quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Fazer o quê?

Caros Colegas.

Os Blogs e espaços afins tiveram seus dias de glória enquanto durou a expectativa em torno da votação da consulta. Talvez aí esteja a única coisa boa a se festejar. Não que se tenha usado factóides para a sobrevivência de nenhum deles. Sobreviverão com qualquer assunto depois desta temporada de caça aos bilhões – ou aos tostões. Isto porque conseguiram acordar milhares de aposentados e pensionistas até então dormindo sobre o colchão da ilusão, e que doravante estarão atentos para fatos da mesma natureza.

Já não cabe agora apontar vencedores ou vencidos entre os eleitores que determinaram os números finais. Cada um teve a sua motivação, e a complexa natureza humana não pode ser avaliada pelo resultado de um pleito qualquer, mesmo que envolva a sobrevivência financeira de quantos estiveram concentrados nessa querela.

São muitos os aspectos envolvidos no resultado a que se chegou, mas uns poucos foram determinantes, valendo a pena enumerar alguns deles para servir de parâmetros futuros: o início de tudo, isto é, a criação da Resolução 26; o paciente e eficiente trabalho de lavagem cerebral desenvolvido pelo “trio maravilha” Governo/BB/PREVI; o estado de quase penúria da parte mais fraca na disputa e, por fim, o alheamento sem culpa de enorme parcela de assistidos.

Primeiramente há que se tirar o chapéu para a magistral trama engendrada pelo lado forte da contenda. O patrimônio da PREVI aguçou a cobiça do governo que fabricou a Resolução jogando-a no colo do Banco. Este, escolhido para gerir a “coisa” usou o Fundo como fonte de recursos para inflar seus balanços. Com inteligentes manobras contábeis foi lapidando seu diamante atuarial até transformá-lo em moeda sonante na etapa decisiva. Muito antes disso passou a “fabricar” dividendos para seus acionistas, entre eles o seu maior investidor – o governo – e para cumprir obrigações trabalhistas com a distribuição de PLR aos seus funcionários da ativa, contando com um dinheiro inexistente.

Concluída a gema restava tirá-la do cofre em que estava guardada. E veio a jogada de mestre. Durante todo o exercício de 2010 o Banco botou seu bloco na rua com a ordem de levar pão e circo ao seu público, mas não nessa ordem. O circo mambembe percorreu todo o país consubstanciando a etapa de convencimento de que havia muito dinheiro para distribuir e que metade dele lhe pertencia. Depois cuidou de botar as pessoas certas nos lugares certos para carimbar o desenlace - e foi empurrando o desfecho até o momento propício. Esgotadas as paciências e roncando as barrigas foi desferido o golpe fatal: às vésperas das Festas de fim de ano, bolsos vazios e bocas famintas, ribombou a sublime oferta com o uso de “legítimos representantes” da grande massa de necessitados.

Foi aí que o Rei lançou seu édito em direção aos súditos: dou-lhes metade dos bilhões do superavit da PREVI em troca da outra metade – e de todas as metades futuras. É pegar ou largar. Pegaram!

Resultado, 80% dos consultados deram seu veredito: prefiro a metade agora ao todo depois, sem data definida. Portanto, palmas para os dignos dirigentes do Banco e da Previ que souberam escolher a dedo os representantes dos participantes, para colocá-los no topo da pirâmide servindo incondicionalmente (ou condicionalmente?) ao Banco do Brasil, patrocinador do maior Fundo de Pensão da América latina como se ufanam em mostrá-lo ao mundo dos negócios. Esses personagens botaram no chinelo os atrapalhados irmãos criados pelo gênio Walt Disney para assaltar os cofres do Tio Patinhas. Com uma diferença, os da ficção assaltam às claras e levam no peito um trocadilho numérico para identificação. Esses tupiniquins não saquearam um cofre com suas próprias mãos, mas pela contribuição que deram para a execução “do trabalho”, deveriam ser identificados com a centena 171, que não só serve para jogar no bicho, mas, também, para identificar tipos nocivos à sociedade.

Marcos Cordeiro de Andrade - Curitiba (PR) – 16/12/2010.

67 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns a todos que combateram o bom combate. Agora é hora de espairecer e recarregar as baterias para o próximo semestre, que se vislumbra promissor.

BOAS FESTAS E FELIZ NATAL - com Paz e Saúde, junto dos familiares.

Anônimo disse...

E ainda tem gente falando que agora e correr atras do prejuizo e consertar o erro,kakakakakaka.....
Alguem consertou o renda certa?
E ainda tem gente achando que vai ver a cor do dinheiro em 2010.
Tomara que o BB/Previ sacaneie bastante voces que votaram Sim.
E os da ativa, em breve verao a burrada que fizeram,pois com certeza nao tera dinheiro na previ para pagar seus beneficios.
Fazer o que, ne???????

Pedro Paulo disse...

Governo usa, de novo, lucro de estatais para fazer caixa.(http://www1.folha.uol.com.br/mercado/846559-governo-usa-de-novo-lucro-de-estatais-para-fazer-caixa.shtml).

Leiam a matéria disponível no link acima e percebam quais foram os reais interesses dos integrantes do governo em abocanhar os 50% do superávit da PREVI, com a conivência da ANABB, FAABB e endividados do PB-1.
Caros colegas que votaram no SIM, o governo penhoradamente agradece sua valorosa contribuição.
A PREVI entrou na era de concessão de "Bolsa auxílio" e assim conseguiu cooptar as mentes e os bolsos dos enforcados. Depois não reclamem. Quem vende o voto não tem direito de reclamar das malfeitorias dos seu governantes. Janeiro está bem pertinho. Logo mais vamos escutar a mesma choradeira de vocês, mendigando empréstimo simples e outras melhorias.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Encerrada a votação imagino que nós todos, adeptos do sim ou do não, temos motivos mais do que suficientes para comemorar. Se comparado a votações anteriores tivemos participação expressiva dos colegas aposentados, possivelmente acordados pelo soar dos sinos dos moderadores dos diversos blogs existentes hoje na internet. Previ Plano “1”, Medeiros, Unidade-BB, Cecília, Romildo, Juarez Barbosa e outros mais estão aí para ficar. Não consigo imaginar doravante qualquer tipo de tratativa do interesse dos aposentados e das pensionistas sem as informações - quase sempre pontuais - e opiniões constantes nos blogs desses abnegados moderadores. Os dias de glória não poderão se encerrar com a divulgação do resultado do plebiscito. Penso que uma nova etapa deverá se iniciar a partir de agora. Com a participação efetiva, responsável e emocionalmente equilibrada - paixões contidas - daqueles que cuidam desses espaços teremos que pressionar para que sejam cumpridas as promessas de revisão do plano a partir de janeiro/2011. Sem prejuízo de outras medidas entendo que o foco deverá estar voltado prioritariamente para o aumento percentual do benefício das pensionistas e a implementação da proposta 360/360. O momento é superoportuno para já a partir de hoje, 16.12.2010, se iniciarem discussões profícuas e pressões em torno desses dois temas. Nunca, pelo menos que eu me recorde, os aposentados e as pensionistas estiveram tão participativos e antenados no presente e no futuro do nosso “PB-1”.

Anônimo disse...

Lamentável !
Colegas, alguém poderia me responder:
-Como fica a ação que o Sindicato de Bauru, impetrou com pedido de cautelar de sustação da votação ?
-Vide site Sind.Bauru -
Agora que o sim ganhou o que temos de trunfo para negociar com o BB/PREVI/Governo, no início de 2011?

