrada despensa.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 10/09/2010.

93 comentários:

Anônimo disse...

Colegas, Marcos,

Do jeito que a carruagem-cama da anabb está indo, só com medidas extremas para mudar.

Desfiliação em massa, em juízo, por administração tendenciosa com claro prejuízo dos aposentados da Previ.

essa gente realmente só levando abrasivo, para se aquietar.

Anônimo disse...

Marcos,

Seu blog funciona como uma espécie de rede com a malha bem fina. Pega desde tubarão até micróbio. AQUI NÃO PASSA NADA. Parabéns!!!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

COMUNICADO AAPPREVI

Caros Colegas,

A AAPPREVI está encaminhando aos seus associados um formulário/autorização de débito em conta das mensalidades para ser impresso, assinado e entregue na agência de relacionamento, para conferência de assinatura e remessa à mantenedora da conta da Associação, sem ônus.
Alguns associados têm questionado o fato de não constar no documento o valor de R$ 10,00 correspondentes à mensalidade. Ocorre que o Banco do Brasil, ao firmar o convênio, impôs-nos a aceitação do formulário que disponibiliza para todo tipo de cobrança da modalidade, e não aceita modificações em seu texto. Deste modo, pedimos a compreensão para o fato de que não nos cabe modificar o texto nem nos insurgir quanto às determinações.
Assim sendo, declaramos que essa autorização pode ser cancelada a qualquer tempo, mediante simples comunicação ao Banco.
Aos que não confiem na associação, pedimos fazer contato para estudarmos a possibilidade de disponibilizar outros meios de pagamento das mensalidades. Lembrando que outras formas de pagamento em vigor serão respeitadas até final do prazo acordado.
Por oportuno, enfatizamos que a AAPPREVI não cogita alterar o valor atual e que modificações neste sentido somente poderão ocorrer se autorizadas ao amparo do Estatuto.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade
Presidente Administrativo

wilson luiz disse...

Caro Marcos,
Acho que a coisa é pior do que nós imaginamos. Não temos um novo Valmir Camilo, acho que continuamos com o ruim e velho Valmir de sempre. Minha impressão é que o verdadeiro poder na ANABB continua em suas mãos, agora como eminência parda comandando das sombras. Sua "retirada" foi apenas estratégica, devido ao grande desgaste que estava sofrendo.

Anônimo disse...

Não seria o caso das 31 associações entrarem em contato com a AAFBB e pedir uma reunião com o Gilberto para chegarem a um consenso, a AAFBB parece mais bem intencionda que a Anabb, acho que se a AAFBB conseguir agilizar de alguma maneira a negociação do superávit e viabilizar os 3 salários por ano de superávit e renovação do ES, é o que todos esperamos, se os contatos da AAFBB com a Previ ajudam na obtenção de algo que nos favoreça, não vejo nada negativo, a não ser que declare suas intenções e solicite nosso aval.

Sabem quem é Gilberto Santiago? disse...

Quem é (foi?)Gilberto Matos Santiago:
1)Presidente da AAFBB e da "UNIDAS"-União Nacional das Associações de Participantes em EFPP;
2)Aposentado homenageado pela ICSS, no "Dia do Aposentado";
3)Denunciou o "Renda Certa"(verbaP371),alegando:"Se ninguém poderia ter 30 anos de contribuição ANTES DE 1997, como então favoreceu com somas astronômicas que se aposentou A PARTIR DE 1980 ???"
4)Denunciou o BB na CVM, BACEN e MPFed em fev/2008 por usar nosso superavit, indevidamente.
5)Processo contra o BB nº 2008.34.00.036985-6 (17ªVara Federal -JF/DF)
6)Apoiou a chapa 3 da Previ, junto com Célia e Loreni.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas,

Às 13:27 de hoje, publiquei o post “Um novo Valmir?”.
Às 16:13 o Presidente da AAFBB, senhor Gilberto Santiago, deu ciência do resultado da Reunião que presidiu, endereçando Nota às personalidades abaixo:

De: AAFBB - PRESI [mailto:presi@aafbb.org.br]
Enviada em: sexta-feira, 10 de setembro de 2010 16:13
Para: isamusa@uol.com.br; FAABB Federação; Aldo Alfano; Calos Lana; Cleto V. Calado; Célia Larichia; Ivomar Nunes Barbosa; Loreni de Senger; Regina Marçal; lahorgue@uol.com.br; lahorgueafabbrs@terra.com.br; araujo@bancariosdf.com.br; sasseron@previ.com.br; sasseron@yahoo.com.br; mfochi@bol.com.br; nel.nic@terra.com.br; pauloassuncao@previ.com.br; vitorpaulo@previ.com.br; waldenorfilho@gmail.com; william@contrafcut.org.br; claudioluiz@spbancarios.com.br; wagnersn1@yahoo.com.br; ronaldo@sindbancarios.org.br; carlossanto.bb@gmail.com; jlbarboza@terra.com.br; luciana.bb.seebrj@gmail.com; olivanfaustino@msn.com; RITA MOTA; sergioricardofarias@yahoo.com.br; gilbertoantonio@uol.com.br; Tania Cardoso; emilio@anabb.org.br; Valmir Camilo; william@anabb.org.br
Assunto: SUPERÁVIT PREVI - REUNIÃO DE 09/09/2010

Como vêem a AAPPREVI não foi contemplada com a mensagem, assim como não foi convidada a participar da Reunião do dia 09/09.
Todavia, para não deixar os participantes deste Blog alheios ao que resultou, uma vez que em nenhum lugar se conhece algo a respeito até o momento, apresso-me em divulgar o pouco que me chegou ao conhecimento.
Eis o que sei:

“Ao final da reunião, houve consenso acerca das seguintes propostas, por ordem de prioridade:

1- reajuste dos benefícios em percentual igual para todos, com garantia de piso mínimo;
2- manutenção da suspensão das contribuições;
3- aumento das pensões;
4- aumento do teto de benefício para 100%;
5- redução da Parcela PREVI;
6- benefício 360 x 360 ( 30/30 );
7- aumento do benefício mínimo;
8- benefício antecipado para as mulheres aos 45 anos;
9- abono anual e
10-resgate da parcela patronal para os PDVistas.

Gilberto Santiago
Presidente”

Anônimo disse...

Colegas,

Outra vez!

Trocentas possibilidades, para acontecer o que já vimos no passado recente!

Quanta ignorância dos dirigentes da anabb, por favor.

Objetividade ZERO!

Tudo pelo inalcançável, que falta de inteligência, quanta mentira, para cair tudo no frustrado movimento que houve em passado recente.

"Astutos" eles não? Novamente estão repetindo que os paspalhos serão logrados mais uma vez.

Aí vem outro ano jogado fora!

Mas que bandidagem!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Às Associações de Aposentado e Pensionistas do Banco do Brasil



Sr. Presidente,



Atendendo a convite da nossa co-irmã AAFBB, a FAABB se fez presente no encontro promovido por aquela entidade com o objetivo de tentar avanços nas negociações visando a distribuição da Reserva Especial. Como anfritriã, coube a AAFBB divulgar a nota abaixo dando contas do Evento.



Para que fique bem claro, as sugestões que serão levadas à mesa têm ordem de prioridade, conforme estão abaixo listadas. logicamente, ninguém pode esperar que se consiga a aprovação de todas elas. Nem há recursos suficientes para tanto. Mas, buscar-se-á contemplar o máximo possível e o que não sair agora ficará para as próximas negociações. A expectativa é que, pelo menos, as três primeiras sejam aceitas pelo Patrocinador agora, em 2010.



Notem que não fogem ao que todos estão reivindicando desde 2008, quando foi feita uma enquete junto ao funcionalismo por iniciativa da ANABB.



Naquela oportunidade, os associados da Previ listaram tais propostas. Sendo que a primeira delas foi a que recebeu mais indicações, ou seja: é voz corrente que os associados da PREVI desejam que todos sejam contemplados, ao contrário do que sucedeu com o benefício criado pela Previ e que se chamou de “Renda Certa”.



A primeira delas, “reajuste dos benefícios em percentual igual para todos, com garantia de piso mínimo” não se pode precisar agora, de imediato, se será 10%, 15%, 20%. Dependerá do saldo da conta Reserva Especial apurado no mês do balancete Previ do mês em que se fechar a negociação.



Pessoalmente considero um avanço, pois os eleitos da PREVI, e os negociadores oficiais (CONTRAF CUT e a Comissão de Empresa) já vão procurar o Patrocinador para agendar o início das mesas de negociação. A FAABB agendará reunião/consulta às filiadas para a escolha de quem serão os representantes dos aposentados nas negociações.

Isa Musa de Noronha



ABAIXO A ÍNTEGRA DA MENSAGEM DIVULGADA PELA AAFBB



“Encontro de Dirigentes Eleitos e Entidades


Por iniciativa da AAFBB, durante todo o dia 9 de setembro, Diretores e Conselheiros Eleitos da PREVI estiveram reunidos com a FAABB, CONTRAF, Comissão de Empresa, Sindicatos e Entidades Representativas de Aposentados e Pensionistas, no Centro de Convenções do Hotel Flórida, no Rio de Janeiro.



Pela AAFBB participaram os dirigentes Gilberto Santiago, Célia Larichia, Aldo Alfano e Loreni de Senger.


Este encontro preliminar, com 23 participantes, preparativo para uma reunião mais ampla com todos os segmentos do funcionalismo da ativa e aposentados, teve como tema a análise de propostas para utilização do Superávit da PREVI, a serem apresentadas durante negociações com o patrocinador Banco do Brasil.


A Comissão de Empresa entrará em contato com o Banco do Brasil, com objetivo de agendar reunião para dar início às negociações, em que participaram representantes das entidades sindicais, entidades do funcionalismo da ativa e aposentados e dirigentes eleitos.


Ao final da reunião, houve consenso acerca das seguintes propostas, por ordem de prioridade:


1- reajuste dos benefícios em percentual igual para todos, com garantia de piso mínimo;

2- manutenção da suspensão das contribuições;
3- aumento das pensões;
4- aumento do teto de benefício para 100%;
5- redução da Parcela PREVI;
6- benefício 360 x 360 ( 30/30 );
7- aumento do benefício mínimo;
8- benefício antecipado para as mulheres aos 45 anos;
9- abono anual e
10-resgate da parcela patronal para os PDVistas.

Gilberto Santiago

Presidente”

Anônimo disse...

Colegas,

Aumento do teto para 100%. Esta proposta o SASSERON e a CECÍLIA vão defender com certeza. A mesma só beneficia os salários mais altos, como já aconteceu quando do aumento do teto de 75% para 90%.

