domingo, 12 de dezembro de 2010

Quem mente?

Senhora Isa Musa de Noronha.

Não mui digna Presidente da FAABB, agora, no meu entendimento.

Já não falo aqui como representante da pessoa Jurídica AAPPREVI, mas como o seu presidente, pessoa física, Marcos Cordeiro de Andrade, que assume o que faz e o que diz.

Reflita antes de falar em todas as Associações incluindo a AAPPREVI nesse coletivo. Não lhe cabe declarar em seus depoimentos descabidos que todas as Associações que compareceram à Reunião daquele dia 17 em Brasília, algumas pagas com dinheiro da FAABB, estavam de acordo com a pouca vergonha que lá ocorreu. Faça o favor de excluir a AAPPREVI do saco de gatos em que a quer colocar, pois ali eu a representei e sei o que vi e ouvi. A AAPPREVI não compactuou com a farsa encenada. A AAPPREVI teve todas as suas propostas recusadas. A AAPPREVI declarou, com todas as letras, que não concordava com o que ali foi encenado. A AAPPREVI continua contra tudo que ali foi vergonhosamente dramatizado, combinado e levado a efeito no dia seguinte, junto ao Banco. Apoiei a representatividade da FAABB confiando que ela não passasse recibo de doação ao Banco, como lamentavelmente fez.

A AAPPREVI insiste em declarar que a FAABB traiu os princípios de defesa dos aposentados e pensionistas que recebem pela PREVI. A AAPPREVI reafirma o propósito de incentivar o voto NÃO no plebiscito fajuto, fabricado pelo Banco do Brasil na qualidade de patrocinador, e com a concordância da FAABB ou, o que é mais provável, de sua presidente Isa Musa de Noronha que agora, através de comunicado faccioso, tenta desqualificar a posição adotada por esta sua afiliada, ainda.

Sem argumentos para defender-se da entregação de que participou, Dona Isa Musa de Noronha tenta agora envolver a Direção da AAPPREVI em sua infeliz decisão de apoiar o patrocinador. Seus motivos são somente seus, mas cabe-lhe apoiar-se em argumentos convincentes e honestos para defender o motivo porque mudou de lado. Eu, Marcos Cordeiro de Andrade, repudio qualquer insinuação de que estive de acordo com a farsa encenada na Reunião de Brasília sob o seu comando. Nesta sua Nota há acusações de que a contestação divulgada é feita por mentirosos e covardes, culminando com o seu “Não é verdade”. Por isso aguente as conseqüências por ser inconseqüente. Para se acusar de mentiroso e covarde um homem correto, é necessário, antes de tudo, ser tão correto quanto ele e que o acusador não se faça acompanhar de safados, escroques e desqualificados de toda sorte.

E para que todos tomem conhecimento da sua tentativa em me envolver nos seus “envolvimentos”, publico a seguir a NOTA OFICIAL da Federação que a senhora acaba de divulgar, não sem antes bradar ao mundo que por este e por outros motivos eu voto NÃO e recomendo o voto NÃO:

Às Associações de Aposentados e Pensionistas do BB
Prezados Senhores,

Não tenho consultado grupos da internet. Há muito eu os deixei de lado, pelo modo pouco civilizado que fazem uso dessa ferramenta: a internet. Escrevem na internet, nos grupos, coisas que não teriam a coragem de dizer frente a frente. Contudo, preocupa-me a posição de algumas associações, através de mensagens que recebo em meu e-mail ,enviadas por colegas que, freqüentando os grupos, se espantam com o que corre por lá.

Quando fizemos a reunião em Brasília, no dia 17 de outubro, véspera do segundo encontro com o BB, todas as Associações sabiam que a Resolução está valendo. Todas as Associações estão cientes de que, para ter benefícios para nós, haveria a contrapartida para o Banco, pois a despeito de ações judiciais, a resolução não está suspensa, nem revogada, não há sentença transitada em julgado. Conseguimos negociar a parte incontroversa: 50%. Os outros 50% saberemos quando a Justiça decidir sobre nossa ação judicial, pois hoje a Resolução está valendo e estamos na Justiça para derrubá-la... Se tivermos ganho de causa, o BB terá de se virar para recompor suas contabilizações e estornar os ativos atuariais que tiver considerado.

Na reunião de Brasília foram escolhidas propostas para serem levada à mesa. É incompreensível que agora, feito o acordo, questionem que a assinatura do acordo esteja doando 50% ao BB. Repito. Todos sabiam que a resolução 26 iria nortear a distribuição do superávit.

Se não era para acatar isso, as Associações deveriam ter votado, naquele dia 17, que a FAABB não deveria ir à mesa.

Sou contra o plebiscito. Mas isso é idéia da CONTRAF CUT, para dizer aos sindicalizados que a CUT os escuta.

Contudo, dizer sim ou não, em um plebiscito assim, pouco importa.

Preocupa-me a posição da Federação.

A FAABB foi à mesa defendendo as propostas que as associações escolheram. Agora a FAABB recebe criticas de algumas das filiadas. Alguém tinha a ilusão de que o BB abriria mão da Resolução 26? Claro que não. Dia 17 de outubro as Associações votaram propostas que a FAABB levaria à mesa sabendo, estando convictas, de que a Resolução 26 estava valendo.

Isso deve ficar bem claro, pois há mensagens na internet dizendo que a FAABB assinou à revelia das Associações.

Não é verdade.

No dia 17, véspera da reunião como Banco, no Hotel Nacional em Brasília, as associações escolheram as propostas que a FAABB defenderia à mesa. Naquela data, já não existia mais Liminar derrubando a Resolução 26, então, todos sabiam que qualquer benefício conquistado teria a contrapartida do BB, pelos menos até quando a Justiça nos der ganho de causa.

Atenciosamente,

Isa Musa de Noronha


Marcos Cordeiro de Andrade - Curitiba (PR) - 12/12/2010.

57 comentários:

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Não sei se entendi direito a mensagem da D. Isa.
Pelo que entendo, a FAABB (Federação das Associações de APOSENTADOS E PENSIONISTAS do Banco do Brasil) representava, nessa reunião, mais de 80 mil pessoas, ou seja, nós, aposentados e pensionistas. Aí, tinha também a Contraf-Cut, que representava pouco mais de 30.000 sindicalizados, ou seja, representava uma MINORIA, os funcionários da ativa.
A FAABB, segundo as palavras da D. Isa, era contra o plebiscito. Entretanto, prevaleceu a idéia de quem representava a minoria, ou seja, a Contraf-cut.
Diante disso, estou que nem aquele macaco daquele antigo programa humorístico da TV, o Planeta dos Macacos: "eu só queria entender".

