sexta-feira, 28 de maio de 2010

Cuidemos de nós.

Bom dia, Colegas.

"Águas passadas não movem moinhos".

Mas, se não fossem as águas impulsionadas por pessoas como vocês os moinhos que se moveram teriam girado menos do que aconteceu.

Bem ou mal tivemos um bom começo. Basta avaliar as votações passadas e veremos que nesta tivemos nossa contribuição, com muita participação, muito barulho e muitos apelos e denúncias.

Passado o pesadelo de engolir a seco a chapa 3, resta-nos bater a poeira das vestes, trocar os sapatos e continuar a caminhada.

Vamos agora cuidar de nós.

Vamos cuidar da AAPPREVI para mostrar aos imprestáveis poderosos a que viemos. E que viemos para ficar e crescer para seu desespero e temor. Viemos para crescer sem desejo de poder, mas para afastar os inoperantes e entregar o poder nas mãos de quem queira trabalhar em proveito de todos os aposentados e pensionistas da PREVI.

Vamos mostrar aos desassistidos e incrédulos colegas que somos de confiança.

Mostremos a eles que somos feitos de muitas Janes, Lázaras, Sandras, Marias, Rosalinas e mais uma dezena de Diretores que trabalham para eles, de graça, com gana de vitórias.

Neste momento o nosso advogado está voando para o Rio portando o processo Renda Certa para ajuizamento.

Na próxima semana começaremos os trabalhos informativos para o início da ação RMI, continuando com o 2° lote das ações já em curso.

A vida continua...

Abraços,

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 28/05/2010.

45 comentários:

rosalina_de_souza disse...

COLEGAS

O FUTURO É AGORA.

Outro dia me dei conta de que temos forçosamente aprendido a viver do modo que os orientais dizem ser o mais correto: no momento presente. Diante do caos coletivo, seja por razões ambientais ou sociais, creio que a maioria de nós concorda que estamos vivendo a síndrome do futuro incerto. Parece cada vez mais difícil planejar qualquer coisa. Até mesmo o clima tornou-se imprevisível: faz frio no verão, chove forte no inverno...
Sem falar do ritmo acelerado dos acontecimentos: quando pensamos estar vivendo o início de qualquer evento, já nos pegamos elaborando indícios de uma nova transformação.

Para não entrarmos em crise permanente, temos aprendido a fazer planejamentos mais flexíveis e a encontrar soluções mais imediatas. Não se trata de desistir de nossos sonhos e projetos, mas sim de buscar estratégias realistas que se adaptem melhor à dinâmica da imprevisibilidade tão marcante a cada dia.
Já vimos que crescimento se faz com sustentabilidade, e é por este e outros motivos que temos que fortalecer a nossa “AAPPREVI”, promoverem ajustes para trazer os colegas aposentados e as pensionistas a ter vontade de brigar pelo que é nosso.
Vamos cobrar dos eleitos mesmo sendo da chapa três, dedicação aos aposentados e as pensionistas, que eles lutem para pelo menos cumprir suas “promessas”.
Quero ter o direito de morrer com dignidade,pagando o que devo, tendo meus direitos reconhecidos frutos de anos de trabalho de meu companheiro Paulo Person.
Peço aos colegas que não virem as costas para a luta, vamos continuar unidos, estamos vivos, e vamos brigar pelo que é nosso, não temos vergonha poís tudo que estamos querendo é fruto de 30 ou mais anos de cada um de vocês,e lutem para que quando se forem desta terra, deixem seus companheiros ou companheiras numa situação melhor,não apenas recebendo 60% dos seu suor e trabalho, mais sim quem sabe um dia 100% daquilo que vocês ajudaram a construir,fruto de muito sacrifício.
Parabéns a todos nós, saímos vencedores, pois plantamos a semente, agora temos que trabalhar para que ela cresça sadia, forte e venha buscar melhores condições a todos nós do plano número 1 de benefícios da previ.

Meu sincero agradecimento a cada um dos colegas que votou na chapa 1

Atensiosamente

Rosalina de Souza

wilson luiz disse...

SIC TRANSIT, GLORIA MUNDI(TRANSITÓRIA É NOSSA GLÓRIA, NESTE MUNDO).
Aqui se faz, aqui se paga.
O outrora todo-poderoso Sérgio Rosa, quase ex-presidente da PREVI, está deixando o cargo no pior dos mundos: sai odiado pelos associados e com o prestígio totalmente abalado junto ao governo, a quem tão bem serviu.
Do alto de sua prepotência, tentou a nomeação do diretor Joilson Ferreira como seu sucessor, travando, para isto, violenta queda de braço com o Presidente do Banco do Brasil e com o Ministro da Fazenda. Além de não conseguir o que queria, ainda causou a queda de seus dois diretores de confiança, Fábio Moser, e o próprio Joilson Ferreira, que serão substituídos, apesar de terem mandato até 2012. Já o nosso escorregadio diretor Sasseron, aquele que não é a favor ou contra coisa alguma, deverá continuar.
Mas não nos preocupemos com o futuro de Sérgio Rosa. Certamente os cumpanheros do PT vão lhe arrumar outra "boquinha". Já para recuperar o prestígio perdido...

Anônimo disse...

Colega Marcos,

Agora sim, nossa caminhada esta realmente iniciando. A turbulência que enfrentamos, no advento da criação da AAPPREVI, já estava em seu ápice e nada podíamos fazer além do que foi feito. Mostramos para o que viemos. O nosso norte já esta delineado. Vamos prosseguir buscando o objetivo comum e não o de interesse pessoal, marca registrada na administração da Previ, Cassi e Anabb. Vamos exercitar a isonomia, sem planos mirabolantes que visem apenas o favorecimento de parte dos associados, como o novo plano da Anabb para uso do superavit atual, em que milhares deixarão de serem contemplados, novamente. Acredito que essa proposta da Anabb nem merece estudo e deve ser recusada. Qualquer proposta só pode ser aceita se todos, indistintamente, receberem o mesmo tratamento e o mesmo percentual na distribuição do superavit. Vamos abrir canais de comunicação com todos o funcionários da ativa, aposentados e pensionistas. Temos tempo, mas urge começar, pois o tempo passa rápido e, Marcos, conte conosco. A luta apenas começou.

