quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Dia do sufoco

Caros Colegas.

“Depois de velho aprendi a mentir”. Este o desabafo de um colega aposentado em ligação que me fez agora há pouco. Foi mais ou menos assim a confissão:

“Marcos, minhas esperanças estão em vocês da AAPPREVI. Estou saindo de casa dizendo à minha mulher que vou ao Banco buscar dinheiro. Mentira! Estou indo ajoelhar aos pés do gerente pedindo que arranje uma brecha e aumente qualquer limite de crédito. O líquido do espelho não foi suficiente para cobrir os débitos internos – que são muitos. E a conta está no vermelho ao bater um cheque do supermercado pelas compras de sábado, pouco mais de duzentos reais para pagar mantimentos que dará, sabe Deus, até quando.”

Caros Colegas intransigentes. Este não é um caso isolado, pois há inúmeros outros pelo Brasil afora. A situação dos menos afortunados é essa que aí está. E muitos dirão: é problema dele.

Não. Não é somente dele. É problema nosso também. O problema do semelhante é problema de toda a raça Humana. Não nos cabe julgar os motivos que o levaram à situação de desamparo. Primeiramente devemos prestar o socorro, para depois averiguar as causas da dependência e complementar a ajuda - com aconselhamento seguro. Ao médico da emergência não compete perguntar ao ferido porque foi atingido por uma bala, mas tentar salvá-lo antes de tudo.

Por isso, entendo que os negociadores do momento não devem se preocupar com as injustiças praticadas pelo Banco/PREVI , na hora de fechar o acordo. Primeiro devem, criteriosamente, abocanhar o naco que nos for estendido quando à mesa dos poderosos, para depois partir em busca das reparações devidas. Ainda mais que todo o restante passa por detalhes intemporais – dependem da reforma dos Estatutos, entre outras determinantes. Mexer com isto agora somente concorrerá para postergar definições.

Para conseguirmos um bom resultado não há necessidade de abaixar a cabeça nem adotar postura de subserviência. Os dois lados estão preparados para a discussão, pois argumentos não faltam. Os negociadores são fortes nas suas áreas de atuação e os de cá estão municiados com propriedade. Neles depositamos nossa confiança.

Esperemos que ao prevalecer a honestidade de propósitos afastem propostas indecentes que se permita perpetrar injustiças.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 20/10/2010.

59 comentários:

Anônimo disse...

Marcos,

Estou sensibilizado com esse comovente relato e concordo, devemos aceitar o que o BB propor da forma mais rápida,fácil e igual para todos,não vejo outra forma de resolvermos está injusta situação que muitos de nós estamos vivendo.
Precisamos de dinheiro, 2/3 dos aposentados sobrevivem de empréstimos, há mais de três anos estamos criando propostas e mais propostas, que nunca agradaram a todos, acho que devemos eleger uma única prposta para agilizarmos a distribuição imediata do superávit, são vidas humanas , e qualidade de vida que estamos perdendo, com tanto sofrimento, stress e expectativa nessa longa espera de recebermos nossa parte do superávit. Penso que um abono significativo pago agora, igual para todos, mais o aumento de 20% nos benefícios de cada um beneficiaria a todos.

Anônimo disse...

Vou fazer um comentário que há muito gostaria de fazer.

- dizem que tempos atrás em um estudo françês verificou-se que 75% das pessoas vivem do passado, 20% vivem com a cabeça no futuro e somente 5% vivem no presente. Pois bem eu me enquadrado nos 20% que vivem pensando no futuro.

- quando me deparo com a ganância do patrocinador em abocanhar recursos que são nossos e com a pressa de muitos participantes em, também, pegarem algum (não estou dizendo que não seja justo receber) começo a ficar preocupado com a solidez da PREVI

- sei que muitos estão com idade um pouco mais avançada mas é necessário lembrar que tem gente da ativa que ainda não se aposentaram e muitos que se aposentaram a pouco tempo e esperam, também, usufruir dos benefícios da PREVI

- acho que se faz necessário:

1º - sob hipótese alguma transferir recursos para o BB (caso se distribua 50% para cada o que não concordo)em prazo diferente do que estabelecido para os partcipantes

2º - esta distribuição não pode ocorrer no curto prazo (tanto para o BB como para os partcipantes) sob pena de comprometer seriamente a saúde financeira da PREVI. A proposta de pagar o BB à vista é fora de questão. Se fincarem pé é melhor parar com as negociações e ir para a justiça logo

Acho que ninguém quer ajudar a matar a "galinha dos ovos de ouro" (sentido figurativo) que é a PREVI ainda mais que o próprio patrocinador (BB) já colocou a mesma na alça de mira.

Anônimo disse...

Existem milhares de colegas na mesma situação. Falta-lhes dinheiro no fim do mês para cumprir os compromissos. Porem, a cada reunião sobre a distribuição do SUPERAVIT, uma nova decepção. Ao invés de discutirem o essencial, inventam novas fórmulas de enrolação, ou sejam, FIM DO VOTO DE MINERVA - VOLTA DA DIRETORIA DE PARTICIPAÇÃO - VOLTA DOS DIREITOS DO CORPO SOCIAL. Assuntos estes de dependem de alteração dos ESTATUTOS. E os negociadores ainda não se deram conta. Um lástima!!!!

Anônimo disse...

Marcos, estou sensibilizada também com esse comentario. Vivo de pensão, não me sobrando nada e tem outra comprando somente o necessario. Quando peço algum dinheiro no banco sou obrigada a fazer ou seguro de vida ou aplicar uma parte no ourocap!
Estou orando para que tudo se resolva da melhor maneira possivel!
Um grande abraço!

Anônimo disse...

Peço licença para mudar o foco.

Marcos, se a Anabb continuar com estas propostas de 90 para 100%, que a poucos beneficiam e consome grande parte do superávit, penso que devemos, sim propor uma desfiliação em massa daqueles que mais uma vez serão preteridos.

Não podemos nos calar, essa gente já conseguiu anteriormente passar dos 75% para os 90%, daqui a pouco vão querer 110, 120%...!

Quem estiver sendo beneficiado, por aquela associação, que se mantenha filiado, afinal uma associação tem defender propostas que alcance a maioria.

abraços

Roberto Varella disse...