Anônimo disse...

7. Nossa posição não é fraca como querem aparentar - A precipitada contabilização imprudente e ilegal do BB virou um trunfo a nosso favor. Tudo isso - a fragilidade legal e moral do Banco neste episódio - e, principalmente, a pressa que ele agora demonstra, porque tem só até 31/12/2010 (encerramento do exercício fiscal) para regularizar seu ilegal lançamento de 14,3 bilhões, mostra que nossa posição não é fraca como querem fazer parecer, e que temos um importante trunfo em nossas mãos. Em to da a história de transferências de valores da Previ para o Banco (acordo de 97 etc...), NUNCA ESTIVEMOS, JURÍDICA E MORALMENTE, TÃO FORTES COMO AGORA. A conjuntura é propícia para nós resistirmos - Em resumo: nunca tivemos e dificilmente teremos outra situação tão propícia para uma NEGOCIAÇÃO SÉRIA, TRANSPARENTE E CONSISTENTE, reparação de injustiças e restauração de direitos que nos foram usurpados (extinção do Corpo Social e v oto de Minerva para o patrocinador, entre outros);

Prcirne

Anônimo disse...

É flagrante que a sra. isa musa tergiversa. Entrar nos detalhes que permeiam este episódio está se tornando repugnante. Penso mesmo que o desvio de caráter faz com que algumas pessoas, mesmo agindo de forma obtusa, não se dão conta disto. Pois seus juízos estão eivados de vícios e destituídos de princípios morais e éticos.

Anônimo disse...

Saiu na VEJA sobre a ANABB

Prodígio legal

Entidade do BB produz um advogado-fenômeno

O advogado Ivo de
Ávila: empréstimo
de 1,5 milhão de reais
a juro de poupança
Foto: Ricardo Stuckert
Surgiu um fenômeno da advocacia do país. Trata-se do advogado gaúcho Ivo Evangelista de Ávila, de 48 anos, há 23 morando em Brasília. Seu escritório ocupa dois andares de um prédio onde ficam as bancas mais renomadas da capital federal, conta com o auxílio de onze advogados e vive às voltas com 8.000 ações, todas sobre direito econômico. Para se ter uma idéia do volume, o maior escritório de advocacia do país, na área trabalhista, tem 13.000 ações. O império surgiu nos últimos cinco anos. Em 1993, o advogado ocupava um escritório modesto em um shopping popular de Brasília. O salto deu-se quando ele cruzou com o bancário Valmir Marques Camilo, o presidente da Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil, Anabb, entidade que reúne 92.000 servidores do banco e é um celeiro de diretores da Previ, fundo de pensão do banco, célebre pelo gigantesco patrimônio de mais de 20 bilhões de reais. O próprio Valmir Marques Camilo foi eleito neste ano para ocupar uma cadeira de conselheiro da Previ.

Uma auditoria na Anabb, feita recentemente pela KPMG, mostra que, entre 1995 e este ano, o amigo Valmir Marques Camilo abriu processo em nome de 45.000 funcionários do banco — e entregou 36.000 bancários nas mãos do advogado Ivo Evangelista de Ávila, sem fazer levantamento de preços na praça, e ainda o presenteou com 1,5 milhão de reais a título de "adiantamento". "Essa situação pode ser interpretada como financiamento pela Anabb de parte da estrutura dos escritórios de advocacia", diz o documento da KPMG, de 56 páginas. O "adiantamento", que serviu de mola propulsora do escritório, foi um negócio da China para o advogado. Diz ele que paga juro de poupança, uma raridade no mercado. Mas, no contrato do tal "adiantamento", nem se fala de juros. Do total, ele já devolveu 445.000 reais. "Foi um empréstimo, sim, mas estamos pagando tudo em dia. Assinei até uma nota promissória", diz o advogado emergente. "Se eu ganhar as ações, devolvo com o que vou receber. Se perder, pago do bolso."

"Foi uma decisão política, e o dinheiro será todo devolvido", diz o presidente da Anabb, Valmir Marques Camilo, argüindo que não fez nada de errado. Mas fez, sim. No estatuto da entidade, nenhuma cláusula permite emprestar dinheiro a quem quer que seja, pelo motivo óbvio de que a Anabb é uma associação de funcionários — não um banco. Funcionário do BB há duas décadas, Valmir Camilo, 46 anos, entrou para a Anabb há seis e a preside há três. Há três meses, os conselheiros, desconfiados de algumas estripulias administrativas, resolveram contratar uma auditoria. Quando soube da decisão, o presidente chegou a mandar carta à KPMG desautorizando a realização da auditoria e, caso fosse feita assim mesmo, ele já se antecipava e proibia que viesse a público. Tinha lá seus motivos. Além do empréstimo amigo ao advogado, a KPMG descobriu que até uma ajuda-moradia, de 1.500 reais, tem destino torto. Valmir Camilo "alugou" a casa de suas três cunhadas.

Alexandre Oltramari

rosalina_de_souza disse...

A Isa Musa de Noronha Deve começar a repensar o modo de agir da Federação.

Porque previlegiar a Contraf Cut somente para atender a demanda dos sindicalizados? Aposentado e Pensionista não é mais sindicalizado e mesmo não votando é maioria no PB-1.

Segundo as propostas colocadas para discusão em nenhum momento foram estas que estão ai no prebicito,dito por ela mesma que também é ilegal, só serve para atender a uma parte dos associados da PREVI.

Dona Isa Musa Eu como Pensionista não fui representada nestas negociações,o fato é que voces foram imcopetentes,desonestos com todo o PB-1 da Previ, discutiram tanto a mesma coisa para que? para terminar com essas propostas.

Francamente Eu como pessoa física terminado o preblicito as propostas sendo aprovadas no prebicito "SIM" ou "Não",vou ao judíciario Brasiliero denunciar esta farsa ilegal e imoral ao meu ver,poís quase 20 mil colegas "PENSIONISTAS" não podem ficar assistindo o pessoal da ativa se beneficiar enquando nós estamos a pregar Miséria em detrimento de um grupo que tem vez e voz nessas e nás próximas negociações.

