terça-feira, 9 de novembro de 2010

O Carimbo

Caros Colegas.

A PREVIC, como a PREVI, adota o uso da “resposta carimbo” no relacionamento com aposentados e pensionistas, demonstrando que ambas têm em comum a falta de respeito com que nos tratam.

Questionamento da Colega Rosalina de Sousa, anterior à colocação do João Rossi Neto, recebeu tratamento idêntico ao que lhe foi dado. O “carimbo” é fielmente igual. O que atesta que o Órgão precisa urgentemente de funcionários, pois, ao que dá a entender, além do redator conta apenas com o subcarimbador oficial para atender aos “velhinhos aloprados”.

É possível, também, que a PREVI deva fazer um aporte financeiro maior para pagar os servidores da Previc. O que já estão “papando” todo mês pode ser pouco - e dinheiro para esses mimos é o que não falta no nosso Fundo:

A participação ora publicada somente nos chegou ontem, às 23:34:

Prezado Marcos Cordeiro.

Segue resposta da Previc, sobre questionamento do superávit do PB-1.

Atenciosamente

Rosalina de Souza
________________________________________
Mensagem original
De: PREVIC - OUVIDORIA < previc.ouvidoria@previdencia.gov.br >
Para: vhspassini@uol.com.br
Assunto: RES: SUPERÁVIT DA PREVI PLANO 1
Enviada: 08/11/2010 16:36
Prezada Senhora Rosalina de Souza,

Em atenção a sua manifestação, por meio da qual V.Sa. faz críticas quanto a atuação da PREVIC em relação à distribuição de superávit da PREVI, e conforme apreciação da referida demanda pela área responsável desta PREVIC, encaminhamos resposta:

1. O tratamento do superávit dos planos de benefícios administrados pelas entidades fechadas de previdência complementar - EFPC, assim como do déficit porventura apurado, está previsto na Lei Complementar nº 109, de 20 de maio de 2001, e foi regulamentado pela Resolução CGPC nº 26, de 29 de setembro de 2008, e pela Instrução SPC nº 28, de 30 de dezembro de 2008.
2. A decisão sobre a destinação de superávit ou equacionamento de déficit cabe às EFPC. À Superintendência Nacional de Previdência Complementar – PREVIC cabe autorizar previamente apenas os casos específicos de destinação de superávit que envolvam alteração de regulamento do plano de benefícios (art. 33 da Lei Complementar nº 109/2001) ou reversão de valores, bem como fiscalizar o cumprimento das determinações legais sobre o tema.
3. A PREVIC analisa as propostas apresentadas nos casos sujeitos à autorização prévia, solicitando os ajustes necessários à adequação às normas, no prazo estabelecido na Instrução nº 30, de 19 de março de 2009. Em se tratando de alteração de regulamento o prazo é de 30 dias úteis para manifestação desta autarquia. No entanto, há casos que a destinação de superávit envolve apenas ajustes no plano de custeio, como por exemplo, quando há redução de contribuições, em que não há previsão legal de manifestação prévia da Previc. No caso da Previ/BB, ainda não há processo protocolado nesta autarquia para análise e autorização prévia.
4. Assim sendo, esclarecemos que não cabe a PREVIC sugerir ou decidir sobre as formas mais adequadas a cada plano de benefícios para destinação de eventual superávit, mas autorizar a destinação nos casos em que é prevista manifestação prévia ou atuar na fiscalização rotineira da atuação dos fundos de pensão e da adequação dos procedimentos adotados na gestão dos planos de benefícios que administram.


Sem mais para o momento,
Atenciosamente,


Ouvidoria
Superintendência Nacional de Previdência Complementar - PREVIC
SBN - Quadra 2 - Bloco N - 8º andar - Brasília/DF
CEP 70040-000
previc.ouvidoria@previdencia.gov.br_
_______________________________________

De: vhspassini@uol.com.br [mailto:vhspassini@uol.com.br]
Enviada em: terça-feira, 19 de outubro de 2010 16:29
Para: PREVIC - OUVIDORIA
Assunto: SUPERÁVIT DA PREVI PLANO 1

Ao Senhor Ouvidor.

Venho por meio desta primeiramente me identificar, Sou Rosalina de Souza, Pensionista da Previ Matricula 18.161.320-4,resido em Aparecida de Goiânia estado de Goiás,sito a Rua Conde de Monte Cristo Quadra 10 lote 12 casa 02 Parque Real.
Venho relatar uma matéria muito seria até mesmo para esta agência fiscalizadora,que cobra uma taxa bem elevada dos fundos de pensão para o bom comprimento dos seus deveres para conosco participantes e assistidos a "TAFIC" que onera em valores expressivos os cofres da PREVI.
Foi editada a resolução CGPC26 que faz desta autarquia PREVIC uma espécie de juíza dos conflitos existentes entre participantes e assistidos na questão da destinação do uso do superávit,dos fundos de pensão.
Esta resolução se sobrepõe a lei 10 9/2001 que divide meio a meio os recursos existentes na conta para a revisão do plano de benefícios.
Este ano por força desta lei 109/2001,teremos que obrigatoriamente fazer a revisão do plano de benefícios de numero 1 da previ,e foi agendada para o dia 26 de outubro uma reunião para que o nosso patrocinador e as associações de aposentados e pensionistas e os sindicatos se reuniram para um conciliação sobre esse tema que muito tem afligido participantes que estão vendo fundos de pensão menores que o nosso oferecer melhorias com esses recursos superavitários.
Mas não sabemos do porque forças ocultas tem agido para que se protele essa discussão,talvez as eleições presidenciais de 31 de outubro,ou a ganância do patrocinador em organizar seus balanços contábeis que já destinou por sua conta e risco mais de 14 bilhões de reais desse superávit aprovisionados em seus balanços,pagando PLR,DIVIDENDOS AOS SEUS ACIONISTAS E SENDO PRECIONADO PELA BOLSA DE NOVA YORKE E PELO BANCO MORGAM STANLEY A RESOLVER ESSA QUESTÃO O MAIS BREVE POSSIVEL.
Nos aposentados e pensionistas estamos vendo o jogo político de ambos os lados que não respeita o Estatuto do Idoso,onde a grande maioria dos participantes tem mais de 60 anos de idade.
Vejo casos como o dos funcionários da Vale,fundo de pensão Valia que já destinaram melhorias aos seus participantes melhorando e muito a qualidade de vida deles,desses velinhos que não querem nada mais que gozar de uma velhice mais tranqüila.
Será que se estivéssemos tratando de DEFICIT a demora também seria a mesma? será que já não teriam arrumado um jeito de começar as contribuições? São perguntas que não temos respostas, num governo dito dos trabalhadores, temos uma resolução que nos rouba a luz do dia,um colegiado que deveria ter a obrigação de nos defender nos rouba,e ainda passa por cima do judiciário brasileiro,que esta mesma resolução esta com seus efeit os suspensos por força de uma liminar e que enquanto não for julgado o mérito desta ação não se pode dizer que esta resolução é legal.
Busco senhores a posição oficial deste magnífico colegiado que legisla em causa própria,que não obedece o estatuto do idoso,que nos trata como se fossemos um bando de velhos gagas,que coloca o seu pijama e espera do dia para ir ao banco receber os seus proventos.
Esta PREVIC TEM A OBRIGAÇÃO MAIS PRINCIPALMENTE O DEVER DE ZELAR PELO NOSSO PATRIMÔNIO,ZELAR PALA MAIS DE 120 MIL FAMÍLIAs QUE AJUDARAM A CONSTRUIR ESSE FABULOSO PATRIMÔNIO DE MAIS DE 140 BILHOES DE REAIS QUE TEM HOJE MAIS DE 40 BILHOES PARA A REVISÃO DAS NOSSAS APOSENTADORIAS E PENSÕES.VERIFICAR DO PORQUE O MAIOR FUNDO DE PENSÃO DA AMERICA LATINA PREVI PAGA A MENOR PENSÃO HOJE QUE É DE 60% DOS PROVENTOS RECEBIDOS AINDA EM VIDA PELO PARTICIPANTE.
São questões fundamentais pelas quais esta autarquia que foi fundada e hoje é administrada pela s bases do Partido dos trabalhadores e do PMDB.
Aguardo a manifestação deste órgão de regulação e que possamos ainda em 2010 ter melhores dias com a utilização desta fabulosa reserva para a revisão do nosso plano de benefícios de numero 1 da previ.
Que nesta reunião que será realizada na data do dia 26 de outubro que este órgão fiscalizador não só veja os aspectos políticos e econômicos mais também humanitários porque temos muitos colegas morrendo sem ver a cor de um centavo frutos de muita dedicação e certeza que contribuindo a previ teriam uma qualidade de vida muito melhor no final de suas vidas e que suas famílias não teriam que peregrinar no final de suas vidas, hoje estou com 64 anos de idade e quero o que é meu,minha parte do superávit,é justo é direito é honesto.
Eu aceito dividir com o meu patrocinador 50% para cada um mais quero receber como ele igualzinho, mais quero a minha parte ainda em vida para que eu e meus filhos e netos possamos usufruir de uma qualidade de vida ainda melhor no meu
final de vida.

