sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Nem Salomão conseguiria

Caros Colegas.

A discussão pública dos parâmetros distributivos do superávit está se afastando da realidade que deve ser observada. Não se trata de cuidar de individualismos exacerbados ou de sentimentos filantrópicos carentes de fundamento. O assunto superávit nada mais é que uma busca para resolução de um problema, por sinal um grande problema que todo Fundo gostaria de enfrentar, assim como os seus participantes. Algo como um técnico ao escalar um time para por em campo e que, apesar de contar com um elenco fortíssimo, tem limitações no número que pode usar. Temos muito dinheiro para dividir e muitos modos para fazê-lo, mas há limitação nos critérios para justificar a divisão.

Por isso, devemos lembrar o dístico que encima este Blog:

“Sem individualismos ou disputas pessoais aqui poderemos aplicar idéias e conhecimentos em busca de melhorias – primando pela defesa dos direitos adquiridos”.

Normalmente, ao opinar sobre como deve ser feita a partilha o participante se pauta no suposto enquadramento, baseado nos desejos e necessidades individuais sem atentar para o coletivo. O leque que temos à frente oferece informações em que amparar os critérios que gostaríamos de ver obedecidos. Mesmo assim, há que se atentar para as limitações de tempo, legitimidade de interferência e subordinação às regras existentes. E, principalmente, o direcionamento a ser dado para atingir beneficiários.

Não podemos, no afã de resolver problemas particulares, ou mesmo consertar injustiças de que nos julgamos vítimas, fazer uso do poder de influenciar para a tomada de decisões que transcendam nosso entendimento sobre como reparar erros passados, visto que esse peso deve ser pulverizado para recair sobre um determinado ajuntamento de pessoas – no caso presente, cerca de 120 mil famílias.

Assim é que essa discussão deve ter em conta que é curto o tempo restante para formação de uma nova pauta, definitiva desta feita, a ser defendida pelos nossos representantes na reunião seguinte. E ela não pode conter indeterminado número de propostas - ainda mais porque já existe um indicativo dos pedidos. Cabe agora reduzir o número apontado trazendo-o à realidade de contemplação e execução baseada no consenso e, principalmente, no bom senso.

Afigura-se promissora a disseminação de opiniões sobre como e para quem deve ser destinado o superávit. Mas esses palpites não devem ser excludentes sob a visão egoísta e até discriminatória. Sem esquecer que os direitos supostamente adquiridos podem levar a indicações precipitadas e errôneas.

Portanto, faz-se necessário direcionar o raciocínio para a existência de necessitados e tendentes a merecedores de participar da distribuição visada, direta e indiretamente: pensionistas, aposentados por invalidez, excluídos da última distribuição, aposentados precoces, viúvas – novas e velhas, atuais e futuras – filhos dependentes e os que já perderam esse status, além de pais e avós que serão afetados pelas decisões tomadas sob a influência da nossa participação opinativa. E tantos outros que contribuíram para a situação presente. Isto sem imprimir peso maior ou menor ao grau da percepção de benefícios e sem influência de critérios limitadores da abrangência que se espera seja respeitada.

Fazer justiça não é impor a vontade ou a força para se conseguir vantagens pessoais, mas sim fechar os olhos para nossas particularidades e abri-los para enxergar as necessidades do próximo. Se os beneficiamos com nossas decisões, igualmente seremos aquinhoados com as dádivas concedidas, pois estamos entre eles.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 1°/10/2010.

124 comentários:

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

O BANCO AGORA TEM PRESSA EM NEGOCIAR O SUPERÁVIT ???

Por Antonio Miguel Langoni

A despeito da imagem que o Banco tinha, das boas lembranças que muitos ainda guardam daqueles tempos, muita coisa foi feita de forma, que analisada friamente, não guarda relação com aquilo que nos cobravam como funcionários daquela época. Muita coisa foi feita sem respeitar os princípios da honestidade, moralidade e publicidade. Muita coisa foi feita de uma forma e explicada de outra, de modo a induzir funcionários e participantes da Previ a darem legalidade a uma porção de coisas, no mínimo censuráveis.

Vejamos,

O PDV, apresentado como voluntário hoje sabemos, não o foi e conhecemos – temos tudo documentado. Quem não aderiu de forma “voluntária” acabou demitido de forma “involuntária” e ninguém fez nada. O Banco precisava ser salvo. Pagamos o preço.

Em 1997, o Banco acabou por se aproveitar de 2/3 do superávit “achado” na Previ, e acabou por “saldar” suas dívidas para com a Previ, relativas ao grupamento pré-67, não capitalizadas, conforme previa a lei; que foram usadas durante anos no regime de caixa. Acabaram por se utilizar das “contribuições saldadas” dos participantes.
Na utilização unilateral desse superávit, participantes e assistidos ficaram a “ver superávit”. No contexto das mudanças, alterações, regulamentos, ainda acabaram por dar, de forma impensada, “legalidade” aos atos praticados.

Ao longo dos anos, a relação do Banco/Previ, com participantes, aposentados e pensionistas, só vem se deteriorando, especialmente pelo descaso, desprezo e falta de consideração como são tratados. O passado, e o que fizeram, pouco importa aos atuais gestores. Hoje eles têm muitas outras coisas a fazer, são conselheiros em muitas empresas, têm muita ocupação, outros rendimentos.

continua...

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

...continuação

Parece que agora, de forma “inesperada”, surgiu disposição para negociar?

Vejamos,

Parece que o Banco Morgan Stanley acabou por criticar os procedimentos contábeis adotados pelo Banco; Parece que a Previ acabou por contratar o mesmo Banco Morgan Stanley para alguns estudos – no mínimo, alguém precisa cotejar os porquês.

Parece que se ao final do terceiro ano consecutivo de superávit, é obrigatório, por lei,
a revisão do plano de benefícios, como isso se desdobraria??? O Banco continuaria a ter “direito” à metade desse superávit????

Para nós pdevistas, depois de inúmeras derrotas no Judiciário, pela criação de súmulas, pela indefinição da competência, uma nova oportunidade nos aparece, através de uma Ação de Prestação de Contas, contra o Banco e a Previ. Por ser ação pessoal, a prescrição é de 20 anos, cfe. CC de 1916, que reduzido pelo NCC para 10 anos, temos agora até 2013 para recuperarmos nossos direitos. Certamente milhares de ações começarão a ser impetradas. Assim como surge a possibilidade de se questionar judicialmente a paridade nas contribuições. A lei que estabeleceu a paridade nas contribuições, tão somente valeria, deveria ter sido adotada para os funcionários admitidos após aquela data. Do modo como feita, o Banco passou a contribuir de forma paritária, fazendo com que as reservas dos funcionários admitidos até o advento da paridade, restassem menores.Muitos funcionários demitidos depois dessa lei, acabaram por receber valores inferiores ao que teriam direito. Outras conseqüências resultam dessas medidas.

Acredito que novamente usarão de astúcia, aproveitando mais uma vez da ingenuidade dos participantes, que ainda guardam em suas memórias aquele Banco, que não existe mais, que novamente acabarão por dar legalidade aos “direitos” que o Banco julga ter.
Se querem parâmetro para comparação, peguem o do AERUS, não o da VALE.
Muitos, até por necessidade financeira urgente, acabarão por sucumbir.

Uma das melhores definições que encontrei sobre a utilização do superávit foi o parecer encomendado pela UNAMIBB ao Dr. Wladimir Novaes Martinez, que sabiamente concluiu que o superávit deve ser devolvido a quem lhe deu causa, de forma que não mais existam situações de questionamentos judiciais. Banco e Previ deveriam aproveitar este momento histórico para reparar injustiças e reduzir demandas judiciais, que certamente surgirão.

Diante do contexto que se apresenta, eu pagaria para ver. Agora, sem pressa, deixaria para Janeiro/2011 a revisão obrigatória e legal do plano de benefícios nº 1 da Previ.

O momento parece oportuno à reflexão.

Antonio Miguel Langoni.

Anônimo disse...

Interessante, Langoni, se não estivessem em situação de penúria a maioria de nossos colegas, até que seria uma ótima vingança não se aceitar acordo algum no momento. Com relação a prejuizos devo salientar que não só os pedevistas de 1995 estão enquadrados nessa categoria mas também os que não aderiram e tiveram que aguentar as pressões desumanas até início doa anos 2000. Ficaram inúmeras sequelas.

Anônimo disse...

Por não vislumbrar nenhuma melhoria de benefício nos próximos meses (olha que sou otimista!!). Acabei de renovar o EMPRESTIMO SIMPLES. Mas, no fundo espero estar equivocado. Tem pouco índio para muitos caciques nessas negociações.

Anônimo disse...

Gosataria que voces me dissesem quem é o Langoni! Faz parte da diretoria do BB ou da PREVI!!! Sou viuva e não estou a par.
Obrigada, assim entenderei melhor essa mensagem!

Anônimo disse...

Colegas,

A cobiça sobre o nosso dinheiro administrado pela PREVI, é muito grande, principalmente por parte do governo.
Assim, é fácil observar que a começar pelos funcionários da ativa, todo mundo que pisar no nosso pescoço para tirar vantagens.
Os outros ( BB, PREVI, PREVIC, O CACHORRO DO LULA--sentido dúbio --) formam um corredor polonês e o cacete come sobre as nossas cabeças.
Por isso temos de manter a união e, no momento, focar, sem que seja egoismo, dos nossos problemas.
Infelizmente, os pedevistas não podem vir na nossa esteira, precisam e devem defender os seus direitos, mas pela via judicial.

LUIZ FERNANDO disse...

MARCOS, entendo os anseios ,as angustias de todos que se manifestam;o teu espaço(nosso) é a maneira de extravarmos nossas iras ,nossas raivas ,que se acumulou com 30 anos de banco, vendo injustiças,vendo colegas se apequenar por troca de um cargo, empurrando seu colega á sarjeta. Para recuperar injustiças ,só, com a justiça divina. tentaremos começar do zero,comendo o BOLO ,todo em partes iguais, e não de acordo com a nossa fome.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Resposta à Colega sobre o Langoni - 12:55:
Antonio Miguel Langoni é pdvista, amigo e importante colabrador do Blog:

"Caro Marcos,

Acabei por ficar perplexo. Eu? Confundido com diretor do BB ou da Previ? Será que deixei margem à dúvidas ?

Se não parecesse presunção de minha parte ou algum outro interesse excuso, colocaria em minhas mensagens além
do email, endereço e telefone.

Me sentiria até confortado em poder esclarecer minha identidade (pobre pedevista) e dirimir dúvidas.

Abraços,

Langoni
antoniomiguellangoni@bol.com.br
antonio.miguel.lango@terra.com.br"

Anônimo disse...

Colegas,

O realinhamento do Plano 1, caso ocorresse, seria a mais abrangente de todas reivindicações, embora não seja a principal proposta.
Ninguem ficaria de fora neste item. Haveria, inclusive, correção das injustiças ocorridas no "Renda Certa modelo 2006".
Trata-se da proposta 360/360.
Esta proposta equipara o tempo de contribuição na ativa, com o tempo de contribuição como aposentado, retroagindo a abril de 1967.Isto é, soma os dois tempos. Quem ultrapassar as 360 contribuições, recebe o excedente
através do Renda Certa ( modelo 2009). Quem se aposentou proporcionalmente terá a sua complementação recalculada até 2009. Quem está recebendo ou já recebeu o Renda Certa quando foi considerado TEMPO DE TRABALHO COMO TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO, SOFRERÃO DESCONTOS POR ESTA NOVA PROPOSTA.
Serão estas as situações:
a - funcionários com 360 meses de contribuição na ativa e mais um tempo como aposentado:
b - funcionários com menos de 360 meses de contribuição na ativa e mais um tempo como aposentado;
c - funcionários com mais de 360 meses de contribuição na ativa e mais um tempo como aposentado;
d - funcionários com menos de 360 meses de contribuição na ativa e nehum tempo como aposentado;
e - funcionários com mais de 360 meses de contribuição na ativa e nenhum tempo como aposentado;

Gostaria de ver a opinião dos colegas.

Anônimo disse...

Desde que comecei a frequentar o blog (não muito tempo), esta foi a primeira vez que li uma defesa em favor dos aposentados por invalidez. Ainda existem aqueles que os acham vagabundos... VALEU A LEMBRANÇA MARCOS.

Anônimo disse...

Peço que me perdoe Sr Antonio Miguel Langoni, pois sou viuva, pensionista e além disso nova nesse blog.Não fiz por mal essa pergunta.
Um grande abraço!!!