Isa Musa de Noronha disse...

Inteiro teor da correspondência da FAABB aos novos eleitos para a PREVI.
PRIMEIRA PARTE
“ Prezados

Confirmada a vitória da Chapa 3 – Unidade na Previ, passamos agora para a fase mais difícil.

Cumprir as promessas de campanha.

Historicamente as promessas são esquecidas tão logo passada a festa de posse. As desculpas são as mesmas “o Banco não aceita... O Banco não concorda”. No entanto, talvez tenha chegada a hora dessa nova gestão de eleitos mudar e fazer história.

Lendo, na página da Chapa 3, veremos quais foram as promessas:

PROMESSA 1 - Melhorar benefícios do Plano 1 com utilização do superávit

Imediatamente essa promessa esbarra na Resolução 26 do CGPC. Sabidamente essa Resolução concede ao Patrocinador 50% de eventuais saldos da conta Reservas Para Revisão do Plano. A despeito de a citada Resolução estar suspensa por Liminar, desde sua edição o Banco do Brasil lança em seu Balanço a parte que considera sua. Qual seria, então, a fórmula para negociar essa promessa com o Patrocinador?
Uma: o que está sub júdice é o direito do BB em 50% do saldo da conta citada. Negociem, então, os outros 50% - esses não estão pendentes.
Duas: acionem o Banco do Brasil na Justiça mostrando que esse descumpre uma determinação legal ao lançar esses valores em Balanço. Os eleitos (14 eleitos agora), podem fazer isso em uma ação conjunta. Na audiência de conciliação, que provavelmente o Juíz chamará, negociem a retirada dessa ação mediante a concordância do BB em distribuir, imediatamente, a metade o superávit.
Três: negociem com o Patrocinador o pagamento imediato de um reajuste adicional – permitido pelo Estatuto – de cerca de 10% a todos, deixando o restante da discussão de superávit para o fim das ações movidas contra a Resolução 26.

PROMESSA 2 - Mais rentabilidade e benefícios no Previ Futuro

Maior rentabilidade significa, necessariamente, assumir maiores riscos. Sugiro que a PREVI consulte os participantes do Plano II se esses querem isso.

PROMESSA 3 - Transparência e equilíbrio na gestão

Gestão “transparente” significa levar ao Corpo Social, ou a participantes e assistidos, todos os assuntos tratados nas reuniões da Diretoria e Conselhos, desde que não envolvam transações de investimentos ou desinvestimentos. Assim, os eleitos devem criar um canal direto com o participante e assistido dizendo: Na reunião do Deliberativo do dia tal, foi discutida a distribuição do superávit. O banco votou assim, dentre os eleitos fulano votou por x, o outro por y, etc.
E mais: promover pelo menos uma vez a cada semestre uma reunião da PREVI com os representantes dos sindicatos e das Associações de Aposentados. Convite feito e limitado a 1 representante por Associação com despesas de passagens e hospedagem pagas pela Previ.

PROMESSA 4 -Fortalecer os compromissos socioambientais

Pura questão de marketing. A Previ deve investir no que dá retorno. Não é uma empresa estatal.

Isa Musa de Noronha disse...

SEGUNDA PARTE
PROMESSA 5 - Eficiência na gestão dos planos e dos investimentos





A PREVI deve cuidar para evitar pressões de Governo para investir no que interessa o Governo. Reforço que não é estatal. Não tem de dar satisfação ao Governo.

PROMESSA 6 - Eficiência no atendimento

Jamais deixar de dar resposta ao participante e assistido. E não pode ser as benditas “respostas padrão” dadas por um atendente qualquer que recebe o e-mail e escreve “A PREVI confirma o recebimento da mensagem abaixo. Aguarde nosso retorno em breve. Gerência de Atendimento PREVI”. A consulta recebida por qualquer meio deve ser encaminha ao setor responsável que elaborará uma resposta conclusiva, correta, clara e líquida e em seguida remetida a quem perguntou.

Isa Musa de Noronha disse...

PROMESSA 7 - Segurança e equilíbrio na Capec –

Aqui está um dos grandes problemas para vocês, eleitos, resolverem e acertarem ainda que movendo ação judicial contra a Previ. O que aconteceu com a Carteira de Pecúlios – CAPEC? Pois bem. Em 1997, logo após a doação ao BANCO das reservas da PREVI, a CAPEC foi considerada em situação pré-falimentar, sendo que a própria SPC, no Relatório da Notificação de Fiscalização 051/98 constatou, verbis:
"2 - Pelo que apuramos, o Fundo da CAPEC, em 12/90, montava em aproximadamente USS 1.054.088,00 e em 31/12/96, era de apenas R$ 156.815,57, tendo sido totalmente exaurido no início de 1997

Isa Musa de Noronha disse...

FINAL
A propósito, ao aderir à PREVI, o associado também o fazia compulsoriamente à CAPEC (em relação ao Plano Básico) para esta contribuindo unilateralmente, de vez que o Banco nenhum aporte fazia para esta finalidade.

Essa contribuição isolada dos associados constituía reserva do plano de pecúlio, mas conforme observação inscrita às págs. 39 do Relatório Anual de 1997, da PREVI, "são próprias e não se confundem com o Plano de Aposentadorias e Pensões, apesar de contabilizadas no Programa Previdencial da Entidade"(grifos nossos).

Esta afirmativa significa confissão expressa do que realmente aconteceu, isto é, que a receita da Carteira de Pecúlio – CAPEC foi misturada com a receita da PREVI, o que significa que parte do alegado superávit registrado pela PREVI no exercício de 1997 (metade do qual foi doado ao BANCO irregularmente) constitui receita da CAPEC.