Atenciosamente

Rosalina de Souza
Pensionista da Previ
Matrícula 18.161.320

81 comentários:

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Colaboração da Diretora Jane Torres de Melo.

Caro Marcos,

Mensagem de interesse aos Segurados que receberam Auxílio Acidente, Auxílio Doença, Aposentadoria por Invalidez, pensão, após o ano 2000.

Bom dia,
Jane



Formulário facilita revisão

Aposentado por invalidez não precisa ir à Justiça. Basta entrar com pedido em posto do INSS

LINK:
http://odia.terra.com.br/portal/economia/html/2010/11/formulario_facilita_revisao_122986.html

Jane Torres de Melo disse...

Caros colegas,

E de se lamentar a conduta da Previc.
Esse modelo de resposta nos ja estamos acostumados. Francamente !!!
Tambem, esperar o que de um Orgao que nem sabe ao que veio.
E so embromaçao !!!!
A forma e a mesma !!!
Uma incompetência reinante !!!
No meu caso, ainda estou as voltas com o ENEM. UMA VERGONHA NACIONAL !!!!

Tenhamos força e coragem !!!!

Abraços,
Jane

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Quanto Vale ser capacho:

Terça-feira, 09/11/2010 - 09h14m
ECONOMIA - Ricardo Flores presidirá conselho da Vale

Troca deve acalmar tensão entre presidente da empresa, Roger Agnelli, e sindicalistas do PT
Fonte: Site ANABB

Anônimo disse...

Ricardo Flores,agora na Companhia Vale.

Quem sabe ele aprende como se distribui superávit?

A cada dia as maldades que o Sergio Rosa fez se volta contra ele.

Deus é justo!.

Anônimo disse...

O dinheiro sempre fala mais alto,os cargos são mais importantes que a história do menino aprendiz.
Agora vamos aguardar,quem sabe em janeiro ele também,ganha as contas,afinal a PREVI é mãe de todos os corruptos.
Para nós o jardim continuo o mesmo,sem adubo,sem flores,pois a erva daninha comeu tudo.

SUPERÁVIT JÁ.

Carlão/Joinville disse...

Pessoal, me perdoem mas não posso deixar de fazer um questionamento (é que minha paciência já se esgotou com tanta choradeira e nenhuma ação concreta): quem é mais lento: a Justiça para resolver ou nós para acioná-la?

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Comentário recebido fora do Blog.

Caro Marcos,

Sei que este trabalho de representação de categorias profissionais é caro e os recursos sempre são limitados. Em função disto, sugiro que a nossa AAPPREVI examine a possibilidade de parceria com Cia/Corretora de seguros visando a criação de seguro de vida em grupo e outros tipos que possam ser acessíveis aos colegas sócios. Acho esta uma iniciativa que ao mesmo tempo que nos poderá ajudar financeiramente, proporcionará maior segurança às famílias representadas pela AAPPREVI. Há muitos colegas descontentes com os seguros disponíveis em outras associações, seja pelas limitações impostas no tocante à idade, seja pelos elevados custos.

Carlos Afonso Quintela da Silva

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caro Colega Carlos Quintela e demais associados:

Fiéis ao compromisso assumido de deselvolver o projeto de criação da AAPPREVI como uma associação diferenciada, trabalhando em benefício dos sócios sem visar lucros ou maiores despesas além da mensalidade cobrada, agradecemos sua sujestão, mas somos forçados a declinar da aceitação da proposta.
Pedimos notar que a quase totalidade das associações similares adotam a diversificação de produtos como forma de angariar recursos, nem sempre revertidos em benefícios ao corpo social.
Deste modo, enquanto for possivel nos manteremos na postura adotada: a AAPPREVI não venderá produtos, mas continuará custeando ações judiciais contando com o produto da arrecadação das mensalidades dos seus sócios.
Por oportuno, infrormamos que a demora em adotar posicionamento relativamente à ADIN, ou outro qualquer enquadramento juridico, não decorre da falta de recursos, muito menos da falta de disposição. Ocorre que toda e qualquer resolução nesse campo merece ser tratada com cautela e responsabilidade e a AAPPREVI se pauta nesse comportamento. Os estudos já foram encomendados e o Escritório contratado advoga a causa da AAPREVI com a mesma seriedade.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade.

Anônimo disse...

"Tá tudo dominado"

Juarez Barbosa disse...

SÓ PARA REFRESCAR A MEMÓRIA...

RELAÇÕES HISTÓRICAS BB/PREVI

1966 - BB DISTRIBUI LUCROS A SEUS ACIONISTAS DE R$ 19,2 BI QUEIMANDO AS RESERVAS PARA PAGAMENTO DAS APOSENTADORIAS DOS PRÉ-67;

1997 - BB TOMA NA MARRA R$ 10 BI DA PREVI PARA COBRIR O ROMBO DE 1967;

2007/10 - BB CONTABILIZA COMO SEU R$ 8 BI DO SUPERÁVIT DA PREVI PARA DISTRIBUIR A SEUS ACIONISTAS E FUNCIONÁRIOS DA ATIVA.

DONDE SE CONCLUI QUE ...

OS SUPERÁVITES GERADOS PELA PREVI SE DESTINAM AO PAGAMENTO DOS ACIONISTAS DO BANCO DO BRASIL E DE SEUS FUNCIONÁRIOS DA ATIVA.

INTERESSANTE NÃO !!!!!!!!

Anônimo disse...

Valeu Marcos,

Mais uma vez você não me decepcionou. Fuja de seguradoras. Mercado segurador é a coisa mais corrompida que existe. Escutei numa palestra proferida por um executivo do BB da área de seguridade a seguinte frase: Comparo o mercado segurador a uma pessoa estudar num colégio de freira para trabalhar na zona.
Mesmo confiando na sua honra, tentarão te corromper de todas as maneiras para nos prejudicar e beneficiá-los, lhe causando muito aborrecimento. Fuja dessa gente sempre.
Parabéns!

Anônimo disse...

Caro Marcos,

O texto é para se pensar. Eis que há um passado glorioso; um presente angustiado; e um futuro incerto para os integrantes do PB1 da PREVI.


Ih! Tá tudo dominado.

A Resolução 26 do CGPC é irregular por ferir a LC 109/2001, e imoral por permitir a rapinagem dos ativos da PREVI.

O Dr. Edgardo Rego, por certo, explica melhor, em seus artigos posto neste Blog, o que se reprova acima.

“ somente o Poder Judiciário pode decidir a respeito da Resolução 26 ... a Justiça ainda não decidiu, encontrando-se sub judice”, diz D. Isa.

Ainda bem que há uma Ação a ser julgada.

E porque a ação está “parada” no Judiciário? Não há interesse das partes que ela tenha um impulso processual?

Sabe-se que no Judiciário o tempo é lento. Porém, a parte interessada terá que demandar, sistematicamente, dos Senhores Julgadores a efetivação da lide.

E isso foi feito ao longo destes três anos? Acredita-se na não efetividade. E porque terá que ser feito a negociação neste reduzido tempo que resta de 2010? Será que o Banco tem pressa? A quem interessa a pressa em fechar a negociação ainda em 2010?

E o que faz a FAABB? Abrevia o julgamento da Ação na Justiça, a favor do Banco, através dessas negociações. Deste modo, efetiva-se a, a priori, a contabilidade do Banco em 50%.

E isso é bom? Para alguns, talvez; para os demais, a grande maioria, a perda será histórica, haja vista o precedente de MENOS 50% em verbas de ativos da PREVI.
Além de “o patrimônio moral, ético, intelectual e doutrinário de um valoroso grupo que em épocas distintas construiu o BB e PREVI”, como diz o Dr. Aristophanes Pereira.