Joaquim Luiz disse...

Creio que a colega pensionista, deve ter feito confusão com um tal de Carlos Langoni,um economista que foi Presidente do Banco Central, na época do Gen. Figueiredo e que realmente fez alguns trabalhos para a PREVI. Não sei se foi ou não ex-BB e o elo dele com a PREVI pode ser visto em: https://www2.gestao.presidencia.serpro.gov.br/secom/folder_noticias/2008/1/tel15jan2g

Gostei também muito do comentário do Luiz Fernando, qdo disse:
Para recuperar injustiças ,só, com a justiça divina. tentaremos começar do zero,comendo o BOLO ,todo em partes iguais, e não de acordo com a nossa fome,

Faço apenas um obs: comendo o BOLO ,CFE A QTDE. DE FARINHA QUE CADA UM FORNECEU, e não de acordo com a nossa fome, OU SEJA, SE DEU POUCA FARINHA TERÁ DE COMER MENOS, MAQS DEVER[A COMER SEMPRE ALGUMA COISA.

wilson luiz disse...

Caro anônimo 01 outubro 13:07 hs.
Você tem toda razão, é fundamental que fiquemos unidos. Não podemos nos dispersar, independente do que vier a ocorrer nestas negociações sobre o superávit. Estamos sós contra forças poderosas, o Banco do Brasil e sua mais rentável subsidiária, a PREVI, nos odeiam. Eles são NOSSOS INIMIGOS, e contra os inimigos não se pode, jamais, baixar a guarda. Precisamos fortalecer cada vez mais a AAPPREVI, acredito que somente ela poderá nos conduzir neste confronto no qual, em síntese, estará em jogo nossa sobrevivência.

sergioinocencio disse...

Marcos,

quando do Renda Certa, e tambem na redução da parcela PP, fiz varios questionamentos a Previ, e a resposta sempre foi a mesma, Aposentado por Invalidez não tem direito a nada. ( eu era ou sou um paria e não sabia).
e tenho certeza, que mesmo neste novo projeto de distribuição de Superavit nós ficaremos novamente de fora, a Previ entende que não nos deve nada, e que somos os grandes beneficiados de tudo, fazendo minhas contas descobri que o INSS tinha que recalcular tudo antes de transformar o meu auxilio doença em Aposentadoria por Invalidez, não fez. agora ta na justiça.
a Previ deveria me pagar cfe estatuto de quando entrei no banco em 1975, não fez, ta na justiça.
acho que assim individualmente consigo corrigir algumas das injustiças, pelo menos as que sofri.
muito BONS os comentarios do Langoni, esta luta tambem tem aqui em casa, minha mulher é PDV de 1995.

Anônimo disse...

Marcos, com relação a mensagem "Nem Salomão conseguiria", você abordou um tema que venho dizendo neste blog. Alguns querem levar vantagem em tudo. São adeptos da Lei de Gerson.
Propostas lançadas em pesquisa tendem a confundir os aposentados, e nós "os idiotas de plantão" votamos e com isso fazemos o jogo deles sem notar que estamos caindo numa armadilha igual ou pior que a distribuição do superavit anterior.
Dão explicações tão obscuras que vão engabelando a todos nós e caímos como patinhos.

Técnicamente você usou a palavras "nossos representantes" vão discutir/negociar a distribuição do superavit, mas fica a pergunta que representantes são esses? Quais são confiáveis? Qual entidade em quem podemos confiar? Marcos, não existe, o passado desses nossos "representantes" são condenáveis, são os mesmos de sempre e essa é uma triste realidade a que não podemos nos furtar.
Marcos, na realidade estamos sozinhos.

Para que tantas propostas para distribuição do superavit?
Na verdade o que se esconde atrás de tanta propostas.
Para causar divisão entre os assitidos, provocar atritos e para que depois apresentem as fórmulas já prédeterminadas como se fossem para resolver o impasse e a distribuição fica como eles queriam.

Marcos, infelizmente antevejo mais uma vez vez uma distribuição espúria e o pior que acredito que para mim vou receber o mesmo da vez passada: nada. Isso mesmo, nada.

Como disse um colega que das 9 propostas apresentados somente 2 deveriam ser aproveitadas e as demais descartadas. As outras 7 foram apresentadas para apenas confundir ou para adotar a Lei de Gerson, já ganhei e quero continuar ganhando mais.

Acredito que agora é hora de deixarmos nossas opiniões sobre o superavit em banho maria, pois, com as 9 propostas apresentadas a tendência vai ser uma demora exasperante e cansativa, visto que uma palavra já não faz mais parte das discussões:

I S O N O M I A

Minhas esperanças já se desvaneceram, não acredito em mais nada, motivos mais do que razoáveis não me faltam.
Boa sorte.

Anônimo disse...

AS COLOCAÇÕES DO COLEGA LANGONI DEVERIAM SER PROFUNDAMENTE ANALISADAS. Nossa situação não está sequer permitindo raciocinar. A súbita mudança de postura dos "poderosos diretores" é no mínimo suspeita. A movimentação do camilo em direção ao mini$tro demon$trou preocupação do patrão de ambo$. O perigo está na composição da mesa de negociação tendo Contranós-CUT (deveria ser a favorf-CUT), ANABB e outras entidades venais. Tenho ES como a maioria, mas agora vou torcer para as reuniões serem remarcadas até o carnaval... $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Anônimo disse...

Ao anônimo de 15;31, acima. Gostei da sua observação. Eu entrei no BB em 1962, aposentei-me com 28 anos e recebo 27/30. Não recebi nada do Renda Certa. Quem recebeu o RCerta que devolva o excedente. A minha opinião e esta, estou com voce, pelo menos acabaria com as ações contra a PREVI de Renda certa.Depois disso é só cumprir a lei (corrigir os benefícios de todos - aposentados e pensionistas). E se sobrar algo mais continuar atendendo outras reinvindicações até acabar o superavit.

Anônimo disse...

Olhem o e-mail da ANABB que recebi ontem, com a "graaande novidade"... Notem que o Emílio deixou o comentário, "de bandeja" pro "chefe" Valmir "brilhar".

de:anabb@anabb.org.br
para:xxxxxxxxxxxxxxxxxxx

data:30 de setembro de 2010 18:20

assunto:RECOMEÇAM AS NEGOCIAÇÕES SOBRE O SUPERÁVIT DA PREVI


Depois de suspensas as negociações por quase dois anos em virtude da crise financeira mundial e da reformulação de legislação que trata a matéria, recomeçaram nesta segunda-feira, dia 27 de setembro, as negociações envolvendo a destinação do superávit do Plano de Benefícios 1. Entidades representativas do funcionalismo e dirigentes eleitos da Previ se reuniram com representantes do Banco do Brasil, em Brasília, e apresentaram reivindicações para a utilização da reserva especial do Plano 1 em melhoria de benefícios dos associados.
Participaram da reunião dirigentes da Contraf-CUT, da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, AAFBB, AFABB-SP, FAABB, ANABB, os três diretores eleitos e conselheiros deliberativos eleitos da Previ. Os representantes dos associados apresentaram várias propostas que já foram debatidas amplamente com os associados ao longo dos últimos anos e referendadas em várias reuniões de entidades representativas: aumento linear com piso mínimo, continuidade da suspensão de contribuições, aumento do teto de benefícios para 100%, aumento no percentual das pensões para 80%, redução da Parcela Previ, 360/360 avos dos benefícios, aumento no benefício mínimo, antecipação do benefício para as mulheres aos 45 anos, abono anual para aposentados, resgate da contribuição patronal pelos pedevistas.
Além destas questões relativas ao uso do superávit, os representantes dos associados consideram fundamental negociar o fim do voto de minerva, o retorno da Diretoria de Participações aos associados e a volta dos direitos do Corpo Social – aprovação, pelo voto, de alterações no estatuto e regulamentos dos planos de benefícios.
Os representantes do funcionalismo deixaram claro seu entendimento de que a maior parte do superávit deve ser destinada aos participantes, por meio da melhoria dos benefícios ou de revisão do plano. Nas negociações anteriores, em 2005 e 2007, cerca de 2/3 dos valores disponíveis foram transformados em benefícios. A lista de reivindicações apresentadas contempla os anseios dos diversos segmentos dos associados ao Plano 1.
Depois dessa retomada de negociações, foram definidos os próximos passos para a busca do entendimento. Foi marcada nova reunião para o dia 18 de outubro. Será solicitado à Previ que apresente os cálculos dos valores a serem destinados e do custo de cada uma das propostas. Representantes dos associados e do banco farão, ainda, reuniões com a Superintendência da Previdência Complementar (PREVIC) para discutir o enquadramento legal da destinação do superávit diante de um eventual acordo entre as partes.
"A negociação não será uma tarefa fácil, uma vez que a patrocinadora quer a aplicação pura e simples da Resolução 26 e a comissão negociadora quer o realinhamento do plano para garantir o maior benefício possível para todos. No entanto, a unidade demonstrada neste momento e uma ação política forte junto aos organismos reguladores poderão resultar em vantagens para o Banco e para os participantes da Previ, sem prejuízo para a garantia de perenidade e segurança do nosso Fundo de Pensão", ressalta Valmir Camilo, presidente do Conselho Deliberativo da ANABB.

Anônimo disse...

Wilson Luiz,

Sobre as pensões, me corrija se eu estiver errado, mas acredito caber outra interpretação. O aumento não seria dado usando o dinheiro do superavit, mas em decorrência da revisão do Plano, ocasionado pelo superavit.

Na minha interpretação existem duas obrigações geradas pelo superavit:

1 - sua distribuição
2 - a revisão do plano, onde entraria, aí sim, o aumento das pensões

Por ser de entendimento q superavits são causados, dentre outros fatores, pela desvalorização dos benefícios pagos, a revisão do Plano se faz necessária.

______________________________________

Seção I

Da Revisão Voluntária e da Revisão Obrigatória

Art. 12. A revisão do plano de benefícios poderá se dar de forma voluntária, a partir da constituição da reserva especial, e será OBRIGATÓRIA após o decurso de três exercícios.
______________________________________

Subseção II

Da Melhoria dos Benefícios

Art. 23. A destinação da reserva especial para melhoria dos benefícios dos participantes e assistidos está condicionada à sua previsão no regulamento e na nota técnica atuarial do plano debenefícios.

Art. 24. Em relação aos planos de benefícios patrocinados pelos entes de que trata o art. 1º da Lei Complementar n.º 108, de 2001, a utilização da RESERVA ESPECIAL para melhoria dos benefícios deverá se dar sob a forma de benefício temporário, não incorporado ao benefício mensal contratado, a ser pago enquanto houver recursos específicos destinados a este fim, observado o disposto no art. 18.

____________________________________

Art. 18. A utilização da reserva especial será interrompida e os fundos previdenciais de que trata o
art. 17 serão revertidos total ou parcialmente para recompor a reserva de contingência ao patamar de 25%
(vinte e cinco por cento) do valor das reservas matemáticas quando for inferior o montante apurado a

Anônimo disse...

Caros colegas,
A discussão continua, porém, devo com pesar comunicar que perdemos mais um companheiro -MURIAÉ- que sempre lutou pelo Banco e suas causas. Faleceu, CLEIDE PEREIRA CARDOZO, coerente, parceiro, idôneo e sempre atencioso com os colegas, sobretudo numa época em que os Ajudantes de Serviço, eram obrigados a serem enérgicos.
Perdemos uma figura de extremo caráter. Menos um a usufruir do FAMOSO Superávit. Acorda BB !

Anônimo disse...

Noticia lamentavel!!!!!!! Quem será a próxima vitima a não poder usufruir dos seus direitos?
Acorda BB!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Acorda Previ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Ao Anônimo de 01 de setembro de 2010 15:31.
Esta proposta foi uma das muitas feitas pela Anabb em 2008.
È uma proposta que só serve para complicar,discriminando grupos de aposentados, deixando que uns possam receber mais e outros menos.
Como muitos já se manifestaram neste blog,a Anabb só tumultuou as negociações.
Estamos cansados dessa intromissão da Anabb.
As contribuições para a Previ foram suspenças desde 2007.Então fica a pergunta: O aposentado que somando tempo de contribuição na ativa e outro tempo de contribuiçao como aposentado, se o resultado da soma não atingir as 360 contribuições, vai ficar de fora? como tem muitos nesta situação.
Mais uma vez penso que a distribuição do superávit não precisa percorrer caminhos tortuosos.A exemplo da Valia, deve ser prática beneficiando a todos do Plano 1, sem discriminação.
O superávit deve ser utilizado para revisão dos benefícios do plano 1.
Isto é muito claro.Chega de artifícios.