Cláudio -Piracicaba-SP

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

A Contraf-CUT festeja:

Acordo sobre superávit da Previ é aprovado por 80% dos participantes

Os participantes da Previ aprovaram por ampla maioria o acordo relativo à destinação do superávit do Plano 1 da Previ, negociado com o Banco do Brasil pela Contraf-CUT, pelos diretores eleitos da Caixa de Previdência e demais entidades do funcionalismo, entre elas as associações de aposentados e a Anabb. O Sim foi escolhido por 80,15% dos associados na consulta que se encerrou nesta quarta-feira, 15, às 18h, enquanto o Não recebeu 17,88% dos votos.

"O resultado da votação mostra mais uma vez o acerto da negociação feita pelos representantes dos trabalhadores do BB, agora respaldada pela grande maioria dos funcionários e aposentados do banco em todo Brasil", afirma Marcel Barros, secretário-geral da Contraf-CUT, funcionário do BB e participante do Plano 1.

Veja abaixo o números totais de votação de cada setor dos participantes:

Funcionários da ativa (votos via SISBB)
Sim - 18.661
Não - 6.715
Brancos - 383
Nulos - 257
Total - 26.016

Aposentados e pensionistas (votos via 0800)
Sim - 32.215
Não - 4.639
Brancos - 215
Nulos - 397
Total - 37466

Fonte: Site da Contraf-CUT

Anônimo disse...

Bom dia, colegas aposentados e pensionistas! Vamos pensar positivo! Vamos pensar em dias melhores, que com certeza os justos vencerão e nós venceremos! Existem pessoas más, mas deixemos para lá como esse anonimo da 1:47!Boas Festas a todos!!!!

Anônimo disse...

Colegas,
Será que verdadeiramente 37.466 aposentados votaram? Se foi esta a realidade temos motivos para festejar pois, enfim, muitos sairam da dormência em que jaziam e exerceram o seu direito de voto. Por outro lado, quem nos garante que êste número é de fato real. Um sistema de votação em que apenas um dos lados tem controle sobre ele, não tem como não deixar um rastro de desconfiança. O mesmo pode-se dizer com relação aos números do SIM e do NÃO.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Colaboração do Colega Luiz Herculano:

Caros Amigos,
Embora a Previ não tenha respondido o que indaguei, passo para conhecimento de vcs., com propósito de continuarmos questionando sempre, para evitar que as raposas de plantão, com o apetite insaciável que têm não "comam a galinha dos ovos de ouro". Essa precisamos preservar para garantir o nosso futuro.

Luiz Herculano.
Marília (SP)

Mensagem original
De: atend@previ.com.br
Para: luizherculano@uol.com.br
Assunto: ATENDIMENTO PREVI
Enviada: 15/12/2010 15:28

Senhor Luiz

Em atenção a sua consulta, informamos que no atual acordo registrado no Memorando de Entendimento assinado pelo Banco do Brasil e a Comissão de Negociação, todos os participantes do Plano 1 serão beneficiados.

O acordo para utilização dos valores registrados ao final de 2006 na Reserva Especial foi firmado entre entidades representativas do funcionalismo e o Banco do Brasil. Para construção das bases do acordo, foram avaliadas todas as propostas encaminhadas à PREVI pelos participantes e suas entidades de representação, tendo sido as mesmas levadas ao processo de negociação.

Entre os dias 11 e 20 de junho de 2007, por solicitação das entidades representativas, a proposta de acordo foi submetida à consulta aos participantes e teve como resultado final expressiva aprovação de 92.41%.

Esclarecemos que a utilização de recursos oriundos do superávit teve início em 2005. Após apresentar resultados positivos entre os anos 2003 a 2005, e constituir, em 2005, a Reserva Especial (composta dos valores de superávit que excedem os 25% destinados à reserva de contingência), a PREVI aprovou em abril de 2006 a redução em 40% das contribuições dos participantes do Plano de Benefícios 01, beneficiando 106.852 participantes do Plano, com a utilização de R$ 3,86 bilhões de um total de R$ 7,33 bilhões.

Em 2007, uma vez que permaneceu a situação superavitária com saldo na conta de Reserva Especial, o Conselho Deliberativo da PREVI, após amplo processo negocial entre patrocinadora e representantes dos participantes e assistidos, decidiu pela suspensão das contribuições a partir de janeiro de 2007, o que representou, naquele exercício, a utilização de R$ 671 milhões do saldo do Fundo de Contribuições, beneficiando todos os participantes do Plano 1.

Informamos que sua manifestação foi registrada.

RODRIGO DA COSTA RIBEIRO
Gerência de Atendimento
PREVI

-----------------------------------

Data: 13/12/2010 11:52:21
Assunto: Contribuições/Reservas
Tipo: Reclamação

Mensagem:
Tendo presente a votação do "superavit Previ", tenho duas indagações a fazer, como seguem:
- Há na web uma série de posicionamentos questionando a legalidade do artigo 15 da Resolução 26 de 29.09.2008, que destina 50% dos superavits para o BB. Por ser lesiva aos associados e correr informações de que não encontra amparo legal, gostaria de saber a posição dessa Caixa sobre a tal Resolução (?);
-Já indaguei uma vez, por que razão as contribuições dos funcionários da ativa foram suspensas. Fui informado, na oportunidade que era por força do Estatuto. Penso que não pode haver outro entendimento, senão de que o Estatuto deve então ser alterado, uma vez que quem já aposentou "quitou o seu plano" e, portanto, em caso de superávits deveriam ser beneficiados apenas os aposentados.
Quem ainda está adquirindo o plano de aposentadoria entendo que não pode gozar dessa benesse, sob o risco de termos no futuro alguém que adquira o direito de se aposentar sem nunca ter contribuído para o plano??? Aí teremos duas categorias de aposentados: os que contribuiram para formar a reserva e aqueles que só se beneficiaram... O entendimento que vige não me parece lógico nem justo...
Fico no aguardo do que sobrevier.

Luiz Herculano da Silva
Marília (SP)

Matrícula: 6523680
Nome: LUIZ HERCULANO DA SILVA

rosalina_de_souza disse...

Colegas do Blog e Colega Marcos Cordeiro.

Fizemos o que tinha que ser feito,lutamos para acordar muitos colegas.

Venceu o "SIM",venceu a situação financeira de muitos colegas, o Banco aproveitou cortando limites e impondo sob pressão metade do quinhão, a votação feita com o aval das Gigantes Contraf cut e Anabb.

Vamos continuar a batalha.

Respeitosamente

Rosalina de Souza

Pensionista

VOTEI "NÃO" COM MUITO ORGULHO.

BOAS FESTIVIDADES A TODAS AS FAMÍLIAS DO PB-1 DA PREVI.

Anônimo disse...

Caro Marcos,

acho sinceramente que dias de glória teremos todos , através deste site e da AAPREVI , nos quais nos ampararemos , daqui pra frente , para enfrentarmos as forças malignas do BB e da Previ.Este canal veio em boa hora.Sou muito grato à voce por isso.Perdemos uma batalha mas não a guerra que está por vir!Um grande abraço.
Paulo Cirne

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
Não querendo contrariar o colega Jorge Teixeira, eu, pessoalmente, não estou enxergando nenhum motivo para comemorar. O Banco, através do SIM, já garantiu os seus 50% presentes e futuros. O que temos agora para oferecer em negociação? Nada. Ou melhor, só se a gente oferecer 70% ou 80%. Aí, pode ser que ainda saia alguma coisa.

Agora, esse negócio de que, em janeiro vai ser iniciada alguma negociação também é balela. Como dizem alguns, "o Brasil só começa a funcionar depois do carnaval". Depois, vem semana santa, São João, etc. Inclusive, teremos que aguardar a volta dos nossos pseudo-representantes que, agora, para descansar, devem fazer longos cruzeiros ao Caribe, viagens para a Europa, retornando sabe-se lá quando.