Como a receita da CAPEC é constituída exclusivamente por contribuições de associados, não poderia, como não pode, constituir ou integrar eventuais superávits técnicos da PREVI e, portanto, não poderia ser considerada, nem mesmo para eventual hipótese de redução das contribuições, muito menos para devolução ao BANCO, pois se trata de uma receita para a qual o BANCO nunca aportou.

Importa destacar que os associados:
(a) nunca foram informados de que os pecúlios eram administrados em regime de repartição;
(b) que a PREVI, administradora do seguro, misturava a receita da CAPEC com as suas próprias; e

(c) razão porque se pode afirmar, como fizemos acima, que parte do suposto superávit da PREVI era constituído pelos recursos da CAPEC.

De outro lado, como evidência da irregular mistura da receita da CAPEC com a da PREVI, transcrevemos, por oportuno, o que a respeito consta às páginas 94 do Relatório da Notificação de Fiscalização nº 051, antes mencionada da Secretaria de Previdência Complementar SPC, verbis:
" b.3 - Contabilização das operações da CAPEC:

Os valores da Carteira de Pecúlio CAPEC - não vêm sendo segregados integralmente dos valores da PREVI, conforme determina o ESTATUTO e as normas contábeis vigentes. Estão sendo segregadas as receitas de contribuições, as provisões e os respectivos pagamentos dos sinistros. Não estão segregados o valor dos Investimentos e o valor dos "FUNDOS" disponíveis.

A remuneração do patrimônio da CAPEC é registrada indevidamente no Programa Previdencial, a débito da Conta: 32410110000-7 - Programa Previdencial - Despesas Correntes - Eventuais - Juros Pagos a CAPEC, principalmente, os Investimentos e os "Fundos" às disposições das Portarias SPC nº 146, de 23.11.95, e SPC nº 176/96, de 26/03/96 republicada em 23/01/97, bem como às determinações do seu Estatuto." (grifos nossos)

Como conseqüência dos fatos narrados nos itens acima, não há como ser admitida a hipótese de falência, aumento da participação do associado, quebra ou insolvência da CAPEC, como se pretende configurar sem uma cabal apuração dos fatos para efeito de definição de responsabilidade civil e criminal para o que se afigura indiscutível e indispensável a realização de uma auditoria contábil e atuarial, inclusive para evitar-se que o Corpo Social sofra mais prejuízo.”

Atenciosamente,

Isa Musa de Noronha

Lázara Rabelo disse...

Marcos e demais colegas,

Como já disseram,a luta está apenas começando. Não é fácil mostrar para os aposentados que sempre acreditaram naqueles que estão no comando das entidades, que as coisas mudaram. Pois como são colegas corretos, julgam que estes dirigentes também devem ser e que vão defender os nossos interesses. Devemos ser persistentes, não desanimar diante dos obstáculos encontrados. Vamos semeando sementes, mesmo sabendo que muitas não germinarão, voltaremos e semearemos de novo. É um processo. Julgando pela forte campanha empreendida pela chapa 3, ficou evidente que não está tão fácil enganar a classe PB1 como antes. Fiquemos vigilantes e a procura de novos associados para nossa AAPPREVI.

Abraços,

Lázara Rabelo

rosalina_de_souza disse...

Colega Isa Musa de Noronha

A sua carta não citou a proposta de realinhamento permanente do Empréstimo Simples,pois neste momento se faz muito necessário,poís muitos de nós aposentados e pensionistas temos que ter o direito de novos valores e um prazo mais justo.
Fundos de pensão menores que o nosso fazem,porque a previ instituição sólida,capaz de investir bilhões em bolsa de valores,não pode melhorar os produtos oferecidos aos seus assistidos.
Faça uma correção nesta nota,porque neste momento é hora de cobranças para eles saberem que não estamos satisfeitos.
Para os críticos,do referido empréstimo,temos que tomar atitude de enfrentar esta situação,não podemos mais permitir,descontos em nossas folhas de pagamento (COOPERFORTE,EMPRÉSTIMO SIMPLES,FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO,E CDC FUNCI DO BANCO DO BRASIL QUE CONSOMEM 70% DO NOSSOS PAGAMENTOS.
Sou a favor de uma repactuação,para enquadrar o que manda a lei apenas 30% de comprometimento dos nossos pagamentos em empréstimos.
Se o caminho não for debater entre as entidades sindicais e associações teremos que buscar o "Judiciário" para que possamos ter um final de vida mais digno.
Atenciosamente
Rosalina de souza
Matrícula 18.161.320-4

Anônimo disse...

ISA MUSA DE NORONHA

PARABÉNS, ESTA É A ATITUDE CORRETA DE UM DIRIGENTE,FAÇA VALER A FORÇA DE SEUS MAIS DE 60 MIL FILIADOS.

POR OPORTUNO COBRE TAMBÉM O NOVO "EMPRÉSTIMO SIMPLES",POIS SIGNIFICATVA PARCELA DE COLEGAS FAZEM USO DESDE COMO COMPLEMENTO DE SEUS PAGAMENTOS MENSAIS,E JÁ A MUITOS ANOS O RENOVAM INCANSAVELMENTE NA BUSCA DE MELHORES CONDIÇÕES DE VIDA.

Anônimo disse...

ISA MUSA DE NORONHA

COBRE UM NOVO REALINHAMENTO DO EMPRÉSTIMO SIMPLES.

MAS PRA ONTEM ?

VOCÊ TEM FORÇA JUNTO AOS SEUS MAIS DE 60 MIL FILIADOS.

Anônimo disse...

A UNIÃO FAZ A FORÇA:

Vamos cobrar respeito,ousadia,por parte dos eleitos da chapa 3 e vamos promover logo uma justa distribuição do superavit.

Não temos motivos para esperar,a lei é clara esse ano temos que ter um novo aumento em nossos proventos.

