domingo, 5 de dezembro de 2010

O fio do bigode

Caros Colegas.

A divulgação do “acordo” nos termos em que foi assinado remete ao entendimento de que todos serão contemplados. Uns terão menos e outros mais, o que leva à certeza de que nem todo mundo sairá satisfeito. Mas receberão assim mesmo.

Todavia, o contrato de doação assinado nos põe sob uma dupla ameaça:

- Primeiro: Está dito que será respeitado enquanto durar o dinheiro – e ele pode acabar a qualquer momento, até mesmo daqui a um ano. Basta ser usada mais uma artimanha do Banco, em conluio com a PREVI, pois eles tudo podem, juntos ou em separado;

- Segundo: Está subentendido que a partir dessa doação o Banco se faz dono da metade de tudo que o fundo tem ou que venha a produzir. Não somente relativo a superavits, mas metade de TODO o PB1 lhe pertence e pertencerá ad eternum, do modo em que está anunciado nas entrelinhas.

Por isso é imperioso refletir do que vai adiantar um benefício temporário, cujo prazo é indefinido, quando amanhã ou depois o perdermos sem a certeza de quando, e se, teremos nova esmola passageira. Ainda mais correndo risco de serem os benefícios atuais reduzidos, sem as balinhas de açúcar efêmeras. De qualquer modo, e apesar dos temores, vamos recebê-los sem a necessidade de aprovar o acordo.

De se notar que ao Banco será fácil encontrar meios de fabricar deficit no fundo, do mesmo modo que no passado fabricou este superavit que ai está – tudo para satisfazer seus intentos, suas apropriações. Em havendo resultado negativo o que nos está sendo “dado” agora não terá continuidade. Com a agravante de que voltaremos a pagar as contribuições mensais o que, obviamente, reduzirá o benefício no mesmo valor. Também não podemos esquecer que a PREVI paga “complemento” desde que tenha dinheiro para tal.

Para desviar o foco do verdadeiro significado do acordo firmado o Banco se vale de uma promessa, de cumprimento incerto, para dar a entender aos participantes do PB1 que logo teremos mais benefícios. Foi divulgado Termo de Compromisso onde diz que “em janeiro de 2011 será instalado processo negocial... para avaliar e adotar possíveis alterações no regulamento do Plano de Benefícios 1 da PREVI”.

Esse documento cita a anuência de duas autoridades do governo (que nem sabemos se nele permanecerão), mas cujas assinaturas não constam no seu bojo: o Ministro do Planejamento, Paulo Bernardo da Silva e o Secretário Executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Machado. O Blog Previ Plano 1 publicou no dia 26/11, na coluna Notícias Relevantes, cópias dos papéis oficialmente remetidos pela FAABB capeados por Nota endereçada à AAPPREVI, onde se constata a ausência dessas chancelas. Está tudo lá, ainda.

É bom lembrar que vai longe o tempo em que se firmavam compromissos sérios com troca de fios de bigodes. Apesar da fartura com que ornam respeitáveis faces, hoje, em plena era das falcatruas - mensalões, meiões e cuecões - há necessidade da aposição de assinaturas para validar documentos de quaisquer valores: desde um salário mínimo até 7,5 bilhões de reais – ou mais.

Além de tudo, o plebiscito que se pretende é tendencioso. É apontado como consulta ao corpo social para validar a distribuição do superavit quando é sabido que essa etapa é desnecessária. O artifício de se dirigir aos participantes com essa finalidade não encontra amparo nos estatutos, pois a figura do Corpo Social foi abolida, e a partir do quê a aprovação dessa distribuição passou a ser atribuição do Conselho Deliberativo, seguida de consulta aos órgãos competentes. Supõe-se até que este estágio já se consolidou no caso presente, pelo que se depreende do comparecimento dos negociadores a esses Órgãos. Portanto, em sendo assim, no momento atual basta a PREVI efetuar os créditos dentro do que foi combinado, ou seja, destinar 7,5 bilhões de reais aos participantes e assistidos. E não dar nada ao patrocinador. Assim sobrará outro tanto para contemplação posterior.

Por isso o acordo recebeu a redação marota doando esse outro tanto ao Banco e, ainda por cima, dando como justificadas as apropriações havidas e autorizando que outras aconteçam a partir daí, sempre na mesma proporção, meio a meio. Para isto, sim, há necessidade de consulta aos donos do dinheiro, pois o patrocinador não tem direito a nada como pleiteia, por imposição da LC 109, de 29/05/2001, em que pese o artifício fabricado com a Resolução 26, inconstitucionalmente se sobrepondo à Lei. A consulta em andamento tem essa única finalidade: reconhecer direitos inexistentes, do Banco do Brasil.

Portanto, votar SIM significa doar ao Banco a metade do PB1 a partir de agora. E dispensá-lo do pagamento dos cerca de 15 bilhões que “toma emprestado” através de escriturações.

Votar NÃO impede que isso aconteça.

Traduzindo: Votar SIM ou NÃO em nada interfere na distribuição em curso. Os benefícios prometidos serão respeitados e o pagamento do dinheiro garantido até 31/12/2010, data fatal imposta pela Lei.

Mas se o SIM vencer na consulta pretendida e na forma em que está, nós perderemos a garantia do recebimento de benefícios futuros, com ou sem aumentos, de acordo com o entendimento que contemple o acordo que cheira a maracutaia. O Banco pode dar a interpretação que lhe convier e depois dizer: vocês autorizaram.

Eu não vou arriscar. Meu voto é NÃO, pois:

Votar no NÃO é a solução.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 05/12/2010.

109 comentários:

Anônimo disse...

Marcos, concordo com você! Por tudo o que hoje sabemos do Banco e Previ, precisamos de lucidez e calma. Eles são o inimigo, não são confiáveis. Vão botar a mão grande no dinheiro dos associados e a distribuição, ainda que dure os 6 anos (duvido), é nosso direito. Não estão fazendo nenhum favor, muito pelo contrário.
Votar SIM é concordar em ser roubado, neste e nos próximos resultados.
Acho que nem deveria haver votação, isso tem que ser embargado. Em outro post um colega perguntou sobre a possibilidade de registrar em cartório a não concordância de acordo em seu nome. Cada um que resolva por si, quem quiser que entregue sua parte ao banco em troca de merrecas. Mas não atrapalhem a quem tem a honradez de lutar pelo que é justo! Por tantas concessões é que chegamos a este ponto de desespero, mas as pessoas não aprendem, estão cavando a própria cova.
Vamos apoiar do Sindicato de Bauru!
Vamos tentar proibir a votaçao!
Você finaliza dizendo que prefere não ARRISCAR, eu já diria que o SIM é a CERTEZA DE ROUBO, ESTELIONATO CONSENTIDO, MELHOR DIZENDO É O FIM!!

Anônimo disse...

Marcos, meu voto também será Não!Não por que? Porque quando voce liga para reclamar eles respondem: Voces votaram, voces escolheram isso, não adianta reclamar!!!Não aceito de maneira alguma o que estão fazendo com os aposentados e pensionistas. Ladrões, querem que nós aposentados, aposentados por invalidez e pensionistas que vivamos com emprestimos do banco assim ficarão cada vez mais ricos!!!Jamais CHapa3

Anônimo disse...

Copiado do blog dos bancários.
Para acessar a íntegra, clique no link abaixo.

http://blogdosbancarios.wordpress.com/2010/12/01/sindicato-de-bauru-ajuiza-ao-contra-plebiscito-da-previ/

"Se me permite uma opinião, não se trata de uma questão simplesmente previdenciária, mas de direito individual. O que integra o patrimônio pessoal de cada um NÃO PODE SER RESOLVIDO POR VOTAÇÃO NENHUMA!
Ora, se a Lei Complementar 109-2001 declara que as sobras (vamos admitir que existam) devam ser usadas para a melhoria dos benefícios, então qualquer um de nós pode insurgir-se – a decisão coletiva não cabe, só a decisão individual é possível. Então, bastaria que um colega qualquer que seja advogado prepare uma petição, buscando obter uma liminar, que como sabe precisa satisfazer a duas condições: uma razoável evidência de que o direito existe (fumus boni juris) e uma demonstração de que há perigo em esperar (periculum in mora)."
Um cordial abraço a todos.
Milton

Anônimo disse...

Vejam se essa é um proposta decente:
- (Banco) Eu levo os meus 50% agora. Todo de vez!
- (Governo/Banco/PREVI) Vocês levam a merreca de que lhes damos, em pequenas parcelas distribuídas em SEIS longos anos, enquato durar o superávit(o que é altamente duvidoso incerto, em razão dos investimentos de risco da PREVI, a exemplo do novo elefante-branco chamado TREM-BALA, que o governo do PT quer nos enfiar goela abaixo).

sergioinocencio disse...

Marcos,

como ja falei antes, querem que a gente passe o recibo, pq é o que eles precisam para confirmar a transação, estamos doando, eles precisam comprovar a doação.
e até agora em lugar nenhum se leu ou ouviu falar nos valores contabilizados pelo Banco, o que vai acontecer, afinal 7,5 bilhões não são 14 bilhões, e como fica?
sem falar na tal historia de que vao dar muito para uns e muito muito pouco para outros, e na simulação até de forma ilegal, pois quem hj ganha o minimo tera o maximo, e quem esta na média recebera o minimo.

wilson luiz disse...

PARA REFLEXÃO ANTES DA VOTAÇÃO
Em comentários aqui postados, vejo que muitos estão satisfeitos com a "proposta" do Banco: "20% de reajuste com 12 parcelas como primeiro pagamento é ótimo", "vintão tá lôco de bão", etc.
Gente, a conta a ser feita não é esta.
Acredito que a maioria de aposentados e pensionistas recebem, do INSS, por volta de R$ 2.000,00.
-quem recebe R$ 2.000,00 da PREVI, na verdade terá 10% sobre benefício total
-quem recebe R$ 10.000 da PREVI terá 16,7% sobre benefício total
-quanto ao benefício mínimo, ainda está infefinido seu valor:
-se for R$ 1.377,64, o apregoado reajuste de 75% será, na verdade, 21,17% sobre o benefício total; se for R$ 1.657,17(com 20% sobre o valor anterior), o festejado reajuste de 110% representará 31,17% sobre o benefício total.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Diante das suas sempre brilhantes ponderações, a conclusão inevitável é a de que temos, a qualquer custo, tentar sustar, judicialmente, essa votação. A posição de muitos é a de votar NÃO, mas pode ocorrer que, em função do aperto financeiro, muitos colegas, equivocadamente ou mal informados, e em troca das referidas migalhas, venham optar pelo SIM. E aí, adeus Previ, adeus ao nosso sossego financeiro e de nossa família, pelo qual sacrificamos e batalhamos durante toda a nossa vida profissional.

A ação que está sendo promovida pelo Sindicato de Bauru é extremamente importante. Entretanto, diante das ponderações do colega Anônimo das 08:10, não seria o caso de consultarmos os advogados que assessoram a AAPPREVI sobre a oportunidade de entrarmos também com ações individuais? Acho que temos de cercar de todas as maneiras as possibilidades dessa votação vir a se efetivar. Caso se conclua pela adequação dessa ação individual, os associados da AAPPREVI poderiam enviar para essa sede as procurações e o depósito das custas para que os advogados possam dar início às ações em nome de cada associado que assim o desejar.

ELIS disse...

COLEGAS DO BLOG,
Para conhecimento do recado que mandei aos nossos REPRESENTANTES ELEITOS:

“... mais vale um bom acordo do que uma demanda judicial incerta e demorada...”
Inacreditável que VOCÊS, NOSSOS REPRESENTANTES ELEITOS pensem dessa forma. E, pior, ACEITEM E APROVEM UM “ACORDO” QUE LESARÁ, PARA SEMPRE, NOSSO DIREITO EM 65,5% (50% para o bb, 27,5% para o IR e 3% para a Cassi).
Justamente VOCÊS, QUE ELEGEMOS PARA NOS REPRESENTAR, BEM, e que são "cabeças feitas", lúcidos, competentes, bravos e ferrenhos defensores dos NOSSOS DIREITOS JUNTO À PREVI????????
Custa-me crer. Não quero acreditar.
Expresso minha veemente e total DISCORDÂNCIA ao tal “ACORDO”.
ELIS BARBOSA DE OLIVEIRA
APOSENTADO

PS: como o sítio www.eleitosdaprevi.com.br está "sendo reestruturado", mandei pelo e-mail contato@eleitosdaprevi.com.br

Anônimo disse...