Peça "Demissão" do seu cargo Dona Isa Musa ficou muito claro para mim que a Senhora não quiz se comprometer e participou ativamente do jogo sujo feito as pressas para apenas fazer de conta que estava sendo cumpridora de uma lei 109/2001.e evitar a intervenção da "PREVIC" na PREVI.

Nossa luta esta só começando e para 2011 temos que ter um representante nesta mesa de negociação,chega de ser enganado, já não bastasse os 40% menos que a PREVI toma de assalto de todos nós "Pensionistas".

Atenciosamente

Rosalina de Souza

Matrícula 18.161.320-4

Pensionista

Anônimo disse...

Por que o digníssimo Senhor dono deste blog não pede desfiliação da Federação? Depois de distorcer os fatos ocorridos na reunião do dia 17 de outubro em Brasília e proferir mentiras quanto a sua presidente Isa Musa (falo por que estava presente naquela reunião) é o mínimo que se espera. Lá esteve às expensas da Federação, travestido de cordeiro, mas, na verdade, é um lobo perigoso.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
Todos conhecemos a famosa "pegadinha", muito explorada pelos programas humorísticos da TV.

E o que é a pegadinha? O sujeito, geralmente de boa-fé, está lá, sentadinho na praça, numa situação muito tranquila (assim como nós, aposentados/pensionistas da Previ). Aí, chega o "malandro", que pede ao cidadão inocente que colabore com ele nalgum ato que, aparentemente, não poderá prejudicá-lo. Só depois de algum tempo é que a pessoa vai se dar conta de que embarcou numa fria e virou alvo de gozação.

Voltando ao nosso caso. O plebiscito que está sendo feito está sendo justificado como apenas uma "idéia da CONTRAF CUT, para dizer aos sindicalizados que a CUT os escuta" ou "dizer sim ou não, em um plebiscito assim, pouco importa".

Conclusão: só saberemos se se trata de uma pegadinha quando o juíz estiver julgando as ações contra a resolução 26 e aí, para nossa surpresa, poderá constar ali na sentença: "os próprios assistidos da Previ concordaram, através de plebiscito, com a partilha do superávit com o patrocinador, motivo pelo qual julgo aplicáveis as normas da resolução 26". Aí, adeus viola! Como dizem aqui em Minas: "aí, não adianta, a Inês é morta".

Julita disse...

Parabéns Dona Rosalina pela sua atitude, defendendo nossa classe!
Precisamos de pessoas como a senhora de carater, honesta e corajosa!!!! Conte comigo!

Anônimo disse...

Marcos, só tenho a agradecer a DEUS pela existência da AAPPREVI, sua diretoria e demais assossores:
Vivíamos em um anonimato sem precedentes, enganados e surrupiados por esses falsos representantes. Pelo menos hoje, decorrência das denúncias - no previplano1, principalmente - os "ovos", tramóias e roupas sujas das "isas" e dos "camilos" estão começando a eclodir.
É vergonhoso o que veicula na mídia - inclusive internacional - sobre essas associações, a previ e o bb, e sendo este último vinculado ao Governo Federal deveria ser um exemplo a ser seguido, mas ao contrário; sobrepõe-se às Leis vigentes, para fazer lançamentos contábeis ilegais, subtrair direitos adquiridos são coisas vergonhosas. Parece que copiou de alguma cartilha de Ali-Babá, ou do satanás que veio ao mundo somente para mentir, roubar e destruir.
Sugiro que leiam a Biblia, pois lá estão contidos ótimos parâmetros de governança e administração

Anônimo disse...

DISTRIBUIÇÃO DO SUPERÁVIT.

Hoje assistimos de camarote uma cambada de desonestos serem coniventes com os desmandos dos covardes representantes do BB e PREVI....

A AÇÃO CONTRA A RESOLUÇÃO 26 PODE DEMORAR UNS 6 OU 10 ANOS PARA UMA SOLUÇÃO DEFINITIVA.

Tenho minhas minhas dúvidas que o judiciário irá jogar esse passivo bilionário para o BANCO DO BRASIL estornar em benefício dos aposentados e pensionistas.

Daqui a 6 ou 10 anos o banco não terá condições financeiras para quitar esse passivo bilionário. Estaremos com um novo governo de sabemos lá quem??????

Exemplo disso é a ação do renda certa que a PREVI terá que suportar em breve um passivo bilionário gerado por decisões macabras, conxavadas, medíocres, sem propósito e burras de pessoas ali colocadas sem concurso público através de uma eleição fajuta que a meu ver não possuem competência nenhuma para administrar uma MEGA EMPRESA COMO A PREVI.

São subservientes, nada decidem em favor dos beneficiários e sim do governo e patrocinador. Bando de pau mandados da peste.

EU VOTO NÃO......e não abro mão da minhas ações contra a PREVI E BB. Que meus netos recebam num futuro esses direito roubado de mim.

ISA,PAULO ASSUNÇÃO, VITOR, SASERON, VALMIR, PAULO BERNARDO, GUIDO isso é tudo de um saco podre só.

Vejam a reportagem da veja num post acima......O bandido deu 1.500.000,00 reais para um advogado. Fez um contrato amarrado, espúrio e jogou a grana dos associados no bolso do DR. Bandidão.

Fujam todos daí logo pois vocês não merecem nossa confiança.

Jogaram a proposta das pensionistas debaixo do tapete e ainda ficam falando que fizeram um bom acordo. IDIOTAS.......

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caro dirigente anônimo (03:41)

Se o colega estava lá, obviamente é um dirigente de Associação e, como tal, deve ter um nome. Por que se esconde no anonimato? De que tem medo? A distorção dos fatos fica por sua conta, pois certamente sentiu-se ferido com as acusações que fiz, por ser um dos que participaram da entrega do patrimônio do PB1 ao Banco.
Quanto ao pagamento das despesas custeadas pela FAABB isto foi tornado público pela AAPPREVI na prestação de contas feitas à Federação, cuja correspondência foi divulgada. E não pedimos isto – foi uma oferta, mesmo assim paguei despesas do meu bolso: taxi ida e volta no trajeto entre o hotel e o aeroporto, refeições feitas no quarto do hotel onde me escondia para fugir às ameaças feitas, etc. E você, usou o dinheiro de quem? Teria sido do seu bolso ou do bolso dos seus associados. Acaso já fez a prestação de contas? E se o fez, foi transparente?
Por último, um pequeno lembrete: “o digníssimo Senhor dono deste blog” não é filiado à Federação. Até porque o Blog é independente e a minha autoridade plena e absoluta restringe-se a este espaço e à minha casa. Somente devo satisfações à minha consciência e uso minha liberdade para denunciar falcatruas e patifarias.
A AAPPREVI, que eu dirijo, filiou-se por recomendação unânime da Diretoria e somente a ela cabe adotar providências em contrário. E por que quer ver a AAPPREVI longe da FAABB? O Cordeiro está incomodando tanto assim?
Passe bem e arranje um nome de batismo para tentar justificar sua indignação. Prove que minto e lhe pedirei desculpas recomendando o céu como prêmio, se os seus pecados não o levarem para outro canto.

