quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Desabafo de um Colega

Caros Colegas.

Assuntos não me faltam para encher este espaço diariamente, o que não faço para não cansar os participantes do Blog. Mas hoje cedo a vez a um antigo colaborador e escancaro esta porta para que por ela entre um jorro de palavras bem postas na forma de um desabafo contundente. O que nos brinda José Aristóphanes Pereira está espremido como comentário na janela específica. Mas aqui terá mais destaque, para, num primeiro momento, saltar à vista de quem acesse o Previ Plano 1. Eis o texto
(por José Aristophanes Pereira)

Prezados Colegas.

Há tempos, deploramos, neste blog, com variadas adjetivações – raiva, perplexidade, revolta, tolerância, desânimo e outras – a notória Resolução 26. Norma subalterna, que sintetiza o melhor exemplo da falta de escrúpulo dos que usam, com descarado oportunismo, o aparelhamento do Estado, para atingir seus fins. E com o agravante de formação de quadrilha: Governo, Previc, Banco do Brasil e Previ.

Conquanto tenha me manifestado, neste blog, favorável à negociação com o Patrocinador(BB), não o fiz por capitulação, mas por pragmatismo e com algum traço de cinismo. Em carta publicada pela revista Veja e reproduzida, aqui no blog, externei repulsa à apropriação contábil, pelo Banco, de nossos recursos, “ao arrepio da Lei”, para robustecer o seu lucro bilionário, de que se vangloriava o Presidente Bendine, em entrevista, na mesma revista(páginas amarelas).

Agora, quando se traçam, misteriosamente, perspectivas de um acordo entre o lobo e o cordeiro, mas sob o pano-de-fundo da “inarredável” Resolução 26, vejo, com entusiasmo, as manifestações de numerosos colegas, que repudiam a tramóia e denunciam a flagrante ilegalidade da famigerada resolução.

Essa resolução, quando introduz o patrocinador como “beneficiário”, na distribuição de superávit, se aceita, nesse ponto, será um marco vergonhoso de quebra da hierarquia das leis e constituirá um estigma, de que nunca nos livraremos, para mostrar que o poder dos poderosos tudo pode. O parecer do colega Edgardo Rego – contemporâneo de quem guardo respeitosa lembrança – é competente, racional e desapaixonado – e, seguramente, foi levado em conta, para animar a AAPREVI a explorar a tese da ADIN, que me parece séria, exeqüível e promissora.

Não sou ingênuo, não tenho muito tempo para longas esperas, não me empolgam lutas quixotescas e, muito menos, guardo cofrinho recheado... Mas o que está em jogo, agora, não é só um bom punhado de moedas, mas o patrimônio moral, ético, intelectual e doutrinário de um valoroso grupo que, por diversas e distintas épocas, construiu o mesmo Banco do Brasil e a mesma Previ, que um bando de aloprados, momentaneamente, tenta desfigurar. Lutar contra a Resolução 26 é, antes de tudo, uma atitude de repulsa que extrapola o âmbito de nossos interesses corporativos. É uma bandeira que se desfralda, na defesa do Estado de Direito, em benefício de toda a Sociedade. Sem pieguice, a derrubada da Resolução 26, tem o simbolismo da “bastilha” que nos oprime, nos assalta e nos desmoraliza.

Se conseguirmos, com competência, pé-no-chão, unidade e determinação, erigir a tese da inconstitucionalidade, a quadrilha vai tremer, se desesperar e se desmoralizar. E o exemplo prosperará e repercutirá, como antídoto de tais maracutáias!

José Aristophanes Pereira
(5.270.120-4)

52 comentários:

Anônimo disse...

Jose Aristophanes Pereira,

Concordo com voce, já não importa o valor que temos à receber, queremos acima de tudo, que a justiça seja feita, que os culpados paguem pelo imenso mal que nos fizeram.

Parabéns, Marcos pela coragem de mais esta bravura em favor dos aposentados da Previ.

Anônimo disse...

Apesar de tentarem dia após dia, governo após governo, me jogarem contra as instituições que senti orgulho de fazer parte; quando leio uma mensagem feito esta do colega José Aristophanes minhas forças são renovadas para lutar pelo que ajudei a construir. Obrigado e participe sempre para que a assepsia na Previ e no BB seja completa.

Anônimo disse...

Colega José Aristophanes Pereira,

Que espetáculo de comentário é tudo que penso e não tive a capacidade de externar com tanto brilho. Não trata-se apenas de dar um golpe na PREVI, esta resoução 26 é um golpe na Democracia. Assim começam as ditaduras.

sergioinocencio disse...

Marcos e José ,

muitos de nós aceitou negociar o inegociavel, com o intuito de favo-
recer a muitos que passam por dificuldades ,momentaneas e até al-
gumas um tanto perenes.
o BB fez concurso, e aposentou-se,
afinal ele ja tem 200 anos, e muitos dos que tentam nos ludribiar
nestas negociações creem que vão
durar o mesmo tempo. ( espero que não,rsrsrsrrsrs)
mais aceitar o BB como mais um a dividir, é ter esperanças de não ser trapaceado, de ver alguma me-
lhoria em seus beneficios e tambem
nos dos que ficarem depois que par-
tirmos desta para uma melhor, assim
espero.
só receber migalhar e não ter nada
de que possamos nos contentar é
preferivel ir pra luta , mesmo que
estejamos mais aqui para receber
tais louros.

Anônimo disse...

