quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Eternamente trouxas

Caros Colegas.

Tratam-nos como idiotas porque agimos como tal. Todos os adjetivos usuais para definir o idiotismo nos são aplicáveis no momento presente. Além de outros: ingenuidade, boa fé exacerbada, memória curta, baixa autoestima – tudo se concebe. Este ano de 2010 será reconhecido no futuro como o marco regulatório que definiu nosso comportamento subserviente da aceitação de imposições, direcionamentos, e castração de desejos e vontades. Tudo porque nos deixamos conduzir como animais levados ao matadouro, tangidos entre currais afunilados até o destino único do suplício.

Assistimos desde janeiro ao jogo sujo do Banco, com o uso da PREVI, preparando o bote fatal para impor seus desígnios. Depois de divulgado o superávit teve início a execução de um plano mesquinho, pois bastava ali ser anunciada a distribuição do montante obtido sem necessidade dos desdobramentos conhecidos. Mas a estratégia guardada não permitia simplismo, e esticar o tempo era imperioso para se chegar à data limite: final do ano. Nessa faixa de chegada estaria consolidado o ambiente para o anúncio retumbante: barrigas vazias, a constatação da passagem de mais um ano em direção à morte, época da acentuação das necessidades, esperança de um natal mais feliz que o de antes, e por ai segue. Vai longe o tempo em que se conquistavam pessoas pelo estômago. Hoje essa conquista se consuma pelo bolso.

Armado o circo no início do ano foi posta em prática a programação do duradouro espetáculo mambembe. A companhia teatral foi posta em campo, composta dos bem intencionados elementos da PREVI liderados pelo seu arrogante presidente, serviçal do Banco do Brasil, competentíssima figura na arte da enganação. Seus acompanhantes também desempenharam seus papéis com excelência, ostentando o pomposo título de Eleitos.

Foram infindáveis espetáculos encenados pelo Brasil afora, nas capitais e grandes Cidades, para divulgar resultados bilionários – tudo nosso, diziam. Com explicações inócuas e desnecessárias, o espaço de tempo entre os eventos era dilatado para durar todo o primeiro semestre. Depois vieram os encontros patrocinados pelas “Entidades Representativas dos Aposentados e Pensionistas” (outra enganação), convocando a mesma valorosa e entendida equipe da PREVI, para seguidas apresentações perante a platéia dos dóceis velhinhos com sua infantil credulidade, batendo palmas para a enganadora trupe.

Ai chega-se ao final do exercício, quando o Banco tem que se desvencilhar dos indícios de irregularidades praticadas. E isto está sendo fácil, visto que a programação foi cumprida à risca e, uma vez chegado o momento aprazado foi desferido o golpe final, contundentemente amparado pela argumentação inquestionável na forma de proposta, com cunho de decisão, apresentada numa bandeja estendida cheia de merrecas cintilantes. Disponíveis para uso imediato depois de aprovado o plebiscito.

E os pobres diabos famintos, desiludidos, endividados e ávidos pelos tostões prometidos estão prontos para, em uníssono, aprovar o desfecho tão esperado. Com murmúrios silenciosos pretendem dizer SIM através dos bolsos. Quando o pouco de dignidade que lhes resta clama para que se diga NÃO.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 01/12/2010.

139 comentários:

carrara disse...

Marcos,
Mais uma vez, seu texto construído com zelo e competência nos mostra o quanto são incompetentes nossos representantes e não zelosos tantos de nossos "iguais".
Mas acredito que muitos bolsos estão vazios também de informação. Tenho me comunicado pelo facebook, ORKUT etc com todos os meus contatos e estou surpreendendo muitos, principalmente os da ativa, com fatos que desconheciam.
Se cada um de nós se dispor a acender o cenário para pelo menos cinco expectadores, perceberão que estão no teatro.
Mesmo que vença o NÃO, a parte da platéia que não pagou para ver comédia tende a se juntar para reaver o valor de seu ingresso.
O momento é de mobilização, apesar do íntimo desânimo que devemos esconder até de nós mesmos.
Novas lideranças autênticas e desinteressadas de poder podem estar surgindo em várias localidades. Precisamos acreditar nisso e, quem sabe, no NÃO !

Anônimo disse...

MB em Debate sobre acordo do superávit da Previ
Ao vivo, programa de quinta-feira 2 esclarece dúvidas dos participantes


São Paulo - Os diretores eleitos de Seguridade e Administração da Caixa de Previdência dos funcionários do Banco do Brasil (Previ), José Ricardo Sasseron e Paulo Assunção, respectivamente, são os convidados desta quinta-feira 2 no programa Momento Bancário em Debate.

A partir das 20h, ao vivo no site do Sindicato, ao lado da presidenta Juvandia Moreira, Sasseron e Assunção vão esclarecer dúvidas sobre o acordo que prevê a distribuição do superávit aos participantes do Plano 1.

Para valer, o acordo será submetido à aprovação de funcionários da ativa e aposentados por meio de consulta aos associados do Plano 1 da Previ, entre os dias 9 e 15 de dezembro. Funcionários da ativa votam pelo Sisbb e aposentados e pensionistas, pelo 0800-729-0808.

O acordo prevê a criação de um fundo especial que será destinado a um benefício especial temporário de 20% da complementação de aposentadoria dos aposentados e pensionistas e beneficiará também os futuros aposentados. Com os recursos, o benefício mínimo também será elevado temporariamente de 40% para 70% da Parcela Previ.

Atendendo à reivindicação do funcionalismo, o banco incorporará permanentemente os benefícios de remuneração e de proporcionalidade. A incorporação será custeada pela reversão dos fundos na reserva matemática sem novos custos adicionais, dando mais segurança com a perenidade dos benefícios. Já as contribuições continuarão suspensas por três anos.Sindicato dos Bancarios

mesquitasantana disse...

Votar "NÃO,

significa que "NÂO" receberemos do que foi pactuado por nossos representantes? E,

Votar "SIM" significa que receberemos o que foi acordado?

Segundo os especialistas no assunto, para qualquer uma das duas alternativas, votando "SIM" ou votanto "Não", a PREVI terá que cumprir o que foi pactuado.

Vamos aos detalhes subjacentes, os quais se traduzem em situações que todos nós deveremos pesá-las sob pena de amargarmos seus resultaos para o resto da vida, e aí "Aposentados", "Pensionistas" e Funcionários ainda na "Ativa" todos sem excessões eu disse: TODOS! seremos os produtores e consumidores dos frutos plantados.

Agora vamos tentar explicar um pouco dessa armadilha. Caso vença o "SIM", O banco terá respaldo para continuar, como vem fazendo deste muitos anos, usando de todo o seu poder para Achatar salários dos que ainda estão na "Ativa" e Usar ilegalmente do nosso patrimônio da (PREVI) Para engordar seu Caixa, oferecendo aos da "Ativa" um brinquedinho que ainda não lhe pertence, pois somente na liquidação do fundo, o patrimônio da PREVI será do Banco e do Governo; Até lá pertence aos "Participantes e Assistidos". Agora vamos analisar, sucintamente, caso vença o "NÃO". Segundo a lei 109 a Previ terá que cumprir a distribuição do Superavit, sob pena de Intervenção da PREVIC se assim não procder. Diante disso eu perguntaria: Qual o "Medo" em votar "NÂO"?. Acredito que melhores comentários podem ser acrescentados para esclarecer estas dúvidas que permeiam a mente de quase todos os Litisconsorte.

Abraços a todos

prcirne disse...

Marcos,
acho que seria de muito bom proveito,além dos maravilhosos textos que vc escreve,uma campanha através do seu Blog,para o direcionamento pelo voto NÃO.Vide sua pesquisa,a grande maioria vota pelo Não.
Abraços.
Paulo Cirne

Anônimo disse...

Parabéns, Marcos, por dizer tantas verdades.
Uma pena é que poucos aposentados e pensionistas tem acesso a este blog. Estou divulgando ao máximo aos colegas o site, mas gostaria de sua permissão para repassar suas mensagens para a comunidade dos apossentados BB do orkut.
Ainda temos 16 dias para tentar reverter a situação.
Obrigada.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Pelo que você nos informou, nós temos aí em Curitiba um bom escritório de advocacia para nos assesorar. E aqui no site, nós temos condições de colher fortes argumentos e, em alguns casos, verdadeiras teses contrárias aos interesses dos nossos adversários, os "traficantes de influência", encastelados no nosso morro do Alemão (Previ). O BB precisa, de qualquer forma, justificar o estrupo que está sendo planejado nas nossas economias e para isso está até "comprando" o SIM do pessoal da ativa em troca de migalhas.
Diante disso, pergunto: não seria o caso de entrarmos com um pedido de liminar na justiça federal para, pelo menos, sustar essa votação até a apresentação do balanço do BB e evitar que eles possam, com a anuência dos nossos pseudo-representantes, meter a mão no nosso superavit?
Tenho a impressão de que muitos colegas, como é o meu caso, se disporiam a participar do rateio das despesas dessa ação na justiça. A nossa Previ é uma galinha dos ovos de ouro, mas, não podemos concordar com os nossos adversários, que, repetindo os erros daquela antiga fábula e no afã de engordar os resultados do BB, pretendem sacrificar a galinha para dali, de uma só vez, tirar o máximo de proveito, sem a preocupação com o futuro dos aposentados e pensionistas.

Na minha vida profissional pude verificar, muitas vezes, que um passo errado na gestão do empreendimento de um cliente, significava o início da bola de neve que iria levá-lo montanha abaixo e a sua falência. Pois bem, eu acho que se concordarmos com isso que está aí, pode ser que estejamos dando o primeiro passo para nos jogarmos e a nossas famílias num precipício sem volta.

Anônimo disse...

Marcos,

Concordo com tudo que você escreveu, principalmente quando dizes que o pouco de dignidade que me resta clama para que eu diga NÃO.

Podes até não concordar comigo, mas diante de muitas dificuldades as vezes torna-se difícil até abrir mão de migalhas, e infelizmente o Banco sabe disto.

Continuo torcendo para que a AAPPREVI, da qual sou sócio, continue se fortalecendo, e quem sabe nas discussões sobre a reforma do estatuto,possamos tê-la nos representando.

Um abraço!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Aos Colegas do Blog.

Todas as matérias aqui publicadas que levam minha assinatura são do domínio público. Portanto estão autorizados a reproduzi-las por seus próprios meios sem alterações textuais, pelo que agradeço.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade

Anônimo disse...

Desculpe, sei que o assunto em foco é o SUPERAVIT mas transcrevo o que foi noticiado no jornal Folha da Manhã de 01.12.2010.

Depois de 21 anos de espera a batalha judicial dos 548 funcionários do Banco do Brasil de Campos, São João da Barra, Italva e São Fidélis teve fim ontem. O TRT RJ homologou o acordo firmado entre o Sind.Empr.Estab.Bancários de Campos que em Assembléia realizada na última sexta-feira, os bancários aceitaram o acordo estimado em R$ 62 milhões, o que não foi confirmado pelo Sindicato.

Segundo informações do presidente do Sindicato, Rafaneli Alves o processo tem 81 volumes e como BB se interessou em fazer NEGOCIAÇÃO a categoria também resolveu aceitar o acordo. A audiência foi realizada na Seção de Apoio à Conciliação, no 2º and. do prédio do TRT.

- Foi uma grande conquista, apesar dos longos anos de espera. A partir de amanhã, os funcis, ex-funcis, aposentados e pensionistas do BB poderão comparecer ao Sindicato para darmos início ao PAGAMENTO. Para nós é uma vitória, porque o banco RECONHECEU que não cumpriu com a determinação que nós temos direito. - declarou.

SINDICATO DOS BANCÁRIO DO RIO DE JANEIRO - não dá pra ENTENDER como um Sindicato forte e poderoso como a de vocês não obtém um VITÓRIA como esta lograda pelo Sindicato de Campos nua Ação do mesmo objeto.

Olá colegas aposentados e pensionistas, temos que correr atrás desse dinheiro também.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Ao Colega Marco Aurélio Damiani e demais frequentadores d Blog.

Dou a seguir resposta à consulta formulada em 26/11 a um dos nossos advogados (cujo nome achei por bem omitir):

Prezado Sr. Marcos,

Após nossa conversa de hoje à tarde, debrucei em cima dos termos do acordo da distribuição do superavit, dos normativos sobre o assunto (LC 109/2001 e Resolução 26-CGPC) e demonstrativos contáveis da PREVI para estudar sobre a possibilidade de se ingressar com alguma medida judicial para embargar a finalização do acordo da forma como está alinhavada.

Se ingressar com alguma medida judicial, não basta dizer que está errado. Há que se apontar a forma correta.

E, para isso, temos que ponderar que o assunto é complexo/controverso e para ingressar com alguma medida judicial careceria de um parecer técnico elaborado por um economista ou contador, onde ele examinaria os balanços da PREVI em confronto com um estudo atuarial e elaboraria um laudo (com mais de 20 páginas) demonstrando que a distribuição do superavit poderia ser de forma vantajosa para os participantes/assistidos do Plano 1.

Nesse laudo, o economista/contador levaria em conta a quantidade de pessoas e os seus prováveis benefícios a ser sugeridos (melhor do que o acordo em tela), demonstrando que a forma alteranativa apontada não colocaria em risco a solidez do plano 1.

Além disso, haveria de se demonstrar que as partes que assinaram o acordo não teriam legitimidade para representarem os participantes.

Se os fatos puderem ser provados por um parecer conclusivo de um técnico e se esses fatos/procedimentos estiverem em desacordo com os normativos aplicáveis (Constituição Federal, LC 109/2001, estatuto do PREVI, etc.) torna-se viável o procedimento judicial.

A medida judicial cabível seria AÇÃO DE ANULAÇÃO DE ACORDO, com pedido de liminar para impedir o andamento dos procedimentos do acordo.

No entanto, em razão da complexidade da matéria e da possibilidade de os participantes (ativos e inativos) anuirem para concretização do pacto, ENTENDO QUE A CH ANCE SE OBTER UM BOM RESULTADO PRÁTICO É PEQUENA.

Em vista disso, salvo melhor juízo, desaconselho o ajuizamento da medida, A NÃO SER QUE SE CONSIGA VIABILIZAR A CONFECÇÃO DO REFERIDO PARECER TÉCNICO ATRAVÉS DE UM RENOMADO ECONOMISTA OU CONTADOR.

Fico a sua disposição para outros esclarecimentos.

Atenciosamente

OBS. do BLOG:

Para amparar o estudo de Ação da espécie, está sendo feito levantamento dos custos para arregimentação dos elementos necessários.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade

DE TANTO ACREDITAR disse...

observem na letra da música abaixo descrita quanta similaridade pode exisitir entre ela e o nosso relacionamento com o BB. Que seja então o nosso hino, a nossa música para o BB.


Às vezes parecia que, de tanto acreditar
Em tudo que achávamos tão certo,
Teríamos o mundo inteiro e até um pouco mais:
Faríamos floresta do deserto
E diamantes de pedaços de vidro.

Mas percebo agora
Que o teu sorriso
Vem diferente,
Quase parecendo te ferir.

Não queria te ver assim --
Quero a tua força como era antes.
O que tens é só teu
E de nada vale fugir
E não sentir mais nada.

Às vezes parecia que era só improvisar
E o mundo então seria um livro aberto,
Até chegar o dia em que tentamos ter demais,
Vendendo fácil o que não tinha preço.

Eu sei -- é tudo sem sentido.
Quero ter alguém com quem conversar,
Alguém que depois não use o que eu disse
Contra mim.

Nada mais vai me ferir.
É que eu já me acostumei
Com a estrada errada que eu segui
E com a minha própria lei.
Tenho o que ficou
E tenho sorte até demais,
Como sei que tens também.