ISA MUSA FAÇA ALGUMA COISA,AFINAL SE SOZINHA CARREGA UMA FEDERAÇÃO INTEIRA E MAIS AGREGADOS,LEVE ESSA NOSSA VONTADE QUANDO SE SENTAR A MESA PARA NEGOCIAR.

SUPERAVIT,JÁ PARA TODOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS DO PLANO 1.

Anônimo disse...

ISA MUSA DE NORONHA


QUE BOM QUE O PAPEL ACEITA TUDO,MAS NA PRÁTICA TUDO É DIFERENTE:

ATÉ AGORA NÃO TIVEMOS DISTRIBUIÇÃO DO SUPERAVIT?.

EMPRÉSTIMO SIMPLES:

O DONO DA PASTA DA SEGURIDADE NÃO SAIU? "SASSERON".

PENSIONISTAS:
NEM A SUSPENÇÃO TIVERAM DIREITO,POÍS AS MESMAS JÁ NÃO CONTRIBUIAM PARA A PREVI.

ENTÃO ISA MUSA MENOS DEMAGOGIA E MAIS TRABALHO,FORMULADA PERGUNTA A PREVI QUEM PODE REINVINDICAR UM NOVO REALINHAMENTO AO EMPRÉSTIMO SIMPLES:

AS ASSOCIAÇÕES DE APOSENTADOS E PENSIONISTAS:

COM A PALAVRA A FEDERAÇÃO,OU ANABB OU FAABB ?

Anônimo disse...

Segundo comentário de Isa Musa de Noronha no post suspeita de fraude,a previ ja arranjou um jeito de não nós dar aumento real em 2010.

Não tivemos superavit em 2008?


Agora fica uma pergunta ? esse superavit existe mesmo? ou é fruto da nossa imaginação?????

Anônimo disse...

COLEGAS DO BLOG

ACHO QUE VAMOS MORRER E NÃO VAMOS VER NEM UM CENTAVO DESSE SUPERAVIT.

VAMOS EMPURRANDO MESMO COM ESSES EMPRÉSTIMOS,PELO MENOS A COOPERFORTE ESTE MÊS DE JUNHO REPASSA OS MAIS DE 5% QUE TEREMOS DE AUMENTO? JÁ É UMA FOLGUINHA NÉ.

PELO MENOS DA PRA FAZER MAIS PÃO DE QUEIJO ? UAI.

Anônimo disse...

A PREVI VAI NOS MATANDO AOS POUCOS.


SAI ROSA ENTRA FLORES E OS ESPINHOS FICAM !.


DAQUI A POUCO NÃO VAI SOBRA NADA DE SUPERAVIT, FOI PRA COPA,PARA O TEM BALA,PARA AS ESTRADAS,PARA O BANCO DOS BRASILEIROS E PARA OS CUMPANHEIROS É CLARO.

SE NÃO FOR PEDIR DE MAIS PUBLIQUE-SE

MARY disse...

DEUS PERMITA QUE ESSA CHAPA VENCEDORA CONSIGA MOSTRAR TRABALHO, PORQUE A PASSADA NADA FEZ PRA NOS BENEFICIAR E AS PROMESSAS DE CAMPANHA SERVIU PRA OS MAIS FELIZARDOS E NÓS FICAMOS A VER NAVIOS, NOSSOS SALARIOS ESTÃO MINGUADOS CHEGA ATÉ DAR TRISTEZA SÓ EM PENSAR OU OUVIR ALGUEM FALAR QUE SOMOS APOSENTADOS. ENFIM SÓ PODEMOS IMPLORAR EM NOSSAS ORAÇÕES QUE dEUS TRANSFORMEM SUAS MENTES E SEUS CORAÇÕES. e AGORA VAMOS ESPERAR QUE PELO MENOS AUMENTE ESSE TETO E PRAZO DO E.SIMPLES PRA AMENIZARMOS UM POUCO AS CONTAS E ESPERAR PRA SABER SE TEREMOS ALGUMA FATIA DESSE TAO SONHADO SUPERAVIT. ABRAÇO A TODOS., MARY

Anônimo disse...

COLEGA ISA, VOCE FOI GENIAL COM O QUE ESCREVEU. PRECISAMOS MESMO COBRAR TUDO ISSO. PRECISAMOS PARTICIPAR MAIS DA PREVI POR INTERMÉDIO DAS ASSOCIAÇÕES.
APÓS TUDO ISSO VAMOS A LUTA COM A AAPPREVI.
ABRAÇO DE UM SEU FÃ( VOCE MOSTRA A FERIDA E DÁ O REMÉDIO. VAMOS AGORA CUIDAR DO DOENTE.).

Isa Musa de Noronha disse...

Caros colegas, anônimos ou não.

Quando escrevi a Carta Aberta Aos Novos Eleitos PREVI, fui à página da Chapa 3 na internet
( http://www.unidadenaprevi.com.br/compromissos.php ) e copiei as promessas, os compromissos, que a Chapa 3 fez durante a campanha. Eles prometeram:

a) Melhorar benefícios do Plano 1 com utilização do superávit
b) Mais rentabilidade e benefícios no Previ Futuro
c) Transparência e equilíbrio na gestão
d) Fortalecer os compromissos socioambientais
e) Eficiência na gestão dos planos e dos investimentos
f) Eficiência no atendimento
g)Segurança e equilíbrio na Capec

Assim, cobrei apenas o que eles se comprometeram fazer. Não cabia cobrar algo sobre o Empréstimo Simples, pois a Chapa 3 não se referiu a ele durante a campanha. Pessoalmente, penso que devemos reivindicar reajuste, distribuição de superávit, melhoria de benefícios, melhoria das pensões, pois “empréstimo” infelizmente se transforma em bola de neve de endividamento. Não obstante, muitas Associações estão reiterando isso e certamente levaremos à PREVI no primeiro encontro que tivermos com os eleitos.

Anônimo disse...

COLEGAS DO BLOG.

