sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

O Referendo

Caros Colegas.

Com o encerramento da enquete estamos autorizados a fundar nossa Associação. A pergunta mantida sob votação durante os últimos 15 dias foi: “Devemos nos organizar como Associação juridicamente constituída?”.

Dentre os 148 votos computados 143 optaram pelo sim (96%) com apenas 5 negativos (3%), o que nos proporciona inquestionável aprovação. Assim sendo, a AAPPREVI está prestes a vir à luz para cumprir seu destino.

Ultimados os preparativos para consolidação, alguns pontos precisam ser delineados para evitar mal entendidos futuros. Isto porque, estando na fase final da etapa de fundação, resta apenas a constituição da Assembléia para aprovação do Estatuto concomitantemente à escolha da 1ª Diretoria - eventos que merecerão ampla divulgação.

Por isso vale enumerar alguns fundamentos básicos que se pretende sejam de cumprimento obrigatório, para salvaguardar a transparência necessária e servir de orientação aos futuros dirigentes e associados - relativamente aos atos, atitudes e comportamento do conjunto. Se houver concordância maciça oportunamente essa postura será delineada em normativos próprios, senão no Estatuto, além das modificações advindas das sugestões anotadas, merecendo destaque a antecipação dos 12 pontos a seguir enumerados, que ouso propor:

1) nenhum membro da Diretoria perceberá benefícios pecuniários sob qualquer pretexto;
2) os membros da Diretoria apresentarão declaração de bens no início e término dos mandatos respectivos, porém essas informações não serão do domínio público;
3) durante a vigência dos seus mandatos, os membros da Diretoria não poderão acumular cargos em entidades atuantes no âmbito de interesses dos participantes do PB1;
4) nenhum associado será remunerado por serviços prestados à Associação;
5) a associação iniciará seus trabalhos em local provisório, sem ônus para o corpo social;
6) tão logo disponha de recursos alugará espaço físico apropriado, minimamente limitado a abrigar os equipamentos, diretoria e funcionários imprescindíveis ao exercício das atividades;
7) não haverá sede social em respeito à igualdade de direitos, isto porque, pelo caráter de abrangência nacional, somente os residentes na localidade usufruiriam de suas instalações, com perdas para os demais;
8) primar para manter o entendimento de que os funcionários desempenham as tarefas emanadas da Diretoria, em cumprimento às normas regulamentares da Associação que serve, exclusivamente, aos associados, escoimados os interesses individuais na utilização das instalações ou dos serviços disponíveis;
9) o atendimento aos associados será prestado sem a presença física (será por telefone, internet, correio, etc.) evitando deslocamentos (para maior comodidade), e terá prioridade sobre qualquer outro;
10) nos contatos que evidenciem relevância o atendimento será feito diretamente pelo Diretor da área envolvida ou pelo Presidente, por exigência do associado, obedecendo-se prazos definidos;
11) nenhuma informação será sonegada ao associado e deverá ser prestada tempestivamente.
12) deverá ser criado o SOS - Urgente, um canal de comunicação emergencial para prestar orientação confiável ao associado, nas áreas de saúde, social e jurídica;

Em cumprimento às metas de transparência e com a pretensão de que o Estatuto seja referendado amplamente, a minuta continuará disponível até a véspera da Assembléia Geral de fundação. Para tanto, todo o seu conteúdo poderá ser questionado e serão acolhidas sugestões para a composição final.
Dentro desse entendimento a seqüência de atos e procedimentos envolvendo a criação da Instituição será divulgada aqui neste site. De igual modo, doravante todos os assuntos administrativos do interesse do corpo social merecerão tratamento semelhante, pelos meios mais eficientes para cada caso - contanto que o associado esteja permanentemente inteirado de tudo que aconteça no âmbito da AAPPREVI.

No estágio atual, e conclusivo, todas as interferências críticas serão bem vindas. Ajude a compor o Estatuto.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 15/01/2010.

24 comentários:

Marcos Cordeiro (André) disse...

Resposta ao comentário feito no post "20.000 visitas!"

Caro Marco Aurélio.

