segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Tá tudo dominado!

Caros Colegas.

Meias informações em cima de informações falsas equivalem à informação nenhuma.

Continuamos sem saber ao certo o que há para dividir, se e como vai ser dividido ou mesmo se a divisão já não foi feita internamente. Pode até ter ocorrido que o Banco e a PREVI já tenham se entendido e feito a partilha ao seu modo. E nós entramos de gaiato para assinar embaixo. O certo nisso tudo é não alimentar falsas esperanças. A caixa preta do superávit permanece inviolável e as informações que deixam transparecer são obscuras e obtusas. Somente o patrocinador tem a chave do enigma e, claro, a ele não interessa divulgar o que vai dentro do seu reino.

Há perguntas não respondidas, muito embora direcionem ao falso entendimento de que as respondem. A solução do “problema” é conhecida pelos três senhores que o criaram para favorecer um deles, e dos três, ironia suprema, o mais confiável é a PREVIC, Órgão criado justamente para organizar a bagunça formada propositadamente.

O Banco esconde o jogo por ser o maior interessado no resultado; a PREVI sonega informações numéricas para não desagradar ao patrão. Da resultante temos a PREVIC que, atual mentora das normas disciplinadoras da divisão, não se omite ao dizer o que pode e o que não pode ser feito. E isto se explica pelo fato de que sua criação foi obra de manobra engendrada para contemplar a destinação do superávit – que deveria acontecer exatamente do modo que ocorre.

Ainda no nascedouro da PREVIC uma teia foi formada e o novelo embaraçado contendo números, normas e direcionamentos escusos para, a pouco e pouco, ir sendo desfeito para desvendar o mistério primordial: quem tem direito ao superávit fabricado e como os famintos serão alimentados por ele de forma a que pensem que estarão sendo beneficiados.

Começando pelo errôneo surgimento do superávit, passando pelo seu crescimento para chegar-se ao impasse criado, muito pouco foi dito e explicado. A começar pelo próprio superávit que nunca poderia existir porque nosso fundo não é uma empresa geradora de lucros: tudo que ele produz deve ser direcionado ao pagamento de benefícios, portanto, não comportando sobras cumulativas por anos seguidos.

É fácil deduzir que essas poderosas sobras foram fabricadas pelo patrocinador para delas se apossar quando chegado o momento, mas, para não parecer antidemocrático preparou a base para suas investidas. Com sucessivas alterações do Estatuto da PREVI cercou-se da certeza de que estaria agindo em benefício próprio impondo inclusões de itens de entendimento dúbio, sempre explicados e aprimorados no decorrer dessas modificações – levando de roldão para o seu cofre tudo que consiga retirar do Fundo dos trouxas.

No momento tudo está sendo conduzido à feição para contemplar o patrocinador uma vez chegado o momento determinado por ele para a divisão, visto que precisa urgentemente da “sua parte” e para isto já conseguiu o apoio oficial, chancelado pela PREVIC.

Portanto, é bom que tenhamos cautela ao sermos chamados para assinar o “acordo” já costurado sem nossa presença, é de se supor. Também não podemos alimentar a ilusão de que teremos algum poder para influenciar soberanamente na decisão que se avizinha e, assim sendo, quando for formada a mesa de “negociações” não podemos esperar milagres de quem ali ocupe lugar em nosso nome – seu poder de fogo pode ser comparado a um simples traque.

De mais a mais, essa mesa de supostas negociações já teve seus componentes maliciosamente predeterminados para não nos deixar alternativa outra senão aceitar o que nos entreguem na bandeja das sobras. Vale a pena analisar a composição dessa mesa:

1 – Banco do Brasil: patrocinador e dono do voto de minerva, sempre, embora neste caso não se aplique;

2 – PREVI: sua diretoria é comprometida com o patrocinador;

3 – ANABB: declaradamente defensora do Banco do Brasil (consta do seu Estatuto – “Da Associação e seus fins; Art. 2° São finalidades da ANABB: I – zelar pela integridade do Banco do Brasil...”

4 – Eleitos da PREVI - há diretores comprometidos:

Diretor de Planejamento – Vitor Paulo Camargo Gonçalves

-Vitor Paulo Camargo Gonçalves – ANABB - Cons. Delib. – 2009/12
-Vitor Paulo Camargo Gonçalves – CoopANABB – Cons. de Administração

Diretor de Seguridade – José Ricardo Sasseron

-José Ricardo Sasseron – ANAPAR – Vice-Presidente
-José Ricardo Sasseron – Cons/Previ/Vale – 30/04/2011
-José Ricardo Sasseron – Cons/Previ/Vale-Valepar – 30/04/2011

Conselheiros da PREVI eleitos: (Deliberativo)

-Mirian Cleusa Fochi – Contraf-CUT – Representando o BB

-Célia Maria Xavier Larichia – AAFBB – Vice.Pres. Cons. Administrativo
-Célia Maria Xavier Larichia – ANABBPrev – Cons. Delib. – Suplente
-Célia Maria Xavier Larichia – FAABB – Cons. Delib. – 2009/12

-William José Alves Bento – ANABB – Dir. Adm. e Financeiro – 2009/12
-William José Alves Bento – ANABBPrev – Cons. Delib. – Suplente.

5 – AAFBB: aliada da ANABB na ultima eleição na PREVI onde colocou membros de sua diretoria;

6 – AFABB-SP: Antonio Gonçalves (Diretor) – integra o Conselho Deliberativo da ANABB;

7 - AFABB-RS: Cláudio Nunes Lahorgue (Presidente) – Cons. Deliberativo suplente da ANABBPrev;

8 – Contraf-CUT: subordinada ao partido do Governo que nomeou Dirigentes da PREVI e que, também, tem na sua direção componente da cúpula da PREVI e da AAFBB (Mirian Cleusa Fochi – representante do BB);

9 - Comissão de Empresa: atrelada ao BB;

10 – Gilberto Santiago: Presidente da AAFBB (comprometida com a ANABB – item 4) e Diretor da FAABB;

11 – FAABB: representante das 32 associações de aposentados e pensionistas que não se entendem quanto à representatividade de sua Presidente, Isa Musa de Noronha, que integra o Conselho Deliberativo da ANABB. Também tem Gilberto Santiago como Diretor de Assuntos Previdenciários - comprometido com a ANABB (itens 4 e 6).

Como se vê, todos que têm assento à mesa de “negociações” estão comprometidos com o patrocinador de um modo ou de outros, e numa análise apurada dos nomes envolvidos resta-nos um a quem dar um voto de confiança: Isa Musa de Noronha, independente de cargos ou posições, pois é a única pessoa que já deu mostra de sua capacidade e engajamento incondicional na defesa dos aposentados e pensionistas do PB1, porque o resto...

Está tudo dominado!

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 11/10/2010.

145 comentários:

Anônimo disse...

Parabens, colega.
Este é o ambiente que nossos representantes enfrentarão.
De tudo, apenas algo pode nos deixar tranquilos.
Neste caso, pela Resolução 26, defendida arduamente pela Previc, ex-SPC, não há VOTO DE MINERVA.(artigo 20 da Resolução). Terá que ser aprovada por MAIORIA ABSOLUTA, a distribuição. Ninguem tem a "chave do cofre". Esperamos que nossos representantes não se curvem à prepotencia do Patrocinador. Não aceitaremos migalhas. Nossas dificuldades financeiras se arrastaram até aqui, mas, ainda assim, não precisamos de esmolas. Queremos o que a lei nos confere. Apenas isto.

Anônimo disse...

Marcos, infelizmente também penso assim há muito tempo. Nós não temos um governo confiável.
A mentira é o ponto alto desse governo, que passando por cima da lei, atropela tudo, desde que atinja seus objetivos por mais inescrupulosos que sejam.
A cada dia que se passa os jornais e revistas tem publicado uma série de reportagens com novos escândalos desse governo. Os últimos vieram da Casa Civil onde a candidata do PT reinou por alguns anos. O covil ali já pertenceu ao José Dirceu, ícone da corrupção, posteriormente pela candidata Dilma e agora no da Erenice também envolvida em escândalo. Quem passa por ali parece não ter compromisso com uma gestão pública que prima pela honestidade. A Erenice já acompanha a Dilma há pelo menos 15 anos, cujo início se deu o Rio Grande do Sul. Não precisa dizer nada do que essas duas escondem.
Então por essas e outras voltarei apenas a acessar este blog somente depois da distribuição do superavit se houver. Não sei se serei contemplado dessa vez. Quem já não teve o direito de participar do primeiro quem sabe no segundo persiste o mesmo modelo. Para acelerar o processo quem sabe utilizarão a mesma lista da vez passada. Não tenham dúvidas de que esse superavit vai ser outro engodo.
Boa sorte aos que são otimistas, quem sabe umas poucas migalhas ainda satisfaçam a maioria. Migalhas em cima de nossos direitos, é um absurdo ter que chegar um dia e escrevermos assim.
Ah! se fosse diferente, como seria bom. Será que só nos resta viver de ilusão?

Anônimo disse...

Essa resolução não foi feita por acaso. Observem que as sobras destinadas aos participantes ficam contabilizadas como temporárias para serem utilizadas enquanto durarem os valores do superávit. Nada é incorporado para não comprometer futuros superávits para o patrocinador.à medida que passam os anos os superávits serão maiores e o patrocinador vai levando tudo.
Essa reunião que vai acontecer é apenas um jogo de cena. Duvido que o patrocinador permita alterar o estatuto.
Portanto, após a distribuição das migalhas só nos resta mesmo ações judiciais. Lamentável.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

GILVAN REBOUÇAS deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Poder limitador":

COMUNICADO DA TESOURARIA.

Solicitamos encarecidamente aos nossos associados que enviem suas autorizações de débito para o Banco do Brasil, a fim de que sejam efetuadas as gravações dos devidos comandos no sistema REC.
Lembramos que para os associados que possuem a programação na poupança programada nada mudará até o final de dezembro.
Recentemente enviamos, via correios, alguns formulários para associados que estavam com problemas nas suas caixas de e emails.
Enviamos esse formulário para todos os associados. Caso alguém não tenha recebido, queira por gentileza solicitá-lo diretamente para a tesouraria da AAPPREVI (tesouraria@aapprevi.com.br ou gilvan@aapprevi.com.br).
A APPREVI agradece aos colegas que já entregaram suas autorizações.

Atenciosamente,

Gilvan Rebouças

Anônimo disse...

Prezado Marcos,

Este texto deveria ser impresso e enviado a todos os participantes do PB1. Como sempre você foi brilhante e habilidoso para deixar claro o que muitos insistem em não enxergar. Estruturas bilionárias como Previ e BB, apesar de suas diretorias serem ocupadas por "cabeças de bagre", conseguem encomedar estudos maquiavélicos de empresas competentes para qualquer finalidade. No caso específico do superávit, criaram uma sequência de fatos até desaguar na Resolução 26, na gestão do governo dos "trabalhadores". Ainda aparecem aqui os defensores do PT. Só podem ser comentários patrocinados... Do PSDB nunca esperamos nada e agora nos vemos obrigados a segurar a serra elétrica para conter a avalanche vermelha destruidora. Nunca antes na história desse país alguém imaginou que os "companheiro" fossem se transformar em saqueadores de velhinhos...

Anônimo disse...

Anônimo 09.46


Sinto muito em informá-lo, mas essa resolução 26 só deixa migalhas para distribuir. O grande beneficiário é o patrocinador que come a metade e a outra metade se for distribuída será para 120.000 participantes e em forma de verbas provisórias (até que acabem as sobras). Observe que essa mesma resolução fala em proporção contributiva. Logo quem contribuiu mais receberá mais.
O Banco nem vai precisar usar o voto de minerva. Para que?
Esse superávit já foi previamente planejado pelo patrocinador desde a época em que ele demitiu os pdvistas.
Aconselho que todos os colegas leiam a resolução 26 e percebam as artimanhas. Não vamos nos emplogar pensando que vai sair algo bom nessa reunião.

Anônimo disse...

Meus caros,

Eu era feliz e não sabia. Faz tempo que cheguei a esta lúgubre conclusão. Não preciso dizer mais nada. Também já sei que nada vou receber, de novo. Então fica assim: VIVA A DEMOCRACIA DE MEIA DÚZIA.

Anônimo disse...

Embora ainda não sabemos quanto há para dividir, já podemos imaginar que, provavelmente, o valor será igual ou maior que a Reseva Especial de 31.12.2009,que foi de R$ 25.955.632 mil.
Com o desempenho negativo da Renda Variável, o A Reserva Especial caiu para R$ 17.935.876 mil no 2º trimestre.
Entretanto, no 3º trimestre, a valorização foi de 13,9%, só em setembro 6,6% ( fonte: valor On Line).
No 2º trimestre as aplicações em Renda Variável totalizavam R$ 83.292.927 mil, sendo R$ 41.973.476 mil em Ações ( R$ 6.555.569 mil no Patrocinador), e R$ 41.379.451mil em Fundos de ações.
Restaria saber desses 13,9% de valorização dos papéis da Bovespa, qual foi o indice que atingiu os investimentos da Previ.
Com a palavra nossos representantes eleitos.

Anônimo disse...

Caro Marcos, Colegas,

Neste momento penso que já entendeste tudo caro Marcos.
Em outros posts eu tinha a impressão de que não denunciavas de todo teu pensamento, pra não assustar os já desesperados frequentadores do Blog.
Agora colocas de chofre a realidade.
Ainda temos a justiça, ainda que demorada, mas diante de tanto descalabro nos dará razão, mesmo que em parte. A qual será maior e melhor do que agora irão nos oferecer.
O grande problema é que temos Colegas com situação dramática, com gastos insuportáveis para o pouco salário gastando quase tudo em remédios e outras condições molestas.
Caso não se distribua a contento os valores a que temos direito, iniciemos uma guerra judicial, até o fim da vida se preciso for.
Saudações

Sigismundo Borges disse...

Caro presidende Marcos Andrade: objetivando ser claro e objetivo, peço-lhe que DEFENDA E ADVOGUE -e que, por obséquio- transmita a quem possa ter o mesmo comportamento, como por exemplo a sra. Isa Musa de Noronha, com referencia aos direitos, à quota/parte DOS APOSENTADOS POR INVALIDEZ, que, por serem MINORIA, normalmente são POUCO OU NADA LEMBRADOS quando da distribuição do SUPERAVIT/PREVI.
Para ilustrar informo que referentemente ao SUPERAVIT/2007, fui "agraciado" com a "exorbitante" quantia de r$ 1,34 (um real e trinta e quatro centavos), valor que, apos correçoes, recebo R$ 1,62 -verba P-380- mensalmente. NÃO RECEBÍ NADA MAIS.
Em razão deste ironico, imoral e injusto "benefício", reitero: FAÇAM JUSTICA, TAMBÉM, À MINORIA DOS SOFRIDOS APOSENTADOS POR INVALIDEZ! LEMBREM-SE DE NÓS!