Letra da música "Andrea Doria" de Renato Russo

Anônimo disse...

Colegas,

Analisando somente o nosso blog, com relação a pesquisa sim ou não, vejo que a batalha está perdida para o não.
Os da ativa certamente votarão pelo sim, é barbada o tipo de suborno a que estarão submetidos, mesmo em prejuízo de suas futuras aposentadorias.
Nós estamos cavando nossa própria sepultura financeiro-aconomica, entregando de mão beijada para os atuais governantes deste País, o sagrado dinheiro dos aposentados da Previ.
O que me conforta é que eles não durarão para sempre.
Se não podemos ingressar com ações agora, vamos fazê-las de futuro
leve o tempo que levar, nossos netos irão receber.
Abraços

Mauricio disse...

O Governo Brasileiro fatalmente será condenado na Corte Interamericana de Direitos Humanos-CIDH pelas graves violações de direitos que o banco do Brasil cometeu nas demissões arbitrárias e estas demissões serão todas "anuladas".
Cerca de 20 mil funcionários serão reintegrados, porem todos já reúnem condições para aposentadoria e serão automaticamente direcionados para a Previ, já que suas reservas de aposentadoria estão retidas no fundo de pensão. Esta é a realidade.

Se permitirem que o BB se aproprie de 50% das RESERVAS DA PREVI, poderão ter surpresas desagradáveis no futuro.
Aqueles que olham para o próprio umbigo e só pensam no agora, não esqueçam que o amanhã é muito próximo e fatalmente chegará.

Mauricio Furtado
PAQ 2000

Anônimo disse...

HELENO PINTO NOBRE ; MATRICULA : 3.984.740-3; SEMPRE ME IDENTIFICANDO; JAMAIS ANÔNIMO. DIGO QUEM IRÁ VOTAR NO SIM SÃO AQUELES QUE ESTÃO BEM A- POSENTADOS. EU QUE TIVE QUE AGUENTAR 08 ANOS DE GOVERNO FHC; QUE RECEBI DE 1.994 Á 2.004; APENAS 10% DE AUMENTO ENQUANTO OS QUE SE APOSENTARAM ANTES NESTE PERÍODO GANHARAM 100 %. E AINDA TIVE QUE SUPORTAR O TAL DO FATOR PREVIDENCIÁRIO CRIADO PELO GOVERNO DO MALDITO; COM CERTEZA PRECISO DESTE SUPERÁVIT; MAS NÃO IREI VENDER MINHA ALMA AO DIABO(BB). MORRO COM DIGNIDADE E ABRO O MEU VOTO QUE É "NÃO"; COM MUITA DIGNIDADE. QUE TINHA QUANDO TRABALHEI NA EMPRESA QUE HOJE NOS TRATA COM DESDEM. QUEM TIVER VERGONHA NA CARA E CORAGEM NÃO TERÁ MEDO DE VOTAR PELO NÃO; VENHA O QUE VIER DA PARTE DESTES NOSSO ALGOZES. CONCLAMO TODOS OS QUE LEREM ESTAS INFORMAÇÕES A RACIOCINAREM MUITO BEM NO QUE E ESTÃO FAZENDO E LENDO DE INFORMAÇÕES DE PESSOAS QUE ESTÃO AO PAR DE TODOS ESTES CONCHAVOS. NÃO NOS AFOBEMOS VOTANDO NO SIM POR ESTA MIGALHA QUE QUEREM NOS EMPURRAR GUELA A BAIXO. COMO SE DIZ AQUI NO SUL; NÃO ESTÁ MORTO QUEM PELEIA. VAMOS A LUTA COLEGAS APOSENTADOS E PENSIONISTAS. SABEMOS QUE TODOS NÓS PRECISAMOS SEGUNDO SUAS NECESSIDADES. QUEM NÃO ÁS TEM ? RACIOCINEMOS E NÃO NOS ENTREGUEMOS TÃO FÁCIL; POR MIGALHAS QUE ELES IRÃO ABOCANHAR DANDO RISADA DAS NOSSAS CARAS. REFLITAMOS; QUEREM A NOSSA APROVAÇÃO; RESPONDEMOS COM UM RETUMBANTE NÃO. É ESTE O MEU ENTENDIMENTO. UM ABRAÇÃO PARA OS NÃO EGOISTAS QUE NÃO QUEREM IMEDIADISMO.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Interessante a análise do advogado acima. Entretanto, deve-se ressaltar que existem os advogados que ganham as ações e os que perdem as ações. E os que perdem as ações o perdem, muitas vezes, por uma maneira equivocada de se analisar uma determinada questão. Então, sem querer duvidar da competência desse advogado que o assessorou, acho conveniente o palpite de um segundo profissional para se verificar a coincidência de pontos de vista.
Há, por exemplo, um aspecto que não foi abordado pelo referido advogado, qual seja, a ilegalidade da resolução 26 diante da LC 109.

Finalmente, gostaria de saber se o advogado em questão tomou conhecimento das teses defendidas aqui nesse blog por colegas como o João Rossi e Edgardo.

Blog do Ed disse...

Colega da ativa que disse que tem direito a participar da partilha de metade do superavit, porque é justo. É, a Justiça é a BASE da Lei. Mas, olhe, eu contribuí durante 31 anos para ter direito a apenas percentagem da minha remuneração na ativa,só quando a Lei já me considerou velho! E continuei contribuindo até 2007 para você ter sua aposentadoria daqui a três anos, parece-me. 20 anos mais contribuindo para você! E,coisa interessante, há três anos você não contribui. É que na Vida, além da Justiça, existe sobretudo sorte!No mundo de hoje, não é tão importante a Justiça quanto a Lei. E o que diz a Constituição sobre Previdência? A Previdência se compra a prestações, enquanto se trabalha. É exatamente nisso que ela difere da Assistência. Esta é caridade, por ela nada se paga.Mas, o amigo foi um sortudo, terá uma Previdência sem pagar. E agora acha que tem direito a um presente, uma caderneta de poupança, um bem, um benefício da Previdência ainda no trabalho. Mas, a Constituição diz que, enquanto se trabalha, se compra o benefício previdenciário a prestações e que benefício previdenciário é ou aposentadoria (por invalidez ou velhice) ou pensão (por morte). É legal, é constitucional receber benefício previdenciário agora, enquanto se está trabalhando? Olhe, não se preocupe com o futuro. Você ainda receberá muito benefício previdenciário, porque os velhinhos como eu estamos morrendo todo ano, deixando apenas 60% da aposentadoria para nossas viúvas e os 40% para você e o Banco do Brasil. Quando o Plano 1 de Benefícios acabar ainda haverá patrimônio remanescente, que irá para o Banco do Brasil. Estatuto antigo da Previ dizia que esse remanescente deveria ser aplicado integralmente em benefício dos funcionários. O Estatuto atual acabou com essa generosidade...

Anônimo disse...

Por que os dirigentes da Previ, inclusive aqueles indicados pelos participantes, se tornam tão frios e viram as costas aos
participantes do Plano?

Por que o reajuste anual é tão ínfimo, inclusive menor que o do INSS, se existe uma montanha de dinheiro à ser distribuído?

Por que eles querem deixar nossa montanha de dinheiro para o banco e para o governo?

Por que Planos que são deficitários valorizam mais seus participantes?

Por que será que a Aerus se procupou mais com seus participantes, mesmo com a situação de concordata ou falência de seu Patrocinador, do que a multibiliónária Previ se preocupa com os seus?

Por que são tão insensíveis? Será que existe algum favorecimento para agirem assim?

Anônimo disse...

Me desculpe, colega Heleno, mas votarei SIM. Ganho da PREVI 2.854,27 de benefício. Com o acordo todo mês receberei mais 570,85 e agora em dezembro, com o adiantamento das 12 parcelas, receberei a mais 6.850,25. Há muito não tenho uma folguinha no Natal. Ano novo vem ai e tenho muitas contas a pagar: IPTU e IPVA do meu Uno Mille, por exemplo. Vou precisar. Vou votar SIM. Os senhores me desculpem, mas não estou em condições de recusar qualquer 20%.

Anônimo disse...

Do jeito que as coisas andam, temos que questionar também a probidade dessa votação,isto é, ocorrência de fraude, principalmente pelo uso do 0800 da Previ. Por que não disponibilizam o voto pela internet para os aposentados? E a fiscalização, será que tem? Quem vai fiscalizar? São perguntas sem resposta.

Anônimo disse...

Não sei para que serve essa consulta para aprovação do Superavit. Ora, acredito que juridicamente quem nos representa na Previ são os diretores eleitos e que assinaram o acordo. Diante do fato consumado de que
legalmente nos representam, essa votação é apenas para uma espécie de pesquisa de opinião. Nada mais do que isso.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Colega Marco Aurélio Damiano.

Você acaba de deixar vir à tona uma das razões que me levaram a não mencionar o nome do Advogado consultado. Ele não somente frequenta o Blog, acompanhando as inserções abalizadas (como as suas e de outros ilustres frequentadores) como também custuma consultar figuras eminentes do Judiciário, privando do convívio de juristas renomados, desembargadores e componentes de grandes e eficientes Bancas. Não posso aqui, como não pude, entrar em detalhes acerca das suas pesquisas, muito embora ele me tenha dado conhecimento dos principais pontos estudados, assim como suas fontes.
Para evitar especulações em torno dos nossos contatos, e parcerias, prefiro encerrar este assunto no estágio em que foi informado acima. Obviamente o desenvolvimento da matéria será levado ao conhecimento do Blog, sempre que necessário - e possível

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade

Blog do Ed disse...

Se entendi bem, a opinião do advogado se restringiu à legalidade da distribuição da metade do superavit. Não tratou da legalidade da pretensão à outra metade. Certo ou errado?

bigsaranha disse...

ALÔ ANÔNIMO DAS 5.16:

Pelo que entendi o placar do blog está 75% a favor do Não e 24% a favor do Sim. Quanto menor a área hachuerada de preto, mais votos tem. Pergunto a AAPPREVI se estou correto.Porquê se for o contrário, aí estará tudo perdido. Este blog é a última trincheira da esperança de NÃO, DE BASTA, DE NUNCA MAIS SERMOS USURPADOS!!! Eu sou não até morrer!!! Agora, eu não entendo a postura de alguns: dizem que sabem que estão sendo roubados e que votam pelo sim porque estão necessitados. A MIGALHA OFERTADA JÁ ESTÁ NO PAPO DE TODOS, MESMO VENCENDO O NÃO!!! Caso vença o Sim, os usurpadores terão o respaldo informal para continuar o ataque em nossas bolsas. Caso vença o não, no minimo, teremos uma pequena fatia do bolo ao invés de migalhas. E O MAIS IMPORTANTE: Estaremos pronto para nos reagruparmos e INAUGURARMOS O MARCO REGULATÓRIO DO FORUM PERMANENTE DO POVO PB1.

Russel Furtado dos Santos
Belo Horizonte

Anônimo disse...

Colegas,
O evento abaixo será transmitido amanhá, à noite, ao vivo, e está recebendo perguntas para os dois diretores da Previ que lá estarão:
o link para a noticia, está logo abaixo:

São Paulo - Os diretores eleitos de Seguridade e Administração da Caixa de Previdência dos funcionários do Banco do Brasil (Previ), José Ricardo Sasseron e Paulo Assunção, respectivamente, são os convidados desta quinta-feira 2 no programa Momento Bancário em Debate.

http://www.spbancarios.com.br/bb.asp?c=15817

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Nada é confiável – Votar prá quê, em quê e por quê?

Foi dito em plenário na reunião da FAABB em Brasília que determinado dirigente usa as senhas de colegas para votar, ele mesmo, em eleições do âmbito da PREVI e CASSI, o que comprova a falta de caráter e a inconfiabilidade do sistema.
Paralelamente, a modalidade de votação pelo 0800 remete à suspeita de ser passível da incidência de fraude, pela inconsistência no acompanhamento da lisura por falta de fiscalização confiável. Além do mais, ela é imposta a aposentados e pensionistas em detrimento da votação através da senha, como se eles fossem débeis mentais incapazes de acessar a Internet.
O SISBB comprovadamente carrega a interferência do Banco nas votações do pessoal da ativa, pois através das chefias a lavagem cerebral é tentada insistentemente pelo próprio veículo – a propaganda e as informações nele veiculadas são originárias dos escalões superiores do Banco.
Por tudo isto, e além do mais, seria desnecessário qualquer plebiscito para decidir a distribuição do superavit se os normativos fossem respeitados, ao amparo da Lei.
A PREVI tem uma tradição de comportamento sustentado por um sistema de Estatutos “aprimorados” ao longo de mais de 100 anos, direcionados à perfeição defendida pelo Patrocinador. Nada mais justo do que se pautar pelas determinações ali contidas, defendidas e impostas pelo Banco do Brasil, na postura de senhor absoluto do Plano.
Temos que reagir contra as imposições arbitrárias do Banco como se fôssemos eleitores de cabresto subjugados à vontade desse “Coronel” dos tempos modernos.
Votar SIM ou NÃO deve ser condicionado a existência de um sistema de avaliação confiável, sem as falcatruas costumeiramente denunciadas – mas nunca apuradas.

Marcos Cordeiro de Andrade

Anônimo disse...

ACABEI DE RECEBER POR E-MAIL DOS "ELEITOS" DA PREVI

De 9 a 15 de dezembro, vote "SIM"
para garantir mais benefícios na Previ

Nos próximos dias o associado do Plano 1 precisa aprovar a destinação do superávit da Previ. Essa é a condição para que o acordo negociado entre as entidades representativas do funcionalismo, dirigentes eleitos e Banco do Brasil seja implantado pela Previ depois de aprovado em seguida pelos órgãos governamentais competentes.

O voto "SIM" é a garantia de uma distribuição equânime do superávit para todos os associados. Pelo acordo, serão contabilizados de imediato, a favor dos participantes, R$ 7,5 bilhões da reserva especial do Plano 1 para serem utilizados da seguinte maneira:

* Suspensão das contribuições por mais três anos.

* Pagamento de um benefício temporário de 20%. Aposentados e pensionistas receberão mensalmente um valor correspondente a 20% de seu complemento de aposentadoria ou pensão. O associado da ativa terá creditado mensalmente um valor correspondente a 20% do complemento de aposentadoria a que teria direito se aposentasse naquele mês - esse valor ficará em contas individuais e será sacado quando o associado se aposentar ou resgatar sua reserva.

* Benefício mínimo temporário correspondente à diferença entre 40% da Parcela Previ e 70% da Parcela Previ (PP). O valor atual da PP é R$ 1.968 - assim, o benefício mínimo temporário será de no mínimo 30% desse valor.

* No primeiro pagamento após a aprovação do acordo, aposentados e pensionistas receberão de uma só vez 12 prestações mensais e o restante em prestações mensais. Os associados da ativa terão um crédito correspondente a 12 prestações em sua conta individual no primeiro mês - e o restante em prestações mensais.

* Os benefícios temporários serão pagos enquanto houver recursos disponíveis no fundo de R$ 7,5 bilhões, contabilizado a favor dos associados. * O banco concordou em arcar com o do benefício temporário do grupo pré-67.

Incorporação definitiva

Os benefícios especiais negociados no acordo do superávit de 2007 (diferença do teto de 75% para 90% da remuneração da ativa e proporcionalidade da Parcela Previ) serão incorporados definitivamente no Plano 1. Esses benefícios hoje são garantidos por um fundo de R$ 7 bilhões apartado do superávit de 2006. Se, no futuro, houvesse falta de recursos no fundo, os benefícios especiais seriam interrompidos ou o fundo teria de ser coberto com recursos somente dos associados. Com a incorporação, o banco também assume esse risco.