- O Estado de S.Paulo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não tem "ambição automática" de concorrer novamente ao Palácio do Planalto, mas pode disputar a eleição de 2014, dependendo do cenário político.
Vamos tomar cuidado!!!!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caro Marco Aurélio.

Tenho publicado todos os seus comentários postados no Blog, quase sempre girando em torno de ações individuais e/ou coletivas com cobranças a AAPPREVI para que as patrocine. Tenho dito insistentemente que a associação mantém-se a postos, e atenta, para a questão. Tanto é que temos prontos estudos para vários tipos de ações, inclusive ADIN, com embasamento jurídico buscado junto aos nossos advogados (do Rio e de Curitiba), além de Bancas não conveniadas.
A AAPPREVI segue criteriosamente os aconselhamentos recebidos e o agendamento está pronto para ajuizamento do que for conveniente e no momento aprazado.
Também não é nosso propósito recorrer aos associados pedindo contribuição para o que quer que seja, inclusive sustentação de ações judiciais. Nossa AAPPREVI segue os preceitos que a norteiam desde a criação e ser diferente, também no tocante ao trato com dinheiro, é um desses preceitos. Por isso primamos por sobreviver com a arrecadação permitida no Estatuto, sem pagar salários aos dirigentes e atendo-nos às despesas absolutamente necessárias para sua manutenção - o restante vai para ações judiciais que contemplem o maior número de associados possível, sem que eles paguem além ds dez reais da mensalidade.
O que não podemos, nem devemos, é divulgar os pareceres jurídicos guardados, sob pena de direcionarmos ao fracasso os nossos intentos na área própria.
Todavia, nada impede que os associados, por sua conta e risco, se aventurem com ações individuais se não confiarem na atuação da Associação.
Também, reputo contraproducente associados insistirem em criticar a Associação pela ausência de ingresso com ações que visem beneficiar um universo de aposentados e pensionistas alheios aos nossos quadros, agindo irresponsavelmente com incursões na área judicial do âmbito federal, em momentos não recomendáveis e com atitudes meramente especulativas. Para isto existe a Federação, os Sindicatos, a OAB e outros órgãos.
Peço-lhe desculpas por não direcionar-lhe essas explicações particularmente, mas, como seus comentários não se limitam a essa esfera, considero necessário prestar esclarecimentos públicos do mesmo modo como nos chegam os questionamentos.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade

Anônimo disse...

Meu voto é NÃO.
CHEGA DE CANALHICES !!!

Anônimo disse...

E a estória se repete:

modus operandi designa a maneira de realizar determinada tarefa segundo um padrão pré-estabelecido que dita as maneiras de como agir em determinados processos.


O canto da sereia ecoa no universo BB/Previ; o tilintar das moedas, inebria;


O conto do bilhete premiado,está em andamento.

(Um estelionatário se aproveita da cobiça do outro, que se julga esperto, e, fingindo uma ingenuidade bastante conveniente no momento, oferece um bilhete de loteria supostamente premiado porque não tem condições de receber o galardão. O pretenso esperto imediatamente se aproveita da aparente ignorância do coitadinho que tem o bilhete premiado, e o compra por uma quantia bem menor, e quando vai receber o prêmio, Tentou se aproveitar da ingenuidade do outro e agora morre de vergonha por ter caído num golpe tão antigo).

Da forma que o acôrdo foi proposto, certamente vai se atirar no que se vê e acertar no que não se vê.

Depois não adianta chorar o leite derramado.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Obrigado pelas explicações.
É que, às vezes, bate um tremendo desespero diante da iminência de acontecer algum desastre com a nossa Previ por conta desse malfadado acordo com o BB. E aí, todas as idéias sugeridas pelos colegas que frequentam este blog, a gente quer analisar e sugerir. Boas idéias, por sinal. Entretanto, pelo que você explicou, todos os ângulos da questão no âmbito judicial já estão sendo estudados e podem, oportunamente, ser utilizados. Diante, então, de suas ponderações, resta-nos só aguardar os acontecimentos, não esquecendo de colocar o nosso NÃO na referida pesquisa.

Finalmente, quero lembrar novamente aos colegas que se encontram afoitos em dizer SIM ao referido acordo que o Banco é uma instituição financeira e não depende, portanto, de superavits da nossa Previ para sobreviver. Agora, nós, os aposentados/pensionistas, em sua grande maioria, dependem, fundamentalmente, dos complementos para uma sobrevivência digna para nossas famílias. Temos em mãos uma galinha dos ovos de ouro. Não podemos permitir que ela venha a ser sacrificada para matar a fome de quem não está necessitando de alimento. Vamos defendê-la com unhas e dentes.

onival c.araujo disse...

Marcos Cordeiro,

Meu voto será NÃO. Porém quem me garante que o meu NÃO não poderá ser transformado em sim. Se lembram do Antonio Carlos Magalhães mexendo no painel de controle de votação, no Senado??
Além de que o pessoal da ativa ainda poderá sofrer perseguição ou então receberão uma enxurrada de propagandas ardilosas de grande poder de convencimento para votarem o "sim".
Porque dois representantes do governo não assinaram o memorando??
Porque os nossos representantes na referida negociação fizeram um pacto de nada falarem enquanto durasse a negociação?? Haveria necessidade de pacto de silêncio?? O que será que não deveríamos saber??
Não são pessoas adultas,altamente preparadas e de juízo e mentes sãs?? e que respondem pelos seus atos?? ou seriam crianças brincando de fazer pacto??
O porquê de se vincular o nosso "sim" na alteração do estatuto da Previ?? E o que é que irão alterar no estatuto que depende do nosso "sim" antecipadamente. O que os impede de nos dizerem o que estão querendo modificar para aí sim colocarmos o "sim". Será que pensam que sou tão ingênuo assim??
O superávit não terá que ser distribuído através de benefícios após 03 anos de superávits contínuos??
Qual o papel da CONTRAF/CUT na dita negociação??
O Banco/Previ nos enfia goela abaixo, truculentamente, em tom de ameaça que tudo o que se fizer a nosso favor deverá ter o nosso "sim", quando simplesmente o que se está fazendo é apenas uma obrigação deles e um direito nosso. Direito do recebimento do que é nosso por lei e estatutariamente dizendo.

Onival Celestino de Araujo
Campo Grande (ms).

Anônimo disse...

Ao Onival Celestino Araújo

Data venia, vou pegar um gancho nos seus comentários, onde você diz: "O superávit não terá que ser distribuído através de benefícios após 03 anos de superávits contínuos??"
Sim, Onival, se você teve a oportunidade de ver e ouvir nossos diretores no Sindicato em São Paulo,certamente você ouviu o Sasseron dizer: Se aprovado permanece o acordado, se não, o órgão regulador a Previc, destina 50% para o Banco e 50% para a revisão do plano, sem negociações. Ora, o que é melhor: pegarmos agora ou sabe-se lá quando, a mesma coisa ou pior???
Vamos Ler a LC 109 e a Resolução 26.

mesquitasantana disse...

Quando o Banco contaliza "valores a receber" e em contra partida uma conta de resultado, o seu balanço consequentemente apresentará um aumento de Receita equivalente. Embora esses valores não tenham sido ainda retirados dos cofres da PREVI, essa operação Já proporcionou aumento do Lucro líquido do Banco e por consequência, entre outras coisas, são distribuidos dividendos aos acionistas.
Por diversos motivos, tal procedimento nos causa preocupação, senão vejamos:

a) O Banco precisa desse dividendo para atender o superavit primário de seu principal acionista, o Governo Federal;

b) O Banco é Reu em diversas ações por conta de contratos não cumpridos e cujos autores são Participantes e/ou assisidos do Plano 1 e assim como já procedeu em passsado recente, retira recursos da Previ para quitar tais dívidas através da própria PREVI;
No caso mencionado na letra "a" se trata de um desvirtuamento inadmissível, pois retira patrimônio do trabalhador para entregá-lo ao Capitalista (aacionista do Banco). no segundo caso, letra "b" se trata de um artifício para usar patrimônio alheio para fazer face a prováveis compromissos.
Por todos os motivos repudiamos tais métodos ilicitos utilizados e para prevenir devemos dizer

"NÃO"

Anônimo disse...

Colegas,

A PREVI TEM OBRIGAÇÃO DE EFETUAR A DISTRIBUIÇÃO DO SUPERÁVIT ATÉ 31/12/2010, TEMOS TRES ANOS CONSECUTIVOS COM SUPERÁVIT.

OS ELEITOS DA PREVI, SÃO FANTOCHES, FAZEM O QUE O BB MANDA, AGORA ESTÃO MANDANDO EMAILS, INDUZINDO-NOS À VOTAR SIM, COMO SE ELES MERECESSEM ALGUMA CONSIDERAÇÃO DE NOSSA PARTE, QUANDO PEDIMOS UM AUMENTO SIGNIFICATIVO DE ES COM PRAZO LONGO PARA PAGTO., NOS DERAM O MÍNIMO POSSÍVEL COM O MÍNIMO DE PRAZO. AGORA QUEREM NOSSA DECLARAÇÃO DE BURRICE, ASSINANDO COM O VOTO SIM A CONCORDÂNCIA DE QUE O BANCO COM O NOSSO CONSENTIMENTO MEDIANTE O RESULTADO DO PLEBISCITO FIQUE COM METADE DO NOSSO SUPERÁVIT PARA SEMPRE.

QUEM TEM ALÇADA PARA SACRAMENTAR ESSE ACORDO É O CONSELHO DELIBERATIVO, AGORA QUEREM O NOSSO CONSENTIMENTO, NUM ACORDO QUE NÃO APROVOU NADA DO QUE PLEITEAMOS, ORA QUE PALHAÇADA É ESSA.

POUPANÇA PARA O PESSOAL DA ATIVA, PARA CONSEGUIREM APROVAÇÃO NA MARRA
DESSA ABERRAÇÂO DE ACORDO.

VAMOS TODOS VOTAR N Ã O!

Anônimo disse...

O comentário do MESQUITASANTANA
(14:35) nos leva à seguinte reflexão:

O Banco responde ou já respondeu por várias dezenas (ou centenas) de ações trabalhistas por este Brasil afora, principalmente depois de implantados os PDVs. Acredito que na quase totalidade delas foi condenado a pagar uma boa grana. Não será por isso que o banco está tão sedento pelo superávit?
Só que a grana que ele levará no acordo, supre em muitas vezes o que ele já foi ou será condenado à pagar.

Anônimo disse...

Colega anonimo 5 de dezembro de 2010 14:25,


O SASSERON diz o que o Banco e a PREVI mandam ele dizer, depois diz o que a CONTRAF-CUT gostaria que ele dissesse, resumindo nunca vamos saber o que ele pensa, ou melhor, a única coisa que todos nós sabemos que ele realmente pensa é: - quanto vou ganhar com isto?

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Seria conveniente que a PREVI estampasse um aviso no contracheque de dezembro/2010:

Este benefício é passível de extinção. Por causa dos representantes que traíram sua confiança, o dinheiro guardado para o pagamento corre sério risco de desaparecer se o SIM ganhar.

Guarde os nomes dos traidores e o das entidades que eles colocaram a serviço do BB:

CONTRAF-CUT – Eduardo Araujo de Sousa
ANABB – Valmir Marques Camilo
AAFBB – Loreni Senger Correa
FAABB – Isa Musa de Noronha
PREVI – José Ricardo Sasseron, Vitor Paulo Camargo Gonçalves e Paulo Assunção de Sousa.

Consultem o CANAEL e vejam o que eles fazem na vida além de trair os participantes do PB1.

langoni disse...