Parte de suas perguntas estão respondidas no post "O Referendo" que acabo de publicar.
Pretendo anunciar o cronograma que me cobra no início da próxima semana (18 ou 19/01).
Quanto à "ajudinha" será pinçada oportunamente, porém somente após registrada a AAPPREVI e desde que conte com conta bancária apropriada para arrecadar mensalidades.
Espero que continue atuante como sempre e não esmoreça se minha atuação aparenta morosidade, mas procuro me cercar de prudência para não cometer impropriedades.

15 de janeiro de 2010 13:15

Anônimo disse...

Colegas, vejam no blog da nossa "colega" Cecília, a matéria intitulada "e o superavit da Previ".

Será que ela não tinha aquelas informações antes ? Por que deixar que alimentássemos ilusões sobre uma possível distribuição do NOSSO superavit?

LAMENTÁVEL !!!

Marcos Cordeiro (André) disse...

Comentário publicado no post "20.000 visitas!"

Caro Colega anônimo da 15:18.

- Entendo ser um discurso pronto, talvez até encomendado, bem pensado, estudado e lançado. Por trás disso me parece haver o início da construção de um castelo de cartas que logo virá abaixo. Provavelmente uma preparação para a cartada decisiva: oferta do patrocinador de alguma migalha em troca da concordância com suas intenções. Se assim for muito terrorismo será disseminado nos próximos dias, em outros veículos que “defendem” o PB1.
- A colega Cecília anunciou no seu blog: “Estou escrevendo um artigo sobre a questão do superávit da Previ. Devo publicar o mais tardar amanhã”, isto foi dito no dia 13/01 às 12h 29 min. Demorou em juntar as peças desse jogo de múltiplos sentidos.
- Note-se que o texto é elaborado com idas e vindas nos argumentos, prometendo e negando, permeado de dados técnicos e citações. Típico trabalho burilado com máscara de esclarecedor, mas com um confuso rosto oculto. Poderia ter sido mais explícito tipo, é ou não é. Afinal é direcionado a um público eclético, não específicamente técnico.
- Se feito com intuito de confundir, cumpriu a finalidade. Mas, se era direcionado ao esclarecimento generalizado deixou a desejar. Portanto, não me abalo com toda aquela gangorra de promessa e ameaça. Aguardemos o decorrer dessa próxima semana. Ela promete. Até lá, nada a temer.

15 de janeiro de 2010 15:59

Lázara Rabelo disse...

Caro Marcos e demais colegas,

A cada dia que passa, tenho mais convicção de estarmos tomando as decisões certas, criando nossa AAPPREVI e tentando aglutinar o máximo de colegas e familiares em torno dos nossos objetivos. Como divulgado pela imprensa, o BB dirigido pelo Sr. Bendine está promovendo compras por aí, que mais parecem privatizações às avessas, o Banco injeta o dinheiro em 50% na empresa, mas deixa uma açao a mais com o sócio para que esse tenha a ingerência (Votorantim, Icatu comprando Brasilcap, etc.), o TCU está contestando o caso do Votorantim, por falta de análise mais profunda em seus balanços. Comprou a Nossa Caixa do Governo de São Paulo e ia pagar a vista, Lula que impediu, fazendo então um parcelamento. Acabou de comprar do Governo de São Paulo também, a folha de pagamento do funcionalismo por mais de l bi, será que nesse mundo pós crise econômica esta folha vale mesmo isto? E as intenções de comprar o Banco da Patagônia da Argentina e parte do RBS nos Estados Unidos? E os funcionários tendo condições de trabalho e remuneração similar a escravidão moderna, conforme publicação no site www.faabb.com.br . Nos últimos dias vi no Blog da Cecília pessoas implorando para a PREVI suspender as mensalidades dos empréstimos simples e imobiliário, pelo menos até que se defina a distribuição do Superavit. Confesso não ter percebido nenhuma sensibilidade por parte daquela Diretora em relação aos desamparados (nós), e os espelhos de janeiro sairam com os descontos normalmente, incluside do Imposto de Renda. Acho que é porque eles, PREVI/BB e Governo estão mesmo é com a intenção de nos passar a perna de novo, fabricar outra "resoluçao" ou alguma outra artimanha que devem ter bolado.
Vamos voltar a ser a grande familia que um dia fomos. A luta será muito desigual.
Abraços a todos,

Lázara Rabelo

Marcos Cordeiro (André) disse...