Cordialmente,

Marcos Cordeiro de Andrade.

Anônimo disse...

Colegas,

Após olhar as parciais de votação do acordão, o pavor está batendo à porta. Os percentiais de votação dos aposentados são de matar, qualquer velhinho!
Deus nos salve pela Justiça!
Abraços

Anônimo disse...

Não creio que a situação do banco esta tão confortável assim como tentam passar. Participei da votação para mudanças dos estatutos em 97. Naquela época, assim como agora, pouco foi revelado, e também como agora, o então Diretor Jurídico do Sindicato dos Bancários de SP, Sr. Sasseron estava a favor das alterações. O banco não obteve unanimidade entre os funcionários da ativa, tanto que na 2ª votação mandou a tropa de choque para as ruas à caça dos aposentados e só assim conseguiu aprovar aquilo que descobrimos muito mais tarde, tratar-se do maior golpe aplicado até então, aos associados do Plano 1.
Não tem nada decidido, ainda dá tempo de virar esse jogo e dizer NÃO ao novo golpe, basta conscientizar o maior numero possível de aposentados, liguem para os amigos, entrem em contato com os antigos colegas de trabalho, vamos defender a perenidade da previ, votando NÃO.

Mauricio Furtado
Movimento Nacional dos Demitidos do Banco do Brasil

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Sr. Marcos Cordeiro de Andrade,

A AFA-BH, por seu presidente, Sr. Antonio Carlos Dias, entidade que congrega 1800 associados em todo o País, solicito-lhe que exclua nosso endereço do rol de destinatários dos seus e-mail.

Antonio Carlos Dias
Presidente da AFa-BH

Observações do BLOG:

Pedido atendido. Somente estranhamos como uma AFA localizada consegue arregimentar sócios "em todo o país". Não é chute?

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
Num futuro não muito distante, ao consultar uma enciclopédia, no verbete relativo aos "aposentados/pensionistas da Previ", o consulente deverá constatar o seguinte:

"- espécie extremamente benevolente e passiva, caridosa ao extremo de permitir que outras espécies humanas mais agressivas dividam com ela os seus meios de subsistência e ocupem parcial ou totalmente o seu habitat. Com base nesses dados e nos princípios da evolução defendidos por Charles Darwin, podemos afirmar que se trata de espécie em iminente risco de extinção, caso não se verifique uma urgente e necessária mutação em seus componentes."

É isso aí. Quem viver, verá.

Anônimo disse...

Marcos, não eh mesmo fácil ir contra os de "sempre". Mas estamos firmes aqui com vc.

Acho que o voto não pode ateh não ganhar, mas vai encomodar para caramba.

Anônimo disse...

Anônimo 13/12 - 03:41,


Meu caro,você é agudo e veloz ao esguimir-se com as palavras. Vem,no anonimato, fere e foge na mesma velocidade, sem deixar pistas, praticando um crime covarde e quase perfeito.
Você deve ser contumaz em praticar atos ilícitos e viver à margem da lei, porque desobedeceu a Constituição Federal no artigo 5º, inciso IV, onde está esculpido: é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato.
Essa sua forma de transitar invisível pelo subterrâneo e esgostos, caminho preferido pelos ratos ,não confere ao ofendido o total direito de resposta previsto no inciso LV, que dispôe o seguinte: é assegurado o contraditório e a ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes.
Como exercer uma defesa plena com alguém que se desloca nas trevas, furtivamente como se fosse um procurado pela lei. Nada que é apócrifo merece fé e credibilidade, por isso sou contra esta estória de anônimos em quaisquer circunstâncias.
Não estou fazendo defesa de ninguém, mesmo porque não tenho procuração para tal, só não gostei da sua forma traiçoeira de agir, própria dos covardes e dos sem ética, honra, berço e retidão de conduta.

Anônimo disse...

Meu voto: NÃO

Recompensa : DIGNIDADE E RESPEITO DOS QUE ACREDITAM QUE UM DIA HAVERÁ JUSTIÇA!!

Anônimo disse...

MEU VOTO É SIM.
ESTOU POR MIM, MESMO.

WASHINGTON LOPES disse...

Sr. Marcos,

Antes de tudo, és um democrata, haja vista o quanto é publicado de comentários neste espaço, independentemente de posicionamento, muitos apenas mirando atingir alguém, quando não ao próprio dono do blog.

Seja lá qual for o resultado desta batalha, fica a lição de tamanha amplitude de posicionamentos abarcados aqui.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Nesta oportunidade, na condição de mineiro, quero manifestar minha grande preocupação com a situação dos filiados à AFA-BH, se é que essa entidade realmente existe e possui 1.800 associados. Na internet, não consegui encontrar nenhum site referente a ela.

Se essa associação realmente existe, acredito que não deve haver, dentre os seus associados, nenhum menor de idade que possa ser pervertido com as idéias debatidas neste site. Portanto, não entendi porque querem sonegar a esses associados qualquer informação enviada pela AAPPREVI relativa à discussão que se trava sobre os destinos do "nosso superavit".
Nessas circunstâncias, seria interessante se pudéssemos ouvir a manifestação de algum colega de BH sobre os motivos que deram origem ao pedido do presidente da AFA-BH de não mais serem destinados e-mails da AAPPREVI para aquela associação.

Conclusão: a ditadura militar já acabou faz mais de 20 anos. Naquela época, mesmo uma pessoa de 80 anos não podia ler uma revista Playboy, que era proibida, sem cometer um "atentado contra os bons costumes". E aí, algumas entidades se esquecem de que esse período já acabou faz tempo e continuam "filtrando" o que seus associados devem ou não tomar conhecimento.

bigsaranha disse...