Ao anonimo das 7:52
Para o BB tanto faz pegar sua parte em saque único ou em 100 vezes, caso assim seja nada muda em seu balanço, pois a cada mes lançaria uma partida debitanto 1/100 como amortização do já contabilizado. É até mais interessante para o BB o parcelamento, visto que a MP feita de encomenda para o Banco permite que se recolha Imposto de Renda a medida que os recursos efetivamente entre em seu caixa.
No mais concordo com suas ponderações.
Roberto Varella

Joaquim Luiz disse...

Foi como disse anteriormente... estamos mudando totalmente de foco, que aliás nem tínhamos qdo, foi distribuido o Renda Certa 1, que só foi errado no valor dado ao cociente da conta.. que deixou RESTO, pois somente alguns foram aquinhoados.

Todos que receberam os Renda Certa 1, desde que tivessem se aposentado com mais dias, meses ou anos de Banco que excederam as 360 contribuiçoes, tiveram o que lhes seria devido.

Não posso garantir, mas por comparação de cálculos, já no Renda Certa 2 os que receberam algo, já receberam sem a parte do Banco.

Portanto... se fosse feito o Renda Certa 3 para TODOS, independente de data de aposentadoria, ou seja, TODOS que de uma forma ou de outra, contribuiram com mais de 360 contribuições, estas deveriam ser devolvidas, e se possível para ser mais justo, descontando os que receberam a maior ou que receberam a menor. Se foi a maior devolver o que for possível dentro do novo limite e se for a menor, receber o complemento. Isso corrigiria a naioria das injustiças que foram cometidas na distribuição do Renda Certa 1.

Onde já se viu colocar o Voto de Minerva nesse tipo de Negocição !

Isso vale cash agora ?

Por isso é que cada vez me convenço mais, que o Banco deveria dar a porrada na mesa e dizer: Vai ser assim e pronto, desde que use o mesmo método para TODOS que já receberam ou não seus direitos, utilizando agora de forma justa, o que foi feito no Renda Certa 1, que é apenas aumentar o cociente e tomando o cuidado de não sobrar RESTO ou falar.

REPETINDO: Quem recebeu a maior, agora seria deduzida a parte e assim por diante.

Marcos.. vc. foi muito feliz quando disse isso entre outras coisas mais:

Ao médico da emergência não compete perguntar ao ferido porque foi atingido por uma bala, mas tentar salvá-lo antes de tudo

Sds

=======

Anônimo disse...

Alguem teve estornado o valor da parcela do emprestimo simples descontada na fopag de outubro ?
Por que só alguns tiveram esse crédito ?

Um abraço

José Múcio

Anônimo disse...

Anônimo 07.52


A saúde financeira da PREVI é excelente e ficará cada vez melhor, pois a quantidade de assistidos no plano I será cada vez menor com o passar do tempo. Um plano de previdência não foi concebido para ficar desequilibrado (nem deficitário nem superavitário). Esses superávitss são os resultados de uma política perversa contra os seus participantes com a única finalidade de repassar as sobras para o patrocinador e governos.
Devemos nos preocupar com a saúde física e mental dos participantes e não da PREVI.

JOAQUIM LUIZ disse...

ERRATA:

Onde se lê:

Foi como disse anteriormente... estamos mudando totalmente de foco, que aliás nem tínhamos qdo, foi distribuido o Renda Certa 1, que só foi errado no valor dado ao COCIENTE da conta.. que deixou RESTO, pois somente alguns foram aquinhoados.


LEIA-SE:

Foi como disse anteriormente... estamos mudando totalmente de foco, que aliás nem tínhamos qdo, foi distribuido o Renda Certa 1, que só foi errado no valor dado ao DIVISOR da conta.. que deixou RESTO, pois somente alguns foram aquinhoados.

Anônimo disse...

Caro Marcos,

Há alguma maneira de ajudarmos o colega motivo deste post, até que a questão do superavit se resolva ?

Um abraço

Francisco

Roberto Varella disse...

CONTRIBUIÇÕES
Quando foi concebido o plano 1, o calculo atuarial exigia uma contribuição muito alta para integralizar a reserva matematica em um lapso de 30 anos, para contornar o problema foi instituida uma contribuição menor enquanto o funci estivesse na ativa e um percentual durante a vigencia da aposentadoria, desta forma ao se jubliar o participante ainda fica "devendo" a integralização de sua reserva matematica que só se quitará ao completar a idade estabelecida da tabua biometrica(hoje 83 anos), portanto, não há que se falar em contribuições em excesso, ela era e é devida, só que agora é paga via fundo para tal constituido. Essa conta é hoje de R$ 760 milhões/ano.Esse valor esta projetado no superávit até o último sobrevivente, tire as contribuições e o superávit vira pó. Não é correto argumentar que as contribuições são devidas só para os colegas da ativa visto que as contribuições dos aposentados e dos ativos tem a mesma natureza, ou seja integralizar a reserva matematica, eles não a integralizaram. Nem nós.
Estou aberto a contra argumentos

Anônimo disse...

Texto extraído do Blog do Medeiros

http://www.blogdomedeiros-medeiros.blogspot.com/

ENQUANTO PATINAMOS E COMPLICAMOS O PESSOAL DA ATIVA FESTEJA O PLR
quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Que ótimo ! Fico feliz por eles. Terminou a greve de maneira exitosa para os bancários do BB, que ganharam 7,5% de aumento sem limitação de faixa salarial e mais um PLR gordo sobre os lucros do banco. Valeu o esforço e parabéns para os negociadores que souberam obter os resultados positivos para nossos colegas, aproveitando o oportuno período pré-eleitoral e o momento em que as pesquisas estiveram confusas. Porque hoje a diferença pró Dilma já começa a se acentuar de novo.

Convém apenas fazer uma lembrança para eles, a de que esse lucro extraordinário do BB só foi possível graças ao abocanhamento de parcelas consideráveis do superavit da PREVI, quer dizer do nosso superavit, do pessoal inativo, que ajudamos a construir com tanto esforço. Façam bom proveito, colegas da ativa, mas não esqueçam esse detalhe, que é relevante, embora os dirigentes da PREVI continuem afirmando que se trata de mero expediente contábil, um procedimento virtual, pois o dinheiro continua lá.