Caros Colegas.

ASGER – Assembléia Geral para aprovação do Estatuto e eleição da Diretoria da AAPPREVI – data ainda não definida.

- Apelo aos interessados em comparecer à Assembléia que informem dados para contato (e-mail e telefone, se possível). Esses elementos serão usados para este fim específico.
Canais disponíveis:

cadastro@previplano1.com.br
contato@previplano1.com.br
marcosmca@yahoo.com.br

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colega Marcos Cordeiro,

Na elaboração das propostas do GT-ANABB, em julho/2008, foi realizado o encontro das entidades para discutir a distribuição da reserva especial (ANABB, CONTEC, FAABB, AAFBB, AAPBB, AFABB). Nesse encontro, duas das diretrizes eram:

“b - Contemplar, na medida do possível, as sugestões/contribuições enviadas ao GT ANABB/Entidades de Aposentados/CONTEC;
c - Formular propostas observada a legislação vigente.”

Portanto, presume-se que essas entidades tenham estudado e aproveitado as melhores sugestões dos associados para esse fim. Mas, nós, os participantes, não temos nenhuma idéia de quais foram as sugestões aproveitadas e quais foram as descartadas. Quem sabe foi descartada alguma idéia que não teria sido interessante para as cúpulas, mas que seria interessante para a maioria dos participantes? Ou, alguma idéia que casada com uma segunda poderia ter gerado uma terceira sugestão viável? E, também, alguma sugestão que, em princípio, não teria amparo legal. Mas, nesse país, não se mudam as leis de um dia para o outro desde que haja consenso sobre a necessidade e urgência da mudança?
Diante disso, visando valorizar as contribuições dos colegas no campo das idéias e, como você disse, salvaguardar a transparência necessária, gostaria de sugerir um outro fundamento básico, qual seja:
13) Toda opinião ou sugestão dos associados da AAPPREVI sobre qualquer assunto de interesse dos participantes do Plano 1 deverão ficar, permanentemente, registradas no site da AAPPREV para eventuais consultas, mesmo aquelas, em princípio, consideradas inviáveis.

rosalina_de_souza disse...

Colega Marcos,peço desculpas por desviar um pouco o foco mais acho que medidas devem ser tomadas,pelo que a Senhora CECÍLIA GARCEZ disse estamos tendo ingerencia total dentro da PREVI e não vejo outra maneira ao caminho da intervenção novamente:

Colega Cecília, o que esta se provando com esta matéria de sua autoria, intitulado E O SUPERAVT DA PREVI? É que a nossa diretoria executiva e os nossos conselhos tanto o Deliberativo quanto o Fiscal são omissos, e incapazes de gerir a previ.
Que o nosso Presidente Senhor Sergio Rosa ,este duplamente omisso, já que este senhor também compõe o conselho de administração da companhia VALE.
Nossos recursos estão beneficiando a quem?Pois se alterações foram feitas unicamente para enquadrar a Previ,alocando em até 70% dos recursos em renda variável,em 2008 perdemos muitos bilhões por esta política desequilibrada,já que plano de previdência é para ser equilibrado, e com a imposição até de certo modo arrogante desta Diretoria estamos ai com bilhões para servir a quem de direito?
Já passou da hora da previ realizar o dever de casa,revisar a tábua de mortalidade,rever a taxa atuarial se enquadrando nos moldes pedidos, isto é necessário e não precisa ser vinculado a nenhum tipo de barganha entre aposentados,pensionistas e o patrocinador,vender de imediato a sua participação nas empresas onde se encontra superavitária de seus recursos,reinvestindo em novos projetos que tem de sobra boas empresas ou companhias ou mesmo fundos que possa se agregar tais recursos,não podemos mais brincar com o dinheiro de mais de 121 mil famílias trabalhadoras que lutaram durantes 30 ou mais anos para ver uma diretoria ineficiente tratando de um patrimônio superavitário gerado de tirar benefícios dos trabalhadores e arriscando em bolsas de valores sem muito acrescentar aos verdadeiros donos do dinheiro servindo apenas de veículo para Governos Empresários capitalistas mesquinhos que só pensam em encher os bolsos, com meras especulações,dia a bolsa ta la em cima. Dia a bolsa despenca e fechando em baixa.
Não trouxe nada de novo a respeito de Superávit, apenas confirmo mais uma vez que não haverá,distribuição de superávit em 2010,afirmo porque se for cumprir a risca os normativos a nossa diretoria já vem trabalhando contra Aposentados e Pensionistas a muitos anos,pois não desloca recursos e fica esperando o que? como você mesma afirmo a dias atrás de que a previ trabalha com três cenários ,claro que com o melhor deles, mas pelo jeito a Previ esta esperando uma nova crise para consumir este robusto superávit.
Não tenho mais nada a acrescentar, não vejo sentido nem com continuar discutindo, pois pela sua categórica explanação não há nada mesmo o que se discutir,há sim que se COBRAR PELA INEFICIÊNCIA TOTAL E DESCABIDA DE MANEIRA GERAL ENTRE A DIRETORIA EXECUTIVA E PRINCIPALMENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO,POIS NADA ESTÃO FAZENDO PARA ENQUADRAR A PREVI MESMO COM PRAZOS ALONGADOS, E NORMATIVOS PARA TENTAR VIABILIZAR A MENEIRA ERRONEA QUE ESTÃO LEVANDO OS RECURSOS GARANTIDORES DO PLANO 1.
JÁ POSSO ATE DIZER QUE A PREVI ESTA MERECENDO “INTERVENÇÃO” NOVAMENTE,PORQUE NÃO É POSSIVEL ESTARMOS CRIANDO BILHÕES E MAIS BILHÕES SENDO QUE SEU CORPO SOCIAL ESTA PADECENDO DIA A DIA,COM TANTO DINHEIRO SOBRANDO PARA ESPECULADORES E SEUS CORPO SOCIAL, POBRES COITADOS SENDO MASSACRADOS COM 72 MESES PARA PAGAR EMPRÉSTIMO SIMPLES E O PATROCINADOR TEM 30 ANOS APARA SALDAR SUA DIVIDA?

NÃO PODEMOS MAIS ADMITIR SERMOS ACHOCALHADOS POR ESTA GENTE QUE SE ACHA DEUSES DO PROGUESSO AS CUSTAS DO SUOR ALHEIO, E TEMOS SIM QUE TOMAR MEDIDAS E AGORA MAIS DO QUE NUNCA” INSTALARMOS UMA COMISSÃO PARA UMA AMPLA INVESTIGAÇÃO NA PREVI”.

Anônimo disse...

Marcos a diretora Cecília,não disse se voltaraão ou não as contribuições para o periodo de 01 de janeiro a 31 de dezembro de 2010,mas se conclui que estamos desenquadrados e não superavit que se discutir ja para fevereiro deve-se voltar de imediado as contribuições.
Colegas não há o que se discutir sobre superavit,mas há sim o que se cobrar desses dirigentes,e agora mais do que nunca pois eles tem o dever de revisar o emprestimo simples,mudar a forma de concessão do financiamento imobiliário,porque o dineiro oferecido para novos contratos dos que ja usaram é uma verdadeira aberração,e concluir rapidamente as mudanças na tabua de mortalidade e taxa atuarial,assim consome a ilusão do superavit e enquadra a previ.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Colega Marco Aurélio.

- Todas as sugestões registradas aqui no blog estão aguardando a avaliação final para elaboração do Estatuto. Além desta (já anotada) há muitas outras, suas inclusive.
- Os 12 itens do post “Referendo” foram lembretes que idealizei e inseri para juntar-se às outras propostas dos comentários, no momento oportuno.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Colegas associados da OdontoANABB, procurem confirmar sua situação cadastral (e dos seus dependentes) diretamente com a ODONTOPREV. Vejam o que está acontecendo comigo:

Mensagem enviada à ANABB e respectiva resposta:

Pergunta:
Meus dependentes inscritos na OdontoANABB não constam do cadastro da ODONTOPREV, segundo informação da própria Empresa, em data de hoje, quando procurada para uso dos serviços. Os dependentes são: Marcos Cordeiro de Andrade Júnior - filho Sônia Maria Cantuária Muniz - esposa.