Na distribuição da Reserva de 2006, não se observaram rigidamente as regras do artigo 20 da Lei Complementar 109, especialmente quanto à chamada renda certa, que beneficiou apenas uma parcela dos assistidos, alguns com o recebimento de quantias em torno de um milhão de reais.
O que iremos agora combater? As regras rígidas da Resolução do CGPC e a sua alegada intenção básica de “preservar a solvência dos fundos”? O mecanismo de beneficiar o patrocinador com a devolução de contribuições?

wilson luiz disse...

EL GRAN DEMAGOGO III

Gostaria de saber quem autorizou Don Camilo, senhor feudal da ANABB, a se autoproclamar nosso representante para apresentação de propostas para utilização do superavit. Não lhe reconheço este direito. Alega ele que foram as mais votadas pelos associados em anos anteriores, mas a realidade atual é totalmente diferente. A incompetência dessas associações em negociações anteriores, quando foram "enroladas" pelo Banco e pela PREVI até a edição da Resolução 26, é altamente suspeita.
Num exame superficial das propostas, nota-se que,em seu conjunto, são totalmente inviáveis, financeiramente. Exigimos que a ANABB as reapresente, explicitando o custo de cada uma delas.

rosalina_de_souza disse...

Colegas do Blog em especial a nossa colega Isa Musa de Noronha.

Eu me referi ao realinhamento do teto e prazo do empréstimo simples,pois na edição n° 149/especial eleições abril de 2010,na página 11 onde aparece as propostas da chapa 3.

Melhorar benefícios do plano 1 com utilização do superavit. no iten de numero 4 esta a "REVISÃO PERMANENTE DO TETO E DO PRAZO DOS EMPRÉSTIMOS SIMPLES".

Foi uma promessa de campanha feita na edição especial sobre eleições,onde todos os assisitidos da previ pode verificar entre aposentados e pensionistas.

Não foi apenas uma informação vaga,mais sim uma proposta editada para 179.000 exemplares.
Atenciosamente

Rosalina de Souza.

Ari disse...

A cobrança feita por Isa Musa é tempestiva e bem cabível neste preâmbulo de nova gestão. O caminho é este mesmo: cobrar desde agora, insistindo na cobrança durante o mandato. Afinal, as sete promessas formaram as propostas e a base da campanha vencedora, e, destarte, devem ser colocadas em prática. Se não o forem, deverá existir explicações de parte dos eleitos a todos nós do corpo social,sobre o(s) motivo(s) pelo(s) qual(is) não foram implementadas. Por outro lado, deveria haver um canal de comunicação com os eleitos para sugestões de novas ideias que enriquecessem as poucas promessas de campanha.

Anônimo disse...

Concordo com o anônimo de 28.05 às, 7:45, no outro blog: SUSPEITA DE FRAUDE, vamos pedir aos novos eleitos realhinamento do ES ( valor e prazo) como a Caixa fez (Funcef).

Anônimo disse...

Colegas participantes deste maravilhoso Blog.

Verifiquei cuidadosamente as explanações das colegas Isa Musa de Noronha,Comentário 28/05/2010 as 14:59 e também o cometário da nossa colega Rosalina de souza as 19:14.
Dona Isa Musa verificou apenas os Topicos das propostas da chapa 3,mais dentro das propostas principais existem os sub-topcos é ai tanto na revista impressa quanto na página da internet há sim mensão a revisão dos teto e prazo do Empréstimo Simples,tanto para o plano 1 quanto para o Previ Futuro.
Mesmo todos nós sabedores que promessas são apenas promessas,que a na sua grande maioria os candidatos são portadores de aminézia crônica,não custa a Federação lembra-los que esta proposta é necessária e de fácil de ser colocada em prática,bastando apenas boa vontade.
Eu me recordo em nossa última revisão todos correndo para levar os "LOUROS",e termino com um acordo fajuta onte nós deram 25.000,00 a mais num prazo injusto de 72 meses.
Outra fator importante que deve ser levado em consideração é a questão do empréstimo simples curto prazo,vergonhoso oferecer a seus particintes 5.000,00 em 12 meses,até um absurdo dessa natureza.
Temos que cobrar sim,estamos falando de mais ou menos 66 mil contratantes,que descontam em folha todos os meses.
Todos viram como foi a última revisão onde ouve até congestionamento nas internet,pois todos que precizam ja fazem uso a muitos e muitos anos.
Temos que ter coragem para enfrentar os desafios do futuro,e um deles é melhorar a nossa qualidade de vida,enqanto não houver a justa distribuição do superavit, a revisão do plano de benefícios,temos que aumentar quantas vezes for necessário o teto e o prazo do E.S.ajustando inclusive um seguro adicional para aqueles que tem mais idade possa contratalo em mais meses.
obrigado e se possível publique-se

Anônimo disse...

Marcos e pessoal,

estou de molho desde segunda feira (24.05), devido a uma pequena alteração de pressào arterial, nada significativo soh 25x19, mais tudo ja esta sob controle.
lendo os post e as diversas participações e tambem as noticias de varios Fundos de Pensão, vejo que nada mudou, e muito pouco vai mudar na vida dos participantes do PB1 da Previ.
a Funcef, sem delongas, e muito menos preoupações com terceiros alheios aos seus assistidos, da aumento real, aumenta prazo, aumenta valor de emprestimo, possibilita suspender pagamentos, pagar 50% e vai por ahi afora. ( quero mudar de fundo de pensão).
vendo as propostas de ação e as "promessas " da chapa vencedora,não me animo, eles farão um barulhinho no começo, e daqui alguns dias donos da situação começarão a se acomodar, e tambem a acomodar os seus amigos e patrocinadores, e nosotros, bem, conitnuaremos aqui, a chorar um pouco, descobrir uma nova ação contra a Previ, assistir a intenção de nos excluirem da Cassi ( mais acho que se o fizerem, devem nos devolver parte das mensalidades pagas), e assim vai caminhar a humanidade, ja que nós estaremos como sempre, nos arrastando.
****
SUGESTÃO:
todos, ou a maioria dos participantes aposentados e pensionistas do PB1 da Previ, temos: ES, Cooperforte, CDC BB.
porque o nosso grande fundo não cria uma linha parecida com a que o BB tem, traga para ca ou simule onde é mais barato e transfira todos os seus emprestimos para ca.
claro, cancelando todos os outros e ate nos impedindo de nos socorrermos novamente pagando altos juros .


serrgioinocencio

Anônimo disse...

