sábado, 19 de fevereiro de 2011

Perdemos

Caros Colegas.

Nada a declarar. É isto que se ouve de quem é pego com a boca na botija e teme se incriminar pelo mal feito cometido.

Nada a comemorar. É o que todos nós devemos dizer ao lembrar o dinheiro do superávit que pingou em nossas contas.

Muito a lamentar. Esta é a atitude correta que todos nós devemos adotar, pois derrotas não se comemoram e, no nosso caso, há mais de três anos tentamos convencer o mundo de que somos donos dos superávits da PREVI. E os senhores do mundo determinaram que somente tivéssemos direito à metade dessa soma. E nos tomaram a outra metade - na maior cara de pau.

E como derrotas devem ser lamentadas ninguém, em sã consciência, pode adotar postura de vencedor nesse lamentável episódio em que muitos se empenharam, mas lamentavelmente saíram todos perdedores. Devemos isto sim, ter humildade suficiente para reconhecer o pouco que conseguimos, pelo pouco que fizemos, talvez pelo tardio empenho desenvolvido.

No momento em que contamos os trocados depositados, é constrangedor conhecer a angústia imposta aos que avidamente aguardavam esse desfecho. Mesmo ontem no tão esperado dia anunciado para o crédito, tivemos o desprazer de ler relatos pungentes daqueles que acordaram sem ter o dinheiro na conta, enquanto comprovadamente outros já o tinham. Parece até que o Banco e a PREVI escolheram uns poucos agoniados para amargar mais um dia de sufoco, e fazer a desesperança transformar-se em desespero, para gáudio dos sádicos dirigentes donos dos cordões que manipulam marionetes. Mas, como sempre acontece com os atos e atitudes da PREVI – e do Banco – sem explicações maiores, nem melhores, procederam ao tão chorado depósito ao apagar das luzes desse dia, mas, mesmo assim, não para todos.

Por isso, ao juntar-se essas coisas, é bom lembrar que ninguém tem o que festejar. Ninguém pode vir a público arvorar-se da autoria do feito, ou do mal feito. Na verdade, todos os envolvidos nas tratativas para deslindar a pendenga devem, num Ato de Contrição, reconhecer sua pequenez diante das forças enfrentadas, e humildemente bradar aos quatro ventos que saiu perdedor. Ou calar-se. Partindo daí voltar a levantar a voz e empunhar o teclado do computador para usar a palavra, no grito e na escrita, declarando que não estão vencidos. E num gesto altaneiro de congraçamento, procurar unir o poder dessas vozes e dessas palavras para voltar a enfrentar seus algozes. Desta feita mais bem preparados. Mais experientes e mais convincentes do lado de cá. E voltar ao campo da batalha perdida para, com a união dessas forças, conquistarem a guerra que ainda não findou, pois o alvo da vitória é a recuperação do que nos tomaram covardemente à sombra das suas leis espúrias.

Não podemos esquecer: “Os humildes serão exaltados”.

Associe-se a AAPPREVI! Clique aqui.

Marcos Cordeiro de Andrade – Curitiba (PR) – 19/02/2011.

76 comentários:

Anônimo disse...

Nao entendi esse beneficio minimo, porque no suplemento especial q a Previ mandou pra os associados fala que esse beneficio seria pago nos mesmos moldes do beneficio temporário.O beneficio temporário foi pago em 14 parcelas porque o beneficio minimo vai ser pago a partir de janeiro???? vou fazer essa pergunta a previ......

Anônimo disse...

Em março veremos se esse benefício minimo vai fazer alguma diferença ou se foi mais uma maracutaia que a Previ pregou pra os menos afortunados. Só deus pra fazer com que os humilhados sejam exaldatos Marcos. Uma decepção, ainda bem que nao votei.

Eduardo disse...

APOIADO !!!!!!!!!!!!!!!!

mariano disse...

Valeu Marcos, estamos com voce e com nossa eAAPPREVI. Vamos continuar a luta pelos nossos direitos.50% do superavit, aumento das pensionistas, Cesta Alimentação, 360/360,eo que mais for nosso.
Vamos organizar a chapa da AAPPREVI, proximo ano teremos eleições Previ/Cassi.
Vamos estudarmos a maneira de colhermos muito mais de 800 assinaturas. E vamos trabalhar para elegermos nossa chapa.

Wanderlei C Ribeiro disse...

sábado, 5 de fevereiro de 2011

BB, BBB, ........ PQP!

Inegavelmente que hoje, dentre outros, bom negocio é ser dono de escola particular, de uma igreja, de um Banco. Lógico que bem administrados (o Silvio Santos que lerdeou).
Estava eu usando o terminal do BB, quando vi nele indicação de numero de conta para doação às vitimas de enchentes. Ninguem discute a necessidade de muitas pessoas que sofreram com efeitos desastrosos das águas, precisam realmente de varios tipos de apoio.
Mas essa "solidariedade" do Banco do Brasil, assim como a de outros bancos ou outras entidades é como morder rapadura com os dentes do outro. Tem sempre um segunda intenção, lógico, tem que ser bom para a instituição. No caso do BB, o ponto positivo, no mínimo, pra ele, é que tenhamos a imagem do "bonzinho", "solidário", aquele que não pensa só nos cifrões.
Seus funcionarios que o digam, mesmo com os lucros semestrais se superando, nunca chega em um mes de setembro, época de reajuste dos bancários, com um índice de aumento já definido e decente, dentro da realidade. É preciso que o pessoal chegue às greves, e depois de alguns meses o Banco melhora a proposta para acordar.
No caso dos alagados, o BB podia fazer um "graça" melhor. Vi na internet que ele tem em torno de 33 milhões de contas corrente. Tem correntistas que são isentos de tarifas mas, a maioria não é. Num mes de 30 dias, uns pagam R$ 12,00, outros mais ou bem mais de R$ 30,00. Podemos então fazer uma média, um pelo outro, cada detentor de conta paga R$ 1,00 por dia. Vamos esquecer os 33 milhões de contas correntes, se considerarmos apenas 10 milhões, são 10 milhões de reais por dia.
Então, o BB não podia doar algumas horas de tarifas arrecadadas?


Bom, e o BBB, o assunto no fundo continua sendo dinheiro. Vamos "tirar o chapéu" pra Rede Globo, o importante é o efeito dominó: baixaria, boa audiência, bons patrocínios e cofre cheio.
Tem razão o escritor cuja cronica eu li, em que critica o Programa e se diz admirado de o apresentador do Big Brother ter concordado em exercer essa função. Mas eu, particularmente, acho que ele não gosta muito mesmo não. Dos poucos pedaços que assisti da "atração", vi seu mau humor com participantes várias vezes.
Dizer que o que vemos na "casa", postura, comportamento, identidade, modo de vida, é a realidade, mas precisamos incentivar isso? Não bastassem as novelas, tudo em nome de uma normalidade, modernidade, audiência e dinheiro.
A verdade também é que o mundo de um autor, produtor, diretor de muitos programas televisos, é outro. Seus conceitos de moral, comportamento, são bem liberais.
Podem dizer: assisti se quiser, desliga ou assisti o Futura. Podemos fazer isso sim, acho que nada nos impede, mas, infelizmente o que é ruim vai continuar passando noutro canal.
Até.

(do Blog RICAWAND)
www.ricawand.blogspot.com/

Anônimo disse...