Serão contabilizados a favor do banco R$ 7,5 bilhões, também como forma de destinação da reserva especial. Esses recursos ficarão em conta específica no Plano 1 da Previ e serão utilizados para suspender as contribuições patronais. O restante será creditado em conta específica do banco na Previ, na mesma proporção e ao mesmo tempo em que os benefícios temporários forem pagos aos associados.

Dirigentes eleitos e entidades apóiam acordo - Os diretores eleitos da Previ Paulo Assunção, Sasseron e Vitor Paulo e os conselheiros deliberativos eleitos Celia Larichia, Mirian Fochi e Waldenor Borges participaram das negociações e apoiam a aprovação do acordo. As principais entidades representativas do funcionalismo - Contraf-CUT e sindicatos de bancários, Anabb, AAFBB, AFABB-SP, Federação das Associações dos Aposentados e Pensionistas (FAABB), AFABB-RS também participaram da negociação e apoiam a aprovação do acordo.

http://www.eleitosdaprevi.com.br/mail/011210.htm

Anônimo disse...

ACABO DE RECEBER POR E-MAIL DOS "ELEITOS" DA PREVI:

"De 9 a 15 de dezembro, vote "SIM"
para garantir mais benefícios na Previ

Nos próximos dias o associado do Plano 1 precisa aprovar a destinação do superávit da Previ. Essa é a condição para que o acordo negociado entre as entidades representativas do funcionalismo, dirigentes eleitos e Banco do Brasil seja implantado pela Previ depois de aprovado em seguida pelos órgãos governamentais competentes..."

Vejam na íntegra em
http://www.eleitosdaprevi.com.br/mail/011210.htm

Juarez Barbosa disse...

Prezado Marcos e seguidores do Blog

Não entendo a ênfase dada à votação deste pré-acordo e a preocupação pela sua não aprovação.

Também não enxerguei o "direcionamento à fraude" contido nos 2 documentos elaborados.

Agora me preocupa demasiadamente o período de negociações que se abrirá a partir de janeiro de 2011 e que, por seis meses, será construida uma nova reforma nos Estatutos da PREVI.

Devemos inserir no contexto de tal reforma, os anseios mais que justos de todos os ora participantes e assistidos e os futuros também, quais sejam:

1.reforma das pensões (prioritária);
2.reajuste dos benefícios ref. aos dois anos recentes que não foram aplicados;
3.a proposta 360/360;
4.o resgate mais que justo das reservas dos ex-funcionários que "aderiram" aos programas de desligamento "voluntário"-PDV's e que ainda não as receberão;
5.retorno das prerrogativas do corpo social, eliminando-se o "voto de minerva" do Patrocinador;
6.adaptação real do Estatuto às normas contidas na LC109, inclusive referendando-a explícitamente;
7.repasse das reservas dos participantes/assistidos falecidos a seus legítimos herdeiros.

Estas propostas de reforma deverão ser colocadas com muita obstinação de conseguí-las por nossos reais representantes, e tratadas com exigente transparência.

Não estamos recebendo "migalhas" neste pré-acordo, mas sim um "pequeno adiantamento" do que nos é devido de fato e de direito.

Mas para conseguir o "restante", devemos nos unir e planejarmos bem os nossos passos, ações e lutas, para evitarmos erros por nós cometidos no passado recente.

s.m.j.

Anônimo disse...

Meu voto é NÃO!
O BB precisa negociar, para tornar lícita a apropriação indevida dos 50%.
A proposta de rateio PODE e VAI ser melhorada se mantivermos a cabeça fria, os pés no chão e pararmos com essa atitude grotesta de pedintes. De mendicantes.

Anônimo disse...

Colega Russel,

25%, em nosso blog vota sim mais 100% dos da ativa irão, subornados, votar sim.
Como o não irá ganhar, se sempre os aposentados deixam de votar ou por desconhecimento da verdade votam com o banco, porque foi seu patrão e os cabresteou aposentadoria a fora.

PORQUE "NÃO" ?, disse...

A PREVI tem que informar a todos o quadro de pensionistas, assistidos pelo PB1, numa tabela por FAIXA ETÁRIA !
Da mesma forma tem que informar, numa tabela por FAIXA DE VALORES PAGOS ÁS PENSIONISTAS !

Agora ficamos chocados que há 5.750 pensionistas ganhando só 40% da famigerada Parcela Previ. Uns R$837 por mês..
ESCLAREÇAM E FAÇAM TRANSPARÊNCIA DESTES VERGONHOSOS BENEFICIOS...

(Por mais isso VOTAMOS "NÃO" !!!)

Terex disse...

Colegas,

Penitenciando-me por emitir opiniões embasadas unicamente em informações prestadas nesse sentido pela FAABB, pelo Sindicato de Brasília e outras associações, sobre a falta de legitimidade e a inconstitucionalidade da Resolução CGPC 26, cujas ações judiciais, impetradas por essas entidades, foram infrutíferas até este momento e, mesmo havendo recurso pela parte contrariada, não há efeito suspensivo, como colocado pelo Faraco, em sua mensagem intitulada: Falsa Dicotomia Na Discussão Sobre Votação Previ e, após análise da legislação que regulamentam o sistema de previdência complementar, faço as seguintes observações:

- a distribuição do superavit é inequívoca, sob pena de sanção administrativa ou judicial aos dirigentes das entidades fechadas de previdência complementar, se não o fizer;

- a contemplação da instituição patrocinadora, no caso o Banco do Brasil, como beneficiária na distribuição do superávit, em meu entendimento, é legal e de acordo com a legislação atual, salvo interpretação judicial em contrário;

- não concordo que a distribuição desse superávit tenha critério diferente para a patrocinadora, contrariando o Art. 20, item III da Resolução CGPC 26 - “melhoria dos benefícios e/ou reversão de valores de forma parcelada aos participantes, aos assistidos e/ou ao patrocinador”;

- não há necessidade de consulta aos participantes e/ou assistidos para referendar o acordo de distribuição do superávit pois, independentemente do resultado, ganhando o Sim ou o Não, a distribuição desses recursos é uma obrigação legal, tratando-se, portanto, de um ato de gestão desde que observado, principalmente, o Art. 10 da Resolução CGPC 26.

Anônimo disse...

Os colegas da ativa ainda vão ter muitos anos pela frente.Poderão esperar mais alguns anos para terem direito aos futuros Superavits. Portanto, essa inclusão dos mesmos na distribuição do Superavit tem um nome: COMPRA DE VOTOS!!!! Isso, na Lei Eleitoral está configurado como CRIME, estando sujeito a várias penalidades.

Anônimo disse...

Colegas da ativa (alguns),

Pensem que no futuro voces irão lidar com um drama de consciência.
Estão agora recebendo e receberão no futuro valores que nunca pensaram em receber, por ser ilegal, antiético e o mais apavorante DINHEIRO que está sendo feito com a MORTE de seus colegas aposentados, QUE CONTRIBUIRAM POR MAIS DE TRINTA ANOS, dos seus bolsos e não de superavites!
Deleitem-se com o dinheiro dos MORTOS, bebam Champanhe bem caro no NATAL e celebrem suas vidas e dos seus com a consciência de que estarão bebendo o fruto dos falecidos aposentados da Previ, SEUS COLEGAS.
Amanhã o banco e seus dirigentes farão o mesmo com vocês, bem, aí já receberam adiantado, sem contribuir, que se ralem os atuais aposentados, são velhos imprestáveis, é a maneira como nos tratam nos atendimentos.
Nada como um dia após o outro.
É duro dizer mais é a pura verdade, o dinheiro faz rir e faz chorar, nas mãos do banco do brasil.

Anônimo disse...

colegas vamos ver se entendi: Se eu votar Não receberei do mesmo jeito até que resolvam a nossa situação?Alguém poderia me responder?

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Diante das suas explicações das 07:20 horas, estou chegando à conclusão que as coisas estão ficando realmente bastante difíceis para os velhinhos do Plano 1 e as nossas possibilidades estão se estreitando cada vez mais. É o mundo kafkiano, cheio de labirintos e falsas saídas, que vem sendo projetado e aperfeiçoado ano após ano por aqueles que tem dois únicos objetivos, garantir "o deles" e desviar o restante para o caixa do BB. E é uma realidade tão absurda e kafkiana, que eles vão conseguir o seu intento até com o consentimento dos legítimos donos do patrimônio, os "cabeças brancas", muitos deles já vencidos e com a bandeira branca levantada, pedindo trégua.

Se baixarmos as armas agora e concordarmos com as condições impostas pelo Banco, teremos, como diz o colega Anônimo das 07:12 horas, condições de pagar o IPTU e o IPVA. Entretanto, isso não vai garantir futuros pagamentos de IPTU, mesmo porque debaixo da ponte não se faz necessário tal pagamento. E também o IPVA talvez não seja mais necessário ser pago, porque, no futuro, muito provavelmente, a nossa locomoção será feita a pé ou de bicicleta. E aí, a única necessidade é de uma quantidade mínima de arroz com feijão. Mas, péra lá!... bateu uma dúvida! será que, pelo menos, o arroz com feijão estará garantido futuramente?

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Enquanto isso, na LULÂndia...
(vide Folha de S. Paulo)

"O projeto que autoriza a repatriação de bilhões de dólares enviados ilegalmente por brasileiros ao exterior recebeu parecer favorável na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e pode ser votado até o fim do ano no Senado...
A proposta do Senado anistia o dono do dinheiro do crime de evasão de divisas e do pagamento de 27% de imposto - que cai para até 5%, caso os recursos voltem ao país para investimentos em infraestrutura."

É colegas, como dizem lá na Bahia, "esse é o país da bagunça e da esculhambação". É o paraíso para os criminosos e o inferno para aqueles que, como nós, contribuimos com dinheiro suado, pensando em garantir uma aposentadoria mais tranquila. Inclusive, desse dinheiro repatriado, uma boa parte se refere a dinheiro desviado por políticos de obras construidas com o imposto de renda recolhido, ano após ano, dos contracheques de milhões de brasileiros, inclusive dos nossos, aposentados do BB. Agora, uma pergunta: não seria justo que também esses caras dessem, como nós, 50% do dinheiro para o (des)governo brasileiro?

Anônimo disse...

EXTRA EXTRA EXTRA !!!

ANABB LANÇA CARTILHA SOBRE A DISTRIBUIÇÃO DO SUPERÁVIT.

ÓTIMAS EXPLICAÇÕES, SERÁ QUE ALGUM POBRE COITADO VAI ACREDITAR NAS MALDADES DA GIGANTE?.

VOTO NÃO A ESSA FARSA

Anônimo disse...

Olá,

Já saiu no site da Anabb o "Especial" que explica os termos do acordo.
Ali fica bem claro que o "Benefício Mínimo", que eleva de 40% para 70%, e será acresicod em mais 20%, elevando-o para R$ 1.653,16, o que corresponde a um acréscimo de 110%. Porém esse Benefício Mínimo beneficiará SOMENTE o pessoal da ativa.
No meu caso, já aposentado a mais de 10 anos, receberei apenas 407,60. Vocês acham isso justo?

Anônimo disse...

Colegas,

Leiam na anabb, como montar uma farsa e defendê-la.
Só projeção política às custas dos idosos da Previ.
Até o BONECO PROPAGANDA NÃO TEM ROSTO, igual ao acordo se esconde, não tem cara.
E ainda por cima projeta os deuses do acordão, em fotos.
Valha-me Senhor DEUS!
Esta tortura não tem fim!
A tortura da Sra Presidente ( que usou metralhadora para defender seus valores) teve Final Feliz (graças a Deus) a nossa será aos poucos até a morte!
Não vale acreditar em mais nada neste Brasil, talvez em uns poucos "desonestos" segundo o presidente da anabb.

Anônimo disse...

Marcos, nós temos a cultura do "podia ser pior".

Ainda tem gente que acredita no "rouba mas faz".

Por isso somos presas fáceis dos inescrupulosos.

Nada do "acordo" foi negociado, pois, ele foi imposto pelo BB e a ANABB diz: "houve um avanço considerável".

E nossa cultura faz com que a maioria acredita nisso. Por que?

Porque somos, em maioria, uns alheados.

Vide as explicações sobre o "acordo" em materia publicada hoje pela ANABB.

Os incautos acreditam.

O "acordo" vai ser posto em prática. Para o caso 2010 acabou.

Vamos juntar forças para 2011.

Agora não adianta chorar, pois, estavamos totalmente despreparados.

Agora aprendemos muito e saberemos como nos comportar para as próximas edições.

Continuem desabafando, isso faz bem.

Essa batalha nós perdemos, mas não a guerra. 2011 será totalmente diferente, só depende de nós.

Aprendemos muito, passamos a conhecer a tática empregada pelos os que dizem nossos representantes mas que atuam contra nós.

Como disse o poeta: "amanhã será outro dia".

Boa sorte a todos.

Que todos tenham um feliz natal e que façamos de 2011 um ano melhor.

Anônimo disse...

Aos 14 anos de idade fui trabalhar num local nada fácil. Coisa assim de acordar as 4:30 hs, madrugada, e encerrar o expediente entre 21 e 21:30hs... e me formei no Contador. Ah!...o descanso era somente quinzenal. Uma tarde de domingo a cada duas semanas. Talves por isso, passei logo no primeiro concurso do bb. Cidade pequena, logo todo mundo sabia. Teve político, que agoniado, insinuava que eu entrara no banco porque jogava futebol. E agora... o que fazer com uma cultura dessa estirpe? Com um asno desse? Hoje, com mais de 60 anos, 3 safenas e 1 mamária, em parte, herdadas das 3 agencias instaladas, de um total de 10, por onde passei, ; contribuindo para a previ por quase 40 anos, recebo proporcional, AINDA, sem poder me estressar (risco de descompensaçao cardíaca) assisto a mais esta mazela.
Meu voto é NAO.

Anônimo disse...

Ja estou fazendo a minha parte mandando emails para colegas ainda na ativa e telefonando.Os colegas aposentados que conheço vao todos votar NAO.
Vamos la colegas,nao somos He Man nem She Woman mas nos temos a força.

Anônimo disse...

EU VOTO EH NÃO...!!!

Anônimo disse...

Triste esclarecimento.

De acordo com o e-mail "dos eleitos da previ" que o colega anônimo das 8:26 forneceu o link, a história do benefício mínimo é uma brincadeira de mau gosto.

No memorando assinado pelos nossos "representantes" está bem claro que o benefício mínimo temporário será de 70% da PP.

Nesse e-mail, porém, está informado que o benefício mínimo temporário será de 30% da PP. Vejam lá: http://www.eleitosdaprevi.com.br/mail/011210.htm

Afinal, o que está escrito e assinado não vale? Depende de interpretação subjetiva? De quem? No site da ANABB e da FAABB, as explicações são outras.

Nunca vi tamanha confusão. Não tenho nem como projetar o que me espera.

Sou o Washingtom Lopes, e estou estarrecido.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
Acabo de acessar o blog dos eleitos da Previ para ver se descarregava pelo menos 10% da raiva que eu sinto desses crápulas e evitar um infarto eminente. Mas, novamente dei de cara com aquela famosa e antiga mensagem "Estamos reestruturando nosso site.
Retornaremos em breve!", que continua lá, como uma barreira para proteger aqueles covardes da ira dos aposentados e pensionistas da Previ. Quanta diferença da época do período pré-eleitoral da Previ, quando difundiam a idéia de que só lhes interessava a defesa dos nossos interesses!!!

Anônimo disse...

A alguma boa ALMA,

Depois de ler as explicações do sr. camilo no site da anabb, ver as fotos, desejo ardentemente sair daquela entidade, sem correr riscos de ter que pagar por despesas, pois recebi valores através de ação.
Por favor pago o dobro da mensalidade em qualquer associação para me livrar da anabb.
Tem uma condição: tem que me garantir, por escrito, que não serei futuramente cobrado, pela anabb, por despesas de processos antigos.
Por favor me ajudem!