Mas paciência, quase ninguém conhece o estatuto e regulamento da PREVI. Fica fácil aprovar as safadezas.

Anônimo disse...

Pessoal,

se alguem tem guardado ou se lembra, as 10 prioridade selecionadas na reunião de 09.09.2010, estão muito parecidas com aquelas outras , e que não deram em nada. Parece que só fizeram uma resuscitação, para isso não precisava uma reunião.


sergioinocencio

Anônimo disse...

Marcos: Por obséquio, gostaria de saber o significado
da proposta num. 6 - benefício 360 x 360 ( 30/30), constante na ordem de prioridade das propostas acertadas na reunião do dia 9/9/2010- iniciativa da AAFBB - juntamente com a FAABB, CONTRAF e outros.
Agradecendo antecipadamente...
Abraços a todos os participantes do Blog..

Saúde e Paz a Todos.....

Jaym Vasconcellos disse...

Colega Marcos,

Eu acho que vai cair mais um...Uma ja foi,,,COMEÇAMOS A INCOMODAR....Bravo Marcos...TEMOS que DERRUBAR TODOS OS que se DIZEM COLEGAS ...so para se aproveitarem...ESTE TEMPO ACABOU>>>>>>> UNIDOS e FIRMES....
A LUTA É GRANDE ...MAS JÁ COMEÇOU A FAZER AFEITO...NADA NESTE MUNDO CONSEGUE DESTRUIR A
LEALDADE A DIGNIDADE E A HONESTIDADE
Abraços

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Quando estudante do científico, séculos atrás no Liceu Paraibano, o professor Milton Delone contou a passagem do oráculo que, consultado por um guerreiro qual sua sina ao iniciar-se a guerra, recebeu como resposta:
“Irás, voltarás, jamais perecerás sob as armas”.
Morto o guerreiro com uma flechada logo de início, seus parentes questionaram e oráculo que alegou elementar erro de interpretação, e o certo seria:
“Irás, voltarás jamais, perecerás sob as armas”.
Voltando ao século atual, pergunto: teria sido a Nota da Reunião ditada pelo oráculo?
Não me arrisco a interpretar seus itens de como ficar rico em dez lições.
Aliás, este era o título de um folheto de literatura de cordel que li certa vez: Como ficar rico em dez lições. Primeira lição, escrever um folheto ensinando “Como ficar rico em dez lições” - alguém vai acreditar.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Correspondência encaminhada em 07/10/2008

AAFBB – Seguros

Peço mandar rever os dados constantes do Termo de Adesão (Carta GETVI 083484/2008, da SulAmérica), no que diz respeito aos elementos do Quadro de Coberturas, Capitais e Prêmios, por estarem em desacordo com a apólice original, conforme demonstrativo de sua correspondência anexa.

Depois desta carta enviei mais três e-mails pedindo:

a) Apólice do seguro contratado;
b) Posição na carteira de seguros contendo valores segurados e beneficiários: e
c) Valor diferenciado da mensalidade cobrada (associação e seguro).

Até hoje aguardo respostas. Por que será que não respondem?

Ivan Rezende disse...

Parabéns ao Heráclito Cavalcante pelo seu aniversário natalício. Quem sabe neste ano poderemos comemorar com a realização de nossos anseios.

Anônimo disse...

E aí pessoal. Vamos comparecer a reunião do dia 20.09 em São Paulo e vamos solicitar urgência no realinhamento do ES e início dos estudos para distribuição do superavit ainda esse ano.
Vamos todos formar uma corrente de fé e esperança.

Anônimo disse...

Colegas!!!
Já leram essa noticia???????????
PREVI é o 25º do mundo!!!!!

Anônimo disse...

A proposta 1 vai ser retroativa?
A que mes e ano?
Publicar.

Anônimo disse...

Ao colega 10/09 - 20:19h

Vou arriscar uma explicação para os 360/360 da proposta. Não sei se a interpretação está certa.
Acho ( não tenho certeza) que abrangerá aqueles casos em que colegas que aposentaram com menos de 360 contribuições e continuaram contribuindo. Provavelmente, aos que atingirem as 360 contribuições os beneficios serão recalculados. Note que, embora as contribuições estejam suspensas( não extintas ou reduzidas) essas continuam voltando para os cofres da Previ, através do Fundo Previdenciário criado para esse fim, com recursos da Reserva Especial. Portanto, as contribuições continuam, tanto dos participantes quanto do patrocinador.
Note bem: eu disse acho, mas foi o que entendi, partindo do principio que, quem contribuiu por mais de 360, teve as contribuições devolvidas ( há controvérsias), e que estão tentando dar tratamento isonomico.

rosalina_de_souza disse...

Senhor Presidente da AAPPREVI, Colega Marcos Cordeiro, demais participantes do Blog.
Eu me surpreendo com tantas reuniões, encontros,uma hora é a federação,outra as associações,agora até os sindicatos e a Contraf Cut foram chamadas para a reunião do dia 09/09/2010.
Quando se quer ludibriar o termo correto seria CRIAR GRUPO DE TRABALHO famoso “GT”.
Mas o que mais me surpreende é que os “eleitos” participam de todas as reuniões e não propõe absolutamente nada em nome das mais de 121 mil famílias do PB-1.
O proposta para aposentadoria para as mulheres aos 45 anos já foi aprovada pelo corpo social da previ no episódio infeliz do RENDA CERTA, e como tal não foi aprovada por falta de vontade política dos dirigentes da Previ.
Jogaram a culpa no DEST e ficou por isso mesmo, onde esta definida a cobrança de qualquer associação ou sindicato, sim porque essas mulheres continuam trabalhando, por falta de definição e políticas voltadas para a nossa classe.
Toda vez que se quer aprovar alguma coisa usam as PENSIONISTAS como uma das prioridades, mais vem negociação, mais reuniões e no fim elas terminam sempre sendo esquecidas, marginalizadas, afinal de promessas o mundo esta cheio não é mesmo.
Aí para se ter direito a terminar o ano corrente com as contas em dias,temos que recorrer ao ES,afinal é a única maneira de se ter alguma coisa da previ, é fazer com que ela tenha ainda mais lucros.
Mais a gozação vai além, agora o pessoal da previ resolveu inovar, vão dar 6 meses para alguém viver em Sauípe de graça e ainda vão receber 3 mil reais por mês? Podemos nos habilitar afinal é um bico que pode ajudar no orçamento.
Estamos fartos de tanta gozação com o nosso nome, as propostas da discussão do dia 09/09/2010 são apenas a reprodução do FAMOSO GT ANABB, agora com a Nova RAPOSA no Comando.
Mais o mais surpreendente disso tudo fica por conta dos” LOUROS” de se redigir a tal reunião, aí as vaidades aparecem,como se fossemos fantoches nas mãos de meia dúzia de Dirigentes que pensa ter nas mãos pessoas sem nenhuma condição de enxergar o que esta certo do errado.
Senhores se querem mesmo fazer façam, mais não achem que somos IDIOTAS, MEDIUCRES não estamos atentos as investidas desses inescrupulosos que só pensam em encher seus bolsos, a podridão cada dia surge mais forte, o PT é forte sim mais como tudo na vida um dia cai, e junto com ele se vão milhares de DIRIGENTES faz de conta.
A mim ninguém mais engana, estão estudando, estudando mais um GOLPE contra a nossa inteligência, mais desta vez vão cair do cavalo, porque ninguém mais vota ou aprova proposta no escuro como fizeram no passado Renda certa.
Se não porque o protelatório da Revisão do ES ,estão mais uma vez preparando uma barganha, para ganhar em cima da nossa maior fragilidade que é o nosso endividamento pessoal.
Mais creiam colegas se permanecermos unidos, não aceitarmos qualquer coisa em troca de migalhas, sairemos com o merecido a todos o que prega o regulamento da previ “ISONOMIA”
Não adianta usar o superávit para dar três proventos brutos a todos, porque uns ganharão 60 mil reais ou mais enquanto outros ganharão 3 mil reais ou mais e ai onde fica justiça neste caso? É isso que eles querem, vencer todos nós pelo momento.
A Posição tem que ser revistas, não podemos aceitar isso como argumentos, ou mais uma vez “VAI TER GENTE COM MUITO E MUITOS COM MUITO POUCO”.

PENSE NISSO COLEGAS, NÃO PODEMOS ACEITAR QUE COLEGAS QUE HOJE GANHAM QUASE NADA FIQUEM A ENGORDAR OS BOLSOS DE QUEM GANHA MUITO.
Atencioamente
Rosalina de Souza
Matrícula 18.161.320-4

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

Os aposentados de hoje, sobreviventes da chacina de ontem, não podem engrossar o necrológio motivado pelo endividamento e cuja responsabilidade é atribuída ao Banco do Brasil:

Demitidos do BB falecidos depois das demissões abusivas e criminosas: Abadio Martins Fernandes, Adelson Eustáquio de Mesquita, Ademir Rocha Fonseca, Afonso Maria Ligório Sant’ Ana, Aldo Jorge Armani, Antonio Ibrahim da Fonseca, Antônio Severian Loureiro, Augusto Kozuki, Carlos de Oliveira Gomes, Carmelita Oliveira Nunes Santos, Celso dos Reis Sales, Cleude Maria dos Santos Souza, Ederson Alves de Paiva, Euvaldo Falcão de Lima, Eziquiel Souza Ribeiro, Florisvaldo Abreu da Silva, Haroldo de Oliveira Lima, Hugo Gomes dos Santos, José Antônio Tomás de Melo, José Cláudio de Brito Bacelar, José Dantas de Almeida Júnior, José Eduardo Viana, José Francisco de Moraes Pereira, José Francisco dos Santos, José Francisco dos Santos, José Souza Pereira, José Tupinambá Belisário, José Vicente Tucci, Josenildo Ferreira da Costa, Júlio de Oliveira, Larri Armando Cattani Veloso, Lauro Mariano Brito Gume Maria Vânia Batista s, Leonardo Mannes, Luciano Belmiro de Souza, Luiz Carlos Castro Monteiro, Marco Estrella de Oliveira, Marcus Lustoza Costa, Miguel Roberto Calil Thomé, Murilo da Silva Amaral, Nasser Kayed Atalla, Nelson Augusto de Lima, Odilon Pereira de Castro Souza, Omar de Oliveira, Pedro Benoski, Raimundo Nonato Ribeiro da Silva, Renilto Luiz Klein, Rogério Rollim Borges, Ronaldo Tadeu Bizerra de Souza, Rui Francisco Gomes, Sebastião Bomfim de Souza Alves, Sebastião José de Lima, Sérgio Cargnin, Sérgio Nunes Messineti, Valdenor Barbalho da Silva, Waldir Antônio Coelho e mais centenas, milhares que faleceram no escuro dos seus quartos, no fundo do poço, desempregados, deprimidos, doentes e no anonimato das suas misérias e dores.