Quero, então, que os colegas da ativa me digam se o churrasco e as cervejas com que vão comemorar o PLR , que vão receber amanhã, são de verdade ou são virtuais? Se o dinheiro que vai ser depositado amanhã em suas contas é autêntico ou é apenas um lançamento contábil ? Aliás essa questão já foi levantada por uma colega incrédula com tudo que anda se falando por aí a respeito do superavit. Churrasco virtual ! Essa é boa, não acham ? E´ uma forma também de se comprovar se nosso superavit é real ou inexistente, como alguns continuam afirmando. Basta constatar se os nossos colegas da ativa estão de fato saboreando uma boa carne, uma cerveja gelada, um chocolate, comprando um automóvel ou uma bicicleta, etc, etc. Se é real, então nosso superavit existe, olhem só !

E por falar em superavit – não aguento mais – vale a pena transcrever um trecho da nota oficial do comitê de negociação para que vocês possam avaliar como o meio de campo foi embolado propositalmente tornando quase impossível chegar ao gol. Primeiro se quer fazer uma alteração estatutária para terminar com o voto de minerva, depois revisão do plano de benefícios, para só por último discutir a destinação do superavit. Por causa desse entendimento é que estamos discutindo preliminares desde 2007 e nunca se chega a uma fórmula objetiva e imediata a não ser a suspensão das contribuições. Ao contrário de outros fundos, como a VALIA. (continua...)

Anônimo disse...

(...continuação)

O texto é o seguinte: “"As entidades e os dirigentes eleitos reafirmaram sua posição de que a maior parte da reserva especial deve ser revertida em melhoria de benefícios e que é imprescindível nesta negociação resolver outras questões pendentes como o fim do voto de minerva, a volta da diretoria de Participações para os associados e a volta dos direitos do Corpo Social. Apresentaram, ainda, proposta de fazer eventuais revisões no plano de benefícios antes de discutir a destinação do superavit. O Banco do Brasil reafirmou entender que a metade do superavit do plano 1 deve ser destinada a ele, com base na Resolução CGPC 26. Os representantes dos associados reafirmaram que é necessário buscar alternativas para a solução desta divergência. Insistem que a maior parte dos recursos disponíveis na Reserva Especial para Revisão do Plano deve ser destinada à melhoria de benefícios para os associados. Será agendada uma próxima reunião conjunta com a PREVIC e nova reunião será agendada com o banco posteriormente”.

O que acharam ? De minha parte, primeiro chamou minha atenção que a palavra “reafirmaram” foi usada tres vezes. Ninguém afirmou nada de novo na reunião, todo mundo, inclusive o BB, reafirmou o que já vinha sendo dito. Portanto, uma reunião inócua, meramente protelatória, apenas para consumir gastos com hotéis e passagens aéreas. E criar falsas esperanças na gente.

Depois chamou a minha atenção que apenas em um lugarzinho, em todo esse texto, se fala em superavit. Se diz que vai se discutir e resolver um monte de coisas, “antes de discutir a destinação do superavit”. E aí é que acho que está o olho da coruja, pois para mim a ordem é discutir o superavit, ouvir qual a proposta inicial do BB, e a partir daí fazer as nossas imposições. Só fazemos o acordo se o BB atender nossas principais reivindicações e exigências jurídicas.

Se a pessoa que redigiu o texto divulgado é um dos nossos principais negociadores, em meu humilde entendimento, estamos em maus lençois, como se diz, porque ele joga para os lados e para trás. Não mira ou não quer mirar no gol adversário, nem sequer está se importando com a torcida. Quer brilho próprio, quer jogar para a diretoria apenas.

Por isso bem andou a presidente da FAABB, Isa Musa, em fazer um adendo pessoal no final da nota que mandou para as associações de aposentados, quando diz: “A FAABB esclarece que, de nossa parte, temos feito todas as tentativas de conduzir as tratativas sem intransigencias e sem propostas fora da realidade, de modo que tenhamos uma solução o mais rápido possível, no entanto, devemos ter ciencia de que toda negociação envolve detalhes políticos e econômicos”. Isso, para mim, quer dizer que outros estão apresentando propostas fora da realidade. Ou não ? Parabéns. O caminho mais adequado é sempre o menos complicado, senão vai terminar se concretizando a conhecido máxima de Aporely, se não me engano: De onde menos se espera que vai sair alguma coisa, é daí que não sai nada mesmo. Vamos rezar. Estou procurando um novo santo.

Postado por Medeiros às 09:49 0 comentários

Anônimo disse...

(...continuação)

O texto é o seguinte: “"As entidades e os dirigentes eleitos reafirmaram sua posição de que a maior parte da reserva especial deve ser revertida em melhoria de benefícios e que é imprescindível nesta negociação resolver outras questões pendentes como o fim do voto de minerva, a volta da diretoria de Participações para os associados e a volta dos direitos do Corpo Social. Apresentaram, ainda, proposta de fazer eventuais revisões no plano de benefícios antes de discutir a destinação do superavit. O Banco do Brasil reafirmou entender que a metade do superavit do plano 1 deve ser destinada a ele, com base na Resolução CGPC 26. Os representantes dos associados reafirmaram que é necessário buscar alternativas para a solução desta divergência. Insistem que a maior parte dos recursos disponíveis na Reserva Especial para Revisão do Plano deve ser destinada à melhoria de benefícios para os associados. Será agendada uma próxima reunião conjunta com a PREVIC e nova reunião será agendada com o banco posteriormente”.

O que acharam ? De minha parte, primeiro chamou minha atenção que a palavra “reafirmaram” foi usada tres vezes. Ninguém afirmou nada de novo na reunião, todo mundo, inclusive o BB, reafirmou o que já vinha sendo dito. Portanto, uma reunião inócua, meramente protelatória, apenas para consumir gastos com hotéis e passagens aéreas. E criar falsas esperanças na gente.

Depois chamou a minha atenção que apenas em um lugarzinho, em todo esse texto, se fala em superavit. Se diz que vai se discutir e resolver um monte de coisas, “antes de discutir a destinação do superavit”. E aí é que acho que está o olho da coruja, pois para mim a ordem é discutir o superavit, ouvir qual a proposta inicial do BB, e a partir daí fazer as nossas imposições. Só fazemos o acordo se o BB atender nossas principais reivindicações e exigências jurídicas.