Anônimo disse...

Creio que se Salomão estivesse na mesa de discussões ele optaria para que ninguem recebesse nada. Mandaria suspender a negociação e deixar todo o dinheiro na previ para assegurar que no futuro a previ não tenha déficit. Enquanto uma turma ficar dizendo que o banco não tem direito, meus amigos... não sairá nada pra nós. Ir na justiça levará o problema para daqui a uns 10 anos quando um juiz der a sentença. Eu não vivo mais 10 anos... Tem um colega chamado rui brito e outro que assina como paim que vivem dizendo que o banco não tem direito. Ok, pois felizmente eles não mandam nada e nem estão na mesa de negociação. devem ser ricos e não estão precisando de nada.Tomara que as associaçoes de aposentados nao os escutem. Se eles não querem, digam pra mim que eu mando meu numero de agencia e conta para eles creditarem o que lhes couber pra mim. Precisamos acabar com essa turma radical que sentada sobre seus gordos beneficios não querem que a maioria tenha alguma migalha

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezados colegas,

Repasso para conhecimento a mensagem abaixo, divulgada no blog da AAPREVI, com os meus comentários a seguir:

1 - Em principio o colega Marcos tem suas razões, pois grande parte dos colegas está tentando puxar a sardinha para sua brasa.
2 - O superavit, como nós deveríamos todos saber, não é um problema mas também não é motivo p/ nossa satisfação. É tão somente oriundo de pagamentos que deveriam ter sido feitos e não foram. De reajustes de benefícios que deveriam ter sido feitos e não foram, é fruto do sacrifício de colegas que tiveram que se adequar a viver em situação de verdadeira penúria por falta de benefício justo, e que se encontram esperando pelo resultado de suas ações da nossa morosa justiça.
3 - No meu entendimento, estas irregularidades deveriam ser sanadas antes de qualquer outra "distribuição". Nem falo das ações individuais, porque estas são difíceis de identificar, mas pelo menos as ações coletivas, impetradas pelos sindicatos e/ou por nossas associações representativas.
4 - No meu entendimento devemos sim acertar as irregularidades ou ilegalidades cometidas (os "erros do passado"), antes de mais nada, pois elas são alvo de ações judiciais. Aí eu pergunto, se distribuido o "superavit" de outra forma e a PREVI perder as ações que estão em andamento, como irá pagar os seus autores? São valores vultosos. De onde sairão os recursos p/ liquidar as ações?
5 - O tempo que temos não é curto para uma nova pauta. Afinal estamos esperando há mais de 2 anos, que diferença faz esperarmos mais um mês, ou dois? Melhor do que errar outra vez, e cometer novas injustiças e ainda por cima colocando em risco o futuro de nossos benefícios. Ou não?
6- Fazer justiça não é enxergar as necessidades pessoais, concordo. Mas também não é enxergar as necessidades do próximo. Isto é caridade. Fazer justiça é simplesmente fazer o que a lei determina, independentemente de enxergar as necessidades de quem quer que seja.
7 - Portanto eu sugiro uma nova pauta sim, estritamente dentro da lei. Debatida entre as AFAs, em reunião já programada que será coordenada pela FAABB. Sugiro o convite a colegas estudiosos do assunto e que queiram participar e contribuir com suas propostas.

OBS.: Peço ao colega Marcos a publicação desta mensagem em seu blog. Obrigada.

abraços a todos

Daisy

OBSERVAÇÕES do Blog:

A mensagem de que trata a Colega Daisy é este post onde está registrado seu comentário.

Anônimo disse...

Colegas do PB1, a medida que colegas estão partindo para pátria espiritual mais uma razão de ser para que as pensionistas venham a receber beneficios do Superávit. Se o finado estivesse "vivo" não receberia? O certo é passar de 60% para 100% o valor da pensão. Ontem foi colega de Muriaé que foi hoje pode ser qualquer um de nós blogeiros, e a viúva como fica?
Gente, tenha a santa paciência, justiça para todos.
Aquele que não tiver esposa, filhos e netos que ATIRE A PRIMEIRA PEDRA.

Anônimo disse...

Sérgio Inocêncio 1 de outubro 17:54.
Eu já penso que aquele que se aposentou por invalidez tem os mesmos direitos que os demais.Porque isto aconteceu independente da sua vontade. Aliás, dinheiro nenhum neste mundo paga a nossa saúde. A saúde está em 1º lugar.Ficar inválido é ficar privado da capacidade laborial. Quando alguém entra para uma empresa, não deseja isto nunca. E se isto ocorrer, pode ser por N motivos, mas tem aqueles motivos ligados diretamente às condições de trabalho que o empregado desempenhava na própria empresa onde trabalhou.Portanto, deve haver esta solidariedade com estes aposentados, não só por parte da Previ e do banco, como também de todos os demais colegas.Ninguém quer entrar trabalhando numa empresa e sair de lá doente.

Anônimo disse...

Porque não publicaram a mensagem onde eu digo que alguns acham que devemos fazer cabo de guerra com o Banco de modo que ele não fique com a metade? Voces estão concordando com o Rui Brito e o Senhor Paim que não querem conversa e acham que o Banco não tem direito? Se for assim, adeus superavit pois o Banco vai mesmo ficar com tudo. Alguns colegas são ricos, não estão precisando de nada e ficam insistindo em não aceitar que o banco leve sua metade. Já disse: quem estiver recusando, eu mando minha agência e conta para que a parte deles venha para mim. Que coisa gente!!! Superávit já e quem não estiver de acordo credite na minha conta e essa tal de Daisi também só serve para incentivar os que acham que o Banco não tem direito, pois ela é que faça doação do que for receberpois a minha conta agradece

Anônimo disse...

Ao colega anônimo de 02 outubro de 2010 das 06:22.

Segundo informações a suspensão da contribuição faz parte do superavit. Caso faça parte do superavit então esse recolhimenhto esta existindo. Vale verificar a informação se é procedente. Na contabilização da Previ esse valor desse sair da conta superavit (reserva especial?) para a conta do recolhimejnto de contribuições.

wilson luiz disse...

Caro anônimo 01 outubro 19:46 hs.
Parabéns. acredito que são poucos, entre nós, aqueles que tiveram paciência de ler a Resolução 26. Acho que todos deveriam tomar conhecimento de seu conteúdo, pois é com seus regulamentos que o Banco pretende negociar.
Interessante, sua interpretação sobre a forma de resolver a questão do aumento das pensões, que seria feito por revisão do plano de benefícios e não pela utilização do superavit, entendimento, aliás, defendido por vários comentários aqui postados.
Agora, como dizia o Presidente Reagan, "não existe almoço grátis".
Eu complemento dizendo que, com exceção do que foi feito na capitalização da PETROBRAS, não existe "mágica contábil". Analisemos, como hipótese, que foi feita uma revisão do plano de benefícios elevando o valor das pensões de 60 para 80%. O custo disto, conforme divulgado nas negociações de 2008, é de R$ 6 bilhões. Seria, então, necessário recalcular o superávit. Por conta do aumento do saldo de benefícios a serem pagos, no passivo da PREVI, com acréscimo dos R$ 6 bilhões, seria necessário, sobre este valor, aumentar a reserva de contingência em R$ 1.5 bilhão(25%).Entendo eu, analisando apenas o que impactaria a reserva especial para revisão do plano de benefícios, que o "imbroglio" ficaria assim, em valores aproximados:
saldo atual R$ 16 bilhoes(8 BB, 8 associados), deste valor, teríamos que deduzir R$ 7.5 bilhões(6 aumento pensões, 1.5 aumento reserva de contingência). Saldo final da reserva especial para revisão do plano de benefícios:R$ 8.5 bilhões(4.25 BB, 4.25 associados). Gostaria de saber qual de nós colocará o "guizo no gato", ou seja, convencerá o Banco do Brasil a aprovar esta proposta.
Colegas, quero dizer que esta análise é apenas uma opinião pessoal, e que de forma alguma me considero "o dono da verdade".Queria apenas finalizar dizendo que nossos bravos negociadores devem ficar muito atentos, pois a Resolução 26, além de mal-intencionada, é muito confusa, e já deve ter sido analisada pelo exército de advogados do Banco do Brasil buscando brechas para levar vantagem, nas negociações.

SUPERAVIT É PARA TODOS" disse...

Devemos seguir o exemplo do Fundo VALIA, da "Vale".
Conceder abonos-salariais para todos os 120 mil participantes do Plano 1, pelo mesmo valor e pelo mesmo tempo.

1)Conceder inclusive aos 6.080 aposentados por incapacidade, com média de 56 anos e benefícios médios de R$ 3.303,61 por mes;

2) conceder inclusive àqueles 28.800
participantes que NADA ganharam do superavit até agora, senão a suspensão de suas contribuições;

3) Aposentadoria antecipada as 7 mil mulheres na ativa, com 45 anos de idade. (Tenho medo que servirá para NOVO PDV!!!pois seus benefícios serão muito reduzidos, MUITAS não querem se aposentar e o BB "empurrará para fora, descartando-se deste 'patrimônio'");

4) Lê-se em devolver as contribuições mensais realizadas. Parece-me que os aposentados PRÉ-1967(QUANTOS SÃO DESTE GRUPO? -Grande Incógnita Que Ninguém Divulga!-seriam 23 mil em 1967 e restam uns 8 mil???)) que nunca contribuiram à PREVI, assim nada ganhariam? Ao passo que os 3.224 "aposentados externos", que contribuiam DOBRADO (SUA PARTE + A PARTE PATRONAL), teria uma excelente devolução de suas contribuições feitas, usando-se o superavit;


5)Lê-se em devolver o excedente dos 13.495 "Renda Certa P371" e aplicar a fórmula 360/360 para aqueles que NÃO foram privilegiados com este benefício especial e, agora, buscam na Justiça a devolução das parcelas além da 360º somadas as contribuições na ativa com as de aposentado.

Assim, vão se criando quetos de apaniguados,(cesta-alimentação P374 inclusos), favorecendo POUCOS e prejudicando a patuléia dos MAL-ASSISTIDOS (pensionistas, invalidez, VP+136%, e outros que estão morrendo dia após dia...

ISTO É UMA VERGONHA! (não dividir pelo valor IGUAL, pelo tempo IGUAl, e para TODOS é de uma incompetência
incrível !!!

Anônimo disse...

Caros colegas,
Entendo o descontentamento de varios colegas com o encaminhamento sendo tomado para definição da distribuição do superávit.
E tambem, que ha´injustiças e desacertos anteriores que mereceriam ser corrigidos antes da distribuição.
No entanto, se trilharmos esse caminho, com as associações que temos retomando novas discussões, alem de ser demorado, o NOVO RESULTADO deverá ser proximo do que aih esta, uma vez que os personagens que conduzirao o assunto jah sao conhecidos, e nada confiaveis.
Sao os mesmos, os eleitos que soh promessas fizeram, o vulgo SASSERON, representantes de associaçoes e a ANABB JUNTOS. A AAFBB-SP, em consulta que encaminhei, acerca da adoção de açoes sobre o RENDA CERTA, respondeu em 19/01/2010 que:

"Abaixo segue a resposta do advogado responsável:

"Quanto ao Renda Certa, em comum acordo com a diretoria da AFABB, entendemos
que não existe amparo para essa ação, mas deixamos claro que esse é o nosso
entendimento jurídico e que no Direito, a existência de diversas correntes
de pensamento coexistindo é o que o torna tão maravilhoso como ciência."


Atenciosamente,

Secretaria AFABB-SP
E-mail: atendimento@afabbsp.com.br
Site: www.afabbsp.com.br
Tel: (11) 3115-3199 / 5199"

Ou seja, opino que devemos adotar uma distribuição para todos, a exemplo da VAlia, e que, posteriormente, sejam discutidos os casos de irregularidades e ilegalidades cometidas. Pois serah um processo demorado.
E se nao ocorrer, infelizmente, devemos decorrer ao Judiciário. Infelizmente como jah disse. Tambem sou um dos que nada recebi.
Luiz

Henrique Soares disse...