Anônimo disse...

Desculpem a ignorancia, mas gostaria que alguém me explicasse o seguinte: em números redondos, o superavit era de aprox. 28 bi, e o banco já contabilizou em balanços anteriores 14 bi, relativo a 50%, restando 14 bi para os assistidos. Como é que agora desses 14 bi restantes o bb contabiliza novamente 50% restando tão somente 7 bi para os pobres assistidos, o que equivale a 25% do superavit inicial.

Maria Estela Rennó - pensionista disse...

Ao anõnimo das 11 e 14 você está enganado. Na página da anabb na internet está escrito que:
3.2.4 O Benefício Mínimo será elevado temporariamente de 40% para 70% da Parcela Previ, enquanto houver recursos no fundo previdenciário específico, sendo pago ou creditado pelos mesmos critérios previstos nos itens 3.2.2 e 3.2.3.
Exemplo : a Parcela Previ é de R$ 1.968,05 e o benefício mínimo atual representa R$ 787,22.
Com a elevação para 70%, o benefício mínimo será de R$ 1.377,64, que, acrescidos os 20% sobre o Benefício Mínimo Temporário, será elevado para R$ 1.653,16, o que corresponde a acréscimo de 110%.
Beneficiados: cerca de 10 mil participantes que recebem, atualmente, apenas 40% da parcela Previ.
É a minha situação.

Anônimo disse...

Oi Marcos.
Desculpe, mas desta vez não posso concordar com os adjetivos usados por você para nos qualificar.Boa fé, baixa auto estima, ingenuidade, crédito nas pessoas, tudo bem, mas não idiotas (pouco inteligente, imbecil.estúpido, ignorante - Dicionário Aurélio).
Não aceito que você, uma pessoa pela qual aprendi a nutrir respeito, emita um conceito destes para pessoas de boa fé que foram enganadas por artimanhas engendradas pelo Banco, Previ e seus asseclas.
Um abraço
Jose F.C.Rovere

Anônimo disse...

Benefício Mínimo:
Atualmente é:
40% da Parcela Previ.
O Valor atual da Parcela Previ é R$ 1.968,05
Então, atualmente, o Benefício Mínimo é igual a R$ 787,22
Vai passar a ser 70% da Parcela Previ, então,
70% da Parcela Previ (1.968,05) é igual a 1.377,64
Acrescentando-se mais 20% sobre isso o novo Benefício Mínimo a ser pago será de R$ 1.653,16

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Extraído do Blog do Colega Ari Zanella:
www.arizanella.blogspot.com
QUARTA-FEIRA, 1 DE DEZEMBRO DE 2010
SEC de Nova Iorque é igual à nossa CVM
Pessoal, enviei um e-mail para a SEC - US SECURITIES AND EXCHANGE COMMISSION Northeast Regional Office, reforçando as denúncias feitas pelo Banco Morgan Stanley de lá. Disse da ilegalidade do Banco em apossar-se de 50% do superávit, do descumprimento da lei 109/2001 e da criação da Resolução 26 que é contrária aos ditames da lei. Disse para que a Comissão continuasse as investigações e as pressões sobre o BB; disse-lhes também que a primeira denúncia do Morgan teve grande repercussão dentro do BB, tanto que se apressaram em distribuir a metade do superávit. Eis na íntegra a carta:

Dear Regional Director,
George S. Canellos


I'm not sure if you are the right address to receive my coments. Please, if you aren't, send me a return for a best destination.
I am a retired from Banco do Brasil, age 58, among 120,000 others retired people we are suffering the BB illegal attack over our money at Pension Fund called PREVI from which BB is the sponsor. The Fund has been made profits in the last five years and since 2008 the Worker Party (PT) of president Lula created a Resolution to share de profit with BB. That's is the opposite what says the LAW 109/2001 that concern to the subject.
Morgan Stanley has already denounced them to SEC. This had a great repercussion inside BB head office. They are doing an urgent distribution of the fifty per cent of the profits to us, not to follow the law, but because they are being put pressure on to do that by international agents as New York Stock Exchange. They are robbing our money in the daylight and Brazilian Justice is very slow to judge. We hope you continue to help us because we have nobody by our side in Brazil.
Thank you a lot.

(I repeat: If you are not hte right person to treat this subject, please tell me who is. I wait for an answer. Don't let us. God will be with you. Amen)

Ari Zanella
City: Joinville State: Santa Catarina Country: Brazil
Caro diretor de Nova Iorque da SEC
Sr. George S. Canellos

Não tenho plena certeza de que sua pessoa seja a quem eu deva me dirigir, caso negativo solicito-lhe obséquio retornar-me com o correto destinatário.
Sou aposentado do Banco do Brasil, tenho 58 anos, e estou entre 120.000 pessoas aposentadas que estão sofrendo os ataques ilegais do Banco do Brasil sobre o nosso Fundo de Previdência, a PREVI da qual é o patrocinador. O Fundo tem tido vários superávites nos últimos 5 anos e desde 2008 o Partido dos Trabalhadores do presidente Lula criou uma Resolução para dividir o superávit com o BB, em flagrante oposição ao que diz a Lei 109/2001 a qual trata sobre a matéria.
O Banco Morgan Stanley já os denunciou perante esta SEC. Este fato teve grande repercussão entre o alto escalão do BB aqui no Brasil. Tanto que eles estão fazendo uma distribuição às pressas dos 50% remanescentes a nosso favor, não porque respeitam a lei, mas sim porque estão se sentindo pressionados a regularizar, principalmente pelos órgãos internacionais, entre os quais a Bolsa de Nova Iorque. Eles nos estão roubando nosso dinheiro à luz do dia, e a nossa justiça é muito lenta para julgar os que ali ingressam.
Esperamos que vocês continuem a nos ajudar pois aqui no Brasil não temos ninguém ao nosso lado.
Muitíssimo obrigado.

Ari Zanella - Joinville-SC-Brasil

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Colega José F.C.Rovere,

Meus respeitos.

Lamento que entre os 52 comentaristas que aqui compareceram até agora você tenha sido o único a rasgar uma página do Aurélio para me jogar na cara.
Se o atingi diretamente peço desculpas, com a promessa de que doravante me policiarei para não transferir aos outros os adjetivos que me caibam.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade

Henrique Soares disse...

Descobri duas coisas interessantes, a primeira é que não sou idiota e a segunda é que minha inteligência sabota minhas conclusões às vezes precipitadas, e aí eu me perco, me calo. Tenho duas perguntas: Porque em 2006 não recebi nada? Olha que já fazem quatro anos e até hoje nunca entendi "muito bem" isso. Mas, em sendo assim, não é aceitável eu por conta da minha falta de idiotice, pensar que estou de fora? O que mudou tanto assim que de uma Copa pra outra me colocam uma bandeira acenando num apêlo a "clamar"venha buscar um tiquinho pra ti... Acho que estou fora e sei que devo manter a postura que me pede pra não fazer perguntas dificeis que outrora tão fácil eu pensava encontrar respostas. APOSENTADO INVALIDEZ (1999). O que eu vou votar?

Anônimo disse...

O pessoal que que fala em benefício mínimo continua ignorando o fato de que o aumento para 70% da PP é sempre proporcional ao tempo de serviço no BB, como diz o art. 39 do Regulamento. Essa proporcionalidade não foi retirada pela proposta. Então, quem saiu do BB com 20 anos de serviço e ganha benefício mínimo, deverá fazer o seguinte cálculo:
70% da PP=1.377 X 240 meses : 360 meses = 918,00.

Toninho Bleinroth disse...

Caro Marcos,

Excelentes textos, muita luta e garra por parte de vocês, mas acho que precisaremos fazer com que os fatos cheguem a todos aposentados, inclusive sobre a votação do "NÃO",
já que a grande maioria nem conhece ainda as vantagens, e se conhecem ele tem medo de perder o pouco que vem. TEMOS QUE FAZER UMA CAMPANHA DE CONCIENTIZAÇÃO, aqui no Nordeste pouco se fala sobre o Superávit.

-Outra questão é saber o valor exato do Superavit, para que amanhã não sejamos enganados novamente.
Vamos de NÃo, para ver se melhora.
abraços

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
Estava certo o filósofo Friedrich Nietzsche, quando disse:

“Quando vemos um gigante, temos primeiro de examinar a posição do sol e observar para termos certeza de que não é a sombra de um pigmeu”

É um cuidado que deveremos ter nas próximas eleições da Previ, para não incorrermos no mesmo erro e elegermos pseudo-gigantes morais para nos representar.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Do Colega Ari Zanella:

Sent: Wednesday, December 01, 2010 6:18 PM
Subject: Tradução da Carta recebida da SEC (automática)


Obrigado por escrever ao Escritório Regional Nordeste do EUA da SEC.. Nós apreciamos receber pedidos de informações, e informações do público sobre possíveis violações das leis de valores mobiliários. Por favor, tenha a certeza de que seus comentários serão considerados dentro do âmbito das nossas responsabilidades ao abrigo das leis de seguranças federais. A resposta, se for o caso, será direcionado para o seu endereço postal.
Se você tiver contato com esse escritório sobre uma queixa, ou possível
violação das leis de valores mobiliários, avisamos de antemão que a SEC
efetua investigações em base confidencial. Isso é feito para proteger
a integridade de um inquérito da divulgação prematura, e para proteger os direitos de privacidade das pessoas até que as devidas acusações estejam
de fato feitas. Assim, sem prejuízo das disposições aplicáveis do Ato de
Liberdade de Informação, conforme alterada, a existência ou não de uma investigação, geralmente não é divulgada, a menos que seja feita sob uma
questão de registro público em processos instaurados ante à Comissão
ou nos tribunais.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS do Nordeste dos Estados Unidos - Escritório Regional


Thank you for writing to the Northeast Regional Office. We appreciate eceiving inquiries, and information from members of the public concerning possible violations of the securities laws. Please be assured that your comments will receive consideration within the context of our responsibilities under the federal securities laws. A esponse, if appropriate, will be directed to your postal address.
If you have contacted this office regarding a complaint, or possible violation of securities laws, we would further advise that the SEC conducts inquiries on a confidential basis. This is done to protect the integrity of an investigation from premature disclosure, and to protect the personal privacy rights of persons until or unless formal charges are made. Thus, subject to the applicable provisions of the Freedom of Information Act, as amended, the existence or nonexistence of an investigation is generally not disclosed unless it is made a matter of public record in proceedings instituted before the Commission or in the courts.

US SECURITIES AND EXCHANGE COMMISSION Northeast Regional Office

Mauricio disse...

Sinceramente não estou entendendo porque votar SIM no plebiscito.
Se mesmo que o NÃO vença, o acordo terá que ser cumprido e todos receberão as migalhas que o banco esta oferecendo, o único diferencial que rejeitando o acordo os aposentados poderão contestar no STF a inconstitucionalidade da RES 26 e no caso de sua derrubada, que com certeza acontecerá, o BB será obrigado a devolver tudo que "pegou" indevidamente da previ e os aposentados e pensionistas do PB1 poderão receber mais um pouco e a PREVI não correrá o risco de no futuro o banco se apropriar da metade de seu capital.

Esta na hora de partirem para ação direta, 80 é mais que o dobro de 33 e o NÃO só precisa de 33.000 + 1 voto.
Todo mundo conhece pelo menos um aposentado da previ e porque não começar um trabalho de convencimento, primeiro para que o aposentado VOTE, depois que vote NÃO.
De minha parte já entrei na campanha, já contatei diversos aposentados da previ de meu convívio diário.

Qual o interesse dos demitidos/pdvistas em barrar a "mão grande" do banco?
Proteger o capital da previ, e nossas reservas previdenciárias que ficaram retidas lá.

Tenham certeza que os demitidos/pdvistas entrarão de bom grado nesta luta, afinal ainda somos uma grande família e isso o banco não conseguirá destruir.

Mauricio Furtado
Movimento Nacional dos Demitidos do Banco do Brasil

Anônimo disse...

Sr. Marcos,

O Sr. Rovere ficou sentido.
Eu também, mas pensando melhor e com reflexão, cheguei a conclusão de que é a mais dura verdade.
Não quer dizer que sejamos burros, não teríamos ingressado no Banco do Brasil, de outrora, pelos idos dos primeiros anos 60.
Hoje calejados pelos anos de tabalho naquele BANCO, de antanho, somos LOGRADOS, TRAPACEADOS, ENGANADOS, ATRAIÇOADOS, seduzidos por falsas promessas.
O bb de hoje, e seus dirigentes, mesmo os do governo popular, ficará na história como TRAIDORES de Idosos, de até 104 anos de idade.
Não é uma lástima é uma TREMENDA falta de VERGONHA, se é que eles conhecem o que significa o termo.
Continuo admirando sua coragem Sr. Marcos Cordeiro.
Admiro também sua postura com relação aos TRAIDORES.
Abraços

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Parabéns Ari Zanella,
Nos Estados Unidos, um país sério, essa questão da previdência complementar deve ser um direito quase sagrado e não essa "casa da mãe joana" que temos por aqui, onde todo mundo se acha no direito de opinar e mudar as regras. Se for assim, acredito que eles devem dar uma atenção toda especial às suas acusações. Vamos torcer para que seja assim.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Notícias Relevantes

01/12 - Falsa dicotomia na discussão sobre votação PREVI – Por Sérgio Faraco.

Anônimo disse...

Caro Marcos,

Precisamos de Foco na discussão do blog.

Nao adianta:
- Assistido "jogar pedra" em Assistido;

- A resenha da "história de cada um";

- A intromissão dos que sairam do Banco.


O Superávit é dos Assistidos. E só.


Foquemos, em alguns itens, como:

- nos 50% que o Banco quer contabilizar em seu balanço;

- outros interesses do Banco, tal como uma possível intervenção na PREVI (hoje já é uma intervenção Branca);

- na verba que será desviada para os funcionários Ativos do Banco;

- nos "acordos" que virão em 2011;

- nos que levaram o "Renda Certa" e naqueles que "levaram o Renda Incerta";

- em denunciar a rapinagem nas verbas dos velhinhos da PREVI;

- nos desmandos do "Rosa" e nos espinhos do "Flores", sem contar a subserviência do Diretor de Seguridade;

- nas injustiças históricas praticadas contra os participantas do PB1.

E por ai vai ...

Então temos muito do que cuidar, inclusive do cofre da PREVI, senão ...

Um abraço de james.

luiz carlos disse...

Caramba, os "cumpanheiros" são realmente bons em comprar votos: acabaram de criar o bolsa-previ.

Anônimo disse...

Olá,.....

Se votar-mos NÃO , reberemos muiiito mais. Acreditem.

Anônimo disse...

Acerca das dúvidas quanto ao benefício mínimo, só saberemos mesmo como será o cálculo após a área técnica dar a sua interpretação do memorando.

Interpretação mesmo, pois o funesto memorando foi mal redigido e dá margem para várias interpretações: a da FAABB é uma, da ANABB outra pouco diferente para mais, já a constante no e-mail dos dirigentes eleitos é outra.

Lendo esse e-mail chego á conclusão que é melhor aposta é: benefício mínimo temporário é na verdade benefício temporário mínimo. Assim, serão 20% e não podendo ser menos que R$ 590,41 para cada um.

Quanto à proporcionalidade de que tantos falam aqui, não cabe nesta situação: ela já foi aplicada no cálculo do benefício, não pode ser novamente aplicada sobre uma vantagem calculada sobre o benefício (por a ele já estar aplicada).

Quanto as aposentadorias por invalidez, então nem pensar, ELAS NÂO SOFREM INCIDÊNCIA DE PROPORCIONALIDADE.

