quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Farinha do mesmo saco

Caros Colegas.

Quinta feira, 23:23.

Peço-lhes desculpas por nada ter a informar acerca da reunião de hoje, com o Banco e os vendidos. Não tenho fontes privilegiadas que me favoreçam com quaisquer informações e ao que tudo indica permanece em voga o acordo vergonhoso entre os participantes. A ordem se perpetua e é obedecida cegamente: nada divulgar enquanto os medalhões não se cansem de comentar com os seus pares – afinal não fica bem os “mais chegados” saberem das coisas depois dos outros. Primeiro eles, seus parentes, seus amigos e o cumprimento assumido com divulgadores que enalteçam seus sagrados nomes.

Depois de tudo, e somente aí, o restante da “velharada” saberá daquilo que queiram dizer acompanhado de deslavadas desculpas, como se vivessem no tempo da comunicação via tambores ou sinais de fumaça. Também pudera! Esses velhos curiosos nada têm para lhes dar em troca de informações, mesmo sabendo-se que as vendem por muito pouco.

Não há desculpa que justifique esse silêncio comprado que mancha a imagem que deles se tenha, mas um dia haverá conserto. Basta não esquecermos o CANAEL onde constam todos os nomes da corriola que tripudia da nossa inteligência. Esses mesmos nomes que amanhã nos servirão a bandeja das sobras pensando que nos compram com a moeda com que se vendem.

Boa noite a todos. Nós, ao menos, dormiremos tranqüilos, sem peso na consciência porque não traímos a confiança de ninguém.

Mais uma vez peço-lhes desculpas.

Marcos Cordeiro de Andrade - Curitiba (PR) - 11/11/2010.

55 comentários:

Ravacci disse...

CANAEL neles!

Jane Torres de Melo disse...

Vergonhosa tal conduta !!!
Os poroes sordidos da ditadura estao de volta !!!!
Nao entendo o motivo de tanto misterio.
Jane

Anônimo disse...

Não tem jeito mesmo. A melhor atitude seria irmos para a Imprensa mesmo, denunciando o que estão fazendo para os idosos!Custava dar uma satisfação ou estariam com medo da repercussão, ou tem algo a ver com outras falcatruas?Atitude vergomhosa!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Colegas, no Blog do Medeiros tem novidades: Noticias somente amanhã. Por que judiar assim dos velhotes?
Acorda PREVI!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

antonia disse...

Marcos,
Taí mais um motivo para termos alguem em todas as negociações.
E D. ISA MUSA heim, quem diria....

Anônimo disse...

Bando de velhacos e vendidos!!!
Pena que na hora de votar nem todos lembrem das malfeitorias desses enfeitiçados pelo poder.

Anônimo disse...

Bando de velhacos e vendidos!!!
Pena que na hora de votar nem todos lembrem das malfeitorias desses enfeitiçados pelo poder.

Anônimo disse...

Se houve proposta por parte do Banco, por que nãopodemos conhecê-la antes da nota da Previ? O que mudaria? Qual é a motivação para o sigilo até o dia seguinte? Isto está parecido com a afirmativa da Cecilia de que assuntos eram discutidos em sigilo nas reuniões de que ela participava (e não eram estratégias de negócios da Previ, compreensivelmente protegidas) cujo teor não poderia ser levado aos donos do empreendimento. Afinal quem somos nós, arremedo do Tiririca? Precisamos com urgência jogar o "bolo fecal" no ventilador. Sou a favor do ajuizamento de ações contra esta farsa que se monta para nos enrolar.

Anônimo disse...

Provavelmente hoje, depois de tudo combinado, a mordaça cai.
Não se esqueçam da nobre frase de um ex-ministro: " o que é bom a gente mostra, o que é ruim a gente esconde".
Se houver algo de bom a transmitir, mais tarde saberemos alguma coisa. Caso contrário será usado o carimbo: "nada de novidade".

Anônimo disse...

Colegas,

Um Partido que saiu da classe operária e que esquece suas origens em tão pouco tempo, cria Resoluções inconstitucionais, nomeia incompetentes para altos escalões, sendo que a única qualificação é ser do PT.

NÃO SE PODE ESPERAR MUITA COISA DESTA TURMA, A DEMOCRACIA E A LIBERDADE QUE PREGAVAM SÓ VALEM PARA OS "CUMPANHEIROS".

São estes "CUMPANHEIROS" que se adonaram do poder e legislam em causa própria, até na hora de definir quem vai ficar com o superávit (os amigos incompetentes nomeados pelo Partido).
Vão para história como um partido que nasceu pequeno e se tornou grande só na fachada, e como tantos outros deixou de fazer história e sucumbiu as mazelas da politica brasileira.

Anônimo disse...

Colegas,


Uma frase extraida do Blog da Cecília, talvez explique a decadência daquele espaço:


" quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Frase da Semana

“Não são as más ervas que sufocam o grão é a negligência do cultivador". Confúncio. "


Tudo indica que foi a negligência da dona do Blog, que sufocou a semente por ela plantada.