Caro José Aristophanes Pereira,


Fiquei bastante impressionado com os vastos recursos semânticos alinhados no seu post, de uma clareza impecável, com uma correção e precisão notáveis, digno de todos os elogios. Ah, como eu gostaria que a colega Isa Musa, nos municiasse com informações contendo a mesma iluminação.
Pela termo forense que utilizou: "erigir a tese da inconstitucionalidade", passou-me a sensação de que você mesmo poderá redigir um parecer técnico para nos orientar, sobre o êxito de lançarmos mão da via judicial.
Parabéns.Acho que foi o melhor texto que já vi neste blog.

João Rossi Neto.

Paulo disse...

Marcos,

Esse José Aristophanes falou bonito. Veja só como você está bem escorado. As melhores inteligências que o Banco possuia, os nomes mais honrados, os homens e mulheres mais dignos, já não figuram mais entre seus defensores.
E, assim, o gigante ingrato vai perdendo seus melhores amigos e pisando nas cabeças que o ajudaram a crescer tanto.

Não desanime, Marcos. Você desencadeou uma onda forte no coração dos aposentados espoliados. Pelo que tenho percebido, você agora encarna a figura de um grande líder. É isso mesmo, Marcos, você está ficando na ponta desta luta. Veja bem como o que parece ruim acaba se transformando em bem.
A mordaça com que quiseram calá-lo acabou provocando uma indignação geral. O tiro do Aldo saiu pela culatra. Quem cresceu foi você e, com você, nossa causa. Será muito bom que, apesar de tudo, superemos o episódio e fiquemos bem com a Isa. Isso tudo é uma questão de estilo. O dela é diferente do seu, possivelmente acha que você bate pesado demais; mas é visível que também o admira e respeita. E ela é tinhosa, fechada, enxerga longe e sabe aonde quer chegar. Precisamos dela. Tem sido criticada, porque era esperável que encontrasse uma forma de evitar o ataque dos pitbulls prá cima de você, assim como nos mantivesse bem informados a respeito de nossas possibilidades, segundo seu ponto de observação privilegiado. Mas ela esclareceu para mim que não está no comando da mesa. Entrei nisso agora e ainda não conheço bem o cenário geral em que nossa guerra se trava. Contudo, pelo que percebo parece que foi seu blog que desencadeou essa fúria toda, de ambos os lados. Se, do outro lado, estivessem jogando limpo, eu seria um que lhe pediria calma, embora isso certamente não fosse necessário, posto que você próprio teria optado por uma estratégia diferente, mais branda. No entanto, os adversários estão usando golpes baixos. Gritar, reclamar com força, denunciar torna-se então a reação lógica de quem não vai agir da mesma forma que os desafetos. Por isso, estamos com você. Quero vê-lo sem tempo para nada, com milhares de comentários para ler. Algum dos nossos disse: “Nada como um blog no sapato”... deles, é claro. ÊH, MUNDO BÃO! ÊH, LUTA BOA! VAMOS VENCER!

Paulo Motta (blog: superavitsprevi.wordpress.com).

Paulo disse...

Marcos,

Esse José Aristophanes falou bonito. Veja só como você está bem escorado. As melhores inteligências que o Banco possuia, os nomes mais honrados, os homens e mulheres mais dignos, já não figuram mais entre seus defensores.
E, assim, o gigante ingrato vai perdendo seus melhores amigos e pisando nas cabeças que o ajudaram a crescer tanto.

Não desanime, Marcos. Você desencadeou uma onda forte no coração dos aposentados espoliados. Pelo que tenho percebido, você agora encarna a figura de um grande líder. É isso mesmo, Marcos, você está ficando na ponta desta luta. Veja bem como o que parece ruim acaba se transformando em bem.
A mordaça com que quiseram calá-lo acabou provocando uma indignação geral. O tiro do Aldo saiu pela culatra. Quem cresceu foi você e, com você, nossa causa. Será muito bom que, apesar de tudo, superemos o episódio e fiquemos bem com a Isa. Isso tudo é uma questão de estilo. O dela é diferente do seu, possivelmente acha que você bate pesado demais; mas é visível que também o admira e respeita. E ela é tinhosa, fechada, enxerga longe e sabe aonde quer chegar. Precisamos dela. Tem sido criticada, porque era esperável que encontrasse uma forma de evitar o ataque dos pitbulls prá cima de você, assim como nos mantivesse bem informados a respeito de nossas possibilidades, segundo seu ponto de observação privilegiado. Mas ela esclareceu para mim que não está no comando da mesa. Entrei nisso agora e ainda não conheço bem o cenário geral em que nossa guerra se trava. Contudo, pelo que percebo parece que foi seu blog que desencadeou essa fúria toda, de ambos os lados. Se, do outro lado, estivessem jogando limpo, eu seria um que lhe pediria calma, embora isso certamente não fosse necessário, posto que você próprio teria optado por uma estratégia diferente, mais branda. No entanto, os adversários estão usando golpes baixos. Gritar, reclamar com força, denunciar torna-se então a reação lógica de quem não vai agir da mesma forma que os desafetos. Por isso, estamos com você. Quero vê-lo sem tempo para nada, com milhares de comentários para ler. Algum dos nossos disse: “Nada como um blog no sapato”... deles, é claro. ÊH, MUNDO BÃO! ÊH, LUTA BOA! VAMOS VENCER!

Paulo Motta (blog: superavitsprevi.wordpress.com).

Paulo disse...

Marcos,

Esse José Aristophanes falou bonito. Veja só como você está bem escorado. As melhores inteligências que o Banco possuia, os nomes mais honrados, os homens e mulheres mais dignos, já não figuram mais entre seus defensores.
E, assim, o gigante ingrato vai perdendo seus melhores amigos e pisando nas cabeças que o ajudaram a crescer tanto.