Marcos, conhecer seu dom de expressão, voce transcreve o que vai na alma, já valeu todos esses meses de agonia.
Meu crédito saiu, pouco, como já esperava.
Não há o que comemorar, pois o que tomei conhecimento nesses 2meses superou todos os meus anos no Banco do Brasil, uma decepção saber como tramaram o nosso destino à seu favor.
Mas temos O QUE COMEMORAR, aos poucos estamos saindo desse estado letargico, estamos abrindo os olhos, estamos nos comunicando e descobrimos o Calcanhar de Aquiles da BB/Previ, disso tenho certeza. A confusão do crédito de ontem só deixou transparecer de que não estavam preparados para o crédito, e que este só saiu por pressão. Esse é o caminho, acordaram o DRAGÃO, temos o tempo a nosso favor, VOCES promoveram a interação dos aposentados e pensionistas e esse é um movimento que cresce geométricamente, NÃO HÁ O QUE SEGURE.
Temos muito mais a fazer para por a casa em ordem, só começamos a desenrolar o novelo.
Parabéns a todos que participaram desse movimento.
Elisabeth Oste

mesquitasantana disse...

Meus caros colegas.

Ao fazer coro às palavras do presidente Marcos em seus textos sempre muito bem elabolrados, venho novamente sugerir aos colegas todos injustiçados nessa trama, ANABB - BB - GOVERNO. Desfiliação em massa da ANABB, Filiação em massa a AAPREVI, quanto ao BB e ao governo aguardem.

abraços a todos.

Anônimo disse...

Parabens pelo seu brilhante texto, sr.Marcos, estou muito emocionada, pois o senhor transcreveu tudo que eu gostaria de dizer tambem.
Agradeço de coraçao por contar com pessoas tao dignas como é a sua pessoa.
Näo se esqueça de nós pensionistas, dos nossos filhos e familias, que a Previ e o banco menosprezaram.

Um beijo no seu coraçao.

Clea Souza Silva (pensionista)

Anônimo disse...

Fico muito feliz quando que você faz citações bíblicas porque essa luta não deixa de ser do bem contra o mal. No Novo Testamento, livro de Tiago capítulo 5, está escrito o seguinte:
Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai, por vossas misérias, que sobre vós hão de vir.
As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas de traça.
O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias.
Eis que o jornal dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras, e que por vós foi diminuído, clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos exércitos.

José Dantas - Manaus disse...

Há um grande equívoco em vossas análises. O BB não levou dinheiro nenhum da Previ. Se lerem bem o Balanço do Banco verão que a parte do superávit permanece como "direito atuarial" que somente se realizará quando se pagar a última pensão ou benefício dos participantes e assistidos do Plano 1. E isso não é por bondade. Trata-se da Instrução CVM 600 combinada com a Lei 109 e a Resolução 26. Há muito folclore em torno disso. Folclore alimentado por gente que não compreende balanços. Dinheiro da Previ o Banco levou no passado, quando não havia nem a 26, nem a 108, nem a 109. Foi em 1997 quando levou mais de 5 bilhões limpinhos para seus cofres. Ali sim, o Banco passou o rodo. Procurem se inteirar do que vem a ser a Atuária. Uma ciência.

Zeca Arruda disse...

Demissionário do BB por absoluto desinteresse pela carreira administrativa e completa desesperança em ver a situação melhorar, oito anos depois vejo que nada mudou. O modus operandi de trapacear continua vigorando tanto no Banco quanto em muitas Entidades do Funcionalismo.

A não ser a estidades mais novatas como a AAPPREVI, a ABRAPREV, a ANDEBB, só para exemplificar, as mais antigas empelegaram por completo. O resultado é essas mutretas que lesam milhares de pessoas.

elvira disse...

Há menos de um mês, menos que Elisabeth, tomei conhecimento do que está acontecendo, e também não consigo comemorar.
Estou informando a todos os colegas que conheço(aposentados e da ativa) sobre a AAPPREVI.
Sugiro o mesmo a todos que acordamos.
Q ue Deus nos ampare.

Elias disse...

UM MINUTO DE SILÊNCIO!

Anônimo disse...

Acho que na realidade, este superavit foi mais lucrativo para o banco e para o governo do que para os que verdadeiramente mereciam ele por inteiro e com credito sendo pago a vista, para que pudessemos aproveitar este valor integralmente e melhorar a nossa situaçao financeira cada ano mais deteriorada.
Demos metade ao banco e ao governo atraves da receita federal, que ja deu sua voraz mordida e vamos receber em parcelas a perder de vista.
ELES agora podem se gloriar e dizer que honraram com o compromisso de beneficiar os partipantes e etc...
Eu sou pensionista, de 76 anos, nao tenho nada a comemorar, estou contente porque pude colocar algumas dividas em dia, mas é só isto.
Quem ganhou neste dia 18 de fevereiro, foi o Banco, a Receita Federal e talvez alguns da Previ que sao empregados indiretos do sistema.
Nós ficamos com as migalhas, as sobras que eles deixaram do banquete, eles sempre levam tudo a vista, nós recebemos tudo a prazo, torcendo ainda para nao dar nenhuma zebra.
Espero que abram as negociaçoes, pois chegou o momento de pedirmos um real ganho de aumento baseado na nossa cruel realidade, nao so para as pensionistas, tratadas com indiferença salarial, mas para todos os que um dia deram seu sangue e suor para que este Banco hoje pudesse de vangloriar de seus lucros.

Zilah Botelho

Anônimo disse...

Senhor Dantas.
Já que o senhor domina o assunto, por favor, explique-nos:
Consta nas notas explicativas ( Mudança do valor justo dos ativos ) a Reversão(baixa) de valores para o Patrocinador/Participante no valor de (R$ 15.068.115)cuja metade foi contabilizada como segue:

e.2) Fundo de Destinação
Em 24.11.2010, o Banco do Brasil assinou Memorando de Entendimentos com as entidades representativas
de funcionários e aposentados, visando à destinação e utilização parcial do superávit do Plano, conforme determina a Lei Complementar n.º 109/2001 e Resolução CGPC n.º 26/2008.
Face a aprovação das medidas previstas no Memorando de Entendimentos pelo Conselho Deliberativo da Previ, o Banco registrou, em 30.11.2010, em Outros Créditos – Títulos e Créditos a Receber – Previ, o
montante de R$ 7.519.058 mil em contrapartida à baixa do valor na rubrica de Outros Créditos - Ativo
Atuarial, sendo corrigido pela meta atuarial (INPC + 5% a.a).

Após a mudança do valor justo dos ativos, e devida atualização, o Patrocinador registrou um Ativo Atuarial Liquido de R$ 9.894.787 mil sobre o Plano 1, e seu lucro anual foi da ordem de R$ 11 bilhões.
Responda, por favor, se não existisse a Resolução 26 qual seria o resultado do Patrocinador?
O Plano 1 da Previ transformou-se, realmente, em uma subsidiria altamente lucrativa?

Blog do Ed disse...

Senhor José Dantas, de Manaus

Temo chamá-lo de colega, porque não sei se é funcionário ou aposentado do BB. Não conheço a Atuária. Mas, na minha ignorância, entendo que os atuários da PREVI fazem todos os cálculos atuariais para formar as reservas matemáticas e as reservas de contingência. Essas reservas cobrem de sobra, em valor de hoje, todas as obrigações da Previ.Isso feito, sobra o superavit que, salvo melhor juízo, nada mais tem a ver com cálculo atuarial. E esse superavit é todo dos assistidos, na conformidade da Constituição e da LC 109.Tanto assim é que a LC 109 manda distribuir, a cada fim de exercício anual, todo o superavit pelos assistidos. Se eu estou errado, explique-me por favor. Estou suplicando, há já quatro meses, que me mostrem que estou errado e ninguém apareceu para mostrar que estou errado. Em outubro fiz um texto (ele está aqui ao lado, em Notícias Relevantes, sob o título "Há outra interpretação?")
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

Marcos, assino em baixo! ! !