A sua participação na defesa dos aposentados, quando Diretora da PREVI, foi suplantada por seus próprios interesses.

Anônimo disse...

Pelo andar da carruagem o Natal desse ano vai ter uma sardinhazinha
na mesa e sobremesa com goiabada cascão. Quem sabe, no Carnaval as coisas melhorem e dê para comprar uma entrada na Marquês de Sapucaí ou pular atras do trio eletrico na Bahia.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

A quem interessar possa:

Não tentem me cooptar.

Detesto alianças. Meu compromisso é com a verdade. Não me submeto a conchavos.

Nem aliança de casado eu uso – sou alérgico ao ouro.

Anônimo disse...

E a Isa Musa, posando de defensora dos donos da Previ, compactua com essa ignomínia!!!

Anônimo disse...

Estimados Colegas,

Vós que frequantais este Blog estais de parabéns!
Tenho arrepios de medo quando leio um/ou outro blog que diz ter informações de bastidores, ou melhor de participantes das reuniões.
Digo isto em razão de que um/ou outro blog não dizer coisa com coisa, e ainda me parece, smj, que brincam com assunto sério, ou seja a vida de pessoas que estão angustiadas a beira de transtornos de saúde.
Por favor sejamos humanos, bons de coração para não aumentarmos ainda mais o sofrimento de nossos semelhantes.
Acredito neste blog,que nada esconde, sempre que pode nos informa com a verdade.
Não há mentira nos outros blogs mas sim ilusionismo.
Ainda sabemos ler e interpretar, portanto não tentem nos iludir, tangenciando a verdade.
Quanto ao bb e os diretores sem moral da Previ, ao que tudo indica, saberemos no futuro, se ainda vivos dar-lhes o troco.
Com ações na Justiça vamos assegurar para os nossos filhos e netos o que lhes é de direito.
Abraço aos de caráter.

Anônimo disse...

Manchetes :
- "preços dos alimentos disparam e puxam a inflação em 2010";
-a volta do CPMF;
-l6 bilhões de brasileiros vivem na faixa de extrema pobreza"
-IGP M, índice do aluguel já está em quase 9% ; No ano passado apresentava deflação e as imobiliárias relutavam em reduzir os preços dos aluguéis";
-rombo da Previdência pode chegar a R$1,7 bilhão por ano:
-rombo no Pan Americano é de R$2,5 bilhões;

Anônimo disse...

Mensagem publicada em 10/11.

Todos nós já sabíamos de como seria ao final da reunião. Se vota a lei do silêncio e todos tem que respeitar, inclusive a Dona Isa Musa.





Anônimo disse...


Reunião marcada pelo BB as pressas para amanhã 11/11 é muito estranha.

Acredito que nessa reunião não será discutido a distribuição do superavit.

Ela terá a finalidade de exercer uma enorma pressão em cima da Dona Isa.

Depois da reunião nada poderá ser comentado, como da vez anterior.

Informações são proibidas, artimanha petista, assim como eles querem controlar o que a mídia pode ou não pode divulgar.

Trabalho do especialista Franklin Martins, ex-comentarista da Globo, que foi demitido depois que o sr. Diogo Mainard, colunista da revista Veja, denunciou que ele estava a serviço do governo em seus comentários políticos na TV Globo. Fora a denúncia dos parentes do sr. Martins que já estavam ocupando cargos no governo federal.

10 de novembro de 2010 15:19

luiz carlos disse...

13º VEM AÍ - Caso ainda não tenham suspendido o 13º salário do dia 20, gostaria de sugerir que façamos uma contribuição extra para a associação, no valor de 5 pratas, a fim de incorrer nas despesas extras do final de ano, ações, etc...
A minha já está agendada e não aceito devolução.
Saudações a todos.

ALBERTO disse...

INFORMAÇÕES DA REUNIÃO DE ONTEM.

Aposentados e pensionistas na qualidade de contribuintes de todas as associações que nos representaram na reunião de ontem ficamos indignados com o descaso da falta de informações que obrigatoriamente teriam que ser transmitadas a todos associados quanto do término da reunião.

Muitos em dezenas de blog metem o pau nos dirigentes do BB/previ e etc. mas vejo que adotam a mesma filosofia maldida com seus associados que pagam em dinheiro mensalmente para que pelo o menos esse retorno seja dado em tempo hábil ou recorde.

Representantes não é favor e sim um obrigação imediata da parte de vocês no sentido de informar-nos tudo o que aconteceu nas discussões de ontem.

Vejo muitas palavras e agressões e outras de elogios, mas não quero crer que nossos representantes estão fazendo birra para que algo seja dito a nos.

Se, realmente, aconteceu essa reunião eu particularmete não vejo motivo para esconder ou omitir ou que foi discutido ali ou o que será aceito pelos impositores.

É ridúculo esse esconde esconde.....

ALBERTO - BRASÍLIA(DF)

Anônimo disse...

Esse comentário vai para a Da. Isa:


A velhinha (ex) simpática não atendeu ao telefone porque estava em pleno vôo. Ora vovó, instale um “viva voz” na sua vassoura.