PESSOAL DO BLOG.

No caso da PREVI – em minha opinião – não há o que falar de
utilização de superávit antes de se promover um verdadeiro
realinhamento do nosso Plano de Benefícios 1. As injustiças ainda não foram totalmente corrigidas e, em alguns casos, por equívoco da
direção da PREVI, foram até acentuadas. Devo registrar que continuo achando o caso Renda Certa uma vergonha, me desculpem os
felizardos que colocaram, injustamente, um monte de dinheiro no bolso.

Quanto ao novo teto e limite do Empréstimo Simples,este tem que ser revisto imediatamente.

Sugiro 150.000,00 em 180 meses,com carência para começar a pagar de 12 meses para todos.
Deste modo forçaremos uma discusão acerca do nosso superavit.

Anônimo disse...

Colegas,
Essa invenção de que, em 2008, não houve supervit é uma maneira de atribuir a um fto ficticio a incapacidade da diretoria que ora abandona o "navio".
Vejamos o que diz a lei Complementar 109/2001:

Art. 21. O resultado deficitário nos planos ou nas entidades fechadas será equacionado por patrocinadores, participantes e assistidos, na proporção existente entre as suas contribuições, sem prejuízo de ação regressiva contra dirigentes ou terceiros que deram causa a dano ou prejuízo à entidade de previdência complementar.

§ 1o O equacionamento referido no caput poderá ser feito, dentre outras formas, por meio do aumento do valor das contribuições, instituição de contribuição adicional ou redução do valor dos benefícios a conceder, observadas as normas estabelecidas pelo órgão regulador e fiscalizador.

§ 2o A redução dos valores dos benefícios não se aplica aos assistidos, sendo cabível, nesse caso, a instituição de contribuição adicional para cobertura do acréscimo ocorrido em razão da revisão do plano.

§ 3o Na hipótese de retorno à entidade dos recursos equivalentes ao déficit previsto no caput deste artigo, em conseqüência de apuração de responsabilidade mediante ação judicial ou administrativa, os respectivos valores deverão ser aplicados necessariamente na redução proporcional das contribuições devidas ao plano ou em melhoria dos benefícios.

Em 2008 as contribuições continuaram suspensas, tanto para os participantes, quanto para o Patrocinador. Se a afirmação daquela diretoria estiver correta, terá que ser impetrada uma AÇÃO REGRESSIVA CONTRA OS DIRIGENTES, NOS TERMOS DO ARTIGO 21, PARA REPARAR OS DANOS CAUSADOS Á ENTIDADE PREVI.
Ademais, se houve prejuizo, como e porque o BB contabilizou como receitas futuras aqueles R$ 6 bilhões???????

Anônimo disse...

Presidente Marcos Cordeiro,
Bem, como na resolução CGPC26 sob alegação que esta resolução regulamenta a utilização do superávit, complementando o entendimento da Lei Complementar 109 e não alterando seu escopo. A grande questão levantada por nós aposentados e pensionistas do PB-1 é que em nenhum lugar da LC 109, é previsto o repasse de recursos ao patrocinador. Essa é a grande questão e o BB se agarra à defesa de que se a LC 109 prevê, em caso de déficit, o aumento de contribuições tanto para os associados como para o patrocinador, no caso de superávit, a lógica seria a mesma e então não estaria contrariando a legislação.
Nesta mesma lógica, todos concordam que o BB tem o voto de minerva, mas neste caso não pode ser usado?.
A disputa se da pelo fato de que não queremos dividir, as associações, sindicatos, federações brigam para derrubar a resolução, mesmo sabendo que nossos colegas tem 60,70,80 anos,fora isso além do empréstimo simples,e do financiamento imobiliário não temos nada que possamos fazer,nossos salários estão a beira de um colapso,noticias sobre o possível desmonte da Cassi,traz insegurança para as nossas vidas.
Será que fizemos a coisa certa, dedicando ao BB, contribuindo para o fortalecimento da previ como instituição que daria suporte a nossa velhice.
É necessária uma reforma ampla, começando com um novo realinhamento do empréstimo simples sim, mais principalmente observado a capacidade de endividamento de nossos participantes, resolvendo questões sociais, e principalmente tendo respeito com quem trabalhou durante 30 ou mais anos dedicado com contribuições mensais a nossa caixa de previdência.
Necessitamos de dar uma melhor assistência as nossas pensionistas, sofridas ajudaram seus companheiros a também construir este gigantesco patrimônio administrado pela previ.



.

Anônimo disse...

Colegas,
Em primeiro lugar, a destinação da reserva especial está suspensa desde dezembro 2008, por força de decisão judicial proferida em processo movido pelo Sindicato dos Bancários de Brasília, suspendendo os efeitos da Resolução CGPC 26. A Justiça Federal daquela cidade sustou a utilização de superávit dos planos da Previ enquanto não for julgado o mérito da ação movida pelo Sindicato, que questiona a legalidade de se devolver valores ao patrocinador Banco do Brasil.
A propósito alguém saberia me informar se houve algum andamento neste processo, esta sendo cobrado por parte das associações desfecho do mérito desta ação.
Temos urgência temos idade avançada e o estatuto do idoso não é levado em conta?
Vamos aproveitar a boa pedida da nossa colega Isa musa e também colocar na pauta dos eleitos mais esta solução?

Anônimo disse...

Colegas eu não vejo a hora de dar dia 01/06/2010 para ver o SÉrgio Rosa,e todo resto fora da Previ.

Sinceramente já vão tarde de mais.