Elisabeth, assino em baixo! ! !

Estou pronto para nova luta, é só
convocar! ! ! !

Vamos divulgar AAPPREVI e o Medeiros! ! ! !

Abaixo a ANABB! ! ! !

Fiquem todos com Deus.

Alan rj/rj

José Dantas - Manaus disse...

Senhor Ed e Sr anônimo.
Sou colega sim. Ingressei no Banco em 1955 e me aposentei em 1990.
Tecnicamente não se faz análise ponderando “e se não houvesse a lei tal ou a Resolução tal.” Faz-se análise com as leis, normas, instruções e resoluções vigentes e, de acordo com essas a contabilização do Patrocinador como “ativo atuarial” está correta. E, sabendo da existência de algumas ações judiciais em curso, o Patrocinador e os auditores independentes fizeram as respectivas ressalvas em Balanço, o que está de acordo com as normas da Comissão de Valores Mobiliários. Tais ressalvas os senhores podem ler nas Notas Explicativas, que estão na página do BB dedicada à Demonstração de Resultados.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Marcos,

A matéria abaixo trata do balanço do BB. Creio que ajuda a esclarecer umn pouco o assunto.

Isa Musa

O Superávit a Previ e o Balanço do BB


No Balanço do BB 2010, publicado em 18/02/2011, os Auditores Independentes escreveram:

“O Banco possui registrado em seu ativo, em 30 de setembro de 2010, o valor de R$ 15.061 milhões (R$ 8.709 milhões em 30 de setembro de 2009) correspondente ao superávit do Plano de Aposentadoria e Pensão - PREVI (Nota Explicativa nº 28) apurado com base em critérios definidos pela Administração do Banco, os quais consideramos os mais adequados a serem aplicados na circunstância. Esses critérios incorporam estimativas e premissas de natureza atuarial e financeira de longo prazo, bem como aplicação e interpretações de normas regulamentares em vigor nessa data. Assim, as imprecisões inerentes ao processo de utilização de estimativas e premissas podem resultar em divergências entre o valor registrado e o efetivamente realizado.”



Cautelosamente, o próprio BB quando se refere à discutida parte do superávit Previ registra:



“O ativo atuarial reconhecido no balanço (Nota 28) refere-se aos ganhos atuariais e sua realização ocorrerá obrigatoriamente até o final do plano. Poderão ocorrer realizações parciais desse ativo atuarial, condicionados ao atendimento dos requisitos da Lei Complementar n.° 109/2001 e da Resolução CGPC n.º 26/2008.”



O Banco não ousa lançar como líquido e certo seu direito a parte do superávit PREVI, tanto que registra em “outros créditos”, como ativo atuarial, assim: “Ativo atuarial (Nota 28.d) 15.061.424.” Quando muitos pensam em pouco mais de sete bilhões, o que o Patrocinador identifica como passível de ser seu é R$ 15.061.424. As ressalvas colocadas quanto a esse suposto direito serve para alertar o Mercado e também para sinalizar a participantes e assistidos da Previ que essa bilionária quantia oriunda dos cofres da Previ pode um dia ser apropriada pelo Banco.



A Nota Explicativa 28 registra “Foram impetradas, por entidades de classe e associações, ações judiciais que questionam a legalidade da Resolução CGPC n.º 26/2008. A Administração do Banco, baseada na opinião de seus assessores legais, entende que a Resolução CGPC n.º 26/2008 está revestida de legitimidade e que o judiciário pacificará o entendimento em relação ao direito e forma de divisão do superávit como definido na referida Resolução. Tendo em vista as diversas ações movidas em relação à Resolução CGPC n.º 26/2008, o Banco do Brasil entende que, embora essa norma tenha esclarecido algumas questões que vinham sendo discutidas até então, principalmente, com referência aos valores a serem atribuídos aos patrocinadores e participantes quando da existência de superávit nas entidades de previdência complementar, essa Resolução não altera as definições existentes na regulamentação vigente, não tendo, portanto efeitos sobre a necessidade de registros dos ativos e passivos atuariais requeridos pelas instituições de capital aberto.”



Essa nota cuidadosamente escrita mostra bem a importância da manutenção das ações judiciais que entidades moveram conta a Resolução 26. O Banco do Brasil alerta ao Mercado que confia que a justiça há de pacificar o entendimento quanto ao seu direito em pare do superávit, mas registra em Balanço a existência das ações. Para bom entendedor...

Isa Musa de Noronha

Anônimo disse...

Caro Marcos,

devido uma grande quantidade de aposentados não estarem a par do que realmente está ocorrendo na relação BB/PREVI sobre o assunto SUPERATIV, bem como outros, sugestiono que fosse elaborado um documento , conjuntamente entre colegas que estão mais preparados com relação ao assunto acima, e distribuido entre os BLOGS existentes, para divulgação, preparação e conscientização do pessoal com relação às proximas eleições.

De minha parte, aqui em minha cidade, tenho condição de repassar o referido documento a mais ou menos uns 20(vinte) colegas;

estou também me preparando para conseguir com eles os respectivos E-MAILS afim repassar noticias e se me autorizarem passar para AAPPREVI.

antonio barreto

Juarez Barbosa disse...

Ao colega José Dantas,

Indago se por ventura foi o senhor que produziu a excelente matéria "PREVI:RELACIONAMENTO FINANCEIRO COM O BB" e postada no site da FAABB?

Anônimo disse...

Colega das 19:58,

Eu entendi que nesse caso, o benefício mínimo a partir de janeiro é para quem está na ativa e vai se aposentar a partir desse ano. Li em algum lugar isso, nem sei onde porque leio um monte.

Blog do Ed disse...

Prezado colega José Dantas, de Manaus

Claro que os atuários fazem os cálculos de acordo com as leis, as resoluções e as normas. Os cálculos estão certos. Mas, as normas, que afrontam as Leis, estão erradas. E por isso temos o direito de não nos conformar com os cálculos. E, por isso, os cálculos devem ser revistos, ou por assentimento das autoridades ou por decisão judicial, se os prejudicados não se conformarem. Mas, o colega não me respondeu duas coisas: o que o superavit,uma vez surgido, tem a ver com cálculo atuarial? Se tem a ver, como é que a LC 109 manda distribuí-lo com os assistidos, e só com os assistidos? Esclareça-me esses aspectos da questão. Apreciei muito sua participação nessa discussão. É do debate que surge a luz, o conhecimento. A democracia se caracteriza pela igualdade dos cidadãos e pelo livre debate. Por isso, adoro a famosa frase de Péricles: "Somos ricos porque somos livres, e somos livres porque somos corajosos."
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

Colegas,

Esta nota explicativa do BB, deixa bem claro porque a ANABB, digo VALMIR, se escondeu e não ingressou com uma ação contra a Resolução 26. A ANABB sustentada por nós para defender os interesses do Banco, continua com 100 mil sócios ??? Eu só queria entender a posição de quem permanece ligado a esta Entidade.

Esta passividade entre os aposentados tem que acabar, esqueçam as ameaças da ANABB, quando pedirem seu desfiliamento. Vamos fazer o VALMIR trabalhar novamente e para isto temos que parar de sustentá-lo.

Paulo disse...