Sérgio Figueiredo disse...

Caros colegas do blog,

Confesso que não estou decepcionado nem surpreso com esse silêncio. Já esperávamos por isso. O que mais me revolta, além dessas negociações fajutas e cheias de conchavos, é o fato de pessoas estarem usando nossas ansiedades e necessidades em benefício próprio, para se auto-promover, expondo na vitrine de seus blogs, seus egos inflados por currículos intermináveis, mas nem um pouco invejáveis! Se enraivecem quando são cobrados por notícias, as quais tem acesso, por ter uma rede infinita de “amigos e fontes”. Talvez, nunca tenham ouvido falar em palavras simples como modéstia, dignidade e, principalmente, humildade. Não tenho o menor interesse de conhecer seus livros muito menos de assistir suas palestras. Não acesso mais esse tipo de blog e não os indico a ninguém. Voltando à falar do que houve ontem, acho que não tivemos benefício algum nos filiando à FAABB. Não estou falando particularmente de sua presidente. Falo da Federação, que se amordaça também, fazendo o mesmo jogo da Previ, do BB, da Contraf-CUT e da ANABB, demonstrando uma conduta de subserviência e conivência, esquecendo o compromisso que tem com os aposentados e pensionistas. Meu nome é Sérgio Figueiredo, sou aposentado por invalidez, deficiente físico e NÃO ESTOU À VENDA. Agradeço a Deus por essa deficiência. Com ela, aprendi muita coisa. Pior quem tem deficiência de caráter. Ah... Essa não tem cura, nem que a medicina deseje. Portanto, caros colegas, façamos o possível para conseguir novos sócios para a AAPPREVI. Só assim atingiremos nossos objetivos e não precisaremos mais de federações para nos representar. Um grande abraço a todos...

Anônimo disse...

Olha, não quero ser do contra. Contudo vamos ver se controlamos a nossa ansiedadde. Deixa para lá esta história de notícias de primeira mão.
Eu também estou querendo saber o que aconteceu, mas vamos esperar com calma. Pensamos bem: Tanto faz saber das notícias hoje, ou semana que vem.

abraços a todos!

Anônimo disse...

joao rossi neto, correto o teu texto.Só penso se falarmos em RECEBIVEIS DUVIDOSOS< não estariamos dando um tiro no pé, se estamos justamente ,pleiteando os mesmos recebiveis que o BB usou.

Anônimo disse...

Rossi, sem comentários. Muito obrigado.

Ivan Rezende disse...

"Um dia seremos todos
Empilhados em qualquer
Estante do esquecimento.
Quem há de assegurar
Que não vão ruir também
Nossos sonhos, Esperanças
e Planos?"
Esta é parte do belíssimo poema que a Isa Musa de Noronha, ao fazer levantamento de móveis e utensílios, quando na ativa.
Não é para qualquer um. Somente pessoas sensíveis e com inteligência superior pode esc revere isto.
Prezada Isa Musa, como nossa representante, não deixe que nossos sonhos e planos se desfaçam. Não há cargo maior do que ser presidente da FAABB e fazer valer a sua autoridade e autonomia. Afinal, você está representando 120.000 e é a eles que você deve prestar informações tempestivas.
A estante do esquecimento pode crer que todos seremos empilhados. Veja o ex Presidente do BB Nestor Jost que somente foi lembrado quando de seu recente falecimento.

luiz carlos disse...

CARTA DO JOAO ROSSI AO PRESIDENTE DO BB.

Cerca de 5 minutos atrás li uma super carta do Sr J Rossi ao presidente do BB e agora ela não tá mais, que sucedeu? (10:37-12.11.)

Anônimo disse...

Olá pessoal,

Como é que nas reuniões nos dissídios coletivos, as associações e os sindicatos imediatamente informam os resultados do que foi aí tratado ou estabelecido? Porque nas reuniões sobre o superávit nada pode ser divulgado, a não ser por ordem expressa do Banco e da Previ? Por que tanto mistério? Afinal, as Associações não estão sendo mantidas pelos seus sócios? Por que os seus representantes devem se manter calados, como se tudo estivesse correndo em segredo de justiça? As associações pertecem ao banco?... à Previ?... à Previc?... ou aos associados?.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

O Colega João Rossi Neto me telefonou pedindo para substituir a carta. A segunda, que efetivamente conta, será publicada após leitura e análise do que foi comunicado. Nao que seus textos mereçam reparos, mas para auxiliá-lo na postagem.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade

Anônimo disse...

Anônimo de 12/11 - 04:52


Não colega, nós não estamos pleiteando recebíveis, nós queremos são os superávits,coisa totalmente diferente.
Da parte do banco, são recebíveis duvidosos, porque as contabilizações antecipadas foram feitas com base na Resolução 26, cuja origem é questionada, e por ser inconstitucional, a sua validade pode ser extinta.

João Rossi Neto.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

----- Original Message -----
From: João Rossi Neto
Sent: Thursday, November 11, 2010 10:39 PM
Subject: Negociação de Superávits da PREVI.