Prezado Marcos e participantes do blog,

1) O único documento que reconhece direito de reversão de valores ao Banco, a res. 26, está com seus efeitos sobrestados, conforme sentença de 10/12/2008:

O Sindicato dos Bancários de Brasília conseguiu liminar suspendendo os efeitos da Resolução CGPC 26 sobre os planos de previdência ao qual participem os trabalhadores filiados àquela entidade.

Recorreu a Instância superior e teve seu pedido aceito pelo Desembargador Federal Souza Prudente, que suspendeu os efeitos da Resolução 26 até a análise de sua legitimidade .

O Desembargador mandou citar o presidente do CGPC, Ministro da Previdência Social José Pimentel, para que cumpra a decisão judicial, sobrestando "a eficácia da decisão da Resolução nº 26, de 29/09/2008 (...) até o pronunciamento definitivo da Turma julgadora". A sentença é de 10 de dezembro de 2008.

2) O acordo firmado entre o Banco e as entidades representativas dos funcionários, denominado Memorando de Entendimentos, não faz nenhuma referência à citada Resolução 26. Não faz referência a valores expressos em reais e sim a percentuais, sem maiores explicações. A referência ao acordo firmado em 24/12/1997 entre a Previ e Banco, acredito, mereça questionamentos.

3) No site da Previ, em perguntas e respostas:

O Banco do Brasil se beneficia do superávit?

Os recursos do superávit terão sua destinação em conformidade com o que determina a Resolução nº 26 do Conselho de Gestão da Previdência Complementar, órgão responsável pela regulação do setor. Assim, o mesmo valor utilizado em prol dos participantes, ou seja, aproximadamente R$ 7,5 bilhões, será destinado ao Banco do Brasil, parte para fazer frente à suspensão das contribuições por três anos e parte será contabilizada mensalmente em uma conta específica a ser aberta pela PREVI, cujos recursos poderão ser utilizados pelo Banco para cobrir, por exemplo, compromissos que ele tenha com o Plano 1, com o grupo pré-1967, ou outras finalidades. Não há transferência imediata de recursos para o Banco do Brasil. Os recursos a ele destinados, em conformidade com a legislação, permanecem na PREVI, contabilizados em conta específica.

Se efetivamente a Res. 26 está com seus efeitos suspensos, como se admitir a explicação da Previ?

Contestado judicialmente, tal Memorando de Entendimentos, não subsiste.

A consulta que se pretende fazer, legalmente, não teria nenhum valor, visto não existir no estatuto da Previ tal previsão.

A Previ administra recursos de terceiros, direitos individuais, que não podem por consulta coletiva, reduzi-los. Individualmente, ninguém é obrigado a concordar em fazer essa doação ao Banco.

Abraços/Langoni

Carlão/Joinville disse...

Parabens ao Sindicato dos Bancários de Bauru pela iniciativa.
Tomara que seja exemplo para outras entidades representativas.
Somente assim seremos respeitados. Se aqueles calhordas tivessem certeza de que estão agindo legalmente, não estariam patrocinando esse circo que é a votação. E ainda tem gente no nosso meio que encontra argumentos favoraveis ao voto SIM.

Anônimo disse...

Marcos, esses traidores ficarão marcados pelo resto da vida. Jamais votaremos neles. Mas por outro lado estarão com os boslsos cheinhos. Safados, quero que sejam queimados no FOGO DO INFERNO.Eles que não se esqueçam que lá em cima terão o ultimo julgamento!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Eleitos doam ao Banco metade do superavit da PREVI

“Caros associados,

Nós, dirigentes da PREVI eleitos pelos associados, em conjunto com algumas das mais importantes entidades representativas do funcionalismo, negociamos com o Banco do Brasil e o governo um acordo para destinação do superávit que garante R$ 7,5 bilhões para todos os associados da ativa, aposentados e pensionistas
Pelo acordo, metade do superávit disponível para destinação, a chamada reserva especial, será contabilizada a favor dos associados, e metade a favor do banco.”

Pergunta do Blog Previ Plano 1:

O que tem o Governo que se meter?

bigsaranha disse...

4 QUARTOS ou 1 QUARTO


João,aposentado,adquiriu junto a uma Construtora um imóvel de 4 QUARTOS na planta.Zeloso na leitura das leis, pois sempre foi fiel cumpridor das mesmas, considerou tudo nos conformes e efetuou todos os pagamentos. Na entrega das chaves o preposto da Construtora disse-lhe que os patrões BAIXARAM UMA RESOLUÇÃO determinando que os imóveis a serem entregues eram de 1 QUARTO APENAS.

João ficou num impasse:
4 QUARTOS ou 1 QUARTO? Sim ou Não?

João,aposentado PB1, zeloso na leitura e no cumprimento das leis, buscou no Relatório Anual da Previ, especificamente na rubrica Reserva Especial para Revisão do Plano, o que as referidas leis assim o determinavam: 29 bilhões de reais. Quando da destinação dos valores, João foi informado que o valor a ser distribuido era sómente de 7,5 bilhões de reais.

JOÃO FICOU NUM IMPASSE:

4 QUARTOS ou 1 QUARTO?

SIM ou NÃO?

ATENTAI, POVO PB1!!!!!

Russel Furtado dos Santos
Belo Horizonte

Anônimo disse...

Colegas
Quem tiver intimidade com o assunto, faça uma analise da situação do processo do Sindicato de Brasila:
Proc. 200834000340813 - Mandado de segurança
Liminar indeferida em 20/11/2008
Merito improcedente em 19/10/2009
Recurso ao TRF1 em 18/05/2010
Encontra-se na Sexta Turma
==================================
Proc. 200801000678674 - Ag.Inst.
Recurso decisão de 20/11/2008 da Seção Judic. do Distrito Federal
17/12/2008 TRF1 deferiu o pedido de antecipação de tutela.
==================================
AgRg2009/00699087 - STJ - Recurso da União pela suspensão da liminar.Negado - Acórdão de 29/10/2009
==================================
Após o Julgamento do STJ, em 24/06/2010 o TRF1 negou seguimento ao Agravo de Instrumento.

Agumas considerações:
O exame do mérito prossegue, está no TRF1, na Sexta Turma:
A antecipação de tutela está valendo ou não? O Julgamento foi feito em instancia superior.

Carlão/Joinville disse...

RESPOSTA à ANABB SOBRE CORRESPONDENCIA RECEBIDA, NOTICIANDO A VOTAÇÃO DO TAL SUPERAVIT:

Apenas para informar, primeiro, que não concordo com a atuação de nossos
"representantes" no processo de destinação do superavit, que a meu ver, e
segundo determinação legal, deve ser destinado aos aposentados e
pensionistas (que eu saiba, o bb não é nem aposentado e tampouco
pensionista).
Por ultimo, lamento a atuação da ANABB nesse episodio, que de forma
vergonhosa dobrou-se à vontade do bb, esquecendo-se o lado que estava
"representando".
Lamentável sob todos os aspectos. Puro oportunismo.
Finalizando, continuo aguardando explicações sobre a atuação da ANABB
nesse episodio, conforme correspondencia encaminhada há algums dias atras.

Carlos Roberto Magna

Anônimo disse...

Colegas,

Por que será que os "pelegos" (eles adoravam este termo) da CONTRAF-CUT não entram como uma ADIN contra a resolução 26?

Se fosse no governo do FHC, eles estariam pegando em armas se acontecesse este roubo, mas agora que fazem parte da gangue, está tudo certo.

Anônimo disse...

Srs.

Publiquem a foto deles, para futuras acareações.

Anônimo disse...

VOTAÇÃO DO ÇÇUPERAVET

ENTÃO JÁ QUE É ASSIM........

VOTEMOS NÃO, NÃO, NÃO

ESTÁ FÁCIL É SÓ PEGAR OS BILHÕES E DIVIDIR, LINEARMENTE, POR 121.000 PESSOAS E DEPOIS CREDITAR NAS RESPECTIVAS CONTAS CORRENTE.

ABRAÇO

bigsaranha disse...

ALÔ AAPPREVI e demais seguidores do blog:

No texto em "hieróglifo" do memorando de entendimentos consta:

"....em conformidade com a legislação aplicável..."

Será que por ai, nós vamos atingir o calcanhar do monstro?

É factível o argumento de que o têrmo "legislação aplicável" refere-se únicamente a LEIS que regem a matéria?

É embasamento juridico afirmar que, ao surgir, o termo acima repele toda e qualquer manifestação casuística e oportuna?

Do Houaiss:

RESOLUÇÃO: Meio pelo qual se decide uma dificuldade, um problema...

Russel Furtado dos Santos

Belo Horizonte

Anônimo disse...

A cronologia da luta contra a GPC 26:

24.10.08 - Mandado de Segurança do Sindicato argumenta que a devolução de valores superavitários às patrocinadoras nos planos de previdência não está prevista na legislação, sendo, assim, ilegal a introdução da Resolução CGPC 26.

20.11.08 - Liminar indeferida.

17.12.08 – Sindicato recorre do indeferimento. Tribunal Regional da Primeira Região reformou a decisão e defere a liminar (2008.01.00.067867-4).

19.10.09 - Sentença proferida nos autos principais julgou improcedente o mandado de segurança.

10.11.09 – Sindicato interpõe recurso de apelação da sentença.

18.05.10 - Processo principal (2008.34.00.034081-3) foi remetido ao Tribunal para julgamento da nossa apelação.

24.06.10 - Em virtude da sentença proferida nos autos principais, foi negado seguimento ao agravo de instrumento (2008.01.00.067867-4) onde havia sido deferida a liminar.

bigsaranha disse...

SER OU SER,EIS A QUESTÃO


QUEM atinge os limites do descalabro e as raias da falácia e da arrogância, ao argumentar, junto às Altas Côrtes, que ações individuais e isoladas, de pequenas montas, podem comprometer o equilibrio financeiro de um fundo CENTENAMENTE BILIONÁRIO;

É O MESMO

QUEM se refestelará, se esbaldará, se locupletará e se regozigerá até o CLÍMAX, se PUDER brandir aos ventos um plebiscito favorável.

ATENTAI, POVO PB1


Russel Furtado dos Santos
Belo Horizonte

Paulo Borges disse...

Caro Marcos e colegas,

Votamos NÃO ! por tudo que levantamos neste blog.
Porém é difícil pelo pouco tempo e alienação dos 50 mil aposentados e pensionistas que NADA SABEM do que se passa no PB1 !!(infelizmente!).

Só vejo a solução do Mandado de Segurança, impedindo tal plebiscito, por inócuo aos assistidos e participantes, visto só tentarem beneficiar o BB "ad eternum" com METADE do nosso dinheiro PARA TODO O SEMPRE...
consultemos nossos jurídicos e vamos tentar barrar tal prebiscito, enquanto há tempo!!

nossos 20% estão garantidos!
Já os 50% do BB vamos barrar na JUSTIÇA!

Anônimo disse...

Colegas,

Tenho conversado com vários clientes do bb, clientes antigos, do meu tempo de banco do brasil.
Após tomarem conhecimento do que se passa com a Previ, ficam estarrecidos com as atitudes que o bb vem implementando acobertado pelo governo de plantão.
Ficam pasmos com os suspeitos criminosos de colarinho branco, que hoje dirigem o banco do brasil.
Não conseguem entender como um banco que representa a Nação Brasileira age com seus antigos funcionários, tomando-lhes ilegalmente o que é protegido por Lei.
A informação está se alastrando e pondo em dúvida a honestidade do banco do brasil, de hoje.
Os órgãos internacionais estão vendo o acordo como mais uma FALCATRUA NEGOCIAL/CONTÁBIL e a disposição conivente da Previ com o bb e órgãos do governo brasileiro, em franca atitude prejudicial aos idosos que compõe o Plano de Previdência dos Funcionário do Banco do Brasil-(dos funcionários e não do banco do brasil).
As informações via Google estão correndo o mundo e colocando em cheque a lisura do banco do brasil perante o mercado financeiro internacional.
Quem prejudica IDOSOS prejudica clientes!
Apodrece a direção do banco do brasil perante o Acordo de Basiléia e a SEC americana.

Anônimo disse...

Marcos,

Foram eles que calaram o Rossi com ameaças de processo?