Se a pessoa que redigiu o texto divulgado é um dos nossos principais negociadores, em meu humilde entendimento, estamos em maus lençois, como se diz, porque ele joga para os lados e para trás. Não mira ou não quer mirar no gol adversário, nem sequer está se importando com a torcida. Quer brilho próprio, quer jogar para a diretoria apenas.

Por isso bem andou a presidente da FAABB, Isa Musa, em fazer um adendo pessoal no final da nota que mandou para as associações de aposentados, quando diz: “A FAABB esclarece que, de nossa parte, temos feito todas as tentativas de conduzir as tratativas sem intransigencias e sem propostas fora da realidade, de modo que tenhamos uma solução o mais rápido possível, no entanto, devemos ter ciencia de que toda negociação envolve detalhes políticos e econômicos”. Isso, para mim, quer dizer que outros estão apresentando propostas fora da realidade. Ou não ? Parabéns. O caminho mais adequado é sempre o menos complicado, senão vai terminar se concretizando a conhecido máxima de Aporely, se não me engano: De onde menos se espera que vai sair alguma coisa, é daí que não sai nada mesmo. Vamos rezar. Estou procurando um novo santo.

Postado por Medeiros às 09:49 0 comentários

Anônimo disse...

Roberto Varella,

Coloquei a situação de pagamento à vista e em cash para o BB porque foi esta a informação que veio da reunião de segunda: o BB exige sua parte em dinheiro e à vista. Logo não aceitará em, por exemplo, 100 vezes. Até porque precisa de dinheiro para comprar um banco nos USA.

Anônimo das 09:20

Eu se fosse você não teria toda esta certeza de que no médio ou longo prazo a saúde da PREVI será boa. E só olhar os possíveis investimentos que a PREVI será obrigada a fazer (nem vou falar em alguns que já fez) para se assegurar de que o futuro está cada vez mais incerto para nosso lado. Claro falo isto porquê sou um aposentado recente e espero que, como aconteceu com os aposentados antigos de hoje que foram tempo atrás também aposentados recentes, poder usufruir da minha aposentadoria pelos anos de trabalho que tive.

Anônimo disse...

Marcos, embasado no último paragrafo, abaixo transcrito, da nota Dia do Sufoco, faço as seguintes considerações:

"Esperemos que ao prevalecer a honestidade de propósitos afastem propostas indecentes que se permita perpetrar injustiças".

Marcos, para mim só existem duas propostas honestas.

1) Revisão do plano que atinja todos os assistidos, com percentual linear.
2) Um bonus para todos.

Esse percentual e o valor do bonus cabem discussões.

Vamos aos fatos.

Existem milhares de assistidos que (talvez mais de 20.000) que não foram beneficiados com a última distribuição.

Trabalharam e ralaram 30 anos de banco, sofrendo todas as formas pressões, ameaças de demissões, perdas de comissões, PDVs, estresses, colocaram a saúde em risco, mas não se entregaram.
Não esmoreceram e não se sucumbiram aos PDVs da vida, suportaram tudo e mesmo assim parecem não merecerem nenhum crédito por isso. Como dizem por ai, não fizeram nada mais do que era esperado.

Olhe, Marcos, não receberam nada do superavit passado. Grande justiça? Injustiça que ninguém quer ver.
Parece coisa do presidente do Irã, que nega o holocausto. O holocausto não existiu para ele.


Agora vejo exercícios da dona ISA MUSA nas sugestivas apresentadas;

"Algumas propostas sugeridas foram:
Suspender as contribuições por três anos isso consome 2.280 (2 bi e oitocentos) da Reserva;

Conceder, todo mês, de 20%, sobre cada benefício ou pensão, com piso de 500,00, por 6 anos consome 7.300;

Passar o teto de 90 para 100 consome 5.500;

Aumentar a pensão dos 60 para 80% = consome 7.900".
Data: 19/10/2010 das 12:10


Quem efetivamente ralou por 30 anos, como dito acima, vai ficar com míseros 20%, pois nos outros quesitos não se enquadram. Onde esta a honestidade das propostas como disse o Marcos.

Quem não ralou tanto vai ter mais de um aumento com as propostas apresentadas e quem foi contemplado com a variação do teto de 75/90 será mais uma vez agraciado com o 90/100. Os autores das propostas acham injsuto ele não atingirem os 100%.

Como dizem, quem não se enquadrar novamente que se danem.

Essa é a justiça que impera em nosso meio.

Marcos, temos que lutar contra ela e não alimentá-la.

Anônimo disse...

Por favor pessoal, vamos deixar de tanta PICUINHA, e vamos lutar pelos 50% do que é nosso.Apoiamos, Isa Musa,
arcos e tantos batalhadores em nosso favor. FORA, coisa ruim valmir (minuscula mesmo).Marcos se não vislumbramos mais pontos favoraveis, vamos nos submetermos a Justiça ( nossos netos poderão receber alguma coisa), só, não podemos ficarmos paralizados. O primeiro round, não houve vencedor nem vencido. Vamos lutar para ganharmos. FÈ EM DEUS GENTE.

Anônimo disse...

Roberto Varella há um grande equívoco no seu raciocínio. Ao Banco faz toda a diferença receber parcelado o seu quinhão, se houver, pois sse houver desequilíbrio do plano posteriormente, caso o superavit tenha sido distribuído em uma única parcela somente a parte dos associados será suspensa, enquanto no caso de sua participação ser parcelada também seria suspensa junto com a dos associados, ficando, portanto, o risco dividido.

Anônimo disse...

"Ao médico da emergência não compete perguntar ao ferido porque foi atingido por uma bala, mas tentar salvá-lo antes de tudo"

Sim, mas o homem da LEI tem que ser notificado.

Anônimo disse...

Meu caro Roberto Varela,

Para a nossa Caixa, o ideal é pagar parcelado. Os seus recursos estão aplicados e ela não tem liquidez para honrar um compromisso, em dinheiro, dessa envergadura.
Portanto, terá que vender ações ou outros bens. Inundar o mercado, de uma hora para outra, com uma oferta muito grande de ações/títulos, o preço dos ativos cai, podendo sofrer grandes prejuízos caso efetive vendas na baixa.
Aliás, toda estratégia de venda é montada com todo cuidado, não podendo vazar para não causar alvoroço no mercado.
Essas vendas de ações tem de ser parceladas, gradual, porque o risco de prejuízo é grande.
Não é sem razão, que o governo concede longo prazo, para ajuste dos desenquadramentos, em rendas variáveis, sobretudo, para proteger os Fundos de fazerem desmobilização açodada.Isto inclusive aconteceu com a própria PREVI.
Essa, também, é uma ótima oportunidade para a PREVI descartar ações de segmentos econômicos, menos aquecidos.