Exmo. Sr.
Dr. Aldemir Bendine.
DD. Presidente do BB.


Sr. Presidente,


NEGOCIAÇÕES DOS SUPERÁVITS DA PREVI - Como é do conhecimento de V. Excia, estão em andamento, com o Diretor desse banco, Sr. Carlos Eduardo Leal Neri, da DIRES, negociações visando a distribuição da Reserva Especial da nossa Caixa de Previdência. Entretanto, o assunto vem sendo mal conduzido, as reuniões, sem exceção, são meramente protelatórias. Não inspiram confiança. A realizada, hoje, a exemplo das anteriores, resultou infrutífera. Ao que tudo indica, empurram-nos com a barriga, até o encerramento do exercício de 2010, quando os números estarão fechados para satisfazer os requisitos legais Fabricam ilusões e geram expectativas inúteis. Por que não abrem o jogo e colocam as cartas na mesa. Estão nos fazendo de idiotas e palhaços. Merecemos respeito. Afinal de contas, somos os verdadeiros donos do Fundo de Pensão. Tudo tem limite. Chega de brincar de negociar e do faz de conta. Queremos solução já, antes de 31/12/2010.

2. Dentro desse contexto, para agilizar as tratativas e ensejar à aplicação dos dois textos legais que disciplinam a matéria, que são a Lei Complementar 109/2001,de 29/05/2001 e a Resolução 26/2008, da PREVIC, tomamos a liberdade de remeter, para essa Presidência, cópia da Mensagem, de hoje, endereçada a PREVI, onde colocamos de forma bem explícita, todos os motivos que impõem à aplicação da Reserva Especial, no valor de R$ 25.9, extraída do balanço de 31/12/2009, para revisão do plano de benefícios, PB 1. Os seus assessores, evidentemente, devem estar inteirados deste assunto. Registre-se, também, que encaminhamos uma cópia para a Dires, a fim de que o Diretor não ficasse alheio à correta interpretação do artigo 20, da LC 109/2001.

3. Confessamos que estamos preocupados com o desfecho dessas negociações, temerosos de que o BB coloque óbices artificiais para transferir a decisão para janeiro/2011. Estratégia que descartamos definitivamente. Até o momento, inobstante a enorme ansiedade, o sentimento de revolta pelas mazelas perpetradas, ainda existe boa vontade, da nossa parte, para que tudo seja resolvido, na esfera amistosa, sempre preferível, tanto assim, que aceitamos de forma provisória a implementação da Resolução 26, apelidada de Resolução do Lula, onde a PREVIC, de forma absurda, inconstitucional e política, desprezou o enquadramento técnico, usurpou as funções do Legislativo e, não se contendo, apenas com a tarefa que lhe outorga a Lei 12.154, de 23/12/2009, que é de normatizar o artigo 20, da LC 109/2001, aproveitou o ensejo, e inseriu o maquiavélico dispositivo que concedeu ao banco a regalia de usufruir de 50% dos superávits, obviamente, com a conivência de toda camarilha ( BB/PREVI/GOVERNO).

4. Todas as contabilizações feitas pelo banco totalizam R$ 14.5 bilhões. Esses RECEBÍVEIS fictícios, de liquidez incerta, foram apropriados na rubrica " Outros Créditos", do Ativo.Foram tão precipitados nos lançamentos contábeis, que exorbitaram os valores que, efetivamente, lhes caberia e, agora, a Reserva Especial, é insuficiente para cobrir o enorme rombo, fruto da ambição sem freios. Agiram de forma unilateral e tudo foi executado com respaldo nessa frágil e duvidosa Resolução 26. Quando exigimos o recebimento nossa parte ( 50%), com base na mesma Resolução 26, o nosso direito foi negado arbitrariamente . É como se a norma fosse fabricada somente para servir aos interesses do patrocinador. Isto é trágico e cômico. Usando uma linguagem prosaica, poderíamos dizer que o boi engorda somente na metade do banco. Esse tratamento desonesto e desumano, fere frontalmente o Estado Democrático de Direito. Se as negociações dos superávits não prosperarem, onde o BB vai buscar dinheiro para tapar a sua cratera financeira?

Continua...

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Continuação - Final

5. Veja com que voracidade as mídias se banquetearam com o escândalo financeiro do banco PanAmericano, do Grupo Silvio Santos, cujo balanço carregava no seu bojo, Ativos irregulares no valor de R$ 2.5 bilhões, sendo R$ 400 milhões em RECEBÍVEIS de Cartões de Crédito e R$ 2.1 bilhões com carteiras de operações, que já haviam sido vendidos e existiam só no papel, um documento eivado de fraudes, que inflava o resultado financeiro. Empréstimo no valor de R$2.5 bilhões, está sendo negociado com o FGC, para cobertura deste rombo que, diga-se de passagem, é bem modesto perto do que o BB possui.

