terça-feira, 12 de abril de 2011

Preocupação

Edison de Bem escreveu:

Meu caro Marcos,

Seu nome, inquestionavelmente, faz "tremer" a "base circense" montada para dizer sim ao BB e à PREVI.

Se a negociação fosse "quente", faria questão de ser o primeiro a apoiá-lo, como já o havia feito quando pensei que a fórmula seria outra, aberta e diversificada, contemplando diversos colegas.

No entanto, como se pode prever, o "REPRESENTANTE", será "manietado" com as "REGRAS DO NÃO PODE" e você jamais se prestaria para isto.

A sua palavra forte e corajosa deve ser preservada para momento oportuno, em que possa realmente ser ouvida e apoiada por todos. Não agora, que as cartas continuam marcadas e a maioria dos nossos colegas reluta em defenestrar as "velhas carcaças" encasteladas no poder. Ainda é um "saco de gatos". Não nos convém jogar tão valoroso " soldado da causa", solitário, naquele meio.

Já entregaram parte de nossas economias para que o "bondoso" Banco do Brasil investisse no VALERIODUTO (como agora descoberto pela Polícia Federal), melhorasse os números de seus balanços e comprasse outras instituições financeiras.

O que querem agora ? Já jogaram iscas para todos os gostos, é só ver a hilária "salada" contida na nova lista de reivindicações.

Desejam agradar a todos, embora saibamos falsas e inócuas suas propostas.

Se, efetivamente, quisessem resolver o problema, as próprias ASSOCIAÇÕES que dizem nos defender, abririam votação nacional para indicação de nomes de colegas especialistas no assunto, isentos de compromissos políticos, retirando daí, número pré-definido, para compor uma COMISSÃO. Estes colegas seriam encarregados de elaborar projeto único, contemplando formas de solucionar senão todos, mas a grande maioria dos problemas hoje discutidos. É muito fácil de resolver, é só querer.

Mas aí está o grande óbice, resolvida esta questão, apagar-se-i-am as "luzes dos holofotes" que alimentam os eternos "coroados". À míngua, morreriam politicamente.

Mas, colegas, não são estes os nossos maiores problemas. O que me preocupa e "tira o sono" é a continuidade da vigência da RESOLUÇÃO 26. Esta sim é o verdadeiro "cancro" a ser, urgentemente, extirpado.

Através da Resolução 26 o Banco, que de há muito já não merece nossa confiança, pode determinar manipulação de números, fabricando sucessivos superávits inexistentes e deles se locupletando, até o esgotamento da capacidade de pagamento da PREVI, levando-a ao caos, hoje vivido pela AERUS.

Mas a maior parte da culpa cabe a nós mesmos, a inércia e a alienação nos jogaram nesta situação.

Eu, sinceramente, estou cansado. É somente uma meia dúzia brigando, tirando dinheiro do próprio bolso para viajar ao encontro de políticos que possam ajudar, varando madrugadas e contatando as mais diversas autoridades, em busca de "luz".

Pelas verdades ditas, sabidas, mas às vezes difíceis de provar, arriscamos até ser processados e, os demais, o que fazem?

A grande maioria destes que hoje estão lutando, dentre os quais me incluo, não estão esperando aplausos ou gratidão, mas pelo menos, entendem merecer apoio e incentivo.

Somos 120 mil almas vinculadas diretamente à PREVI. Se tivermos 3% de colegas/pensionistas, preocupados e discutindo os problemas que nos afetam é muito. Certamente não alcançamos a tanto.

Vou discorrer um exemplo que é a tônica em nossa comunidade.
Dia deste fui convidado para almoço mensal de aposentados.
Como sempre alguns se chegaram para conversar e saber as novidades, mas a pergunta dominante era sempre: o que vem de dinheiro por aí?
Devido a situação de muitos até se entende.
Mas, podemos sentir, nestas rodas, a total indiferença com o futuro.
A tônica é " vou morrer em seguida, quero é aproveitar os dias que me restam, com dinheiro no bolso".
Ao final da reunião, o colega "coordenador" solicitou a quem quisesse receber notícias sobre andamento de assuntos da PREVI/CASSI , que registrasse o e-mail em uma lista. Sabem quantas adesões recebi... UMA...

Sobre o mesmo assunto, aproveito para repercutir o ocorrido com o brilhante companheiro Luiz Dalton que na reunião de Porto Alegre perdeu a paciência com os "falastrões" da PREVI e não foi apoiado por ninguém. O fato transcrevo abaixo:

"Ontem participei do encontro na SUPER (RS) para ouvir as patranhas de um diretor da PREVI eleito por nós para nos defender e cuidar de nosso patrimônio. No salão que deveria ser de debates vi e ouvi estarrecido a subserviência de uma plateia de pascácios embevecidos com os números e besteiras ali apresentados. Em determinado momento não pude ignorar as mentiras que nos eram atiradas como se fôramos indigentes mentais. Tudo isso, mérito daqueles nossos representantes, na verdade empregados, pois nós é que lhes pagamos os ricos salários e mordomias. Reagi enfurecido. Interpelei o embevecido palestrante, insultando-o por faltar com a verdade, ademais de outros assaques. Para minha estupefação não tive qualquer sinal de apoio à minha franqueza e duras assertivas contra o marionete que ali se apresentava. Os baba-ovos assentados no auditório o aplaudiam com se o cara fosse um milagreiro dos tempos medievais. Foi uma tristeza. Houve colega que perguntou a respeito do reflexo do terremoto e tsunami japonês sobre os valores das ações da Vale. Tive que desistir e me ausentei do picadeiro ali armado. Meu caro amigo, nós não podemos nos juntar a esse cabotinismo e farsa montados por esses auto-intitulados nossos representantes. Li num desses emeios que correm por aí, uma pretensiosa e irreverente carraspana subscrita pela Srª. Isa Musa a um nosso querido, denodado e respeitado companheiro. Essa cidadã e colega que não conheço, afirmou competir somente ela e seus acólitos das AFAs decidir quem participa ou deixa de participar nessas cabulosas tratativas. Para isso ela pede a indicação de nomes de “representantes” apenas através das direções das AFABBs regionais. Permito-me perguntar: quem deu a ela esse poder?..."(Luiz Dalton)

Ás vezes penso até em largar essa militância teimosa, mas reflito e a vejo, valente, persistente e com o foco pré-determinado na vitória das nossas idéias e, especialmente porque, temos a parceria de colegas especiais, que valorizam o nosso trabalho, e se apresentam como verdadeiros "bálsamos", quando pensamos em esmorecer.

UM ABRAÇO A VOCÊ MEU CARO MARCOS E A TODOS OS COLEGAS QUE NOS ACOMPANHAM.

EDISON DE BEM

62 comentários:

Anônimo disse...