Anônimo disse...

Estou desanimada, com tanta coisa errada!
Acabei de receber o jornal AAFABB, referente aos meses de jul, ago e set, somente hoje dia 11 de outubro!
Liguei lá para perguntar sobre o superavit, promessas da chapa 3 estão de folga, somente na quarta feira expediente!!!
AFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFF! Os aposentados e pensionistas que esperem sentados!!!!

Paulo Beno disse...

S E N S A A A C I O O O N A L ! ! !

Fecho contigo em gênero, número e grau..
Sempre pensei isso que escreveste, agora destes nomes aos bois, caro Marcos...
A ficha tá caindo e nós, integrantes desta AAPPREVI, vamos ter que imprimir teu texto e mostrar aos demais ex-colegas do BB e atuais assistidos da PREVI !

PREVI ( e seu Plano1 )encerrado em 1997 é uma grande LARANJA para escusos roubos da patrocinadora BB.

Este superavit NUNCA poderia existir, pois o plano 1 não pode dar lucro, apenas distribuir aos associados (e agora ao BB pela Resolução Pimentel 26).

Parabéns...Vamos abrir os olhos, pois ESTÁ TUDO DOMINADO PELO PT...

Anônimo disse...

Vejam só! Se a distribuição de superavit entre os participantes deve ter caráter temporário e somente ser mantida enquanto durar o superavit. O mesmo critério tem que ser aplciado ao BB. A parcela dele tem que obedecer ao mesmo critério de distribuição do montante destinado aos associados e somente ser mantido enquanto durar a situação superavitária. Do contrário ficaríamos diante de uma condição injusta. Enquanto o BB leva o seu à vista, os funcionários correriam o risco de levarem muito menos da metade, uma vez que em acontecendo uma crise que derrube as bolsas, o banco já terá embolsado o seu, enquanto a nossa distribuição seria suspensa por conta dos novos números apurados. Convenhamos, a hipótese de uma grande crise internacional que afete nossa bolsa de valores nunca esteve tão presente como nos dias de hojee, meus amigos, depois que o Banco receber os recursos de sua suposta participação no superavit, será impossível recuperarmos o que lhe for destinado. É imprescindível que esta posição fique claramente estabelecida na reunião preparatória que se avizinha.

Anônimo disse...

Por favor me respondam, pois sou pensionista e não entendo muito bem.As propostas dependem da Resolução 26 para serem resolvidas?Como exemplo posso citar: aumento para 80% das pensões , aumento para aposentados por invalidez, aposentados em geral!
Ou dependem do superavit?

Anônimo disse...

Colegas!!!
A que ponto nós chegamos!!!
Como pode uma associação conseguir ao longo de anos e anos,colocar nos comandos dos principais órgãos para os quais trabalhamos e contribuimos ao longo de toda uma vida, membros que ao contrário de defender-nos, usam os postos para proverem seus bolsos. Negam transparência sobre informações que são de nosso interesse e defendem o gigante ao invés do mais fraco e desprotegido? Nos enganando durante anos a fio.Cobrando mensalidades nos nossos contracheques para se enriquecerem ás nossas custas.
Ganharam todas as eleições na Cassi e na Previ.O grande golpe desfechado traiçoeiramente sobre nós foi quando ocorreu a primeira distribuição chamada de Renda Certa.Quando milhares e milhares dos nossos ficaram estupefatos com tamanho ardil engendrado nas salas refrigeradas.Quanto sofrimento,lágrimas nos foram causados. Quanta Desilusão.
Por isso, colegas,não podemos aceitar qualquer coisa que se coloque sobre a mesa de negociação.Se assim o fizermos, estaremos mais uma vez cometendo os mesmos erros do passado.Não podemos aceitar migalhas sob qualquer que seja o pretexto.
Temos que ter nas mãos NÚMEROS.NÚMEROS, isto mesmo:NUMEROS.SOMOS PESSOAS DE BEM.
Não pertencemos a nenhuma facção.
Nosso padrão de vida veio decrescendo ano a ano.Agora, neste momento crucial,esperamos que tenham pelo menos conciência e negociem com Hombridade.

wilson luiz disse...

Pelos comentários que leio, noto que muitos de nós têm dúvidas sobre as negociações do superávit, tanto as passadas como a deste ano. Vou resumir meu entendimento dos processos, e se estiver errado, por favor me corrijam.
NEGOCIAÇÕES EFETUADAS ATÉ 2007
-contribuições: originalmente, era 8% sobre o benefício; 3,2% está suspenso em definitivo; 4,8% está suspenso enquanto perdurar o superávit.
-demais benefícios, como aumento do teto de 75 para 90%, parcela PREVI?, benefício especial de proporcionalidade, foram concedidos de forma definitiva e não serão cancelados se o superávit deixar de existir. Neste caso, o pagamento dos benefícios será coberto pelo retorno das contribuições para todos os associados, e não apenas para os que recebem os benefícios.
NEGOCIAÇÕES/2010
-por enquanto, o Banco não levou um centavo do superávit, apenas efetuou contabilizações ilegais em seu balanço, e está pagando dividendos e PLR aos funcionários da ativa por sua conta e risco, já sob a desconfiança dos órgãos de controle do sistema financeiro.
-ocorrendo acordo para a divisão do superávit, o Banco não poderá levar sua parte em uma única parcela. Para prevenir problemas de liquidez, a Resolução 26 determina que a distribuição deverá se dar, no mínimo,em 36 parcelas mensais, tanto para o Patrocinador como para os assistidos; a negociação mais racional seria estabelecer o mesmo prazo para ambos. Se, por hipótese, ocorrer déficit no meio do prazo, o pagamento será suspenso tanto para o Banco como para os assistidos.

Anônimo disse...

Senhores negociadores honestos,

Com esta composição da mesa de negociação, cuidado com suas carteiras!!! Pensem e analisem mil vezes antes de assinar qualquer coisa. Existem pessoas representando uma coisa na teoria e na prática outra.C U I D A D O! PERIGO! ALTAMENTE ARRISCADO.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Apesar de ainda não sabermos oficialmente o montante de recursos que realmente será destinado aos associados do “PB-1” – os números deverão ser apresentados pela diretoria de seguridade na reunião de 18.10.2010 -, estimei, com base nos termos da resolução 26 do CGPC, o total de R$8.500.000.000,00 (oito bilhões e quinhentos milhões de reais) para usar como exemplo de utilização da reserva especial para revisão do plano de benefícios de forma simples, justa, possivelmente originando pouca ou nenhuma discussão e de fácil implementação. Pois é, esse valor dividido por trinta e seis meses daria um total mensal de R$236.111.111,11 (duzentos e trinta e seis milhões, cento e onze mil, cento e onze reais e onze centavos). Esses mesmos duzentos e trinta e seis milhões divididos por 121.000 (cento e vinte e um mil) associados do “PB-1” proporcionariam a cada colega um abono mensal de R$1.951,33 (um mil, novecentos e cinquenta e um reais e trinta e três centavos) durante trinta e seis meses. Penso que seria uma proposta interessante, justa, passível de ser levada em consideração e posta em discussão, e que poderia atender aos anseios da grande maioria dos integrantes do “PB-1”.
E.T. – vale registrar que não estou puxando brasa para a minha sardinha. Também não sei qual seria o valor líquido a ser recebido, tendo em vista as implicações em termos de imposto de renda na fonte caso os R$1.951,33 fossem efetivamente acrescidos aos rendimentos mensais de cada um.

Anônimo disse...

Marcos,

O poder da política é algo transcendental. Tudo que acontece no mundo, depende da vontade política. Ninguém por mais humilde que seja, escapa das tenazes da politica.
Se não fosse a política, um cidadão de origem paupérrima, que não estudou, que viveu a vida inteira às custas das Entidades Sindicais, um dia chegaria à Presidência da República?
Sem saber, nós criamos um monstro que, uma vez no poder, rasgou as bandeiras que defendia, renegou e traiu os compromissos feitos à classe dos trabalhadores, permitindo que se criasse a maior rede de corrupção jamais vista na história deste País.
Nós que conquistamos duramente o nosso emprego, via concurso público no BB, trabalhamos a vida inteira para amealhar uma Poupança para nossa aposentadoria, através da Previdência Complementar Fechada, mediante contribuições a PREVI.
Quando o bolo cresceu,vem a ambição desmedida e somos assaltados à luz do dia por esse Governo inescrupuloso, que atropela os nossos direitos, levando de roldão a Legislação vigente, mercê de uma Resolução 26cunhada na ilegalidade e na imoralidade, mas com respaldo das forças políticas.
O regime Militar tão criticado pelo autoritarismo e arbitrariedade, não teve coragem de investir sobre a Poupança privada, como esse Governo Petista está fazendo.
Houve formação de quadrilha para abocanhar os nossos recursos, isto sem dúvida alguma.
A justiça seria a nossa última trincheira de proteção, mas lá também pairam dúvidas, sentenças tendenciosas, uma vez que os Ministros dos STJ e STF são nomeados politicamente, ou seja, pelo Presidente da República.
Isto, inclusive serve de fecho para provar, de forma inconteste, que a política tem tentáculos em locais inimagináveis.
Portanto, nós, neste blog, devemos discutir e debater política, sim, candidatos, fazer escolhas, porque o resto é perfumaria.
Enquanto não construirmos apoios políticos, nós vamos sofrer amargamente nas mãos de adversários poderosos, forças políticas ocultas, coiotes escondidos, como muito bem disse, outro dia, a nossa colega Isa Musa. È por isso que, hoje, nós estamos comendo o pão que o Lula amassou.

Anônimo disse...

Hoje a FENABAN ofereceu um aumento de 7,5%, aumento real de 3,1%, e nossa PREVI reajustou nossos salários em 5,31% É UMA VERGONHA!!!!

Anônimo disse...

Que VERGONHA até o INSS deu um aumento maior! A PREVI sempre disse que o aumento dela era maior e agora PREVI?
ACORDA PREVI!
ACORDA BB!!!!

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o nosso colega Jorge Teixeira!!!!

Anônimo disse...

Verifico que existe informações incorretas e/ou incompletas e que é melhor esclarecer:

1 - o valor do superávit em 31.12.2009 foi de R$ 44,2 bilhões. Tirando a reserva de contingência ficam R$ 25,96 bilhões para revisão de plano. Isto pela lei complementar. Pela Resolução dizem que é R$ 17 b

2 - Contabilização pelo BB. Nas duas hipóteses - lei complementar e resolução, o BB já contabilizou (R$ 14 b) acima do que teria direito (ou não). 1º caso pela lei complementar: seriam em torno de R$ 13 b (metade aproximada de R$ 25,96 b) ISTO caso o BB não tenha calculado considerando R$ 44,42 b AÍ VAI QUERER MAIS GRANA. 2º pela resolução. Neste caso nem se fala então. A contablização está totalmente fora dos 50%. A MENOS QUE TENHA MAIS ALGUMA COISA QUE VAI APARECER.

2 - Vejo frequentes comentários sobre o que foi distribuido pelo superávit de 2006 e que os valores estariam garantidos para sempre. Saliento que, na época, quando votamos dizia bem claro que os valores seriam pagos ENQUANTO TIVEREM VALORES NAS RESPECTIVAS CONTAS que seriam criadas (proporcionalidade, 75% para 90%, etc), por isto não foi incorporado e foram criadas verbas no espelho da PREVI. Ou seja: se dá para dizermos que existe alguma coisa garantida para quem recebeu é a verba P300.

3 - Pensionistas: ESPERA Aí que eu não estou entendo. PORQUE NÃO PAGAM 60% para 80% para as pensionistas durante o tempo que for pago algum outro benefício para os demais (posssivelemnete aumento linear). Porquê esta campanha contra as pensionistas. Que eu saiba a resolução 26 não impede que isto seja feito desta forma. Não seria mudança no regulamento ou no plano já que seria temporário.

Finalizando acho que os bilhões da PREVi não estam brilhando somente para os olhos ganansiosos do BB tem muitos participantes do plano 1 que querem a grana mesmo que o processo injusto no passado se repita no presente.

Anônimo disse...

cavalcante disse:
Parabéns, caro Marcos, pelo excelente post. A "hora" está chegando e logo você poderá confirmar a grande dificuldade que é lidar/tratar com escórias , poucos se salvam. Mas, o importante é saber que pelo menos em você e em D.Isa podemos confiar , independente do resultado que for obtido. Entretanto, devemos estar conscientes de que é uma luta desigual, pois o mal estará em maior número que o bem .
Sair de cabeça erguida é preciso , viver .......
Sabemos que vocês farão o que for preciso !!!!!!
Grande abraço e boa sorte!

Anônimo disse...

Marcos Cordeiro,

O que for resolvido sobre a distribuição do superávit não terá que ser aprovado pelos participantes do Plano 1 em votação?

Se as propostas APROVADAS não agraderem aos participantes, podemos dizer não a PREVI/BB?

Anônimo disse...

Colega, Pensionista para a PREVI não come, não paga aluguel, condominio, luz, telefone, escola para filhos, plano de saude e outras despesas necessarias!As Pensionistas da Previ não merecem nada, voce me entende? Graças A DEus que agora temos a AAPREVI para lutar por nós, pois a ANABB não fez nada até agora!!!As pensionistas da CEF recebem 80%!!!Porisso vou votar no Serra que pelo menos vai subir as pensões e aposentadorias a partir de janeiro em 10%!!!!

Anônimo disse...

Sr. Marcos, Colegas,

Penso que o Sr. e muitos Colegas - Isa Musa - não estão dominados.
A justiça ainda não está dominada, existem Juízes, Desembargadores, Ministros do STJ e do STF que não estão dominados.
Nunca haverá o domínio total e absoluto.
Pensemos em fazer frente a este domínio que está, hoje, posto.

Anônimo disse...

Caro Jorge,

Estaremos passando por cima das Leis, Estatutos, Regulamentos (fora essa fatídica res 26), para tentar, de maneira provisória, resolver problemas pasados.
Devemos procurar resolver a questão das pensionistas e outros prejudicados, no passado, de uma vez por todas.
Tenho mulher, filhos e netos, cuja soluçção temporária em nada adiantará.
Vamos olhar para o futuro de nossos familiares, smj
Se discorda, é tão democrático, como eu não concordo com muitas das colocações que aqui são feitas.
As questões definitivas retirarão de superavits futuros, a violenta e inescrupulosa investida do bb e seus adeptos.

Anônimo disse...

Colegas,

Este abaixo relacionado juntamente com a ANABB são os seres mais covardes dentro deste contexto de negocialçao do superávit. Covardes pois foram levados ao poder para defender os interesses dos associados e se corromperam.