Marco Antônio,
CRÉDITO PRIMEIRA PARCELA SUPERAVIT - Como você é bom de cálculo, peço-lhe um favor. Abaixo, planilha de cálculo, elaborada por mim, conforme FOPAG e informações disponibilizadas pela PREVI.
20% sobre complemento PREVI= 8.628,17 = 1.725,63 X 14 parcelas: 24.158,87
• Retenção 30% I.R.= 24.158,87 X 1/3 = 8.052,95
• Ajuste 20% sobre desconto CASSI: 286, 67 X 20% = 57,33 X 14 = 802,67
Total a ser retido: 8.855,62
Retenção esperável: 8.855,62
• Adiantamento líquido esperável: 15.303,26
• Valor efetivamente liberado 11.995,20
• Diferença a menor: 3.308,06
Contas da PREVI:
• Valor liberado: 11.995,20
• Valor retido: 9.226,25
Total: 21.221,25 (aqui , há, aproximadamente, 12 parcelas, apenas)

9.226,25 = 43,47% de 21.221,25 (a retenção de 33%, 1/3, já comporta ajuste, se é que existe direito às deduções na fonte e a alíquota é 27,5%)
Nada bate. Não retiveram 33%(1/3), senão 43,47%. E parece-me que não creditaram 14 parcelas, mas apenas 12. Gostaria de ter certeza absoluta sobre os cálculos expostos, antes de questionar a PREVI, não somente por mim, como ainda por todos nós que estamos nos sentindo prejudicados mais uma vez, como fiz em relação ao Banco (blog superavitsprevi.wordpress.com).
Um abraço e muito obrigado.
Paulo Motta.

José Dantas - Manaus disse...

Sr. Ed,
Não há relação direta entre o resultado superavitário e a contabilização do BB. O Banco partiu de premissas atuariais para registrar em balanço seu suposto direito a parte do superávit atendendo a legislação vigente, ainda que contestada judicialmente. Enquanto não cair por decisão judicial, a norma prevalece. Quanto ao colega que indagou se li a postagem no site da FAABB, sim. Li e aquela entidade faz uma análise isenta do que foi registrado em Balanço e aponta inclusive os riscos que correm, não só BB a despeito das ressalvas, mas nós, caso as decisões judiciais não atendam aos interesses de participantes e assistidos.

Anônimo disse...

A ANABB, não tem mais o Valmir como presidente. E está correta em defender o BB. Sem BB, não há Previ. Se o BB se retirar da Previ agora, leva com ele todo o patrimônio da Previ, pois em 1935, nossa Caixa deu prejuízo e foi coberto pelo Banco. Em 1964 deu prejuízo e o Banco cobriu, em 2002 deu prejuízo e o Banco cobriu. Então o BB detém dreitos creditórios sobre a Previ e se ele se retirar da Previ ou se o Banco quebrar, leva consigo a Previ. Compreendam que o AERUS faliu em função da quebradeira de suas patrocinadoras. A corda partiu para o lado mais fraco: os assistidos do AERUS. Com o BB e a Previ não seria diferente. Quem tiver dúvidas sobre esses déficits que citei, procure ler os Relatórios Previ daqueles anos. Estão disponíveis na Previ.

Anônimo disse...

Vou cancelar um seguro que eu tenho da ANABB (R$ 20,00) para me associar a AAPREVI. Parece piada, mas R$ 20,00 e R$ 10,00 é dinheiro para mim.

Blog do Ed disse...

Colega José Dantas, de Manaus

Estou percebendo que o colega não me está entendendo nada... Por isso, estou encerrando as minhas considerações. Perguntei se o colega leu o meu texto ao lado, a saber, "Há outra explicação?" e o colega me responde que leu outra coisa. Pergunto no que depende de cálculos atuariais o superavit da Previ, que já é resultado dos cálculos atuariais, e valor destinado pela LC 109 a distribuição ANUAL, e o colega não me responde. Tudo bem. O colega continua a me merecer todo respeito. Mas, não me interessa mais o debate. Estou interessado em respostas às indagações que existem em minha mente. Quero luz de quem está disposto a iluminar-me. Sem mágoas, com respeito mútuo e aguardando reencontro mais profícuo no futuro.
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

Alguém poderia, por favor, informar-me se a Benefício Mínimo passou para R$ 1.377,00 (70% da Parcela Previ), ou para R$ 1.653,00(70% da Parcela Previ mais 20%) ??????

Anônimo disse...

Outro anonimo, que deve ser da ANABB, agora! Defendendo o BB, deve ser da diretoria. Vamos lutar pelos nossos direitos colegas e não nos deixar roubar mais do que já roubaram. vamos fazer um movimento para sairmos todos da ANABB!

Anônimo disse...

Eu também,pois só falam em almoço etc!Lutar por nós não estão nem ai.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Trabalho voluntário desenvolvido pelo associado da AAPPREVI, de Patos (PB), José Sérgio Silva de Figueiredo:

Caro Sr. Walter,

Conforme solicitação da colega Edinalva (Dinha), estou enviando este email para que o Sr. tome conhecimento de todos os assuntos que envolvem a Previ e o Superávit.
Primeiro, repasso documento com denúncia bem fundamentada do colega Luiz Dalton da Silva Lopes ao Procurador Geral da República, motivo de alerta para todos nós, beneficiários do Plano 1 (PREVI). Já assinei o referido documento (n° 3183), por concordar inteiramente com os termos do texto em questão. Ver abaixo-assinado no link abaixo:

http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N6352

Por oportuno, informo-lhe sobre os únicos canais que nós temos que realmente nos deixam a par de tudo o que se passa nos sombrios porões da nossa Previ. Trata-se do Blog Previ Plano 1 e da AAPPREVI (Associação dos Aposentados e Pensionistas da Previ - Plano 1), esta última já contando com várias ações judiciais ajuizadas em favor dos seus associados, cobrando uma mensalidade de apenas R$ 10,00.
À frente desses dois veículos, está o competente e incansável colega Marcos Cordeiro de Andrade, Para confirmar todas essas informações, envio-lhe, abaixo, endereços para acesso, inclusive com o email do Marcos que, atenciosamente, responde todos os nossos emails.


Blog Previ Plano 1: www.previplano1.com.br

AAPPREVI: www.aapprevi.com.br

Email Marcos Cordeiro: marcosmca@yahoo.com.br


Estarei à disposição e será sempre um prazer manter contato com o Senhor.

Grande abraço.

José Sérgio (Serginho)

Anônimo disse...

Boa Tarde,

Sr. Paulo Motta, sou um amigo aposentado, meu nome é joaquim, e também senti que fui lesado no número de parcelas pagas.
Também acho que recebi menos parcelas e já pedi ao Sr. marcos para verificar se existe algum erro, mais ainda não responderam minha mensagem.
Abraço, colega joaquim.

Anônimo disse...

Fora ANABB!!!!!!!!!!!!!!

Ademir Peruzzolo disse...

Agora fiquei preocupado.
Se o anonimo das 8:03 está certo é só o Banco cair fora e ele fica rico e nós ficamos sem nada!!!!
Onde está escrito isso??? tá me gozando???

Já faz mais de uma década que a Previ não depende do Banco em mais nada. O passado, com certeza, deve nos ensinar.

O AERUS quebrou porque o patrocinador não pagou sua parte nem recolheu os valores que reteve dos associados, entre milhares de outras trambicagens.

Insisto: temos de repensar tudo porque daqui pouco tempo nosso grupo será só de gente recebendo beneficios. Tomara que seja só gente

JOSE BENEDITO MONTEIRO disse...