Caro Edison,

Voce está coberto de razão, porque só agora a preocupação de levar mais alguém à mesa de negociações, já está tudo determinado, neste caso seria só para dividir os espinhos.
Já entregaram tudo em 2010 com aquele acordo ridículo e aquela votação mais ridícula ainda.
Quanto a inércia de nossos colegas algo para não entender, basta ver o resultado de uma simples assinatura nos abaixo assinados, eu mesma acompanho para verificar quem, dos que eu enviei recomendando a assinatura, de fato assinam, o percentual resultante é decepcionante.
Imagino a decepção de voces que encabeçaram esse movimento para proteger nosso fundo de pensão.
Mas há esperança de revertermos o curso dessa história, também já fiz parte dos inértes e agora bem mais atenta é questão de tempo, logo seremos 120.000 questionando e cobrando transparência e respeito.
Elisabeth

Jane Torres de Melo disse...

Caros Colegas e Queridas Pensionistas,

"Vale o que está escrito" !!

Não entendi a mudança da regra a essa altura ! Ou será que entendi?
É meu dever registrar a minha decepção com essa decisão !!
Prazos existem para serem cumpridos!

"O que é do Homem, o bicho não come" !!

Minha certeza é de que nossa luta está só começando! Já tivemos muitas vitórias !!
Não podemos esmorecer !!!

Caro Marcos, conte sempre comigo !!

Abraços,
Jane

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

De Milton Bertoco:

Caríssimo Edison e demais.

Infelizmente, é esse o quadro. A tal ponto que já me arrependi da indicação do colega para representar-nos - não que não tenha qualidades, ao contrário, é pela fria que estamos prestes a enfiá-lo.
Volta e meia me bate esse desalento - o seu depoimento e o do Luiz Dalton são de pasmar, embora sejam quadros que vemos a toda hora - mas eu não desisto porque seria isso exatamente o que pretendem.
Por favor, continue, todos precisam de gente como você, mas especialmente os omissos sapos fervidos.
Um abraço a todos,
Milton

julita disse...

Bom dia, Elizabeth! Eu votei e gostaria de ver se deu certinho mas não consegui! Como faço? Abraços, Julita Pensionista

Jose Roberto Eiras Henriques disse...

Prezado Edison,

Apesar de sua frustração quanto à participação de colegas na luta em defesa de nosso patrimônio, vale lembrar que as grandes marchas começam com um primeiro passo, é penoso, árduo, solitário mas é o início de uma ação que, com o passar do tempo, gerará frutos apesar do alto preço a ser pago.

Como disse, se não me engano. Martin Luther King:

“O que me preocupa não é o grito dos maus mas o SILENCIO DO BONS"

Quanto à sua opinião sobre a indicação do colega Marcos para nos representar nas próximas negociações sinto-me na obrigação de discordar.

Para superar nossos adversários devemos aprender como eles agem, seus métodos, suas armas e, principalmente, suas fragilidades, melhor oportunidade do que essa não há.

Mesmo como você afirma que o colega Marcos será lançado numa luta desigual, num ninho de cobras ou mesmo aos leões sedentos de benesses e subservientes ao patrocinador, a participação de nosso representante será benéfica e, apesar de solitária, nossos oponentes saberão que há resistência e que não aceitaremos facilmente a dilapidação de nossos recursos e o achatamento de nossos benefícios.
“Na vida nada devemos temer e sim Compreender” (madme Currie)

Anônimo disse...

Vocês estão perdendo! O colega Ruy Brito, que sempre presta orientações para a FAABB está na TV Senado falando da Previ (10:00)

Anônimo disse...

Colegas,


Vamos ser um pouco mais otimistas, sei das maracutaias da ANABB/CONTRAF-CUT, e da passividade de nossos eleitos da PREVI diante de tantos desmandos. Vamos continuar unidos e brigando pelos nossos direitos, que a podridão aos poucos será debelada.

Te cuida Valmir/Sasseron.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

De João Rossi Neto:

Marcos,


Este clima de discórdia, mudanças abruptas, troca excessiva de mensagens acabou por desgastar o processo e esgarçar o tecido social da convivência entre as associações, que nunca foi bom, pois os participantes são inimigos cordiais. Parece até que estão escolhendo uma pessoa para ocupar um cargo especial, com poderes ilimitados, que ao tomar posse passaria a dirigir tudo e decidir unilateralmente sobre qualquer assunto, a seu inteiro talante. Mas, não, essa celeuma toda é para definir o nome de um simples participante, seguramente com liberdade tolhida e não vai passar de um mero soldado de retaguarda, dai a preocupação em trazer um ouvinte tranquilo, cordato, que não iria criar problemas com discussões polêmicas. Com essa participação ajeitada e azeitada, a versão do espírito democrático seria vendida aos participantes. Mas, como não somos trouxas, enxergamos que essa medida não contém abertura e nem transparência alguma, porquanto é um engodo e na realidade estão exercendo o nefasto papel de mercadores de ilusões.
Sabidamente há uma escassez de recursos para compor a Reserva Especial, de modo que se não houver algum fato novo que modifique este panorama financeiro no curso das negociações, a tendência é esvaziar os objetivos, porque sem dinheiro suficiente como seria feito o necessário e imperioso Realinhamento do Plano 1 da PREVI, porque propostas paliativas não resolvem o problema. A multiplicação dos pães está fora de cogitações e outros milagres também não são da esfera de ação dos negociadores.
Sem embargo das tratativas negociais, poder-se-ia partir para o lado prático da questão, que consiste no ajuizamento da petição junto ao Procurador-Geral da República, levantando a tese da Arguição de descumprimento de preceito fundamental, com pedido liminar de tutela antecipada, sustando de imediato os efeitos da Resolução CGPC 26/2008 e, por consequência, que o patrocinador devolvesse os R$ 7.5 bilhões que recebeu por força de um documento ilegal. Além de viabilizar os recursos para a revisão do plano, a medida alteraria de temporários para definitivos, os benefícios especiais de 20% concedidos, além de mover o BB para posição que convenha aos nossos interesses, em termos de definir os nossos pedidos. Demais disso, na hipótese de lograr êxito o nosso pleito junto ao Procurador-Geral da República, o máximo que poderia acontecer seria o arquivamento da exordial.

elvira disse...

Julita, segue orientação;
www.peticaopublica.com.br
clicar em abaixo assinados mais ativos depois em abAixo assinado PREVI- texto do Rossi e ver em atuais assinaturas.
Abraços

elvira disse...

A briga no âmbito da previ e associaçoes de pronto são causas que resultarão em migalhas.
Meu apoio ao Rossi. Partamos para esferas mais altas.
Abraços

Anônimo disse...

VOCÊS ESTÃO PERDENDO!!! O COLEGA RUY BRITO TÁ BOTANDO A BOCA NO TROMBONE NO SENADO DENUNCIANDO OS 7 BI QUE O BB LEVOU!!! VIVA!!!! ASSISTAM PELA INTERNET TV SENADO!!!!! 12:15

Anônimo disse...

A Dona ISA MUSA.

A senhora começou a participar das associações ligadas ao funcionalismo ou sindicatos quando funcionária da ativa ou depois que se aposentou. Se na ativa quanto anos a senhora ficou afastada do Banco.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas,

Abaixo-assinado PREVI - Em apoio à carta do Sr. João Rossi Neto ao STF

Vejam como é simples assinar – basta acessar:

1) www.peticaopublica.com.br, e clicar em

2) Abaixo-assinado PREVI - Em apoio à carta do Sr. João Rossi Neto ao STF

818 pessoas já assinaram.