Colega Sérgio Inocêncio. Eu sou aposentado por invalidez e a mesma constitui num transtorno da ansiedade. Então eu aprendi a fazer opções ente o que é ruim e o que é menos doloroso. Sendo assim vivo um tanto "alienado" quando as questões ultrapassam o meu entendimento do que outrora eu inocentemente acreditava ser óbvio, Opto então por não me desgastar. Ligo para PREVI e a resposta é sempre não, então não ligo mais, preservo a minha saúde. Quanto ao superávit, que assim seja também. Se for imposto que não temos direito, pois assim será acatado por mim. Meu líquido não chega a 1.300,00 reais, mas se eles entendem que nós somos os grandes beneficiados, você acha que temos alguma chance de fazê-los ver de outra forma? - Se o que os leva a esse tipo de entendimento é tão mesquinho, não haverá obviedade que os leve a analisar a nossa questão. Mas não tenho a menor sombra de dúvidas que as conquistas dos nossos colegas soará para nós como aquele prato que se come frio. E além do mais teremos o prazer de vê=los resgatarem parte de uma justiça a muito esuecida. Abraços.

Anônimo disse...

Ao colega de 02:10 às 6:22
Pela proposta 360/360 quem não completou os 360 meses ao se aposentar, e continou contribuindo como aposentado, terá sua complementação recalculada no limite de 31/12/2009.
Apenas uma observação. A proposta não é da ANABB. É do Grupo de Trabalho que foi criado para apreentar propostas, que foram sumetidas aos associados em 2008. Só não saberia dizer quem eram os componentes desse GT. Talvez nossa colega Isa Mussa possa nos responder.

Anônimo disse...

Daisy,

As propostas da Anabb foram apresentadas quando ainda a grande maioria dos aposentados e pensionistas não tinham acordado para o que era realmente superavit, renda certa, reserva, anabb e etc, portanto acatamos as propostas que a anabb elaborou, muitas inviáveis e outras aproveitáiveis, mais passaram-se 3 anos vimos inúmeras sujestões, temos pressa, estamos cansados, endividados, não sabemos até quando o BB vai querer alguma negociação, devemos simplificar,escolhendo das 9 propostas resultantes da última reunião as duas mais viavéis e abrangentes, caso contrário vamos ficar eternamente enxugando gelo e não chegaremos a lugar nenhum.

Independente do dinheiro oriundo das injustiças cometidas pela Previ e BB ao longo do tempo o superávit também foi construido por investimentos que deram bons retornos, isso vai continuar, portanto a Previ continuará poderosa e tendo entrada de muito dinheiro, não existe problema em pagar possivéis ações que vierem a ter exito na justiça, tanto porque isso se dará de maneira gradativa não impactará a reserva da Previ

Colegas, sem complicações por favor, poderemos a título de amostra colocar uma terceira opção que interessa a cada um para termos idéia do que é mais ansiado pelos assistidos a Previ, além proposta de distribuição e revisão do plano

Anônimo disse...

Colegas, vamos aceitar logo o que eles tem para nos dar,assim passaremos um Natal melhorzinho. Pior é se formos para o outro lado sem recebermos nadinha, como esses nossos colegas que já se foram como muitos outros!!!
Pensem nisso: Mais vale um passaro na mão do que dois voando!!!!!
Abraços!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Caros colegas,

Existem propostas aos borbotões, tudo na base da conjectura. Tem muita gente sofrendo por antecipação e isso não é bom para a saúde.
A pauta de negociação não foi colocada sobre a mesa. Aguardem, pelo menos, alguma coisa concreta começar a ser discutida.
As propostas de alguns, causam ansiedade em outros, e tudo na passa de exercício de futurologia.
Esse grupo de trabalho que vai fazer os estudos é bastante maduro e consciente. Aliás, se a Sra. Isa, pelo seu tempo de janela, em negócios da espécie, madurar mais alguma coisa, passa do ponto, e pode até cair.
Vamos dar um voto de confiança, acompanhar o andamento das tratativas e colocar a boca no trombone, apenas no momento certo.E tenho dito.

JulitaGaspar disse...

Marcos, boa tarde!
Me desculpe se a minha pergunta for um tanto ignorante, mas fiquei viuva em setembro 2002 e tem muita coisa que estou por fora, por ex: meu marido entrou no banco em 1959, aposentou em janeiro de 1987 tendo falecido em setembro de 2002. Antes de 59 trabalhou no Banespa! A que verbas e ações terei direito?
Um grande abraço e obrigada por tudo que tem feito por nós!!!!
Julita Gaspar

Anônimo disse...

Colegas aposentados por invalidez deveriam ter um reajuste melhor. As pensionistas idem. Nosso grande mal é o egoísmo! Cada um quer defender seu lado sem pensar nas condições do semelhante. Se eu estiver bem o resto que se exploda...

Anônimo disse...

Espero que a nossa representante ISA MUSA, lute com discernimento pelos que não foram contemplados com nada,os 28.800, que estão à ver návios até agora.

Anônimo disse...

Aposentei com 336 meses de Banco em 2007, já naquela época não se recolhia a contribuição, pois, estava suspensa. Então como aposentado também não recolhi nenhuma contribuição. Pergunto se por acaso essa 360/360 passar eu terei direito ou não.

Anônimo disse...

Colegas,

Esqueçam as propostas da ANABB, aquilo nada mais foi do que um show pirotécnico arquitetado pela mente doentia do Valmir Camilo.

Que venham propostas sensatas que sejam de simples execução e procurem atingir a totalidade dos aposentados e pensionistas. Abonos,percentuais para reajustes, enfim coisas que se calcula em um dia e não absurdos que precisariam de um ano para serem viabilizados.

Outra coisa, vamos deixar de olhar para o próprio umbigo, o Banco e PREVI sempre apostaram na nossa divisão.

Um abraço e que Deus nos proteja.

Anônimo disse...

Colegas,

Nessa discussão de superávits, existem dois pontos que já estão resolvidos, coisa pacificada:
Ponto um, o BB vai levar a sua parte;
Ponto dois,vai sair um aumento linear para todos,variando de 20 a 30%,com piso mínimo de R$500,00 a R$1.000,00.
Dentro da disponibilidade dos recursos, outros tópicos votados pelos aposentados, serão atendidos.
O que não pode ser admitido, é que o BB venha dar ordens sobre a utilização da parte dos aposentados, porque ele fez o que quiz da dele.
Numa negociação de grande repercussão como essa, onde a transparência vai ser a tônica, a solução de cada item vai ser na forma de consenso, afastando-se a possibilidade de imperar qualquer voz isolada, ditatorial.
Aqui vai prevalecer a equidade total ou alguma coisa próxima dela. Podem ficar tranquilos que não se trata daquela sala cheia de macacos, onde alguém ao atravessa-lá com um cacho de bananas maduras, chega do outro lado sem nenhuma, e não sabe quem pegou mais.

sergioinocencio disse...

Marcos,

acho que esta discussão sobre a supensão das contribuições para a Previ ja aconteceu aqui, nós e o banco não contribuimos,mais existe um fundo onde estão os valores correspondentes a estas contribuições. Certo ?
o que acabamos tambem chegando a conclusão, seria que por justiça dos que pagaram, os da ativa deveriam continua tendo descontado sua participação.
mais como tudo esta suspenso, creio que todos continuamos pagando, pq enquanto existirmos, o fundo tem esses valores correspondentes para seu uso, como tambem o banco que não paga nada a Previ.
então o colega das 14.35 hs continua contribuindo, mesmo que nào seja ele diretamente quem paga, e se completou os 360/360 deveria ter direito em passando a proposta.
****
Ser aposentado por invalidez para mim as vezes me coloca em situações engraçadas, pq quando as pessoar descobrem, me olham , examinam de baixo até em cima e fazem uma ar de sorrizinho maroto.
ahi eu digo, é isso mesmo, não sou doente, sou apenas aposentado por falta de condições de trabalhar, doente eu fiquei no outro dia qdo acabei hospitalizado por 9 dias, no mais, sou normal, só fico doente as vezes...rsrsrrrs e saio rindo dos caras.
mais que a Previ nos acha marajas, isso eu tenho certeza, e normalmente não gostam de nos atender , isso é uma realidade em nosso relacinamento com o fundo.
vida que segue, espero que por muitos anos ainda

Anônimo disse...

Colegas,

Se o Valmir ainda anda por ai dando palpites, depois de ter se omitido por dois anos a culpa é nossa. Será que não há indignação, estamos rasgando dinheiro, mantendo nossas contribuições para esta Entidade.

wilson luiz disse...

Meus amigos,
Com exceção das "secadas" em nosso amado José "Resolução 26", em sua tentativa de se eleger Senador pelo Ceará, esta é a primeira vez que aqui manifesto uma opinião política.Acho que muitas coisas ficaram ainda por ser debatidas, nesta eleição presidencial, e que a ocorrência de segundo turno seria altamente salutar, para nossa democracia. Por isso, meu candidato é qualquer um que ajude a levar a disputa para o segundo turno. PENSE NISTO.

Anônimo disse...

Gostei do que disse o Anônimo das 15:49 do dia 2 de outubro. Grosso modo é o que também penso.
E veja bem: agora o cacho da banana está bem madurinho....

Anônimo disse...

O que é que o Valmir que dando pitaco onde não deve? Larga o osso, cara ... (Aliás o osso, não! A carne. E bem gorda!).
A que será que ele pensa que engana?

Anônimo disse...

Marcos,

Nós sabemos que o processo de negociação, via de regra, não se resolve nas primeiras reuniões.
Todavia, essa longa espera aumentou o sofrimento dos aposentados, o desgaste emocional, ansiedade, etc, sem falar daqueles que partiram para o descanso eterno, sem usufruir da sua merecida parte.
Por isso, acho que seria extremamente importante, alertar a nossa colega Isa para, se for imperioso marcar outra reunião, que seja num intervalo pequeno, isto para abreviar o desfecho e minorar à agonia de todos.
Afinal, protelar a definição de uma questão relativamente simples, não tem sentido prático,uma vez que não estão fazendo nenhuma pesquisa ciêntica ou querendo resolver complexas equações da Nasa.
Seria de grande importância, também, que o BB, por ser govêrno, ficasse com a obrigação de fazer transitar e acolher, em prazo recorde, as autorizações dos demais órgãos, de modo que o pagamento da nossa parte saisse antes do Natal.
Retroatividade, é outra palavra chave nesta negociação, eis que, desde 2008, o BB já meteu a mão na massa.
Em consequência, é de plena JUSTIÇA que o início dos nossos recebimentos retroaja a janeiro/2009.
Sugiro, salvo melhor interpretação, que a Sra. Isa recebesse cópia deste post.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Mensagem encaminhada.

Prezada Isa Musa,

Repasso, para seu conhecimento:

"Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Nem Salomão conseguiria":

Marcos,

Nós sabemos que o processo de negociação, via de regra, não se resolve nas primeiras reuniões.
Todavia, essa longa espera aumentou o sofrimento dos aposentados, o desgaste emocional, ansiedade, etc, sem falar daqueles que partiram para o descanso eterno, sem usufruir da sua merecida parte.
Por isso, acho que seria extremamente importante, alertar a nossa colega Isa para, se for imperioso marcar outra reunião, que seja num intervalo pequeno, isto para abreviar o desfecho e minorar à agonia de todos.
Afinal, protelar a definição de uma questão relativamente simples, não tem sentido prático,uma vez que não estão fazendo nenhuma pesquisa ciêntica ou querendo resolver complexas equações da Nasa.
Seria de grande importância, também, que o BB, por ser govêrno, ficasse com a obrigação de fazer transitar e acolher, em prazo recorde, as autorizações dos demais órgãos, de modo que o pagamento da nossa parte saisse antes do Natal.
Retroatividade, é outra palavra chave nesta negociação, eis que, desde 2008, o BB já meteu a mão na massa.
Em consequência, é de plena JUSTIÇA que o início dos nossos recebimentos retroaja a janeiro/2009.
Sugiro, salvo melhor interpretação, que a Sra. Isa recebesse cópia deste post."

Anônimo disse...

Colegas,
As propostas apresentadas no dia 27/09, em Brasilia, são estas. Os calculos para dimensionar o custo destas propostas já foram solicitados à Previ, e serão apresentados na reunião do dia 18/10.
aumento linear com piso mínimo, continuidade da suspensão de contribuições,
aumento do teto de benefícios para 100%,
aumento no percentual das pensões para 80%,
redução da Parcela Previ,
360/360 avos dos benefícios, aumento no benefício mínimo, aposentadoria antecipada para as mulheres aos 45 anos,
abono anual para aposentados e resgate da contribuição patronal pelos pedevistas.