" Diretor de Seguridade – José Ricardo Sasseron

-José Ricardo Sasseron – ANAPAR – Vice-Presidente
-José Ricardo Sasseron – Cons/Previ/Vale – 30/04/2011
-José Ricardo Sasseron – Cons/Previ/Vale-Valepar – 30/04/2011 "

O que podemos esperar do voto de um cara como este ?

luiz carlos disse...

NUMEROS DA PREVI - ao colega anonimo de 11:46:

também verifico que no balanço de 2009 havia 43,5 bilhoes aplicados em RENDA FIXA. EM 30.06.10 apenas 28,9 bilhoes. Em grandes numeros, dá uma dif. de 14,6 bi a menos em um só semestre. Será que a PREVI está tirando dinheiro certo prá investir, mais ainda, em renda variavel? Qual a sua opinião? Grato.

Anônimo disse...

Correto os cálculos do colega Jorge Teixeira (Araruama-RJ).

Penso que 36 abonos mensais de R$ 1.951,23 (Ou pouco mais, pois já somos MENOS de 120 MIL participantes ! Pena que estamos morrendo tão depressa...)vão beneficiar com Justiça a todos nós (ativos, pensionistas, 28.800 aposentados que nada ganharam até hoje por conta do superAVIT E INCLUSIVE OS 73 SUPER-BENEFICIADOS PELA FAMIGERADA 'RENDA CERTA', onde ganharam de R$300 mil a R$ 1.075 mil! (quem seriam estes 73 apaniguados do Plano 1 ?)

Manter, ainda a suspensão das nossas contribuições à PREVI (inclusive a parte patronal ?)

Boa negociação ao nossos valentes representantes (Se cuidam que lá terão cobras, lagartos e coiotes...vcs saberão quem são !)

Anônimo disse...

Pelo menos a resolução Pimentel 26 trouxe o fim da renda certa, e daquela turma de privilegiados que sempre legislaram em causa própria.Agora o superávit será distribuído para todos sem distinção!

Anônimo disse...

Caros colegas,

Vejo inúmeras injustiças aqui relatadas, todas merecem soluções corretas e justas.Gostaria de expor a injustiça sofrida pelos aposentados que sairam do BB nos anos de 95/96 e 97, sem os aumentos de 95 e 96 traumatizados pelo terrorismo vivido no PDV/95, em que todos que tinham tempo pelo menos para se aposentarem proporcionalmente eram apontados pelos colegas e pressionados à se aposentarem para não prejudicar os colegas que não tinham ainda tempo para qquer tipo de aposentadoria, esses aposentados formam quase a totalidade dos 28.800, que nada receberam, os que ficaram apesar das aberrações nas mudanças das regras para se aposentar, conseguiram pelo menos pegar uma aposentadoria integral e tiveram o benefício do superávit anterior de passarem dos 75% para 90%, os que aposentaram-se com menos de 30 anos, continuaram a pagar a contribuição para a PREVI completando e extrapolando os 360 meses, não tivemos direito a renda certa nem a coisa alguma. Os colegas que estão na ativa não pagam mais as contribuições, mais quando completarem seu tempo de serviço se aposentaram com valor integral, acho a proposta 360/360, a mais importante de ser resolvida porque via ação judicial é certo seu ganho de causa.
Independente das injustiças sofridas por cada um, o superávit deve ser dividido de maneira igual para todos e com o menor número de parcelas possível, de preferência com um bom abono inicial e outros periódicos.
Tenho certeza que novos superávits virão, não devemos nos preocupar se a distribuição é temporária o importante é esse dinheiro vir para o nosso bolso o mais depresa possível.
Só está receoso quem já recebeu sua renda certa e agora tem medo que a Previ venha a se abalar financeiramente se pagar o que nos deve, não existe esse problema, interessa à todos ela continuar superavitária, para alimentar essa corja do PT.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Mensagem de um anônimo:

Acredito que só nos restou uma alternativa, ou apresentam uma proposta decente para a distribuicao do superavit da PREVI ou votaremos "NULO"para presidente da republica.Eu já me decidi.Divulguem isto para os aposentados da PREVI.Aguardo uma resposta.

--
Existem pessoas, que quando eu morrer, até dos meus erros vão sentir saudades.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Dirijo-me de modo bastante singelo ao colega anônimo que postou seu comentário em 11.10, às 16:21hs. Também tenho, como Você e possivelmente a grande maioria dos associados do “PB-1”, mulher, filhos criados e neto. A minha preocupação foi, é e sempre será plena e constante com o presente e o futuro de todos eles. Sou amplamente favorável ao aumento mais do que justo do percentual de 60 para oitenta por cento do valor das pensões hoje existentes. Ocorre que as regras estabelecidas pela autoridade competente (Previc) para distribuição da reserva especial, em consonância com os termos da resolução 26, não pressupõem a incorporação definitiva de valores aos benefícios recebidos. A totalidade dos recursos será utilizada sob a forma de abono. Concordemos, ou não, é o que se tem para ser cumprido nesta distribuição de superávit. Entendo, s.m.j., que esse pleito para as colegas pensionistas deverá ser conduzido mediante alteração estatutária. Caberá a Previ a incumbência de disponibilizar recursos suficientes para implementar a alteração. A minha sugestão de abono mensal de R$1.951,33 (um mil, novecentos e cinquenta e um reais e trinta e três centavos), pelo período de trinta e seis meses, é extensiva a todos, sem qualquer tipo de distinção, que hoje fazem parte do “PB-1” da Previ. Depreende-se pelas suas colocações que para atingirmos os objetivos por Você mencionados teremos que nos valer novamente da justiça. Nunca é demais lembrar que a via judicial implica que possam ser conseguidas, ou não, após longos anos de espera, as demandas que se pretende. Pelo que se pode inferir dos comentários postados essa alternativa não me parecer ser, pelo menos neste momento, a preferida pela imensa maioria dos colegas, todos com DNA (*), que se manifestam neste espaço. Um forte abraço.
(*) – data de nascimento antiga.

Anônimo disse...

DEPOIS DA LEITURA DESTE TEXTO, O QUAL CONCORDO TOTALMENTE COM SEU CONTEÚDO,NÃO VEJO MAIS RAZÃO PARA NENHUMA REUNIÃO OU NEGOCIAÇÃO. JÁ ESTÁ TUDO DECIDIDO. TUDO DOMINADO.CABE APENAS A DONA ISA COMPARECER, NADA ASSINAR E DEPOIS JOGAR NO VENTILADOR...

Anônimo disse...

Bom dia, SR Jorge Teixeira, Pergunto então por que a PREVI chapa 3 colocou nas propostas que se ela ganhasse uma da metas era aumentar as pensionistas para 80%?Aguardo sua resposta!Obrigado

Anônimo disse...

Não convém nos extendermos em comentários políticos todavia não concordo com o voto nulo. No atual momento ele favorece a quem? Se diminuir o número de votos nulos quem pode ser beneficiado e em contra-partida se aumentar quem será beneficiado tomando-se como base os resultados de 3 de outubro e o resultado final que será em cima dos votos válidos (excluindo-se os nulos)? Caso os comentários não sejam postados com outra intenção temos sempre que analisar todas as variáveis possíveis porque podemos querer uma coisa e agir justamente em contrário daquilo que queremos.

Anônimo disse...

Quantos cargos públicos uma pessoa pode acumular?
Vocês sabiam que a canditada a presidência, Dilma Roussef, recebeu cerca de R$ 100.000,00 (CEM MIL REAIS) por mês para ser conselheira da PETROBRÁS? E isso enquanto ela Chefe da Casa Civil. Acessem a Ata da AGO da Petrobrás, do dia 08.04. 2009. Vejam:
http://www2.petrobras.com.br/ri/port/InformacoesAcionistas/pdf/ATA_AGO_08abr09_port.pdfa
Não só ela, outros do súcia, como o Guido Mantega.
E nós aqui penando por causa de uma esmola do SUPERÁVT ...

Anônimo disse...

Sou farovável à melhoria das pensões, embora eu não seja pensionista. Mas penso que isto passa, necessariamente, pela alteração do Estatuto. o que demanda tempo e discussão em Assembléia. Então deve-se encontrar outra forma de contemplar os pensionistas, ainda que por meio de um abono. Afinal, os seus parentes mortos contribuiram para a formação desse lucro.

Anônimo disse...

ao colega anonimo 19.29 de, 11 de eoutubro; lembro muito bem deste período a qual a PREVI e o BB fizeram calculos que ate nao entendi. Em uma média em qque em que o salario pago pela PREVI, passou a ser bem mais que quem estava na ativa.e lembro que na época ,todos sairam ás pressas, pois foram beneficiados. Portanto, nao podemos nos lamentar por fatos a açoes passados,pois cada um tem sua história de discórdia . Passou,passou

Jane Torres de Melo disse...

Caros Colegas do PB1

Após as determinações da Previc, não procuremos cabelo em ovo !!
Dividir entre nós, em partes iguais, o que é nosso! Essa é a palavra de ordem !!
A conta é bem simples conforme foi colocada pelo Jorge Teixeira.
A questão das nossas queridas pensionistas, não poderá ser resolvida nesse momento.
Cobremos da Chapa 3 as promessas de campanha !!
Marcos Cordeiro, demais Representantes das Associações e Isa Musa, que voces obtenham exito nesse pleito que corrigirá, em parte, as injustiças que vem sendo praticadas por esses Dirigentes, Governantes contra nós do PB1.
Que Deus os ilumine !!
Estou com voces e não abro !!!
Jane.

roberto disse...

NUMEROS DA PREVI
Ao colega Luis Carlos
Não houve queda significativa em renda fixa como voce sugere. é que mudaram a forma de expor os números, porém caiu sim, apurei os seguintes dados:em bilhoes de reais
renda fixa: 41,963 (era 43,9)
renda variavel: 83,342
participantes: 3,8
imoveis: 4,338 (aumentou mais de 1 bi)
titulos privados: 3,035
Houve desembolso para participar da capitalização do BB, ainda não foi registrada a capitalização da Petrobras ( 2,1 bi) que deverá sair do fundo renda fixa.
Concordo que deveriamos inverter esse quadro, ter 70 em RF e 30% em RV.
Roberto Varella

Anônimo disse...

Essa Resolução 26 é mesmo uma obra de arte encomendada.
Vejam o que diz o artigo 18:
"A utilização da reserva especial será interrompida e os fundos previdenciais de que trata o artigo 17 serão revertidos total ou parcialmente para recompor a reserva de contingencia ao patamar de 25% do valor das reservas matemáticas quando for inferior o montante apurado a titulo de reserva de contingencia."
Se não usarem o bom senso (o que acho dificil)a utilização será suspensa até se a Reserva de contingencia atingir de 20 a 24%.
Já que os valores destinados aos participantes e assistidos e ao Patrocinador serão apartados em Fundos Previdenciais, não seria necessario interromper a utilização da Reserva. Providenciaria, apenas, os valores suficientes, de cada parte, para restaurar o patamar de 25%.
A interrupção deveria ocorrer somente se o total dos saldos dos fundos fosse inferior ao valor necessário para recompor a Reserva de contingencia ao patamar de 25%.
Contingencia: incerteza de que uma coisa aconteça ou não. Nem seria necessário recompor o patamar.

Luis-BH disse...

Colegas,
Em um cálculo rápido, baseado nos números do site Previ:
- R$ 9,5 bi estão em jogo para serem devolvidos aos participantes (o mesmo montante vai para o banco);
- Se a Previ distribuir esse valor em 36 meses, dá um abono temporário de 53% dos atuais benefícios mensais!

Minha dúvida é: somente quem já aposentou ou é pensionista vai ganhar?

Anônimo disse...

Colega Jorge Teixeira,

À arte de negociar é cheia de estratégias. O adversário pode até desconfiar daquilo que a outra parte quer, mas conhecer os mínimos detalhes, nunca.
Você tem que ter as suas margens de negociações na manga, para jogar, fazer concessões, iludir o oponente de que está recuando nos seus propósitos.
Por isso, quando você escancara as suas cartas, dizendo-se satisfeito com R$ 1.951,33, as vantagens vão para o outro lado, o domínio das ações muda de mãos, e pode ser que leve apenas uns R$ 51,33.
Isso acontece, também, em venda de qualquer coisa, automóvel, casa, etc. O segredo é vital e o "time" de fechar a negociação, é outra coisa importante que o vendedor não pode deixar passar, sob pena de esfriar o interesse do comprador.
E, nós, que estamos lidando com negociadores hábeis, frios, duros em fazer concessões, todo cuidado é pouco. Deus queira que consigamos o máximo possível, para todos.

Anônimo disse...

NUMEROS DA PREVI-

Caro Roberto Varella,

Tens razao, confirmei os numeros. Porém, é indiscutivel que há uma inversão perigosa no atual índice de investimento do Plano 1. Creio que todos concordamos que na fase atual de nossas vidas, ninguém aplicaria sua poupança para receber dividendos em 20/30 anos, se é que renderao algo até lá.
A Previ recentemente convidou os participantes do PREVI FUTURO a optarem pela melhor forma de aplicar as suas reservas, inclusive oferecendo o padrao PREVI, bem conservador. Não seria oportuno exigirmos que a Previ nos consulte?

Anônimo disse...

Eu não creio que o Sr Jorge Texeira seja mal jogador, acho apenas que ele quis dar como exemplo a real possibilidade para todos os participantes, sem idéias mirabolantes, e sem fazer alarde com propostas fantasiosas e mirabolantes aomo a ANABB sempre fez(como foi o tal do renda certa).Creio que se ele puder tirará até o último vintém do banco em favor dos associados.Conheço seu caráter e suas colocações a tempo e sei das boas intenções deste grande colega!

Anônimo disse...

Jane,

Se é para seguirmos a PREVIC ela determina que a distribuição do superávit deva seguir o percentual contribuitivo de cada um para a sua formação e neste caso não poderá ser dividido em partes iguais. Ou seja: ou se segue ou não se segue a PREVIC. Seguir parcialmente é puxar a brasa para o assado de cada um 9interesse próprio) e aí penso não estar prevalecendo o critério de justiça.

Desiludido/desanimado disse...

-Que Deus tenha pena de nós.

Anônimo disse...

Cara colega pensionista de 11/10/ às 16:08

Tbm vou votar no Serra, mas não pela questão do 10% de aumento pra aposentados e pensionistas do INNS. No meu caso este aumento não serviria pra nada. Acredito q pra vc e pra maioria dos aposentados e pensionistas da PREVI tbm não. O q vier de aumento do INSS a PREVI desconta no complemento q ela paga. Se vc tiver um aumento de 100 reais pelo INSS e recebe como complemento da PREVI 3000 reais, vc passará a recever de complemento 2900, pois a PREVI vai descontar os 100 reais a mais q vc passou a receber do INSS. Seria mais ou menos assim:

INSS = 1000
PREVI = 3000
Total: 4000

com reajuste de 10%

INSS = 1100
PREVI = 2900
Total = 4000

Sérgio Figueiredo disse...