Anônimo disse...

Colegas, Marcos e Rossi,

Não é de hoje que os aposentados e os da ativa, também, lidam com inescrupulosos, maquiavélicos, soberbos e imprestáveis as boas causas humanas.
São doentes mentais que se incrustam no poder, por vaidade, por dinheiro fácil entre outros "predicados".
Defender seus colegas é pura balela, mentira deslavada, inclusive daqueles que hoje dirigem o BB e a Previ/anabb entre os demais suspeitos que estão no poder.
A vida dos sérios e honestos sempre foi difícil, mas perseverou e dura até hoje e sempre haverá quem honestamente ajude seus Colegas menos afortunados.
Deus proverá os bons de coração e sempre ajustará contas com aqueles que mentem aos quetro ventos.
Deus nos proteja e ilumine, nesta caminhada.
Saúde aos puros!

Ari Zanella disse...

Ao vivo agora na TV-Senado (13h10min) o Dr. Ruy Brito Pedroza falou do Projeto que ele Ruy elaborou para em colaboração com o ex-deputado Gustavo Fruet que não foi reeleito. O presidente da Comissão Senador Paulo Paim pediu ao Ruy que reencaminhasse o Projeto a ele (Paulo Paim) para ser reapresentado no Senado.

Anônimo disse...

Colegas,

Adorei Ruy Brito, acabei de assistir. Obrigada pela chamada, tive a sorte de ligar a TV e em seguida assisti-lo.

Julita sua assinatura está lá de nº 120. Aproveite a dica de Elvira e acompanhe as assinaturas, encontramos (as assinaturas)colegas que há muito não vemos.

Elisabeth

João Rossi Neto disse...

Caros Colegas,

Ouvi via TV Senado a fala do colega Ruy Brito e foi uma exposição extraordinária sob todos os aspectos, muito equilibrada e fez a cobrança das providências que todos pedimos,dentro dos estritos ditames das leis.Abordou com muita ênfase a questão da hierarquia das leis e o fato da PREVIC ter invadido as funções do Legislativo. Pediu que os responsáveis sejam punidos pelo crime de Responsabilidade. Inclusive, vai passar um Projeto de Lei para o Senador Paulo Paim dar entrada no Congresso, no qual pede a revogação de determinados artigos da Resolução CGPC 26/2008, os quais classifica de parasitários, porque permitem que uma empresa estatal aumente seus lucros às custas da PREVI, quando deveria mostrar a sua competencia na sua atividade fim e auferir os seus lucros, e não viver a reboque de um Fundo de Pensão, que não tem a obrigação legal de prover o patrocinador de recursos. Estou com à alma lavada e se esse grito por justiça não surtir o efeito esperado, acho que não poderemos fazer algo melhor. Duvido se o STF dessa vez não vai tomar conhecimento das graves denúncias feitas ao vivo. O colega Rui Brito foi brilhante e defendeu com toda galhardia os interesses dos aposentados. Parabéns e não encontro, neste momento, adjetivos suficientes para qualificar a sua atuação. Nós temos colegas muito valorosos e corajosos, de inteligência e clarivência invejáveis.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Marcos,

Um colega lendo o seu blog me enviou uma mensagem ali colocada. Trata-se do Anônimo das 08:21 de 12.04, onde ele pergunta: "A Dona ISA MUSA. - A senhora começou a participar das associações ligadas ao funcionalismo ou sindicatos quando funcionária da ativa ou depois que se aposentou. Se na ativa quanto anos a senhora ficou afastada do Banco".



Entrei no Banco em 1970 e me filiei ao Sindicato dos Bancários. Depois, me filiei à UNAMIBB, à AAFBB e à ANABB. Quando na ativa era apenas militante do Sindicato de Bancários e apenas como militante, participava das Assembléias e dos movimentos grevistas, mas jamais fui dirigente sindical e nem mesmo delegada sindical. Trabalhei no Banco sem jamais ter faltado um só dia (exceto por doenças, poucas, graças a Deus). Somente depois de aposentada - em 1995, passei a participar mais ativamente do dia a dia das associações das quais sou associada, antes não. Fiz carreira modesta. Fui Posto-Efetivo, Caixa-Executivo, Assistente de Supervisão, Supervisora e me aposentei como Chefe de Tesouraria Regional (TEREG BELO HORIZONTE).

Atenciosamente,

Isa Musa

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Às
Associações de Aposntados e Pensionistas do Banco do Brasil

Sr. Presidente,


Retransmito mensagem do Presidente da AAFBB, Sr. Gilberto Matos Santiago, pedindo o obséquio de vossas reflexões a respeito.

Atenciosamente
Isa Musa de Noronha

________________________________________
Date: Mon, 11 Apr 2011 16:30:11 -0300
Subject: PREVI: AS NOVAS NEGOCIAÇÕES
From: presi@aafbb.org.br
To: faabb@hotmail.com; isamusa@uol.com.br
Isa,

Faço referência a seu e-mail de 5/4, dirigido aos membros da mesa de negociações com o patrocinador, a respeito da primeira reunião, realizada em 4/4. Parece que vamos repetir o que ocorreu no segundo semestre de 2010, quando foi inicialmente apresentado em extenso rol de propostas e reivindicações, sem a apresentação da fonte de recursos. Quando ela foi revelada pelo representante do patrocinador, por insistência nossa, ficou claro e evidente que o Banco só aceitaria discutir se dentro das condições estabelecidas pela Resolução 26. Foi então que ficamos sabendo qual o quinhão que seria atribuído a nós participantes, isto é, a metade da Reserva Especial. E agora? Repete-se a mesma coisa: leva-se à mesa uma imensa gama de propostas, algumas nada tendo a ver com o Plano de Benefícios, pois de ordem administrativa (como as surradas propostas de extinção do Voto de Minerva e a volta das prerrogativas de decisão do Corpo Social, ingenuamente apresentadas a cada negociação e até mesmo nos programas das campanhas eleitorais) e nada se diz sobre os recursos que suportarão as sugestões apresentadas.
Já vimos esse filme. A lógica e os antecedentes conduzem à conclusão de que o patrocinador em nada concordará se não for também beneficiado (e isso só ocorrerá se utilizadas as regras da Resolução 26). Não devemos também olvidar que o Banco não decide por si só, eis que vinculado a orgãos governamentais, também interessados nos recursos da PREVI. Basta relembrar o que ocorreu recentemente.
Sejamos concretos o objetivos. Se o script for igual ao do ano passado (quando a Reserva era de 15 Bilhões), pouco se poderá fazer agora, quando temos 4,2 bilhões de reserva especial (posição de dez/2010, que pode até se reduzir). Talvez se queira utilizar recursos do Plano, sem utilização da Reserva Especial, mas isso irá reduzir seu montante, o que não interessa ao patrocinador. Por outro lado, não esqueçamos de que, devido a uma das cláusulas do acordo de novembro/2010, a Reserva de Contingência terá que se manter ao nível de 25% da Reserva Matemática. Caso contrário, terá que ser coberta pelo Fundo Especial formado para fazer face ao pagamento mensal do Benefício Especial Temporário (20% sobre o complemento PREVI), o que provocará a redução do tempo de pagamento do BET. Muita gente não sabe disso.
Sem contar que, pelas características da composição dos ativos garantidores da PREVI (64% em renda variável) é preciso máxima cautela na distribuição de eventuais superávits. Temos que ter prioridade no equilíbrio atuarial de nosso Plano de Benefícios, com garantia, agora e no futuro, do complemento de nossas aposentadorias e pensões, além do fato de que mal começamos a ser creditados nos 20% do BET (exceto os 6.200 prejudicados por receberem também complemento pelo BB). Por que não corrigir agora esse problema, incluindo-o no rol das atuais propostas?
Lembramos ainda que a crise mundial de 2008 (e que poderá se repetir, haja vista o noticiário internacional envolvendo países grandes produtores de petróleo) provocou um déficit colossal no balanço daquele ano na PREVI, de ordem de R$ 26 bilhões!
São estas algumas das observações a serem ponderadas nesta nova negociação.