Agora, só nos resta, nós que votamos no NÃO, lançar mão, talvez, de uma ação individual de reserva de direitos. Como disse o DR. Medeiros em seu blog: "tomarei as medidas judiciais ou extra-judiciais para acautelar os meus interesses". Inclusive, gostaria de solicitar ao colega Marcos Cordeiro de verificar, junto aos advogados que assessoram a AAPPREVI, da viabilidade desse tipo de ação. É isso aí.

Jose Roberto Eiras Henriques disse...

Maarcos,

Está feito! Venceu o SIM, prevalecendo a vontade da maioria. Se a escolha foi correta ou não, não nos cabe julgar e sim, acata-la.
Uma coisa podemos comemorar; a participação expressiva dos aposentados e pensionistas na discussão das propostas e na votação.
Agora, resta-nos manter a mobilização para o cumprimento das promessas e da revisão do plano, previstas para janeiro/2011, conforme Termo de Compromisso assinado.

Temos que correr atras do Lucro, porque atrás do prejuizo não dá, né?

Desejos a voce e a todos os colegas, comentaristas desse blog, um
FELIZ NATAL E ANO NOVO REPLETO DE MUITA PAZ, AMOR, SAUDE E, PRINCIPALMENTE, FELICIDADES E SUCESSO!

São José do Rio Preto - SP

mesquitasantana disse...

A contraf-Cut deveria se envergonhar do resultado que ela festeja. Aproximadamente 1/3 dos participantes da "Ativa" rejeitaram a proposta.
Falta de conhecimento, desinteresse na questão? Nada disto, LUCIDEZ é a resposta, é provável que estejam bem informados a respeito de pílulas douradas. São doces na boca e amargas no estômago, este filme já é parte de nossa história com os atores: BB, PREVI, ANABB e bem informados e com todos estes fatos ainda na memória deram um sonoro "NÃO" isto para não falar das abstensões que ´para quem ainda está na "Ativa" equivale também a rejeição.

Parabens a todos e vamos conclamar os aposentados e pensionistas a participarem ainda mais nas próximas. Vamos nos lembrar do provérbo popular: Não há bem que dure para sempre e nem mal que nunca se acabe.

saudações a todos

sergioinocencio disse...

MARCOS e blogueiros,

como a maioria e contrariando meu bolso, votei e perdi, ou ganhei, ainda não sei.
dna minha opinião , fiquei surpreso com a quantidade de nãos, achei que não passaria de 5.000, isso é bom, pq mostra que b em trabalhado podemos fazer alguma diferença em outras votações.

AGORA QUERO RECEBER PARA ONTEM

ja que tantas e tantas defenderam o SIM, e esta mesmas foram aqui e ali, fizeram mil conchavos, nada mais justo que antes do NATAL nos paguem a primeira paracela 12x20% .
vamos agora descobrir o quanto eles estavam articulados, e se em algum momento realmente tudo estava acertado ( se isso for verdade) , vamos receber bem antes do final do ano, ai sim teremos que nos preocupar com o futuro, não do fundo de pensão, mais nosso futuro em pretender um dia tomar a Diretoria em nossas mãos e mudar o estado atual de coisas na PREVI.

QUERO O MEU, E QUERO JA

votei não, mais agora acabou, sou mais um a esperar a esmola.

Anônimo disse...

Será que alguem tem alguma notícia do contracheque de dezembro? O que estaria acontecendo?

Jane Torres de Melo disse...

Caros Colegas e Queridas Pensionistas,

A chama aumentou porque estão sendo queimados dogmas, até então, alimentados por acomodação, desinteresse.
Particularmente fiquei muito feliz com essa expressiva votação de nossa parte.
Aumentar essa chama é o nosso objetivo !!
Festas, Final de ano, tudo bem, mas o nosso estado de sentinela não poderá ser deixado de lado.
Nosso País, não é sério, daí, precisarmos de toda esse vigília.

A estrada é longa mas estamos no caminho certo !!!!

Abraços,
Jane

Anônimo disse...

A votação relâmpago ocorrida no Congresso Nacional permitiu que em menos de cinco minutos fosse aprovado o reajuste de 60% para os senadores. Digo isso porque acredito que, se houver vontade política, os 20% sairão ainda neste ano de 2010. Vamos pensar positivo e torcer para que isso aconteça.

Uma coisa que temos que pressionar é que a Comissão para o estudo das outras medidas seja instalala logo no início de 2011, se possível em 03.01.2011.

Luis Eustáquio de Castro -Araxá-MG

ELIAS disse...

CAROS NEGOCIADORES,
Estamos orgulhosos e felizes pela habilidade negocial demonstrada e a forma brilhante com que vocês cumpriram da tarefa e BEM NOS REPRESENTAR.
Afinal, só abriram mão dessa insignificante quantia, aproximada: R$ 9.370.000.000,00 (R$ 7.500.000.000,00 para o bb e R$ 1.870.000.0000,00 para o pessoal da "ativa").
Digno de louvor e gratidão, como Vocês e os negociadores da outra parte falaram, evitarão que “velinhos” morram sem seus trocados que lhes cabe por direito.
Merece destaque o fato de que, com jogo de cintura e bom senso, evitaram que fosse efetuado um disparado sequer. Ponto para vocês.
Assim evitaram àquela espécie de assalto que as facções criminosas praticam nos bancos. Já imaginaram se esses impiedosos assassinos se organizassem e montassem 8.300 (oito mil e trezentas) quadrilhas e a cada dia uma assaltasse a PREVI e levasse R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais)? Deus nos livre desse horror e tamanho sofrimento. Seriam 22 anos de assaltos diários.
Por tudo isso, e muito mais, afirmamos que vocês são imprescindíveis e insubstituíveis a Nos representar nas próximas demandas, de forma especial na negociação de eventuais futuros Superávit. Por isso pedimos que não dêem ouvidos a eventuais comentários em sentido contrário, pois sempre teremos a “turma do contra”.
Aceitem nossa sincera e eterna gratidão. Que a nossa felicidade se estenda a Vocês e seus Familiares. Tenham um ótimo Natal e Boas Festas.

Anônimo disse...

A a ação que o Sindicato de Bauru, impetrou com pedido de cautelar, não prosperou. Bateram em porta errada. Foram protocolar na Justiça do Trabalho e o tema é da Cível. Um pequeno engano

Ivan Rezende disse...

Dois números a comemorar: 43,5% de aposentados votantes, apesar das dificuldades do 0800 que, devemos continuar insistindo junto à Previ para que os votos dos aposentados possam ser feitos pelos terminais de autoatendimento do BB e também pela internet.Muitos ainda trazem na memória o tempo em que o Banco era parceiro de seus funcionários.
O outro ponto positivo é que l/4 (25%) dos funcionários da ativa rejeitaram a proposta, apesar da pressão dos administradores. Isto porque eles estão vivenciando o momento de transformação do Banco, que está pouco importando com os seus funcionário e, vice-versa.

Anônimo disse...

Na solução apresentada, a distribuição de lucratividade na forma encaminhada pela PREVI, deveria estar ressalvada os valores para aqueles que auto patrocinaram.

A sugestão é ingressar com ação judicial visando a cobrança dos valores vertidos a maior pelo auto patrocínio, na forma apurada pelo superávit.

Para que o Escritório possa patrocinar a causa, será necessário obter as procurações daqueles que estão sendo lesados. A ação deverá ser ajuizada junto a Justiça de Brasília, que é o foro com competência para julgar
Demanda coletiva incluindo autores de domicílios diversos da Federação.

Apresentamos algumas condições básicas para ajuizamento da ação:

• Quantidade mínima de 100 autores,
• Procuração individual,
• Prova de auto patrocínio
• Copia de RG, CPF

Para custear os despesas de condução do processo, será cobrada de cada um dos autores, o valor de R$ 100,00. Os honorários serão de 20% sobre os valores devidos, a serem cobrados no final do processo, no caso de êxito da ação.