Concordo plenamente com o colega Jorge Teixeira. Proposta coerente e que beneficiaria a todos, indistintamente. Não podemos ficar discutindo fórmulas e mais fórmulas para essa distribuição. As palavras da vez são: REALISMO e PRATICIDADE! Temos que acatar, pelo menos por enquanto, o que sinalizou a Previc em relação à utilização da Resolução 26. Permita-me, caro Jorge, somente um adendo à sua proposta: a Previ adiantaria para todos os beneficiários 12 ou 18 parcelas do abono. O restante seria pago em parcelas mensais, até o fim do superávit. Sou aposentado por invalidez e, como todos os colegas do Plano 1, também esperava por melhorias reais nos nossos benefícios. Sabemos que isso não será possível. Portanto, é hora de propostas simples, diretas e de fácil execução, como a do colega Jorge. Um grande abraço a todos...

Anônimo disse...

Gostaria que alguém aqui do blog, alguem mais entendido do assunto, pudesse explicar: essa regra 360/360 e também esse percentual comtributivo individual.Neste caso qual é o período e o percentual, com exemplos, por favor.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Ao que parece não ficou bem clara a real intenção que tive ao apresentar um exercício realizado que proporcionaria, com contas simples e de fácil entendimento, um abono mensal de R$1.951,33 (um mil, novecentos e cinquenta e um reais e trinta e três centavos) pelo período de trinta e seis meses para cada um dos colegas do “PB-1”. Nada mais foi do que um mero exemplo para servir de comparativo quando realmente for posta em votação a proposta oficial de distribuição da reserva especial que será cunhada pelos responsáveis em negociar com o patrocinador. Concordo plenamente quando um dos colegas afirmou: “Deus queira que consigamos o máximo possível, para todos”. Aproveito a oportunidade para fazer minhas as perfeitas colocações do colega anônimo cujo comentário foi postado em 12 de outubro de 2010, às 07:52hs. Finalizando desejo também uma boa tarde ao colega que postou seu comentário em 12.10, às 05:00hs, agradecendo se ele dirigisse o seu questionamento diretamente a um dos membros eleitos pela chapa 3 e, posteriormente, disponibilizasse a resposta aqui no blog para conhecimento de todos, já que eu também gostaria de saber quais são as justificativas a respeito.

Anônimo disse...

O valor que o Sr.Jorge Teixeira chegou de parcelas iguais para todos de cerca de 36 parcelas de R$ 1.900,00, lamentável não muda a vida de ninguém, mais na penúria que grande parte do PB1 se encontra resolve muito nosso sofrimento atual, principalmente se surgirem linhas de crédito como já foi dito aqui e a exemplo da Valia de anteciparem o valor total à juros baixos, poderemos aí saldar nosso empréstimos ou alguns deles.

Se a Previc só aprova o pagamento do superávit proporcional ao que cada um contribuiu, teremos aí uma nova renda certa que irá beneficiar quem já se encheu de dinheiro na vez passada. Seria bom lembrar que o valor do superávit não foi gerado unicamente das contribuições e sim das injustiças que todos sofremos ao longo do tempo com as atitudes desumanas do BB e Previ.

Devemos chegar a uma proposta que se enquadre nos regulamentos atuais para evitar que esse impasse se prolonge por mais tempo temos idade avançada, não podemos esperar muito tempo.

Anônimo disse...

Anônimo das 19:29, de 11/10:

Está corretíssima a sua colocação. Primeira e mais importante das propostas: 360/360 avos. Pois essa proposta beneficia tanto os aposentados quanto pensionistas naquela situação e que continuaram contribuiindo após a aposentadoria. Ora, se os que NÃO estão contribuindo atualmente terão direito aos 360/360 avos, porque os que contribuiram não haverão de ter?

Anônimo disse...

Meu Deusssssssssssss, que roubalheira!!!!!
Isto é uma vergonha!!!!!!
Mesmo assim, vou no Serra.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Honesto desabafo de um sofredor honesto.

O BB de outrora, o bb atual para mim, para muitos outros era um ouro
puro mas com filosofia VÃ, verdadeiro valor jamais nos deu!!! Se
aproveitou da minha desgraça financeira, assim como de outros colegas
e sem a menor cerimônia nos ofereceu uma merreca para que deixássemos
seu quadro funcional, e eu no auge do meu desespero até tentei
raciocinar, mas a dúvida, a incerteza, o dinheiro do qual tanto
precisava, nenhum colega para dizer por essa ou àquela razão, ou
dizer não, não faça isso, você já têm trinta anos de banco, só faltam
cinco para a aposentadoria integral apareceu naquele momento. Eu
olhava para os colegas mas só conseguia ver a indiferença. Aliás,
todos no meu setor, especificamente, cumpriam seus papeis funcionais
impávidos, inflexíveis, pois naquele momento estavam sendo pagos para
cumprirem o papel de tirano relativamente com quem tomasse a
iniciativa de pular daquele abismo. A função de cada um era dá um
empurrãozinho. Chefes para todos os lados, chegando ao cúmulo de haver
setor onde o chefe, era chefe de si mesmo por não haver comandados,
por não tratar-se de uma equipe, mas de absolutismo, de uniformidade
naquilo que o elemento executava. Colegas capazes de jogar a própria
mãe do andar em que trabalhava caso ela ali chegasse e desse um pitaco
contrário aos seus ideais. Vi muitos colegas "subirem" não por
conhecimento, merecimento, mas por apadrinhamento, puxa-saquismo,
submissão, se curvarem diante de seus "superiores". As humilhações, os
assédios morais que sofri, principalmente tratando-se de um contínuo
ao longo dos anos truxeram-me uma depressão aguda, cuja sustentação de
meu equilíbrio psicológico depende de rémedios. Certa feita um
"colega" chegou para um contínuo com quem ele tinha marcação cerrada e
disse que "O contínuo é o melhor amigo do homem". Aquilo lhe valeu um
bom tabefe nos beiços, cuja vergonha e medo sentidos naquele momento
lhe fez passar a respeitar seu agressor físico. Bem diz o adágio
pulalar: " Quem não ouve conselho, sente as pancadas".

Finalmente, sendo justo, tenho algo contra mim mesmo. Peguei
emprestado algumas merrecas com alguns colegas. Infelizmente vi alguns
deles se aposentarem levando consigo o título de meus credores. Muitas
vezes a vergonha impedia-me de ir cumprimentá-los nas festinhas de
despedidas. Pessoas essas com as quais não mais tive contato. Aos que
ficaram quando de minha saída procurei quitar tais débitos. Da ativa
ainda têm uns dois ou três que se encontravam ausentes nos meus útimos
dias de trabalho, tempo no qual recebi as "indenizações", Mas não
pretendo levar pro C A I X Ã O tais dívidas. Se o credor não
esuqece, menos ainda, o devedor, acredite. Quanto ao banco em
si...bem...do banco quero mais é distância e esquecimento. Minha conta
corrente lá continua porque tenho vínculo com à Previ e essa me obriga
a isso...

Anônimo disse...

Ao colega anônimo de 12 de outubro de 2010 das 09:13.

Essa sua informação não vale para os aposentados cujos benefícios foram calculados com a utilização da Parcela Previ.

A partir do advento da Parcela Previ o valor do benefício do INSS foi desvinculado do calculo do benefício Previ, pois em seu lugar passou a ser utilizado a Parcela Previ.

Digo para vocês, que no meu caso, com a utilização da Parcela Previ,
passei a receber bem mais do que meu salário da ativa, pois aposentei na época, 10/2007, com 37 anos de INSS, com benefício de R$ 2.286,00 (valor superior a Parcela Previ na época em torno de R$ 1.520,00) e da Previ R$ 2.370,00.
Qualquer tipo de aumento que incidir no benefício do INSS, inclusive algum recálculo, não altera o meu benefício Previ.

Para os que aposentram antes da Parcela Previ, no caso de aumento anual não acredito que ele venha a reduzir o complemento da Previ. Caso isso venha ocorrendo alguma coisa esta errada.

Como eu aposentei primeiro pelo INSS, o valor dele não transita pelo espelho Previ, apenas seu valor é agregado a verba B823 Base Cassi para o devido calculo do valor da Cassi.

Anônimo disse...

Segundo o inciso III, § 2º do artigo 2º da "maldita", cabe à Entidade Fechada de Previcencia Complementar a decisão quanto às formas, prazos, valores e condições para a utilização da reserva especial, observadas as normas legais e regulamentares.
No meu entendimento a proposta 360/360 precisa ser analisada pela Previ quanto ao custo, quantos serão beneficiados, etc, pois trata-se de uma proposta de realinhamento do Plano, que pode muito bem ser temporária.
Quanto à distribuição, caso haja, deveremos ter tratamento identico ao Patrocinador; se ele levar 10(dez) parcelas, deveremos levar 10(dez). Nada de dois pesos e duas medidas.

Anônimo disse...

Colega Jorge Teixera, a partir do seu exemplo de valor igual em 36 parcelas para todos, concluo que eu recebendo metade do que se diz a média de aposentadoria do PB1 que é R$ 6.000,00, devo acreditar que na melhor das hipóteses receberei metade de R$1.951,33,porque a Previc só aprova distribuição do superávit proporcional ao que cada um contribuiu, ou há possibilidade dessa proporcionalidade ser inversamente ao valor contribuido para amenizar um pouco a injustiça do renda certa.Ora o superávit passado não foi formado pelas contribuições dos aposentados e pensionistas como o de agora e apenas beneficiou parte deste universo, agora seria vez de acontecer o contrário, os que já foram beneficiados receberiam menos.O BB já contalizou sua parte, e nós temos que receber parcelado no mínimo em 36 vezes, então porque as 12 primeiras parcelas não serem bem maiores, por exemplo : em vez de ser 36 X 2.000,00 - seria 12 X 4.000,00 + 24X de 1.000,00, daria a mesma coisa e nos aliviaria de imediato, seria uma forma de compensar esse longa e sofrível espera.

Anônimo disse...

Colegas,

De tudo que eu já vi passar, por este blog, em termos de propostas, acho que, dentro de uma ordem de prioridade, as duas abaixo seriam as que distribuiriam o superávit, com mais justeza:

1 - Aumento linear de 25 a 30%, com piso mínimo de R$ 1.000,00;

2 - Implantação dos 360/360 avos.

O nível de ansiedade está tão alto, que alguns colegas chegam a participar 6 ou mais vezes, no mesmo dia, com seus comentários, face a importância do assunto para as suas vidas. Este grande interesse é uma coisa muito positiva, pois mostra que estão atentos na defesa dos seus legítimos direitos. Que Deus ilumine a consciência daqueles que vão decidir, porque vidas de trabalhadores honestos estão em jogo.

3 anos de ABONOS ! disse...

É isso aí colega Jorge Teixeira !
Voce é realista e prático, usando simplesmente uma das quatro operações matemáticas, ensina a todos nós como ser verdadeiro, leal e equânime. Parabéns pelos valiosos comentários, sem aquelas fórmulas mirabolantes da Anabb & Sasseron e Cia.. Teu exemplo de R$ 1.951,33 de abono mensal por 36 meses, para todos os participantes do nosso Plano 1 da PREVI é, sem dúvida claro, límpido e cristalino.

Duvido que os negociadores "do outro lado" terão argumentos para contestar aquilo que todos queremos e almejamos...
(E.T.: usando a multiplicação, ao final dos 3 anos de abonos, teremos R$ 70.247,88 contabilizados em nosso orçamento !
e isso é muito bom, para todos !
Sucesso aos nossos 2 negociadores da AAPPREVI.

Anônimo disse...

Anônimo disse...

Quero colocar dois comentários a respeito do que já li até aqui:1 - Qto aos pensionistas: vejo todo mundo reivindicando aumento de 60% p/80%, e pergunto por que 80% e não 100% ? que acho q seria o justo; por que a(o) viúva(o) q fica além da perda do ente querido ainda tem q ter parte do benefício q tinha p/ o sustento da família também retirado ? s.m.j. no INSS o benefício fica integral p/ a(o) pensionista, então por que a PREVI comete essa insjustiça? se o titular contribui p/ ter direito a esse benefício e na hora q morre lhe tira uma parte. p/ refletirmos...

2 - P/ os q estão bravos com o PT e vão votar no Serra: eu também fico grilado pelo fato do atual governo não ter corrigido as injustiças cometidas pelo anterior, mas penso q se analizarmos racionalmente os danos que nos foi causado pelo PSDB foram muito maiores!!! só lembrando, foi o PSDB q fez a intervenção na PREVI, reduziu contribuição patronal pela metade,foi o PSDB q alterou o estatuto que somado aos 8 anos de salários congelados no governo FHC faz c/ q as nossas aposentadorias pelo estatuto atual seja metade das anteriores,e isto é pro resto das nossas vidas!!! esses danos afetou também a nossa CASSI, e tivemos nossas contribuições aumentadas, isto só no tocante a nós do BB, se juntarmos os males causados a todo o povo brasileiro (doação de patrimônio - Vale do Rio Doce, Siderúrgicas, Embratel,... humilhações com aquela mulher(Ana Maria)do FMI vindo aqui ditar ordens todo mês, mil outros escândalos,q eu levaria nem sei qto tempo p/ listar aqui ... Deus me livre!! Então colegas voltar pra mão desse povo de PSDB),de novo? no depender de mim,
nunca mais!!!
Abraços..

Anônimo disse...

Caros blogueiros,

O destempero da bruxa no debate da Band abriu uma esperança. Gaguejou, mentiu, esperneou, se perdeu toda. Se ela for a melhor opção nas fileiras dos traidores imaginem o resto... Já existem pesquisas mostrando que a vitória não é tão certa quanto afirmavam. Isso justifica a mudança de postura. Os companheiros serão obrigados a multiplicarem as diretorias nos sindicatos para alojar tantos vagabundos. Esse é um quadro meio trágico e meio cômico...

Anônimo disse...

Colegas não importa de em forma de abonos ou aumentos,desde que venham ainda em 2010, e que não se exclua ninguém,principalmente as Queridas "PENSIONISTAS".
Toda proposta é muito bem vinda e principalmente que se faça o preblicito para ouvir todos os colegas com propostas cristalinas,nada de planos como o Renda Certa que dava duplo entendimento e que enganou muitos colegas.
E o mais importante de tudo isso,estamos dividindo não é mesmo,que ambas as partes receba na mesma proporção,Aposentados e Pensionistas 36 meses X Patrocinador 36 meses.
O resto é mobilização para que as nossas entidades tome vergonha na cara e busque os demais direitos,porque nessa composição que ai esta,não muda,é como areia no deserto.
Parabéns Jorge Teixeira,se a sua proposta também beneficiar as colegas Pensionistas,ai teremos feito JUSTIÇA.porque para mim não ficou claro se elas teriam algum direito a receber abonos,ao inves de realinhamento do plano de benefícios.