6. Presidente, debaixo da sua cadeira, existe uma bomba, com efeito devastador, superior em cerca de seis vezes, o problema do PanAmericano e, naturalmente, estamos falando dos R$ 14.5 contabilizados, com égide em RECEBÍVEIS DUVIDOSOS, que também inflaram substancialmente os lucros do BB, redundando em pagamentos de dividendos a acionistas e PLR para funcionários da ativa. Cuidado com o seu cargo e com a sua reputação.Se esse petardo for detonado durante a sua gestão, mercê até do chamado "fogo amigo", as chances de ser guindado à Presidência da Vale vão a zero. Conhecemos jornalistas de revistas de grande circulação que estão ávidos por uma manchete dessa magnitude.

7. Por uma questão de consideração, ainda guardamos na retina, velhas imagens esmaecidas, daquele antigo BB, honesto, de retidão impecável, orgulho da Nação e que tinha como Patrimônio Indestrutível o seu corpo de funcionários. Hoje, no afã de crescer a qualquer custo, tornou-se vilão, burla leis, vilipendia os direitos dos aposentados, não respeitando ética e nem valores morais. Avança sobre a poupança dos idosos, em completo desrespeito ao Estatuto do Idoso, mesmo sabendo que esses idosos foram co-participantes do crescimento do BB, da PREVI, e o que mais importante, contribuíram para o desenvolvimento do Pais. Debalde todas as INJUSTIÇAS e falta de respeito com a nossa condição de bons clientes, que ao longo de décadas, oferecemos alta rentabilidade pelo uso fiel do portfólio de produtos dessa Casa, não queremos ver o nome do BB na lama, nas páginas dos jornais como protagonista de escândalo financeiro. Como seria a repercussão na Comunidade Financeira Internacional ? Negativa, é claro. A imagem de credibilidade do BB não ficaria somente arranhada, e sim estraçalhada, caso isso venha a acontecer.

8. Em face do exposto, pedimos a sua interferência pessoal para resolver, com a máxima urgência, o impasse dessas negociações, dando ordens firmes para o seu Diretor equacionar o litígio, principalmente no sentido de cumprimento da LC 109/2001. Isto efetivando-se, automaticamente, o valor da Reserva Especial será a cifra de R$ 25.9 bilhões, para ser distribuída em partes iguais. Que o Sr. Neri não crie entraves com o destino que daremos a nossa fatia. Aplicada a lei, sem privilégios, e recebendo o que nos é devido, por direito, não teremos motivos para atirar pedras no telhado de vidro do banco. Ainda há tempo para evitar o desastre. Reiteramos que queremos o dinheiro, nas nossas contas, antes do Natal.

Atenciosamente.

João Rossi Neto.

Anônimo disse...

Leiam o que esta escrito no Blog do Medeiros:

Daqui há pouco vai sair a nota sobre a reunião no BB sobre o superavit, que vou ´mandar minha secretária transcrever na íntegra aqui no blog tão logo seja divulgada. Vou fazer uma retificação sobre o que escrevi ontem. Acho que entregaram para outro redator, porque a nota virá satisfatória e dá uma versão bem razoável do que aconteceu na reunião, sobre a proposta do BB e do posicionamento dos negociadores. Houve avanço, sim, em minha opinião. O prosseguimento vai continuar em rítmo célere. Aguardem a nota. Mais tarde comentarei. Agora terei que ir em audiências no Fôro.

AIRTON disse...

Prezado Marcos é com tristeza, se me permite dizer,neste espaço,o falecimento de mais dois colegas do "PB1" que não vão receber parte do superavit. Permita-me declinar os seus nomes pois alguns colegas talvez tenha trabalhado com eles: EDSON BEGHINI E IVONE DE CARLO COSTA OLIVEIRA. Se algum do blog os conheciam podem ligar:
airton88@oi.com.br ou
tel (32)3421-2583

Abraços
Airton

Alberto disse...

Superávit PREVI: negociações avançam, mas proposta é insuficiente

Na tarde de quarta-feira (11/11), aconteceu mais uma negociação entre o Banco do Brasil e as entidades representativas do funcionalismo da ativa e aposentados sobre a destinação do superávit do Plano 1 da PREVI.

Além das propostas anteriormente apresentadas, as entidades reivindicaram a incorporação permanente dos benefícios especiais negociados e implantados em 2007: o benefício especial de remuneração e o benefício especial de proporcionalidade. Hoje, ambos são pagos com recursos contabilizados em fundos apartados da reserva especial em 2007 e dimensionados para garanti-los de maneira permanente, mas estão condicionados à disponibilidade de recursos nos fundos. A incorporação destes benefícios como permanentes seria custeada pela reversão dos fundos na reserva matemática do plano, sem novos custos adicionais, dando maior segurança aos participantes quanto à perenidade daqueles benefícios. O banco acatou a tese apresentada pelas entidades.