O MANTO DO ANONIMATO

Dias atrás, o pais assistiu, estarrecido, às cenas de barbárie perpetradas por um grupo de pessoas contra um jovem de 19 anos, levando-o à morte. Pois bem: hoje, 13/12/2010, foram expedidos 9mandados de prisão, pois os "anônimos" foram identificados. Talvez o "manto" não seja tão confortável assim......

Russel Furtado dos Santos
Belo Horizonte

Anônimo disse...

A PREVI divulgou hoje, dia 13, um balanço da votação. Fiquei decepcionado com a baixa participação de nós aposentados.
Nesta semana encontrei com vários colegas que nem sabiam que negociações estavam ocorrendo, não sabiam de nada, não acessam a internet.
Alguém já disse que os aposentados do BB são uma turma de "velhos gagás e desinformados". Estou começando a concordar com isso.

Anônimo disse...

Marcos e colegas do blog,não entendo como associações como Anabb e Faabb, continuam com tantos sócios. Vendo a cada dia que passa, pessoas inescrupulosas, que já estão com as burras cheias de tanto dinheiro, oriundos das milhares de contribuições de colegas nossos, que ou são ingênuos , ou alienados ou bobos mesmo.
Sabemos que D. Isa, não tem coragem para enfrentar o BB e Previ, porque seu patrão ou chefe, que também já se locupletou há muito tempo com as mensalidades dos funcis, é quem dita como ela tem que votar.Dª Isa faz parte do conselho deliberativo da Anabb. Portanto, é ingenuidade nossa pensar que a mesma vá querer perder sua boquinha na Anabb, votando diferente do Camilo.Ninguém pode servir a dois senhores.Aposentados e pensionistas do PB1 de um lado e Anabb e BB, representada pelo ambicioso Valmir camilo, de outro.
Estou solidário com voçê Marcos, pois já demonstrastes seu bom caráter e integridade moral, quando teve a audácia que muitos não tiveram, ao criar AAPPREVI. Única comprometida com os verdadeiros objetivos nossos.As outras deviam tomar vergonha na cara.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Marcos,

Não minto. No momento em que a maioria das associações presentes no dia 17/10 escolheram propostas para serem levadas à mesa, sabiam que a negociação somente se faria sob a norma registrada na Resolução 26.
A AAPPREVI ficou contra, pois não obteve consenso com relação as suas sugestãos levadas à reunião, mas o coletivo das filiadas aprovou propostas para serem postas à mesa com o Patrocinador.

Atenciosamente,

Isa Musa de Noronha

Pedro Paulo disse...

A AAPPREVI está sendo uma pedra no sapato de uma turma que sempre deitou e rolou com o dinheiro alheio.
Perder uma tetinha é uma coisa inimaginável para quem se acostumou a não trabalhar e ter suas mordomias preservadas.
Depois do que a AAPPREVI mostrou ser capaz de fazer com apenas R$ 10,00 de mensalidades e muita honestidade, as velhas ratazanas entraram em polvorosa.
Por isso colegas é chegado o momento de fortalecermos nossa pequena valente (AAPPREVI). Façam como eu faço, divulguem entre os seus colegas essa nova associação de aposentados que está atormentando as associações jurássicas.
A batalha está apenas começando. Novos ataques serão desferidos contra o Marcos e a AAPPREVI.

wilson luiz disse...

Sérgio Rosa "foi chutado" para fora do Conselho de Administração da Vale, onde exercia o bem remunerado cargo de Presidente. Em sua passagem pela PREVI, criou o renda certa e foi o maior responsável pela situação que hoje vivemos, pois ele teve condições políticas e financeiras para corrigir as distorções do PB 1, mas não quiz fazê-lo.
Restou-lhe, a título de "cala-boca", um cargo de segundo escalão no Banco do Brasil, mas mesmo aí sua situação é complicada. Quando de sua sucessão na Presidência da PREVI, envolveu-se na divulgação de dossiê contra a filha do Ministro da Fazenda, Guido Mantega. Como este foi confirmado no cargo, no novo governo, não acredito que o futuro de Sérgio Rosa será muito brilhante. Meu sonho é vê-lo entrar na agência centro do Banco do Brasil em São Paulo, no próximo dia 3 de janeiro, para assumir o alto cargo de "posto efetivo".

Anônimo disse...

Com relação a essa escolha de votar SIM e/ou NÃO sobre o acordo, me surgiu uma dúvida se um dia a PREVI apresentar déficit, e for necessário o aporte de dinheiro para resolver essa situação, se também seriamos contra a participação do BB. É apenas uma dúvida que me surgiu, mesmo porque votei no não.

Panta Leoa, a mentirosa, disse...

Dona Isa Musa,
Diga que minto ao afirmar que voce e a sua anabb querem doar metade do superavit do Plano 1 à patrocinadora BB ?

Culpar a Resolução 26 é só desculpa esfarrapada !

É mentira Terrrta ?

Anônimo disse...

Colegas, votei hoje: NÃO.

Os 50% que o Banco já se apropriou não influencionou o meu voto.
Apesar de ser contrário a essa apropriação, esse não é o momento oportuno para contestá-la.
O Banco e a PREVI não poderiam de maneira alguma descumprir a Resolução 26. Temos que lutar contra essa arbitrariedade é na Justiça.

Votei contra porque considerei a proposta insuficiente. Poderia ter sido melhor:
- 25% em vez de 20%
- 14º salário
- prazo menor para estudo das
outras medidas
- etc.

Pergunto:
- alguém sabe a PAUTA das discus-
sões a partir de janeiro/2011 ?

- fala-se em re-aliamento dos bene-
fícios; alguém sabe na prática o
que significa ?

Luis Eustáquio de Castro - Araxá-MG

Anônimo disse...

Ao anônimo das 06:06

Criticastes com maestria meu anonimato, citando até a Constituição Federal, mas acabou usando do mesmo expediente. Foi falha tua ou incoerência explícita? Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço!
Aliás, um grande número dos frequentadores deste blog usam do anonimato. Será que são ou não são sócios da AAPREVI. Se são, teriam a obrigação de se identificar.


Anônimo das 03:41

bigsaranha disse...

ALÔ DAMIANO DE GUAXUPÉ:

Há cerca de 2 anos atrás estive na sede da FAAB, em Belo Horizonte. Uma sala modesta em um prédio acanhado. Tive a impressão que dividiam o espaço, a Faab a Unamibb e outra entidade que não sei o nome. Talvez seja a AFA-BH.