Este obituário está no site “Demitidos do BB”, como parte integrante de reportagem publicada no dia 09/09/2010.
Ou o Banco e a PREVI mudam a postura ou teremos nova relação dentro em breve, desta feita composta de aposentados e pensionistas endividados.

wilson luiz disse...

Estava eu na AABB, após um jantar, conversando com um grupo de funcionários e funcionárias da ativa. Lá pelas tantas, alguém mencionou a proposta de aposentadoria para as mulheres aos 45 anos. Todos se declararam a favor. Falei, então, que achava que as funcionárias deveriam ser contra. Gente, quase apanhei...Ponderei, então, que o custo zero para a PREVI estava errado. Na verdade, é um grande negócio para o nosso fundo de pensão. Aposentando-se aos 45 anos, a funcionária, certamente, receberá um benefício irrisório. Considerando que nossas bravas aposentadas, com os progressos da medicina, provavelmente viverão até os 100 anos, a PREVI lhes pagará, por mais de 50 anos, um benefício que, se trabalhassem alguns anos a mais, seria bem maior. Uma delas ponderou:"realmente, já pensei nisso, e pretendo trabalhar mais alguns anos além dos 45. O importante é poder sair quando quiser". Lembrei-lhe que ela se iludia se achava que o Banco a deixaria trabalhar alguns anos a mais, pois sua tradição é forçar a aposentadoria de quem já tem os requisitos para requerê-la.

Anônimo disse...

A respeito do 360/360 (30/30 avos), tambem eh uma forma de igualar os beneficios dos que se aposentaram com menos de 360 meses de contribuição, mas continuaram contribuindo como aposentados, pelo motivo de que, com a suspensao das contribuições, os hoje funcionarios da ativa, do PB1, mesmo sem contribuirem, estao tendo o periodo acrescido na contagem de tempo.
Já tive a oportunidade de comentar anteriormente, que poderemos ter funcionários que, em 2006, hipoteticamente com 15 anos de banco, se persistirem os superávit, poderao aposentar-se com 30/30 avos tendo contribuido efetivamente por 15anos.
Aa epoca, sugeri a da possibilidade do processo "renda certa" tambem contemplar a solicitação de revisao para os que se aposentaram proporcionalmente para a condição de "beneficio integral", o que na ocasiao foi encaminhado para análise.
Luiz

FORTUNA ENTERRADA disse...

Estão "tesourizando" e escondendo nosso dinheiro, nos relatórios da PREVI ! NADA DISTRIBUEM, POR ISSO, ao final de 2009 já éramos o 25º Fundo de Pensão no ranking MUNDIAL,

Tudo isso pertencentes e 120 MIL participantes dum "PLANO 1".

Vamos dividir logo.....

Anônimo disse...

Marcos,

As vezes fico imaginando que se você fosse Marcos Leão, o estrago nas trincheiras dos adversários seria muito maior, mas, não,é ledo engano, porque mesmo sendo " Cordeiro " a sua luta é ferrenha e não mede consequências para defender os interesses dos aposentados, de modo que não fica a dever nada ao Rei das Selvas.
Mantenha-se sempre ético e digno para mostrarmos a essa corja de sangessugas que a verdade sempre vence. Parabéns pelo seu trabalho.

Anônimo disse...

Colega Rosalina de Souza,

Quando li o preâmbulo da sua mensagem, confesso que levei um susto, ao vê-la dizer que ainda se surpreende com o número de reuniões que são realizadas, aqui e alí, por nossos representantes.
Isso é a coisa mais corriqueira que sabem fazer, ou seja, reunião em cima de reunião, todas elas infrutíferas, já que os assuntos são recorrentes e ao cabo desses encontros o resumo é o mesmo: nada de nada.
Impressiona, sim, e causa espécie, nessa linha de reunião, é que os negociadores oficiais a sentarem à mesa com o BB, com o escopo de discutir a distribuição dos superávits, são a CONTRAF CUT e a COMISSÃO DE EMPRESAS, com os quais temos pouca ou nenhuma afinidade.
Isso desperta uma desconfiança gelada, mas o que podemos fazer se o patrocinador reconhece apenas eles como nossos legais representantes. O jeito é manter vigília sobre a pauta das negociações, de forma a coibir que as partes não coloquem o " bode na sala" para nos ludibriar.

Anônimo disse...

cavalcante disse:
Ref: NIVER

Agradeço ao colega Ivan e à AAPPREVI por lembrar.

Grande Abraço a todos

Anônimo disse...

Concordo com o anonimo, FORTUNA ENTERRADA!!!
Vamos dividir, mesmo!!
Quero apenas o que é de meu direito, nada mais!!!!
O que é de Cesar de a Cesar, o que é de Deus de a Deus!!!!!

Anônimo disse...

Marcos,

Sem querer repisar um assunto que certamente é do conhecimento de muitos colegas, mas ainda assim julgo oportuno lembrar que o Deputado Eudes Xavier (PT-CE), em 13/11/2007, entrou com o Projeto de Lei 140/2007 para extinguir o Voto de Minerva nos Conselhos Deliberativos e Fiscal das entidades fechadas de Previdência Complementar.
Vencida a primeira etapa, foi enviado para a CCJ, sendo nomeado o Deputado Lael Varella (DEM-MG) como relator da matéria, cujo parecer foi pela rejeição ao Projeto de Lei 140/2007, logrando aprovação por unanimidade.
Isto posto, naquela oportunidade fomos derrotados clamorosamente.
Certamente, num futuro não muito longínquo, em condições mais propícias, haveremos de extinguir esse Voto de Minerva que ficou conhecido como "entulho autoritário".

Anônimo disse...

Estou estagnada com a presença da Contraf Cut e sindicatos na mesa de reuniao para decidir o destino do SUPERAVIT. O que eles tem a ver com os aposentados? deve ter sido LULA que enviou os capangas de outrora a finalidade certamente tds desconhecem mais ficam imaginando o por que assim como eu que estou matutando, buscando uma resposta convincente mais ainda não encobtrei se alguem souber me avisem............

wilson luiz disse...

Vejam o que é um fundo de pensão que trabalha no interesse de seus associados... A página da VALIA, dos empregados da Vale, publica, frequentemente, notícias sobre os desdobramentos da utilização de seu superavit. Já a nossa PREVI...

Anônimo disse...

Não sejam falseados!!!É tudo jogo de inteligência!Esse superávit é só para inglês ver!O banco já meteu a mão nele, quero dizer o governo e uma turma de "aloprados".Não haverá distribuição de superávitAté pq para vcs derrubarem uma lei como a do voto de minerva demora 15 anos mas a canetada deles leva um minuto!Então sempre teremos entraves!!!
Abçs!

Anônimo disse...

Colega Rosalina de Souza,

Compreendemos perfeitamente que se surpreenda com reuniões repetitivas, porque você é uma Rosa....lina, sem espinhos, não tem perversidade no coração, enquanto o ex-Rosa, e o atual Flores, são raposas felpudas que nos foram impostos na marra, à guisa de presentes gregos. Ambos são dotados de espinhos malígnos que injetam venenos fortes, próprios dos piores escorpiões.

Anônimo disse...

A Cooperforte, a Crediscoop repartem os seus lucros!
Pergunto : Por que a Previ não reparte o Superávit???????????????
Será que já botaram no bolso??????????
Não deixaram nenhuma migalha para aposentados e pensionistas???????Será que estão esperando os velhinhos morrerem???????

jp.tribunal2010 disse...

Colegas do Blog
Em um fundo de pensão sem fins lucrativos, como a Previ, a ocorrência de freqüentes superávits técnicos (sobras) não deve ser encarada como positiva, por ser reveladora de distorções nocivas ao interesse de seus segurados.
Nesse tipo de fundo, sobras significam, além de outras anomalias, a) bases atuariais incorretas; b) insuficiente provisão de fundos garantidores; c) taxas de contribuições extorsivas a valores de benefícios subestimados; d) rotatividade da mão-de-obra, com os demitidos recebendo apenas parte da devolução a que teriam direito, do que resulta o enriquecimento ilícito do fundo; ou, ainda, e) administração temerária, com aplicações excessivas em investimentos de risco, de natureza especulativa, sujeitos a oscilações acentuadas, para mais ou para menos, podendo resultar em superávit ou em déficit.

jp.tribunal2010 disse...

Continuação Colegas.

De outro lado, durante anos, a Previ, ilegalmente deixou de reajustar o valor de aposentadorias e pensões sob o falso pretexto de que aplicava a política salarial do Banco e este não vinha concedendo reajustes salariais.Ignorou que a lei determina a obrigatoriedade do reajuste anual dos benefícios, independente da concessão, ou não, de reajustes salariais por parte do patrocinador. Recusou-se a pagar os atrasados sob a justificativa singular de que se o fizesse, ?a saúde financeira da instituição pode ficar gravemente comprometida?. ?As possíveis conseqüências seriam risco para a concessão de futuros benefícios, aumento de contribuição dos participantes, questionamento do patrocinador Banco do Brasil, da Secretária de Previdência Complementar e ações judiciais de associados que não fossem beneficiados pela medida, no caso o reajuste de benefícios.? (ver página 12 do Boletim Previ, nº 69, de nov/dez.1999) A falsidade dessa alegação é comprovada pelo alegado superávit de dez/2000, de bilhões de reais, muito superior ao que custaria o pagamento dos atrasados. Resultado: a reivindicação foi submetida à apreciação judicial, mas a Previ não efetuou provisão para o seu pagamento, quando for condenada.

Anônimo disse...

Colegas,

Não sei se esta distribuição de Superávit vai sair ou não, mas uma coisa eu sei, se for como da última estamos lascados. Este aumento do teto para 100% deve beneficiar 20% dos colegas, se chegar a isto. A grande maioria contribui sobre 136% do VP+AN e serão excluidos novamente das melhorias.

Anônimo disse...

Sobre o comentário das 12:26h., eu apenas acrescentaria que o patrocinador da VALIA jamais levantou a hipótese de "garfar" metade do superavit do fundo.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Por que nos sonegam informações?

Mensagem recebida pela AAPPREVI:

Sra. Presidente,

É preciso que seja esclarecido o exato teor das decisões dessa reunião.
Veja, por favor, outra mensagem que circula na internet:

"Sent: Friday, September 10, 2010 4:11 PM
To: confrariabb@yahoogrupos.com.br ; aposentados-BB
Subject: [confrariabb] Blog do MEDEIROS - POA (http://www.medeirosrs.rg3.net/)

REUNIÃO SOBRE SUPERAVIT NO RIO

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Acabei de falar pelo telefone com o Presidente da AFABB-RS, Claudio Lahorgue, e de tarde nos encontraremos na sede da associação, para uma conversa mais detalhada sobre a reunião de que participou no Rio com os eleitos da Previ para tratar do superavit.