Ficamos a disposição para mais informações.

Cordialmente,

Emanuelle Santos & Advogados Associados
João Henrique dos Santos/

Anônimo disse...

Entendo que enquanto estiver vigente essa tal de resolução 26, o BB sempre levará 50% do superavit que for distribuido. Mesmo que a diretoria da Previ quisesse, ela não poderia mudar isso. O consolo é que no caso de deficit, o Banco terá nesse caso, que socorrer financeiramente nossa Caixa.
Para mudar essa situação, (de o patrocinador levar os 50% dos eventuais superavit), só se derrubarem essa tal lei (RES.26). Fora disso, não adianta chorar.

Wanderley

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
Uma das acepções do termo "negociar" no Aurélio é o de "permutar, trocar". Que é a que se aplica ao nosso caso e cujo processo, segundo o tal Acordo, deverá se iniciar a partir de janeiro próximo.

Agora, não quero ser o "advogado do diabo" nessa questão, mas, diante de tanto otimismo exagerado, proveniente, talvez da proximidade das festas natalinas, a gente tem que pelo menos se perguntar:

- O que que nós, a partir de janeiro, teremos para oferecer em "troca ou permuta" aos nossos adversários nessa negociação? O nosso maior trunfo, que seria o NÃO à participação do BB em nosso superávit, nós já vendemos barato (20%). A resposta, então, para essa pergunta é, na minha modesta opinião: NADA TEMOS A OFERECER. Apenas um suposto direito de usufruir de 50% de outros superavits futuros. Que eles podem enrolar, jogando para um futuro mais ou menos incerto. Porque elles não tem pressa. Porque sabem que, daqui a alguns anos, tudo será do BB mesmo.

Enquanto isso, só haverá uma certeza: de que os negociadores do lado de lá estarão, como sempre, desfrutando de seus polpudos complementos de aposentadoria; salários de participação nas diretorias da Previ/BB/Previc e participação, em alguns casos, de dezenas de conselhos de empresas em que a Previ tem assento (vide CANAEL). Quer dizer, estarão no céu. E quem está no céu vai se preocupar com aqueles que estão na terra, exposto a chuvas e trovoadas? O que é que vocês acham?

Anônimo disse...

Porque votei "SIM".

1) Porque pelo menos dessa vez vou participar pela primeira vez de uma distribuição do superavit. Da outra vez não recebi nada.

2) Não vi nenhuma associação entrar com nenhum recurso ou ação judicial para exigir a isonomia de na distribuição do superavit passado. Apesar de ter contribuido como todos não participei da malfadada distribuição.
Fui alijado do processo e me senti como um marginal qualquer.
Mas para o renda certa tem ação para todos os lados movidos principalmente por interesses pessoais por que se julgam ter direito, o que é normal, mas descartaram a questão da isonomia, cujo tema foi objetos de várias mensagens neste blog. Mas, infelizmente, não fomos ouvidos.

3) Aqui muitos defenderam correção de injustiças, com exceção da isonomia para alcançar aqueles que nada receberam, e que estavam a defender vantagens que não tem nada a ver com distribuição do superavit, como o acrescimo de 20% para pensionistas. Acho justo essa alteração, mas não tem nada haver com superavit.

4) Como outros tipos de correção de injustiça que nem me lembro, o que se sobraria para os que não se enquadrarem nessas correções ficariam novamente prejudicados. Qual o percentual que sobraria para nós. Esses que teriam suas "injustiças" corrigidas ainda teriam também a distribuição do superavit. Qual o percentual que sobraria para nós? 10%, 5% ou nada outra vez.

5) Infelizmente, acredito que a defesa do "não" foi mais por interesses pessoais do que outros motivos de que a igualdade na distribuição que deveria prevalecer.

6) Por favor, se alguém sabe se existe uma ação judicial que prima pela distribuição isonômica do superavit passado me avise, nessa eu tenho intenção em participar.

Roberto Varella disse...

Colega Luiz Herculano,
Quem se aposentou Não "quitou seu plano" , ou seja, não integralizou sua Reserva Matematica. Por que?
Ficaria muito caro o valor das contribuições e isto pesaria muito para o participante e patrocinadora, algo perto dos 30% do salário de contribuição. A solução encontrada na época foi diluir as contribuições ao longo do período de aposentadoria.
Atualmente isto não é permitido, tem que quitar o plano durante a fase laboral(novos planos). Ninguem deixou de contribuir apos 2006, só estamos fazendo de maneira indireta, via fundo de contribuição.

Rubem Tiné disse...

Quem votou NÃO e perdeu, tinha suas razões, que votou SIM, idem, mas em um regime democrático a maioria sempre vence, e venceu por larga margem, o SIM com 80%, portanto, chegou a hora de recolher às armas aos quartéis, trégua natalina, após o ano novo, vamos voltar as trincheiras, acredito que as prioridades são: 360 x 360, 80% para pensionistas e o fim da parcela previ. Com uma ceia de Natal mais recheada, que todos comemorem o aniversário do Cristo com seus familiares e amigos com muita paz e saúde.

Roberto Varella disse...

REALINHAMENTO DO PB1
Seja lá o que isto significa é mais uma enrolação pelo simples fato que com este acordo(20%) se exauriu toda a reserva p/ revisão do plano. ZEROU. Tinhamos exatos R$ 15.068.115,31 posição de 30/11/2010, quando o IBOVESPA estava bombando a 70.324 pontos. Hoje esta na casa dos 67.500 pts e olhando para baixo, com tendencia de queda.
Não vamos nos iludir.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
Como não comungo desse otimismo exagerado de alguns, esse trá-lá-lá de final de ano, que o Cristo vai nos ajudar, ano que vem seremos felizes, etc. etc., e acho que o ano vai ser igual aos outros, os mesmos de sempre (Elles) querendo tirar mais uma lasquinha dos aposentados/pensionistas, quero perguntar ao colega João Henrique dos Santos, das 06:43, o que é que ele acha de uma ação individual de "reserva de direitos" como está sendo pensado pelo Dr. Medeiros em seu blog?

Anônimo disse...

QUERO APENAS REGISTRAR; QUE CONCORDO COM O COLEGA ; LUIZ HERCULANO DA SILVA DE MARÍLIA (SP). TAMBÉM VEJO QUE OS GRANDES BENEFICIADOS SERÃO OS QUE ESTÃO NA ATIVA; POIS REALMENTE NÃO CONTRIBUEM MAIS E ACHO QUE NÃO CONTRIBUIRÃO . RECEBERÃO O BENEFÍCIO SEM TER CONTRIBUIDO. ! QUE MARAVILHA !; COMO DIZ UM NARRADOR DO SPORT-TV ; CHAMADO MILTON LEITE. É REALMENTE UMA TREMENDA GOZAÇÃO; COMO O AUMENTO AUTO VOTADO EM RÁPIDOS MINUTOS NA ILHA DA FANTASIA. VIVA A LIBERTINAGEM QUE REGE ESTE PAÍS; NÃO TRABALHAM ; FINGEM QUE TRABALHAM 3@;4@; 5@ ; CUSTAM ESTREMAMENTE CARO PARA ESTE PAIS. AUMENTO DE 60 % EM CAUSA PRÓPRIA ; DIGO MAIS QUE VERGONHA É ESTE PAÍS. A QUE PONTO CHEGAMOS. AINDA TEM UM TREMENDO ESPERTO E SORTUDO. NEM TRABALHOU E JÁ VAI GANHAR AUMENTO. É O GRANDE DEPUTADO; 1.350.000 VOTOS ELEITO PELO ESTADO MAIS INTELIGENTE DA NAÇÃO. VOTEM NO TIRIRICA PARA PRESIDENTE NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES. ATÉ ANALFABETO É; PIOR ANALFABETO; SÃO OS QUE ACEITARAM O TESTE PARA PROVAR QUE ELE SABE LER.
QUE PAÍS MARAVILHOSO É ESTE; TEM DINHEIRO PARA QUALQUER LADRÃO; NÃO PRECISA NEM TRABALHAR. MAS PARA QUEM TRABALHA ; FERRO NELES. QUE TRISTEZA; EU NÃO ME ORGULHO DE TER NASCIDO NESTE PAÍS; É REALMENTE VERGONHOSO. E TEM AINDA OS PAULOS MALUFS E ANTONY GAROTINHO; QUE EMBORA COM A FICHA SUJA; VÃO SER EMPOSSADOS. VIVA O CARNAVAL; VIVA O FUTEBOL ( NÃO QUE ATÉ EU NÃO GOSTE ; MAS ACHO QUE VOU REVER OS MEUS CONCEITOS ); VIVA AS OLIM-PIADAS; VIVA A COPA DO MUNDO NO BRASIL. CERTISSIMO ESTAVA CHARLES DE GAULLE ; EX-JÁ FALECIDO; PRESIDENTE FRANCÊS. ESTE NÃO E UM PAIS SÉRIO .