Anônimo disse...

Processo: 2008.01.00.067867-4
Nova Numeração: 0067757-65.2008.4.01.0000
Grupo: AI - AGRAVO DE INSTRUMENTO
Assunto: Seguro - Espécies de contrato - Obrigações - Direito Civil e outras matérias do Direito Privado
Autuado em: 09/12/2008
Órgão Julgador: SEXTA TURMA
Juiz Relator: DESEMBARGADOR FEDERAL CARLOS MOREIRA ALVES
Processo Originário: 2008.34.00.034081-3/DF
Nº de folhas dos autos:


Histórico de Distribuição
07/05/2009 REDISTRIBUIÇÃO POR TRANSFERÊNCIA DESEMBARGADOR FEDERAL CARLOS MOREIRA ALVES
09/12/2008 DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DESEMBARGADOR FEDERAL SOUZA PRUDENTE


Partes

Tipo Ent OAB Nome Caract.
SINDICADO DO EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS BANCARIOS DE BRASILIA
ADVOGADO DF00022531 GLAUCIA ALVES DA COSTA E OUTROS(AS)
19 UNIAO FEDERAL
PROCURADOR DF00026645 MANUEL DE MEDEIROS DANTAS


Movimentação

Data Fase Descrição Complemento
19/08/2010 17:59:00 60100 BAIXA DEFINITIVA A PARA ORIGEM. GRPJ n. 20100000020641
19/08/2010 17:28:00 90200 DECURSO DE PRAZO PARA RECURSO EM 12/07/2010
27/07/2010 17:48:33 180200 PETIÇÃO JUNTADA nr. 2455372 PETIÇÃO
23/07/2010 11:09:00 130220 PROCESSO DEVOLVIDO PELA ADVOCACIA GERAL DA UNIAO NO(A) SEXTA TURMA
20/07/2010 14:35:00 250450 PROCESSO RETIRADO PELA AGU PARA AGU, EM 20 DE JULHO DE 2010
13/07/2010 11:38:00 130270 PROCESSO DEVOLVIDO PELO ADVOGADO NO(A) SEXTA TURMA
02/07/2010 15:28:06 250250 PROCESSO RETIRADO PELO ADVOGADO JOSE EYMARD LOGUERCIO - CARGA
02/07/2010 14:14:00 111200 DECISÃO/DESPACHO PUBLICADO NO e-DJF1 . (TERMINATIVO)
30/06/2010 17:17:00 111180 DESPACHO REMETIDO PARA PUBLICAÇÃO NO e-DJF1 DO DIA 02/07/2010. Destino: DIPOD 7/J
24/06/2010 15:32:00 221100 PROCESSO RECEBIDO NO(A) SEXTA TURMA, COM DECISÃO NEGANDO SEGUIMENTO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO.

Anônimo disse...

Entre tantas coisas estranhas nestes últimos dias eu queria, sinceramente, uma explicação:

- voltemos um pouco somente no tempo. Quando estavam em negociação, antes da assinatura do acordo, eu e mais uma minoria (que nem chegou ao número de dedos de uma mão) postemos aqui a nossa preocupação com o futuro da PREVI caso fossem atendidas todas as sugestões dos demais leitores que neste blog postavam (exemplo: 25% de aumento, 360/360, 60% para 80%, 20% de aumento sobre o INSS também, 50% em cash para o BB, etc etc).

- a grande maioria que postara isto defendia seus argumentos com unhas e dentes

- agora que não foram atendidos na plenitude de seus pedidos é que começaram a se preocupar com a PREVI? Estranho não.

- quer dizer que se no acordo dessem 50% de aumento geral tudo bem. A PREVI que se vire. A PREVI é forte (aliás o que muita gente já disse aqui)

Como dizia naquele programa humorística na TV: "EU SÓ QUERIA ENTENDER, SÓ ISTO".

Por favor me expliquem tamanha mudança de opinião.

Rubem Tiné disse...

Acredito que seja o contrário: O Banco pode fabricar superávit inexistente, para levar seus 50%. deficit, não lhe é favorável, vai ter que dividir conosco, conforme a famigerada resolução 26. Temos que ficar de olhos bens abertos nos balancetes e quem sabe, se possível, contratar autitorias independentes externas.

Anônimo disse...

Eu só quero entender...
Acessem o link abaixo e vejam.


http://www.stj.jus.br/webstj/Processo/Justica/detalhe.asp?numreg=200900699087&pv=000000000000

Anônimo disse...

INFPREVI Número 273 - Especial - 3 de dezembro de 2010

REDAÇÃO ORIGINAL: "... Construído com diálogo e maturidade, ele resultou no Memorando que levamos à sua APRECIAÇÃO."

(http://www.previ.com.br/pls/portal/url/page/PREVI_DESENV/MENU_DO_RODAPE/PUBLICACOES/INFPREVI/INFPREVI_PLANO1/INFPREVI_P1_01/)

MAS QUANDO CLICAMOS NO MESMO, O TEXTO MUDA PARA: "...ele resultou no Memorando que levamos à sua APROVAÇÃO."

(http://www.previ.com.br/portal/page?_pageid=57,1684640&_dad=portal&_schema=PORTAL)

POR QUE O TERMO "APRECIAÇÃO" FOI MUDADO PARA "APROVAÇÃO"?

SEGUNDO HOUAISS:

Apreciar: pôr sob exame; considerar, examinar, ponderar

Aprovar: achar bom, justo, acertado, adequado; ser favorável a, concordar com

mesquitasantana disse...

Voto do Medeiros: "NÂO", O José Adrião de Sousa é mesmo como está escrito Entende a verdade e nunca jogou do outro lado também vota "NÂO", por tudo isto será que alguém ainda está em dúvida e com medo de ser feliz?

abraços a todos

Anônimo disse...

PROCESSO TRF1

ALGUÉM TEM O NÚMERO DO RECURSO DE APELAÇÃO INTERPOSTO PELO SINDICATO????

A informação postada pelo anônimo acima é referente a liminar que fora concedida pelo desembargador e já baixou para a 8ª vara federal.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Criatividade

Por Edgardo Amorim Rego

A Constituição Brasileira de 1988, iniciando o Título VIII que organiza a Ordem Social, afirma no Art.193 que esta se baseia no primado do Trabalho e objetiva o Bem Estar e a justiça social. Entendo que ela está dizendo que o Bem Estar se consegue através do Trabalho. O Trabalho é o único instrumento para se alcançar o Bem Estar. Entendo também que a alusão à justiça social indica que todos os trabalhadores devem alcançar o Bem Estar que eles almejam, quando escolhem o seu trabalho e a sua profissão.

Diz também, a meu ver, algo mais, a saber, que ninguém pode ser tão ambicioso no seu objetivo de Bem Estar, que obste os outros de alcança-lo. Isso significa que o Governo tem o dever de supervisionar a distribuição de bens e riqueza, de tal modo que o Bem Estar Geral da Sociedade não seja prejudicado pela ambição exacerbada dos mais poderosos e espertos.

E tudo isto por quê? Porque no mundo de hoje ninguém aceita entrar em convivência social, que não reconheça seus méritos nem lhe proporcione viver em paz e satisfeito.

A seguir, a Constituição trata da Seguridade Social, isto é, ela trata do Bem Estar daqueles que estão incapacitados de trabalhar. E distingue dois tipos de incapacitados: os incapacitados vitaliciamente e os que se tornaram incapacitados em determinado tempo de trabalho.

Aos incapacitados vitaliciamente a Constituição concede a Assistência Social (bolsa família, cesta básica etc) e a possibilidade de se habilitarem a algum tipo de trabalho. Concede a Assistência à Saúde (SUS) a todos que não ganham para pagar o serviço médico.

Já aos trabalhadores, a Constituição lhes concede a Previdência Social. Através da Previdência Social, o trabalhador, com auxílio do Governo, e, se o tiver, do Empregador, compra da Sociedade a sua subsistência, na forma de aposentadoria, caso fique incapacitado de trabalhar por invalidez ou velhice ou tempo de contribuição, e a dos dependentes na forma de pensão, em caso de morte.

Além da aposentadoria e pensão, a Constituição relaciona auxílio maternidade, auxílio desemprego, salário família e auxílio reclusão para dependentes dos segurados de baixa renda.

O Ministério da Previdência Social relaciona os seguintes benefícios: aposentadoria por invalidez, idade e tempo de contribuição; pensão; auxílio acidente, auxílio doença, auxílio reclusão; salário família e salário maternidade.

Como se vê, o benefício previdenciário é uma quantia de dinheiro concedida pela Previdência Social a quem deixou de trabalhar, temporária ou definitivamente. Só existem duas exceções: o salário família e o auxílio reclusão, que não se destinam ao trabalhador propriamente dito, mas aos dependentes.

Esse é o motivo por que estranho essa concessão de uma parcela do superavit para os atuais participantes da PREVI. A meu ver, está-se inovando. Está-se concedendo dinheiro (um valor monetário), um benefício previdenciário, portanto, uma espécie de caderneta de poupança, a quem está trabalhando, a quem deve ainda estar comprando o benefício, a quem não se habilitou a recebe-lo por doença, velhice ou tempo de contribuição. Que é benefício previdenciário, isso parece-me que é, porque é um valor financeiro, um bem financeiro, com destinatário determinado e identificado, um participante da PREVI. A Lei 109-Art.8º-II diz que “assistido, (é) o participante... em gozo de benefício de prestação continuada.” E o Participante está recebendo esse benefício em prestação continuada, exatamente como todos os atuais assistidos. Só existe uma diferença: é uma caderneta de poupança.

É isso. A Vida é transformação. É criatividade.
Edgardo Amorim Rego

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
Como sempre, muito inteligentes, interessantes e oportunas as colocações do colega Edgardo Amorim Rego.
Diante dessas explicações, vem aquela pergunta:
Se os colegas da ativa já vão receber por um benefício pelo qual não estão pagando e pelo qual nós, aposentados/pensionistas, pagamos durante toda a nossa vida laboral, então, não seria justo que nós, aposentados/pensionistas tenhamos devolvidas as nossas contribuições de toda uma vida de trabalho com juros e correção monetária?
Quero deixar bem claro que nada tenho contra os colegas da ativa, apenas acho que nós, que contribuimos por tantos anos, não podemos ser prejudicados na hora de "cortar o bolo" do superavit.

Anônimo disse...

Colegas,

Leiam no site do terra sobre a decisão do jogador francês Eric Cantona.
Deve ser feito aqui no Brasil com o banco do brasil.
Transfiram seus dinheiros para Cx Federal, todos os dias 20.

Anônimo disse...

Já decidi minha posição sobre a consulta superavit. Simplesmente não voto em nada. Ignoro uma negociação feita por representantes que não escolhi, com itens que não concordo, baseados numa resolução espúria. Me nego a participar dessa farsa. Se nós aposentados somos maioria, como ficaria se não participamos desse teatro ? Não pretendo dar legitimidade a esses negociadores. Sem contar que não tenho nem a garantia que meu voto seria computado corretamente. Pensem nisso...

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

Se o acordo for aprovado nos termos em que se encontra estarão consumados estragos irreparáveis provocados pela traição da FAABB. A solução é votar NÃO!

Consulta feita aos nossos advogados gerou desvanecedora resposta. A Federação valeu-se da nossa boa fé para fazer um acordo espúrio. Em hipótese alguma poderia ter assinado a doação:

“Prezado Sr. Marcos,

Os aposentados foram representados pela FAAB, uma vez que representados
concordaram com os termos do acordo, agora não seria o caso de um recuo. A
concessão de liminar se dá para a possibilidade de um dano irreparável, o
que aqui não se aplica, pois houve uma legitimidade dos aposentados e
pensionistas.

Além disso, não temos tempo hábil para nos municiarmos de farta documentação
para o seu deferimento.

Att.

Vânia Alencar”

ESCRITÓRIO SYLVIO MANHÃES BARRETO
Rua da Quitanda, 19 salas 709/710
Centro - Rio de Janeiro / RJ - CEP 20.011-030

Anônimo disse...