João Rossi Neto.

Anônimo disse...

Lamentável a situação a que chegamos. Gostaria, se alguém se dispuser a explicar, qual a diferença do teto de 90% e do 360/360. Desculpem, mas não me lembro mais.
Abraço fraterno a todos.

sergioinocencio disse...

Marcos,

creio que a maioria que le o blog ainda não entendeu, o que o Banco não concordou não foi com os 50% que lhe cabe, foi com o valor que a previ apresentou, os 50% ficaram abaixo do ja contabilizado, de 13 para 14 tem diferença, ele quer que o valor corresponda exatamente ao que ele contabilizou, se vai sair da nossa parte o problema é nosso, a parte dele ta correta, nós que vamos nos virar com o que sobrou.
TO CERTO OU ENTENDI DEMAIS ?????

Anônimo disse...

Anônimo das 7.52, visão egoísta a sua, para voce gozar de futuro tranquilo, pouco importa que no presente grande parte dos participantes passe por dificuldades extremas.

A saúde da Previ não corre riscos,mais a saúde dos seus assistidos está na UTI indo em breve à óbito.

Anônimo disse...

Pessoal.

Vejo que todos estão eufóricos e alguns até ficando loucos com a péssima postura do BB em relação à distribuição do superávit.

Repito e insisto que a proposta das pensionista jamais poderá ficar de fora dessas discussões haja vista que elas(TAMBÉM) ESTÃO E PROVAVELMENTE FICARÃO DÉCADAS com o cruz do confisco de 40% em seus salarios. Lembrem-se que quando aposentado o ex-funcionário contribui para a PREVI e na hora do falecimento tem seus proventos reduzidos de maneira exdrúxula, mesquinha, sem caráter só por que aprovaram o estatuto dessa forma.

O impacto do desconto ilegal e inconstitucional é enorme se fizermos uma continha retroativa ao passado o valor torna-se monstruoso. Isso com relação a uma pensionista somente.

Aposentadoria de 5000,00 x 40%= 2000,00(desconto) para o bolso da previ e BB a fim de gerar superávit e o BB colocar 50% disso dentro do bolso ilegalemente.

2000,00x13x10= R$ 260.000,00 em dez anos para apenas uma pensionista.

Isso para uma aposentadoria média de R$ 5000,00. Imagine para outras valores maiores ou menores e as 18.000 pensionistas que se encontram nessa situação de penúria degradante.

Se existe várias injustiças que foram cometidas com os trabalhadores essa do desconto de 40% nos salários é sim um fruto podre que foi deixado por administrações e governos passados.

URGE DE EXTREMÍSSIMA URGÊNCIA o reparo dessa tragédia por qual passa nossas(os) 18.000 pensionista do BB.

ISA MUSA E MARCOS isso não pode ficar debaixo do tapete da mesa de negociação vejo que todos aqui do blog puxam a farinha para seus pratos, criticam e humilham os negociadores. Falam coisas das mais absurdas e sem conhecimento de nada no puro desespero de ver seus salários reparado pelas injustiças que o BB e a PREVI cometeram no passado.

Negociar com esses faixas-pretas não é tarefa para qualquer um não a pessoa tem que ter sangue de barata nas veias para suportar esse vale tudo de 10 rounds.

Pessoal temos que ter mais paciência pois a batalha é dura e difícil e creio que algo sairá até o natal nem que seja uma abono linear cala boca para todos.

Melhor é pegar os bilhões e dividir por 120.000 e pronto todos irão receber alguma coisa do superávit.

É como uma colega disse:

ARRE EGUA......

Anônimo disse...

A proposta de passa 90% para 100% é uma vergonha.

O pessoal já recebeu os 75% no passado e agora que mais uma vez.

Essa porposta só beneficia os salários dos medalhões.

Daqui a pouco vão querer 100 para 120 e de 120 para 150, 160, 200, 210..........

Anônimo disse...

Acho justo que quem já recebeu o Renda Certa 1, tenha esse valor deduzido do que tiver à receber do Renda Certa 2, os que extrapolaram em muito esses valores nada receberam agora, devolver alguma coisa do que lhes foi creditado, será inviável, quem deveria pagar essa conta são os dirigentes da Previ que aprovaram essa aberração.

A devolução das contribuição que excederam 360 parcelas, sem dúvida deveria ser uma medida para atendimento imediato e beneficiária também a Previ, uma vez que ela não precisaria pagar as custas na justiça para quem entrou com a ação do Renda Certa, sanaria aí uma absurda injustiça.

Rubem Tiné disse...

Concordo. Negociação já!

mary disse...

Ao colega que perguntou se ja recebeu da Previ o valor ref a parcela ja debitada por ocsião do novo ES.Ja creditaram hoje. verifique sua conta pois certamente fizeram acerto.Acho que mesmo com esse novo ES. muitos colegas não poderam renovar ou se renovaram a margem era pequena e talvez não tenha conseguido sanar as dividas mais urgentes, Dou graças a Deus porque, na verdade não pude resgatar todas as minhas divídas mais sair um pouco do sufoco que estava. Com os salários que gaanhamos e o custo de vida alto como está aqueles que tem muitos dependentes estão passando por momento muito delicado. Estamos constatemente renovando a Cooperforte, ES, e CDsalario no BB., tem sido muito deprimente essa é poca em vivemos. Pra acabar de compromoter ainda mais nossa situação, aparece aqueles engraçadinhos com propostas mirabolantes, se o BB pode ficar com 50% o que resta é apenas 6.400, mal dá pra dá um ajuste de 10% com piso de 500,00 por 06 anos e creio que pelo valor. so sobrará apenas para pagamento das contribuições de todos. E seria bom se os Funcis da Ativa começassem a pagar porque um dia irão se aposentar e nao estão fazen jus a essa aposentadoria. ACORDA PREVI x BB x FEDERAÇÃO X ASSOCIAÇÕES. E TODOS OS COLEGAS TAMBEM. Precisamos lutar, reclamar para poder vencer . Marcos continue a lutar por todos não desanime por nada, creio que todos Associados da AAPREVI, aprovam o seu procedimento. Abraço a todos.

wilson luiz disse...