Russel Furtado dos
Santos

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Aompanhe a MARCHA DA APURAÇÃO no link aqui ao lado.

Votos dos inativos superam os do pessoal da ativa.

Rogério Luiz Carvalho disse...

Marcos e colégas blogueiros, a verdade sempre prevalecerá sobre a mentira.

O exemplo que faltava para todos nós aposentados e pensionistas do plano1 a nossa Aapprevi está dando,
em relação as ações, a honestidade,
a gratuidade do serviço, e isso tu-
do tem a ver com o carater e a personalidade do nosso Presidente Marcos.


No meu ponto de vista, ganhe o SIM
ou o NÃO, os maiores vencedores se
remos nós os participantes do pb1,
pois hoje com tudo o que está acon
tecendo, estamos nos conscienti-
zando que podemos sim clamar por justiça, e saber de todas maracuta-
ias que os grandes do BB/PREVI/AFAS
tentam nos esconder.

Portanto colégas, eu conclamo todos
que participam aqui no blog a divulgarem a nossa Aapprevi, pois
estamos no rumo certo, e quem viver
verá. Bastante Paz e saúde a todos,
e um Feliz Natal, com peru ou sem
peru. Abraços, Rogério Luiz Carvalho.

Anônimo disse...

Alô blogueiros, os velhinhos de cabeça branca(e de barba branca também, pois estamos no NATAL)já passaram os mocinhos da ativa, espero que o "NÃO" também passe o Sim.
Eta turminha porreta dos velhinhos.
Está me surpriendendo. Vamos prá frente. Mais 20%(não é de beneficio)de votos, 17.200 acho que dá para o "NÃO" GANHAR.

Anônimo disse...

Luis Eustáquio,

Leia o jornal ação da Anabb nº206, que você encontra todos os detalhes,acerca do realinhamento.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Está explicado porque a AFA-BH, do senhor Antonio Carlos Dias, rompeu com o presidente da AAPPREVI (comentário das 05:51).
No "Expediente" daquela Entidade está o motivo: Isa Musa de Noronha faz parte do Conselho Deliberativo.

Acesse o link:

http://www.aapprevi.com.br/documentos/pdf/expediente_afabh.pdf

Anônimo disse...

Pesquisa ANABB referente ao superávit:

Sim com 72%
Não com 25%
sem opinião 3%

luiz carlos disse...

REPORTAGEM SOBRE A ANABB

Caro Alexandre,

Vc. pode informar em qual edição da veja saiu aquela pérola de reportagem?

Anônimo disse...

,cavalcante disse:
ao colega anônimo das 03:41hs
a rigor, o senhor nem mesmo mereceria uma resposta ao seu maldoso e insidioso comentário mas, a bem da verdade, o cordeiro na história é mesmo o senhor e os do seu grupo que acostumados à subserviência têm sidos os co-protagonistas das farsas montadas pelo BB , ContrafCut, Anabb, etc., sempre conspirando contra os próprios colegas , o que é uma vergonha. A verdade é que o senhor e demais, presentes à reunião, se surpreenderam com o posicionamento independente , corajoso e contundente do presidente da AAPPREVI, Sr. Marcos Cordeiro , que não se submetendo à traição engendrada naquela mesa, bradou com a transparencia que lhe é peculiar, que a AAPPREVI não concordava com aquele jogo de cartas marcadas. Caro colega, você foi infeliz ao citar o detalhe de que a AFFABB custeou as despesas dos dirigentes da AAPPREVI, parecendo insinuar que os seus representantes , por conta disso, deveriam passivamente concordar com o logro que se delineava. A AAPPREVI veio para lutar LIVREMENTE e HONESTAMENTE pelos direitos dos aposentados e pensionistas do PB1.
Quanto aos do seu grupo que estão na contra-mão dos nossos anseios, fiquem alertas. Algo está mudando e de maneira inexorável.Novos e melhores tempos estão chegando ,através de uma associação que veio para ficar.
A contagem regressiva já começou, cuidem-se.
A propósito ,sugiro à Diretoria da AAPPREVI examinar a apossibilidade de ressascir à AAFBB, os valores das despesas com os nossos representantes por ocasião da reunião de Brasilia.Tenho certeza que inúmeros associados estarão dispostos a colaborar e assim evitar ônus à nossa associação tão carente de recursos.
Cavalcante

Anônimo disse...

Caro Sr. Marcos, Colegas,

Estou meio confuso com relação à votação do dia 17 em Brasília.
O Sr. Marcos foi voto vencido, até mesmo porque foi agredido verbalmente na reunião, pelo que se leu neste blog.
A Sra. Isa votou pelas afiliadas, então, para referendar apoio ao acordão.
O sr. Marcos continuou na sua posição, que defende até o momento, contra apoio ao acordo/propostas.
A Sra. Isa já estava, na época, a favor do acordo, sem avisar aos seus filiados, ou afiliados?
Estou velho e cansado com todas estas marchas e contra-marchas, talvez por isto não entenda perfeitamente o que está se passando.
Se forem ridículas minhas colocações, não respondam, assim não me sentirei humilhado, e não me sentirei senil.
Abraços

Anônimo disse...

Colegas,
Acredito que a maior dificuldade que está ocorrendo na votação pelo 0800 é com referencia à senha da Previ.
Muitos que receberam a Senha devem te-la ignorado ou até mesmo jogado fora aquele expediente.
Faltam dois dias para o termino do plebiscito e não deveremos alcançar, na melhor das hipóteses, nem 45%. Assim, ficará sempre dificil. Uma minoria decidindo por todos. Ou estão satisfeitissimos com seus beneficios.

mesquitasantana disse...

Ao Anônimo de l5:08

Manda dizer o valor da rateio.
Já me desliguei da Anabb, Já votei "NÃ" já verifiquei que os votos dos aposentados e pensionistas já ultrapassaram aos votos do pessoal da ativa, então por que não resarcir as despesas de um verdadeiro combativo representante da classe?.

abraços a todos

Anônimo disse...

Ao colega Luis Carlos das 14:57
matéria pode ser encontrada (sobre ANABB)no site da VEJA.ABRIL.COM.BR .Na pesquisa digite ANABB e leia o 1 item encontrado.
Sds.

bigsaranha disse...

ALÕ cavalcanti:

É só mandar os dados da conta e o valor a ser remetido. Para mim, será motivo de orgulho dar essa pequena contribuição em face de seu grandioso simbolismo.

Russel Furtado dos Santos
Belo Horizonte

Anônimo disse...