Observe-se que a retirada é, e será, doravante, se assim for perpetuado o Saque, de 50% das rendas futuras da PREVI.

E quem viver verá que as atualizações de benefícios futuros será restrita aos índices de inflação maquiados, determinados pelo governo, tendo a metade de sobra de superávit da PREVI como garantia, se houver. Capital da PREVI menor significa menos poder de investimentos.

E a outra metade do Superávit, ativo da PREVI, o Banco já contabiliza em seu balanço. Pronto, fácil assim.

O Banco, por certo, dentre em breve poderá “lançar” em Bolsa de Valores as sobras futuras dos ativos da PREVI para aumentar os lucros e ações. Visto que o PB1 é integrado a um Fundo Previdenciário maduro e fechado.
O Banco, que não “morre”, terá a fabulosa montanha de dinheiro ao seu dispor quando não houver beneficiário Pessoa Física a reivindicar benefício previdenciário.

Senhores, o tempo urge.

E o que fazer? A direção já foi traçada por vários colegas neste blog. Denunciar. Denunciar. Ao Brasil e ao Mundo. À Justiça. À OAB. Ao TCU. Ao Senado. Às Bolsas de Valores SP e NY as injustiças que querem repassar aos beneficiários do PB1 da PREVI.

“Quem sabe faz a hora”, já dizia Vandré.

Um abraço de James.

Anônimo disse...

Caros ccolegas,
O que não conformo em hipótese alguma, é o seguinte:
Os participantes do PB1, da ativa, não contribuem mais para a PREVI e ainda recebem PLR e ainda vão se aposentar sem contribuir por um bom período. Nada contra ninguém. Mas e nós, AONDE VAMOS ?
Fico sem dormir de tanta revolta e injustiça.

Anônimo disse...

Crédito da gratificação variável será em dezembro
Pagamento aos trabalhadores oriundos da Nossa Caixa ocorrerá até o dia 30


São Paulo – Depois de vários meses de negociação e da forte greve da categoria, os funcionários oriundos da Nossa Caixa aprovaram a proposta do Banco do Brasil para a indenização da Gratificação Variável (GV).

Pelo acordo aditivo, assinado pelos sindicatos e a direção do Banco do Brasil em 29 de outubro, a indenização da GV corresponderá a cinco anos. Dessa forma, o banco pagará um total de R$ 54 milhões, sendo que metade do valor será dividido linearmente entre todos os bancários e o resto será distribuído percentualmente sobre o valor do salário.

A princípio, o BB comunicou que o pagamento ocorreria até 30 de novembro. Mas, para isso, estava calculando a partir de uma distribuição linear do valor, sem levar em conta a regra que já existia na Nossa Caixa desde 1996 e que estabelece a distribuição de metade linear e o restante com a aplicação percentual sobre o valor do salário. Assim, o BB está efetuando os cálculos e o crédito será feito até 30 de dezembro. O Sindicato está cobrando que o pagamento ocorra o mais breve possível.

Tem direito à GV todos os funcionários oriundos da Nossa Caixa, exceto aqueles que deixaram de fazer parte do quadro de funcionários antes do dia 30 de agosto de 2010.


Jair Rosa - 05/11/2010

Anônimo disse...

Colegas,

O DINHEIRO que a Previ paga/alimenta os funcionários da Previc, é o DINHEIRO que falta para a compra de comida para nossas familias terem uma vida DIGNA.
Suspeito que esta República esta cheia de MONSTROS engravatados a torturar velhinhos aposentados, em flagrante desrespeito ao ESTATUTO DO IDOSO. Essa gente não tem pai nem mãe, filhos ou netos, são abjetos da raça humana, é o que nos falta confirmar, aí então é rezar e rezar, pedindo justiça.
Estou perdendo as forças e a paciência, me controlo para não enfartar. Imagino como estão as pessoas que tem maiores necessidades.
Abraço

Anônimo disse...

Cont/ Depois dessa chego a seguinte conclusaõ: Somos aposentados,e as pensionistas não merecemos nada!
Esses da ativa quando entram e greve não pensam na velhice mas deixa eles pois chegarão lá!!!!!

Anônimo disse...

Estamos nas mãos de cretinos imcopetentes e corrompidos, não vejo como por caminhos convencionais conseguiremos nossos direitos, a luta é muito desigual, eles estão se lixando para nós, mesmo com as mensagens inteligentes do João Rossi e da Rosalina, sentimos o pouco caso que nos é dispensado pela Previc,Previ,BB. Temos que partir para o ataque, devemos fazer fantoches de cabelos brancos tipo (judas da semana santa) e pendurá-los numa corda de forca e colocá-los em frente às agências do BB, para chamar a atenção que estão nos matando de tanta revolta.

Anônimo disse...

Prezado Colega João Rossi,
Com sua capacidade de síntese e acúmulo de conhecimento sobre os assuntos relacionados ao nosso fundo de pensão, gostaria de pedir que avaliasse a possibilidade de encaminhar mensagens ao TCU, OAB, STF e demais órgãos que julgar conveniente e divulgar no blog todas as respostas.
Grato
José

Anônimo disse...

Marcos o que precisa fazer para Chamarmos a Revista Veja, Epóca para colocarmos noticias sobre o que a Previ, BB, Previc estão fazendo conosco? Vamos colocar na capa como esssa aqui! Cliquem e vejam
http://images.orkut.com/orkut/photos/OgAAACtwCtFlbDgOsFx3ZqKgXi7MMgOesGvRIM8pBHVjq5SY1kS3VScFU-CgFC1VkKIVNhfNJ24YzfRtXWFZqzreWtoAm1T1ULpk_pkXWmEu9g9CXGpcyDX3uW1_.jpg

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Comentário recebido fora do Blog:

Caro Marcos

PARABÉNS PELO BLOG AAPREVI, acompanho sempre com muita esperança, assim como milhares
de colegas, com certeza.
Acho que a solução de nosso superávit, é exclusivamente política, temos que cobrar diretamente
do Governo Federal e do Congresso, e tentar colocá-los contra a opinião pública, na mídia.
É claro que temos que combater em todas as frentes, principalmente na Judicial, como já vem sen-
do feito.
Grande abraço, parabéns e continue! ! !
Alan de Castro Ferreira (RJ/RJ)

Anônimo disse...

Banco do Brasil vai investir muito nas Olimpiadas.
Com nosso dinheiro, e claro!
Vao fazer aquelas obras faraonicas e quando acabarem as Olimpiadas estara tudo desabando,afundando,acabando de matar pessoas.Vide obras do Pan no Rio de Janeiro....

Anônimo disse...

Colegas,

Vamos lotar os saguões das maiores agências do bb com os velhinhos cabeças brancas, duas ou tres horas por dia, com palavras de ordem, como fazem os da ativa/pts sindicalistas.
Alguém vai publicar ou perguntar o que está se passando.
Muitos de nós temos tempo para esta tarefa, em prol daqueles que não dispõe de tempo.

Quem manda são os donos, disse...

A holding VALEPAR, que controla a VALE, só tinha que escolher o Presidente da PREVI para ser Presidente da VALE, antes que os aloprados PeTistas incompetentes se enfiassem na nossa empresa.

Assim como estão na coitada da Petrobrás! (explora o povo com a venda mais cara do mundo da gasolina, ao preço tão alto como na crise de petróleo, quando o barril valia 160/170 dólares!!!)

A "dona" da VALEPAR é a nossa LITEL, que pertence ao Plano 1 da PREVI.
Ricardo Flores comandará a PREVI e a VALE.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Goiânia (GO), 09 de novembro de 2010



OUVIDORIA

Superintendência Nacional de Previdência Complementar - PREVIC

SBN - Quadra 2 - Bloco N - 8º andar - Brasília/DF

CEP 70040-000

previc.ouvidoria@previdencia.gov.br_



Prezados Senhores,



ANTONIO AMERICANO DO BRASIL BORGES, brasileiro, casado, bancários aposentado, portador do CPF 090.573.581-15 e CI 158.201 SIC/GO, residente e domiciliado à Av. 85, s/n, Condomínio Alfa e Beta, Bloco 2, apto 203, Setor Marista em Goiânia (GO).