Sou o Washingtom Lopes e não entendo a cisma com os anônimos, pois qualquer um pode comentar aqui com qualquer nome. Eu poderia ser... José Ricardo....Sasseron, heheheh (só pra descontrair, gente).

Anônimo disse...

Cara Maria Estela (12:38),

Então me diz quanto me caberá do superávit do jeito que foi proposto. Me aposentei em 08/96 e recebo de Previ R$ 2.038,00.

Um abraço

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Às Associações de Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil

Sr. Presidente,

“Nos próximos dias a Previ deverá divulgar todos os detalhes dos benefícios especiais que serão concedidos relativos à Reserva Especial Para Revisão do Plano, caso participantes e assistidos do Plano 1 votem favoravelmente em plebiscito de 9 a 15 de dezembro.”

Esta é a introdução da nota que a FAABB endereçou às afiliadas. De se notar que a expressão “caso participantes e assistidos do Plano 1 votem favoravelmente” induz ao entendimento de que deve-se optar pelo voto “SIM”. Posição esta incompatível com a neutralidade de opinião que deve ser guardada pela Federação, enquanto não houver consenso entre as Associações que congrega.

A extensa Nota não dá para ser publicada aqui, pois teria que ser dividida em nove partes (nove laudas). Todavia, está disponível para leitura em Notícias Relevantes.

Anônimo disse...

Acredito que muitos já leram o emai, mas recebi agora esta pérola dos eleitos da previ

http://www.eleitosdaprevi.com.br/mail/011210.htm

Joaquim Luiz disse...

Respondendo porque realmente confunde e a fonte segura me respondeu isso:
.................................

O cálculo do Benefício Mínimo, que envolve a Parcela Previ é simples.

Veja bem.

No Regulamento do Plano de benefícios nº 1 da Previ consta que ninguém há de receber menos, seja de aposentadoria ou pensão, do que 40% da Parcela Previ.

Então, pelo Regulamento, veja:

Valor atual da Parcela Previ: R$ 1.968,03

40% dessa Parcela Previ: R$ 787,21

O ACORDO MUDOU ISSO, OU SEJA NINGUÉM HÁ DE RECEER MENOS DO QUE 70% DA Parcela Previ, então:

Valor atual da Parcela Previ: R$ 1.968,03

70% da Parcela Previ: R$ 1.377,62

Qual a diferença? R$ 1.377,62 - R$ 787,21 = R$ 590,40.

Então, uma pessoa que ganhe o atual Benefício Mínimo (R$ 787,21) terá todo mês, por seis anos a mais na folha: R$ 590,40. Somando com o que já recebe terá R$ 1.377,62. Então, o colega que recebe 1.000,00 de Benefício, terá: 20% de 1.000,00 = 200,00 = 1.200,00 e mais R$ 177,62, ou seja: R$ 1.377,62, pois como eu já disse, ninguém há de receber menos do que 70% da PP.
...................................

Então é isso e essa regra só existe e só é válida para quem se aposentou antes de 24.12.97, pois foi quando mudaram os Estatutos.

Anônimo disse...

Caro Joaquim Luiz,

Então o cálculo da ANABB em sua cartilha está errado? Os próprios participantes do acordo não sabem o que acordaram ou estão mais uma vez agindo de má fé?

"Exemplo : a Parcela Previ é de R$ 1.968,05 e o benefício mínimo atual representa R$ 787,22. Com a elevação para 70%, o benefício mínimo será de R$ 1.377,64, que, acrescidos os 20% sobre o Benefício Mínimo Temporário, será elevado para R$ 1.653,16, o que corresponde a acréscimo de 110%. Beneficiados: cerca de 10 mil participantes que recebem, atualmente, apenas 40% da parcela Previ."

http://www.anabb.org.br/jornal/encarte_previ.pdf

paraguassú disse...

Caro Marcos, poucos se sentiram incomodados om o seu excelente texto. O importante, caro colega, é que estou me sentindo cheio de energia para levar a diversos aposentados, a verdade embutida neste "acordo" expúrio. Muitos desconheciam a existência da discursão sobre a matéria e "quase" não acreditaram nas manobras fraudulentes do patrocinador. VOTEMOS NÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Henrique Soares disse...

COPIADO DE UM BLOG QUALQUER: A criação do benefício especial temporário no percentual de 20% abrangerá todos os associados, sendo aposentados, ativos, pensionistas, aposentados por invalidez, participantes externos. Enfim, todos que são participantes do plano. Os que não se enquadram nessa proposta são os ex-funcionários que aderiram ao PDV e, consequentemente, não são mais participantes da PREVI. E ESTE É DE UM COMENTÁRIO ACIMA: Quanto as aposentadorias por invalidez, então nem pensar, ELAS NÂO SOFREM INCIDÊNCIA DE PROPORCIONALIDADE. - AÍ EU ME PERGUNTO COMO FOI QUE PASSEI NUM CONCURSO DO BANCO DO BRASIL. SERÁ QUE FOI POR SORTE? Acredito que ou volto pra escola primária ou me convenço da minha estupidez em não entender mais nada.

paraguassú disse...

Quem topa????????????Ratear MATÉRIA PAGA(MANCHETE) EM REVISTA DE GRANDE TIRAGEM, denunciando o PATROCINADOR E SUAS FALCATRUAS. Se o nosso colega Marcos autorizar/concordar, faríamos depósitos na conta da Associação e com toda certeza não faltarão colaboradores. Mas tem que ser veiculada já na próxima edição.

Anônimo disse...

Colegas, vejam que destino terá o nosso rico dinheirinho se votarmos sim a indecente acordo:

"Todos fogem do trem-bala de Lula e Dilma; leilão deve ser adiado"

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/todos-fogem-do-trem-bala-de-lula-e-dilma-leilao-deve-ser-adiado/

Anônimo disse...

ATENÇÃO - IMPORTANTÍSSIMO

COMUNICADO UNAP-BB nº 12 - 30 de novembro de 2010

"Para um ACORDO PROVISÓRIO, um "NÃO" PROVISÓRIO"

32 razões para o voto "NÃO"

http://www.acordabb.com/informativo/62_previ_plesb.html

langoni disse...

Prezado James,

Refiro-me ao seu post de 01/12/2010 – 15:25

Copio abaixo parte de seu post, com o objetivo de lhe passar a
visão dos demitidos do BB:

“Nao adianta:
- A intromissão dos que sairam do Banco.

Foquemos, em alguns itens, como:
- nas injustiças históricas praticadas contra os participantas do PB1.”


Sinceramente, não me sinto “intrometido” em participar de blogs e grupos
do universo BB. Um de nossos objetivos e desfazer a história que lhes foi
contada pelo BB e Previ, com relação às demissões, não só através do PDV,
mas também das mais de 40 mil demissões sumárias, ocorridas desde 1991.
Talvez o PDV, tenha tido maior destaque, pela grande quantidade de demissões
em tão curto espaço de tempo. Nosso objetivo é tirar a imagem de “bons moços”
que pretendem passar o BB e Previ. Acreditamos que se verdadeiramente
conhecessem o que e como foram feitos esses programas de demissões, certamente
não aceitariam esse “de acordo” hoje proposto pelo Banco, para distribuição da
reserva especial. Já teriam entendido que “se o Banco propõe, é bom apenas
para ele”. “Não aceite”.

Percebo que novamente, como em 1997, a desinformação, a comunicação mal
redigida, tem o objetivo maior – confundir. Pelo que vejo, a grande maioria,
acredita que essa votação tenha algum valor legal. A única coisa que entendo
querer o Banco neste momento, é contar com a conivência dos participantes e
assistidos, para dar ares de legalidade às suas contabilizações.

Posso estar enganado. Mais uma vez um novo grupo de participantes é criado,
exatamente para enfraquecer a “união” dos participantes, com a criação desse
“bônus” para os funcionários da ativa, votarem favoravelmente aos interesses
do Banco. A grande maioria, assoberbada pelo trabalho, pelas metas, pelo
assédio moral, certamente não tem tempo de se inteirar do conteúdo da proposta.

Tenho conversado com muitos da ativa. Não tem noção do que se passa.

Finalizando, estamos na luta para recuperarmos nossos direitos, que como
você bem disse, destina-se a reparar INJUSTIÇA HISTÓRICA.

Abraço/Langoni

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Recebido fora do Blog:

Remeto-lhes cópia das correspondências (uma em 26.11 e a outra em 30.11) que enviei para Presidente ANABB (Walmir); Presidente FAABB (Isa Musa) à AAFBB e seu presidente, o texto foi praticamente o mesmo só mudou os destinatários. Analisem quão difícil foi a negociação do acordo frente a um BB que, como observamos se encontra vulnerável e poderiamos ter conseguido coisa melhor.

Abraços Antonio Bomfim.



Ao Presidente da ANABB
Negociações do superavit – Fiquei surpreso com o resultado das negociações. Por que nos deram tão pouco? Por direito, os aposentados do Plano 1 são os únicos donos dos 100% do que pode ser distribuído do superávit. A Resolução 26 não pode criar direitos para o patrocinador. Então, por que nas negociações a ANABB se contentou com tão pouco? O memorando de negociação, hoje divulgado, deveria contemplar, no mínimo: a) um percentual acima de 20% e, ainda, contemplar todas as verbas da aposentadoria (beneficio PREVI+INSS + adicional BB, etc..); b) contemplar a proporcionalidade de 360/360; c) o fim do voto de minerva. A distribuição do superávit está na justiça, e no julgamento final o BB poderá perder. O Banco tem todo o direito de contabilizar 50% do seu "provável" direito sobre o superávit. Porém, nos dois últimos balanços contabilizou e reconheceu imediatamente como receita efetiva. Deveria continuar a contabilizá-lo como receitas a efetivar, pois, como receita efetiva o BB está distribuindo "vento” como dividendo para os acionistas e PL para funcionários, além de manter inflado o seu ativo. Contabilizar algo incerto como receita efetiva é irregular e a isso se denomina "contabilidade criativa" que contraria os princípios contábeis e os acordos de Basiléia. A “contabilidade criativa” coloca toda a Diretoria e Conselho de Administração do BB em risco frente a uma fiscalização do Banco Central. Vê-se que no bojo das negociações o BB tinha e tem interesses não declarados. Ele pretende não somente legalizar o seu direito sobre os superávits, mas, também, legalizar sua "contabilidade criativa" que, como vimos, tem reflexos punitivos. Numa negociação não se pode conseguir tudo, mas, não podíamos ter melhorado esse acordo? E, nas tratativas para alterar o regulamento do Plano 1, as entidades representativas (aí incluída esta ANABB) pretendem discutir, também, propostas para se elevar o teto dos benefícios das viúvas?
Antonio Barreto Bomfim – Ilhéus (Ba), 26.11.2010

Continua na parte II

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Parte II - final

Ao Presidente da ANABB

Nova rodada na negociação do superávit (alterações no regulamento – Dando prosseguimento ao que cometei em “Negociações do Superávit”, em 26.11.10, agora, de forma expandida aponto as perdas que todos terão se o percentual de 20% negociado no memorando entendimentos com a PREVI, vier a incidir, apenas, sobre o COMPLEMENTO PREVI.
2. Nossos representantes aceitaram o insuficiente 20% que, como dito, incidirá, apenas, sobre COMPLEMENTO PREVI. Analisemos: já, em janeiro/2011, com o reajuste do INSS, o dito complemento se reduzirá, e, também, a parcela mensal do superávit. É sabido que, a média resultante do cálculo das contribuições mensais valorizadas – que define o valor da aposentadoria -, engloba contribuições vertidas para o Plano sobre o valor do COMPLEMENTO PREVI + do INSS ou, da Parcela Previ. Logo, os 20% deve recair sobre o total da aposentadoria. Vê-se que, o Patrocinador, não tendo direito algum sobre o superávit, com o acordo legaliza sua parte. Já associados e pensionistas foram garfados e, como está acordado as perdas se ampliarão. O pragmatismo indicava um acordo (idosos não devem lutar contra o tempo). Por sua vez, o Banco não pode esperar cerca de 80 (oitenta) anos para colocar a mão no dinheiro do superávit só quando da liquidação do Fundo. Igualmente, ele necessita, com urgência de regularizar sua “contabilidade criativa”, bem como, de dinheiro vivo para cumprir o Acordo de Basiléia 3. Podíamos ter feito melhor. A revolta é generalizada. A ANABB deve lutar pela incidência dos 20% sobre o total da aposentadoria.

Antonio Barreto Bomfim lhéus-Ba. 30.11.2011

mesquitasantana disse...

Já me permiti por algumas vezes postar neste blog parcos comentários acerca das dúvidas e contradições sobre o palpitante assunto "Superavit", hoje gostaria de levar ao conhecimento dos colegas alguma coisa que nos lembre o termo "Coexistência". Nada nos é mais prejudicial neste momento do que a Divisão a intolerância que nada constroem. Já disse aqui um ilustre comentarista que nós do PB1 ainda somos uma família e devemos sustentar esta condição; já diz o provérbio que uma casa dividida não subsiste. O que se pode tirar em benefício de todos? Os "pedevistas" estão defendendo seus direitos, os aposentados sejam "pré" e "pós" alguma data também. E as pensionistas? E os colegas da "Ativa" que serão os futuros aposentados?. Observem que estamos todos lutando por um interesse que é comum a todos nós: O PATRIMÕNIO DA PREVI. o Adversário também é comum a todos nós, não importa que a disputa começou em 1904, 1981,...ou em 1997, o fato é que ela é antiga e persiste até hoje e pela importância a que o Adversário se aferra à conquista, somente com a união de todos nós poderemos vislumbrar a satisfação de nossos anseios. Pois bem, já sabemos que o Adversário tem pressa e se anuirmos ao seu desejo seremos derrotados para sempre. Então, vamos usar de uma estratégia que não nos é peculiar e vamos pegar o Adversário
de surpresa. Devemos ter em mente que temos muito a perder, o patrimônio é grande demais e a nosso favor o tempo que é tão diminuto. VAMOS FAZER O BANCO ESPERAR VOTANDO CORRETAMENTE. TODOS.

abraços

langoni disse...

Prezado Marcos e participantes do Previplano 1,

Se o 'SIM' for vencedor, o "de acôrdo" é fechado. Os participantes ganham os benefícios especiais criados e o Banco leva sua parte e passa a ter o reconhecimento oficial ao seu direito a 50% dos superávits futuros. Regulariza suas contabilizações e está tudo resolvido.

Se o 'NÃO' for vencedor, a PREVI tem obrigação legal em promover a revisão do plano, sob pena de sofrer intervenção da PREVIC.
- Assistidos terão seus benefícios revistos e o Banco, além de não levar nada, não contará com a conivência de ninguém para regularizar suas contabilizações.

Será que estou certo ????


Abraços/Langoni

Anônimo disse...

Prezados Colegas,

Estou com várias dívidas e estava decidido a votar SIM. Agora, depois da leitura dos vários relatos mudei minha opinião. Se dissermos sim estaremos concordando com a ilegalidade. Me preocupou ainda mais depois de receber e-mail dos eleitos da previ predindo para votar SIM e ler as explicações da ANABB. MEU VOTO É N Ã O!

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
A pior coisa que pode acontecer para um povo é a perda da capacidade de se indignar. Nós, brasileiros, das gerações que se desenvolveram sob a sombra dos 21 anos do regime militar, quando "ser do contra" era muito mal visto pela sociedade, apresentamos esse defeito de personalidade.
Vocês se lembram do Plano Collor, quando, de um dia para o outro, foram sequestradas as contas bancárias de todos os brasileiros, deixando apenas 50,00 para cada um? Não me esqueço de uma frase dita, então, por um colega de banco: "Se fosse nos EUA, eles já tinham metido uma bala na cabeça dele (Collor)". E o que fez o povo brasileiro, então? Ao invés de panelaço, quebra-quebra, discurso, etc., as pessoas ficavam fazendo piadinhas, tais como: "É, até o Antônio Ermírio de Morais ficou só com 50,00".