Gilberto Santiago

Anônimo disse...

Como de costume, cheia de blá-blá-blá a mensagem do Sr. Gilberto Pres.da AAFBB, uma das "traidoras" dos aposentados.
Dito tudo aquilo que já se sabe, fica uma pergunta: O que essa AAFBB fez para rejeitar aquele "Acordo Farjuto" que doou metade de tudo que é nosso, por enquanto, para o BB ? Resposta: NADA, NADICA !!
Ao contrário, apoiou o SIM, mesmo sabendo que o Superavit teria que ter sua destinação definida. Não era necessário fazer campanha para o SIM e DOAR aquilo que é NOSSO.
Agora, não adianta ficar reclamando!
Pra cima deles Marcos !!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

FAABB 12_MARÇO_2011

Às
Associações de Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil

Sr. Presidente,

Na data de hoje, às 9:00 horas, realizou-se no Senado federal, na Comissão de Assuntos Sociais – CAS, CASEMP - Subcomissão Permanente em Defesa do Emprego e da Previdência Social, Audiência Pública de iniciativa do Senador Paulo Paim – PT-RS, (Requerimento nº 1, de 2011 – CASEMP, acompanhada atentamente pela FAABB. O tema da Audiência Pública é a Previdência Complementar, em especial os Fundos de Pensão AERUS, PREVI e outros. Convidados, LUÍS INÁCIO LUCENA ADAMS - Advogado-Geral da União: GRAZIELLA BAGGIO - Secretária de Assuntos Previdenciários do Sindicato Nacional dos Aeronautas – SNA; LUÍS ANTONIO CASTAGNA MAIA - Adv ogado do Processo AERUS; CLÁUDIA MUINHOS RICALDONI - Presidente da Associação Nacional dos Participantes de Fundos de Pensão – ANAPAR; ITAMAR PRESTES RUSSO - Diretor de Previdência Pública e Privada do Sindicato dos Telefônicos do Rio Grande do Sul – SINTTEL/RS; JOSÉ MARIA RABELO - Diretor-Superintendente da Superintendência Nacional de Previdência Complementar do Ministério da Previdência Social (Previc); RUY BRITO DE OLIVEIRA PEDROZA – Presidente do Conselho Deliberativo da UNAMIBB; GILBERTO ANTONIO VIEIRA - Secretário-Geral da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (Contec).
No que se refere ao que nos interessa, a PREVI, a Audiência Pública foi um verdadeiro sucesso em termos de explanação de todas as irregularidades praticadas pelo Patrocinador. A participação do colega Ruy Brito foi fundamental para levar aos Senadores e convidados, com detalhes minuciosos, toda a história dos sucessivos ataques do Banco do Brasil ao patrimônio da Previ. Da parte da ANAPAR a sua Presidente anunciou que aquela entidade trabalha para ingressar com Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a Resolução 26. O Secretário Geral da CONTEC discorreu sobre o achatamento dos salários do Banco do Brasil que levou em inflar os sucessivos superávits da Previ. Ressaltou, também que embora a votação nos plebiscitos da Previ não seja obrigatória, os colegas votam e aprovam por considerar que é melhor aceitar agora do que aguardar ações judiciais. Por sua vez, o Ruy Brito falou da iniciativa do Projeto de Lei que susta artigos da Resolução 26, dando aos parlamentares conhecimento do feito.
No ordenamento do Senado, os temas discutidos em Audiência Pública são levados à comissão para instruir matéria para apreciação. Os expedientes obtidos na Audiência são encaminhados por escrito, com identificação do autor e serão distribuídos a um relator que os apreciará e apresentará relatório com sugestões quanto às providências a serem tomadas pela comissão, pela Mesa ou pelo Ministério Público. O relatório será discutido e votado na comissão, devendo concluir por projeto de resolução se contiver providência a ser tomada por outra instância que não a da própria comissão.
Mais uma vez o colega Ruy Brito presta imenso serviço a todos os ativos, aposentados e pensionistas do Banco do Brasil e a FAABB se sente representada por sua liderança e conhecimentos incontestes.

Atenciosamente
Isa Musa de Noronha

Anônimo disse...

Caríssimos colegas,
não é hora de jogarmos a toalha. Estamos no início da luta. Presentemente é que começamos a nos mobilizar, cabendo o mérito principalmente ao Marcos Cordeiro com a criação do blog e sua intensa e diuturna dedicação. Sua utilidade é imensa e só há bem pouco tempo passou a ser utilizado. Colegas de todo o Brasil estão se manifestando e se engajando na luta. Isso é um processo e, como tal, demora um certo tempo para que um número maior de colegas venham a participar conosco. Vamos continuar divulgando a AAPPREVI e o blog. Como dizia Saramago: "não tenhamos pressa, mas não percamos tempo".
E a ferramenta é a internet. Ela é que vai destruir a fortaleza (BB/PREVI E OUTROS) que até agora vem nos impedindo de agir maciçamente contra os desmandos a nós impingidos. Vejam as manifestações do Rossi, do Luiz Dalton e outras. Ganharam repercussão nacional graças à internet. É esse o caminho a ser trilhado por nós, pois os poderosos gastam milhões de reais com cartas, panfletos, telefonemas etc. para nos enfiarem goela abaixo as decisões que lhes interessam. A história agora vai ser outra. Tenho convicção disso.

João Rossi Neto disse...