Anônimo disse...

Modo mais ignorante de devolver lucro ou prejuizo o termo e chegar; doído...

Chico Alves disse...

Meu caro Marcos,
Eu não entendo porque alguns usuários desse blog, desesperados, sabe-se la porque, insistem em externar opiniões políticos/partidárias como solução para os problemas financeiros vividos pelos assistidos pela Previ. Uma vez que agem à sombra do anonimato,não sabemos sequer se de fato são ex-funcionários ou pensionistas, talvez, quem sabe oportunistas. Usam uma cortina de fumaça com o objetivo de enganar os mais jovens e os mais sensíveis ao canto da sereia dos neoliberais, que, administrando o nosso país por oito anos deixou um rstro de miséria e destruição. Eu, como muitos dos que frequentam este espaço, já sou caco velho e suficientemente maduro para saber que a solução dos nosos problemas não está exclusivamente nas mãos dos políticos. Os recursos administrados pela PREVI, pelo seu vultoso volume, desperta, cada vez mais, a cobiça de oportunistas de todas as matizes não havendo predominância quanto à sua arigem, se do Banco do Brasil/Previ, ou do quadro externo. Pirata não tem pátria, ideologia ou escrúpulos. Aos mais jovens, caso queiram se aprofundar mais sobre o assunto, sugiro conversar com o "colega" Mailson da Nóbrega.

Anônimo disse...

Anonimo das 13:58

Penso que a análise do que é "dano" deva ser um pouco mais aprofundada. Se "A" causa danos a "B" e "C" ilude "B" dizendo que vai corrigir se fazendo de bom moço; não faz isto, tem poder para alterar, nada faz e ainda cria mecanismos para se apoderar dos recursos de "B", é de se perguntar: quem causou maiores danos? Não consigo enxergar que tenha sido "A" o que mais prejudicou "B".

Anônimo disse...

Tendo contribuido com a PREVI por 40 anos entre o tempo na ativa mais o período de aposentadoria, acho viavel que a distribuição do SUPERAVIT seja feita proporcionalmente ao tempo de contribuição. NADA MAIS JUSTO. Até hoje nada recebi da PREVI.

Anônimo disse...

Colegas,

Sempre votei no PT, mas te cuida DILMA a indignação anda grande no seio da família. A maneira como lotearam cargos, como colocaram pessoas em pontos estratégicos passando por cima de tudo e todos, não está pegando bem.

Anônimo disse...

Colegas,

ABONO IGUAL PARA TODOS É O MAIS SIMPLES DE SER CÁLCULADO E MAIS JUSTO. Caso contrário falem com o SASSERON E O VALMIR CAMILO, que eles tem fórmulas muito boas que não levam a lugar nenhum, ou melhor os levaram aos cargos que ocupam enrolando os menos avisados.

Anônimo disse...

Não entendi porque meu comentário não foi publicado.Apologias ao candidato de direita Serra podem ser publicados, mas defesa a candidata de esquerda não.Pensei que todos poderíamos explicitar nossas opiniões, inclusive aquelas que destoam das outras.Agora fazer daqui palanque eleitoral para o candidato da mídia e dos mais ricos é ridículo!

Anônimo disse...

Caro Chico Alves,

Também não sou marinheiro de primeira viagem e concordo com algumas das tuas colocações PORÉM, e sempre existe um porém na vida não! Quando colocas oito anos de neoliberalismo te confesso que não consigo visualizar a manifestação desse neoliberalismo somente em oito anos. Colocaria que ocorreu nos últimos 16 anos. Quem sabe então não aconselhamos os mais jovens a conversarem com Mailson da Nóbrega, com Mantega, com Palotti, com Mendonça de Barros, com Bernardo Cabral e outros. E vou um pouco mais longe será que os jovens já não estam vendo a realidade um pouco melhor do que nós (que nos julgamos marinheiros experientes): você sabe a quantidade de jovens que votou na Marina? Pesquise que terás surpresas.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Engana-se o anônimo das 16:48.

Acontece exatamente o contrário do que seu desabafo tenta fazer crer.

Este blog não trata de política como assunto propulsor de candidaturas. Os comentários que cuidam do tema com sutileza e sem agressividade, mantendo certa coerência com os interesses discutidos, ou seja, que digam respeito aos aposentados e pensionistas, passam pelo crivo do moderador. Todavia, textos como o seu, cuja publicação nos cobra, lamentavelmente não encontra guarida neste espaço. Peço-lhe desculpas por não atendê-lo, mas sugiro que use sua impetuosidade para defender os seus interesses como aposentado ou pensionista – desde que seja um deles. Assim será sempre bem recebido.

Para evitar desapontamentos da espécie, faz-se necessário alertar os participantes que comentários eminentemente políticos não serão publicados. Precisamos garantir o funcionamento do blog visto que visíveis sinais de obstrução do nosso trabalho já foram detectados. A denúncia anônima feita à OAB quanto ao funcionamento do site da AAPPREVI é um bom exemplo disto.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

----- Original Message -----
From: Hugo Tavares de Carvalho
To: AAPPREVI
Sent: Tuesday, October 12, 2010 9:41 PM
Subject: Re: Superávit PREVI - Reunião 18/10


Sr.Presidente,

Muito louvável a colocação de V.Sa.
Porém devemos ter em mente que nessa negociação não é lugar nem hora para se fazer caridade. Na minha modesta opinião, se quisermos alcançar algum êxito e resolvermos o problema da distribuição do superávit, que já se arrasta há algum tempo, devemos nos ater à Lei. Sejamos pragmáticos. O Banco não vai se afastar, tenho certeza, da negociação legal. Devemos nos lembrar que qualquer colega prejudicado pode recorrer à justiça. Então chegamos a conclusão que se deve utilizar um parâmetro, proporcional, que meça a contribuição de cada um para a existência do superávit a ser distribuído.

Cordialmente,

Hugo Tavares de Carvalho.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Colega Hugo Tavares.

A “caridade” fica por conta da sua interpretação do que defendo. Em nenhum momento afirmei que devamos nos afastar dos enquadramentos existentes para distribuição do superávit. O que proponho, e disto não me afasto, é que os aposentados por invalidez e pensionistas não sejam esquecidos na hora da partilha ISONÔMICA. E que, quem ganha mais – como os RENDA CERTA – recebam menos.

Apesar de não comportarem nenhum grupo que dependa da CARIDADE alheia, pois têm dignos ganhos próprios, não podem os desvalidos permanecer esquecidos por JUSTIÇA e por DIREITO.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade.

Anônimo disse...

Por que o Brasil não vai pra; frente???

Anônimo disse...

Sr Hugo! Aqui ninguém precisa de caridade, de esmolas, nós queremos é Justiça o senhor entendeu? Nós queremos que Pensionistas e aposentados por invalidez tenham os mesmos direitos!!!! Como digo sempre graças a Deus temos a AAPREVI para nos defender!
Passar bem!!!!!!

Anônimo disse...

Apenas para justificar que a "caridade" não é iegal, tampouco inconstitucional.
Se fosse aplicada a Lei, não haveria proporção contributiva, pois esta alternativa foi incluida pela Resolução ( Resolução não é Lei).
Pela Lei complementar, por analogia, a unica providencia que se aproxima a esse assunto é a redução de contribuições(§ 3º do artigo 20). O restante foi inovado, abusivamente, pela Resolução 26, que está sendo contestada judicialmente.
Certo é que, a Resolução 26 é ILEGAL( fere a lei regulamentada, ao dispor sobre assuntos nela não comtemplados) e INCONSTITUCIONAL (agride a Constituição - ao impor obrigações, usurpando competencia do Congrtesso Nacional - inciso II, do artigo 5º)
Se o Banco fosse negociar LEGALMENTE deveria faze-lo embasado na Lei Complementar, mas como "TÁ TUDO DOMINADO" fará como bem entender. O Poder Executivo está no topo da pirâmide. Não há mais independencia e harmonia entre os poderes constituidos.

Anônimo disse...

Que pena! Nóa aposentados e as pensionistas não podemos fazer GREVE!!!
Greve arranca reajuste de 13% a 7,5% para todos.

Anônimo disse...

Acorda Banco do Brasil!
Acorda PREVI!!!
E nós aposentados e pensionistas, como ficamos??????????
BANCO DO BRASIL
Greve arranca reajuste de 13% a 7,5% para todos
Aumento de 13% no piso terá impacto na curva salarial do PCS; promoção por mérito também será implantada

jander disse...

È sr. hugo, se a Previ não pode fazer ¨caridade¨, criem por favor uma ¨bolsa-esmola¨ para pensionistas e aposentados por invalidez.
Bolsas criadas com o dinheiro público pode, distribuir isonomicamente o superavit não.
Comparando o Brasil com a Previ, sou miserável da Previ(minha complementação R$ 700,00). E eu como muitos não podemos sair da miséria como quer o ilustre Lula e seus asseclas?
Parabéns pra vocês e bem feito pra mim que me deixei enganar, pensando que com um ¨trabalhador¨ na presidencia o país melhorasse.
Sem mais e que Deus nos ajude.
¨Tudo posso naquele que me fortalece¨.
Jander

LUIZ FERNANDO disse...

MARCOS, SINTO-ME UM BAITA PÉ FRIO. ALEM DE SER POS-97,COM PARCELA PREVI E TUDO ,DESDE QUE ME APOSENTEI,DE 2006 ATÉ AGORA, PERDI MAIS DE 50% SE ESTIVESSE NA ATIVA,COM PLR, AUMENTOS ACIMA DA INFLAÇÃO. NAO ACERTO UMA. SERIA SÓ EU?

José disse...

É dureza aguentar alguém assinando chico alves condenar um anônimo e defender petistas. Mas enfim, isso faz parte da democracia...

Ass. Anônimo

Carlão/Joinville disse...

Sr.Hugo, se for para simplesmente observar o que diz a lei, está muito fácil: vamos cobrar da Previ, administrativa ou judicialmente (caminho que entendo deveria ser seguido, mas me curvo à vontada da maioria), o cumprimento da LEI, ou seja da LEI COMPLEMENTAR que regula a materia, porque, até onde sei, uma simples Resolução não pode JAMAIS ab-rogar ou revogar uma lei.
Entretanto, se temos de negociar, vamos negociar de tal forma que TODOS saiam ganhando, que aliás, aprendi no BB, é o espirito da negociação.

Anônimo disse...

Sabem quem vai pagar esse aumento?
Resposta: As futuras contabilizações do BB, ou melhor, os cofres da Previ. Isso sim é caridade.
Alguem duvida?
Mudando um pouco de assunto, vejam o porque dos superavits, na comparação - Balanço de 2009:
Rentabilidade anual: 28,15%
Meta atuarial: 10,10%

- Rentabilidade Verificada x Meta Atuarial: a meta atuarial de 2009, equivalente à conjugação de INPC de janeiro a dezembro e taxa de juros, correspondeu a 10,10%,
ao passo que o desempenho dos ativos de investimentos do plano foi de 28,25%.
8.2 O quadro a seguir apresenta a variação do Ativo Líquido e da Reserva Matemática no decorrer de 2009, comparando a 2008:
Ativo Líquido 92.533.545.654,90 117.191.950.768,86 (+26,65%)
Reserva Matemática 66.221.333.908,95 72.089.054.804,31(+10,22%)
Valores em Reais

Poder-se-ia postular uma alteração no estatuto/regulamento vinculando os reajustes ao desempenho do Plano. Seria uma ótima idéia. Acabaria com o "cofrinho" do BB.
Fica ai uma sugestão.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Da mesma forma que postei aqui no Previ-Plano “1” a proposta para utilização da reserva especial em trinta e seis parcelas de R$1.951,33 (um mil, novecentos e cinquenta e um reais e trinta e três centavos), a título de abono mensal, fiz também no blog da ex-diretora Cecília. Solicitei que ela se manifestasse a respeito e, inclusive, esclarecesse qual a posição da Anabb sobre a matéria distribuição de superávit. Transcrevo abaixo o que foi dito para conhecimento de todos os colegas daqui do Previ-Plano “1”.
“ :: Cecília Garcez :: disse...
Oi Jorge,
Não é tão simples assim, pois a Resolução CGPC 26 determina que os valores distribuídos sejam proporcionais à reserva matemática de cada um. Dessa forma, ela impede que distribua de forma igualitária como o cálculo que você aprsentou.
A Anabb está defendendo que, antes de qualquer discussão de distribuição de superávit, seja feita a revisão do plano conforme LC 109. Eu acho uma proposta bem interessante e defensável, tendo em vista que o plano tem discrepâncias e uma Resolução não pode valer mais que uma Lei Complementar. É essa a proposta que os representantes da Anabb defenderão no dia 18.10.
13 de outubro de 2010 09:13”.

Anônimo disse...

Não é a primeira vez que leio comentários acusando pessoas de ficarem no anonimato. Qual a certeza que tal CHICO BENTO seja mesmo o CHICO BENTO? Estes petistas de carteirinha insistem em semear a discórdia. Sabemos o que fez FHC, como também Lula, Pimentel, Zé Direceu, Palocci, Erenice, Genuíno, Sérgio Rosa, Pizzolato, Gushiken... Tá bom ou quer que continue com a lista? É enorme.

Chico Alves disse...

Aos colegas anônimos que sentiram-se incomodados com os meus comentários de 12/10 às 15:21:
Desculpem o "tijolinho".

Anônimo disse...

Colegas,

As agressões que aqui, neste Blog, estão sendo feitas, estão longe, muito longe, da educação e da civilidade dos antigos funcionários do antigo Banco do brasil.
Atrás de sitações de miséria, de desamparo hoje, as colocações, não condizem com aquilo que vivemos no passado, em harmonia quase total, com salários estratificados de acordo com conhecimentos prévios, via concurso e ou forjados durante a vivência no trabalho.
A dureza da vida nos dias atuais nos faz perder até mesmo a educação caseira/familiar. Atingimos e desqualificamos Colegas sem a menor consideração, seja pela idade ou opinião.
O dinheiro faz rir e faz chorar, não interessa a quem, se bom pra mim danem-se os outros.
Isto serve para os mais abastados e para os mesnos "favorecidos".
Os pensamentos são livres as opiniões são motivos de querelas.
Em momento de plena UNIÃO nos dividimos na trincheira, para então eles nos esmagarem, mais uma vez.
Abçs

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Comentário recebido fora do Blog, por isso o nome foi omitido:

----- Original Message -----
From:
To: AAPPREVI
Sent: Wednesday, October 13, 2010 10:41 AM
Subject: Res: Superávit PREVI - Reunião 18/10


Pensionistas e aposentados por invalidez são, certamente, grupos de associados da Previ que merecem ser vistos com certa reserva no ato da distribuição do Superavit. Contudo, gostaria
que priorizassem também o pessoal que está endividado.Principalmente com foco naqueles que, por absoluta necessidade de pagamento de dívidas para sobreviver, tiveram que renovar anos seguidos o Emprestimo Simples da Previ, e que continua devendo.

