quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Dignidade e Respeito

Recado do Colega

Edgardo Amorim Rego.

A vantagem do regime democrático é que todos são iguais perante a Lei. Todos são autônomos, isto é, livres nos limites do espaço concedido pela Lei que foi feita por cada um, porque foi feita por CONSENSO, por debate entre iguais. Se existe isso, eu não sei. Mas, essa é a TEORIA. Seja como for, essa teoria dá a todos o direito de expressarem a sua opinião, desde que envolta pelo RESPEITO, porque a DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA é CLÁUSULA PÉTREA NA CONSTITUIÇÃO BRASILEIRA.

Gosto de ouvir todos. Gostaria que todos se fizessem ouvir. No palco eletrizante do debate. Mas, no ambiente maravilhoso do RESPEITO, da IGUALDADE, da CONVIVÊNCIA FRATERNA.

Na VIDA O QUE VALE NEM É MESMO VIVER, O QUE VALE É CONVIVER. Não pensemos como Margareth Thatcher: "Sociedade não existe. Existe cada um por si!" É um equívoco psicológico (porque nós somos produto da CULTURA), ANTES, MUITO ANTES DE SER UM EQUÍVOCO SOCIAL E ECONÔMICO. Estamos assistindo na derrocada econômica dos Estados Unidos e da Europa, aonde se chegou com o neoliberalismo e com o populismo de uma SEGURIDADE SOCIAL FALSIFICADA!

Fiquemos por aqui.

Edgardo Amorim Rego

24 comentários:

Anônimo disse...

Colegas,

Edgardo um verdadeiro Cidadão.

Rossi, idem.
Marcos, idem.
E tantos outros que aqui escrevem, mesmo anônimos.
O discordar é salutar, trás a luz, mas SEMPRE com RESPEITO, é issso aí DON EDGARDO!
Vaidade = Burrice!
Se alguém não concordar se manifeste educadamente, colocando sua opinião clara e sem subterfúgios ou dissimulações.
Saúde

Anônimo disse...

Caro Marcos, gostaria de mandar uma mensagem ao Sasseron, com a sua licença, a saber:
Sasseron, um nosso amigo comum me disse que você é uma pessoa ponderada e que aprecia mais ouvir do que falar. Isto é muito bom, pois como dizia Confúcio ,há séculos, se temos dois ouvidos e só uma boca a preferência é ouvir. O que tenho a lhe dizer é o seguinte: Os interlocutores que o abordaram a respeito do Empréstimo Simples sempre ouviram que o pessoal da Previ está endividado e que por isto está difícil. Ora ,Sasseron, você sabe que há formas de melhorar o perfil da dívida e, por conseguinte , melhorar a capacidade creditícia do tomador. Aliás, o próprio Governo Federal para propiciar aos interessados a oportunidade de tomar o empréstimo imobiliário (minha casa, minha vida) alongou o prazo e diminuiu os juros. Certo? O Banco Central autoriza a rede bancária a emprestar aos microprodutores, mesmo aqueles que estão inadimplentes, a juros subsidiados. Quer dizer o microprodutor está devendo, portando irregular, e pode tomar mais recursos da sociedade. Por sua vez, a indústria automobilística no afã de incorporar maior número de consumidores ao seu universo alongou os prazos, diminuiu juros , criou parcelas intermediarias e proporciona carência. Só não compra quem já morreu. . Não precisaria nem falar da Espanha e Itália que há anos inundam a comunidade financeira de títulos sem nenhuma garantia e renovam seus compromissos por 10 anos ou mais. Onde quero chegar? Que a Previ pode dar um prazo confortável, que seja 150 meses ou mais, pois o tomador é de primeira qualidade; já é cliente há mais de um quarto de século e recebe seus proventos do credor (credor em termos). A Previ precisa olhar o lado social do problema pois o universo em ela atua é muito complexo e variado. Há milhares de colegas que não precisam, mas por outro lado, há milhares e milhares que dormem pensando se virá uma solução adequada. A Previ deve ter em mente que uma faixa dos assistidos, principalmente as pensionistas, passa por grandes dificuldades. O Governo, apesar dos esforços, não consegue dar assistência na área de saúde, educação, principalmente. Então ocorre que as pensionistas e mesmo outros assistidos ,( em função da tradição que sempre houve) ao ver uma neta ou filho doente ou com problema escolar (normalmente ex-dependente) , acabam por assumir o encargo. Posso estar me alongando demais nesta área, mas acontece que quem tem o privilégio de uma aposentadoria melhor sabe do que estou falando pois assumem os descendentes mais próximos e não impactam seus ganhos. Além do mais a Constituição Brasileira garante ao descendente a proteção do ascendente. É lei. . Assim , os avós e pais mesmo que não queiram são obrigados a se envolverem com o problema . Por último, Sasseron, você deve notar que até agora não falei da Bolsa, nem deveria falar pois não é meu feitio comentar o jogo após o seu final, com oresultado já sabido, mas que é uma irresponsabilidade alguém pegar o dinheiro dos outros, do qual é depositário, e aplicar 2/3, repito, 2/3, em capital de risco. Não deveria haver uma consulta ao quadro? Afinal os donos dos recursos são aposentados ou incapazes.? Quando o recurso é de incapaz a autoridade competente tem de ser ouvida. Aliás , teríamos muito mais segurança se fossemos assistidos. Para terminar Sasseron, não poderia deixar de agradecer a atenção que você der a esta mensagem, e dizer o seguinte: como um dos responsáveis pela administração dos nossos recursos e , juntamente com outros diretores, encontre uma solução consentânea com o quadro exposto que você certamente conhece. Afinal, nosso amigo acima referido me garantiu que você é ponderado e tem bom senso. Não se esqueça que o dinheiro é nosso.
Um abraço, Divany Silveira
Sete Lagoas,MG