BOTA HOMEM INTELIGENTE AO PRONUNCIAR ESTAS PÉROLAS. NÃO AGUENTO MAIS ESTE PAÍS; ESTÁ PRA LÁ DE BAGDA. JÁ ENCHI O SACO... DESISTO.

ESQUECI; EU HELENO PINTO NOBRE ; MATRÍCULA 3.984.740-3 . NEM ESTOU CONTANDO COM A MERRECA ; EU JA SABIA QUE O NÃO ; NÃO IRIA GANHAR . NÓS SOMOS UNS PÉ FRIOS MESMO. AINDA TIVE QUE AGUENTAR 08 ANOS DE FHC ( O MALDITO ). QUERO QUE ELE VÁ PARA O INFERNO.....

Anônimo disse...

http://www.portaldoeconomista.org.br/noticias/governo-usa-de-novo-lucro-de-estatais-para-fazer-caixa.html

Governo usa, de novo, lucro de estatais para fazer caixa
16 de dezembro de 2010
Folha de S.Paulo (SP)

Com receita em baixa, recurso é usado para tentar alcançar metas fiscais
Dados preliminares indicam que Tesouro usará mais R$ 3 bilhões em dividendos das empresas em novembro

GUSTAVO PATU
DE BRASÍLIA

Com resultados abaixo do esperado na arrecadação de impostos, o governo recorreu novamente às empresas estatais para engordar seu caixa e tentar se aproximar das metas fiscais do ano.
Segundo dados preliminares aos quais a Folha teve acesso, o Tesouro extraiu mais R$ 3 bilhões em dividendos de suas empresas em novembro, quando a receita tributária caiu em relação ao mesmo período de 2009.
O artifício de absorver parcelas crescentes dos lucros das estatais permite ao Tesouro exibir saldos melhores, mas reduz os recursos disponíveis para investimento federal -cuja expansão, em tese, é a prioridade do atual e do futuro governo.
No ano, já são R$ 19,3 bilhões repassados pelas empresas a seu controlador, ante R$ 16,1 bilhões previstos na lei orçamentária aprovada pelo Congresso.
O volume equivale a, por exemplo, cinco vezes o total investido pelo grupo Eletrobras de janeiro a outubro.
Trata-se de uma reação à estagnação da arrecadação tributária, que, apesar dos recordes mensais divulgados ao longo deste ano, não voltou a atingir, como proporção da economia do país, os patamares de dois anos atrás, enquanto o governo tem programado seus gastos contando com o aumento constante da receita.
Anteontem, a Receita divulgou que a arrecadação de impostos, taxas e contribuições em novembro caiu 12,3% em relação ao mesmo período de 2009, tornando ainda mais difícil o cumprimento da meta de superavit primário (a parcela da receita poupada para o abatimento da dívida pública) deste ano.
Para um superavit prometido de R$ 76,3 bilhões, o Tesouro havia acumulado apenas R$ 63,4 bilhões até outubro, ainda assim inflados por uma manobra contábil que transformou em receita primária parte da operação da capitalização da Petrobras.
Nos anos em que cumpriu a meta, o governo poupou mais de 100% do necessário nos primeiros dez meses do ano, uma vez que o último bimestre é tradicionalmente deficitário devido ao pagamento do 13º salário para os servidores públicos.
Os dividendos de estatais como Petrobras, BNDES, Banco do Brasil e Caixa são hoje a principal receita não tributária da União. O expediente ajuda a contabilidade oficial, uma vez que nenhuma das grandes empresas tem hoje seus resultados incluídos no cálculo do superavit total do setor público.
Se a Petrobras, por exemplo, ainda fizesse parte do cálculo, o pagamento de seus dividendos seria neutro para o resultado total: haveria melhora dos números do Tesouro exatamente igual à piora dos números das estatais.
Os dividendos respondem por mais da metade do superavit do Tesouro de janeiro a outubro, se forem retirados da conta os R$ 31,9 bilhões resultantes da operação de capitalização da Petrobras.
O projeto de Orçamento de 2011, em análise no Congresso, prevê receita de R$ 17,6 bilhões em dividendos de estatais. As estimativas orçamentárias têm sido superadas desde 2008.

Anônimo disse...

Atenção colegas, precisamos saber quem é que vai nos representar a partir de janeiro de 2011, nestas negociaçõe que dizem fazer parte do acordo, aprovado.Fica a pergunta:
Vão ser os mesmos que entregaram os 7,5 bi ao BB? Ou poderemos incluir alguém da AAPPrevi? precisamos nos mobilizar para termos alguém da diretoria da AAPrevi, do contrário, ficaremos nas mão dos mesmos de sempre.Algum iluminado poderá dar esta informação?

Anônimo disse...

NEM AGORA a DONA ISA APARECE. O QUE SERÀ QUE ESTA ACONTECENDO?
DEVE TER ROLADO UM GRANA MAIS OU MENOS AI. QUE LOUCURA
BOM, ESPERAR O QUE DE PESSOAS DESONESTAS, SAFADAS>

Anônimo disse...

Neste momento, apenas uma palavra vem em minha mente: LAMENTÁVEL!
A que ponto chegamos! Parecemos cachorros em busca de migalhas. Nos escurraçam e, após recebermos algum agradinho, abanamos o rabo... É triste.
João Carlos

wilson luiz disse...

PORQUE VOTEI SIM

Nada é tão bom quanto idealizamos(voto não), nem tao ruim quanto tememos(voto sim).

-votei SIM porque sou um dos 28.800 assistidos do PB1 que não receberam um centavo sequer das distribuições de anos anteriores; pelo menos, desta vez, todos foram contemplados;

-votei SIM porque ninguém poderia assegurar que a distribuição do superávit estaria garantida mesmo que o não vencesse. O Banco do Brasil é imprevisível, basta ver o que aprontou nos últimos 3 anos. Ele poderia alegar que negociou com as entidades representativas, que um acordo foi fechado, que foi exigida a aprovação em referendo e que, já que nós recusamos a proposta, seria porque não queriamos a distribuição de nossa parte agora, mas que ele, Banco do Brasil, utilizaria sua metade de acordo com a Resolução 26 e de conformidade com a aprovação do Conselho Deliberativo. A partir daí, o Patrocinador poderia se fingir de morto por mais 3 anos, aguardando novos superávits;

-votei SIM porque tinha medo de uma nova negociação. Lembro o que aconteceu em 2006 e 2007, quando fomos traídos pelos safados que "negociaram" em nosso nome, que primeiro cederam ao Banco, suspendendo as contribuições, depois deixaram de lado a mais justa das propostas, o aumento das pensões, e se dedicaram à aprovação de benesses para os "amigos do rei", como o renda certa e o aumento do teto para 90%;