Muito obrigado!

Anônimo disse...

Marcos, se continuar assim, acredito que não vou receber nada do superavit. Ficará como das vez anterior. Nada.
Nós, os que foram totalmente prejudicados, ninguém fala em nossa defesa.

Se formos considerarmos justos alguna procedimentos, deveriam sim, ressarcir os que nada receberam ou receberam(bem) mixaria, abaixo de R$ 50,00, em uma distribuição cuja soma envolveram bilhões.

Ninguém fala nada.

Mas falam em pensionistas, invalidez, até em endividamento.

Vamos resolver esses problemas que não estão previstos numa distribuição de superavit.

Pensão e invalidez deve ser proporcionado por alterações normativas.
Sou a favor dessas alterações que acho que são justas e que tenham caráter perene.

Chegam de escreverem pensando só em si mesmo.


Todos nós temos problemas.

Agora é preciso fazer uma mea culpa.
Quem provocou essas situações. Será que só foram provocados por agentes externos. Não erramos em nada. Ou somos apenas vítimas de um sistema.

Olhe que esse sistema vigorou e continua vigorando para todos, indistintamente.
A quem devemos queixar?

Anônimo disse...

A AFABB-PR publicou, hoje, em seu site uma nota interessante. "Por que ingressamos na Justiça contra a PREVI".
Acredito que todos que se interessam realmente deveriam da ula olhadela.

Anônimo disse...

Se a ditribuição do superávit só pode ser feito proporcional ao que cada um contribuiu, não entendo porque os aposentados por invalidez e as pensionistas ficam de fora, eles também não contribuiram para a Previ mesmo recebendo apenas uma porcentagem do valor integral?

Penso que de qualquer forma essa distribuição deve beneficiar o maior número possível de beneficiários da Previ, pelo menos a maior parte vão resolvendo os seus problemas financeiros.

Falar em revisão de plano é muito complexo, são tantas as incoerências cometidas pela Previ, que fica difícil decidir o que é prioridade resolver.

No entanto é desumano demais não acertar o valor das pensões, dos benefícios por invalidez, das aposentadorias proporcionais em que o participante já completou 360 meses de contribuição e contunua ganhando apenas uma porcentagem do valor integral e também, assim como aqui foi colocado, olhar o caso dos mais endividados e abrir-se aí uma linha de crédito considerando-se o superávit à receber.

O importante é que tenhamos em mente formas de tornar a vida das pessoas com menos augústias e sofrimentos.

Henrique Soares disse...

Emprestei dinheiro para a PREVI - PREVI-EMPR SIMPLES-ROTAT 10/2010 1.045,70 - Quase fui convencido de que estava tudo certo (Parcela ref a modalidade 75.000 em 72 parcelas) Pobre de mim, nem esse valor da modalidade nova eu poderia tirar. Mas, fui informado que receberei o crédito que seria da sétima parcela, de volta com três úteis após o dia 20. Leia-se 25.10.10. ah! tudo bem, eu sou segundo eles um privilegiado aposentado por invalidez.

Anônimo disse...

Ao renovar meu ES dia 1º, fui informado qua a primeira prestação seria cobrada em 20/11. Ao acessar meu espelho de outubro, vi que lá consta 1 prestação nos valores antigos, com débito previsto para 20/10. Pergunto aos colegas que entendam do assunto: está correto isto?

Anônimo disse...

Colega Hugo Tavares de Carvalho,

O seu raciocínio faz sentido. Só que o BB além de negociar com arrimo na Lei, vai exigir que os rigores da Resolução 26 sejam aplicados sobre as proposituras dos aposentados.
Num universo heterogêneo de pessoas, com tempo de aposentadorias diferentes, valores de contribuições desiguais, cargos,carreiras, Parcela Previ para uns, alterações de regulamentos que reduziram benefícios, etc, uma fórmula simplória é inexequível e não deverá ser adotada nestas negociações, mesmo porque encontrará resistência da maioria.
A propósito, falando sobre carreira funcional, salvo o engano, acho que o colega já pertenceu a extinta INGER, na época, um tipo de Gestapo, devendo ter mais de 30 anos de aposentadoria.

Henrique Soares disse...

A minha cabeça está ficando um caso sério. Não entedi o comentário do colega das 08:04. Eu mereço uma priorização? Se caso afirmativo, aí é que fico sem entender nada. Sou aposentado por invalidez, necessito pagar dívidas e venho renovando por anos seguidos o ES. Aliás alguém poderia me explicar o porque da dúvida quanto ao recebimento de alguma coisa pelos aposentados por invalidez em decorrência do Superávit? Ora, se não nos enquadramos, não discutamos e digamos amém. Que o Superávit seja distribuído para quem tem direito. Se eu não tenho direito, que ao menos não me desgaste mais em depressão e ansiedade. Sinceramente o que mais me deixa ansioso é ainda não ter entendido o fato de haver a possibilidade dos aposentados por invalidez estarem ou ficarem de fora. De esmola, talvez eu precise, mas não peço. Já seria demais e minha paz não tem preço. É mais fácil pra mim viver com o real do que conviver com a incerteza.

Anônimo disse...

Colegas,
Renovei, tambem, no dia 1º de outubro, recebi o crédito no dia 05, e a prestação de outubro apareceu no meu espelho. Encontrei a resposta abaixo, no site da Previ, porem como saberemos o correto?

14. Por que a prestação do empréstimo foi cobrada no meu espelho, apesar de já estar liquidado?

A PREVI envia para o Banco do Brasil, no início do mês, os valores das prestações que devem ser cobrados nos contracheques dos participantes. Estes débitos são confirmados ou não pelo Banco (a depender da capacidade de pagamento do participante) alguns dias depois.

Nos agendamentos de liquidação para data anterior ao dia 20, temos diferentes situações:

1) se a liquidação ocorrer antes da confirmação do débito da prestação na folha de pagamento do BB ou da PREVI, será cobrado o saldo devedor sem o abatimento do valor da prestação e, posteriormente, caso ele seja cobrado no contracheque, o valor será devolvido para a conta corrente do mutuário;

2) se a liquidação ocorrer depois da confirmação do débito na folha de pagamento, será cobrado o saldo devedor já abatido o valor da prestação do mês, que será debitada no dia 20 e, portanto, não haverá devolução.

Nas renovações, o valor da prestação do mês é sempre abatido do saldo devedor a ser liquidado e, portanto, será cobrado normalmente no dia 20.

Eu que contava com uns trocadinhos a mais neste mês...

wilson luiz disse...

Caros anônimos 08:56 e 10:16 hs.
Talvez os casos de vocês sejam semelhantes ao que aconteceu comigo na renovação do empréstimo simples:
-quando encerrei o processo de contratação, foi informado que o crédito líquido seria R$ 30.017,27, e a primeira prestação seria descontada em 20.11.2010. Três dias depois, apareceu crédito de R$ 31.520,77; na FOPAG de outubro/2010, foi descontada a prestação de R$ 1.557,12. Acredito que a prestação de outubro foi acrescida ao valor líquido do empréstimo. Pelos meus cálculos, está tudo correto.

Anônimo disse...

Colegas,
Desculpa pelo erro - sitações - é situações. Acontece que com a idade os dedos um pouco torcidos( quem sabe artrite), o teclado do computador não é igual ao da velha Remington, aí o escrevente acaba errando.
Espero que tenham entendido. 7:42

Henrique Soares disse...

A PRESTAÇÃO NO ESPELHO É REF AO CONTRATO ANTERIOR. OS COLEGAS PODEM COMPARAR QUE O VALOR PROVAVELMENTE É DIFERENTE DA PARCELA CONTRATADA NA NOVA MODALIDADE. ENTREI EM CONTATO COM A PREVI, E A MESMA ATRAVÉS DO ATENDENTE MARCOS, INFORMOU-ME QUE O VALOR LANÇADO EM MEU ESPELHO SERÁ CREDITADO ATÉ 3 (TRÊS) DIAS ÚTEIS APÓS O DIA 20 (VINTE). PORTANTO NOSSO TROCADINHO A MAIS ESTÁ GARANTIDO

Henrique Soares disse...

Ao colega das 08:33. Vamos penalizar as pensionistas e os aposentados por invalidez ainda mais? Quando você sugere que cada um puxa a brasa pra sua sardinha e ainda que os problemas dos aposentados por invalidez e pensionistas devem ser resolvidos por alterações normativas, por acaso você também está puxando a brasa ou é só impressão minha? Faça o seguinte torça por todos sem se importar com quantos vai dividir. Tem pra todos. E o melhor: PIOR DO QUE ESTAR NÃO FICARÁ.

Anônimo disse...

Colegas,

Onde está o equilíbrio e o princípio de equidade nos exemplos 1 e 2:

1 - Funci A - Aposent. 30 anos/Previ- Benefício R$20mil - Se receber R$2 mil de superávit - Reajuste: 10%;

2 - Funci B - Aposent. 20 anos/Previ- Benefício R$ 2 mil - Se receber R$ 2 mil de superávit -Reajuste:100%.
Essa proposta, para a maioria, é absurda e impraticável, face a grande discrepância.

Se, por outro lado, fosse concedido um reajuste linear de 30%para todos, com piso mínimo de R$1.000,00, o Funci "A" receberia R$ 6 mil(30%), e o Funci "B", receberia R$ 1.000,00, ou seja, reajuste de 50%.
Fica comprovado que, nos casos de benefícios que totalizam até R$3.000,00, o reajuste nominal destes serão maiores do que os de faixas salariais superiores.
Aí, parece que a coisa fica mais harmônica e palatável para o entendimento e acolhimento da idéia.
Nos ganhos acima de R$4 mil, o reajuste de 30% seria aplicado para todos, recebendo cada um proporcionalmente a renda que fez por merecer no decorrer da sua vida funcional.
Por fim, vejo também que se fosse possível, a implantação dos 360/360avos é uma fórmula justa para corrigir distorções.

Anônimo disse...

Nós benficiários do PB1 temos que saber que não podemos nos dar ao luxo de ser favoráveis NUNCA a nenhum governo. Até o último participante vivo restará a única opção de ser oposição. A opção obrigatória pelo Serra não é por ideologia, mas para interromper o assalto desenfreado. Depois dele eleito, seremos oposição a ele da mesma forma. A alternância bota fim a projetos megalomaníacos pagos com nosso dinheiro feito trem bala e Belo Monte. Não é necessário ninguém lembrar os tempos de FHC, como não será necessário lembrarmos no futuro do Lula da Resolução 26. SERRA ELÉTRICA NELES!!!!!

Anônimo disse...

Anônimo de 13.10.10, das 10;16 h.

Estou na mesma situação sua, também renovei o E.S. usando o novo limite (minha margem deu para R$ 99.000) no dia 1, crédito no dia 5.
Acabei de ligar para a Previ e obtive a informação de que a prestação do empréstimo anterior, que apaprece ainda no "espelho' de outubro, me será devolvida em 3 dias úteis após o dia 20.

Acredito que com você seja da mesma forma, mas ligue 0800-729-0505 e confirme.

Queria registrar aqui meu inconformismo com pessoas que dizem que vão votar no Serra, "porque êle vai dar 10% de aumento nas aposentadorias".

Já viram algo parecido acontecer em governos do PSDB? Qualquer um, FHC, Yeda,Geraldo, Serra (SP)?

Qual era o superavit da PREVI no governo FHC?

Não estou defendendo o voto em Dilma. Acho que o espaço aqui é para tratar de nossas aposentadorias e de nosso superavit. E nada mais.

Mas acho interessante e oportuno imaginar o que fariam da PREVI, caso o PSDB volte ao poder..rs.

Eu era da ativa em boa parte do governo FHC.

Sobre o superavit: acho que a solução mais viável é a distribuição, proporcional ao complemento PREVI (antes que me ataquem, o meu é de 3.700 reais), para um período de 36 meses. As demais propostas são plausíveis, mas não para este momento, pois envolvem mudanças de estatuto.

Anônimo disse...

Acho q tem alguma coisa errada. Parece-me q a Valia, na distribuição do seu superavit, não teve o menor problema em aprovar um abono de 1000 reais mensais pra todos. Se o problema, no nosso caso, é a CGPC 26, q determina que "os valores distribuídos sejam proporcionais à reserva matemática de cada um", como é q a Vale, q tbm obedeceu à resolução e destinou metade ao patrocinador, não teve dificuldades na aprovação da distribuição de um valor igual para todos? E qto ao Banco, q ninguém sabe ao certo c/ qto contribuiu? Se chegarem à conclusão de q contribuiu c/ uns 2/3, perderemos mais da metade do superavit?

Sempre q a negociação envolve a Previ, parece q colocam mil e uma dificuldades, fórmulas complexas e propostas de difícil entendimento. Sempre c/ o único objetivo de não deixar claro o valor q cada um irá receber (ou aqueles q não receberão nada) pra poder beneficiar alguns poucos de sempre e o Banco do Brasil. Do jeito q a coisa anda, vem aí um novo Renda Certa e a maioria, justamente os q mais necessitam, ficarão de novo a ver navios.

Pensionistas, se meu pensamento estiver correto (espero q esteja errado, me corrijam por favor se for o caso), nada receberão, pois o cálculo seria feito c/ base na contribuição dos anos em q foi gerado o superavit . Sendo assim, só as pensões concedidas recentemente poderiam ser "agraciadas" (se forem) c/ algum dinheiro. Como pensionistas não contribuem mais pra PREVI, não teriam direito a NADA.

Assim sendo, a alteração no estatuto e o aumento imediato de 60 para 80% no valor das pensões, sem q seja usado os recursos do superavit, seria a única maneira dos pensionistas receberem alguma coisa (no caso 20% de aumento). Na minha interpretação, 3 anos seguidos de superavit obrigam a isso qdo a resolução determina q:

" Art. 12. A revisão do plano de benefícios poderá se dar de forma voluntária, a partir da constituição da reserva especial, e será OBRIGATÓRIA após o decurso de três exercícios."

O aumento no percentual das pensões (além de outras propostas q corrigiriam as distorções do Plano) se encaixaria então na revisão obrigatória do plano de benefícios e não na distribuição do superavit, o q tornaria possível essa antiga e justa reinvindicação e uma das promessas da Chapa 3. Se não for feito agora, qdo será?

Vale lembrar q a revisão do plano de benefícios visa corrigir as distorções dos planos de previdência e evitar a geração constante de défict e superávit, já q ambos indicam q algo está errado. No nosso caso, q os benefícios estão defasados, desvalorizados. A situação das pensionistas e aposentados por invalidez ilustra bem o caso.