Você desencadeou uma onda forte no coração dos aposentados espoliados. Pelo que tenho percebido, encarna agora a figura de um grande líder. É isso mesmo, Marcos, você está ficando na ponta desta luta. E veja bem como o que parece ruim acaba se transformando em bem. A mordaça com que quiseram calá-lo acabou provocando uma indignação geral. O tiro do Aldo saiu pela culatra. Quem cresceu foi você e, com você, nossa causa. Será muito bom que, apesar de tudo, superemos o episódio e fiquemos bem com a Isa. Isso tudo é uma questão de estilo. O dela é diferente do seu, possivelmente acha que você bate pesado demais; mas é visível que também o admira e respeita.

Entrei nisso agora e ainda não conheço bem o cenário geral em que nossa guerra se trava. Contudo, pelo que percebo parece que foi seu blog que desencadeou essa fúria toda, de ambos os lados. Se, do outro lado, estivessem jogando limpo, eu seria um que lhe pediria calma. No entanto, os adversários estão usando golpes baixos. Gritar, reclamar com força, denunciar torna-se então a reação lógica de quem não vai agir da mesma forma que os desafetos. Por isso, estamos com você. Quero vê-lo sem tempo para nada, com milhares de comentários para ler. Algum dos nossos disse: “Nada como um blog no sapato”... deles, é claro. ÊH, MUNDO BÃO! ÊH, LUTA BOA! VAMOS VENCER!

Paulo Motta (blog: superavitsprevi.wordpress.com).

Blog do Ed disse...

Inesquecível Diretor José Aristophanes Pereira

Sereno e lúcido Diretor, V. Sa. permanece em minha memória, revestido da pujança dos sábios. A luz dos valores nunca se extingue. Seu pronunciamento robustece nossa convicção de que um parecer jurídico sobre a legitimidade dessa famigerada Resolução CGPC 26 precisa ser urgente e criteriosamente elaborado, para que se tome a decisão correta no que toca aos entendimentos com a Previ, o Banco do Brasil e o Governo a respeito do superavit que, dizem eles, a Previ tem proporcionado. Se legítima, entendamo-nos com essas entidades. Se ilegítima, exijamos o respeito aos nossos direitos. Queremos respeito ao Estado de Direito.
Um abraço de seu funcionário e admirador
Edgardo

Anônimo disse...

Interessante o texto SER OU NÃO SER no site da FAABB, por Isa Musa.

Anônimo disse...

Excelente texto! A regra moral está acima da lei positiva.
A Resolução 26 nasceu quando?? Em 2008.
No governo de quem? Do Lula!
Ainda existe trabalhador - ingênuo ou aloprado - que vota no PT!
Por Deus!

rosalina_de_souza disse...

Prezado Marcos Cordeiro, demais Amigos deste maravilhoso Blog.

Como faz bem ver pessoas tão ilustres trabalhando por uma causa justa, eu diria até mesmo humanitária.
Quantos relatos de colegas travando uma batalha pela sobrevivência, enquanto outros ajudam com informações, pesquisas, leis, trabalho exaustivo, mas que tem contribuído para a solidez deste espaço.
Parabéns Colegas acredito ser a primeira vez na história do PB-1 que ouve tamanha união em prol de soluções para nossos problemas.
Não estamos aqui tratando apenas de uma classe de pessoas, mais sim do universo de participantes e assistidos que compõe o PB-1, desde aquele que ganha o menor provento até aqueles que ganha os maiores proventos, sem distinção.
Parabéns Marcos Cordeiro, um forte abraço em cada um dos senhores que estão ajudando a construir uma nova história nas nossas vidas.
Os Frutos será o reconhecimento de que valeu a pena LUTAR!
Saudações
Rosalina de Souza
Matricula 18.161.320-4
Pensionista

Blog do Ed disse...

Colega João Rossi Neto

O próprio nome Aristophanes já revela a personalidade: nobre aparição, presença em nível de excelência, porte esbelto, forma elegante, estilo a nível de excelência. É isso, estilo encantador, enlevante.
Edgardo

Anônimo disse...

"Na próxima semana, depois do feriado, começarei, aos poucos, a detalhar para vocês os pontos positivos e a evolução das negociações". Ah Medeiros!Aproveita uns cinco minutos e desenrola esta novela, ou seria seriado? Para prender ou chamar a atenção?
Certamente que você não necessita disto.

Anônimo disse...

Não tenhamos medo dos inimigos e nem das adversidades; pois existe um Deus que está acima de tudo e de todos.
A justiça de Deus nem tarda e nem falha, virá na hora certa.
será dia 31 com a virada!!
Que Deus nos abençõe.

ricardo o.c.de albuquerque disse...

Marcos,
Nós sabemos que o Aristophanes militou em vários órgãos do governo federal, numa época em que eles vinham ao BB para se cercar dos mais competentes funcis do país. E além do mais de diretorias da Casa que importavam-se conosco
Vivi isso pois servi 5 anos em Gabinete de Diretor, e ele a primeira coisa que fazia quanto eram aprovados os famosos VPs em caráter de empréstimos em reuniões de diretoria, em pleno arrocho salarial da ditadura, alguns dos quais nunca cobrados, interrompia tudo para telefonar para o Gabinete e avisar do fato.

ricardo o.c.de albuquerque disse...