"Saiu na VEJA sobre a ANABB"
por Alexandre Oltramari (13/12, 02:31):
Que viva a AAPPREVI/previplano1, pois se não fosse esses veiculos já teriamos sido sepultados vivos, sem que tivessemos conhecimentos das maracutais do peçonhento Valmir Camilo.
No decorrer desse ano (2010)e anteriores os correios quase cansaram as pernas de entregar correspondências a quem tem ações judiciais (via ANABB). Tratava-se de documentação para revogação de mandato outorgado ao Dr. Ivo Evangelista de Avila, constituindo, para a mesma ação, o Dr. Marcos Antonio Zin Romano.
Agora a Revista VEJA explode essa bomba. Já pensaram onde fomos amarrar nosso jegue? Que furdunço miserável tem aprontado esse tal de Valmir Camilo, hein!?
A Biblia diz que não há nada encoberto que um dia não seja revelado.
Destarte, ao que parece, agora está esclarecido a pressa e a insistência da ANABB/Camilo para a assinatura e remessa/devolução daqueles documentos.
Dinheiro em excesso, alheio e adquirido sem suor faz tantas aleivosias que até o diabo duvida.

Anônimo disse...

A MARCHA DA APURAÇÃO - O Time dos velhinhos (aposentados/pensionistas) estar longe de se igualar ao time da juventude (ativa), mas, mesmo assim, parece que houve grande reação com relação as votações anteriores. Com as vistas embassadas e tropeçando em suas próprias pernas os sexagenários e outros nários estão mandando ver nas urnas.
Agora, imaginem se o "NÃO" superar o "sim"! Hein? Fiquem ligados, pois no momento a bola não rola nem em brasileirão, regionais,estaduais, etc. E a zebra que é um animal inquieto não fica parado, e pode passar em disparada carregando o NÃO nas costas. E daí, hein? Daí?...É só agradecer ao PAI e correr para o abraço.

Lázara Rabelo disse...

Caro Marcos e Dona Isa,

Não é novidade, BB/PREVI/Governo, já há algum tempo, têm feito o que bem entendem, contando com o apoio ou omissão das entidades ditas representativas dos funcionários, com os recursos da Previ. Estes recursos despertam a cobiça de muitos, alguns foram atendidos, como Daniel Dantas(telefonia), ACM/OAS(Sauipe), Carlos Jereissati/Sergio Andrade (BrOi), Hospital Humberto Primo-SP, Bradesco(Vale), etc. etc.
Se em 2008, a ganância do BB/Governo tivesse sido menor e a Previ distribuído algumas migalhas para os participantes do PB1, acredito que hoje não teríamos estes canais tão importantes como a AAPPREVI, o Blog Previ Plano 1, e outros novos Blogs. Menospresaram nossa inteligência e capacidade de nos unirmos em torno de objetivos comuns. A internet, hoje mais acessível, também ajuda. Dona Isa, Valmir e demais negociadores?, vocês não perceberam que desta vez, todos os seus passos e atos seriam vigiados 24 hs por dia, pelos(as) cabeças brancas? Que não admitimos falta de transparência? Quem ficou sonegando informações sobre aquelas primeiras reuniões? O Marcos não, muito pelo contrário!

Ivan Rezende disse...

Somente na noite do dia 13;12 é que recebi uma edição especial da revista Previ, sobre o plebiscito em andamento desde o dia 09. Contudo, graças a este blog e suas consequentes ramificações informativas, tinhamos pleno conhecimento de todos os acontecimentos relativos à discussão sobre a distribuição do Superávit.
Assim como a AFAGO (aqui em Goiás), certamente que a AFABH, do melindroso Antonio Carlos nada fez para esta divulgação, pois eles nada fazem para os aposentados e pensionistas, que deveriam merecer maior atenção, por serem os verdadeiros motivos da criação destas entidades.
O Presidente daquela entidade foi também deselegante ao solicitar exclusão dos destinatários dos emails. Você consultou sua diretoria para tal ou foi mais uma de suas atitudes radicais? Sugiro também que você deixe de ler este blog, para que você continue desinformado dos acontecimentos.
Assim como a Afago, daqui, é mais uma desassociação de aposentados, a serviço da Previ e do BB.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Superavit PREVI – Outra Análise. Resposta a um colega, por José Domingos Moreira Filho – advogado, aposentado do Banco do Brasil, participante da PREVI e sócio da AAPPREVI.

Prezado Ênio,

Inicialmente, agradeço-lhe pela confiança em mim depositada, fazendo consulta sobre tão importante tema que envolve a todos nós, APOSENTAODS E PENSIONISTAS DO BANCO DO BRASIL.

Realmente, a matéria é complexa, não só pelo aspecto jurídico que a envolve, mas, e principalmente, por todas as interpretações que se buscam encontrar para o seu entendimento e aplicação prática do que está em jogo: a utilização do superávit da PREVI.

Dentre as mais variadas correntes, duas são as vertentes em discussão: (a) o BB tem direito à metade do superávit da PREVI; (b) o BB não direito nenhum sobre o superávit da PREVI.

Sob a égide dessas discussões, surge, ainda, uma outra indagação: o BB tem direito à metade ou a 2/3 do superávit ?

O colega AULIM fez uma brilhante apresentação, apontou pesquisas realizadas, abordou análise do tema, e, mais importante, deixou claro que conhece a matéria em profundidade.

Mesmo assim, o colega AULIM expôs o seu pensamento sob a ótica do direito desejado(ou sonhado), direito esse não conhecido no mundo do direito objetivo vigente. Nada além de um bem articulado "achismo", sob corretíssima e bem traçada redação de cunho sonhador e imaginário.

Repito, sua manifestação é uma verdadeira e bem escrita peça literária, porém lhe faltam os fundamentos jurídicos essenciais para alcançar a imaginada eficácia e aplicação ao fato concreto.

Os argumentos por ele apresentados, no que tanje aos fundos de pensão, sucumbem ante as Leis Complementares 108 e 109, os instrumentos legais que, atualmente, regulam a constituição e o funcionamento dos fundos de pensão vinculados a empresas estatais e privadas.

Segundo o ordenamento legal vigente, de há muito, no Brasil, há uma hierarquia entre as leis, hierarquia essa instituída para disciplinar a prevalência de uma lei sobre outra, a fim de evitar o desmantelo do estado de direito quando da análise dos casos e da aplicação das leis.