Vários colegas aqui se manifestam preocupados com a possibilidade de o Banco receber sua parte em uma única parcela, se houver acordo.
Uma das poucas coisas boas da Resolução 26 é que, neste ponto, estabelece igualdade de condições entre Patrocinador e assistidos. O artigo 25 diz que a distribuição deverá ser de forma parcelada, em, NO MÌNIMO, 36 parcelas, sendo que, na ocorrência de déficit o pagamento será suspenso, tanto para o Banco quanto para os associados da PREVI.
Perguntar não ofende... porque em nossas propostas consta pagamento de reajuste temporário em 6 anos, quando poderia ser negociado valores maiores pelo prazo de 3 anos?
Ainda endosso a proposta que um colega apresentou, anteriormente:
-define-se o critério de distribuição, estabelece-se o valor a ser distribuído e divide-se tudo em 36 parcelas.
Repito, também, o que escrevi anteriormente, que a média de idade dos aposentados é alta, alguns inclusive com a placa de acréscimos já levantada pelo Juiz Supremo.

Anônimo disse...

Colega Isa Musa,

Pelo que estamos entendendo, a solução dos assuntos polêmicos, sócio/políticos/econômicos, estão sendo postergados, por ordem do Governo, para depois de 31/10/10, como aconteceu no rumuroso caso da Erenice, onde a Polícia Federal, subordinada ao Ministério da Justiça, prorrogou por 30 dias, o fim das investigações.
Dentro da sua ótica, a senhora vislumbra uma decisão sobre os superávits na primeira quinzena de novembro, ganhe "A" ou "B"?
Ainda na sua opinião, qual proposta, ou quais propostas,
em ordem de prioridade, tem mais chances de serem aprovadas?
Por que o pessoal da ativa, já desfrutando de PLR sobre superávits, ainda precisão estar isentos de contribuições? Regalia de dois benefícios, é justo?
Por que os aposentados vão arcar com a isenção das contribuições do BB, se os R$2.2 bilhões forem descontados na nossa fatia?
Solicito-lhe a especial fineza de manifestar-se sobre o exposto, como forma de acalmar o pessoal e lançar luzes para melhor assimilação do que possívelmente vai se materializar.

Abraço.

João Rossi Neto.

Anônimo disse...

Colega Wilson,
O pagamento em até 36(trinta e seis) prestações so´será aplicado no caso de Reversão de Valores. Ao que parece, apenas o Patrocinador será contemplado com essa modalidade. Quanto aos participantes, até então, será efetuada a Melhoria dos Beneficios.
O artigo 18 Prevê a interrupção da utilização da Reserva Especial caso a Reserva de Contingencia fique abaixo dos 25% das Reservas Matemáticas.

Anônimo disse...

Caro Marcos, estou comtigo neste conceito "Dia de sufoco". Eu mesmo fiz o emprestimo simples de 100 mil estou usando ainda o CDC do BB. Não cheguei a este estremo não. Apoio os seus pensamentos com relação a negociação com o BB. Precisamos muito deste superavit já. Mas veja bem, muitos falam em "superavit" mas ele ainda não existe. Só vai existir quando a PREVI estiver negociado as suas ações na bolsa e com o dinheiro em caixa, ai sim terá superavit. Se ela negociar de uma só vez poderemos ter um deficit sim muito grande, o ideal é em parcelas necessárias para os compromissos parcelados, conforme o JOÃO DIAS NETO diz acima (11;00).
Estou tambem de acordo com os dizeres do ANÕNIMO das 11;40 em relação as PENSIONISTAS. ELAS TEM QUE RECEBER O MESMO QUE NÓS FUNCI APOSENTADOS (40% para 100%). Quando nós partimos para o outro lado veremos a dificuldade que elas terão em controlar as despesas, que estão sempre aumentando, com esse baque no orçamento de 40% do salário do falecido.
VOCES JÁ PENSARAM. AMANHÃ UM DE NÓS PODEREMOS ESTAR PARTINDO.

ABRAÇOS A TODOS OS FUNCI. APOSENTADOS E AS FUTURAS PENSIONISTAS (com 40%)

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.
Alguns participantes deste espaço costumam copiar extensas matérias de outros blogs e colar como comentários anônimos. Muito embora citem a fonte, e por isso mesmo, essas postagens atrasam a moderação visto que há necessidade de conferir o artigo original para não incorrer em erro, uma vez que a cópia pode conter modificações grosseiras e, assim sendo, este moderador será responsabilizado. E essa conferência implica em perda de tempo.
Para complicar, o bem intencionado colaborador ao ver outros comentários posteriores publicados antes do seu, e no afã de que este seja contemplado também, fica repetindo o “seu” texto na suposição de não ter chegado. Isto atrasa mais ainda a publicação, com reflexo em outras, pela repetição do processo de comprovação da autenticidade na outra fonte.
Em casos assim, é recomendável informar o tipo da matéria de que se inteirou e, entendendo ser relevante divulgá-la, registrar o site onde possa ser acessada, através de um simples link. Deste modo a dinâmica da atualização dos nossos comentários não sofrerá atrasos. E o diligente colaborador terá cumprido o seu papel, beneficiando a todos com o conhecimento adquirido na outra fonte.

Grato,

Marcos Cordeiro de Andrade

Anônimo disse...

Anônimo Rubão - 19/10 às 11:47,

Vc, por acaso, também era conhecido por "Falcão", e nos anos de 1980/1981, esteve adido lá pelos lados de Altamira-PA, mais precisamente em Vila Pacal-PA.

Pensionista sem voz fora da AAPREVI disse...

sergioinocencio, entendi o mesmo q vc.

sergioinocencio disse...
Marcos,

creio que a maioria que le o blog ainda não entendeu, o que o Banco não concordou não foi com os 50% que lhe cabe, foi com o valor que a previ apresentou, os 50% ficaram abaixo do ja contabilizado, de 13 para 14 tem diferença, ele quer que o valor corresponda exatamente ao que ele contabilizou, se vai sair da nossa parte o problema é nosso, a parte dele ta correta, nós que vamos nos virar com o que sobrou.
TO CERTO OU ENTENDI DEMAIS ?????

20 de outubro de 2010 11:30

Anônimo disse...