Só saberemos que rumos deveremos tomar, após a reunião do dia 18/10. Até lá, nada a fazer, pois a pauta já esta marcada.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

JUSTIFICATIVA DE VOTO

Para imprimir o Requerimento de Justificativa Eleitoral (eleitores ausentes do seu domicílio eleitoral). O link abaixo permite o preenchimento e impressão do formulário, que somente deve ser assinado no ato da entrega em qualquer posto de votação, até 17 horas de hoje:

http://www.tre-pr.jus.br/internet2/tre/index.html

Anônimo disse...

Colega anonimo! Se essas propostas forem aceitas mesmo no dia 18/10 teremos um Natal um pouquinho melhor??Ou vamos ter que esperar o Natal de 2011......?

Anônimo disse...

Colegas,

OLHA QUE EU SOU PT A 30 ANOS, MAS AGORA POUCO O DEDINHO TREMEU E VOTEI NA MARINA SILVA.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Marcos
As negociações são marcadas de acordo com as agendas comus,do diretor do Banco dos eleitos da Previ e nossa. A tendencia sempre fica em coisa de uma semana.
Atenciosamente
Isa Musa

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Pedimos ao Colega Marcelus Carvalho Oliva, entrar em contato com a AAPPREVI: aapprevi@aapprevi.com.br

Anônimo disse...

Caros colegas, do meu ponto de vista,acho claro que a Previ e o BB,já têm na ponta do lápiz,todas as contas do que pode fazer com relação
aos 50% do superávit e as propostas reivindicadas.Ao meu ver, esta dilação do prazo (27.09.10 para 18.10.10), três semanas,não passa de jogo de empurra, para depois das eleições.Aliás, é muito tempo.A Previ é bem estruturada.Acho que lá ninguém fica dormindo.Os dados são em tempo real e está tudo no sistema informatizado.Não fosse assim, o banco já não teria contabilizado a sua parte.Mas como o deles já está no bolso,nós é que fiquemos a esperar pela boa vontade deles.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

ESTATUTO da ANABB

Da Associação e de seus fins

Art. 2° São finalidades da ANABB:

I - zelar pela integridade do Banco do Brasil, tendo como fundamento a valorização de seus recursos humanos;

Obs. do Blog: Isso explica muita coisa.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Se a ANABB defende os interesses do patrocinador, como reza seu estatuto, o que ela está fazendo no meio dos representantes dos aposentados e pensionistas?

Por que se permite essa aberração?

Anônimo disse...

Colega Marcos,

Esta claro que a participação da ANABB é para defender os interesses do Patrocinador. Esta é a razão do Patrocinador exigir a presença da Associação. Foi a única associação que não entrou com nenhuma medida judicial para contestar a resolução 26, embora soubesse que aquele Ato era ilegal, inconstitucional e abusivo. Não foi capaz de defender os interesses dos aposentados e pensionistas porque iria "bater de frente" com o principal favorecido pelo ato abusivo. Infelizmente escolheu mal. A ação não devia ser impetrada contra o BB, mas sim contra o Conselho de Gestão da Previdencia Complementar. Mas preferiram agir como Pilatos: lavar as mãos. Agora têm que conviver com a decepção causada, no meu entender, irreparável.
Infelizmente, afasta-los da negociação será impossivel, pois quem está no comando é o Patrocinador. Só pedimos que, se não forem ajudar, tambem não atrapalhem. Entrem mudos e saiam calados.
Agradeceremos a colaboração.

Anônimo disse...

Sei que 30% para os salários mais altos significam valores bem maiores do que recebo de Previ+INSS. Aposentei como Analista na DG onde fiquei os últimos 7 anos de ativa.Tomei posse em 1980, mas saí depois de 1997 até pq não havia outra maneira. Mesmo não achando muito justa a forma de distribuição proposta, 30% seria um grande alívio. Vejo muita injustiça com as pensionistas e aposentados por invalidez. Entretanto, não percebo vontade nenhuma de ajudá-los. No discurso até mencionam as pensionistas, mas os ap. por invalidez nem lembram que existem. Tem coisas na sociedade que ficam muito mais fácil ignorá-las...

Anônimo disse...

Sei que 30% para os salários mais altos significam valores bem maiores do que recebo de Previ+INSS. Aposentei como Analista na DG onde fiquei os últimos 7 anos de ativa.Tomei posse em 1980, mas saí depois de 1997 até pq não havia outra maneira. Mesmo não achando muito justa a forma de distribuição proposta, 30% seria um grande alívio. Vejo muita injustiça com as pensionistas e aposentados por invalidez. Entretanto, não percebo vontade nenhuma de ajudá-los. No discurso até mencionam as pensionistas, mas os ap. por invalidez nem lembram que existem. Tem coisas na sociedade que ficam muito mais fácil ignorá-las...

Anônimo disse...

Então se ANABB não defende os direitos dos aposentadod e pensionistas, defende apenas o BB , por que pegar o nosso dinheiro para nos defender?
Cairei fora o mais depressa possivel!

Anônimo disse...

Sempre votei no PT, mas agora resolvi votar no Serra, pois pelo menos se ele ganhar estarei recebendo 10% na parte do INSS!!!
Chega de dar dinheiro para cambada de safados!!!!!!

Anônimo disse...

Colegas,

Desculpem, mas vou repetir o que já postei outro dia, porque não me conformo com a passividade dos nossos colegas que permanecem associados à ANABB.

" Caro Marcos,

Onde a ANABB dá sugestões, participa, nada é resolvido, porque o grande objetivo da ANABB é o de enrolar seus associados, mantendo-os reféns de suas ações judiciais.

Portanto da última vez que o Valmir se manifestou a respeito de como distribuir o superávit, com a agilidade que as coisas andam na PREVI/BANCO/ANABB, AS FÓRMULAS MÁGICAS SUGERIDAS LEVARIAM UNS 5 ANOS PARA SEREM IMPLEMENTADAS.

VIVA A ANABB! VIVA A DEMAGOGIA!"

OBS: Este é o objetivo do Valmir Camilo, enrolar-nos.

Anônimo disse...

Das propostas apresentadas a que melhor atende às espectativas dos assistidos pela Previ é um aumento percentual simples sobre o benefício com um piso mínimo. Todos ganhariam alguma coisa e consequentemente ninguem ficaria de fora. As demais propostas, são todas firulas e dribles na velharada.

Anônimo disse...

Por que não contemplar também pensionistas e aposentados por invalidez? Eles não contribuiram? Será mesmo que seria justo excluí-los?
Sou aposentada por tempo de serviço, mas acho que é tempo de refletir sobre uma forma de beneficiar também esses associados.

Anônimo disse...

Acabei de assistir na TV uma matéria sobre as eleições dizendo que a justiça eleitoral autorizou o ex-chefe do mensalão, Zé Dirceu, a não pegar fila pra votar e entrar por uma porta alternativa. Deve ter sido pelo esgoto onde ele e sua turma estão acostumados a circular. Ladrão tem mesmo que se esconder...

Anônimo disse...

Colega anonimo, quem disse para voce que a PREVI não irá subir o teto das pensionistas? Essa noticia é de fonte limpa?
Então é tudo balela o que a ANABB, Previ falam?

Anônimo disse...

Concordo plenamente com voce anonimo quando diz para contemplar pensionistas e aposentados por invalidez, afinal todos contribuiram para o superavit!!!

Anônimo disse...

Marcos, boa noite!

Olha, eu sei que cada um pensa de uma maneira, mas ou esta Associação apoia um aumento em percentual com piso mínimo, o que de certa forma é muito simples,pois todos sabem quanto vao receber e evita outro renda certa. Ou fica do lado da Anabb que apresenta várias propostas para iludir os incautos.

Anônimo disse...

O superávit à ser distribuido agora é o dos últimos 3 anos , será por tempo limitado, não há outra saída a não ser PISO COM VALOR MÍNIMO + ABONOS IGUAIS PARA TODOS. NINGUÉM FICA DE FORA.

CHEGA! DE RENDA CERTA SÓ PARA ALGUNS.

SRA.ISA MUSA leve a proposta pronta dia 18, não prorrogue nossa angústia por dias melhores.

Anônimo disse...

Galera do Blog.

Reajustar as pensões para 80% é uma questão de justiça. Os colegas que partiram(morreram) contribuiram sobre os 100% do salário para o BB e a PREVI então é justo que as pensionistas recebam um salário mais humano.

A injustiça e a falta de humanidade é deixá-las com um salário reduzido em 40% para viver o resto de suas vidas com essa bomba do osama na mão.

Anônimo disse...

Marcos e colegas,

Concordo totalmente com os colegas de 03/10, 15:27 e 16:27 e acho que somente essas deveriam ser as propostas: PISO COM VALOR MÍNIMO + ABONO IGUAL PARA TODOS, contempla a todos indistintamente.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Ao anônimo das 15:27.

A AAPPREVI, em nenhum momento demonstrou simpatia pela ANABB, por seus dirigentes ou por seu modo de agir, até porque ela não é uma Associação de aposentados e pensionistas e esperamos que a FAABB reconheça isto exigindo que ela, ANABB, coloque-se no seu lugar e deixe que aposentados e pensionistas se defendam sem sua interferência maléfica.
Nem o Blog, nem a AAPPREVI, reconhecem a representatividade dessa Entidade - totalmente dissociada de tudo que defendemos.
Peço-lhe rever os posts aqui publicados, durante mais de ano, e ficará inteirado do que pensamos a respeito desse assunto.
As propostas ainda não são definitivas, mesmo assim a AAPPREVI já se pronunciou contrária a certas aberrações e no momento próprio reafirmaremos nossa posição, movida por convicção e nunca por imposições ou ameaças. Somente não temos o poder de incluir ou retirar nomes da relação dos poderosos que comparecerão à próxima Reunião, uma vez que a AAPPREVI não pode se infiltrar no grupo nem ir aonde não for chamada. Nosso modo de agir é transparente e honesto - sem subterfúgios.

Saudações,

Marcos Crdeiro de Andrade

Anônimo disse...

Chega de Anabb, de ROUBO CERTO DE PARCELA PREVI DE fórmulas mirabolantes e jogo orquestrado.Quero aumento para todos com piso mínimo!!!O resto é balela, puxar sardinha, querer driblar o colega de time e trapacear.Isa AUMENTO DE 25% para todos com piso mínimo de 1000 reais!

Anônimo disse...

Ao colega de 02:10 às 6:22
Pela proposta 360/360 quem não completou os 360 meses ao se aposentar, e continou contribuindo como aposentado, terá sua complementação recalculada no limite de 31/12/2009.
Apenas uma observação. A proposta não é da ANABB. É do Grupo de Trabalho que foi criado para apreentar propostas, que foram sumetidas aos associados em 2008. Só não saberia dizer quem eram os componentes desse GT. Talvez nossa

colega Isa Mussa possa nos responder.

2 de outubro de 2010 08:32
GOSTARIA QUE O COLEGA TROCASSE EM MIÚDOS O QUE QUER DIZER ISTO. tEMPO MDA ATIVA + TEMPO DE APOSENTADO, NO MEU CASO ATIVA MAIS APOSENTADO REPRESENTAM 37 NANOS. QUE CALCULOS SERIAM FEITOS

Anônimo disse...

Colegas,

Discutir e fazer reunião para que, se a Resolução 26 em vigor já definiu que cabe 50% para cada parte.
O BB impôs que fosse aplicada a Resoução e houve concordância. Ele levará a sua parte? Sim.
A meu ver, a presença do BB não é mais necessária e nem deve interessar a ele, como será distribuida a nossa parte.
De posse das planilhas de custos da PREVI, caberá aos nossos representantes, sem quedas-de-braços, vaidades e procrastinações estéreis, estabelecer criteriosamente as prioridades, de forma a contemplar todos os aposentados e por fim ao assunto, no menor prazo possível.
Tenho absoluta certeza de que o banco precisa, com urgência, do dinheiro para cobrir suas provisões contábeis, pendentes, mais do que aquele andarilho de água no meio do deserto.
Acho que rolam algumas cabeças na rampa do Planalto, caso não se efetive os recebimentos dos créditos (parte dos superávits) escriturados no Ativo Realizável a Longo Prazo.
O BACEN não contemporiza com a transgressão de normas,neste tipo de transação, ainda mais quando envolvem cifras astronômicas. Nem o BB, com todo o seu prestígio, passaria incólume de uma penalidade.
Por precaução e prudência,o BB não teria peito para fazer uma terceira contabilização, sem baixar as anteriores. Se as minhas assertivas se confirmarem, o banco caiu na sua própria armadilha.