Anônimo disse...

Colegas,

A vaidade é um mal que leva as pessoas a cometer erros imensos, preocupam-se demais consigo mesmas e esquecem inclusive das causas que defendem.

Portanto estamos indo de mal a pior aqui neste espaço, que deveria ser de união, pois logo ali está o fim da caminhada.

Anônimo disse...

Divany,quando se trata de Sasseron,nao acredite em ponderaçao
e bom senso.Para ellles o que importa mesmo e o bolso cheio, e o BB/Governo/Previ lhe pagam MUITO BEM para que cumpra as ordens.
Outra coisa, acreditar que a Isa,Anapar,Contraf vao entrar com a ADIN(do jeito certo,claro),e acreditar em Papai Noel,Duende,Lobisomen,Bruxa.....
Duda

Juarez Barbosa disse...

Caríssimo colega Edgardo,

Cada dia que passa, mais aumenta a minha admiração e o meu profundo respeito às suas sempre oportunas, sapientes e perspicazes colocações.

Confesso que andava meio preocupado com sua breve ausência em nossa convivência causídica.

Bravo!!!! companheiro

JVasconcellos disse...

Caro colega
DO DIA 10/08 ÀS o8:04

O ENDEREÇO ELETRONICO DO SASSERON ...
diseg@previ.com.br

A meu ver..o conteudo de sua mensagem É PERFEITA...assim como autor, envie para o Sr. Sasseron..
UNIDOS SEREMOS INVENCIVEIS.

JVasconcellos

Anônimo disse...

Prezada colega Divany Silveira,
Informo abaixo o e-mail do Sasseron, o qual já enviei um a dois dias atrás e ele respondeu, muito educadamente.
O e-mail é: diseg@previ.com.br

Anônimo disse...

PREZADO Marcos,
Bem ponderadas e inteligentes as colocações da colega Divany Silveira.Mas o que dói em tudo isso é que estamos implorando para que nos emprestem nosso dinheiro, com certeza de liquidez, até na morte -por causa do seguro e sem o sobe e desce da bolsa.
Eu volto a alfinetar os colegas que não mostraram competência no sentido de levar a quem de direito um assunto que é um verdadeiro descalabro,ou seja, o fato de que não temos vez nem voz na gestao de recursos que somente a nos pertencem. O voto de minerva do lado do patrocinador foi a farsa mais bem arquitetada ´pelo governo, porque faz de conta que temos representantes, quando na verdade,nós não temos. Qualquer pleito é levado à mesa, de maneira subserviente, e a resposta, quase sempre é:O banco/governo não concorda." Discordo,também dessa maneira como os dirigentes se comportam, como que mendigando que nos dêm o que é nosso. O dono quando entra em sua casa, o faz de cabeça erguida e não como quem pede favor. Nossa posição, isto é as dos nosso pseudorepresentantes tem de mudar.Tem de falar de maneira altaneira, como fala o dono da coisa possuida.Quem é o Sasseron? Quando muito o nosso empregado...
Outra coisa: como é que pode um presidente do maior fundo de pensao da Amrica Latina mostrar-se tão ausente dos colegas, dos assistidos e dos pensionistas, enfim. Não há explicações, não há desfazimento de temores, não há uma palavra amiga...não há nada...Tudo isso porque não temos nas nossas mãos as rédeas dos destinnos da nossa Previ.
E como se não bastasse tudo isso, vemos gente de valor dirigindo palavras pesadas um ao outro, saindo deste ou daquele blog, simplesmente por vaidade pessoal...É tempo de SOMAR e não de DIVIDIR. A Biblia diz: "a humildade precede a honra" e a altivez de espirito precede a queda"...
Desculpem o desabafo relativamente longo.