Fazendo um paralelo com a situação vivida,hoje, por nós, aposentados e pensionistas da Previ, o que é que vemos aqui? Um bando de desonestos, que, por dever moral e funcional, deveriam estar defendendo os nossos interesses, estão, ao contrário, defendendo que se proceda à sangria de bilhões da nossa Previ para o patrocinador. A eles pouco importa se a Previ vai ou não quebrar futuramente, pois esses senhores já tem um bom patrimônio assegurado, fruto de altos complementos de aposentadoria e, também, de altos salários de participação em conselhos das empresas em que a Previ tem assento na administração. Em alguns casos, conforme foi veiculado, essa participação de uma pessoa chega a mais de uma dezena de conselhos de empresas. Enquanto isso, muitos colegas, agradecidos por tanta bondade, já contabilizam e festejam as migalhas que nos sobrarão do banquete dos poderosos, realizado com o nosso dinheiro. Nessas horas, lembro-me de uma frase de outro colega, proferida quando a gente se entusiasmava demais com alguma notícia partida do governo: "Cuidado, nós vivemos num país de muleques".

Colegas, o riso de hoje pode se transformar no choro de amanhã. Talvez, daqui a alguns anos, ao invés de superavit, nós tenhamos que discutir os rumos do MSTPREVI (Movimento dos Sem Teto da Previ). O tempo dirá se temos ou não razão.

langoni disse...

Prezado Marco Aurelio Damiano,

Pegando um gancho em seu post, relativamente ao Plano Collor, lí tempos atrás, que um plano desses, aplicado na Argentina ou Estados Unidos, não teria durado meia hora.

Outra questão que trago: Como confiar no que está escrito?

A Previ, pactuado em escritura pública de financiamento da Carim,
afirma: "Se o devedor perder a qualidade de associado da Previ",
tem os juros majorados de 6% para 8%.

Muitos dos demitidos que continuaram como contribuintes externos, portanto, associados, tiveram os juros elevados para 8%.

De forma administrativa, poderiam ter resolvido. Não, o mutuário tem que entrar na Justiça obrigatoriamente e se precisa de alguma informação da Previ, alegam que não podem fornecer, em razão de tal processo.

Abraços/Langoni

jander disse...

Ao anônimo das 9:26 e aos demais colegas.
O colega diz que ficou chocado com os valores recebidos pelas pensionistas. Pois fique sabendo que sou aposentado por invalidez desde dez/96 e recebedo de complementação R$ 703,00.
Sei que a Previ não é assistência social e não quero receber o que não tenho direito.
Devemos pensar já para negociações de janeiro em negociar um benefício mínimo de X %(mesmo que seja da parcela previ) para todo e qualquer assistido. Pois corre-se o risco de aqui a pouco muitos colegas estarem a receber menos que um salário mínimo.
Abraços
Jander

Anônimo disse...

Colega Antonio Barreto Bomfim,

Admiro sua tentativa de ser ouvido pela ANABB (Valmir), mas posso te garantir que a ANABB não representa nada na vida dos aposentados e pensionistas do BB.

A ANABB virou uma máquina de fazer dinheiro com as contribuições daqueles que iludem, e tudo que o Banco quer e ter uma associação que dê respaldo a suas sacanagens.

RESUMINDO, a ANABB FAZ DE CONTA QUE NOS REPRESENTA E O BANCO FAZ DE CONTA QUE ACREDITA.

Jane Torres de Melo disse...

Nao aceito que "sugiram o meu voto"
Meus direitos nao foram respeitados
e repito que o meu voto e NAO !!!!
Jamais concordarei com essa vergonha que nos esta sendo imposta !!!
Estao com pressa, problema !!!
A lei esta do nosso lado.
Parem de pensar que estao lidando com dementes !!!!!
Estamos proximos do Natal mas as vaquinhas de presepio vao passar longe dos Associados do PB1.
Nao engulo tanta arbitrariedade.
Francamente !!!!!!
Jane

mesquitasantana disse...

A todos os Colegas do PB1,

Vamos pensar um pouco:... Por que motivo se faz uma consulta ao Corpo Social para votar sobre as decisões espúrias, tomadas por representantes espúrios em cima de dados espúrios?

O Corpo Scial não existe mais como instância de decisões internas na PREVI.

Sendo assim a única razão que nos impulsiona é votar "NÃO".

Se fosse para votar "SIM" pra que votar? Para concordar com a sacanagem?.

abraços a todos

Anônimo disse...

Reforçando o que diz o anônimo das 04:17,

A ANABB não é uma Associação de aposentados, portanto, ela não representa os aposentados.
A ANABB é um shopping de negócios, que arrecada mais de R$ 2.500.000,00 mensais com as mensalidades dos associados, além das rendas com consórcio, contrução civil, etc.
Como pôde a ANABB ser convidada a participar das negociações do superávit e a AAPPREVI, que é uma associação de aposentados, ficar de fora?

Anônimo disse...

OI Marcos.
Se fui desrespeitoso a ponto de você achar que rasguei a página do Aurélio para jogar da sua cara, por favor, este em momento algum foi minha intenção, e por este motivo peço aqui em publico minhas sinceras desculpas.
Apenas quis alertar você, que o uso de palavras contundentes, mesmo sem a intenção de atingir alguém, e tenho a certeza que este foi o caso, podem nos levar a refletir sobre o que estamos deixando de perceber, e que de somos assim, não vale a pena continuar a lutar, pois não teríamos clareza para tal por nos enquadrarmos naquele conceito.
Mais uma vez minhas desculpas, e siga sendo este baluarte na defesa de nossos interesses.
Respeitosamente
Jose F. Rovere

Anônimo disse...

Olá pessoal,

Ficou acordado que após a distribuição do superávit nessa primeira etapa, haverão novas discussões de janeiro a junho de 2011, para distribuir mais grana numa segunda etapa. Vocês acreditam que o Banco possa concordar em melhorar alguma coisa para nós, sem ter nada em troca? Se agora está trancando o pé, por que haverá de ficar bonzinho depois?
Isso deve ser uma armadilha, para que o Banco possa legalizar seu balanço até 31 de dezembro.

Meu voto é NÃO!

Anônimo disse...

Qual será o horario para assistirmos ao vivo as sacanagens?
Eles pensam que já não entendemos mais nada, Safados!!!

mauro - divinopolis disse...

Marcos, não sei porque de tanta indignação com a proposta do Superavit. É claro que os funcis da ativa votarão em peso no SIM e nós, aposentados e pensionistas, como em TODAS as votações anteriores, contribuiremos com um índice DESPREZIVEL, seja para o SIM ou o NÃO.
O voto é que decide e nós, infelizmente, somos minoria nas votações.

Joaquim Luiz disse...

Anônimo disse...
Caro Joaquim Luiz,

Então o cálculo da ANABB em sua cartilha está errado? Os próprios participantes do acordo não sabem o que acordaram ou estão mais uma vez agindo de má fé?

---------------------------------

Não li e nem lerei o que o Blog da ANABB disse. Se estão agindo com má fé ou não, tb. não me interessa e o cálculo é extamaneente aquele que eu postei.

Veja com atenção e acho que pelo que vi de sua resposta e cálculos.. seu entendimento está equivocado.

Não queira mudar, se for o seu caso, o ritmo das coisas, pois quem recebe pouco ganha pouco, quem recebe mais ou menos ganha mais ou menos e quem ganha muito recebe muito.

Essa é a verdade honesta da questão, pois quem semeia ou só pode semear pouco, colherá pouco e quem semeou muito, colherá mais.

Anônimo disse...

SAIU HOJE NO SITE DA PREVI

Planejamento Estratégico é atualizado

O Plano Estratégico foi elaborado a partir um processo participativo que buscou atender às expectativas das partes que compõem a estrutura da PREVI

A PREVI realizou em 2010 a revisão anual de seu planejamento estratégico. O Plano Estratégico é o resultado da análise de insumos levantados a partir da consulta a diversos públicos, como Entidades representativas dos participantes e funcionários da PREVI, além da análise de cenários. O Plano Estratégico busca priorizar assuntos e projetos identificados como estratégicos e que estejam alinhados com a missão da PREVI: administrar planos de benefícios, com gerenciamento eficaz dos recursos aportados, buscando melhores soluções para assegurar os benefícios previdenciários, de forma a contribuir para a qualidade de vida dos participantes e de seus dependentes, visando atender suas expectativas e das patrocinadoras.

Construção

Com o objetivo de construir um processo participativo, a elaboração do Plano buscou levantar as expectativas existentes, avaliando quais delas faziam parte de suas possibilidades e poderiam ser transformadas em estratégias. Dessa forma, as informações utilizadas na construção do Plano Estratégico foram coletadas em diversas fontes, internas e externas. Ademais, foram analisados os cenários previdenciário e macroeconômico; as tendências econômicas, tecnológicas, regulatórias, políticas, sociais, previdenciárias e de meio ambiente; as forças, fraquezas, ameaças e oportunidades; e também as expectativas das partes relacionadas à PREVI, incluindo as associações de participantes, sindicatos, órgãos reguladores, patrocinadora, Conselhos Deliberativo, Fiscal e Consultivo, além das próprias gerências da PREVI.

Por representarem não só as expectativas das diversas partes que compõem a estrutura da PREVI, como também o resultado da análise do ambiente econômico e previdenciário, temas identificados como estratégicos – como o tratamento com a patrocinadora e os participantes a respeito da destinação da reserva especial, o aprimoramento das práticas de investimento e a interação da PREVI com as diversas partes relacionadas – foram incluídos no Plano Estratégico da PREVI para 2011-2013.

http://www.previ.com.br/

Carlos Mariano disse...

NO SITE DA ANABB - BB ESTÁ NA LISTA DAS MELHORES EMPRESAS PARA TRABALHAR - é claro que está, pagando beneficios e resultados sobre lucros com os dinheiros dos aposentados. Pergunte para os aposentados se o BB é a melhor empresa para aqueles que lá trabalharam.
O quanto eu aprendi que para ser bancário acima de tudo precisava ser honesto já que lidavamos com o dinheiro dos outros eu desaprendi, após aposentado, que enquanto os bancarios são honestos, a empresa (seus dirigentes) são desonestos, agem de má fé em juízo e explora seus aposentados retirando seus direitos sem o minimo respeito à lei.
Meu voto é NÃO.

Anônimo disse...

ACORDO SUPERÁVIT PREVI.


Como já havia dito que ninguém iria se contentar com o o acordo proposto pela ANABB/BB/PREVI E SEUS COMPARSAS DO BANDO.......

SUGIRO......

Que aqueles descontentes quando do recebimento do dinheiro que cheguem no caixa do banco e deposite sua parcela todo o santo mês na conta dos PAUPÉRRIMOS DO HAITI.

ISTO É DEVOLVE A GRANA PARA QUEM ESTÁ PASSANDO FOME E MORRENDO.

Que aqueles que não quiserem receber sua parte que entre com requerimento não aceitando o recebimento do dinheiro sujo que fora aprovado pela cambada imunda e abrindo mão para o POVO HAITIANO.

AGORA em que pese os comentários OS VINTÃO para mim será muito bem recebido......irei pagar minha dívidas e aplicar a sobra.

MEU VOTO É SIM......eu quero receber meu direito......é um direito meu sim.....

O Plano 1 contém muita gente que não possui mais tempo e nem saúde para ir á justiça contra essa pestes do inferno........

Isso é fato.......

Quem não quiser deposite na conta-corrente do pessoal lá do HAITI que estão passando uma tremenda FOME E MORREM DEZENAS A CADA DIA.

QUE ISSO SIRVA DE EXEMPLO....

ALBERTO -BRASÍLIA(DF)

PENSIONISTAS JÁ....UMA QUESTÃO DE HUMANIDADE E JUSTIÇA

Anônimo disse...

Cara colega Jane, o direito esta ao nosso lado, mas pergunto: Quantos anos vamos esperar para receber???????Com essa justiça que temos aqui no Brasil? Voce se esqueceu da viagem dos juizes para a Bahia? Por que será heim?Faz Me rir!São todos farinha do mesmo saco.

Anônimo disse...

ACORDO SUPERÁVIT PREVI


GALERA SÃO 20% AGORA E MAIS UM ANO DE RETROATIVO QUE SERÁ PAGO Á VISTA...

EM JUNHO DE 2011 TEM MAIS 5% ou 6% DA INFLAÇÃO DO PERÍODO.

E ATÉ JUNHO DE 2011 PODE SAIR MAIS ALGUM EM CIMA DISSO TUDO AÍ........

O TEMPO ESTÁ VOANDO.......E POVO ESTÁ MORRENDO NA VELOCIDADE DA LUZ.

O ACORDO, NO MOMENTO, ESTÁ BENEFICIANDO AQUELES MENOS AQUINHOADOS TAMBÉM......

VAMOS LÁ.....vamos ter um pouco mais de paciência visto que fazer esses cálculos e resolver definitivamente todos os problemas dos 120.000 do plano 1 que se arrasta por mais de 3 décadas em apenas 3 mêses é querer a FALÊNCIA precoce do nosso plano........

O bilhões é fruto de toda a sacanagem e aberrações cometidas por esses medalhões cretinos e podres a serviço do governo federal.


REPITO:::::: QUEM NÃO QUER. RECEBA E MANDE PARA O HAITI


ALBERTO - BRASÍLIA(DF)

MEU VOTO É SIM E EU QUERO O MEU DINHEIRO DANE-SE O BANCO E A PREVI.

Anônimo disse...

A comparação eh um tanto meio descabida, mas mesmo assim vou fazer:


Na época do plebiscito do desarmamento o voto no SIM era dando como certo, mas depois com os devidos esclarecimentos a sociedade optou pelo NÃO. Neste momento, penso que podemos também fazer uma campanha para derrubar o voto pelo SIM para a distribuição dos SUPERAVIT.

Abraços

Anônimo disse...

Os 20% deve somente incidir sobre a verba P300 que é o nosso benefício legal, estatutário.

Se os 20% não vão recair sobre o beneficio especial de remuneração e o especial de proporcionalidade, mesmo passando para beneficios permanentes, como ele pode incidir sobre o benefício mínimo temporarario.

Ex.:

Verba P300: R$ 2.500,00
Verba P380: R$ 500,00
Verba P390: R$ 350,00.
Total.....: R$ 3.350,00

Aplicação do superavit:

Verba P300: R$ 2.500,00x20%= R$ 500,00.

Valor do superavit - R$ 500,00.

Sobre o Beneficio Mínimo:


Exemplo : a Parcela Previ é de R$ 1.968,05.

Beneficio mínimo temporario: R$ 1.377,64.

Aplicação:

Beneficio mínimo R$ 787,22 x 20%= R$ 157,44.

Beneficio mínimo temporario: R$ 590,42

Somam-se R$ 157,44 + R$ 590,42 = R$ 747,86.

Rendimento total com temporário mensal:

R$ 787,22 + 747,86 = 1.535,08


O superavit PREVI não pode recair em cima de verbas temporárias.

Esse é o meu entendimento.

Se for diferente, melhor.

Anônimo disse...

A ANABB, BB, Contraf-Cut, FAABB, nos tranformaram em LÁZAROS.

Migalhas.

Anônimo disse...

A colega Jane Torres de Melo deve ser uma daquelas que recebe 20 ou 30 mil de aposentadoria por isso está com essa hiprocrisia do voto não.
É como dizem.....manda para os haitianos....

Anônimo disse...

QUEM VOTAR " SIM "

E

QUEM VOTAR " NÃO"

ESTARÁ JOGANDO O VOTO NA LATA DO LIXO.