Amigos e colegas!É preciso simplificar a pauta se quisermos ter o superávit ainda em 2010.Colocar na pauta de negociações 25% de aumento e um piso mínimo de 1000 reais, e mais um 14 salário está ótimo!Não adianta procurar outras propostas, pq não passam de outro renda certa(roubo certo), esta proposta é universal e atende à todos, inclusive os pré, pós 97 e pensionistas e aposentados por invalidez.Precisamos de propostas amplas e abrangentes.O resto é blábláblá!

Anônimo disse...

Se o BB está pagamento a PLR hoje, é porque o Balanço do 3º trimestre já deve estar pronto. Fiquemos de olho na sua contabilização.
Embora o adiamento das negociações frustou a todos, vejo algo de bom nisso. O Ibovespa de agosto foi negativo (-3,51%). Mas em Setembro registrou 6,58%, anulando o efeito de agosto e recuperando valorização. Nossa Renda Variável agradece. Vamos esperar o resultado de setembro.
Será que no calculo do valor referente à suspensão das contribuições está incluida a parte do Patrocinador. Caso esteja, o valor total(participantes e patrocinador) deverá ser abatido da Reserva Especial antes da destinação, senão o "espertalhão" receberá mais.

AIRTON disse...

MARCOS, vou esternar aqui a minha opinião.
1 ) Voltar a receber dos funci da ativa a sua contribuição(para fazerem jus a sua aposentadoria) e a parte do BB também. Tudo isso seria RECEITA PARA A PREVI e não despesa de 2.200(BI) de nosso superavit.
2 ) Aumentar as PENSIONISTAS de 60% para os 100%. Considero justo e (NÃO ACEITO CONTRA ARGUMENTO - UM DIA VOCES VERÃO)

3) AUMENTO GERAL de 40% para todos os assistidos e pensionistas por 36 meses/enquanto durar o superavit. Consequentemente eu creio que a PREVI nunca mais vai dar deficit e sim novos superavit que poderão ser distribuidos anualmente junto com o acerto de junho de cada ano(superavit + correção monetária).

As outras auterações seria por conta de novo estatuto se for possível.
Abraços
AIRTON

Anônimo disse...

Proponho que seja sugerido na próxima reunião que está agendada, que da mesma maneira que o BB contabilizou antecipadamente parte do superávit, seja feito um adiantamento de 3 mil reais a todos aposentados e pensionistas. Levando em conta a experiência do banco em adiantamentos sem o devido repasse de dinheiro, a tarefa será extremamente simples.
Quanto ao colega em situação mais difícil que a minha, quem sabe juntando um pouquinho de cada conseguiríamos atenuar seu problema. Basta divulgar um número de conta que eu ajudarei. Me associei na AAPPREVI não apenas para ter facilidades. Tornei-me sócio pq percebi que aqui existe um espírito solidário.

Anônimo disse...

Caro Anônimo - 20/10- 13:58,

Tomara que eu seja agraciado com bons ventos, boas noticias e maravilhosos "dias", já que,certamente, por engano, o colega citou-me como João DIAS Neto. Obrigado, assim mesmo.


João ROSSI Neto.

Anônimo disse...

Colegas,

É pessoal a CONTRAF-CUT, um governo de ESQUERDA, um pelego SASSERON, todos empenhados em aprovar a proposta de aumento de teto para 100%. O resto que se exploda. É o poder corrompe, a frase é velha, mas continua valendo não é mesmo Sasseron e Valmir.

Anônimo disse...

Gostaria de saber se quando se fala em aumento sobre os benefícios estão incluídos também os valores pagos pelo inss?

antonia disse...

Marcos,
Sem querer polemizar, mas não dá para ficar calada diante da crise mundial. Na França e agora na Inglaterra, ambas quebradas tentando todos os recursos para superar a crise, inclusive com aumento no tempo para aposentadoria e na Inglaterra milhares de demissões programadas. Até a Rainha está entrando na dança para resuzir custos.
E nós aqui discutindo superavit pelo bom desempenho da bolsa, criação de mais de 200 mil empregos só em setembro e etc.
Gente, nosso presidente é apenas um ex-torneiro mecanico e está dando de goleada nos sangue azuis da Europa e EUA.
NÃO DÁ PARA NÃO COMPARAR, EU SÓ IMAGINO SE ESSE POVO ESTIVESSE NO PODER O QUE SERIA DE NÓS. SEM CRISE JÁ VIVIAM AJOELHADOS DIANTE DO FMI E VENDENDO O BRASIL TODO PARA ANGAIAR RECURSOS, IMAGINE COM A CRISE.
a desculpa deles é o mensalão, (que começou no PSDB de Minas), ou escandalos que são privilegiados pela conivencia da midia golpista.
Corrupção existe dos dois lados, a grande diferença é que um é exposto ao máximo e outro é encoberto ao máximo.
Mas políca é assim mesmo existem os políticos que fizaram algo errado e foram descobertos e denunciados e os outros que fizeram a mesma coisa e tiveram a sorte de AINDA NÃO TEREM SIDO DENUNCIADOS.

O POVO NÃO É BOBO







e os Serristas de plantão não venham me dizer que eu estou numa boa, não é isso, mas, melhor que na epoca dele eu estou.

Anônimo disse...

è para o Sasseron e o valmir conseguirem aumentar o teto para 100%, o resto que se exploda mesmo, ou melhor chupem o dedo.Agora fica uma pergunta, se só a ANABB manda, para que as outras associações?

Anônimo disse...

Anônimo Airton -20/10 - 14:26


Parabéns, colega, vc sonhou que era o Rei Midas e que distribuia ouro para assistidos, pensionistas e afins. Sonhar com riquezas é melhor do que ter pesadelos com a leitura da Resolução 26.


Abraço.

Ari disse...

Colegas do blog:

Pelo que entendi numa explicação da reunião da Faabb dia 17.10 é que a proposta de 75% para 100% beneficiaria a todos, pois não haveria mais a restrição a quem fosse anterior a 1997. Outrossim, quem já fora contemplado no 75/90, desta vez só teria o complemento de 10%. Mas o expositor deixou claro que nesta proposta TODOS seriam beneficiados.
Um grande abraço a todos.

Anônimo disse...