Anônimo disse...

**********ao tentar mandar um comentário, sempre aparece a msg de erro:

The requested URL /comment.g... is too large to process.

se o comentário q mandei anteriormente chegou ou chegar repetidas vezes, peço ao moderador q me desculpe e as apague, publicando somente a original

wilson luiz disse...

Gente, acho que vou virar anônimo.
Alguém tem a coragem de colocar o nome em comentário polêmico, mas respeitoso, e imediatamente é catalogado como agente da Gestapo(polícia política de Hitler).Foi através de pessoas com esta mentalidade que a Alemanha de Hitler terminou como todos sabemos.Mais respeito, por favor.
Agora, comparar a antiga INGER(Inspetoria-Geral) com a mesma Gestapo é muito injusto. Durante o tempo que fui administrador de Agência, fui "visitado" por vários Inspetores. Nenhum deles chegou com a idéia de me prejudicar, a orientação era o principal objetivo. apenas desvios de conduta mereciam um tratamento mais duro.
Agora, algum tempo antes de me aposentar, senti como eram os métodos da Gestapo. A Direção Geral e Superintendências utilizavam métodos nazistas de guerra psicológica contra os administradores, sem qualquer participação dos Inspetores.

Anônimo disse...

Ao Henrique Soares, como você disse "Tem pra todos".

Se tem para todos como da vez passado por que então eu não recebi nada.

Se continuar assim também terá para todos o vai ser outro engodo.

Você acha justo eu agora ter que ficar de fora da nova distribuição outra vez simplesmente para fazer justiça. Que justiça é essa que penaliza os outros como já fui penalizado.

As correções que todos almejam devem ser feita na alteração dos normativos e de forma urgente.

Eu recebo da Previ menos de R$ 3.000,00, após 30 anos de trabalho.

Eu acredito que tem pensionistas, mesmo recebendo somente 60% recebe mais mais do que eu.

Alguns alegam que tem beneficiários que recebem até R$ 40.000,00.
Para isso se formos corrigir quem ganha como pensionista R$ 24.000,00só os 20% que teriam direito daria quase o valor do meu benefício que é de R$ 2.900,00.

Se formos fazer justiça com uns altos benefícios que muito dizem existir como seria o procedimento.

Você também disse "Faça o seguinte torça por todos sem se importar com quantos vai dividir".

Com quanto nós vamos dividir? Eu tenho que me importar pois a divisão tem que incluir todos e não apenas os privilegiados como da vez passada.

Belo exemplo de justiça você prega. Meus parabens.

wilson luiz disse...

Caro Jorge Teixeira, 13 outubro 06:23 hs.
Nossa brava e incorrigível Cecília Garcez continua "vendendo ilusões". Diz ela que a ANABB pretende defender que, antes de se discutir a distribuição do superávit, seja feita a revisão do plano cfe. a Lei Complementar 109. Isto vai fazer a negociação se arrastar indefinidamente, como ocorreu em 2008. Aliás, talvez seja esta a intenção de Valmir Camilo. Outros problemas: seria necessária a aprovação da PREVIC, e os valores para cobertura da revisão acabariam com o superávit. Todos sabemos que uma Resolução não pode se sobrepor a uma Lei Complementar, mas vá convencer a PREVI e o BB, nesta altura do campeonato.
Se a negociação for levada para este lado, o melhor é o ingresso imediato de ação judicial.

Jorge Teixeira - Araruama (RJ) disse...

Colega Marcos Cordeiro,
Dirijo-me ao colega Wilson Luiz, comentário de 13.10, às 14:17hs. Não é só essa proposta da Anabb que, se entrar em discussão, só servirá para atravancar o curso das tratativas. Veja no site da Afabb-PR (www.afabbpr.com.br/notadeesclarecimento) o que está sendo posto em prática pela direção da entidade. De tudo que estamos assistindo só nos resta depreender que a maior dificuldade não estará em negociar com o patrocinador. O problema maior será a construção de uma identidade de pensamento entre as entidades representativas, em termos de elaboração de uma proposta consensual que atenda aos interesses de todos os associados do “PB-1”. Penso, s.m.j., que a Federação não tem ou está deixando de por em prática o seu poder de aglutinar em torno dela mesma todas as suas afiliadas.
E.T. – a Anabb não é afiliada da Federação e não deveria estar participando desse processo de negociação.

Anônimo disse...

Incrivel.
Se somos um fundo de pensão de estatal não entendo que colegas, talvez do PT, criticam quem faz um comentário político, parecendo que nosso fundo não tem ingerência dos governantes do momento.
Eu vou votar no Serra, porque além dos 10% as pessoas que comandam nossas Associações, PREVI, CASSI, ANABB, etc, são todos do PT, são pelegos e todos sabem disso.

Sendo que a maioria foram eleitos e reeleitos agora e vão permanecer por pelo mais 4 anos no poder e a única maneira deles apresentarem serviçso é quando não estão do mesmo lado do governo do momento.
Então caros colegas tomem suas decisões porque o voto é obrigatório, pode escolher nulo, branco ou um dos dois candidatos.
Eu pessoalmente vou votar nos 10% do Serra e botar essa cambada que domina nossas associações a trabalharem, chega de mamata e subserviência ao poder central.

Mas se você não quer os 10% e admira a turma que esta nos comandando vote na Dilmentira e sonhe com os anjos....

Eduardo Köhler - Rio de Janeiro disse...

Colega das 13:28h.

Permita-me uma observação: Há um ligeiro equívoco quando você diz: "Assim sendo, a alteração no estatuto e o aumento imediato de 60 para 80% no valor das pensões, sem q seja usado os recursos do superavit, seria a única maneira dos pensionistas receberem alguma coisa (no caso 20% de aumento)".

É o seguinte: Se aumentar a pensão das viúvas de 60 para 80% da renda do marido, o aumento será de mais 20%, ou seja, 1/3 de 60%. Isto quer dizer que o aumento seria de 33,33% e não 20% do que atualmente a pensionista percebe. Concorda ?

Grande abraço.

Eduardo

jander disse...

Aos anônimos ou anônimo das 8:33h e das 13:42.
Acho que comentários quanto a participação de pensionistas e aposentados por invalidez na divisão do superávit postados no blog, nunca mencionaram a exclusão de quem quer que seja, mas sim que os mesmos não sejam esquecidos mesmo que seja proporcionalmente. Sou aposentado por invalidez(acidente de trabalho), recebo R$ 700,00 de complementação, não recebi nada do superavit 2006. Tive uma revisão pelo INSS, com valor de atrasados de R$25.000,00 e a Previ ficou com mais da metade.
Sem mais no momento. Meu nome é Jander
Fiquem com Deus.

Anônimo disse...

Olá Amigos do blog

Como é mesmo???fazer revisão do plano e depois distribuir o superávit??

hehehhehe...." colou o giglê "

Adeus superávit. 2013 está aí

Esse filme é bem repetido.

Espero que essa tese seja rejeitada.

Anônimo disse...

ALÔ PESSOAL! VAMOS PARAR DE CONDENAR OS ANÔNIMOS? NÂO? BELEZA! ENTÃO DE AGORA EM DIANTE VAMOS COLOCAR NOME COMPLETO, RG, CPF, ENDEREÇO E TELEFONE. NÂO ADIANTA COLOCAR "ZÉ MANÈ" E FICAR SE GABANDO. CONTINUA NO MESMO ANONIMATO DOS DEMAIS. FUI!

wilson luiz disse...

Tenho lido vários comentários que propõem que seja feita a revisão do plano de benefícios sem a utilização do superávit.
Gente, isto é impossível, "não existe almoço grátis". Ocorrendo revisão do plano com concessão de novos benefícios, seria necessário fazer a provisão do custo, com o aumento das Reservas Matemáticas, mais 25% do valor para a Reserva de Contingência. Isto obrigaria ao recálculo do superávit, que seria diminuído do custo das concessões e dos 25% da Reserva de Contingência. Ainda acredito que o melhor a se fazer é tentar conseguir o máximo possível dentro do prazo mínimo de 36 meses, cfe. prescreve a Resolução 26, tendo em vista que o fim do ano está chegando. Resolvido isto, poderemos pensar no que fazer a seguir, podendo inclusive ser ação judicial para cumprimento da Lei Complementar 109.

antonia disse...

Marcos,
É aí que mora mora o perigo, muitos chefes para poucos indios. Ficam discutindo muitas propostas e com isso dificulta a negociação e atraza o processo de distribuição do superavit.
-A MELHOR PROPOSTA É A MAIS SIMPLES E QUE BENEFICIE O MAIOR NUMERO DE ASSOCIADOS.

Anônimo disse...

Sr. Wilson Luiz,

Em primeiro lugar, aprenda a respeitar a opinião dos outros, porque você não é dono da verdade e nem é o pai da dicotomia. Existem Inspetores e Inspetores. Você pode ter conhecido alguns mais sensatos, o que não lhe dá o direito de nivelar a classe, utilizando como paradigmas os poucos com os quais conviveu.
Não duvido que tenha sido administrador, mas talvez não tenha sido o primeiro gestor de grandes agências, onde eles chegavam em grupo de quatro ou cinco, e mesmo sem querer, acabavam atrapalhando o bom andamento das agências. Muitos deles faziam exigências descabidas, sem bom senso, querendo prioridades no fornecimento de documentos para exames, em detrimento do cliente.
Não tire conclusões precipitadas, porque no meu texto eu nem cheguei a afirmar, taxativamente, que o colega havia trabalhado na INGER.Fiz uma pergunta no condicional, se havia pertencido a Inspetoria,sendo que saiu da sua cabeça a infeliz idéia de considerá-lo agente da Gestapo.
Da missa você não sabe a metade. Eu conheci casos de Inspetores duríssimos ( Pantoja e outros), que devassavam a conta de depósitos dos funcionários,sem autorização, exigindo explicações, por escrito, de onde vinha o dinheiro para tal depósito.Alguns usavam o sistema de colocar uma folha de papel na máquina de escrever. Fazia a pergunta, e o funcionário fazia a resposta, logo abaixo, na mesma hora, até esgotar o assunto e o inspetor dar-se por satisfeito. Se isso não é coação ou terrorismo, é o que?
Até colegas que lecionavam à noite, eram importunados, sob pretexto de que estavam exercendo atividades estranhas ao banco.
Vi vários colegas perderem cargos, pelo simples fato de terem feito saldos médios de depósitos, para manter o Contrato de Cheque-Ouro, com dinheiro emprestado por outros colegas. Tudo era objeto de processo disciplinar(DEASP/PRODI).
Parece piada, mas é verdade.Existem casos concretos de Inspetores que ficavam seis meses na agências, inclusive alguns dormiam na sala da gerência.
Você já teve a sua ADF, feita por três ou quatro Inspetores/Auditores, como eu já tive, em inúmeras oportunidades, onde interpretações subjetivas eram feitas, sem mais e nem menos.
A INGER era muito temida, e a comparação que fiz foi mais no sentido figurado. Os inspetores se julgavam senhores da razão, sisudos, admoestavam funcionários na presença de terceiros, de forma totalmente arbitrária, uma vez que não tinham poderes, no rol de suas atribuições, para este tipo procedimento.
Lembro-me, na agência de Morrinhos-GO, quando um Caixa-Executivo, perdendo as estribeiras, deu um murro no rosto de um Inspetor,derrubando-o dentro da bateria, tal foi a humilhação que este lhe impingiu. Naturalmente, foi punido pela agressão.
Portanto, existem muitas histórias de punições justas, por desvios de condutas, mas também de várias injustas, onde não era dado o direito amplo do contraditório. Naquele tempo era muito comum, Inspetores ficarem anônimos na região, sem irem à agência, fazendo um trabalho de policial, sobre a vida, particular e profissional, dos administradores. No final da missão, compareciam para o encerramento, junto com os outros colegas, oportunidade em que prestavam contas dos seus trabalhos externos. Não davam o direito dos administradores, no caso de denúncias,de tomarem conhecimento dos nomes dos seus delatores, os quais muitas vezes, não tendo as suas propostas atendidas, por critérios técnicos, revoltavam-se e tentavam prejudicar os administradores por pura vingança, com denúncias infundadas, que acabavam sendo devidamente comprovadas pelos inspetores.
Fico, por aqui, porque está história daria um livro. Mas impressiona-me a sua condição de neófito no mister e o grau da sua ingenuidade, para não dizer outra coisa.Ah, os puxa-sacos dos Inspetores costumavam relacionar-se bem com eles.Se achar oportuno, da próxima vez, vou identificar-me, porque as verdades ficam evidentes no face-a-face.

Anônimo disse...

Colegas,

Da maneira como as coisas vem sendo conduzidas dentro da PREVI e Banco, onde os participantes são tratados como idiotas, onde representantes eleitos por nós, só pensam neles, onde um governo de esquerda atropela a lei e cria a tal resolução 26, fico cada vez mais inclinado a mudar meu voto, pois muito safado vai ter que cair fora; é bem verdade que outros safados virão, mas paciência este é o país da safadeza.

Anônimo disse...

Tem gente que está doido com o RENDA CERTA PARTE 2!MAs se Deus quiser este superávit será distribuído para beneficiar TODOS!!!

Hugo Tavares de disse...

Prezado colega Marcos,
Longe de mim querer prejudicar qualquer colega, principalmente os aposentados por invalidez e as pensionistas. Nada impede que busquemos o melhor para os menos favorecidos nas negociações e até temos esse dever.
O que eu pretendi demonstrar é que se criarmos muitas regras a nosso favor, para impor nas negociações, o máximo que vamos conseguir como resultado prático é o de marcar uma nova reunião. E vamos ficar nisso eternamente.
Cordialmente,
Hugo Tavares de Carvalho.

Anônimo disse...

Sempre tem alguem chorando que sua participação no superavit, caso se proceda uma distribuição levando em conta um percentual do beneficio, será baixa. Poucos contam a razão de tal situação e culpam os que se aposentaram com melhores condições. Ora, estes casos são reflexo de carreiras iniciadas tarde, aposentadorias sem que o colega tenha cumprido os 30 anos de Banco, não exercício de funções comissionadas, seja por falta de interesse ou por falta de capacidade mesmo, funcionários que não quiseram ou não puderam prorrogar seus expedientes, enfim uma série de circunstâncias que os levou a verterem menores contribuições ao fundo e portanto terem tido aposentadorias de menor valor. Há casos pontuais de descomissionados por fatores diversos, acredito mesmo de perseguições. Agora, querer corrigir tudo isto à custa de quem contribuiu com seu suado dinheirinho para a formação de fundos hoje de grande monta é muita cara-de-pau. Não se iludam, não haverá distribuição marxista-leninista do superavit. Não contribuimos todos com valores iguais e não haverá justiça se nivelarmos por baixo a participação dos associados no montante do superavit. Aliás, dois erros não perfazem um acerto e certamente haveria reações (inclusive no âmbito judicial) e paralizaríamos todo o processo de distribuição caso se intentasse uma medida de inspiração marxista, tratando de forma igual os desiguais. Vamos acabar com este negócio de colocar a culpa da dificuldades nos colegas que aceitaram missões em locais insalubres, distantes da família e pulando de cidade em cidade, submetendo suas esposaqs e filhos a moradias improvisadas e desconforto, para galgarem mais rapidamente a cargos mais elevados. A experiência me diz que os que julgam todos seus colegas que tiveram sucesso como apaniguados, puxa-sacos e outros adjetivos, são em sua maioria pura e simplesmente uns incompetentes, cujo desempenho não foi suficiente para proporcionar-lhes o acesso a melhores funções.