Anônimo disse...

-Eu me aposentei com 287 memses de banco em 06.01.97. Se essa 360/360 passar que calculos serão feitos no meu comploemento? Terei algum direito?

Anônimo disse...

-Companheiros, vamos dar uma debanada na ANABB, cancelar nossas contribuições/mensalidades. Eu mesmo vou largar prá lá as ações que nunca saem os resultados, a minha mais velha datam de l3 anos atrás, e vou cancelar o meu nome daquela m........

Anônimo disse...

Colega Marcos,

Procure se informar junto a algum advogado, se os processos ajuizados pela ANABB, trariam algum prejuizo aos associados, caso os mesmos se desfiliassem desta Entidade.

Tenho certeza que muitos sairiam da ANABB, se soubessem que tal fato não lhe trariam nenhum prejuizo.

Anônimo disse...

Colega 3/10 - 18:12
Se voce se aposentou antes de completar 360 meses de contribuição, seu beneficio seria recalculado ate 360/360 meses. Se sua aposentadoria foi 360/360 sera pago o Beneficio Especial de Renda Certa referente às contribuições excedentes.
Colega 3/10 - 18:20 No seu caso seu Beneficio seria recalculado, 360/360. Seria incluidos mais 73 meses de contribuição como aposentado.
O tempo que seria utilizado é a data limite para Realinhamento do Plano.

Anônimo disse...

Em janeiro de 2003, a PREVI contestou a pretensão da autoridade fiscal e informou que ato declaratório da administração tributária de 1990 reconhecia que os fundos de pensão não eram contribuintes da CSLL. Embasou sua defesa ainda no fato de não apresentar lucro, mas déficit ou superávit, e que a finalidade da Instituição é devolver a seus participantes, no futuro, em forma de benefício(s), todo o montante investido. E agora, PREVI??????????

Anônimo disse...

Áposentei-me por tempo de serviço, mas concordo que o bolo deva ser dividido com TODOS que contribuiram, aí incluídos os pensionistas e invalidez.
Se esse dinheiro não vier para o associado, podem acreditar que o esse governo petista vai dar um jeito de meter a mão!
Acreditem nisso! Lembram-se da história dos dossês de Sérgio Rosa em benefício do PT? Deu em quê? Em nada!
Eles não terão qualquer contemplação! Creiam.

Anônimo disse...

Áposentei-me por tempo de serviço, mas concordo que o bolo deva ser dividido com TODOS que contribuiram, aí incluídos os pensionistas e invalidez.
Se esse dinheiro não vier para o associado, podem acreditar que o esse governo petista vai dar um jeito de meter a mão!
Acreditem nisso! Lembram-se da história dos dossês de Sérgio Rosa (PREVI) em benefício do PT? Deu em quê? Em nada!Não se apurou a denúncia da Veja.
Eles não terão qualquer contemplação conosco! Creiam.

Anônimo disse...

Marcos, bom dia!

Aqui é o anônimo das 15:27.

Marcos tem um grande poder de argumentação. Penso que argumentar não é ameaçar, nem impor nada. O que eu disse é que temos que nos posicionar e que o aumento, caso venha a ser dado, deve ser transparente.
E a única maneira de isto acontecer e por percentual. Caso venham com 360/360 - 90% para 100% e etc será mais um engodo; temos que combater agora. Se tivéssemos feito pressão, talvez não houvesse o renda certa. Reconheço o seu trabalho, também sei que atualmente é o único canal de comunicação sério que existe para os associados da Previ.

De forma que, como dizem os sindicalistas, fora as fórmulas complexas. Aumento em percentual já. Que seja 5%, pode ser pouco, mas é transparente. O que ficou para traz , ficou. Quando se fala em percentual não se pode falar que esta “puxando a sardinha”, sem bem que, falar pode falar qualquer coisa.

Um abraço e obrigado por este canal de comunicação democrático

Anônimo disse...

Colegas,

Reajuste igual para todos, esqueçam as sacanagens propostas pela SASSERON (aumento do teto para 100%) e as fórmulas inaplicáveis da ANABB, que só servem para o pavão do Valmir Camilo exibir suas penas. VAMOS NOS UNIR E SERMOS JUSTOS UMA ÚNICA VEZ NA VIDA E PENSARMOS NA TOTALIDADE DOS PARTICIPANTES. Na hora que as propostas vão para votação, aparece a ANABB para enrolar os menos esclarecidos, omitem informações importantes e empurram goela abaixo melhorias de benefícios que só servem a alguns grupos privilegiados. FIQUEMOS ATENTOS.

Anônimo disse...

Graças a Deus que teremos segundo turno! Quero ver esse PT no infernooooo! cambada de ladrões!!!!Juntamente com eles a diretoria da ANABB!!!!!

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Marcos,

Para seu conhecimento e publicação se achar conveniente fazê-lo, estou retransmitindo mensagem recebida.

Tendo em vista que o autor foi citado como: "Dr. Medeiros", quero crer que se trate do Dr. José Bernardo de Medeiros Neto, colega aposentado, Advogado e Contabilista, residente em Porto Alegre e que foi presidente do Conselho Fiscal da PREVI, eleito pelos participantes.

Abraço do Valentim.

Previ x BB - Apropriação indébita - comentários do Dr. Medeiros

O TEMOR DO BANCO DO BRASIL QUANTO AO SUPERAVIT

Perguntam-me, com insistência, sobre qual o temor do BB nessa questão do
superavit e sobre a relevância da observação feita pela Morgan Stanley
a respeito das apropriações.
Acho que o BB agora está pressionado para dar uma solução ao caso por
várias razões e deve resolver o impasse até o final do ano, com certeza,
pois está a descoberto, tendo em vista que se apropriou indevidamente do
superavit da PREVI, existindo uma liminar, e, principalmente, porque se
excedeu nos valores, pegando 14 bilhões em vez de oito bilhões, segundo
consta.
O temor do BB não é só com o Morgan Stanley, que analisa as
demonstrações financeiras com vista ao mercado de capitais e influi nas
cotações das ações, mas principalmente com a SEC, organismo
importantíssimo a serviço da Bolsa de Nova York, que fiscaliza as
empresas que operam lá, como é o caso da VALE e do Banco do Brasil. A
certificação da SEC é essencial para a credibilidade contábil e suas
observações obrigam muitas vezes as empresas sob seu controle a revisar
balanços e efetuar correções e estornar valores.
O balanço anual do BB está próximo. Faltam apenas NOVENTA DIAS, que
passam rápido. E´vital para o BB que tudo esteja em ordem, que não
pairem dúvidas sobre seus critérios contábeis. E é dessa circunstância
que nós temos que nos aproveitar agora por ocasião das negociações do
superavit, exigindo não só sua distribuição justa e equânime, como
também a solução para a renda certa e para o aumento do percentual das
pensionistas, no mínimo. E no caso da distribuição não se pode esquecer
da retroação.

continua...

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

PARTE II -

O desespero do BB pode ser aquilatado pela nota ontem distribuida pela
PREVI que dá conta da contratação justamente da Morgan Stanley, que
contestou as demonstrações do banco, para avaliar os ativos da Neo
Energia e da CPFL. Porque ela ?
Amanhã comentarei sobre como vejo a participação do BB no superavit.
O BB TEM DIREITO AO SUPERAVIT ?
A resposta é óbvia e simples. NÃO. Não, o BB não tem direito ao
Superavit. Nunca teve. Os patrocinadores dos fundos de pensão passaram
a ter direito ao superavit somente após a famigerada resolução 26,
instituída em 2008, pelo Conselho de Previdência. Das duas liminares
obtida, uma caiu, a do Sindicato de Brasília sob o fundamento de que a
crise havia deixado os bancos vulneráveis e não poderiam ser
prejudicados, e a outra da FAABB ainda se mantém, justamente a que
impede a transferência de recursos para o Banco do Brasil antes do
julgamento de mérito da demanda.
Então o superavit é nosso, é todo dos participantes da PREVI ? Sem
dúvida. E como o BB se apropriou de parte dele ? Contabilizando como
expectativa de receita futura, baseado em parecer de seu Departamento
Jurídico ou de um escritório de advocacia especializado. Daí se dizer
que os recursos não saíram da PREVI. Outros afirmam que o BB
contabilizou sonhos, um castelo de cartas, meras esperanças, que poderão
não se concretizar. Outros declaram que o discutido superavit sequer
existe. Que se trata de uma ilusão ou de uma manipulação contábil.
O mais grave nesse processo, para mim, são aqueles que acreditam que uma
distribuição do superavit poderá enfraquecer a PREVI e colocar em risco
no futuro os benefícios mensais que recebem. Há que ter muita
prudência, muita cautela, afirmam. Aliás, isso também se verificou por
ocasião da garfada do IGPDI em 2003. Queriam ficar com os 18% pois
tinham medo que os 30% iria quebrar a PREVI. Tive grande dificuldade,
na época, de convencer alguns importantes dirigentes de nossas entidades
de que os números eram a nosso favor.

continua na PARTE III - Final

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

PARTE III - Final

Respeito a opinião de todos e não sou o dono da verdade. Apenas analiso
com profundidade os fatos, à luz dos preceitos legais e contábeis,
assessoro-me dos sábios, doutos e técnicos, e procuro me valer do
indispensável bom senso para tomar decisões e atitudes.
No caso presente sou favorável a uma negociação nossa com o BB. Uma
negociação dura, já que o BB pisou na bola avançando o sinal e
calculando para mais os valores contabilizados. Sou favorável a uma
negociação imediata para que a questão não se arraste por muito mais
tempo, eis que não dispomos dele. Um médico, em palestra recente,
declarou que a única coisa inexorável na vida é a passagem do tempo e a
morte. Diversos colegas e amigos meus faleceram sem desfrutar um centavo
do superavit. Faleceram magoados e chorando a falta que lhes fez.
A discussão jurídica do superavit vai se fazer num fôro adverso para
nós. O STF e o STJ são dominados por ministros nomeados politicamente,
pelo presidente da república. Lá no STJ está, por exemplo, o Ministro
Noronha, ex consultor jurídico do Banco do Brasil, que estava no BB
quando houve a apropriação dos 5 bilhões da PREVI em 1997. Difícil
vencer essa barreira.
Pessoalmente gostaria de não dividir o superavit com o BB. Mas não dá.
Se houver uma vitória, será uma vitória de Pirro, sem glória, sem
resultados. Mas, como já disse, defendo uma negociação dura. Quero
dividir o superavit, mas que ele venha com os 80% para as pensionistas,
com a isonomia da renda certa, com a solução para os litígios da cesta
alimentação, com o atendimento de outras justas reivindicações, e que
não se olvide de exigir a retroatividade. Se o BB está pressionado e
acuado, nossos negociadores tem que ser implacáveis, devolvendo ao banco
o tratamento que desde 1995 tem dado para seu funcionalismo da ativa e
para os aposentados e pensionistas.
E´ a minha modesta opinião, salvo melhor juízo.

(Dr. Medeiros)

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Consulta à PREVI e respectiva resposta:

Senhor Marcos,

Nas renovações, o valor da prestação do mês é sempre abatido do saldo devedor a ser liquidado e, portanto, será cobrado normalmente no dia 20.

Colocamo-nos à disposição para outras consultas.

ROBERTO PEREIRA GONCALVES
Gerência de Atendimento
PREVI

----------------------------------------------------------------------------------------------

Data: 01/10/2010 18:11:09
Assunto: Empréstimo Simples
Tipo: Solicitação

Mensagem:
Peço informar se estou isento do pagamentom de prestação no contracheque deste mês de outubro, relativo ao ES anterior ao contratado hoje, cuja primeiro pagamento está programado para 20/11/10.

Grato,
Marcos Cordeiro de Andrade.

Matrícula: 6808340
Nome: MARCOS CORDEIRO DE ANDRADE


MINHa Observação:

Alguém entendeu? Eu, não!

Anônimo disse...

Marcos e colegas,

O que vocês acham que pode ocorrer agora que teremos o 2º turno para Presidente em relação às negociações do Superávit? E caso, fosse eleito o Serra, o que ocorreria com esse pessoal do BB e Previ que fizeram toda essa maracutaia? Vocês acreditam que haveria possibilidade de cair essa Res.26 no novo governo?

Chico Alves disse...