Sr. Marcos,

Se a FAABB nos traíu, temos razões de sobra para desfiliação daquela Federação.
Smj, para os que defendem a Sra. Isa.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Superávit do Plano 1Chat com a Diretoria Executiva sobre o superávit do Plano 1
Nesta terça-feira, dia 7, das 18h às 19h, a Diretoria Executiva da PREVI responderá as perguntas dos participantes sobre o superávit via chat.

Mais detalhes no site PREVI.

Anônimo disse...

Colegas,


O banco do brasil praticou FRAUDE FINANCEIRA, que nos USA dá Processo e CADEIA.

Anônimo disse...

Colegas,

Considerando os princípios da SEC Americana e o Acordo de Basiléia o banco do brasil está praticando ESTELIONATO COM OS IDOSOS DE ATÉ 104 anos de idade e seus 21.000 funcionários aposentados, mais antigos, mais ainda, outros milhares de participantes, tirando do Plano de Previdência valores para cobrir sua irrisória performace negocial.

Anônimo disse...

SE TODOS ESTAMOS JUNTOS PELO NÃO ; PORQUE NÃO SE DESFILIAM DE ANABBs; e OUTRAS ASSOCIAÇÕES QUE NÃO ESTÃO A FAVOR DO NÃO; ESTA GENTE É TUDO PELEGO; OU ACHAM QUE O BB E A PREVI ESTÃO CERTAS;
TODO MUNDO SABE ; ALGUÉM NO PASSADO FALOU QUE :
" QUEM NÃO ESTA COMIGO ; ESTÁ CONTRA MIM "; SABEM QUEM FOI ; DEVERIAM SABER; SE NÃO SABEM DESCUBRAM; FOI A PESSOA MAIS IMPORTANTE QUE JÁ BOTOU O PÉ NA TERRA. ACORDEM ; VAMOS ALIMENTAR ESTES CANALHAS NOS ASSOCIANDO; ELES TAMBEM DEVEM ESTAR ACHANDO QUE VÃO OU IRÃO LEVAR A PARTE DELES. COMO TODOS OS QUE VOTAREM NO SIM. DEVEM COM CERTEZA TEREM, INTERESSES ESCUSOS POR TRÁS. VAMOS CANCELAR; OU VÃO FICAR SUPONDO QUE A PREVI OU O BB
SÃO BONZINHOS. ELES SÃO DRAGÕES QUE QUEREM COM CERTEZA O NOSSO SANGUE. VAMOS DE NÃO PARA CIMA DELES E NÃO TEMOS OUTRA ALTERNATIVA. OU QUEREM ACREDITAR; EM ANABBs. BB. PREVI . TUDO MORDE EM CIMA DO BANCO; E PIOR NÃO REPARTEM CONOSCO. NÓS SOMENTE PAGAMOS E SOMOS OS OTÁRIOS DA VEZ. PAU NELES; É A ÚNICA ALTERNATIVA; E QUE PAU NÓS TEMOS; É O VOTO
" NÃO ". NÃO HÁ OUTRA ALTERNATIVA. MEU NOME NÃO ANÔNIMO. HELENO PINTO NOBRE ; MATRÍCULA 3.984.740-3; QUEREM MAIS; NÃO ME ESCONDO. VAMOS A GUERRA; SENÃO NEM A MERRECA QUE NOS DARÃO EM 60 MESES; O DO BANCO É IMEDIATO . 7.5 BILHOES QUE TROCA !. PARA NÓS UMA MERRECA EM 60 VEZES;. PARA O BANCO 7.5 BILHOES IMEDIATOS; SEM SER LEGAL É NA MÃO GRANDE. DECIDAM .

Anônimo disse...

À PREVI,

Aproveitem a campanha do Laço Branco, convençam o banco do brasil e parem com a violência contra as pensionistas e os participantes do PB1.
Ou é tudo MENTIRA!?

Anônimo disse...

Marcos, sobre o escritório de adv. que vc consultou:
1- se não há tempo hábil para recolher a farta documentação é porque a Previ impôs uma votação a toque de caixa. Nenhum estudo seria mais inconsistente que essa proposta vaga, omissa, cheia de armadilhas! a única coisa clara ali é que foi redigida por canalhas!
Não dá pra ser perfeccionista em meio ao caos...
2 - ok, a Faabb assinou.. mas ela representa que percentual dos aposentados?
É cedo para falar em assinatura de doação. Neste aspecto, para nossa sorte, o acordo não é claro.
Acho que ainda temos muito trabalho pela frente, não podemos é desistir.

Rubem Tiné disse...

Essa estória de que tem três superávit consecutivos e mesmo que o não vença a Previ tem que distribuir nossa parte é conversa para boi dormir, já vi este filme antes, lembram de 2008? A Anabb rodou o Brasil com várias propostas, pôs em votação etc,etc, e o que aconteceu? Veio a crise fabricada nos States, e apesar dos três superávits, não saiu nada! Se a proposta for derrotada, tudo volta a estaca zero, se a Previc depois de uns seis meses, mandar pagar, o Banco entra na justiça de Gilmar Mendes e consegue uma liminar suspendendo. Sim ou Não? Eis a questão?

Anônimo disse...

A pilantra(ex diretora) ja esta falando de credito para (ainda) em 2010......Sera que ela (ainda)pensa
que nos engana?????????

Anônimo disse...

Realmente, agora que acordamos? A FAABB traiu covardemente todos que neste blog confiaram na D. Isa.E ainda tiveram aqueles que a elejeram "Nossa Musa".
Senão, como assinar um acordo desses: 20% sobre complemento ? Ainda querem aprovação? Claro, estão comprando os funcis da ativa.
Então não sabemos que D. Isa é capacho da Anabb? O que estamos fazendo que até hoje não nos desfiliamos dessa tralha de associação. Chegou a hora gente ! Tem que ser agora ou nunca! Saiamos já, desta Anabb de traidores, composta por esta gangue, antes que vá tudo pr'o brejo. Aos poucos ela já colocou suas patas na Cassi e está colocando há muito tempo na Previ.
Fora Anabb!Fora Valmy Camilo! Fora D. Isa Musa! Nossa revolta tem razão de existir. Cambada de incompetentes. Aproveitadores. Irresponsáveis.Espero que não durmam em paz com esta vergonha de acordo.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

É, colegas,
Pelo menos isso aí vai servir como lição de vida para os nossos netos, quando, futuramente, talvez lá pelo ano de 2.030, contarmos para eles a triste história do fim da Previ:

"Meu filho, você não vai acreditar. Você vê, hoje, o seu avô nesta situação de penúria, passando as piores necessidades. No entanto, eu e meus colegas de Banco aposentados, já fomos donos do maior fundo de pensão da América Latina, a Previ, que já não existe mais. Você não faz idéia. Coisa de bilhões de dólares.
Quero dizer, fomos donos, mas não soubemos administrar. Colocamos ali, para nos representar nesse fundo, pessoas totalmente desprovidas de princípios morais, lobos em pele de cordeiro. Esses traidores desviaram todo o nosso patrimônio para aquele que é, hoje, com a ajuda desse desvio, uma das grandes multinacionais do sistema financeiro mundial, o Banco do Brasil. O Banco que, inclusive, já não pertence aos brasileiros, foi vendido para os americanos a troco de bananas.

Portanto, que isso lhe sirva de lição. Muito cuidado quando tiver que escolher alguma pessoa para representá-lo em qualquer assunto, principalmente em entidades que administrem as suas aplicações em previdência complementar, pois, quando estão dando certo, cresce muito o olho das pessoas e do governo sobre o seu patrimônio.

Não cometa a burrice que seu avô cometeu. Essa orientação é a única herança que posso lhe deixar, pois nada mais tenho, tudo me roubaram."

Anônimo disse...

Marcos Cordeiro,
Naturalmente após analise da conveniencia de publicar, estou lhe mandando cópia de resposta ao e-mail que recebi do colega ANTONIO CARVALHO, daqui da Bahia, tentando me convencer a votar no 'SIM", eis a integra do mesmo:Res: SUPERAVIT - SIM OU NÃO?
...
De: Luiz Edmundo Baptista Camara
...
Exibir contato
Para: anatonio carvalho
________________________________________
Colega CARVALHO,
Tendo em vista que vocè - no seu e-mail - enalteceu a DEMOCRACIA, devo lhe alertar que se aceitarmos a sua sugestão de votar no SIM, daríamos oportunidade ao Banco do Brasil de continuar AFANANDO o nosso BENDITO SUPERÁVIT. e, com isso, nos reservar, para um futuro bem próximo(em lugar do nosso BENEFICIO), apenas um objeto quem tem o nome igual ao seu SOBRENOME, sem a letra "V".

LUIZ EDMUNDO BAPTISTA CAMARA

________________________________________
De: anatonio carvalho
Para: ajccarvalho@bol.com.br
Enviadas: Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2010 23:22:04
Assunto: SUPERAVIT - SIM OU NÃO?
PREZADO COLEGA:

Sei que tenho abusado de você, divulgando informações sobre o SUPERAVIT PREVI.
Porém, muitos colegas têm me animado a continuar nesta missão.
Existia um impasse! A resolução CGPC 26/2008, que regulamentou a lei 109/2001, determina que havendo SUPERAVIT ou DEFICIT nos Fundos de Pensão, os valores serão partilhados entre patrocinador e participantes.
Existem ações na justiça contestando a legalidade da resolução 26, cuja decisão, além de incerta, pode demorar décadas! Após três anos de negociação, um acordo foi firmado, com participação de representantes de várias Entidades, a exemplo da ANABB, AAFBB, FAABB, etc. Agora chegou o momento de nossa participação. Vamos apreciar os critérios de destinação do SUPERAVIT de 2009, já acordado entre o BB e PREVI.
Eu entendo que foi um bom acordo e o meu voto é “SIM”.
Respeitando a sua individualidade, se achar conveniente, por gentileza, responda qual será sua opção na votação que irá ocorrer entre os dias 9 a 15 de dezembro.
Se desejar, repasse ao seu grupo de contatos, retornando-me as respostas.

SUPERAVIT – SIM OU NÃO?

Entre o desejável e o possível,
Existe sempre uma distância.
O nosso ganho é visível,
Não preciso de ganância.
Esta negociação,
Recebo com alegria.
Há sempre o insatisfeito,
Opiniões eu respeito.
E viva a democracia!

A justiça é demorada,
É incerta, Camarada!
Vamos esperar até quando?
Leia e preste atenção,
Mais vale um pássaro na mão,
Do que dois pássaros voando.

Confesso, eu tenho pressa.
Este é o melhor caminho.
Passe logo esta remessa,
Para ajudar o velhinho!

Dinheiro nunca faz mal!
Quero logo a minha cota
Desta verba especial.
Me entregue nota por nota
Para animar o meu NATAL!

Quem ainda vai se aposentar,
Também será beneficiado.
Na conta tipo poupança,
Seu valor é depositado.
E com toda segurança
O crédito será sacado.
É só aguardar o seu dia,
E o momento agendado
Pra sua aposentadoria.

Na próxima negociação,
Olhem com muito carinho
Os pontos de reflexão.
Lembrem-se dos Novos e dos Velhinhos,
E prestem muita atenção.
Façam tudo direitinho
E corrija a distorção.

Valeu a negociação!
Foi bom pra todos nós e pra mim.
Participar é um dever.
Não há tempo a perder.
Vamos logo à votação,
Com muita convicção,
Eu já optei pelo “SIM”.

E VOCÊ O QUE ME DIZ?
Já assumiu uma posição?
Responda em prosa ou verso,
Do seu jeito, se desejar.
Neste tema eu me apresso.
Qual é a sua opção
No momento de votar?


Antonio J. CARVALHO – Salvador - BA

Anônimo disse...