No mês de junho passado, a CAIXA DE PECÚLIOS-CAPEC da CAIXA DE PREVIDENCIA DOS FUNCIONÁRIOS DO BANCO DO BRASIL-PREVI majorou, pela primeira vez, as suas contribuições em função da idade, instituído percentuais de 10%, 15% e 20% a partir de 56 anos de idade.

Solicitei informação a respeito do assunto, pois sou associado desde 1962, à CAPEC/PREVI me informou que agiu de acordo com o novo Regulamento, que foi aprovado por essa SECRETARIA DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR por meio do ofício nº 45/SPC/DETEC/CGAT, de 06.01.2010, e Portaria nº 3.266, de 06.01.2010, publicada no DOU, de 07.01.2010.

Informou ainda que o sistema de previdência complementar é regido por legislação especial e a lei complementar 109/2001 estabelece regras básicas desse sistema, e que seu artigo 17 autoriza a alteração do contrato que regula a relação entre os participantes e a entidade que administra o plano, o que deve ser previamente aprovado pelo órgão fiscalizador (PREVIC), e que referido contrato, como no meu caso, consubstancia-se no Regulamento da CarteIra de Pecúlios – CAPEC.

No meu caso, após 48 anos contribuindo em igualdade de condições com os demais associados, a CAPEC/PREVI criou novos critérios de reajuste de mensalidade, penalizando os mais idosos, em TOTAL AFRONTA às leis vigentes, pois alterou, unilateralmente, um contrato em vigência, estabelecendo cláusulas que vão de encontro ao Estatuto de Consumidor, e quando inquirida informa que foi tudo realizado com a anuência dessa Secretaria.

Quer fazer crer a CAPEC/PREVI, que embora tenha agido contrário à Lei, ao tratar das chamadas “cláusulas abusivas”, no artigo 51, o CDC estabelece taxativamente que:

“Art. 51.São nulas de pleno direito, entre outras, as cláusulas contratuais relativas ao fornecimento de produtos e serviços que:

IV – estabeleçam obrigações consideradas iníquas, abusivas, que coloquem o consumidor em desvantagem exagerada, ou sejam incompatíveis com a boa-fé ou a equidade.

XII – autorizem o fornecedor a modificar unilateralmente o conteúdo ou a qualidade do contrato, após sua celebração”.

A CAPEC/PREVI, que não apresentou qualquer estudo a respeito do assunto e muito menos o submeteu à apreciação do corpo de associados, está se fiando somente no fato de que a ALTERAÇÃO PROPOSTA NO NOVO REGULAMENTO FOI DEVIDAMENTE APROVADA PELA SECRETARIA DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR (SPC) e SUPERINTENDENCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR (PREVIC).

Gostaria de saber se a SPC e PREVIC tem poderes para aprovar alterações contratuais que prejudicam os associados, e que vão de encontro ao CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR, e se a CAPEC/PREVI apresentou documentos que justificassem a instituição de mensalidades diferenciada



ATENCIOSAMENTE

ANTONIO AMERICANO DO BRASIL BORGES



EMAIL: antonioabborges@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Interessante essa PREVIC!
Faz-se o que por lá?
Devem estar com muito trabalho e ainda vão entrar mais 300 (observem o link http://previcja.wordpress.com/)

Rogério Luiz Carvalho disse...

Colégas Marcos e blogueiros, de vez em quando alguns colégas citam o estatuto do idoso, o qual não conheço em detalhes, mas acho no meu ponto de vista ser uma balela o
tal estatuto, pois smj nem o próprio judiciario da prioridades ao julgar as nossas ações. A PREVI/BB estão sempre postergando julgados, e ações até com autorização de expedição de alvarás, conseguem empurrar com a barriga e irem ganhando tempo para não cumprirem. Acho que enquanto continuar esta situação, não mudará nada para os cabeças brancas. Coléga Rossi parabéns pelas correspondencias, acertastes na môsca. Abraços a todos e vamos ter fé em Deus que conseguiremos
vencer nossos opressores. Rogério.

Anônimo disse...

Precisa dizer mais alguma coisa?
E vamos esperar ate quando?

Anônimo disse...

Gostaria de ter uma régua que medisse o preço de um homem. Um cargo na diretoria da Previ, na Vale, no BB, no governo? Como mensurar até onde o ser humano consegue rastejar. Na vista humana limitada, os salários, as roupas, os carrões, os gabinetes podem até passar a idéia que alcançaram o Olimpo. Hitler deve ter tido a mesma sensação... Será que pessoas assim conseguem falar para os familiares qual é exatamente o trabalho que fazem? Ou o importante é somente o cargo? Será que teriam coragem de admitir que o papel desempenhado seja o de tentar destruir vidas alheias com a inobservância das leis? Enganar pessoas idosas que trabalharam por toda uma vida e acreditaram numa entidade que asseguraria suas velhices? Isso é sinônimo de sucesso? Isso significa bom desempenho? Claro que não! Em qualquer dicionário de qualquer idioma o nome disso é roubo.

Anônimo disse...

Colega de 9 de novembro de 2010 12:52,


A ambição desmedida leva estas pessoas a ficarem alheias as dificuldades dos outros (o resto do mundo não existe).

Deixam de se preocupar com a função social que exercem e passam a andar em carros luxuosos, vestir ternos caros, e aos poucos perdem a própria identidade, esquecem as raizes, começam a mentir para si mesmos e só enxergam o dinheiro, que passa a ser a mola propulsora de suas vidas.

E até na hora da morte esperam uma coroa de "flores" da PREVI, com qualquer bobagem escrita, para satisfazer seus egos. Assim é a natureza deste tipo de gente.

Mais um detalhe acham que são eternos e serão enterrados com os bens que adquiriram vendendo a alma ao diabo.

Conhecemos muitos deles dentro da PREVI, ANABB, BB, CONTRAF-CUT, eles, porém, não se reconhecem mais.

Anônimo disse...

O Jornal Nacional (g1.com.br/jn)está apresentando n/semana noticiário sobre os direitos dos idosos e APOSENTADOS. Então, faço a sugestão para que algum colega, daqueles que tem grande facilidade para redigir, que porventura faça um comentário ao JN, para falar sobre o nosso SUPERAVIT, cuja lei, não está sendo cumprida pela PREVI.Quem sabe pode dar certo!

Anônimo disse...

Espero que o Marcos não entre nessa de seguros. Visto que foge do nosso foco principal. Estamos lutando por nossos direitos adquiridos.E nem convênios.
Deixemos o que não é bom para nós, com as outras associaçôes.

Anônimo disse...

Cadê o Rosa? ....Estará na Previ? Será que encontro-o na Brasilprev? ou será que está na Vale? Cadê o Rosa? Ah sim! é difícil encontra-lo...é a tal dança das cadeiras...
Oh coitaaaaaddddoooo dos aposentados que não conseguiram nada com ele. Resolução 27 com pimenta nelllle.

Anônimo disse...

Banco Panamericano foi vítima de fraude de R$ 2,5 bilhões


Essa é pequena perto da que o Banco do Brasil esta fazendo, com o superávit do PB-1.

14 bilhões até agora.

A reportagem diz que a fraude passou despercebida?será?.

O cerco esta fechando e as maracutaias vão ficando evidente.

Hoje um superintende,amanha um presidente e por ai vai.

ACORDA BANCO DO BRASIL

ACORDA PREVI

ACORDA ANABB

ACORDA ASSOCIAÇÕES

ACORDAS ELEITOS

Anônimo disse...

O blog do Bruxo disse que a Diretoria de incopetentes(leia-se diretoria da Previ), está próxima de marcar uma reunião com o banco, óh que milagre!Eles não dão uma dentro, essa cambada de imbecis não perde por esperar com ADIN neles!

Anônimo disse...

São todos uns bandos de calhordas....

Anônimo disse...

Muito me admiro, a PREVI milionaria deixando de repartir o superavite , dando uma merreca de aumento!
Vejam a noticia que saiu no Jornal Agora de São Paulo na data de hoje.

Metalúrgicos conquistam reajustes recordes

Carol Rocha e Bernardo Moura
do Agora

Em meio à expansão da indústria no país, a estratégia de ameaçar greve para garantir bons acordos salariais surtiu efeito para os metalúrgicos de São Paulo. Após os acordos dos sindicatos filiados à CUT (Central Única dos Trabalhadores), à CGTB (Central Geral dos Trabalhadores do Brasil) e à Conlutas, ontem foi a vez de as entidades da Força Sindical garantirem um aumento de 9% dos patrões.