Ao colega anônimo de 03/10 20:20
Apelando aos seus conhecimentos, externados em opiniões que considero bastante equilibradas, peço-lhe o obséquio de informar se o contribuinte externo ( aquele que recolheu a contribuição patronal + contribuição pessoal) fará jus à devolução das cotas patronais recolhidas e em que percentual (50%?) caso seja aplicado a Resolução 26. E mais, a devolução abrangeria todo o período contribuitivo ou apenas as parcelas que excedessem a de nº 360?
Abraços

jeanne disse...

Marcos, eu não entendi esta resposta porque no meu emprestimo anterior não estava abatida a primeira prestação(eu tinha acabado de renovar para 60.000,00 e na outra renovação(01/10)devia 60.140,00 mais ou menos).Na minha opinião eu não vou pagar em Outubro.Mas essa é a minha opinião...Jeanne.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Mensagem encaminhada à FAABB e a todas as suas Afiliadas:

Prezados Colegas Dirigentes,



Pela oportunidade na abordagem do assunto, tomamos a liberdade de repassar mensagem de um associado da AAPPREVI, onde sugere adoção de medida que reputamos passível de ser executada em benefício de todos os participantes da PREVI.

Por isso, encarecemos sua atenção ao que se contém, com vista a um possível posicionamento da parte da Entidade tão bem conduzida sob sua gestão.

De nossa parte declaramo-nos adeptos da assunção de responsabilidade para levar a efeito a proposição, de comum acordo com todas as afiliadas da FAABB a quem, igualmente, estamos nos dirigindo nesta ocasião.



Atenciosamente,



p/AAPPREVI

Marcos Cordeiro de Andrade.



----- Original Message -----
From: Helio Castelo de Souza
To: aapprevi@aapprevi.com.br
Sent: Monday, October 04, 2010 11:25 AM
Subject: ELEIÇÕES


Gostaria, humildemente, de propor as instituições ligadas a PREVI, que elaborassem pauta com perguntas sobre o posicionamento dos postulantes à Presidência da República(Serra e Dilma), sobre a ingerência dantesca do Governo e do Banco do Brasil, na PREVI; e os reflexos aos associados(donos), que passam dificuldades sendo proprietários deste patrimônio fabuloso, e são tidos pela mídia e demais população, indevidamente, como marajás. Qual o seu posicionamento(de preferência por escrito) ou nos debates televisivos, da distribuição do lucro e qual a sua visão futura da atuação da PREVI como entidade privada e não pública como o Governo a trata. A oportunidade é agora, antes da eleição, pois se não houver um comprometimento antecipado dos candidatos, ficaremos a ver navios, com certeza, pois é público e notório que o histórico dos dois candidatos, é de descaso conosco; pois nem o governo Lula fêz alguma coisa e muito menos o governo anterior(fatidíco) do Fernando Henrique. Sabedor que essas entidades, especialmente a AAPPREVI, saberá a melhor forma de encaminhar esta reenvidicação antecipadamente agradeço,



Helio Castelo de Souza - Matr, 4.002.650-7 - Fone: 47 32264.1101 . Demais dados estão no meu cadastro.

Anônimo disse...

Colegas,

Existem medalhões dentro da PREVI que recebem elevados benefícios, estando muito satisfeitos com suas rendas.
Por incrivel que pareça, refutam reajustes, interessando-lhes apenas que os pagamentos das suas aposentadorias não corram riscos.
Por isso asseveram que os superávits são fictícios, que não existem, que são meras manobras contábeis, que as cotações das ações são volatéis, enfim, são egoistas, garantido os seus proventos, o resto que se dane.
Sou totalmente contra essas aves de rapina, e afirmo que o superávit da PREVI é real, inclusive os organismos internacionais acabaram de reclassificar a Petrobrás como a segunda maior empresa do mundo, em patrimônio, no seu ramo, sendo que a PREVI como acionista da Petrobrás, concomitantemente,tem o seu Ativo valorizado de forma real.
Como colocar em dúvida, fatos concretos, legítimos e irrefutáveis. As regras do Mercado de Capitais são essas e a PREVI cumpre rigorosamente as Leis,seus números são confiáveis, seguindo os princípios salutares da boa Governança Corporativa.
Essa conversa de que o Fundo de Pensão corre risco se distribuir superávit, é pura balela de pessimistas da velha guarda e de consultores desatualizados.
Anteriormente, alegaram que haveria riscos se pagasse os 30% do IGPDI, passados vários anos, ocorreu o inverso, ou seja, a Caixa cresceu de forma fabulosa.
Quem tem um patrimônio robusto, com reservas e colchão de liquidez específicos para fazer face a eventuais riscos, não precisa temer crises. Aliás, existe um axioma de que: "As Crises são Episódicas e Passageiras ".
No momento, tudo caminha para a normalidade, e o superávit vai ser distribuido para a felicidade geral de todos. Haverá um corte transversal, contemplando do menor ao mais abastado. Este se achar que não precisa, que repasse aos bisnetos, ou a instituições de caridade.

Anônimo disse...

Depois das considerações do Dr. Medeiros o mínimo que esperamos dos negociadores é uma postura mais dura e decisiva. Percentual inferior a 30% de reajuste nos benefícios retroativo a Janeiro de2010 deve ser ignorado. SE ESSA BOMBA ESTOURAR VAI SOBRAR PRA DIRETORIA DO BB E DA PREVI. Gostaria humildemente de solicitar que a Dona Isa Musa fizesse uma análise do que o Dr. Medeiros expôs.

Anônimo disse...

Pessoal que frequenta o blog, ACORDE..... Essa tal de Daisi e os senhores ruy e paim ficam escrevendo ai que o Banco não tem direito. Mas o Banco é mais forte e se não concordarmos ele leva a parte dele e nos deixa labendo os beiços. Quero que os negociadores concordem que o Banco fique com a metade, desde que a outra metade venha para nós rápido!

Ari disse...

Esclarecendo a Jeanne: A operação realizada do dia primeiro em diante, naquele mês, não haverá débito da prestação. Sempre realizo minha renovação nos dias 28 ou 29 ou 30 de cada mês. Como o crédito é realizado no mínimo dois dias após sempre cai no dia 1º ou no dia 2 do mês seguinte. Desta forma, sempre fico livre do desconto da prestação no mês do crédito.
Um abraço.

Anônimo disse...

Jeanne,concordo com voce.Tambem renovei em 20.09 e em 01.10 e nao vi o debito da prestaçao do primeiro(20).Nao tenho que pagar nada em 20.10(na folha).No dia 01.10, o meu saldo devedor, que abateu no novo limite, estava maior
do que o valor renovado.
Publique por favor.

Anônimo disse...

Colegas,
Amanhecemos, hoje, com notícias muito tristes, como as vitórias do Tiririca em São Paulo e do josé pimentel no Ceará.
Entretanto, concordo, inteiramente com o colega Hélio Castelo de Souza. Há uma luz no final do túnel. As associações que nos representam tem, agora no segundo turno, uma bela oportunidade de questionarem os candidatos sobre as questões que envolvem a Previ.
Agora, será que haverá interesse da ANABB, por exemplo, fazer tal coisa?

Anônimo disse...

Colega Chico Alves,
Realmente, os participantes autopatrocinados, são uma exceção.
Veja o que diz o regulamento:
Art. 15 – Ao participante que optar pelo inciso II do artigo 8º será assegurado o direito ao autopatrocínio mediante permanência no Plano de Benefícios com pagamento das contribuições pessoais, correndo por sua conta também a parte que caberia ao ex-empregador.

Art. 16 – O participante que tenha optado pelo inciso II do artigo 8º e que vier a ser novamente admitido na empresa patrocinadora terá cancelada essa condição na data da nova admissão na empresa, ficando, a partir de então, sujeito aos mesmos direitos e deveres dos participantes ativos.

Se o autopatrocinado voltar a trabalhar no banco ficará sujeito aos mesmos direitos e deveres dos participantes do plano. Consta que a Previ tem 288 autopatrocinados, com idade média de 46 anos. A resolução 26 é omissa quanto a este caso. Pois ela procura normatizar ( no nosso caso abusou) a aplicação da Lei em relação aos Patrocinadores e participantes e assistidos. No caso dos autopatrocinados são eles próprios que formam a sua Reserva Matemática, e a Previ administra. Não mantem nenhum vinculo com os Patrocinadores.(sorte deles)
Ademais, se falarmos em proporção contributiva os autopatrocinados detem 100% a partir da adesão a esse modo. A contribuição é para Beneficio Definido.
Deixo claro que é uma opinião pessoal, posso estar errado. Entretanto é o que se apresenta.

Anônimo disse...

Negócio seguinte: Antes tarde do que nunca, não importa o motivo que faz ou que fez o banco voltar a negociar, eu quero é o meu (extra), pouco importando o que o banco pensa. Quando ingressei no banco e compulsoriamente, na Previ (em 1976), sabia que estava contribuindo na época com 1 e o banco com 2, depois passou 1 a 1, para ter um complemento de aposentadoria, não paguei visando superávit, o primoridial é meu salário previ + inss todo mês. Graças a boa gestão do pessoal do PT veio os superávits, na gestão tucano, só arrocho e já recebi alguma coisa portanto, o que vier a mais é lucro, Não se enganem, o banco vai aprovar umas três propostas, as mais universais e vai colocar em votação, metade do banco (como na contrabuição) e metade para nós. Alguns radicais vão fazer campanha para não aceitar as propostas, minoria, a maioria vai aprovar, tem dinheiro para todos, eu quero é passar um Natal melhor com a minha família. Esperar, sem saber o resultado, pela nossas "agilissíma" e "imparcialissíma" justiça, é burrice, esperar 20 anos, com pespectiva de morrer antes. Vamos votar pelo acordo já!!

Anônimo disse...

BOMBA! Pimentel eleito senador no Ceará! (Fonte: UOL Eleições 2010)

Dados pessoais do candidato
Nome completo: Jose Barroso Pimentel
CPF: 065.325.353-20 *
RG: 5469
Data de nascimento: 16/10/1953
Idade ao final de 2010: 57
Município de nascimento: Picos /PI
Nacionalidade: Brasileira Nata
Sexo: Masculino
Estado Civil: Casado(A)
Grau de Instrução: Superior Completo
Ocupação principal declarada: Deputado

Dados eleitorais do candidato
Cargo disputado: Senador
UF onde concorre: CE
Nome na urna: Pimentel
Número eleitoral: 135
Nome do partido: Partido Dos Trabalhadores
Sigla/ número do partido: PT /13
Nome do vice/suplente: Sergio Novais
Partido do vice/suplente: PSB /40
Coligação: Por Um Ceara Melhor Pra Todos (PRB / PDT / PT / PMDB / PSC / PSB / PC DO B)
Situação da candidatura: Deferido

Declaração de bens apresentada à Justiça Eleitoral
Descrição do bem Valor do bem
Casa Na Av. Da Universidade, 2290, Com Uma Area Construida De 221 M² E Terreno De 548,24M² Adquirida Do Espolio De Luciola Furtado, Cpf: 001002693-20 R$ 65.000,00
634 Ações Do Banco Do Brasil R$ 634,00
Caixa Economica - Ag.21830-0 Conta 00507218-6 R$ 476,39
Apt.Na R. Jornalista Cesar Magalhaes Nº 550, 700, Fort/Ce, Adq.De Viladia Pinheiro Lima Brasileiro - Sinal De R$ 355.000,00 E 13 Np De R$ 10.000,00 Cada,Vencendo A 1ª Em 30.03.2008 E As Demais Mensais R$ 485.000,00
Benfeitorias Realizadas No Apt. Citado No Item Acima Com Financiamento Da Caixa Economica Federal R$ 160.000,00
Deposito Na Caixa Economica Federal, Ag.19224 R$ 1.512,91
Banco Do Brasil - Ag.4884-4, Conta 26702-X- Estilo R$ 91.546,99
Deposito Agencia 4646 -3 - Banco Do Brasil R$ 1.264,77
Quotas De Capital Cooperforte R$ 187,05
Aplicações Na Coopeforte Ltda R$ 1.731,27
Automovel Toyota Hilux Sw4 Srv - Placa: Num 0135 - Ano 2010 - Sendo R$ 100.000,00 Financiado - Al. Fid. Banco Do Brasil S/A R$ 165.000,00
Valor total dos bens declarados: R$ 972.353,38

Anônimo disse...

Que horrorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!
Que pais estamos? E o nosso dinheirinho???????? Quero já!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Prezado Marcos,

O autor do artigo: "o BB tem direito ao superávit?" é, realmente, o Colega José Bernardo de Medeiros Neto, que conheço pessoalmente desde 1996/97, quando eu era presidente da AFABBJ.
O Dr. Medeiros mantém o blog:
"http://blogdomedeiros-medeiros.blogspot.com.", no qual publicou o artigo mencionado acima.