Caros Colegas,

A mensagem do Sr. Gilberto guarda consonância com parte do texto que postei hoje, às 07:58, principalmente no que respeita a escassez de recursos para abrigar as propostas formuladas.
Discordo de duas coisas no que foi dito por ele: primeiro que a Reserva Especial não será a de 31/12/2010(R$ 4.2 bilhões), mas sim a da data do fechamento das negociações, que poderá ser superior. Segundo ponto, a conjuntura mundial é favorável a melhoria dos resultados em Rendas Variáveis, inclusive os investidores externos estão dando preferência para aplicar os seus dólares em paises do bloco chamado "BRICs" e as Bolsas de Valores estão tendo reação positiva.
Precisamos ver os números da PREVI que foram encerrados em 31/03/2011 para termos uma visão melhor, mas isto nos remete ao velho problema de sempre, que é a falta de transparência. Coincidentemente, o Presidente Flores, fez uma promessa ao Sr. Gilberto de que iria melhorar a comunicação da PREVI com os associados, dando prazo de três dias para estudo, mas o seu interlocutor deve ter entendido três anos, porque até agora nada foi providenciado.
De qualquer maneira, as perspectivas de uma reserva especial maior do que a da negociação passada, são praticamente impossíveis, ainda mais que o BB vai pegar novamente os 50%. Por isso, não parece conveniente alimentar esperanças muito otimistas, a não ser que haja uma modificação ou extinção da Resolução CGPC 26/2008, com o descarte do BB do rol de beneficiados.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Mensagem recebida:

Meus amigos de luta,

A coisa não está fácil, não. Repassei as diversas mensagens recebidas sobre o apoio às petições públicas, para vários colegas, escolhendo apenas os aposentados e pensionistas, já que, penso, muito difícil os colegas atualmente na ativa, manifestarem-se através de suas assinaturas, pelos problemas que poderão retornar internamente em suas carreiras no banco.

Revendo, agora, a lista de adesões, creio que apenas 10% dos indicados compareceram e atenderam ao chamamento. Talvez a grande maioria abra sua caixa postal apenas uma ou menos vezes por semana.

Manifesto, ainda, meu pensamento de que nada se resolverá nos encontros agendados e nas mesas de negociação, além de "bondades" mínimas que o patrocinador poderá ceder, como simples lambuja.

Pelo que se sabe não existe suporte financeiro, hoje, disponível na Previ para um mínimo realinhamento. Tendo sobras já é difícil... imaginem sem lastro suficiente.

Por isso, creio que restam dois caminhos apenas (e parece que estão andando rápidos): a via judicial, com protestos, petições, ações, sei lá e a via parlamentar (hoje o senador Paulo Paim também demonstrou interesse em conhecer a situação em detalhes). Apesar de ser do partido que, antigamente, defendia os trabalhadores, ele tem agido, ainda, como pau-ferro em certas questões.

À vista do que citei inicialmente (dificuldade de fazer com que mensagens eletrônicas sejam acessadas e lidas pelos destinatários), quem sabe uma solução de acesso a esses colegas e pensionistas, indiferentes ou desinformados, seja através do cadastro da Previ? Caso a FAABB e/ou a AAPPREVI, de âmbito nacional, solicite ou requisite os endereços de todos os aposentados e pensionistas que recebam através da Previ, para que fossem enviadas pelos correios, mensagens e chamamentos que, efetivamente, chegassem até esse pessoal, com certeza teríamos uma adesão mais volumosa aos abaixo-assinados, além da possibilidade de maior número de associados para as representações regionais ou nacionais.
O entrave maior de toda essa questão é a famigerada Resolução 26 que, tão somente, por meios judiciais ou legislativos poderemos derrubar.
Muita gente nossa, infelizmente, nem sabe que existe as AAFABs, a UNAP, a FAABB ou AAPPREVI.

Um abração.

Ceví

Hipolito Costa disse...

Caro Edison, tudo o que você escreveu é a pura verdade. Aqui em Natal-RN, em conversa com os colegas aposentados, eles nem falam do assunto e, quando algum se manifesta, é para defender o conluio. O pessoal da ativa está com a vida que pediu a Deus.Recebendo 20% na conta vinculada, e colocando no bolso, a gorda PLR dos 50% que o BB roubou, não quer conversa. A associação que diz ser nossa defensora, tambem, não estar focada do debate.
Hipolito Medeiros Costa

carlosdomini disse...

Finalmente o que aconteceu com a assunto do imposto de rend descontado de uma só vez sobre o adiantamento dos 14 meses do Superavit. Vi ser o mesmo quando a Previ descontou na éopoca sobre 1/3 da contribuição Previ quando não deveria descontar. Acho que tenho filhos já com 25 anos trabalhando mais moço que a ação impetrada.E olhem que que ganhou em tudo somente fico lendo embargo sobre cálculos de juros.incrível

Anônimo disse...

OAB participa de posse na Previc por convite do ministro da Previdência

Brasília, 12/04/2011 - O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, designou o vice-presidente da entidade, Alberto de Paula Machado, para representar a OAB na solenidade de posse do diretor-superintendente da Superintendência Nacional da Previdência Complementar (Previc). A cerimônia será realizada às 17 horas de amanhã (13), em Brasília. O convite para que a OAB se faça presente foi enviado pelo ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho.

iraci berviria disse...

Por favor, se puderem,me passar a informação de como assistir o Ruy Brito, agradeço.Pois não estava em casa.
Já são muitas as sementes plantadas,é só regar, que muitas britarão.
Fé!

mariano branquinho disse...

Marcos, Elvira, posso saber quem já assinou o abaixo-assinado do grande colega João Rossi. Como devo proceder para visualizar. Se possível.
Abraços Mariano Branquinho

Anônimo disse...

Trecho da veiculação feita pela Agencia Senado, sobre a Audiencia realizada na Comissão de Assuntos Sociais daquela Casa:

Paulo Paim também disse que o alerta feito pelos participantes da audiência deve ser levado às autoridades do governo federal. Ele se disse preocupado também com a denúncia feita por Ruy Brito Pedroza, da União Nacional dos Acionistas Minoritários do Banco do Brasil, de que a Previ teria repassado ao BB a quantia de R$ 7,5 bilhões de sua reserva especial.

Segundo Pedroza, a transferência baseou-se em interpretação equivocada de uma resolução da Previc e pode prejudicar os participantes da Previ.

Djalba Lima / Agência Senado
(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Lena. disse...

A senhora Isa pode até não está colaborando, mas a falta de respeito com a pessoa dela já é demais.
Vamos respeitar, para sermos respeitados também.

Abraços Marcão.

Se Deus é por nós quem será contra nós?

mariano branquinho disse...