Marcos,
Ainda ricardo sugrindo. Este blog não poderia encher as caixa de mensagens dos nosso colegas, que ocupam diretorias, presidencias, e esquecem que daqui a alguns anos serão tão sem poderes como qualguer mortal? Transcreva tudo e mande.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

"SER OU NÃO SER" - Trabalho de Isa Musa de Noronha está disponivel para leitura em "Notícias Relevantes" - aqui ao lado.

José Omar A. Coelho disse...

Que bom que pessoas que ocuparam elevados cargos no BB, com digni-dade e honradez, como é o caso do ilustre Diretor DR. José Aristópha-nes Pereira, como o qual tive oportunidade de contactar em suas inúmeras visitas a Fortaleza, tomam posicionamento em prol da justiça e do estado de direito.
O fechamento de seu comentário encerra o mais profundo ideal que todos devemos abraçar, só não sei ainda, como fazê-lo: "Se conseguirmos, com competência, pé-no-chão, unidade e determinação, erigir a tese da inconstitucionalidade, a quadrilha vai tremer, se desesperar e se desmoralizar. E o exemplo prosperará e repercutirá, como antídoto de tais maracutáias!
Parabéns Dr. Aristóphanes.

José Omar A. Coelho

Anônimo disse...

A maldita - e inconstitucional -Resolução 26 nasceu para dar continuidade à roubalheira do PT. Ela é de 2008, gente!
Vamos dar o troco nas urnas: TODOS CONTRA O PT!
O voto é a nossa ÚNICA arma.
Fora PT!

Anônimo disse...

A Justiça de São Paulo quebrou o sigilo bancário e fiscal do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e abriu ação penal contra ele e seis pessoas sob a acusação de desvios da Cooperativa Habitacional dos Bancários do Estado de São Paulo (Bancoop).
Leiam na internet. Tesoureiro do PT
Será que estão usando o nosso superavit?

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

Ari Zanella é Vice Presidente Administrativo da AAPPREVI.

De: Marcos Cordeiro
Data: 29/10/2010 01:54:28
Para: Ari Zanella
Assunto: Re: Banco Brasil Profits

Amigo Ari.
Gostaria de publicar. Posso?
Abraços,
Marcos Cordeiro.
----- Original Message -----
From: Ari Zanella
To: Marcos André Cordeiro
Sent: Thursday, October 28, 2010 11:17 PM
Subject: Fw: Banco Brasil Profits


Amigo Marcos,

Enviei nesta data um email ao Banco Morgan Stanley, ao setor de Serviços Institucionais, que achei o mais adequado para lhes dizer do nosso inconformismo junto ao Banco do Brasil.
A tradução é mais ou menos assim:
"Ao Administradores do Morgan Stanley,

Desde que tomei conhecimento de sua análise sobre a posse ilegal do Banco do Brasil de 50% do superávit (nosso dinheiro), eu realmente achei que alguma instituição importante estava do nosso lado. De fato, o BB está nos roubando na luz do dia e ninguém diz uma palavra contra isso.
Então, gostaria de parabenizá-los por sua atitude. Eu sou um dos 121 mil aposentados que ainda não viu a minha parte do superávit. O BB está sob as orientações do PT, isto é, o Partido dos Trabalhadores do presidente Lula que está elaborando RESOLUÇOES para favorecer seu banco oficial. Nós somos a parte fraca no processo. Existe uma Lei sobre o assunto (Lei Complementar 109/2001) mas eles não a respeitam.
Soube que depois do protesto de vocês sobre a decisão do BB, eles contrataram vocês para defender os interesses do BB. Eles são muito espertos.
Espero que vocês me respondam o que pode ser feito para solucionar a questão. Acredito muito em vocês, uma instituição séria demais.

Muito obrigado.

Ari Zanella - Aposentado da Previ (Fundo de Pensão dos funcionários do BB)


-------Mensagem original-------

De: Ari Zanella
Data: 28/10/2010 10:12:06
Para: instfeed@ms.com
Assunto: Banco Brasil Profits

To Morgan Stanley Managers,


Since I had known your analisys about Banco do Brasil illegal wealth over 50% our money, I really have thought that some important institution was by our side. Truly BB is robbing us at daylight and nobody says a word against it.
So, I wanna congratulate you for this action. I am one of those 121000 retired people who still did not have my part of the profits. They are under PT instructions, i.e., the Labor Party of President Lula is doing RESOLUTIONS to help his official bank. We are the weak part of the process. There is a Law about the issue (LC 109/2001) but they don´t respect it.
I've known that after your claim against BB decision, they have recruited you to defend their issues. They are very smart.
I hope you say something about what to do to solve this question. I believe in you, a very serious institution.
Thanks a lot.

Ari Zanella - Retired of Previ ( Pension Fund of employees of Bank of Brazil)

Paulo Beno e Leda Goellner disse...

Sensacional!
Pensamos da mesma forma que todos comentaram.
Foi uma má-fé esta resolução 26 do PT;
o BB está em grandes apuros contábeis;
O STF vai declarar inconstitucional a resolução 26, frente a Lei Complementar 109.

Viverá a Democracia !
Parabéns a todos nós

Anônimo disse...

Rapaz,

Até fiquei arrepiado quando li o e-mail do colega Ari. Parabéns! Nossa luta está tomando um novo rumo! Sempre confiei na coragem e capacidade de vocês da AAPPREVI. Parem as máquinas!

Anônimo disse...