Informou-me que estiveram presentes no encontro as associações de aposentados de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, a Faabb, a AAFBB e a Contraf Cut.

A proposta apresentada por escrito pelos sindicatos, através da Contraf Cut, foi de uma distribuição do superavit de 8% para todos, com um piso mínimo de R$ 500,00 com vigência por seis anos, daqui para frente.

Lahorgue sugeriu que, caso essa proposta tivesse acolhida, deveria haver inicialmente um pagamento retroativo a que teríamos direito, e com relação ao futuro deveria haver uma avaliação a cada dois anos, pois o futuro é imprevisível. De tarde ficarei sabendo mais detalhes de sua sugestão que, conforme me disse, ficou de ser estudada, pois causou boa impressão.

Em meu entendimento, considero que houve uma garfada, de cara, em dois por cento do que seria no mínimo justo, 10% era o patamar esperado. E a retroação é um direito impostergável e inalienável."

Significa que já foi decidido o que vamos "reivindicar" do Banco?
Quando as demais Associações de Aposentados serão chamadas a opinar, se é que vale a pena mais alguma opinião sobre o assunto?

Como é que alguém tem a coragem de apresentar a relação abaixo como se fosse reivindicação de uso do superavit?
Sobre a participação do Banco do Brasil no superávit não se falou nada?

Paim

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

From: atend@previ.com.br
To: ivanrezende07@hotmail.com
Subject: RE: Entrevista do Presidente
Date: Fri, 10 Sep 2010 17:28:38 -0300

Senhor Ivan,

Informamos que o presidente da PREVI, Ricardo Flores, não concedeu entrevista ao referido veículo.

Gustavo Rocha Lisboa
Gerência de Atendimento
PREVI

De: Ivan Rezende
Para:
Data: 27/08/2010 20:09
Assunto: Entrevista do Presidente

Senhor Gustavo Rocha,
Desculpe mas não foi esta a minha indagação. Perguntei apenas se o Presidente Ricardo Flores realmente concedeu entrevista naqueles termos.
grato pela atenção
Ivan

> Date: Fri, 27 Aug 2010 17:09:40 -0300
> From: atend@previ.com.br
> To: ivanrezende07@hotmail.com
> Subject: ATENDIMENTO PREVI
>
>
> Senhor Ivan,
>
> Os debates sobre superávit dependem da retomada das negociações entre representantes dos participantes e patrocinador. Qualquer novidade sobre o assunto será amplamente noticiada aos participantes e assistidos através dos meios de comunicação da PREVI.
>
> GUSTAVO ROCHA LISBOA
> Gerência de Atendimento
> PREVI
>
>
> Data: 29/07/2010 14:47:01
> Assunto: Outros Assuntos - Distribuição do Superávit
> Tipo: Solicitação
>
> Mensagem:

> Notícia extraida do Relatório Relevante (Negócios & Finanças)nº 3920, de 19.07.2010, informa que" o Presidente da Previ, Ricardo Flores deverá apresentar, em dois meses, proposta ao Banco do Brasil, para resolver a pendência sobre a distribuição do Superávit".
> Aposentados e pensionistas solicitam a confirmação sobre a veracidade da notícia.
>
> Matrícula: 4497710
> Nome: IVAN REZENDE DA SILVA

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

Damos ciência do texto da cópia de mensagem recebida:

Prezado Paim,

Cada Associação é livre e suficiente independente para promover encontros e convidar quem lhe aprouver. E é saudável que promovam sim, inúmeros encontros com os eleitos da Previ. AFABB PR, AFABB Triângulo, AFABB RS e outras promovem essas oportunidades e a AFABB SP fará a sua dia 20. Nessa, da AAFBB, Convidaram a mim, e eu fui das primeiras a defender que qualquer estudo de novas propostas teria de ser discutido no âmbito de todas as Associações e as propostas existentes até então e que já foram alvo de enquete promovida pela ANABB, discussão da CONTRAF com seus Sindicatos, etc é que deveriam ser postas para início de conversa. Não se pode jogar fora um trabalho que ouviu tantos quantos escreveram para a ANABB em 2008 e escolheram, por voto, qual a prioridade. Daí que a proposta 1, desse encontro da AAFBB, é exatamente a mesma que, na enquete promovida pela ANABB: reajuste para todos com piso mínimo, resta negociar o índice. O Sr Lahorgue saiu antes do final e assim não ouviu a ponderação de que não se fala agora em índice, nem os 8% da Contraf CUT nem os 10% da enquete promovida pela ANABB, pois dependendo de acertos pode vir a ser até mais do que isso. Não acalento ilusões que conseguiremos muito mais do que manter as contribuições suspensas, conseguir um reajuste com base em percentual e um reajuste de pensões. Querer o resto é bem difícil.

Atenciosamente

Isa

Anônimo disse...

Prezado Marcos Cordeiro.

Como todos estão vendo, o campo das vaidades sempre são colocados a frete dos interresses dos aposentados e das pensionistas do PB-1.

Vamos parar de brincadeira de esconde esconde e vamos logo ao que nós é de direito.

Acredito ser muito justo,recomeçar a discutir a partir do GT ANABB.

Pois foi de onde parou as discussões,resta saber até onde o Banco esta disposto a negociar!!!

Anônimo disse...

ATÉ QUANDO VAMOS CONTINUAR COM AS VAIDADES DENTRO DO PLANO NUMERO 1 DE BENEFÍCIOS DA PREVI.

A PREVI É UMA ENTIDADE OU UMA EMPRESA A SERVIÇO DO BANCO DO BRASIL.

SE NÃO VAMOS VOTAR PELA MUDANÇA DO NOME DA PREVI.

PREVI PARTICIPAÇÕES BANCO DO BRASIL FOMENTO MERCANTIL S/A.

CHEGA DE EMBROMAÇÃO SENHORES DIRIGENTES VAMOS DIVIDIR LOGO O QUE É NOSSO.

EU NÃO ABRO MÃO DA MINHA PARTE.

Anônimo disse...

AOS ECONOMISTAS DE PLANTÃO.

PODERIA ALGUÉM FAZER OS CALCULOS SE O PISO FOR OS 8% QUANTOS GASTARIAMOS DO SUPERAVIT.

RETROAGINDO A 2007.

A COMEÇAR DE 2011,PORQUE SE DA FORMA COMO ESTÃO AS NEGOCIAÇÕES A PASSOS DE TARTARUGA,ESTE ANO NÃO VEREMOS A COR DE NEM UM CENTAVO.

ACORDA SENHORES "DIRIGENTES", VAMOS LOGO AO PARTIR O BOLO.

NÃO SE ESQUEÇA QUE AINDA TERÃO QUE RETIRAR AS AÇÕES DO JUDUCIARIO QUE QUESTIONA A PARTE DO BB NOS SUPERAVIT.

ESSA É CERTA, ELE VAI METER A MÃO AINDA EM 2010.

ISSO É LIQUIDO E CERTO SENHORES E SENHORAS DO PB-1.

Anônimo disse...

Prezada Colega Isa Musa.

Estou vendo esta história por um outro angulo e verás se tenho razão.

Até agora so tivemos especulações,já que todos nós sabemos que quem da as cartas na questão do superavit e em negociações tanto do funcionalismo quanto dos aposentados é a CONTRAF CUT.
Eu te pergunto, para que a contraf cut queirá discutir o assunto ela deve ter recebido um aval mais forte tanto do palacio do planalto,como também da direção geral do BB.
A mim ficou muito claro,porque nesta altura do campeonato eles sabem que se não distribuir vão surgir muitas ações questionando o comportamento da atual diretoria,e consequentemente abrindo ainda mais munição para a OPOSIÇÃO,tanto no Senado federal quando Camara dos deputados.
Por esta e outras razões que eu reafirmo que voces sabem mais do dizem,não apontam os provaveis caminhos,mais sabem que ao final de tudo isso,ainda falta a Anabb se manifestar já que ela tem artilharia imensa sem contar nos seus mais de cem mil sócios.
Vale ressaltar que sem sombra de dúvidas os aposentados e pensionistas vão receber alguma coisa a título de superavit, isso esta muito claro para mim,mais ainda nao conformo da indiferença demostrada por voces, e por voce principalmente que esta sempre em todas as reuniões,e cumpre o papel de presidente da federação.
Fico no AGUARDO DAS SUAS COLOCAÇÕES,mais creia sua participação tem sido de extrema relevância e de fundamental importância neste processo de melhorias dos nossos benefícios.

Anônimo disse...

Colegas do Blog

Os anos passam mais os negociadores são os mesmos ?

Alguém ainda duvida que o Presiente do Deliberativo da Anabb,vai tirar um coelho da cartola?.

AGUARDEM !!!!

Anônimo disse...

A Isa está de que lado? Do nosso?

Anônimo disse...

E ainda tem colegas contando em receber algum do superavit em 2010?
De reuniao em reuniao eles vao enrolar ate terminar o ano e SE houver alguma negociaçao,com certeza so pagarao a partir de 2011 como foi feito da ultima vez que so recebemos em Janeiro de 2008.O BB nao tem pressa,o dele ja esta garantido e os dirigentes da Previ ja estao com os bolsos cheios,por que cobrar agilidade?
Pe no chao pessoal!O que poderia ter sido mudado no mes em curso e o ES, e nem isso fizeram.
Publicar.

Anônimo disse...

Colegas e mediador do blog.

Como nossa riqueza será liberada a conta gotas, o próximo presidente terá recursos para abastecer as obras que se seguirão.

Outros superavit virão,sem a sua distribuião por mais três anos,continuarão a liberar o ES conta gotas,até ninguém mais ter margem consignavel para renovalo.

A situação esta com a certeza que fará o próximo presidente do brasil.
Bancário hoje é uma classe de trabalhadores desvalorizados, esta em baixa,hoje qualquer buteco as pessoas podem fazer os pagamentos,farmacias,supermercados etc..
Os salários estão em baixa,os Veteranos não brigam por seus direitos para não manchar os velhos tempos onde eles eram considerados os senhores da situação.

E os nossos dirigentes brigam para saber qual terá mais uma página escrita na sua biografia pessoal.

enquando nós estamos morrendo....

REFLITA E VERÁS QUE TENHO RAZÃO.

Anônimo disse...