Alô Marcos, o pronunciamento do Rui Brito poderá ser disponibilizado no Post da AAPPREVI.
Abraços Mariano Branquinho

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Mensagem da COOPERFORTE:

Prezado MARCOS CORDEIRO,

Inicialmente, agradecemos a confiança e o interesse demonstrados na preservação da imagem da Cooperforte. Também somos gratos por nos traduzir preocupações percebidas junto ao nosso público vinculado ao Banco do Brasil.
Quanto às questões levantadas em sua mensagem sobre o empréstimo Forte MAIS, esclarecemos o seguinte:
VALOR DO EMPRÉSTIMO – Os limites atribuídos aos cooperados para esse produto estão em conformidade com as regras e condições operacionais da Cooperativa: disponibilidade de recursos, equilíbrio financeiro e demais aspectos que envolvem toda a realidade do publico neste segmento.
PRAZOS – O prazo de 12 meses foi estipulado tendo como premissa manter a disponibilidade de crédito no decorrer do prazo de vigência do benefício do superávit. Se definíssemos um prazo de 36 meses, poderíamos oferecer um crédito maior de início, mas teríamos que bloquear a renovação do empréstimo, para que não ultrapassasse a vigência do benefício. Assim, optamos pelo prazo de 12 meses, com renovação a cada seis meses, com o intuito de mantermos um crédito contínuo disponível aos cooperados e para cumprirmos o princípio estatutário de estimular o uso adequado do crédito. Esse é um princípio cooperativista, que vem sendo observado também pelo mercado.
Lamentamos sinceramente a insatisfação causada, mas confiamos que os associados saberão compreender nossas razões, pois são testemunhas de que a gestão prudencial e responsável que temos praticado na condução dos negócios da Cooperativa são fatores preponderantes na sua solidez e na sua auto-sustentabilidade.
Atenciosamente e mais uma vez agradecido,
Josué Martins Neto
Diretor de Relacionamento com os Associados

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caro Mariano,

Veja a repetição do roteiro:

Abaixo-assinado PREVI - Em apoio à carta do Sr. João Rossi Neto ao STF

Vejam como é simples assinar – basta acessar:

1) www.peticaopublica.com.br, e clicar em

2) Abaixo-assinado PREVI - Em apoio à carta do Sr. João Rossi Neto ao STF

818 pessoas já assinaram.

elvira disse...

Colega Mariano Branquinho

1) www.peticaopublica.com.br
2) abaixo-assinado PREVI - em apoio
à carta do sr Joao Rossi Neto
ao STF
3) ver atuais assinaturas
Um abraço

elvira disse...

Gostaria de ajuda para assistir ao Ruy Brito. Grata

Anônimo disse...

Gente, a materia do Rsssi "Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental=ADPF, merece toda a nossa atenção pois é a melhor coisa a fazer, no momento.Apesar de todos os assuntos que estão em efervesc?encia no momento ,não podemos deixar que essa Ação de Arguição caia no esquecimento. A materia é brilhante e, chego a pensar que o Rossi está escondendo o jogo, ou seja, acho que ele é um advogado e dos BONS/////

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Até às 18:00 horas de hoje, dia 12 de abril, são essas as Associações que já indicaram o representante:




AAPBB MS – AAPPREVI - AFA.BH - AFABB AM - AFABB BA - AFABB BARBACENA - AFABB ES - AFABB JOINVILLE - AFABB MT - AFABB PA - AFABB PR - AFABB RN - AFABB RS - AFABB SC - AFABB TRIANGULO - AFABB TUPÃ - AFABB UBERABA - AIABB Itabuna – UNAMIBB

Diariamente a FAABB apresentará o nome das entidades que já enviaram suas escolhas e ao final do prazo (15/04), divulgará quem foi o indicado através de cada uma das Associações que atenderam a solicitação de indicação.

A FAABB está guardando os e-mails recebidos das Associações, com a indicação de cada uma, cuidando anotar o dia e hora em que foram expedidos.

Atenciosamente,

Isa Musa de Noronha

Juarez Barbosa disse...

Prezado Marcos e companheiros de luta

Devemos observar atentamente o e-mail do Sr.Gilberto Santiago, Pres. da AAFBB, dirigido à Sra. Isa Musa, no sentido de firmarmos juízo de valor sobre este senhor que, a meu ver, não está preocupado em defender os direitos dos participantes e assistidos da Previ. Prestou-se apenas a emitir sua infeliz opinião, qual seja, a de que não adianta lutarmos, pois não conseguiremos reconquistar as prerrogativas outrora exitentes de nosso corpo social no comando da Previ; também não conseguiremos derrubar os dispositivos da Resolução MPS-CGPC-26 flagrantemente inconstitucionais.

Este senhor é o porta-voz, sem dúvida nenhuma, das forças que assumiram o poder dentro da Previ e lançam-nos mensagens de que temos que nos acomodar com o "status quo" ora observado; enfim, sua pregação é a de que declaremos nossa derrota antes mesmo de começarem as batalhas.

Enfatizo que esta Associação (AAFBB) terá assento na mesa de negociações e certamente colocará esta sua acomodação e aceitação covarde das graves ingerências que o Patrocinador anda processando em nossa Previ.

Ao contrário destas mensagens, lançamos em alto e bom som, que nós, associados da AAPPREVI não aceitaremos ficarmos de braços cruzados esperando pelo que de pior possa nos acontecer, porque aí sim, não adiantará mais lutarmos pelo que achamos justo.

Eduardo de Abreu de Brasilia disse...

Estou totalmente desanimado com o tom dos comentários. A única pessoa que fala, dá explicações, dá ouvidos aos reclamos, jamais se nega a responder e sempre com calma e educação é a dona Isa. Ninguém do Banco ou da Previ responde coisa alguma. Essa colega, no entanto, nunca se furta de responder e mesmo assim a turma a ataca. Parece que não sabemos aonde estão nossos inimigos. Tenho a convicção de que não é a dona Isa. Gostaria muito que os críticos dela pensassem bem. Quando foi que nossos eleitos da previ responderam alguma coisa? Quando foi que a turma da ANABB respondeu? Quando foi que o Banco respondeu? No entanto uma colega que luta contra tudo isso responde sempre e está na berlinda em meio ao tiroteio.

João Rossi Neto disse...

Caro Raul Avellar,
Em meu texto de 11/04, às 08h38min, disse que algumas figuras carimbadas se perpetuavam nos elevados cargos, etc, etc, e tal. Mais tarde, às 12h01min você recebeu uma mensagem longa da FAABB, em cujo primeiro parágrafo o assunto lhe era totalmente pertinente, nas no segundo houve uma digressão proposital, inserindo-se uma mensagem cifrada, apresentando inteligentes e bem postas justificativas, para contrapor com o que eu havia dito. Mais ou menos naquele estilo adotado pelo Collor no seu governo: “Bateu, levou”. Só que foi uma réplica sem agressividade, cunhada com muita educação e sutileza.
Quando falei que o amigo tinha sido “usado” como pombo correio, foi no sentido de que por motivos alheios a sua vontade e diligência, entraram no vácuo da resposta que lhe deram e, sagazmente, aproveitaram o ensejo e fizeram aqueles esclarecimentos que estão na parte II do texto assinado pela colega Isa Musa.
Por ter citado o seu nome, peço-lhe desculpas e se não respondi o seu e-mail foi porque preferi dirimir as dúvidas no blog, onde tudo iniciou. Se todos tomaram conhecimento do que escrevi envolvendo o seu nome, é justo e mais honesto que o pedido de escusas também venha a público. Que fique patente que nunca tive a intenção de ofender tão nobre colega.
Um grande abraço

Carlos Norberto Kasper disse...