Colegas,

Processo na justiça constestando a Resolução 26, do CGPC. Vejam:


Processo: 2008.34.00.031667-8
Nova Numeração: 31502-93.2008.4.01.3400
Classe: 119 - MANDADO DE SEGURANÇA COLETIVO(2200)
Vara: 13ª VARA FEDERAL
Juiz: GUSTAVO ANDRÉ OLIVEIRA DOS SANTOS
Data de Autuação: 02/10/2008
Distribuição: 2 - DISTRIBUICAO AUTOMATICA (02/10/2008)
Nº de volumes:
Objeto da Petição: 3020108 - INCIDÊNCIA SOBRE PROVENTOS DE PREVIDÊNCIA PRIVADA - IRPF/IMPOSTO DE RENDA DE PESSOA FÍSICA - IMPOSTOS - TRIBUTÁRIO
Observação: REVOGAR PARCIALMENTE RESOLUÇÃO QUE DESAUTORIZOU ENTIDADES DE PREV FECHADA A REVERTEREM VALORES AOS SEUS RESPECTIVOS PATROCINADORES

Anônimo disse...

CADEIA NELES!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
CHAPA 3 FORAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!

Anônimo disse...

Colegas, esses nomes jamais esqueceremos!!!Vão ficar na estória da PREVI!
Se eles tivessem vergonha na cara, brio, pediriam demissão de seus cargos!!!
FORA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Sr. Marcos,

Quanto à possível ação para inibir a realização da consulta aos participantes do Plano 1, dou o parecer a seguir.

Para ingressarmos com ação nesse sentido, precisaríamos apresentar:

1. Fatos
2. Fundamentos
3. Pedidos.

FATOS: Seriam a emiência de concretização do acordo para distribuição do superavit mediante consulta aos participantes do Plano 1.

FUNDAMENTOS: Seriam demonstração de que a consulta estaria sendo realizada em desarcordo com os normativos da PREVI, que a consulta estaria viciada sendo procedimentos espúrios, que os participantes não estar iam devidamente esclarecidos para dar sua opinião e/ou que o resultado da consulta não revelaria os anseios dos participantes.

PEDIDOS: Numa ação tem que ter um pedido principal (EXAME DE MÉRITO). E, pode ter, ou não, um pedido secundário (QUE PODE SER LIMINAR). Uma ação não pode ter apenas um pedido liminar (acessório).

Em vista disso e em razão do tempo exíguo para preparar os FUNDAMENTOS, MEU PARECER É QUE NÃO DEVEMOS INGRESSAR COM AÇÃO PARA INIBIR A CONSULTA.

Não devemos agir precipitadamente.

Fico a sua disposição para dirimir eventuais dúvidas.

Atenciosamente,

JOSÉ TADEU DE ALMEIDA BRITO
Advogado OAB/PR

mesquitasantana disse...

Meus caros colegasmdo Blog,

o blog do Medeiros amanheceu com uma denúnciA GRAVE E CONTINUA COM O VOTO 'NÃO'
lEIAM

abraços a todos

Anônimo disse...

Colegas, assistindo os videos na pagina do sindicato dos bancarios pude constatar que não foi feita nenhuma pergunta sobre as pensionistas.Que horror, foram mais perguntas relacionadas com os funcionarios da ativa.Sasseron prometeu que em janeiro retornará as negociações, será verdade? Vamos gravar antes que tirem do yootube.Meu voto será NÂO

Blog do Ed disse...

Marcos

Você não imagina o bem que me fez essa explicação simples, clara e direta do advogado José Tadeu. Precisamos agir sempre orientados pela luz da RAZÃO!...

Anônimo disse...

PARA QUEM PERDEU...

Diretores eleitos Ricardo Sasseron e Paulo Assunção participaram ao vivo do programa Momento Bancário em Debate do dia 2

Assista à íntegra do programa

http://www.spbancarios.com.br/noticia.asp?c=15873

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
Vejam só a importância da nossa concordância para o sucesso do tal plebiscito e para a legalização do roubo do nosso patrimônio.
Vejam o post do blog do Medeiros de ontem. Até o segundo escalão do BB/PREVI está envolvido e empenhado, para que não haja surpresas na tal votação. Os caras não devem estar nem dormindo para que possam acompanhar os movimentos do "inimigo", ou seja, aquela parcela de aposentados/pensionistas que não concorda em repassar o nosso patrimônio para o Governo.

Pensem bem, estamos em fase de mudança de governo. O que está em jogo nesse processo de votação são bilhões de reais para o caixa do BB e, indiretamente, para o governo. Além disso, está em questão também a garantia de permanência desses colegas traidores de continuarem mamando nas tetas da Previ, em cargos de conselhos de empresas em que o nosso fundo de pensão tem assento, acompanhados de uma horda de puxa-sacos de segundo/terceiros escalões.
Caso o NÃO prevaleça, a Da. Dilma pode querer fazer mudanças. O que não deve estar sendo oferecido para essas pessoas caso tenham sucesso com os "trouxas" dos aposentados?

Anônimo disse...

Colegas, Marcos,

Existe um prazo legal para a comunicação de TODOS OS APOSENTADOS E PENSIONISTAS sobre participação na alteração do regulamento, individuo por individuo. È o que não está sendo feito e não o será em tempo hábil, de acordo com as imposições legais.
Portanto a consulta é anulável, de futuro.
Os malfeitores tentarão por subterfúgios para enganar outra vez.
Prove-se o ardil nos tribunais, e os Srs. Ministros acatarão a verdade.
Abraços

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Colega Anônimo 03:02

Os registros feitos aqui no Blog têm, também, essa finalidade. Guardar depoimentos para uso futuro ao se pleitear anulação do resultado dessa pseudoconsulta, se desfavorável aos aposentados e pensionistas e lesiva ao patrimônio d PB1

Edilson disse...

Saudações, em primeiro lugar, não concordo com o excesso de retórica, importante a abordagem prática do assunto, não gosto do anonimato, não há nada demais em demonstrar uma opinião, o ceticismo é total, de todos os lados, a minha crítica é no sentido de ser objetivo nas idéias, esquecer as ofensas;isso não adianta nada,só aborrece, considero o superávit uma espécie de bilhete premiado, ironia do destino, vindo de uma política inicialmente nefasta e repudiada que não foi fruto da contribuição individual e sim uma vicissitude da vida, em que todos deveriam receber de igual forma, um valor fixo para todos.

Anônimo disse...

Estao se degladiando na disputa para presidencia do bb.Como disse um colega,imaginem o que deve estar sendo prometido aos eleitos da previ,anabb,contraf.....em troca das "cadeiras".A mamata e muito boa,enchem os bolsos com a miseria dos aposentados e com a exploraçao dos ativos.
No plebiscito ilegal...meu voto tambem e NAAAAAAO!!!!!!

Anônimo disse...

Noticia do Sindicato de Bauru

Sindicato ajuizou ação e espera por liminar que barre o repasse de R$ 7,5 bilhões dos associados da Previ para o BB

Na Trincheira 156

07/12/2010

De 9 a 15 de dezembro ocorrerá um plebiscito para avaliar o acordo sobre o superávit do Plano 1 da Previ. Hoje, este superávit é de R$ 15 bilhões. Os sindicatos ligados à CUT construíram em conluio com a direção do BB uma proposta para utilizar metade deste superávit em melhorias nos benefícios das aposentadorias e na redução da parcela Previ. Em contrapartida, a outra metade do superávit iria para os cofres do BB.

Para impedir este repasse imoral, o Sindicato dos Bancários de Bauru e Região/Conlutas ajuizou uma ação na Justiça do Trabalho solicitando pedido de liminar para que não ocorra o plebiscito. Enquanto aguarda a decisão judicial, o Sindicato orienta o voto NÃO para mais esta traquinagem.





VERGONHA!!!

Anônimo disse...

A coisa já está decidida MESMO. O crédito vai sair MESMO e tudo vai continuar do MESMO jeito: os ricos caca vez mais ricos e o pobres cada vez mais 'lenhados', MESMO!
Então, meu voto é NÃO, MESMO!

Paulo disse...

Marcos,

Se os termos do acordo de gabinete serão cumpridos,de qualquer forma, os funcionários da ativa não tem por que aprová-lo. Não há como deslanchar uma campanha esclarecedora nesse sentido? Se tivéssemos como conseguir os e-mails de grande parte do pessoal da ativa, os que sabemos lidar na internet, poderíamos disparar informações para muita gente. Ou pode ser que alguém tenha uma idéia melhor.

Um abraço,
Paulo Motta
blog:
superavitsprevi.wordpress.com

langoni disse...

Prezado Marcos e participantes do PreviPlano 1,

Sempre acreditei na possibilidade da convivência entre demitidos, aposentados e funcionários da ativa do BB, especialmente porque o que aconteceu aos demitidos, poderia servir de alerta para não mais se acreditar nas boas intenções do BB/Previ/e todos os demais interesses espúrios.

Sempre afirmamos que brigamos por nossos direitos, sem jamais querer o que não nos fosse devido.

Boa parte do que o BB hoje se acha dono, que na marra quer tirar da Previ, nos pertence. Tais recursos poderiam permanecer na Previ, pagando-nos uma aposentadoria proporcional, ao invés de retornar ao Banco para pagamento de dividendos, PLR, etc.

Definitivamente, a Previ deveria primeiro rever administrativamente todas as injustiças, erros, cometidos ao longo dos anos e somente aí definir se efetivamente existe superávit. Essa deveria ser a briga. O Banco e Previ devem o pactuado na admissão, considerando-se somente as alterações posteriores, que beneficiem o funcionário. Isso ninguém poderá tirar. Não há resolução que possa mudar esse direito.
Se maciçamente exigissem na Justiça a recomposição das reservas matemáticas, perdidas pela implantação da paridade nas contribuições, que deveria valer tão somente para os funcionários admitidos depois daquela data, se exigissem o cumprimento da complementação pactuada na admissão, com direito às diferenças dos últimos cinco anos, garantida na justiça, tenho certeza que esse superávit pleiteado pelo Banco, seria drásticamente reduzido.

Abraços/Langoni

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

From: Lazara Araujo
To: evandro vilela leão
Sent: Tuesday, December 07, 2010 3:47 AM
Subject: Re: Consulta


Caro colega Evandro,

Diante da reação manifestada por você, estou providenciando a retirada do seu endereço eletrônico da minha lista de contatos.
Porém, permita-me dizer-lhe algumas palavras. Estou aposentada desde 96, por tempo de serviço, moro em Goiânia (GO) e meu marido é aposentado, da Secretaria da Fazenda de Goiás. Se eu fosse acomodada, poderíamos viver, eu,ele e 3 filhos, com a renda dele. Só que algumas coisas nos incomodam, como injustiças, roubalheiras, falcatruas. Infelismente o Banco que aí está não é o Banco que trabalhamos e amamos muito. Desde o governo FHC, até um pouco antes, no governo Collor, já estavam preparando o terreno, e continuou no do Lula, nomearam para dirigir o Banco e a Previ, pessoas sem o gabatito que estas instituições mereciam. O resultado está aí. O Banco está muma enrascada.Já contabilizou quase 15 bilhôes em seus balanços, de recursos da Previ, sem a transferência efetiva, porém efetuou pagamentos de PLR aos funcis da ativa e dividendos aos acionistas. O Banco Morgan Stanley e a SEC americana já estão de olho e tem ainda o Acordo de Basiléia.
Se você tiver oportunidade leia o livro "Encol-OSequestro", vc se surpreenderá com os relatos do Dr. Pedro Paulo, a respeito da diretoria do BB na era FHC, lá está figuras conhecidas, como o atual presidente da Previ, o Flores..
Colaboro com o Blog Previ Plano 1 e a AAPPREVI, presididos pelo colega Marcos Cordeiro de Andrade, aposentado, residente em Curitiba (PR), pessoa corretíssima e trabalhador incansável, sem remuneração, tentando mostrar a verdade dos fatos, defendendo aposentados e pensionistas da Previ.

Atenciosamente,

Lázara Rabelo de Araújo - 6164640-7





Em 6 de dezembro de 2010 09:58, evandro vilela leão escreveu:

no meu entidemento, devemos votar SIM. Essa associação não deveria ser tão radicalmente contra o Banco do Brasil, pois, é êle o patrocinador principal da PREVI, mesmo quando ela estava engatinhando, só cresceu graças as ajudas (contibuições em dobro, etc) de nosso querido BB. Deixem essa mania de PT (contra tudo, quando não está no poder). Pretendo continuar contribuindo com AAPREVI, mas, espero que vocês analizem melhor seus posicionamentos.