Sob esse enfoque, temos a Constituição Federal como a lei máxima do país, depois, as Leis Complementares e, só em 7º lugar, as resoluções. Dentre elas, temos a discutida "GENI" (segundo assim o respeitável colega AULIM denominou a Resolução CGPC 26).

Ora, meu caro Ênio, havendo uma hierarquia, há de se ter a prevalência de uns sobre os outros, sejam na família, no convívio social, no trabalho, nas relações negociais, e, no caso em questão, nas leis, sem mo que, fatalmente nascerá a anarquia.

Conscientemente, não desejamos nem queremos NENHUMA ANARQUIA, particularmente na administração do nosso patrimônio previdenciário, sob a responsabilidade da PREVI.

Dito isto, posso afirmar, categoricamente, como cidadão e, mais ainda, como advogado: UMA LEI DE HIERARQUIA INFERTIOR NÃO PODE ALTERAR OUTRA LEI DE POSIÇÃO HIERARQUICAMENTE SUPERIOR.

Continua

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Parte II - final

Para ilustrar, poderíamos dizer que, na linguagem dos quartéis: uma ordem de um cabo não pode derrubar ordem de um sargento...

Resumindo, um decreto não pode alterar uma lei ordinária; uma lei ordinária não pode alterar uma lei complementar e uma lei complementar não pode alterar a CONSTITUIÇÃO FEDERAL.

Logo, segundo essa hierarquia das leis (VIGENTE), uma resolução JAMAIS poderá alterar uma Lei Complementar, como assim querem fazer o Banco do Brasil, setores do Governio e a PREVI, sob a trabalhada e bem acomodada conivência de entidades que se auto-intitulam representantes dos na aposentados e pensionistas do Banco do Brasil.

O brilhante e bem apresentado texto do colega AULIM se comporta muito mais como um trabalho literário do que como uma defesa jurídica do SIM que ele apregoa.

Para não irmos mais longe, meu caro Ênio, pergunto: quando você se aposentou, destinou quanto do seu fundo de garantia para o seu então empregador Banco do Brasil, já que foi ele, e somente ele, que contribuiu com 8% sobre os seus salários mensais ???

Pergunto, do mesmo modo, quanto você destinou de sua aposentadoria ao INSS, já que o BB contribuiu com a maior parcela e você com cerca de 8% dos seus salários diurante sua vida laboral ?

A resposta para as perguntas acima é ZERO, pois você foi e é o único beneficiário do FGTS(já recebido, é claro) e da aposentadoria a cargo do INSS.

Com tais considerações, amparadas na LEGISLAÇÂO VIGENTE, só nos resta uma indagação: SOU, REALMENTE, UM BOBO, para acreditar no que se fala (da parte do BB, da PREVI, e dos falso representantes dos aposentaos de pensionistas) sobre a legalidade das medidas para tomar o que é NOSSO DE DIREITO E DE FATO ?

Meu caro Ênio, não sei se respondi a contento a sua porgunta, mas a respondi com honestidade e baseado em princípios legais.

Não pretendo "fazer a sua cabeça" sobre como votar, pois o voto tem de ser, na origem, fruto da consciência de cada um que tem o poder do voto.

Digo, apenas, e por final, que, por conhecimento e dever de CONSCIÊNCIA, JÁ VOTEI NÃO.

Meu fraternal abraço e, mais uma vez, o meu agradecimento pela confiança em me consultar sobre assunto tão sério.

José Domingos Moreira Filho

Anônimo disse...

Gente,

Vamos com calma, não explodiu bomba nenhuma, pelo menos atualmente. Essa matéria da VEJA sobre a ANABB é muito antiga (23/12/1998), já tinha postado aqui em setembro, em comentário do post "Reuniões infrutíferas", mas pode ser facilmente acessada em http://veja.abril.com.br/231298/p_045.html:

"Anônimo disse...
Colegas, a podridão na ANABB não vem de hoje... Olhem matéria "Prodígio legal" da revista Veja, de 23/12/98, página 45 (demora um pouco para carregar, para dar zoom é só clicar na página).
link:
http://veja.abril.com.br/acervodigital/home.aspx?cod=JOJQFRIMD8

16 de setembro de 2010 11:34"

Anônimo disse...

Parabéns ao sr. José Domingues Moreira Filho pelo seu brilhante comentário (14/DEZ - 00,38 hs.). Ainda que vença o "SIM" teremos o consolo de contar com o apoio de colegas tão bem esclarecidos que poderão ser úteis em novas batalhas. Se você for mais um "velhinho", peço a Deus que o conserve por muitos anos ainda. Um abraço.

Ricardo Annoni Neto - Machado (MG).

Anônimo disse...

Prezado Marcos Cordeiro,

Pelos comentários e pesquisas realiazadas a LC 109, dá poderes para a SPC regulamentar a previdência complemnentar através de resolução, razão pela qual os negociadores procuraram acordar com a proposta em votação, embora não seja a melhor, mas foi a possível. Todavia, isto não impede a nossa luta na justiça para que se faça prevalecer o direito legítimo de todos nós associados da Previ. Nâo vamos nos dispersar, a luta continua. Depende da união de todos nós.

luiz carlos disse...

A consulta da Previ lembra muito o plebiscito feito na Venezuela para o povo dizer se queria que Hugo Chaves deixasse o poder ou ficasse:
Dizem que a cédula de votação era assim:

VOTE SIM (para que Hugo Chaves fique)

VOTE NAO (para que Hugo Chaves NAO saia)

Ou seja...

Anônimo disse...

Esse Valmir Camilo, sempre foi um mau negociador (para os outros, é claro).Eu nunca lhe dei carta branca para negociar em meu nome.
Sr. Valmir, já que estás muito rico, porque não sai desta Anabb, ou então pare de se intrometer, enfiando seu bedelho nas negociações dos aposentados e pensionistas? Precisamos de pessoas sérias e competentes na hora de fazer acordo.Não ocupe o espaço de quem pode fazer isso melhor que o senhor.

Anônimo disse...

SOU AUTOPATROCINADO. A PARTE QUE O BANCO ESTÁ LEVANDO, EU A QUERO. VOU TENTAR ADMINISTRATIVAMENTE, SE NÃO CONSEGUIR VOU À JUSTIÇA. JÁ ACIONEI 14 ESCRITÓRIOS DE DIREITO PARA ESTUDAREM O CASO.SOMOS 3476 EM 30/09/