Além do reajuste, os 800 mil metalúrgicos da base da Força no Estado terão uma correção de 24% no abono salarial e de 10% nos pisos. Segundo os sindicalistas, esse é o maior reajuste da década.

Para os setores de autopeças e de fundição, o acordo garante a ampliação da licença-maternidade de 120 para 180 dias. Há ainda cláusulas que preveem redução da jornada sem diminuição salarial.
ACORDA PREVI!!!!!!!!!!!!!!
ACORDA BANCO DO BRASIL!!!!!!!!
ACORDA SINDICATOS DOS BANCARIOS!!!!

Anônimo disse...

Pessoal , os deputados federais, o presidente querem aumento!
Esta na hora de denunciarmos a PREVI, o BB!!!!!!!!!!!!!
EU QUERO O MEU SUPERAVITE!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Lula e Dilma armam plano para controlar imprensa

Anônimo disse...

Onde está o Rosa?
http://www2.brasilprev.com.br/Empresa/Noticias/Paginas/brasilprev-comunica-chegada-de-sergio-rosa-a-presidencia-da-empresa.aspx

ricardo o.c.dealbuquerque disse...

Marcos, Rossi, entidas representativas, colegas.VAMOS PRESSIONAR.
ATENÇÃO ATENÇÃO: Balanço VIRTUAL do BB = balanço VIRTUAL do banco do Silvio Santos. QUE VERGONHA. Ricardo O.C.de Albuquerque

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Notícias relevantes (blog do Josias):
“Orçamento prevê reajustes para STF e congressistas
..............
Continua sem solução, porém, uma segunda demanda do Supremo. O tribunal reivindica aumento de 56% aos servidores da Justiça Federal.
O Planejamento orçou a encrenca em R$ 6,4 bilhões anuais. O que levou o ministro Bernardo a tachar os pretendidos 56% como algo "meio delirante".
Não há no Orçamento dinheiro disponível para a concessão desse aumento. O presidente do STF, Cezar Peluso, já esteve no Congresso para tratar do tema.
...............
Antes de viajar para Seul, na noite de segunda (8), Dilma discutiu o "abacaxi" com integrantes do gabinete de transição e ministros de Lula.”

Vejam bem, colegas, trata-se de uma importância (6,4 bilhões) que não chega nem perto do que se está discutindo com relação ao superávit da Previ. E, ao contrário desse último, verifica-se que “não há no orçamento dinheiro disponível para a concessão desse aumento”. E, no entanto, pelo jeito, já foi discutido como um dos grandes problemas nacionais.
Minha conclusão pessoal: no dia em que partirmos, efetivamente, para a briga, inclusive na esfera judicial, deveremos ser mais respeitados e, em conseqüência, teremos nosso “abacaxi” discutido também como prioridade nacional.
Vejam bem, logo depois das eleições, todo mundo partiu pra briga visando melhorar os seus rendimentos, em todas as esferas administrativas. Até a presidente já quer mais que dobrar o seu salário. E nós, aposentados e pensionistas, o que devemos fazer?

Anônimo disse...

Colega Marcos,


Quanto a consulta a um escritório especializado em ADIN, cujos questionamentos não foram publicados, talvez por uma questão de prudência em não divulgar, que julgamos de certa forma coerente em razão de se considerar ou não a confidencialidade do assunto em pauta.

Entretanto, gostariamos de saber se foram, eu acredito que sim, questionado também os possíveis desdobramento, em todos os aspectos de uma ação, que acredito que seja inédita no país, e peculiar como essa.

Devemos verificar também o que ocorre com outros fundos de estatais como a Real Grandeza, de Furnas, Funcef da Caixa, etc.

Quanto a efetivação da ação nós podemos conjeturar alguma coisa quanto aos procedimentos no âmbito da justiça, como morosidade, resultado imprevisível, etc, etc,

Mas o que me preocupa é no caso de nós nos abstermos e não acionarmos a justiça.

Quais seriam as consequências fundamentais de não se optar por uma ADIN.

Quais as perdas a longo prazo, pois, muitos acreditam que não existe longo prazo, mas felizmente ainda existe o que podemos chamar de médio prazo, visto que temos 45.000 aposentados com menos de 65 anos e mais de 22.000 abaixo de 60 anos.

O Banco admite a não cobrança das contribuições mensais dos ativos e aposentados, visto que ele é o maior beneficiado com essa medida, consideramos:
1) que a não cobrança da contribuição dos funcionários da ativa é ilegal e que deveria ser questionado em consultoria jurídica, pois se beneficiar de alguma coisa em que não se contribui é inadmissível, no meu ponto de vista;
2) Essa não contribuição do Banco e dos funci da ativa sai de alguma forma do superavit, pois, dizem que enquanto o plano for superavitário as constribuições ficarão suspensas.
3) as contribuições dos inativos é comum não tê-las, principalmente quando existe superavit. A previdência oficial não penaliza os beneficiários com essa medida.

Então temos fatores e aspectos que devem ser mensurados em uma consulta jurídica e que a mesma deverá ser bastante ampla, pois, o desdobramento é muito importante para delimitar as perdas ou ganhos a curto, médio e longo prazo.

A emoção não pode sobrepujar a
razão.

Decisões de melhoria a curto prazo pode se tranformar numa bomba de efeito retardo.

Infelizmente, não podemos confiar neste governo e nem no que assume em 2011.

Temos que pensar antes na sobrevivência do plano, por que ele nos afetará e não aos governantes de passagem.

Se mostrarmos a nossa disposição de lutar pelo que é nosso, seremos respeitados, se entregarmos o ponto, estaremos entregando de mão beijada o nosso patrimônio que ficará sujeito as mazelas governamental.

Podemos mensurar o que seria longo prazo, o que preocupa muita gente.

Se esse patrimonio da Previ for utilizado para financiar obras de retorno duvidoso ou de projetos que somente dão retorno (lucro) depois de 20 anos, isto é, a longo prazo, pode colocar em risco o nosso plano e nossa subsistência.

A Previ só deve investir em projetos de curtíssimo prazo (retorno/lucro) ou em empresas de primeira linha que já proporcionam dividendos compatíveis com os valores aplicados.

Há muito o que analisar. E só depende de nós.

Boa sorte a todos.

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Caros Colegas.

Informamos que a AAPPREVI encaminhou todos os comentários e contribuições havidas até a data da oficialização da consulta acerca da ADIN. E que, a partir dali, continuamos aportando tudo que se nos chega a respeito.
O Escritório, ao aceitar a incumbência, agradeceu os elementos fornecidos salientando que a identificação dos colaboradores é importante para um eventual contato, por nosso intermédio, para acrescentar/pesquisar elementos, assim como as fontes consultadas pelo mesmo devem ser citadas, em que pese os recursos jurídicos disponíveis entre seu corpo de Advogados.
Por oportuno, informamos que sugestões que não contenham a identificação do autor, nos levam a fazer as pesquisas por nossa conta, antes de levá-las ao Escritório o que, convenhamos, atrasa os nossos trabalhos no oficio da pesquisa de que se trata, retardando, também, o direcionamento ao Escritório.
Por isso, agradecemos a boa vontade dos que assim agem fazendo um apelo para que se abstenham de fazer essas inserções através do Blog, caso não pretendam identificar-se. No entanto, agradeceríamos se isto passasse a ocorrer com mensagens dirigidas aos e-mails da AAPPREVI para contemplar o propósito a que se destinam.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade
aapprevi@aapprevi.com.br
contat@aapprevi.com.br
comunicação@aapprevi.com.br
cadastro@aapprevi.com.br
tesouraria@aapprevi.combr
presidência@aapprevi.com.br

Anônimo disse...

Morre no Rio de Janeiro, aos 93 anos, o ex- presidente do BB Nestor Jost!! Descanse em paz colega!!!

Anônimo disse...

Caros Colegas,

Eu falei hoje, com dois Diretores do BB, que já trabalharam junto comigo, ombro a ombro, e nenhum deles abriu o bico.
Falei também com assessores do Diretor, Sr. Carlos Eduardo Leal Neri,representante do patrocinador, mas também foi em vão.
A única pessoa a manifestar-se com mais clareza, foi a Cecília Garcez, que me disse que o assunto está congelado e que ela vai publicar um artigo, sobre a novela "superávits".
Que o BB precisa concertar uma fórmula para zerar suas contabilizações, isto são favas contadas.
A data da nova reunião sequer está sendo cogitada. No momento, é mais fácil localizar os restos mortais da Eliza Samúdio, do que arrancar informações precisas e fidedignas, de ambos os lados (patrocinador/representantes).
Presumo que o Valmir Camilo, seja o coordenador geral de todo esse imbróglio.