Abraqço do
Valentim/Joinville

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

ATENÇÃO - CUIDADO!

Caros amigos,

Muito cuidado com e-mails desse tipo , abaixo, pois o Banco do Brasil não se comunica com os clientes através de e-mails, portanto não tomem nenhuma providencia quando solicitados.

Heráclito
--------------------------------------------------------------------------------

De: Recadastramento BBB 2010 [mailto:Suporte@bb.com.br]
Enviada em: segunda-feira, 4 de outubro de 2010 00:47
Para:
Assunto: Banco Do Brasil

Prezado Cliente,

Por motivos de segurança foi lançada uma atualização para o Módulo de Segurança BB.
A atualização do Modulo de segurança é obrigatória evitando assim problemas ao seu acesso pelo Internet-Banking
e outros canais de conveniência BB.

Caso não efetue a sua atualização obrigatória com urgência, o acesso via Caixas-Eletrônicos
e Internet-Banking ficará suspenso e seu Cartão junto com Cartão de credito
serão cancelados, impossibilitando acessos e movimentações.

Atualizar Modulo BB

Caso o link acima não funcione use nosso link direto:
www.bb.c............atualizacao/

Em caso de dúvida, contatar nossa Central de segunda a sexta-feira das 07:00 ás
20:00 horas.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Às Associações de Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil/

Sr Presidente,

Como é do conhecimento de todos, as negociações com o Banco do Brasil e Previ com o objetivo de se propor a destinação da “Reserva Especial Para Revisão do Plano” recomeçaram.
No último dia 27 foi realizado um primeiro encontro com os representantes do Banco do Brasil e, naquela oportunidade, ficou marcada a próxima rodada para o dia 18 de outubro.
A FAABB convida as associações para um encontro prévio, no dia 17 de outubro (domingo), a partir das 8:30 horas, até às 18:00 horas.
Local: Hotel Nacional – Brasília DF
Check-in no sábado, a partir das 12:00
Check-out na segunda-feira, dia 18 até às 12 horas
Insisto que todos devem chegar no sábado, de modo que possamos começar a reunião no domingo pela manhã, logo após o café da manhã.
A FAABB fez bloqueio de 30 apartamentos no Hotel Nacional, de modo que cada associação, se mandar mais de um representante esses deverão, na medida do possível, dividir apartamento.
Pauta única: superávit – reserva especial para revisão do plano.
IMPORTANTE: CONFIRMAR PRESENÇA, ENVIANDO O NOME DO REPRESENTANTE ATÉ DIA 14 DE OUTUBRO PARA ESTE E-MAIL: faabb@hotmail.com br

Atenciosamente,

Isa Musa de Noronha

Anônimo disse...

Meu Deus será verdade o que estou lendo? Louvado seja Deus!!!!

jeanne disse...

Ari, obrigada pela confirmação.Mas é duro a Previ não saber de nada disso, não é?Jeanne

Anônimo disse...

Colega das 11:59, obrigado por essa tremenda BOMBA.
Dá pra ver que além do zé pimentel dispor de uma boa disponibilidade de caixa, não tem nenhum EMPRÉSTIMO SIMPLES DA PREVI, ao contrário dos milhares de colegas prejudicados pela malfadada resolução 26 de sua autoria.

Anônimo disse...

AO ANÔNIMO DO DIA 4, 11:29,

Você tá na praia errada. Aqui só tem espaço para falar mal do PT: Partido dos Traidores.
Essa "boa gestão" a qual você faz referência foi responsável pela Resolução 26, mensaleiros, aloprados,fábrica de dossiês, mordaça na imprensa, aliança com Collor e Sarney, escravidão dentro do BB e por aí vai...
Tomara que a Bruxa se dê mal!

Chico Alves disse...

Ao colega anônimo de 04/10 ll:l4
Agradecendo, com sinceridade, as informações que me foram fornecidas, acrescento mais um detalhe: Alguns funcionários que posuiam tempo para aposentadoria na Previdência Oficial e na PREVI e aderiram ao PDV, no primeiro momento, em 1995, receberam as vantagens oferecidas pelo Banco e se aposentaram em seguinda. Nesse caso, ficaram recebendo a aposentadoria PREVI/INSS e permaneceram contribuindo para o Fundo com as parcelas pessoal (1)e patronal (2). Casos como esse estariam abrangidos pelos seus comentários?
Abraços

José disse...

Exma. Sra. Isa Musa de Noronha,

Quero parabenizá-la pela excelente iniciativa da reunião dia 17. Tenho certeza que será de grande valia para o desfecho positivo que todos esperamos. Assim como nós, milhares de famílias aguardam ansiosas por boas notícias. Que Deus ilumine os pensamentos dos representantes.
Obrigado

José

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Mensagem encaminhada internamente:

Prezados Colegas Dirigentes,

Como é do seu conhecimento, a AAPPREVI foi convidada para participar de reunião convocada pela FAABB juntamente com as demais afiliadas, a realizar-se em Brasília no próximo da 17/10, véspera da que está agendada pelo Banco/PREVI para tratar da distribuição do superávit.

No entendimento de que não podemos ficar ausentes do acontecimento, e para compor a pauta da nossa proposta a ser apresentada e defendida pelo (a) representante da AAPPREVI no evento, seria recomendável que elaborássemos de comum acordo um documento contendo nossas reivindicações.

Assim sendo, e se de acordo, peço o contribuição de cada um para viabilizar o intento, preparando o conjunto de itens que deverão compor esse documento, dentro das propostas inicialmente colocadas na reunião ocorrida no dia 27/09, conforme abaixo, imprimindo os acréscimos e/ou modificações julgados necessários:

“ Os representantes dos bancários apresentaram ao BB, na reunião realizada em Brasília, as reivindicações para a utilização da reserva especial do Plano 1 em melhoria de benefícios dos associados, que já foram debatidas amplamente com os associados ao longo dos últimos anos e referendadas em várias reuniões de entidades representativas: aumento linear com piso mínimo, continuidade da suspensão de contribuições, aumento do teto de benefícios para 100%, aumento no percentual das pensões para 80%, redução da Parcela Previ, 360/360 avos dos benefícios, aumento no benefício mínimo, aposentadoria antecipada para as mulheres aos 45 anos, abono anual para aposentados e resgate da contribuição patronal pelos pedevistas.”

Pela importância de que se reveste, agradeço a brevidade da resposta que for dispensada a este pedido, lembrando que a escolha do(a) representante da AAPPREVI será objeto de nova consulta à Direção, mas, antecipando a escolha, recomendo aos que se sintam com disponibilidade para o comparecimento que se manifestem.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade

Presidente Administrativo

Anônimo disse...

Ao anônimo de 4 de outubro de 2010 das 11:29.

Tu és um pelego de algum sindicato e filiado ao PT. Me engane que eu gosto.

Anônimo disse...

Marcos de forma alguma este encontro pode se furtar de sua presença!Precisamos de suas propostas e de sua voz erguida contra aqueles que só querem espoliar os aposentados do plano 1.Precisamos de um líder e de uma voz forte para dizer não as propostas miurabolantes e ao enrolation da ANABB.

Anônimo disse...

Marcos e colegas,

Como já mencionado antes por vários colegas, acredito que quanto menos itens a serem discutidos melhor, priorizando aqueles que favoreçam a todos indistintamente tais como:
- aumento linear para todos, com piso mínimo;
- continuidade da suspensão das contribuições;
- abono anual e de igual valor para todos.

Desprezar os demais itens para evitar complicações, agilizando assim as negociações.
Abraços.

Anônimo disse...

Espero que não seja mas esse caso da Petrobrás me cheira a fraude. A empresa vende a gasolina mais cara do mundo para nós brasileiros. Além da carga execessiva de impostos a Petrobras cobra um percentual em torno de 12% acima do preço normal de comercialização, gerando um lucro extra de R$ 25 bilhões anuais. Explicando: A Petrobras calcula o valor de comercialização do produto baseado em todos os custos de produção, refino, administração, enfim, todos os custos operacionais e não operacionais da cadeia que vai da produção até ao posto de abastecimento.
Esse valor encontrado que seria o valor normal da comercialização e é acrescido de mais 12%, que se chama de lucro extra.
Qual empresa que não dá lucro assim? E esse pré-sal? Quem garante que esse petróleo vai ser extraído? O Brasil realmente detém uma tecnologia de exploração em águas profundas mas que não chegou a tanto.
Tomara que os técnicos da Petrobras vençam mais esse desafio, retirando esse óleo do fundo do mar, com segurança sem riscos para o meio ambiente.

Anônimo disse...

Ilustre Dr. Medeiros,

Antes de mais nada quero dizer que, embora divirja de alguns pontos do seu parecer jurídico, respeito muito o seu trabalho, bem como a sua opinião.
O seu relato me fez lembrar de uma passagem pitoresca, num desses cursos que a gente fazia a mando do banco, quando um colega levantou-se e disse ao professor que estava com dúvida. O mestre apressou-se em perguntar-lhe, em que parte da matéria residia a dúvida, no que ele respondeu, em tudo.
Aqui, também,parece que houve muita incerteza e a coisa ficou no terreno do achismo,veja que não houve uma afirmação peremptória de quanto o BB realmente apropriou-se dos superávits, se de R$14 ou de R$ 8 bilhões.
No mesmo passo, o texto foi pontilhado de várias ilações, especialmente sobre a retidão das contabilizações, de apontar que o banco está a descoberto, por ter exorbitado nas provisões das receitas futuras e, sobretudo, por deduzir que o banco não tem direito ao superávit, mas ao mesmo tempo concorda que ele leve a sua parte, porque não dá.
Discordo também da assertiva de que a distribuição dos nossos superávits será feita no STJ ou STF, fôros que nada têm a ver com o assunto, uma vez que as tratativas estão sendo feitas na esfera amistosa.
Eu até gostaria que fosse o contrário, mas como discordar que o BB não tem direito a 50% dos superávits,neste momento, se a Resolução 26 da Previc, em pleno vigor, lhe garante essa regalia.
Inobstante, encontrar pequenos reparos, elogio o parecer pelo conjunto da obra.Louvo a boa intenção do nobre colega em procurar defender os interesses dos aposentados. Parece que faltou uma coleta prévia de dados concretos, para melhor embasar os argumentos.
Por fim, não sei qual parte do parecer poderia melhor subsidiar as negociações.

Rosalina disse...

concordo plenamente quando diz para contemplar pensionistas e aposentados por invalidez, afinal todos contribuiram para o superavit!!!

Anônimo disse...

Marcos,

Noto que há uma diferença de 5:00h nos horários dos comentários. Veja, por favor, se o contido em http://www.desenvolvimentoblogger.com.br/2010/05/ajustando-fuso-horario-no-blogger.html poderia resolver isso.

Abraços.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Colega anônimo das 18:49 (ou 22:49).

Prefiro manter o fuso horario do provedor (e todos os seus indicativos). Já fui censurado por trabalhar de madrugada e acharem que durmo pouco pela identificação dos horários. O que importa mesmo é o participante postar o comentário e conferir em seguida que foi publicado, quase que em tempo real,sem importar-se com a hora que marca.

Anônimo disse...

Colega 04/10 - 18:30
Quanto ao valor contabilizado, informado pelo Dr. Menezes, ele está com toda a razão. Conforme notas explicativas do Balanço Semestral do BB ( nota 11-b e 28-d) os Ganhos atuariais liquidos somam precisamente, em 30.06.2010, R$ 14.509.718 mil.
O BB alega que "A Resolução n.º 26/2008 do Conselho de Gestão de Previdência Complementar veio esclarecer questões relacionadas à interpretação do direito das patrocinadoras e dos participantes aos recursos excedentes originados das contribuições (e de seus rendimentos) de ambas as partes. Segundo essa Resolução, o
excedente deve ser atribuído aos patrocinadores e participantes na proporção das contribuições efetuadas."
O que a Resolução 26 fez foi "incluir o BB na divisão", não
esclarecer. Essa medida tomada pelo Conselho de Gestão da Previdencia Complementar é de competencia exclusiva do Congresso Nacional. O Conselho exorbitou ao restringir direitos e criar obrigações aos participantes da Previ. O Inciso II , do artigo 5º da Constituição Federal é claro quando assevera que: "ninguem será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei". Resolução não é lei.A Resolução é, claramente, inconstitucional.