Os tópicos da proposta apresentada pelo patrocinador foram os seguintes:
1. Pagamento de valor correspondente a 20% dos benefícios por um período de até seis anos, sem caráter permanente e sem a garantia de patamar mínimo – o percentual seria pago mensalmente a aposentados e pensionistas e, para os associados da ativa quando estes se aposentarem;
2. Continuidade da suspensão de contribuições por três anos;
3. Incorporação dos benefícios especiais de remuneração e proporcionalidade como benefícios permanentes do plano;
4. O banco não aceita, neste momento, o fim do voto de minerva;
5. O banco não aceita a instituição de benefício de 360/360 do salário real de benefício para todos os associados, independente do tempo de contribuição à PREVI na ativa;
6. As demais propostas apresentadas pelas entidades não foram acatadas pelo banco neste momento;
7. O banco aceita o acordo desde que utilize a metade da reserva especial do Plano 1.

Apesar de reconhecerem que houve avanços na proposta e que o banco tenha acatado algumas importantes reivindicações, os representantes do funcionalismo afirmaram que a proposta é insuficiente e que outros avanços serão necessários. Reforçaram seu entendimento de que a maior parte da reserva especial deve ser destinada à melhoria de benefícios para os associados e protestaram contra a resistência do banco em não acabar com o voto de minerva, em não acatar a proposta de implantar o benefício 360/360 para todos e em não concordar com um valor mínimo para o reajuste dos benefícios. As entidades insistiram que deva haver avanços, pelo menos nestes três pontos, para que se viabilize um acordo.

As entidades salientaram que eventual acordo deverá ser submetido à aprovação dos associados. Uma nova rodada de negociação deve ser agendada para os próximos dias.

Fonte: Agência ANABB

Anônimo disse...

SAIU O RESULTADOS DAS NEGOCIAÇÕES


VEJAM O SITE DA ANABB

Anônimo disse...

Meu caro João Rossi Neto,

Fiquei emocionado ao ler o texto de sua carta ao Sr. Bendine, Presidente do BB.
Graças a Deus, ficamos mais confiantes e fortalecidos quando sabemos que em nossa luta existem colegas tão capacitados, esclarecidos, competentes, conhecedores do Direito e com grande capacidade de comunicação. O blog tem nos mostrado que muitos colegas possuem aptidão plena de nos representar na luta pela distribuição justa do superávit.

Muito obrigado.

Anônimo disse...

Bomba ... Bomba...
O que o Banco quer e não quer!
Dá 20% de aumento por até 6 anos, sem garantia de piso mínimo.
Suspensão da contribuição por 3 anos e:
Incorporar permanentemente as verbas "benefício especial de remuneração e a de proporcionalidade.
O resto dos pedidos - nada

Anônimo disse...

A ANABB DIVULGOU HÁ POUCO O RESULTADO DA REUNIÃO DE ONTEM, EM SEU SITE.

Anônimo disse...

Parabéns, colega João Rossi Neto. É uma honra tê-lo como colaborador neste blog. Quase 24 horas depois... E a lei da mordaça continua... Vergonha, vergonha, vergonha!!!

Anônimo disse...

Sr. João Rossi Neto

Excelente sua carta, diz exatamente o que os aposentados do PB1 pensam e querem.

Caso não haja resposta (resposta decente, não a padronizada), devemos partir para o ataque, ataque com muito barulho, fere a nossa dignidade tanta paciência com o patrocinador em nome de um Banco que já não existe mais, nos países mais politizados todos vão para rua sem medo e sem vergonha de lutar pelo que é justo, somos pessoas esclarecidas, não é admissível continuarmos só com protestos pacíficos e amigavéis.

Chega! de nos tratarem como velhos idiotas, ignorantes e retardados.

Anônimo disse...

Êta cabra macho esse tal de João Rossi Neto...
Já imaginaram a Previ sendo dirigida pelo Marcos, Gilvan, João Rossi e demais pessoas de caráter? Será que o mercado aceitaria pessoas honestas ou só gosta de quem se vende? Tenho a impressão que para determinadas funções se o currículo constar honestidade, obrigatoriamente o peão é detonado.

bigsaranha disse...

ALÔ GRANDE JOÃO:

Não sei se seu avô ainda vive. Eu tenho certeza de duas coisas. Se ele for vivo, ele certamente afirma pleno de orgulho: o meu neto é um filho com mel. Se ele for morto, certamente está sentado à direita de Deus.
Que todas as forças da natureza o protejam e o guardem, porque na sua retaguarda estaremos todos nós. PARA O QUE DER E VIER!!!

Russel Furtado dos Santos

Belo Horizonte

Carlos Mariano disse...

PARECE QUE QUEREM PRESTIGIAR A ANABB

CONSTA NO SITE DA ANABB

Superávit PREVI: negociações avançam, mas proposta é insuficiente


Na tarde de quarta-feira (11/11), aconteceu mais uma negociação entre o Banco do Brasil e as entidades representativas do funcionalismo da ativa e aposentados sobre a destinação do superávit do Plano 1 da PREVI.


Além das propostas anteriormente apresentadas, as entidades reivindicaram a incorporação permanente dos benefícios especiais negociados e implantados em 2007: o benefício especial de remuneração e o benefício especial de proporcionalidade. Hoje, ambos são pagos com recursos contabilizados em fundos apartados da reserva especial em 2007 e dimensionados para garanti-los de maneira permanente, mas estão condicionados à disponibilidade de recursos nos fundos. A incorporação destes benefícios como permanentes seria custeada pela reversão dos fundos na reserva matemática do plano, sem novos custos adicionais, dando maior segurança aos participantes quanto à perenidade daqueles benefícios. O banco acatou a tese apresentada pelas entidades.