JBMONTEIRO disse:
Fiquei desepcionado com o valor do adiantamento feito pela PREVI. Eu recebo na verbva P 220 - BB Complemento Adicional e na Verba P300 - Previ Benefício. Gostaria de saber porque o adiantamednto só veio na verba P300 e nada veio da verba P220. Liguei para a PREVI e fui informado que o adiantamento só incide na verba P300. Será que eles estão certos? ou é mais uma forma da PREVI SE NEGAR a pagar o adiantamento sobre essa verba.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Comentário recebido:

Olá. Conheci o site do previplano1, após o assunto do superavit. E sou leitor e admirador assiduo e diario.
Como muitos, não entendi o que ocorreu com o valor do credito do superavit.
Fiquei nem triste, foi chocado qdo soube do vlr.creditado.
Tenho uma duvida e talvez tenha mais chance de resolver com o Sr. do que com a propria previ,ou seus atendentes.
Vou resumir.
Meu complemento previ é 1.140,00. Segundo entendi pelo que consta no informativo especial sobre o superavit da Anabb, o minimo iria pra 70% da PP (parcela previ), algo em torno de 1.370,00 e em cima disso os 20%, chegando-se a algo em torno de 1.600,00.
Essa diferença de 500,00 aproximadamente multiplicada por 14 meses dara algo em torno de 7.000,00 e me creditaram 2.800,00.
Lhe pergunto então: Foi propraganda enganosa da Anabb para que votassemos sim?
Cheguei a ligar pra previ uma vez e me disseram que os 20% se aplicariam sobre meu beneficio de 1.140,00 e depois eles completariam até os 70% da pp, bem o inverso do informado no site da anabb.
Aguardo retorno.
Abraço
Carlos Dornelles.

Anônimo disse...

Em 1935 não existia Anabb. Em 1964 não existia Anabb.
Para defender o BB de que ou de quem?
Seria contra seus ex funcionários, hoje aposentados?

Anônimo disse...

Colegas, falam tanto do Credito todo seu do BB, querem saber quanto é o meu? Acreditem se quiser: 270,00
Quanto, não?????????????????
Fiquem com ele lá bem guardado.

Joao Carlos - disse...

Colega Jose Dantas - Manaus,
Para sermos fortes e conseguirmos nossos objetivos, temos que ter o conhecimento da causa (o todo da informaçao, nao apenas a nossa convicçao e desejo, "achando" que já sabemos tudo). Para lutarmos contra nossos "oponentes", temos que ter todas as informaçoes "de fato", nao deixando margem para sermos surpreendidos por algo que deixamos "escapar".
Fico satisfeito com sua participaçao, demonstrando conhecimento mais detalhado da contabilidade entre PREVI e BB.
Gostaria que o Colega, dentro do possivel, detalhasse (ate de forma mais didatica) qual foi o efeito, nos balanços do Banco, e respectivos lucros, dos lançamentos de "ativos atuarias" por conta do superavit da PREVI (em suma, se a contabilizaçao feita pelo Banco gerou ou participou do seu lucro ou, se apenas lançamento contabil, sem influencia em seu capital ou, ainda, é apenas uma informaçao ao mercado, sem qualquer impacto em suas contas).
Um fato importante que nao podemos esquecer é de que os lançamentos efetuados pelo Banco (com impacto ou nao em seus resultados) provocou a distribuiçao de apenas 50% do superavit que deveria ter sido feito.
Espero que Colega venha participar dessa discussao neste espaço, com a mente aberta para o contraditorio (alguem já disse mais ou menos assim: posso nao concordar com sua ideia, mas defenderei ate final seu direito de expressa-la).
Sua participaçao acrescenta.

Joao Carlos

Anônimo disse...

Ao 18/2 das 08:03

Em 76 anos o BB socorreu a Previ 3(três) vêzes?
E quantas vezes a Previ socorreu,e continua socorrendo o BB ?

Anônimo disse...

FORA ANABB! FORA AAFBB !FORA FAABB!
DESFILIAÇÃO JÁ !
A ANABB é sustentada por nós e só defende os interesses do Banco. Eu só queria entender a posição de quem permanece ligado a esta Entidade.
Esta passividade entre os cabeças brancas tem que acabar, esqueçam as ameaças da ANABB, quando pedirem seu desfiliamento. Temos que parar de sustentar um monte de "parasitas".
Vamos para AAPPREVI e montar oposição junto com o Medeiros, o Rossi, o Marcos Cordeiro, e outros que nos defenderam contra o Acordo Arapuca. Acordaram a "Fera Ferida"!

Anônimo disse...

Aos colegas Paulo Mota, Joaquim e JBMonteiro.

O valor base para cálculo é o da verba P300, que é o valor do benefício previ.

Não incide sobre a verba P220 que é paga pelo BB, assim como também não incide sobre o valor pago pelo INSS.

José Dantas - Manaus disse...

Sr João,
Estou analisando o Balanço do BB mais aprofundadamente e assim que tiver um posicionamento sobre suas questões vou respondê-las. A princípio, as contabilizações embora mereçam ressalvas dos auditores, estão em conformidade com a legislação vigente, não só quanto ao que se refere ao superávit, quanto as demais práticas contábeis as quais o BB é obrigado a seguir.

Toninho Bleinroth disse...

Prezado MARCOS,

Num país tão grande como o nosso, com a dificuldade de integração com todos os colegas aposentados, já que a maioria não entende de informática (não dominam o acesso a internet), e além de que a imprensa nem sempre se expressa de forma correta, ous as vezes é manipulada, seria necessário :
1 - Utilizar os colegas mais esclarecidos, para contatar com os aposentados de sua cidade ou bairro;
2 - Informar, o que realmente ocorre nos últimos 10 ou 20 anos com a Previ (déficit/superávit), planos e demais assuntos;
3 - Identificar qual é realmente a posição do Superávit (quais anos, e valores corretos) já que nos últimos anos houve dezenas de informações desencontradas;
4 - Preparar um grupo de trabalho, unindo colegas de todo Brasil (que entendam do assunto), para analisar novas propostas para apresentar negociação junto a Previ.
Estou plenamente de acordo com o colega Antonio Barreto, tem que haver mais esclarecimentos para que tenhamos que passar novamente por situação semelhante.
OBRIGADO POR TUDO QUE TENS FEITO AOS MENOS AFORTUNADOS...
QUE "DEUS" O ABENÇOE.

Anônimo disse...

Carlos Dornelles,

O seu P300 é 1.140,00?
É impressionante, mas conseguiram criar mais uma, dentre tantas, classe dentro dos assistidos da PREVI = a classe que ganha menos do que o benefício mínimo.
NOVO MÍNIMO = 1.377,63.

airton disse...

Ao colega Paulo das 7;34 de 19/02/.
Os cálculos deveriam ser:
verba P300 em 31/12/2010 x 20% x12= ao vr a ser recebido(ano 2010)
verba P300 em jan/2011 x20% x 2 = ao vr a ser recebido,(jan e fev)
somam-se os resultados e calcula-se 30,5% (27,5% + 3%) . O resultado disso são os descontos a serem feitos da soma dos valores referentes aos 20% das verbas P300 ano 2010 e 2011.
Não sei se fui bem claro, mas assim o fiz e o resultado foi até inferior em R$ 121,76 do que a PREVI me creditou.
Ab raços
Airton - Cataguases - MG

Anônimo disse...