-votei SIM mesmo sabendo que não era o acordo ideal, mas que, apesar de tudo, contemplou todos os associados, deu algum alento aos que menos recebem e, queiram ou não, foi mais transparente que os "acordos" anteriores. Alguns alegam que, em prevalecendo o não, seria apresentada uma "proposta melhor". Gostaria que explicassem como fariam isto, já que foi utilizado o saldo total da conta Reserva Especial para Revisão de Benefícios, e a parte que o Patrocinador alega ser sua somente poderia ser utilizada em nosso benefício mediante sentença judicial;

-Votei SIM porque acredito que não estamos abrindo mão de nada, pois direitos previdenciários não podem ser transacionados, podendo se recorrer à Justica a qualquer momento. Isto ocorre até com uma simples rescisão trabalhista, pois mesmo que se assine tudo que o empregador exige, as cláusulas ilegais são passíveis de contestação judicial, e

-votei SIM, finalmente, porque tanto o PB1 quanto nós, os aposentados, estão em extinção; estamos na faixa etária de 50 a 104 anos e quantos, no jogo da vida, já não estariam com a placa de acréscimos levantada pelo Juiz Supremo?

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

ENC: Protocolo 2010/11878 - Previ - Superávit
Enviado por: "Luiz Dalton" eledalton@uol.com.br
Qua, 15 de Dez de 2010


Meus amigos (as),

Perdoem-me pela insistência de continuar lutando para que nossas
poupanças não nos sejam confiscadas e assim inflarem indevida e
ilegitimamente os lucros do Banco. A PREVI é nossa e não um departamento
do Banco. Ela deve cuidar e administrar as poupanças que acumulamos
durante nossas vidas servindo ao banco e depois que aposentamos.

Muitos de nós foram obrigados a contribuir para a Caixa de Previdência
porque já em 1967 o banco nos julgava um peso morto. Para economizar
custos ele nos impôs a associação à PREVI, transferindo à entidade de
pessoal o ônus para bancar nossas aposentadorias e pensões. De
associados nos transformamos em assistidos. Sequer hoje temos
voz ativa na condução dos destinos do fundo de pensão que custeamos, no
meu caso, já há 48 anos.

O Banco, em conluio com a PREVI e os ditos nossos representantes
acertaram que ficaríamos sem contribuir para o Fundo de Pensão por até 6
anos. O maior beneficiário desse truque é o próprio banco. E agora, na
tentativa de nos enganar outra vez, depois dos inúmeros cortes que
fizeram em nossos direitos, somos chamados a votar para que aprovemos um
rombo milionário contra nossos próprios bolsos. O que se faz é um
verdadeiro assalto no qual nos levam nosso patrimônio e nós ainda
agradecemos.

Para isso, interesses ocultos tramados intramuros, o Banco, a PREVI, a
tal PREVIC, o CGPC e nossos pseudo-representantes, decidem nos
ludibriar, repassando-nos migalhas a serem pagas até o máximo de 6 anos
e nós, como se fôssemos gado, vamos para o matadouro bem serelepes. Nós
não podíamos e não odemos compactuar com essa artimanha mal cheirosa.
Deveríamos protestar. Ir à justiça 1, 5, 10 vezes, 500 vezes se
necessário. Há uma Lei Complementar que determina a distribuição dos
tais superávits, desde que por três exercícios consecutivos.

A Lei é clara. Ela diz que os benefícios "obrigatoriamente" devem ser
revistos. Mais: mesmo no caso de déficits nossos benefícios não podem
ser reduzidos. Nessa hipótese, mesmo forçados a bancar a correção
dessas ocorrências, aí sim, com a participação ou interveniência
proporcional do patrocinador, o Banco. É BOM SALIENTAR QUE O BANCO NÃO É
ASSOCIADO, ASSISTIDO OU PENSIONISTA para auferir ganhos retirados de
poupanças privadas acumuladas para assegurar-nos uma vida mais
tranquila, sem atropelos e também a de nossos pósteros. POR ISSO VOTEI
"NÃO".

Continua

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Parte II

As poupanças cuidadas na PREVI são nossas. Não se esqueçam do AERUS da
Varig. Eu conheço vários ex-funcionários da Varig vivendo com a pensão
do INSS. É isso que queremos para nós e nossos dependentes?

Eu me recuso a aceitar sequer essa possibilidade.

Desculpem-me o desabafo. Sei que alguns colegas podem estar em
dificuldades momentâneas. Outros sequer dependem das pensões de
aposentadoria repassando mesadas para os filhos com esses recursos. Mas
a grande maioria deve ter idealizado um ócio decente. Só como
aposentados é que começaram a curtir uma vida menos atribulada. A
tirarem férias.

Os gastos com saúde depois que envelhecemos são mais significantes. A
CASSI também sofre pela gula usurária do Banco e já não é mais aquela.

Essa maioria sempre contou e confiou na PREVI e no Banco. Então eu
pergunto: vamos permitir que nos tomem impunemente aquilo que
construímos?

Meus bens, por exemplo não me dão renda. Apenas me agasalham do relento.
Eu confiei na instituição a que servi com empenho e, porque não dizer,
com orgulho.


Com esse desabafo esclareço porque enviei a correspondência abaixo ao
Banco (já protocolada, como consignado em vermelho abaixo da resposta
que o BB me enviou), acusando-o e pedindo-lhe providências e
esclarecimentos sobre a farsa que estamos vivendo.

Peço perdão àqueles que não concordam com minhas iniciativas. Mas não
posso admitir esse comportamento libidinoso do Banco contra cerca de
110.000 companheiros e suas famílias e que ajudaram a construir a
grandeza que ele (Banco) hoje desfruta.

Continua

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Parte III - final

Por isso quero dizer-lhes que continuarei a lutar contra a iniquidade
que se quer praticar contra nós. Pretendo ir, só, acompanhado ou.
patrocinado por alguma entidade idônea que ainda temos, para defender
não só os meus, mas principalmente os interesses das cerca de 500.000
pessoas prejudicadas por essa vilania do Banco e de seus coadjuvantes.

Peço-lhes lerem com atenção a correspondência que enderecei hoje ao
Banco em função da resposta que me deram a respeito das denúncias que
levei ao conhecimento do Presidente da República. Preparo também
denúncia para enviar ao Ministério Público da União, na pessoa do Dr.
Roberto Gurgel, o PGR - Procurador Geral da República.

Se ninguém aqui no País resolver esse imbróglio, irei até a ONU, ou ao
Barack, quem sabe nos declaram guerra... rsrsrs.

Leiam, reflitam e critiquem.

Desculpem-me a algaravia mal enjambrada acima, pois sequer a reli, tal o
meu estado de ânimo.

Abraços,

Luiz Dalton - 51-3388-6899, Porto Alegre (RS).p


Em tempo: Segunda-feira, dia 20, às 11h, levarei nossas preocupações ao
Sen. Paulo Paim, na companhia do querido colega Edison Debem. Tenho cá
minhas dúvidas a respeito dessa entrevista, mas mesmo assim estaremos
lá, munidos de todo o material que juntamos a respeito. Alguém terá que
agir.

Anônimo disse...

Amigo Luiz Dalton, louvável sua atitude de levar nossas preocupações ao nobre senador Paulo Paim. No entanto, a aproximadamente, um mês atrás, enviei e-mails a vários senadores, denunciando a inconstitucionalidade da Resolução 26 e pedindo auxílio dos mesmos. Não obtive a mínima resposta. Ninguém deu retorno.
Espero que você tenha sucesso.

Luis Eustáquio de Castro - Araxá-MG

Anônimo disse...