Marcos,

Estou de pleno acordo que as prioridades foram definidas através da votação, naquela enquete feita pela ANABB. Aliás, foi muito dificil chegarem àquele consenso.Foram várias reuniões e discussões acirradas para elencarem os 10 tópicos.
Portanto, não tem mais e nem menos, a vontade dos beneficiários tem de ser respeitada e os itens mais votados colocados na pauta de negociações.
A questão é apenas saber se o dinheiro vai ser suficiente para cobrir: um, dois, três ou mais itens aprovados.
Não compete a ninguém tentar fazer, agora, alterações em um assunto muito bem resolvido.
Se essa hipótese for levantada novamente, é porque estão querendo ganhar tempo e nos empurrar com a barriga.
Um aspecto muito importante em tudo isso, vai ser quanto a retroatividade a que temos direito, retomando as diferenças a receber, no mínimo, a janeiro/2008 ou se de todo impossível, chegar no máximo, a jan/2009.

Anônimo disse...

Colega Paim,

Esta proposta de 8% com piso de 500,00, é mais justa do que fizeram da última vez, onde só foi beneficiado quem ganhava mais.
Outra coisa que seria urgente é o aumento das pensões, não demora batemos as botas e deixamos a família morrendo a míngua.

Anônimo disse...

Colegas,

Eu discordo totalmente que as propostas trairas da ANABB sejam levadas a sério. Lá tem muito pelego com salários altos legislando em causa própria. É só ver a quem beneficia o aumento do teto para 100%. REAJUSTE LINEAR PARA TODOS COM UM TETO MÍNIMO PARA BENEFICIAR OS SALÁRIOS MAIS BAIXOS, OU SEJA, O CONTRÁRIO DO QUE FIZERAM NA DISTRIBUIÇÃO DO ÚLTIMO SUPERÁVIT. E POR FAVOR NÃO ESQUEÇAM DAS PENSIONISTAS (LOGO, LOGO SERÃO AS NOSSAS ESPOSAS), SEM FALAR DAS QUE JÁ SOFREM COM O VALOR REDUZIDO DAS PENSÕES.

Anônimo disse...

Alguém sabe me dizer se o Senado respondeu a carta enviada a eles?
Precisamos saber quais os senadores que iremos eleger!!!!!

Anônimo disse...

Colegas,

Desde que comecem a liberar algum valor por conta do superávit, já é uma grande vitória, demoramos anos para chegarmos a um consenso, o importante é recebermos nossa parte começando por algum critério, mesmo que nem todos fiquem contentes, mais que venha à benefiar a todos do PB1, diferente da renda certa, que só beneficiou parte dos aposentados, injustiças são muitas, mais o importante é começar a haver distribuição do superávit.

Anônimo disse...

Colegas,
Não há outra saida. Ou "implodimos" essa Resolução 26, ou ficamos sem nada.
Pelos esclarecimentos que presenciei, aqui postados, fico com aquele apontado pela colega Isa: Não teremos nada além das contribuições suspensas. Não se ve outra alternativa. São várias reuniões, muitos palpites, vários pedidos, etc., tudo unilateralmente. Na hora que se consulta alguem que detem o poder, tudo muda, voltando à estaca zero, um verdadeiro banho de água fria.
O BB deita e rola, faz o que quer, não dá a minima par os direitos dos participantes. Afinal, tudo foi entregue de "mãos beijadas" pelo Pimentel, e agora, permitida contabilmente pela Deliberação CVM nº 600.
O que nos resta?
O que sobrevier é lucro.

Anônimo disse...

Colegas,

Não entendo onde está a representatividade dessa Contraf Cut para falar pelos beneficiários do PB1. Não passam de pau mandado do (des) governo. Nossos interesses são decididos por entidades que não falam nossa língua, desconhecem nossa realidade e não passam de oportunistas. Sindicatos, Anabb e outras coisas do gênero estão com poder demasiado em questões que nos dizem respeito. Isso precisa ser mudado com urgência.

Anônimo disse...

Prezado Marcos,

Não vejo razôes para a indignação manifestada pela anônima de 11-09, 10:30.
O superavit apresentado pelo PB1 pertente a todos os participantes e assistidos. Logo,se o plano abriga mais de 30 mil ainda na ativa, a representação destes nas discussões não pode ser feita pela FAABB e sim pela Contraf/Cut.
O Lula não tem nada a ver com isso

Carlos Valentim Filho

Carlão/Joinville disse...

Prezado Marcos, por que não fazemos uma reunião, nós da AAPREVI, para discutirmos o rumo a ser seguido?
Tenho visto muito chororo, muitas lamentações, muitas solicitações para que "alguém" faça alguma coisa. Ninguém vai fazer nada por nós!!!!!!!!!
QUEM TEM DE FAZER ALGUMA COISA POR NÓS, SOMOS NÓS MESMOS. CHEGA DE TERCEIRIZAR A BUSCA DOS NOSSOS DIREITOS.
Sou partidário da idéia (já exposta aqui), de que deveríamos impetrar uma ação judicial visando o cumprimento da Lei no que toca à distribuição do superavit.
O simples aumento da margem do ES
é dar corda para nos enforquemos mais ainda, além de que isso não implica absolutamente em distribuição do superavit, já que todos os valores serão pagos.
Façamos alguma coisa de prático, ou daqui a pouco o puxa saco de plantão (qualquer que seja o governo), vai criar uma Resolução onde TODO o superavit ficará para o BB, que o utilizará "para o desenvolvimento do Brasil".
Alguém duvida disso?
VAMOS AGIR. LOGO. NÓS DEFENDENDO NOSSOS INTERESSES. CHEGA DE TERCEIRIZAR A SOLUÇÃO!

Vamos sair do casulo!!!!!!!!

Anônimo disse...

Colega Carlos Valente(im) Filho,

Você está redondamente enganado, porque os funcionários da ativa (participantes) só vão ter direito aos superávits, após pagarem os seus pedágios e dependurarem as chuteiras. Aí, sim,uma vez integrados no PB1, a LC 109/2001, artigo 20, lhes confere essa regalia.
No entanto, paradoxalmente, por vias tortas, no momento, nós, assistidos, estamos alijados e os colegas da ativa estão recebendo PLR maior justamente com base na parte dos nossos superávits, que o BB, irresponsavelmente, vem contabilizando e aumentando os seus lucros. Portanto, quanto maior for o lucro maior será a PLR.
No que tange a CONTRAF CUT, a sua missão estatuária é voltada, prioritariamente, para a defesa do pessoal da ativa.
Mas, se realmente agregar força positiva à nossa causa, nós também agredecemos.

Anônimo disse...

Alô São Paulo, vamos comparecer a reunião do dia 20.09, para pedirmos o realinhamento do ES valor e prazo, a partir de outubro e pedir que as negociações para distribuição do Superavit comecem logo.

emilia.amanda disse...

Colegas do blog em especial Isa Musa de Noronha e Carlos Valentim
O GT ANABB não foi apenas uma pesquisa de opinião. Foi o levantamento de demandas e idéias para a formação de uma pauta de reivindicações. Esta fase já passou. Há muito tempo os Sindicatos e as Associações apresentaram suas reivindicações e iniciaram as negociações com o Banco em torno do Superávit. E estas negociações começaram com a reivindicação das 10 propostas, posição que só foi paralisada pela crise financeira surgida que levou os negociadores há época que são os mesmos de hoje a tomar esta decisão que também foi uma forma de ganhar tempo para se editar a resolução CGPC26.

O GT ANABB serviu para colocar em votação algo concreto, ou seja, 10 propostas efetivamente surgida do processo de negociação, cuja implantação é viável. Os Sindicatos precisam voltar para a mesa de negociação e dizer se concordam ou não com a proposta apresentada. É para isso que serve os DIRIGENTES que representam cada associação ou sindicato . Não há outra proposta negociada que possa ser apresentada e votada partindo do principio que somente foram paralisadas as negociações no ano de 2008.

Portanto, o GT ANABB não está “vendendo” gato por lebre. Ele está colocando em debate uma proposta real, apresentado na sua real dimensão. O gato tem cara de gato, bigode de gato e é um gato de verdade. Portanto, quem votar no gato, vai levar um gato para casa. O que não adianta é tentar vender uma “lebre” que não existe. Isto sim resultaria em um plebiscito sem legitimidade e sem eficácia. Não adianta tirar “coelho” da cartola, por que em processo de negociação não tem mágica não.
Portando senhores e senhoras refaçam as estratégias, podem até mudar índices, mas o correto é partir do principio de que o corpo social votou e deve ser respeitado o seu direito de escolha,mesmo que no momento possa ser atendido apenas umas dessas propostas que possa vir a beneficiar a todos os colegas aposentados e pensionistas do PB-1.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
A adoção de qualquer medida que fuja da sequência natural das tratativas em curso objetivando a possível utilização da reserva especial para revisão do plano de benefícios, pelo menos neste momento, só irá servir, no meu entender, para retardar ainda mais o processo. Penso, s.m.j., que poderíamos nos concentrar na apresentação de sugestões que sirvam para contribuir na melhoria das negociações. Nessa linha de raciocínio e tendo presente que a Federação tem autonomia mais do que suficiente para comandar o processo de escolha dos negociadores, sugiro que pelo menos um membro do corpo diretivo da nossa Aapprevi faça parte da mesa de negociação. Como já disse aqui mesmo, na hipótese de os critérios de escolha dos interlocutores contemplar dedicação, competência, sintonia plena com os anseios dos aposentados e das pensionistas, transparência e, principalmente, justiça, não consigo enxergar uma mesa de negociações na qual não esteja presente pelo menos um membro da Aapprevi. Os nossos destinos devem passar necessariamente por gente como a gente, desprovida de vaidades e que já demonstrou ter sugestões simples e de fácil implementação, além de credibilidade mais do que suficiente para representar com dignidade todos os associados. Aproveitando a oportunidade e já que a Federação afirmou oficialmente aqui no blog que terá representação na reunião de 20.09.10 na Afabb-SP, sugiro que se entre em contato com o Sr. Diretor de Seguridade para que ele assuma o compromisso de dispensar a carência de seis meses para todos aqueles que renovarem o ES agora em 20.09 desde que, mais adiante, façam a opção por nova configuração. Nunca é demais lembrar a todos que o Sr. Diretor apenas é o responsável pela gestão de recursos que são nossos e que estamos pleiteando que sejam emprestados para nós mesmos em condições mais atrativas. Entendo que é uma medida de largo alcance, socialmente justa, não afetará a saúde financeira da Previ, além de ser do interesse de todos os associados do “PB-1”. Há uma expressão muito usada que diz: pedir não ofende. O máximo que pode acontecer é o Sr. Diretor dizer não ao nosso pleito. Então, não temos absolutamente nada a perder. Vale a tentativa. À vista de tudo que foi até aqui exposto só me resta finalizar afirmando que, doravante, todas as nossas esperanças de que poderemos ter dias melhores ainda em 2010 estarão depositadas na Federação.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Curitiba, 10 de setembro de 2010.