Pelo menos os que entram tem vontade de dividir o superavit,estão sendo enviados para isso,afinal quem não que metade desses bilhões.

Terão no máximo 6 meses para resolver esta questão,se conseguirem sairão vencedores poís com toda a certeza em 2011 serão novamente substituidos.por força da derrota da senhora DILMA ROUSSEF.

Anônimo disse...

Colegas!!!
Já cai na real ?
O empréstimo simples já faz parte da minha vida.
UM VALOR QUE DESCONTO DA MINHA APOSENTADORIA TODOS OS MESES.
PENA QUE NÃO DÃO CHANCE DA GENTE PEGAR,PODER PAGAR TRANQUILAMENTE.
SOU A FOVOR DE UM NOVO REALINHAMENTO, MAIS JUSTO E COM MELHORES PRAZOS PARA PAGAMENTO.
Pessoal da chapa 3 lembre-se de nós aposentados e pensionistas do plano 1.
ISA MUSA DE NORONHA, COBRE SIM COM A MÁXIMA URGÊNCIA.

Anônimo disse...

Colegas,
Se formos esperar o transito em julgado dessa ação, vários de nós não estarão mais aqui. O processo encontra-se em segunda instancia, no trf1 ( www.trf1.jus.br) sob o numero 200801000678674, cuja ultima movimentação é do dia 18.05.2010.
Serão, pelos tramites legais, mais duas instancias: STJ e por ultimo STF, se houver recurso ( certamente haverá).
A nossa esperança, agora, seria o Projeto de Decreto Legislativo ( PDC 2348/2009, do Deputado Federal Gustavo Fruet. Entretanto sua movimentação é muito morosa.

Anônimo disse...

Marcos,
Bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla,
bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla,
bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla,
bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla,
bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla,
bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla,
bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla,
bla, bla, bla, bla, bla, bla, bla, ja escrevi muito, a continuação fica para outra oportunidade.

Anônimo disse...

Colegas,

Lendo os comentários aqui postados, verifica-se que esperamos urgente um realinhamento do ES, é triste depois de tanto trabalho árduo durante anos no BB, precisarmos do ES para viver, deveríamos ter uma alternativa melhor para uma solução mais duradoura nesse sentido a idéia da Sra Rosalina de uma repactuação de dívidas é muito inteligente e poderia estar condicionada ao crédito que temos do superávit quando recebido para quem tem ES, seria abatido do ES com a PREVI, seria uma forma da PREVI nos adiantar o nosso superávit, afinal 50% do superávit não tem impedimento nenhum de ser distribuido,já deveria estar nas nossas contas, então que a PREVI melhore a linha de empréstimos, está provado que o valor do nosso benefício não dá mais para viver, nem o aumento do INSS temos porque só diminue a parcela da PREVI e continuamos na mesma, não se justifica 66mil aposentados tomarem sempre ES com um superávit
bilionário amarrado por interesses politicos.
Lutemos por uma solução.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Caros Colegas.

Os comentários que nos chegam têm seu valor na formação de conceitos e pesam na avaliação do post em que está inserido. Eles servem para aguçar a curiosidade e incentivar a vontade de participar para os que simplesmente os lêem.
Para o participante, não necessariamente comentarista, cada vez que o site é aberto a primeira vontade é deparar-se com algo novo, construtivo, e que contribua para atender seus anseios.
Para os que escrevem, também há a satisfação interior de constatar que o “seu” comentário foi aprovado e publicado. Ninguém “passeia” pelo Blog por falta do que fazer.
Todavia, nossas estatísticas apontam algumas curiosidades:
a) A maioria dos comentaristas visita-nos uma vez por dia e dentre esses são raros os que fazem comentários. Eles fazem do Previ Plano 1, seu jornal diário;
b) Em meio aos comentaristas, apenas dez por cento deles se pronunciam dentro da mesma semana.
c) Os comentários reconhecidamente úteis ocupam o quinto lugar em meio aos que são postados. São os que chegam com assuntos “de peso”, calcados em pesquisas e publicações confiáveis;
d) O trato dos assuntos polêmicos é reservado a uns poucos, cerca de um por cento dos que se atrevem a discorrer com propriedade.
Por outro lado, há a expectativa de se contar com a resposta “em cima da bucha” aos questionamentos. Ou que as notícias relevantes ocupem prioridade, como ocorreu com a marcha da apuração das eleições recentes (Cassi/Previ).
Mas, para que a dinâmica seja observada, ou seja, para que o comentário seja publicado quase que em tempo real, é necessário que o mediador esteja “plugado” à telinha.
Neste ponto, peço notar que durante as 24 horas do dia os comentários são publicados, observado o intervalo reservado ao “descanso do guerreiro”, que é mínimo. Mesmo assim, sob pena de ocorrer a incidência de avaliação leviana, para que o texto vá ao ar há um roteiro a ser seguido pelo moderador:
1) Abrir o comentário, lê-lo e proceder ao exame do conteúdo;
2) Autorizar a publicação e aguardar a resposta do provedor - “comentário publicado”;
3) Essa operação demanda em torno de cinco minutos por comentário liberado;
4) Somente após esse ritual torna-se possível passar à análise do comentário seguinte.
Por tudo isto, seria altamente construtivo se os assíduos colaboradores usassem do senso de avaliação comportamental e se abstivessem de tecer comentários inócuos ou simplesmente jocosos.
Disseminar bom humor é altamente recomendável. Mas o nosso espaço e o nosso tempo não acham graça nenhuma em colaborar para o desperdício.
Afinal, nosso propósito é tratar de coisas sérias, direcionadas às pessoas sérias que aqui comparecem em busca de assuntos sérios para ajudar na resolução de problemas muito sérios.

Atenciosamente,
Marcos Cordeiro.

Anônimo disse...