SEU VOTO É IMPRESTÁVEL NÃO VALE PARA NADA......POIS A PREVI( PELA LEI 109) É, DEFINITIVAMENTE, OBRIGADA A DISTRIBUIR O SUPERÁVIT.

NÃO SEJA TÃO IDIOTA EM ACREDITAR NESSA CAMBADA DE DESUMANOS, LADRÕES, OPORTUNISTAS, ENGANADORES, ATEUS, DEMONISTAS, SATANISTAS, MEDÍOCRES

ENTÃO NÃO VOTE E RECEBA SEUS 20%..

CAMPANHA NÃO VOTE.......


ALBERTO - BRASÍLIA(DF)

PENSIONISTAS JÁ - UMA QUESTÃO DE HUMANIDADE E JUSTIÇA

Juarez Barbosa disse...

Prezado Marcos e seguidores do Blog

Acho que, independentemente do "sim" ou do "não" vencer o plebiscito, a subsidiária PREVI já vai disponibilizar R$ 7,5 para o BB, conforme já amplamente divulgado.

A questão fundamental, a qual defendemos convictamente, através de ação movida pela FAABB, é que esta apropriação é indébita.

A FAAB, a meu ver, deveria acionar a ouvidoria do tribunal aonde se encontra a ação, no sentido de pressionar o Juiz encarregado de proferir a decisão, que de fato a faça. Porque assim o processo continuará tramitando na justiça até chegar ao STF (é o que eu acredito que vá acontecer), tendo em vista que "as aulas de golfe e de tiro de arco e flecha" certamente influenciarão nas decisões judiciais intermediárias.

Outra questão que ora coloco é a de que, após leitura do encarte produzido pela ANABB, esta associação divulga ser ela a porta-voz oficial dos anseios dos participantes/assistidos da PREVI. Esta na hora, da Sra. Isa Musa divulgar para todos os seus associados MANIFESTO DE DESAGRADO acerca deste posicionamento da ANABB, invocando para si só, a hegemonia na apresentação de propostas de reforma do Regulamento da PREVI. Cabe a nós também, independentemente de estarmos ou não filiados à FAABB, contestarmos veementemente esta arrogância da ANABB, deixando bem claro que ela não é a porta-voz exclusiva de todos os participantes/assistidos e sim de apenas uma parte deles. Vamos lá Sra. Isa Musa, é hora de agir com rigor, amparada pelo posto que ora ocupas, também inquestionavelmente de grande representatividade.

Devemos deixar as vaidades pessoais, o desejo de se autoproclamar o "salvador da pátria" de lado e nos unirmos numa real corrente em busca do atingimento de nossas justas reinvidicações.

s.m.j.

Anônimo disse...

Parece que perdemos até as habilidades mtemáticas...
590,40
+ 787,21
= 1.377,61 20 %

= 275,52 a

a + b = 1.653,13 b

Anônimo disse...

Colegas, trabalhei na Ag.Palacio do Trabalho,do Ministerio do Trabalho(RJ) pagando alvaras trabalhistas,fazendo oficios e assisti coisas do arco da velha.
Quanto a Equiparaçao dos 40 do Bacen,ja escrevi aqui que foi pago ao perito o alvara pelos calculos feitos e durante o tempo que estive la,o Presidente do Tribunal,que frequentava e muito a nossa agencia(sempre de papo com os gerentes, almoços....),quando perguntavamos a ele pela nossa açao,sabe o que ele me respondeu:Meu caro colega, para os herdeiros,para os herdeiros.De outra vez nos disse que NAO DEIXAVAM nos pagar??????
E as "festinhas" de final de ano que a agencia fazia para os juizes.......Quanta gastança!!!!!!

Anônimo disse...

Liguei para a Previ e perguntei sobre o debate ao vivo: Resposta : DESCONHECEM
MB em Debate sobre acordo do superávit da Previ
Ao vivo, programa de quinta-feira 2, 20h, esclarece dúvidas dos participantes
Quem mente mais???????????

Anônimo disse...

Marcos,
Mensagem recebida por email do blog
dos eleitos.
Informativo dos Diretores e Conselheiros eleitos da Previ - 01/12/2010
De 9 a 15 de dezembro, vote "SIM"
para garantir mais benefícios na Previ
Nos próximos dias o associado do Plano 1 precisa aprovar a destinação do superávit da Previ. Essa é a condição para que o acordo negociado entre as entidades representativas do funcionalismo, dirigentes eleitos e Banco do Brasil seja implantado pela Previ depois de aprovado em seguida pelos órgãos governamentais competentes.

O voto "SIM" é a garantia de uma distribuição equânime do superávit para todos os associados. Pelo acordo, serão contabilizados de imediato, a favor dos participantes, R$ 7,5 bilhões da reserva especial do Plano 1 para serem utilizados da seguinte maneira:

* Suspensão das contribuições por mais três anos.

* Pagamento de um benefício temporário de 20%. Aposentados e pensionistas receberão mensalmente um valor correspondente a 20% de seu complemento de aposentadoria ou pensão. O associado da ativa terá creditado mensalmente um valor correspondente a 20% do complemento de aposentadoria a que teria direito se aposentasse naquele mês - esse valor ficará em contas individuais e será sacado quando o associado se aposentar ou resgatar sua reserva.

* Benefício mínimo temporário correspondente à diferença entre 40% da Parcela Previ e 70% da Parcela Previ (PP). O valor atual da PP é R$ 1.968 - assim, o benefício mínimo temporário será de no mínimo 30% desse valor.

* No primeiro pagamento após a aprovação do acordo, aposentados e pensionistas receberão de uma só vez 12 prestações mensais e o restante em prestações mensais. Os associados da ativa terão um crédito correspondente a 12 prestações em sua conta individual no primeiro mês - e o restante em prestações mensais.

* Os benefícios temporários serão pagos enquanto houver recursos disponíveis no fundo de R$ 7,5 bilhões, contabilizado a favor dos associados. * O banco concordou em arcar com o do benefício temporário do grupo pré-67.

Incorporação definitiva

Os benefícios especiais negociados no acordo do superávit de 2007 (diferença do teto de 75% para 90% da remuneração da ativa e proporcionalidade da Parcela Previ) serão incorporados definitivamente no Plano 1. Esses benefícios hoje são garantidos por um fundo de R$ 7 bilhões apartado do superávit de 2006. Se, no futuro, houvesse falta de recursos no fundo, os benefícios especiais seriam interrompidos ou o fundo teria de ser coberto com recursos somente dos associados. Com a incorporação, o banco também assume esse risco.

Serão contabilizados a favor do banco R$ 7,5 bilhões, também como forma de destinação da reserva especial. Esses recursos ficarão em conta específica no Plano 1 da Previ e serão utilizados para suspender as contribuições patronais. O restante será creditado em conta específica do banco na Previ, na mesma proporção e ao mesmo tempo em que os benefícios temporários forem pagos aos associados.

Dirigentes eleitos e entidades apóiam acordo - Os diretores eleitos da Previ Paulo Assunção, Sasseron e Vitor Paulo e os conselheiros deliberativos eleitos Celia Larichia, Mirian Fochi e Waldenor Borges participaram das negociações e apoiam a aprovação do acordo. As principais entidades representativas do funcionalismo - Contraf-CUT e sindicatos de bancários, Anabb, AAFBB, AFABB-SP, Federação das Associações dos Aposentados e Pensionistas (FAABB), AFABB-RS também participaram da negociação e apoiam a aprovação do acordo.

Anônimo disse...

Um assunto para refletir e que não foi ainda tratado aqui no blog: durante toda minha vida aprendi que qualquer acordo ou contrato que ferisse ou contrariasse preceitos legais seria nulo de pleno direito (isso foi ensinado no meu curso de contabilidade (Noções de Direito) - não tenho curso superior - e também em alguns cursos do próprio Banco (Desed). A lei mudou sobre essa questão ? Porque teríamos que aceitar esse "acordo" e essa "consulta" ao corpo social se todos sabem que eles contém todos os aspectos ilegais, inclusive porque pelos Estatutos da Previ não existe mais a figura da Assembléia Geral ? Gostaria que alguém com mais conhecimento de causa abordasse esse assunto. Se tenho que votar, meu voto é NÃO.

Ricardo Annoni Neto - Machado (MG)

Anônimo disse...

Caro Joaquim Luiz,

Esclareço o seguinte, referente às suas colocações em comentário acima:

"Não li e nem lerei o que o Blog da ANABB disse. Se estão agindo com má fé ou não, tb. não me interessa e o cálculo é extamaneente aquele que eu postei."

Me interessa se a ANABB age de má fé, pois isso pode influenciar milhares de pessoas. Em momento algum duvidei do cálculo do colega.

"Veja com atenção e acho que pelo que vi de sua resposta e cálculos.. seu entendimento está equivocado."

Os cálculos não são meus, transcrevi literalmente o que está na cartilha da ANABB, não houve "entendimento" algum de minha parte. Só lhe fiz esta pergunta porque acho estranho a ANABB dar essa "mancada" de errar no cálculo numa cartilha destinada a seus milhares de associados, salvo se for por má fé.

"Não queira mudar, se for o seu caso, o ritmo das coisas, pois quem recebe pouco ganha pouco, quem recebe mais ou menos ganha mais ou menos e quem ganha muito recebe muito. Essa é a verdade honesta da questão, pois quem semeia ou só pode semear pouco, colherá pouco e quem semeou muito, colherá mais."

Não tenho essa pretensão, aliás, concordo com o posicionamento do colega de que cada um receba proporcionalmente ao que contribuiu.

Não precisa responder, vamos encerrar por aqui essa troca de idéias, grato pela sua atenção.

Anônimo disse...

Acabei de receber:

ESPELHO ON LINE

Informativo da Comissão de Empresa dos Funcionários do Banco do Brasil - 2 de Dezembro de 2010

Eleitos da Previ debatem ao vivo, hoje às 20h, o
acordo do superávit do Plano 1

Associados de todo o país podem participar e assistir ao debate, que será transmitido via webtv

Os diretores eleitos da Previ José Ricardo Sasseron (Seguridade) e Paulo Assunção (Administração)
participarão nesta quinta-feira 2 de dezembro, às 20h, de um programa ao vivo via webtv pelo site do
Sindicato de São Paulo, para debater e tirar dúvidas sobre o acordo para a utilização do superávit do
Plano 1 da Caixa de Previdência.

Todos os associados poderão participar, de qualquer do país, enviando perguntas para o endereço
debate@spbancarios.com.br. Para assistir, é só acessar o programa Momento Bancário em Debate, no
site www.spbancarios.com.br/videodebate.asp.

O acordo, negociado com o Banco do Brasil pelos dirigentes eleitos da Previ, pela Contraf-CUT e demais
entidades do funcionalismo, inclusive associações de aposentados, será submetido à aprovação dos
associados do Plano 1, em consulta que será realizada entre os dias 9 e 15 de dezembro.

Funcionários da ativa votam pelo Sisbb. Aposentados e pensionistas, pelo 0800-729-0808.

O acordo contempla as seguintes conquistas:

1. Criação de um benefício temporário correspondente ao percentual de 20% sobre o complemento de
aposentadoria ou pensão ou de 20% sobre o benefício projetado, para os funcionários da ativa.

2. Criação de um benefício mínimo temporário no valor correspondente à diferença entre 70% e 40% da
Parcela Previ (PP).

3. Contabilização de dois fundos previdenciários de igual valor - um a favor dos associados e outro a
favor do Banco do Brasil - constituídos pela reserva especial do Plano 1 apurada em dezembro de 2009,
para posterior utilização.

4. Incorporação dos benefícios especiais criados em 2007, na destinação anterior da reserva especial -
benefício especial de remuneração (aumento do teto de contribuição e benefício de 75% para 90%) e
benefício especial de proporcionalidade.

5. Continuidade da suspensão de contribuições por mais três anos.
Somente depois da consulta os benefícios temporários serão aprovados pelos órgãos competentes (Previ,
BB, Ministérios do Planejamento e Fazenda e Superintendência Nacional da Previdência Complementar, a
Previc) e implantados.

Para conquistar esses novos benefícios, vote Sim na consulta de 9 a 15 de dezembro.

Anônimo disse...

Colegas,

Que absurdo! Todos os safados que estão mamando junto ao PT se uniram para aprovar esta farsa.

E o Banco vai botar a mão no dinheiro mesmo com a ação que impede a transferências dos valores da PREVI ? Significa que os safados vão retirar as ações da Justiça ?

Anônimo disse...

Finalmente consegui solucionar um problema que me atormentou durante todo este ano: como fazer uma ceia de Natal para minha família e alguns amigos sem que faltasse à mesa o tão esperado peru? Simples!!! Comprei um frango vivo e fiz o seguinte acordo com ele: ele andaria disfarçado de peru pelo nosso quintal até a data do abate. Em troca, eu acrescentaria 20% a mais na sua ração diária. Assim, enganaremos a todos. Só que essa enganação é por uma boa causa!!! Diferente do BB, que comete crimes dos mais diversos tipos. Ah, BB... um dia a casa cai...

GILVAN REBOUÇAS disse...

ATENÇÃO COLEGAS ASSOCIADOS.

A AAPPREVI já está utilizando a sistemática do débito automático para os novos associados.
Enviamos o formulário de autorização de débito para todos. Pedimos, gentilmente, que entreguem seus formulários nas agências de relacionamento para gravação.
Essa nova modalidade de arrecadação é mais confortável para os associados e libera a TESOURARIA dos controles manuais.
Contamos com a compreensão de todos.

obs: As segundas vias dos formulários estão disponíveis na tesouraria da AAPPREVI. tesouraria@aapprevi.com.br


Atenciosamente,

Gilvan Rebouças

Vice Presidente Financeiro - AAPPREVI.

Anônimo disse...

Colegas o que o anonimo das 7;35 relatou é pura verdade! Para mim um advogado disse: um ganha e outro perde!!!! E foi isso que aconteceu!
O BB deveria ser denunciado na imprensa.Enquanto trabalhavamos tinhamos valor hoje somos velhos esclerosados!!! Queroo meu superavit , JÀAAAAAAAAAAAAAAAAA

Anônimo disse...

Liguei para a PREVI e finalmente, na terceira tentativa, alguém me esclareceu a questão do benefício mínimo: só terá direito ao benefício mínimo de 70% da PP quem, ao se aposentar, teve seu benefício enquadrado como benefício mínimo, uma vez que seu cálculo lhe destinava menos que tal valor.

Quem me prestou esse esclarecimento foi o atendente Fábio, aproximadamente às 15:14 de hoje(2/12).

Alguns aqui podem até achar que estou escrevendo asneiras, que perdi a habilidade matemática, mas podem acreditar: tem colega que recebe R$ 850 e não foi aposentado pelo mínimo, foi um pouquinho acima. Esse colega vai receber R$ 170 por mês e seus 240% imediatos não passarão de R$ 2.040,00.

Já outro, que tenha se aposentado pelo mínimo, e ganhe R$ 790,00 , vai ter seu benefício aumentado para R$ 1.377,68, com ganho de R$ 587,68 e primeiro pagamento igual a R$ 6.812,16.

Vocês acham que o colega do exemplo dos R$ 850,00 tem como aceitar algo assim? Claro que não, vai entrar na justiça com toda razão.

E tem mais, a PREVI, a ANABB e a FAABB exemplificam a questão como se todo mundo que tenha se aposentado pelo mínimo recebesse 40% da PP. Conheço colega que se aposentou por invalidez pelo benefício mínimo no estatuto anterior (1/5 do SRB) e recebe atualmente 40,238 % da PP. Porém supostamente terá direito ao mínimo porque meu benefício inicial foi o mínimo que lhe coube na época pelo enquadramento regulamentar.

Digo supostamente porque, antes do atendente Fábio, outros dois me disseram não ter como dirimir minha dúvida.