Colega 09:09,

Veja os valores da PP desde 06/97 para o Plano 1:

Período R$
De 01/06/94 a 30/04/95 * 582,86 *
De 01/05/95 a 30/04/96 * 832,66 *
De 01/05/96 a 31/05/97 * 957,56 *
De 01/06/97 a 31/05/98 1.031,87
De 01/06/98 a 31/05/99 1.080,27
De 01/06/99 a 31/05/00 1.165,46
De 01/06/00 a 31/05/01 1.331,05
De 01/06/01 a 31/05/02 1.476,18
De 01/06/02 a 31/05/03 1.614,91
De 01/06/03 a 31/05/04 1.905,59
De 01/06/04 a 31/05/05 2.057,53
De 01/06/05 a 30/11/05 2.200,06
De 01/12/05 a 31/08/06 1.468,21
De 01/09/06 a 31/08/07 1.506,58
De 01/09/07 a 31/08/08 1.596,97
De 01/09/08 a 31/08/09 1.727,12
De 01/09/09 a 31/08/10 1.830,75
A partir de 01/09/10 1.968,05
70% = 1.377,63

Herberto disse...

Tudo bem, tem gente duvidando de que o patrocinador se apoderou desse dinheiro.

Se não foi ele, então quem está com os 7.500?

E se estamos à espera de uma decisão "pacificadora", mais seguro seria depositar esses recursos à ordem da autoridade juridiciária.

Não parece seguro também deixá-los com a Previ, em razão da sua dependência para com o patrocinador.

Estamos nos esquecendo ainda de que o memorando não prevê a participação do patrocinador na distribuição.

Por que os representantes não protestaram, e nem mesmo se referiram a essa questão?

Blog do Ed disse...

Colega João Carlos

Concordo com o colega em gênero, número e caso. Um abraço.
Edgardo Amorim Rego

Anônimo disse...

Colegas,

Penso que ninguém quer o Banco do Brasil fora da Previ, nem a Previ fora do Banco do Brasil.

O que acontece no momento é uma disputa de com quem fica determinado valor.

Direito de um ou direito do outro?
Não queremos de sã consciência que aconteça algo de ruim com o Banco do Brasil, afinal de contas nós o amamos por muito e muito tempo.
Hoje estamos "nos azeites" com o BB, mas seguramente teríamos orgulho de ajudar o BB crescer, sem é claro que venha a nos tirar direitos assegurados por Lei.

O grande problema que existe hoje, são associações com a tal de ANABB, Contraf-cut, que se prestam em aliciar funcionários da ativa, nas votações e até mesmo aposentados, sem a devida e correta informação sobre o assunto a ser votado.
Quero e desejo profundamente que o Banco do Brasil cresça e a Previ cresça mais ainda, e que o Banco do Brasil se tiver algum "direito" que seja na suspensão das con tribuições.
É preciso harmonizar o diálogo, crescer nas idéias, acertar nos objetivos, sem prejuízo de uma massa VIVA de milhares de idosos já aposentados.
Saudações

mesquitasantana disse...

Meus Caros Colegas.

Quem trabalhou no Banco do Brasil há mais de 50 anos e ajudou a desbravar o Brasil, não tem medo de ameaças, então colegas não se curvem a ameaças, vamos esvaziar a ANABB. o efeito que isso causará será um estrago e tanto nessa máquina de manipular pessoas honestas e que já cumpriram seus papeis como bancários. Repito vamos esvaziar a ANABB.

abraços a todos.

Anônimo disse...

Fico imaginando o tanto de wisk que foi jogado pra dentro da caveira pelos executivos do BB, após a divulgação desse lucro mentiroso. Vai entrar para história como a maior falcatrua já cometida. Depois, quando o Poder Judiciário comprovar a ilegalidade, vão dizer que se devolver o dinheiro aos legítimos donos o país quebra. E outra coisa, não é todo dia que tem superávit pra encobrir icompetência. Se for na legalidade vão comer poeira com certeza...

Juarez Barbosa disse...

Ao "anônimo" das 8:03

Dizer que sem o BB não existiria a Previ. Correto. Mas você sabe porque o BB quis criar a Previ? Informe-se Tem muita matéria postada a respeito disto.

Agora, falar que o BB cobriu déficits na Previ, meu amigo, que infelicidade esta sua colocação!!!!!!!

Sugiro uma leitura "atenta" no Blog
http:///www.previpb1emfoco.blogspot.com, da matéria "BREVE ESTÓRIA DO PLANO DE PREVIDÊNCIA DOS FUNCIONÁRIOS DO BB". Se você for um ser dotado de capacidade de discernimento do que realmente aconteceu, você, tenho a convicção disto, logo se apressará a solicitar a retirada de seu infeliz comentário neste Blog.

Se liga!!!! Cai na real!!!!!

Anônimo disse...

O beneficio minimo eles informaram que é feita a regra da propocionalidade, não sei fazer essa propoção: diferença de 40$ para 70% da Parcela Previ e divide pelos anos de contribuição e é para todos aposentados e pensionistas que recebem menos de 70% da PP. Será também para os da ativa que irão se aposentar e que se enquadrem nessa mesma complemetação de Aposentadoria. foi o que entendi e que a previ informou naquele suplemento especial que enviou aos 120.000, assistidos da Previ. creio que Marcos e sua equipe sabem informar com mais precisão.

Anônimo disse...

Ao Carlos Dorneles,
Neste blog surgiu uma discussão de como seria a metodologia de cáculo para os que teriam a P300 num valor inferior a 70% da PP.
Acho que as duvidas surgiram em função de uma matéria do Valor Econômico (16/02) onde consta exatamente isso os 70% da PP e + 20% sobre o valor minimo R$1.377,63. No boletim da ANABB consta o mesmo cálculo 1.377,63 + 20%.
O Memorando apresenta em um item de que teremos 20% da PP e em outro item de que o valor minímo do complemento sera elevado de 40% para 70% da PP.
A ANABB participou da negociação, entendeu errado???? Quem passou as informações para o Valor Econômico???
Quantos mal entendidos por absoluta falta de informação, por parte de quem deveria te-las dado.
A Parcela Previ, criada no regulamento de 97, é motivo de muitas distorções nos complementos dos que se aposentaram depois desta data, e continua sendo.
Elisabeth Oste

Anônimo disse...

Alguém pode me informar quais são os benefícios que a Anabb presta aos associados, além de oferecer consórcio imobiliário, apartamentos novos e previdência complementar até a 4ª geração de parentes de seus sócios?

Será que isso pode ser chamado de "luta pelos direitos dos associados bancários, ativos e aposentados"?

As ações judiciais que a Anabb patrocina são do século passado e nem estão sendo mais acompanhadas pela entidade.

É por isso que a Anabb tende a perder sócios a cada dia, como se pode verificar nesse blog.

Vamos fortalecer a AAPPREVI, nossa maior esperança.

Anônimo disse...

Amigos,

Comemoremos sim. Depois de 10 anos a Previ restabelece a boa saúde financeira e nos dá segurança futura que tanto precisamos.
Comemoremos sim. Se não tivemos ou temos um salário como nos tempos que fomos chamados de marajás, ao menos podemos dar dignidade de vida a nossos familiares. Quão bom, seria ver todas as pessoas podendo ter a nossa situação.
Comemoremos sim. Notadamente para a maior parte dos funcionários do BB vindos de famílias humildes que conseguiram mudar de vida.
Comemoremos sim. A nossa Previ e nosso BB vão bem e é assim que precisamos ver nossas Instituições.

Anônimo disse...

Lendo relatos postados após o crédito do SUPERAVIT...senti-me uma das vítimas de um " surrealista assalto coletivo " a luz do dia...impotente àquela violência...todos pasmos ninguém esboçou qualquer atitude - ( alguns até ficaram satisfeitos - afinal...não é nada , não é nada...não é nada )...O que acontecerá amanhã se continuarmos " estáticos "...contentarmos com..." poderia ser pior "...nada disso...somos " credores " de 50% que o " BB " nos levou à vista...na " mão grande "...mas não vai ficar assim não...vamos lutar pelo que é nosso...o " silêncio da turma a favor do esbulho " nos fortalece...continuaremos na luta pelo que é " justo ".