Estou orgulhoso de assistir esse pipocar de ações corajosas contra o ditador BB/PT, que ignorou nossos direitos e subestimou nossa capacidade de reação, fomos humildes, pacíficos, tolerantes, mas esses elefantes (bb/PREVI),não pararam de nos esmagar, pisoteando-nos com tantas aberrações e injustiças e valendo-se covardemente da fragilidade e boa fé dos idosos, quanta desumanidade,
verão agora que não somos idiotas e sabemos defender nossos direitos, colegas vamos continuar recorrendo a todos os orgãos legais, nacionais e internacionais, até despertá-los para nossa causa.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Colegas,
A necessidade premente de muitos colegas é um aspecto muito importante a ser avaliado nas atuais negociações. Entretanto, deve ser destacado que, as decisões que tomaremos no presente, criando precedentes perigosos, como a aceitação da transferência indevida dos 50% para o BB, deverão se refletir e muito nos próximos 30-40 anos na vida dos assistidos, de seus cônjuges e filhos. E, talvez, a partir daí, se crie até uma jurisprudência prejudicial aos nossos interesses. Daí a importância de avaliarmos bem as idéias e sugestões dos brilhantes e experientes colegas que estão sendo colocadas neste blog.

Anônimo disse...

Está lá no site da Previ. A estratégia de investimentos para 2011 é inédita entre os fundos de pensão. Desanimei. Certamente, se é inédita, não haverá de ser investimento na melhoria de nossas condições de vida.

Ivan Rezende disse...

Caro Ari, são estas atitudes destemidas que irão nos levar às conquistas de nossos anseios, assim como a ação direta de inconstitucionalidade em estudo pela Presidência da AAPPREVI.
Afinal, nada temos a temer.

Anônimo disse...

Sempre foi dito e provado que a capacidade dos funcis do BB era diferenciada no mercado de trabalho brasileiro. Na criação do Bacen, nos diversos escalões do Governo Federal, sempre recorreram a essas pessoas que agora os petistas querem menosprezar. Alto lá! Apesar de brancas, aqui estão as melhores cabeças deste país. Não subestimem nossa capacidade de reação.

Anônimo disse...

Fico emocionado ao ver que todo dia surgem colegas com enormes conhecimentos jurídicos e que conhecem toda a história passada do BB e da PREVI, e que estão aí dispostos a nos esclarecer, orientar e a ajudar a salvar nossos interesses no tocante ao superávit. Enquanto estávamos discutindo a distribuição, eles, no anonimato, já possuíam as ferramentas necessárias para obter-mos a inconstitucionalidade da Resolução 26. A estes mestres, nossa admiração e agradecimento. Tenho certeza que essa Resolução 26envergonhará para sempre aqueles que a arquitetaram.

Um abraço.

Anônimo disse...

Caríssima colega Isa Musa,


Desta feita, a colega vem com a mensagem da indecisão "Ser ou não Ser", e eu lhe respondo: não é.
Nós precisamos de saber coisas simples, como: Valor da Reserva Especial que será utilizada para revisão do plano?
O patrocinador está suscetível a conceder o que? Quais propostas são mais viáveis de serem aprovadas?
Qual o tempo estimado para deslinde dessa pendenga?
Informações perfunctórias estraçalham os nossos nervos. Garanto que a nossa ansiedade é dez vezes maior do que a da senhora.
Segredo para quê. Ninguém está com espada no peito, para acatar o que o BB/PREVI decidir para os aposentados. A palavra de ordem, neste momento, chama-se transparência, e o Resto é o Resto, em contraponto ao Ser ou não Ser.Torço e rezo para o seu sucesso.

João Rossi Neto.

Anônimo disse...

O PT não interesse na distribuição do superávit.
Estou com o anônimo das 06.27:
TÁ NA HORA DE ACABAR COM A RAPINAGEM DA CORJA DO PT!
Fim da era da ladroagem e da mediocridade.
Vamos à urna: Fora PT!

Anônimo disse...

Marcos, nós somos fracos, suscetíveis a erros e enganos homéricos.

Enquanto nós discutíamos neste e em outros blogs a omissão de "nossos" representantes, o Banco e a Previ de discutirem o superavit e iniciar as "negociações".

E nós já debatíamos sua distribuição com diversas variáveis de forma agressiva e até desrespeitosamente com outros colegas na defesa de certos pontos de vista e na forma de distribuição do superavit.

Aconteceram insultos e agressões gratuitas.

Muitos querendo a sua parte a qualquer custo. A demora, o tempo e a idade. Tudo aqui foi falado. Até que o Banco fique com sua parte e nós com a nossa.

Felizmente, Marcos, graças ao bom Deus, o Banco não atentou para a nossa fragilidade durante esse período, e da nossa propensa entrega dos pontos por causa do vil metal, como bem disse um colega aqui neste blog.

Tivemos defesas acaloradas dessa entrega pura e simples como tivemos defesas de posições diametralmente opostas.

Após tanta demora que já estava arrefecendo os nossos ânimos a ponto de baixarmos a guarda, eis que o Banco "resolve" iniciar essa "negociação" e mostra através de seus negociadores (Anabb, Contraf-Cut) as verdadeiras intenções.

Já "de prima" proibe a divulgação de qualquer dado dessas reuniões, como se ali estivesse sendo discutidos assuntos de segurança nacional e não assuntos de interesses recíprocos.

Devido a essa prepotência, alguns colegas, com a sapiência que Deus lhes proprocionou, emitiram mensagens por demais eloquentes sobre o superavit, que mexeu com nossos brios e nos despertou, abrindo os olhos dos que teimavam em não querer ver e nem aceitar verdades que feriam seus pontos de vista.

Marcos, Deus não nos deixa sem mostrar um caminho, uma saída e acredito que agora isso aconteceu, pois, tudo seria diferente se o Banco tivesse atentado para a nossa fraqueza. Essa oportunidade ele perdeu. Agora é a nossa e não podemos perdê-la.