Os tópicos da proposta apresentada pelo patrocinador foram os seguintes:
1. Pagamento de valor correspondente a 20% dos benefícios por um período de até seis anos, sem caráter permanente e sem a garantia de patamar mínimo – o percentual seria pago mensalmente a aposentados e pensionistas e, para os associados da ativa quando estes se aposentarem;
2. Continuidade da suspensão de contribuições por três anos;
3. Incorporação dos benefícios especiais de remuneração e proporcionalidade como benefícios permanentes do plano;
4. O banco não aceita, neste momento, o fim do voto de minerva;
5. O banco não aceita a instituição de benefício de 360/360 do salário real de benefício para todos os associados, independente do tempo de contribuição à PREVI na ativa;
6. As demais propostas apresentadas pelas entidades não foram acatadas pelo banco neste momento;
7. O banco aceita o acordo desde que utilize a metade da reserva especial do Plano 1.


Apesar de reconhecerem que houve avanços na proposta e que o banco tenha acatado algumas importantes reivindicações, os representantes do funcionalismo afirmaram que a proposta é insuficiente e que outros avanços serão necessários. Reforçaram seu entendimento de que a maior parte da reserva especial deve ser destinada à melhoria de benefícios para os associados e protestaram contra a resistência do banco em não acabar com o voto de minerva, em não acatar a proposta de implantar o benefício 360/360 para todos e em não concordar com um valor mínimo para o reajuste dos benefícios. As entidades insistiram que deva haver avanços, pelo menos nestes três pontos, para que se viabilize um acordo.


As entidades salientaram que eventual acordo deverá ser submetido à aprovação dos associados. Uma nova rodada de negociação deve ser agendada para os próximos dias.

Carlos Mariano disse...

CONSTA NO SITE DA ANABB

Superávit PREVI: negociações avançam, mas proposta é insuficiente


Na tarde de quarta-feira (11/11), aconteceu mais uma negociação entre o Banco do Brasil e as entidades representativas do funcionalismo da ativa e aposentados sobre a destinação do superávit do Plano 1 da PREVI.


Além das propostas anteriormente apresentadas, as entidades reivindicaram a incorporação permanente dos benefícios especiais negociados e implantados em 2007: o benefício especial de remuneração e o benefício especial de proporcionalidade. Hoje, ambos são pagos com recursos contabilizados em fundos apartados da reserva especial em 2007 e dimensionados para garanti-los de maneira permanente, mas estão condicionados à disponibilidade de recursos nos fundos. A incorporação destes benefícios como permanentes seria custeada pela reversão dos fundos na reserva matemática do plano, sem novos custos adicionais, dando maior segurança aos participantes quanto à perenidade daqueles benefícios. O banco acatou a tese apresentada pelas entidades.


Os tópicos da proposta apresentada pelo patrocinador foram os seguintes:
1. Pagamento de valor correspondente a 20% dos benefícios por um período de até seis anos, sem caráter permanente e sem a garantia de patamar mínimo – o percentual seria pago mensalmente a aposentados e pensionistas e, para os associados da ativa quando estes se aposentarem;
2. Continuidade da suspensão de contribuições por três anos;
3. Incorporação dos benefícios especiais de remuneração e proporcionalidade como benefícios permanentes do plano;
4. O banco não aceita, neste momento, o fim do voto de minerva;
5. O banco não aceita a instituição de benefício de 360/360 do salário real de benefício para todos os associados, independente do tempo de contribuição à PREVI na ativa;
6. As demais propostas apresentadas pelas entidades não foram acatadas pelo banco neste momento;
7. O banco aceita o acordo desde que utilize a metade da reserva especial do Plano 1.


Apesar de reconhecerem que houve avanços na proposta e que o banco tenha acatado algumas importantes reivindicações, os representantes do funcionalismo afirmaram que a proposta é insuficiente e que outros avanços serão necessários. Reforçaram seu entendimento de que a maior parte da reserva especial deve ser destinada à melhoria de benefícios para os associados e protestaram contra a resistência do banco em não acabar com o voto de minerva, em não acatar a proposta de implantar o benefício 360/360 para todos e em não concordar com um valor mínimo para o reajuste dos benefícios. As entidades insistiram que deva haver avanços, pelo menos nestes três pontos, para que se viabilize um acordo.


As entidades salientaram que eventual acordo deverá ser submetido à aprovação dos associados. Uma nova rodada de negociação deve ser agendada para os próximos dias.

Anônimo disse...

Acaba de ser publicada no site da Anabb a proposta do Banco sobre o Superavit. Achei-a até acima das expectativas. Gostei demais do que o Banco ofereceu, apesar de estar ali contida uma, talvez, uma armadilha perigosa que é a limitação de qualquer benefício à disponibilidade de apenas 50% do superavit. Agora é aguardar os cálculos do que está contido na proposta do Banco e ver o que é possível melhorar com eventual sobra de superavit.
Uma coisa não entendo. Se há esta limitação d desenquadramento, qual a razão de não providenciarem o enquadramento. Se o problema está no excesso de aplicação em ações da Vale, que a Previ baixe sua participação e distribua aos donos do dinheiro esta sobra. Que tal?