Colega anônimo das 08:40 hs., sua preocupação é pertinente. Quem irá nos representar a partir de janeiro/2011.
Acredito que não deixarão ninguém da AAPREVI participar.O que é lamentável.

Acho que nesse momento temos que mudar nosso foco. Ficar lamentando o ocorrido não resolve nada. Vamos focar e acompanhar de perto a Comissão de Estudos do re-alinhamento dos nossos benefícios.

Vamos reinvidicar que ela logo se instale e apresente propostas o mais breve possível.

Luis Eustáquio de Castro - Araxá-MG

Anônimo disse...

Amigo Luiz Dalton.

Depois desse MEGA aumento que os parlamentares votaram para eles próprios, algum vai manifestar-se a nosso favor? Duvido! Por oportuno, faço a seguinte indagação aos colegas do blog. Será porque os funcionários da ativa votaram pelo NÂO em percentual maior que os aposentados (25,81 x l2,38 %). Sendo que eles foram os maiores beneficiados.

Carlão/Joinville disse...

Prezado Marcos, como diriam os nobres representantes do povo, que na calada da noite se auto proclamaram merecedores de um reajuste de mais de 60% de seus subsidios, resultado de eleição não se discute. Se aceita.
Perdemos, e eu acho que doravante, ninguem dos que votaram SIM (e tinham todo o direito de faze-lo) poderá reclamar dos indices de aumento de nossos benefícios (INSS ou PREVI). Autorizamos o bb a se apropriar TODO ANO, de alguns que certamente melhoraria nossas vidas substanciosamente ano a ano. Mas, garantimos o peru de Natal, que daqui a alguns anos poderá ser somente um chester, depois um franguinho, e assim por diante.
O bb agradece penhoradamente, e tgalvez envie a cada um de nós, todo final de ano, um belo calendário como agradecimento pela doação mansa e pacifica, como sempre desejou.

Anônimo disse...

Srs.,

É uma lástima que o povo brasileiro, esteja, neste momento, tão materialista, pois recebe migalhas a longo prazo e se ufana satisfeito, vitorioso, "bem pago".

A vida por um peru de natal.

Imediatistas devem pensar em pagar as contas para não ficarem reféns de migalhas, é o que leio neste blog, portanto, não inventei nada.
O Sr. Marcos que controla este blog é pessoa DIGNA, CORAJOSA, DEDICADA, INCANSÁVEL na defesa de seus princípios e claro de milhares de seguidores.
Mas entenda Sr. Marcos, uma pessoa honesta que se dispõe a lutar contra inescrupulosos deve ter presente que terá dissabores, aborrecimentos até AMEAÇAS, além disto será traído, porque terá que confiar em muitos dissimulados, em reuniões "mundo afora".
Desejo toda a sorte e paciência, também perseverança no trato da associação AAPPREVI, pois o Sr. irá precisar e muito.

Após participar muitas vezes deste blog, me despeço até 2011, DESEJANDO um MARAVILHOSO NATAL para seus FAMILIARES EM SUA COMPANHIA.
Que o Ano Novo que está próximo de se iniciar lhe traga VITÓRIAS junto aos seus seguidores. Que o Sr. colha deliciosos frutos de seu abnegado TRABALHO.
Até mais ver Sr. Marcos.

Ah em tempo, que a sorte traga um carro NOVINHO!
ABRAÇOS
Ano que vem não serei mais anônimo

Anônimo disse...

Interessante! acho que foi em 2007, foi feito um tal RENDA CERTA, que AGRACIOU alguns felizardos COM MAIS DE R$ 1.000.000,00 e, outros com NADA, e, até hoje não vi ninguém falando em entrar na justiça. Tem gente aqui no blog gritando que o acordo não presta etc... será que é pq não vão levar mais R$ 1.000.000,00 novamente????
Em terra de lobo criar ovelhas é perigoso.....

Anônimo disse...

A quem interessar, teve varios comentarios, para saber quando saira o contracheque da Previ, dos aposentados e, segundo recebi a informaçao da Previ, pelo 0800, o contracheque de Dez/2010, esta previsto para sair no Site da Previ, amanha, dia 17 de dezembro, sem mais, aposentado de Cambe-PR.

Joaquim Luiz disse...

Ivan Rezende disse...

Dois números a comemorar: 43,5% de aposentados votantes, apesar das dificuldades do 0800 que, devemos continuar insistindo junto à Previ para que os votos dos aposentados possam ser feitos pelos terminais de autoatendimento do BB e também pela internet

E Joaquim Luiz diz: Sim 43.5 % de votantes isso é o mais importa, tanto ou quanto os 20 % que serão distribuidos mensalmente para a maioria dos participantes do PB1.Queiram ou não, representa um aumento extra de salário e fora de época.
Seria terrivelmente nocivo ao público em geral o uso dos terminais de autoatendimento do Banco por motivos óbvios, atrapalharia o público e por exigir deslocamento de aposentados. Internet sim poderia ser aberta para isso, mas nunca terminar com o 0800, pois é o mais cômodo e é claro que quando a demanda é muita, isso acontece e é normal

Anônimo disse...

Democracia é acatar a vontade do povo. Se 80% votaram a favor da distribuição os 20% do contra é que estão certos? Creio que voces devem refletir sobre isso. Voz do povo, voz de Deus. O resultado mostra que certos estão a ANABB AAFBB CONTRAF PREVI E BANCO. Os 20% do "não" estão equivocados. Sem ofensa, porque voces acham que sabem mais do que é melhor, do que 80% dos nossos colegas? Em tempo, votei Não. Vejo que me enganei, pois a vontade da maioria é pelo Sim.

Henrique Soares disse...

Será que sou Maluco? Telefonei para a PREVI, vejam o conteúdo:
- Gostaria de saber porque o Espelho ainda não está disponível no site.
- Atendente - Vou ter que confirmar seus dados. BLA BLA BLA BLA BLA
- UFAAA=
- Sr Henrique, o Contracheque ainda devido que durante todo este mês a PREVI esteve totalmente envolvida com a questão do SUPERÁVIT.
- E o que uma coisa tem a ver com a outra?
- Sem resposta
- Querida, eu não queria estar no seu lugar nem pra ganhar 200x o que vc ganha.
-Boas Festas
- Pra vc também.
COLEGAS, ME AJUDEM: ESTOU MALUCO?

ELIAS disse...

Marcos,
Não li direito ou está faltando a "carta" que o Luiz Dalton afirma ter mandado - parágrafo 2 da parte III de seu post acima ????

Ações Individuais concretas, como a do Dalton, e Coletivas de nossas Entidades, amparadas por firme e decidida União Nossa, certamente contribuirão para "mudar o rumo das coisas". A nosso favor, claro.

Anônimo disse...

Como participante do PB1, gostaria de contribuir com a visão daqueles que votaram não ainda estando em atividade no Banco.

Importante
Percebo em alguns poucos um certo tom de desprezo com os colegas ainda na ativa. Saibam que venho de uma família bancária e que herdei de meu pai o respeito e a dedicação a carreira. Não tenho ilusões em relação ao Banco e principalmente aos poltrões dos sindicalistas, nossos pseudo-representantes... Mas não se espantem pelo número expressivo dos que votaram NÃO (estando na ativa). Esses, incluo-me aí, sabem, converso com muitos, o futuro negro que se avizinha. Sabemos que o PB1 está em risco com a divisão dos superavits com o Banco. Será que teremos a garantia de aposentadoria no bolso daqui há vinte anos?
Isso nos impeliu a votar NÃO!!!
Os que já estão aposentados talvez não corram o risco de ver suas aposentadorias sumir, mas o que me garante que vou desfrutar da mesma?
Meu pai teve esse justo benefício. Minha mãe, como pensionista, recebe até hoje.
EU??? Não sei se vou sacar meus recursos antes dos 50 anos (e antes do Banco levar o resto da minha aposentadoria futura).. Dilemas como esse estao presentes para muitos colegas na ativa.
É hora de JUNTAR forças, da ativa e aposentados/pensionistas que votaram NÃO!!
Muita luta ainda nos aguarda!
Abraço a todos.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Nunca, na história da PREVI, chegamos ao dia 17 do mês sem o espelho disponibilizado no site. Aí tem coisa. E muito mais - a prova de suspeição na lisura do plebiscito. Veremos...