João Rossi Neto.

mary disse...

Caro marcos, gostaria que o nobre colega Gilvan fizesse uma pesquisa a respeito dessa revisão do INSS, de acordo o que consta desde o inicio dessas negociações na qual foi aprovada pelo STF, dando ganho da causa para aqueles que se aposentaram desde 1998, época da EC de 1998 e EC de 2003, e agora estão querendo dizer que só terrão direito as aposentadorias e pensões de out/2000. sou aposentada por invalidez desde nov/1999 e quero ter a certeza que estão agindo corretamente, caso contrário recorrerei a justiça para ter acesso ao que tiver direito. grata por tudo, Abraços a tds.

Anônimo disse...

Marcos, pegando o gancho do anônimo de 10/11/2010 das 04:55.

LEI COMPLEMENTAR Nº 109, DE 29 DE MAIO DE 2001



Art. 20. O resultado superavitário dos planos de benefícios das entidades fechadas, ao final do exercício, satisfeitas as exigências regulamentares relativas aos mencionados planos, será destinado à constituição de reserva de contingência, para garantia de benefícios, até o limite de vinte e cinco por cento do valor das reservas matemáticas.

§ 1o Constituída a reserva de contingência, com os valores excedentes será constituída reserva especial para revisão do plano de benefícios.

§ 2o A não utilização da reserva especial por três exercícios consecutivos determinará a revisão obrigatória do plano de benefícios da entidade.

§ 3o Se a revisão do plano de benefícios implicar redução de contribuições, deverá ser levada em consideração a proporção existente entre as contribuições dos patrocinadores e dos participantes, inclusive dos assistidos.

Marcos, interessante que o $3º acima fala em redução e não suspensão de contribuições.

Considerando que não esta ocorrendo revisão do plano de benefícios como então é possível a suspensão das contribuições.

Na última distribuição do superavit que beneficiou os amigos do rei, não aconteceu a revisão do plano de benefício, pois não recebi nada desse superavit e nem meu benefício foi revisto. A não ser que a revisão do plano seja algo indetectável e impossível de ser visualizado.

Gostaria que alguém pudesse explicar essas coisas por que não entendi nada.

O que é revisão do plano?

Anônimo disse...

O João Rossi Neto levantou uma questão.

O Banco esta demorando a divulgar seu balanço. Por que?

Como o Banco vai concertar (orquestrar ou acertar) o seu balanço com ou sem superavit Previ.

Estranho.


Entretanto o Banco deve estar ciente, também, dos comentários existentes nas mensagens aqui descritas neste blog. O quanto anda nossa insatisfação e uma possível ação de ADIN.

Ele não tem como nos pressionar com uma eventual demissão. Então ele pressiona os dirigentes da Previ, da Anabb, da Faabb e protela ao máximo as negociações, pois, o Banco bem sabe que independente do resultado das negociações haverá uma ação de ADIN e essa nossa decisão, acredito eu, não há como o Banco controlar.

Seu setor jurídico já deve ter passado o seu parecer quanto a questão e isso pode estar preocupando e adiando uma tomada de decisão, buscando uma saída "honrosa".


Será que o Golias não esta tão seguro das suas forças ou prepara uma surpresa tenebrosa para nós.

Vamos aguardar.

Anônimo disse...

Marcos, como disse o Rossi, ninguém abre o bico. Se ninguém abri o bico porque tornou-se um tabu. Assunto perigoso e explosivo.

Com a decisão de consultar um escritório especializado em ADIN por parte da AAPPREVI pode ter deixado o Banco com as barbas de molho.
Marcos, você disse há pouco tempo que vem sofrendo ameaças. Não sei a intensidade delas, mas mostrou que estamos (AAPPREVI) incomodando.

Se sentem incomodados é porque eles tem noção do erro cometido e que talvez ainda não vislumbraram uma solução para o caso ou estão aguardando que a gente baixe a guarda ou que fiquemos vunerável ou divididos.

Vamos em frente.

José disse...

SE FOR ABSURDA, DESCULPEM MINHA SUGESTÃO:
Devido aos problemas possíveis provocados pelo deslocamento para uma eventual manifestação em frente ao prédio da Previ, coloco como alternativa a seguinte sugestão:
Confecção de modelo de carta pela AAPPREVI a ser disponibilizada no site com título NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL cujo objetivo seria demonstrar o descontentamento de todo corpo de beneficiários do PB1, preenchendo campo nome, matrícula e assinatura. No texto constaria o descumprimento da Lei 109 e as conseqüências previstas tanto para a Previ quanto para seus diretores. O ideal seria que fosse feito por notificação via cartório. Entretanto, além de custos não sei dizer sobre a viabilidade para os não moradores do Rio de Janeiro. Então enviaríamos por carta registrada com AR. Muitos perguntarão: Por que não e-mail? Além de vários colegas não terem acesso ou prática com internet, o fator psicológico de chover milhares de cartas na sede da Previ demonstraria o tamanho da nossa insatisfação. Sem falar que é mais fácil apagar um e-mail do que responder uma carta mesmo sendo por carimbo. Acredito ainda que possa servir futuramente como prova material num processo judicial.
NOSSA PARTE: Disseminar o máximo entre os colegas cópias e instruções do procedimento. Depois, caso seja aprovada a sugestão e houver necessidade, enviaríamos o AR para AAPPREVI ou outro lugar que for determinado para comprovar numericamente a efetividade do processo.

José

GILVAN REBOUÇAS disse...

Prezada Colega Mary,

A correção do teto é devida a quem se aposentou entre 1988 e 2003 e teve a média salarial limitada ao valor máximo pago pelo INSS.

Para maiores detalhes, visite este endereço eletrônico: http://www.agora.uol.com.br/defesadocidadao/ult10108u812799.shtml

Atenciosamente,


Gilvan Rebouças

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

NOTA OFICIAL da FAABB:

Ás Associações de Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil


Sr. Presidente,



Acabo de receber, agora, dia 10 de novembro, convocação para a próxima rodada de negociações com o BB. Será amanhã, dia 11, às 15 horas na Sede do Banco do Brasil no DF.



Desejo lembrar a todos que, embora sejam imensas as expectativas de todos, não há como prever o desenrolar dessa nova rodada, pois não há qualquer sinalização de que um possível acordo seja fechado imediatamente.



Rogo a todos que mantenham o clima de apoio, confiança, mas que não fomentem ilusões. Acredito que aida muito deveremos camnhar.



Atenciosamente

Isa Musa de Noronha

Anônimo disse...

Bem! Espero que não seja mais uma reunião do tipo:
Veja bem... Quem sabe... Pode ser... Quiçá... Outrossim... Bem... Vejamos... Talvez... É possível... Pode ser que seja... Temos que consultar... Não tenho certeza... Em principio sim... Será?... Vamos tomar um cafezinho e depois marcaremos a próxima reunião.

Anônimo disse...

O blog dela esta falido, agora vai publicar um artigo sobre superavits......so assim sera visitado.

Marco Aurelio Damiano - Guaxupé-MG disse...

Caro Marcos Cordeiro,
Tenho a impressão de que a GUERRA DOS CABEÇAS BRANCAS e a importância dos aspectos envolvidos para o BB, PREVI, governo Dilma, etc. devem servir de um material muito interessante para muitos jornalistas investigativos e corajosos. Por exemplo, só para citar os da Folha de S. Paulo: Josias de Souza, Jânio de Freitas, Élio Gaspari. Talvez estejamos aqui com uma excelente matéria para reportagem e não estamos sabendo dar-lhe o devido valor. Não seria interessante a AAPPREVI contactar esses jornalistas? Acredito que seria até uma maneira eficaz de divulgar a AAPPREVI e sua luta pelo Brasil afora.

Anônimo disse...