BANCO DO BRASIL S.A.
Ag. 3849-0
São José dos Pinhais - PR

Senhor Gerente,

Ref.: - Autorização de Débito Programado
Convênio DBT 58359 – Agência 3849-0 – c/c 19.319-4 – Associação dos Participantes, Assistidos e Pensionistas do Plano de Benefícios N° 1, da PREVI.

Grande parte dos nossos associados contatados se nega a assinar a autorização de débito anexa, pela ausência do valor cobrado no texto do formulário, sendo que um deles, advogado, declara estar amparado em Lei ao se insurgir contra o teor exibido, alegando que:

“Tal documento fere a Lei 8.078, de 11/09/1990 (Lei de defesa do consumidor), em seu capitulo III, art. 6°, onde o consumidor tem direito a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade e PRECO, bem como sobre os riscos que apresentarem”.

Por isso, pedimos autorizar o fornecimento de nova minuta onde conste o valor da mensalidade de R$ 10,00 (dez reais), além de excluir o item 3 (três), abaixo, por não se enquadrar no nosso caso específico - cobrança de mensalidade de Associação com valor fixo:

“Estou ciente de que, caso não conste na conta de consumo a expressão “Débito em conta-não receber no caixa”, esta poderá ser quitada em qualquer terminal de auto-atendimento do BB. Nesse caso, procure sua agência para esclarecimentos”.


Atenciosamente.


Marcos Cordeiro de Andrade
Presidente Administrativo


José Gilvan Pereira Rebouças
Vice Presidente Financeiro

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Ecos de uma reunião, ou,
De que riem os palhaços.

"Riem de tudo, pois são hienas! Riem de nós o povão, riem da justiça que não pode prendê-los, riem porque roubam e não são presos. Riem de todo um povo. Riem de nós os palhaços contemporâneos!"
(Wikipédia)

Anônimo disse...

Colegas,
Vale lembrar que uma negociação amparada pela Resolução 26, terá calculos diferentes daqueles apresentados pela Previ em seus balanços, conforme observação na DRA:
"Em 29.09.2008 foi aprovada pelo Conselho de Gestão da Previdência Complementar a Resolução CGPC 26, que dispõe sobre as condições e os procedimentos a serem observados pelas entidades na apuração do resultado, destinação e utilização do superávit. As hipóteses que deveriam ser consideradas no cálculo da avaliação no caso de revisão do plano de benefícios são as seguintes:
- Adoção de Tábua de Mortalidade de Válidos AT-2000;
- Adoção da Taxa Real de Juros de 5% ao ano;

Só para efeito de comparação, com a aplicação acima, a Reserva Especial apresentada em 31.12.2009, caiu de R$25.955 bi para R$ 19.823 bi. Neste caso a Reserva Matemática aumenta de R$ 72.809 bi para R$ 77.895 bi, e a Reserva de contingencia (25% da Res. Mat) vai de R$ 18.247 bi para R$ 19.473 impactando a Reserva Especial em aproximadamente R$ 6 bilhões a menos.

Anônimo disse...

MARCOS, eu vejo muitas discussões sobre a distribuição do superavit e cada vez que as vejo percebo que não farei jus mais uma vez a sua distribuição. Só vejo sugestão para realinhar, para passar de 90 para 100% e em todas essas sugestões e eu não enquadro em nenhuma, como ocorreu da vez passada.
Recebo apenas uma migalha de R$ 100,00 por mes porque aposentei com 28 anos, me enquadrei na tal de proporcionalidade.
Vou dar um exemplo:
Nós temos um colega que aposentou com 23 anos de banco, isto é, recolheu menos do que eu para a PREVI e esta recebendo de remuneração especial em torno de R$ 1.025,00/mensal. Praticamente ele teve "um aumento" de 50% no seu beneficio. Além da proporcionalidade não recebo mais nada. Isso que nós chamamos de distribuição bem feita, né?
Vejo discussão a respeito e nada se comenta sobre os que não estão recebendo nada. Esses não tem direito a essa recuperação por que simplesmente não enquadraram nas regras apresentados pelos nossos "representantes".
Veja você, Marcos, que quando a ANABB fez esses planos mirabolantes, em cada uma dessas partes foram apresentados o número de prováveis beneficiados que nunca chegaram a marca de pelo menos 50% do total beneficários em cada plano. Se em todos os planos nunca seria atingido os 100% dos participantes, ninguém teve a idéia de se perguntar: os que seria feito daqueles que não se enquadrasse em nenhuma das opções apresentadas? Esses foram os esquecidos Marcos e não vejo nenhum movimento para que nós não contemplados tivessemos a chance de recuperar o que deixamos de ser contemplados simplesmente por não enquadrarmos nas normas dos "doutores da lei".
Agora ventilam aumento linear de apenas 8% do valor do beneficio. Fica a pergunta: se nesse valor seria englobado o valor do INSS?
Hoje recebo da PREVI, com quase tres anos de aposentadoria, o valor de R$ 2.942,00, o que daria uma "esmola" inferior a R$ 240,00. E ai ainda vem com aquelas histórias de passar de 90 para 100%. Os que já foram contemplados com o calculo anterior voltariam a ser novamente beneficiados e com um valor maior do os meus R$ 240,00. É uma piada. Isso é o que chamam de isonomia, pois, conhecem a palavra mas não conhecem o significado dela.

Marcos, se continuar desse jeito e o governo do LULA continuar com a DILMA e se a PREVI a amanhã vier a quebrar por má administração, acredito que pelo menos não passarei fome, pois, atualmente recebo do INSS o valor de R$ 2.793,00, visto que não tenho dívida, considerando que nunca gasto mais do ganho, porque nunca tive que de viver além das minhas possibilidades, só para ter "status". Como os governos não são confiáveis e a ingerência deles no fundo é por demais danosa, essa hipótese de a PREVI "quebrar" não esta afastada. Aos políticos não interessa o que vai acontecer concosco, a eles interessa apenas as vantagens que podem ter com o patrimônio da PREVI, mesmo que amanhã esse patrimonio venha a sucumbir. Pessimismo? Não. É uma condição real e as pessoas as vezes relutam em não acreditar, apesar dos exemplos que a gente vê no dia-a-dia. Matar a galinha dos ovos de ouro.

Anônimo disse...

MARCOS, eu vejo muitas discussões sobre a distribuição do superavit e cada vez que as vejo percebo que não farei jus mais uma vez a sua distribuição. Só vejo sugestão para realinhar, para passar de 90 para 100% e em todas essas sugestões e eu não enquadro em nenhuma, como ocorreu da vez passada.
Recebo apenas uma migalha de R$ 100,00 por mes porque aposentei com 28 anos, me enquadrei na tal de proporcionalidade.
Vou dar um exemplo:
Nós temos um colega que aposentou com 23 anos de banco, isto é, recolheu menos do que eu para a PREVI e esta recebendo de remuneração especial em torno de R$ 1.025,00/mensal. Praticamente ele teve "um aumento" de 50% no seu beneficio. Além da proporcionalidade não recebo mais nada. Isso que nós chamamos de distribuição bem feita, né?
Vejo discussão a respeito e nada se comenta sobre os que não estão recebendo nada. Esses não tem direito a essa recuperação por que simplesmente não enquadraram nas regras apresentados pelos nossos "representantes".
Veja você, Marcos, que quando a ANABB fez esses planos mirabolantes, em cada uma dessas partes foram apresentados o número de prováveis beneficiados que nunca chegaram a marca de pelo menos 50% do total beneficários em cada plano. Se em todos os planos nunca seria atingido os 100% dos participantes, ninguém teve a idéia de se perguntar: os que seria feito daqueles que não se enquadrasse em nenhuma das opções apresentadas? Esses foram os esquecidos Marcos e não vejo nenhum movimento para que nós não contemplados tivessemos a chance de recuperar o que deixamos de ser contemplados simplesmente por não enquadrarmos nas normas dos "doutores da lei".
Agora ventilam aumento linear de apenas 8% do valor do beneficio. Fica a pergunta: se nesse valor seria englobado o valor do INSS?
Hoje recebo da PREVI, com quase tres anos de aposentadoria, o valor de R$ 2.942,00, o que daria uma "esmola" inferior a R$ 240,00. E ai ainda vem com aquelas histórias de passar de 90 para 100%. Os que já foram contemplados com o calculo anterior voltariam a ser novamente beneficiados e com um valor maior do os meus R$ 240,00. É uma piada. Isso é o que chamam de isonomia, pois, conhecem a palavra mas não conhecem o significado dela.

Marcos, se continuar desse jeito e o governo do LULA continuar com a DILMA e se a PREVI a amanhã vier a quebrar por má administração, acredito que pelo menos não passarei fome, pois, atualmente recebo do INSS o valor de R$ 2.793,00, visto que não tenho dívida, considerando que nunca gasto mais do ganho, porque nunca tive que de viver além das minhas possibilidades, só para ter "status". Como os governos não são confiáveis e a ingerência deles no fundo é por demais danosa, essa hipótese de a PREVI "quebrar" não esta afastada. Aos políticos não interessa o que vai acontecer concosco, a eles interessa apenas as vantagens que podem ter com o patrimônio da PREVI, mesmo que amanhã esse patrimonio venha a sucumbir. Pessimismo? Não. É uma condição real e as pessoas as vezes relutam em não acreditar, apesar dos exemplos que a gente vê no dia-a-dia. Matar a galinha dos ovos de ouro.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

AOS COLEGAS LEITORES AINDA NÃO SÓCIOS DA AAPPREVI,
Acabei de enviar pelo correio fotocópia de toda documentação abaixo com o objetivo de participar da AÇÃO JUDICIAL GRATUITA-IR 1/3 PREVI:
• Documento de identidade;
• CPF;
• Um contra-cheque (“espelho”) do período de 1989 a 1995;
• Contra-cheque (“espelho”) do mês agosto de 2010;
• Comprovante de residência (conta de água, de luz ou de telefone).
• Termo de Adesão a Ação de Repetição de Indébito do IR (disponível no formato DOC em www.aapprevi.com.br/assessoria_juridica.html). Gostaria de lembrar que aqui nesta Associação as ações judiciais correm todas sem quaisquer tipo de ônus para os associados. Estão em curso também processos relativos a cesta alimentação, renda certa e revisão da renda mensal inicial. Ao tempo em que lembramos aos interessados que não há necessidade de uso do Sedex, esclarecemos que o endereço para remessa da documentação está abaixo indicado:
AAPPREVI
Rua Professor Ulisses Vieira, 864
Vila Izabel – CEP: 80.320-090
CURITIBA (PR)
Imaginem o que mais poderá ser feito, SEM QUAISQUER TIPOS DE ÔNUS, quando for alcançada a marca de cem mil associados?