O caminho: uma ADIN. Nada poderá nos deter agora, pois vejo os colegas se manifestando a favor.

Teve um colega que disse: "fiquem com suas migalhas que eu fico com minha dignidade". Marcos isso não tem preço.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

O Blog Previ Plano 1 e os canais de comunicação da AAPPREVI permanecerão disponiveis no decorrer de todo o "feriadão", durante as 24 horas de cada dia, como rotineiramente acontece.

Carlão/Joinville disse...

Ari, parabens pela iniciativa.
Só lembrando, para que seja declarada a inconstitucionalidade da resolução "pimentel", é necessário que o STF ele seja chamado a se manifestar, já que ele não se manifesta de oficio neste caso especifico.
Outra coisa, esse descalabro não é privilgeio somente do PT, ou alguem do PSDB se posicionou qdo instado a faze-lo (quem quer 1.000.000 de votos?). Somente quem é capaz de resolver nossos problemas somos NÓS e mais ninguem.
JUSTIÇA NELES!!!!

Anônimo disse...

Eu acho que a ISA MUSA anda muito confusa. Vixi! rimou sem querer.

Acredito que seja a primeira vez que ela se encontra numa situação dessa envergadura.
Falta-lhe experiencia em questões de vulto, porque essas trazem pressões de toda ordem e ela não esta sabendo administrar essa situação.

A questão entre seus pares é de fundamental importância, quem esta contra ou a favor. Como tratar a questão? De forma emocional ou racional? Somente ela tem a resposta.

Somente com boas intenções não se resolve nada, é preciso de ação, contundência, ir ao ponto nevrálgico, no âmago da questão e não apenas ficar dando voltas e mais voltas para ver se encontra uma saída honrosa.

A Isa tem mais tempo com "eles" do que concosco, somos recentes para ela.

Parece que ela quer ficar conosco, porém pressinto que existe algo impedindo essa aproximação.

Torço para que ela encontre seu verdadeiro caminho.

Boa sorte Isa.

Anônimo disse...

Colegas,

Quem sabe o colega José Aristophanes Pereira convide o SASSERON E O VALMIR "prá tomar um mate", pode ser que os mesmos entendam que dinheiro e poder não são tão importantes como honradez.

Anônimo disse...

Amigos, alguém pode nos explicar o que significa "realinhamentos do plano 1", que está sendo negociado ?

Luis Eustáquio de Castro - Araxá-MG.

Anônimo disse...

Caros Colegas,

Acho que já passa da hora de todos, que estão nesta luta limpa, defendendo com dignidade os seus legítimos direitos, conseguidos a duras penas e após longos anos de trabalho, pararem de manifestar-se como anônimos.
Com absoluta certeza, a opinião, o protesto e a indignação tem mais força e peso, quando é assinada pelo autor.
Tudo que escrevo eu assumo e se brotar algum processo nas costas, o jeito é enfrentar e descascar o abacaxi.
Isso, obviamente, é um decisão de foro íntimo, uma vez que cada cabeça é uma sentença, de modo que fique patente que não estou fazendo crítica a ninguém.
Fiz esta colocação porque vejo muitas mensagens interessantes, muito bem fundamentadas e, ao final, fica um pesar por não saber os nomes das pessoas que estão dando aquelas contribuições.
Por outro lado, se surgirem idéias que não forem tão boas, elas serão lidas da mesma maneira, mas com respeito e sem chacotas.
Vejam que mensagem linda e instrutiva nos mandou o colega José Aristophanes Pereira. Seria lamentável se ela fosse apócrifa.
Nós temos nomes, endereços e queremos respeito, seja por bem ou por mal. Amigável ou na justiça.
Abraços a todos.

João Rossi Neto.

Anônimo disse...

Caro Marcos e demais colegas aposentados e pensionistas,

Além da questão da ADIN e do e-mail do colega Ari, sugiro que a AAPPREVI encaminhe notificação via cartório solicitando parecer da OAB, ABI e CNBB sobre a fraude que é a Resolução 26. Existem famílias passando necessidades extremas e "teoricamente" essas instituições trabalham contra as injustiças. Chega de ficar só levando sopapo. Vamos reagir e dar vários socos ao mesmo tempo. Pessoas qualificadas é que não faltam para a redação desses documentos.

Saudações tricolores (FLUZÃO CAMPEÃO)

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Caro Marcos Cordeiro e diretoria,
Creio que a preocupação do colega anônimo das 07:00 horas tem muita razão de ser. Qual será essa estratégia de investimentos da Previ para 2011? E quais critérios deverão prevalecer nessa estratégia, técnicos ou políticos? Quais os riscos envolvidos em cada decisão de investimento dos seus recursos, que são vitais para a garantia do nosso bem-estar futuro?

Diante do exposto, gostaria de sugerir que, num segundo momento, passada essa difícil fase de definição sobre a destinação do superávit, a AAPPREVI estabeleça contratos, não só de assessoria jurídica, mas, também com empresa de assessoria econômico-financeira. Talvez, uma corretora, que nos forneceria análises periódicas sobre a adequação e os riscos dos investimentos feitos pela nossa Previ nos diversos cenários futuros. Para que possamos, inclusive, discutir e tentar influir nos processos de decisão quando julgados inconvenientes.
O custo disso poderia ser negociado até em troca de um espaço de propaganda no site da AAPPREVI.