Anônimo disse...

Divany Silveira, parabéns pela sua mensagem ao Sasseron.Gostaria de sugerir que você mandasse direto para o email dele.O Senhor Marcos deve saber, ou alguém aqui do blog.

Aristophanes disse...

Colega Divany Silveira e demais bloguistas.

Lí, há pouco, um interessante artigo de dois médicos da Universidade de Pernambuco – Drs. Wilson de Oliveira Jr. e Carlos Roberto Melo – em que eles questionam e lamentam, nestes tempos de modernidade, a supremacia dos procedimentos tecnológicos, “em detrimento da escuta apurada, da história clínica e do exame físico”, na relação médico-paciente, para concluir que “o profissional de saúde foi ficando mais afastado do paciente como ser humano”.
De pronto, ao ler a sua oportuna, tocante e humanista mensagem do colega, dirigida ao técnico(ou tecnocrata) Diretor Sasseron, me veio à mente a abalizada análise crítica, acima sumariada. O procedimento frio e tecnológico da Previ, na avaliação das “doenças” de seus “ assistidos”, guarda uma certa analogia com a aquela relação fria, distante e desumana criticada pelos médicos, em seu artigo. Portanto, como dizem eles, “ é inegável a importância da tecnologia para o avanço da Medicina, porém...” Também, é compreensível a análise matemática, financeira e atuarial da Previ, em seus altos e demorados estudos, principalmente, no caso do complexo(sic) Empréstimo Simples... Porém, uma certa dose de humanismo, como lembra Divany, não causaria maior risco ao retorno de seus(ou nossos?) recursos, e faria um bem incomensurável aos seus pacientes assistidos. Pense nisso Sasseron e não esqueça a sua condição humana! Atenciosamente, Aristophanes Pereira
Em tempo: Meu abraço solidário no Edgardo.

Julita disse...

Parabéns, Divany Silveira!
Unidos venceremos!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

BRAVO DIVANY SILVEIRA, MUITO BEM ESCRITO, SIMPLES E VOCE FOI FUNDO NA FERIDA DOS APOSENTADOS.O QUE ME DEIXA TRISTE É QUE HOJE MESMO TENTEI ARREGIMENTAR MAIS UM SÓCIO PARA A AAPPREVI E ELE SIMPLESMENTE NÃO DABIA DA ASSOCIAÇÃO, NÃO SABIA DO QUE ESTÁ OCORRENDO NA PREVI E QUE O SEU BENEFÍCIO ERA MUITO BOM (é só ele e esposa, não tem filhos). E ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE (VIDA)DE MUITOS COLEGAS DO PB1.
AO SASSEROM, SE VOCES ESTÃO PREOCUPADOS COM NOSSO ENDIVIDAMENTO PROCURE DAR UM EMP.SIMPLES DE 150 COM 150 ou 200 m. para pagarmos. O Arroxo do ES só vai piorar a nossa situação.
É ISSO QUE VOCES QUEREM?
AO SR. FLORES, POR FAVOR DÊ AS CARAS, DESABROCHE, DIGA ALGUMA COISA PARA OS ASSISTIDOS, ABRA ESSA BOCA, ATÉ A PRESIDENTE DILMA FALA PARA O POVO.
ABRAÇOS DE UM ASSISTIDO EM DESESPERO.

elvira disse...

Sr Edgardo,

Há nos seus textos ensinamentos
que sempre nos levam a reflexão.
Obrigada por sua oportuna e enriquecedora colocação.
Meu cordial abraço

Anônimo disse...