Anônimo disse...

Marcos, meu esposo entrou no BB em 1959, se aposentou em janeiro de 1987,e faleceu em 2002, pagando a Previ!!!! Terei direito ao superavit?
Nunca recebi nenhuma migalha!!!!!
Obrigada!

Anônimo disse...

Colega anônimo das 13 de setembro de 2010 08:08,


Você, eu e 80% dos aposentados não foram beneficiados com o aumento do teto de 75% para 90% e não teremos novamente reajuste se aprovado o aumento do teto para 100%. Eles (os que elaboram as propostas) sabem disto, é só perguntar para o SASSERON que defendeu esta proposta na última distribuição do superávit e a defende agora novamente. ELES SASSERON, VALMIR, CECILIA, ENFIM OS ENCOSTADOS NO PODER ADORAM LEGISLAR EM CAUSA PRÓPRIA E AI DA NISTO.

Anônimo disse...

Colegas, parem de investir na crise, quanto pessimismo, sempre o mesmo discurso de que tudo vai dar errado, que ninguém vai fazer nada por nós, que a Previ vai quebrar, que não existe superavit, que não vão aumentar o ES,Xô baixo astral, pensem positivo, parem de atrair maus fluídos para o plano 1 da previ, vamos lutar, vamos participar, vamos conquistar novos associados para a AAPPREVI, vamos nos fortalecer e vencer, vamos atrair vitórias.

Anônimo disse...

Associados da AAPPREVI, que moram em SP, comparecer por favor à reunião do dia 20 é muito importante, precisamos estar presentes e colocar nossos anseios, não podemos nos acomodar e ficar esperando que os outros façam. Solicitar pessoalmente o realinhamento do ES é prioridade para muitos aposentados e pensionistas nesse momento, cada um tem a sua vida e as suas necessidades, quem não quer ES, ótimo, mais os que estão precisando, não tomam ES para ir tomar cerveja na praia e sim para quitar empréstimos com juros maiores e é desumano não serem atendidos.

Anônimo disse...

Temo que com esse início de retomada para possível distribuição do superávit, iremos perder o prazo na justiça de entrar com ação garantindo o direito a nossa parte no superávit, caso venhamos à falecer nesse tempo de reuniões aqui e acolá que não acabam mais, para se usar um critério que já está aí mais que aprovado por todos, para ser colocado em pratica.

GILVAN REBOUÇAS disse...

A colega anônima 10.00


Sobre se a sra vai ter alguma participação no superávit só vamos saber depois que o Banco e Previ acertarem o acordo sobre o mesmo. Depende das propostas que forem aprovadas. A priori, só temos especulação.

Anônimo disse...

Que Vergonha!!! Ser da Previ já era!!!! Cambada de safados!!!!!

Anônimo disse...

Colegas, nas próximas eleições que tivermos da Previ, jamais votarei!!!!
Quando chegarem as correspondencias, picarei!!!!
A Previ que nunca mais peça votos para mim nem para as minhas amigas pensionistas que tanto falei para votarem na Chapa 3!Fomos enganadas!!!
Sinto vergonha!!!!!

Anônimo disse...

Alguem da diretoria da nossa AAPPREVI, irá a reunião do dia 20.09, pedir realinhamento do ES e imediatas negociações para distribuição do Superavit

Anônimo disse...

Eu soh queria entender, mas confesso que eh difícil. A previ esbanjando bilhões em superavit e tem gente falando em quebra. E brincadeira...

Anônimo disse...

Brincadeira e ver os colegas contando com a tal reuniao do dia 20,ainda nao aprenderam.Serao necessarias quantas reunioes marcadas e sem soluçao, para "cair a ficha" de certos colegas?
Nao e pessimismo nao, e pura realidade.Imagino o que eles da Previ e BB debocham de todos que ainda pensam receber algum centavo de superavit ou seja la o que for.
Eta povinho sonhador.....A Previ esbanja sim bilhoes, mas nao e para nos,a roubalheira e muito grande e o carater dos comandantes e muito pequeno ou nenhum.Uberlandia,Sao Paulo....onde serao as proximas?
Publicar.

28.808 sem- benef.especiais disse...

Dentre as propostas a serem apresentadas e analisadas, por favor deem prioridade àqueles que NADA GANHARAM EM BENEFICIOS ESPECIAIS, pois foram esquecidos e injustiçados !

Se querem fazer fazer JUSTIÇA agora, esqueçam-se daqueles QUE JÁ GANHARAM SUA PARTE NO SUPERAVIT!
Por exemplo:
22.511 BEM assistidos, com Verba"P-380" Beneficios Especial de Remuneração -Seus tetos eram 75% e passaram a 90% -AGORA QUEREM 100%!!!! (CALMA GENTE!);

13.495 APANIGUADOS, com Verba"P-371"Beneficios Especial de Renda Certa"(Deveriam ser Verba P-"171"-Fraude/estelionato) Já ganharam ? agora sentem e esperem por nós que não ganhamos e também contribuimos além da 360º contribuição à PREVI (+de 30 anos estamos pagando à PREVI e NADA ganhamos com isso...só os apaniguados 13.495 Renda Certa"

21.605 assistidos "Pós-1997",com Verba P-390´Beneficio Especial de Proporcionalidade" cujos beneficios JÁ FORAM revisados na forma de cálculos quanto a proporcionalidade.

Há ainda OUTROS "p-374 -AUXILIO CESTA-ALIMENTAÇÃO" E ALGUNS P-3XX QUE TAMBÉM DEVEM AGUARDAR A VEZ DAQUELAS HUMILDES 18.783 PENSIONISTAS E "ESQUECIDOS 10.025" que NADA ganharam de Beneficios Especiais.

Em resumo:
57.611 já ganharam algum Benef.Esp.
34.086 estão na "ativa" e suspenderam suas contribuições à PREVI, bem como receberam PLR, tudo por conta do nosso superavit.Querem mais benefícios? Então que se aposentem!!!Daí, então, terão mais alguns benefícios...

Desta vez a JUSTIÇA chegará para nós, "OS SEM-BENEF.ESPECIAIS" E SOMAMOS EXATOS 28.808 "Donos (também) deste fabuloso Plano 1 de Beneficios da nossa PREVI"...

Anônimo disse...

Aos colegas anônimos de 13/10/2010 das 10:21 e das 11:36.

Quanta ingenuidade. Se não tivesse ingerência do governo na administração da PREVI é possível se ter um fundo estável e forte para superar qualquer crise, dependendo da qualidade de nossos ativos.
Os dois não devem se lembrar do "crash" da bolsa de Nova York que causou a maior depressão nos EUA. As empresas quebraram e as consêquencias foram desastrosas.
Os fatos passados para muitos não servem de exemplos e que fatos assim não irão mais acontecer. A crise mundial recentemente ocorrida parece que não foi sentida aqui no Brasil. A maioria não sentiu por que nós já vivemos em crise há décadas então os efeitos foram absorvidos pela população circunstancialmente. Mas pergunte aos 1.300.000 trabalhadores brasileiros que perderam o emprego aqui por causa da crise. Não foram o nosso caso. Mas o Banco para manter uma lucratividade reduziu o número de funcionários e se apropriou de nosso superavit, não para engordar seu lucro, mas para apresentar lucro que não seria possível sem essa contabilização virtual. Os maiores ativos da PREVI são ações negociadas na bolsa. São papéis e aplicações em papéis tem seu grau de volatidade. E não existem especialistas que garantem rentabilidade segura nessa área.
Todos nós sabemos que existem ações supervalorizadas, valendo muito acima do seu valor patrimonial.
Valor patrimonial de uma ação ( ou lotes de 1.000 ações), divide-se o patrimônio líquido (dívidas já excluidas) pela quantidade ações da empresa. O valor encontrado é chamado de valor nominal da ação.
Com a ascensão da Dilma a presidencia corremos sérios riscos de entrarmos em fria porque podemos passar a ser o financiador de obras de infraestruturas que não interessam a iniciativa privada por causa do retorno duvidoso. Todos nós sabemos que para as empresas o lucro é primordial e para o governo não é, então como fica a PREVI nesta situação. Saem bilhões dos cofres da PREVI sem retorno garantido ou retorno previsto para daqui a trinta anos ou mais, que não faz parte dos portfólios de aplicações de empresas privadas. Bilhões de reais não garantem a sobrevivência de empresas ou fundos de pensões mau geridos ou geridos de forma inadequada, no nosso caso, pelo governo. Recentemente muitas empresas perderam bilhões nesse mercado, como aconteceu com a Sadia, que antes tinha feito uma proposta agressiva para comprar a Pedigão, e para não falir, foi vendida a Perdigão.
O braço financeiro do Grupo Votorantin, BV Financeira também teve bilhões de prejuízos, mas foi salvo para uma operação duvidosa em que o BB comprou 49% do capital da BV Financeira sem direito a voto, isto é, não tem ingerência da administração da empresa. Valor esse que o Bradesco interessado na compra considerou muito acima do seu valor de face. Com essa transação salvou o Grupo Votorantin de uma posição bastante desconfortável.
Ainda teve o caso de uma industria de elulose que não me recordo o nome, sei que foi uma empresa da Souza Cruz (cigarros), que amargou prejuízos de bilhões, também.
Que me desculpem os colegas do Banco, mas infelizmente somos um categoria alienada, não tinhamos interesse em informações, nos acomodamos em nosso mundo e esquecemos as mudanças que estavam ocorrendo e não nos preparamos pra ela.
Hoje choramos a famigerada renda certa, os 75% para 90% e tantas outras coisas que nós mesmos concordamos com elas em votação a nós submetida. Chorar agora pra que? A culpa é nossa. Acreditam ainda que a PREVI é incolume e suporta qualquer crise e nem quebra se for mau administrada ou submetida a negócios espúrios por parte do governo. Refletir é preciso. E olhe que confiamos esse patrimonio a poucos pessoas e podemos dizer totalmente despreparadas para esse mister, e que somente obedecem ordens dos seus superiores e dizem que errar é humano...

Anônimo disse...

Marcos, retransmissão porque parece que teve problemas na primeira remessa.


Aos colegas anônimos de 13/10/2010 das 10:21 e das 11:36.