Colegas,

Ontem consultei a PREVI sobre a questão do Imp. de Renda relativo aos valores do BET.Hoje-12/04/11-, já me retornaram informando que ainda não houve resposta da Receita Federal acerca da forma de cálculo. Dizem que tão logo tenham a informação darão ampla divulgação no site da Previ. Não vou gastar por conta porque esta não vai descer pela goela do Min.Fazenda, nem lubrificando com mantega.

Paulo Motta disse...

Juarez,

Ainda não li o comentário citado por você e nada sei sobre Gilberto Santiago. Mas, faz sentido o que você disse. Nossos anticorpos devem estar atentos a qualquer um que procure nos desmobilizar.

Eduardo Abreu,

"Há muito mais coisa entre o Céu e a Terra, do que pode supor nossa vã filosofia". A Isa realmente tem procurado responder e informar; no entanto, um vasto universo de conspirações, pressões e manipulações, estende-se por trás das satisfações que têm nos dado. Não estou dizendo que partem dela, tais maquinações. Mas comete grave ingenuidade, quem achar que ela não está sendo pressionada ou induzida a fazer o jogo dos gigantes. O descarte do Marcos é o grande sintoma.

Paulo Motta
Blog:
superavitsprevi.wordpress.com

Rogério Luiz Carvalho disse...

Prezado coléga Edinho, gostei dos
teus comentários, mas acho que a AAPPREVI na pessoa do Marcos seu
presidente, deve começar a conviver
com esse pessoal, que não dizem na
da do porque estão nos representando e são meros expectadores, em relação ao Marcos,
iria contestá-los e colocar as melhores propostas na mesa de negociação para nós do pb1. Edinho,
eu conheço bem o pessoal de Pelotas, quando nossa AAPPREVI foi
fundada, estive junto no almoço, levei planfetos da nossa associação,coloquei anúncios no Diario Popular, conversei com mais
de trinta colégas, poucos me deram
bola, acho que estão tudo com a vida mansa. Mas vamos seguir em frente, com o objetivo de derrubar
essa tal de resolução 26, que acho ser o principal, para vencermos a luta. Abraços e lembranças para a esposa. Rogério Luiz Carvalho. Pelotas.RS.

mesquitasantana disse...

Ao Eduardo Abreu de Brasília.

Peço-lhe permissão para acrescentar ao seu comentário acima - Quantos de nossos colegas aposentados votaram no "SIM" Quando todas as orientações indicavam voto contrário? Portanto a D. Isa não deve ser crucificada, por nenhum de nós.

abraços

Lázara Rabelo disse...

Colega Juarez Barbosa,

Seu comentário de hoje, às l4:52 ha, a respeito da AAFBB, e de seu presidente, Sr. Gilberto Santiago, concordo com você, se a AAFBB quiser reconsquistar nossa confiança,o que é difícil, deve começar desmanchando imediantamente a aliança espúria que fez com a ANABB, desde as últimas eleições na CASSI/PREVI. Não esqueçamos também, a AAFBB participou da doação ao BB dos 7,5 bi e ajudou a convencer os menos informados, enviando material via correios, para optarem pelo SIM, na triste votação de dezembro/2010.

Anônimo disse...

Colegas,


Continuo achando que a Dona Isa Musa é uma lutadora e merecedora da nossa confiança. Onde estão nossos representantes Eleitos, algum deles mostrou a cara neste espaço para saber de nossos anseios.

Quem abre espaço para mais um na mesa de negociações, não pode ser crucificado, por ter dilatado o prazo para a indicação de nomes.

Pessoal não vamos entrar nesta paranóia, de que todos estão contra nós.

Anônimo disse...

Qual a melhoria que poderá ser feita com os minguados 2 Bilhões do superávit, qquer q seja o representante eleito para ficar ao lado da Dona Isa, pouco poderá fazer, portanto não vejo razão para tantas reclamações, ou o valor para o realinhamento é outro,não tem nada a haver com os 2 bi., quem pode me explicar.

Paulo Motta disse...

ASSENTO À MESA DE NEGOCIAÇÕES

Isa,

Veja só a reação que sua estratégia está desencadeando. Era sobre isso que procurei alertá-la. Você quis fazer tudo corretamente. Tudo bem. No entanto, aquele blog já é o termômetro da oposição. Cento e poucos pode ser a média dos comentários, por artigo, na home page. Porém, são milhares de visitas em cada texto do Marcos. E a figura dele já projeta uma imagem fortíssima! Se não lhe fosse possível você própria escolhê-lo, talvez nem valesse a pena levar mais um representante à mesa. O problema é que ainda não ficou bem claro se você poderia decidir isso sem consulta às AFAs. É de se acreditar que existam sim bons nomes entre elas. Mas o Marcos já é um ícone. E fica sempre a impressão de que quem preside pode escolher seu companheiro de confiança. Sua imagem também é positiva. Agora, no entanto, parece que prevalecerá a sensação que você se dobrou a pressões inconfessáveis. Não afirmo. Digo que parece. Não sou eu somente que estou dizendo isso. A impressão vai se generalizando. Os que hoje a defendem, à vista do que irá surgindo, e há muita coisa ainda oculta, acabarão entendendo o porquê da controvérsia. Se o escolhido não se sair bem e as decisões permanecerem frustrando as reivindicações dos participantes dos planos, você pode se espatifar lá embaixo. Torceremos para que dê tudo certo, é claro. Mas, se isso não acontecer, seu prestígio corre o risco de disparar ladeira abaixo, o que absolutamente não interessa a nossa causa.

Paulo Motta.

Anônimo disse...

DOS COLEGAS QUE ENTRAM SEMPRE NO BLOG, E QUE AINDA NÃO ASSINARAM A PETIÇÃO É: JORGE CASTRO, PLÍNIO E O OUTRO....O TAL, LÁ DE ARÁXA NA BAHIA, DESCULPA COLEGA MAS ESQUECI O SEU NOME. AQUELE QUE FALA ASSIM: ULALÁ ULALÁ.

É ESSES AÍ...

Lena. disse...

Descupem colegas, mais não tem como não achar graça do anônimo dás 19:59.
Ele quis 'entregar' mas esqueceu o nome de um colega.
É bom lembrar, que nem todos dizem seus verdadeiros nomes. Abraços.
Lena.
Beijos Marcos.

ELIAS disse...

MENINOS e MENINAS,

Todos temos consciência de a luta é árdua e a composição das forças é desigual. Que enfrentamos instituições e pessoas que não sabem ou esqueceram o que é ética, moral e justiça.
Sabemos também que esses "entes" utilizarão todo arsenal de que dispõem. Seja humano, financeiro, influência ou poder.
E Nós, na realidade, temos recursos bem limitados. Mas contamos com valorosos e brilhantes Colegas. Uma verdadeira “Elite Pensante”, que fará toda diferença.
Essa “Elite Pensante” deverá agir como “estrela-guia” que é. Indo à frente, mostrando caminho e as ações que julgarem eficazes e que devemos empreender, unidos e determinados. Aqui vale lembrar, como exemplo, o Abaixo-assinado do João Rossi ao STF.
Os Iluminados e Abençoados Colegas haverão de permanecer firmes nessa luta e fiéis aos seus propósitos de fazer prevalecer a Justiça, para o bem dos Aposentados e Pensionistas do PB1.
Devemos ter clareza e discernimento, como bem lembrou Juarez Barbosa, para não esmorecermos ou aceitarmos o derrotismo veiculado em opinião, escrita ou verbal, de pessoas ou entidades que fazem o papel ditado pelos “gigantes”.
Nessa luta Todos são importantes e imprescindíveis.Seja os que escrevem, seja os que lêem Neste ou em Outros Blogs sérios. União é a palavra-chave para conseguir o que queremos.
Por fim, miremo-nos em Davi que, fraco, mas inteligente, venceu Golias. Então vamos em frente, sem desânimo, com coragem e muita Fé.
Contém comigo!

elvira disse...