Grande Juarez Barbosa
Nestas duas últimas semanas, ocupei-me em ler o Curso de Direito Previdenciário, de Wladimir Novaes Martinez, cuja 4ª edição acabou de sair em junho próximo passado e se estende por 1504 páginas. Ele é o único autor citado na Informação, onde a SPC, em dezembro de 2008, explicava a legalidade da citada Resolução ao Senado Federal. Li-o para elaborar um texto sobre a Resolução CGPC 26, a pedido de um amigo. Esse meu texto, que afinal se compõe de dois,avança em 51 páginas. O amigo pode perceber o esforço mental que isso tudo pode significar para uma pessoa de 85 anos, como eu. Acho que expliquei a minha ausência. O texto, é claro, pertence ao amigo, que mo solicitou. Ele utiliza-lo-á nos objetivos para os quais planejou obtê-lo. Creio que breve todos terão acesso a ele.
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

Já ia me esquecendo. Afinal, ingressaram, ou não, com a ADIN?
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

Será que a nossa ADIN já é uma realidade? Afinal hoje é dia 10(dez). Dia escolhido para protocolar a mesma.

Paulo Motta disse...

Dependesse de mim, o nobre e sábio colega EDGARDO AMORIM REGO levaria para casa, hoje mesmo, o Prêmio Nobel Verde-Amarelo da Paz. Orgulho-me de ser merecedor de sua atenção em nossa amigável troca de e-mails.

O comentário de Divany Silveira, muito me vale também destacá-lo como entre os melhores que já li no blog Previplano1. Aí está um belo texto, de profundo conteúdo, a um tempo crítico e reivindicatório, expresso em linguagem simples, sem nenhuma agressividade e dirigido a alguém que tem contabilizado comentários fulminantes de muitos frequentadores de nossos blogs, incluídas impacientes argumentações de minha autoria.

Divany dá o recado preciso, na hora certa, de forma impecável, lembrando que nem sempre são necessários textos cortantes ou expressões contundentes para se atingir um objetivo situado na alma aparentemente insensível dos dirigentes da PREVI.

Várias vezes sentei-me em frente ao computador para escrever algo semelhante ao senhor Diretor de Seguridade, e, por total incapacidade de controlar minha indignação, nada consegui.

Desagradável mesmo, no entanto, foi o episódio ocorrido com Aryi Zanella, que também trabalha por todos nós e, a meu ver, não merecia um petardo tão agressivo.

Tudo isso deve-se à tensão do momento que vivemos e nos joga uns contra os outros, de forma lamentável, se não nos esforçamos para conter os impulsos que provêm de nossos egos, que nunca logram resultados sem arrancar pedaços no amor próprio de alguém.

Divany ensina a todos nós um caminho tão certeiro e mais ameno.

Paulo Motta.

Anônimo disse...

Colegas,

E a ADIN? Quem sabe de notícias?

Anônimo disse...

Fiquei estarrecido com o video: O CEGO E OS TRÊS ALEIJADOS.

Que Cristo abençoe esse casal e as crianças.

Abraços senhor Marcos.

Lena. disse...

Parabéns Divany!
Simples e certeiro como nunca li.

Mariano disse...

Graças a DEUS a paz está voltando nos comentários do nosso blog. Divany, Edgardo, JVasconcelos, Paulo Mota,Diretor José Aristophanes e muitos outros. Colegas vamos envir mensagens ao Diretor Sasseron, solicitanto aumento do ES e do prazo, já que não teremos realinhamento do Plano.
Abraços Mariano

carlosdomini disse...

JÁ ENVIEI

Anônimo disse...

Sr. Marcos,

Seria interessante levar ao conhecimento do Sr. Sasseron o recado de Divany Silveira.

Afinal, são os doentes que precisam de médicos, digo, são os endividados que precisam de emprestimos.

Um abraço

Muito obrigado.

Leopoldina Corrêa disse...

Meu caro amigo Marcos,

muito obrigada pela referência a meu nome ao lado de tantas SUMIDADES sobre assuntos PREVILESCOS. São nomes de grande importância à nossa causa que me sinto envaidecida ao constar-me ao lado deles, levando em conta que sou apenas uma "pirralha". Preciso aprender muito ainda. Mas, tenho sorte de tê-los como mestres.

Porém, pegando carona no seu texto, quero fazer justiça e citá-lo também como um dos nomes que está sempre a bradar aos quatro cantos todos os malfeitos dos já insuportáveis nomes que dirigem e administram, MUITO MAL, o nosso tão cobiçado patrimônio: a Previ, que invés de cultivá-los, estão dilapidando-o.

Eu digo que o seu nome deve está também junto ao nosso, porque conhecendo sua postura, você jamais cometeria um vitupério. Como fui citada por você, tenho obrigação de fazer justiça, e vemos isso na força e grandeza dos seus textos e atitudes. Muito obrigada.

Grande abraço,

Leopoldina Corrêa