Pensionista sem voz fora da AAPREVI disse...

Wilson Luiz,

Primeiramente, pra q não haja mal entendidos, sei q pra vc e q pra maioria q comenta aqui no blog, a situação seria diferente, mas não há como negar então q a realidade imposta pelo Banco do Brasil e pela Previ, é a seguinte:

- É impossível q se faça uma revisão do plano sem q os valores da distribuição do superavit sejam reduzidos. Traduzindo: "vai sobrar menos dinheiro pra ser distribuído, por isso, é impossível no momento aumentar o percentual das pensões. Em outro momento talvez".

- Em outro momento, a proposta novamente dependerá de uma revisão do plano, q só é garantida em decorrência de 3 anos consecutivos de superavit. Acontece q qdo isso se repetir, será novamente negada pq "atrapalhará" na sua distribuição. Enquanto isso, o Banco do Brasil e a Previ não irão querer correr o risco de comprometer a existência de futuros superávits e a promessa de aumentar as pensões será sempre apenas mais uma de muitas outras não cumpridas.

Diante de tal realidade, reafirmo q pensionistas da Previ nunca verão a cor do dinheiro de NENHUM SUPERAVIT. Primeiro pq a Resolução 26 não irá permitir. Segundo, pq a própria PREVI nunca irá realizar a revisão do Plano de Benefícios. Se não houver superavit, dirá q não há dinheiro, se houver, dirá q a revisão comprometerá sua distribuição. Caso a Previ resolva cumprir a promessa um dia, o Banco do Brasil não permitirá, pois sabe q isso poderá resultar em superavits menores e sua parte na "boquinha" ficará comprometida.

Agora, pq será q foi tão simples a distribuição do superávit no caso da Valia, q mesmo aplicando a tal resolução e de ter um valor bem menor q o da Previ, conseguiu aumentar os benefícios em 25%, dar um abono mensal igual para todos de 1000 reais e ainda aumentar o percentual das pensões? Será q a CGPC 26 deles é diferente da nossa??? A resposta me parece mais do q óbvia: o patrocinador deles não se chama Banco do Brasil.

Pensionista sem voz fora da AAPREVI disse...

Eduardo Köhler,

Na condição de "pensionista sem voz fora da AAPREVI", confesso q não sabia mesmo q o reajuste seria de 33%. Agradeço a observação, pois só depois q descobri o Blog pude me inteirar melhor sobre os assuntos q me interessam como pensionista da Previ. Informações como a sua, assim como as de vários colegas q freqüentam o Blog, têm sido de bastante ajuda pra mim, pois não tinha acesso a elas em outros blogs e sites relacionados à Previ.

Abraços.

Pensionista sem voz fora da AAPREVI

Anônimo disse...

Wilson Luiz, disse:

"Acho que vou virar anônimo"! Meu caro, anônimo você sempre foi. Com dois nomes próprios, sem sobrenome, você continua de máscara. Para que isso se efetive, saia do armário, informe seu sobremone, matrícula na PREVI, CPF, aí, sim, teremos um cidadão que se expõe de peito aberto.Por gentileza, aguardo a sua manifestação, dando-nos a sua verdadeira identidade. Deixe a máscara e a hipocrisia cairem.

Henrique Soares disse...

Ao colega das 13:42 = Sem entrar em detalhee quando a nossa forma diferente de pensar, gostaria colega de dizer-lhe que talvez eu não tenha sido bem compreendido. Tenho que ter a hulmidade de reconhecer que não possuo a mínima competência sequer para opinar sobre o assunto em questão (Superávit). Quero em nome da minha ansiedade por ver dias melhores para todos nós pedir-te desculpas se por acaso você se sentiu ofendido, não foi minha intenção. Até hoje, eu nunca recebi nada do pouco que achava ter direito. Mas, sinceramente, torço por todos nós. Um abraço e meus respeitos

Anônimo disse...

Bom dia, Sr Marcos!!!!
Aó ler essas mensagens o senhor poderia explicar o que esta acontecendo com as pensionistas? Não estou entendendo mais nada! Cada um diz uma coisa! Que horror!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Colegas, depois que numa ação trabalhista já ganha o BB diz para ir discordando dos calculos mesmo que estejam corretos que voces esperam mais?????????????????E depois de tudo ganho engavetam o processo?????????
Cambada de ladrões!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Pelo que leio, pensionistas estão sendo enganadas. Que vergonha, somente nesse Brasil de meu Deus mesmo. Votem na Dilma que ficará melhor ainda! Somente rindo para não chorar!!!

Ivan Rezende disse...

Melhor será aguardarmos o resultado da reunião do dia 18. As idéias já foram lançadas e as expectativas são imensas. De qualquer maneira existirão contentes e descontentes. Na véspera, 17, seremos muito bem representados pelo Marcos e o Ari.

Ivan Rezende disse...

O anônimo 17.30 (anônimo não para mim, face a clareza de sua escrita) relatou fielmente o que era a maioria dos Inspetores, que mudavam completamente a rotina de qualquer dependência enquanto durava sua missão. O Pantoja mesmo dormia na agência e era sinônimo de terror ( O Pantoja vem aí!)
O Marcos escreveu o post O Inspetor, em 28.11.09, que relata uma passagem desta figura desnecessária para a instituição.

Anônimo disse...

O importante é que haja a mais absoluta TRANSPARÊNCIA, para que não aconteça outra Renda Certa, quando alguns não receberam nada e outros receberam mais de R$ 1.000.000,00!.
Quero ver os números, nem que para isso eu tenha que recorrer ao Poder Judiciário.
Alguém precisa FISCALIZAR a lisura desse rateio, a AAPREVI, por exemplo. Antes que o abutre ANABB (e outros) se achegue, porque o cheiro ela já sentiu...
F.Britto

sergioinocencio disse...

MARCOS e anonimos,

não era minha intenção entrar nesta briguinha particiular dos anonimos e dos não, mais uma coisa me chamou a atenção e acho importante sercolocada:
temos um quadro dos seguidores do blog, tem gente que é tão anonima que não consta ali a sua foto. devo portante ter certeza que alguns dos nossos anonimos são uma parte daqueles que ali estão, apenas constam nomes , nada mais.
agora pergunto:
medo do que? de dar uma bola fora ? de seu pensamento não ser aceito e pauleada a sua opinião, faz parte do jogo e da vida, coloque a cabeça fora do buraco e vammos em frente, tem sol e aqui onde moro um mar lindo de se ver.
NÃO VAMOS DESISTIR

Sigismundo Borges disse...

Sr.Hugo T.de Carvalho: após sofrer cirurgia de revascularização do miocárdio (sendo-me implantadas 05 pontes -safenas e mamária -) e, após 6 anos e ter passado por 04 cateterismos, etc, foi necessário instalação de 03 stents farmacológicos no sistema cardíaco deste APOSENTADO POR INVALIDEZ, ou seja, para este "menos favorecido na negociação do superávit/previ".
Pergunto-lhe respeitosamente: a melhor solução será o APOSENTADO POR INVALIDEZ aguardar, manso e passivamente, a repetição de NOVA DISTRIBUIÇÃO DESIGUAL, PARCIAL E, PORTANTO, INJUSTA E IMORAL? Ou dever-se-ia, enquanto houver tempo, tentar encontrar uma solução menos egoísta e mais abrangente?
Finalizo manifestando minha concordância com a proposta formulada pelo inteligente e brilhante defensor dos aposentados -inclusive os POR INVALIDEZ-, colega Jorge Teixeira e, também, manifesto minha confiança e respeito à colega Isa Musa de Noronha, que, acredito e espero, nos represente nas reuniões com o Banco e a PREVI.
Relevante informar que a única verba que fui "agraciado" pela distribuição (?)do superavit/2007 -verba P380-, foi no "exorbitante" valor de R$1,37 (um real e trinta e sete centavos), atualmente no valor de R$ 1,62 (um real e sessenta e dois centavos), que, obviamente, é um valor IRRISÓRIO, IMORAL E INJUSTO.
Sr.Hugo, sinceramente, desejo-lhe muita paz e saúde.

Anônimo disse...

Ao colega Henrique Soares,

Você não tem nada que se desculpar, cada um tem direito de se expressar como se sente em relação a algum tema.
Você disse que talvez não tenha sido compreendido.
Sem criar polêmica, eu acredito que você não foi feliz em seu comentário, isso acontece com qualquer, comigo e com as pessoas que enviam mensagens para este blog.
Somente quem escreve pode se equivocar.
Eu, por exemplo, não tenho o dom de escrever como o Marcos, que diz verdades sem atingir ninguém.
Mas pelo menos, estamos expressando nossos sentimentos, principalmente de frustração e para nós que não fomos contemplados no superavit anterior é por demais extressante em ver idéias que nos preocupam muito, como ficar novamente de fora dessa distribuição.
Boa sorte.

Anônimo disse...

Sobre as auditorias (inspetorias) realizadas nas agências.

Antes de entrar no Banco trabalhei numa empresa também estatal, na forma de mão de obra terceirizada.

Quando demorava a chegar um equipe da auditoria a unidade em que eu trabalhava solicitava urgência em uma inspeção de rotina. Por que?

Porque a auditoria ali executada não tinha cunho repressivo e nem de punição, mas corretiva e instrutiva.

Dos serviços que não estavam de acordo com os normativos recebiamos orientações de como proceder e não voltar a cometer os mesmos enganos.
Era uma auditoria instrutiva não punitiva como mencionado.

Por isso quando eu tomei posse no Banco e pessoal estava totalmente apreensivo porque em poucos dias chegaria um inspetor. Era um Deus nos acuda, todos com medo.

Acho que devido a uma questão cultural entre uma empresa e outra, achei estranho essa reação.

Acho que o medo pode ter mudado, parece que hoje se trabalha em função do núcleo de controle, onde as operações são pinçadas.

Anônimo disse...

O PB1 é ou não é solidário?
O da Vale é.
Valia: 25% mais abonos iguais para todos.
Negociadores, pensem bem nisso.
Ninguém fica de fora.

mary disse...

Caros colegas, sou aposentada por invalidez, passei por 4 cirurgias da coluna, cadeiras de rodas, moletas, anos sem dormir, enfim muito sofrimento e jamais aceitarei ser discriminada nem por colegas ou pela PREVI, tenho direitos adquiridos, pois quando na ativa trabalhei com dignignidade, doei para o BB, muitas horas hestras trabalhando de 7hrs a 6hrs e muitas vezes morando em alojamento até de 7hrs a 10hrs da noite, trabalhando sentada, onde pude adquiquirir a hernia de Disco que me fez ficar aposentada por invalidez. Os colegas que ja trabalharam na antiga carteira da Rural x proagro e datilografando propostas e cedulas Hipotecárias isso tudo manual porque hoje usasam-se apenas Computadores e tudo é mais fácil. Caso haja alguma lei criada recentemente e que queira tirar esse direito que temos de não sermos discriminados Creio que juntos entraremos na Justiça e com fé em Deus ganharemos. de maneira alguma pedimos isso e se tem algum colega achando que vamos ficar de fora é bom que aprendam com nós por que a calamidade que passamos um dia esse alguem poderá passar( enfermidades e acidentes) estão dia a dia na vida das pessoas. Basta apenas que todos ricos ou pobre saibam compreederem e respeitarem o Problema do seu Próximo. Abraço a todos.

Anônimo disse...

Isto mesmo Mary. Assim como voçê, existem muitos colegas que se esfregaram no trabalho com dedicação total, por amor à camisa que naquela época se vestia do Banco do Brasil. Hoje, esse título de maior banco da América do Sul, não foi por acaso.Por tráz desse gigante, tem, além da dedicação de cada funcionário aposentado, aqueles que sofreram agressões físicas e psicológicas, ficando doentes involuntariamente, devido a esta dedicação total à empresa. Quantos
que trabalharam em horário noturno,principalmente nos Cesecs,onde o serviço não podia parar, varando a madrugada e retornando para casa com sol quase a pino. Deixaram de dormir,sem o aconchego da família, por amor ao banco, sofrendo alterações no seu relógio biológico,cujas consequências somente depois iriam sentir, vindo a ter graves problemas de saúde, aposentando-se então por invalidez.
Agora,quando surge um superávit, aparecem estes desalmados querendo nos alijar.Não podemos aceitar isto passivamente.Também não queremos migalhas. Vamos lutar com todas as forças ao nosso alcance, para que nas negociações se faça justiça.Que os negociadores lembrem - se disso.Chega de tanto sofrimento. O medo não pode vencer a nossa esperança.Torcemos para que neste momento haja mais solidariedade e seriedade com as pessoas.E que Deus abençôe a todos.

Anônimo disse...

Colegas,

Por favor, parem de se agredir. Entrem na justiça para se proteger.
Não criem úlceras insultando e injuriando uns aos outros.
As injustiças serão penalizadas por Juizes inteligentes, que são a maioria neste País.

wilson luiz disse...

ANÔNIMO 13 outubro, 22:04 hs.
Inicialmente, referindo-me a colocações suas feitas anteriormente,quero dizer que nem sempre é necessário ser "puxa-saco" de inspetores para se sair bem de uma inspeção, trabalhar com correção e ética é muito mais eficiente. Quanto à carreira de administrador, realmente não trabalhei em nenhuma de grande porte, justamente por não me sujeitar a ser "puxa-saco" da Superintendência ou Direção Geral.
Agora, um ANÔNIMO exigir que eu apresente documentos... Isto era comportamento daquela organização alemã da segunda guerra, na qual você incluiu colega que apenas apresentou sua opinião, de forma muito respeitosa.
De qualquer forma, de minha parte, este "bate-boca" está encerrado, se você voltar ao assunto, vai ficar falando sozinho. Caramba, parecemos dois velhinhos ranhetas, mas posso dizer que tenho muitos defeitos, mas este não é um deles.

Chamem o PANTOJA !!! disse...

Se tentarem nos enganar na reunião do dia 18 de outubro....Cuidado !
CHAMEM O PANTOJA..."O Pantoja vem aí ííí, la rá. lá lá lá..."

Ui..qui meeedo !