Colega Isa Musa,


Por gentileza, dispense-nos alguns minutos do seu precioso tempo, municiando-nos com as seguintes informações:

1 - Está dificil fechar um acordo, por que? O BB está querendo além dos 50% que a Resolução 26 lhe concedeu?
2 - Fiquei sabendo, pela AFAGO, que o estudo contempla, para os aposentados, um reajuste temporário, de 5% a 20% por um prazo de três anos, e um 14º benefício, enquanto durar os superávits. Isto é verdade?
3 - Que o valor da Reserva Especial, em jogo, é de cerca de R$ 14 bilhões. Procede este número? -
4 - Qual o valor efetivamente contabilizado pelo BB, por conta dos superávits, que julga ter direito de receber?
5 - Como a Lei 109/2001 e a Resolução 26 são os instrumentos basilares dessa negociação, a Reserva Especial,obrigatoriamente, terá de recair sobre a cifra de R$ 25.9 bilhões, consoante consta do balanço, de 31/12/2009, e também porque é está a posição contábil prevista na LC 109. Alguma discordância sobre esta assertiva?
Afiançamos que, estas valiosas informações, não serão utilizadas para tumultuar negociações, mesmo porque o desfecho mais rápido deste assunto, consulta de perto os nossos interesses.

Um abraço.


João Rossi Neto.

Anônimo disse...

Amigos, confio plenamente na nossa colega Isa Musa.
Aliás ela é a única das negociadoras que está nos fornecendo informações.
Cadê as informações da ANABB e da PREVI ?
Vamos cobrar também destas outras entidades.

Por que estamos cobrando somente da Isa ?

Marcos Cordeiro de Andrade disse...

Mensagem de e-mail encaminhada:

Prezada Isa Musa.

A Nota da FAABB foi publicada em dois espaços: Em "Notícias Relevantes" e nos comentários - ambos no Blog.

A propósito do Blog, repasso comentário do Colega João Rossi Neto, para seu conhecimento.

Abraços,

Marcos Cordeiro.


Comentário sobre a postagem "O Carimbo":

Colega Isa Musa,


Por gentileza, dispense-nos alguns minutos do seu precioso tempo, municiando-nos com as seguintes informações:

1 - Está dificil fechar um acordo, por que? O BB está querendo além dos 50% que a Resolução 26 lhe concedeu?
2 - Fiquei sabendo, pela AFAGO, que o estudo contempla, para os aposentados, um reajuste temporário, de 5% a 20% por um prazo de três anos, e um 14º benefício, enquanto durar os superávits. Isto é verdade?
3 - Que o valor da Reserva Especial, em jogo, é de cerca de R$ 14 bilhões. Procede este número? -
4 - Qual o valor efetivamente contabilizado pelo BB, por conta dos superávits, que julga ter direito de receber?
5 - Como a Lei 109/2001 e a Resolução 26 são os instrumentos basilares dessa negociação, a Reserva Especial,obrigatoriamente, terá de recair sobre a cifra de R$ 25.9 bilhões, consoante consta do balanço, de 31/12/2009, e também porque é está a posição contábil prevista na LC 109. Alguma discordância sobre esta assertiva?
Afiançamos que, estas valiosas informações, não serão utilizadas para tumultuar negociações, mesmo porque o desfecho mais rápido deste assunto, consulta de perto os nossos interesses.

Um abraço.


João Rossi Neto.

Balanço do BB (mas não sai?) disse...

Se o Banco Central demorou 6 semanas para confirmar que o Balanço do PanAmericano, do Silvio Santos estava "furado" em 2,5 bilhões (lançavam como ativos suas carteiras de empréstimos já vendidas!!!), logo:

O mesmo Banco Central demorará MESES para confirmar que os Balanços de 2009 e 2008 e também os trimestrais de 2010 do Banco do Brasil (GRANDE BB) estão "inflados" em R$ 8 +6 BILHÕES virtuais, pois NADA RECEBEU DA PREVI, o que diz que seria seu "de direito" (contabilizou baseado numa resolução CGPC 26, ainda sob judice) prestes a cair por uma ADIN.

Então "Poderoso BB" quando publicará seu último balanço mensal??

A CVM, Bovespa, Bolsa N.York, e outras instituições séria estão de olho.....(te cuida, raposão!)

Amanhã, dia 11/11 às 15 hrs. na Sede do BB em Brasília, está agendada uma reunião com a FAABB (Isa Musa) com BB e seus asseclas.

Estão apurados, hein!!!??? Chamem o Lula lá do G20 e expliquem prá elle a canalhice que vem fazendo e querem continuar roubando dos velhinhos do Plano 1 da PREVI...

Anônimo disse...

Dona Isa Musa,

Compreendo que a Sra. não pode resolver tudo, mais estamos esperando há 4 anos, queremos que alguma coisa comece a ser distribuida, contamos com alguma melhora ainda este ano, não há como deixar tudo para a justiça decidir, esse superávit é mais importante para nós que trabalhamos durantes décadas no BB do que para nossos bisnetos, que é o que irá acontecer de deixarmos tudo via judicial.

bigsaranha disse...

A NOSSA CARTA NA MANGA:

O nosso jogo estava em curso e surgiu nas dobras de nossa manga uma preciosa e inesperada carta: Pan-Americano. Se 2,5 bi de um "banquinho" já mexeu com o Bovespa, imaginem o cenário que pode ocorrer com a pretensa "surrupiada" de nosso dinheiro.Se soubermos usar o momento, iremos ganhar o jogo.NÃO VAMOS ABDICAR DE DIREITOS!!! Podemos até aceitar 50% agora e discutir o restante com LIMINAR, ADIN e outras incursões que sejam necessárias. Sem abrir mão de, eventualmente, DENUNCIAR À IMPRENSA E INICIAR UM PROJETO DE MOBILIZAÇÃO FISICA!!! VAMOS TODOS OS VELHINHOS PARA O MOURISCO!!!

Anônimo disse...

Colegas,

Meu medo é que o VALMIR E SASSERON assinem um acordo de migalhas para os aposentados, já que os mesmos vivem encostados no BB e PREVI, respectivamente.

Espero sinceramente que a ISA MUSA, tenha forças para segurar a pressão que virá por parte destas duas figuras execráveis.

Com ou sem acordo não devemos desistir da ADIN contra a Resolução 26.

Colegas a ANABB só existe para passar o chapéu, agora estão enrolando os associados pedindo R$ 300,00 para ação do IR.

Anônimo disse...

COLEGAS, se o Silvio Santos está dando justificativas evazivas de 2 em 2 minutos no SBT pelo rombo de 2,5BI no Banco Panamericano. Imaginem o que o Banco do Brasil não precisará fazer para justificar o que roubou da Previ para inflar seus balanços com lucros virtuais, a reunião de amanhã só está acontecendo por esse motivo, devemos ir para frente dos BB do DF., devemos organizar o movimento das cabeças brancas, ou decidem agora a distribuição do superávit ou conhecerão nossa força.

Anônimo disse...

Vocês viram a rapidez em que o Banco Panamericano foi socorrido pelo governo. Advinhem quem vai bancar essa conta. Enquanto nós, que capitalizamos a PREVI por longos anos, estamos aguardando há 4 anos pela melhoria dos benefícios. Dá para acreditar neste País e seus governantes!

Anônimo disse...

Amanhã, mais ou menos a essa hora, Dona Isa Musa será canonizada “Santa Musa” ou enforcada como Judas e sabem o que mais? Nem Santa, nem Judas, apenas alguém que desafia os poderosos e não tem sequer a confiança de seus representados. Vai Musa! Ser gauche na vida!

Anônimo disse...

Reunião marcada pelo BB as pressas para amanhã 11/11 é muito estranha.

Acredito que nessa reunião não será discutido a distribuição do superavit.

Ela terá a finalidade de exercer uma enorma pressão em cima da Dona Isa.

Depois da reunião nada poderá ser comentado, como da vez anterior.

Informações são proibidas, artimanha petista, assim como eles querem controlar o que a mídia pode ou não pode divulgar.

Trabalho do especialista Franklin Martins, ex-comentarista da Globo, que foi demitido depois que o sr. Diogo Mainard, colunista da revista Veja, denunciou que ele estava a serviço do governo em seus comentários políticos na TV Globo. Fora a denúncia dos parentes do sr. Martins que já estavam ocupando cargos no governo federal.

Reunião sobre superavit dia 11/11 disse...

E a contraf-cut, vai sediar uma pré-reunião, amanhã, dia 11/11/2010, antes das 15 horas, horário da reunião com o BB, no Edificio-sede, em Brasilia.

Me digam, o que a CUT e a CONTRAF tem a ver com os aposentados beneficiários do Plano 1 da PREVI ?