Minha idéia se baseia na crença de que, passado esse período de definição do superávit, possa haver um natural esvaziamento do interesse dos filiados no acompanhamento das notícias do site. E um debate permanente serviria para manter aceso o interesse da participação dos filiados nas discussões do site.
Enfim, esta é minha modesta sugestão que, se não estiver correta, poderá, talvez, servir de fermento para o surgimento de novas idéias.

Ivan Rezende disse...

Parabenizo o colega Raul Avellar pelo seu aniversário natalício, nesta data. Que continue com o vigor até então demonstrado na luta para as nossas conquistas.

Anônimo disse...

Desde o encerramento do plano 1, em 1997, e a criação do PREVI FUTURO, não fiquei convencido. Por que não deram sequência ao plano 1 no sentido de dar a perenidade e os mesmos direitos dos novos funcionários. Acho que já foi um ato de malandragem por parte do BB/GOVERNO. Já estavam pensando na rapinagem dos nosso patrimônio. Portanto, se assim procederam, todo o patrimônio da PREVI nos pertence, quer queiram o não. ABAIXO A RESOLUÇÂO 26. VAMOS À LUTA. A justiça estará do nosso lado.

Anônimo disse...

Alguns esclarecimentos sobre a ADIN:-

Art. 3o A petição indicará:

I - o dispositivo da lei ou do ato normativo impugnado e os fundamentos jurídicos do pedido em relação a cada uma das impugnações;
II - o pedido, com suas especificações.
Parágrafo único.A petição inicial, acompanhada de instrumento de procuração, quando subscrita por advogado, será apresentada em duas vias, devendo conter cópias da lei ou do ato normativo impugnado e dos documentos necessários para comprovar a impugnação.

Art.4o A petição inicial inepta, não fundamentada e a manifestamente improcedente serão liminarmente indeferidas pelo relator.
Parágrafo único. Cabe agravo da decisão que indeferir a petição inicial.
Art. 5o Proposta a ação direta, não se admitirá desistência.
Parágrafo único. (VETADO)
Art. 6o O relator pedirá informações aos órgãos ou às autoridades das quais emanou a lei ou o ato normativo impugnado.

Parágrafo único. As informações serão prestadas no prazo de trinta dias contado do recebimento do pedido.
Art. 7o Não se admitirá intervenção de terceiros no processo de ação direta de inconstitucionalidade.

O artigo 7º acima indica que,como a Ação será impetrada contra o Conselho de Gestão da Previdencia Complementar, editor da Resolução,provavelmente não serão constituidos litisconsortes passivos, ao contrario do que ocorre nas outras instancias, onde Banco do Brasil e Previ participam nessa condição. O problema não é com o Patrocinador, e sim com o CGPC, que antecipou o Natal para setembro, em 2008, e deu um "presentaço" para ele(BB), que rapidamente abriu o pacote.

Paulo disse...

Isa,

Em 28/10, às 18:36, registrei neste blog um comentário em que, inadvertidamente, usei uma expressão depreciativa, que não traduz absolutamente o que penso de você, como pode verificar pelo teor do restante da alusão que faço a sua pessoa. Trata-se da palavra "tinhosa" (repugnante, coisa do capeta). Na verdade minha intenção era usar "manhosa", que contém o sentido de "ter a manha", "saber fazer". Ao revisar o texto, dei-me conta que esta também não era uma palavra adequada, em face de conter, da mesma forma, um conteúdo depreciativo. Cortei o trecho e, imediatamente, postei novo comentário (18:43), como pode ver.
No entanto, por um lapso, o comentário substituído acabou sendo expedido também, e por duas vezes! Não sei explicar como isso aconteceu. Peço-lhe desculpas. Fui mal.

Paulo Motta.

Hermínio Viotti disse...

Aos 85 anos, quem escreve aqui no blog é minha neta,vou ditando para ela pois não entendo de computador. Não posso esperar por uma Ação de Inconstitucionalidade. Preciso, agora, de uma parte do superávit. Tenho receio que se alguma associação entrar com isso o Banco do Brasil não queira mais negociar. Desculpem. Voces podem ter tempo, eu não.

Anônimo disse...

Prezados Colegas, lendo o Blog do Medeiros, realmente nossas esperanças foram renovadas, uma vez que há luz no fim do túnel.
Entretanto se não sair nada de concreto até o fim do ano, começaremos a ficar desanimados de novo.
Não quero jogar água fria no otimismo dos nobres colegas, mas confesso que sou cético nestas questões de negociações, ações, blá-blá-blá, etc, etc.

Vejam vocês, a ANABB impetrou diversas ações coletivas a nosso favor, algumas a mais de 10 anos.
As negociações sobre o SUPERAVIT, já se arrastam por tempo muito superior ao que estávamos imaginando.

Precisamos de alguma coisa de concreto já, ainda em 2010, para que nossas esperanças continuem renovadas. Porque não conceder alguma(s) coisa(s) de imediato - naquilo já é consenso de todos - e prosseguir negociando os demais ítens ?

Estou de pleno acordo como o colega anônimo das 11:23, em recorrer à OAB. Ela é uma das poucas entidades que pode propor a ADIN. Se conseguíssemos seu engajamento a nosso favor estaremos com a "faca e o queijo na mão".

Luis Eustáquio de Castro - Araxá-MG

José disse...

Senhor Hermínio,

O senhor recebeu o RENDA CERTA?

Anônimo disse...