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

Por vezes sou questionado fora do Blog por deixar “passar” determinados comentários de anônimos. É bom se ter presente que neste espaço tem havido acusações e denúncias com conseqüentes defesas, o que é salutar. De se lamentar apenas que as acusações, mesmo sendo feitas sob identificação, não mereçam o mesmo tratamento na resposta. No entanto, num exercício de interpretação do texto é possível se chegar à sua origem.

É o que resultou dos comentários acusando a inércia da ANABB e sua estatutária subserviência ao BB, que hoje mereceram resposta de um anônimo cuja origem é facilmente dedutível. Senão, vejamos o que ocorreu às 14:03:

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Perdemos":

“A ANABB, não tem mais o Valmir como presidente. E está correta em defender o BB. Sem BB, não há Previ. Se o BB se retirar da Previ agora, leva com ele todo o patrimônio da Previ, pois em 1935, nossa Caixa deu prejuízo e foi coberto pelo Banco. Em 1964 deu prejuízo e o Banco cobriu, em 2002 deu prejuízo e o Banco cobriu. Então o BB detém direitos creditórios sobre a Previ e se ele se retirar da Previ ou se o Banco quebrar, leva consigo a Previ. Compreendam que o AERUS faliu em função da quebradeira de suas patrocinadoras. A corda partiu para o lado mais fraco: os assistidos do AERUS. Com o BB e a Previ não seria diferente. Quem tiver dúvidas sobre esses déficits que citei, procure ler os Relatórios Previ daqueles anos. Estão disponíveis na Previ.”

Alguém tem dúvidas de onde partiu esse comentário desesperadamente inconseqüente e insustentável? Há necessidade de uma assinatura validando, ou invalidando, essas declarações?

Neste caso, o melhor tratamento que se deva dar a um anônimo é não censurá-lo, pois o pretenso anonimato cai por terra por seu próprio texto. E seu intento de defender o indefensável é desmascarado.

Quando bate o desespero é nisso que dá.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade
Moderador do Blog

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

----- Original Message -----
From: "João Rossi Neto"
To:
Sent: Saturday, February 19, 2011 9:05 PM
Subject: Fw: Sua mensagem foi recebida com sucesso.


Em aditamento a mensagem abaixo, solicito compulsar o que disse o BB na
Nota Explicativa 27-e-2:
Fundo de Destinação: "Em 24/11/2010, o Banco do Brasil assinou Memorando
de Entendimentos com as entidades representativas de funcionários e
aposentados, visando à destinação e utilização parcial do superávit do
Plano, conforme determina a Lei Complementar nº 109/2001 e Resolução CGPC
nº 26/2008.
Face a aprovação das medidas previstas no Memorando de Entendimentos pelo
Conselho Deliberativo da Previ, o Banco registrou, em 30/11/2010, em
Outros Créditos -- Títulos e Créditos a Receber --Previ, o montante de R$
7.519.058 mil em contrapartida à baixa do valor na rubrica de Outros
Créditos - Ativo Atuarial, sendo corrigido pela meta atuarial (INPC + 5%
a.a)."
Em consequência, fica essa Caixa dispensada de prestar-me a informação
requerida, porque agora sei que não foi repassado recursos ao Banco, que
simplesmente fez uma maquiagem contábil, em Outros Créditos -- Títulos e
Créditos a Receber--Previ, que será baixada no dia em que esse Fundo de
Pensão lhe repassar os R$ 7.519.058 que estão depositados à sua ordem
que, a princípio seria para custear aposentadorias dos funcionários
pré-67, as quais hoje acho que nem deve existir mais esses compromissos ou
se existir são irrisórios.

----- Original Message -----
From:
To:
Sent: Thursday, February 17, 2011 9:09 PM
Subject: Sua mensagem foi recebida com sucesso.


Senhor(a) JOAO ROSSI NETO

A PREVI confirma o recebimento da mensagem abaixo.
Aguarde nosso retorno em breve.

Gerência de Atendimento
PREVI
Data: 17/2/2011
Tipo: Solicitação

Mensagem: Consta do balanço do banco encerrado em 31/12/2010, já
publicado, que fez uma amortização, no valor de R$ 7.519.058, em Outros
Créditos, do Ativo.
Como foi contemplado com 50% dos R$ 15.068.115 bilhões distribuidos,
ou seja, com cerca de R$7.5 bilhões, cifra que coincide com valor
recolhido para a amortização relatada, perguntamos se essa Caixa repassou
esse dinheiro ao banco, porque do contrário onde ele iria arranjar volume
tão expressivo de recursos.
O nosso questionamento repousa no fato de que nos termos do Memorando
de Entendimento, aprovado por todos, foi estipulado que o patrocinador,
participantes e assistidos receberiam os superávits de forma parcelada.
Se o repasse ocorreu, houve quebra do acordo, de forma unilateral,
beneficiando apenas o patrocinador.
Em caso de dúvidas consulte as Notas Explicativas do balanço, onde o
próprio banco presta essas informações contábeis.
Aguardo o pronunciamento dessa PREVI, com urgência.

Matrícula: 4986560
Nome: JOAO ROSSI NETO
E-mail: jrossineto1@uol.com.br

Anônimo disse...

Colega Marcos, se não estou enganada alguém já pediu que fosse feito um estudo para saber a viabilidade de retirarmos nossas ações da ANABB (algumas em andamento) para que o escritório que dá suporte a AAPPREVI dessem segmento a elas. Existe a possibilidade? São elas que nos prendem a ANABB.

Anônimo disse...

MENSAGEM 15:24 :

Elizabeth,
Você tem razão sobre tudo o que está escrito, porém, parafreseando um poema de Cora Coralina, a teoria, na prática é outra. Veja, também, o comentário de um colega (J) no blog do Medeiros. Achamos que 70% da PP é o teto e não o piso. É isso o que a "prática" está dizendo.
Abs

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Sr. José Dantas, de Manaus,

Durante o regime militar, muitas injustiças foram cometidas contra os cidadãos. Porém, assim como o senhor disse a respeito da resolução 26, os crimes cometidos naquela época não podiam ser reprovados, pois "estavam em conformidade com a legislação vigente".
Então, a gente verifica que nem tudo que é legal é moral. É o caso da resolução 26, que foi elaborada com a anuência e a participação de colegas totalmente despidos de princípios morais, traidores da classe dos aposentados/pensionistas da Previ.
É por causa deles que colegas como o Marcos Cordeiro, o João Rossi e o Edgardo e outros estão tendo que abandonar o sossego das suas vidas de aposentados para participar e liderar uma luta desigual contra a tentativa desses corruptos de se apossarem do patrimônio da Previ, recurso de fundamental importância para o bem-estar futuro nosso e de nossas famílias. E, se Deus quizer, nós venceremos, apesar de forças poderosas torcerem contra.

Anônimo disse...

Depois de um Memorando nebulosíssimo como esse, quem confia naqueles que se sentarão à mesa para fazerem alteração no estatuto? Eu hein! Não confio em ninguém. Eu acredito em objetividade, em preto no branco e muito bem detalhado. O que passar disso e o que for menos do que isso, é "hoax".

MARCO ANTONIO disse...

Caro Marcos e Anônimo de 19.0, 17:41:

1. Estou na mesma situação, querendo me desligar da Anabb e vinculado a ela apenas por conta das ações que patrocina.

2. Recentemente, aquela associação (com a minúsculo mesmo) quis forçar seus associados a mudar de advogados, não se sabe ao certo porque. As explicações dadas são, no mínimo, um atentado à inteligência dos associados.