Resposta:
Prezado Marcos, conforme contato telefônico realizado no dia 14/01/2009, às 12:38 h, com a atendente Rayssa Santos, informamos que foi gerada uma solicitação para verificar o motivo de o dependente não estar incluso e a tentativa de reverter a situação. Pedimos que aguarde a solução da mesma. A ANABB agradece seu contato.
Atenciosamente,

Rayssa Santos
Atendimento ao Associado
ANABB/VIREF

- Em tempo: As mensalidades são debitadas em minha conta corrente desde agosto de 2009.
- Se nada consta na ODONTOPREV, para onde está indo o meu dinheiro?

Anônimo disse...

Colegas,
Reflitam um pouco sobre a opinião de nossa colega Cecilia.

"O que acontecerá após a divulgação do resultado de 2009 é um ponto de interrogação, pois o Banco, com certeza, está louco para colocar a mão nesses recursos, porém não vejo como fazê-lo, a não ser que o Governo resolva mudar a norma novamente a fim de que o Banco usufrua desses recursos."
Se for para "engordar" o caixa do BB, que compra tudo sem dinheiro, o Governo pode mudar a Resolução; mas, se for para possibilitar a distribuição de Reserva Especial para seus legitimos donos, fica como está.
Se bem que este governo só ampara "cumpanheros". Os privilegiados que se danem.

Anônimo disse...

Colega de 05:30, ela entrega o ouro direto......E discardo!Se for para beneficio do BB poooooode!!!!!!
Favor publicar.

Jorge Teixeira disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Entendo que a diretora Cecília carregou um pouco mais do que devia nas tintas ao pintar um quadro extremamente sombrio para 2010 no que concerne à utilização da reserva especial para revisão do plano de benefícios. A projeção que alicerçou todo o seu comentário foi feita com base nos números por ela divulgados lá mesmo no blog, relativos ao mês de nov/2009. Só após conhecermos os números definitivos do balanço da Previ é que se poderá afirmar categoricamente qualquer tipo de coisa relativamente à utilização ou não de superávit. Julgo oportuno lembrar que a presença da Anabb foi descartada numa possível mesa de negociações com o patrocinador, da qual deverão estar presentes os membros da Contraf-Cut e os da FAABB. Penso que as declarações da colega Cecília possam ter sofrido a influência dessa exclusão da Anabb. Ou possa se tratar apenas de um componente político tentando minar a participação da Contraf-Cut na mesa de negociações, ainda mais que estamos em ano de eleições para duas das diretorias da Previ. Independentemente do que vier a se oferecer daqui pra frente, o mais importante de tudo é que deveremos ficar super atentos, pois 2010 é ano de eleições e todos os candidatos, invariavelmente, deverão ser submetidos ao crivo do CANAEL.

Anônimo disse...

Colegas,

A Sra. Cecilia que está preste a sair da Previ, quer provocar nossa revolta, para ver (o circo pegar fogo)uma auditoria particular na previ se faz necessária, mais em contabilidade pode-se fazer várias mágicas contra ou a favor ao que se quiser, principalmente ela (macaca velha nisso).
O que ela coloca não é nenhuma novidade o Sr Gilberto Santiago da AAFBB-RJ já havia feito essa colocação de não existir superávit à ser distribuido.
Pena que ninguém explicou como foi calculada a renda certa de 2006 e como chegaram a tais valores.
Lamento que a Sra Cecília só agora está monstrando quem é, cadê a sensibilidade de outra época, não interessa mais que sejamos simpatizantes dela, para ocupar cargo na PREVIC não precisa de votos dos aposentados e pensionistas do PB1.
Marcos, que a AAPPREVI, venha para
lutarmos por tantas injustiças que sofremos.

Anônimo disse...

Marcos, a diretora Cecília na matéria sobre o superávit, parece bastante tendenciosa, critica o BB, mais deixa claro que ele por precisar de dinheiro poderá propor alguma negociaçao, essa seria a nossa única chance de recebermos parte do superávit.
A diretora Cecília sempre foi contra ao BB levar parte do superavit, porque o associado é o verdadeiro dono do superávit, mais se o Banco não levar a sua parte não tem superávit, ora que discurso é esse...sabe-se que a situação do aposentado é difícil, nem a continuação da supensão da contribuição foi anunciada, a intenção é nos deixar cada vez mais fragéis para aceitarmos qualquer coisa, afinal se não tem nada a ser distribuido e nos oferecerem alguma esmola a gente é lógico que aceitará.