Atenciosamente.

Evandro Vilela Leão, aposentado e defensor dos interesses coletivos.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
E aí vai minha contribuição para uma novela que ainda está para ser escrita:

"HISTÓRIAS DO SUPERAVIT"
77º capítulo:

"Enquanto isso, no país do mensalão, no mes de dezembro/2010, em alguns lares do Rio e Brasília:

- Querido, os caras das concessionárias não param de ligar. Querem saber se vamos ou não trocar o carro velho (2010) pelo novo. Veja só as pechinchas que eles me passaram:
Mercedes-Benz SL 65 AMG: (R$414.000,00)
BMW X6 aut. (R$471.000,00)
E aí, que que a gente decide?

- Mas, querida, eu já não te falei??? Enquanto aqueles cretinos dos aposentados/pensionistas da Previ não aprovarem o SIM, a gente não pode decidir nada. Já prometemos pra eles os 20%, que deve dar pelo menos uns R$500,00 a mais no salário. Quer dizer, o franguinho na panela deles já tá garantido. Mas, tem uma turminha de insatisfeitos que querem ganhar igual a gente...cinquenta, cem mil reais. E, olha o absurdo, não querem passar aquela metade que pertence ao Banco.
Tem coisa que a gente não pode nem pensar. Mas, vamos que dê uma zebra e o NÃO ganhe. Aí, o Lula vai ficar muito zangado e vai querer jogar a gente pra escanteio. Aí, adeus viola! Tenha paciência, aguardemos até o dia 16!"

Anônimo disse...

Apenas uma ressalva; o Banco não colaborou com ninguem. Contribuição não é colaboração. Contribuiçao é obrigação. Se assim for, o BB também colabora com o INSS.
Ademais, enquanto contribuia, estava cumprindo o Estatuto, devidamente aprovado por ele mesmo.
Defensor de direitos coletivos?
De que grupo?

Anônimo disse...

PESSOAL.......o SASSERA E O PAULO

ESTÃO NO YOU TUBE ABORDANDO QUESTÕES SOBRE A APROVAÇÃO DA NEGOCIAÇÃO DO ÇUUPERAVVIT

http://www.youtube.com/results?search_query=NEGOCIA%C3%87%C3%83O+DO+SUPERAVIT&aq=f

VEJAM LÁ.....

cASO NÃO CONSIGAM ACESSAR PELO ENDEREÇO ACIMA.....

ESCREVAM LÁ NA BUSCA:::::

NEGOCIAÇÃO DO SUPERAVIT

HÁ 4 BLOCOS E ELES PEDEM O VOTO SIM

Blog do Ed disse...

Acho que o melhor que poderia acontecer era o corpo jurídico do Banco vir a público, antes desse plebiscito, e nos explicar que a Resolução CGPC 26, especialmente no que tange à reversão de contribuições, está em plena consonância com a LC 109 e com a Constituição. Isso feito, garanto que todos votaríamos SIM e toda a angústia se extinguiria. Todos ficaríamos felizes e aplaudiríamos a PREVI, o BB, a PREVIC e nossos representantes.

Anônimo disse...

Pergunta no blog da Cecilia:

30 - Qual é o prazo legal para eventual nova distribuição da Reserva Especial no futuro?

A legislação determina que a destinação dos recursos da Reserva Especial é compulsória caso haja contabilização desta reserva por três exercícios consecutivos.

Aí caberia uma outra explicaçao:
A pergunta diz EVENTUAL e a resposta diz COMPULSORIA.
Porque, então, reiniciar as negociações em janeiro de 2011?
E o artigo 12 da Resolução que diz a Revisão poderá ser voluntária, antes de se tornar obrigatória?
A negociação durará tres anos ?

Anônimo disse...

Chat com a Diretoria Executiva sobre o superávit do Plano 1
Nesta terça-feira, dia 7, das 18h às 19h, a Diretoria Executiva da PREVI responderá as perguntas dos participantes sobre o superávit via chat.

Juarez Barbosa disse...

Prezado Marcos e seguidores do Blog

Colocações para reflexão:

1.O Conselho Gestor dos Órgãos de Previdência Complementar (CGPC) é composto por 8 membros, dos quais somente 1 representa os participantes/assistidos. No dia da aprovação da RES26, foram 7 votos a favor e 1 abstenção (nosso representante se negou a votar);
2.A LC109 preceitua que a reserva especial só pode ser usada para redução/suspensão das contribuições dos patrocinadores e participantes e/ou melhoria dos benefícios;
3.A RES26 inova, acenando com a possibilidade de patrocinadores e participantes possam se beneficiar igualmente do superávit, promovendo a reversão dos valores alocados na reserva especial, até que tais recursos se esgotem;
4.No Memorando de Entendimento ficou estabelecido a continuação da suspensão das contribuições de patrocinadores e assistidos (previsto na LC109), bem como a melhoria de benefícios (embora provisória) que serão majorados em 20% do complemento da PREVI (também previsto na LC109);
5.A questão conflitante: será contabilizado em conta do Patrocinador metade do superávit (não previsto na LC109);
6.Em caso de não aprovação da proposta no plebiscito e findo o prazo legal para a distribuição do superávit, a PREVIC poderá promover uma intervenção na PREVI, com vistas a promover tal distribuição, estabelecendo as regras de reversão temporal para os 50% a favor de ambos os lados;
7.Mas a PREVIC foi criada pela CGPC, onde o governo possui ampla maioria de votos (7x1);
8.Também a partir de janeiro de 2011, nova legislatura tomará posse no Congresso Nacional, com ampla maioria de deputados e senadores aliados do novo Governo que se estabelecerá, mas pertencente à mesma corrente política do anterior;
9.Surgirá algum "Pimentel" apresentando projeto de alteração da LC109, para legitimar a RES26. Tal projeto terá tramitação rápida, tendo em vista ser de importante interesse do Governo.

E aí?????? Teremos força para remar "contra esta maré"?????

Donde concluo que se não "negociarmos" um acordo "de maioria" entre os agentes participantes dele, nada conseguiremos para nós, nem migalhas.

s.m.j.

mesquitasantana disse...

Ao anônimo de 07:48

É assim que somos tratados pelos donos do poder no Chat da Previ de hoje vão responder as perguntas em bloco.
Até parece que eles merecem nosso tempo, nossas perguntas e nosso respeito.

abraços

Anônimo disse...

Histórico da implantação das medidas do superávit 2006

(Revista Previ 128, nov/dez 2007)

http://www.previ.com.br/noticias/boletins/revista_200712_128/capa.htm

Abril de 2007
Banco do Brasil, sindicatos e representantes dos aposentados fecham acordo para a utilização do superávit.

Junho de 2007
Associados do Plano 1 aprovam acordo, com mais de 90% de votos “sim”.

Julho de 2007
PREVI devolve contribuições de 2007 e suspende novas contribuições.

Agosto de 2007
Conselho Diretor do Banco do Brasil aprova utilização do superávit.

Setembro de 2007
Aprovação do Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (DEST).

Outubro de 2007
Ministério da Fazenda manifesta-se favoravelmente.

Dezembro de 2007
SPC dá aprovação final para as alterações no regulamento do Plano 1

OITO MESES! QUASE UM PARTO!

E O SUPERAVIT ATUAL... A TOQUE DE CAIXA???!!!

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
Tenho um amigo que trabalhou no extinto IBC e que criou uma categoria de perguntas muito interessante: a PERGUNTA DEMOLIDORA.
E como era isso? Por exemplo, havia uma reunião para se debater um assunto, defendendo uma determinada tese. Pois, esse colega procurava verificar a existência de algum furo no raciocínio que se estava defendendo. E aí, com base nesse furo, ele se saia com a "pergunta demolidora". Diz esse colega que, às vezes, depois da pergunta e o consequente constrangimento do palestrante, ele tinha que até abandonar a sala, pois havia a possibilidade de até ser agredido verbalmente devido ao tipo de pergunta.

Pois, então, diante da iminência do chat das 18:00 horas e dos muitos furos que deve haver no raciocínio dos palestrantes, eu sugeriria aos colegas analisar o assunto antecipadamente e bater forte com perguntas demolidoras.
Eu, por exemplo, acho que tenho duas:
1- Como é que surgiu essa idéia de dar 20% também aos colegas da ativa se não havia nenhuma demanda nesse sentido? Quem foi que sugeriu isso?

2- Quando da elaboração da resolução 26, quem foi que sugeriu a idéia de repassar 50% para o Banco?

Anônimo disse...

Colegas,

Estou chegando agora e li Evandro Vilela Leão, deve ser verdadeiro.
Pensei, posso estar errado, mas o Sr. Leão deve ter recebido R$ 1.700.000,00 no renda certa e agora está sendo cobrado pela diretoria da Previ e pelo banco do brasil a se manifestar a favor do sim.
Desculpa se rugi alto demais (hum milhão e setecentos mil).

Rubem Tiné disse...

Estou com o Juarez Barbosa, (colocações para reflexão) O que ele fala é a realidade: O sistema político-jurídico, implantado no Brasil, copiado dos states, (as coisas que não prestam) Nós nunca ganharemos tudo que achamos ou que temos direito. Ponto. Somos minoria. No mais é fazer opção em ser o Tiradentes da vez, e dar o pescoço para ser enforcado. Conheço casos de colegas que sairam do Banco e entraram com ações trabalhistas: Vitória nos tribunais de primeira, valor da causa, R$ 80.000,00, o banco chamou para acordo e ofereceu R$ 40.000,00, quem aceitou recebeu em no máximo, dois anos, quem não recebeu ainda está a ver navios. É a mesma coisa do superávit, ou aceita o acordo-negociata, ou fica sem nada. A decisão é nossa. Esta é a realidade, pode ser trágica, mas é. Reflitam.

Anônimo disse...

cavalcante disse:
ao colega Vilela Leão,
sem pretender entrar em polêmica , até porque devemos respeitar , mesmo sem aceitar, as opiniões dos demais, penso que você foi absolutamente infeliz ao usar a expressão " ajudas em dobro" à Previ. Na sua ótica de pré-67 , radical, pois nem todos o são, deve estar bastante satisfeito com seu polpudo beneficio PREVI que lhe renderá excelente reajuste, ainda que provisório, com os 20% oferecidos pelo BB. Não dá prá entender quando você se diz "defensor dos interesses coletivos" quando, na verdade , nos passa a imagem de defensor dos proprios interesses, uma vez que é a favor do acordo que prejudica milhares de colegas, e por outro lado beneficia a menor parcela que é a dos que estão em situação privilegiada como a sua. Preciso lembrar-lhe que o BB que você tanto ama e que já não mais existe, saudosismos à parte, rompeu unilateralmente o contrato quando passou a contribuir com apenas uma parte parte ( 1 X 1). Veja bem estou falando de contribuição prevista em contrato não em 'AJUDA' como você se referiu. Depois disso o BB levou mais 11 bilhoes da Previ, sabe prá que?
Quando montou a farsa para que a Previ passasse a assumir o pagamento dos pré 67. Sabe como o Banco pagou essa dívida? : com o próprio dinheiro da Previ.
Caro colega, são muitas irregularidades e desonestidades praticadas ao lango do tempo contra todos nós. Porém o que mais me revolta é que tudo vem acontecendo com a concordância dos que dizem nos representar de lutar por nossos interesses.Se o Banco e o Governo tem "roubado" cínicamente nossos recursos(Previ) e por isso mesmo taxamo-os de ladrões, os que passivamente permitiram e permitem essa roubalheira devemos chamá-los de quê ?
Permita-me a ousadia de sugerir-lhe que pense um pouco fazendo uma reflexão mais profunda, sem egoismo , que , por certo, poderá fazer com que mude sua opinião e vote com dignidade.
Sem ressentimentos!
Um abraço
Cavalcante

Anônimo disse...