3. Se nos desligarmos da Anabb, que patrocina as ações, entendo que os advogados desconstituídos poderão querer cobrar honorários advocatícios pelo nosso patrocínio até a presente data.

4. Outra situação bastante estranha e que não mereceu qualquer explicação da Anabb e nem do escritório de advocacia indicado foi o do patrocínio de ação coletiva promovida pela Anabb, referente ao IR PREVI, que objetiva o reconhecimento de inexistência de obrigação tributária quanto ao recolhimento do imposto de renda sobre a complementação da aposentadoria paga pela PREVI.

4. Trata-se de uma ação coletiva, portanto extensiva a TODOS os sócios da Anabb, sem necessidade de cada um deles outorgar procurações individuais aos advogados que a intentaram.

5. Porém, a Anabb encaminhou a cada um de nós procurações individuais outorgando poderes aos advogados para intentar ação que já havia sido ajuizada, de forma coletiva, em nome de todos os associados da Anabb.

6. Em outras palavras, somente o fato de ser associado da Anabb já concede a cada um deles, INDEPENDENTEMENTE DE PROCURAÇÕES INDIVIDUAIS AOS ADVOGADOS (aliás, desnecessárias) os eventuais benefícios decorrentes de tal processo.

7. Porque, portanto, foram encaminhadas tais procurações, se não eram necessárias? A Anabb não responde.

8. Como fazer para se desvincular da Anabb e continuar como autor nas ações que ela vem patrocinando, algumas de forma coletiva, outras de forma individual?

9. Caro Marcos, é importantíssimo seu pronunciamento a respeito, pois muitos ainda continuam vinculados à Anabb apenas e tão-somente por conta de tais processos.

10. Aguardamos seu pronunciamento, pelo que antecipadamente lhe agradecemos.

Marco.

19 de fevereiro de 2011 20:51

elvira disse...

É o alemão minha gente.
ANÔNIMOS que defendem o bb, previ, anabb estão com ALZHAIMER, só pode.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Prezado Marco Antonio.

Em atenção ao seu pedido, e de outros Colegas, publiquei o post "Pedido de Exclusão de Sócio".

Quaisquer informações a respeito do tema, peço entrar em contato pelo e-mail marcosmca@yahoo.com.br fora do Blog.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade
marcosmca@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Elvira concordo com vc em grau e genero que esses que defendem a ANABB, BB, PREVI estão com ALZHAIMER ou são os próprios da PREVI ou ANABB
Cambada, caiam fora!!!!

ricardo o.c.de Albuquerque disse...

José Dantas.
V. é o zé dantas que trabalhou na DG-CREAI na década de 60? Quanto as suas explanações acho que são muito boas. Agora só gostaria de tirar uma dúvida. Os 7,5bilhoes estao influindo nos 11bilhões do lucro? Acho que isto esclareceria bastante. abraços ricardo

Anônimo disse...

Bom dia, colegas aposentados e pensionistas associados a AAPREVI!
Passou janeiro, estamos praticamente no final de Fevereiro e nada de iniciar as negociações prometidas? Eles (PREVI, ANABB) nos enrolaram com a demora do superavit para que esqueçamos das negociações, mas EU não esqueci então ai vai um recado:
ACORDA PREVI!!!!
ACORDA ANABB!!!!!!!!!!!!
ACORDA FLORES!!!!!!

luiz carlos disse...

Ao Ricardo OC Albuq. (20.02/03:09) e demais colegas: a fonte do comentario abaixo é a CONTEC - que tem outros textos sobre a previXbb - e é sobre o balanço de 2009 o que, sem dúvida, se aplica ao de 2010. Qdo localizar analises sobre 2010 envio...



O Banco do Brasil se apropriou de R$ 3 bilhões da Previ, o fundo de pensão dos seus funcionários, e encerrou 2009 com um lucro líquido anual recorde de R$ 10,15 bilhões, o maior já apurado por um banco no país, segundo a consultoria Economática. Sem o impacto desse adiantamento e de outros ganhos extras, o lucro cairia para R$ 6,9 bilhões no ano passado.
Esse ganho decorre de dinheiro que "sobra" no caixa da Previ após os pagamentos aos aposentados. É um ajuste de contas que o BB costuma fazer como patrocinador da aposentadoria dos funcionários, que, normalmente, representa despesas.
Um desses planos, porém, já fechado para adesão após mudança de regras, passou a ter cada vez menos desembolsos com a morte dos beneficiários.
Como o número de aposentados vai cair mais, a tendência é que esse plano se torne cada vez mais superavitário. Desde 2008, os patrocinadores de fundos de pensão podem recalcular as despesas, com base em projeções da expectativa de vida dos atuais aposentados, e se "apropriar" do superavit que só poderiam obter quando morresse o último beneficiário.
O ganho tem efeito apenas contábil -não entra no caixa-, mas gera lucro, impostos e PLR (participação nos lucros) aos funcionários. Também permite ao banco somar R$ 1 bilhão ao patrimônio, elevando assim a sua capacidade de conceder novos empréstimos.
"Só estamos fazendo o que a lei permite", disse Marco Geovanne, gerente de Relações com Investidores do BB.
O executivo reconhece que essa apropriação "traz alguma volatilidade para o resultado do banco". No entanto, argumenta que a tendência é que o plano mantenha boa rentabilidade. "Só se houver uma catástrofe. Num ano difícil como 2009, tivemos um excelente ganho."

Ganho de mercado
Em 2009, o BB teve um desempenho superior ao dos concorrentes. Enquanto o mercado teve crescimento de 14,5% no crédito, o BB expandiu em 33,8

Roberto Fantinel disse...

Qual o melhor caminho ....depois desse assalto no bolso dos aposentados...???

Manifestações.....novas brigas judiciais...?? o que fazer...união meus amigos....a luta é longa e a vitória é possível...

Fantinel

Anônimo disse...

Caro Carlos (10:55),

Você disse que o valor do seu crédito foi R$ 2.800,00 e que o seu P300 é R$ 1.400,00. Conforme cálculo abaixo, parece que você recebeu apenas os 20%. Não dá para ter certeza porque os valores estão próximos. Você tem razão, todos os atendentes da PREVI informaram que o Acordo previa que primeiro incidiria os 20% e que a diferença faltante para os 70% da PP seria completada e que, ninguém receberia menos do que 70% da Parcela Previ. No entanto, parece que não é isso que está sendo cumprido.

1140,00 X 20% = 228,00 X 14 = 3192,00 X 90% = 2872,80

Se você tivesse recebido a equiparação ao Benefício Mínimo de 70% da PP seria:

1377,63 – 1140,00 = 237,63 X 14 = 3326,82 X 90% = 2994,13

Anônimo disse...

Boa tarde queridos venho por meio desse pedir a vossa colaboraçao se possivel for,que Deus vos abençoe a todos e familiares tambem,eu sou trabalhador mais ganho pouco trabalho na area da costruçao civil.Por favor me ajude e que eu quero fazer uma reforma aqui em casa mais estou sem condiçoes, por isso peço a vossa ajuda estou comunicando com os santos,comunicai com os santos as vossas necessidades uns com os outros.Amados seguir a minha conta se vos for tocado pelo Espirito Santo assim faças,a conta e Banco itau agencia1510 conta corrente53093-2 salvador bahia brasil,desde ja muitissimo obrigado a todos que colaborarem de forma direta e indireta,isso e orando e divulgando para que outros orem e coperem tabem grato e que Deus abençoe infinitamente a todos com todas as sortes de bençaos e familiares