Colega Ari,

Acontece que existem dos tetos de contribuição dentro da PREVI:

- 136% do VP+AN, ou
- 90% da remuneração (75% antes do último superávit distribuido)

Os salários mais baixos AP 08 a 13, caem no teto dos 136%, os salários mais altos caem no teto de 90% anteriormente 75%.

Se esta proposta que consta tanto nas reivindições da ANABB como da CONTRAF-CUT for aprovada assim como esta redigida por eles, os salárioa mais baixos vão ficar novamente de fora da distribuição.

O que pode estar acontecendo é que criaram uma outra proposta alternativa, que não tem nada a ver com o teto de contribuição e não explicaram corretamente.

Anônimo disse...

De que lado estão todos os Diretores da Previ? É hora de conferirmos:
CÓDIGO DE ETICA DA PREVI
Para fins deste Código, funcionários do quadro próprio, cedidos pelo Banco do Brasil S.A., presidente, diretores executivos e conselheiros deliberativos, fiscais e consultivos são denominados de funcionários e demais colaboradores.

1. DOS FUNDAMENTOS

1.1. O Código de Ética reflete os valores, princípios e padrão de comportamento assumidos pela PREVI e seus funcionários e demais colaboradores
8.2 - Dos Relacionamentos Externos

8.2.3 - Com o(s) Patrocinador(es)

O relacionamento com o(s) patrocinador(es) caracteriza-se pela colaboração, consideração e parceria mútua, ZELANDO SEMPRE PELOS INTERESSES DOS PARTICIPANTES.

Vamos conferir, e cobrar.

LUIZ FERNANDO disse...

MARCOS E COLEGAS, SE UMA PROPOSTA APRESENTADA, ESTAR LIGADA A MUDANÇA DOS ESTATUTOS, PODEMOS ESQUECER SUPERAVIT. POR FAVOR, VAMOS SIMPLIFICAR.O TEMPO CORRE, AS CONTAS VOAM, O CH ESPECIAL JA FOI, CDC JA FOI, COOPERFORTE JA FOI, FINANCEIRAS(ABUTRES) JA FOI, PREVI JA FOI, MEU DEUS||!!!. SIMPLIFICAR.

Anônimo disse...

Naõ entendi essa: Flores disse num discurso que nós temos direitos adquiridos, e agora???

Anônimo disse...

Quanto à extinção do Voto de qualidade acho que não há urgencia, no momento. O Projeto de Lei Complementar 140/2007, do Deputado Eudes Xavier, já está com parecer favorável, na CCJC, e pronto para a pauta.
Quanto ao que o colega anonimo 05:15 relata, pode ser que seja quanto à entrada em vigor da Resolução em 01 de outubro de 2008
. Se uma lei não pode retroagir, prejudicando direitos adquiridos, uma Resolução muito menos. Se isto não acontecer, se uma Resolução emanada de um Colegiado, intitulado Conselho de Gestão, se sobrepor a uma Lei Complementar, não precisaremos mais do Poder Legislativo. Talvez seja melhor fechar o Congresso.

Anônimo disse...

Colegas,

Os Juízes deste País sem a mínima dúvida reconheceriam DIREITOS ADQUIRIDOS, após decadas da constituição da Previ, com o apoio INCONDICIONAL do bb, em prol dos aposentados.
A mudança de trato da Previ é recente, imposta pelo governo fhc, portanto não afeta aqueles que contrataram emprego com o bb, sob a égide da contribuição voluntária do bb, sem que no contrato estivesse estipulado qualquer retorno ao bb de valores de contribuição, enquanto existir um só beneficiário/aposentado.
Paralelo se pode fazer com a CASSI em que eramos OBRIGADOS a aderir, com contribuição certa de empregado e empregador.
Os advogados do bb sabem disto e procuram disfarçar a posição do bb.
Os Juízes são inteligentes, preparados para examinar tais questões e garantirem os DIREITOS ADQUIRIDOS, pelos aposentados da Previ.

Anônimo disse...

Não é possível continuar travada uma negociação que se arrasta há anos.
Não é possível a Previ continuar indiferente à situação lastimável em que se encontram seus assistidos.
Não podemos ficar parados esperando reuniões e mais reuniões, em outro país nós os aposentados já estaríamos na rua fazendo passetas e manifestos, é tempo de eleições temos que botar a bôca no trombone

Anônimo disse...

Colega, se existe a tal resolução que entrou em vigor em 01/10/2008,que uma resolução não pode retrogir, prejudicado direitos adquiridos, porque ainda não rasgaram a mafaldada res.26?

"...que País é esseeeeee!

Anônimo disse...

A PREVI tem a grande fortuna graças à contribuição dos associados durante muitos anos de suas vidas. O objetivo da contribuição era: contribuir para ter uma vida digna quando aposentado.
A Previ de hoje pensa diferente: arrecadar para ajudar o governo e o BB. "Os aposentados que se danem"....pensam. Os eleitos são assediados com promessas de grandes cargos no futuro (ex. Sérgio Rosa), por isso ficam do lado do patrocinador e do governo. Para eles não interessa a migalha da complementação. Imaginem o que está por vir para aqueles que estão entrando no Plano Previ Futuro.

Anônimo disse...

Colegas,
A Resolução afronta, pelo menos, duas garantias Constitucionais: ( incisos II e XXXVI)

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
(Isonomia)
II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;
(Resolução não pode obrigar)
XXXVI - a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa julgada;
(proibe a retroatividade das leis.
Pior para as Resoluções, que são atos normativos)
Na minha opinião, a Resolução,( flagrantemente inconstitucional, mas em vigor) se for aplicada não pode retroagir.
A sua vigencia começa na data de sua publicação ( 01/10/2008).
Até 30 de setembro de 2008, prevalece a Lei Complementar.

Anônimo disse...

Colegas,

Quando vejo um cara como SASSERON "defendendo nossos interesses", sinto-me com quem quem vai viajar e esquece a chave na porta. Entreguei minha casa aos bandidos e quando eu voltar vai estar vazia.

Anônimo disse...

Antonia,

Amiga, fala sério, voce quer comparar a situação da França, Inglaterra com a nossa? Eles com crise vivem muito melhor que nós, voce sabe que o salário desemprego na França corresponde a R$3.280,00, voce sabe como é a assistência médica lá, voce acha que é como aqui, que as pessoas morrem na fila de espera, se o está acontecendo com os idosos da Previ fosse lá,todo país já tinha ido para as ruas protestar.