Respondo: N A D A !!!

São figurinhas carimbadas deste (des)governo lulo-petista, que se acham ter algum poder, sobre os destino do BB e da PREVI.

Fora chineludos, barbudos...

Anônimo disse...

QUEM CONHECE O COLUNISTA DIOGO MAINARD DA REVISTA VEJA

Muitos sugerem que o nosso caso do superavit e sua utilização indevida nos balanços do Banco sejam denunciados pela imprensa.

Muito fácil, basta apenas municiar ao sr. Diogo Mainard, colunista da revista Veja, que após sua devida análise, acredito que ele terá comentários pra mais de uma semana.

O sr. Mainard é bastante conhecido em denunciar maracutaias do governo Lula e da Dilma.

Acredito que será uma ótima alternativa e de graça, penso eu.

Agora chegou a hora de se fazer um dossiê real e verdadeiro sobre a matéria e fornecê-lo ao colunista com o levantamento de todos os dados desde a inconstitucionalida da Resolução, a omissão da CVM, etc.

Podemos dar outro nome no lugar de dossiê, pois esse nome cheira o PT.

Se os espiões da Anabb, Previ, Sindicatos, lerem esse blog, ficaram com a pulga atrás da orelha, porque a coisa é séria, e uma denuncia partindo de um colunista que tem credibilidade, o caldo pode entornar.

Se a idéia for boa que seja aproveitada.

Anônimo disse...

O BB já demonstra que a situação dele não esta tão confortável.

Fraude contábil no Pan Americano, será que existe algo similar no ar.

Será que alguém vai divulgar que no BB aconteceu uma suspeita de fraude contábil.

Que a Dona Isa jogue duro e pesado com essa petizada, ela esta escudada por nós (AAPPREVI) e não estará sozinha.

Anônimo disse...

Tá cheio de ex-sindicalista da CUT com AP alto nas diretorias do BB. As abomináveis criaturas vão defender com unhas e dentes seus interesses particulares e coletivos às nossas custas. Será necessário apoiarmos a nossa Presidenta Isa Musa. Onde tem CUT e Camilo também tem mal cheiro...

Anônimo disse...

O ex-guerrilheiro, ex-defensor das liberdades, ex-gente boa, Franklin Martins, está tentando colocar uma mordaça na liberdade de expressão na internet. Por ele, blogs como este devem ser extirpados da sociedade brasileira. Dá pra acreditar? Hugo Chaves (de cadeia) tá fazendo escola.

Anônimo disse...

É, no minimo, estranha essa atitude do BB: marcar reunião para o dia seguinte. Porque a pressa?
Fiquemos alerta. Nós sabemos que, neste caso, não haverá Voto de Minerva, pois está suspenso pela Resolução 26. Terá que ser por maioria absoluta, e corre o risco de ser mediada pela Previc. Se a negociação for prejudicial aos participantes é melhor recomendar a recusa.
Olho vivo.

bigsaranha disse...

AUMENTO DE 20% SOBRE O VP:

Cabe uma reflexão de todos para essa possivel armadilha. Lembram-se de quando os salários ficaram congelados por anos? Então, naquela época, casuisticamente, o BB aumentou absurdamente o salário de uns poucos. Aumentou o número de cargos de direção, para que os apaniguados recebessem o aumento exorbitante. Hoje, esses apaniguados é que vão negociar pelo BB com a seguinte ótica: aumento de 20% para quem ganha pouco, com piso de 500,00, aumento de 20% para mim, sem teto. Resultado: só o aumento de 20% sobre 22 mil/25 mil, que é o que ganha os puxa-sacos, vai dar mais do que ganha a imensa maioria, incluido o aumento de 20%. Eu opino que deve ter um TETO DE 2 mil já que haverá um piso de 500 reais, para que não se perenize a atual injustiça conjuntural, oriunda de flagrantes erros anteriores. JÁ PASSOU DA HORA DE SE FAZER JUSTIÇA!!!!

Anônimo disse...

Colega de 11 de novembro de 2010 06:48,


Esta é a lógica da CONTRAF-CUT e seu comparsa SASSERON, estão comprometidos com aqueles que os mantem no poder. Se fazem de loucos para passar bem. É lógico que teria de haver um piso e um teto para o reajuste de 20% ou qualquer outro índice.

Outro absurdo defendido por esta dobradinha CUT/SASSERON é o aumento do teto para 100%, eles sabem que muitos colegas desconhecem o Estatuto/Regulamento da PREVI e enfiam estas propostas indecentes a pedido de seus padrinhos.

Anônimo disse...

Já fui a favor de piso mínimo de distribuição do superavit, hoje sou contra. Se os que se aposentaram com valores que consideravam injustos não procuraram a justiça é porque estavam certos de suas pretensões não seriam atendidas. Contribuiram sobre salários menores e/ou tiveram seus benefícios reduzidos por novas regras contra as quais não se insurgiram à época e querem agora, compensações por sua omissão. Está parecendo aquele time que após a derrota quer mudar a regra do jogo para levar vantagem. A imensa maioria dos benefícios baixos decorre de acomodação, incompetência, pouco tempo de contribuição para a Cassi e muitas vezes tudo isto junto. Os casos pontuais de injustiças poderiam ter sido resolvidos com superação e recursos aos canais competentes. O resto é choro de perdedor.

Anônimo disse...

Colegas,

A PTzada que ascendeu ao poder no BB, com a posse do LULA, vai empurrar goela abaixo as propostas que lhes favorecem e para isto contam com o apoio da ANABB E CONTRAF-CUT.

Vejam a distribuição do último superávit e entendam porque houve RENDA CERTA e AUMENTO DO TETO PARA 90%.

SE HÁ PISO, TEM QUE HAVER TETO, disse...

Se tiver PISO de R$ 500,00

tem que haver TETO de R$ 2 MIL !

senão: É maracutaia para aqueles "marajás da Previ" que ganham MAIS DE R$ 10 MIL por mes !
- "Renda Certa II" - oh dinovo, nãão!

bigsaranha disse...

ALÔ ANÔNIMO DAS 9.07:

O seu texto foi infeliz e prepotente e chegou ao ápice de confundir cassi com superavit. O que tem uma coisa com outra? Talvez voce esteja muito cansado e precise se revigorar. Aí, seria cassi...Talvez depois de revigorado voce não faça ilações julgadoras sobre a pretensa justeza do pleito de dezenas de milhares de seres humanos que, um dia, direta ou indiretamente, competentes(sic) ou incompetentes(sic), ajudaram a singrar o mesmo barco que voce.
Em tempo: eu recebo mais que dois digitos.

Russel Furtado dos Santos

Anônimo disse...

Ainda bem que quem negocia com o Banco não é a turma do salário mínimo. Pois, se assim fosse dentro em breve estaríamos todos irremediavelmente na classe D.

Anônimo disse...

Colega anônimo de 11 de novembro de 2010 09:07,

Entre com algum recurso administrativo na PREVI e verás qual é o tratamento dado pelo nosso Fundo de Pensões aos que buscam corrigir injustiças via administrativa.

Desculpe, mas parece que você nasceu ontem ou não conhece a PREVI.

Por ocasião da liquidação da minha casa finaciada pela CARIM, arrancaram meus olhos na liquidação do saldo devedor, escrevi cartas, mandei e-mail, acabei pagando o valor de duas casas e senti na pelo como somos tratados lá.

Espero que nunca precises recorrer AOS CANAIS COMPETENTES DA PREVI, POIS SE FOR CASO DE VIDA OU MORTE, MORRERÁS.

Um abraço e juizo.

Anônimo disse...

Ao anônimo das 09:07, de 11.11.2010

Você realmente é "O CARA". Mas é "O CARA" mais prepotente que havia na agência e que "cresceu" por puxa-saquismo. Vc por acaso não foi um grande dedo-duro para conseguir as promoções que os outros não conseguiram? Ou vc por acaso não foi um gerente/chefe que que submetia os seus subordinados ao que hoje chamamos de assédio moral?
Ora, nem todos podem ou poderiam estar nivelados no mesmo cargo, em uma agência ou ex-Cesec. Não há vaga para tanto. Por isso, vc deveria pensar naqueles seus colegas, que mesmo tentando, não conseguiram melhorar seus salários de contribuição.
Sua colocação foi muito infeliz. Enquanto vc, sozinho, se julga "o bom", tem mais de mil lhe julgando ao contrário.