Anônimo disse...

Amigos cordiais,

Chama a atenção este número expressivo de votantes no NÃO de partes dos ativos. Em sã consciência não se esperava destes 25% da ativa rejeitar um acordo onde foram os mais privilegiados, em função de serem aquinhoados antes do prazo (aposentadoria). Olha, me surpreendi. Superaram o voto NÃO dos próprios aposentados!

"Funcionários da ativa (votos via SISBB)
Sim - 18.661
Não - 6.715
Brancos - 383
Nulos - 257
Total - 26.016

Aposentados e pensionistas (votos via 0800)
Sim - 32.215
Não - 4.639
Brancos - 215
Nulos - 397
Total - 37466

Fonte: Site da Contraf-CUT"

Ari Zanella

Anônimo disse...

Amigos, com todo o respeito, vamos parar de falar em votação.
Já aconteceu, é página virada. Ficar lamentando, blá blá blá blá é perda de tempo; não vai resolver mais nada. Vamos pensar em outras coisas tais como:
-realinhamento de nossos
benefícios;
-contestação na Justiça da
Resolução 26

Luis Eustáquio de Castro - Araxá-MG

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

É sabido que a FOPAG da Previ fecha no dia 10 de cada mês. Até hoje, dia 17/12, ela ainda não está disponível levando à suposição de que ainda não foi fechada. Se neste mês de dezembro ela apresentar os resultados da consulta nos créditos dos benefícios, estará comprovado o direcionamento da pesquisa, pois será uma prova cabal de que o desfecho era conhecido - ou esperado, ou que seria manipulado para atingir a marca da aprovação. Esperemos, pois.

José Aristophanes disse...

Marcos.
(Saindo do sério):
Só há uma explicação para o contra-cheque de dezembro, que, normalmente, é um dos mais simples do ano, não ter sido, ainda, processado: vai trazer "os benefícios" da Resolução 26, homologada por mais de 80% dos assistidos do Plano1.Todos vão ficar felizes, e elles festejando a grande façanha... Aqui em baixo, vamos, também, gozar e relaxar, como disse a Martha Suplici(PT-SP). E prepararmo-nos para fazer zoada, no futuro próximo. Festivo Natal e Próspero Ano Novo!

Ivan Rezende disse...

O líquido de dezembro já está em lançamentos futuros, sem os 20%, conforme consulta pela internet às 5:30 hs.

Ivan Rezende disse...

Cesta Alimentação-Ação vitoriosa-
2008 001 262450 5- Pelo menos os colegas desta ação, alguns meus conhecidos, vão passar o Natal com dinheiro na mão, pois já receberam a grana no Banco do Brasil (+ ou - R$25 mil de atrasado).

ELIAS disse...

Diz aí IVAN,
Em qual encontraremos a AÇÃO VITORIOSA DA CESTA ALIMENTAÇÃO?
A Sentença é definitiva?
Obrigado!

LUIZ FERNANDO disse...

pessoal, o espelho de dez-2010, ja está disponível via BB-internet ou autoatendimento e pasmén, o espelho já está com as duas verbas inclusas,ou seja o beneficio normal mais o beneficio que era temporario. Entendi que precisava para passar por todos trâmites. Por que esse ítem ja esta sacramentado.

Ivan Rezende disse...

Elias :www.tjrj.jus.br- Trânsito em julgado. Já estão gastando o dinheiro

luiz carlos disse...

A PREVI ERROU NA DIVULGAÇAO DOS NUMEROS - Tem essa informação no blog do medeiros (21h-17.12) e diz que ela já corrigiu e indaga será que foi consciente ou não?

Alguém sabe de algo?

elias disse...

Marcos,
O "erro" da previ está demonstrado no
sítio http://www.unap-bb.org/.
Da forma como Ela divulgou: vitória esmagadora do SIM, não teria outro objetivo senão dar um banho de água fria e calar milhares de Colegas que votaram NÃO. E, talvez, influenciar instâncias decisórias.
O quadro da UNAP-BB, didaticamente, mostra outra verdade dos números.
Em resumo é o seguinte:
APTOS A VOTAR: 118.292 (100%)
VOTARAM: 63.482 (53,67%)
opção SIM: 50.876 (43,01%)
opção NÃO: 11.354 (9,60%)
abstenção+brancos+nulos: 55.464 (47,39%)
CONCLUSÃO: O SIM obteve apenas e tão somente 43,01% dos votos.

Elenita disse...

Eu gostaria de entender este tal Renda Certa.
Se o aposentado precisa ter pago 30anos de contribuição na ativa,significa que nenhum dos da ativa que tenham menos de 30 de contribuição não conseguirão comprovar o tempo uma vez que estão suspensas as contribuições.
Logo este Renda Certa perdeu o sentido.
Apenas alguns aposentados atingi-rão os 30 anos de contribuição, considerando o período de ativa e de aposentado (até dez 2006),
caso haja alteração do modo de calcular.
Então tem gente da ativa e alguns aposentados que não tem chance de fazer 30 anos de contribuição.
Não entendo até hoje, porque os funcionários da ativa do plano 1 não contribuem prá PREVI. (Acredito que os do plano futuro devem estar contribuindo, né?)
Ou será que a PREVI está considerando que contribuição suspensa serve pra contar tempo?? Inclusive eu achava que os aposentados que não completaram o tempo também deveriam contribuir até completar 30 anos de contribui-ção. Todos deviam contribuir 30 anos pra poder ter os mesmos direitos.
Será que eu estou errada??? Não consigo entender.
Dava pra alguém me explicar???
Agradeço
Elenita

Anônimo disse...

Colega Elenita,

As contribuições continuam sendo recolhidas tanto do pessoal da ativa quanto dos aposentados, o dinheiro porém esta saindo do superávit, portanto do nosso dinheiro. A parte patronal idem.

Elenita disse...

Não entendi o que vc escreveu Sr Anonimo 19/12/2010 07:48. A tua informação não está correta.
As contribuições estão suspensas desde 2007 para os aposentados e da ativa (do plano 1), inclusive no acordo um dos itens é continuar suspensas por mais 3 anos.
Se estão suspensas como é que as pessoas irão comprovar o tempo que pagaram a PREVI.
Uns pagaram e outros não vão pagar pq está suspenso mas vão ter os mesmos direitos? Será que isto é justo?
Sr Marcos, o sr está entendendo o que eu estou falando? Acho que o Sr Anonimo está entendendo menos do que eu.
Gostaria de:
1) Saber se é isto mesmo que escrevi.
2) Saber a opinião das pessoas sobre este problema que no meu entender vai equiparar pessoas com o número de contribuição diferente.
Agradeço
Elenita

Anônimo disse...

Colega Elenita,
Explicando: as contribuições estão suspensas para os participantes e assistidos; não para o Plano. Elas estão sendo lastreadas por um Fundo Previdenciário, criado para esse fim, com recursos da Reserva especial de 2006. Ou seja, os recursos saem do Fundo Previdenciário e retornam aos ativos da Previ. Para todos os efeitos os recursos continuam a ser recolhidos, tanto a parte dos participantes e assistidos, quando a do Patrocinador.
Assim, todos, inclusive os funcionários da ativa e o Patrocinador, também continuam sendo beneficiados.

Elenita disse...

Obrigada Anonimo de 21/12/2010 as 02:47h
Agora eu entendi.