Quanta ingenuidade. Se não tivesse ingerência do governo na administração da PREVI é possível se ter um fundo estável e forte para superar qualquer crise, dependendo da qualidade de nossos ativos.
Os dois não devem se lembrar do "crash" da bolsa de Nova York que causou a maior depressão nos EUA. As empresas quebraram e as consêquencias foram desastrosas.
Os fatos passados para muitos não servem de exemplos e que fatos assim não irão mais acontecer. A crise mundial recentemente ocorrida parece que não foi sentida aqui no Brasil. A maioria não sentiu por que nós já vivemos em crise há décadas então os efeitos foram absorvidos pela população circunstancialmente. Mas pergunte aos 1.300.000 trabalhadores brasileiros que perderam o emprego aqui por causa da crise. Não foram o nosso caso. Mas o Banco para manter uma lucratividade reduziu o número de funcionários e se apropriou de nosso superavit, não para engordar seu lucro, mas para apresentar lucro que não seria possível sem essa contabilização virtual. Os maiores ativos da PREVI são ações negociadas na bolsa. São papéis e aplicações em papéis tem seu grau de volatidade. E não existem especialistas que garantem rentabilidade segura nessa área.
Todos nós sabemos que existem ações supervalorizadas, valendo muito acima do seu valor patrimonial.
Valor patrimonial de uma ação ( ou lotes de 1.000 ações), divide-se o patrimônio líquido (dívidas já excluidas) pela quantidade ações da empresa. O valor encontrado é chamado de valor nominal da ação.
Com a ascensão da Dilma a presidencia corremos sérios riscos de entrarmos em fria porque podemos passar a ser o financiador de obras de infraestruturas que não interessam a iniciativa privada por causa do retorno duvidoso. Todos nós sabemos que para as empresas o lucro é primordial e para o governo não é, então como fica a PREVI nesta situação. Saem bilhões dos cofres da PREVI sem retorno garantido ou retorno previsto para daqui a trinta anos ou mais, que não faz parte dos portfólios de aplicações de empresas privadas. Bilhões de reais não garantem a sobrevivência de empresas ou fundos de pensões mau geridos ou geridos de forma inadequada, no nosso caso, pelo governo. Recentemente muitas empresas perderam bilhões nesse mercado, como aconteceu com a Sadia, que antes tinha feito uma proposta agressiva para comprar a Pedigão, e para não falir, foi vendida a Perdigão.
O braço financeiro do Grupo Votorantin, BV Financeira também teve bilhões de prejuízos, mas foi salvo para uma operação duvidosa em que o BB comprou 49% do capital da BV Financeira sem direito a voto, isto é, não tem ingerência da administração da empresa. Valor esse que o Bradesco interessado na compra considerou muito acima do seu valor de face. Com essa transação salvou o Grupo Votorantin de uma posição bastante desconfortável.
Ainda teve o caso de uma industria de elulose que não me recordo o nome, sei que foi uma empresa da Souza Cruz (cigarros), que amargou prejuízos de bilhões, também.
Que me desculpem os colegas do Banco, mas infelizmente somos um categoria alienada, não tinhamos interesse em informações, nos acomodamos em nosso mundo e esquecemos as mudanças que estavam ocorrendo e não nos preparamos pra ela.
Hoje choramos a famigerada renda certa, os 75% para 90% e tantas outras coisas que nós mesmos concordamos com elas em votação a nós submetida. Chorar agora pra que? A culpa é nossa. Acreditam ainda que a PREVI é incolume e suporta qualquer crise e nem quebra se for mau administrada ou submetida a negócios espúrios por parte do governo. Refletir é preciso. E olhe que confiamos esse patrimonio a poucos pessoas e podemos dizer totalmente despreparadas para esse mister, e que somente obedecem ordens dos seus superiores e dizem que errar é humano...

Anônimo disse...

ao anônimo de 13 de setembro de 2010 11:36:

Pelo q eu pude entender, muito das cifras milionárias da PREVI vem de aplicações em renda variável. Isso quer dizer q hoje o q vale, por exemplo 100, pode valer amanhã 50. Foi o q aconteceu durante a crise mundial recente, qdo a Previ, de uma hora pra outra, viu seu capital diminuir sensivelmente, algo q vem recuperando agora.

Além disso, c/ o Banco do Brasil metendo a mão no nosso dinheiro e o governo usando a Previ como financiadora de negócios de alto risco, como o trem bala e Belo Monte, além da intenção de usar os fundos de pensão pra financiar as obras da Copa e das Olimpíadas, nosso patrimônio, se não ficarmos atentos, pode ir sim pelo ralo.

Anônimo disse...

Não há patrimonio que resite a má administração, não interessa o montante. Quantas empresas de grande porte que quebram ao redor do mundo. Banco nem se falam. Se não fosse a injeções de bilhões de dolares do governo americano a GM, a Forde, Chrysler, tinham quebrado, fora alguns bancos que foram socorridos como City.
Nós estamos acostumados a falar em mil reais e só quebramos em mil reais, lá em cima fala-se em bilhões e se quebram em bilhões.
Voces devem achar que os eleitos da PREVI vão se desdobrar a nosso favor e não em favor deles. Acho bom ter um otimismo desse. Ou não será ingenuidade? Quem administra a PREVI? Gostaria que os dois otimista dissessem com toda a sinceridade. O patrocinador ou a diretoria constituída da PREVI? Quem manda e quem obedece? Responda-me se for capaz.

Anônimo disse...

Caro colega Jorge Teixeira,

Peço que receba este pequeno comentário como uma observação de cunho construtivo: Pelo número das suas intervenções, as vezes duas ou três, no mesmo dia, nota-se que você é loquaz e prolixo.
Em face disso, preocupa-me a ocorrência de uma LER nas articulações dos seus velozes dedos. Por favor, use de parcimonia e dê uma trégua ao teclado do seu computador.

Anônimo disse...

Colega,

"28.808 sem- benef.especiais disse..."

É meu amigo se os funcionários que trabalham no Banco, tivessem tempo de ler o Estatuto/Regulamento da PREVI e os aposentados fossem mais concientes e buscassem informações, não teriam aprovado a última distribução de superávit.

Espero que da próxima vez todos abram bem os olhos antes de aprovar as propostas vindas da elite (ou melhor dos safados).

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Caro Colega Anônimo de 13.09.10, às 13:23hs,
Aceito a sua pequena colaboração que Você diz ser de “cunho construtivo”. Aliás, no meu dicionário o seu “cunho construtivo” tem outro nome. Mas, enfim, vou procurar doravante lembrar das suas observações. Quanto à trégua ao teclado aí será bem mais difícil já que o meu “computador é um workaholic”. Agradeceria, de coração, se o colega saísse do armário e se identificasse já que minha mulher deseja realmente saber quem está se preocupando com as articulações dos meus velozes dedos.

Ari disse...

Meu dileto Jorge Teixeira,

Referente ao comentário de 13/09 às 13:23, diga-se de passagem nada feliz, sinto-me na obrigação de dizer-lhe que és e sempre serás bem-vindo aqui no blog, quer pela clareza de suas ideias quer modo de expô-las.
A recomendação feita pelo nobre Anônimo, para mim, vale como uma autoproclamação.

Anônimo disse...

Marcos, hoje em dia é modismo falar mau do FHC. Então é melhor estar na moda e falar mal do FHC.

Na época da privatização criticaram o governo por obrigar os fundos de pensões das estatais a adquirirem ações dessas empresas, dentre elas a PREVI. Fica a pergunta, quem perdeu? Os ideólogos socialistas dirão que o povo quem perdeu.
O quê que o povo perdeu? Bom pelo menos eu não perdi nada, pois, por exemplo, nunca recebi dividendos da Vale. Perder é deixar de receber o que vinha sendo recebido. Acho que ganhamos. Enquanto estatal a Vale nunca deu retorno suficiente para novos investimentos necessários ao seu crescimento, de acordo com as práticas adotadas pelas empresas, e que esses novos investimentos eram bancados pelo tesouro nacional. Saia dinheiro do povo para injetar numa empresa mau administrada, mero cabide de emprego e que era usado ao bel prazer dos políticos do momento. E isso também estendia para as Teles, as empresas de energia e outras mais.
Hoje os maiores retornos das aplicações da Previ vem dessas empresas, onde, inclusive, possui o direito de ter membros nos conselhos de administração das ditas cujas. A Vale é, hoje, uma das maiores empresas mineradoras do mundo. Só os impostos que essas empresas pagam hoje superam em muito o lucro dessas empresas enquanto eram estatais, já com a devida conversão das moedas. E a nossa Previ vem lucrando muito bem com isso.

Vamos para outro cenário.

Que essas empresas não tivessem sido privatizadas e estivessem nas mãos do estado.
Sem recursos para investir nessas empresas o sr. LULA obrigasse os fundos de pensões a injetarem recursos bilionários nessas empresas estatais que seriam geridas por indicações do PMDB, pelo próprio PT, pelo PTB, etc.

Manchetes de jornais: "Sarney nomeia o Sarney Neto para presidente da Vale".
"Sarney Neto, nomeia membros familiares para os principais cargos da Vale".

"Renan Calheiros também quer a presidencia de uma estatal para o Renanzinho".

Será que nós participantes da PREVI estaríamos dormindo tranquilos nesse cenário vendo um sangria das nossas poupanças saindo pelo ralo. Saindo pelo ralo não tem perspectiva de retorno.

Só de falar que os fundos vão participar da Usina Belo Monte, do Trem Bala, já nos causa arrepio.

Nós precisamos de abandonar as questões ideólogicas para não criarmos nossas próprias armadilhas.
É preciso ter responsabilidade e sabermos julgar aquilo que é realmente bom para todos e não somente para "mim". O "eu" em primeiro lugar acontece com os dirigentes das associações ligados aos funcionários do BB como a ANABB, PREVI, CASSI, AAFBB, etc.
E os participantes como ficam? Dirão: que os participantes vão as favas.

Anônimo disse...

Colega Jorge Teixeira,

Você é um cara inteligente e trabalhador. Absorveu rápido a minha pequena contribuição, feita com sinceridade, tanto assim que a sua resposta foi educada, sútil e enxuta. Hoje, ninguém gosta de debruçar-se sobre textos muito extensos. Por isso que os realeses e recados curtos estão em voga. Debalde isso,nós estamos na mesma luta e essa nossa troca de idéias foi boa para descontrair o ambiente. Parabéns, vamos juntos buscar o nosso superávit.

Anônimo disse...

Colegas,

É duro ter de ficar no anonimato.

Anônimo disse...

Colegas,

Talvez eu um dia saia do anonimato para ir, quem sabe, na minha idade, para a prisão, pois não sei até quando vou suportar tanta maldade dos diretores do bb e da Previ.