Anônimo de 29 de maio de 2010, 4:56.
Sua sujestão sobre aumentar o seguro do ES para quem é de mais idade, é ridícula.Nós já estamos sendo prejudicados, sem receber superávit e você ainda vem com essa. Cuidado rapaz com suas sujestões. Sem essa de aumentar o seguro.A Previ está com sobras demais, está até entornando.
Seja mais inteligente.

Anônimo disse...

Colega anônimo das 12:25

Falei no aumento do seguro,pelos simples fato de que os empréstimos são realizados em cima de uma expectativa de vida.
Muitos colegas ficam limitados quando se tem 60,70,80 anos e por esta razão não podem usufruir de todo o teto oferecido pelo valor exorbitante da prestação.
Um exemplo caro disso,hoje estou com 67 anos de idade.poderei contratar um empréstimo imobiliário em apenas 13 anos para pagar limitado a 80 anos,ou 156 parcelas.
Tem que haver uma nova formula com um seguro que possa oferecer uma melhor condição da contratação aos colegas que estão na mesma situação que a minha.
Todos nós pagamos o seguro,independente da idade ele é para a previ liquidar o contrato em caso de morte.
Anônimo das 4:56

wilson luiz disse...

EL GRAN DEMAGOGO IV

Será que o dr. Valmir Camilo vai apresentar, como proposta, uma idéia "genial" que ele teve tempos atrás? É a seguinte: seriam resgatadas as tabelas de vencimentos e comissões anteriores a 1997 e todos nós, aposentados pós/97, faríamos uma carreira virtual dentro dos normativos que vigoraram naquela época, sendo que ao final do processo nossos benefícios estariam equiparados aos dos colegas pré/97.
O mais triste é que teve gente que acreditou: um amigo meu ficou tão entusiasmado que chegou a recalcular seu benefício, chegando à conclusão que teria um reajuste de 77%.
Dr. Camilo, é muito feio "vender ilusões" aos mais necessitados.

Anônimo disse...

Colega Wilson Luis,

O SASSERON é escorregadio e ao mesmo tempo equilibrista. Consegue enrolar os amigos e inimigos com a mesma tranquilidade dos psicopatas que choram no velório de suas vítimas.

Anônimo disse...

Colega W@ilson Luiz,

O Valmir Camilo vende ilusões e o preço deve ser de R$171,00. Pena que 100 mil associados continuem dando asas a este tipo de gente.

Anônimo disse...

Ao anonimo de 29 de maio de 2010 das 08:21.

Eu gostei da sua idéia de formar uma comissão de aposentados, preferencialmente de Brasília, cuja a idade de seus participantes poderia estar na faixa de 70 a 80 anos, para levar uma carta a Justiça Federal, solicitando preferência e celeridade na trmitação do processo judicial movido pelo Sindicato dos Bancários de Brasilia, com fulcro no Estatuto do Idoso, relativo ao processo da Resolução 26. Tal entrega do documento aconteceria em audência antecipadamente agendada com o(s) desembargador(es) do Tribunal Federal, onde seriam expostos os argumentos da solicitação em virtude da idade dos participantes do plano Benefício 1. Com o resultado rápido teríamos a solução para o impasse criado por essa famigerada Resolução 26, casuistícamente promovida pelo PT, pois, sem a contabilização de parte do superavit o lucro do BB seria irrisório comparado com o lucro dos bancos particulares. Qualquer resultado definido na última instância somente nos cabe aceitar o resultado. Tomara que sejamos vitoriosos, pois, é exatamente o que esperamos de uma justiça que promova a justiça. Por isso precisamos expor a situação nessa audiência para colaborar para que a justiça seja mesmo efetivada em toda sua amplitude e que nos seja favorável, pois, os normativos nos garantem isso. Até outra oportunidade. Com a palavra o Departamento Jurídico a qual cabe analisar a sugestão. Boa sorte a todos.

Marcos Cordeiro (André) disse...

Colega anônimo (18:09)

Sua proposição foi encaminhada à Assessoria Jurídica da AAPPREVI, para avaliação, com cópia para a Colega Isa Musa de Noronha, presidente da FAABB.

Anônimo disse...

Ao anônimo de 29 de maio 2010:4:56.
Pelo que você disse,vejo que ainda não pegou o empréstimo imobiliário da Previ.
Por que, após anos de trabalho e dedicação a uma empresa do porte do BB, muitos aposentados até hoje, como você e eu, não participamos da Carim?
Da minha parte acho uma grande injustiça da Previ.
Vale lembrar que a Previ limita o prazo à soma da idade com o tempo para o emprèstimo em 80.
Esquece a Previ, e deveria corrigir esta discrepância, aumentando este prazo. Isto porque houve suspensâo por dez anos,1996 a 2006 do empréstimo. Período em que muitos funcis que já tinham mais de dez anos de banco, podiam participar da Carim mas não puderam devido a esta suspenção.
Quando reabriram a Carim, a Previ fez muita propaganda. só que as condições não eram as mesmas.Antes de fecharem a Carim, o funci podia tomar um valor de até 70 vezes o VP + AN. Comparando com hoje, o valor ficou bem reduzido, cerca de 60 a 70 por cento e a prestação muito alta. Mudaram totalmente os parâmetros de cálculos piorando bastante.Onde estão as associações de aposentados nessa hora? Onde estão os eleitos? Ninguém fez nada.
A Anabb sempre aceitou tudo que o Sérgio Rosa fazia e fez.
E ainda ficam falando em crescimento sustentável com responsabilidade social.
Anônimo de 29 de maio de 2010: 4:56.

Anônimo disse...

Colegas,

Muito cuidado ao pegarem empréstimo imobiliário com a CARIM. Fui esfolado pela PREVI durante 15 anos, depois aumentaram o prazo do meu finaciamento de 18 para 23 anos (Nova Carim) e para me livrar deles, tive que conseguir RS 100.000,00 (passei o chapéu pela família) para quitar o saldo devedor. O pior negócio que fiz na minha vida. Paguei duas casas e a liquidação antecipada me livrou de pagar 3 casas.Desculpem o termo, mas é uma m.... esta CARIM.