MARCOS, ADIN neles mas como faze-lo? Por favor colegas que sabem ajudem-nos. O Marcos precisa de ajuda, a AAPREVI precisa. É por uma causa nobre a favor de 120.000 aposentados contra o BB/PREVI/PREVIC. JUSTIÇA, se nós não lavarmos fica para nossos filhos ou netos. Estou precisando muito deste superavit mas estou agindo como se ele não existisse. Exercito a paciência e seja o que DEUS quizer. Mas JUSTIÇA É O QUE ME ALIMENTA.

Anônimo disse...

Acho que se tudo isso desembocar na justiça, não veremos a cor desse superavit nunca mais. Qualquer demanda judicial leva décadas para se conhecer o veredicto e caso nos seja favoravel, provavelmente mais uma ida ao Judiciário para obrigar o Banco a distribuir o Superavit. Até lá o último beneficiário já estará vendo a peleja juntamente com São Pedro. No final, o Governo ficará com a Previ capitalizada com sucessivos superavits só para ele.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

- Original Message -----
From: luiz parussolo
To: marcosmca@yahoo.com.br
Sent: Friday, October 29, 2010 4:52 PM
Subject: Memórias

Senhor Marcos,

Acompanhando as manifestações dos aposentados sobre a postura dos negociadores do superávit e entre eles posições como de instrutores do antigo DESED e a última postagem, esta do senhor José Aristophanes Pereira, quero aqui deixar meu medíocre ponto de vista e fazer algumas observações históricas sobre grandes fenômenos intelectuais que formaram os quadros do BB e do BC, ingressados em décadas anteriores a 1980 e mais especificamente anteriores a 1970, cujos cidadãos portadores de espíritos muito elevados tiveram que sujeitarem-se ao concurso do BB por não ter meios de cursar grandes cursos nas áreas das ciências exatas, médicas e biológicas e até mesmo não poderem ter cursado o ensino médio.
Acrescente-se ainda que esses prodígios autodidatas que dispensavam salas de aula e professores para seu aperfeiçoamento criativo, administrativo, produtivo e cultural nem acesso tinham aos livros dos grandes autores pelo distanciamento dos parcos centros de excelência que existiam e desenvolviam projetos e tomadas de decisões geniais apenas com as instruções internas do BB.
O Banco do Brasil e o Banco Central contaram com uma verdadeira plêiade de prodígios, pena que pobres de um país que não dava oportunidade, e que em lugar nenhum, nem ontem e nem hoje, é encontrado, tratando-se de potencial intelectual.
Atualmente vejo essa mesma plêiade sujeitando-se a grupos politiqueiros medíocres formados em também medíocres cursos de adestramento e até sendo ridicularizados como tempos atrás pelo, na minha opinião medíocre, Romildo e junto com ele quase todos os funcionários da ativa do BB, as associações dos funcis, que nada manifestaram e as lideranças sindicais, estas constituídas em suas diretorias por pessoas politiqueiras, pouco afeitas a trabalhos e administrações com exigências de habilidades intelectuais, baixo QI e muita esperteza. Todos juntos não são dignos de amarrar os cadarços dos sapatos de muitos fenômenos, que não são poucos, que militavam nos quadros das organizações BB e BC, os quais, como disse, sujeitaram-se aos concursos por serem negadas oportunidades nos campos das engenharias, física, química, medicina, pesquisas e outras grandes áreas de produção e criatividade.
Sociedade que não respeita seus antepassados é inferior e hipócrita, por isso que brincam com pessoas tão competentes como estão brincando.
Se conhecessem aqueles que construíram o país com traçadores, foices, marretas e machados que nunca freqüentaram escolas e conheciam de agronomia e agrimensura: calculavam, de cabeça, fundações, edificações, animais vivos e em pé, produções, comprimentos, áreas, cubagens, meteorologia, etc. também faziam medicina e veterinária tradicional e prática judiciária de qualidade, como rábulas, até 1964 quando foram proibidos, poderia ser que acabariam envergonhando-se da postura auto-suficiente que ostentam devido à tecnologia que hoje substitui a todos, criação da sabedoria dos grandes pensadores do passado e aperfeiçoada nos séculos.
Sinto que há menosprezo absoluto e a certeza de que a idade física em detrimento do potencial e a honra dos aposentados apressa as necessidades e favorece a barganha com as canalhices que revestem as propostas.
A resolução é inconstitucional e a lei complementar não contempla direito algum para o patrocinador. Apenas deve ser retida a reserva de contingência.
Para tomada de decisão, acredito que todos devem avaliar o seu grande valor potencial, o respeito para consigo mesmo e a autonomia de princípios e sabedoria de que todos são dotados e não se deixarem perder para esses hipócritas, simplesmente pela idade física, esquecendo-se do valor espiritual de que são dotados como diferencial diante das gerações atuais.

Luiz Parussolo

Anônimo disse...

Anonimo das 14:53,

Mas o BB também não leva. E ele vai contabilizar até quando valores que vai demorar para receber? Pode se transformar na maior fraude contábil do mundo. Já pensou daqui uns cinco anos o BB já ter contabilizado uns R$ 30 bilhões de reais como valor a receber no futuro? Que investidor internacional vai querer comprar, ou permanecer comprado já que temos investidores internacionais que hoje são acionistas do BB, papéis de uma empresa assim?

O bom desta história é que não seremos somente nós os prejudicados. Há ia esquecendo como o BB é do Governo do Brasil também vai sobrar para o Governo: como será visto o governo brasileiro no exterior se uma empresa sua faz estes tipos de contabilizações a perder de vista? Por isto que eu acho que o BB quer sim pegar e logo o superávit. O problema é que ele quer mais do que os 50% e aí eu penso que nem com banda de música ou nem que a tartaruga bata o recorde mundial de 100 metros rasos.