Anônimo disse...

Colega Airton,

O Banco e a PREVI são fábricas de dinheiro e dinheiro não tem alma nem sentimentos. Para o BB/PREVI cada colega que falece é uma benção, pois após a morte de todos do Plano 1, não terão mais ninguém para dialogar e eles detestam o diálogo. Os donos do dinheiro não tem tempo para conversar com idosos, a não ser para vender algum produto do BB.

Meus pêsames aos familiares dos colegas falecidos.

Anônimo disse...

Sr. Ivan Rezende, se fomos lembrados é porque não fomos esquecidos.

É o caso do Nestor Jost. Depois de certa idade nós somos mais reclusos, pois, deixamos a ativa há tempo e a idade não nos permite ultrapassar certos limites.

Vejamos um caso diferente: o Sr. Oscar Niemeyer que mesmo após os cem anos continua na ativa e esta sempre sendo mencionado pela mídia. E mais, ainda, continua um comunista convicto, apesar de nunca ter morado num país comunista.

Um dia me esposa disse: não fomos convidados para determinado evento, não fomos lembrados. Eu respondi - é porque não temos saido ultimamente não estamos participando de nada, então quem não é visto não é lembrado, pelo menos naquele momento.

Assim somos nós, não somos esquecidos, ficamos na memória daqueles que com quem nos compartilhamos por um determinado período. De repente, nos lembramos e nos indagamos: onde está fulano, onde mora, o que esta fazendo.

Pela falta de contato não quer dizer que fomos esquecidos.

Quem sabe com um pouco de vontade podemos contatar tantos colegas que nos foram caro. Quem sabe um pouco de vontade.

Boa sorte e mantenha contato.

Anônimo disse...

Superávit - reunião de 11.11 - vejam no site www.contrafcut.org.br
Alcides Maurício

Anônimo disse...

Jogo de carta marcada.

Será mesmo 20% com mínimo de R$ 500,00. Como sempre nas negociações que envolvem BB/Contraf-CUT.

Razoável seria 20% com o mínimo de R$ 1.000,00 por 03 anos.

Anônimo disse...

Quem avisa, amigo é. O colega João Rossi deu o recado.
É salutar que o Patrocinador saiba que não nos colocará de joelhos, suplicando nossos direitos.
Não cabe a ele estipular nossos direitos. Não somos mais seus empregados. O representante dos aposentados não é ele.
Também deve saber que, juridicamente, essa Resolução não vale um tostão. Que quem a editou, o fêz de maneira autoritária, transgredindo a Lei Maior, e que, mais cedo ou mais tarde, esse ato normativo abusivo, terá destino certo: a lata do lixo.
Até agora, ponto para nossos representantes. Podemos, temos direitos e queremos mais. Devemos nos lembrar que esta Resolução entrou em vigor em 1º de outubro de 2008, e que os direitos (constitucionalmente inexistentes) começaram naquela data, não podem retroagir.

Anônimo disse...

Colegas,

Eles querem consulta aos associados pra consolidar o acordo e legalizar, segundo as suas cabeças, os 50% que estão sendo usurpados pelo bb dos Idosos do PB1.
Olho neles!

Anônimo disse...

Colegas,

Onde andam os ELEITOS DA PREVI, não deveriam estar repassando informações para todos nós. Afinal para que servem estes inúteis.


Qual a posição deles a respeito de tudo que esta ocorrendo, alguém ouviu algum deles se pronunciar.

Anônimo disse...

Ao colega João Rossi Neto,

duas palavras simples definem sua admirável carta ao Presidente do BB: CORAGEM E COMPETÊNCIA. Por favor não deixe de se canditar nas próximas eleições de nosso Fundo. Ainda que não tenhamos resultados compensadores em termos financeiros já podemos nos considerar de almas lavadas. Parabéns.

Ricardo Annoni Neto - Machado (MG)

Anônimo disse...

Colegas,

Prestigiar a ANABB é tudo o que o Banco quer, pois pode sempre contar com os traidores que possuem cadeira cativa nesta Associação.

ernandez2008 disse...

Eu não vejo outra saida para o impasse a não ser divulgar os acontecimentos aos quatro ventos.

E mais, se ficar pra Janeiro ai é que a coisa se complica. Quando o Zé Dirceu e o Palloci souberem disso ai é que a coisa vai ficar dificil.

Eu bem que avisei. Não confiar em politicos de qualquer especie. O Pimentel que assinou a maldita resolução 26 está ai numa boa, agora Senador e está se lixando pra nós com o bolso cheio de grana, gozando com a cara dos idiotas do Ceará que votaram nele.

Bem feito. Por mim deixaria como está pra ver como é que fica, já estamos sem essa grana até agora, acostumamos com migalhas mesmo.