Anônimo disse...

Diante das alegações da diretora Cecília, parece que a distribuição do SUPERAVIT não será nada fácil. Acho que não teremos outra saida a não ser a JUSTIÇA. Tanto que já estou recebendo diversos convites de Advogados, UNAMIBB, AAFBB, AFABB
para ingressar com a Ação Judicial pertinente. Gostaria da opinião dos colegas do Blog Previ1, pra tomar a decisão acertada.

Anônimo disse...

Anonimo das 07:51

Estava justamente hoje pensando nisso. Como existe uma Lei que determina que após três exercícios seguidos de superávit deve ser dado destino ao último (o do terceiro ano) até o final do ano de 2010 e como uma resolução (neste caso a de número 26) não elimina uma Lei a nossa única chance será via judicial para que a Lei seja cumprida. Aliás não lí em nenhum dos blogs/sites de entidades e outros qualquer menção a esta possibilidade. E NOVAMENTE voltamos a velha pergunta: QUAL DAS ATUAIS ASSOCIAÇÕES, SINDICATOS ou QUEM SABE NOSSOS REPRESENTANTES NA PREVI iriam propor uma ação judicial contra a PREVI e BB para o cumprimento da Lei?

Um outro ponto que me deixa perplexo é que, conforme explicitado pela Diretora Cecília em seu blog, caso a resolução fosse implantada ninguém levaria nada, nem BB e nem partcipantes. Ok. Mas como o BB está fazendo contabilizações para inflar seus balanços? E mesmo que sejam lançamentos presentes referentes a futuros valores a CVM não fiscaliza? Já pensou se a moda pega. A PETROBRÁS poderia contabilizar, por exemplo, R$ 50 B no balanço de 2009 por conta de receitas futuras quando começar a jorrar petróleo do pré-sal. Quando chega em dezembro de 2010 contabilzia mais R$ 30 b porque acharam mais poços que serão explorados daqui a 40 anos. Se esta moda pega SACO NÂO TERÁ MAIS FUNDO.
E nós continuamos a ficar a ver navios.

Anônimo disse...

Colega Marcos.

Inicialmente quero enviar-lhe os meus melhores agradecimentos pelo trabalho que você está realizando, em prol de todos os aposentados e pensionistas do Plano 1. Creio que existem poucas pessoas em nosso meio que conseguiriam realizar essa tarefa e com tanta eficência. Inegávelmente, tudo isso requer tempo e algum custo. Portanto, quero de antemão sugerir que todos os colegas lhe enviem uma pequena colaboração em caráter extra oficial, para fazer face às despesas iniciais e o tempo dispendido na defesa dos nossos legítimos direitos. Nada mais justo. Um forte abraço a todos.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Caros Colegas.

- Agradeço as manifestações de apoio. Servem de incentivo para caminhar em direção ao término do meu trabalho com relação à criação da AAPPREVI.
- No entanto, descarto qualquer tentativa que seja esboçada em direção a aportes financeiros de caráter pessoal. Digo-lhes com franqueza: está tudo sob controle, além do que os gastos que tive até agora são mínimos e não espero ressarcimento. Já a AAPPREVI sim, precisará de suporte para dar os primeiros passos. Deixemos efetivar-se a regularização para pensarmos como poderemos ajudá-la no início.
- Não quero afrontar ninguém nem ser mal agradecido, mas estou sendo sincero. Nada fiz para merecer pagamento. Não esqueçam que trabalho por mim também.
Considerem qualquer esforço que esteja dispendendo como colaboração à nossa Associação.

Ivan Rezende disse...

O processo 200834000340813, do Sindicato de Brasília, contra a resolução 26, teve os seguintes registros recentes:
13.01.10 - Devolvido com despacho.
15.01.10 - ordenada a publicação do Despacho.
Vamos acompanhar.