Embora existam ações contra a Resolução 26, não mais existem liminares que suspendem seus efeitos. Com essa realidade ou aceitamos 50% do saldo da Reserva ou no dia 31 de dezembro, ao fechar seu Balanço, a Previ vai cumprir o que manda a tal Resolução, ou seja: constituir dois Fundos Previdenciáis: a) Fundo Previdencial Patrocinador e b) Fundo Previdencial Participantes e Assistidos.
RESOLUÇÃO 26:
Seção III
Dos Fundos Previdenciais para Destinação e Utilização da Reserva Especial
Art. 17. Os valores atribuíveis aos participantes e assistidos e ao patrocinador, identificados na
forma do caput do art. 15, serão alocados em fundos previdenciais segregados, constituídos especialmente para esta finalidade.
O Fundo Patrocinador o BB faz o que quiser dele e o Fundo Participantes e Assistidos vai ficar contabilizado até quando novamente o Deliberativo da Previ decidir quanto e como irá nos pagar. Serão os 20%? O que mais? Pode levar meses até que decidam. Vamos todos aguardar?

Anônimo disse...

Colega Juarez Barbosa,
A Previc foi criada pela Lei 12154 de 23 de dezembro de 2009, e regulamentada pelos Decretos 7075 e 7078, ambos de 26 de janeiro de 2010.
Anteriormente, editada pela Medida Provisória 233/2004, de autoria do Poder Executivo, em 14 de junho de 2005, teve seu prazo de vigencia encerrado, conforme comunicação da Presidencia do Senado ao Pres. da República. Em 03/07/2009 a Câmara dos Deputados "ressuscitou" o Projeto do Executivo e, rapidamente, foi criada a Previc, objeto do PLC 136/2009, impondo aos Fundos de Pensão a pagarem para serem fiscalizados.

mesquitasantana disse...

Meu caro MARCO AURELIO DAMIANO, nesse caso eu também tenho uma pergunta demolidora:

O bb publicou balanço que contabilizou bilhões de direitos a receber do Superavit Previ.

A Previ também contabilizou os mesmos valores como Obrigações a Pagar ao bb?

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

> Subject: ATENDIMENTO PREVI-07.12.10
>
>
> Senhor Ivan,
>
> Agradecemos sua manifestação e informamos que sua reclamação foi registrada.
>
> Permanecemos à disposição.
>
> ROBERTO PEREIRA GONCALVES
> Gerência de Atendimento
> PREVI
>
> ----------------------------------------------------------------------------------------------
>
> Data: 05/12/2010 12:39:07
> Assunto: Outros Assuntos - Votação dos aposentados
> Tipo: Reclamação
>
> Mensagem:
> Já na votação para a Cassi, bem como para membros do Conselho dessa Previ, fizemos a sugestão para que os aposentados apresentassem seus votos através dos terminais de autoatendimento, mecanismo usual de todos desta categoria.
> No entanto, mais uma vez, principalmente numa votação que diz respeito principalmente a este contingente, essa Previ, com toda a tecnologia a seu dispor, informa que teremos que utilizar o telefone 0800 para nossa opinião.
> De que vocês têm medo? Que o resultado através autoatentimento tenha votação expressiva dos aposentados (que hoje representa apenas 15%) possa modificar o resultado já antecipado por vocês?
> Ou é falta de respeito mesmo? Deste modo vocês ficam realmente desacreditados.
>
> Matrícula: 4497710
> Nome: IVAN REZENDE DA SILVA

Anônimo disse...

Marcos e Colegas,


Como estão os preparativos para a nova eleição Previ/Cassi.
Temos que tirá-los de lá.
Temos também quatro anos para a campanha contra os que estão nos tirando o dinheiro agora, o "governinho do povo", "para o povo" e "pelo povo", sindicalista/petista é claro!

Anônimo disse...

Nos somos como a cavalaria do exercito em filme de faroeste, sempre chegamos atrasados e os índios levam a melhor. Mas no fim do filme...

Acho que esse superavit já é agua passada.

Não adianta ficarmos expondo idéias a respeito do tema, pois, sempre soubemos que a distribuição nunca seria feita como desejaríamos, visto que estamos sempre sob o comando de pessoas que só pensam em si e nada mais.

Se realmente acontecer as trativas para alteração dos normativos em janeiro de 2011 não tenho visto ninguém pedir ou sugerir idéias para essas alterações.

Vamos novamente para essa reuniaõ que será comandada pelos mesmos integrantes das tratativas do superavit, que ali estarão para defender o patrocinador.

Da FAABB nós não podemos esperar nada, pois, a dona ISA MUSA mostrou que não é digna de merecer nossa confiança.

Sabendo de tudo e simplesmente silenciou e não antecipou nada do que estava sendo "costurado" nas reuniões do superavit.

Sabia e silenciou. Será que seu silêncio foi motivado por que e por quem?

Será que novamente vamos chegar atrasados...

ARY TAUNAY FILHO disse...

Marcos,

E se as bolsas cairem? E se o superavit sumir?

Resposta: Os aposentados ficarão chupando o dedo e o banco dando risada porque já pegou o dele lá no início.

VOTE NÃO NÃO NÃO NÃO

Anônimo disse...

Desculpem, mas meu voto é SIM!Respeito todos que votem no não, mas pensem bem!O banco já contabilizou à parte dele e ganhando o que estou não posso me dar ao luxo de negar um aumento de 20% no meu salário previ.

Paulo Segundo, Viçosa MG.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
Já se passaram 40 minutos desde a abertura do chat. Custei para entender que só seriam respondidas as perguntas de quem, implicitamente, já aceitou o SIM e só quer saber quanto, quando e de que maneira vai receber as migalhas da Previ. Para umas dez "perguntas demolidoras", de difícil resposta, que enviei, nada me foi respondido até o momento.

sergioinocencio disse...

Marcos,

ia dizer que somos idiotas de partcipar do tal chat da Previ, mais não vou, posso ofender alguem, vou dizer que somos muito otimistas, sabe aquele cara que achou uma lata com bosta de cavalo na sua arvore de natal e saiu pulando e gritando que tinha ganho um cavalo?
nós somos iguais, muito otimistas.

MAIS O CASO É O SEGUINTE: fiz 5 perguntas no tal chat, claro que só polemica, e sabe quantas me responderam?
claro, obvio, nenhuma, só aquelas que não diziam e nem explicavam nada eram priorizadas.
as vezes eu me pergunto pq continuam nascendo cobras com asas, afinal elas só querem rastejar.

Anônimo disse...

No chat com a Diretoria Executiva da PREVI (18 as 19 hrs de 07/12/10) perguntaram se a LC 109 de 2001 manda distribuir a Reserva Especial após 3 anos de superavit, por que consultar os participantes?

RESPOSTA: A PREVI VALORIZA A OPINIÃO DOS PARTICIPANTES (sic)

rsrsrsrsrs,, quaq1uaquaqua....

Anônimo disse...

Estimados Colegas de Sofrimento,


Terminado o chat, só entendi que estavam testanto a ânimo dos participantes.
As perguntas estavam sendo decifradas por advogados da Previ, e indicadas as respostas.
Guardei algumas pérolas para o futuro, assim como eles para suas defesas perante o judiciário, tendo em vista que milhares de ações estarão lotando os forums deste Brasil.
Dezenas de perguntas, as mais capciosas( onde a verdade teria que ser dita ) foram deixadas de lado, para resposta no site da Previ.
Acreditem se quiserem, que eles irão responder!
Querem que acreditemos na "LISURA" de seus propósitos.
Guardem esta data, Estimados Colegas, pra ser lembrada nas futuras eleições.
Abraços

Juarez Barbosa disse...

Ao Anonimo das 10:34

Obrigado pela correção do item 7 do meu post "colocações para reflexão", quanto ao criador da PREVIC.

Gostaria de também completar seu post com o seguinte:

O PLC 136/2009 criou a PREVIC para nos fiscalizar e autorizar o Patrocinador a "meter a mão no nosso dinheiro".

E ainda vamos ter que pagar, via PREVI, taxa de R$ 2.225.000,00, por quadrimestre para esta "fiscalização".

Anônimo disse...

Apareça, Dona Isa. Onde estas?

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Participei, via chat, da sessão de perguntas e respostas com os diretores eleitos da Previ. Copiei e colei abaixo seis perguntas julgadas relevantes e do maior interesse dos associados do “PB-1”. Penso que assunto de tamanha relevância não deveria ter se restringido apenas a pouco mais de sessenta minutos de participação dos associados. Enfim e infelizmente é essa a Previ de que dispomos:
A - Caso não aprovado o acordo. A previ deverá melhorar a proposta atual, não é isso? A previ não é obrigada pela resolução a distribuir o superavit depois de 3 anos?
A proposta de destinação do superávit foi negociada pelas entidades representativas e a patrocinadora. Até o final deste ano, deverá ocorrer a destinação.

B - Caso esse acordo seja homologado, quando poderá ter novas medidas a favor dos associados?
A legislação determina que a destinação dos recursos da Reserva Especial é compulsória caso haja contabilização desta reserva por três exercícios consecutivos.

C- Existe uma corrente de colegas que optam pelo não, em virtude dos 50% do Banco, alegando que este não tem direito. O que acham?
A destinação não depende da vontade exclusiva da PREVI. Decorre do que determina a legislação vigente.

D - Quero saber sobre os 360/360 dos aposentados, visto que os da ativa vão chegar aos mesmos 360/360 sem contribuir. Por favor me responda essa, sem milongas. Até parece perguntas combinadas?
Todas as propostas que foram divulgadas pelas entidades durante o processo de negociação (como a 360/360) e não foram contempladas no acerto entre entidades representativas e BB serão objeto de discussão quando da instalação do forum de negociações previsto no Termo de Compromisso acertado entre entidades e BB.

E - Diz-se, nos espaços direcionados para os associados do "PB-1" que, mesmo que o plebiscito apresenta o Não como opção vencedora, mesmo assim a Previ fará o crédito dos valores acordados. Há algum tipo de fundamento nessa afirmação?
Não há fundamento nessa afirmação. Os valores serão creditados somente se forem aprovados na consulta e depois pelos órgãos internos da PREVI, pelo BB e pelos órgãos governamentais.

F - O valor total das 12 mensalidades antecipadas são referente 12 x o novo benefício ou referente 12 X aos 20%?
12 vezes os 20% sobre o seu complemento PREVI no mês de aprovação do novo Regulamento.

Anônimo disse...

Ja vou avisando os adeptos do SIM esperando passar um Gordo Natal na esperança de receber este credito das 12 parcelas e etc,,,

Pergunta feita no chat Previ hoje 07/12 as 18h46 mim

Pela quinta vez, existe possibilidade de um adiantamento para os associados passarem o natal mais tranquilos?

Resposta(um balde de agua fria)

Não. O pagamento só ocorrerá depois da aprovação pelo órgão regulador (PREVIC).

Com esta resposta acima esperem as verdinhas talvez para fim de janeiro, entao reflitam sobre o seu voto, ainda dá tempo de votarem honradamente no NÄO.
Se alguns querem o SIM rapidamente para colocar a Mäo na grana, SEI NÄO...!?

Guilherme

Anônimo disse...

Já entrei neste blog diversas vezes. Quanto mais leio mais confirmo minha decisão de votar "SIM".
A maioria das opiniões são em cima de suposições, nada de concreto com um tom de revolta que não leva nada a lugar nenhum.
A resolução 26 está vigorando e o banco vai levar os 50%, isto e ponto certo.
Desse jeito vocês não convencem ninguem.
Vamor ser realistas e pensar no que podemos conquistar nas negociações a partir de JAN/2011 e esperar o julgamento do mérito das ações em curso referentes a resolução 26, que pode ser favorávei, ou não, a nós.

Anônimo disse...

Colega de 7 de dezembro de 2010 11:25,


Assim que começarem a discutir as alterações do estatuto/regulamento da PREVI, a partir de janeiro de 2011, a PRINCIPAL proposta que partirá do SASSERON, pensando em sua aposentadoria e dos "cumpanheiros" será a de emplacar o AUMENTO DO TETO DE 90% PARA 100%.

Pode anotar ai, e me cobra se eu estiver enganado. Ele está engajado nesta sacanagem desde o aumento do teto de 75% para 90% (mais de 5 bi para os salários mais altos).