Colegas a hora é esta. Assinem o abaixo-assinado. Façamos a nossa parte pois estamos pedindo que se cumpra a lei

Anônimo disse...

O Maia, da AFAGO, ainda não manifestou para a Isa. Nem em cima do muro ele fica, fica atrás do muro, escondidinho.

Anônimo disse...

Caro Paulo Motta,

Penso, que em seu comentário das 19:51, você está colocando o sucesso ou não, das reinvindicações do realinhamento do plano 1 inteiramente para a Isa Musa, como se esta tivesse o poder de determinar o que será aprovado (se alguma coisa for aprovada). É preciso, antes de traçar cenários como o exemplificado de "ladeira a baixo", mensurar o poder das partes que negociam.

Não tenho procuração para defender "a" ou "b". O que vejo, e muito aqui no blog, é que as pessoas imputam aos que estão na frente da batalha total responsabilidade sobre o sucesso do que se pleteia. Sabemos que não é bem assim. Tenho a plena convicção de que o que foi acordado em dezembro de 2010 (utilização do superávit) somente saiu depois de muito trabalho, paciência, jogo de cintura, convencimento, capacidade de negociação e de articulação de nossos representantes aliado a frequentes manifestações dos participaantes, principalmente nos blogs. Levando a negociação para o confronto não teria saído NADA. E vejo hoje colegas que votaram "não" satisfeitos com o acréscimo monetário mensal em suas contas. Era o ideal e melhorou para todos - claro que não. Mas ajudou e ajuda muito uma grande parcela de aposentados e pensionistas.

Anônimo disse...

CONCORDO PLENAMENTE com o comentário do Lázaro às 18;53 e outros com o mesmo enfoque.
A "Antiga" AAFBB juntou-se à ANABB e, juntas, estão agindo contra os nossos interesses. Tá na hora de agir com desfiliação também !!

Paulo Beno disse...

Colega anônimo 03:42, (13 de abril)

Por Lei, os recursos em reserva especial do nosso Plano 1 teriam sido distribuídos para nós, participantes, após 3 anos ali depositados.
Tudo piorou com o artigo da famigerada Resolução 26, que "deu" metade de nossas reservas (R$7,5 bilhões) à ex-patrocinadora bb.

Também é pacífico e claro que a votação no plebiscito, o SIM ganhou por má-informação do BB, PREVI,muitas "AFA's, que OMITIRAM E ESCONDERAM que estávamos "dando" metade de nossas reservas ao BB "ad eternum".
Por isso votamos "NÃO", aqui no Rio Grande do Sul! Também gostamos dos 20% do BET, porém NÃO GOSTAMOS DO BB QUERER LEVAR 50% DE NOSSAS RESERVAS !!!
Tu gostaste ? Tu és a favor do BB levar a metade ?
Acho que não, pois és esclarecido e deves temer pelo nosso futuro!
Um abraço
Paulo Beno - Carazinho (RS)

Lázara Rabelo disse...

Caro Paulo Beno,

Parabéns, pelo comentário acima.
Você está certíssimo!

Ao anônimo de 13/04-às 04:04Hs, pequena observação: sou Lázara e não Lázaro.

CONTINUEMOS FIRMES NESTA LUTA ÁRDUA E INJUSTA!

Anônimo disse...

Caro(a) Anônimo(a)03:42 (13/04:

Concordar com a "entrega" de 50% para 0 "aposentoFÓBICO", mais 12% para os da Ativa, NÃO É NEGOCIAÇÃO. Tem outro nome bem diferente, CONIVÊNCIA.
Isso é o mínimo que podemos entender e dizer.
Também pode ser chamada de NEGOCIAÇÃO o aceitar e a obediência a uma Resolução fajuta e ilegal?
Queremos que Nos Representem Negociadores de verdade. Inteligentes, lúcidos, destemidos, que sejam flexíveis, mas não fracos, titubeantes e, acima de tudo, coerentes e com senso de justiça.
E podemos afirmar, com absoluta segurança, que àqueles que nos representaram no episódio do Memorando de Entendimento, foram NOSSOS NEGOCIADORES?

QUE O EPISÓDIO NÃO SE REPITA!!!

Anônimo disse...

Caro Paulo Beno,

Não sei qual é o teu RS. O meu e de muitos colegas aquí do Rio Grande do Sul votaram no sim. Votaram errado ou certo? Somente posso dizer que a única razão do sim ganhar foi a necessidade financeira. Ela sempre fala mais alto não! Ao menos para aqueles que precisam.

Quando coloquei que não teria saído nada sem a atuação de nossos representantes e me reportei a que sabia de aposentados que votaram no "não" e hoje se sentem aliviados financeiramente foi para demonstrar que está havendo excessos na crítica a quem está batalhando no front por nós (principalmente a Isa Musa).

Penso que você não entendeu, até porque a minha colocação foi dirigida ao Paulo Motta em cima das assertivas do mesmo.

E, finalizando, torço para que o Marcos consiga ser um de nossos representantes à mesa de negociação. Deixo, contudo, uma interrogação: caso logremos êxito nas nossas reivindicações principais, já elencadas: 360/360, redução parcela previ e reajuste pensionistas, também será imputada culpa para o Marcos, mesmo que tenhamos que dar a metade do que ganharmos na revisão do plano para o BB? Concordarás com isto? Ou terás dois pesos e duas medidas? A culpada será a Isa Musa e o Marcos, como nosso outro representante, será inocentado.

Posso estar errado mas não vejo nenhum dos dois culpados, mesmo que não consigamos nada.

Anônimo disse...

Colegas,

Eu não consigo entender como a ANABB continua com tantos associados. A única explicação é a desinformação ou a acomodação.

Paciência vamos ver se aos poucos o pessoal se conscientiza e abandona esta canoa furada.

Anônimo disse...

Existe uma unica razão para a ANABB ser detentora de tantos sócios: as ações patrocinadas pela ANABB funcionam como um cabresto.
Talvez a morosidade na solução das ações seja de total interesse da mesma. Existem ações que de arrastam por mais de 10 anos, ainda sem solução. De quem será a culpa?
Por outro lado, a afirmação de que, se houver desfiliação, as custas e honorários correrão por conta dos associados tem provocado insegurança: se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.
Qual será a solução?