Anônimo disse...

Amigos e amigas do blog,
Voltei de férias semana passada, mas como tinha muita coisa para colocar em dia, só hoje estou de volta ao blog. Mas esses dias que fiquei sem escrever serviram para eu pensar bastante sobre esse momento tão difícil que estamos vivendo.
Resolução CGPC26,Dividas de muitos colegas,como resolver estas questões:
Alguém que grita com os seus funcionários, fala que eles são incompetentes e que fazem tudo errado, não pode esperar que suas relações sejam harmônicas no trabalho nem em casa e nenhum outro lugar. Também não adianta sonhar em ter dias mais tranqüilos, afinal o inferno está dentro da própria pessoa.
Enfim... tudo isso pra simplesmente pararmos pra pensar nesse começo de ano se queremos continuar a sonhar os tais sonhos irreais que nunca se realizarão, ou se vamos encarar de fato, com coragem, tudo aquilo que é necessário para que as mudanças realmente aconteçam?

O que quero dizer com isso Colegas a nossa Diretora Cecília, jogou um balde de água fria,supondo não haver recursos para distribuição,mas terá que se explicar,pois suas palavras caem sempre no contraditório,ela sinalizou sempre ser contraria a divisão,mas diz que o Governo pode mudar as regras para beneficiar o patrocinador,por outro lado o patrocinador tem feito várias aquisições,e por onde começar? De onde vai sair os recursos para pagar tantos compromissos, e a liminar do SIND-BAN DF,e o ofício da CONTRAF-CUT pedindo a reabertura das negociações,e a reunião da federação com Robson Rocha,são perguntas que não otivemos respostas ainda.
Para concluir:
Exemplos como esses podem ser dados aos montes, mas pelo menos esse já dá uma idéia de como parte da mágica funciona. As pistas estão na famosa frase `Diga-me com quem andas e direi quem és?
Bom domingo a todos.
Ainda anônimo

Anônimo disse...

MARCOS,
EM QUEM ACREDITAR

Tarefa difícil essa dos Aposentados e das Pensionistas da Previ PB-1. Num momento como este em que estamos vivendo em quem podemos acreditar?

Anônimo disse...

Colega Marcos Cordeiro,

Temos três Brasil:

O Brasil do Governo.

O Brasil dos corruptos.

O Brasil do PREVILEGIADOS

Haaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Agora teremos o Brasil da PREVIC?

Marcos quantos Brasil mais virão?

Anônimo disse...

Prezado Marcos,

Na minha opinião, a análise precedida pela Diretora Cecília está correta.
Enquanto estiver em vigor a Resolução nº 26, do CGPC, não haverá sobra da Reserva Especial para revisão do PB-1, principalmente porque o enquadramento legal das aplicações em Renda Variável absorverá a maior parte dos recursos.
Em 24/09/2009, o BACEN, através da Resolução nº 3.792 (Artigo 36)estabeleceu em 70% o teto para aplicações pelas EFPC dos recursos garantidores em Renda Variável. Porém, no caso específico do PB-1, essa abertura de nada valeu porque o problema maior está na concentração em poucas empresas, especialmente no caso da Vale/Litel. A responsabilidade maior deve ser imputada aos administradores da PREVI que, desde 1997, inflaram balanços com reavaliações legais, mas inoportunas, dos ativos representados por ações avaliadas pelo valor econômico em vez de pelo valor de Bolsa.
Então, para que a Reserva Especial apresente saldo para revisão do PB-1, há que, em primeiro lugar, derrubar a Resolução nº 26 do CGPC (SPC). Se ficar na dependência da Justiça brasileira, o assunto mofará nas pratileiras, por muitos anos, como de praxe.
A solução estará na aprovação, pela Câmara Federal, do projeto de Lei Parlamentar apresentado pelo Deputado Gustavo Fruet, em 15-09-2009, atendendo sugestão da FAABB feita pelo seu porta-voz, Ruy Brito de Oliveira Pedroza.
Outra solução seria a nova entidade:PREVIC publicar nova Resolução reformulando a de nº 26 do CGPC, com eliminação dos artigos relativos ao desenquadramento em Renda Variável.

Carlos Valentim Filho - Joinville