Sou o Washingtom Lopes.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Notícias Relevantes

02/12 - Movimento UNAP-BB - Comunicado N° 12 - Contra o acordo.

Anônimo disse...

As habilidades matemáticas...

Se alguém recebe, hoje, R$ 787,22 terá um superavit de 20% sobre esse valor que será:

R$ 787,22 x 20% = R$ 157,44.

Que será acrescido da diferença entre R$ 1.968,03 x 70% = R$ 1.377,62 e o valor do beneficio atual R$ 787,22.

Cálculo:

Valor mínimo temporário pela superavit - (menos) o valor do beneficio atual:

R$ 1.377,62 - 787,22 = R$ 590,40.

Valor do beneficio a ser recebido temporáriamente:

R$ 157,44 + 590,40 = R$ 747,84.

R$ 787,22 + 747,84 = 1.535,06





Isso não é habilidade matemática é a regra para aplicação do superavit.

O superavit não vai ser calculado sobre valor temporário.

Se fosse para calcular o superavit sobre o valor temporário atual, verba 380 e verba 390, remuneração especial e proporcionalidade, respectivamente, eu seria favorecido por esse cálculo, mas serei agraciado apenas sobre a verba P300. Os temporários citados apesar de passarem a serem permanentes não serão atingidos pelo superavit, infelizmente.


A questão não é habilidade mas a regra para o cálculo, como bem frizei anteriormente. Espero que todos os cálculos sejam sobre os valores temporários também.

Esse é o meu entendimento.

Hoje eu recebo pela verba P300 R$ 2.765,95; P380, R$ 38,16 e e P390 R$ 135,87.

Entretanto os 20% incidirá apenas sobre a verba P300.

R$ 2.765,95 x 20% = R$ 553,19.

Anônimo disse...

Se votarmos NÃO ao acordo indecente, poderemos discutir a matéria posteriormente em juízo.
Agora, se o SIM for maioria, aí... a Inês é morta...
Tenho a convicção de que vão efetuar o rateio, qualquer que seja o resultado.
Portanto, para resguardar o direito a futuros questionamentos, entendo que o NÃO seria a melhor opção.

Anônimo disse...

Eu entendo que mesmo aqueles que ganham um pouco acima do mínimo, por exemplo R$ 850,00, também serão contemplados, pela formula do superavit.

R$ 850,00 x 20% = R$ 170,00.

Valor temporário mínimo R$ 1968,00 x 70% = R$ 1.377,60

R$ 1.377,60 - 850,00 = R$ 527,60.

Como fica?



Valor temporário dos 70% sobre o valor da parcela previ (R$ 1.377,60) - (menos) valor do beneficio atual (R$ 850,00) = R$ 527,60 + valor dos 20% sobre o beneficio (R$ 850,00) R$170,00 = R$ 697,60

R$ 527,60 + R$ 170,00 = R$ 697,60


Acredito que seja o cálculo correto.

A Previ já deve ter a fórmula a ser aplicada e ainda não a divulgou.

Vamos aguardar para tirar as nossas dúvidas.

Anônimo disse...

Alguém poderia me informar se a Previ vai adiantar estes 240% em dezembro?Ou será que além de roubados de chamados de idiotas, ainda teremos que esperar e muito por esta esmola?Já que mesmo eu votando NÃO, o dinheiro vai sair.

Anônimo disse...

Ao atento colega das 10:41 (reloginho tá maluco)

Acho que você não entendeu a questão que quis colocar porque sua faixa de rendimento é acima (não é muito mas é bem acima) daquela que abordei.

Vai ver o atendente/PREVI está errado, tomara.

Anônimo disse...

COLEGAS,
Minha firme convicção é votar NÃO. Por tudo que já foi dito e, mais ainda, o que não foi dito.
Os Colegas “da Ativa” tem direito a 20% do SUPERAVIT, além das Contribuições que há 3 anos não pagam? Evidente que não. No máximo têm direito proporcional aos anos que contribuíram.
ESSA PROPORCIONALIDADE DEVE SER APLICADA A TODOS.
Por outro lado, se o Banco quer cooptar os votos da turma “ativa”, só resta a nós, INATIVOS E PENSIONISTAS, derrotá-Los com NOSSA UNIÃO.
Vejam no quadro abaixo, copiado da PREVI: Eles representam menos de um terço dos Votos.
Plano de Benefícios 1 2009
Ativos........... 33.815
Aposentados ..... 64.043
Ativos Externos . 932
Aposentados Externos 3.456
Pensionistas 18.974
Total ... 121.220

Conclusão: o resultado da votação, pelo menos isso, depende de Nós.

ELIS disse...

Os 20% são na realidade 14%. Como? Não esqueçam do "leão": 27%, para quem recebe acima de 3.000,00; e da CASSI: 3%.
No exemplo da ANABB, 20% sobre 3.000 dá 600,00. Descontando O IR e a CASSI sobram 420,00. Perceberam?

Anônimo disse...

Colegas,

O bb passa por cima da Lei em qualquer tempo.
A situação está irrevogavelmente definida para o banco do brasil.
O que ele quer agora, que já foi dito aqui várias vezes, é tornar legal com o voto dos participantes lhe doando a metade do superavit e por consequência metade de seu patrimonio.
Acreditou-se por muitos anos que teriamos um Presidente ( Luis Inácio Lula da Silva) que respaldaria os Direitos Adquiridos pela consttuição e defenderia conforme as palavras dele os Idosos Aposentados sem distinção de classe.
Pois bem, depois de tantos anos dirigindo o País/Brasil e se arvorando defensor dos trabalhadores, mundo afora, deixa uma HERANÇA MALDITA, Sem escrupulos retira o sagrado direito dos aposentados da PREVI.
Ficará este senhor para a História do Brasil, como Traidor e enganador dos aposentados.
Pensando assim deverá passar para a Sucessora o Cetro da maldade.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Com um pouco de sorte, em janeiro a bolada do superavit nos fará alcançar o indice de reajuste do INSS.
Como?
Fazendo simples continhas:

20% - (27% IR + 20% PA) = ?

Onde IR = Imposto de Renda e PA = Pensão Alimentícia.

Tudo sobre o Benefício PREVI.

Votar NÃO é a solução!

Anônimo disse...

Colegas,
No que se refere à incidencia ou não do percentual de 20% sobre os Beneficios Especiais, o artigo 89 deverá ser alterado, pois esses tornarão Beneficios Permanentes deo Plano. Tornando-se permanentes não há como exclui-los do beneficio temporário:ument

Art. 89 – Os benefícios especiais previstos nos artigos 86 e 87 não constituem elevação de valor dos benefícios previstos no artigo 23 e a estes não serão incorporados, somente sendo devidos enquanto existir disponibilidade no Fundo de Remuneração e no Fundo de Proporcionalidade, de acordo com as regras deste capítulo.

O artigo 103 - do mesmo regulamento, define o que são beneficios :
IX. Benefício – Todo e qualquer valor pago ao participante ou beneficiário estabelecido no Plano de Benefícios.

XIV. Benefício Programado e Continuado – São caracterizados por pagamentos mensais continuados, até que alguma causa provoque a sua cessação. Enquadram-se nesta categoria as aposentadorias, pensões e rendas mensais vitalícias.

Logo, entende-se que esses beneficios incorporados também são complementos de aposentadoria. Ou não?

WASHINGTON LOPES disse...

Ao atento colega das 11:04

Concordo que a idéia que se tem é essa ao ler o memorando. Mas veja, tanto FAABB quanto ANABB quanto PREVI colocam como beneficiados com a proposta do benefício mínimo temporário aqueles que recebem benefício mínimo.

Liguei para o teleatendimento da PREVI e eles entendem que isso se aplica exclusivamente àqueles que se aposentaram com benefício mínimo (entendido como aquele da data de cálculo/concessão).

O último atendente que consultei, o único que foi taxativo , procurou deixar bem claro que a idéia de benefício mínimo não é a mesma de salário mínimo, nem muito menos de benefício de baixo valor. Que a idéia de benefício mínimo do memorando é referente àqueles que contribuíram por pouco tempo para a Caixa e cujos cálculos de complemento não atingiram o patamar mínimo na concessão, sendo-lhes aplicado o mínimo vigente à época.

Repito que acho um absurdo, mas alerto àqueles que recebem menos de R$ 1.377,63 (70 % PP) que procurem se informar e façam pressão, caso tenham a mesma resposta que eu.

Washingtom Lopes.

Anônimo disse...

Liguei para o auto atendimento da PREVI (0800-729-0505)e fui informado de que o índice de 20% será aplicado, a princípio, segundo a atendente, somente sobre a verba P-300.
Não senti muita segurança na resposta, e a dúvida permanece.

Abraços

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Ação Renda Certa da AAPPREVI – 2° lote – Despacho favorável:
30/11/2010
Defiro a gratuidade de justiça. Cite-se.
Mais detalhes no site www.aapprevi.com.br – Assessoria Jurídica.

Anônimo disse...

COMEÇOU!!!

http://www.spbancarios.com.br/videodebate.asp

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Sr. Presidente,

A propósito de sua afirmativa de que a FAABB estaria sendo tendenciosa com relação ao voto sim ou não no plebiscito que a Previ anuncia, respeitosamente desejo esclarecer que a FAABB respeita a posição de todas as suas filiadas e no Ofício cumpre seu dever de orientar que as Associações levem exaustivamente a discussão do tema a seus associados. Os exatos termos do Ofício dizem em seu primeiro parágrafo:

“Nos próximos dias a Previ deverá divulgar todos os detalhes dos benefícios especiais que serão concedidos relativos à Reserva Especial Para Revisão do Plano, caso participantes e assistidos do Plano 1 votem favoravelmente em plebiscito de 9 a 15 de dezembro.”

No último parágrafo recomenda:

“A FAABB considera fundamental que toda essa discussão seja levada claramente para nossos associados, pois esses deverão votar com consciência do que estão escolhendo.”

Atenciosamente,

Isa Musa de Noronha

Anônimo disse...

O português que eu entendo:

"Nos Próximos dias..." . Para mim seria menos de uma semana. Mais do que isso seria: próxima quinzena ou próximo mês.

Continuando:

Se não votarmos favoravelmente a Previ não vai divulgar os detalhes dos benefícios especiais.

E depois.

A FAAB diz é fundamental a discussão sobre o tema e pede voto consciente.

Tanta incoerência em um curto espaço.

Quem somos nós para a Dona ISA MUSA?

Em quem devemos confiar?

Anônimo disse...

Colegas,
Acabei de assistir pela TV Bancários as explicações sobre o superavit, pelo Sasseron e Paulo Assunção.
Os 20%, caso seja aceita a proposta, incidirão, também, sobre os Beneficios Especiais que serão incorporados ao Plano 1.
Esclarceu, tambem, que os 20% que serão pagos aos pré-67, sairão dos recursos do BB, que tambem serão utilizados para a suspensão das contribuições. Do jeito que veio a informação acho que o BB, em espécie, não vai levar nada. Só pagar contas.
Veremos..

Anônimo disse...

Washingtom,



Se o benefício mínimo é alterado temporariamente para 70% da Parcela Previ, acredito que todos aqueles que ganham acima do benefício mínimo atual e inferior ao beneficio temporário de R$ 1.377,00 estarão enquadrado nesse plano com certeza.

Por que?

Porque temporariamente ele passou a receber menos que o beneficio temporario previsto pelo superavit.

Beneficio Previ: R$ 1.000,00.
Beneficio mínimo temporário: R$ 1.377,00.
Então ele tem que receber temporariamente R$ 377,00.

E mais R$ 200,00 pelos 20% sobre o beneficio atual de R$ 1.000,00.

Esse é o meu entendimento.

Você acha que é por isso que a Previ não divulgou o detalhes dos benefícios.

São apenas tres beneficios: os 20% do beneficio atual, incorporação dos dois beneficios, especial e proporcionalidade, como permanentes e 70% da Parcela Previ para o benefício m´nimo temporários.

Os dois primeiro não tem discussão. Será que só o beneficio mínimo esta gerando um quebra cabeça para a Previ?

O detalhamento dos beneficios do superavit não se confunde com valores. Se oFundo aprtado durará 5 ou 6 anos é outra questão.

Vamos esperar.

Anônimo disse...

SAIU NO SITE DA PREVI

Destinação do Superávit do Plano 1

Mensagem da Diretoria

Caros aposentados, pensionistas e pessoal da ativa do Plano 1,

Este é um momento especial. Estamos muito próximos de atender a uma legítima demanda de todos vocês: a destinação dos recursos do superávit. Graças ao esforço conjunto de todos os que atuaram no processo de negociação – entidades representativas do funcionalismo da ativa e dos aposentados, Banco do Brasil e PREVI – foi firmado um Memorando que, se aprovado, trará benefícios concretos para os associados. Nós, da Diretoria Executiva, acreditamos que a conjuntura econômica favorável e a solidez da PREVI também possibilitaram este entendimento. Construído com diálogo e maturidade, ele resultou no Memorando que levamos à sua aprovação.

A Diretoria da PREVI valoriza a opinião dos participantes e assistidos e disponibiliza estas informações que esclarecem os principais pontos do Memorando, para que você tenha plenas condições de votar entre 9 e 15 de dezembro. Caso, após a leitura, ainda persistam dúvidas, estamos à disposição para esclarecê-las, por meio da Central de Atendimento ou pelo Fale Conosco do site. Para que os benefícios propostos no Memorando sejam implementados, é indispensável a sua aprovação pelo BB e pelas instâncias governamentais competentes.

Aposentados e pensionistas podem votar por telefone. Os funcionários da ativa, pelo Sisbb. Não deixe de votar. É uma ótima oportunidade para você demonstrar que é, de fato, participante.

Diretoria Executiva
Presidente: Ricardo José da Costa Flores
Diretor de Administração: Paulo Assunção de Souza
Diretor de Investimentos: Renê Sanda
Diretor de Participações: Marco Geovanne Tobias da Silva
Diretor de Planejamento: Vitor Paulo Camargo Gonçalves
Diretor de Seguridade: José Ricardo Sasseron

Veja aqui todas as informações:

Superávit do Plano 1
Perguntas e Respostas
Como Votar

http://www.previ.com.br/portal/page?_pageid=57,1684640&_dad=portal&_schema=PORTAL

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Mensagem recebida fora do Blog:

CAROS COLEGAS,
VOU DAR UMA DE IBOPE, VAMOS VER SE VAI DAR CERTO.POR MINHA CONTA E RISCO PENSEI EM TENTAR UMA PESQUISA PRÉVIA ENTRE NÓS PARA MENSURAR COMO SERIA SE O PLEBISCITO FOSSE HOJE. PARA TANTO NECESSITO, NATURALMENTE, DA BOA VONTADE DE VOCÊS. LOGICAMENTE, RESPEITANDO AQUELES QUE NÃO DESEJAM ABRIR O SEU VOTO.
A PERGUNTA É:
NA SITUAÇÃO ATUAL, VOCE CONCORDA COM A PROPOSTA APRESENTADA PELO BANCO ?

SIM OU NÃO



EDISON DE BEM E SILVA - PELOTAS

acf disse...

PREZADOS COLEGAS ANONIMOS OU NAO


VOTANDO SIM OU NAO TANTO FAZ, VAMOS RECEBER O QUE FOI ACORDADO.EXISTE O PRAZO LEGAL DE ATE 30.12.2010 A PREVI FAZER ESTA DISTRIBUIÇÃO.


PORQUE ENTÃO VOTAR SIM????? VOTE PELO NÃO. DE-NOS UMA CHANCE DE HAVER UMA OUTRA OU UMAS OUTRAS NEGOCIAÇÕES.....E QUEM SABE CONSEGUIRMOS ALGO MAIS????


ANTONIO C F MACEDO